Você está na página 1de 10

IMPOSTO DE RENDA 2021

PALESTRA : As dúvidas mais comuns da declaração de


imposto de Renda

Prof: Flávio Ricardo Moura


Informações iniciais

Ano Calendário 01 de Janeiro de 2020 a 31 dezembro de 2020

Durante esse período

Renda de Trabalho Assalariado

Rendimentos sujeitos ao carnê leão ( aluguéis e honorários de serviços

prestados autônomos )

Origens Rendimentos tributáveis recebidos de pessoas jurídicas

Rendimentos tributáveis recebidos de pessoas físicas

Rendimentos tributáveis sujeitos a tributação exclusiva na fonte

Rendimentos isentos e não tributáveis

Dívida de ônus reais

Aplicações

Bens

Direitos

Despesas e pagamentos

Apuração do imposto

Modelo completo

Modelo simplificado

( + ) Rendimento Bruto

Rendimentos tributáveis recebidos de pessoas jurídicas

Rendimentos tributáveis recebidos de pessoas físicas

( - ) Deduções

Pensão Alimentícia
Dependentes

INSS

Previdência privada

Outras despesas dedutíveis

. médicas

. educação

(x) Alíquota do Imposto

( = ) Imposto de renda

( - ) Parcela a deduzir

( = ) Imposto do ano

( - ) Antecipações

Retenções

Carnê leão

( = ) Saldo do imposto de renda que pode ser apagar ou a receber


veja abaixo quais são as perguntas que as pessoas mais fazem ao Google sobre IR:

1. Quem tem que declarar Imposto de Renda?

Está obrigada a apresentar a declaração a pessoa física residente no Brasil que, no ano-
calendário de 2019, enquadre em qualquer uma das seguintes situações:

a) recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi


superior a R$ 28.559,70;

b) recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte,


cuja soma foi superior a R$ 40.000,00;

c) obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeitos à


incidência do Imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de
futuros e assemelhadas;

d) relativamente à atividade rural:

 d.1) obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50; ou


 d.2) pretenda compensar, no ano-calendário de 2019 ou posteriores, prejuízos de anos-
calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2019;

e) teve, em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra


nua, de valor total superior a R$ 300.000,00;

f) passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição


encontrava-se em 31 de dezembro; ou

g) optou pela isenção do Imposto sobre a Renda incidente sobre o ganho de capital
auferido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na
aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias, contado da
celebração do contrato de venda, nos termos do art. 39 da Lei nº 11.196/2005 .

2. O que é Imposto de Renda?


É o imposto cobrado pela União sobre os rendimentos percebidos pelas pessoas físicas e
jurídicas, ou seja, um imposto de competência da União, que incide sobre a renda, assim
entendido o produto do capital, do trabalho ou da combinação de ambos e também sobre
proventos de qualquer natureza, assim entendidos os acréscimos patrimoniais.

3. Como declarar Imposto de Renda?

A declaração deve ser elaborada, exclusivamente, com a utilização:

a) do Programa Gerador da Declaração (PGD) relativo ao exercício de 2020, disponível


no site da Receita Federal na Internet (http://receita.economia.gov.br);

b) do serviço “Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF)”, disponível no Centro


Virtual de Atendimento (e-CAC) no endereço acima o qual pode ser acessado, com
utilização de certificado digital, pelo contribuinte ou por representante do contribuinte,
com procuração RFB ou procuração eletrônica, ou código de acesso;

c) do aplicativo “Meu Imposto de Renda”, disponível nas lojas de aplicativos Google


play, para o sistema operacional Android, ou App Store, para o sistema operacional
iOS.

4. O que declarar no Imposto de Renda 2020?

Devem ser declarados os rendimentos recebidos durante no ano-calendário de 2019, os


bens e direitos que integravam o patrimônio do contribuinte em 31.12.2019, bem como
os pagamentos efetuados em 2019 a pessoas físicas, tais como pensão alimentícia,
aluguéis, arrendamento rural, instrução, pagamentos a profissionais autônomos
(médicos, dentistas, psicólogos, advogados, engenheiros, arquitetos, corretores,
professores, mecânicos etc.), e a pessoas jurídicas, quando dedutíveis na declaração.
Também devem ser declaradas as aquisições e vendas de bens ou direitos durante o ano-
calendário, inclusive as operações de renda variável realizadas na bolsa de valores.

5. Como funciona o Imposto de Renda?


A declaração de Ajuste Anual de Imposto de Renda, como o próprio nome sugere, serve
para contribuinte fazer um ajuste do imposto de renda efetivamente devido no ano
calendário. Por exemplo: Durante o ano calendário o trabalhador assalariado sofre
retenção do imposto de renda que é uma antecipação, para que a Receita Federal fique
sabendo que o contribuinte obteve rendimentos. Na declaração de ajuste o contribuinte
declara esses rendimentos e o imposto de renda retido. Após o preenchimento da
declaração informando os pagamentos das despesas legalmente admitidas, como plano
de saúde, previdência privada, despesas com educação, etc., o sistema faz um ajuste que
pode resultar em imposto a restituir, ou diminuição do imposto devido na declaração de
ajuste.

6. O que é Imposto de Renda Retido na Fonte?

É o imposto de renda que a fonte pagadora retém por ocasião do pagamento do


rendimento ao beneficiário.

7. Quando começa o Imposto de Renda 2021?

Já começou. O período de entrega da declaração teve início no dia 01.03.2021, e será


encerrado às 23h59m59s do dia 30.04.2020.

8. O que mudou no Imposto de Renda ?

Dentre as principais novidades na Declaração de Ajuste Anual de 2020, destacam-se as


seguintes:

a) Declaração Pré-preenchida: o contribuinte pode utilizar os dados da Declaração de


Ajuste Anual Pré-preenchida para a elaboração de uma nova DAA com utilização do:

 a.1) do PGD, mediante a seleção, a partir da tela de entrada do Programa, na aba


“Nova”, da opção “Iniciar Declaração a partir da Pré-Preenchida”; ou
 a.2) serviço “Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF)”, mediante a seleção, a partir
da tela inicial do e-CAC, dentro do Menu “Declarações e Demonstrativos”, do item
“Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF)” e, em seguida, dentro do Menu
“Declaração”, do item “Preencher Declaração Online” e, por fim, do item “Importar
Declaração Pré-Preenchida”;
b) Restituição:

 b.1) Antecipação dos prazos e lotes da restituição: a restituição do Imposto sobre a


Renda da Pessoa Física (IRPF), referente ao exercício de 2020, ano-calendário de 2019,
será efetuada em 5 lotes, no período de maio a setembro/2020, conforme prescreve o
Ato Declaratório Executivo RFB nº 1/2020:

Lote Data

1º 29.05.2020

2º 30.06.2020

3º 31.07.2020

4º 31.08.2020

5º 30.09.2020

 b.2) Prioridade na restituição: as restituições serão priorizadas pela ordem de entrega


das DIRPF 2020. No entanto, terão prioridade no recebimento das restituições os
contribuintes idosos, assegurada prioridade especial aos maiores de 80 anos; o
contribuinte portador de deficiência, física ou mental; os contribuintes cuja maior fonte
de renda seja o magistério; e os demais contribuintes;

c) Fim da dedução da contribuição previdenciária patronal incidente sobre a


remuneração do empregado doméstico: a contribuição patronal paga à previdência
social pelo empregador doméstico incidente sobre o valor da remuneração do
empregado não poderá ser deduzida do Imposto de Renda devido na DAA 2020;

d) Número do Recibo: o contribuinte, cuja a soma dos rendimentos (do titular e dos
dependentes), sujeitos ao ajuste anual for superior a R$ 200.000,00 deverá informar na
DAA relativa ao exercício de 2020, ano-calendário de 2019, o número constante no
recibo de entrega da última declaração apresentada, relativa ao exercício de 2019, ano-
calendário de 2018, ficando os demais dispensados dessa informação;

e) Débito automático: o débito automático em conta corrente bancária será permitido


somente para Declaração de Ajuste Anual original ou retificadora apresentada:.

9. O que precisa para declarar Imposto de Renda?


É preciso instalar o programa gerador da declaração disponível para download no site
da Receita Federal, no endereço: http://receita.economia.gov.br, ou aplicativo para
dispositivos móveis (tablets e smartphones) “Meu Imposto de Renda”, ou ainda,
mediante acesso ao serviço “Meu Imposto de Renda (Extrato da DIRPF)”, disponível no
Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), no site da Receita Federal.

10. O que acontece se não declarar Imposto de


Renda?

A pessoa física obrigada à entrega da declaração que deixar de apresentá-la, ou que a


apresentar em atraso estará sujeita à multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso,
calculada sobre o total do imposto devido.

A multa mínima é de R$ 165,74 (inclusive no caso de declaração sem imposto devido),


e está limitada a 20% do valor do imposto devido.

11. O que pode ser deduzido na declaração do


Imposto de Renda?

Na declaração do imposto de renda são admitidas as seguintes deduções:

 a) as contribuições para a Previdência Social da União, dos Estados, do Distrito Federal


e dos Municípios;
 b) as contribuições para entidades de previdência privada domiciliadas no País,
destinadas a custear benefícios complementares aos da Previdência Social e/ou
contribuições para o Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi), até o limite
de 12% dos rendimentos computados na determinação da base de cálculo do imposto
devido na declaração;
 c) as contribuições para entidades de previdência complementar de natureza pública de
que trata o § 15 do art. 40 da Constituição Federal (CF/1988 ), cujo ônus tenha sido do
contribuinte, destinadas a custear benefícios complementares assemelhados aos da
Previdência Social
 d) a quantia correspondente a R$ 2.275,08 por dependente, sendo irrelevante se a
condição de dependência teve início ou término, durante o ano de 2019
 e) as despesas com educação pagas durante o ano de 2019, restritas aos pagamentos
efetuados a estabelecimentos de ensino, relativamente à educação infantil (creches e
educação pré-escolar), fundamental, médio e superior e a cursos de especialização ou
profissionalizantes do contribuinte e de seus dependentes, até o limite anual individual
de R$ 3.561,50;
 f) as despesas médicas, que compreendem os pagamentos efetuados pelo contribuinte no
ano de 2019 a médicos de qualquer especialidade, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas,
terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e hospitais, bem como as despesas com
exames laboratoriais, serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos e próteses
ortopédicas e dentárias, e os valores pagos para manutenção de seguro-saúde ou de
planos de saúde;
 g) as importâncias pagas pelo contribuinte em 2019 a título de pensão alimentícia, em
face às normas do Direito de Família, em cumprimento de decisão judicial ou de acordo
homologado judicialmente ou por escritura pública, inclusive a prestação de alimentos
provisionais;
 h) no caso de profissionais autônomos (exceto os que prestam serviço de transporte de
cargas ou de passageiros e os garimpeiros), as despesas decorrentes do exercício da
atividade profissional geradora dos rendimentos do trabalho não assalariado, pagas em
2019, desde que escrituradas em livro Caixa e comprovadas com documentação idônea.

12. Como baixar o programa do Imposto de Renda


2021?

O programa está disponível para download no site da Receita Federal, no endereço:


<http://receita.economia.gov.br>.

13. O que é restituição do Imposto de Renda?

É o montante do Imposto de Renda cobrado a maior após o contribuinte fazer a


declaração de ajuste anual que apontou que a pessoa devia menos imposto do pago
durante o ano-calendário.

14. Como calcular o Imposto de Renda?

O próprio programa gerador da declaração efetuará o cálculo do imposto de renda com


base em uma tabela progressiva conforme os valores dos rendimentos, considerando as
deduções legalmente admitidas e comprovadas com documentação hábil O programa
demonstrará a alíquota efetiva do imposto devido.

15. Para que serve o Imposto de Renda?


Trata-se de uma fonte de receita do governo federal, o qual irá direcionar os recursos
arrecadados para custear a saúde, a educação, etc.

16 Desempregados precisam entregar declaração


em 2021
Mesmo que desempregado, algumas situações obrigam o contribuinte a entregar o Imposto
de Renda; Veja quais são.

Se você perdeu o emprego em 2020, não está livre de apresentar a declaração do Imposto de
Renda 2021. Há diversas situações que obrigam o contribuinte a entregar o IR 2021, mesmo
que continue desempregado.

Caso a soma dos salários recebidos no ano passado até a demissão tenha superado R$
28.559,70, você deve preencher a declaração. Inclua também nessa conta outras fontes de
renda que você tenha recebido em 2020 que são sujeitas a imposto, como pensão alimentícia
ou rendimento de imóveis alugados.

Além disso, se você recebeu recursos considerados isentos de imposto, como indenização
trabalhista, saque do FGTS ou seguro-desemprego, e a soma deles superou R$ 40 mil no ano
passado, tem que declará-los.

É importante você entrar em contato com o RH da empresa que você


trabalhava para solicitar o informe de rendimentos para Imposto de Renda.

Você também pode gostar