Você está na página 1de 15

Debate em aberto para essas questões que eu trago aqui primeira primeira questão que nós

podemos né ou que vem a nossa cabeça comumente quando a gente vai estudar um
assunto sem entender o que é esse assunto né então ao tratar de política educacional é
uma primeira questão que se coloca para nós é o que é que define a educação como uma
política pública Pode parecer simples mas essa é uma pergunta que vai dar pano para
manga lá nos textos dos autores e outros discussões que nós paramos aqui o que é mesmo
e vai definir que vai caracterizar que vai dar né essa caracterização essa configuração da
educação como uma política pública aspectos né que alimentos que dimensões Que
processos que relações estabelecem a educação como uma política né então bom boa
parte do nosso debate fiquem atento para encontrar uma resposta Clara sobre isso né O
que é que dá a educação esse caráter de uma política pública né E aí vocês vão encontrar
no texto Mateus quando ele fez aquela breve síntese Ele falou que é aspectos históricos
sociais políticos e econômicos talvez alguns não tenham percebido entendi que talvez o
Mateus tem assim percebido que o autor não matou embora ele não diga Olha gente eu vou
fazer uma abordagem começando eu quero mostrar isso isso isso não ele vai fazendo Cadê
a nós como leitor captar a organização do pensamento do autor se vocês perceberem ao
longo do texto o autor da uma configuração da educação como uma política pública que ele
vai dizer Dória entender a educação a política educacional requer um olhar para a história
tem um momento histórico específico em que nós podemos falar de política educacional ou
que a educação Política pública de recorte social e ele vai explicar porque depois ele vai
explicar porque também ela tem uma dimensão política das relações de poder e conflitos de
classe das disputas entre classes e grupos sociais né di ér paia né direitos éhumanos o o
doSão aqueles que estão na base da nossa condição humana sem eles né então é todo é
é mas entendeu ou né nós poder nos no não tem nota quem as política racionais quem
implementa essas políticas educacionais de onde elas vem como pensão Porque pensa
porque pensão de um jeito e não de outro para quem com quem com que objetivo Qual o
papel do estado aí nós chegamos se nós vamos nos perguntando nos perguntando nós
vamos chegar a que damos a questão central que interessa para análise da política Qual o
papel do estado dos governos e da sociedade civil na formulação e na implementação de
políticas educacionais Qual é a relação entre estado governo e sociedade civil e como nós
compreendemos estado governo e sociedade civil para poder compreender o papel que
cada instituição política dessa exerce na formulação e implementação das políticas
educacionais mais vamos começar Se vocês olharem bem para o texto né Principalmente o
texto do PIS mas também o texto da roflin E professora Oi professora a senhora poderia a
senhora poderia falar pelo título do texto é o texto sobre estado estado e políticas sociais
professora lá não fica só tem esses dois ele tá no outro ponto ele tá no ponto de aula para
vocês que como as nossas aulas elas não tem essa Fronteira no texto né eu vou tá
trabalhando por isso que eu tô perguntando quem chegou a ler porque ele já tá no ponto da
próxima aula tá mas tanto se vocês olharem para os três textos dois da aula de hoje e o da
próxima vocês vão ver que todos eles passam por esse debate da relação estado e
sociedade então primeiro elemento para gente compreender a política educacional que a
compreender que a política educacional é sempre fruto da relação entre o estado e a
sociedade ela se origina dessa relação e ela alimenta e defina essa relação no campo da
Educação no processo dialético entre as instituições do Estado né estado em sentido estrito
senso Não não vamos confundir sabe com o governo já vou aprofundar Esse aspecto está e
a sociedade ou aquilo que alguns teóricos lá dentro dos teóricos contratualistas
administrados chamavam de sociedade política e sociedade civil e sociedade política se
referindo ao estado ao conjunto das instituições políticas ou Conjunto das instituições
responsáveis pelo comando da idade EA sociedade civil as sociedades independente da
instituições políticas a política educacional problemas compreendê-la né só podemos
compreender a política educacional olhando para o estado e para a sociedade né alguns
poderiam dizer ah mas eu quero compreender a política educacional eu tenho que olhar
custado é verdade né do debate que a gente vai estudar a gente precisa olhar para o
estado mas o estado não existe ensine por si abstrata mente o estado existe a partir de uma
dada sociedade o formato a forma do Estado a constituição do estado a composição do
Estado as políticas do Estado São referenciadas pela sociedade que o constitui então não a
cor como nós compreendemos a ação do estado que é mais propriamente aquilo destino a
política sem compreender a relação entre estado e sociedade né a olhar para o estado nós
vamos sempre colocar o nosso olhar também para a sociedade OK tá claro isso para vocês
vamos sim tanto quanto o Ângelo acho que vocês tem um texto do Ângelo né que é sobre a
política educacional e seus objetos de estudo nós vamos discutir ele mais adiante um pouco
mais eles vão partir dessa desse debate desta relação em alguns momentos eles estão
bem claro em relação a isso e outros momentos talvez não Mas ambos vão mostrar que a
política educacional uma política indicada nesta relação entre estado e sociedade e
principalmente nas relações áreas principalmente não é essas relações são sempre
relações de poder Por que são relações de poder Por que são relações e tomadas de
decisão sobre a sociedade são relações que estabelecem os burros sociais estão em
disputa onde a Essa sociedade é constituída de classes que estão em condições e posições
diferentes de poder ou seja estão em posições diferentes de atuar de participar Sociedade
alguns por mais capacidade de decidir de influenciar e outros com menos elas Poderíamos
dizer que há um grupo bem menor com capacidade de decidir e um grupo bem maior com
pouca ou nenhuma capacidade de decidir e a educação Tem Tudo a Ver se acha um papel
fundamental nestas relações classes há grupos com uma capacidade maior de participação
e o capacidade menor a grupos com mais capacidade de influenciar nas relações dentro
dessas instituições nas definições dessas instituições do que os não é por isso que o
Angelo vai dizer que essas relações são sempre relações de poder e se nós vamos estudar
política educacional nós precisamos também compreender o conceito de política que é o
conceito de as relações de poder que comandam e que definiam os rumos sociais Ok então
né Se nós queremos estudar e nós vamos estudar educação como política pública o nosso
primeiro passa aqui é compreender o que é uma política tem uma autora que tem um texto
que eu não dei para vocês por conta nós estamos aí diminuindo pouco mais de nosso
tempo ela vai dizer que mais a Rô ele também vai dizer isso que políticas públicas e o
estado em Ação é a forma de estado a atender aos direitos sociais ou seja uma política
pública é uma resposta a um direito social se é uma resposta é um direito social logo a
gente vê que a política pública é uma resposta a uma demanda da sociedade é uma ação
do estado mas não é uma ação do estado à toa é uma ação do estado provocada consenso
ada legitimada pela sociedade e das políticas públicas são a resposta que o estado da a
uma demanda que a sociedade faz mas não era mente faz é uma demanda que a
sociedade faz mas consegue constituí-la como um direito ou Mais especificamente é uma
demanda que a sociedade faz e consegue transformar essa demanda e objeto de lei
consegue assegurar essa demanda como um direito a segurar essa demanda como direito
é colocar esta demanda Na Norma Jurídica do da Nação na Constituição das leis
específicas da área da saúde no caso da Saúde da lei de diretrizes e bases da educação no
caso da Educação na lei da assistência social no caso das políticas de assistência social e
assim por diante ou seja nós poderíamos dizer então que a ação do estado é sempre uma
ação com referência à sociedade porque ela demanda da sociedade constituindo-se direito
como ela retorna a sociedade na forma de resposta a esse direito e ao retornar a sociedade
ela causa um determinado Impacto nessa sociedade Impacto que a gente poderia dizer
assim positivo do ponto de vista de mudança social também podem ser de impactos
inclusive negativo porque podem não responder aquilo que realmente a sociedade da
mandou ou como a sociedade gostaria de receber o que foi demandado Ok até aí
professora professora no texto do anjo não tem uma parte que fala até sobre isso pode ficar
publicando somente iniciar a tomada pelo Estado mas como reação das pressões sociais o
estado mais detalhadamente conjunto de instituições do Estado o Ministério da Educação
Conselho Nacional de Educação os órgãos legislativos né Senado Câmara Federal Câmara
Municipal Secretaria de Estado da Educação secretarias municipais conselhos estaduais
escolas universidades departamento científico né agências né de financiamento esse
conjunto de nós estamos olhando só para nós elas não agem à toa porque os seus sujeitos
os seus técnicos os seus burocratas aqueles que ocupam os cargos de comando nessas
instituições por um compromisso original deles ou quase nada por uma vontade nada é o
pôr uma iluminação Divina decidem fazer eles fazem isso porque a uma pressão social a
demanda social a uma lei que transforma esse direito em lei que é o primeiro passo né Tem
um autor chamado Norberto Bobbio O que é um grande estudioso da Ciência Política direito
e ele tem um livrinho chamado a era dos direitos né que ele nesse livro ele faz uma
percurso histórico né tudo percurso histórico sobre direitos até chegar nos direitos sociais e
isso tem muita importância para nós aqui na nossa disciplina e ele vai dizer que os direitos
sociais multi ficaram realmente quando quando eles surgem eles surgem numa determinada
época e nós vamos já dialogar com Pires sobre isso surgem em uma momento né que eles
alteram vão alterar toda a estrutura social porque eles vão exigir do Estado outros direitos
com os direitos naturais os direitos civis os direitos políticos já existiam antes dos direitos
sociais os direitos sociais são as constituem a quarta geração de direitos hoje nós já temos
a quinta geração de direitos que são chamados direitos difusos direito e se refere à
diversidade direitos dos animais são chamados direitos difusos os direitos sociais
constituem a quarta geração de direito mas os direitos anteriores eles não impactavam
sobre a ação do estado por isso para a gente entender porque se compreende a política
pública com o estado e Ação são os direitos sociais que vão impactar o que eles não
existem sem ação do estado por exemplo direito civil do Estado por exemplo direito de
casar né o meu direito é de botar o estado pode precisar de uma estrutura para eu botar
mas não assim não exige que o estado se Organize para ofertar esse direito exige que eu
como portador do direito luz ou não o direito de ir e vir o direito de propriedade por exemplo
que é considerado um dos primeiros direito direito natural e percorre toda a nossa solução
do direito o direito à propriedade não existe que o estado haja para me dar propriedade o
estado Só protege né oxigym O que o proprietário exige do estado é apenas que ele proteja
a minha propriedade os direitos sociais e diferente eles só existem se o estado agir o direito
à educação é preciso que o estado se Organize se estruture e oferta construa escola os
trolls departamentos compre livro didático carteira contrato Professor capacete o professor
requer uma ação investimento do Estado a mesma coisa o direito à saúde Então os direitos
Norberto Bobbio vai dizer que a era dos direitos sociais constituem de fato a era do direito
porque quando realmente o direito avança no sentido de exigir que o estado responda que o
estado haja né não basta botar na lei né ele revoluciona porque ele passa a legislação vira
um instrumento de barganha Roberto banco vai dizer que no na nessa condição Nesse
contexto do Estado do direito social o estado precisa né de fato efetiva a lei EA sociedade
briga Porque depois que está na lei eu posso exigir eu tenho instrumentos jurídicos para a
ação então nós podemos dizer então que a política pública qualquer política pública ela é
essa ação do estado e o Estado faz para responder um direito social reconhecido mas não
basta o reconhecimento do direito social Por que que não basta porque o direito soci esseal
precisa também de um ou embora alguns grupos briga em Luz em consigo botar suas
demandas transformar os seus interesses em objeto da lei é preciso que essa lei se efetive
que ela ganhe o que a gente chama de legitimação de consenso o que que é isso é preciso
que a sociedade reconheça E aí esse é um outro longo processo né Nós vamos ver que os
países vão fazer diferentes caminhos na conquista de políticas públicas de educação e isso
tem a ver com grau de consciência social o grau de legitimação social do direito à educação
ganhou nas diferentes sociedades ou seja Quanto mais a sociedade reconhece entende né
ou legítima faz uso desse direito mas esse direito vai ser efetivado né daí nós vamos dizer
que as políticas públicas elas são a resposta um direito social tanto no sentido legal quanto
no sentido político no sentido político no sentido de quanto aquele grupo daquele direito né
mobilização social o quanto ele serve de bandeira ou ele é reconhecido embora por
exemplo nós temos o direito à educação garantido na nossa lei de diretrizes e bases da
educação e já era reconhecido na primeira lei né Cada história dentro do cartão comigo a
primeira constituição que reconheceu a educação como direito foi a Constituição de 1932
como direito e dever do Estado Mas de lá demorou muito para esse direito ganhar o serviço
social ou seja já havia grupos sociais que demandarão que reconheciam lutar e
conseguindo botar na lei Mas ainda hoje existe comunidades grupos sociais que ainda não
reconhece o que dá não legitimaram esse direito elas ainda não reconhecem com seu no
sentido de fazer disso uma disputa de fato Tá sim avançando portanto se a política pública
é o estado em Ação é a forma do estado da TV aos direitos sociais significa que essas
políticas não são políticas como eu já falei dadas de presente elas não são políticas
construídas amigavelmente né construídas nas relações de poder que se estabelecem entre
classes e entre grupos estão na direção do estado no comando Classes de grupos e
envolve estruturas de governo e os processos de governabilidade ou seja o conjunto de
mecanismos de relações e de procedimentos do governo daí que nós podemos ter o direito
constituído como lei e não ter a política correspondente né Isso não é comum no nosso país
direitos que a gente não consegue ainda até a política correspondente a eles professora
Então significa né e a transformação de um direito social em objeto de política pública
envolve um longo processo de disputa de conquista né de inserção dentro da estrutura de
governo né Então significa né E se nós queremos fazer uma boa compreensão do Estado e
das políticas públicas nós precisamos ter uma boa compreensão do Estado como
reprodução das políticas sociais se a política pública é a resposta que o estado da as
demandas sociais que se constituem como direito social significa que nós precisamos
compreender melhor o que é o estado como estado produz as políticas Como o estado se
constitui nesse Lopes ou nesse espaço de formulação de políticas vocês concordam com
isso Professora desculpa a senhora poderia repetir só essa última parte é porque falei um
pouco aqui para mim eu chamei atenção que se a política pública né e a política pública de
educação é uma ação do estado em resposta ao direito social ou seja uma demanda da
sociedade que se constituiu como direito significa nós queremos compreender a política
educacional primeira tarefa Nossa compreender o estado o estado como essa Instância de
produção da política educacional se tivéssemos estudando as políticas de saúde seriam as
políticas de saúde nosso caso nosso olhava para educação mas do ponto de vista de ser
política social não muda a compreensão do Estado o mesmo estado que promove a política
educacional é o mesmo estado que promove a política de saúde portanto a configuração do
é a mesma que define a política seja ela de saúde de assistência seja ela de educação seja
ela de estrutura seja política econômica né é preciso da gente olhar para o que é excitado
sem perder a referência do que o constitui e a sociedade ok ok Sobre o capitalismo que
você entendeu e não superar é sobre isso que tá falando nesse momento é nesse sentido
exatamente tirou a palavra da minha boca exatamente né a Carolina quando falou ela
chamou a atenção que o autor diz que a política educacional é uma política do estado
capitalista que exerce uma função no capitalismo primeiro aspecto é a gente entender que a
política social é uma política do capitalismo Por que uma política do estado e o estado é
capitalista se a política é a ação do estado e o estado capitalista a política educacional
capitalista daí tem alguns que vão dizer assim escrever um texto não me lembro mais muito
tempo atrás do tipo socialista na sociedade socialista não haveria essa distinção entre o que
é social e o que não é porque todas seriam sociais porque o estado é social só se o estado
é realmente um estado da sociedade é realmente a representação de fato e não apenas
nas formal da sociedade e ele vai dizer que ela a política social ela é própria do capitalismo
porque ela é a forma de mediar as contradições do Capital ela surge justamente para fazer
a mediação das contradições inerentes ao capitalismo a Claro para vocês isso por vocês
começam que estados que já estudaram de sociologia e contradições seriam essas
Professor eu eu assim entendo que essa mediação que a senhora tá dizendo assim seria o
seguinte o estado capitalista ele exigiria por exemplo seria mais ou menos assim tipo
exigiria que eu querendo ter acesso à educação um exemplo tivesse que pagar o a mesma
coisa saúde eu teria que pagar o hospital e aí vem a política pública para mediar esse
dissenso porque enquanto sujeito não tenho condição o estado é capitalista e Visa o lucro
EA política pública vem para fazer essa mediação tipo conceder eu e quanto população que
eu encontro população tem acesso aquilo que eu não poderia apagar seria mais ou menos
assim podemos incluir Mas não seria exatamente Por Esse aspecto vamos avançar de
quem pode né É em uma sociedade dividida em classes uma sociedade desigual que uns
podem ter acesso e outros podem não ter acesso aos daí o estado se apresenta usar esse
termo depois eu vou dizer porque o estado se apresenta como alguém que tenta corrigir as
desigualdades mas isso tem um porquê nós vamos precisar voltar a história nas aulas de
História de vocês e de sociologia para esse debate Mas não se preocupe que a gente
primeiro aspecto quando a gente tá falando digitado nós estamos falando do Estado a partir
daquilo que Carolina que chamou de atenção na palavra dela que o autor coloca que o
estado a partir da idade estado o Estado Moderno quando ele se separa da igreja e aí ele
passa assim o esqueci desse estado que nós estamos falando tá nós não estamos falando
do Estado antes que não tinha essa configuração de estado como Instância pública né
porque o estado estava vinculado à igreja inclusive em muitas sociedades Planet
subordinado ao poder da igreja né o estado Não era essa Instância de gestão de
representação da de uma sociedade o estado se confundir a inclusive muito mais com o
poder do governo poder de governar vocês estudaram sociologia sobre Estados se vocês
leram a obra de Maquiavel ouviram falar da primeira obra sobre estado é o mais uma obra
sobre o poder do estado ou seja o poder do governante porque era como estado se
apresentava naquela época que Maquiavel olhou para o estado né Então nós não estamos
falando desse estado portanto não estamos falando estado a partir da era moderna como
ele se configura como tal ele o estado da era moderna o estado capitalista porque o que é a
era moderna é a era em que o capitalismo su planta o feudalismo não é isso as relações
sociais que constituíram o feudalismo modo de produção feudal e na história de marca a
idade média é superado substituído suplantado por outro modo de produção o modo de
produção capitalista ou seja nós a sociedade claro isso não é assim isso são séculos nós
vamos lá falar disse a educação vai acompanhar esse processo por isso que o Pires disse
que é um longo processo que vem desde a idade dele né mas não podemos falar ainda de
política pública nesse momento nós só podemos falar da educação como política pública na
idade moderna nós vamos explicar porquê mas vamos deixar um parentes aqui que eu vou
voltar para esse para esse debate então o estado que nós estamos falando é o estado por
exemplo da forma como Karl Marx e depois todos os teóricos que vem depois dele vão
interpretar como uma forma historicamente determinada de existência do ser social e tem
sua origem do capital e nas classes que constituem o capitalismo nas relações dessas
classes porque é uma forma historicamente determinada porque ela surge num
determinado contexto histórico ele não fugir de uma hora para outra ele foi determinado No
processo histórico foi se constituindo no longo processo histórico que desrespeita esse
período da mudança do seu dalismo para o capitalismo da Separação do estado para igreja
e das relações de produção ou seja muda se as formas de produzir resistência ou seja de
produzir os bens materiais e não materiais Porque a produção da existência de respeito a
essas duas dimensões ao produzir Bens Materiais caneta com celular papel mesa
computador mas também produzimos uma forma de pensar de nos relacionar de
compreender o mundo de ciência de tecnologia então quando a gente diz o modo de
produção da existência a gente tá dizendo uma forma que produzir os bens materiais mas
também de produzir o pensamento de produzir os bens não materiais a ciência a arte a
cultura a filosofia a tecnologia né as ideologias os sistemas políticos é então é quando há
uma mudança no modo de produzir a existência significa que há uma mudança na forma de
produzir sapato de produzir roupa de produzir né é a riqueza e a uma mudança na forma de
se apropriar do trabalho de remunerar o trabalho e isso vai implicar uma forma também de
pensar a sociedade é por isso que nós vamos dizer que o estado é uma forma e terminada
a desistência do ser social O que é o texto social esse ser que vai ser a expressão da
sociedade o estado é um ser social ele não é uma máquina não é o governo o estado não é
uma coisa não é uma lei não é uma instituição ele é um ser social porque ele está para
além desses aspectos digamos jurídicos instrumentais procedimentais técnicos envolve
uma forma de pensamento que comanda a sociedade também e essa forma historicamente
determinada de existência do ser social é a forma correspondente ao capital e as classes do
capitalismo O que é os operários aquilo que me chamado proletariado ou que nós podemos
dizer assim a burguesia ou que a gente vai dizer assim os que vendem a sua força de
trabalho e os que compram a força de trabalho e se apropriam da riqueza os que são os
donos dos meios de produção e os que não têm meios de produção e não tendo me resta
vender sua força de trabalho porque é o único é a única propriedade né a única propriedade
que o trabalho do tem é a sua própria força de trabalho a sua força física EA sua força
ligamos é intelectual escolaridade conhecimento cultura capacidade de relacionamento de
fala de discurso tudo isso forma minha força de trabalho e a força de trabalho não é apenas
uma força física ela é uma força física e para o ruim dependendo da divisão social do
trabalho para alguém da força de trabalho é mais intelectual para outros a força de trabalho
é menos manual e quanto mais ela mais essa força de trabalho é melhor remunerada Por
que nós construímos também uma simbologia sobre as forças de trabalho aquilo que está
estabelecido como digamos o mais importante para definição da riqueza para produção da
riqueza os que pensam a riqueza ou Os que trabalham no mundo da construção do
pensamento das ideias ou da criação das formas de dominação e exploração vão ter mais
valor do que aqueles que meramente executam em que os primeiros pensaram né mas
avançam né então vai compreender E aí nós vamos avançando nessa Neto eu tô
retomando esses conceitos porque são os conceitos com os pais nós vamos lhe dar daqui
para frente dessa disciplina Por que que eu não vou tomar conceito de curso conserto de
Locke conceito de Porque nós não vamos mais lidar com a compreensão porque essa
compreensão ela não favorece a abordagem que nós queremos dar positivo estão bastante
superar Karl Marx Vai pensar o estado como uma superestrutura a vamos discutir esse a
ideia de super estrutura jurídica política e ideológica de uma sociedade cuja Gênese está na
divisão de classe assim Por que que Definir como uma estrutura superior no sentido das
relações materiais ou na dimensão material porque é uma estrutura que diz respeito vamos
dizer assim a uma organização que vai se desprendendo embora esteja em
correspondência e originada nela mas vai se desprendendo dessa base material ganhando
estrutura própria ou ganhando existência própria de modo que é difícil nós configurar mos
ou imaginarmos ou olhar no estado quando coisa né ou como algo que nós que seja a pá a
palpável é algo abstrato a ideia de super estrutura no sentido da administração mesmo de
uma estrutura que é superior a esta dimensão material porque se coloca dessa forma essa
forma se por exemplo eu disser para Yuri e o boleto Por favor pega um copo para mim Yuri
tem uma representação da palavra copo o objeto Se eu disser para ela pegar a caneta ela
tem uma representação da caneta é uma coisa simples é um pensamento de associação
entre uma palavra e uma coisa mas se eu disse para ir o Yuri né me explica o que é o
estado a Yuri não vai poder me descrever o estado como uma coisa porque ela não pode
visualizar e associar o status Ela poderia ser assim ah quando eu falo estado eu penso lá
no na sede do Planalto Aí eu disse ah eu penso lá no Palácio dos Leões aí eu penso na
Câmara eu penso no Congresso não Mas isso não é um estado aquele é o Congresso é
uma instituição do Estado então o Estado né vou e foi a medida que foi se configurando ele
foi Ganhando esse caráter de abstração de modo que não é possível reduzir o estado a
uma coisa ao governo ao grupo a uma instituição porque ele diz respeito não só a
instituições mas ele diz respeito a leis regras ele diz respeito à Finanças ele diz respeito a
decisões a relação de poder ele diz respeito a um conjunto e também de ideias e
pensamento de uma forma de conceber a sociedade e de comandar mas que nós não
podemos né é reduzir a coisas né porque ele vai né digamos e canta uma dimensão muito
Ampla muito complexa para gente reduzir ou visualizar é como né todos os as categorias os
conceitos eles são dessa ordem né por isso que estudar sobre essas coisas requer muita
atenção isso é aquilo que vocês estudaram psicologia que é chamado pensamento superior
né que é essa ideia de entender as coisas abstratas para eu lhe explicar o estado ela não
vai poder dizer assim como ela disse se ela for explicar né O que é cópia da vai dizer olhar
o copo ele é cilíndrico aberto ele tem um fundo ele pode ser de plástico pode ser disso ela
não vai poder fazer isso com o estado ela não vai poder pegar uma série de palavras que
expressam coisas materiais para me falar do Estado ela vai usar um conjunto de conceitos
ela vai dizer Professor o estado segundo autor tal né é uma superestrutura jurídica ela vai
ter que me explicar o que que é jurídico né ela vai ter que me explicar o que que é política
ela ideologia atrações isso não quer dizer então isso sejam uma coisa vaga não e que não
tenha expressão na realidade não tem todos nós sentimos o estado Todos nós somos
afetados pelo Estado né mas ele é o resultado dessa nossa capacidade de avanço da
nossa civilização de criar estruturas para lenda base material e da nossa capacidade de
transformar as de construir estruturas de pensamento de ideias de valores de organizações
de instituições política correspondente a uma dada realidade social que começa com a
associação entre uma palavra e objeto da palavra caneta e caneta a sua origem mais
remota da capacidade do homem que começar a pensar EA construir né conhecimento a
construir Cultura a fazer política a política cultura religião a arte são as dimensões que mais
caracterizam o nosso processo de humanização por isso que quando a gente tem agora no
Brasil um governo que se contrapõe a arte a ciência a cultura o pensamento a gente diz
assim que é um governo que é um risole é um governo que está se afastando do processo
civilizatório Porque isso seria a gente tá voltando a anos-luz do nosso processo civilizatório
Porque o nosso processo civilizatório é o processo de emancipação de cada vez mais criar
a parte também das ideias de transformar o mundo material eo mundo da subjetividade
mundo do pensamento ou aquilo que Marcos vai dizer da nossa capacidade de antecipar a
realidade a partir da realidade que temos mas da nossa capacidade de captar a realidade
no mundo do pensamento e ao captar Essa realidade do mundo do pensamento construir
um pensamento para o então quando a gente tem um governante ciências Cultura antiarte a
gente tá dizendo que a gente tem um governante aquilo que diz respeito da nossa
capacidade mais superior de ser social né Não começa assim eu estivesse sendo mais
primitivo talvez por isso essas pessoas são tão chegadas a sistemas de barbary de resolver
a violência A violência está do primitivismo da nossa não capacidade de estabelecer outras
formas de Solução de Conflitos nós avançamos para resolver os conflitos criando uma
estrutura jurídica regras leis parâmetros acordo então quando eu quero voltar a resolver as
coisas na base da violência eu tô voltando um estado primitivo né a um estado de não usar
minha capacidade de pensar de sensibilizar de dialogar para solucionar questões de uma
dimensão mais material quando nós não somos capazes de ser democrático de tomada de
decisões democráticas do ponto de vista da público e a gente quer em boa nossa verdade
nós estamos também retroagindo no nosso processo civilizatório nós estamos sendo mais
primitivo porque nós estamos dizendo que nós não sabemos lidar com o coletivo Nós não
sabemos construir coletivamente a democracia uma construção histórica longa né Nós
temos que passar por muitas guerras por muitas muitos movimentos de barbarie mesmo até
nós começarmos a perceber que nós poderíamos ter a política ao invés da Bárbara nós
poderíamos conquistar as coisas e decidir as coisas públicas por outras formas que não
sejam a guerra ou a escravidão o a submissão de um de vários a minha vontade particular
individual né por isso que a gente diz que o Brasil está retroagindo na já são que não diz
respeito só uma questão de esquerda de direita a civilização versus Bárbara respeito Se
nós queremos avançar no processo civilizador ou se nós queremos voltar o estado da
Bárbara onde nós não éramos capazes de usar a dimensão simbólica subjetiva A Arte da
política a capacidade de civilizar para resolver as questões que nos cercam socialmente
vamos lá mais tarde então esse é o primeiro conceito vamos dizer assim né que vai mais
tarde né Estado não pode ser compreendido sem olhar para as classes porque o estado
não é uma representação social tal qual querem fazer parecer o estado não é a
representação de toda a sociedade o estado e a representação de uma classe A classe que
o constituiu para subir ao poder e ao subir ao poder o Manteve nas suas mãos usando o
dele para renovar esse poder tanto político quanto econômico Mas nós vamos avançar
nesse debate porque por exemplo do ponto de vista da ideia do Estado como essa digamos
assim uma super estrutura se conceito embora tivesse usado se você mas essa ideia e
superestrutura já estava presente no pensamento de Rousseau e no pensamento de
Hobbes por exemplo Hobbes via esta super estrutura de forma positiva né porque para
Hobbes ela resolvia o problema o estado se colocava como esse super acordo né esse
contrato social esse consenso social em torno de uma Instância sobre os homens porque os
homens eram por natureza ruim e sem essa Instância cima deles eles eram capazes de
viver em sociedade Bobs vai olhar para o estado por estado necessário para garantir as
condições de vida social e o sobre o olhar de forma negativa para estar assim de uma forma
lamentável né Russo vai lamentar que nós como sociedade tenhamos construído uma
Instância sobre nós para agir decidir por nós por quê Nós como sociedade eram capazes de
fazer isso né estudar em sociologia provavelmente não foi ou não professora tem encontrei
um arquivo bem interessante eu coloquei lá no grupo da turma que ele fala justamente
sobre tudo tudo toda essa discussão que a senhora tá trazendo agora por último bem cada
vez que você sociologia deve ter estudado né o históricos contratualista do Estado né Ou
seja eu quero mostrar assim que eu já tinha visto essa ideia também que o estado era uma
super estrutura ou seja porque o estado era uma figura sobre nós que agia por nós e vai ver
vai ver isso assim como uma certa incapacidade Nossa dívida social e nós construímos
estado e voltou já vai perceber que havia um uma certa dimensão negativa do Estado né
agindo sobre nós a partir de alguns certa forma aquela visão aquela visão tanto romântica
não estava errada né De certa forma o estado já era assistir por aqui há dias sobre nós aí
ainda é até hoje por exemplo é que vai dizer que toma a nossa liberdade o estado nós ao
criarmos do Estado nós damos ao estado o poder de agir sobre nós portanto mas perdemos
a liberdade de decidir porque agora é o estado que decide por nós então ele não estava
errado não é digamos aqui a Jussara né vai casa e separa separa do marido e Eles não
conseguem decidir os dois porque fica com ele quem paga o que não é para onde eles
recorrem para decidir sobre o destino do filho dele instalando o estado vai decidir por meio
da sua estrutura jurídica um juiz que nunca viu o Sara que nunca viu o seu marido nem o
que não sabe da história dele decidi eu já tinha percebido isso poxa os homens forem
capazes de tomar suas decisões né os homens foram capazes de serem serem autônomos
serem justos serem honestos serem solidários e preferiram criar uma Instância para agir por
ele né que é o estado Mas vai ser uma coisa que não sou não viu muito de forma muito
mais profunda aqui é na mão é verdade que é uma super estrutura que age por nós mas ela
não é uma super estrutura e ela não é um contrato social não é um consenso o estado não
é originado de um consenso social de um contrato embora uma classe aceita as condições
da outra não é um consenso porque eles não estão em pés de igualdade né não é um
contrato porque um contrato é quando nós estamos em condições de estabelecer né as
causas aí para dizer o estado se constituiu no processo de ascensão de uma classe sobre a
outra e desde então ele serve ao matar ele se constitui o instrumento do poder de uma
classe sobre portanto não dá para a gente falar de contrato mas de uma estrutura de poder
Esse é uma estrutura de poder né e nós não somos iguais nem economicamente e nem
politicamente né mas não somos iguais economicamente e não sendo iguais
economicamente Nós não somos iguais politicamente o estado portanto não vai ser também
essa representação da Igualdade H da capitalista e o capitalismo e a sociedade de classe
como seria o estado estado igual para todos daí vem a primeira falácia né daqueles que
dizem Olha o estado trata todos iguais não é verdade a polícia que é um aparelho um
aparelho repressor do estado não entra no bairro da Elite do jeito que entra na fazenda né a
polícia não aborda o homem branco o jeito que aborda o homem negro não aborda o
homem da terminado as condições do jeito que acorda mulher a escola que o estado
oferece tem mais condições não é a mesma os mesmos professores no mesmo nível a
mesma estrutura para os meninos condições a forma como a escola funciona no bairro da
classe média de classe alta é muito diferente da escola que está no Coroadinho está na Vila
Olímpica na periferia mesmo que tá no Google né o estado não une com a mesma medida
Se fosse por isso filho da juíza que foi preso com 150 Kg de cocaína no iate estaria preso e
o rapaz que foi pego com vidro de desinfetante confundido com 12 assassinado Mateus não
pode falar professora e assim por diante nós poderíamos aqui ficar a noite todinha citando
exemplo de como o estado não é essa igualdade essa distância de saudade e nem seria se
ele ela expressão de uma sociedade desigual se ele é fruto e ele foi constituído nesse
processo de ascensão de uma classe é o poder né avançando aqui para gente não tomar
não tem mais adiante o grande que vai dizer que o estado é o grande que vai digamos
assim colocar um adendo no conceito de marca ele vai dizer que o estado é o espaço de
correlação de forças entre as classes que envolve tanto a sociedade política que o estado
em estrito Senso com a sociedade civil que é o conceito mais na sociedade de damos mais
Sada E aí o Grande tá fazendo duas coisas que ele viu porque era da época que Ele viveu
Marcos não teria como olhar para ir
tá Início de assim de grande mobilização da sociedade civil onde os trabalhadores
começaram a reagir as condições de exploração do capitalismo Marx viveu na condição
primeira de ascensão da burguesia ao poder onde capital então Os trabalhadores
começaram a se organizar EA disputar o estado e a brigar por seus direitos e querer
garantir as suas demandas povo direito dentro do Estado hepato então ele vai dizer que o
estado não é bem só um instrumento de poder mas ele é um espaço de correlação de
forças entre as classes classe vezes e quem tá vencendo historicamente é a classe
burguesa né E tá vencendo não à toa né grande vai mostrar que a classe que a burguesia e
ela não é apenas uma classe dominante como Marques tinha pensado ele vai dizer que ela
é uma classe hegemônica ele vai fazer uma diferença entre o conceito de dominação e de
hegemonia ou seja não basta ser dominante ou seja não basta ter os instrumentos da
máquina estatal precisa ter o comando do estado que é muito maior que a máquina estatal
e o comando do estado é teu comando da cultura da Imprensa do pensamento que
estabelece o consenso social é preciso ter a capacidade de comando é isso que grande que
vai perceber de a burguesia continua ganhando porque ela tem os instrumentos EA
capacidade de comando social porque ela não é só ela não se apropria só do aparelho está
mas ela se apropriam da cultura se apropriou da mídia se apropriou das ideias que são
válidas Em uma sociedade se apropriou da capacidade de dirigir né E dizer olha lá daquilo
que ela convence Ou do governo nosso caso é dos governos porque nós a nossa forma do
Estado federativo hoje eu vou falar disso André é muita coisa né mas nós vamos passar
tudo isso não significa que eu vou cobrar tudo isso de vocês não se preocupe mas tudo isso
é para vocês começarem até assim quando a gente disser determinadas frase tudo vocês
vão pintar que aqui nós só uma frase por detrás daquela frase tem um monte de coisa né
que eu que tem jogo hoje para fazer um parente aqui né Nós estamos na chamada era da
informação né já ouviram falar isso nós estamos vivendo a era da informação Então tá
acontecendo com nós estamos na era da informação que tá acontecendo com as pessoas
porque as pessoas acreditam tanto em fake News o que as pessoas estão sendo tão
comandada Por que pastores e determinadas religiões conseguem comandar Multidões e
acreditar que as pessoas que eles são representantes de Deus na Terra porque eles
conseguem convencer uma pessoa vendeu o seu carro e dá o dinheiro para igreja porque
que eles conseguem vender uma vassoura por r$ 1500 para Promessa de varrer todos os
males da sua casa que nós estamos na era da informação como é que um determinado
político consegue xingar todo mundo convencer as pessoas de que o ódio é melhor do que
a paz de que a Bárbara é melhor do que a civilização de que a arma é melhor do que o livro
alguma coisa tá errada né isso tem a ver com ele porque eu tô falando aqui é porque nós
temos muita informação mas pouca capacidade de discernimento pouca capacidade de
compreensão a informação Chega mas a pessoa não tem a capacidade de debulhar aquela
informação e de fazer uma leitura de fato daquela informação porque a leitura da
informação e na leitura que requer conhecimento da História da política da sociedade da
economia a pessoa teria que colocar aquela informação em debate em discussão em
análise e isso elas não tem o que a escola não deu a ela dessa capacidade elas não
conseguiam né mobilizar boa parte dessas pessoas elas não vão conseguir mobilizar um
conjunto de conhecimentos de ideias de pensamento de conceito comparar né coisa para
elas poderem fazer uma análise da informação então a informação se estabelece como
verdade com o pato o pato contado vira a realidade né quando não é Se nós formos se nós
fossemos avaliar realidade pelos fenômenos como nós olhamos a primeira vez um
pouquinho se apresento Nossa nós seríamos muito né tem tanta coisa que se apresenta
para as pessoas para nós como verdade né que nasce torto morre torto aí alguém desliga
isso para você ou para outras pessoas com quem vocês põe e nunca estudou psicologia
dizer a verdade mas aí você já estudaram dizer olha isso não se sustenta pela psicologia
porque a teoria histórico-cultural explica aí se esse isso mas para quem nunca estudou isso
só que nasce torto morre alguém chega de joia os negros são violentos para fazer onde tem
mais violência no país na favela e onde é que tá a maior parte dos negros O que é um
fenômeno na visão você não vem mas aí alguém estudou antropologia história de assim
não pera aí vamos analisar como se deu a construção da favela vamos analisar como se
constroem as relações sociais naquele espaço e a ausência do estado e como as milícias
violência o tráfico age na ausência do estado ou responde para aquelas pessoas com
soluções que o estado não conseguiu dar historicamente e tal e tal e tal mas isso não é
quem não a polícia não matou 22 25 pessoas tudo eram bandidos sua matou b****** e
pronto acabou aí chega alguém da área de direitos humanos e vai nada é como um amplo
debate vai dizer olha mesmo os que eram bandidos que nós formos fazer uma política de
Justiça dessa forma nós vamos para Bárbara porque nós avançamos e criamos parando os
leis que determinam o julgamento das pessoas e as pessoas têm a capacidade de
transformação o nosso caráter humano diz que nós podemos mudar nós somos seres
sociais em construção e outros vão dizer Olha nem todos mas vem aqui na favela não Só
tem bandidos na favela tem muita gente em Igna boa justa no tanto tá na favela pelo espaço
social que foi permitido faço a favela não é o espaço de arte tem mas esse debate ele é um
debate que requerem outras leituras então voltando né por isso que eu tô isso foi só uma
bendo 45 nós vamos longe que nós precisamos nos reunir para quando a gente
compreender o teu uma informação ela não ser uma informação simples para nós mas na
hora que a gente olha que vocês lerem no texto aquela informação vem um monte de
coisas na cabeça de vocês eu percebi aí eu não sei se a minha experiência particular vai
servir para vocês mas pode ser que se eu percebi que eu tava mudando meu jeito de
pensar e de conhecer que eu não estava mais lindo informação mas estava produzindo
conhecimento construindo um pensamento quando eu começar a ler os textos e parar
porque eu começar a pensar no monte de coisas cada frase que eu ia virar muita coisa na
minha cabeça eu anotar vocês escrever uma página de coisas a partir de matar porque ela
tava muito insights porque eu comecei a perceber que tu tinha já um conjunto de
conhecimento que me permite a lei aquela frase não mais como uma simples fácil não mas
como uma mera informação mas como uma frase que dizia muito da realidade muito das
relações dos processos sociais das esculturas de pensamento né então nós vamos Não se
preocupe assim nossa meu Deus do céu para ninguém Isso aqui é para começar a mexer
com a cabeça mais tarde inclusive ocorrido no mundo das experiências socialistas e muitas
das experiências socialistas não resultaram naquilo que se previa o que os teóricos que
imaginaram o que fizeram uma estrutura de produção a relação de produção socialista e
modo de produção socialista quando as experiências socialistas digamos as principais não
corresponderam a que imaginavam no outro autor se debruçou então novamente sobre o
estado e vai dizer a senhora experiências socialistas né caíram por terra que que acontece
com o estado que se fez novo no socialismo o estado que se constituiu no socialismo foi
diferente do Estado capitalismo ele ele agora sim vai mudar as relações de produção se
Marx estava certo se o modo de produção capitalista Mediado pela relação com a
capacidade desse próprio estado ou seja para ele o espaço o estado é um espaço de
quando em Ação das forças de pastores como explicar melhor para essa ideia de que para
Orante e poluentes vai dizer aqui a força ou poder não dizer assim o poder não pertencia a
burguesia não pertence à classe trabalhadora Entre si e constituem o poder que o Estado
tem o poder desta relação ou seja como essas classes se relacionam nós poderíamos usar
o exemplo por exemplo simples vamos tentar simplificar com todas as precauções dessa
simplificação o casal e tem um homem uma mulher e o marido exerce poder sobre a mulher
né o marido não tem poder ele não tem o poder na do homem a mulher também não tem
mas o tipo de relação que eles estabelecem entre si dar ou da o homem tem poder Por que
estabelece com a esposa uma relação de submissão dela é Dominação e ela exerce uma
relação de submissão mediada por uma estrutura histórica dessa relação deles mediada
pela estrutura histórica não só da relação deles mas da sociedade da história de vida dela
dele das questões econômicas da renda das pessoas psicológicas dos valores das
simbologias deu para ficar claro a burguesia e a classe trabalhadora reverse determinadas
formas de relação de classes que acabam dando o poder a burguesia e esse poder vai
sendo mediado por um conjunto de situações de condições e estrutura que essas classes
têm a estrutura econômica e financeira das classes a estrutura da ciência do conhecimento
da cultura as estruturas de papéis sociais histórico né da dominação histórico uma série de
aspectos que vão estruturando-se poder por isso que ele não quer olhar para o estado com
espaço em cima mas como uma relação social fruto próprio poder do estado não é dele é o
poder tirar dessa relação nós poderíamos dizer assim se nós a cada mulher mulher que
começa a trabalhar ganhar dinheiro se sente um pouco mais independente a casa da
mulher que começa estudar ganha conhecimento a cada mulher que começa a pertencer a
outro círculo Saci articular outras mulheres ela pode virar esse jogo a mesma coisa serve
para nós como Classe A cada nível de conhecimento que a classe trabalhadora avança
capacidade Nossa de se articular e como classe EA nossa capacidade também a
Econômica de reorganização né das condições também materiais de existência pode dar
condições a classe trabalhadora em determinados momentos e cozidos assumir o poder em
determinados momentos a gente consegue em algum ponto de algumas agências mais
poder do que o e muitos momentos a gente perde daí quando a gente junta tudo a gente
historicamente para Evelyn a gente que eu falo porque eu tô entendendo que aqui não tem
nenhum capitalista né Aqui não tem nenhum burguês todos da classe trabalhadora embora
todos se percebam como tal estamos vamos avançar que questões perguntas não eu vou
falando muito gente alguém te perguntar então nós vamos adiante a gente ainda está nessa
tarefa de conhecer o Estado por que isso Professor porque nós vamos precisar conhecer
bem o estado para estudar as políticas educacionais para a gente não digamos assim entrar
e interpretações equivocadas sobre as políticas para nós não sermos românticos as
políticas demais para nós também não sermos pessimistas demais para nós também não
cair nas armadilhas né que as próprias políticas criam para o que se não a gente se a gente
não se bate vão fazendo interpretações muito simplista e muitas vezes a gente pode luzir
como sujeito de direito brigar pela política errada ou defender a política que não é a política
que nos favorece por muitas vezes a gente está jogando no campo do adversário né Eu já
alunos no campo do adversário 500 no discurso da educação pobre para pobre toda vez
que eu assumo e descendo na educação pobre para o pobre eu tô jogando no campo do
outro nós temos que defender a educação de excelência para nós porque para nós nós
vamos querer - professora não deu muita aula mas estamos pobre professora sou
trabalhadora não tem tempo de leite mudar mas um texto menor esse tipo de
comportamento a gente só tem quando a gente não aprofundar o debate sobre a política
pelo contrário nós devemos é querer muito eu sempre digo com meus alunos eu não tenho
dúvida se me perguntar assim professora Castiga quem foram os melhores professores eu
fico com toda firmeza os rigorosos os rigorosos que exigiram de mim que me fizeram
estudar que tu garão de mim sempre me pediram mais mais que fizeram eu sempre
também buscar aqueles que ficaram no plano que eu já estava frio nem contribuiu Como
descubro eu sempre digo aos meus alunos que sabe quem me fez ser professor
universitário professor é problema nenhum A gente começa a defender coisas que são ruins
para nós como trabalhadora né e a gente aceita que dê menos para gente né Muitas vezes
os alunos fazem esse esse esse esse zequi ao longo da minha carreira eu convivo muito
com alunos se eles me contam muitas coisas né e eu tenho analisado o seguinte
professores que já vimos mais reclama são os que mais orientam mamografia aí eu fico tem
alguma coisa errada com os alunos reclamam do professor e depois do professor para
orientar monografia então os alunos também estão aí se equivocando em termos de
conhecimento lá que se for uma professora de prosa e vai fazer crítica do meu trabalho
então eu não quero a Crítica eu não quero crescer eu não quero superar né então a gente
vai precisando né avançar para poder a gente também saber e se diz sobre quando nós
queremos a educação mas vamos lá então vamos daqui essa última parte eu vou parar
bem aqui então voltando para aquela questão que a Carolina trouxe de peixe né que o
estado é o estado capitalista nessa primeira questão é entender que é o estado capitalista
para isso nós vamos discutir a natureza e o papel do estado hora que nós queremos
entender se o estado é que a Gi fazendo a política que assistir mal ele tem um papel mas
para entender o papel do estado eu tenho que entender primeiro a sua natureza porque o
papel do estado é decorrente da sua natureza né sua natureza o seu jeito de ser o seu ser
social né as formas de ser social que está então eu aqui basiei uma obra de um autor
chamado Farias professor da universidade é aposentado ele tem um lembrei-me que ele
chama né para entender o estado capital e eu tirei ele aqui muito baseado nessa obra dele
para gente compreender o que tá a primeira coisa que a gente vai precisar porque aprender
para olhar uma crise do estado capitalista é o silogismo do estado ou seja uma coisa que
decorre da outra né essa capacidade do Estado né de ser de ser social decorrente do
mundo é então o professor vai dizer que o estado é ao mesmo tempo a forma de estado a
forma de estado e a forma do a primeira coisa que ele vai dizer nós queremos compreender
ele tem a forma estatal e corresponde a generalidade do estado capitalista se diz respeito
ao modo de produção capitalista Ou seja a forma estado estado capitalista é a forma estado
capitalista o estado do Capital nesse sentido não há diferença entre o estado dos Estados
Unidos forma estados da sociedade estadunidense para brasileira alemã e inglesa todos
eles são estados capitalismo nesse sentido eles são comuns porque todos eles são um
estado que reflete e trabalha para a manutenção do modo de produção capitalista todos
esses estados são estados e se estruturam em conformidade com o estado com o modo de
produção capitalista ou seja ele é um estado primeiro onde uma classe de tem mais por
dentro do que a outra dentro da cidade ele é um estado que procura mede as contradições
do capitalismo ele é um estado que trabalha a favor dos capitalistas ele é um estado
estruturado em acordo com a estrutura de capital e são as relações de exploração sobre a
questão as relações de produção baseada no salário na renda na na troca da mercadoria
Então ressentido disse que a generalidade né então quando eu digo assim o estado
capitalista né se refere as formas estado a todos agora decorrente dessa forma o estado
existe a forma de estado que diz respeito a particularidade do regime de acumulação que é
determinada historicamente ou seja estamos dizendo que todo estado capitalista evolui um
tempo e vai se alterando para manter a forma estado ou seja a medida que a modo de
produção capitalista muda que mudam as formas de produzir o que o capitalismo avança o
estado também se altera na sua forma de status para poder ele se manter capitalista
imagina se o estado é capitalismo capitalismo muda a forma de funcionalismo estado não
mudar ele entraria em descompasso ele perderia a sua capacidade de ser essa Instância
que meio-dia as contradições do capitalismo e faz a mediação da claro isso para vocês se
fosse em forma de estado atual do capitalismo não é a mesma do século 14 15 16 não é a
forma de se produzir a mercadoria de se produzir a riqueza a forma das relações de
produção mudaram e o estado também mudou o estado mudou para poder manter o
capitalismo e a forma estado ele vai assumindo diferentes formas de estado conforme
evolui o capitalismo não é porque senão ele entraria em descompasso e isso daí é uma
conquista o estado estado capitalista estaria age contra tá ligado não tem problema desde
que come Aí presta atenção não tem problema a gente não aprende bem Tem gente que é
comendo fica melhor eu some eu fico irritada eu fico cansada Quando é que a gente gosta
de viajar quando eu digo assim no meio da viagem que a gente tá assistindo maior
monumento histórico que eu digo assim ai eu tô com fome ele acabou o passeio gente
assim eu já disse que tá com ela vai ficar irritada chata demais agora eu não vejo mais bem
mesmo nada quando eu tô com fome quero comer então vamos lá existe a forma do estado
que é o processo de acumulação determinado espacialmente ou seja a forma do Estado de
cada nação como cada nação organiza o seu estado e respeito muito as instituições do
Estado as formas embora a forma estado capitalista dos Estados Unidos e a do Brasil seja
a mesma a forma do estado brasileiro não é igual a do estado capitalista estrutura do nosso
Estado a forma de eleger os governos a forma de organização das instituições as leis são
diferentes a forma do Estado francês é muito diferente da nossa mas estamos organizado o
poder do estado da dividida em três esferas no nosso federal estadual Municipal Lá só tem
um nacional e acabou Estado unitário e estado federativo né a forma de organização dos
tribunais das instituições de eleição são diferentes da mão instituições são diferentes né
então a forma do estado é a forma como cada nação estrutura seu estado para quê para
executar as políticas e isso vai fazer diferença a gente pode então ter políticas de um jeito lá
na França porque as formas do Estado deles podem ser melhor para cultura deles para a
história dele para a sociedade do ele do que a nossa né talvez a nossa forma do estado
seja menos eficiente para nossa estrutura social né porque a dele né então ficou muito claro
né A primeira coisa é entender então o estado capitalista ele é um estado digamos assim do
ponto de vista do capital é uma informação mas ele se modifica na forma de Estado ao
longo da história e em cada no contexto de cada nação nesse sentido nós vamos perceber
que o estado vai ter um lugar enquanto modo de produção capitalista ou seja os capitalistas
vão se associar internacionalmente globalmente porque eles são são capitalismo daí a
gente vai entender porque um capitalista brasileiro vai preferir fazer uma cor do termo
negócio com país com Japão por exemplo do que fazer um acordo com Cuba a gente vai
entender porque que o capitalista nosso vai investir numa política né num acordo com outro
país capitalista do que investir também numa política no seu próprio país ele vai preferir
suportado que agendei aqui porque para além de ser brasileiro ele é capitalista sendo
capitalista os capitalistas constituem uma classe só no mundo assim como a classe
trabalhadora constitui uma classe só né mas por condições históricas estruturas pelas
relações voltando Aquela aquele exemplo do marido né eles os capitalistas podem ter mais
condições de se identificar e organizar globalmente do que nós classe trabalhadora aí
vamos lá depois o estado capitalista ele tem uma dada estrutura que define o governo e o
regime político é aquilo que nós postamos chamado de estado nação a estrutura do estado
de respeito primeiro a estrutura dos governos Quando que é que o governo o governo É o
comando dos órgãos do Estado o governo é a parte mais visível do estado e a parte dessa
ideia da distração do Estado a parte que a gente consegue melhor olhar é a parte que vou
ver se é que tá mais próxima da gente porque Nós escolhemos não há no país uma
democracia e não a democracia mas da Democracia burguesa não certo momento mas
vamos conseguir discutir isso então na estrutura a primeira parte da estrutura de um
estado-nação é o seu governo a segunda o seu regime político vai determinar em larga
escala a forma de organização do governo se é uma democracia ou se é uma monarquia é
um império uma ditadura como diz o autor na sociedade moderna sociedades capitalistas
em geral constituem democracia mas não constituem democracia ator nós vamos aos
poucos vão perceber que a democracia foi uma necessidade da estruturação do estado
capitalista a democracia foi uma estratégia da burguesia para ascender ao poder e para se
manter no poder adesivo nunca hesitou da Democracia porque a democracia está na base
do Pilar de estruturação do capitalismo e da ideologia do capitalismo que é a ideologia
Liberal a ideologia que deu e que dá sustentação ao capitalismo que é o liberalismo vocês
estudaram esse filosofia pensamento liberal o liberalismo foi o pensamento da burguesia ou
a ideologia que a burguesia converteu em ciência em teorias de explicação do mundo para
acender e para manter o seu poder que ela vai só Renault novo o neoliberalismo que é a
ideologia a qual estado capitalista nada mais é do que uma renovação então importante da
natureza do estado para a gente entender a natureza do estado é o caráter fetichista digitar
né que é essa falsa aparência do Estado E se expressa da melhor forma de dar aparelho de
legitimação do estado ou seja esse conceito de fetichismo é um conceito marxista que
Marcos vai aplicar a economia né vai aplicar mercadoria ele vai dizer que a mercadoria Tem
um caráter fetichista da mercadoria de determinados valores que na definição do valor de
um produto que tal seu caráter fetichista Ou seja é digamos assim característica
representada

do capital

Você também pode gostar