Você está na página 1de 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE XXX

JOÃO DA SILVA, nacionalidade, estado civil, profissão, residente e domiciliado


no endereço, na cidade de, Estado, portando do RG..., e CPF..., atualmente
recolhido ao presidio Estadual..., por seu advogado, que esta subscreve,
inconformado com a respeitável sentença transitada em julgado da Ação
Penal..., que condenou pelo crime de estupro ( ART. 213 CP), vem
respeitosamente a pessoa de vossa excelência propor com fundamento no art.
621, III do Código de Processo Penal, REVISÃO CRIMINAL, pelas razões a
seguir expostas:

I DOS FATOS

O revisionando foi condenado, por sentença transitada em julgado, a cumprir


06 (seis) anos de reclusão em regime prisional fechado, como incurso nas
sanções do artigo 213, caput, do Código Penal, eis que teria constrangido
Maria Soares à conjunção carnal mediante grave ameaça.

Ocorre que, decorrido 01 (um) ano do trânsito em julgado e encontrando-se


João em cumprimento de pena, Maria confidenciou à sua amiga Joana
Gonçalves que antes dos fatos, já namorava João e que com ele havia mantido
relacionamento sexual por sua própria vontade. Relatou também, que o acusou
de crime, porque João rompera definitivamente com o namoro.

Joana Gonçalves imediatamente procurou os familiares de João transmitindo-


lhes os fatos que integram a justificação criminal já realizada

II. DO DIREITO

Como visto da narrativa, injustiça pura é o que ocorre com o autor, não
devendo prevalecer a condenação proferida, posto que, o réu não cometeu o
crime de estupro (CP, art. 213) a ele imputado.
No que tange os fundamentos legais para a revisional criminal dos autos os
artigos a baixo citado dispõem:

Art. 621. A revisão dos processos findos será admitida:

III - quando, após a sentença, se descobrirem novas provas de inocência do


condenado ou de circunstância que determine ou autorize diminuição especial
da pena;

Art. 626. Julgando procedente a revisão, o tribunal poderá alterar a


classificação da infração, absolver o réu, modificar a pena ou anular o
processo.

Art. 627. A absolvição implicará o restabelecimento de todos os direitos


perdidos em virtude da condenação, devendo o tribunal, se for caso, impor a
medida de segurança cabível.

Como está demonstrado nos autos, ouve uma injustiça em relação ao acusado,
o condenado é inocente, fazendo jus da absolvição.

III. DO PEDIDO

Diante do exposto, requer seja acolhida e provida a presente ação revisional,


absolvendo-se o Requerente nos termos do artigo 386, inciso III e art. 626,
ambos do CPP, expedindo-se o competente alvará de soltura em seu favor.
Requer, ainda, seja reconhecido o direito do Requerente à indenização, a ser
liquidada em momento posterior art. 630 do CPP, como medida de justiça.

Pede deferimento.

Comarca, data.

Advogado.

Você também pode gostar