Você está na página 1de 25

Ciência dos

Materiais –
Aula 1
Daniel O. Tasaico
Eng. Mecânico, M.Sc. Engenharia
Ambiental

ALPINE SKI HOUSE 1


As propriedades dos materiais dependem da sua estrutura interna.

ALPINE SKI HOUSE 2


ALPINE SKI HOUSE 3
Solução sólida é um sólido constituído por
dois ou mais elementos dispersos
atomicamente numa única fase.

ALPINE SKI HOUSE 4


ALPINE SKI HOUSE 5
ALPINE SKI HOUSE 6
DIFUSÃO
É o mecanismo pelo qual massa é
transferida no interior de um sólido
específico (geralmente em um nível
microscópico) ou a partir de um
líquido, de um gás ou de uma outra
fase sólida. É o fenômeno de
transporte de material através do
movimento dos átomos.

ALPINE SKI HOUSE 7


ALPINE SKI HOUSE 8
ALPINE SKI HOUSE 9
Par de difusão
(Interdifusão)

ALPINE SKI HOUSE 10


Mecanismos da Difusão

• De uma perspectiva atômica, a difusão e tão somente a migração em etapas dos átomos de um
sitio para outro do retículo cristalino.
• Para que o átomo possa mover de posição deve acontecer:
• A existência de um sitio adjacente vazio.
• O átomo deve possuir energia suficiente para quebrar as ligações atômicas que o une aos seus átomos
vizinhos e então causar alguma distorção na rede cristalina durante o deslocamento. Esta energia é de
natureza vibracional. Esta energia vibracional será expressa em cal/mol ou J/mol.

ALPINE SKI HOUSE 11


Difusão por Lacuna

• É a realizada na presença de lacunas (lugares vazios). A extensão da difusão depende da


abrangência das lacunas.
• Autodifusão e interdifusão acontecem por este mecanismo.

ALPINE SKI HOUSE 12


Difusão Intersticial

• Átomos migram de uma posição intersticial para uma outra vizinha que esteja vazia. É o mecanismo
encontrado para a interdifusão de impurezas tais como hidrogênio, carbono, nitrogênio e oxigênio,
que possuem átomos pequenos o suficiente para se encaixarem no interior das posições
intersticiais.

ALPINE SKI HOUSE 13


• Na maioria das ligas metálicas, a difusão intersticial ocorre muito mais rapidamente do que a
difusão por lacunas, uma vez que os átomos intersticiais são menores, e dessa forma são também
mais móveis. Além disso, existem mais posições intersticiais vazias do que lacunas.

ALPINE SKI HOUSE 14


Difusão em Estado Estacionário

• A difusão é um processo que depende do tempo. Estamos interessados em saber o quão rápido
ocorre a difusão, ou seja, a taxa de transferência de massa.
• Essa taxa é expressa como um fluxo de difusão (J), definido como sendo a massa (ou, de forma
equivalente, o número de átomos) M que está em difusão através e perpendicularmente a uma
área unitária de seção reta do sólido por unidade de tempo.
𝑀
𝐽=
𝐴𝑡
Em forma diferencial:
1 𝑑𝑀
𝐽=
𝐴 𝑑𝑡
Unidades: kg/m2.s ou átomos/m2.s

ALPINE SKI HOUSE 15


• No estado estacionário J permanece constante ao longo do tempo.
• Exemplo: difusão dos átomos de um gás através de uma placa metálica para a qual as
concentrações (ou pressões) do componente em difusão em ambas as superfícies da placa são
mantidas constantes.

ALPINE SKI HOUSE 16


Perfil de
concentração

Gradiente de concentração:
𝑑𝐶
𝑑𝑥

ALPINE SKI HOUSE 17


No caso considerado, o perfil de concentração é
linear, e

∆𝐶 𝐶𝐴 −𝐶𝐵
Gradiente de concentração = =
∆𝑥 𝑥𝐴 −𝑥𝐵

As vezes torna-se conveniente expressar a


concentração em termos da massa do
componente em difusão por unidade de
volume do sólido (kg/m3 ou g/cm3).

ALPINE SKI HOUSE 18


No estado estacionário, a difusão ao longo de uma única direção (x) é
relativamente simples, pelo fato de o fluxo ser proporcional ao
gradiente de concentração, de acordo com a expressão

𝑑𝐶
𝐽 = −𝐷 Primeira Lei de Fick
𝑑𝑥

D: coeficiente de difusão, e é expressa em m2/s.

ALPINE SKI HOUSE 19


Exemplo 1

• Uma placa de ferro é exposta a uma atmosfera carbonetante (rica em carbono) por um de seus lados, e a uma atmosfera
tiescarbonetante (deficiente em carbono) pelo outro lado, a 700℃ (1300℉). Se uma condição de estado estacionário é
atingida, calcule o fluxo de difusão do carbono através da placa, sabendo-se que as concentrações de carbono nas posições
a 5 e a 10 mm (5x10-3 e 10-2 m) abaixo da superfície carbonetante são de 1,2 e 0,8 kg/m3, respectivamente. Suponha um
coeficiente de difusão de 3 x 10-11 m2/s

ALPINE SKI HOUSE 20


Exemplo 2

• Purificação do Hidrogênio. Uma mistura gasosa contendo H2, N2, O2 e vapor d´água é pressurizada
contra uma lâmina de 6 mm de espessura de Paládio cuja área é 0,25 m2 a 600℃. O coeficiente de
difusão é DH/Pd(600℃) = 1,7𝑥10−8 𝑚2 𝑠 e a concentração no lado da placa de alta e baixa
pressão é respectivamente 2,0 e 0,4 KgH2/m3Pd a difusão acontece em estado estacionário. H2 é
purificado por difundir-se mais rapidamente que os demais gases, atingindo a outra face da lâmina
que está mantida sob pressão atmosférica. Calcular o fluxo de difusão de H2 (purificação) em kg/h.

ALPINE SKI HOUSE 21


Ementa

• Difusão no estado sólido.


• Diagramas de fases; Diagrama Fe – C.
• Transformações de fases em metais.
• Alterações microestruturais e das propriedades das ligas Fe – C.
• Diagramas de transformação isotérmica.
• Processamentos térmicos das ligas ferrosas.
• Processamentos termoquímicos das ligas ferrosas.
• Falha dos materiais.
• Ligas não ferrosas.
ALPINE SKI HOUSE 22
Bibliografia Básica

• CALLISTER JR., W. D.; RETHWISCH, D. G. Ciência e Engenharia de Materiais - Uma Introdução, 9ª


edição. LTC, 07/2016. Disponível em:
<https://integrada.minhabiblioteca.com.br/books/9788521632375>.
• ASKELAND, D. R; WRIGHT, W. J. Ciência e engenharia dos materiais. Tradução da 3ª edição norte-
americana, 2 ed. São Paulo: CENGAGE LEARNING, 2014. Disponível em:
<https://integrada.minhabiblioteca.com.br/books/9788522118014>..
• GARCIA, A.; SPIM, J. A.; SANTOS, C. Ensaios dos Materiais, 2ª edição. LTC, 04/2012. Disponível em:
<https://integrada.minhabiblioteca.com.br/books/978-85-216-2114-0>.

ALPINE SKI HOUSE 23


Bibliografia Complementar

• NEWELL, J. Fundamentos da Moderna Engenharia e Ciência dos Materiais. LTC, 07/2010. Disponível
em: <https://integrada.minhabiblioteca.com.br/books/978-85-216-2490-5>.
• GERE, J. M. Mecânica dos materiais. São Paulo: PIONEIRA THOMSON LEARNING, 2003. 698 p.
• SMITH, W. F.; HASHEMI, J. Fundamentos de Engenharia e Ciência dos Materiais. AMGH, 01/2012.
Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/books/9788580551150
• CHIAVERINI, V. Tecnologia mecânica. 2. ed. São Paulo: MAKRON BOOKS, 1986. V. 1. 266 p.
• CHIAVERINI, V. Tecnologia mecânica. 2. ed. São Paulo: MAKRON BOOKS, 1986. V. 3. 388 p.

ALPINE SKI HOUSE 24


MUITO
OBRIGADO
Daniel O. Tasaico

Daniel.Tasaico@fsjb.edu.br

ALPINE SKI HOUSE

Você também pode gostar