Você está na página 1de 101

CURSO FORMAÇÃO

OPERADOR DE EMPILHADEIRA
Conteúdo
1. Operador de Empilhadeira e suas 5.2 Noções sobre doença e acidentes no uso
atividades; da empilhadeira
2. Descrição do modelo; 5.3 Equipamentos de Proteção Individual e
2.1 Classificação; Proteção coletiva;
2.2 Componentes; 5.3.1 Proteção de partes móveis NR12 –
2.3 Painel; Utilização e Remoção.
2.4 Controle do Operador 5.4 Direção Preventiva
3. Procedimentos de Operação; 5.5 Regras Gerais de Segurança
3.1 Conheça a máquina; 5.6 Manuseio da Carga - Elevação,
3.2 Estabilidade e Centro de gravidade; Abaixamento e Inclinação;
3.3 Capacidade (Peso e Centro de Carga); 5.7 Manuseio da Carga – Como pegar e
3.4 Inspeção pré – Operação; deixar a Carga;
4. Manutenção e Inspeção; 5.8 Manuseio da Carga – Deslocamento
4.1 Verificação com motor desligado; 5.9 Estacionamento
4.2 Parada do Motor; 6. Noções de atendimento a emergência e
5. Regras de Segurança e Prevenção de primeiros socorros.
Acidentes;
5.1 Noções de Legislação de Transito e
Legislação de Segurança e Saúde do Trabalho.
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
Para operar uma Empilhadeira é necessário que operador seja
capacitado, habilitado e autorizado:

1 - A capacitação é realizada através de curso adequado para a


correta operação da Empilhadeira;

2 – A habilitação é constatada através de carteira de habilitação


nacional expedida pelo Departamento Estadual de Trânsito;

3 – A autorização é concedida pela empresa através de carteira


com foto, validade do atestado de saúde ocupacional, estando
o mesmo considerado apto pela medicina do trabalho;
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
Para que a operação da empilhadeira seja feita de maneira segura
e eficiente é exigido do operador os seguintes critérios:

1 – Conheça os riscos e perigos do local onde a empilhadeira irá


operar;

2 – Entenda as capacidades e limitações da Empilhadeira;

3 – Conheça a empilhadeira, e esteja seguro de que ela vem sendo


Mantida em boas condições de operação;

4 – Tenha conhecimento do manual da empilhadeira;


Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
As competências e atividades dos operadores de Empilhadeiras são definidas
pela Classificação Brasileira de Ocupação – CBO.

CBO Nº 7822 – 20 – Operador de Empilhadeira - Motorista de Empilhadeira ,


Operador de Empilhadeira Elétrica, Operador de Máquina Empilhadeira.

São os Profissionais que :


❑ Preparam movimentação de carga e a movimentam;
❑ Organizam ambiente de trabalho e organizam carga, interpretando
simbologia da embalagens, armazenando de acordo com o prazo de
validade do produto, identificando características da carga para transporte
e armazenamento e separando a carga que não estão em conformidade;
❑ Trabalham seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e proteção
ao meio ambiente;
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
Cada tipo de carga necessita de um tipo de movimentação mais apropriada.
Basicamente, existem quatro tipos de cargas:

Granel: São as cargas transportadas em grandes quantidades, sem embalagem,


contidas apenas pela carroceria do veículo transportador. Necessita de adaptação de
equipamentos específicos;
Embalada: São as cargas colocadas em caixas, sacos, feixes, fardos e ainda outros tipos;
Diversas: São as cargas transportadas sem embalagens, e algumas vezes de forma
individual;
Especiais: São as cargas que, por alguma característica própria, exigem cuidados com
higiene, poluição, manuseio, sinalização (placas e etiquetas especiais) e embalagem. O
seu transporte deve ser realizado em veículos especialmente preparados para este fim.

O operador de empilhadeira trabalha com cargas embaladas, diversas e especiais. A


movimentação de cargas com auxílio de empilhadeira é feita de três formas
principais:
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades

Carga a granel:
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades

Carga embalada:
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades

Carga especial:
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
O operador de empilhadeira trabalha com cargas embaladas, diversas e especiais. A
movimentação de cargas com auxílio de empilhadeira é feita de três formas
principais:

Carga embalada:
É o material normalmente colocado em caixa, saco, tambor, feixe etc., movimentando
individualmente, ou no interior de gaiolas, caçambas.

Carga Paletizada (Paletes ou Estrado):

Os paletes são estrados de madeira ou de plástico, onde se arruma a carga. Eles têm
aberturas para colocação do garfo das empilhadeiras.

De duas entradas: os paletes de duas entradas têm abertura para colocação do garfo
em direção oposta, limitando o acesso à carga, pela empilhadeira. São os mais usados
no Brasil;
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades

Palete de duas entradas


Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades

De quatro entradas: Os paletes de quatro entrada tem abertura nos quatro lados,
podendo o garfo ser colocado em qualquer direção.
Estes paletes facilitam a movimentação da carga em áreas estreita;

Leve ou deixe: Este tipo de palete tem aberturas na parte superior e inferior. Quando
os garfos da empilhadeira são colocados na abertura inferior, o conjunto estrado/carga
é movimentado junto. Colocando – se o garfo na abertura superior (por baixo da
prancha), a carga será levantada diretamente por ele, permanecendo o palete no local.
Consegue – se, assim, a separação entre a carga e o palete de forma mecanizada.

Contêiner:

É uma caixa fechada de aço ou alumínio. É a forma de unitilização de carga mais


utilizadas atualmente. Unitilização de cargas é reunir as cargas em um só volume.
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
Palete de quatro entradas
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades
Palete de quatro entradas
Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades

Palete leve ou deixe


Operadores de Empilhadeiras
e suas atividades

Contêiner
Descrição do modelo
Classificação
As empilhadeiras podem ser classificadas em função da
fonte de energia :

❑Diesel: É a empilhadeira que mais polui o ambiente;


❑Gasolina: Apresenta menor poluição que a anterior;
❑Gás: Polui menos que as duas anteriores, por ser mais
perfeita a queima do combustível;
❑Eletricidade: Não apresenta poluição por não haver
combustão. Por essa razão é mais usada nas empresas
alimentícias, farmacêuticas e em espaços confinados.
Componentes
Componentes
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Painel
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
Controle do Operador
PROCEDIMENTOS
DE OPERAÇÃO
PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO
PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO
PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO
PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO
PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO
PROCEDIMENTOS DE OPERAÇÃO
MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO
MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO
MANUTENÇÃO E INSPEÇÃO
Regras de Segurança e
Prevenção de Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Noções de Legislação de Transito e Legislação de Segurança e Saúde do
Trabalho.

Legislação de Transito

A lei 9.503 de 1997 trata sobre o Código Nacional de Trânsito e defini trânsito como a
utilização de vias. Existe um Sistema Nacional de Transito que é composto por órgãos
e entidades que tratam dos assuntos pertinente ao trânsito Brasileiro, Normas Gerais
de Circulação e Conduta, Condução de Veículos, Pedestres, Sinalização de Transito,
Habilitação etc.

O condutor de empilhadeira mesmo em vias internas de empresas ou em ambientes


de trabalho devem segui as regras de trânsito, obedecer limite de velocidade,
respeito as sinalizações, pedestres e está capacitado, habilitado e autorizado para
operar uma empilhadeira.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Legislação de Segurança e Saúde no Trabalho

A portaria do Ministério do Trabalho de 3.214 de 1978 possuem as normas


regulamentados que tratam da Segurança e Saúde no Trabalhadores, atualmente são
36 Normas Regulamentadoras.

Para as atividades de Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de


Materiais a Norma Regulamentadora NR 11 aborda as regras que devem ser
observadas pelos operadores dos equipamentos que realizam essas atividades.

O operador de empilhadeira conforme a NR 11 deve ser capacitado, habilitado e


autorizado para poder operar o equipamento. A autorização para operar o
equipamento deve ser um cartão que tenha o nome e a foto do operador, indicando o
equipamento que o mesmo opera. Esse cartão terá validade de um ano conforme a
avaliação médica anual.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Noções sobre doença e acidentes no uso da empilhadeira

Doenças ocupacionais

No trabalho com a empilhadeira algumas doenças podem vim afetar o operador caso
não seja implantado as medidas de segurança:

1. Perda ou redução da audição por exposição ao ruído produzido pela máquina;


2. Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho – DORT;
Acidentes do Trabalho

A falta de perícia, prudência e negligência do operador de empilhadeiras poderá


envolve – lo nas seguintes situações de acidente:
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Noções sobre doença e acidentes no uso da empilhadeira

Acidentes do Trabalho

As condições do ambiente d trabalho e a falta de perícia, prudência e negligência do


operador de empilhadeiras poderá envolve – lo nas seguintes situações de acidente:

1. Tombamento da máquina;
2. Batida contra;
3. Colisão;
4. Atropelamento;
5. Incêndio;
6. Explosão;
7. Prensamento;
8. Contato com líquido quente;
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Equipamento de Proteção Individual - EPI.

A utilização dos equipamentos de proteção individual – EPI é disciplinada pela Norma


Regulamentadora NR -6, da portaria 3.214 do Ministério do Trabalho, que exige dos
Empregadores e Empregados o cumprimento desse regulamento nas jornadas de
trabalho em que seja necessário.

Considera – se Equipamento de Proteção Individual todo dispositivo de uso individual,


de fabricação nacional ou estrangeiras, destinada a proteger a saúde e integridade
física do trabalhador, neutralizando a ação de certos acidentes que poderiam causar
lesões graves ao trabalhador.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Os EPI podem ser classificados em função da área protegida, diferenciando, dessa
forma, os equipamentos para proteção:

Da cabeça: especificamente para o crânio para os orgãos da visão e audição. Ex.:


Capacete, protetor facial, óculos de segurança contra impacto, óculos para
soldador (solda a gás), máscara para soldador (solda elétrica), máscara semi –
faciais contra poeira e gases tóxicos, protetor auditivo (tipo plugue e tipo concha);

Dos membros superiores: proteção para as mãos e braços. Ex.: luvas (raspa de
couro, de lona vinílica, de borracha especial para eletricidade) mangas de raspa de
couro, magote de raspa de couro;

Dos membros inferiores: sapatos de segurança (com ou sem biqueira de aço, com
ou sem palmilha, com solado antiderrapante), botas de segurança cano curto,
botas de segurança cano longo, perneira de raspa de couro, perneira especiais.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Equipamento de Proteção Coletiva - EPC.

O operador de empilhadeira deve ter conhecimento dos EPC que podem ser usados
em caso de emergência e nas operações normais com a empilhadeira, abaixo os
principais EPC a serem utilizados nas operações com empilhadeira:

1. Proteções fixa ou móveis de partes móveis;


2. Extintor de Incêndio;
3. Cones ou pedestais zebrados;
4. Fita zebrada ou corrente plástica zebrada;
5. Buzina ou alarme de movimentação e ré;
6. Faróis e lanternas;

Alguns EPC são utilizados conforme a necessidade, outros são utilizados não
operações rotineiras com empilhadeira.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Proteções de Partes Móveis – NR 12.

Conforme a NR 12 no item 12.38 as zonas de perigo das máquinas e equipamentos devem


possuir sistemas de segurança, caracterizados por proteções fixas, proteções móveis e
dispositivos de segurança interligados, que garantam proteção à saúde e à integridade física
dos trabalhadores.

Uma proteção de partes móveis só pode ser removida com a máquina desligada e a parte
móvel bloqueada.

Somente o pessoal da manutenção poderá remover uma proteção e somente para atividade
de manutenção na máquina.

Essas proteções não podem ser removidas pelo operador de empilhadeira. Se o operador
identificou na inspeção pré uso ou durante a operação percebeu que uma proteção foi
removida ou perdeu seu nível de segurança deve acionar o seu supervisor que encaminhará a
máquina pra manutenção.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Noções de direção preventiva
Direção defensiva é dirigir de modo a evitar acidentes de trânsito apesar das ações
incorretas dos outros e das condições adversas.

Condições adversas de luz


▪ Incidência direta de raios solares.
▪ Reflexos de luz solar em vidros, espelhos, janelas.
▪ Luz alta em sentido contrário.
▪ luz altas nos retrovisores.
▪ Penumbra, lusco-fusco ou meia-luz.
▪ Ausência total de luz solar.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Condições adversas de tempo

▪ Manter as palhetas do limpador de para-brisa em bom estado.


▪ Manter os vidros limpos, desengordurados e desembaçados.
▪ Redobrar a atenção e diminuir a velocidade.
▪ Aumentar a distância de seguimento.
▪ Redobrar os cuidados em curvas e nas frenagens.
▪ Dependendo da visibilidade, acender as luzes de posição e o farol baixo
Condições adversas de tempo
Aquaplanagem ou Hidroplanagem
Ocorre quando os pneus não conseguem remover a lâmina d’água e
perdem o contato com a pista.
O fenômeno acontece pela combinação de vários fatores: alta velocidade
do veículo, pneus mal calibrados com sulcos gastos e o volume de água
na pista de rolamento, são as principais causas de hidroplanagem.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Condições adversas de via

▪ Sinalização inadequada ou deficiente;


▪ Pista defeituosa, mal conservadas com buracos.
▪ Aclives e declives muito acentuado.
▪ Faixas de rolamento com largura inferior à ideal.
▪ Curvas em nível mal projetadas ou mal construídas.
▪ Lombadas, ondulações e desníveis.
▪ Inexistência de acostamento.
▪ Má conservação, buracos, falhas e irregularidades
▪ Pista escorregadias ou com drenagem deficiente.
▪ Vegetação muito próxima da pista.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Condições adversas de transito

▪ Trânsito lento ou congestionado.


▪ Área de aglomeração ou com grande circulação de pessoas.
▪ Presença de motociclistas, ciclistas e outros veículos não motorizados.
▪ Transito intenso de veículos pesados, lento e compridos.
▪ Comportamento agressivo, imprudente dos demais motoristas.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Condições adversas de veículo

▪ Suspensão desalinhada, rodas desbalanceadas.


▪ Limpadores de para-brisa, retrovisores e freios defeituosos;
▪ Pneus gastos e ou mal calibrados.
▪ Falta ou deficiência de um ou mais equipamentos obrigatório.
▪ Freios deficientes, etc.
▪ Lâmpadas queimadas e faróis desregulados.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Condições adversas da carga

▪ Carga mal distribuída, mal arrumada ou acondicionada


inadequadamente.
▪ Falhas na imobilização e amarração dos volumes dentro do
compartimento da carga.
▪ Desconhecimento do tipo da carga e das suas características.
▪ Volume, tamanho e o peso da carga.
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Noções de direção preventiva
Algumas recomendações de segurança:

1.Conheça as leis de Trânsito.


2.Use sempre o cinto de segurança.
3.Conheça detalhadamente o veículo.
4.Mantenha seu veículo sempre em boas condições de funcionamento.
5.Faça a previsão da possibilidade de acidentes e seja capaz de evita-los.
6.Tome decisões corretas com rapidez, nas situações de perigo.
7.Não aceite desafios e provocações.
8.Não dirija cansado, sob efeito de álcool e drogas.
9.Veja e seja visto.
10.Não abuse da autoconfiança
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras Gerais de Segurança
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Regras de Segurança e Prevenção de
Acidentes
Noções de atendimento a emergência e
primeiros socorros.
Situação de emergência
Em situação de emergência no local de trabalho ou envolvendo a máquina as
medidas inicial a serem tomadas são:

• Comunicação imediata da ocorrência ao setor de segurança ou brigada de


emergência quando houver;
• Comunicação ao superior imediato;
• Informar com exatidão o local da emergência para a equipe de atendimento a
emergência;
• Informar se houve vítimas ou não;
• Havendo vítima não remover a mesma, somente a equipe de enfermagem do
ou brigadista;
• Posiciona – se em local seguro, e quando for acionado o alarme de evacuação
seguir pela de fuga;
• Não utilizar elevadores;
Noções de atendimento a emergência e
primeiros socorros.
Primeiros Socorros
Para a realização de primeiros socorros deve haver uma capacitação mínima da
pessoa que irá prestar os primeiros socorros, não havendo essa capacitação, deve –
se aguardar a chegada das pessoas capacitadas para atuar.

O socorrista deve de inicio deve realizar a avaliação do cenário e avaliar os estado


das vitimas para diagnosticar os casos mais graves, médio graves e menos grave.

As primeiras ações será a avaliação dos pontos vitais da vítima e em seguida a


realização de procedimentos técnicos para atendimento da vítima.

Você também pode gostar