Você está na página 1de 7

QUAL A VISÃO DA ESCOLA EM RELAÇÃO A INTEGRAÇÃO DA

FAMÍLIA NO AMBIENTE ESCOLAR


Acadêmicas
Cristiane Hanzel Flores de Almeida
Fernanda Albuquerque Gil
Janete Alves Xavier de Souza

Tutor Externo
Valquiria Pereira

Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI


Licenciatura em Pedagogia - Prática Interdisciplinar: Escola e Sociedade (PED100)
Turma: PED4315

RESUMO

O presente trabalho tem por objetivo caracterizar os principais pontos para apresentação dos
trabalhos científicos para os cursos da UNIASSELVI. Um elemento obrigatório do trabalho
científico e o primeiro item a ser visualizado é o resumo, que deve ser montado somente após o
desenvolvimento do trabalho, pois explicita a essência do trabalho e das ideias do autor e é através
deste que se motivará aos leitores a leitura do trabalho na íntegra. Os itens indispensáveis para
compor o resumo são: o tema a ser tratado, os objetivos, as referências teóricas que apoiaram a
construção do trabalho, a metodologia adotada, os resultados e as conclusões. Para esta etapa,
portanto, deve-se construir um resumo de, no máximo, 250 palavras, composto de um único
parágrafo, sem recuo na primeira linha. Use fonte Times New Roman, espacejamento simples,
alinhado à esquerda, tamanho 12, itálico.

Palavras-chave: Artigo científico. Normatização. NBR-6022.

1. INTRODUÇÃO

A introdução é a apresentação inicial do trabalho e possibilita uma visão global do assunto a


ser tratado (contextualização), com definição clara do tema e dos limites do estudo do problema e
dos objetivos a serem estudados. É uma etapa importante em que se deve esclarecer ao leitor sobre
o que trata o texto. Segundo Perovano (2016, p. 57), “a introdução da pesquisa corresponde ao
alicerce, à porta de entrada, à vitrine de uma investigação científica, sendo considerada em alguns
momentos o marketing de uma investigação científica”.
A partir desta explanação, este trabalho levanta o seguinte problema: como os cursos
ofertados pela UNIASSELVI, focalizando-se em aspectos estruturais e de formatação de artigos
científicos, podem instruir, de modo eficiente, a formatação dos trabalhos de seus acadêmicos no
EAD?
A introdução, para os trabalhos da UNIASSELVI, poderá ser construída ocupando cerca de
uma página do trabalho completo.

Quando falamos em Educação, diversos aspectos se articulam, se fundem e se confundem, pois


evidentemente a Educação envolve várias problemáticas. Em vista disso, o presente trabalho teve
como enfoque levantar uma discussão e reflexão de como é a visão da escola em relação a
integração da família no ambiente escolar? Como se dá a influência da família? A família se
1 Nome dos acadêmicos
2 Nome do Professor tutor externo
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI - Curso (Código da Turma) – Prática do Módulo I - dd/mm/aa
2

envolve com a escola? E a escola se envolve com a família? De que forma pode ocorrer a
participação dos pais na escola? Que benefícios essa participação poderia trazer?
Assim desse modo, podemos dizer que não há educação se não houver a integração entre escola-
família, pois ambas mesmo desempenhando papéis distintos tem que caminharem juntas e ter o
mesmo propósito que é garantir uma qualidade educacional a criança sempre considerando os
padrões relacionais e os aspectos culturais, cognitivos, afetivos, sociais e históricos que estão
presentes.
Com essa concepção, queremos enfatizar que o processo de construção do desenvolvimento de
inter-relações entre escola e família, é um caminho longo, em que as partes envolvidas devem ser
perseverantes de maneira a reconhecer suas peculiaridades e também similaridades, em prol da
construção do desenvolvimento humano nas sociedades.

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O presente trabalho tem o intuito de colaborar com a discussão e reflexão em torno da questão inter-
relações família e escola, em que se entende que a participação da família no contexto escolar é de
suma importância. Como também nos fazer compreender e analisar quais são os fatores que
contribuem e influenciam nessa participação que, de certa forma irá repercutir na criança.
Com base em nossas pesquisas, em referência ao tema aqui abordado percebeu-se primeiramente
que a família e escola são ambientes de desenvolvimento e aprendizagem humana, portanto há uma
necessidade maior de evidenciar a compreensão desses dois contextos.
No ambiente familiar é que ocorrem as primeiras experiências educativas, normas, hábitos e padrão
cultural que estão associados, fazendo com que o papel dos pais seja o emotivo.
Já no ambiente escolar é que ocorre a socialização do conhecimento, o desenvolvimento das
potencialidades físicas, cognitivas e afetivas do aluno. Fazendo com que o papel da escola seja de
atuar na formação dos indivíduos para que se tornem cidadãos capazes tanto para desenvolverem
suas qualidades como o de exercer a sua cidadania.
Outra questão, é apontar a importância da participação dos pais na vida educacional do estudante,
pois mesmo que os pais não tenham um nível de instrução elevado, ou um bom poder aquisitivo que
permita investimento na educação (ex.: aquisição de livros), é imprescindível o envolvimento dos
pais em aspectos como: acompanhar as tarefas e trabalhos escolares, verificar se o filho fez as
atividades propostas pelo professor, estabelecer horário de estudo, procurar saber sobre matérias e
provas, orientar e apoiar o estudante quanto a aprendizagem, participar de reuniões e atividades na
escola relacionadas a criança.
Esses aspectos devem ganhar um maior enfoque, visto que atualmente índices de evasão e
repetência escolar (principalmente em escolas públicas), aumentaram significativamente. Como
também, muitos pais não acompanham a vida escolar de seus filhos, e o trabalho é um dos motivos
mais apontado.
Ademais, apontamos a importância da escola em um todo, pois ela tem como objetivo central o
ensino-aprendizagem, através dos conteúdos curriculares que asseguram o entendimento dos
conhecimentos, além disso é um ambiente multicultural em que agrega educandos com realidades
diversas, sejam de classes sociais, configurações familiares, discriminação racial, orientação sexual,
de cultura e costumes, língua materna, alunos com deficiência, e outros.
Compreende-se então que a escola com tantas multiplicidades deve ser um local de excelência
capaz de criar e recriar, ver e rever, fazer e refazer, definir e redefinir afim de oportunizar o
desempenho e desenvolvimento do aluno nas questões cognitivas, afetivas e sociais. Com isso, ela
tem como papel preparar professores, pais e alunos, a viverem e superarem as dificuldades em um
mundo de mudanças rápidas e de conflitos interpessoais.
Ainda em relação a escola, damos ênfase ao Planejamento de Atividades Escolares, pois cabe à
escola, gestores, colaboradores e, especialmente, aos professores estabelecerem caminhos que
3

aproximem às famílias ao ensino dedicado aos seus filhos. É preciso que os professores influenciem
os pais a vivenciarem a escola, a participarem de eventos e reuniões, além de orientá-los a possíveis
planos de ação diante do processo educativo.
A fundamentação teórica consiste em realizar uma revisão dos trabalhos já existentes sobre
o tema abordado, identificando o grau de importância e a estrutura conceitual (PEROVANO, 2016).
De acordo com Perovano (2016), a revisão permite a identificação de questões e temas, bem como a
verificação de assuntos ainda não pesquisados.
No caso de citação direta curta, o fragmento não excederá três linhas.

(ESTEVES, 2004, p. 24) “Os Pais e a escola são parceiros fundamentais no desenvolvimento de ações que favoreceram
o sucesso escolar e social das crianças, formando uma equipe.”

Quando a quantidade exceder a três linhas, tem-se uma citação direta longa e deve ser
referenciada como no exemplo citado a seguir.

A participação dos pais depende, antes de qualquer coisa da relação que estes mesmos
pais têm com o conhecimento. Pais que valorizam a formação cientificam e cultural tendem
a influenciar positivamente a relação estabelecida entre os filhos e o processo de
aprendizagem. A participação ativa do processo educacional indica esse interesse. Quando
os pais se aproximam dos conteúdos aprendidos na escola e demonstram interesse, essa
atitude reflete diretamente no comportamento dos filhos. (FERRARI,2016).

Utilizaremos a definição de citações indiretas para exemplificar a ocorrência no texto. Será


reproduzido o trecho que define citação indireta e após será parafraseado a fim de prover exemplo
desta técnica.

Segundo Freire (1996), entendemos que a escola, na atualidade, exerce um papel de suma importância para o
desenvolvimento da subjetividade e início de socialização do cidadão enquanto criança. Portanto, faz-se necessária a
socialização desse cidadão afim de que o mesmo satisfaça suas necessidades, tenha consciência de si e dos outros em
sociedade, que aprenda a desenvolver o senso crítico e respeite valores éticos, morais e culturais do meio em que vive.

3. MATERIAIS E MÉTODOS

Na construção de um artigo científico, a etapa referente à descrição dos materiais e métodos


de pesquisa utilizados assume grande importância, pois quando esta etapa está bem escrita, o
restante do trabalho será compreendido com mais facilidade. Esta etapa deve conter o detalhamento
do trabalho, de forma que outros pesquisadores possam replicar a mesma pesquisa que fora feita.
Segundo Ferreira (2011), ao elaborar a seção materiais e métodos, faça uma descrição
detalhada de cada um deles, explicando as razões que o levaram a concebê-los, modificá-los e
empregá-los. O autor destaca ainda que o aspecto mais importante neste item é proporcionar a
quantidade adequada de informações sobre como a pesquisa foi conduzida.
Desta forma, ao iniciar esta seção, deve-se primeiro apresentar os procedimentos
metodológicos utilizados no decorrer da pesquisa, na sequência, apresente os critérios para a
escolha dos participantes e/ou os materiais utilizados, por fim, descreva a sequência de etapas
realizadas na condução da pesquisa, mencionando como os dados foram levantados e tabulados para
análise.
4

Em seu estudo, Cervo, Bervian e Silva (2006) expõem que o método científico apresenta a
observação, a descrição, a comparação, a análise, a síntese, além dos processos mentais de dedução
e da indução, comuns a todo tipo de investigação (qualitativa, quantitativa ou mista).
Após a escolha da pesquisa, é necessário determinar alguns itens que oferecem suporte para
a conclusão do estudo, assim, descreva o local da pesquisa (cidade, bairro, estado, grupos, região,
vegetação etc.). Continuando, descreva como você obterá estas informações, por meio de entrevista,
conversas, questionários, estudos de caso, entre outros. Estes são considerados os instrumentos que
indicam as técnicas a serem utilizadas no momento da coleta dos dados (CERVO; BERVIAN;
SILVA, 2006).
De posse da amostra e da obtenção dos dados, é necessário definir o período em que a
pesquisa ocorrerá (dia, mês, ano), como ocorrerá (meio eletrônico, meio físico etc.), por fim, quais
as ferramentas utilizadas para esta coleta de dados e para a análise das informações obtidas
(software).
Para Cervo, Bervian e Silva (2006, p. 67):

Todas as informações reunidas nos passos anteriores devem ser comparadas entre si e
analisadas. A análise, a partir da classificação ordenada dos dados, do confronto dos
resultados das tabelas e das provas estatísticas, quando empregadas, procura verificar a
comprovação ou não das hipóteses de estudo.

Dando continuidade ao estudo, não se esqueça de utilizar, descrever e detalhar os gráficos,


tabelas, figuras, registros fotográficos, textos, maquetes, croquis que você tenha feito uso durante a
realização desta atividade.
Como forma de facilitar o desenvolvimento de sua atividade, aproveite o momento para
realizar esta pesquisa em locais de fácil acesso a você (rua, comunidade, escola, bairro, vila, entre
outros). Procure por circunstâncias ou situações reais em que o uso do conhecimento científico
possa prover alguma melhoria ou facilidade.
Importante evidenciar sua participação nesta etapa, tanto pela autoria do material, quanto
pela evidência por meio de registro fotográfico.

O material utilizado para elaboração do trabalho aqui apresentado foi baseado em materiais
bibliográficos encontrados na internet em torno de levamento de informações e conhecimentos
adquiridos através dos trabalhos científicos, artigos, vídeos do youtube relacionados a educação. E,
também como complemento, foi utilizada a troca de vivências entre as componentes do grupo.
Com o material coletado, foram levantadas problemáticas e soluções em cima do tema abordado,
em que a relação família e escola ainda é muito frágil. Observamos que tal relação é complexa. E
para entender, é imprescindível saber o papel que cada uma das duas exercem na formação de um
indivíduo. A questão da contemporaneidade, das mudanças sociais, entre outros fatores também
foram aspectos de reflexão.
Enfatizamos aqui que os vídeos assistidos ajudaram a impulsionar o nosso entendimento e nos
levaram a refletir que há muito o que fazer pela integração escola e família.
Demos como enfoque a ideologia e os métodos aplicados em uma Escola Adventista no Uruguai em
que é demonstrada a vivência dos alunos na escola, como ocorre a integração desses alunos,
professores e funcionários e, de que como os pais participam na escola.
5

4. RESULTADOS E DISCUSSÃO

Neste campo, faça o relato de suas observações após a análise dos elementos elencados na
Fundamentação Teórica descrita anteriormente neste documento. Utilize a teoria abordada na
Introdução e Fundamentação Teórica para justificar os seus achados e descreva de que maneira os
dados encontrados contribuem para ampliar o conhecimento obtido nos materiais consultados.

Como toda experiência de estudo e pesquisa, este trabalho nos proporcionou aprendizados desde a
sua construção até o término de sua realização. A leitura dos materiais apurados despertou-nos o
conhecimento sobre o tema abordado, como também o interesse sobre a ideologia dos autores
citados.
Afirmou-se que a relação da família com a escola é imprescindível, pois de acordo com Esteves
(2004) os pais e a escola são instituições fundamentais no desenvolvimento de ações que promovem
o sucesso escolar e social das crianças. Ou seja, a família atua como espaço de orientação,
construção da identidade de um indivíduo que quando se torna parceira da escola, faz com que
ambas contribuam no desenvolvimento integral da criança e do adolescente. Já a escola como
detentora do conhecimento científico deve fornecer e promover nessa relação, todo seu
conhecimento de forma que esse esforço leve em consideração os aspectos particulares da situação
social e cultural do momento, e que influenciam de forma decisiva o equilíbrio familiar.
Como prova de tal importância desta interação entre ambas a metodologia aplicada na Escola
Adventista do Uruguai, citada neste trabalho, é um exemplo de sucesso, onde através da
participação das famílias na vida escolar das crianças, obteve-se uma melhora considerável na
aprendizagem e comportamento.
Para Freire (1996), a escola, na atualidade, exerce um papel de suma importância na socialização do
cidadão enquanto criança, no desenvolvimento do conhecimento social e das capacidades
cognitivas. Nesse sentido, Freire enfoca a importância da escola na formação do indivíduo. Pois ela
além de ser a detentora dos conhecimentos, métodos e técnicas de ensino, deve mover a
socialização desse cidadão afim de que o mesmo satisfaça suas necessidades, tenha consciência de
si e dos outros em sociedade, que aprenda a desenvolver o senso crítico e respeite valores éticos,
morais e culturais do meio família em que vive.
Em vista disso, encontramos em nossas pesquisas bibliográficas muitas descritivas a respeito do
assunto, como no artigo da Revista Saberes Docentes, aonde afirmam a importância do papel da
escola na sociedade.
Além disso, também destacamos aqui outras questões que observamos na pesquisa e que ficaram
evidenciadas como:
Fazer com que os pais participem ativamente da rotina escolar ainda é um grande desafio, pois a
escola sente falta da presença dos pais no ambiente escolar.
Hoje temos pais atarefados, com grandes dificuldades de irem até a escola e acompanhar o dia a dia
escolar devido a correria do dia-a-dia.
É fundamental para aprendizagem e desenvolvimento dos alunos, Projetos Políticos Pedagógicos
que visem a participação da família na escola, criando momentos para que os pais se aproximem da
instituição, de seus colaboradores, dos pais de outras crianças, possibilitando a troca de experiências
entre famílias. Feira de Ciências, Campeonato Esportivo, Noite Temática, Apresentações Artísticas,
Festas Comemorativas, são bons exemplos a serem desenvolvidos.
O aspecto família e suas configurações passaram a ser algo a ser refletido pois provocam
transformações nas relações e no processo de desenvolvimento do indivíduo. Hoje as famílias não
seguem mais um padrão tradicional. Seus membros são variáveis em aspectos biológicos, sociais e
culturais. Atualmente vemos perfis de famílias em que coabitam padrastos, irmãos não biológicos,
pais homossexuais, etc.
6

Questões como a evasão escolar, ocorrem por necessidade de trabalhar, gravidez na adolescência,
falta de moradia, problemas familiares e até envolvimento com o crime são outros aspectos a
considerar.

5. CONCLUSÃO

Para produzir a conclusão, deve-se retomar os objetivos elencados no início do trabalho,


pois é importante que cada objetivo traçado tenha sido atendido, assim como pode ser apresentada
uma síntese dos resultados. Veja aqui duas formas para compor a conclusão de seu trabalho:

Com base na pesquisa feita, é imprescindível à participação da família no processo de educação


junto a escola, pois o trabalho mútuo possibilitará a formação de cidadãos críticos, reflexivos e
dotados de potencialidades e habilidades, que saibam conviver em sociedade, conseguindo
apresentar seu posicionamento em relação às adversidades que encontrarem.
Com esse proposto, as escolas tem o dever de promover a conexão com as famílias e responsáveis,
deixando-os cientes do processo pedagógico, além de garantir a participação dos responsáveis na
definição das propostas educacionais. A legislação também estabelece às famílias o dever de
promover e incentivar a educação a seus filhos, assistindo-os no que for necessário, uma vez que a
educação cabe aos pais e responsáveis.
Portanto, concluímos que partindo do princípio de que pais e professores compartilham a
responsabilidade do processo educativo das crianças, é preciso superar a questão que gera tantos
conflitos no que se refere a transferência de responsabilidades, que por vezes acaba por distanciar a
escola do núcleo familiar, porque indiscutivelmente é a integração escola-família que irão auxiliar
a promover uma parceria saudável a fim de possibilitar o pleno desenvolvimento das crianças em
fase escolar.

Na parte final das conclusões, é interessante apontar possíveis aprofundamentos sobre o


tema estudado, bem como possíveis interações com outros temas, abordagens metodológicas,
materiais, aplicações e sugerir ao leitor do seu trabalho possíveis encaminhamentos para pesquisas
futuras. Exemplifica-se a sugestão de realização de pesquisas futuras com a indicação de realização
de estudo bibliométrico sobre os trabalhos publicados na JOIA e na Revista Maiêutica.
A partir da estrutura básica deste trabalho, permite-se aos acadêmicos da UNIASSELVI
desenvolver seus artigos científicos com mais discernimento sobre estrutura básica cobrada na
Instituição. Ao submeter o seu artigo para revistas ou eventos externos, é importante verificar e
adequar o trabalho às regras e às formatações solicitadas.

REFERÊNCIAS

CESÁRIO, Mariana de Melo; MEZACASA, Elizer Marcelo; FRAITAG, Katia. A integração da


escola e família no ambiente escolar, REVISTA SABERES DOCENTE, 2016. Disponível em:
<http://revista.ajes.edu.br/index.php/rsd/article/view/90>. Acesso em: 21/05/2020 19:50
SERRANO, Geni. A escola/ pais: A importância dessa relação no desempenho escolar.
WEBARTIGOS (2017). Disponível em < https://www.webartigos.com/artigos/a-escola-pais-a-
importancia-dessa-relacao-no-desempenho-escolar/133831>. Acesso em: 21/05/2020 23:10
7

DESSEN, Maria Auxiliadora; POLONIA, Ana da Costa. A família e a escola como contextos de
desenvolvimento humano. SCIELO (2017). Disponível em <
https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-863X2007000100003&script=sci_arttext&tlng=pt>.
Acesso em 22 Jun 2020 09:46
VIRGINIO, Regina Maria Araújo. A integração entre pais e escola: A influência da família na
Educação Infantil.. Anais Educação e Formação Continuada na Contemporaneidade. Natal (RN)
Evento on-line - Amplamente Cursos, 2019. Disponível em:
<https://www.even3.com.br/anais/amplamentecursos/236190-a-integracao-entre-pais-e-escola---a-
influencia-da-familia-na-educacao-infantil/. Acesso em: 07/06/2020 18:10
CARVALHO, Edson Evangelista. A participação da família na escola e as suas implicações na
formação social da criança. Psicologado, [S.l.]. (2017). Disponível em
<https://psicologado.com.br/psicologia-geral/desenvolvimento-humano/a-participacao-da-familia-
na-escola-e-as-suas-implicacoes-na-formacao-social-da-crianca>. Acesso em 7 Jun 2020 19:02
Youtube - Educação NT - Integração Família Escola Comunidade, Uruguay ( URU ), 3 jul 2017 -
Dispoinível em: <https://www.youtube.com/watch?v=TbxrL04SjY0> Acesso em 22 jun 2020 21:00
ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6023. Informação e documentação –
Referências – Elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto da. Metodologia científica. São
Paulo: Ed. Pearson, 2006.
FERREIRA, Gonzaga. Redação científica: como entender e escrever com facilidade. São Paulo:
Atlas, v. 5, 2011.
MÜLLER, Antônio José (Org.). et al. Metodologia científica. Indaial: Uniasselvi, 2013.
PEROVANO, Dalton Gean. Manual de metodologia da pesquisa científica. Curitiba: Ed.
Intersaberes, 2016.

Você também pode gostar