Você está na página 1de 9

regulação emocional

Psicóloga Maria Alice Ribeiro


Psic.maribeiro
“A vida em família é onde iniciamos a aprendizagem emocional;
nesse caldeirão íntimo aprendemos como nos sentir em relação a
nós mesmos e como os outros vão reagir a nossos sentimentos;
aprendemos como interpretar e manifestar nossas expectativas e
temores. Aprendemos tudo isso não somente através do que nossos
pais fazem e do que dizem, mas também através do modelo que
oferecem quando lidam, individualmente, com os seus próprios
sentimentos”. Daniel Goleman
Os três padrões mais comuns de pais emocionalmente inábeis
● Ignorar qualquer tipo de sentimento: A perturbação
emocional dos filhos os chateia, e acreditam que passará
com o tempo. Não aproveitam o momento para uma maior
aproximação.
● “Deixe fazer”: Apesar de saberem o que o filho está
sentindo, acreditam que qualquer forma que a criança
encontre de lidar com a tempestade emocional está ótima;
● Não respeita o que a criança sente: São desaprovadores,
severos na criticas e castigos. Proíbem a manifestação da
raiva e castigam com o menor sinal de irritabilidade
Pais “treinadores emocionais”
● Aproveitam o momento de perturbação emocional do filho
para agir como uma espécie de mentor emocional;
● Fazem de tudo para entender o que exatamente se passou e
ajudá-lo a não se sentir tão mal;
● Compreensão sobre os próprios sentimentos, com capacidade
de distinguir sentimentos e suas intensidades.
● Ser e demonstrar empatia
● Reforçar positivamente enquanto ensina, elogiando e
expressando as qualidades do filho
● Feedback sanduíche.
Aptidões 1. Aptidões
emocionais

importantes para a 2. Aptidões

Regulação cognitivas

emocional 3. Aptidões
comportamentais
Aptidões emocionais
● Identificar e rotular sentimentos;
● Expressar sentimentos;
● Avaliar a intensidade dos sentimentos;
● Lidar com os sentimentos;
● Controlar impulsos.
Aptidões cognitivas
● Falar consigo mesmo (Metacognição) - ter um “diálogo
interior”, como uma forma de enfrentar um assunto ou
reforçar o próprio comportamento;
● Usar etapas para resolver problemas e tomar decisões -
por exemplo, controlar impulsos, estabelecer metas,
identificar ações alternativas, prever consequências;
● Compreender a perspectiva dos outros.
● Compreender normas de comportamento
● Autoconsciência - Criar expectativas realistas para si
mesmo
Aptidões comportamentais
● NÃO-VERBAIS: Comunicar-se por contato
ocular, expressão facial, tom de voz,
gestos e assim por diante.
● VERBAIS: Fazer pedidos claros, responder
eficientemente à crítica, resistir a
influências negativas, ouvir os outros,
participar de grupos positivos de colegas
Referências
Antônio Damásio- O erro de Descartes

Daniel Goleman- inteligência emocional

(Indico os livros, são ótimos)

Você também pode gostar