Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE

FACULDADE DE ENGENHARIA
Departamento de Engenharia Mecânica
Curso: Engenharia Mecânica
Disciplina: Motores térmicos

TPC-01
Combustão

Discente: Docentes:
Calane, Abdul Remane Hagy Prof. Dr. Eng.º Jorge Nhambiu

Engo Vicente Chirrime

Maputo, Março de 2020


Enunciado do problema

Dado o combustível Metanol com a fórmula química 𝐶𝐻3 𝑂𝐻 determinar:

a) A quantidade de ar quimicamente correcta para a combustãoo deste combustível;

b) A relação ar – combustível estequiométrica;

c) Calcule e apresente em forma de tabela os valores das emissões de Monóxido de


Carbono, Dióxido de Carbono, Água, Nitrogénio e Oxigénio para valores de
coeficiente de excesso de ar de 0.8, 0.9, 1, 1.1, e 1.2.

Resolução problema

a) Como trata-se de uma equação quimicamente correcta então os produtos de


combustão serão dióxido de carbono, nitrogênio e água, então basta acertar a equação
tem-se:

3 3
𝐶𝐻3 𝑂𝐻 + 2 𝑂2 + (3.76)𝑁2 → 𝐶𝑂2 + 2𝐻2 𝑂 + 5.64𝑁2
2

Como o ar é maioritariamente constituído de oxigênio e nitrogênio então a massa de ar é


dada por:

𝑚𝑎𝑟 = (1.5 + 5.64) ∗ 29 = 𝟐𝟎𝟕. 𝟎𝟔 𝑲𝒈𝒂𝒓

b) Calculo da relação estequiométrica de ar-combustível


𝑚𝑎𝑟 207.06
𝑅𝐴𝐶𝑠 = 𝑚 = 1×12+4×1+1×16
𝑐𝑜𝑚𝑏

𝑲𝒈𝒂𝒓
𝑅𝐴𝐶𝑠 = 𝟔. 𝟒𝟕 𝑲𝒈
𝒄𝒐𝒎𝒃

c) Determinação das emissões, primeiro deve se determinar as quantidades


quimicamente correcta de oxigênio e mínima de oxigênio.
𝑀𝐻 𝑀𝑂 4 1
𝑌𝐶𝐶 = MC + - =1+4-2
4 2
𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒂𝒓
𝑌𝐶𝐶 = 1.5 [𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒖𝒔𝒕𝒊𝒗𝒆𝒍]

𝑀𝐶−𝑀𝑂 𝑀𝐻 𝑀𝐶
𝑌𝑚𝑖𝑛 = + = 𝑌𝑐𝑐 −
2 4 2

1
𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒐𝒙𝒊𝒈𝒆𝒏𝒊𝒐
𝑌𝑚𝑖𝑛 = 1.5-0.5= 1 [𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒖𝒔𝒕𝒊𝒗𝒆𝒍]

Y = λ× 𝒀𝑪𝑪 (a)

Determinação das emissões para cada coeficiente de excesso de ar

Para coificiente de excesso de ar (λ = 0.8)


𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒂𝒓
Substituindo na equação (a): Y = 0.8×1.5 = 1.2 [𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒖𝒔𝒕𝒊𝒗𝒆𝒍]

Como: 𝒀𝒎𝒊𝒏 ≤ 𝒀 ≤ 𝒀𝑪𝑪


N1= 2(𝑌𝐶𝐶 – Y) = 2(1.5– 1.2) = 0.60

N2= (Y - 𝑌𝑚𝑖𝑛 ) = (1.2 – 1) = 0.20

𝑀𝐻 4
N3= = 3 = 1.33
3

N4= 3.7613Y = 3.76×1.2 = 4.51

N5= 0

Para coificiente de excesso de ar (λ = 0.9)


𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒂𝒓
Substituindo na equação (a): Y =0.9×1.5 = 1.35 [𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒖𝒔𝒕𝒊𝒗𝒆𝒍]

Como: 𝑌𝑚𝑖𝑛 ≤ 𝑌 ≤ 𝑌𝐶𝐶


N1= 2(𝑌𝐶𝐶 – Y) = 2(1.5– 1.35) = 0.30
N2= (Y - 𝑌𝑚𝑖𝑛 ) = (1.35 – 1) = 0.35
𝑀𝐻 4
N3= = 3 = 1.33
3

N4= 3.7613Y = 3.76×1.35= 5.08


N5= 0
Para coificiente de excesso de ar (λ = 1)
𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒂𝒓
Substituindo na equação (a): Y = 1×1.5 = 1.5 [𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒖𝒔𝒕𝒊𝒗𝒆𝒍]

Como: 𝑌𝑚𝑖𝑛 ≤ 𝑌 ≤ 𝑌𝐶𝐶


N1= 2(𝑌𝐶𝐶 – Y) = 2(1.5– 1.5) = 0
N2= (Y - 𝑌𝑚𝑖𝑛 ) = (1.5 – 1) = 0.50
𝑀𝐻 4
N3= = 3 = 1.33
3

N4= 3.7613Y = 3.76×1.5 = 5.64

2
N5= 0
Para coificiente de excesso de ar (λ = 1.1)
𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒂𝒓
Substituindo na equação (a): Y = 1.1× 1.5 = 1.65 [𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒖𝒔𝒕𝒊𝒗𝒆𝒍]

Como: 𝑌 > 𝑌𝐶𝐶


N1 = 0
N2= MC = 1.00
𝑀𝐻 4
N3 = = 2 = 2.00
2

N4= 3.7613Y = 3.76×1.65= 6.20


N5= Y - 𝑌𝐶𝐶 = 1.65 – 1.5 = 0.15
Para coificiente de excesso de ar (λ = 1.2)
𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒂𝒓
Substituindo na equação (a): Y = 1.2× 1.5 = 1.8 [ ]
𝒎𝒐𝒍𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒖𝒔𝒕𝒊𝒗𝒆𝒍

Como: 𝑌 > 𝑌𝐶𝐶


N1 = 0
N2= MC = 1.00
𝑀𝐻 4
N3 = = 2 = 2.00
2

N4= 3.7613Y = 3.76×1.8= 6.80


N5= Y - 𝑌𝐶𝐶 = 1.8 – 1.5 = 0.30

λ N1 N2 N3 N4 N5
0.8 0.60 0.20 1.33 4.51 0
0.9 0.30 0.35 1.33 5.08 0
1 0 0.50 1.33 5.64 0
1.1 0 1.00 2.00 6.20 0.15
1.2 0 1.00 2.00 6.80 0.30

TABELA 1: valores das emissões em função do coeficiente de excesso de ar


Onde:
N1- representa o número de moles de monóxido de carbono (CO);
N2- representa o número de moles de dióxido de carbono (CO2);
N3- representa o número de moles de água (H2O);
N4- representa o número de moles de nitrogénio (N2);

3
N5- representa o número de moles de oxigénio (O2).

Gráficos das emissões em função do coeficiente de excesso de ar

CO
0.7

0.6

0.5

0.4
N1

0.3

0.2

0.1

0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1 1.2 1.4
-0.1
λ

Gráfico 1: Emissão do Monóxido de Carbono

CO2

1.2

0.8

0.6
N2

0.4

0.2

0
0 0.2 0.4 0.6 λ 0.8 1 1.2 1.4

Gráfico 2: Emissão do Dióxido de Carbono

4
H2O
2.5

1.5
N3

0.5

0
0 0.2 0.4 0.6 0.8 1 1.2 1.4
λ

Gráfico 3: Emissão da Água

N2
8
7
6
5
N4

4
3
2
1
0
0 0.2 0.4 0.6 λ 0.8 1 1.2 1.4

Gráfico 4: Emissão do Nitrogénio

O2
0.35
0.3
0.25
0.2
N5

0.15
0.1
0.05
0
-0.05 0 0.2 0.4 0.6 0.8 1 1.2 1.4
λ

Gráfico 5: Emissão do Oxigénio

5
Conclusões
 Emissão da água: quando a mistura tem coeficiente de excesso de ar (λ>1), isto é

pobre há maior emissão de água em relação a mistura rica (λ<1) e estequiométrica

(λ=1). A emissão de água nas misturas rica e estequiométrica é igual;

 Emissão do monóxido de carbono: Numa mistura rica (λ<1), quanto menor for o
valor do coeficiente de excesso de ar, maior será o valor da emissão de monóxido
de carbono pois o combustível carece de oxigênio. A emissão de monóxido de
carbono nas misturas rica e estequiométrica é aproximadamente nula;
 Emissão do dióxido de carbono: sempre aumenta com o aumento do coeficiente
de excesso do ar;
 Emissão de nitrogénio aparente: aumenta com o aumento do coeficiente de
excesso de ar, pois, quanto maior for a quantidade de ar na mistura, maior será a
quantidade de nitrogénio aparente pois que ele é inerte;
 Emissão de oxigénio: aumenta com o aumento do coeficiente de excesso de ar
porém, na mistura estequiométrica e rica todo o oxigênio é consumido, o que
implica que a sua emissão é nula nessas misturas.

Você também pode gostar