Você está na página 1de 8

LIBERDADE DE EXPRESSÃO E SUAS PREVISÕES CONSTITUCIONAIS

Desde o inicio da sociedade, e da convivência civilizada, uma das maiores


conquistas do homem certamente é a capacidade de comunicar-se com o grupo a
qual pertence. Com isso a humanidade sempre busca meios mais eficazes, para
expressar suas vontades, opiniões e até mesmo sentimentos.

O direito à liberdade de expressão garante a qualquer indivíduo a


possibilidade de se manifestar, de buscar e receber informações e idéias de todos
os tipos, independentemente da intervenção de terceiros. Isto pode ocorrer
oralmente, de forma escrita, através da arte ou de qualquer meio de comunicação.

Na historia da civilização, o ser humano já lutou pela liberdade de expressar-


se, como exemplo, nos tempos da ditadura, e dos regimes totalitários onde sempre
havia a ausência de liberdade de expressão. Porem hoje em dia a maioria das
sociedades ocidentais orgulha-se da liberdade dos seus cidadãos para exprimir uma
grande diversidade de opiniões e de estes intervirem nos debates públicos sem
receio de censura.

Na atualidade, temos como direito preservado e previsto na constituição


brasileira a liberdade de expressão. Alem de direito garantido, também temos vários
caminhos e diversas maneiras para que seja possibilitada a concretização desse
direito. Como exemplo os meios de comunicação tradicionais como o radio, os
jornais impressos e a televisão. Sendo que ultimamente com o desenvolvimento
tecnológico, temos a disposição de sites, blogs e inovações como o twitter, que
engloba e informa mais pessoas com mais rapidez e facilidade.

O desejo de liberdade é um sentimento profundo do ser humano. Situações


como: a escolha da profissão, o casamento e o compromisso político ou religioso,
fazem o homem enfrentar a si mesmo e exigem dele uma decisão responsável
quanto a seu próprio futuro.

A capacidade de raciocinar e de valorizar de forma inteligente o mundo que o


rodeia, é o que confere ao homem o sentido da liberdade entendida como plena
expressão da vontade humana.
Teorias filosóficas e políticas, de todos os tempos, tentaram definir liberdade
quanto a determinações de tipo biológico, psicológico, econômico, social etc. As
concepções sobre essas determinações, nas diversas culturas e épocas históricas,
tornam difícil definir com precisão a idéia de liberdade de uma forma generalizada.

Do ponto de vista legal, o indivíduo é livre quando a sociedade não lhe impõe
nenhum limite injusto, desnecessário ou absurdo. Uma sociedade livre dá condições
para que seus membros desfrutem, igualmente, da mesma liberdade. Em 1948, a
Assembléia Geral das Nações Unidas adotou a Declaração Universal dos Direitos
Humanos, que engloba os direitos e liberdade que a Organização das Nações
Unidas (ONU) considera que devam ser os objetivos de todas as nações

Com a facilidade de comunicação e de publicação de ideais e opiniões,


conseqüentemente, haverá casos de danos a integridade moral ou a outro direito de
um outro individuo . Para isso que há limites legais sobre o que se pode publicar ou
dizer, isto é, quando ocorre algum abuso de direito provavelmente haverá punição.

CENSURA NO BRASIL

No momento em que o Brasil passava pelo auge da ditadura, foi criado o


Conselho Superior de Censura, baseado no modelo norte-americano de 1939. O
conselho servia para centralizar e coordenar as ações dos escritórios de censura
espalhados pelo país. Também foram criados tribunais de censura, com a finalidade
de julgar rapidamente órgãos de comunicações que burlassem a ordem
estabelecida, com seu fechamento imediato em caso de necessidade institucional.

Porem nos dias de hoje, o que é previsto na Constituição Federal Brasileira de


1988, é a inconstitucionalidade da censura.

Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a


informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer
restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 1º - Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à
plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de
comunicação social, observado o disposto no art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e


artística.

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer


natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à
propriedade, nos termos seguintes:

(...)
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da
indenização por dano material, moral ou à imagem;
(…)
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das
pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral
decorrente de sua violação; (…)”

LIBERDADE DE EXPRESSÃO X INTEGRIDADE MORAL E A IMAGEM

Como já foi dito, a liberdade de expressão não pode sofrer nenhum tipo de
proibição, porem a vinculação de algumas publicações podem agravar em danos
morais e a imagem, como o racismo, injuria, calunia, difamação entre outros. O que
é comum principalmente em sites de relacionamento como foi o caso do acórdão em
questão.

Todos tem direito de expressar-se, porem em um âmbito geral de liberdade


algumas ações podem ser consideradas crimes, como por exemplo o racismo ou a
apologia ao nazismo, que é o ato de promover ou praticar sob qualquer argumento
ou meio as idéias propagadas pelo partido nazista. Como exemplo o que aconteceu
em uma festa dos estudantes de psicologia da Universidade Federal do Rio de
Janeiro (UFRJ), no Clube Israelita Brasileiro, em Copacabana, em que ocorreu que
um jovem ficou exibindo de forma debochada uma tatuagem nazista que havia feito
na coxa esquerda, em atitude anti-semita. Sendo os principios nazistas contrários a
lei caracteriza crime sem direito a fiança. Este enquadramento é dado pelo artigo n.
20, parágrafos 1 e 2, da Lei n. 7716 de 5 de janeiro de 1989. Mas o que isso quer
dizer? Simplesmente que tais atos ou fomas de expressão são ilegais por abranger
crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça cor, etnia, religião ou
procedência nacional o que com certeza e de acordo com nossa boa legislação
brasileira é caso de abuso da liberdade de expressão sendo considerado crime.¹

¹ site_http://www.allrox.com.br/wordpress/tag/crime/

A Liberdade de Expressão é um Direito Fundamental do cidadão, assegurado


no artigo 5º inciso IX, da Constituição Federal Brasileira, ela garante o pleno respeito
e principalmente é uma forma de assegurar os outros direitos fundamentais, pois
como poderiam existir outros direitos sem termos a liberdade de usá-los livremente?

Devemos lembrar que a liberdade de uma pessoa termina quando incia


o direito de outro indivíduo, sendo assim, devemos portanto deixar exposto aos
limites legítimos em contraponto aqueles que caracterizam abuso de poder e
ilegalidade. Sendo que, quando um indivíduo abusa ou exagera no uso de seu
direito à livre expressão podemos dizer que ele feriu um outro direito fundamental de
outro indivíduo, podendo este pedir indenização por danos ao direito lesado, mas
deixemos este caso para tratarmos mais adiante para passarmos a diagnosticar
alguns limites em um âmbito geral da liberdade tais limites estão elencados no artigo
5º da nossa Constituição (CF) são: a vedação do anonimato, o direito de resposta, o
direito a ações indenizatórias, o direito à honra e à privacidade.

1. Vedação do anonimato (art. 5º, IV): Tem como significado que qualquer um
pode expressar os seus pensamentos, no entanto, não poderá fazer isso de
forma oculta (anônima), logo, é obrigatória ao autor do pensamento a sua
identificação.

2. Direito de resposta (art 5º, V): Assim, constitui-se como direito que assiste a
toda pessoa, física ou jurídica, objeto de uma notícia publicada por um órgão
de comunicação social, de ver difundido gratuitamente um desmentido, uma
defesa ou uma retificação de informações nela contidas.
3. Direito a ações indenizatórias(art 5º, V): Trata- se da ação na qual o autor
reclama indenização, alegando, entre outras lesões a direitos, danos morais
causados em decorrência de declarações caluniosas por parte dos agentes.

4. Direito a honra e a privacidade (art. 5º, X):

*honra: é o conjunto de qualidades que caracterizam a dignidade da pessoa,


o respeito dos concidadãos, o bom nome, a reputação

*Privacidade: seria o direito que a pessoa tem de ser deixado tranqüilo, em


paz, de estar só.

Num regime democrático esses limites decorrem da necessidade de


compatibilizar o direito à liberdade de expressão com outros direitos
reconhecidos pela lei, chamados “Direitos de Personalidade” (honra e bom
nome, privacidade, etc) o direito à integridade física e psicológica, a
segurança publica e etc. Em outras palavras, a Liberdade de Expressão é
mesmo um principio fundamental do Estado de Direito, mas os seu exercício
encontra limites em outros princípios igualmente fundamentais, que foi o
assunto em quentão no caso concreto da ação da qual é a base do trabalho
(em anexo).

Tendo ultrapassado estes limites o individuo deve assumir as consequências,


pois se tem a liberdade de realizar atos e expressar através deles sua opinião deve
também assumir as consequências ou resultados de dos mesmos.

Podemos também considerar mais alguns aspectos de limites a liberdade e


assuntos ligados a ela são eles:

•A Liberdade de Expressão não pode ser limitada de forma arbitrária pelas


autoridades;

•A restrição deve ser fundamentada em princípios internacionais que preveem casos


nos quais a restrição à liberdade de expressão será legitima.

•A restrição deve estar relacionada a objetivos legítimos, listados na lei, como


preservação da privacidade, segurança nacional, segurança publica ou individual,
eficiência e integridade dos processos de tomada de decisão de governo e etc.
•A informação sujeita a restrição deve causar graves prejuízos aos objetivos
expostos na lei.

•O prejuízo ao objetivo em questão deve ser maior do o interesse publico em ter a


informação divulgada, ou seja, mesmo que a informação se enquadre nos princípios
anteriores, ela deve ser aberta ao publico se os benefícios dessa publicação forem
superiores aos prejuízos.

•A restrição deve ser não descriminatória, ou seja, as autoridades não podem fazer
uso das restrições para silenciar um grupo politico ou social.

A liberdade de expressão deve ser orientada para o bem, e não, para a


banalização de conceitos. Devemos preservar o respeito e a dignidade de outrem.
Ela deve ser utilizada como fonte de orientação, informação, contribuição para o
bem comum e para a educação, e não, para a degradação, isto é, a liberdade de
expressão deve respeitar os limites éticos, morais, sociais e familiares, deixando de
lado, e não confundindo com a imoralidade, palavras de baixo calão, ou qualquer
forma e pensamento destrutivo de conceitos como o respeito, a dignidade humana,
as opções das pessoas, não tornando, portanto, um meio prejudicial e danoso.³

³AMATO, Alessandra. Os limites da liberdade de expressão:


site_www.investidura.com.br

Em sintese , mesmo com a liberdade de pensamentos, nem sempre podemos


colocar em prática esses pensamentos. Seria um atentado contra as regras do
Direito. Podemos até falar, mas, não podemos, nunca, fazer o que falamos. Se
assim fosse possível, quantas vezes teriam matado o nosso Ilustríssimo Presidente?
Ou quantas bombas teriam jogado no Palácio do Governo? Nesse caso, temos,
somente, a liberdade de opinião, mas nunca a liberdade de ação.

DA INDENIZAÇÃO PELO DIREITO VIOLADO

É necessário demonstrar a responsabilidade dos danos causados por


excessos de uma conduta não favorável à liberdade através do chamado “principio
do dano” de Stuart Mill, de acordo com o qual o Estado só deve interferir na vida das
pessoas para evitar que se cause dano a outra pessoa. A aplicação desse principio
permite supostamente traçar uma fronteira entre a liberdade de expressão e o seu
abuso.

Como já citamos, o uso inadequado da Liberdade de Expressão pode


acarretar uma indenização por parte do lesado, Segundo a doutrina, os critérios
mais utilizados para fixação do quantum indenizatório de danos morais decorrentes
de abuso na liberdade são:

a) a atenção aos danos sofridos pela vitima, uma vez que há


indenização destina-se a compensa-los;

b) a finalidade de desestimulo da repetição do ato danoso, por meio da


punição do ofensor – também considerada função preventiva;

c)a observação do grau de culpa ou intenção do ofensor;

d) situação economia do ofensor e da vitima.

Não é necessário a comprovação de que a vitima sofreu dor, espanto,


emoção, aflição, desgosto, injúria ou outra sensação ruim para a configuração de
dano moral. Pois o Direito não deve averiguar este plano de efeitos,mas sim,
averiguar se ouve violação à igualdade, integridade psicofísica, a liberdade ou a
solidadriedade, os quatros princípio que contém o substrato material da dignidade da
pessoa humana, segundo conceitua a doutrina.

É ressabido que o direito de personalidade jamais é restituído, integralmente


em razão de sua violação ter caráter extramatrimonial; contudo, a indenização em
dinheiro é capaz de compensar a lesão sofrida dentro das possibilidades do
ordenamento jurídico.

BREVE ANALISE DO CASO CONCRETO

(acórdão n° 659.245-2 (em anexo) )

A fundamentação da pessoa lesada foi ressaltar que a personalidade do ser


humano é formada por um conjunto de valores que compõem o seu patrimônio,
podendo ser objeto de lesões, em decorrência de atos ilícitos. A constatação da
existência de um patrimônio moral e a necessidade de sua reparação, na hipótese
de dano, constituem marco importante no processo evolutivo das civilizações.
Existem circunstâncias em que o ato lesivo afeta a personalidade do indivíduo, sua
honra, sua integridade psíquica, seu bem-estar íntimo, suas virtudes, enfim,
causando-lhe mal-estar ou uma indisposição de natureza espiritual. Sendo assim, a
reparação, em tais casos, reside no pagamento de uma soma pecuniária, arbitrada
pelo consenso do juiz, que possibilite ao lesado uma satisfação compensatória da
sua dor íntima, compensa os dissabores sofridos pela vítima, em virtude da ação
ilícita do lesionador.

Tendo o Sr. DENNISON DE OLIVEIRA abusado do seu direito a livre expressão,


acabou por acarretar um processo contra ele por parte da Srª AIDA ADNAN SAD
QADDOMI (professora), oportunidade em que busca a indenização pelo direito
fundamental lesado, em contraposto o ofensor tendo perdido a causa entrou com
recurso que no caso foi indeferido o pedido do mesmo. Há que se ressaltar que os
direitos fundamentais não tem conteúdo patrimonial sendo assim, tal indenização
visa apenas diminuir como já discorremos, o prejuizo causado.

Apesar de alguns indivíduos utilizarem de mau uso, a liberdade de


pensamento é essencial à mente humana. Ainda são inexistentes os meios de se
impor normas ao pensamento humano. Entretanto, a manifestação dos
pensamentos sempre foi condicionada e, não raras vezes, punida.

Em fim é triste a memória recente do Brasil e de outros países que viveram


os horrores da ditadura no tocante à censura e às proibições tocantes à liberdade de
manifestação de pensamento. As previsões da Carta de 1988 visam a eliminar tais
realidades do cenário da sociedade brasileira. Mas quando um outro direito é lesado
pelo uso da liberade de pensamento o dever de indenizar é indispensável e
realmente necessário como todos as outras penalidade tendo como intuito
primeiramente de se fazer justiça e em um segundo âmbito para que se estabeleça
o dever de obediência a ordem que se é imposta.

“Liberdade significa responsabilidade é por isso que muita gente tem


medo dela!”

Você também pode gostar