Você está na página 1de 37

A ACRESCER...

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO METROPOLITANO DE


ANGOLA

NOMES DOS AUTORES:

CELSO MARTINS

GENISVALDO MAFILO

E MILTON SANTOS

TRABALHO DE FINAL DE CURSO (TFC)


TEMA: ESTABELECIMENTO HOTELEIRO: HOTEL

LUANDA

2017
A ACRESCER...

NOMES DOS AUTORES:

CELSO MARTINS

GENISVALDO MAFILO

E MILTON SANTOS

TRABALHO DE FINAL DE CURSO (TFC)

TEMA: ESTABELECIMENTO HOTELEIRO: HOTEL

Projecto de pesquisa
apresentado ao Instituto
Politecnico Metropolitano de
Angola como requisito parcial
para a conclusao da
licenciatura em Arquitetura sob
orientaçao do Prof. Arquiteto
Dayson Mutange

LUANDA

2017
A ACRESCER...

NOMES DOS AUTORES:

CELSO MARTINS

GENISVALDO MAFILO

E MILTON SANTOS

TRABALHO DE FINAL DE CURSO (TFC)

TEMA: EQUIPAMENTO HOTELEIRO: HOTEL

Projecto de pesquisa apresentado ao Instituto Politecnico Metropolitano de Angola


como requisito parcial para a conclusao da licenciatura em Arquitetura sob
orientaçao do Prof. Arquiteto Dayson Mutange

Aprovado ao: / / .

___________________________________________________________________

Coordenaçao do curso de Arquitetura

Consolidaçoes_______________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

LUANDA

2017
A ACRESCER...
DEDICATORIA

Dedicamos o nosso TFC a Deus e a todos o quanto contribuiram e tem


contribuido directa e indirectamente para nossa formaçao de licenciatura.

OBS: A acrescer...

LUANDA

2017
A ACRESCER...
AGRADECIMENTOS

Tal como na dedicatoria, de igual modo dirigimos os nossos agradecimentos


para os mesmos.

OBS: A acrescer...

LUANDA

2017
A ACRESCER...
EPIGRAFE

Hunziker e Krapf (1942), ``e o conjunto das relações e fenómenos originados


pela deslocação e permanência de pessoas fora do seu local habitual de residência,
desde que tais deslocações e permanências não sejam utlizadas para o exercício de
uma atividade lucrativa principal, permanente ou temporária´´.

LUANDA

2017
A ACRESCER...

ESTABELECIMENTO HOTELEIRO: HOTEL

RESUMO: O trabalho tem como tema central um anteprojecto de um Hotel,


propondo ao PDGML, utilizando aspectos da arquitectura minimalista, organica e
ultrasustentavel. Primeiramente iniciou-se com um estudo de campo na zona de
implementação, acerca do funcionamento e das normas previstas para hotéis e dos
conceitos da arquitectura. Em seguida foi escolhido o terreno e feitas as análises
ambientais, socio-economico, infrastruturas legais para a implantação da edificação
no bairro partido.

O turismo é um fenómeno que se tem tornado cada vez mais frequente nos
últimos anos, e paralelamente é visível um grande crescimento do setor da hotelaria.
O aumento da procura turística, implica o surgimento das necessidades de
ampliação das infraestruturas associadas à atividade turística e nas últimas décadas
são visíveis as mudanças no setor para satisfazer as novas necessidades e desejos
dos turistas. Por esse motivo, o hotel deixou de possuir somente espaços destinados
a alojar pessoas, mas também espaços multifacetados para satisfazer as
necessidades dos seus clientes.

Dada a necessidade atual de competitividade empresarial na hotelaria torna-


se imprescindível conhecer as necessidades e expetativas dos clientes, que são
cada vez mais dinâmicos, exigentes e informados. O marketing hoteleiro permite
aproximar vendedores e compradores, permitindo aos hotéis direcionar os canais de
distribuição, atraindo clientes motivados pela sua oferta e, além disso, fazer com que
estes voltem a utilizar os seus produtos e serviços. Deste modo, a situação
concorrencial do mercado aumenta exponencialmente a importância da função do
marketing para atingir o sucesso desejável da atividade hoteleira.
O planeamento de marketing implica decidir quais as estratégias de marketing a
serem usadas para a empresa atingir os seus objetivos estratégicos, sendo
necessária a elaboração um plano de marketing detalhado para cada
estabelecimento hoteleiro. Assim, o objetivo deste trabalho foca-se na elaboração de
um plano de marketing para um produto ou serviço turístico – Hotel Figueiredo’s,
focando-se na importância deste empreendimento hoteleiro implementar um plano,
que trará vantagens competitivas e vá ao encontro da resolução dos seus principais
problemas, concretamente no que concerne à diminuição da instabilidade do hotel e
às reduzidas taxas de ocupação.

PALAVRAS-CHAVE:.....................................................................................................

LUANDA

2017
A ACRESCER...

LISTA DE ILUSTRAÇOES

...

LUANDA

2017
A ACRESCER...

LISTA DE TABELAS

...

LUANDA

2017
A ACRESCER...

LISTA DE ABREVIATURAS, SIGLAS E SIMBOLOS

UB - Unidade Habitacional

OMT - A Organização Mundial do Turismo

PIB – Produto Interno Bruto

INE – Instituto Nacional de Estatística 

A acrescer...

LUANDA

2017
A ACRESCER...

SUMARIO

1- INTRODUÇAO..................................................................................00
I. DEFINIÇAO
II. PROBLEMÁTICA
III. JUSTIFICATIVA
IV. OBJETIVOS
V. HIPOTESES
VI. METODOLOGIAS
VII. CRONOGRAMA
VIII. MOTIVAÇÃO

2- CONTEXTO HISTóRICO

3- REFERENCIAS ARQUITETONICAS...............................................00

4- AREA DE INTERVENÇÃO...............................................................00

5- PROGRAMA DE NECESSIDADES................................................00

6- DIMENSIONAMENTO DO PROJECTO..........................................00

7- CONCLUSAO...................................................................................00

8- ANEXOS E APENDICES...............................................................00

LUANDA

2017
A ACRESCER...
INTRODUÇAO

O setor dos serviços é um dos que mais tem contribuído para o crescimento
da economia mundial. Em grande parte dos países, desenvolvidos e em vias de
desenvolvimento, este setor tem uma forte contribuição para o PIB face aos outros
setores da economia.

O turismo destaca-se dentro deste setor, e tem registado um crescimento elevado,


devido em grande parte às imensas transformações tecnológicas que influenciam o
comportamento dos mercados, tendo os prestadores de serviços que ser mais ágeis,
adaptáveis e competitivos.

A época em que a procura turística se caraterizava pelo turismo sol e mar e


turistas inexperientes, tem diminuído substancialmente. A realidade atual é diferente,
muito associado à globalização da economia e desenvolvimento da tecnologia que
tornam os consumidores cada vez mais exigentes e informados.

Ocorrem constantemente mudanças no turismo que têm como consequência que as


empresas turísticas procurem uma melhor posição no mercado, tendo por base a
formulação de estratégias que criem vantagens competitivas para as mesmas. Estas
estratégias devem estar ligadas a novas formas de gestão e organização, qualidade,
flexibilidade e inovação, bem como a atenção personalizada e direcionada aos
clientes.

Os serviços turísticos e hoteleiros devem ser produzidos de acordo com as


exigências dos clientes, satisfazendo individualmente as suas necessidades. O
marketing implica simultaneamente definição de objetivos e estratégias e planos de
ação, tornando-se uma ferramenta fundamental para todas as empresas que
pretendam alcançar o sucesso ao planearem estrategicamente a sua atuação no
setor.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
DEFINIÇAO

A Organização Mundial do Turismo (OMT) define o turismo como “o conjunto


de atividades desenvolvidas por pessoas durante as viagens em locais situados fora
do seu ambiente habitual por um período consecutivo que não ultrapasse um ano,
por motivos de lazer, de negócios e outros.” .

Segundo o Orgao Oficial da Republica, no seu diario, da serie-I, N.23, no


regime juridico dos empreendimentos turisticos diz que, empreendimentos
turisticos e um estabelecimento destinado a prestar serviço de alojamento,
alimentaçao, lazer entre outros a turistas, em areas classificadas ou noutras areas
naturais dispondo para o seu funcionamento de um adequado conjunto de
instalaçoes, estruturas, equipamentos e serviços complementares relacionados com
a animaçao ambiental, a vizitaçao de areas naturais, o desporto de natureza e a
interpretaçao ambiental.

Hotel é um estabelecimento comercial especializado em proporcionar


acomodações para viajantes: a hospedagem mas por outras palavras, pode ser
simplesmente definido como, alojamentos pagos a curto prazo.

Esse meio de hospedagem, geralmente, é classificado de uma a cinco


estrelas, de acordo com o conforto, luxo e serviços oferecidos. A maioria dos
hotéis também disponibiliza serviços de alimentação, eventos e outros para
propiciar maior satisfação e permanência aos seus hóspedes.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
OBJETIVOS

1- OBJETIVO GERAL

Criar ``Projetar´´ um Hotel moderno e ultra-sustentavel que atenda as


necessidades dos possiveis utentes, sem deixar de parte os conceitos do
PDGML.

2- OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Apontar a zona para a projeção do equipamento dentro do plano do bairro do


Partido.

Adotar e Aplicar factores de Arquitetura moderna no acto da elaboração do


projeto.

Sumarizar pontos que farão da arquitetura do projeto, um projeto a ultra-


sustentavel.

Apresentar o processo de concepção de um projeto arquitetônico, a partir de alguns


estudos de casos, de edificaçoes hoteleiras...

LUANDA

2017
A ACRESCER...
HIPOTESES

Várias são as informações que o Plano Diretor Metropolitano de Luanda


disponibiliza para os técnicos proficionais, estudantes e o público em geral, para a
elaboração dos projetos à implementar nos solos da mesma província.

Portanto, baseando-se nos conceitos do PDGML o solo do plano em estudo


para a implementção do projeto, refere-se a um solo pertencente a zona turística,
sendo que, pela sua localização ``próxima à costa´´ faz com que o plano seja mais
valorizado, ou melhor, torna o mesmo um solo valioso.

- A tipologia do equipamento ``Apart Hotel´´ vai de acordo a utilidade do


espaço, segundo o PDGML.

- As qualidades e a localição do plano à implementar o projeto, oferecem


possibilidades para a viabilidade e o desenvolvimento de uma arquitetura Moderna
Ultra-Sustentável.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
JUSTIFICATIVA

A razão que me levou a propor ao PDGML uma rede hoteleira é o seguinte:

Tendo em conta que o país está na senda da diversidade da económica, sendo que
o turismo está acompanhado com a hospedagem, então a implementação de um
Hotel no bairro partido será uma mais-valia, visto que um Hotel é considerado uma
“indústria de serviços”.

No bairro Benfica existem poucos hotéis de custo e com qualidade nas instalações,
sobretudo que tenham uma arquitectura com uma temática diferenciada. Logo, se
verifica a importância do surgimento de equipamentos desse.

Segundo PDGML, a Área Metropolitana de Luanda irá acomodar a maior


parte dos turistas e o crescimento e actividade económica e lazer estarão juntos.
Este será condensado por forma a criar um conforto e lazer eficiente. Portanto o
PDGML vê com bons olhos a implementação de uma rede hoteleira naquela zona.

o plano à implementar o projeto oferece vários contras e a favores para


aceitação do tema do projeto em questão `` Hotel´´ como por exemplo: a questão
social e utilidade original do plano à implementar o projeto, segundo o PDGML.

Portanto, o facto de tratar-se de equipamento que oferecerá os


serviços hoteleiros , designadamente ``Hotel´´ irá dar resposta nas principais
condicionantes do projeto ``a questão social e a utilidade original do plano à
implementar o projeto´´ sendo que ainda oferecerá as possibilidades concernentes
a viabilidade económica, e a criatividade arquitetónica

Em suma, torna-se pertinente desenvolver um projeto arquitetónico


que apresenta fortes possibilidades para respoder aquelas que têm sido as
principais condicionantes para a viabidade de qualquer projeto arquitetónico, como:
a questão Social e a questão económica.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
METODOLOGIA

Inquérito

Estudo de campo e levantamento de dados

Estudo de campo e levantamento de dados ministério

Levantamento bibliográfico e histórico / ministério

LUANDA

2017
A ACRESCER...
CRONOGRAMA

LUANDA

2017
A ACRESCER...
MOTIVAÇãO

De acordo aos dizeres ja referenciados na Justificativa ``Segundo PDGML,


a Área Metropolitana de Luanda irá acomodar a maior parte dos turistas e o
crescimento e actividade económica e lazer estarão juntos. Este será condensado
por forma a criar um conforto e lazer eficiente. Portanto o PDGML vê com bons olhos
a implementação de uma rede hoteleira naquela zona´´

Portanto, o facto de tratar-se de equipamento que oferecerá os


serviços hoteleiros , designadamente ``Hotel´´ irá dar resposta nas principais
condicionantes do projeto ``a questão social e a utilidade original do plano à
implementar o projeto´´ sendo que ainda oferecerá as possibilidades concernentes
a viabilidade económica, e a criatividade arquitetónica

Em suma, torna-se pertinente desenvolver um projeto arquitetónico


que apresenta fortes possibilidades para respoder aquelas que têm sido as
principais condicionantes para a viabidade de qualquer projeto arquitetónico, como:
a questão Social e a questão económica.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
CONTEXTO HISTóRICO

Segundo os dados da UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU Curso de


Pós Graduação- Strictu Sensu São Paulo 2010 Arquitetura e Urbanismo,
Ycarim Melgaço Barbosa, “desde o período em que a Terra foi povoada por
seres que praticavam caça e coleta, atividades que surgiram pelo menos
desde o desenvolvimento dos primeiros instrumentos de pedra, há 2,5
milhões de anos, os seres humanos já se deslocavam”. na Idade Antiga, com
a introdução da moeda concebida pelos sumérios, simplificaram-se as
transações comerciais e o comércio se desenvolveu. A esse povo deve-se
ainda a invenção da escrita e da roda, que permitiu uma mobilidade antes
inimaginável.
Com tantos deslocamentos e meios de transporte inadequados,
começam os primeiros viajantes a conceber formas de acomodação
temporária, embrião das atividades hoteleiras. No século V a.C., surgem as
hospedarias, ainda precárias, ao longo das estradas, nos portos e grandes
centros. Joaquim Janeiro afirma que “as hospedarias apareceram por volta do
século IV a.C. e tinham como objetivo prestar serviços correspondentes às
mais elementares necessidades humanas – alimentação e abrigo”

Convém ressaltar que os Jogos Olímpicos da Grécia antiga atraíram


muitos viajantes para as cidades que os sediavam. Os gregos providenciaram
vias mais largas e adequadas para o tráfego de veículos, construindo redes
de vias que davam acesso aos lugares mais procurados pelos viajantes. Os
romanos também contribuíram, com veículos de transporte de vários tipos e
técnicas inovadoras de construir estradas e pontes, uma vez que se
deslocavam para pontos sempre mais distantes, passou a figurar também o
do descanso e divertimento.
No final da Idade Média, a Revolução Mercantil e o crescimento das
cidades, estimularam ainda mais o desenvolvimento das hospedarias, que
passaram a oferecer refeições e vinhos, cocheiras e alimentação para os
cavalos. Em 1407, na França, foi criada a primeira lei para registro de
hóspede, com a finalidade de aumentar a segurança nas hospedarias.
Com o início da Idade Moderna, duas novas justificativas somam-se às já
conhecidas: a ampliação dos territórios europeus e a expansão das fronteiras
culturais. Surge o Grand Tour, viagens com propósitos educacionais
destinadas aos jovens recém-saídos de Oxford e de Cambridge. As
hospedarias desenvolviam-se como consequência do crescimento e destino
das viagens. Por volta de 1561, a França regulamentou as tarifas das
hospedarias, enquanto se editava em Londres se editava o primeiro guia de
viagens de que se tem notícias, determinando os diferentes tipos de
acomodações disponíveis para viajantes a negócio ou passeio.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
Em 1794, inaugurou-se em Nova York o City Hotel. Que foi construído
com a finalidade específica de hotel, com 73 quartos e 70% da área total
destinadas a funções áreas sociais.

Hotel Paris Ritz – um marco para a hotelaria


É valido destacar o Hotel Paris Ritz devido à sua grande contribuição na
história da hotelaria. Seu fundador, Cesar Ritz, iniciou aos 15 anos sua
trajetória hoteleira como aprendiz de garçom. Nos anos seguintes, trabalhou
em diversos hotéis e restaurantes da Europa e, aos 27 anos, assumiu o cargo
de gerência e transformou o Grand National de Lucerna, na Suíça, num dos
hotéis mais elegantes do Velho Mundo. Após onze anos Ritz decidiu dirigir
seu próprio bufê, e depois um pequeno hotel, porém as curtas temporadas
causaram prejuízos financeiros, levando ao encerramento das atividades.
Nessa época, aceitou uma proposta de gerência num hotel em Monte Carlo e
conheceu o chef Auguste Escoffier, com quem desenvolveu um trabalho de
excelência na prestação de serviço para a alta culinária.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
Em 1889, o hotel Savoy, de Londres, convidou a dupla para transformar
seu restaurante num lugar de encontro socialmente aceitável, costume até então
não aprovado pela alta sociedade. Ritz permaneceu nove anos no Savoy, mas
durante esse período esteve envolvido com outros hotéis localizados em Roma,
Frankfurt, Monte Carlo, Salsomaggiore, Wiesbaden, Biarritz, Lucerna, Mentone e
Palermo. Em 1896, fundou The Ritz Hotel Syndicate Limited Ritz deixou o Savoy e
desenvolveu a ideia de uma galeria de butiques dent, com o apoio financeiro de
alguns de seus clientes. Dois anos mais tarde,ro do Hotel Pilote, em Paris.

A cada ano, aumentava o desejo de Ritz em construir seu próprio hotel em


Paris, com o intuito de ser o mais bonito e moderno da cidade. Em 1º de junho de
1898, inaugurou o Ritz Paris, na Place Vendôme, com o auxílio do arquiteto Charles
Mewés. O edifício que Ritz escolheu para seu hotel já contava mais de um século, e
seu objetivo era preservar a aparência externa. Mewés reformou o prédio,
modificando apenas quatro das seis arcadas da fachada, para obter mais espaço
para carruagens.

LUANDA

2017
A ACRESCER...

LUANDA

2017
A ACRESCER...
REFêRENCIAS ARQUITETóNICAS

HOTEL SANTA CLARA – GOIAIS BRASIL

LUANDA

2017
A ACRESCER...
HOTEL UNIQUE

Ficha TécnicaArquiteto: Ruy Ohtake


Cidade: São Paulo
País: Brasil
Ano do projeto: 1999
Ano de conclusão: 2002
Área da edificação: 20.500 m²
Área do terreno: 6.454
m²OHotelUnique,localizadonaRuaBrigadeiroLuísAntônio,noJardimPaulista,foiprojeta
doparaserumhotelurbanonazonasuldeSãoPaulo,fugindodospadrõesdeformadehoteis
convencionais.
Oprogramadeveriarespeitarasexigênciasdolugar,frenteainúmerastorres,escassoespa
çoverde,próximoaosaéreosedifíciosdeNiemeyernaBienal,aoParquedoIbirapuera,edef
renteaobairrodosJardins.Taisdiretrizesjuntamenteaumalinhaconceitualdesenvolvidap
orRuyOhtakeaolongodesuacarreiraprofissional,deramorigemaumobjetoleveeaomesm
otempocontrastante,adequadoaogabaritomáximode25metrosestabelecidopelaprefeit
ura,paranãoentraremcontradiçãocomosedifíciosbaixosdaRuaBrigadeiroLuísAntônio.
Levadosemconsideraçãoprogramadenecessidades,omeiosócio-
cultural,aspreferênciasplásticaseolugar,ohotelconsisteemumgrandearcofeitoemconcr
eto,cobre,vidroemadeira,queutilizaformasgeométricaspurasecontrastantesemrelação
aseuentorno

LUANDA

2017
A ACRESCER...

LUANDA

2017
A ACRESCER...
AREA DE INTERVENÇãO

ENQUADRAMENTO REGIONAl - O surgimento da área e sua habitação teve início


devido a prática de pesca e do artesanato que obrigou os praticantes destas
actividades a instalar as suas habitações próximo do local do trabalho e do
crescimento das construçoes desordendas da capital.

ENQUADRAMENTO ÉTNICO LINGUÍSTICO - A sua caracterização etnológica é


predominante do Sul do País, dentre as quais pessoas de origem umbundo
(províncias do Huambo, Bié e Benguela), quimbundo (províncias de luanda, kwanza
Norte e Malange), zona leste os Ganguela (Província do Cuando cubando) e
tchokwe (província das Lundas) Norte e Sul.

Atendo a sua localização a Zona em estudo possui uma grande importância em


relação aos bairros vizinhos, proporcionando uma potencialidade na questão
turística, cultural, comercial e lazer atedendo ao mercado de artesanato, a praia e a
pesca.

O Mercado do artesanato devido as características que tinha era uma paragem


obrigatória aos turistas e aos apreciadores da arte, oferecendo uma diversidade de
peças de artes para quem o visitasse sendo um grande contributo na cultura
nacional.

O lazer é também um grande factor de grande importância na zona, devido ao litoral,


onde há lugares específicos em que os habitantes da zona e não só usam para se
divertir e conviver.

LUANDA

2017
A ACRESCER...
ENVOLVENTES

A área de estudo no caso o “Bairro Partido”, está limitado a Oeste pelo oceano
atlântico, a Este pelo bairro patriota a sul pelo bairro do Quifica, e a norte pelo bairro
Futungo de Belas e Talatona.

ACESSIBILIDADES E MOBILIDADE

VIA PRINCIPAL

A Via de principal designada Rua do partido é uma via com dois sentido com trêS
faixas em cada uma, sendo que, cada uma delas possui o seu devido acostamento;
A mesma tem o sistema de iluminação devidamente intalado; Com passeios
variando de 1.5 à 5m de largura. Também é uma via que apresenta-sse
congestionada em algumas oras do dia como: 7h às 8:30mn

VIAS SECUNDÁRIAS E TERCIÁRIAS

O levantamento nos mostrou que são vias sem congestiona-mento;

Todas elas são ut-ilizadas como vias de dois sentidos apesar de não po-

LUANDA

2017
A ACRESCER...
ssuirem dimençõ-es para tal. São vias sem acos-tamentos; e com passeios que
vari-am de 0.75m à 3m.

Vias Asfaltadas
Vias Em T.Batida

LUANDA

2017
A ACRESCER...
EDIFICIOS HABITACIONAIS...

EQUIPAMENTOS E CERVIÇOS

CLIMA

Temperatura do Ar A temperatura média anual oscila entre os 24 e 26 graus C.

Humidade Relativa A humidade relativa média apresenta valores que oscilam


entre os 75% (Fevereiro e 85% Agosto).

Nebulosidade e Nevoeiro

Relativamente a nebulosidade, o céu fica muito nublado ou encoberto, em


especial durante a noite, e a manha com estratos e estratocúmulo que podem
originar precipitação fraca do tipo chuvisco, localmente designada por
cacimbo, com esta circulação e estas massas de ar há grande probabilidade de
ocorrência de nevoeiros, especialmente durante a primeira parte da manha.
Estas condições são mais típicas de junho-agosto

Precipitações

Estação chuvosa de cerca de 6 meses, coincidente com as épocas mais


quentes do ano Novembro e Abril, a sua distribuição é irregular, sendo Abril o

LUANDA

2017
A ACRESCER...
mês mais chuvoso e Dezembro e Janeiro os meses de menor precipitação
verificando-se neste último mês um período seco A estação seca corresponde
ao período fresco do ano (cacimbo), sendo Junho, Julho e Agosto os meses
mais frio (temperatura de 20 à 21 graus celsius), com ocorrência de nevoeiro
especialmente durante a primeira parte da manhã.

Fonte: Sistema de Classificação Bioclimática Mundial e BBC Weathe

Insolação - A insolação média mensal, é cerca de 183 horas registando-se


valores mínimos de insolação em agosto ( 128,3 horas) e valores máximos em
maio ( 228,7 horas).

Os Ventos - Vento fraco (menor 20 km/h) ou moderado no sudoeste, verificando-se


anualmente os rumos SW e S como rumos predominantes, com variações marcadas
ao longo do dia, sendo as manhãs caracterizadas por rumo de E, SE,S e as noites
por rumos de S, SW e W noites

LUANDA

2017
A ACRESCER...
VEGETAÇAÕ

A vegetação do local em estudo é predominantemente de área privada do tipo


arbórea e arbustiva. Pelo que o local em geral carece de vegetação.

TIPO DE SOLO E PERFIL TOPOGRAFICO

ESTUDO TOPOGRÁFICO

A topografia da área apresenta uma variação na sua conformidade, o que quer


dizer que não existe uma regularidade no relevo da zona em estudo.

Perfil Transversal da zona em Perfil Longitudinal da zona em estudo com


estudo com uma haltitude de ate uma haltitude de ate 19.9 m e uma
31 m e uma inclinaçao de 9.9% inclinaçao de 0.2%

LUANDA

2017
A ACRESCER...

DADOS DEMOGRAFICOS E PERFIL E PERFIL POPULACIONAL...

PLANO DIRETOR METROPOLITANO...

METAPROJETO

CONCEITO

JUSTIFICATIVA

APLICAÇAO D CONCEITO (ESTUDO DA FORMA)

PROGRAMA DE NECESSIDADES

Zona exteriores
Area de recepção e transporte de bagagem
Paragem de transporte pública
Sala de espera
Estacionamento (Público e Funcionários)
Lobby-bar
Acesso (veículos e pessoas)
Instalações Sanitários (H/M)
Praça e Jardins
Vestíbulo de acesso aos quartos
Guarita
Serviços comuns
Rampa de incapacitados
Correio e telégrafo

Telefone Publico
Zona Pública
Elevadores (público e serviço)
Recepção
Escadas (público e serviço)
Vestíbulo de distribuição
Área comercial
Portaria Auditório
Salas de convenções
Registro e caixa Restaurante
Serviços de cambio LUANDA

2017
A ACRESCER...

Cozinha Serviços Pessoais

Locais comerciais Acesso de serviço

Discoteca Control com reloj checador

Circulação (passeio,escaleras…etc) Cosilleros

Unidade de alojamento (250 UH »3500 m2) Sanitários,banho e vestuários

Vestíbulo de acesso Sala de estar

Circulações (passilhos) dormitórios colectivo por sexo

Habitações (quartos suites) Serviços Gerais


Pátio de manobras
Suite master Área de carga e descarga
Quarto de máquinas
Suite presidencial
Substação eléctrica
Calderas e equipamentos hidropneumático*
Cisterna*

Bodega de muebles*
PROPOSTAS INOVADORAS
Áreas de blanco*
Area comercial
Lavabo
Agências de viagem
Planchado
Casino
Quarto de aseo e de basura*
Espace Buiness
Zona Administrativa
Cochillidron
Reloj checador
Vestíbulo Lavra vertical
Recepção-espera
Area secretarial Aquario...
Privado de director
Administrador Spá
Contabilidade Joalharia
Compras
Mantenismiento* Sala de conferência
Segurança
Archivo Mauseu (M. De Angola Miniaturas)
Serviços sanitários
Salão de uso múltiplos
LUANDA

2017
A ACRESCER...

TABELA DE AREAS

LUANDA

2017
A ACRESCER...

PREVE-SE UMA AREA TOTAL19.782 m2 AREA EDIFICADA 50% AREA


PERMEAVEL 50% = Circulaçao exteriores + Areas verdes

ORGANOGRAMA E FLUXOGRAMA

LUANDA

2017
A ACRESCER...

PRINCÍPIOS DE COMPOSICÃO

O desenho se desenrola baseando-se na geometrização de uma welwitschia mirabilis, a


composção está ligada por vários volumes relacionados entre sí. Toda a superficie e suas
articulações se completam para criar tanto um interior como um exterior funcional entre
os blocos espaciáis cuja a qualidade dependerá támbem da relação dimensional com o
homem como medida.

LUANDA

2017

Você também pode gostar