Você está na página 1de 20

PROJETO

ANIVERSÁRIO
DE
ELÓI MENDES
COORDENADORA: JANAÍNA DA SILVA
LEMOS MARTINS
TURNO: MATUTINO

AGOSTO – 2021
Tema: Aniversário cidade (Elói Mendes)

Justificativa:
Compreendemos que através do estudo da história local o aluno pode
desenvolver mais facilmente habilidades como: analisar, compreender,
comparar, e é considerada extremamente importante para ajudar na
compreensão da cultura, ideologia, identidade, estruturas sociais, políticas e
econômicas de nossa cidade.

Em virtude do 110º aniversário da nossa cidade: Elói Mendes, é de


suma importância, trabalhar e desenvolver em nossos alunos, o interesse em
buscar e conhecer a história do local onde vive.

Objetivo Geral:

 Conhecer a história de nossa cidade, analisando o passado para


compreender a cultura e identidade dos habitantes. Identificar e
conhecer o modo de vida, costumes, políticas públicas, economia bem
como as diversas relações sócio afetivas e administrativas do município
em que se vive.

Objetivos Específicos:

 Conhecer a história da cidade, bem como sua cultura e relações sócio


afetivas e econômicas.
 Identificar e apreciar os pontos turísticos da cidade
 Compreender as mudanças que ocorreram ao longo dos anos
 Refletir sobre os progressões e retrocessos que a cidade enfrentou até
os dias atuais.

Tempo de duração:

23 de agosto a 31 de agosto.
Público Alvo:

 O Projeto envolverá todos os alunos do turno matutino, abrangendo


todos os alunos do 1º ano do Ensino Fundamental até o 5º ano do
Ensino Fundamental.

Disciplinas Envolvidas:

Português, Matemática, História, Geografia, Ciências, Arte, Ensino Religioso e


Educação Física.

Metodologia:

 Vídeos aulas gravadas e enviadas do grupo da sala


 Aula no google meet
 Textos expositivos.
 Confecção de maquetes, cartazes, produções de textos.
 Estudo do Hino da cidade.
 Roda de conversas.
 História da cidade
 Estudo do Brasão do Município.
 Exposição dos trabalhos na escola, e no grupo da sala através de fotos
e vídeos.

Recursos utilizados:

 Folhas xerografadas.
 Computador, celular.
 Imagens.
 Cartolina, papel cartão, folha sulfite.
 Caderno
 Lápis, borracha, pincéis, tesoura e etc...

Culminância:

 Fotos, vídeos e exposição dos cartazes e maquetes na escola.

Sugestões de atividades:
A História de Elói Mendes

A História passada a limpo

A origem do Arraial da Mutuca não é


bem definida. Podemos localizar o
primeiro dado em um termo de óbito feito
em Campanha que possui o seguinte teor:
A
" os 5 de março de 1792 foi
encomendada e sepultada no adro dessa
Igreja Matriz de Campanha uma inocente
filha do Sr. Joaquim Gonçalves provendo
de uma localidade denominada Mutuca".
Essa é a primeira notícia que se tem do
povoado.
Assim, nas margens do Ribeirão Mutuca Mutuca em 1877
Reprodução por José Machado Mendes
já existia um povoado com o mesmo
nome desde fins do Séc. XVIII, bem
localizada numa Colina do Vale do Rio
Verde. O clima da região e sua vegetação
com campos e terras férteis propiciaram
logo uma concentração de pessoas.

Chamou-se este povoado de Mutuca e o primeiro morador e fundador foi José Gonçalves de
Souza. Era natural de São João Del Rey, filho de Sebastião Gonçalves Pombeiro e de Joana
de Souza. Foi casado com Inácia Maria Ramos, natural de Taubaté, filha de João Vás Cardoso
e de Isabel de Souza.
O topônimo Mutuca que Cândido de Figueiredo nos remete para Mutuca e Clóvis Monteiro
nos ensina que é vocábulo filho do Tupi "Mbotug" que significa: espora, a que perfura, que
aguilhoa, recorda também um inseto de família dos dípteros "pertimax", o terrível chupão que
infesta os rios e lugares insalubres, encontrado naquele tempo pelas imediações do Ribeirão
da Mutuca, hoje situado na periferia da cidade. Os que transitavam por aquela região, às
margens do Ribeirão Mutuca, deveriam ser molestados por uma multidão deles. Daí a
lembrança do nome Mutuca, conhecido com o nome de Borrachudo, no latim Similum Pertimax,
que significa, teimoso, impertinente.
.
Origem do Povoado
Próximo ao Ribeirão da
Mutuca foi, um dia,
levantada a fazenda do
Morro Preto, de
propriedade do casal
Domingos Rodrigues
Coimbra e Francisca do
Espírito Santo,
procedente de Jacareí,
no Extremo do Estado.
Pontal em 1906
Reprodução por Foto Machado

Logo depois da morte do marido, a piedosa viúva fez erguer em sua fazenda uma igreja, que
foi dedicada ao Divino Espírito Santo. No adro desse templo foi também ela sepultada, no ano
de 1813. A mencionada fazenda era distante da atual localidade cerca de seis quilômetros.
Foi D. Fr. Cipriano de S. José, Bispo de Mariana, quem garantiu a construção da Capela.
Estando S. Exa. em visita de Pastoral em Campanha, corria o mês de agosto de 1800, houve
por bem despachar a competente provisão. Aí, então os moradores daquela mediação trataram
de levantá-la quanto antes. A capela demorou mais de nove anos de trabalhos exaustivos e foi
inaugurada no domingo da Santíssima Trindade, 11 de Junho de 1810, tendo oficiado na
benção o vigário da Campanha, Pe. José de Souza Lima.
Uma semana após, foram ali administrados os dois primeiros batizados. Um deles, assim
reza:
"Aos dezessete de Julho de mil oitocentos e dez batizei e pus os santos óleos a Francisca, filha
legítima de Joaquim de Souza e Maria Custódia de Jesus; foram padrinhos José Rodrigues
Leal e Valentina Perpétua e para constar mandei fazer este assento que assino. O vigário José
de Souza Lima". O outro batismo foi de Ana, filha de João Batista de Castro e de Ana
Arcângela de S. José; teve como padrinhos João José Mendes e Maria Senhorinha.
Entre os primeiros moradores do lugar, além dos nomes especificados, notam-se: José da
Costa Ferreira, Félix Antônio de Oliveira, Antônio Gonçalves, Luiz Antônio da Silva, José Vieira
da Cunha, Miguel Rodrigues da Costa, Joaquim Pereira de Macedo, Joaquim José Mendes,
Manuel Martins de Azevedo, Manuel Marques, Cap. Germano José Freire, José Batista de
Siqueira, Máximo Barbosa.
O Patrimônio da Capela foi doação de Joaquim Oriano Marques Padilha, casado com Teresa
Cândida de Jesus, e do Tenente José Batista, beneméritos da localidade. Foram ainda
beneméritos, nos tempos antigos: Inácio Ponciano Marques Padilha, Cap. Antônio Goulart
Brun, Joaquim Pereira de Macedo, João Vieira Homem, Tomé Gonçalves de Sousa, Manuel
Gonçalves Valim, Inácio Bueno da Silva, Manuel Ribeiro Ribordões, Salvador Mendes Toledo.
E a população pôde crescer e conquistar o título de Distrito, em 1828 e o da Paróquia, em
1856, o que aconteceu pela Lei Mineira nº 769, de 2 de maio.
.
Primeiros Embates
Em 1828, houve um choque pouco esclarecido, que agitou o povoado, entre forças legais e
um grupo de rebeldes chefiados pelos irmãos Cipriano e João Goulart, de importantes famílias
locais.
Com a Lei Mineira nº169 de 2 de maio de 1856, criou-se o distrito com a denominação do
Espírito Santo da Mutuca, que foi freguesia unida à de Campanha.
Anos se passam e surgem no cenário da história de Elói Mendes dois irmãos: Capitão
Joaquim Elói Mendes (mais tarde Barão de Varginha), e João Pedro Mendes que vão mudar o
rumo daquele arraial pelas suas inteligências e capacidades empreendedoras. Construíram o
prédio para a primeira escola pública além de outros melhoramentos que contribuíram para o
progresso crescente do povoado, fazendo-se dele os chefes supremos da política local, com
primeiros eleitores. Em virtude do Decreto nº194, de 22 de setembro de 1890, passou a
chamar o Arraial da Mutuca de Distrito de Espírito Santo Pontal, e em 4 de setembro de
1891, a lei Estadual nº 2 confirmou a criação do distrito passando em 30 de agosto de 1911
pela lei nº 556, a município com o nome de Elói Mendes, em homenagem ao
Capitão Joaquim Elói Mendes (Barão de Varginha). Sendo seu território desmembrado do
município de Varginha.
.
O Barão de Varginha
Segundo Sr. Antônio Miguel: "O pai era escravo do Barão" (...)
"Depois a Baronesa casou com o Barão. Quando ele casou com
ela, ele não tinha terra por aqui.
O recebimento do título nobiliárquico pelo Barão de Varginha foi amplamente noticiado pelo
jornal Monitor Sul Mineiro. Para comemorar, o Sr. Joaquim Baptista de Mello organizou uma
festa que durou 3 dias.
O Barão não teve descendentes legítimos. Consta que teria deixado seus bens para seu filho
adotivo, Joaquim Batista de Melo.
.
Fonte: Livro "Elói Mendes: Sua memória, sua gente..."
Gentilmente cedido por Glauco Biaggini - professor, historiador e poeta

Brasão de Elói Mendes

O Brasão Municipal Eloiense, configurado em trabalho de ciência e arte,


é de autoria do Exmo. Sr. Professor Dr. Paulo Braga Menezes, consagrado
escritor, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Professor de
Heráldica do Arquivo Nacional do Ministério da Justiça. O desenho é do artista
chileno José Joaquim Aguilera e Silva, residente no Rio de Janeiro. O Brasão
que centraliza a Bandeira de Elói Mendes, representa fielmente a história do
Município. É constituído de um escudo na forma clássica portuguesa,
lembrando a raça colonizadora, a principal formadora de nossa nacionalidade.
O Brasão é assim formado:

 Montanhas, que são características do município, em ouro num campo


azul celeste;
 Uma Mutuca ao centro, em evocação ao primeiro nome dado ao
povoado;
 O Símbolo do Espírito Santo, em prata, irradiando em ouro os seus
sete dons: sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, ciência,
piedade e temor a Deus, lembrando o padroeiro da cidade desde os
primórdios de sua fundação;
 Ao lado da figura do Espírito Santo, as letras Alfa e Ômega, do
alfabeto grego, significando Deus – princípio e fim de todas as coisas;
 Abaixo, os dois rios que banham o município: Verde e Sapucaí,
encontrando-se e formando a ponta em evocação ao segundo nome
dado ao distrito: Pontal;
 O Escudo é encimado por uma coroa mural com três torres aparentes,
representação universal da cidade-comarca e suportada à direita por um
cavalo branco com um ramo verde de café com frutas vermelhas e, à
esquerda, por um ramo de cana-de-açúcar, representando a riqueza da
agropecuária, base da economia do município. Num listel de prata, a
inscrição com letras vermelhas das primeiras datas de sua evolução
histórica:
1792 – Primeira notícia da existência do povoado do Espírito Santo da Mutuca.
1856 – Criação da Paróquia.
1890 – Mudança de nome para Espírito Santo do Pontal.
1911 – Emancipação política administrativa e mudança do topônimo para Elói
Mendes.
O Brasão, criado pela Lei Municipal nº 1046 de 30 de Novembro de 1972, pelo
então prefeito da época, Sr. José Machado Mendes.
Hino do Município de Elói Mendes

No alto de uma colina,


Nessas serras mineiras,
Surgiu tão pequenina:
Elói Mendes, cidade altaneira!

Refrão

Elói Mendes, querida cidade!


Elói Mendes, que eu amo tanto!
Seja sempre felicidade
Eu poder cantar teus encantos

Aqui sua gente tão amiga


Seu valor sempre vela
E um povo tão grande
Faz você mais bela!
Sua terra, tão fértil!
Campos, verdes cafezais
Faz com sua riqueza
A grandeza de Minas Gerais!

Desde o tempo de outrora


Que nesse lindo recanto
Sua gente invoca
De Deus, o Espírito Santo!

Quando o dia chegar


De você eu me afastar
Destas paragens saudosas
Hei de sempre lembrar!

Letra por Francisco Carlos de Figueiredo


Melodia por Pe. Antônio José Cordeiro

Geografia
Altitudes

 Altitude máxima: 1.084 m. Local: Cab. Córrego Pitangueira


 Altitude mínima: 793 m. Local: Represa de Furnas
 Altitude no centro da cidade: 889,36 m

Temperaturas

 Média anual: 19,6 °C


 Média máxima anual: 26,9 °C
 Média mínima anual: 14,3 °C
 Índice médio pluviométrico anual: 1.592,7 mm

Relevo

Porcentagens da topografia: plano: 10%; ondulado: 65%; montanhoso: 25%

Hidrografia
 Rios: Rio Sapucaí, Ribeirão São Domingos, Represa de Furnas e Rio
Verde
 Bacia: Bacia Rio Grande

Fontes: Instituto de Geociências Aplicadas - IGA (CETEC), Fundação Instituto


Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

Informações rodoviárias

 Principais rodovias de acesso à capital Belo Horizonte: BR-491, BR-381


 Principais rodovias que servem ao município: BR-491, BR-267, MG-
167, BR-381

Municípios limítrofes

Três Pontas, Paraguaçu, Cordislândia, Monsenhor Paulo e Varginha.

Fontes: Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de MG, Ferrovia


Centro Atlântica - FCA, Estrada de Ferro Vitória Minas, Diretoria de Eletrônica
e Proteção ao Vôo / Ministério da Aeronáutica.

Agropecuária
 Os principais produtos agrícolas desenvolvidos no município, são o
café em sua relevante importância para o comércio e a economia
local, o arroz que é comercializado em casca, amendoim em
casca, a banana, a cana de açúcar, feijão, mamona, mandioca e o
milho. Na pecuária eloiense encontramos a criação de diversos
tipos de animais, como asisinos, bovinos, bubalinos, caprino,
eqüinos, galínaceos, muares, ovinos e suínos.

Turismo

 A vocação turística do Município de Elói Mendes é enorme, vez que


o mesmo é cortado por vários cursos de água, tendo como
principais os rios Verde, Sapucaí e São Domingos, dentre outros,
além de cachoeiras e o grande Lago de Furnas, cercado por muitos
morros onde podem ser desenvolvidas várias atividades turísticas.
Um dos atrativos é o monumento do Cristo Redentor, uma estátua de 39
(trinta e nove) metros de altura, uma das maiores do país.

População:

 Aproximadamente 30.000 habitantes

1) Marque um X nos Monumentos da nossa cidade que você


conhece:

( ) ( ) ( )
( ) ( )

( )

( )

( ) ( )
MOSTRE QUE VOCÊ CONHECE SUA CIDADE!

Qual o nome?
1. De sua cidade: ____________________________________
2. De sua rua: _______________________________________
3. De seu bairro: _____________________________________
4. De sua escola: _____________________________________
5. Do hospital:________________________________________
6. De uma farmácia: __________________________________
7. De um supermercado: _______________________________
8. De uma praça: ____________________________________
9. De uma agência bancária: ____________________________
10. De uma loja: _________________________________
11. De um ponto turístico: ___________________________
12. Do prefeito; ___________________________________
13. De(a) um vereador(a): _________________________
14. O que você mais gosta na sua cidade?

______________________________________________________

______________________________________________________

15. A nossa cidade fica no estado de ___________________

Escolha um monumento da sua cidade e desenhe-o abaixo.


Produção de texto
Observando a imagem de sua cidade acima produza um texto,
escrevendo como é morar nesta cidade. Não se esqueça do título

____________________________________

______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
Desenhe o que você mais gosta na sua cidade, abaixo:
História de Elói Mendes
Elói Mendes surgiu de um povoado chamado Mutuca , ( por causa
da grande quantidade de mosquitos Mutuca que existia no local).
Primeiro morador e Fundador foi José Gonçalves de Souza. Dois irmãos
surgem para mudar o cenário de Elói Mendes: o Capitão Joaquim Elóy Mendes
(mais tarde Barão de Varginha) e João Pedro Mendes construíram prédios para
a primeira escola púbica além de outros melhoramentos que contribuíram para
o progresso crescente do povoado. Em virtude de um decreto, passou a
chamar Arraial da Mutuca de Distrito de Espírito Santo Pontal, e com a lei
Estadual nº 2 confirmou a criação do distrito pasando em 30 de agosto de 1911
pela lei nº 556, a munícipio com o nome de Elói Mendes, em homenagem ao
capitão Joaquim Elóy Mendes ( Barão de Varginha), sendo seu território
desmembrado de Varginha.
Neste ano de 2021 nossa cidade completará ,no dia 30 de agosto 110 anos.
Hoje nossa população tem aproximadamente 30.000 habitantes.
As cidades vizinhas de Elói Mendes são: Três Pontas, Paraguaçú,
Cordislândia, Monsenhor Paulo e Varginha.
Os dois rios que banham o munícipio são: Rio Verde e Sapucaí.
A maioir riqueza da cidades é a agropecuária tendo como base
da economia é o café, importantíssimo para o comércio e a economia local.
O padroeiro do nosso munícipio de Elói Mendes é o Espirito
Santo.
Temos vários pontos turísticos e culturais em nossa cidade o que
possibilita á visita de diversos turistas, um destes pontos turíticos que é
bastante visitado é o Cristo.