Você está na página 1de 36

QUAL O MELHOR LANÇAMENTO

ESTRUTURAL?

AQUELE QUE ATENDER UMA DETERMINADA


HIERARQUIA DE REQUISITOS DE DESEMPENHO
A FORMA MAIS LÓGICA (CAMINHO
NATURAL) DAS CARGAS GRAVITACIONAIS
LAJES VIGAS PILARES

MAS, O “LANÇAMENTO” DAS VIGAS EM


PRIMEIRO LUGAR É MAIS NATURAL

VIA DE REGRA AS VIGAS DEFINEM O


CONTORNO DAS LAJES E A
POSIÇÃO DOS PILARES
LANÇAMENTO E
PRÉ-
DIMENSIONAMENTO
PLANTA BAIXA DO PAVIMENTO TIPO DE UM
EDIFÍCIO RESIDENCIAL DE QUATRO PAVIMENTOS
SOLUÇÃO INICIAL CONSIDERANDO AS
RECOMENDAÇÕES
SOLUÇÃO INICIAL
PODE SER
MELHORADA
EXISTEM ALGUNS PILARES E VIGAS
QUE PODEM SER ELIMINADOS
CRIANDO UMA VIGA SUPORTE DAS
PAREDES ENTRE OS DORMITÓRIOS E
ENTRE A ESCADA E O CORREDOR

ESSA VIGA TERIA A FUNÇÃO DE REDUZIR A


LAJE DA SALA
LANÇANDO UMA VIGA DE APOIO DA PAREDE
ENTRE A SALA E OS COMPARTIMENTOS (ESCADA,
COZINHA E ÁREA DE SERVIÇO)

E OUTRA SIMETRICAMENTE ENTRE OS DORMITÓRIOS E OS


COMPARTIMENTOS (BANHO E ESCADA)
PARA EVITAR QUE A LAJE TENHA O MENOR VÃO (Lx > 4m)
E SUPORTE TRÊS PAREDES

LANÇAREMOS UMA VIGA SUPORTE DA PAREDE DO


CORREDOR-BANHO-COZINHA
OPÇÃO PELO NÃO LANÇAMENTO DE UMA VIGA ENTRE COZINHA E
BANHEIRO (NORMALMENTE PASSAGEM DE TUBULAÇÕES).
LEMBRANDO QUE NÃO EXISTE UMA
ÚNICA SOLUÇÃO

SOLUÇÃO FINAL “A” SOLUÇÃO FINAL “B”


SOLUÇÃO FINAL ADOTADA
PRÉ-DIMENSIONAMENTO ORIENTA O
DESENHO DAS ESTRUTURAS NO
PROJETO ARQUITETÔNICO!
ENTRETANTO, AS DIMENSÕES
ADOTADAS NO PROJETO DE
ARQUITETURA DAS EDIFICAÇÕES
DEVEM SER VERIFICADAS DE ACORDO
COM OS MÉTODOS E PROCEDIMENTOS
DO CÁLCULO ESTRUTURAL
PILARES
PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE PILARES
PILAR: P6 = P7

Ai = [(3,9 / 2) + (4,7 / 2)] x [(4,4 / 2) + (5,55 / 2)] = 21,39 m2


CÁLCULO DA CARGA NO NÍVEL DA
FUNDAÇÃO: IGUAL A SOMA DAS CARGAS
EM 4 PAVIMENTOS (3 TIPOS E TELHADO)
ADOTANDO UMA CARGA DE 12 kN/m2
EDIFÍCIO RESIDENCIAL(*)

(*) 10 kN/m2 PARA EDIFÍCIO COMERCIAL

NTOTAL = 21,39 x 4 x 12 = 1026,72 kN


ADOTANDO UMA TENSÃO DE COMPRESSÃO:
fck = 25 Mpa (2,5 kN/cm2)

POSIÇÃO DO PILAR NO PAVIMENTO?


Pilares internos: β = 1,4
Pilares nas bordas: β = 1,5
Pilares nos cantos: β =1,6

CÁLCULO DA TENSÃO DE REFERÊNCIA?


σref = fck/β = 2,5/1,4 = 1,786 kN/cm2

LOGO, A ÁREA NECESSÁRIA DO PILAR SERÁ:


AC = 1026,72 / 1,786 = 574,87 cm2

PILAR RETANGULAR: 20 x 30 (AC = 600 cm2)


ESBELTEZ - λ
PÉ-DIREITO DOS PAVIMENTOS = 3,1 m = DISTÂNCIA ENTRE EIXO DE VIGAS

l = 3,1 m (310 cm) = le


b = menor largura da seção do pilar = 20 cm
Para seção circular: λ =
4 x le
b
3,46 x le 3,46 x 310
Para seção retangular: λ = = = 53,6
b 20

CONCLUSÃO...

PILAR DE ESBELTEZ MÉDIA, POIS: 35 < λ ≤ 90


LAJES
PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE LAJES

ESPESSURAS DAS LAJES:


L1 E L5 ?
CRITÉRIO 1

L1: Lx = 3,9 ≤ 4 → h = 8 cm
L5: Lx = 3,9 ≤ 4 → h = 8 cm
CRITÉRIO 3

d = (2,5 - 0,1n) L*/100


h=d+3
L*= menor dos valores:
Lx ou 0,7Ly
L1 (CASO 2A): L* → Lx = 390 OU 0,7Ly = 0,7x440 = 308 cm

d = (2,5 - 0,1x1) 308/100 = 7,4 → h = 7,4 + 3 = 10,4 → h = 10 cm


L5 (CASO 3): L* → Lx = 390 OU 0,7Ly = 0,7X555 = 389 cm

d = (2,5 - 0,1x2) 389/100 = 8,9 → h = 8,9 + 3 = 11,9 → h = 12 cm


CONCLUSÃO
CONSIDERANDO QUE O
CONSUMO DAS LAJES É DE 50%
DO VOLUME TOTAL DA
ESTRUTURA, ADOTAREMOS
h = 8 cm
VIGAS
PRÉ-DIMENSIONAMENTO DE VIGAS

VIGAS: V1 e V7 ?
CRITÉRIO 1

L0 /h = 10 → h = L0 /10 ; L0 = L

V1: h = 390/10 = 39 → h = 40 cm
b = h/3 = 40/3 = 13,33 → b = 12 cm
V1: 12x40
L0 /h = 10 → h = L0 /10 ; L0 = 0,9L

V7: h = 0,9x555/10 = 49,9 → h = 50 cm


b = h/3 = 50/3 = 16,67 → b = 15 cm
V7: 15x50
CRITÉRIO 2
CÁLCULO DAS REAÇÕES DE APOIO (ax, ay, ey)
(LAJE L1 NAS VIGAS V1, V4, V7 e V8)

L1(CASO 2A)→ Ly/Lx = 440/390 = 1,13 ...1,15


Apoio simples: ax = αx.Q.Lx = 0,210 x 12 x 3,9 =
9,83 kN/m em V7 e V8
Apoio simples: ay = αy.Q.Lx = 0,288 x 12 x 3,9 =
13,48 kN/m na V1
Apoio engastado: ey = εy.Q.Lx = 0,422x12x 3,9=
19,75 kN/m na V4
CÁLCULO DAS REAÇÕES DE APOIO (ax, ay, ex, ey)
(LAJE L5 NAS VIGAS V4, V6, V7 e V8

L5(CASO 3)→ Ly/Lx = 555/390 = 1,42 ...1,40


Apoio simples: ax = αx.Q.Lx = 0,278x12x3,9 =
13,01 kN/m na V7
Apoio simples: ay = αy.Q.Lx = 0,217 x 12 x 3,9 =
10,16 kN/m na V6
Apoio engastado: ex = εx.Q.Lx = 0,408x12x 3,9=
19,09 kN/m na V8
Apoio engastado: ey = εy.Q.Lx = 0,317x12x 3,9=
14,84 kN/m na V4
COM OS CARREGAMENTOS SOBRE AS VIGAS É POSSÍVEL
ENCONTRAR O D.M.F. DAS VIGAS (APÊNDICES H e I)
VIGA V1 ISOSTÁTICA BIAPOIADA
VIGA V7 É CONTÍNUA DE DOIS TRAMOS

D.M.F.
COM OS MOMENTOS FLETORES E OS APÊNDICES L e M

V1

M = 25,63 kN.m → VIGA: 12x30


(M = 37 kN.m - fck: 25 Mpa)

V7

M = 50,09 kN.m → VIGA: 12x40


(M = 68,85 kN.m - fck: 25 Mpa)
OU → VIGA: 20x30
(M = 61,71 kN.m - fck: 25 Mpa)
VÁRIAS DECISÕES DEVEM SER TOMADAS!
O CRITÉRIO 2 DETERMINA DIMENSÕES
MAIS PRÓXIMAS DAQUELAS OBTIDAS NO
PROJETO DE ESTRUTURA DA EDIFICAÇÃO!

O QUE FAZER?
VALE A PENA ASSUMIR UMA DIMENSÃO TÃO
MAIOR DO AQUELA QUE VAI ACONTECER
NO PROJETO ESTRUTURAL E NA
CONSTRUÇÃO DO EDIFÍCIO?

Você também pode gostar