Você está na página 1de 11

ÍNDICE

1.INTRODUÇÃO..............................................................................................................4
1.1.Objectivos do Trabalho............................................................................................5
1.1.1.Objectivo Geral.................................................................................................5
1.1.2.Objectivos específicos.......................................................................................5
1.2.Metodologias...........................................................................................................5
2.Revisão de Literatura......................................................................................................6
2.1.Conceito de leitura...................................................................................................6
2.1.1.Funcionamento as técnicas de leitura................................................................6
2.2.Alfabetização e letramento......................................................................................8
2.3.Modalidades e técnicas de leitura............................................................................8
2.4.Estratégias de leitura................................................................................................9
2.5.Metodologias mais comuns no ensino de Língua Portuguesa...............................11
Conclusão........................................................................................................................12
Bibliografias....................................................................................................................13

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


1.INTRODUÇÃO

O presente trabalho de pesquisa tem como tema ‘’As Técnicas de Leitura na Aula de
Língua Portuguesa’’. Essa pesquisa surge a partir do trabalho dado na cadeira de
Didáctica do Português II. Como se sabe, dentro de uma sociedade letrada a leitura
representa uma actividade de grande importância para a vida do aluno, pois é através
dela que ele poderá interagir e compreender o mundo à sua volta, ou seja, é através da
leitura que ele será capaz de realizar actividades que contribuem para o seu crescimento,
crescimento este que permitirá que ele aja activa e criticamente perante a sociedade,
pois a aprendizagem de uma criança se inicia em casa, porém, fundamenta-se e
concretiza-se na escola através da leitura. Sendo assim, aprender a ler é não só uma das
maiores experiências da vida escolar, é uma vivência única para todo ser humano.

Na verdade, a leitura não pode ser compreendida sem se levar em consideração os


factores perceptivos, cognitivos, linguísticos e sociais, não somente da leitura, mas do
pensamento e do aprendizado em geral. Assim, cabe ao professor procurar, da melhor
maneira possível, buscar incentivar o hábito da leitura em sala de aula, usando
estratégias adequadas aos alunos, pois a leitura é a chave de todo aprendizado.

Porém, a leitura abre as portas do saber e pode revolucionar a educação se for


trabalhada com a devida importância que deve ter. É preciso que os professores
conheçam teoricamente a leitura e seu processo, que tenham uma ligação mais real e
significativa com os alunos e pratiquem a leitura de textos diversificados com
competência. O ensino da leitura é um empreendimento de risco se não estiver
fundamentado numa concepção teórica firme sobre os aspectos cognitivos envolvidos
na compreensão de textos.

Contudo, a leitura é considerada um ato cognitivo na medida em que envolve processos


cognitivos como reflexão sobre um conjunto de elementos, mas também é um ato
social, entre dois sujeitos, isto é, entre leitor e autor que interagem entre si, a partir de
seus objectivos e necessidades. Muito tem se cobrado do professor de português sobre a
importância do trabalho de leitura com textos diversificados em suas aulas, pois a leitura
é capaz de transformar o indivíduo em um ser pensante, o qual pode mudar o seu
próprio meio através do conhecimento.

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


1.1.Objectivos do Trabalho

1.1.1.Objectivo Geral

 Analisar as técnicas de leitura na aula de Língua Portuguesa.

1.1.2.Objectivos específicos

 Descrever as técnicas de leitura na aula de língua Portuguesa;


 Definir a leitura no contexto da língua portuguesa;
 Apresentar as modalidades e técnicas de leitura.

1.2.Metodologias

Para elaboração deste trabalho foi feito uma revisão bibliográfica. Onde foi usado o
método indutivo, que é um método responsável pela generalização, isto é, partimos de
algo particular para uma questão mais ampla, mais geral.

Para Lakatos e Marconi (2007), Indução é um processo mental por intermédio do qual,
partindo de dados particulares, suficientemente constatados, infere-se uma verdade geral
ou universal, não contida nas partes examinadas. Portanto, o objectivo dos argumentos
indutivos é levar a conclusões cujo conteúdo é muito mais amplo do que o das
premissas nas quais nos baseia-mos.

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


2.Revisão de Literatura

2.1.Conceito de leitura

O processo da leitura é muito amplo e pode ser definido de várias maneiras. Para
algumas pessoas ler é extrair significado do texto, já para outras seria atribuir um
significado ao texto. No geral pode-se dizer que a leitura é um processo de
representação, pois segundo Ferreira, a leitura envolve o sentido da visão. Para Ferreira
(2002), “ler é reconhecer o mundo através de espelhos que nos oferecem uma visão
fragmentada do mundo, sendo assim, a verdadeira leitura só é possível quando se tem
um conhecimento prévio desse mundo”.

Conceitua-se aqui a leitura na visão de Duke (2002 apud GERALDI, 2006) Ler é: a
partir do texto, ser capaz de atribuir-lhe significado, conseguir relacioná-lo a todos os
outros textos significativos para cada um, reconhecer nele o tipo de leitura que seu autor
pretendia e dona da própria vontade, entregar-se a esta leitura. Uma definição geral de
leitura é que ela se define como um processo de representação, que envolve a visão de
mundo de cada indivíduo. Para tanto, destaca-se aqui algumas questões sobre a leitura
como:

 O que é ler?
 Para que ler?
 Como ler?

Ler é uma actividade complexa e prazerosa que envolve não só os conhecimentos


semânticos, mas principalmente os conhecimentos culturais e ideológicos de uma
pessoa. Ou seja, é uma actividade de assimilação de conhecimento e reflexão, pois ler é
muito mais que decodificar palavras é uma interacção de conhecimento entre leitor e
texto. Segundo KOPKE (1997), “A leitura é um processo dialógico cuja trama toma as
pontas dos fios do bordado tecido para tecer sempre o mesmo e outro bordado, pois as
mãos que agora tecem trazem e traçam outra história”.

2.1.1.Funcionamento as técnicas de leitura

As técnicas de leitura são práticas que contribuem para melhorar a assimilação dos
conteúdos lidos. Esses métodos consistem, basicamente, em posicionar o leitor de forma
activa diante do texto. Uma leitura passiva dificilmente produzirá bons resultados. Isso
porque o leitor apenas recebe as informações de forma superficial, sem interagir nem

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


pensar criticamente sobre o assunto. Dessa maneira, as técnicas de leitura auxiliam no
processo de aquisição do conhecimento. Veja 5 práticas para melhorar sua
aprendizagem, MAGLIANO (1999):

1. Pense sobre o que você quer aprender

O primeiro passo para extrair o máximo de um texto começa antes de iniciar sua leitura.
Pergunte-se o que você quer aprender e procure definir objectivos a serem alcançados
com a interpretação do que está escrito, SONG (1998).

Elaborar metas de forma clara e objectiva ajuda na compreensão da leitura. Isso porque,
sabendo o que você busca no texto, sua atenção será direccionada a procurar as
respostas para suas perguntas.

2. Identifique os pontos principais

Fazer resumos é uma das técnicas de leitura mais comuns, sobretudo na escola e na
faculdade. Basicamente, trata-se de identificar os principais assuntos tratados no texto.
Observe se, ao final da leitura, você é capaz de pontuar os tópicos mais relevantes
abordados pelo autor. Além disso, procure elaborar perguntas abertas sobre o que leu e
tente respondê-las com base no texto. Práticas assim ajudam a assimilar melhor as
informações. Consequentemente, isso amplia a capacidade cognitiva do leitor, isto é,
melhora o processo de aquisição do conhecimento, RHODER (2002).

3. Leia em voz alta

Ler em voz alta pode parecer uma prática estranha para algumas pessoas. No entanto,
esta é uma das técnicas de leitura que mais ajudam a reter as informações de um texto.

A eficiência dessa prática foi comprovada por um estudo realizado pela Universidade de
Waterloo, no Canadá. A pesquisa comparou a leitura silenciosa com a leitura em voz
alta, em testes feitos com 95 voluntários. A conclusão foi que ler em voz alta ajuda a
memorizar melhor as informações. Isso porque, segundo os autores, ler, falar e se ouvir
ao mesmo tempo contribui para fixar as palavras na memória de longo prazo, Duke
(2002).

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


4. Faça anotações, grife e sublinhe

Os grifos são muito úteis para destacar as informações mais relevantes do texto. Desta
maneira, fica mais fácil de voltar à leitura de trechos específicos, seja para buscar uma
resposta ou para reler algo que não tenha ficado muito claro. Além disso, os grifos
podem ajudar a identificar os pontos principais, como mencionado no item 2.

Você também pode usar as anotações para resumir ideias importantes do texto.
Concentre-se em elaborar paráfrases, ou seja, escrever com suas palavras o que o autor
diz em determinado trecho. Desta maneira, fica muito mais fácil de assimilar as
informações lidas, DUFFY (1987).

5. Explique o que leu para outra pessoa

Você consegue explicar, com suas palavras, o que acabou de ler? Esta é uma das
técnicas de leitura mais eficientes. A prática consiste em ensinar o que você aprendeu
com a leitura e pode ser feita de duas formas, (DUFFY, 1987).

Uma das alternativas é a auto-explicação. Nesse caso, o leitor explica o assunto para si
mesmo, em voz alta. Mas o mais interessante é tentar ensinar o conteúdo a outra pessoa.
Pode ser a um amigo, namorado, irmão ou até a seus pais. Melhor ainda se você tiver
um parceiro de estudos. Assim, um ajuda o outro a aprender a matéria.

2.2.Alfabetização e letramento

Já pensou em ensinar essas e outras técnicas de leitura às pessoas? Tais métodos são
muito úteis durante o processo de letramento. Enquanto a alfabetização consiste na
aprendizagem da leitura e da escrita, o letramento desenvolve o uso competente da
linguagem, RHODER (2002).

2.3.Modalidades e técnicas de leitura

A leitura permite compreender variadas situações da vida real. Esta pode ser de
imagens, de textos bem como de tantos outros materiais que nos possam levar a uma
compreensão e interpretação de um dado assunto. Para o caso vertente, trata-se da
leitura de textos. Há certas classificações que se fazem sobre a leitura, de acordo com
certos propósitos, Kopke (1997).

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


a) Leitura silenciosa – é uma modalidade efectuada mentalmente, sem intervenção
dos órgãos vocais. Tecnicamente, esta pode ser integral (mais presente, na
leitura de textos literários) e selectiva (mais usual, em leituras orientadas para a
procura de informação).
b) Leitura oral – ao contrário da silenciosa, a modalidade de leitura oral é
efectuada com a intervenção dos órgãos vocais. Tecnicamente a leitura oral pode
ser em voz alta, dialogada, coral e expressiva.
c) Leitura em voz alta – é realizada em voz alta, permitindo que se ouça o que é
lido. Constitui um dos melhores meios de aperfeiçoamento e de avaliação das
habilidades de leitura nos alunos, bem como de desenvolvimento do
autocontrolo emocional perante um auditório.
d) Leitura dialogada – é realizada por todos os alunos ou por pequenos grupos.
Este tipo de leitura beneficia os alunos mais tímidos, por se sentirem
enquadrados num grupo. Agrada bastante aos alunos porque lhes transmite a
impressão de uma maior participação no texto.

Apesar de constituir um bom exercício ao grupo, a leitura dialogada não deve ser usada
com muita frequência por impedir a identificação de possíveis limitações individuais.

 Leitura coral – tal como a leitura dialogada, esta leitura são também efectuadas
por todos os alunos ou em pequenos grupos e beneficia os alunos mais tímidos
por se sentirem enquadrados num grupo. Apesar de constituir um bom exercício
de leitura, a leitura coral não permite identificar e superar as dificuldades
individuais dos alunos.
 Leitura expressiva – é individual, permite compreender, pela expressão e
entoação, pensamentos, emoções ou propósitos que um dado texto procura
apresentar. Esta permite experienciar emoções tendo em conta o conteúdo do
texto.

2.4.Estratégias de leitura

Antes de argumentar sobre as estratégias de leitura e como elas podem ajudar o aluno a
compreender o sentido do texto, cita-se algumas estratégias que RHODER (2002)
conceituam importantes no processo de leitura e que o leitor usa inconscientemente ao
se ler um texto são elas: Estratégia de Predição, Estratégia Skmming e Estratégia
Skanning.

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


1) Estratégia de Predição: É quando o leitor acciona o conhecimento de mundo
sobre aquele texto, ou seja, é quando faz-se ideia do seu conteúdo, isto é, do que
o texto fala ou irá falar.
2) Estratégia Skmming: É quando o leitor faz uma leitura rápida do texto,
passando os olhos sobre ele, com o intuito de identificar os principais pontos que
facilitarão compreender o texto no geral. Isto é, ler superficialmente o texto,
observando o titulo, o tamanho. Se há palavras conhecidas etc.
3) Estratégia Scanning: É utilizada quando se quer encontrar um dado específico
no texto, como: datas, nomes, números ou algum fato interessante. Por exemplo:
quando procura-se um número de telefone de determinada pessoa pegasse a lista
telefónica e começa a procurar pelo sobrenome da pessoa ignorando o resto da
lista.

Para FERREIRA (2002), são quatro as principais estratégias de leitura, as quais passam
a ser detalhadas a seguir.

I. Selecção:

Estratégia de selecção permite o leitor ater-se apenas ao que lhe é útil no texto, ou seja,
desprezando aquilo que é irrelevante para ele. Por exemplo, ao ler uma revista através
das manchetes da capa ou do índice o leitor selecciona apenas aquilo que lhe interessa
ou lhe chamou mais atenção na primeira página.

II. Antecipação:

Acontece durante a leitura do texto, em que o leitor vai construindo hipóteses e


previsões que poderão ser confirmadas ou refutadas ao longo do texto.

III. Inferência:

Esta estratégia depende dos conhecimentos prévios do leitor sobre o assunto que está
sendo lido. Aonde o leitor vai usando as pistas textuais deixadas pelo autor no decorrer
do texto, o leitor complementa o texto, recorrendo aos seus conhecimentos prévios
sobre o tema.

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


IV. Verificação:

Esta estratégia permite que o leitor verifique com precisão se as demais estratégias
escolhidas até o momento estão sendo eficientes ou não. O que possibilitará ao leitor
uma maior segurança na construção de sentido no texto trabalhado.

2.5.Metodologias mais comuns no ensino de Língua Portuguesa

As aulas de Língua Portuguesa, desde o século 19, foram marcadas pelos métodos de
ensino de leitura e escrita nos anos iniciais de escolaridade e normativos nos anos
seguintes. Foram as pesquisas dos últimos 30 anos que mudaram esse enfoque. Leia o
perfil de cada fase, (SONG, 1998).

1. Métodos sintéticos

Foram predominantes no ensino da leitura desde meados do século XIX. A escrita era
vista como uma habilidade motora que requeria prática mecânica. Passada a
alfabetização, os alunos deveriam aprender regras gramaticais.

Foco A alfabetização se inicia com o ensino de letras e sílabas e sua correspondência


com os sons para a leitura de sentenças. Nas séries finais, só os clássicos são
trabalhados, já que a intenção é ensinar a escrever usando a língua culta e a ler para
conhecer modelos consagrados. Estratégia de ensino As técnico de leitura adotadas
desde cedo é a silábica, alfabética ou fónica. Os mais velhos copiam textos literários
sem levar em conta o contexto e o interlocutor, (MAGLIANO, 1999).

2. Métodos analíticos

Surgiram no fim do século XIX, em contraposição aos sintéticos. A alfabetização segue


como uma questão de treino e o enfoque dos anos seguintes voltado ao debate das
normas.

Foco A alfabetização parte do todo para o entendimento das sílabas e letras. Pouco
muda nas técnicas para as séries finais do Ensino Fundamental. Estratégia de ensino
Mostrar pequenos textos, sentenças ou palavras para, então, analisar suas partes
constituintes e o funcionamento da língua, DUKE (2002).

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


Conclusão

Chegando ao fim deste trabalho, foi possível concluir que, a utilização de estratégias de
leitura compreende três momentos: o antes, o durante e o após a leitura. Na pré-leitura, é
feita uma análise global do texto (do título, dos tópicos e das figuras/gráficos),
predições e também o uso do conhecimento prévio. Durante a leitura é feita uma
compreensão da mensagem passada pelo texto, uma selecção das informações
relevantes, uma relação entre as informações apresentadas no texto e uma análise das
predições feitas antes da leitura, para confirmá-las ou refutá-las.

É importante lembrar que as estratégias de leitura também auxiliam no estudo,


favorecendo a obtenção de um nível de compreensão melhor. Exigem participação
activa do leitor, podendo ser aplicadas a qualquer tipo de texto e em qualquer momento
da leitura, com ou sem ajuda externa.

Considerando-se esses aspectos, o ensino de estratégias de leitura abre novas


perspectivas para uma potencialização da leitura, possibilitando aos alunos
ultrapassarem dificuldades pessoais e ambientais de forma a conseguir obter um maior
sucesso escolar. Essas podem e devem ser ensinadas nas séries iniciais do ensino
fundamental. O professor exerce um papel de grande importância ao propiciar não
somente a aprendizagem em leitura, mas também ao propor modelos técnicos e
procedimentos que proporcionem a compreensão em leitura. O processo de ensinar seria
uma forma de possibilitar ao estudante desenvolver estruturas conceituais e
procedimentais que implementem seu desempenho.

Dai que, dentre as estratégias de leitura que professores podem ensinar está focar a
atenção dos alunos nas ideias principais; perguntar aos alunos questões sobre seu
entendimento para ajudá-lo a monitorar sua compreensão; relacionar o conhecimento
prévio dos alunos com nova informação; professores podem questionar e designar
feedback para ajudar os alunos a aplicarem técnicas e estratégias de estudo apropriadas;
podem treinar os alunos a usarem essas estratégias e técnicas de maneira mais efectiva;
utilizar reforços positivos verbais e de escrita com os alunos que apresentam baixa
compreensão.

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba


Bibliografias

Duffy, G. G., Roehler, Wesselman, R., Putnam, J. & Bassiri, D. (1987). The effects of
explaining the reasoning associated with using reading strategies. Reading
Research Quarterly.

Duke, N. K. & Pearson, P. D. (2002). Effective practices for developing reading


comprehension. Em A. E. Farstrup & S. J. Samuels (Orgs.), What Research Has
to Say About Reading Instruction (3ª ed. p.205-242).

Ferreira, S.P.A. & Dias, M. G. B. B. (2002). Compreensão de leitura: estratégias de


tomar notas e da imagem mental. Psicologia Teoria e Pesquisa.

Kopke, H. F. (1997). Estratégias para desenvolver a metacognição e a compreensão de


textos teóricos na universidade. Psicologia Escolar e Educacional.

Kopke, H. F. (2001). Estratégias em compreensão da leitura: conhecimento e uso por


professores de língua portuguesa Tese de doutorado em lingüística. Faculdade de
Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. São Paulo.

Magliano, J. P., Graesser, A., & Trabasso, T. (1999). Strategic processing during
comprehension. Journal of Educacional Psychology.

Rhoder, C. (2002). Mindful reading: strategy training that facilitates transfer. Journal of
Adolescent & Adult Literacy.

Song, M. (1998). Teaching reading strategies in ongoing . EFL University Reading


Classroom. Journal of English language Teaching.

Autor: Sergio A. Macore sergio.macore@gmail.com 846458829 - Pemba