Você está na página 1de 4

As Três Dimensões do Reino de Deus

"A Presente, Futura e Eterna"


Nosso Senhor Jesus nos ensina que o reino de Deus não vem de maneira aparente; e essa
é a natureza do reino quanto a dispensação que estamos vivendo. Hoje não podemos vê-lo
de maneira visível, pois ele está escondido na vida de cada um dos membros do Corpo de
Cristo. A primeira característica do reino de Deus é que em primeira instância é espiritual.
Veja o que nosso Senhor diz em Lucas 17.20:

“Interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino de Deus, Jesus lhes respondeu: Não
vem o reino de Deus com visível aparência”.

Na explicação do Senhor sobre a natureza do Seu reino, Ele diz que o “reino de Deus não
vem com visível aparência”. Às vezes encontramos na palavra de Deus alguns termos ou
frases de difícil compreensão, porque elas sofrerão de certa forma, uma diluição em sua
tradução. Quando lemos algumas versões da Bíblia, vemos a dificuldade que encontramos
para traduzir estas frases ou palavras. Veja por exemplo como algumas versões da Bíblia
traduz esta frase: “visível aparência”:

RV – “o reino de Deus não vem com aparência exterior”.

TB – “o reino de Deus não vem visivelmente”.

BJ – “a vinda do reino de Deus não é observável”.

No original grego temos apenas uma palavra para descrever essa frase que é: parateresis
que significa “aparato observável”. Então, baseado nessa tradução, os editores tentaram
aproximar do texto original, dando mais harmonia na composição das frases no texto.

A ideia que temos aqui é que em primeiro lugar, o reino de Deus não é visível, e sim
espiritual. Observe as palavras finais do nosso Senhor: “o reino de Deus está dentro de
vós”. Então, vejamos duas coisas importantes aqui: 1º) quanto a natureza, o reino de Deus
hoje na esfera terrestre é invisível em sua aparência; e 2º) ele está dento, em nós.

As Três Esferas Sobre o Reino de Deus no Novo Testamento:

1ª Esfera – Presente: Para compreendermos melhor essa esfera, devemos ler alguns
textos:

“Se, porém, eu expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente, é chegado o reino de
Deus sobre vós” – (Lc 11.20).

“Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o reino de Deus está dentro de vós” (Lc 17.20).

Estes dois textos definem para nós as características do reino de Deus em sua esfera
presente.
1) “o dedo de Deus” – a primeira menção desta frase está em Êxodo 8.19. Quando Deus
julgava a nação do Egito com a 3ª praga, a dos piolhos. Os feiticeiros egípcios não
conseguiram imitar o poder de Deus; então Faraó disse: “Isto é o dedo de Deus”. Esta é
uma descrição do poder inimitável de Deus. O reino de Deus em nós é a presença do Seu
poder inimitável contra todas as forças das trevas.

2) “é chegado o reino de Deus sobre vós” - A ênfase aqui está na frase: “sobre vós”. A
preposição “sobre” indica um limite concreto de algo que está numa esfera “superior” ou
“acima”. Então, podemos afirmar que no tempo presente, o reino de Deus está por cima de
nós. Fomos colocados debaixo desse reino, mesmo vivendo aqui nessa terra.

3) “o reino de Deus está dentro de vós” – Na presente dispensação, o reino de Deus não
apenas está acima de nós, como também, dentro de nós. Isto indica que precisamos
conhecer todos os movimentos do Espírito de Deus segundo o curso do Seu reino.

2ª Esfera – o Tempo da manifestação do Reino em Sua plenitude. Isso se dará após a


vinda do Senhor Jesus. Veja o que João escreve em Apocalipse 20.6:

“Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a
segunda morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e
reinarão com ele os mil anos”.

Essa dispensação é conhecida como “milênio” ou a “era do reino”. Nesse tempo, os santos
em Cristo receberão a autoridade sobre as nações conforme lemos em Apocalipse 2.26,27:

“Ao vencedor, que guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as
nações, e com cetro de ferro as regerá...”.

Nestes textos podemos contemplar aquele tempo, em que iremos reinar com nosso Senhor
Jesus, quando Ele vier e estabelecer Seu reino aqui nessa terra por um período de mil
anos. Ele será o Rei dos reis, porque nós, seremos seus reis sobre os reinos desse mundo.
Por isso, o Senhor nos fala de maneira tão clara em Lucas 19, sobre a Parábola das Dez
Minas – versículos 11 a 27. Aquele que for fiel no pouco, ainda, mesmo assim, receberá
autoridade sobre “dez cidades” – (v.17). Toda ideia de governo que existe nesse mundo, é
uma perspectiva de algo mais elevado que existe na mente de Deus. Toda forma de
governo que existe, tem sua projeção a partir da mente de Deus. Quando olhamos para o
universo, vemos que existe uma forma de governo e de harmonia que sustenta todas as
coisas em seus devidos lugares. O universo obedece a uma ordem divina para se manter
em seu perfeito estado de funcionalidade indescritível. Esta ilustração do governo de Deus
no universo ilustra como no tempo do milênio, Deus trará Seu reino por meio de Cristo, e
Ele nos confiará esse reino por um determinado tempo.

3ª Esfera – Na Eternidade: A esfera eterna do reino se dará após a insurreição global que
ocorrerá no final do milênio. Isto está registrado em Apocalipse 20.7-10:

“Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão e sairá a
seduzir [Gr. planao = “fazer com que alguém se desvie, desviar do caminho reto”;
“desencaminhar da verdade”] as nações que há nos quatro cantos da terra, Gogue e
Magogue, a fim de reuni-las para a peleja. O número dessas é como a areia do mar.
Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento [Gr. parembole =
“fortaleza”, “exército”] dos santos e a cidade querida; desceu, porém, fogo do céu e os
consumiu. O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde
já se encontram não só a besta como também o falso profeta; e serão atormentados de dia
e de noite, pelos séculos dos séculos”.

Agora, vamos ler Apocalipse 21.24:

“As nações que tiverem sido salvas andarão em su luz; e os reis da terra trarão sua glória e
a honrar para ela”.

Todos estes textos acima citados descrevem um acontecimento que se dará ao final do
milênio, quando Deus, eu Seu grande poder e sabedoria, e por causa do Seu eterno
propósito, libertará Satanás da prisão, e ele irá desencaminhar as nações que sobreviveram
a juízo das nações, que foi executado pelas Sete Trombetas. Agora, segundo o texto, elas
serão desencaminhadas, e envolvidas numa grande sedução, e assim, mais uma vez, ele
tentará usurpar a glória do Filho de Deus, como fez antes, na eternidade passada, como
está registrado em Isaias 14.14-19 e Ezequiel 28.14-19. Porém, agora ele será condenado
e exterminado eternamente.

Pois bem, vamos ler Apocalipse 22.5:

“Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol,
porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos”.

Esse reino eterno é prefigurado por uma grande e preciosa cidade, a Nova Jerusalém.
Primeiro, essa cidade nos é revelada como uma cidade nupcial; mas adiante, ela é uma
parte essencial do governo eterno de Deus. Leiamos alguns textos:

Apocalipse 21.24,26:

“Os gentios que houverem sido salvos andarão em sua luz; e os reis da terra trarão sua
gloria e honra a ela. E levarão a glória e a honra dos gentios a ela” – (RV).

Fiz uso da Reina Valera, pois para mim, estes textos encontram mais luz nessa versão.
Estes gentios mencionados, são as nações que irão sobreviver a insurreição global
provocada por Satanás ao final do milênio. Agora, dentro do contexto da eternidade, elas
existirão, porém, numa esfera inferior, pois a Nova Jerusalém, que é uma descrição da
consumação máxima da obra do Filho de Deus, é a expressão do governo eterno de Deus.
Veja Apocalipse 22.3:

“Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os
seus servos o servirão”.
O trono de Deus é a expressão do Seu governo. E segundo este texto, o trono de Deus está
na Nova Jerusalém; porque nela estará a centralidade do governo de Deus por toda
eternidade.

Que Deus nos abençoe e edifique com Sua Palavra!

Você também pode gostar