Você está na página 1de 41

A Carga Elétrica

Prof. Marcelo Vidalis

FADEP

9 de agosto de 2016

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 1 / 41


Introdução

Introdução

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 2 / 41


Introdução

Introdução

Para entendermos a evolução tecnológica do século passado,


precisamos entender os materiais magnéticos e eletrônicos.
A resposta consiste em responder a seguinte pergunta:
Do que as coisas são feitas?

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 3 / 41


Carga Elétrica

Carga Elétrica

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 4 / 41


Carga Elétrica

Carga Elétrica

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 5 / 41


Carga Elétrica

ÂMBAR

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 6 / 41


Carga Elétrica

Carga Elétrica

A carga elétrica é uma propriedade da matéria, da mesma forma que


a massa.
As cargas elétricas elementares são constituı́das, em nı́vel atômico,
pelos elétrons e pelos prótons que formam os átomos.
Os elétrons e os prótons contêm cargas de sinais opostos e de mesmo
módulo, sendo a carga do elétron negativa e a do próton positiva.
O nêutron, como o próprio nome sugere, não possui carga elétrica.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 7 / 41


Carga Elétrica

O Átomo

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 8 / 41


Carga Elétrica

O Átomo

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 9 / 41


Carga Elétrica

O Átomo

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 10 / 41


Carga Elétrica

O Átomo

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 11 / 41


Carga Elétrica

O Átomo

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 12 / 41


Carga Elétrica

Conservação da Carga Elétrica

Um princı́pio muito importante da Fı́sica como um todo é o de


conservação de alguma propriedade/valor.
Como a carga elétrica é uma propriedade da matéria, logo ela deve se
conservar:
A carga total, num sistema isolado, em qualquer instante,
nunca varia.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 13 / 41


Carga Elétrica

Quantização Carga Elétrica

A experiência de Milikan, entre outras, demonstrou que a carga


elétrica aparece na natureza em múltiplos inteiros de um único valor
unitário e.
O valor de e é um valor constante, tal que:

e = 1, 609 × 10−19 C . (1)

A unidade da carga no SI é o coulomb[C ].


Dessa forma, podemos escrever uma equação para a carga elétrica Q,
segundo a quantização da carga, tal que:

Q = ne, (2)

onde n = 0, ±1, ±2, ±3, ....

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 14 / 41


Carga Elétrica

Partı́culas e suas cargas

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 15 / 41


Carga Elétrica

Problemas Resolvidos

1- Determine a quantidade de carga elétrica associada a 500 elétrons.


2- Determine a quantidade de carga elétrica de um corpo formado por um
mol de ı́ons de fosfato (cada ı́on de fosfato possui 3 elétrons em excesso!).
3- Um ı́on de bário possui 56 prótons, 76 nêutrons e 54 elétrons.
Determine a quantidade de carga elétrica desse ı́on.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 16 / 41


Propriedades Elétricas dos Materiais

Propriedades Elétricas dos


Materiais

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 17 / 41


Propriedades Elétricas dos Materiais

Propriedades Elétricas dos Materiais

Os materiais existentes podem ser divididos em dois grandes grupos


quanto à mobilidade dos portadores de cargas elétricas no seu interior:
condutores e isolantes.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 18 / 41


Propriedades Elétricas dos Materiais

Isolantes

Para os isolantes, ou ainda dielétricos, as cargas elétricas não se


movem facilmente.
Exemplos de isolantes são:
borracha,
vidro,
plástico,
água destilada,
etc...

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 19 / 41


Propriedades Elétricas dos Materiais

Condutores

Para os condutores, ao contrário dos isolantes, as cargas elétricas têm


uma grande mobilidade.
Por causa disso, é muito fácil transferir cargas para corpos isolantes
através de um processo de atrito, chamado de eletrização por atrito
(triboeletrização).
Mas é difı́cil transferir cargas se o corpo for condutor, pois a carga
transferida é muito móvel e acaba por retornar ao corpo de onde saiu.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 20 / 41


Propriedades Elétricas dos Materiais

Condutores

Com a avanço da Fı́sica do Estado Sólido, outro tipo de material


apareceu.
Tais materiais são chamados de semicondutores, como, por exemplo,
o silı́cio e o germânio, e eles tem propriedades intermediárias entre as
de isolante e de condutor.
Os condutores são metais em geral.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 21 / 41


Propriedades Elétricas dos Materiais

Existem Outros Materiais?

Estudamos nossa vida inteira que os materiais elétricos são ou


condutores, ou isolantes.
Quanto estudamos o eletromagnetismo percebemos que os materiais
podem ser divididos, ou seja, podem pertencer a outras classes
distintas, que dependerão do fenômeno fı́sico ao qual foram dispostas.
Essas ”novas classes”de materiais serão os materiais
semicondutores, os materiais magnéticos e os materiais
supercondutores.
O estudo destes materiais se dá pela aplicabilidade em optoeletrônica
dos mesmos!

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 22 / 41


Corrente Elétrica

Corrente Elétrica

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 23 / 41


Corrente Elétrica

Corrente Elétrica

Dizemos que existe uma corrente elétrica quando portadores de


cargas elétricas (positivos e/ou negativos) se movimentam numa
direção preferencial em relação às demais.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 24 / 41


Corrente Elétrica

Exemplo

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 25 / 41


Corrente Elétrica

Exemplo

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 26 / 41


Corrente Elétrica

Corrente Elétrica
No estudo da corrente elétrica, dizemos que sua direção é a mesma
da dos portadores de cargas elétricas, sejam positivos ou negativos.
Com relação ao sentido, adotamos o sentido convencional: o sentido
da corrente elétrica é o mesmo do movimento dos portadores de
cargas elétricas positivas ou, por outro lado, sentido contrário ao do
movimento dos portadores de cargas elétricas negativas.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 27 / 41


Corrente Elétrica

Corrente Elétrica

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 28 / 41


Intensidade da Corrente Elétrica

Intensidade da Corrente
Elétrica

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 29 / 41


Intensidade da Corrente Elétrica

Intensidade da Corrente Elétrica

Indicando por ∆Q a carga total, em valor absoluto, que atravessa a


superfı́cie (S) do condutor, no intervalo de tempo ∆t, definimos
intensidade média de corrente elétrica (im ), nesse intervalo de tempo,
pela relação:

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 30 / 41


Intensidade da Corrente Elétrica

Intensidade da Corrente Elétrica

A intensidade de corrente elétrica (i ) é uma grandeza escalar que


fornece o fluxo de portadores de cargas elétricas, através de uma
superfı́cie, por unidade de tempo.
A unidade de intensidade de corrente elétrica no Sistema
Internacional é o ampère (A).

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 31 / 41


Intensidade da Corrente Elétrica

Intensidade da Corrente Elétrica

É muito frequente a utilização de submúltiplos do ampère (A):

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 32 / 41


Gráfico i × t

Gráfico i × t

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 33 / 41


Gráfico i × t

Gráfico i × t
Quando a intensidade de corrente elétrica (i ) varia com o tempo, é
costume apresentarmos o seu comportamento através de um
diagrama horário: i × t.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 34 / 41


Gráfico i × t

Gráfico i × t
Nesses casos, para obtermos a intensidade média de corrente elétrica
(im ), devemos, inicialmente, determinar a carga elétrica total (∆Q)
correspondente ao intervalo de tempo de nosso interesse.
A carga elétrica total (∆Q) é dada, numericamente, pela área sob a
curva entre os instantes t1 e t2 , conforme mostrado na figura a seguir.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 35 / 41


Gráfico i × t

Gráfico i × t

Segue que a intensidade média de corrente elétrica é:

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 36 / 41


Gráfico i × t

Circuito Elétrico Básico

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 37 / 41


Exemplos

Exemplos

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 38 / 41


Exemplos

Exemplo 1
1- Determinar a intensidade média de corrente elétrica no intervalo de
tempo de 0 a 4,0 s, conforme o gráfico abaixo.

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 39 / 41


Exemplos

Exemplo 2
2- Na figura abaixo, suponhamos que 1 × 1020 ı́ons de sulfato e 2 × 1020
ı́ons de hidroxônio se movimentem por segundo. Determinar a intensidade
da corrente elétrica no interior da solução aquosa de ácido sulfúrico
(H2 SO4 ).

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 40 / 41


Exemplos

Fim

Prof. Marcelo Vidalis (FADEP) A Carga Elétrica 9 de agosto de 2016 41 / 41

Você também pode gostar