Você está na página 1de 15

Centro Universitário Leonardo da Vinci

Curso Bacharelado em Serviço Social

Adriana Feliciano

SES0752

PROJETO DE INTERVENÇÃO:
A IMPORTÂNCIA DO PAPEL DO ASSISTENTE SOCIAL
JUNTO AO BENEFÍCIO EVENTUAL

SÃO LUDGERO
2019

CIDADE
ANO
ADRIANA FELICIANO

Benefício Eventual:

Projeto de Intervenção:
A Importância do papel do Assistente Social
Junto ao Benefício Eventual

Projeto de intervenção apresentado à


disciplina de Estágio II do Curso de Serviço
Social do Centro Universitário Leonardo da
Vinci – UNIASSELVI, como requisito parcial
para avaliação.

Nome do Tutor Externo - Orientador


Samara Corrêa Demétrio Bihl
CRESS 5117

Nome do Supervisor de Campo – Orientador


Valdira Matias
CRESS 5593

SÃO LUDGERO
2019
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ................................................................................4
2 CONTEXTUALIZAÇÃO ..................................................................5
3 JUSTIFICATIVA .....................................................................................7
4 PROBLEMATIZAÇÃO ...................................................................8
5 OBJETIVOS .............................................................................................9
5.1 OBJETIVO GERAL ...............................................................................9
5.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS ..................................................................9
6 PÚBLICO-ALVO ....................................................................................10
7 PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS ...............................................11
8 METAS ....................................................................................................12
9 AVALIAÇÃO E CONTROLE ...............................................................13
10 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES ...................................................14
11 RECURSOS (VALORES APROXIMADOS) ..................................... 15
11.1 GASTOS COM PESSOAL ..................................................................15
11.2 GASTOS COM MATERIAL ...............................................................15
11.3 GASTOS COM DESLOCAMENTO ...................................................15
11.4 ORÇAMENTO TOTAL ......................................................................15
REFERÊNCIAS ...........................................................................................16
4

1 INTRODUÇÃO

O presente projeto de intervenção será realizado no setor de Benefício Eventual, onde


o levantamento de demanda apresentou a necessidade de trabalhar a conscientização e
orientação com todas as pessoas sobre os critérios estabelecidos por Lei de quem
necessita do benefício eventual, quais são suas condicionalidades, para que este direito
seja requerido.
A logística do projeto é discutida entre técnicos dos serviços, na própria Secretaria de
Assistência Social, no encontro, técnicos dos serviços e a estagiária estarão esclarecendo
e tirando dúvidas de quais são seus direitos, e deveres enquanto cidadão. Esse projeto
visa levantar as barreiras os desafios atuais para efetivar, e ampliar as melhorias das
condições de vida do usuário, em a que se refere Beneficio Eventual garantindo o bem-
estar dos usuários e a qualidade dos serviços sócio assistenciais.
Este trabalho é composto por uma breve contextualização, justificativa e problema
para melhor entendimento da temática a ser tratada pelo mesmo. Em seguida os objetivos
a serem traçados em curto e longo prazo; o publico alvo que são os usuários de quem
dela necessita os procedimentos operacionais, as metas, avaliações controle, cronograma
das atividades e os recursos utilizados.
5

2 CONTEXTUALIZAÇÃO

O Benefício Eventual dentro das políticas públicas assistenciais do governo federal,


visa atender uma grande parte da população cuja renda per capita seja inferior a ¼ (um
quarto) do salário mínimo. Os Benefícios Eventuais são caracterizados por serem
suplementares e temporários, prestados aos cidadãos e às famílias em casos de
nascimento, morte, situações de vulnerabilidade provisória e de calamidade pública,
passando por um momento temporário, por um período de tempo, quando o usuário
alcançar sua autonomia ele se desligará do benefício.
A CF/1988 concebe a assistência social como direito social (BRASIL, 1988). O
Serviço Social, por sua vez, adota como um dos mais importantes princípios no Código de
Ética do Assistente Social (1993) a afirmação, ampliação e consolidação da cidadania,
considerada tarefa primordial de toda sociedade, com vistas à garantia dos direitos civis,
sociais e políticos das classes trabalhadoras (CFESS, 1993).
Segundo Iamamoto (2008), a política pública de assistência social no marco da
seguridade social tem sido um dos âmbitos privilegiados de atuação profissional e um dos
temas de destaque no Serviço Social brasileiro recente. O debate sobre as políticas
sociais vem oferecendo uma sólida sustentação teórica à qualificação da assistência
social no âmbito das relações entre o Estado e a sociedade civil, como direito dos
cidadãos que dela necessitam e dever do Estado.
A Secretaria de Assistência Social e Habitação, têm por objetivo promover o direito à
assistência social por meio de ações que garantam o aprimoramento permanente da
gestão e qualificação dos serviços, programas, projetos e benefícios sócio assistenciais,
com objetivo de consolidar o Sistema Único de Assistência Social (SUAS), em âmbito
municipal; facilitar a inserção ou reinserção do cidadão no mercado de trabalho
contribuindo para a inclusão social e produtiva; formular políticas de desenvolvimento e de
apoio ao setor habitacional e garantir o direito humano à alimentação adequada, através
de políticas setoriais e de direitos para resgatar a cidadania e a garantia dos direitos
sociais.
6
3 JUSTIFICATIVA

Um dos maiores desafios tanto para profissionais da área da assistência social


quanto para os usuários do serviço, é sem dúvida é a garantia dos benefícios eventuais
quando solicitados na Assistência. Os benefícios eventuais foram implantados
primeiramente sobre a ótica do primeiro-damismo e nos dias de hoje provocam inúmeras
discussões e dúvidas por parte da população usuária, e da sociedade em geral.
Este projeto visa manter os usuários bem informados dos serviços ofertados pela
gestão no qual está inserido o benefício eventual, conscientizando e orientando a cada
usuário de seu direito garantido por lei. É de suma importância garantir aos usuários o
direito de todos e todas, usufruírem dos direitos assegurados pelo ordenamento jurídico
brasileiro à proteção social não contributiva de assistência social efetiva com dignidade e
respeito.
8
4 PROBLEMATIZAÇÃO

Considerando o alto índice de usuários procurando o setor para solicitar o benefício


eventual, percebeu-se que os usuários estão desorientados sobre o benefício, critérios e
direitos. Diante dessa realidade a gestão de benefício eventual, buscou trabalhar junto a
rede uma proposta para sanar essa falha existente no munícipio, na busca de qualificação
e aprimoramento dos serviços ofertados.
Cada município deve reconhecer quais são os benefícios concedidos em âmbito
municipal e reordená-los de acordo com a legislação e atribuição de cada política. No
processo de regulamentação é essencial que o município realize um estudo da sua
realidade social, para analisar o público alvo dos benefícios, o critério da renda, bem
como estabelecer locais de atendimento e uma ampla divulgação de como são
concedidos esses benefícios
9
5 OBJETIVOS

5.1 OBJETIVO GERAL

Este projeto tem como objetivo contribuir e propiciar ampliação da reflexão sobre
os “Benefícios eventuais” acerca da qualificação na prestação desses benefícios, não
como uma prática meramente assistencialista, mas, discutir instrumentos estratégicos de
trabalho do Serviço Social, que contribui, de fato, para a inclusão social, o resgate do
protagonismo do cidadão, o acesso a bens e serviços.

5.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Identificar os usuários junto ao benefício eventual;


 Elaborar folders para os usuários, esclarecendo os seus direitos;
 Conscientizar e orientar os usuários sobre os benefícios concedidos pelo setor;
 Esclarecer os direitos e deveres dos usuários;
 Obter uma troca de experiência entre os usuários, estagiária e a Assistente Social;
10

6 PÚBLICO-ALVO

O publico alvo constitui-se de famílias em vulnerabilidade social, pessoas que estão


desempregadas e todos aqueles que necessitam dos serviços.
11

7 PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

Será realizada a divulgação de folders, visitas e na própria Secretaria de Assistência


Social do município de São Ludgero. A ação consiste na conscientização e orientação aos
usuários do setor de Benefício Eventual para aprimoramento na qualificação dos serviços
ofertados pelo setor e na diminuição de usuários sem informação sobre seus direitos
sociais que são garantidos por lei.

Primeira Ação: Alcançar o maior número possível de usuários atendidos na


Secretária Municipal de Assistência Social e Habitação;

Segunda Ação: Orientação e Interação com os usuários dos “Benefícios Eventuais”,


através de entrevistas e visitas.

Terceira Ação: Conscientização e orientação sobre os benefícios ofertados pelo


Benefício Eventual, esclarecendo todos os direitos.
Quarta Ação: Esclarecer quais são os direitos e deveres dos usuários perante a
lei, junto ao Benefício Eventual.
12

8 METAS
•. Manter os usuários das redes sócio assistenciais bem informados;
•. Diminuir a quantidade de usuários a procura do Beneficio Eventual;
•. Orientar e conscientizar os usuários quais são seus direitos e deveres;

AÇÕES METAS
Levantamento das demandas; Curto prazo
Construir o projeto, teórico e metodológico; Longo prazo
Reunião para estipular a data da intervenção na instituição; Médio prazo
Executar a intervenção metodológica, através de entrevistas Médio prazo
e visitas.
13

9 AVALIAÇÃO E CONTROLE

MÉTODO DE MÉTODO DE
AÇÕES PRETENDIDAS
CONTROLE AVALIAÇÃO
Conscientização dos Através de divulgação em Elaborar junto a
usuários sobre seus folders, visitas, supervisora de estágio os
direitos e deveres como entrevistas, e rodas de planos de ação a ser
cidadão. conversa para trabalho com os usuários
aprimoramento do serviço. selecionados pelo setor de
Benefício Eventual.
Realizar visitas Buscar ações para
domiciliares das famílias aprimoramento do serviço
Obter um bom
para verificar a situação com as redes
resultado em relação à
apresentada pelos assistenciais.
informação a partir das
usuários.
conversas, entrevistas e
visitas realizadas.

Esclarecer para os Conscientizar e orientar Avaliação da supervisora.


usuários os benefícios famílias e usuários sobre
concedidos pelo setor de seus direitos e deveres,
Benefício Eventual. mencionando e
encaminhando os
mesmos a deixar de
depender dos benefícios
assim que alcançar sua
autonomia.
Realizar o cadastro das Identificar no sistema as Encaminhar para cadastro
famílias que apresentam famílias que estão único, para atualização ou
vulnerabilidade desatualizadas, entrar em novo cadastro.
temporária. contato para nova
atualização.
14

10 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

2019 2020
S N D
F
A et O ov ez J J
ev M A M J
go e ut e e an ul
CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES er ar bri ai un
st m ub m m eir h
eir ço l o ho
o br ro br br o o
o
o o o
Pesquisa bibliográfica/documental x
Planejamento das atividades x
Ações a serem executadas (reuniões,
oficinas, encontros, palestras, x
seminários etc.)
Avaliação do estágio x
Apresentação dos resultados da
x
intervenção
Avaliação e controle do projeto x
15
11 RECURSOS (Valores aproximados)

11.1 GASTOS COM PESSOAL


QUANT. Recurso Humano HORAS/TRABALH
R$
O
01 Estagiária de Serviço Social 150 horas -
01 Assistente Social (Supervisora) 70 horas -

11.2 GASTOS COM MATERIAL


QUANT. Recurso Material R$
05 Borracha 10,50
01 Caderno de 100 folhas 18,90
10 Canetas 11,90
01 Cartucho de tinta para impressora 55,00
100 Folhas de Papel A4 8,90
05 Lápis 7,50
01 Pen drive 25,00
Total 137,70

11.3 GASTOS COM DESLOCAMENTO


QUANT. RECURSO COM DESLOCAMENTO R$
3 km Gasolina 4,09
Total 20,00

11.4 ORÇAMENTO TOTAL


RECURSOS R$
Gastos com pessoal -
Gastos com material -
Gastos com deslocamento 20,00
Total 20,00
16
REFERÊNCIAS

OLIVEIRA, Vera Maria Ribeiro. Avaliação de Programas Sociais. In: O planejamento na


ação profissional. Módulo II. Caderno de textos n. 04 - CRESS 12º região. Florianópolis:
Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, 1998, p. 49-70.

AMAMOTO, Marilda IVilela. O serviço social na contemporaneidade: trabalho e


formação profissional, 4ª ed. Cortez, São Paulo 2001.

Disponível em < https://static.fecam.net.br/uploads/665/arquivos/1072 674_LO_20632017___


BENEFICIOS_EVENTUAIS.pdf> Acesso em 06 de Novembro de 2019.

Você também pode gostar