TUDO QUE VOCÊ PRECISA É DE UMA ARMA E UMA GAROTA Reinaldo, meu bom, vamos lá.

Vamos construir uma HQ homenagem aos filmes de violência dos anos 1990 – manja aqueles em que um casal sai pela estrada atirando? Inspiração em Tarantino, Frank Miller, e Jean-Luc Godard. Godard acaba sendo o elemento estranho nessa maçaroca toda, mas são bem os elementos estranhos em meio aos normais que fazem as coisas serem legais. Aliás, o título sai de uma frase do Godard que disse algo do tipo: “tudo que você precisa para fazer um filme é de uma arma e uma garota.” Vamos lá: ESPAÇO É um Brasil ficcional, sem nenhuma necessidade de indicar lugares reais ou manter verossimilhança com nosso país. Mas pense que tudo se passa no Brasil, porque eu acho que essa Road story é tão tipicamente americana (Bonnie & Clyde, etc e tal) que jogar isso aqui é um estranhamento bastante legal. Claro que essas diferenças de espaço não serão solapados pelo roteiro e você debulha aí na arte. TEMPO Você sugeriu década de 1970 e eu gostei da ideia. Vamos variar a arte entre o psicodélico, o disco, o Black Power, o hippie e por aí vai. PERSONAGENS Existe um personagem principal: Ivan. Sugiro desenhá-lo como o Erasmo Carlos: http://www.popsdiscos.com.br/images/uploads/ERASMO%20CARLOS%20%20ERASMO%2065%20NA%20ESTRADA%20(CPLC.jpg gosto do chapéu, das costeletas e da testa grande (pra não falar careca) http://1.bp.blogspot.com/_ore3cagiScI/SkPOS3dAQNI/AAAAAAAAM5g/VEzRM 0bIfls/s400/Discografia+do+Erasmo+Carlos.jpg é ele mesmo, mas um pouco menos enrugado. Tem a garota da história, mas essa não aparece nas páginas iniciais que você vai desenhar. A modelo pra figura é a Anna Karina, atriz da Nouvelle Vague francesa que foi casada com o Godard. Olha ela aí: http://2.bp.blogspot.com/_6p0MudPQEfs/S9CPFZum1rI/AAAAAAAAA5M/9rWk PBwiP-4/s1600/anna_karina.jpg http://3.bp.blogspot.com/_sl2JP_AON80/TJ2BzP6cgiI/AAAAAAAAAOM/IAbieT_ n5qM/s1600/AnnaKarina.jpg http://sarety.files.wordpress.com/2010/10/anna_karina2.jpg gatinha, né? Todo o resto que aparecer é coadjuvante e você fica livre pra usar a referência que quiser. Eu vou sugerir uma ou outra, mas o lápis é seu! ESTRUTURA: As 4 páginas iniciais são o capítulo ½, um prólogo. As outras 4 páginas que fecham essa história só vêm no final do álbum e amarram a trama toda. Elas são apresentadas aqui e paralisadas no meio da ação, deixando o leitor na expectativa. Na prática, é uma capítulo de 8 páginas que encerra o álbum, mas resolvi dividi-lo em metade antes e metade depois, pra gerar uma expectativa e dar o tom de toda a graphic novel: violência, algum humor, um personagem forte e muita expectativa no leitor. As 4 páginas iniciais e as 4 páginas finais são contadas sem narrador em

recordatório. Em seguida, diversos capítulos fechados, que mostram parte dos acontecimentos vividos por Ivan e a garota na estrada. Cada capítulo desses faz a narrativa geral andar, mas tem um evento que se resolve nele mesmo (tipo série de TV). Minha ideia inicial é que cada capítulo desses tenha de 8 a 20 páginas e seja contado de um ponto de vista diferente, normalmente, de um coadjuvante da história, com texto em quadro de recordatório e tudo. É provável que surjam opiniões contraditórias sobre Ivan. Essas histórias contam um pouco sobre Ivan e suas motivações, para que o leitor, ao chegar nas últimas quatro páginas tenha todas as informações necessárias para montar o mosaico da personalidade do personagem. Ivan não narra capítulo algum. A sugestão é que o personagem se monte a partir das diversas visões dos outros personagens. Entre os capítulos longos, existem histórias de uma página, sempre um diálogo (ou quase isso) entre Ivan e a garota em que os personagens se apresentam um pouco mais. Aqui, haverá muitas referências a outras obras. Vamos ao página à pagina. PÁGINA 1 - PRÓLOGO: Essa é uma página com aquela cara de que alguma coisa vai acontecer, embora o leitor ainda não saiba. A ideia é que ele tome uma porrada quando virar a página. Gostaria também que aqui passasse uma ideia de ritmo lento, pra acelerarmos nas próximas três páginas. Pensei aqui numa grade de 4 quadros horizontais que ocupam toda a largura da mancha da página, com uma pequena calha entre eles. Vamos imaginar que estamos vendo uma panorâmica em um escritório. Esse é o cenário de todas essas 4 páginas: escritório com mesas grandes de trabalho, uma mesa maior de chefe (pense no The Office). Pensei em grandes janelas em um dos lados. Homens vestem roupa social e gravata sem paletó, mulheres saias e casacos. Todos eles se acham „pessoas-alfa‟. Aqui teremos um momento Sergio Aragonés/ Eduardo Risso: alguns personagens de fundo terão ações paralelas de pouca importância, mas que chamam a atenção do leitor, aumentando o impacto da chegada da Rural que invadirá o escritório na página 2. Quadro 1

Plano geral do escritório. Janela grande ao fundo. O CHEFE no canto direito do quadrinho grita. Várias pessoas se deslocam pelo cenário. HOMEM 1 carrega papéis prum lado, MULHER 1 lê um relatório enquanto caminha em direção a HOMEM 1, MULHER 2, sentada a mesa, assina papéis, HOMEM 2 gira o disco do telefone com força, HOMEM 3 e HOMEM 4 se preparam para trocar um garrafão da água (de vidro) canto esquerdo do quadrinho.
CHEFE: (balão de grito) Túlio! O telefone é um destes: http://www.baixaki.com.br/imagens/wpapers/BXK18428_telefone800.jpg Quadro 2 Mesmo enquadramento do anterior. O chefe grita novamente. HOMEM 1 para e olha desconfiado para um dos papéis. MULHER 1 continua a caminhar. MULHER 2

carimba um papel. HOMEM 2 bate com força no gancho do telefone, e segura o auscultador com a outra mão, mas ele não dá linha. HOMEM 3 e HOMEM 4 seguram o garrafão d‟água cada um de um lado. Pela janela, um discreto e pequeno vulto de sombras (é a Rural chegando) CHEFE: (balão de grito maior que do quadro anterior) TÚLIO!! Quadro 3 Mesmo enquadramento anterior. O CHEFE se levanta da cadeira e grita. HOMEM 1 dá meia-volta. MULHER 1 continua caminhando e está próxima do HOMEM 1. MULHER 2 olha pela janela. HOMEM 2 segura o telefone com as duas mãos. HOMEM 3 e HOMEM 4 discutem e tentam puxar o galão para si. Pela janela uma mancha um pouco maior. CHEFE: (balão de grito maior que do quadro anterior) TÚLIO!!! TÚLIO!!!! MULHER 2: ? ONOMATOPEIA: (pequena e discreta) VRUMMM Quadro 4 Mesmo enquadramento anterior. O CHEFE se levanta da cadeira e grita. HOMEM 1 para novamente. MULHER 1 tromba com HOMEM 1. MULHER 2 se levanta, aponta para a janela e grita. HOMEM 2, possesso, bate no telefone com o auscultador, segurando-o pelo fio enrolado. HOMEM 3 e HOMEM 4, olham para fora e largam o galão d‟água. Pela janela vemos uma Rural do lado de fora prestes a entrar. CHEFE: (balão de grito maior que do quadro anterior) O TÚLIO MORREU? CADÊ ELE?? MULHER 2: (balão de grito) MEU DEUS! ONOMATOPEIA: VRUMMM PÁGINA 2 - PRÓLOGO: Página de impacto, cara. Um caminhonetão Rural entrou pela janela e fodeu tudo no escritório. Fuck yeah! Na próxima página, o nosso personagem principal vai descer tirar satisfações e aí o leitor começa a entender algumas coisas. Destrua mesas, cadeiras, computadores. Cenário de terra devastada. Quadro único

Splash Page. Quadro em contraplongéé (como se fosse visto do chão), à ¾ (Mais lateral que frontal). A Rural entra arrebentando o escritório pela janela. MULHER 2 pula prum lado, MULHER 1 e HOMEM 1 saltam pro outro. Ao fundo CHEFE se joga. PÁGINA 3 – PRÓLOGO: Nessa página vamos mostrar que Ivan sai inteiro da Rural e caminha até o escritório do DIRETOR-GERAL que fica logo atrás da mesa do CHEFE que estava gritando na página 1. Ivan se movimenta com a segurança de um Wolverine. Aliás, essa página tem a mesma grade da página 1 e o mesmo enquadramento lateral. São 4 quadros horizontais que ocupam toda a largura da página. Quadro 1 Plano geral do escritório. Janela grande ao fundo arrebentada. Rural no meio do quadro com a porta aberta. Ivan (que mal se vê) começa a sair da caminhonete. O CHEFE no canto direito está encostado em frente à mesa, amedrontado. HOMEM 1 e MULHER 1 estão caídos no chão, cobrindo a cabeça com as mãos. MULHER 2 olha para a rural, escondida atrás de sua mesa, HOMEM 2 está em pé, atônito. HOMEM 3 e HOMEM 4 se levantam. Há cacos de vidro e poças d‟água por conta do galão quebrado. Quadro 2 Mesmo enquadramento do anterior. Ivan está fora da Rural e há linhas de movimento por ter fechado a porta. O chefe, espremido contra a mesa, olha pros lados. HOMEM 1 e MULHER 1, ainda no chão, levantam a cabeça pra ver Ivan. MULHER 2 sobe um pouco a cabeça de trás da sua escrivaninha. HOMEM 2 continua parado. HOMEM 3 e HOMEM 4 estão em pé e HOMEM 3 chama HOMEM 4 com a mão para saírem dali pela esquerda do quadrinho. ONOMATOPEIA: (porta da Rural fechando) FECHA! Quadro 3 Mesmo enquadramento anterior. Ivan se espreguiça e está um pouco mais a frente no quadrinho. O CHEFE desmaia na frente da mesa. HOMEM 1 e MULHER 1, que estão mais próximos de Ivan voltam a esconder o rosto. MULHER 2 engatinha pra fora da mesa. HOMEM 2 continua paralisado. HOMEM 3 e HOMEM 4 começam a sair do quadro. TÚLIO aparece no canto esquerdo, com cara de perdido e dá de cara com o HOMEM 3. ONOMATOPEIA: (perto de Ivan, pequena) ESTRALA! ESTRALAAAA! TÚLIO: (balão de fala) Alguém me chamou? Quadro 4 Mesmo enquadramento anterior. Ivan caminha e já está do lado da mesa do CHEFE desmaiado. HOMEM 1 e MULHER 1 se levantam pra ir em direção à saída pela esquerda. HOMEM 2 continua paralisado. MULHER 2 corre para a esquerda. HOMEM 3 e HOMEM 4 levam TÚLIO pra fora do quadro.

PÁGINA 4 – PRÓLOGO: Essa página aqui é pra mostrar quão fodão é o nosso personagem e quanto respeito ele impõe. Vamos mandar uma página de 9 quadros, com 3 linhas e 3 colunas do mesmo tamanho (tipo a página padrão de Watchmen), como uma ideia narrativa bem de cinema, de plano e contraplano, pra aumentar a tesão e segurar essa tensão sem resolver até as páginas finais. Vamos lá? Ah, sugestão: o diretor-geral pode ter a cara do Robin Williams http://www.portalmidia.net/wp-content/uploads/robin-williams.jpg Quadro 1 (primeira linha, coluna da esquerda) Em contraplongée (de baixo pra cima), visão subjetiva do diretor-geral, que está no canto apavorado. Vemos o vidro de uma porta, escrito Diretor-Geral (bata antes de entrar). Como estamos vendo isso de dentro do escritório, a inscrição está espelhada. Pense numa tipia bem dos anos 1970. Quadro 2 (primeira linha, coluna do meio) Em plongée (de cima pra baixo), vemos um plano aproximado do Diretor-geral, que está tenso. Quadro 3 (primeira linha, coluna da direita) O mesmo quadro 1, porém com uma silhueta de homem. Sim, é Ivan. Quadro 4 (segunda linha, coluna da esquerda) O mesmo quadro 2, porém em close e o diretor-geral assustado. Quadro 5 (segunda linha, coluna do meio) Igual o quadro 1, só que a silhueta bate na porta com o punho. ONOMATOPEIA: (pequena e abafada) Bate! Bate! Bate! Quadro 6 (segunda linha, coluna da direita) O mesmo quadro 4, mas com um close ainda mais fechado e o diretor-geral apavorado. Quadro 7 (terceira linha, coluna da esquerda) Mesmo enquadramento, porém vemos Ivan por completo, sorrindo sarcástico. IVAN: (balão de fala) Posso entrar?

Quadro 8 (terceira linha, coluna do meio) Mesmo enquadramento do quadro 6, close ainda mais fechado, destaque para olhos e testa. O diretor-geral chora e sua. Quadro 9 (terceira linha, coluna da direita) O mesmo quadro 7, porém Ivan está com uma expressão vazia (lembra o personagem de Javier Bardem em Onde os fracos na têm vez http://blogdosadovski.files.wordpress.com/2008/03/country2.jpg), de quem não se importa. Em primeiríssimo plano, uma arma (pistola 38) com o tambor pra fora e Ivan colocando as balas. É por meio de um ponto de vista a partir do tambor que vemos Ivan. IVAN: (balão de fala) Posso conversar com você um minutinho?

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful