Você está na página 1de 2

Exercício –Bioestatítica

Nome: Heloísa Santini Gomes

Nomear a tabela e preenche-la de acordo com as variáveis abaixo.


Após descrever os resultados da tabela.

Tabela 2. Prevalência de excesso de peso nos estudantes da Universidade de


Caxias do Sul, Rio Grande do Sul.

Variável n (%) Prevalência de P Valor


excesso de peso (%)
Idade 0,03
20 a 29 anos 12,9
30 a 39 anos 34,5
40 a 49 anos 26,3
≥ 50 anos 33,3
Sexo 0,15
Feminino 17,5
Masculino 29,6
Etnia 0,28
Branca 18,5
Negra 42,9
Parda 20,0
Hábito de Fumar 0,54
Não 19,3
Sim 28,6
Alimentação 0,32
Saudável
Sim 17,8
Não 25,0
Insônia 0,51
Não 20,5
Sim 13,3
Atividade Física 0,87
Regular
Sim 20,3
Não 19,3
Saúde Referida 0,008
Razoável 50,0
Boa 30,0
Muito boa 14,7
Ótima 12,1

A partir do estudo da tabela é possível afirmar que apenas a idade e a saúde


referida possuí nível de significância quanto a prevalência do excesso de peso nos
estudantes da Universidade de Caxias do Sul.
É perceptível que o excesso de peso associado a idade é menor na faixa etária
mais jovem, de 20 a 29 anos, e maior nas faixas de 30 a 39 e igual ou superior a
50, ambas faixas etárias com percentual bastante próximo. A faixa de 40 a 49 está
entre esses dois grupos, sendo maior que os estudantes de 20 a 29 anos e menos
que os de 30 a 39 e igual ou maior que 50 anos.
Ainda, pode-se apontar que o excess de peso é inversamente proporcinal com o
estado de saúde referida, uma vez que é maior nos indivíduos que possuém saúde
referida razoável e gradativamente menor nos indivíduos que responderam que
sua saúde é boa, muito boa ou ótima.

Você também pode gostar