Você está na página 1de 23

Edição de Texto: Guilherme Cysne

Projeto gráfico / Diagramação: Bleno Jr. (bjrworks@gmail.com)

Email: contato@cysneproducoes.com.br
Home Page: www.cysneproducoes.com.br

Proibida a reprodução sem autorização expressa.


Todos os direitos reservados à Cysne Produções.
SUMÁ R I O
NOTA DO AUTOR......................................................................................................4

POR QUE TER UM HOME STUDIO?.....................................................................5

ELEMENTOS DO HOME STUDIO......................................................................... 6

MITOS E ARMADILHAS...........................................................................................7

COMPUTADOR......................................................................................................... 8

INTERFACE............................................................................................................... 9

MICROFONE.............................................................................................................11

MONITORAÇÃO.......................................................................................................14

CONTROLADORES MIDI.......................................................................................16

ACESSÓRIOS...........................................................................................................18

TABELAS DE SUGESTÃO DE EQUIPAMENTOS...............................................20

SEU PRÓXIMO PASSO..........................................................................................21

SOBRE O AUTOR................................................................................................... 22

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [3] CYSNE PRODUÇÕES


NOTA DO AUTO R
Há alguns anos, saber algo sobre áudio era um grande diferencial. Hoje
em dia, dominar os processos da produção se tornou um pré-requisito
obrigatório para qualquer um que tenha algum objetivo musical, seja por
hobby ou interesses profissionais. Se você não tem esse conhecimento,
já ficou pra trás!
Eu trabalho com didática de áudio e produção há muitos anos e as per-
guntas que eu mais tenho ouvido são:
“O que preciso pra montar um Home Studio?”
“Essa interface é boa?”
“Esse microfone serve?”
“Não tenho monitores, dá pra usar fone e qual sugere?”
“Meu computador não é potente, dá pra produzir?”
Por isso, eu decidi criar este ebook que irá responder todas essas ques-
tões. Além de explicar a lógica por trás de cada elemento do Home Stu-
dio, vou fazer dar algumas sugestões de equipamentos, em diferentes
faixas de preço, e com um comparativo dos principais atributos, para
que você possa embasar suas compras.
ATENÇÃO! A tabela de sugestões se encontra no final do livro.
Agora partiu fazer um som!

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [4] CYSNE PRODUÇÕES


POR QUE TER UM HO ME S T UD I O ?

Um Home Studio funciona como um quartel general para o músico. A


boa notícia é que atualmente a tecnologia deixou a coisa bem acessível
e, basicamente, com um computador e um punhado de softwares, seu
quarto se transforma num estúdio profissional.
Dominar um Home Studio vai te ajudar em qualquer que seja seu obje-
tivo musical:
z Produzir suas próprias músicas.
z Tê-las soando do jeito que imaginou.
z Poder lancá-las quando quiser e sem ter que gastar com serviços de
produção.
z Otimizar seus estudos de instrumento/voz ou de seus alunos.
z Criar acompanhamentos para o show de sua banda.
z Prestar serviço de gravação, edição, mixagem, masterização e fazer
uma grana extra.
z Ou, simplesmente, ter um hobby musical, o que melhora muito sua
qualidade de vida, se você também ama a música.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [5] CYSNE PRODUÇÕES


E LE ME NTOS DO HO ME S T UD I O

Apesar do termo Home Studio se referir a qualquer unidade de gravação


caseira, geralmente estamos falando de estações digitais que utilizam
apenas um computador e componentes complementares, que são: In-
terface de áudio, monitores de áudio, microfones, controladores MIDI e
alguns acessórios.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [6] CYSNE PRODUÇÕES


MI TOS E ARMADILHAS

Ao contrário do que muitos pensam, para produzir em casa você não


precisa de toneladas de periféricos analógicos, como: mesa de som,
prés amplificadores externos, equalizadores, compressores, módulos
de efeitos e outras parafernalhas que você vê em fotos de estúdios de
grande porte.
Acredite, a única coisa que você necessita é enviar um sinal para dentro
de um computador e ele te dará todos os recursos para chegar em um
som profissional.
Você também não precisa de um ambiente tratado e um projeto acús-
tico feito por engenheiro. Sim, no início você vai esbarrar em alguns
problemas nesse âmbito, mas eles são contornáveis. Foque em produzir
música.
Agora, vamos detalhar um pouco os aspectos relevantes de cada ele-
mento do Home Studio para que você possa embasar a sua compra.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [7] CYSNE PRODUÇÕES


COMPU TADOR

O computador é o cérebro do Home Studio. Ele armazena e processa o


áudio. Para se ter um resultado profissional você precisa trabalhar com
áudio de alta resolução, mas isso não é um problema para computado-
res atuais, mesmo os simples. É provável que esse aí que possui já sirva.
Como escolher um computador para produção musical:
O computador precisa ter um bom processador e boa quantidade de
memória RAM para rodar vários softwares ao mesmo tempo. Além disso,
precisa de um HD rápido e com boa quantidade de espaço de armaze-
namento para se guardar vários arquivos musicais, plugins, bibliotecas
de samples.
A seguir, apresento o que considero uma configuração mínima adequa-
da de um computador para trabalhar com áudio (de preferência tenha
algo acima disso):
Processador: Dual ou Quad Core (Ex: Intel I3 ou i5, Amd Serie A, Ryzen 3)
Memória RAM: 4 ou 8 GB (Kingston, Corsair)
HD: 1 Terabyte, 7200 rpm (se possível tenha um disco apenas paa o sis-
tema e se for SSD melhor ainda).

OBSERVAÇÃO: Compre uma placa mãe de boa qualidade, que te ofereça


muitas opções de USB (converse com um bom técnico de
informática para detalhar sua configuração).
OBSERVAÇÃO 2: A princípio, não é necessário placa de vídeo off-board.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [8] CYSNE PRODUÇÕES


I N TERFACE

M-Track 2x2 (M-Audio) Rubix22 (Roland)

A interface é um componente fundamental do estúdio. Ela é uma unida-


de externa, onde entram e saem cabos. Sua função principal é fazer a
conversão do sinal elétrico em dados digitais, para que estes possam ser
armazenados e manipulados pelo computador.
A conversão determina a qualidade dos arquivos musicais gerados. Esta
qualidade é influenciada pela taxa de resolução e pela procedência do
conversor da interface. Pra resumir, o importante em termos de conver-
são é ter uma placa que grave em 24 bits/44.1 KHz, pelo menos.
Como escolher uma interface de áudio:
São muitos os aspectos para se analisar na hora de adquirir uma inter-
face. Abaixo eu explico os principais aspectos:
CONVERSOR
Geralmente, gravamos em resolução de 24 bits / 44.1 ou 48 KHz. Essa é a
resolução mínima adequada. Via de regra, interfaces que convertem em
taxas mais altas tendem a ter conversões de mais qualidade também. Se
possível escolha um interface que trabalhe em até 192 KHz.
BUFFERING
A interface processa internamente “pacotes de informação” antes de
reproduzir o som. Na gravação, precisamos que esse processo seja ágil,
para que não haja atraso entre o que é executado e o som reproduzido.
Já na mixagem, trabalharemos com projetos com muitos plugins e a pla-
ca precisará de um alívio no chamado Buffer Size para evitar que o som
fique “sem engasgar”.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [9] CYSNE PRODUÇÕES


Boas placas conseguem entregar buffer bem baixo para gravação sem
latência e reproduzir projetos bem pesados em engasgar.
NÚMERO DE CANAIS DE ENTRADA E PRÉS:
Como vamos gravar instrumentos e vozes, precisamos de uma entrada
para cada um e pré-amplificadores para injetarmos um sinal elétrico
em nível ideal. Geralmente as placas possuem de 1 a 2 canais com prés
internos. Quanto maior o número de canais (com prés), mais elementos
você consegue gravar simultaneamente, mas geralmente em Home Stu-
dio gravamos até 2 canais.
É muito importante que os prés não adicionem chiado na gravação. Boas
placas possuem prés bem silenciosos.
NÚMERO DE CANAIS DE SAÍDA:
Se as entradas são os inputs e servem para gravar o som, os outputs
são as saídas e servem para que o som seja enviado para algum sistema
de monitoração para que possamos ouvir. Geralmente, as placas bási-
cas oferecem uma par de saídas para ligar caixas e uma saída de fone.
Quanto mais pares de saída independentes, mais recursos você terá.
BLINDAGEM:
A interface se conecta ao computador via um cabo de dados (geralmen-
te, USB). Essa conexão é sujeita a interferências. Uma boa placa tem um
bom projeto que elimina esses ruídos.
DURABILIDADE:
Muitas vezes, as configurações de uma interface podem ser atraentes,
mas desconfie de preços muito baixos ou de marcas sem procedência. A
pendência pode estar na qualidade dos componentes eletrônicos e fazer
com que o aparelho apresente defeitos cedo demais.
Suporte para Drivers:
Para que o computador entenda que você tem um aparelho externo li-
gado a ele é preciso que seja instalado um Driver, que é justamente o
software que faz essa comunicação. O Driver precisa estar atualizado
em relação ao sistema operacional do computador. Marcas de boa pro-
cedência dão suporte a essas atualizações por muitos anos, enquanto
que as de qualidade duvidosa podem te deixar na mão e você acabar
perdendo a utilidade do seu aparelho.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 10 ] CYSNE PRODUÇÕES


MI CR OFONE

V67G (MXL) P3S (AKG)

Se você pretende gravar voz, instrumentos acústicos ou amplificadores,


precisará de um microfone. Para chegarmos ao ponto de sugerir um
mic, precisamos antes entender um pouco sobre o funcionamento das
duas principais tecnologias utilizadas em estúdios: microfones dinâmi-
cos e condensadores.
O microfone é um transdutor, isso significa que ele transforma uma for-
ma de energia em outra. No caso do áudio, energia mecânica do som em
sinal elétrico. Este sinal, por sua vez, carrega a informação sonora e é
convertido em dados digitais pela interface (lembra?). Esse é o caminho
do som até seu computador. Tanto os dinâmicos, quanto os condensa-
dores, possuem um “sensor sonoro” que é o diafragma: uma membrana
bem fina que vibra com o som e a partir dessa vibração é gerado um
sinal elétrico.
Dinâmicos: Acoplado ao diafragma, temos uma bobina (fios condutores
enrolados em carretel) encaixada no interior de um ímã. Quando a mem-
brana vibra, a bobina se movimenta no campo magnético do ímã induzin-
do o sinal. Por isso dizemos que esta é uma transdução eletromagnética.
Condensadores: A cápsula é formada por um diafragma e, paralelamen-
te a ela, uma placa de metal, formando um capacitor. Isso significa que
esse conjunto pode armazenar uma carga elétrica (fornecida por fonte
externa ou permanente na placa de eletreto). Quando a membrana vibra
com o som, a capacitância do sistema se altera, induzindo o sinal. Por
isso dizemos que esta é uma transdução eletrostática.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 11 ] CYSNE PRODUÇÕES


Pela natureza de cada transdução, há uma diferença na sensibilidade
desses dois microfones. O dinâmico (que envolve movimento de um sis-
tema de mais massa física) tende a ser menos sensível que o condensa-
dor. Logo, ele é menos capaz de traduzir as nuances do transiente sono-
ro, bem como, “escuta” menos as frequências agudas (de baixa energia).
No sentido oposto, os condensadores são mais representativos dos tran-
sientes (mais naturais, mais precisos), bem como, são mais “aerados”,
mais brilhantes. Por que toda essa ladainha?
Porque não existe mic melhor ou pior. Essas diferenças podem ser ex-
ploradas em situações diversas. Por exemplo, se você quer gravar um
amplificador de guitarra, ou seja, um som alto e agressivo, um micro-
fone mais “duro”, como o dinâmico, pode se encaixar bem na proposta.
Enquanto que se sua intenção é gravar um instrumento acústico, um
condensador pode cumprir melhor o papel.
Existem outras implicações práticas de cada tecnologia:
GANHO DE PRÉ:
Microfones menos sensíveis vão exigir mais ganho de pré para entrega-
rem um sinal no nível adequado. Se você não tem um pré confiavelmente
limpo, um microfone mais duro pode te gerar gravações sujas.
PHANTOM POWER:
Microfones condensadores normalmente precisam ser alimentados ele-
tricamente por fonte externa, fornecida pela função Phanton Power da
interface.
AMBIÊNCIA:
Microfones menos sensíveis tendem a captar menos as influências ne-
gativas de um ambiente sem isolamento/tratamento.
RESISTÊNCIA/DURABILIDADE
Microfones dinâmicos tendem a ser bem mais resistentes que os con-
densadores e exigir menos cuidados.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 12 ] CYSNE PRODUÇÕES


Mas, afinal, como escolher um microfone para um Home Studio?
RESPOSTA RÁPIDA 1: Tenha um bom dinâmico e um bom condenser.
RESPOSTA RÁPIDA 2: O uso mais comum de microfone em Home Studio é
para gravação de voz e violão, logo, um condensador
é a melhor opção. Compre o melhor que puder.
RESPOSTA RÁPIDA 3: Se a grana está curta, compre um microfone dinâ-
mico e não olhe pra trás.
RESPOSTA LONGA: microfones são a alma da gravação! Depois do
instrumento/voz, eles serão os principais influen-
ciadores do timbre. A escolha de um mic vai muito
além da sua tecnologia, existem N circuitos, pa-
drões polares (que é o formato e direção do cam-
po de captação). Sem falar das técnicas de micro-
fonação, que podem envolver vários microfones de
diferentes tipos.
Para quem quer fazer escolhas precisas e seguras sobre microfones, pre-
cisa se aprofundar um pouco no tema. Entender os parâmetros técnicos,
assistir vídeos de captação de cada instrumento, ver diferentes testes na
internet e, principalmente, precisa testar esses mics na prática.
Eu sei, talvez isso fuja da possibilidade de quem está montando um Home
Studio. Então, não se desespere. Compre um mic de partida, aquele que
couber no seu bolso e foque em produzir música. Com o tempo você
poderá melhorar seu equipamento.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 13 ] CYSNE PRODUÇÕES


MONI TORAÇÃO

HS5 (Yamaha) 305P (JBL)


O grande lance dos sistemas de monitoração é que eles vão guiar suas
decisões. Costumo dizer que produzir música é a arte de tomar decisões
e quanto mais seguro for seu cenário de julgamento, melhor. Obviamen-
te, se você pode confiar naquilo que está ouvindo, esta será uma condi-
ção favorável.
Inversamente, se seus monitores “mentem”, você cometerá enganos.
Isso geralmente acontece porque um sistema de monitoração ruim não
te mostrará com precisão a condição real do material de áudio que está
ouvindo. Ele pode não reproduzir, mascarar ou exagerar uma dada fre-
quência.
Como escolher os monitores para o Home Studio?
Apesar de tudo o que falei acima, verdade seja dita: quanto mais plana
for a resposta de frequência de um monitor e quanto mais clareza ele
tiver, mais caro vai custar. Isso significa que se preocupar demais com
esses aspectos vai te custar um bom $$$.
Logo, sua preocupação inicial com monitores para seu Home Studio deve
ser apenas que ele consiga representar o máximo do espectro de fre-
quência (20 a 20.000 Hz). A partir disso, você deve comprar o que melhor
se encaixar no seu bolso.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 14 ] CYSNE PRODUÇÕES


Outros aspectos que são importantes ficar atento:
DIMENSÃO
Você deve tomar muito cuidado com a tentação estética de comprar
caixas grandes. Monitores precisam respeitar distâncias entre as caixas,
entre as caixas e as paredes e entre caixas e o técnico. Quanto maior
o monitor, mais espaço ele vai exigir para funcionar da forma correta.
Além disso, falantes grandes tendem a piorar deficiências acústicas que
sua sala possuir.
AMPLIFICAÇÃO INTERNA
É o mais comum, mas não custa falar, seu monitores devem ser ativos,
ou seja, ter amplificação interna para os falantes. Do contrário, você pre-
cisará de amplificador externo.
CONEXÃO BALANCEADA
Você irá conectar a saída da sua interface nas suas caixas. Essa ligação
também é suscetível a ruídos e a conexão balanceada é mais resistente
e aconselhável neste aspecto.
“E os fones de ouvido?”, você deve estar se perguntando.
Pra resumir a história, a tendência é que caixas de estúdio te entreguem
um resultado mais preciso de julgamento. Mas, se não couber no seu
orçamento, você pode iniciar utilizando fone.
Você só precisa saber que o fone também deve representar bem todo o
espectro de frequências. Além disso, ter consciência de que ele exagera
o detalhamento do áudio e gera uma imagem stereo distorcida.
De qualquer forma, independentemente de utilizar caixas ou fones,
aconselho que você passe por um período de adaptação à resposta de
frequência da sua monitoração. Você deve escolher boas referências,
fazer uma audição crítica, observar como essas músicas soam, e tentar
reproduzir os mesmos aspectos nas suas produções.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 15 ] CYSNE PRODUÇÕES


CONTR OLADORES MIDI

Como vimos, a tecnologia vem facilitando a vida dos produtores e tornan-


do a produção musical mais acessível, isso se dá não só barateando os
equipamentos de boa qualidade, mas também criando novos recursos.
Atualmente, se você não tem estrutura para gravar uma bateria no seu
Home Studio (que é a condição da maioria), por exemplo, pode-se utilizar
um software que gera o som desse instrumento.
Existe uma gama enorme de instrumentos virtuais e eles podem ser
controlados por dispositivos físicos, através de linguagem MIDI. O mais
comum deles é o teclado controlador, que como o nome sugere, é um
teclado como o de piano que vai te permitir executar vários instrumen-
tos instrumentos virtuais.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 16 ] CYSNE PRODUÇÕES


Como escolher um teclado controlador MIDI?
NÚMERO DE OITAVAS
De maneira geral, quanto mais você quiser se aproximar da to-
cabilidade de um piano real, mais recursos você precisará no seu
controlador. O primeiro aspecto a prestar atenção é o número de
oitavas.
No piano, um conjunto de teclas da nota dó a dó compreende uma
oitava. Quanto mais oitavas, mais largo o teclado, obviamente. Se
você quer executar arranjos de piano utilizando duas mãos, acon-
selho adquirir um que tenha pelo menos 61 teclas (5 oitavas).
PESO DAS TECLAS
Num piano real, a tecla é apenas parte de um dispositivo que dis-
para um martelete de madeira contra uma corda de aço interna.
Esse sistema possui uma resistência e um “balanço” característico,
que tenta ser reproduzido em teclados de melhor qualidade. Este
aspecto deixa a execução mais realista para pianistas
PEDAL DE SUSTAIN
As notas de instrumentos virtuais de teclas duram o tempo pelo
qual ela foi pressionada. Para manter as notas soando sem as
mãos, existe um pedal de sustain que você conecta ao seu teclado.
Este recurso também é fundamental para simular as execuções de
um piano.
KNOBS EXTRAS
Os softwares possuem muitos outros parâmetros além das teclas
e estes também podem ser pilotados por recursos do teclado. É
comum ter uma roda de Bend (que muda o pitch da nota), uma roda
de expressão (que modula abertura de frequências, por exemplo).
Quanto mais knobs seu teclado tiver, mais desses recursos você
poderá controlar manualmente e incrementar suas execuções.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 17 ] CYSNE PRODUÇÕES


A CESSÓRIO S

2
1

Na figura vemos exemplo de 3 acessórios comumente vistos: (1) Pop Filter, (2) Reflection Filter
e (3) Shock Mount

Até aqui vimos que o Home Studio possui alguns elementos principais,
mas é válido citar que, além disso, outros equipamentos de apoio irão
facilitar seu dia a dia de trabalho. Vou citar alguns e sugiro que você se
aprofunde no tema:
CABOS / ADAPTADORES
A interface é um centro de conexões, sinais entram e saem através de
cabos e adaptadores. De nada vai adiantar você ter ótimos instrumentos,
equipamentos, se o caminho por onde os sinais fluem é ruim!
Conexões ruins podem matar a informação sonora do sinal, adicionar
ruídos, captar interferências, por aí vai.
Você não precisa gastar demais para ter bons cabos, basta não econo-
mizar muito e procurar marcas de boa procedência.
PEDESTAIS
Durante a gravação você estará o tempo todo manipulando instrumen-
tos e microfones. Tenha certeza de que eles terão bons suportes. Além
de facilitar seu trabalho, eles vão garantir a segurança para o seu equi-
pamento.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 18 ] CYSNE PRODUÇÕES


POP FILTER
Como vimos, as cápsulas dos microfones são mecanicamente sensíveis.
A intenção é que elas captem a vibração do som. Porém, elas também
serão afetadas por outros choques mecânicos, como um sopro de ar
produzido pela boca, por exemplo. Para evitar artefatos negativos nas
suas gravações de voz, utiliza-se um filtro para esses sopros, que cha-
mamos de Pop Filter.
REFLECTION FILTER
O Reflection Filter é constituído de uma estrutura curva, com material
absorvedor interno, posicionando-se atrás do microfone. Em teoria, sua
proposta é minimizar a influência da sala na captação. Apesar de gerar
um certo fascínio, este é um acessório polêmico e muito se debate sobre
sua real eficiência e possíveis artefatos negativos.
SHOCK MOUNT
Como vimos, microfones são muito sensíveis a vibrações e impactos.
Um acessório que se propõe a reduzir as transmissões mecânicas para
o microfone, a partir de seus amortecedores elásticos, é Shok Mount.
Mas, sem neura, se o mic estiver numa condição estável e segura, este
acessório não será tão crítico.
CADEIRA
Pode parecer besteira, principalmente quando se é jovem, mas ficar ho-
ras sentado irá prejudicar muito sua saúde, caso sua postura seja ruim.
Invista na sua ergonomia, começando pela sua cadeira. Procure um pro-
duto em acordo com as normas de saúde, coerentes para sua altura e
peso. Lembre-se sempre de dar pausas e se alongar.

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 19 ] CYSNE PRODUÇÕES


TABELAS DE SUGESTÃO DE EQUIPAMENTOS
A tecnologia avança rapidamente, todo mês temos alguma novidade sen-
do lançada pelas várias marcas que produzem equipamentos de Home
Studio. Isso dificulta a tarefa de sugerir equipamentos em um livro, pois,
em breve, eles já estarão desatualizados.
A solução que encontrei foi criar um documento externo online, de forma
que os equipamentos sugeridos possam ir sendo atualizados conforme
novidades forem lançadas e eu for testando.
Este documento possui várias abas, uma para cada tipo de equipamento.
Você sempre encontrará uma tabela com os critérios, prós e contras, de
cada equipo. Abaixo, você encontrará uma breve explicação sobre o que
significa cada critério.
Note, eu não coloquei todas as especificações técnicas possíveis. Você
pode aprofundar mais sobre elas no futuro. Minha intenção foi apresen-
tar os principais atributos que impactam a minha decisão na hora de
escolher algum equipamento.
O link para acessar este documento está abaixo e não pretendo alterá-
-lo. Ele também estará em uma uma página de material de apoio do meu
site. De qualquer forma, se por algum motivo não conseguir acessar,
você pode escrever para contato@cysneproducoes.com.br.
Link para download da tabela - CLIQUE AQUI

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 20 ] CYSNE PRODUÇÕES


SEU PR ÓXIMO P AS S O
Agora você já sabe tudo o que precisa sobre os equipamentos de um
Home Studio, o que te falta é seguir a caminhada e partir para dominar
as ferramentas e técnicas de produção.
z Como configurar o seu sistema?
z Qual Digital Audio Workstatio (DAW) utilizar?
z Quais os plugins gratuitos e pagos que irão te entregar um resultado
profissional?
z Quais são as etapas da produção de áudio?
z Como gravar seu instrumento da melhor forma no seu Home Studio?
z Como corrigir os deslizes na sua execução.
z Como finalizar o seu áudio para ele ganhar aquela cara de disco?
Basicamente, você precisa aprender a gravar, editar, mixar e masterizar,
para que seu talento musical possa ser compartilhado com o mundo!

Te convido a conhecer o curso Gravando Sua Música. Ele é um passo a


passo prático, direto ao ponto, em que você aprende fazendo aquilo que
é realmente necessário para te permitir gravar um som com qualidade
de estúdio aí na sua casa.
Suas músicas vão sair do seu quarto direto para o Spotify!

www.cysneproducoes.com.br/gravandosuamusica/

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 21 ] CYSNE PRODUÇÕES


SOB RE O AUTO R

Capixaba, natural de Vila Velha - ES. Como instrumentista, foi aluno dos
professores: Adriano Giffoni (baixo), Turi Collura (piano), Stefane Araújo
(guitarra). Ao longo de sua trajetória, trabalhou em diversas áreas re-
lacionadas ao universo da música, como músico, compositor, produtor
executivo de eventos e shows, elaborador de projetos de lei de incenti-
vo. Desde 2011, dedica-se às atividades da Cysne Produções, trabalhando
como produtor musical e professor, no ensino de áudio e produção mu-
sical para iniciantes e profissionais da área.
Como artista, seu projeto autoral é o Bongrado, que representa um gran-
de laboratório de composição, produção e arte.
Conheça em www.bongrado.com.br

GUIA DE COMPRAS PARA HOME STUDIO [ 22 ] CYSNE PRODUÇÕES

Você também pode gostar