Você está na página 1de 9

Aula prática 03

-É o conjunto de instrumentos utilizados nos diversos tipos de operações.

-Há aqueles que são específicos para determinadas cirurgias de especialidades diversas

TIPOS FUNÇÕES EXEMPLOS

Diérese Corte, divisão Bisturi, tesoura, trépano

Hemostasia Sustar Pinças hemostáticas, clamps vasculares


sangramentos

Síntese União de Porta-agulhas, agulhas


tecidos

Preensão Apanhar Pinça anatômica, pinça de Duval, pinça de Allis


tecidos

Auxiliares Fixar os Pinças de campo, afastadores manuais e afastadores autoestáticos


campos e
afastar tecidos

Especial Própria Pinça de abadie-cirurgia gástrica; pinça de satinsky-cirurgia


vascular; pinça de Maryland-cirurgia videolaparoscópica

-Alguns autores consideram material cirúrgico aquele usado e que não é reaproveitado – gaze por
exemplo

-Já outros consideram como o conjunto de objetos, instrumentos e equipamentos que entram em
contato direto ou indireto com a região operatória para a execução de determinado
procedimento.

1)INSTRUMENTAL DE DIÉRESE

-O bisturi possui cabo metálico e lâminas removíveis. Formas e tamanhos variantes, conforme
cirurgia.

-cabo n° 3, operações delicadas

-cabo n° 4, operações menos delicadas

-cabo 3 e 7(bisturis 0 a 15), cabo 4 (bisturis 20 a 25)

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


-cabo no 31 e 41 são mais longos e utilizados para corte nas profundidades.

-empunhadura como lápis, como uma faca, como um arco de violino.

-As tesouras variam em tamanho, no formato das suas pontas, nas suas curvaturas e em outros
pormenores.

-A tesoura de Metzenbaum é delicada, adequada, adequada para dissecar tecidos moles ou


cortá-los, é considerada a tesoura do cirurgião.

-A tesoura de mayo reta é utilizada para cortar fios; é a tesoura do auxiliar.

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


-A tesoura de mayo curva é utilizada para a diérese dos tecidos moles, resistentes e para a

secção de fios no interior das cavidades.

2)INSTRUMENTAL DE HEMOSTASIA

-É representado por pinças hemostáticas de diferentes tipos e tamanhos que recebem o nome de
seus idealizadores: Kelly, Crile, Halsted, Mixter (cabo longo).

-as pinças podem ser retas ou curvas. A de Kelly, curva, é utilizada para pinçamento de vasos. Ela
possui entalhes na metade distal dos ramos prendedores. A pinça tipo Crile, curva, é, também,
utilizada para pinçamento de vasos, diferindo da anterior por possuir entalhes em toda a
extensão dos ramos prendedores.

-As pinças hemostáticas, Kelly e Crile é, também, utilizada para reparo de fios. A diferença
entre as referidas pinças consiste no fato de que as ranhuras transversais da pinça de Crile
estão presentes ao longo de toda a face interna de sua ponta, enquanto que as da pinça de Kelly
estendem- se aproximadamente até a metade.

-Preferem-se as pinças hemostáticas curvas para hemostasia, pois seu manuseio é mais fácil
nessa função.

-A pinça de halsted é mais delicada. Possui entalhes em toda a extensão dos ramos prendedores.
É utilizada para pinçamento de vasos de pequenos calibres (pinça Mosquito),

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


-A pinça de MIXTER é longa. Serve para pinçar vasos localizados profundamente nas cavidades
abdominal e torácica. É útil para dissecar e pinçar pedículos viscerais, e serve para passar fios
em torno dos vasos sanguíneos.

A pinça de rochester é mais forte que as anteriores, apresenta serrilhamento total de seus
ramos prendedores e é mais grosseira. É utilizada para pinçamento de tecidos mais resistentes
ou de maior volume (pinçamento em massa).

-A pinça KOCHER, apresenta em sua ponta dentes de rato. É traumática e não serve para
pinçamento de vasos porque os dentes podem cortar o vaso no momento do seu pinçamento. Essa
pinça serve para ocluir órgãos ocos que vão ser extirpados, reparar e tracionar aponeuroses.

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


A empunhadura correta de uma pinça hemostática é com sua concavidade para baixo, os dedos
anular e polegar são introduzidos dentro dos anéis da pinça e os dedos indicador e médio servem
de apoio.

3)INSTRUMENTAL DE SÍNTESE

-é constituído por porta-agulhas, pinças anatômicas e dente de rato.

-há porta-agulhas de vários tamanhos, dependendo da cirurgia

-os mais utilizados são: porta agulha de HEGAR e MATHIEU.

-o primeiro – HEGAR – é mais utilizado.

-as agulhas podem ser retas, semi-retas e curvas, que podem ser cortantes (traumáticas) e
cilíndrica (atraumáticas).

-as agulhas curvas são utilizadas para suturas nas profundidades e na superfície

-as semi-retas para suturas na pele

-as retas para suturas na pele e algumas suturas no trato gastrointestinal.

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


-as pinças anatômicas e dentes de rato são instrumentos auxiliares para preensão e síntese dos
tecidos. São úteis no pinçamento de um vaso grande, bem como na dissecção de uma estrutura.

-a empunhadura é do tipo lápis, da pinça de dissecção.

4)INSTRUMENTAL DE PREENSÃO

-É constituído pelas pinças anatômicas e dente de rato, pinça de Allis, pinça de Duval e pinça de
Collins.

Anatômica e dente de rato

Allis, Duval e Collin

5)INSTRUMENTAL AUXILIAR

-É constituído pelas pinças de campo e pelos afastadores.

-As pinças de campo tem a função de fixar os campos cirúrgicos entre si para delimitar o campo
operatório.

-os afastadores facilitam a exposição do local que está sendo operado. Eles podem ser manuais
ou auto-estáticos.

-pinça de campo: pinça de Backauss

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


-afastador manual: afastador de Farabeuf e afastador de GOSSET (manter cavidade
abdominal aberta)

-afastadores auto-estáticos: afastador de Balfor (cavidade abdominal aberta). Afastador de


FINOCHIETO para manter a cavidade torácica aberta, mas toracotomias.

-os afastadores manuais mais utilizados são: Farabeuf, valvas de Doyen, valvas supra-púbicas.

6)INSTRUMENTAL ESPECIAL

INSTRUMENTAL CIRÚRGICA

-é a entrega do instrumental cirúrgico à equipe. Essa é uma função do instrumentador.

-este deverá conhecer o nome, manejo e sinalização de cada instrumental.

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


-deve, na medida do possível, conhecer os tempos operatórios principais. Assim, poderá, no
momento oportuno, entregar, sem vacilações, o instrumental ao cirurgião.

-o instrumental deve ser entregue de tal forma que possa ser utilizado imediatamente sem
a necessidade de trocá-lo de posição para que seja corretamente utilizado.

-o instrumental cirúrgico são dispostos, na mesa de instrumentação, de acordo com a


padronização adotada pela equipe cirúrgica e de acordo com as suas funções.

-o instrumental que foi utilizado na operação deve ser devolvido ao instrumentador para que seja
limpo e recolocado na sua posição inicial.

-quando a cirurgia exigir um número maior de instrumentos, deve ser providenciada uma segunda
mesa, de tamanho menor – mesa de mayo – para que sejam colocados alguns deles.

CAIXA BÁSICA

-contém doze pinças hemostáticas curvas, oito pinças hemostáticas retas, oito pinças de
backaus, dois porta agulhas, duas pinças anatômicas, duas pinças dente de rato, dois
afastadores de Farabeuf, oito pinças de Allis (preensão), uma pinça tipo Forester e quatro
pinças de Kocher (órgãos ocos, fixar aponeuroses).

MESA BÁSICA

-contém todo o material da caixa básica e material cortante, agulhas, fios, compressas,
gazes, afastadores e material acessório.

SINALIZAÇÃO CIRÚRGICA

-deve-se adotar aquela que tenha semelhança com a forma ou com o movimento que o instrumento
faz durante sua utilização. Isto facilita o aprendizado e a padronização da técnica. A mão que
sinaliza é a que recebe o instrumental e o utiliza.

1– GAZE MONTADA – é solicitada movimentando-se os dedos unidos de cima para baixo e


vice-versa.

2 – CAMPO DE FERIDA – solicita-se o campo com a mão espalmada.

3 – PINÇA DE BACKHAUS – solicita-se esta pinça fazendo-se um círculo com os dedos


indicador e médio de um lado e o polegar do outro. Os demais ficam SEMIFECHADOS.

4 – BISTURI – pede-se este instrumento movimentando-se a mão semi fechada de cima para
baixo e vice-versa.

5– PINÇA DE ALLIS – solicita-se esta pinça justapondo-se os dedos médios e indicador sobre o
polegar.

6 – COMPRESSAS – solicita-se deslocando-se a mão de um lado para o outro com as pontas dos
dedos unidas entre si e dirigidas para baixo. (DIFERENCIAR DA GAZE MONTADA)

Jehovahnna Anttonioni Santos P4


7 – PINÇA ANATOMICA – de dissecção. Solicita-se esta pinça aproximando-se a polpa digital
do indicador com a do polegar. Os demais dedos permanecem semi-fechados.

8 – PINÇA DENTE DE RATO – solicita-se esta pinça aproximando-se e afastando-se as


extremidades do polegar e do indicador. Os demais dedos permanecem semi-fechados.

9 – PINÇA DE DURVAL – solicita-se esta pinça justapondo-se os dedos médio e indicador sobre
o polegar. A palma da mão fica voltada para cima e os demais dedos ficam semi-fechados. IGUAL
AO DE BACKHAUS, mas com a mão virada para cima.

10 – TESOURA RETA E CURVA. Solicita-se a tesoura reta, aproximando-se e afastando-se o


dedo indicador do dedo médio; e a tesoura curva, fletindo-se um pouco o dedo médio e o
indicador. Os demais dedos permanecem semi-fechados

11 – FIO CIRÚRGICO – solicita-se o fio com a mão em forma de concha – concavidade para cima
– o cirurgião menciona: zero, um dois, três, de acordo com o calibre do fio que desejar.

12 – AFASTADOR DE FARABEUF – solicita-se este afastador, colocando-se os dedos médio e


indicador fletidos contra o polegar fletido. Esses dedos formam aspecto semelhante a uma
garra que se abre e fecha. Os demais dedos semi-fechados

13 – PORTA AGULHAS. Solicita-se este instrumento fazendo-se com a mão fechada ligeiro
movimento de rotação para dentro.

14 – SERINGA - Pede-se a seringa com a mão fechada.

15 – RUGINA – solicita-se fazendo um movimento de flexão do dedo médio e extensão do


indicador e vice-versa, varias vezes. Demais dedos semifechados.

16 – GAZE – pede-se gaze movimentando-se a mão de um lado para o outro com as pontas dos
dedos unidas entre si e voltadas para cima.

17 – PINÇA DE MIXTER – solicita-se esta pinça fletindo-se as falanges distal e média do


indicador sobre a proximal, com a mão voltada para cima. Os demais dedos permanecem
semi-fechados.

18 - PINÇA HEMOSTÁTICA – solicita-se esta pinça posicionando-se o indicador na horizontal


e o polegar na vertical, fazendo entre si um ângulo de 90 graus. A face ventral da mão fica
voltada medialmente. Curva e reta.

19– AFASTADOR DE BALFOUR – solicita-se este afastador com posicionamento da mão


parecido com a da pinça hemostática, exceto que a face dorsal da mão que fica voltada
medialmente, com o polegar voltado para baixo.

Cumpra ressaltar que a maioria dos instrumentais e materiais cirúrgicos, principalmente aqueles
utilizados em cirurgias especializadas, não tem sinalização apropriada. Assim, quando
necessários, deverão ser solicitados verbalmente.

Jehovahnna Anttonioni Santos P4

Você também pode gostar