Você está na página 1de 40

Quando você descansa em quietude,

e a imagem de si mesmo se desvanece,


e a imagem do mundo desaparece,
desaparece,
e as ideias de outros desaparecem,
o que resta?
Um brilho, um vazio radiante
que é simplesmente o que você é

Adyashanti

Deixar tudo ser como é, é a orma mais prounda de medita!"o#


$nde o ego tem um completo deixar ser como as coisas s"o, neste momento
como ele é#
Deixando você ser como você é, quer sua mente este%a ocupada ou quieta,
quer se sinta bem ou mal, quer este%a ansioso ou em paz, é poss&vel deixar
este momento ser exatamente como é?

'''

()*s n"o despertamos quando encontramos aquilo que tanto busc+vamos, n*s
despertamos quando o pr*prio buscar- se esgota por si mesmo#-

Adyashanti

$ real signi.cado de (estar quieto é permitir que tudo se%a como é#

A verdadeira quietude, a quietude autêntica n"o é algo or%ado, n"o é algo que
possa ser encontrado e mantido por nenhuma orma de controlo ou
manipula!"o#

A verdadeira quietude é seu estado natural, n"o é algo que necessite ser
criado por você#

Adyashanti

(/odos os caminhos levam para longe da verdade, todos#


)"o existe tal coisa como caminho para a verdade#
ve rdade#
A 0erdade
0erdade %+ est+ aqui, você est+ indo para onde?- Adyashanti

-112 do que as pessoas est"o a azer para despertar, est+ de acto a reor!ar o
estado de sonho, é chocante3-

Adyashanti

4ste sentido de ego tem que estar


e star em movimento, porque, assim que ele para,
desaparece, tal como quando seus pés param, desaparece o correr#

4sta parada precisa acontecer de uma orma suave e muito natural, porque, se
estivermos tentando parar, ent"o isso novamente ser+ movimento#

4nquanto tentarmos
tentarmos azer o que achamos ser a coisa espiritual certa para nos
livrarmos do ego, n*s o perpetuamos# $ ato de percebermos que isso é mais
um pouco do mesmo ego em movimento, nos permitir+ parar sem tentarmos#

Adyashanti

0ocê tem que se tornar mais interessado no undo silencioso do que naquilo
que est+ em primeiro plano, os en5menos6 pensamentos, emo!7es, sons,
cheiros, etc# A maioria das pessoas est"o ocadas no primeiro plano e no que
os seus cinco sentidos lhes trazem, mas o 8er é descoberto no undo#
$ 8er é a onte de onde os en5menos nascem e o solo em que essa
demonstra!"o de en5menos est+ acontecendo, dos sentimentos e
experiências mais sutis 9 matéria mais grosseira#
Quando você descansa neste undo, você pode saborear o seu 8er#
0ocê apenas d+:se a ele#

Adyashanti

)o momento da ;iberta!"o tudo desmorona <# tudo# De repente, o ch"o sob


seus pés se oi, e você est+ sozinho# 0ocê est+ sozinho, porque você percebeu
diretamente que n"o existe nenhum outro, n"o existe separa!"o# =+ somente
você, somente o 8er, somente o vazio ilimitado,
ilim itado, a consciência pura#

Adyashanti

A verdadeira medita!"o n"o tem dire!"o ou ob%etivo# > pura rendi!"o


silenciosa, pura ora!"o silenciosa#

 /odos
 /odos os métodos que visem atingir um certo estado mental s"o limitados,
limitados,
impermanentes e condicionados#

ascina!"o com estados leva apenas 9 escravid"o e dependência# A verdadeira


medita!"o é quietude sem esor!o, permanecer como o ser primordial#

: Adyashanti

(A maior barreira para o despertar é a cren!a de que é algo raro#

Adyashanti

A mente pode aceitar ou negar que você é consciência, mas, de qualquer


orma, ela n"o pode realmente entender# 4la n"o pode compreender# $
pensamento n"o pode compreender o que est+ além do pensamento#

Adyashanti

()o .nal, é tudo muito simples# $u nos entregamos ao 8ilêncio ou n"o#

: Adyashanti

 /udo
 /udo o que é necess+rio
necess+rio para despertar para
para si mesmo como o vazio
vazio radiante
de esp&rito é parar de procurar por algo mais, melhor ou dierente, e voltar a
sua aten!"o para dentro, para o silêncio desperto que você é#
: Adyashanti

)"o pense que a ilumina!"o vai tornar você especial, n"o vai# 8e você se sentir
especial de alguma orma, ent"o a ilumina!"o n"o ocorreu#
ocorreu# 4u encontro um
monte de pessoas que pensam que s"o iluminadas e despertas, simplesmente
porque tiveram uma experiência espiritual muito comovente# 4las usam a sua
ilumina!"o na manga como um distintivo de honra# 8entam:se entre
entre os amigos
e alam sobre o quanto despertos s"o, enquanto tomam caé#

A coisa engra!ada sobre a ilumina!"o é que quando é autêntica, n"o h+


ninguém para reivindic+:la# A ilumina!"o é muito comum@ n"o é nada especial#
4m vez de tornar você mais especial, ela vai torn+:lo menos especial# oloca:o
bem no centro de uma maravilhosa humildade e inocência#

: Adyashanti

(A verdade é que você %+ é o que você est+ procurando#

: Adyashanti

(A ilumina!"o é um processo destrutivo#


)"o tem nada a ver com se tornar melhor ou ser mais eliz# Blumina!"o é o
desmoronamento
desmoronamento da alsidade#
> ver através da achada da pretens"o#
> a completa erradica!"o
erradica!"o de tudo o que imagin+vamos
imagin+vamos ser verdade#-
verdade#- :
Adyashanti

Care de tentar ter as experiências de outros3 Deixe de perseguir a liberdade,


elicidade ou mesmo ilumina!"o espiritual3 Cermane!a
Cermane!a nos seus pr*prios
sapatos e examine de perto6 $ que est+ acontecendo precisamente aqui e
agora?

Adyashanti

Décadas atr+s, /rungpa inpoche cunhou uma express"o maravilhosa,


materialismo espiritual, aparentemente ninguém escutou#- Esobre estados de
consciência e experiências m&sticasF

Adyashanti

4le é o autor oculto de cada pensamento,


cada sentimento, cada momento#
8ilêncio#

Adyashanti

 /"o
 /"o logo você pare
pare de correr,
correr, n"o h+ mais algo que se
se chame correr
correr G oi:se@
nada est+ acontecendo# 4ste sentido de ego tem que estar em movimento,
porque, assim que ele para, desaparece, tal como quando seus pés param,
desaparece o correr#
4sta parada precisa acontecer de uma orma suave e muito natural, porque, se
estivermos tentando parar, ent"o isso novamente ser+ movimento# 4nquanto
tentamos azer o que achamos ser a coisa espiritual certa para nos livrar do
ego, n*s o perpetuamos# $ ato de percebermos que isso é mais um pouco do
mesmo ego em movimento, nos permitir+ parar sem tentarmos#

Adyashanti H com ;ilian Amorim#


Amorim#

Cortanto,
Cortanto, é claro, isso .ca um tanto mais di&cil quando se diz a alguém para
livrar:se
livrar:se do ego, pois quem é que vai se livrar do ego? $ que é que tenta livrar:
livrar:
se do ego? > assim que ele se mantém, achando que tem que azer alguma
coisa consigo mesmo#

Adyashanti H com +tima oldao


oldao e
 e ;ilian Amorim#
Amorim#

 /odo
 /odo o universo vis&vel é apenas
apenas uma extens"o
extens"o no tempo deste desconhecidoH
desconhecidoH
desta montanha de quietude#

I Adyashanti

;iberdade é a compreens"o de que esta paz prounda e este desconhecido é o


que você é# /udo o resto é apenas uma extens"o do desconhecido#

I Adyashanti

Blumina!"o signi.ca acordar para o que você realmente é e, em seguida, ser


isso# ealize
ealize e se%a, realize e se%a# ealiza!"o por si s* n"o é su.ciente# A
conclus"o da Autorrealiza!"o é ser, o que signi.ca agir, azer, e expressar
expressar o
que você realiza# 4sta é uma quest"o muito prounda, uma nova orma de vida
por completo, viver na e como a realidade em vez de viver as ideias, cren!as e
impulsos programados da sua mente sonhadora#

Adyashanti

A verdade é que você %+ é o que você est+ procurando# 0ocê est+ 9 procura de
Deus com os olhos dele#

Adyashanti

)"o pense que o despertar é o .m# $ despertar é o .m da busca, o .m do


buscador, mas é o come!o de uma vida vivida a partir da sua verdadeira
ve rdadeira
natureza# 4ssa é toda uma nova descobertaHa vida vivida a partir da unidade#

Adyashanti

8* porque você realizou a 0erdade


0erdade e despertou espiritualmente, n"o signi.ca
que a sua vida ir+ ser uma ascens"o intermin+vel de boa sorte# Bsso n"o seria a
paz que vai além de todo o entendimento# 4nquanto nossas vidas orem
orem boas,
é +cil ter paz# Jas a vida az o que az, como um oceano se movendo#

Quer as ondas este%am altas ou baixas, é igualmente sagrado e, sendo


ninguém, você n"o é magoado por isso# Dentro deste despertar est+ a paz que
vai além de todo entendimento, e sua vida n"o precisa de melhorar#
melhorar# 4la pode
simplesmente azer o que a vida az@ ela apenas Kui# 0ocê
0ocê n"o se importa#

Adyashanti

De uma orma muito simplista, a dieren!a entre aquelas pessoas que tiveram
um orte e proundo despertar espiritual para a sua verdadeira natureza e
aqueles que realmente s"o liberados e livres é esta quest"o muito simples6
aqueles que s"o liberados e livres deixaram ir o controle de orma absoluta#

Bsto é verdade porque, se você deixar ir o controle, ent"o você n"o pode deixar
de ser liberado e livre# > como pular de um prédio# 0ocê
0ocê n"o pode deixar de ir
para baixo6 a gravidade puxa:o nessa dire!"o# 8e você deixar ir totalmente o
controle, você ir+ acabar na autorrealiza!"o
autorrealiza!"o completa#

I Adyashanti

L medida que você descansa proundamente e sem esor!o na quietude, a


consciência torna:se livre do h+bito compulsivo da mente de controle,
contra!"o, e identi.ca!"o# A onsciência retorna 9 sua condi!"o natural de ser
consciente, potencial absoluto n"o maniestoHo abismo silencioso além de
todo o conhecimento#

I Adyashanti

)a nossa sociedade moderna, n*s esperamos que tudo se%a dado a n*s em
pequenas por!7es e +ceis de consumir, de preerência muito rapidamente
para que possamos continuar com nossas vidas apressadas# Jas a 0erdade
n"o ir+ se adaptar + nossa renética evas"o da ealidade ou ao nosso dese%o
de ter a totalidade de algo pelo m&nimo de investimento de tempo e energia#

4stes ensinamentos precisam ser estudados, contemplados e colocados em


pr+tica, e n"o simplesmente os ler como entretenimento#
entretenimento#

$ ob%etivo destes ensinamentos é o de despertar para a natureza absoluta da


ealidade e, em seguida, incorpor+:los e vivê:los ao m+ximo poss&vel# /al
despertar, traz eventualmente uma sensa!"o de paz prounda, amor e bem:
estar, mas estes s"o os subprodutos
subprodutos do estado desperto, n"o o ob%etivo#

: Adyashanti

A rendi!"o n"o é uma rea!"o, n"o é uma estratégia# 4la surge a partir de uma
con.ss"o + qual o ego chega# 4ssa con.ss"o é que o ego n"o pode
realizarEazerF
realizarEazerF o despertar, n"o importa o qu"o duro ele tente ou qu"o
so.sticado ele se torne em pensamento, palavra ou a!"o# /al rendi!"o é um
assunto &ntimo do cora!"o#

Adyashanti

8e, no lugar mais proundo dentro de você, você quer e dese%a a 0erdade
acima de tudo, mesmo que você se extravie em mil dire!7es dierentes, você
ir+ encontrar:se,
encontrar:se, de alguma orma, sendo trazido de volta, repetidamente, para
o que é 0erdadeiro#

4 se você n"o quer e dese%a a 0erdade


0erdade acima de tudo, bem, você %+ sabe ao
que isso leva#

Adyashanti

)"o importa o qu"o prounda é uma vis"o ou o qu"o maravilhosos s"o os


Mriyas, ou a Mundalini, ou o êxtase# )"o importa o qu"o bonita é uma
experiência espiritual, é apenas uma experiência, e experiências v"o e vêm# A
liberdade é encontrada apenas naquilo que n"o vêm e vai# 8e n"o vêm e vai,
isso signi.ca que est+ presente agora#

Quando você tem uma bela experiência espiritual e, em seguida, parece tela
perdido, pergunte a si mesmo6 $ que estava presente, nessa altura, que ainda
est+ presente agora? 4nt"o você saber+ onde colocar toda a sua aten!"o, toda
a sua dedica!"o, e todo o seu cora!"o# )"o a coloque em outro lugar# 0ocê é
aquela permanência que contém todo o que vem e vai#

I Adyashanti

C#Uma vez que o desconhecido estimula o ser humano a se sentir inseguro,


como é que alguém evita esta armadilha da inseguran!a do desconhecido?

Adya# A inseguran!a do desconhecido é exatamente o que você n"o quer


evitar#
evitar# Dentro da inseguran!a, dentro do desconhecido : do mistério : encontra:
se a realiza!"o de toda a busca# Apenas quando você descansar totalmente
nessa inseguran!a, no desconhecido é que ele ir+ mostrar a sua verdadeira
ace ### que é a pr*pria beleza, além de todo o medo# A seguran!a total surge a
partir da inseguran!a total# /anto a seguran!a como a inseguran!a reerem:se
a uma sensa!"o separada e pessoal de -eu-# Quem é este que -eu-? )a
ausência do -eu- pessoal, todos os medos cessam#

Adyashanti

8e você se agarrar a qualquer experiência, você experimentar+ sorimento logo


que ela passe# > incr&vel como, requentemente,
requentemente, este sorimento n"o nos az
seguir em rente, mas az:nos dar uma volta de NOP graus para procurar
procurar pela
experiência que perdemos#

Juitas vezes este sorimento é um completo desperd&cio de tempo porque n*s


n"o aprendemos a li!"o de que qualquer experiência que venha e v+ n"o é a
ilumina!"o, e n*s tentamos repeti:la ou mantê:la interminavelmente#

Adyashanti

-;iberdade é a compreens"o de que esta


paz prounda e este desconhecido é o
que você é# $ resto é apenas uma
extens"o do desconhecido#-
Adyashanti

=+ um segredo muito simples para ser eliz#


Apenas deixe ir a sua demanda sobre este
momento# 8empre
8empre que h+ uma demanda
no momento, se%a de lhe dar alguma coisa
ou remover algo, h+ sorimento<#
ealiza!"o
ealiza!"o sbita é apenas um largar de
cada demanda sobre este momento,
sobre si mesmo e sobre os outros#

Adyashanti

ArrogRncia

4u tenho visto muitas pessoas espirituais tornarem:se


tornarem:se obcecadas com o quanto
n"o:espirituais os outros s"o e assumirem uma atitude arrogante
arrogante e superior,
perdendo completamente o ato de que eles pr*prios n"o s"o t"o
espiritualmente iluminados como eles gostariam de pensar que s"o#

A Blumina!"o pode ser medida pela orma compassiva e sabia que você
interage com os outros, com todos os outros, n"o apenas com aqueles que
apoiam você da maneira que você quer#
quer# omo você interage com aqueles que
n"o apoiam você, mostra o quanto iluminado você realmente é#

Desistir de ser ignorante ou iluminado é a marca da liberta!"o e permite que


você trate os outros como a si mesmo# $ que estou descrevendo é o
nascimento do verdadeiro Amor#

I Adyashanti

8orimento ocorre
ocorre quando você acredita num pensamento que est+ em conKito
com o que é, o que era, ou o que poder+ ser#
4xperimente este momento livre das interpreta!7es de sua mente#

: Adyashanti

-A maioria das pessoas est+ num estado constante de luta consigo mesmas#

 /remendamen
 /remendamente te sobrecarregados
sobrecarregados pelo passado e em constante
constante antecipa!"o do
uturo, a maioria dos seres humanos raramente é capaz de estar plenamente
presente, por mais do que momentos muito breves#

A tremenda abertura e intimidade necess+rias para se estar plenamente


presente, est+ além da capacidade da maioria das pessoas de se sustentarem
sustentarem
por mais de poucos momentos, antes de habitualmente se contra&rem de volta
9 sua condi!"o amiliar de separatividade e luta, que tanto caracteriza a
condi!"o humana#

4ste constante estado de luta, se maniesta como uma rela!"o compulsiva e


viciosa, com o movimento do pensamento, da emo!"o e do tempo#
=+ uma grande relutRncia em parar de lutar, porque, na ausência de luta, você
de repente come!a a perder seus limites e de.ni!7es sobre quem você é# Cara
muitas pessoas isso az surgir medo, %+ que elas experimentam a perda do seu
amiliar sentido de si#

;utar, é a maneira de a personalidade:ego manter sua existência#


Quando você deixa de lutar, a identi.ca!"o com a personalidade come!a a
desmoronar,
desmoronar, e você se conscientiza de sua vacuidade e alta de limites#

A coisa mais di&cil de azer para os buscadores espirituais é parar de lutar, de


esor!ar:se, de procurar e buscar# Corque ser+?
Corque
Corque na ausência de luta você n"o sabe quem você é@ você perde suas
ronteiras, perde
perde a sua separatividade, perde a sua especialidade, perde o
sonho que você viveu durante toda a sua vida#
Cor .m, você perde tudo quanto a sua mente criou, e desperta para quem você
verdadeiramente é6 a plenitude da liberdade, n"o limitada por quaisquer
identi.ca!7es, identidades ou ronteiras#
ronteiras#

> desta liberdade de ser sem residência .xa, que a maioria da gente
espiritualizada est+ ao mesmo tempo em busca e em uga, porque a sua
natureza sem ace, n"o ornece nenhum ponto de reerência .xo ao qual a
personalidade possa se apoiar ou no qual possa buscar seguran!a#

4nquanto permanecer identi.cado com a personalidade, você sempre estar+


em busca de seguran!a 9 exclus"o da 0erdade, e permanecer+ em constante
estado de luta#

> somente quando o seu amor e anseio pela 0erdade


0erdade orem maiores que a
necessidade compulsiva de seguran!a, que tem a personalidade que você
pode come!ar a parar de lutar e deixar:se
deixar:se levar pelos bra!os de uma revela!"o
Korescente e cont&nua da 0erdade e ;iberdade do 8er#-

Adyashanti em 8atsang

> verdade que se pode vislumbrar o estado n"o:dual# $ que geralmente


acontece é que, se a natureza do buscador n"o oi compreendida, o buscador
ir+ muito rapidamente rea.rmar:se
rea.rmar:se e ligar+ o estado n"o:dual com o seu
subproduto#

$ subproduto do estado n"o:dual, n"o:experiencial de ver que n"o h+ nada


para buscar, nunca houve nada para buscar, e que tudo é Deus, é um grande
-Aha3-

$ erro que o buscador pode azer, se n"o tiver sido completamente


compreendido, é associar o SSAha3- com o estado n"o:dual e n"o:experiencial# >
claro que o SSAha3SS pode ser apenas al&vio, elicidade, riso, l+grimas, ou êxtase,
todos os quais s"o subprodutos, que s"o muito belos#

)"o quero dizer que o que oi visto n"o era a 0erdade#
0erdade# 8* que, a menos que o
buscador se%a compreendido totalmente,
totalmente, o buscador ir+ come!ar de novo a
associar estes subprodutos experienciais com o pr*prio despertar, o
subproduto ir+ se tornar o ob%etivo# 4le se torna a meta#
Cortanto,
Cortanto, eu n"o estou dizendo que o que oi visto era also ou que nada de
valor ocorreu porque,
porque, de ato, o subproduto é muito belo# 4u estou dizendo,
pode você come!ar a superar todo o subproduto? Codemos
Codemos n*s ver qual é a
onte do subproduto?
subproduto?

Adyashanti

$ buscador pensa que a pr*xima experiência, que ir+ ser dierente desta, ser+
a experiencia certa# 4ssa é a ilus"o que geralmente n"o é questionada, e se
n"o é questionada e investigada, ent"o você pode continuar a ter experiências
espirituais, mesmo com grande requência, e é como estar bêbado o tempo
todo# 0ocê apenas bebe mais requentemente, certo? 0ocê pode ter
experiências espirituais com grande requência, mas isso n"o signi.ca que
você n"o é um viciado# $ buscador Eeu, egoF continua .rme no lugar#
lugar#

Adyashanti

)a nossa cultura, n*s azemos do sorimento do samsara algo nobre# > quase
um sacrilégio imaginar que quem você é n"o é um problema a ser resolvido#

Adyashanti

=+ um segredo muito simples para ser eliz# Apenas deixe ir a sua exigência
sobre este momento# /oda vez que você exige que o momento lhe dê algo ou
retire
retire alguma coisa, h+ sorimento# A sua exigência mantêm você acorrentado
acorrentado
ao estado de sonho da mente condicionada#

Adyashanti

Care de buscar paz e pare de buscar amor, e o seu cora!"o se tornar+


completo#
Care de tentar ser uma pessoa melhor e você ser+ uma pessoa melhor#
Care de tentar perdoar e o perd"o acontecer+#
Care e .que quieto#

ealiza!"o
ealiza!"o sbita é apenas largar cada exigência sobre este momento, sobre si
mesmo e sobre os outros# /udo o que é preciso é apenas largar por uma ra!"o
de segundo # > muito simples, se você .zer isso inde.nidamente#

Adyashanti

8er o seu verdadeiro


verdadeiro 4u E8erF, ser a sua verdadeira natureza, é dierente do
que experienci+:la com o pensamento# Cerceba
Cerceba que você é o mistério, e que
você n"o pode realmente observar o mistério, porque você s* é capaz de
observar a partir do mistério#

=+ um mistério muito desperto, vivo e amoroso, e é isso que est+ vendo


através de seus olhos neste momento# Bsso é o que est+ ouvindo através de
seus ouvidos neste momento#

4m vez de tentar compreender tudo, o que é imposs&vel, eu sugiro que você


pergunte6 -$ que est+, undamentalmente, por tr+s deste con%unto de olhos?-
0ire:se
0ire:se para ver o que est+ olhando# 4ncontre puro
puro mistério, que é puro
esp&rito, e desperte para o que você é#

Adyashanti

)esse escutar, eu descobri um estado muito natural, um estado que é, na


verdade, o nico estado que n"o é inventado# A partir desse estado, que é
como escutar, eu comecei a ver que todos os esor!os criavam outro estado#
Assim que eu azia um esor!o, um estado era abricado a partir do nada#

4u podia abricar belos estados, estados terr&veis, estados de concentra!"o e


todo o tipo de estados@ mas havia apenas um estado que era totalmente
natural e absolutamente sem esor!o#

)esse estado eu encontrei o acesso ao mais proundo 8er, o qual é liberdade#


libe rdade#
Cor sua pr*pria natureza, este estado tem que ser algo que é sem esor!o# /em
que ser algo que n"o necessite de manuten!"o#

Adyashanti

$ que acontece para a maioria das pessoas é que quando algo negativo surge
na sua experiência, toda a consciência Eaten!"oF vai para l+ como um raio
laser# Digamos que você est+ deprimido# Cara a maioria das pessoas, toda a
consciência vai para l+ e de repente, o que azia parte de uma vasta
experiência de muitas coisas, agora é um problema porque você se ocou nele,
e parece ser a nica parte signi.cativa da sua experiência# Bsso é apenas
a penas
porque a mente escolheu se concentrar nele e torn+:lo na nica coisa que est+
acontecendo, mesmo que se%a uma experiência entre muitas#

Adyashanti

Tuscar o silêncio é como estar num barco a motor acelerando num lago em
busca de um local bom, onde tudo est+ silencioso, e l+ est+ você :0room3
0room3 : acelerando com a ansiedade de que você nunca ir+ chegar l+# )"o
importa quanto tempo você acelere no lago, você nunca ir+ encontrar este
silêncio#

)a verdade, tudo o que você tem que azer é desacelerar e desligar o motor#
motor#
4nt"o tudo estar+ muito silencioso, muito quieto# Quando você come!a a
permitir e a ser receptivo, você come!a a voltar ao seu estado natural, o qual é
muito tranquilo# 8er receptivo é como desacelerar#
desacelerar# > um estado natural de
quietude#

Care
Care de pensar no silêncio como sendo uma alta de ru&do : ruido mental, ru&do
emocional, ou ru&do externo 9 sua volta# 4nquanto você considerar o silêncio
como algo ob%etivo, algo que n"o é você mas pode vir a você como uma
experiência emocional, você est+ perseguindo a sua pr*pria ideia pro%etada#

I Adyashanti
A substRncia de toda a experiênciaHisso é o nirvana# Jas o ego diz6 ()"o3 )"o
pode ser# /udo menos isso3

: Adyashanti

Blumina!"o é, no .nal, nada mais do que o estado natural de ser#


ser#

Adyashanti

A verdadeira medita!"o n"o é sobre dominar uma técnica@ é sobre deixar ir o


controle#

Adyashanti

A pergunta mais &ntima que podemos azer, e aquela que tem o maior poder
espiritual, é esta6 $ quê ou quem sou eu?

Adyashanti

Blumina!"o signi.ca o .m de toda a divis"o# )"o é apenas ter uma experiência


ocasional de unidade além de qualquer divis"o, é realmente ser indivis&vel# Bsto
é o que realmente signi.ca n"o:dualidade#

Adyashanti

Despertar para a vis"o absoluta é proundo e transormador, mas despertar de


todos os pontos de vista .xos é o nascimento da verdadeira n"o:dualidade#

Adyashanti

Questione os seus pensamentos#


Questione as suas hist*rias#
Questione as suas suposi!7es#
Questione as suas opini7es#
Questione as suas conclus7es#
Questione:as todas até ao absoluto vazio, quietude e alegria#
As chaves para a liberdade est"o nas suas m"os#
Use:as#

Adyashanti

Quando você descansa em quietude


e a sua imagem de si mesmo se desvanece,
e a sua imagem do mundo se desvanece,
e as suas ideias dos outros se desvanecem,
o que resta?
Uma luminosidade, um vazio radiante
que é simplesmente o que você é#

Adyashanti
)"o tente parar de pensar, deixe isso acontecer#
acontecer# Apenas reconhe!a aquilo que
n"o est+ pensando#

Adyashanti

Juitos %+ vislumbraram a realiza!"o da Unidade@ poucos expressaram


expressaram
consistentemente essa realiza!"o através de sua humanidade# Uma coisa é
tocar numa chama e saber que é quente, mas outra bem dierente é saltar
para essa chama e ser consumido por ela#

Adyashanti

 /oda
 /oda a investiga!"o é destinada
destinada a um prop*sito6
prop*sito6 lev+:lo experimentalmente
experimentalmente ao
Desconhecido t"o e.cientemente quanto poss&vel# Assim que você chegue l+,
apenas .que quieto pois a investiga!"o levou você ao seu destino# $ resto é
com a ra!a#

Adyashanti

)a minha experiência, todo mundo ir+ dizer que quer descobrir a 0erdade,
0erdade, até
que percebam que a 0erdade ir+ roub+:los das suas mais proundas ideias,
cren!as, esperan!as e sonhos# A liberdade da ilumina!"o signi.ca muito mais
do que a experiência de amor e paz# 8igni.ca descobrir uma 0erdade
0erdade que
virar+ de cabe!a para baixo a sua vis"o de si mesmo e da vida#

Cara aquele que est+ verdadeiramente pronto,


pronto, isto ser+ inimaginavelmente
libertador#
libertador# Jas para aquele que ainda est+ apegado de alguma orma, isto ser+
extremamente
extremamente desa.ador, de ato# omo alguém sabe se est+ pronto? Alguém
est+ pronto quando est+ disposto a ser absolutamente consumido por um
incêndio sem .m#

Adyashanti

> +cil imaginar que o Tuddha, o desperto, é algo ou algum lugar que n"o se%a
aqui, ou que despertar para a realidade ir+ acontecer em algum momento que
n"o se%a agora#

Jas, enquanto n*s continuamos a pensar em termos de tempo, n*s iremos nos
iludir#

$ -você- que est+ perseguindo a ilumina!"o nunca ir+ se tornar iluminado#


iluminado#

4m vez de se esor!ar por um ob%etivo distante que você nunca vai alcan!ar,
eu convido você a parar e perguntar6
perguntar6

omo estou eu evitando a ilumina!"o que %+ est+ presente em cada momento?

omo estou eu vendo separa!"o onde ela n"o existe?

Adyashanti
4xiste um poema muito amoso escrito pelo terceiro patriarca do Ven, 8eng:
 /sSAn,
 /sSAn, chamado de =sin:=sin
=sin:=sin Jing, que se traduz
traduz como 0ersos
0ersos sobre
sobre a mente
de con.an!a # )este poema 8eng:/sSAn escreve estas linhas6

-)"o busque a 0erdade@ apenas deixe de valorizar opini7es#-

4sta é uma invers"o da orma que a maioria das pessoas est+ tentando realizar
a 0erdade absoluta# A maioria das pessoas buscam a 0erdade, mas 8eng:/sSAn
est+ dizendo para n"o buscar a verdade#

Bsto soa muito estranho# omo você vai encontrar a 0erdade,


0erdade, se você n"o
busc+:la? omo você vai encontrar a elicidade se você n"o busc+:la? omo
você vai encontrar Deus, se você n"o buscar Deus? /odo mundo parece estar
em busca de algo# )a espiritualidade a busca é altamente honrada e
respeitada, e aqui vem 8eng:/sSAn dizendo para n"o buscar#

A raz"o pela qual 8eng:/sSAn est+ dizendo para n"o buscar é porque a 0erdade,
ou ealidade, n"o é algo ob%etivo# A verdade n"o é algo -l+ ora-#
 ora-# )"o é algo
que você ir+ encontrar como um ob%eto de percep!"o, ou como uma
experiência temporal# A realidade n"o est+ nem dentro de você, nem ora de
você#

: Adyashanti

 /udo
 /udo o que é necess+rio
necess+rio para despertar para
para si mesmo como o vazio
vazio radiante
do esp&rito é parar de buscar algo mais, melhor ou dierente, e voltar a sua
aten!"o para dentro, para o silêncio desperto que você é#

Adyashanti

8e eu tivesse que traduzir o estado de ilumina!"o em termos humanos, eu


teria que o descrever como contentamento# 8endo ninguém, indo a lugar
nenhum, sem necessidade de raz"o para existir# Cara o ego isto provavelmente
soa um pouco entediante, e, claro, para um ego é# Jas, novamente, n"o h+
realmente nada para o ego na ilumina!"o# )a ilumina!"o, o also eu egoico é
revelado como uma ilus"o irrelevante, uma m+scara, um personagem que o
)ada veste enquanto .nge ser humano#

)"o s* n"o existe nada na ilumina!"o para o ego, o ego n"o é realmente nada
além de uma deesa contra a ilumina!"o#
i lumina!"o# 4u n"o estou dizendo que o ego é
mau ou ruim, porque n"o é# 4u estou dizendo que o ego é uma constru!"o
social e pessoal e, portanto, uma ilus"o# Jas n"o h+ nada de errado com uma
ilus"o# Uma pintura é uma ilus"o@ um .lme é uma ilus"o@ um bom romance é
uma ilus"o# $ problema n"o est+ com a ilus"o@ o problema est+ com os apegos
emocionais e v&cios do ego#

Adyashanti

Quando você realiza que pode deixar toda de.ni!"o pessoal para tr+s e ainda
ser, ent"o você come!a a ver que estes pensamentos n"o podem ser quem
você é#
4m outras palavras, quem você é quando n"o est+ existindo através de
pensamentos? Quem você é quando desiste de todos os pensamentos, até
mesmo os que você supostamente n"o deveria questionar como (eu sou um
ser:humano
ser:humano,
, (eu sou uma mulher ou um homem, (eu sou o .lho de
alguém?

0ocê come!a a ver que quando n"o est+ existindo através de pensamentos,
quem você imaginava ser literalmente n"o est+ mais l+# 8e este (eu pode
desaparecer e depois reaparecer quando você cri+:lo através de um
pensamento, como ele pode ser real?

Adyashanti

Da p+gina Adyashanti em português

A verdade é que você %+ é o que você est+ procurando# 0ocê est+ procurando
por Deus com os olhos dele# 4sta verdade
ve rdade é t"o simples, chocante e radical que
é +cil de a perder entre a agita!"o da busca#

Crecisamos
Crecisamos de despertar para o ato de que todos n*s %+ somos Tudas vivos#
)*s somos o vazio, o nada in.nito# Abandone todas as ideias e imagens nas
nossas mentes6 elas vêm e v"o e nem sequer s"o geradas por n*s#

Adyashanti

Juitas coisas s"o relativamente verdadeiras, mas nada que é criado pela
mente é absolutamente verdadeiro#
verdadeiro# > um al&vio para a mente quando ela pode
parar de debater:se
debater:se e todo seu oco, espiritualmente alando, se move do saber
para o ser#

Adyashanti em Cortuguês

$ ego é o movimento da mente em dire!"o aos ob%etos de percep!"o na orma


de agarrar, e para longe dos ob%etos sob a orma de avers"o# Bsto é,
undamentalmente, tudo o que ego é# 4ste movimento de agarrar
a garrar e avers"o d+
origem a uma sensa!"o de um (eu separado, e por sua vez a sensa!"o de
-eu- ortalece:se desta orma#

Adyashanti

)a medita!"o verdadeira todos os ob%etos Epensamentos, sentimentos,


emo!7es, mem*rias, etcF s"o deixados em seu uncionamento natural# Bsto
signi.ca que nenhum esor!o deve ser eito para se ocar, manipular, controlar
ou suprimir ob%etos na consciência#

)a medita!"o verdadeira a ênase é em ser a consciênciaHn"o em ser


consciente de ob%etos, mas em descansar como um ser consciente# Quando
meditando você n"o est+ tentando mudar sua experiência@ você est+ mudando
o seu relacionamento com a experiência#

Adyashanti em Cortuguês
0ocê sempre possui duas escolhas6 sacri.car este mistério que est+ desperto e
presente por alguma outra coisa, ou n"o# 0ocê
0ocê pode escolher n"o sacri.car isto
pela pr*xima promessa
promessa de um momento, evento ou experiência (melhores#
4sta é sua escolhaHser verdadeiro
verdadeiro com o que é verdadeiro,
verdadeiro, ou n"o# 4ste é o
ogo da verdade#

Adyashanti em Cortuguês

)"o tente mudar o sonho, porque tentar mud+:lo é apenas mais um


movimento no sonho# $lhe para o sonho# 4ste%a consciente do sonho# /orne:se
mais interessado na consciência do sonho do que no pr*prio sonho#

Adyashanti

$ Bn.nito usa todas as medidas a .m de despertar em todas as diversas ormas


na existência# 4le usa o nascimento, vida, morte, elicidade, tristeza, clareza e
ilus"o, a .m de despertar# /oda a sua busca é, na realidade, a atividade do
Bn.nito também#

)"o importa o quanto você se perca ou se torne iludido, você nunca poder+ dar
um nico passo para longe do abra!o do Bn.nito# 8e você pudesse,
imediatamente, parar de acreditar na sua mente sonhadora e estar
completamente quieto bem no meio do seu estado atual, o Bn.nito se
apresentaria sem esor!o#

Adyashanti

$ 8er é a onte e o undo no qual os en5menos dos pensamentos, emo!7es,


sons, cheiros, etc# nascem para o primeiro plano#
Quando você descansa no undo, você pode provar o 8er# 0ocê apenas tem que
se oerecer a ele#

Adyashanti

omo a!o para integrar a espiritualidade na minha vida quotidiana?


 Wogue ora o conceito de (vida
(vida espiritual e -vida quotidiana-# 4xiste apenas a
vida, indivis&vel e completa#

Adyashanti

Cara ser verdadeiramente livre, você deve dese%ar conhecer a 0erdade mais do
que você dese%a sentir:se bem# Corque se o sentir:se bem é o seu ob%ectivo,
ent"o logo que você se sentir melhor, você ir+ perder o interesse no que é
verdadeiro#

Bsto n"o signi.ca que sentir:se


sentir:se bem ou experimentar amor e elicidade se%a
uma coisa ruim# Dada a escolha, qualquer um iria escolher sentir elicidade ao
invés de tristeza#

8igni.ca simplesmente que se este dese%o de sentir:se bem é mais orte do que
o dese%o de ver, conhecer e experimentar a 0erdade,
0erdade, ent"o este dese%o estar+
sempre distorcendo a percep!"o do que é eal, enquanto corrompendo a sua
pr*pria e mais prounda integridade#

Adyashanti

A resposta est+ no desaparecimento do questionador#

Adyashanti

Uma das coisas mais importantes na vida é ser capaz de encontrar uma
(estabilidade interna, porque
porque esta ser+ a base que nos permitir+ olhar para a
natureza da nossa experiência de uma orma clara e ob%ectiva#

A menos que possamos encontrar esta estabilidade interna em nossas vidas,


n*s iremos sempre ser levados pela pr*xima experiência, pela pr*xima coisa
que aconte!a a n*s, pela pr*xima pessoa ou situa!"o que encontramos que
se%a di&cil ou desa.adora#

Adyashanti

C6 Cor que mais pessoas n"o se tornam iluminadas?

6 Corque
Corque elas ainda est"o encontrando entretenim
e ntretenimento
ento no sonho#

Adyashanti

Cara estar Aqui,


tudo o que você precisa azer
é deixar ir quem você pensa que é#
Bsso é tudo3
4 ent"o você percebe6 -4u estou aqui-#
Aqui é onde os pensamentos n"o s"o acreditados#
 /oda
 /oda vez que você vem para Aqui,
Aqui, você é )ada#
Um )ada radiante#
Um absoluto e eterno zero#
Um vazio que est+ desperto#
Um vazio que est+ cheio#
Um vazio que é tudo#

Adyashanti

A medita!"o n"o tem dire!"o, ob%ectivo, ou método# /odos os métodos visam


alcan!ar um certo estado mental# /odos os estados s"o limitados,
impermanentes e condicionados#

ascina!"o por estados leva apenas 9 escravid"o e dependência# A verdadeira


medita!"o é permanecer como consciência primordial#

Adyashanti

8e você é um verdadeiro
verdadeiro buscador da liberta!"o, você tem que estar disposto a
permanecer sozinho#
sozinho# )o momento da ;iberta!"o tudo desmorona### tudo# De
repente, o ch"o sob os seus pés se oi, e você est+ sozinho#

0ocê est+ sozinho porque você percebeu diretamente que n"o existe outro, n"o
existe separa!"o#
separa!"o# =+ somente você, somente o 8er E4uF, somente o vazio
ilimitado, a consciência pura#

Adyashanti

$s seres humanos têm uma necessidade de prote!"o e seguran!a, que muitas


vezes é o que alimenta a busca espiritual# 4sta necessidade de prote!"o e
seguran!a é o que causa tanto sorimento e conus"o# A liberdade é um estado
de total e absoluta inseguran!a e de n"o saber#
saber#

Adyashanti

Quando come!amos a sorer, isso nos diz algo muito valioso# Bsso signi.ca que
n"o estamos vendo a 0erdade, e que n"o estamos nos relacionando a partir da
0erdade# > um belo indicador# 4le nunca alha#

Adyashanti

8aia do sonho dos seus conceitos e ideias#


8aia do sonho do que você imagina ser a ilumina!"o#
8aia do sonho de quem você pensa que é#
8aia do sonho de tudo o que você %+ conheceu#
8aia do seu sonho de ser uma pessoa iludida#
Care de dizer a si mesmo essas mentiras e sonhar esses sonhos#
8aia de tudo isso#

0ocê pode azer isso#


)ada est+ prendendo você#
)"o h+ requisitos e pré:requisitos para despertar#
)"o h+ nada a ser eito, nada para pensar, nenhum lugar para onde ir#
ir#

Apenas pare todo o sonhar#


Care todo o azer#
Care com todas as desculpas#
Apenas pare e .que quieto#
ique quieto sem esor!o#
A ra!a ar+ o resto#

Adyashanti

A verdadeira ;iberdade n"o é -eu sou livre#- A verdadeira ;iberdade é -tudo é


livre#- $ que signi.ca que todos tem a liberdade de ser quem s"o# Quer eles
este%am despertos ou n"o# Bludidos ou n"o#

;iberdade é que tudo e todos podem ser exatamente como eles s"o# A menos
que n*s tenhamos compreendido isto, a menos que n*s tenhamos visto que é
assim que a ealidade vê as coisas, ent"o, na verdade, n*s estamos negando a
liberdade do mundo#
Adyashanti

A verdadeira devo!"o é uma rela!"o amorosa com a 0erdade# > estar mais
interessado na 0erdade do que em qualquer outra coisa# > quando a 0erdade é
a nossa maior prioridade <# nesse momento estamos em devo!"o 9 0erdade,
ao /odo#

Adyashanti

4 se você abandonasse todo o controle e todo o dese%o que você tem, até ao
dese%o mais in.nitesimal de controlar qualquer coisa, em qualquer lugar,
incluindo tudo o que possa acontecer com você neste momento?

Bmagine que você era capaz de abandonar completamente e absolutamente o


controle a todos os n&veis# 8e você osse capaz de abandonar o controle
absolutamente, totalmente e completamente, ent"o você seria um ser
espiritualmente livre#

Adyashanti

8e%a um verdadeiro representante


representante da bondade do seu cora!"o, e n"o espere
que se%a +cil ou até mesmo notado#

Adyashanti

$ conKito n"o é inerente 9 existência# A existência é apenas da maneira que é#


$ conKito s* vem da nossa rela!"o com a vida# $ conKito interno s* vem da
nossa rela!"o com n*s mesmos#

Adyashanti

A ;uz da onsciência n"o tem nenhuma mente para alterar ou alguma coisa
para modi.car#
modi.car# )"o h+ nenhuma sensa!"o de que alguma coisa precise mudar,
mas muda#

Adyashanti

A ealidade é sempre verdadeira consigo mesma# Quando você est+ em


harmonia com ela, você experimenta elicidade# Assim que você n"o est+ em
harmonia com ela, você experimenta sorimento# 4sta é a lei do universo@ é a
orma como as coisas s"o# )inguém est+ ora desta lei#

Cara mim, este conhecimento é uma ra!a# A ealidade é consistente#


Argumente com ela, v+ contra ela, e ir+ doer : todas as vezes# 4la magoar+
você, ela ir+ magoar os outros, e ir+ contribuir para o conKito geral de todos os
seres#

Adyashanti

As nossas ilus7es G as cren!as a que nos agarramos G s"o as pr*prias portas


para a nossa liberdade# )*s simplesmente temos de entrar por elas sem
agarrar ou aastar# )"o devemos acreditar nelas, mas também n"o devemos
ugir delas#

)*s precisamos de ver cada momento, de aparente escravid"o, como um


convite para a liberdade# 4nt"o torna:se um ato de amor, um ato de
compaix"o, o parar de ugir#

Adyashanti

=+ uma coisa muito estranha que pode ocorrer exatamente no momento em


que você percebe que n"o h+ como escapar do mundo imagin+rio das suas
ilus7es# 0ocê
0ocê d+ o seu cora!"o aberto 9 ilus"o, entrega a sua eterna luta contra
ela, e admite estar preso pela sua imagina!"o astuta#

4u n"o quero dizer que você se torna desanimado ou resignado ao seu destino#
Quero dizer que você realmente deixa ir, ace 9 sua derrota total, e para de
lutar#
lutar# 4 quando toda a luta cessa, n*s damos conta que a pris"o da nossa
mente n"o pode mais nos segurar, porque a pris"o era algo que n*s
imagin+vamos existir o tempo todo# 4 coisas imaginadas n"o s"o reais, elas
n"o existem#

Jas n*s nunca poder&amos realmente ver isto enquanto est+vamos lutando
contra os antasmas das nossas mentes# )*s precis+vamos da nica coisa que
as nossas mentes imagin+rias n"o poderiam trazer, n"o poderiam .ngir ou
criar6 a verdadeira rendi!"o de todo o esor!o#
esor!o# )um piscar de olhos n*s n"o
estamos mais con.nados dentro
dentro da ilus"o, nem da nossa tentativa de evitar a
ilus"o#

Quando todo o esor!o cessa, n"o h+ nada para nos prender a uma percep!"o
distorcida da existência e n*s podemos .nalmente ver#
ver# $ que vemos é que n*s
n"o existimos apenas dentro da existência, mas toda a existência existe dentro
de n*s também#

Adyashanti

Cermanecer
Cermanecer sozinho em verdadeira solid"o é permanecer no reconhecimento
da absoluta plenitude e unidade de todo o tipo de existência# 4 a partir desse
solo comum, onde nada nem ninguém é estranho para você, o seu amor se
estende através da magnitude do tempo e abra!a a maior e a menor das
coisas#

Adyashanti

$ verdadeiro Amor é muito maior do que qualquer coisa que poderia ser
chamado de pessoal# $ verdadeiro Amor é um milagre n"o:pessoal# > a
natureza da pr*pria ealidade#
ealidade# > a express"o
express"o natural e espontRnea do 8er
indiviso#

Adyashanti
Cerguntar6 -$ que é a 0erdade?- é um pro%eto de demoli!"o# A maior parte da
espiritualidade é um pro%eto de constru!"o#
constru!"o# 4stamos ascendendo e
ascendendo#### 4la apenas continua construindo, e uma pessoa sente6 -4u
estou .cando cada vez melhor#-
melhor#- Jas a ilumina!"o é um pro%eto de demoli!"o#

Adyashanti

)a verdadeira medita!"o a ênase est+ em ser consciência ### n"o em estar


consciente de ob%etos, mas em descansar como a pr*pria consciência
primordial# onsciência primordial
primordial é a onte na qual todos os ob%etos surgem e
desaparecem#

Adyashanti

Quando a mente est+ livre de todo o seu contedo, de todo o seu pensamento
condicionado, ela entra na solid"o do silêncio# 4sse silêncio s* pode surgir
quando você vê as limita!7es do seu pr*prio pensamento#
pensamento#

Quando você vê que os seus pr*prios pensamentos n"o trar"o a 0erdade, a


paz, ou a liberdade, surge um estado natural de silêncio e clareza interior#
interior#

Adyashanti

As pessoas espirituais podem ser algumas das pessoas mais violentas que
você %amais ir+ encontrar#
encontrar# Crincipalmente, elas s"o violentas consigo mesmas#
4las tentam violentamente controlar as suas mentes, as suas emo!7es e os
seus corpos#

4las .cam chateadas com elas mesmas e castigam:se por n"o estarem 9 altura
da ideia que a mente condicionada acredita que a ilumina!"o se%a# )unca
ninguém tornou:se livre através de tal violência#

Corque é que t"o poucas pessoas s"o verdadeiramente livres? Corque elas
tentam se conormar 9s ideias, conceitos e cren!as em suas cabe!as# 4las
tentam se concentrar no seu caminho para o céu#

Jas a ;iberdade é sobre o estado natural, a express"o


express"o espontRnea e
inconsciente da existência# 8e você quiser encontr+:la, ve%a que a pr*pria ideia
de um alguém que est+ no controle é um conceito criado pela mente# Dê um
passo atr+s em dire!"o ao desconhecido#

Adyashanti

Quando você come!a a tornar:se


tornar:se consciente, quando os seus olhos come!am a
abrir, a primeira coisa que você vê é o quanto iludido você é e o quanto você
est+ se agarrando ao que az você sorer# 4ste é, em muitos aspectos, o passo
mais importante6 0ocê est+ disposto a estar consciente?
Adyashanti

$ estado Desperto é inerente


a todas as coisas e todos os seres
em toda parte
o tempo todo#
4ste estado desperto
relaciona:se com cada momento
a partir da inocência
da absoluta honestidade
de um estado onde você se sente
absolutamente autêntico#

8omente a partir deste estado


você percebe
que você nunca quis realmente
o que você pensava que queria#
0ocê percebe
que por tr+s de todos os seus dese%os
havia um nico dese%o6
o de experimentar cada momento
a partir da sua verdadeira natureza#

Adyashanti

 /er
 /er os olhos para ver
ver a divindade de todos os seres é trazer
trazer luz a este mundo#
mundo#

Adyashanti

A ilumina!"o é, no .nal, nada mais do que o estado natural de ser


ser##

Adyashanti

A mente pode aceitar ou negar que você é onsciência, mas, de qualquer


orma, ela n"o pode realmente entender# 4la n"o pode compreender# $
pensamento n"o pode compreender o que est+ além do pensamento#
pensamento#

Adyashanti

> na mente n"o:conKituosa que o sagrado Koresce# 4spiritualidade é apenas


um ato de aquecimento para a rendi!"o#

I Adyashanti

Aqueles que s"o livres n"o querem nada#


)"o querem nada de suas mentes, n"o querem nada de suas emo!7es, n"o
querem nada de outras pessoas, n"o querem nada da vida# 4les n"o querem
nada#
8e você n"o quer nada, tudo o que resta é uma sensa!"o incr&vel de liberdade#

Adyashanti#

Jas ir do despertar para a ilumina!"o requer um certo tipo de compromisso


eroz para com a 0erdade# > uma entrega ao que oi realizado, uma entrega de
n"o se mover ace a se%a o que or# 4 para quem ama a 0erdade, realmente
ama a 0erdade, esta entrega n"o ser+ evitada#

Adyashanti

EDespertar:reconhecimen
EDespertar:reconhecimento
to do nosso 8er@ Blumina!"o:viver permanentemente
permanentemente
nesse reconhecimentoF
reconhecimentoF

0olte sua aten!"o para dentro, para o silêncio desperto que você é#

I Adyashanti

0ocê n"o é nenhuma das hist*rias que você acredita sobre si mesmo# $ que
você é, na verdade, é a ausência de hist*ria#

I Adyashanti

0ocê tem que se tornar mais interessado no undo silencioso do que aquilo que
est+ em primeiro plano, os en5menos6 pensamentos, emo!7es, sons, cheiros,
etc# A maioria das pessoas est"o ocadas no primeiro plano e o que seus cinco
sentidos lhes trazem, mas o 8er é descoberto no undo#
$ 8er é a onte de onde os en5menos nascem e o solo em que essa
demonstra!"o de en5menos est+ acontecendo, dos sentimentos e
experiências mais sutis 9 matéria mais grosseira#
Quando você descansa neste undo, você pode saborear o seu 8er#
0ocê apenas d+:se a ele#

Adyashanti

Questiona os teus pensamentos,


questiona as tuas hist*rias,
questiona as tuas presun!7es,
presun!7es,
questiona as tuas opini7es,
questiona as tuas conclus7es,
questiona tudo no total vazio, quietude e alegria#
As chaves da liberdade
libe rdade est"o nas tuas m"os, usa:as#

Adyashanti
)o passado, os ensinamentos espirituais mais proundos
proundos eram reservados a
uma parte muito pequena da popula!"o espiritual# 4ssas eram as pessoas que
se tornavam monges ou reiras ou sadhus ErenunciantesF, e dedicavam toda a
sua existência 9 obten!"o dos ensinamentos# 0ocê
0ocê n"o poderia obter os
ensinamentos até azer isso, aastar:se
aastar:se da am&lia e dos amigos e da vida como
você a conhecia, e arriscar tudo#

4 mesmo assim os proessores


proessores n"o dariam os ensinamentos a você
imediatamente# 4les provavelmente iriam azer você esperar alguns anos#
Corquê? Corque aqueles poucos seres iluminados sabiam que, para realmente ir
do despertar para a ilumina!"o ou liberta!"o ia exigir esse tipo de
compromisso,
compromisso, esse tipo de amor pela 0erdade, e o tipo de pessoa que colocaria
-todos os seus ovos na cesta- Earriscar tudoF, ali mesmo#

Adyashanti

8e você ama algo mais do que a 0erdade,


0erdade, n"o h+ nenhuma maneira que esta
realiza!"o possa completar:se# 0ocê pode realiz+:la, você pode despertar, e
você pode ter uma experiência agrad+vel de ilumina!"o, mas n"o ser+ algo
est+vel e sem esor!o, ou que dure para sempre#

Adyashanti

4m geral, as pessoas querem a liberta!"o, liberdade, elicidade, paz, amor, e a


total liberta!"o do medo# 4las querem todos os -apetrechos- da ilumina!"o
sem ter que pagar o pre!o# 4las n"o querem pagar o pre!o de um caso
amoroso total, um compromisso
compromisso total# 4u n"o estou alando de algo que este%a
separado, ou se%a, dierente da sua vida#

Bsto n"o tem nada a ver com o mosteiro ou sair da sua existência di+ria# A
0erdade est+ aqui em cada momento da sua vida# Bsto é a verdade# 4la n"o
est+ separada da sua vida# 0ocê
0ocê n"o pode ugir de si mesmo e da sua vida a
.m de despertar para a ealidade# a sua vida é o seu caminho para o
despertar# Care e abra os seus olhos6 0ocê estava livre desde o in&cio#

Adyashanti

Cor avor, entenda que n"o é você que desperta@ é a ealidade que desperta, a
0erdade desperta# 0ocê
0ocê n"o est+ iluminado@ a ilumina!"o est+ iluminada# 4m
ltima an+lise, esta realiza!"o n"o tem nada a ver com indiv&duos, uma vez
que n"o existem quaisquer indiv&duos separados#

4ssa é toda a ilus"o, de que existe algo separado da ealidade ltima# Quando
.ca claro que n"o h+ nada acontecendo que n"o se%a a ealidade ltima, (o(o
neg*cio est+ eito : a ilumina!"o é sem esor!o#
esor!o#

Adyashanti
)o pr*prio cora!"o e centro do nosso ser, existe um (sim avassalador para a
existência# 4ste sim é descoberto por aqueles que têm a coragem de abrir seus
cora!7es para a totalidade da vida#

Adyashanti

Cerceba
Cerceba que todas as vezes que você coloca toda sua aten!"o no agora, o
agora é tremendamente simples# 0ocê 0ocê esquece de todo seu dese%o de estar em
outro lugar, de ser alguém# $ agora é totalmente adequado# 0ocê percebe que
nem você, nem o seu vizinho, e nem o mundo, s"o problemas para ser
resolvidos# Bsto é revolucion+rio, se considerando o estado atual da consciência
da humanidade#

0ocê consegue imaginar o que aconteceria se você realmente entendesse que


você n"o é um problema para ser resolvido, de nenhuma orma? Bmagine que
você entendesse que sempre que você acreditar que você é um problema, isto
é apenas um movimento da mente que diz (n"o
(n"o importa o que este%a
acontecendo, est+ errado#
errado#

$ maior ato de compaix"o é com você mesmo# Quando você n"o se enxerga
mais como um problema, você encontra a (paz que ultrapassa todo
entendimento#

Da p+gina : Adyashanti em Cortuguês


4mptiness Dancing

A maior barreira para o despertar é a cren!a de que é algo raro#

I Adyashanti

A verdadeira elicidade n"o tem causa, ela surge da pr*pria natureza


natureza do
pr*prio ser# )*s buscamos elicidade s* quando estamos adormecidos para a
nossa verdadeira naturezaHsonhando que a ilumina!"o est+ l+, em outro lugar#
Jas todos n*s %+ somos o que estamos procurando# Tudas procurando ser
Tudas# =a3 Que rid&culo#

Adyashanti

A certa altura na vida espiritual, é como se tudo osse espontaneamente


abandonado# Bsto é di&cil de entender até que comece a acontecer realmente
com você# A pr*pria espiritualidade é abandonada# A liberdade é abandonada#

> necess+rio para n*s sermos livres da nossa necessidade de liberdade, de


sermos iluminados da nossa necessidade de ilumina!"o#

Adyashanti

A ealidade absoluta é a onte e a substRncia de tudo, mas ela n"o pode ser
descrita com nenhuma express"o em particular, nem mesmo amor ou
elicidade, ou ser ou qualquer outra express"o do divino# > por isso que eu digo
que ninguém pode dese%ar o que o Absoluto realmente
realmente é, apenas o que eles
pensam ou imaginam que ele é#

Adyashanti

A ealidade absoluta é a onte e a substRncia de tudo, mas ela n"o pode ser
descrita com nenhuma express"o em particular, nem mesmo amor ou
elicidade, ou ser ou qualquer outra express"o do divino# > por isso que eu digo
que ninguém pode dese%ar o que o Absoluto realmente
realmente é, apenas o que eles
pensam ou imaginam que ele é#

Adyashanti

> verdade que n*s nunca podemos ver a n*s mesmos como uma coisa, ou
como um ob%eto de consciência# 4 n*s certamente nunca podemos ver a
consciência@ n*s n"o podemos ver a nossa pr*pria vis"o#

Jas existe uma maneira misteriosa e prounda em que a nossa verdadeira


natureza reconhece
reconhece a si mesmaHn"o como algo -l+ ora- que podemos ver ou
nos relacionar, mas como a pr*pria totalidade reconhecendo a si mesma#

Adyashanti

8empre que você n"o est+ manipulando a sua experiência, você est+
meditando# Assim que você medita porque você acha que deve, você est+
controlando a sua experiência novamente, e você deitou ora todo o valor da
sua medita!"o#

Adyashanti

As experiências, em si mesmas, n"o s"o um problema# De muitas ormas, a


vida é uma experiência ap*s a outra, algumas belas e algumas dolorosas#
dolorosas# $
que causa sorimento e distorce a nossa habilidade de perceber a nossa
natureza Absoluta é o nosso SapegoS 9s experiências#

Adyashanti

0ocê pode ter uma tremenda experiência transormacional,


transormacional, e ela n"o o livra
imediatamente de todas as suas contradi!7es e conus7es# Cor vezes a sua
sombra mais prounda surge ap*s o seu despertar mais proundo#
proundo#

Adyashanti em Cortuguês

C# $ que devo azer se uma velha mem*ria dolorosa surgir durante a


medita!"o?

Adya# 0elhas
0elhas mem*rias, m+goas, medos, raivas, ressentimentos, etc podem
surgir na medita!"o# Apenas permita que eles sur%am sem resistir, analisar,
 %ulgar, ou neg+:los# Apenas
Apenas observe:os sem se envolver
envolver## 0e%a
0e%a que eles n"o
de.nem quem você é# 4les s"o bolsas de inconsciência surgindo para seremserem
puri.cados 9 luz da consciência e libertados de seu sistema# Cermita
Cermita que a luz
do ser liberte o sorimento#

: Adyashanti

(Juitos %+ vislumbraram a realiza!"o da Unidade@ poucos expressaram


expressaram
consistentemente essa realiza!"o através de sua humanidade# Uma coisa é
tocar numa chama e saber que é quente, mas outra bem dierente é saltar
para essa chama e ser consumido por ela#

Adyashanti

$ pensamento obsessivo surge do medo, da ansiedade e da luta# 4sses s"o os


guias do pensamento excessivo# Cor isso, além da pr+tica de medita!"o, você
pode querer come!ar a contemplar o que você tem medo, do que você est+
ugindo, o que você n"o quer lidar dentro de você ou na sua vida# Cor
contemplar quero dizer identi.car exatamente que medos est"o lhe guiando#
8obre que suposi!7es eles est"o constru&dos? De que você est+ correndo?
correndo?

Bgualmente, o pensamento descontrolado é sua mente buscando paz H como


se, se você pudesse pensar o su.ciente e entender o su.ciente, sua mente
poderia estar em paz# Jas a mente nunca consegue pensar o su.ciente até
chegar 9 paz duradoura# )a verdade, na corrida da mente para encontrar paz e
seguran!a, ela ignora a paz que %+ est+ presente dentro
dentro da presen!a da
consciência#

4nt"o contemple do que sua mente est+ tentando ugir, e o que est+
procurando#
procurando# 4 comece a mostrar 9 sua mente que a paz est+ dispon&vel no
presente# ;iteralmente traga a aten!"o da sua mente para a paz maior da
consciência# 4 dê a sua mente algo para azer na orma de seguir sua
respira!"o#
respira!"o# Apenas siga a respira!"o sempre que você puder durante o dia,
porque isso ir+ acalmar seu sistema nervoso e dar+ 9 sua mente algo para
azer dierente de pensar obsessivamente# laro, os pensamentos podem vir,
mas ancore:os na respira!"o# 8e%a paciente e gentil consigo mesmo# Juito
paciente e muito gentil#

Adyashanti

8inta, na sua pr*pria experiência, o que come!a a nascer quando você


permite:se experimentar a desorienta!"o do buscador espiritual que deixa de
buscar uma experiência dierente daquela que est+ acontecendo
a contecendo agora# 0ocê
0ocê
pode sentir o buscador se dissolvendo e a paz emergindo, que é a paz que o
buscador estava sempre 9 procura, de qualquer modo#

L medida que o buscador se dissolve, ent"o a paz nasce, e h+ quietude# 4sta


n"o é uma qualidade de quietude que tem qualquer dependência de um estado
emocional#

)o momento em que o buscador come!a a se dissolver e h+ apenas paz, ent"o


o pêndulo pode oscilar para um estado espiritual elevado ou um estado muito
comum, ou mesmo para um estado desagrad+vel, e a paz, em si, permanece
completamente independente desses estados#

4ste é o amanhecer da realiza!"o de que somente a partir do local onde o


buscador est+ se dissolvendo pode a liberdade acontecer, porque n"o h+ mais
qualquer movimento em dire!"o ou para longe da experiência#

Adyashanti

Ao longo dos anos a dar palestras e ter discuss7es com as pessoas sobre
liberdade, ilumina!"o e liberta!"o, eu descobri que a maioria das pessoas que
est"o buscando a ilumina!"o ou liberta!"o n"o têm ideia o que isso é#

> ir5nico que pessoas que est"o gastando uma grande quantidade de sua
energia, mesmo sacri.cando as suas vidas em alguns casos, ao se trancarem
em mosteiros ou irem a satsang sempre que um novo proessor vem 9 cidade,
e gastarem todo o seu dinheiro extra em livros, semin+rios de .m de semana e
tardes como esta, onde elas ponderam intensamente quest7es espirituais,
realmente n"o tem qualquer ideia do que elas est"o atr+s#

Adyashanti

Do que ugimos mais do que do silêncio? Juitos de n*s preerir&amos nos


agarrar a nossas ideias, nossas cren!as e nossas opini7esHas pr*prias coisas
que nos aastam da verdade, da realidade e da vida : do que enrentar este
silêncio#

)*s gastamos tanta energia ugindo do silêncio, mas o silêncio é o solo a partir
do qual o despertar nasce# > o solo a partir do qual n*s sa&mos deste estado
egoico de consciência, desta cren!a na separa!"o# A.nal de contas, a
separa!"o é, em ltima an+lise, apenas uma cren!a# > uma hist*ria criada em
nossas mentes#

I Adyashanti

8e você se agarrar a qualquer experiência, você experimentar+ sorimento logo


que ela passe# > incr&vel que, requentemente, esse sorimento
sorimento n"o nos az
seguir em rente, mas az:nos voltar para tr+s NOP graus para procurar pela
experiência que perdemos#

 /antas
 /antas vezes este sorimento
sorimento é um completo desperd&cio
desperd&cio de tempo, porque n*s
n*s
n"o aprendemos a li!"o de que qualquer experiência que veio e se oi n"o é a
ilumina!"o, e n*s tentamos repeti:la ou mantê:la inde.nidamente#

Adyashanti

)a vida da maioria dos seres humanos, tudo é sobre uma uga da verdade#
ve rdade# A
verdade que n*s estamos evitando é a verdade do vazio#

)*s n"o queremos ver que n*s somos nada#


)*s n"o queremos ver que tudo o que acreditamos é errado#
)*s n"o queremos ver que tudo o que todos acreditam é errado#
)*s n"o queremos ver que o nosso ponto de vista é errado e que n"o existe
nenhum ponto de vista certo#
)*s n"o queremos ver que tudo o que pensamos sobre Deus é o que Deus n"o
é#
)*s n"o queremos ver o que o Tuda quis dizer quando disse que n"o existe eu#

)*s preerimos inserir rapidamente uma declara!"o positiva# 4nt"o, em vez de


ver que n"o existe -eu- e que tudo o que a mente considera verdadeiro
verdadeiro é
undamentalmente vazio, as nossas mentes rapidamente inserem algo positivo
como6 -4u sou consciência- ou -/udo é elicidade- ou -Deus é amor#- )*s n"o
queremos ver que h+ um vazio aberto no centro da nossa existência#

Adyashanti

endi!"o
endi!"o n"o signi.ca SS4u vou pelo divino, abandonando tudo, dando a minha
vida, o meu cora!"o, tudo# 4u estou desistindo de tudo para que eu possa
obter a derradeira guloseima espiritual#-

Juitas das pessoas que est"o a azer as suas cem mil prostra!7es
prostra!7es em torno
dos =imalaias, est"o a azê:las s* porque elas pensam que isso ir+ lhes trazer a
derradeira guloseima# W+ pensou sobre isso?

8e eu n"o pensasse que isso ia me dar a derradeira guloseima, eu n"o o aria,


pelo amor de Deus# em mil prostra!7es
prostra!7es é uma verdadeira chatice#

Adyashanti

)um certo sentido, a ilumina!"o é perceber que n"o existe nenhum (eu
separado# Codemos
Codemos ouvir isto cem mil vezes, ()"o existe nenhum eu
separado# Jas o que acontece quando n*s trazemos isto para dentro e
consideramos seriamente o que isto poderia signi.car? )*s ir&amos descobrir
que signi.ca que tudo o que eu, como um eu separado, considero verdadeiro,
verdadeiro,
n"o é#

$ sabor de -nenhum eu separado- é totalmente libertador#


libertador# -)enhum eu
separado- n"o signi.ca que h+ uma experiência espiritual tal como, -eu me
estendi in.nitamente por toda a parte, e me undi com tudo#- 4ssa é uma
experiência bela e maravilhosa para um -eu- separado ter, mas n"o é isso que
é a Unidade# A Unidade n"o est+ se undindo#

A us"o ocorre entre


entre dois e uma vez que existe apenas Um, ent"o qualquer
experiência de us"o é uma ilus"o se undindo com outra, por mais linda e
maravilhosa que essa experiência possa ser#
ser# Jesmo quando eu experimentei
undir:me
undir:me com o absoluto, com o in.nito, com Deus, isso signi.ca
simplesmente que o meu -eu- .ct&cio se undiu com outra .c!"o# experiências
m&sticas n"o s"o ilumina!"o#

Adyashanti

Quando o despertar para a nossa verdadeira natureza ocorre,


ocorre, nossas mentes
n"o est"o mais olhando para o vazio, porque n"o existe um alguém separado
para olhar para ele# )*s percebemos que a nica coisa que est+ olhando para o
vazio é ele mesmo#

4ssa é outra raz"o pela qual, e eu n"o sou o primeiro a dizê:lo, n"o existem
indiv&duos iluminados, existe apenas a ilumina!"o# > a ilumina!"o que
desperta# )"o eu ou você# 4u e você somos vistos como insigni.cantes e
inexistentes# A ilumina!"o desperta#

> por isso que se diz que todo mundo é inerentemente iluminado#
Jas essa a.rma!"o é enganadora porque
porque implica que todo mundo é um
pequeno, especial, nico e separado alguém que é inerentemente iluminado, e
isso alha o ob%ectivo# Uma ilus"o n"o pode ser iluminada#

Adyashanti

As pessoas vêm até mim e dizem constantemente6 (Adya, eu estou desperto


mas <# laro que, assim que elas dizem (mas, eu sei, como proessor, que
elas n"o est"o despertas neste momento#

4las podem ter tido um momento em que romperam com os limites da


dualidade e perceberam a 0erdade, mas elas n"o experimentaram um
despertar permanente@ elas n"o est"o despertas agora#

4m termos de despertar, o que importa é o aqui e agora# $ que aconteceu


ontem realmente n"o tem muito a ver com o que est+ acontecendo ho%e# A
quest"o n"o é, -%+ tive eu um despertar?- A quest"o é, -o despertar est+
desperto aqui e agora?-

Adyashanti

Questione os seus pensamentos#


Questione as suas hist*rias#
Questione as suas suposi!7es#
Questione as suas opini7es#
Questione as suas conclus7es#
Questione:as todas até ao absoluto vazio, silêncio, e alegria#
As chaves para a liberdade est"o em suas m"os#
Use:as#

: Adyashanti

A grande de.ni!"o de ilumina!"o é simplesmente o estado natural de ser#


ser# )*s
temos sido hipnotizados em pensar que a percep!"o da divis"o, do medo e do
conKito é realmente o estado natural da humanidade# Jas, em outro momento,
quando nos tornamos mais conscientes, vemos que este estado de divis"o n"o
é natural#

omo eu disse antes, é preciso uma enorme quantidade de energia para


manter a ilus"o de divis"o, porque n"o é o estado natural# 4ste acto deveria
ser *bvio, porque a divis"o n"o é sentida como natural#

4la pode ser sentida como sendo comum, como se osse uma coisa usual, você
poder+ vê:la ao seu redor, mas quando você sente esse mesmo conKito dentro
de si mesmo, você percebe que ele n"o é natural# 0ocê
0ocê se sente dividido@ você
se sente em conKito#

Adyashanti

Cortanto,
Cortanto, o estado de consciência, no qual a grande maioria da humanidade
est+, n"o é natural# > alterado# )*s n"o precisamos de ir 9 procura de estados
alterados de consciência@ a humanidade %+ est+ num estado alterado de
consciência# > chamado de separa!"o# A separa!"o é o derradeiro estado
alterado de consciência#

ontrariamente a um mal:entendido popular, a ilumina!"o n"o tem nada a ver


com um estado alterado de consciência# A ilumina!"o é um estado inalterado
de consciência# > pura consciência como ela realmente é, antes de ser
transormada
transormada em algo, antes de ser alterada de alguma maneira#

Adyashanti

Uma das ilus7es mais comuns ap*s o despertar é a ilus"o de superioridade#


Bsto é muito comum em c&rculos espirituais# As pessoas podem .car presas
num sentimento de superioridade, quer elas este%am despertas ou n"o@ é uma
armadilha no estado de sonho, tal como é uma armadilha quando alguém est+
atravessando do estado desperto n"o:permanente para o estado desperto
permanente#

Jas ap*s o despertar, a mente egoica pode entrar e come!ar a sentir um


senso pessoal de ser melhor, como se o despertar tornasse alguém melhor do
que outro# Bsto é muito comum@ é quase uma parte natural do processo#

Bnerente a esta ilus"o est+ a sensa!"o de que sabemos alguma coisa# Corque
n*s despertamos, n*s sabemos# Corque n*s despertamos, n*s estamos certos#
Corque
Corque n*s despertamos, n*s estamos sempre certos#

)este momento, o ego : que é o construtor do estado de sonho : pode se


apropriar desta percep!"o
percep!"o e come!ar a criar o que eu chamo de um ego
iluminado#

)"o h+ nada mais desagrad+vel do que um ego iluminado# > um ego que
pensa que é iluminado, um ego que pensa que est+ desperto, um ego que est+
usando alguma da energia e realiza!"o do despertar para a constru!"o de um
novo e superior senso de eu#

Adyashanti

> muito comum para o ego dizer a si mesmo6 -4u despertei e eu vi que tudo é
espontRneo# Cortanto,
Cortanto, eu n"o sou respons+vel
respons+vel por se%a o que or que aconte!a#
8e você n"o gostar, lamento@ você apenas n"o viu a natureza ltima da
realidade#- 4ste é um tipo de ilus"o egoica baseada na superioridade#

omo eu disse, esta ilus"o é muito comum e é por isso que eu enatizo que, na
viagem do despertar n"o:permanente para o despertar permanente, o nosso
maior aliado é um senso orte e proundo de sinceridade# om sinceridade, n*s
somos capazes de reconhecer que esta superioridade é uma orma de
arrogRncia,
arrogRncia, uma orma que a mente est+ usando o -insight- para se esconder#
esconder#

Adyashanti

Cor vezes, os egos mais di&ceis de penetrar s"o aqueles que tiveram um
vislumbre da ealidade# 0ocê poderia pensar que se alguém teve um
verdadeiro
verdadeiro vislumbre da ealidade, mesmo que osse momentRneoHo seu ego
nunca poderia reconstruir:se
reconstruir:se numa orma t"o altamente deensiva# Jas esse
n"o é o caso@ algumas pessoas podem se tornar extremamente iludidas,
mesmo depois de terem tido um despertar#

Adyashanti

4mbora pare!a que seria di&cil n"o nos esor!armos, realmente


realmente n"o é# $ que
az parecer di&cil é que o nosso senso de eu, o nosso -pequeno eu-, est+
tentando n"o se esor!ar, e enquanto n*s, como senso de eu, estamos
tentando n"o nos esor!ar, a pr*pria inten!"o de o azer cria uma tens"o
dentro de n*s, uma espécie de rigidez psicol*gica e emocional#

elaxar
elaxar e deixar ir o esor!o n"o é algo que o ego a!a : no entanto, n*s muitas
vezes envolvemos os nossos egos na tentativa de azer acontecer o -deixar
ir-#

Até mesmo dizer -Deixe ir o esor!o- n"o é muito correto# /udo o que é
necess+rio é que você comece a reconhecer aquele lugar dentro de você que
n"o est+ se esor!ando# azer isto signi.ca que n"o existe realmente nenhum
uturo sobre
sobre o qual ter esperan!a#

De acto, a ideia de uturo é uma das barreiras do despertar para a nossa


verdadeira natureza#
natureza# Bsto porque o uturo nos mantém a olhar para algo
dierente do que est+ acontecendo agora#

8e você perguntar a si mesmo6 -Jesmo antes de eu tentar parar de esor!ar,


mesmo antes de eu tentar relaxar e encontrar a paz, a paz %+ est+ aqui?- 4m
seguida, apenas .que em silêncio por um momento e ou!a#

I Adyashanti

8entar:se
8entar:se em silêncio e quietude e .car apenas num estado de abertura, d+:lhe
uma clara oportunidade de ver o que acontece internamente quando você para
de %ulgar as suas experiências, quando você para de %ulgar a sua mente por
estar ocupada, ou para de %ulgar a si mesmo por ter um determinado
sentimento#

0ocê n"o tenta se livrar do sentimento# 0ocê n"o tenta se livrar da mente# 0ocê
apenas abandona o seu %ulgamento# 0ocê
0ocê abandona a tentativa de controlar o
momento# Cor
Cor um tempo, você se rende ao que é#

I Adyashanti
Quando lutamos, n*s abricamos algo em nossa experiência que, para o estado
egoico de consciência, é muito essencial6 uma contra!"o# A -contra!"o- é
simplesmente um estreitamento#
estreitamento#

Quando você sente uma contra!"o em seu corpo, quer se%a em seu est5mago,
seu cora!"o, ou mesmo em sua cabe!a, você experimenta um estreitamento,
uma compress"o# Quando estamos contra&dos, n*s omos realmente
puxados para ora da totalidade, para ora de um senso de plenitude, e para
um senso de ser pequeno ou separado#

A luta é necess+ria a .m de permanecer no estado egoico de consciência, e é


por isso que, quando você olha para o mundo ao seu redor, você vê tanta luta#
A raz"o pela qual n*s lutamos para manter o estado egoico é porque nos
permite viver nossas vidas como se n*s estivéssemos no controle e separados
do mundo que nos rodeia#

4mbora, em ltima an+lise, isto prove ser muito insatisat*rio, ornece uma
certa quantidade de conorto e seguran!a, e permite:nos permanecer no
conhecido e n"o nos aventurarmos muito em territ*rio desconhecido#

Adyashanti

A orma como n*s estreitamos a consciência é através do esor!o, através da


luta# Aquilo a que todos n*s aspiramos, e o que de acto é natural para n*s, é a
abertura, paz, amor e bem:estar#

4stas qualidades s"o qualidades completamente naturais do esp&rito# 4las


surgem em n*s quando nos tornamos conscientes da nossa natureza espiritual,
da nossa natureza n"o:separada, n"o:alguém# 4nt"o o amor Kui naturalmente#

Adyashanti

Quando eu me tornei consciente deste dese%o de liberdade, quando se tornou


consciente em mim, eu comecei a passar mais tempo sentado em silêncio#

4u estava lendo muitos livros sobre liberdade e liberta!"o nessa altura e todos
eles pareciam dizer a mesma coisa6 (0ocê precisa de .car quieto# 0ocê precisa
de aquietar a sua mente, porque se você n"o aquietar a sua mente, você n"o
poder+ ver além dela#

4nt"o eu passei horas e horas sentado em silêncio, tentando aquietar a minha


mente# $ problema é que este tipo de tentar envolve grande esor!o#
esor!o# Cassei
muitos anos lutando para ir além da mente#

Adyashanti

4nt"o, mais uma vez, para estabelecer as bases para o despertar, n*s primeiro
precisamos de deixar ir a luta# 0ocê
0ocê a deixa ir
i r por reconhecer que o .m da luta
est+ de acto presente na sua experiência agora# $ .m da luta é a paz#

Jesmo que o seu ego este%a lutando, mesmo se você estiver tentando
entender e -azê:lo corretamente-,
corretamente-, se você realmente observar, você poder+
ver que a luta est+ acontecendo dentro de um contexto maior de paz, dentro
de uma quietude interior#

Jas se você tentar azer a quietude acontecer, você ir+ perdê:la# 8e você
tentar azer a paz acontecer, você ir+ perdê:la#
pe rdê:la# 4ste é mais como um processo
de reconhecimento, dando reconhecimento a uma quietude que est+
naturalmente presente#

Adyashanti

Jedita!"o é a arte de permitir que tudo simplesmente se%a, da orma mais


prounda poss&vel# A .m de deixar que tudo se%a, n*s devemos deixar ir o
esor!o de controlar e manipular a nossa experiência, o que signi.ca deixar ir a
vontade pessoal# Bsto vai diretamente ao cora!"o da maquilhagem egoica, que
busca elicidade através do controle, da busca, do esor!o e manipula!"o#

Adyashanti

A atitude avor+vel 9 medita!"o é uma de rendi!"o, n"o:esor!o, e abertura# A


medita!"o é mais uma orma de ora!"o silenciosa do que uma técnica a
dominar#

Adyashanti

A verdadeira medita!"o aparece na consciência espontaneamente quando a


consciência n"o est+ a ser manipulada ou controlada# Quando você come!a a
meditar, você nota que a aten!"o é muitas vezes eita reém, ocando:se em
algum ob%eto6 em pensamentos, sensa!7es corporais, emo!7es, mem*rias,
sons, etc#

Bsto ocorre porque a mente est+ condicionada a ocar:se e contrair:se em


ob%etos# 4nt"o a mente compulsivamente interpreta e tenta controlar aquilo do
qual ela est+ conscienteEo ob%etoF de uma orma mecRnica e distorcida# 4la
come!a a tirar conclus7es e azer suposi!7es de acordo com condicionamento
passado#

Adyashanti

A verdadeira medita!"o n"o tem dire!"o ou ob%ectivo# > pura rendi!"o


silenciosa, pura ora!"o silenciosa# /odos os métodos que visem atingir um
certo estado mental s"o limitados, impermanentes, e condicionados# asc&nio
asc&nio
com estados leva apenas 9 escravid"o e dependência# A verdadeira
verdadeira medita!"o
é quietude sem:esor!o,
sem:esor!o, permanecer como ser primordial#

Adyashanti

)a verdadeira medita!"o todos os ob%etos Epensamentos, sentimentos,


emo!7es, mem*rias, etc#F s"o deixados no seu uncionamento natural# Bsto
signi.ca que nenhum esor!o deve ser eito para ocar, manipular, controlar ou
reprimir qualquer ob%eto da consciência#

)a verdadeira medita!"o a ênase est+ em ser a consciência, n"o em estar


consciente de ob%etos, mas em descansar como ser consciente em si# )a
medita!"o você n"o est+ tentando mudar a sua experiência@ você est+
mudando a sua rela!"o com a sua experiência#

Adyashanti

L medida que você relaxa gentilmente na consciência, a contra!"o compulsiva


da mente em torno de ob%etos ir+ desaparecer# $ silêncio de ser surgir+ mais
claramente na consciência como umas boas:vindas para descansar e
permanecer#
permanecer# Uma atitude de receptividade aberta, livre de qualquer ob%ectivo
ou antecipa!"o, acilitar+ a revela!"o da presen!a do silêncio e quietude como
sendo a sua condi!"o natural#

Adyashanti

Quando você consegue deixar ir toda a inten!"o e técnica e n"o se perder na


mente ou cair num estado enevoado ou entorpecido de consciência, a
verdadeira medita!"o est+ espontaneamente acontecendo# A derradeira orma
de medita!"o é quando o meditador desaparece completamente#

Adyashanti

L medida que você descansa mais proundamente e sem:esor!o na quietude,


a consciência torna:se livre do h+bito compulsivo da mente de controle,
contra!"o, e identi.ca!"o# A consciência retorna 9 sua condi!"o natural de ser
consciente, absoluto potencial n"o:maniestoHo abismo silencioso além de
todo o conhecer#

Adyashanti

)"o é incomum que, a dada altura na sua vida espiritual, você experimente
v+rias ormas de energia intensa# )"o .que ascinado pela energia e n"o tente
suprimir ou control+:la, porque
porque ao azê:lo s* ir+ tender a intensi.c+:la#

4nra&ze a sua aten!"o naquele estado que é antes de todas as ormas de


energia# Descanse em silêncio, quietude e vazio, anterior +s energias do corpo
e da mente# 4nra&ze a sua aten!"o no abd5men inerior#
inerior# Bsto ir+ a%udar a
undamentar e integrar a energia#

Adyashanti

Creenchido com o amor da 0erdade, n"o se surpreenda se a investiga!"o


comece a consumir todas as suas suposi!7es ocultas, todas as suas cren!as,
todas as suas opini7es, todos os seus %ulgamentos, tudo o que você aprendeu
dos outros em segunda m"o#

4 n"o se surpreenda
surpreenda se a maioria das suas ideias espirituais orem consumidas
também, pois s"o as nossas ideias espirituais que mais e.cazmente nos
protegem da verdadeira experiência espiritual#

Adyashanti
ique quieto#
Questione cada pensamento#
ontemple a onte da ealidade#

Adyashanti

Dentro de cada uma das nossas ormas reside o mistério existencial do ser# L
parte da nossa aparência &sica, personalidade, sexo, hist*ria, ocupa!"o,
esperan!as e sonhos, idas e vindas, encontra:se um misterioso silêncio, um
abismo de quietude carregado com uma presen!a etérea#

om todas as nossas ansiosas atividades e obsess7es com trivialidades, n"o


podemos negar completamente esta essência antasmag*rica em nosso
Rmago# 4, ainda assim, azemos tudo o que podemos para evitar a sua
quietude, o seu silêncio, o seu absoluto vazio e intimidade radiante#

Adyashanti

Cermanecer
Cermanecer inconsciente do ser é permanecer adormecido para a nossa
pr*pria realidade e, portanto, adormecido para a ealidade em geral# A escolha
é simples6 despertar para o ser ou dormir um sono sem .m#

Adyashanti

8e você est+ procurando pelo tipo de proessor que é uma pessoa totalmente
pereita, ent"o escolha um que este%a morto# $s que est"o vivos viver"o#

I Adyashanti

A Cresen!a n"o est+ su%eita ao nascimento ou 9 morte@ ela n"o pertence ao


mundo das -coisas-# 4la é a luz e o brilho da consciência, na qual mundos
inteiros surgem e desaparecem#

Adyashanti

8ilêncio e quietude n"o s"o estados e, portanto, n"o podem ser produzidos ou
criados# $ silêncio é o n"o:estado no qual todos os estados surgem e
desaparecem# $ silêncio, quietude, e consciência n"o s"o estados e nunca
podem ser percebidos na sua totalidade como ob%etos#

$ silêncio é, ele mesmo, a eterna testemunha, sem orma ou atributos# Quando


você descansa mais proundamente como testemunha, todos os ob%etos
assumem a sua uncionalidade natural, e a consciência torna:se livre das
contra!7es e identi.ca!7es compulsivas da mente, e retorna ao seu n"o:estado
natural de Cresen!a#

Adyashanti

4xistem, de acto, boas e espec&.cas raz7es porque algumas pr+ticas de


medita!"o, incluindo o tipo de medita!"o com a qual eu estive envolvido, n"o
levam a este prometido estado de transorma!"o#
transorma!"o#
A principal raz"o é, na verdade, extraordinariamente
extraordinariamente simples e, portanto, +cil
de n"o ser notada6 n*s aproximamo:nos da medita!"o com a atitude errada#
)*s realizamos a nossa medita!"o com uma atitude de controle e
manipula!"o, e essa é a raz"o pela qual a nossa medita!"o nos conduz, ao que
parece ser, um beco sem sa&da#

$ estado desperto de ser, o estado iluminado de ser, também pode ser


chamado de estado natural de ser
ser## omo pode o controle e a manipula!"o
levar:nos ao nosso estado natural?

Adyashanti

Blumina!"o é, no .nal, nada mais do que o estado natural de ser#


ser# 8e você o
despir de toda a terminologia complexa e todo o %arg"o complexo,
complexo, a ilumina!"o
é simplesmente voltar para o nosso estado natural de ser#

4stado natural, é claro, signi.ca um estado que n"o é criado, um estado que
n"o requer nenhum esor!o ou disciplina para ser mantido, um estado de ser
que n"o é melhorado por qualquer tipo de manipula!"o da mente ou do corpo,
por outras palavras, um estado que é completamente natural, completamente
espontRneo#

Adyashanti

)o que eu chamo de 0erdadeira


0erdadeira Jedita!"o, esta tendência da mente para
controlar, manipular e ser disciplinado é abandonada desde o in&cio# 4ste
deixar ir o controle e manipula!"o é a unda!"o da 0erdadeira
0erdadeira Jedita!"o# Cor
mais estranho que pare!a, o in&cio extraordinariamente
extraordinariamente simples da medita!"o é
deixar ir o controle, deixar ir a manipula!"o#

Adyashanti

A verdadeira medita!"o n"o é sobre dominar uma técnica@ é sobre deixar ir o


controle# Bsto é medita!"o# Qualquer outra coisa é, na verdade, uma orma de
concentra!"o# Jedita!"o e concentra!"o s"o duas coisas dierentes#
oncentra!"o é uma disciplina@ concentra!"o é uma maneira em que estamos,
na verdade, dirigindo ou guiando ou controlando a nossa experiência#
Jedita!"o é deixar ir o controle, deixar de guiar a nossa experiência se%a de
que orma
 orma or#

A unda!"o da verdadeira medita!"o é que estamos a deixar ir o controle# CaraCara


um ser humano, deixar ir o controle é, na verdade, uma coisa imensa# Carece
Carece
+cil de dizer6 (Apenas deixe ir o controle# Jas, para a maioria dos seres
humanos, toda a nossa estrutura psicol*gica, toda o nosso ser psicol*gico, os
nossos egos, s"o eitos quase inteiramente de controle# Cedir a uma mente ou
a um ego que deixe ir o controle é uma ideia revolucion+ria#

Adyashanti

$ que eu estou sugerindo na 0erdadeira


0erdadeira Jedita!"o é que realmente ve%amos,
que olhemos para a medita!"o como uma orma de investigar#
investigar#
A verdadeira medita!"o n"o é realmente uma nova técnica, é uma maneira de
investigar por si mesmo : no seu pr*prio
p r*prio corpo, na sua pr*pria
pr*pria mente, sob a
sua pr*pria autoridade, sob a autoridade da sua pr*pria experiência : o que
acontece quando você come!a a abrir m"o do controle e permitir que tudo se%a
como é#

$ que acontece quando você permite que a sua experiência se%a exatamente
como ela é, sem tentar mud+:la# 4m vez de uma técnica, a 0erdadeira
Jedita!"o é realmente um meio de investiga!"o# $ que acontece quando n*s
realmente deixamos ir o controle e manipula!"o?

Adyashanti

)a 0erdadeira
0erdadeira Jedita!"o, n*s come!amos da base de deixar tudo ser como é#
)a 0erdadeira
0erdadeira Jedita!"o n*s n"o estamos nos movendo em dire!"o ao estado
natural ou tentando criar o estado natural@ n*s realmente come!amos no
estado natural desde o in&cio#

Bsto oi o que eu descobri anos atr+s, quando comecei a deixar ir o meditador,
o controlador, quando me sentei e simplesmente permiti que tudo osse tal
como era#

$ que eu percebi muito rapidamente oi que a paz e a quietude que eu estava
tentando alcan!ar %+ estava l+# /udo
/udo o que eu tinha que azer era parar de
tentar obtê:las# /udo que eu tinha que azer era sentar e permitir que a minha
experiência osse tal como era#

Adyashanti

omo a maioria das pessoas, quando eu me sentavaEem medita!"oF, por vezes


sentia:me bem e tranquilo# $utras vezes eu .cava agitado, chateado ou
ansioso# Ls vezes eu .cava triste, e 9s vezes eu .cava eliz# 4u senti todas as
diversas emo!7es humanas enquanto eu estava sentado#

$ que eu percebi oi que, quando eu permitia que a minha experiência osse tal
como era, e n"o azia nenhum esor!o para mud+:la, um estado natural de ser
sub%acente come!ava a surgir na consciência# Um estado de consciência n"o:
contaminado e n"o:abricado come!ava a surgir de orma muito simples e
muito natural#

4u o chamo de um estado muito inocente de consciência, porque n"o oi


derivado de esor!o ou disciplina# 4u descobri que o estado natural, o nosso
estado natural de ser, n"o é um estado alterado de consciência#

Adyashanti

Juitas pessoas associam a medita!"o com estados alterados de consciência#


)o entanto, este é um proundo mal:entendido sobre o potencial da medita!"o#
$ potencial que eu estou alando é o despertar espiritual, despertar para a
realiza!"o do que você e tudo realmente é, a unidade de tudo#
8omos ensinados, ou assumimos, que perceber tudo como sendo Um e
perceber a si mesmo como n"o separado é entrar num estado alterado de
consciência# 4 no entanto, como se vê, a verdade é %ustamente o oposto#

Cerceber
Cerceber tudo como sendo Um n"o é um estado alterado de consciência# > um
estado inalterado da consciência@ é o estado natural da consciência# 4m
compara!"o, tudo o resto é um estado alterado#

Adyashanti

Quando pensamos em medita!"o, n*s precisamos de abandonar a ideia que a


ilumina!"o é um estado alterado de consciência que podemos, de alguma
orma, obter# Jeditadores experientes sabem que se você meditar arduamente
e por tempo su.ciente, você ir+ ocasionalmente entrar em estados alterados
de consciência# =+ todo o tipos deles#

A elicidade é um estado alterado de consciência# A tristeza é um estado


alterado de consciência# A depress"o é um estado alterado de consciência#
4nt"o, é claro, h+ todo o tipo de estados m&sticos de consciência6 a us"o com
o cosmos é um estado alterado de consciência@ sentir a sua consciência se
expandindo é um estado alterado de consciência# 4xistem muitas variedades
de estados alterados de consciência#

Adyashanti

A maioria das pessoas pensa que a ilumina!"o é um estado alterado de


consciência# 4ste é um proundo mal:entendido# A ilumina!"o é o estado
natural da consciência, o estado inocente de consciência, aquele estado n"o:
contaminado pelo movimento do pensamento, n"o:contaminado pelo controle
ou manipula!"o da mente# Bsto é realmente o que a ilumina!"o é#

)*s n"o podemos chegar a esta verdade da nossa natureza através da


manipula!"o# )"o podemos ir além do que eu chamo de alsa identidade, a
identidade egoica, por tentarmos mudar#
mudar# )*s apenas podemos come!ar a
permitir que a consciência desperte da sua identi.ca!"o com o pensamento e
sentimento, com o corpo, a mente e a personalidade, ao permitir a n*s
mesmos descansar no estado natural desde o in&cio#

Adyashanti

$ despertar espiritual n"o acontece através de qualquer tipo de entendimento


intelectual# )*s n"o podemos chegar 9 nossa verdadeira natureza através de
palavras, através de conceitos, através de ideias, ou através de teologia#
)enhum desses meios revela a nossa verdadeira natureza#
natureza#

> extremamente importante perceber que quando a mente est+ tentando


entender, quando a mente est+ tentando alcan!ar uma compreens"o
intelectual da realidade ltima, a mente est+ simplesmente tentando
permanecer no controle#
controle# > uma orma intelectual de controle mental, e ele
precisa de ser abandonado também#

$ que n"o quer dizer que a mente n"o desempenhe nenhum papel no
despertar espiritual@ este é também um equ&voco comum na espiritualidade# A
mente desempenha um papel vital# $ pr*prio pensamento desempenha um
papel importante#

Adyashanti

Cortanto,
Cortanto, eu n"o estou sugerindo que a mente e o pensamento s"o, em ltima
an+lise, um problema# > o nosso apego 9 mente que é um problema# > uma
busca ilus*ria procurar em conceitos e ideias a .m de encontrar a 0erdade,
0erdade, de
encontrar paz, de encontrar aquilo que nos libertar+#

Adyashanti

$ que acontece quando n*s realmente deixamos ir este controle? $ que


acontece quando permitimos que tudo se%a exatamente como é? 4sta quest"o
é o undamento de toda a espiritualidade# Até que n*s consigamos permitir
permitir que
tudo se%a como é, do modo mais proundo poss&vel, da maneira mais prounda,
n*s ainda estamos envolvidos no controle#

)a verdadeira espiritualidade e na verdadeira medita!"o n*s estamos


abandonando este controle desde o in&cio# )"o estamos bombeando energia
para o ego, para a mente, para o controlador, para o manipulador#
manipulador# )*s estamos
abandonando o esor!o, o que é uma ideia revolucion+ria para a maioria das
pessoas : que podemos meditar de tal orma que n"o estamos a azer esor!o
e sor!o##

Adyashanti

Jas deixar ir o controle, deixar tudo ser como é, é um meio de deixar ir o


esor!o#
esor!o# 4nt"o, quando eu digo que n*s deixamos ir o controle, que n*s
deixamos tudo ser como é, é o mesmo que dizer que deixamos de azer
esor!o#

)*s descobrimos o que acontece em nossa consciência quando deixamos ir o


esor!o, quando deixamos ir a disciplina# 4 podemos come!ar a ver em nossa
pr*pria experiência
experiência que h+ uma certa vitalidade que vem 9 consciência# >
como se uma luz se ligasse
l igasse no interior, simplesmente porque n*s deixamos ir o
esor!o e controle#

Algo que é inocente, belo e n"o contaminado come!a a surgir na consciência@


come!a a surgir por si mesmo e por si s*# 4 isto é bem dierente do que oi
ensinado 9 maioria de n*s# omos ensinados que, para entrar num estado
natural de consciência, devemos aprender a controlar e disciplinar a n*s
mesmos@ o que eu estou dizendo é que é %ustamente o oposto#

Adyashanti

0ocê vem para o estado natural por deixar ir o controle, deixar ir o esor!o e
descansar num estado de vivacidade# > muito simples# )"o poderia ser mais
simples# 8ente:se@ deixe tudo ser como %+ é# 0ocê pode até azer a si mesmo
uma pergunta muito simples, logo desde o in&cio6 ()"o é verdade que a paz e a
tranquilidade, que eu estou tentando alcan!ar através da medita!"o, %+ est+
aqui, agora? 4nt"o, ve%a por si mesmo#
Quando vemos por n*s mesmos, passamos a ver que sim, de acto, a paz e
quietude s"o totalmente estados naturais, e eles %+ est"o acontecendo# )esse
momento, tudo o que você tem a azer é reconhecer isso e, em seguida,
entregar:se
entregar:se a eles# Descubra o que acontece quando você se entrega 9 paz que
 %+ é, 9 quietude que %+ é# 4sta é a investiga!"o#

Adyashanti

8e n*s, simplesmente, n"o estamos azendo nenhum esor!o, de uma orma


pregui!osa, ent"o a nossa medita!"o torna:se sonhadora e enevoada# > quase
como se estivéssemos num estado de transe ou mesmo num estado induzido
por drogas# Bsso n"o é o que signi.ca sem:esor!o#
sem:esor!o#

8em:esor!o n"o signi.ca nenhum esor!o@ sem:esor!o


sem:esor!o signi.ca apenas o
esor!o su.ciente para ser vivida, ser presente, ser aqui, ser agora# 8er
brilhante# $ meu proessor costumava
costumava chamar a isto de (esor!o sem:esor!o#
ada um de n*s precisa de descobrir por si mesmo o que isso signi.ca#
Demasiado esor!o e .camos demasiado tensos@ pouco esor!o e .camos
sonhadores#
sonhadores# Algures no meio existe um estado de vivacidade, claridade e brilho
interior#

Adyashanti

Quando meditamos da orma que eu estou descrevendo : quando


abandonamos o controle e permitimos que tudo se%a tal como é : a nossa
tendência natural é despertar#
despertar# 8omos biologicamente e psicologicamente eitos
para nos movermos em dire!"o ao despertar# Juita gente n"o sabe isso# Jas
quando abandonamos o controle que o ego tem, a natureza do nosso ser é
despertar#

Adyashanti

Você também pode gostar