Você está na página 1de 200

Renata Santos

INTRODUÇÃO
Primeiro, eu quero te dizer que seu relacionamento pode
mudar e para melhor! Como sei disso? Eu tive a sorte de
testemunhar grandes transformações... Algumas pessoas estavam
prontas para terminar seus relacionamentos, mas utilizando as
ferramentas que ensino nesse livro, elas descobriram como ter o
casamento dos seus sonhos. Eu trabalhei por mais de 6 anos
ajudando os casais a encontrarem maneiras de criar e recriar suas
relações e acredito que as pessoas se encontram por razões muito
profundas. Na verdade, eu diria que a maioria das pessoas
encontra a pessoa perfeita para elas. Você pode querer reler essa
última frase: As pessoas encontram a pessoa perfeita para elas,
não a pessoa perfeita. Até porque a pessoa perfeita não existe.
Espero que você se junte a mim neste texto para encontrar o
caminho para um novo relacionamento. Se eu realmente acredito
que tudo pode mudar? mesmo que apenas um de vocês faça a
mudança? Pode apostar que sim, porque um casamento não são
dois indivíduos separados. Como você vai descobrir nas páginas
seguintes, o casamento é um sistema. E como qualquer sistema,
se você impactar uma parte do sistema, você afeta as outras
partes.
Mude como você interage e você irá mudar como o outro deve
interagir. Alguns destes conselhos são mudanças de
comportamento e outros, mudanças na percepção. Algumas coisas
você será capaz de mudar num piscar de olhos, outras levam
tempo e esforço. Mas isso é crescimento e o casamento tem muito
a ver com crescimento. Você vai notar que a escrita não é
complicada. É uma conversa, e você vai se beneficiar muito mais
dessa conversa se você fizer a sua parte. Procure ler este livro
digital com papel e caneta ao seu lado e sempre anote algum
trecho que te atingir de alguma forma. Discuta em sua mente.
Anote o que você deseja alterar no seu relacionamento. Eu tenho
certeza de que você vai aproveitar muito mais os ensinamentos.

ETAPA 1

AS 5 PRINCIPAIS COISAS QUE VOCÊ DEVE PARAR DE FAZER


1) Não entre em pânico

Este é o número um, por uma razão muito simples: é muito comum
e muito destrutivo. Você pode ficar aterrorizado assim que ouvir
que seu parceiro não quer continuar no relacionamento. Essa
reação é totalmente compreensível... e totalmente inútil. O motivo é
que quando você entra em pânico, uma parte primitiva de seu
cérebro assume o controle. São três opções: paralisar, fugir ou
lutar. Nenhuma delas é muito útil. Se você se agarrar ao instinto de
luta, você irá argumentar, persuadir, se preocupar, e seguirá
agravando a situação. Se você se agarrar ao instinto de fugir, você
poderá sair
da situação, talvez se esconder no álcool ou alguma outra distração
destrutiva, ou apenas decidir abandonar a relação. Quando nos
sentimos ameaçados, infelizmente recorremos a estes três modos
automaticamente. Então respire fundo, distancie-se da situação e
deixe a razão ser sua guia. Você já deve estar imaginando o final
de sua relação. Mas estou aqui para dizer que tenho várias
histórias de pessoas que transformaram um relacionamento que
estava à beira do precipício em uma relação preciosa. Tome algum
tempo para pensar sobre o que está acontecendo. Às vezes, o
parceiro dizer que a relação está terminando pode ser uma
oportunidade para um renascimento dessa relação. Ao menos
agora, as coisas não podem continuar como estavam. É preciso
mudar. Isso pode ser bom. É um grito de alerta!

2) Não corra para o advogado

Tudo bem, deixe-me ser claro sobre isto: Não corra para o
advogado com a intenção de começar o processo de divórcio ou
separação. Porém, você pode se aconselhar com um advogado
sobre o que é preciso fazer para se proteger. Estas são duas
reações bem diferentes. Acredite ou não, eu já vi vários divórcios
em que ninguém queria se divorciar, mas um ou outro começou o
processo legal que
os prendeu em uma batalha. Há uma razão para que a palavra
“versus” separe as partes em um documento legal. Processos
legais, por definição, colocam um contra o outro. Advogados são
ótimos no que fazem. Eles protegem o interesse dos clientes. Mas
ao fazer isso, o processo pode criar bastante distanciamento e
trazer problemas. Uma vez que o processo começa, há uma força
natural que separa mais ainda o casal. Infelizmente, há pouca coisa
a se fazer para reverter o processo. Geralmente, as pessoas
começam o processo porque sentem que devem fazê-lo antes do
outro. Mas, em geral, isso é prematuro. Na realidade, é o resultado
do primeiro ponto. Alguém está entrando em pânico. Mesmo assim,
muitas separações podem ser a oportunidade para o casal se
reinventar e construir um novo compromisso, renovado, evoluído e
melhor. Muitos casamentos passaram por separações. Muitas
ameaças de desistir, divórcio ou separação terminam com um casal
unido e feliz. Como eu sempre disse aos casais: Você pode lapidar
aos poucos. É mais complicado quando não há o que consertar
depois! Então, se possível, não busque processos legais.

3) Não anuncie para o mundo


Quando estamos machucados, nossa resposta natural é “chamar
reforços”. Eu acho que isso pode ser bem destrutivo. Dizer à família
e amigos que há um problema mudará como eles verão o parceiro.
Você contará para as pessoas que sentirão a necessidade de te
apoiar e proteger. Naturalmente, eles irão te proteger dessa pessoa
horrível, mesmo que não seja a imagem que você quer passar do
seu parceiro. Portanto, o primeiro motivo para não dizer a todos é
por conta da mudança de percepção em relação a seu parceiro ou
parceira. O segundo motivo é no caso de vocês optarem pela
reconciliação, se a notícia se espalhar, haverá um maremoto
carregando-o para longe da reconciliação. O que os outros pensam
nos afeta. Então, se os outros pensam que um casal está se
separando, o casal sentirá a pressão. E empatado com o primeiro
motivo, se vocês decidirem se reconciliar, haverá problemas para
reparar. As pessoas demoram mais para perdoar quem machucou
aqueles que amam do que quem foi machucado. Minha sugestão:
Compartilhe com um amigo, um líder religioso ,ou outra pessoa que
será seu confidente. Mais tarde, se as coisas não mudarem, você
pode contar para outras pessoas.
4) Não culpe, envergonhe ou manipule
Essa pode ser difícil. Nossa inclinação natural é atacar
verbalmente, mostrar o que há de errado com a outra pessoa, e
tentar convencê- la a mudar de ideia. Isso produz mais efeitos
negativos que positivos. Você aprenderá sobre paradigmas. As
pessoas tomam decisões que façam sentido para elas baseadas no
que veem. Mudar essa visão é extremamente difícil. Na realidade,
quanto mais se argumenta, mais a crença se concretiza. Agora não
é hora de pontuar os defeitos, deficiências e falhas dele ou dela. É
hora de dizer que você não quer o fim do relacionamento. Ao invés
disso, você preferiria trabalhar para transformar o relacionamento
em algo precioso para ambos. Não pense que esta é a conversa
que deve resolver algo (estenda isso a qualquer discussão que
você tiver). Pense em construir a fundação que permitirá que se
caminhe para a solução. Aliás, não comece a acreditar nos livros
que você vê por aí, prometendo mostrar como manipular a mente
do seu parceiro. Alguns dizem ser capazes de dominar o parceiro
ou parceira. É possível que você consiga paralisar a outra pessoa
pelo choque da resposta, mas apenas tempo suficiente para que
ela perceba sua tentativa de manipulação. Isso raramente funciona.
Portanto, nada de intimidar, implorar, manipular, envergonhar, etc.
Você irá apenas convencer a outra pessoa de que ela deve deixá-
lo, por conta da reação que valida suas crenças. O que me leva ao
último “NÃO”:

5) Não tente se tornar o que você crê que ele/ela quer


Já ouvi alguém chorar várias vezes: “Apenas diga-me o que eu
tenho que fazer. Eu farei qualquer coisa para continuarmos juntos”.
Infelizmente existem dois problemas com essa abordagem.
Primeiro, você se mostra descuidado, mole e deplorável.
Provavelmente você perderá o respeito da outra pessoa porque
você não pode mudar subitamente. E porque isso mostra o quão
pequeno você se considera. Além disso, você está bem do jeito
que está. O problema está no relacionamento, não em você.
Portanto, não se torne deplorável aos olhos da outra pessoa.
Segundo, tentar mudar significa que você não pode ser verdadeiro,
real e honesto para si mesmo. Ao invés disso, você desiste de
quem é. Basicamente, você está sendo desonesto. No final, você
precisa se olhar no espelho e gostar do que vê, sem se importar
com o que acontecerá com seu relacionamento. Você não quer ver
refletido no espelho alguém que você não conhece. Portanto, estas
são minhas cinco coisas para não se fazer. Eu espero que sejam
úteis.
ETAPA 2
AVALIANDO A SITUAÇÃO
Em primeiro lugar preciso lembrar de uma coisa: Não são as
grandes coisas que acabam com a relação e sim as "quinquilharias"
do dia a dia.
Para falar em casamento, é preciso falar em família já que a família
se constitui à partir da união de duas pessoas, a família é a unidade
básica do desenvolvimento emocional do indivíduo, à partir dela é
que nos constituímos enquanto pessoa.
E aí você deve estar se perguntando… Mas o que isso tem a ver
com meu casamento? Tudo! Esta é a resposta, pois somos reflexo
de nossas famílias de origem, sim, para casarmos não basta que eu
conheça ele e ele me conheça, pois na bagagem que nós dois
traremos, fará muita diferença no nosso modo de viver, as
chamadas heranças transgeracionais, da família de origem, ou seja,
levaremos " traços" digamos assim, da nossa família.
Sendo assim é preciso que você entenda um pouquinho como é a
história de vida do seu par, porque em algum momento ela
interferirá na sua história também. Vou explicar: Se na história
familiar do seu par haviam agressões, traições, xingamentos... O
que foi presenciado por ele quando pequeno, poderá estar “
marcado” como uma memória nesse indivíduo, podendo ou não
determinar quem ele é ou será, o modo de agir ou pensar sobre
certos assuntos.

AGORA É A SUA VEZ: AVALIANDO SEU


RELACIONAMENTO

Visto isso, é hora de você ser realista e avaliar seu entorno, como
está seu casamento? Qual seu nível de sentimento por esse par?
Como eram no tempo de namoro? O que mudou? Faça uma
retrospectiva e avalie criticamente a situação atual. Não fantasie
que os defeitos de fábrica, digamos assim, desaparecerão como
um passe de mágica, você sabe de fato com quem se casou? Não
crie expectativas irreais, porque elas viram mágoas, que viram
cobranças, que viram agressões e por fim viram distanciamento.

Elaborei aqui um pequeno questionário panorâmico de situações


de maior confronto, peço que seja bem honesta ao responder para
você mesmo.

Avaliando seu cenário atual e que à partir disso você saiba por onde
começar a mudar, ideal que cada um realize suas marcações em
separado e depois confronte as respostas com intuito de promover
ações corretivas, mas caso isto não seja possível realize você!

PONTUAÇÃO A SER MARCADA NO TESTE:

(3) (2) ÀS (3)


SEMPR VEZES NUNCA
E
QUESTÕES A SEREM
RESPONDIDAS PELO FREQUÊNCIA
CASAL

CAMPO DA
COMUNICAÇÃO
1DISCUTEM POR ( ) ( ) ÀS ( )
COISAS BANAIS SEMP VEZES NUNC
RE A
2DISCUTEM POR ( ) ( ) ÀS ( )
MOTIVOS SÉRIOS SEMP VEZES NUNC
RE A
3DISCUTEM NA ( ) ( ) ÀS ( )
PRESENÇA DE SEMP VEZES NUNC
TERCEIROS RE A
4FALAR ALTO ( ) ( ) ÀS ( )
SEMP VEZES NUNC
RE A
5GRITAR ( ) ( ) ÀS ( )
SEMP VEZES NUNC
RE A
6XINGAR ( ) ( ) ÀS ( )
SEMP VEZES NUNC
RE A
7OFENDER ( ) ( ) ÀS ( ) SEMP VEZES NUNC
RE A
8NÍVEL DO DIÁLOGO ( ) ( ) ÀS ( ) SEMP VEZES
NUNC
RE A
9ESQUECER DATAS ( ) ( ) ÀS ( ) IMPORTANTES SEMP VEZES
NUNC
RE A
1PROATIVIDADE ( ) ( ) ÀS ( )
0PÓS DISCUSSÃO SEMP VEZES NUNC
PARA CONSERTAR RE A
1PEDIDOS DE ( ) ( ) ÀS ( ) 1DESCULPAS SEMP VEZES NUNC
RE A
1RELEMBRAR ( ) ( ) ÀS ( ) 2BRIGAS PASSADAS SEMP
VEZES NUNC
RE A
1QUANTIDADE DE ( ) ( ) ÀS ( )
3DIÁLOGO SEMP VEZES NUNC
RE A

EDUCAÇÃO -
parceria
1FALTA DE ( ) ( ) ÀS ( )
4EDUCAÇÃO/GROSS SEMP VEZES NUNC
ERIA RE A
1NÃO FAZER ( ) ( ) ÀS ( )
5ELOGIO A SEMP VEZES NUNC
APARÊNCIA DO RE A
PAR
1FAZER ALGO PARA ( ) ( ) ÀS ( )
6AGRADAR SEMP VEZES NUNC
ESPONTANEAMENT RE A
E

CASA E FILHOS
1FAZER COMIDA/ ( ) ( ) ÀS ( )
7LANCHE ETC SEMP VEZES NUNC
RE A
1FAZER ( ) ( ) ÀS ( )
8SOBREMESA SEMP VEZES NUNC
RE A
1CUIDAR DAS ( ) ( ) ÀS ( )
9ROUPAS SEMP VEZES NUNC
RE A
2AJUDAR NA ( ) ( ) ÀS ( )
0ARRUMAÇÃO DA SEMP VEZES NUNC
CASA RE A
2AJUDAR MANTER O ( ) ( ) ÀS ( )
1QUE ESTÁ SEMP VEZES NUNC
ARRUMADO RE A
2CUIDAR DOS ( ) ( ) ÀS ( )
2FILHOS SEMP VEZES NUNC
RE A
2DEIXAR A CASA ( ) ( ) ÀS ( ) 3BAGUNÇADA SEMP VEZES
NUNC
RE A
2DEIXAR ROUPAS ( ) ( ) ÀS ( ) 4FORA DE LUGAR
SEMP VEZES NUNC
RE A
2DEIXAR OBJETOS ( ) ( ) ÀS ( )
5QUE USA FORA DO SEMP VEZES NUNC
LUGAR RE A
2NÍVEL DE ( ) ( ) ÀS ( ) 6ORGANIZAÇÃO SEMP VEZES NUNC
RE A
2CUIDAR DA CASA ( ) ( ) ÀS ( )
7 SEMP VEZES NUNC
RE A PARCERIA/SEXO/C ASAL
2PASSEIO AO AR ( ) ( ) ÀS ( )
8LIVRE SEMP VEZES NUNC
RE A
2VER FILME JUNTOS ( ) ( ) ÀS ( )
9 SEMP VEZES NUNC
RE A
3DORMIR NA MESMA ( ) ( ) ÀS ( )
0HORA SEMP VEZES NUNC
RE A
3FAZEM SEXO ( ) ( ) ÀS ( )
1 SEMP VEZES NUNC
RE A
3INOVAÇÃO NA ( ) ( ) ÀS ( )
2CAMA SEMP VEZES NUNC
RE A
3PASSEIO A NOITE ( ) ( ) ÀS ( )
3 SEMP VEZES NUNC
RE A
3JANTAR ( ) ( ) ÀS ( )
4 SEMP VEZES NUNC
RE A
3BARZINHO ( ) ( ) ÀS ( )
5 SEMP VEZES NUNC RE
A
3ABRAÇOS ( ) ( ) ÀS ( )
6 SEMP VEZES NUNC RE
A
3BEIJAR ( ) ( ) ÀS ( )
7 SEMP VEZES NUNC RE
A
3FAZER CARINHO ( ) ( ) ÀS ( )
8 SEMP VEZES NUNC RE
A
3FAZER MASSAGEM ( ) ( ) ÀS ( )
9 SEMP VEZES NUNC RE
A
4NÍVEL DE CARINHO ( ) ( ) ÀS ( )
0 SEMP VEZES NUNC RE
A
4NÍVEL DE ( ) ( ) ÀS ( ) 1ATRAÇÃO SEMP VEZES NUNC
RE A
4NÍVEL DE DESEJO ( ) ( ) ÀS ( )
2 SEMP VEZES NUNC RE
A
4CINEMA ( ) ( ) ÀS ( ) 3 SEMP VEZES NUNC RE A
4QUANTIDADE DE ( ) ( ) ÀS ( )
4SEXO SEMP VEZES NUNC
RE A
4QUANTIDADE DE ( ) ( ) ÀS ( ) 5SURPRESAS SEMP VEZES
NUNC
RE A
4NÍVEL DE ( ) ( ) ÀS ( ) 6FIDELIDADE SEMP VEZES NUNC
RE A
4NÍVEL DE FLERTE A ( ) ( ) ÀS ( )
7TERCEIROS SEMP VEZES NUNC
RE A
4APARÊNCIA DO ( ) ( ) ÀS ( )
8PARCEIRO SEMP VEZES NUNC
RE A

FUTURO - PERSPECTIVAS
A
DOIS

4FAZER PLANOS ( ) VEZES NUNC


9 SEMP ( ) ÀS ( )
RE A
5VIAJAR ( ) ( ) ÀS ( )
0 SEMP VEZES NUNC
RE A
5NÍVEL DE ( ) ( ) ÀS ( )
1CUMPLICIDADE SEMP VEZES NUNC
RE A
AQUI VOCÊ COLOCARÁ A PONTUAÇÃO EM CADA TÓPICO,
ONDE IRÃO AVALIAR EM QUAL TÓPICO OBTIVERAM MAIS
PONTOS E TRABALHAR ESTAS QUESTÕES DE FORMA MAIS
CLARA:

( ) ( ) ( ) ( ) ( )
COMUNIC EDUCA CASA SEXO/ FUTU
AÇÃO ÇÃO E CASA RO
FILHOS L

Agora que você conseguiu avaliar e pontuar as questões que


necessitam de mais atenção no seu casamento, iremos tratar sobre
cada um desses assuntos (e muitos outros) de forma detalhada,
então sugiro que, ao decorrer da leitura você faça suas anotações
em um papel, para que possa fixar melhor os pontos que precisa
mudar.

Onde começa? A morte de um casamento?

A morte de um casamento muitas vezes é lenta e sutil. Um dos


cônjuges ou ambos se tornam omissos, deixando de lado aqueles
pequenos cuidados diários tão necessários para manter a chama
acesa e o romance em alta. Então, chegam a um ponto em que
parece não haver mais um caminho de volta, os dois se perdem
nesta caminhada.
Muito comum dentro de relacionamentos longos deixarmos de lado
a parte do cuidado com o outro, começamos a achar que os
pequenos detalhes são dispensáveis. Não são. Desde o "bom dia",
"você está linda", "como você está cheiroso", "eu te amo", "você é
importante para mim" e muitas outras coisas que os casais
simplesmente presumem que não precisam mais falar ou fazer, e
sem alimentar esse amor, ele míngua, quantos relacionamentos
poderiam ter sido salvos se abríssemos mais a boca com essas
palavras, com gentilezas, com carinhos?
Não é à toa que dizem por aí que a prática leva à perfeição, não dá
para ser bom em nada que não se pratique e muito, precisamos
nos dedicar àquilo de corpo e alma.

Relacionar-se não é para qualquer um, é para quem está disposto


a ter trabalho, para quem investe no outro, investe com tempo,
carinho, dedicação, afeto, generosidade, compaixão, paciência e
muita disposição.
Desprezar essas atitudes, presumindo que não são necessárias,
que o outro "sabe", é antecipar a cerimônia de adeus, e o fim do
casamento.

Alguns sinais apontam para a gravidade da situação, tais

como: 1.Falta de diálogo

O diálogo passa a ser escasso e quando acontece, é


entediante e estressante.

2. Falta de interesse

O cônjuge perde o interesse pela vida do outro. Não se importa


com o seu cotidiano nem sente o desejo de compartilhar os
acontecimentos do seu dia-a-dia.

3. Distanciamento físico
O romantismo acaba. O casal não se abraça mais, não anda
de mãos dadas, não faz carinho um no outro, não faz gentilezas.
As relações sexuais vão ficando mais e mais espaçadas até
cessarem.

4. Pouco ou nenhum esforço para compreender o outro


Quando um cônjuge tenta expressar sua tristeza e insatisfação
em relação à situação em que estão vivendo, o outro acha aquele
assunto chato e desnecessário. Faz pouco caso dos seus
sentimentos. Não quer se esforçar para entender o que o outro
sente, nem se sente motivado a buscar uma solução para os
problemas.

5. Prioridade para atividades com outras pessoas

O cônjuge distante fica mais tempo fora de casa. Quando o par


prefere ficar mais tempo com seus amigos, ou colegas de trabalho.
Quando o par vai para a casa da mãe, da irmã ou marca para sair
com os amigos. Isso quando não está havendo uma traição. Em
outro caso, ele ou ela mentem sobre compromissos extras de
trabalho, cursos, viagens, quando, na verdade, está se
encontrando com o amante.

6. Brigas constantes

Qualquer assunto bobo pode se transformar em discussão


acalorada ou briga. Não há mais desejo de entendimento.
7. Depreciação e grosserias

Críticas à aparência física, ao comportamento, às coisas que o


outro diz tornam-se frequentes. Inclusive atitudes desrespeitosas e
rudes.

8. Novos interesses, hobbys, etc

De repente, ele ou ela passa a se interessar por coisas novas,


coisa que não fazia antes e deixa o outro completamente de fora. O
declínio do afeto começa no desprezo pelas pequenas coisas,
como falta do elogio, atenção a detalhes, tempo a sós, lazer a dois,
etc.

Há como salvar um casamento em decadência?

Tenho certeza que sim, ainda que inicialmente você seja a única
pessoa interessada nisso, e, principalmente, se já se amaram
verdadeiramente algum dia. Entendo que o casamento passa por
muitas transformações, crises previsíveis, influências externas ou
de terceiros, mas se houver alguma chance, mesmo que pequena
vale a pena tentar!
Sabemos que nos dias atuais, há uma corrente teórica que defende
que o casamento é uma instituição fadada ao fim, e diante destes
estudos me surgem algumas perguntas: O que têm acontecido com
as famílias? Será que é apenas uma mudança de paradigma que
está se transformando? Ou está mesmo fadada ao fim? E por quê?

Creio que num mundo dos egos, ou seja, de muitas vontades


próprias em detrimento do outro, da pressa, do extremo egoísmo,
ficar - estar - casado - é cada vez mais difícil... Os valores mudam a
cada hora, o que era ontem regra hoje não é mais, o "até que a morte
nos separe" se transformou "até que as redes sociais, minhas
vontades, meu egoísmo, uma mulher, ou um homem, ou qualquer
outra bobagem ... nos separe". Pois são exatamente estes motivos
os que figuram no topo da lista de motivos das separações.

Enfim, permanecer casado é uma árdua tarefa nos tempos de


amores líquidos, nada feito para durar. As relações se misturam e
se condensam com laços momentâneos, frágeis e volúveis. Em um
minuto estamos apaixonados jurando amor eterno, noutro se
odiando. Num mundo cada vez mais dinâmico, fluido e veloz, onde
boa parte das pessoas não querem comprometimento, a ausência
de laços como marca de um período dominante e atual, tem como
base a ideia do "ser líquido", característica presente nas relações
humanas atuais. Inspirado na obra "Amor Líquido" - sobre a
fragilidade dos laços humanos, de Zigmunt Bauman.
Será que o amor saiu de moda? O descompromisso está em voga,
será que a sociedade moderna não combina com um compromisso
e a responsabilidade de um relacionamento? Precisamos estar
sozinhos ou trocando de par, para se enquadrar na sociedade
moderna? O fato é que as pessoas estão mudando e a maneira de
se relacionarem, por consequência, também!

Desde o fim da era patriarcal, em que só o homem detinha poderes


sobre a família, até os dias atuais da completa fragilidade dos
laços, e não digo só de laços conjugais não, a fragilidade dos laços
pode ocorrer até além do casamento, mas dentro das amizades
também.

Diante de todo estes aspectos, tomamos conta do quão frágil é um


casamento frente à todas ameaças em potencial que ele pode vir a
sofrer, como os recursos tecnológicos que, de uns tempos para cá,
têm sido o principal motivo de fracasso nas relações. Interessante
isso, não é mesmo? A tecnologia, que deveria facilitar a vida das
pessoas, acabando por atrapalhar, e muito, por conta das redes
sociais. Sim, agora não existem mais distâncias, podemos
encontrar pessoas de toda parte do mundo na rede. Enfim, os
estímulos estão por toda parte, fora os problemas comuns de toda
relação.

"Definitivamente: Almas gêmeas não


existem.....Relacionamentos? São como pontes, constroem-se com
os bons e maus momentos e chamamos isso de cotidiano" Moacir
Soledade

Antes de continuarmos, eu pedirei que você identifique


problemas reais que existam no seu casamento:

Cada casal é único, isso não se discute, cada um terá seus


próprios acordos e não há um modelo a seguir, mas vou mencionar
aqui alguns problemas que são reais e atrapalham muito na
dinâmica do casal, para uns, os problemas começam quando a
comunicação “trava”, digamos assim, quando um quer conversar e
o outro revira os olhos, quando um está tão na defensiva que até
nega que haja um problema. Outros já perceberam essa
necessidade quando o tom
de voz está mais alto que de costume, até mesmo para tratar
pequenos assuntos, ficam impacientes e às vezes grosseiros.
Outros motivos frequentes, é quando o par cada vez mais sente-se
sozinho sejam nas atividades que costumavam fazer juntos e hoje
não fazem mais, sejam nos compromissos familiares, até mesmo
na hora do lazer.
Outro problema realmente muito mencionado entre os maiores
problemas de casais é a traição sexual ou emocional. Traição
sexual todos sabem do que se trata, sexo com outra pessoa, e a
traição emocional são aqueles ‘’flertes’’ que ocorrem em conversas
de Whatsapp, Facebook ou qualquer outra rede social que seja
mediada pela facilidade tecnológica, onde o sexo ainda não
ocorreu fisicamente, mas emocionalmente já houve.
Problemas com os familiares, algumas vezes por interferência
destes, outras por dependência emocional de um dos pares,
exemplificando: Quando a nora tem algum problema com a sogra,
ou quando a filha(o) em todo momento solicita a presença da mãe
dentro do lar do casal, são apenas exemplos, mas podem ocorrer
diversos outros problemas envolvendo as famílias de origem.
Outro problema é de ordem financeira quando a questão de quem
ganha, quem guarda e quem gasta não é bem definido pelo casal,
trazendo problemas para o casamento.
As brigas em excesso, o silêncio em excesso, sim o silêncio em
excesso demarca o distanciamento psíquico, ou seja, resultando no
afastamento emocional e por consequência físico também,
trocando em miúdos casal que briga demais ou se distância
emocionalmente acaba esfriando sexualmente. Pois com certeza,
não há como transar com quem mal conversamos, concordam?
Agressões verbais, mesmo que disfarçadas de ironias, aquelas
coisas ditas em tons de “brincadeira” que no fundo têm uma pitada
de verdade e maldade, deterioram e muito a relação, pois usam
dessa fala irônica para 'cutucar' a ferida do outro.
Agressões físicas, caso ocorram, é sinal de que precisa
urgentemente repensar se vale à pena esta união, pois um
agressor nunca para, a tendência é piorar.
Outro grande problema dentro de uma relação é a traição da
confiança ou cumplicidade, sabemos que para estabelecer a
confiança de alguém é trabalhoso e demorado, não ocorre do dia
para a noite, mas para perder é imediato e quando temos essa
confiança traída é sinal de problema à vista.
A falta de comprometimento de uma das partes é um dos
pontos chave. Esse papo de que casamento é 50% parte dela e
50% parte dele é balela; os dois precisam se dedicar inteiramente
para que a relação dê certo, se não houver esforços de ambos será
muito mais difícil superar os problemas que fazem parte da
convivência.
E outros problemas que devemos considerar ficando por último,
mas não menos importante, é de ordem sexual, o sexo é um dos
principais pilares de sustentação do casamento, mais a frente
falaremos com mais detalhes. A minha intenção aqui é que você
possa identificar onde está ou onde começou o problema do seu
casamento.

AGORA É A SUA VEZ: AVALIANDO OS PROBLEMAS


EXISTENTES

● Faça uma lista dos principais problemas no seu relacionamento,


você pode usar os que eu citei e outros que você acha que tem
real interferência na vida de vocês, feito isso, trace os pontos que
você pode mudar, aqueles que dependem de seu
comportamento.

● Avaliando a situação de forma proativa, com real desejo de


mudança e boa vontade.
ETAPA 3

SALVANDO O CASAMENTO

Aula 1 - Mudança pessoal

Já que toda mudança é iniciada por alguém, vamos por a mão


na massa!

Trataremos da sua mudança pessoal, sim vamos falar de


autoconfiança, amor próprio, o amor mais real e duradouro, o amor
por si mesmo, você deve estar sempre em primeiro lugar,
acreditando em você, no seu potencial.
Elimine tudo que te põe para baixo, não aceite críticas destrutivas,
respeite seus próprios limites, tenha coragem para mudar e sair da
zona de conforto. Mudanças são bem vindas, seja na aparência, na
vida profissional, comportamental e até mesmo fisicamente, como
emagrecer ou engordar.
Mude! Realize a tarefa das mudanças e com seu empenho irá
conseguir realizar algumas mudanças que por fim poderão integrar
seu parceiro a elas, mesmo que seja aos poucos, saia do ciclo de
estagnação, às vezes dói, mas os resultados serão extremamente
gratificantes. Se empenhe em aprender coisas novas, novas
habilidades, novas atitudes, novos comportamentos, somos seres
vivos, em constante mutação, tudo é possível sempre, basta
acreditar, plante as sementes do que deseja colher!! Sorria,
agradeça, perdoe, permita-se, motive-se!
Admita suas falhas e se desculpe por elas, aprenda com seus
erros, mas não leve nada para o lado pessoal, nenhuma crítica,
nenhum comentário maldoso.
E a partir disso perceberá que sua reforma íntima, estará
interferindo na relação do outro para com você, sabe por
quê?
Quando mudamos estamos sem perceber, fazendo com que o
outro mude também, quando você age ao contrário do que fez até
aqui, e não deu certo, os resultados serão diferentes! Pode apostar!
Faça sua parte e sem se preocupar com o que o outro fará, e você
perceberá aos poucos a mudança, muitas mulheres se questionam,
mas eu faço tudo certo, porque serei eu quem devo tomar a
iniciativa de mudar? Ele quem está fazendo tudo errado, Ok, mas
foi você quem comprou este livro e foi você quem tomou uma
atitude, isso não significa que você é a errada e ele quem merece
todos os seus esforços sem você se mexer, não se trata disso, se
trata de alguém com maior inteligência emocional e maturidade,
que vai colocar a mudança em prática, e é óbvio que sua mudança
refletirá sobre ele.
Você poderá se perguntar: É bom estar ao meu lado? Pois
conhecer a si mesmo antes de tentar conhecer o outro é
fundamental para o sucesso das relações.
As palavras "Como posso ajudá-lo?" precisam estar na ponta
de sua língua, SIM, sempre ofereça ajuda, é o início de uma
solução, pode ser simples e fácil de fazer, ou pode ser complexa e
custosa, exigindo tempo, energia e muito esforço. O que importa é
que em ambos os casos, você deve fazer o máximo para suprir as
verdadeiras necessidades daquele que é parte de quem você é,
suprir as necessidades do outro, fazer o inesperado, fazer o que o
outro nem está contando, é muito pacificador. Afinal de contas,
quando você ajuda seu cônjuge, você também está se ajudando. O
amor lhe convida a fazer, a tomar a iniciativa, a ação, mesmo se for
simplesmente a atenção em uma conversa.

Como podemos amar, mas não sabemos conviver

Muitos idealizam o casamento com toda aquela pompa e


circunstância, a festa, as músicas, o bolo, o vestido, os presentes,
a lua de mel, todas são decisões praticamente femininas onde o
homem raramente é convocado a dar qualquer opinião, se desde
esse momento ele não é inserido atuando como apenas um
fantoche da noiva, sendo ela, o personagem principal, como exigir
que do dia para noite chegando da lua de mel ele entre em cena
como o marido?
Enfim, foi tudo lindo e perfeito como um conto de fadas, ocorre
que casamento de verdade dá trabalho, se manter casado dá
trabalho mesmo, não é difícil, é trabalhoso apenas, requer atenção
diária, não pense que casou pronto não tem que fazer mais nada,
muitos casais se perdem aqui, pois casamento nenhum se sustenta
sozinho, muitos casais entram num casamento com a ideia de
perfeição que a conjugalidade (que é viver em casal), e no dia a
dia, a perfeição, acaba sendo jogada por terra, visto, que a
perfeição não existe, e se você quer um bom casamento, uma boa
conjugalidade terá que construir!
Sim construir, é a melhor palavra para definir o casamento!
Reconstrução diária, sem trégua, sem folgas, sem férias..
Respondendo a pergunta que eu havia feito sobre como podemos
amar, mas não sabemos conviver a resposta é simples: O EGO - ou
seja, cada um com seu ‘’eu’’ a sua individualidade, com disputa de
poder, repetição de padrões às vezes de familiares, distorcidos, o
real dos fatos é que entram em um relacionamento para medirem
forças, um casal precisa se lembrar todos os dias que jogam pingue
pongue (um com o outro) e não tênis ( um contra o outro). Não se
iluda com a perfeição, pois como eu disse, ela simplesmente não
existe!
É aqui, bem no início do casamento onde ocorre o primeiro
‘’choque’’ de realidade, ela idealizou o marido perfeito, uma casa
perfeita, um casamento perfeito, e ele a mesma coisa, e agora
possuem papéis a cumprir e é o que eu chamo de convivência, onde
se juntam no mesmo espaço duas pessoas completamente
diferentes com objetivo de iniciarem uma vida em comum, muito
diferente do namoro que tinha sua leveza e coloridos próprios, que
muitos deixam morrer com o casamento.
Nessa nova etapa chamada casamento os dois precisarão se
comprometer para que dê certo, no dia a dia a vida real mostrará
que não existe cesto mágico que transforma roupa suja em limpa,
que a casa não é auto-limpante, que a geladeira não se abastece
sozinha, que ele dorme de meias, e que ela usa máscaras no rosto
para espinhas, entre outras
coisinhas/defeitinhos que somente a
convivência mostrará.
Relacionamento é uma caminhada, um desafio diário, reunir
dentro de uma mesma casa, pessoas diferentes, com hábitos
diferentes, criados de maneiras diferentes, tentar conciliar todos
estes fatores não é fácil, dá trabalho, muitas pessoas entram em
relacionamentos sem imaginar o trabalho que terá, e quando se
deparam com uma crise, um stress, algo que saiu fora do contexto,
querem logo "chutar o balde", pois é mais fácil desistir do que
insistir! Sim, pode até ser, mas desistir de um casamento é mais
complicado.
Devemos cultivar a tolerância, a paciência, o amor, o carinho e
principalmente a comunicação, pois a maioria dos conflitos surgem
por conta destes fatores.
Não pense que trocar de parceiro resolverá as coisas de modo
mágico, é necessário avaliar suas habilidades em conduzir
relacionamentos, pois a ideia de trocar de parceiro pode até
resolver temporariamente e imediatamente este
problema específico, mas se você não se conhecer, irá repetir
os mesmos problemas com os próximos relacionamentos, acredite
que sim, infelizmente trocar de par não resolve muita coisa.
Construir um relacionamento é trabalhoso, mas pode valer muito a
pena!

Aula 2 - RESTABELECENDO NOVOS ACORDOS CONJUGAIS

Sabemos que a paixão dura de 6 á 18 meses, depois disso se for


bem nutrida essa paixão se transformará em amor, e partir daí é
possível falar em par, em casal.
Como falamos, viver a dois é uma construção diária, quando
se perderem nisso vale a pena resgatar a história do casal, porque
se uniram, como começou, como se apaixonaram, relembrem
fatos, histórias do casal, revejam fotos, essa nostalgia ajuda a se
reconectarem.
Cada dia, deve ser construído como um edifício aos poucos, tijolo
por tijolo, viva um dia por vez, sem ansiedade, procure não
generalizar, e se estão com problemas pense: conflito nosso de
cada dia...tratando cada "motivo" de cada vez, entender o motivo
do conflito e lidar com isso de forma assertiva, proativa e sempre
positiva.
É fundamental que você desenvolva estratégias para lidar com
os conflitos, entendendo o conteúdo dele e quais sentimentos estão
envolvidos, isso ajudará a clarear o entendimento sobre os pontos
não muito claros;
A importância da flexibilidade na convivência diária, aprender a
ceder, negociar, ter empatia ou seja, se pôr no lugar do outro,
manejar a raiva, ter muito cuidado com as palavras ditas em
momentos de raiva, elas magoam e muitas vezes destroem
relacionamentos, por isso, antes de falar ouça, analise o que iria
falar, pense se fosse você ouvindo, como se sentiria?
Comunicação, é o ponto que considero mais importante, pois ela
constrói e destrói relações, então muita atenção a ela, deve ser
clara, pontual e sem palavras duras e críticas. Não existem
fórmulas mágicas para relacionamentos, mas existe o diálogo!
Use-o e verá seu poder!

Não pergunte a você mesmo se você ainda está amando

Amor muitas vezes está ligado à emoção, não a ação. Quando


perguntamos a nós mesmos se ainda estamos amando, acabamos
querendo saber se ainda temos a conexão emocional com a outra
pessoa. Infelizmente, mesmo a ação de questionamento leva à
mais dúvida, não a menos. Quando levantamos a questão,
começamos a refletir sobre esse assunto. Quando ponderamos a
questão, muitas vezes podemos criar a resposta. Então, em vez de
perguntar se nós amamos nosso parceiro, é muito mais útil
começar a tratar nosso parceiro como se ainda gostássemos dele
ou dela. Quando nós tratamos alguém "como se," muitas vezes
encontramos as emoções que uma vez faltaram, essas emoções
podem estar retornando. A pergunta precisa mudar de "Eu ainda
amo (emoção) ele/ela?" para "como eu amo (ação) ele/ela?”.
Como por exemplo: DE QUAL
MANEIRA AMO MEU PARCEIRO, ao invés de SE AINDA AMO
MEU
PARCEIRO. A simples tarefa de fazer esta pergunta muda a nossa
perspectiva. Quando nossa perspectiva muda, muda a relação. O
desejo do coração de melhorar um relacionamento é normalmente
uma mudança na perspectiva. A pergunta: "o que posso fazer para
mostrar o meu amor?", salienta a parte difícil: Raramente temos a
melhor maneira de mostrar ao outro o nosso amor. Todos nós
temos maneiras diferentes de demonstrar o sentimento e de sentir.
O problema é que nós, geralmente, não assumimos o que sentimos
e isso também é o que nos impede de saber que somos amados. E
aqui, as especificidades correm contra a regra de ouro: "Faça para
o outro o que gostaria que fizesse para você". Existem muitas
formas de se mostrar e expressar o amor. Alguns encontram amor
em palavras, outros em contato, outros em ações e ainda outros
em presentes. Dentro desses meios amplos, existem muitos
detalhes. Nossa tarefa, é descobrir como o outro anseia ser amado.
Esta é a tarefa de aprendizagem de qualquer relação de sucesso.
Descubra isso e também os anseios mais profundos de um
parceiro.

AULA 3 - CASAMENTO: QUAIS QUESTÕES SÃO


IMPORTANTES PARA ESTA “SOCIEDADE” DAR CERTO?

Em primeiro lugar gostaria de te aconselhar a zerar realmente


tudo que passou se deseja resgatar e salvar esse casamento,
perdoar não é esquecer, esquecer é amnésia, você precisará
perdoar tirando a mágoa do seu coração e se dar uma chance de
seguir em frente, sei que não é fácil perdoar tudo, algumas coisas
te custarão alguns sacrifícios, mas se tomou a decisão de
continuar, precisará perdoar, para conseguir seguir em frente!

Restabelecendo acordos, sim será necessário que sentem e


conversem de forma madura sobre o futuro desse casamento,
sobre os acordos que não ficaram bem definidos na primeira vez e
agora precisam ser pontuados de forma clara e com o
consentimento de ambos, só assim ele valerá. Será necessário:

● Ter bem definido a questão da monogamia, se é ou não


importante para ambos que sejam fiéis, existem casais com
diversos acordos, sobre este ponto e é muito particular de cada
arranjo conjugal o estabelecimento de suas próprias regras;
● Questões financeiras, se terão conta conjunta ou não, o que
comprar, quanto poupar, planos e projetos definidos;

● Trabalho x vida doméstica, ambos trabalham, quem cuidará da


casa? Dos filhos?

● Interferências familiares, o que concordam neste ponto, todos


opinam na vida de vocês, todos problemas são levados para as
famílias? É importante estabelecerem um acordo sobre isto, e
não só a família mas quanto à terceiros de modo geral, amigos,
irmãos, colegas;

● Atenção as queixas do outro, avaliar empaticamente, se


colocando no lugar do outro, o que o outro reclama sobre você,
o que você pode fazer para mudar? O Outro sinaliza que está
ruim, ele dá dicas, sempre, então conversem abertamente sobre
isto.

● Modificar padrões distorcidos de comunicação, esta é quase


sempre a chave para todas as soluções, como me comunico com
meu par? O modo que falo com ele, eu falaria com uma pessoa
que não conheço? É suficientemente adequado e educado, o
modo como me dirijo à meu par? Faça-se estas perguntas!

Cada casamento tem seu jeito próprio, mas sempre importante


trabalhar na manutenção dele, para que os conflitos não cresçam, e
por último não menos importante, o perdão! Se houvesse mais
perdão nos relacionamentos, haveria menos divórcios.

Aula 4 - Agora é sua vez... Como salvar meu casamento?

AS SOLUÇÕES

É inevitável que os parceiros irão ter na grande maioria das vez


opiniões diferentes, todas as pessoas têm dias em que não
conseguem gerir da melhor forma as suas emoções. O problema
não é a existência de conflitos entre os parceiros, o problema está
na forma como lidam com as situações. Quando os nossos egos, o
seu eu, se colocam no caminho, as nossas mentes tornam-se
turvas entrando-se em uma centena de argumentos descabidos.
Algumas pessoas usam esses conflitos como uma oportunidades
para obter respostas: “ É o meu relacionamento mais forte que o
problema?” Usam as situações como uma forma de medir a
estabilidade da relação.
Por vezes não percebendo que as nossas próprias questões
contribuem para o conflito, não se feche para olhar de fora e
friamente a situação, ao invés olhar negativamente existe uma
forma bem mais efetiva de fazer a questão: Qual nosso nível de
maturidade? É o suficiente para resolver o conflito com
consideração, consciência, educação e principalmente sem
machucar o outro?
Como mencionei a pouco a comunicação é o ponto alto da
solução, o segundo ponto é não retroalimentar as discussões, ou
seja, não debater, não confrontar, não existirá vencedores em uma
discussão, então, por mais que isso te custe, recue, não responda,
não entre no jogo do outro em tirar você do sério, ninguém
consegue brigar sozinho, então se você se calar, sair de perto,
mudar o enredo,
o outro perderá os argumentos, ou perceberá que está discutindo
sozinho. Saia desse ciclo com elegância!

DICAS PRÁTICAS: Manutenção do Casamento

● Esqueça o passado, não há coisa pior no mundo que discutir


com uma pessoa que relembra desde o primeiro problema que
tiveram e vêm trazendo até o de hoje;
● Não se compare a outros casais, já sabemos que cada casal é
único;
-Esqueça o placar, vocês não estão em uma competição, não
haverá ganhador;
● Façam coisas boas um para o outro, seja um lanche, um favor,
reconhecer algo que o par fez de bom, agradecer, etc;
● Não desconte seus problemas um no outro;
● Expresse seu amor, alguns se casam e acham que o amor está
presumido, ou seja supõe que a pessoa sabe que você a ama,
não, não, você precisa falar o quanto ama, o quando gosta;
● O outro não é vidente ou adivinho, você precisa falar o que está
errado, ficar de cara feia não resolverá nada;
● Saiba ouvir, quando nos dispomos a ouvir o outro ele fará o
mesmo por nós;
● Peça desculpas quando for necessário;
● Crie e cultive bons momentos;
● Procurem se beijar com frequência, isso aumenta a conexão
entre vocês;
● Desista de controlar o outro, você não é um GPS;
● Aja com maturidade e serenidade;
● Não critique, muitas vezes por trás da crítica pode estar uma
inveja velada, triste, mas muito comum dentro de um casamento;
● Seja alegre e otimista, tire aprendizado de tudo;
● Abrace-o, o abraço tem uma força curativa, ajuda nas questões
difíceis, no perdão, na troca de afeto, em trocar mensagens sem
precisar falar uma palavra, entre outras coisas;
● Mantenha o bom humor, as pessoas bem humoradas,
conseguem se sair melhor dos problemas; (lembre-se bom
humor não é deboche!)
● Seja tolerante e paciente, no modo de agir, falar e até pensar,
quando se tratar do par, sim, cultive estas virtudes, ajudará muito
vocês;
● Seja confiante, ser confiante intriga o homem, deixa ele
conectado a você;
● Sejam amigos um do outro, é uma grande sorte, poder ser amigo
de quem amamos;
● Avalie os objetivos em comum, é importante que tenham;
● Cultivar bons momentos juntos, seja em casa, viajando, saindo
só o casal;
● Alimente o clima de romance, com mensagens e bilhetes;
● Invista na qualidade do sexo, sexo começa antes da cama, com
elogios, carinho, atenção, etc;
● Massagear o EGO.... sim, fazer elogios ao par, notá-lo;
● Companheirismo - parceria - cumplicidade, fortalecimento da
relação;
● Construa diálogo e espaço para isto na relação de vocês, não
um monólogo (apenas um fala, o outro não tem vez); Diálogo, é
o ponto mais importante entre um casal, saber se comunicar, ter
o momento adequado para dialogar, não estou falando de
ladainhas intermináveis e nada de ser repetitivo;
● Seja melhor cada dia, seja acolhedora, estenda isso ao lar de
vocês;
● Não superdimensionar os problemas, enxergando maiores do
que realmente são, aquela velha história que a grama do vizinho
é mais verde, mas olhando bem perto ela é de plástico, resolvam
as questões de vocês pensando na dinâmica de vocês, cada
casal é um, não há fórmula de um único jeito de ser casal, cada
casamento é único e particular;
● Fazer carinhos na cama e fora dela;
● Beijos, diários.... é uma das primeiras coisas que some.. num
longo casamento... o beijo tem um papel super importante,
"acende" e aproxima o casal;
● Façam coisas juntos, que não seja sexo, isso aumenta a
conexão de vocês; Por exemplo: cozinhar, pedalar, caminhar,
etc
● Atenção aos detalhes, sim, é meio clichê, mas perceber o outro
em pequenos detalhes, como mudou um penteado ou perfume,
enxergar o outro, reconhecer alguma coisa que o outro fez para
você ou para vocês, lembrar das datas importantes, enfim;
● Não expor, preservar intimidade, nunca discutir na presença de
terceiros, e muito menos levar questões do casal para fora do
casamento;
● Sempre que puderem façam: viajar sozinhos, presentear sem
motivos, jantares especiais, bilhetinhos um para o outro, etc;
● Demonstração de cuidado e atenção com o outro, nos pequenos
gestos como deixar o chinelo dele e o pijama separados, levar o
carro para lavar sem que te peça, qualquer pequena ação que
seja uma amostra de seu carinho será muito valioso;
● Ter uma noite destinada a um sexo especial ... diferente do dia
a dia, pelo menos uma vez no mês! Experimentem brinquedos
eróticos, filmes, roupinhas, camisolinhas ou até mesmo se você
não tem o costume, durma nua, géis, massagens, posições, etc;
● Durmam no mesmo horário, isto aproxima vocês intimamente;
● Nunca durmam brigados, se houve alguma discussão antes,
tente apaziguar antes de irem dormir e mesmo quando for uma
coisa séria, tente pelo menos dizer um 'boa noite' para o par, isso
quebra um pouco a tensão;
● Priorizem momentos à sós, mesmo que tenham filhos, tentem
ter momentos somente para os dois, combine isso com as
crianças, sinalize que isso é importante para o casal.

Lembrem-se o Amor é uma decisão diária e o Casamento uma


ação diária.
AULA 5 - CUIDAR É SEMPRE MELHOR QUE CONSERTAR,
ENTÃO COMO AUMENTAR A NOSSA UNIÃO?

Vou mencionar aqui algumas ações, mas devem ser praticadas em

conjunto, mas não sendo possível, comece você!

● Buscar um sentimento de melhor qualidade para a relação,


aprendendo abrir-se para o parceiro, desenvolvendo o afeto e o
carinho;
● Dar atenção ao que o outro quer, espera ou precisa, bem como
sinais que ele emitir; pois o homem, por exemplo, não costuma
verbalizar o que precisa;
● Persistir em ações proativas, ou seja, continuar motivada a
construir uma boa relação, sei que não será fácil, mas persista;
● Esforçar-se para enxergar o funcionamento do outro, somos
diferentes, isso é um fato, às vezes nosso par é mais fechado,
às vezes mais calado, procure entender;
● Ter confiança no outro, dê pelo menos um voto;
● Ser prático em não entrar em discussões bobas e improdutivas;
● Quebrar a rotina, incluir jantares, passeios a sós, cinema, sair
para dançar, namorar;
● Pensar nas palavras, quando precisar falar algo desagradável
para o outro, medir palavras que possam magoar;
● Investimento libidinal, sabe o que é isso? É demonstrar desejo
pelo par, quem não gosta de se sentir desejado?
● Cuidar da sua imagem da sua aparência, desleixo não está com
nada, mesmo que esteja em casa, não vale usar aquela camisa
de campanha política e crocs, mesmo que estiver em casa fique
arrumadinha, não é exagerada, mas se por exemplo tocarem a
campainha você poderá ir abrir sem que o outro se assuste com
quem abrirá a porta;
● Tentar o equilíbrio das vontades individuais, imaginem-se num
barco onde o rumo é ir para frente, mas cada um quer ir para um
lado? Simplesmente não se moverão;
● Estimular o bom humor, leveza da relação;
● Desenvolver a capacidade de perdoar o outro;
● Ter autonomia, ninguém gosta de pessoa
totalmente dependente;
● Respeitar ao outro, seu espaço, seu silêncio quando ele pedir
para ficar quieto;
São dicas que se desdobram em muitas outras, se adéquam a
realidade de cada casal! Boa vontade e persistência pode
transformar a relação, o outro muda, quando mudamos!

Quero muito que você entenda claramente o que estraga o


casamento, por isso vou falar dos 7 erros cognitivos que
atrapalham as relações, cognição é o ato ou processo da aquisição
do conhecimento que se dá através da percepção, da atenção,
associação, memória, raciocínio, juízo, imaginação:

● Generalização: tomar todos os eventos como iguais, por ex:


numa discussão você repetir "sempre" você faz assim... ou diz
isso...

● Pensamento dicotômico, ou seja, tudo ou nada, 8 ou 80, não


consideram as gradações entre o tudo ou nada, o meio termo,
precisam sair da rigidez, flexibilizar.

● Maximização do positivo e do negativo, olhar com lentes de


aumento, ver de forma muito maior do que realmente é,
desqualificando as outras coisas... Exemplos: marido bebe todos
os dias, a esposa diz que ele as vezes "exagera" - NÃO!!! Ele é
alcoólatra mesmo, não tente diminuir isso! Fingindo que não
está vendo.

● Personalização: Atribuir a si mesmo todos os fatos, se não está


recebendo atenção e carinho devidos, achar que você é o
problema. Não, o problema é do outro que não está fazendo a
parte dele! Tipo: Eu não mereço que me deem carinho.

● Leitura de pensamento: Concluir que "sabe" o que o outro fez,


ou "sabe" como o outro agirá ou pensará ou falará! Você não é
adivinha! Então você não "sabe" nada, espere, dê a
oportunidade de que o outro seja ele mesmo!

● Ditadura do "deveria", a rigidez atrapalha os relacionamentos.


Cada relacionamento é único com suas qualidades e defeitos,
pois pessoas são únicas, então não há como os relacionamentos
serem iguais. Ex: Você já fez isso antes com seu ex... Você age
assim.... Então com certeza você deve ser assim com todos
relacionamentos.

● Ruminação, ficar rememorando o passado, muitos casais na


hora da briga citam o passador um do outro, ou brigas passadas,
pelas quais já brigaram... Ruminando sempre e voltando ao
ponto zero, sem produtividade na discussão.

Uma pausa para você avaliar:

Agora que você já sabe sobre esses 7 erros comuns, quero


que você faça uma avaliação daquilo que você precisa mudar, sim,
comece por você para que o seu par possa notar essa diferença.
Isso requer prática! Anote os seus principais erros, identifique os
pontos que você sempre toca/ volta no assunto e comece a se
policiar quanto a isso…. etc.

Aula 6 - TIPOS DE CASAIS

Existem alguns padrões de funcionamentos que definem os


tipos de casais, segundo o modo que passam seu período de
desenvolvimento, o modo como foram criados, em função de sua
história relacional primária (mãe e pai), quais valores lhes são
importantes, tudo isso servirá de base para o tipo de casal que a
pessoa formará. Como eu já falei anteriormente, cada casal é único
e tem seu jeitinho de ser par, vou falar sobre alguns tipos mais
comuns, a fim de facilitar o ajuste do que não está funcionando

● CASAIS ONDE CADA UM EXISTE EM FUNÇÃO DO


OUTRO: tem pouca preocupação consigo mesmo, a ênfase é o
outro, a satisfação do outro, a felicidade do outro. Este tipo
disfuncional de casal precisará aprender a consciência individual, de
sua própria identidade.

● CASAIS QUE QUEREM CUIDAR E SEREM CUIDADOS: a


preocupação maternal um com o outro, cuidados excessivos um com
o outro, como se desempenhasse papel de “mãe” um do outro. Este
tipo de casal precisa aprender ser sua “própria mãe”, cuidando de si,
e não delegando o outro esta integral tarefa.

● CASAIS QUE COMPETEM: tipo bastante comum, casais


que fazem do casamento o palco da competição, se fazendo
necessário um papel de ‘ dominador ‘ e o outro de ‘ dominado’, a
coisa pega aí, porque ninguém quer ser o ‘ dominado’, e aí as
disputas se acirram. Estes casais precisam aprender a serem menos
autoritários e deixarem de competir, aprendendo a cooperar, estão
no mesmo rumo, a competição os levará para rumos distintos.
● CASAIS QUE LUTAM ENTRE SI: um tipo de rivalidade, às
vezes explícita, e às vezes implícita, a busca por desempenhar
papéis ativos dentro do enlace, competindo pela posição ‘masculina’
da relação, muitas vezes não desempenhada por ele, ou acatada por
ela...e não aceita por ele. Estes casais precisam descobrir suas
características ‘femininas’ e ‘masculinas’ sem distinção de gênero,
não é isso, mas se estruturarem para a proporcionalidade disso na
relação, não há papel de privilégio, os dois devem ser
desempenhados juntos numa relação.

● CASAIS QUE VIVEM UMA SIMBIOSE: estabelecem uma


relação de continuidade de si mesmo com o outro, se fecham no
casamento, não convivendo com mais ninguém, temendo a perda.
Estes precisam aprender e valorizar a individualidade e o espaço
comum são duas coisas que podem se harmonizar.

● CASAIS QUE NÃO SE ENTREGAM: até tem potencial de


casal, mas não se entregam, tentam se manter no controle e com pé
atrás, por medo de perder a liberdade. Precisam aprender a
flexibilizar em todos os sentidos, abrirem se para a relação.
● CASAIS QUE TÊM A PERFEIÇÃO COMO FOCO: Esperam
muito um do outro, e quase sempre se frustram, têm fantasias que
vão mudar o outro. É preciso relaxar, ninguém muda se não quiser,
o querer está implicado a todo momento, precisam relaxar e se
respeitarem.
Enfim, existem alguns outros tipos de casais que eu poderia
ficar aqui horas relatando, como os casais que se relacionam por
status, por fortes emoções, por medo, pelo justo, os que evitam
conflitos, jogando para baixo do tapete os problemas, os que
assumem papéis pré determinados, o importante é perceber o
padrão de funcionamento a dois, e ver o que funciona e o que não
funciona e o que precisa ser mudado, não há vítima e carrasco,
certo ou errado, melhor ou pior, o que há é como verdadeiramente
são e o que podem fazer para conviverem como dupla, casal, par,
cônjuges, amantes, namorados, noivos, enfim, não importa o
nome, nem o gênero, nem a posição sociocultural, (se tem cultura,
educação, se é rico ou pobre) o que definirá a funcionalidade são
os acordos particulares que cada modo de se relacionar
demandará!
E como manejar e prevenir problemas no casamento?

Quando as dificuldades surgirem, precisam ter três coisas:


tempo, disponibilidade e abertura para lidar com a situação.
Conversar sobre os problemas e impasses, sem discutir, acusar e
projetar no outro;
O ponto chave da relação de sucesso é a comunicação, sem
ela os laços se fragilizam;
Usar de modo construtivo o problema e tirar aprendizagem dele,
para que ele não volte ocorrer, quando conhecemos as facetas
sombrias das coisas conseguimos lidar melhor; Fujam do que
sabem que não há solução:
Sair do ciclo de repetição, o ser humano tem compulsão por
repetição, saia disso, não discutam por passado, conhecer os
problemas pelos quais já discutiram inúmeras vezes, é uma boa
forma de evitá-los;
Uso do mesmo remédio em maior dose ou quando a solução vira
um problema; ex: tentar explicar seus motivos no meio de uma
discussão, só vai aumentar a reação do outro em não querer ouvir,
espere o momento adequado, sem ansiedade e sem pressa;
Simplificação ou negação do problema; ex: uma mulher pensa e
diz que seu marido é nervoso, mas na verdade ela não vê que na
verdade ele é alcoólatra ou agressor;
Tentativas de encontrar soluções onde não existem, ex: mulher
que não gosta da sogra, infelizmente gostando ou não terá que
conviver com ela, afinal ela faz parte do pacote! Nestes casos, use
da sua educação e tolerância.
O ideal é passar a limpo a razão inicial da discussão, aceitar o
outro como ele é, as pessoas só mudam por elas mesmas,
acredite, a única pessoa que você pode mudar é você mesma, mas
tenha certeza, quando mudamos alteramos o ciclo real e a energia
das coisas ao nosso redor, impulsionando-as a mudarem também!
Compaixão, respeito, carinho e paciência são as palavras de
ordem! Serão suas ferramentas de trabalho, digamos assim.
Olhar um para o outro, com compaixão, lembrar que esta é a
pessoa por quem você se apaixonou um dia, isso ajudará medir as
palavras;
Tentar passar um tempo a sós, cozinhar juntos, se tocarem, ter um
hobby, andar de mãos dadas, se beijar, pensar positivo,
agradecerem, estimular e elogiar o outro, estas atitudes podem
parecer pequenas, mas fazem muita diferença para diminuir a
distância entre o casal, e diminuir a tensão causada pelas
discórdias.

Agora imagino que esteja querendo ter certeza de que possuem


um problema sanável, vamos lá, vamos entender um pouquinho
mais sobre esta dinâmica de ser um par.Minha pergunta é: Vocês
formam um casal disfuncional?

Os parceiros sentem que as diferenças os afastam e passam a se


sentir como dois estranhos e com vontades e desejos diferentes,
abaixo alguns pontos que indicam que vocês formam um casal é
disfuncional, ou seja, com problemas no modo operacional:

● Adiam a solução de problemas, até possuem a consciência do


problema, mas preferem não tratá-lo agora;
● Coagem ou ameaçam um ao outro;
● Iludem o outro, com mentiras e omissões;
● Minam as resistências do outro, cansando o outro,
desvalorizando o outro;
● Acusam o outro, desenvolveram um padrão de diálogo
acusatório;
● Fazem avaliações moralistas das situações vivenciadas;
● Encobrem as discordâncias, o famoso jogar embaixo do tapete;
● Produzem sintomas físicos para fugir do problema, (ex: dor de
cabeça, de estômago) sim, muito comum o corpo expressar a
angústia;

No casal disfuncional cada um espera que o outro concorde com ele


e as diferenças vão aumentando, as disputas vão aumentando e a
dificuldade de convivência torna a relação insustentável, fadada ao
fim!

E agora conhecendo todas as questões aqui citadas, caso seja


necessário leia e releia, até mesmo imprima e tenha como um
manual, para ter sempre à mão e nunca esquecer dos pontos
trabalhados acima, vamos ao ponto do seu problema, que imagino
que você esteja ansiosa para que eu fale dele não é mesmo?

Aula 7 - Avaliando o estágio que você se encontra

Com base em tudo o que já foi aprendido até aqui, e você


poderá aplicar tudo que leu e tomou nota, vamos começar a
trabalhar o ponto específico que você se encontra neste momento
avaliando o estágio em que se encontra:
a) Seu parceiro está em casa, mas ameaça sair
Ele ameaça, mas ainda não foi, não dê pouca importância a este
sinal, se ele falou isso é sinal que ainda está preso por algum fio a
você, e ainda não tomou a coragem suficiente para ir embora
realmente, mas se apegue a esse fio e mude essa situação, avalie
as queixas dele e transforme-as, é hora de um diálogo aberto, sem
resistência de ouvir, esteja de coração aberto a ouvir e analisar tudo
que foi dito, sem retrucar ou ser reativa.
Mesmo que você não concorde com absolutamente nada do
que ele disse, não é hora de certo e errado! Se você quer
reconquistar precisará estar serena a ouvir sem retrucar e debater.
Imagino que dependendo de seu estado emocional isso não será
fácil, mas tudo que te dei de ferramentas e conhecimentos até aqui,
te ajudarão nisso.
Desenvolva o autocontrole, aprenda a recuar quando o outro
estiver exaltado, isso ajudará muito em diversas situações
conflitantes, porque ninguém discute sozinho, o outro perde o
enredo se você apenas se calar, ele cansará.
Mude completamente tudo que você fez até aqui, uma vez que
você percebeu que não funcionou o modo que você vinha agindo,
vamos seguir então as minhas instruções. Mude tudo que é
possível à partir daquilo que você identificou que falhou, sim a auto
análise, sempre é produtiva, e também à partir das queixas do par,
tenha atitudes positivas, crie um clima de paz e harmonia dentro de
casa, aprenda a se comunicar de maneira que não o deixe com
raiva ou irritado, invista em sua aparência, recupere seu amor
próprio, sua auto estima, quando nossa auto estima é elevada
nossa segurança é percebida pelas pessoas ao nosso entorno, e
homem fica muito intrigado e instigado na presença de uma mulher
segura, que sabe o que quer.

b) Ele saiu de casa, mas ainda mantém comunicação

Tentar enxergar o que fez ele chegar a esse ponto, quais são
as reclamações dele e mais uma vez ouvir sem ficar na defensiva
ou ser reativa, não rebata as críticas, e nem discuta, pois discutir
com alguém nervoso não é nada inteligente, se calar é difícil, mas
você aprenderá e verá o quão eficaz esta arma é.
Não prolongue as brigas, fale pontualmente e calmamente,
mesmo que isso te custe bons socos na parede do banheiro
depois, não tem importância, o que importa que você não se
descontrole
perante ele, ninguém dá credibilidade a uma pessoa completamente
descontrolada, falando alto e gesticulando.
Mude sua postura se estava acostumada a devolver na mesma
moeda todos os ataques que ele fazia a você, não mais agirá
assim, deixará pensar que ele tenha razão, apenas dirá: ‘’sim, você
tem toda razão’’ quando concordamos com o outro tiramos dele a
arma de ataque contra nós.

Foque em você, em suas atitudes, em seu plano de mudança,


avalie o que você vem sendo até agora, seja sábia e inicie a
mudança, elogiando-o, sendo dócil, sendo meiga, sendo carinhosa,
e não fazendo cobranças, ninguém deixa de amar da noite para o
dia, tudo que você ouviu pode ser fruto de raiva e ressentimento,
ignore isso, neste momento, reconquiste aos poucos, faça coisas
boas para ele.
Agir com maturidade e sabedoria, revendo sua participação no
cenário atual em que se encontra seu casamento, avaliando se de
algum modo contribuiu para isto, seja totalmente diferente do que
foi e viu que não funcionou.
Cuide mais de você, quando nos colocamos em primeiro lugar,
nos cuidando, melhorando nossa aparência, desenvolvendo outras
atividades, nos mantendo ocupada, percebendo que a vida tem
outros pilares que não são apenas o casamento, ou seja, desfocar
neste momento da crise, olhar por um outro ângulo, regar seu
próprio 'jardim', ou seja, cuidar bem de você, se por em prioridade,
fará com que a atenção do outro volte a você, sem que você cobre
por ela, sem que faça a carente e dependente.
Tente enviar uma mensagem de texto carinhosa, perguntando como
ele está, se precisa de algo, se quer vir almoçar com você, fale que
fez o prato preferido dele, se deseja que cuide das roupas
dele…demonstre seu carinho e sua atenção, enfim...Mostre que
ainda o ama, o quanto ele é importante para você e para a família
que construíram juntos.

c) Ele saiu de casa e não mantém comunicação


Não se descabele, vou pedir aqui mais do que antes a sua
paciência e serenidade, lide com maturidade com essa situação, já
vi casamentos desfeitos de anos se restaurarem, não fique em
cima, ligando, mandando mensagens, fuxicando redes sociais, dê
um tempo para ele digerir o que aconteceu.
Depois de um tempo, sugiro que você deixe passar uma semana,
sem nenhuma comunicação, o outro precisa sentir esse
esvaziamento e ausência de sua parte, para também perceber que
ele não é a última bolacha do pacote!
Se comunique educadamente e por mensagem, não ligue
ainda, apenas pergunte se ele está bem ou se precisa de alguma
coisa, nada mais do que isto!
Exemplos: Oi, você tá bem? precisa de algo? beijos.
Tenho muitas saudades, passe aqui em casa.
Hoje estava revendo algumas fotos nossas da época do
namoro, e envie uma dessas fotos na mensagem.
Ou uma foto do casamento, e diga, você mudou muito, veja,
para melhor!
Te amo como nunca amei ninguém, vamos nos dar uma chance
Você é e sempre será o meu grande amor Sem
você esta cama fica enorme!
Tudo que te pertence continua aqui esperando por você,
inclusive eu!
Queria a oportunidade de reescrever nossa história, faria tudo
diferente.
Só você me importa! Eu só quero você!
Não há dificuldade que o amor não vença; doença que o amor
não cure; porta que o amor não abra; obstáculo que o amor não
transponha.”
E se ele responder alguma coisa, como "estou bem e você?"

demore horas a enviar outra mensagem, como por exemplo algo

assim:

Bem também, mas poderia estar melhor….


Poderia estar melhor se tivesse você….
Nos dê uma chance, vamos fazer diferente….
Que tal a gente se amar até o dia clarear?
Topas uns carinhos sem cobranças?
E pare por aí, não encha a caixa de mensagem se mostrando
ansiosa. Aproveite este tempo cuidando de você, de sua aparência,
dos filhos e de sua casa.
E se ele não responder, deixe mais uma semana em suspense
a sua investida, seja paciente, a paciência é uma virtude
insuperável nestes casos!
Sejamos realistas se ele saiu de casa é um mal sinal, pois os
homens naturalmente não agem dessa forma, isto mostra que
existem pontos mais sérios que precisam ser compreendidos, como
por exemplo se ele possui outra pessoa, e se você possui recursos
emocionais de enfrentar isso, caso não tenha, busque aí dentro de
você essa força, e partir para uma reconquista séria, como nos
seus tempos de solteira, quando paquerava alguém até conseguir
ficar com essa pessoa, as ferramentas usadas neste estágio, são
exatamente as mesmas, uma dose de charme, de distanciamento,
jogo de se mostrar e se esconder, ser vaga e às vezes indisponível,
como? Você pode aparecer em um lugar que é usualmente
frequentado por ambos, mesmo que ele não esteja lá, é até melhor,
pois daí ele saberá por terceiros, que você apareceu por lá, linda e
feliz, (muito embora isso seja apenas uma armadura, uma capa,
uma estratégia), postar uma foto se divertindo com algumas
amigas, nada demais, apenas sorrindo, sumindo de vez em
quando, sem deixar nada postado, por uns dois dias, se por acaso
alguém perguntar detalhes de como você está ou como está
tocando a vida, seja vaga, respondendo apenas de forma educada:
seguindo em frente! Apenas isso! Não acrescente nadinha, quanto
menos informações precisas ele obtiver sobre você, mais instigado
a procurar ele ficará. Afinal, nós somos seres super curiosos por
natureza, ainda mais quando se trata de um par, e principalmente
quando temos vagas notícias sobre a pessoa, nos sentimos no
dever de ir atrás, de procurar saber!
E aprenda uma coisinha super básica sobre os homens, eles
são eternos caçadores, deixe-o nesta posição, não o cace seja a
caça! Quero dizer, não fique procurando por ele, deixe que ele te
procure! Sim, ele fará, desde que você fique na sua!
Não se faça de coitada e nem seja vingativa, dose suas atitudes e
não fique incomodando ele, se ele perceber que você continua
insistentemente atrás dele poderá afastá-lo ainda mais. Se vocês
possuem algum elo, seja filho ou bens, pode ser uma boa fonte de
aproximação, use com sabedoria, não é ligar às 22h do sábado,
dizendo que o filho está com saudades, não rola e ele ainda
perceberá nessa atitude uma forma disfarçada de controle de sua
parte, muita calma nessa hora, nada de ansiedade! E se não tem
nenhum elo entre vocês, peça a ele para que neste momento não
se afaste em definitivo de você, pois você gostaria de manter uma
amizade, pedindo que seja um término civilizado, é lógico que isso
é um jogo seu, você não quer término nenhum, sabemos disso,
mas vai por mim, se você quer ele de volta, nesse momento terá
que agir com bastante cautela, até fingir que não quer.
Quando passar um tempo, peça para se encontrarem para
conversar sobre algo que tenham em comum, ou se não tiver peça
em nome do que viveram juntos, vá a este encontro super
arrumada,
perfumada e seja bem vaga, trate-o como um amigo apenas, seja
agradável e meiga, não fale sobre os problemas, não discuta a
relação, não queira saber motivos da saída dele de casa, isso não
importará nada neste momento.
Deixe subentendido que você também é paquerada, isto
acenderá o instinto de caçador do homem, seja breve nesse
encontro e vá embora deixando um gostinho de quero mais, sem
fazer nenhuma pergunta chata.
O que é importante você entender, se ele saiu por causa de
outra mulher, você precisa aproveitar os minutos que esteve com
ele para ser leve, descontraída e um pouco misteriosa. Pois se
você entrar no mesmo padrão de funcionamento que tinham no
casamento, de cobranças e porquês se mostrará bem
desinteressante para este homem, que está bem neste exato
momento vivenciando uma novidade com alguém que
logicamente não faz cobranças ainda, concorda comigo?

REGRA GERAL: ATITUDES QUE VOCÊ PRECISA TOMAR

Em primeiro lugar é pensar se deseja mesmo estar casada e


quais são seus recursos emocionais, ou seja, qual sua disposição
emocional para lidar com tudo isso, você está mesmo disposta?
Então vou te ajudar, Pedirei que siga alguns conselhos,
independente do estágio em que você se encontra:

Não deixe ele enjoar de você


Seja amável, doce, carinhosa, principalmente seja inteligente, em
dosar espaços e ausências, ficar grudada demais fará ele enjoar de
você rapidinho, tudo demais cansa;

Controlar o ciúme
Principalmente de coisas desnecessárias, não ficar procurando ou
mexendo nas coisas dele, como: celular, carteira e bolsos;

Não implicar com as coisas fúteis, não ser infantil, controlar a

sua insegurança, não perseguir e nem implicar; Tipo: Onde você

foi? Como quem falou? Onde esteve? Eu não quero que você faça

isso, ou aquilo…
Entenda que você não conseguirá passar 24 horas colada nele,
então se você tem certeza de uma traição ou algo que não
aceitaria, saia disso desse ciclo vicioso de controle, não traga para
sua vida essa falta de paz, viver em desconfiança não é nem
saudável; Insegurança é um problema pessoal e não do
casamento, caso você seja insegura, você precisará descobrir o
porquê. E não jogar esse fardo no ombro do outro;
Não fique sempre disponível ao tempo dele, tenha sua vida
própria, se ocupe;
Procure não falar demais, homem nem consegue raciocinar
perto de uma mulher que fala demais, acredite a mente deles é
seletiva;
Lembre-se de algo muito importante a vida tem outros pilares
que não são só o casamento! Abra-se aos pilares de sua vida,
amplie seu campo visual.

Sabendo lidar com questões extras:

Listei algumas reclamações frequentes que recebo em meu


consultório, podem parecer bobas ou inofensivas a primeira vista,
mas é o motivo de muitas brigas que levam até separações, então
eu vou te ensinar como agir em cada uma delas para que você não
coloque tudo a perder!

a)Meu marido não larga o celular

Ele diz que é culpa do trabalho, mas será que ele não está
conversando com outra e me fazendo de boba? Pode ser sim,
afinal algumas tecnologias têm sido apontadas como abertura para
traições, mas se você deseja manter seu relacionamento, aja com
cautela na hora de surpreendê-lo, cabeça quente não ajudará em
nada você se ele realmente estiver trocando mensagens com outra.
Seja firme e pontual, pedindo que pare com isso, pois caso
contrário você poderá aderir esta 'moda' também.
Tenha uma conversa com ele, peça um tempo para a família,
quando ele estiver em casa, que ele não demore tanto com o
aparelho, peça que se ponha em seu lugar, para ele entender o
quanto é chato isso, mas fale numa boa, sem tom de autoritarismo.
Caso isso ainda persista, faça também, ao mesmo tempo que
ele estiver com celular na mão, arrume o que fazer no seu também,
ou na hora em que ele desejar que você esteja disponível para
fazer algo com ele, faço-o notar que você está entretida com o
aparelho nas mãos, por incrível que pareça, algumas pessoas só
notam o que
fazem quando percebem seus comportamentos refletidos em
outras, ou seja, quando sentem na pele.

b) Meu marido adora pornografia, o que eu faço?

Calma, você precisará analisar, se há um exagero, tipo, todos


os dias, às vezes mais de uma vez ao dia, aí pode ser um sinal de
doença, pois uma pessoa obsessiva por sexo, tem uma doença, a
compulsão sexual – vulgarmente chamados de tarados ou
ninfomaníacos – TOC um tipo de transtorno obsessivo compulsivo
por sexo, hipersexualidade, desejo sexual hiperativo ou desordem
do desejo sexual hiperativo, que devem ser tratados com remédio e
psicoterapia, uma vez que começa interferir na vida pessoal e
conjugal. A sua ajuda é fundamental nesse ponto. Nem sempre
quem sofre algum distúrbio , reconhece o se pronto fraco.

c) Meu marido mente para mim

Mitomania, uma doença caracterizada por mentir


compulsivamente.
Perceba se isso é algo pontual, provocado por algumas
armadilhas, que às vezes nós mesmas criamos dentro de uma
relação sem espaço para verdades ou se ele é um mitomaníaco, ou
seja, um mentiroso incorrigível.
Analise primeiramente como você recebe as verdades vindas
dele, ele sente receio de te dizer alguns assuntos? Você espera
ouvir de forma calma ou agressiva, quando não é algo tão legal ou
uma má notícia mesmo, como você recebe?
Ele mente mesmo, ou omite? Na comunicação de vocês estão
sempre abertos a todos os assuntos, ou existem alguns que não
podem nem cogitar, que dirá falar?
Passados por estes pontos, você perceberá se ele mente
compulsivamente, é um doente, e aí ele faz isso com todo mundo,
em todas as relações, sejam familiares, amizades ou até mesmo
profissionais. Ou é apenas para você, o que sinalizaria um
problema na comunicação e por consequência na relação de
vocês.

Entendendo o seu limite

Você não deve depositar a sua felicidade em coisas, pessoas


ou relacionamentos, pois coisas quebram, relacionamentos
acabam e pessoas morrem, deposite sua felicidade em você, pois o
que depender de você é responsabilidade totalmente sua.
Então, perceba seus limites, se você está em uma relação
abusiva, com agressões, traições sucessivas, mentiras
compulsivas, ou o par faz uso de drogas e álcool sem limites, tome
coragem de partir para outra, ninguém foi feito para viver infeliz
tendo que tolerar certas coisas, nem por amor! Aliás, isso nem é
amor!
Alimentar relacionamentos falidos, que só trazem sofrimento é
masoquismo, é atrapalhar sua vida, pois os relacionamentos só
dão certo quando ambas partes se comprometem em crescer
individualmente e em fazer com que o relacionamento amadureça,
cresça e se estabeleça.
Como aquele ditado popular: Não gaste vela com mau defunto.
Se você estiver com um marido/mulher que não esteja
compartilhando, se empenhando, agindo como um par, empreste,
venda, alugue, doe... e deixe o espaço livre para um novo amor
Se ainda sim, você percebe que tem recursos emocionais de
lidar com o outro mesmo que tenha excedido seus próprios limites,
volte ao capítulo anterior e siga as mesmas dicas, desta vez com o
dobro da intensidade e paciência! Sempre que queremos
conseguimos! O querer tem muita força, acredite!
Aula 8 - Pautas Necessárias

Vou trabalhar alguns pontos que julgo serem de extrema


importância, quando se trata de vida a dois, vou chamar de pautas
necessárias:

Ciúmes

Relacionamento novo, tudo são flores. Ah! Como é bom nos


sentirmos importantes, sentir o ciúme do outro sobre nós,
queremos e até provocamos, um ciuminho, até que devagarzinho,
ele vai aparecendo em pequenas situações, de repente, vira motivo
de brigas frequentes e acaba colocando em risco o romance e
podendo se transformar em um verdadeiro veneno que pode matar
sua relação.
Alguns definem como tempero do amor, é uma emoção normal
e necessária, na medida ideal, bem dosado servirá de "cola" para
selar o laço conjugal, o que junta o par, que une. Mas o excesso
aparece quando sentimos que o parceiro não está estreitamente
conectado conosco - ou não - como gostaríamos.
Pode ser um sinal de que alguma coisa ou alguém, está
atrapalhando a relação do casal e tornando os laços frouxos. O
excesso de ciúme está em uma interação matrimonial perturbada,
por exemplo se traduzindo em controle... um desejando controlar o
outro, ou em um ciclo "ciúme - infidelidade - ciúme".
Contratos mal feitos: Aspectos importantes não foram ditos,
restrições não negociadas, podendo levar à crises repetidas de
ciúmes;
Dificuldades emocionais pessoais do parceiro: Pessoas com
dificuldades na estruturação de sua personalidade, não cresceu
sendo elogiada ou valorizada, podendo se sentir perseguidas e
traídas, acabam por alimentar o ciúme.
O ciúme contém um elemento de dependência, medo e
abandono, geralmente iniciado na infância, deve-se prestar
atenção como ele surge para ver como é, como manipula e impede
as boas intenções do par.
Entender o que causa o ciúme é importante para perceber se
há ou não fundamento.
Mas acredite, o ciúme pode até mesmo virar doença e estragar
a vida de quem sente e a de quem é objeto desse sentimento.
Segundo o psiquiatra Eduardo Ferreira-Santos, autor dos livros
Ciúme – O medo da perda e Ciúme – O lado amargo do amor,
onde fala que a pessoa ciumenta, que apresenta transtornos ou de
personalidade ou neuróticos, podem, a partir de uma simples
desconfiança desenvolver um quadro de intenso sofrimento
psicológico para si mesma e para o outro, tomando atitudes
agressivas e desmedidas podendo chegar aos chamados crimes
passionais.

“O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não


se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente,
não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente
do mal; não se alegra com a injustiça...” (CORÍNTIOS I, cap. 13; vers.
1 a 13).

Confira os quatro tipos de ciumento, segundo Ferreira-Santos:


● Zeloso – O zelo é a verdadeira prova de amor, pois é um
sentimento altruísta, voltado para o bem estar do outro,
acompanhado de carinho e afeto pela verdadeira possibilidade do
outro ser na vida.
● Enciumado – O enciumado é aquela situação eventual, em
que a pessoa entra em contato com sua própria insegurança
perante a presença de um terceiro que, de fato, apresente
alguma ameaça aos seus valores pessoais. É transitório e deve
ser trabalhado dentro de si mesmo e com seu parceiro,
reconhecendo que se está com ele é porque há muitas outras
características que o tornam uma pessoa realmente querida.

● Ciumento – O ciumento é, geralmente, uma pessoa


possessiva, insegura de si e de seus valores, que imagina ser
passível de abandono ou traição. Vê em qualquer ação
independente de seu companheiro uma ameaça à relação e
sofre imaginando que pode ser traído ou abandonado devido à
sua insignificância.

● Delirante – O ciumento patológico ou delirante é aquela

pessoa que apresenta um real transtorno mental, no nível

físico, cerebral (tipo arterioesclerose, esclerose alcoólica,

demências em geral) delirantemente que o outro possa

abandoná-lo ou traí-
lo. É a chamada “Síndrome de Otelo”. O nome é inspirado na

famosa obra de Shakespeare, Otelo - na qual o personagem

principal, possuído por um ciúme doentio, mata sua esposa,

Desdêmona.

As pessoas que têm síndrome de Otelo sofrem com o delírio


de que seus parceiros ou parceiras são infiéis. Mas também
existem doenças que podem causar ou fatores que podem piorar o
ciúme patológico:

● Álcool
● Drogas (principalmente Cocaína)
● Anfetaminas ou anorexígenos (remédios para emagrecer)
● Psicose (por exemplo: a Esquizofrenia)
● Psicopatia (alguns Psicopatas, quando além da Psicopatia
demonstra ciúme patológico, são extremamente perigosos) ●
Personalidades inseguras.
● TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo).

Te proponho responder algumas perguntas, para que você analise


a quantas anda seu ciúme, responda sinceramente:
Imagine as seguintes situações:

1- Seu parceiro te telefonar e avisar que precisa fazer uma

viagem de negócios, por dois dias, você: A - Concorda numa boa,

afinal é o trabalho dele

B - Dá um chilique e faz várias perguntas


C - Acha que é mentira dele, esta viagem ele está inventando para
te trair

2- Quando ele voltar de viagem:


A- Você recebe ele carinhosamente e demonstra seu interesse pelo
trabalho
B- Você o recebe bem, mas é perceptível seu desconforto, vasculha
as malas e os bolsos
C- Você o recebe com desconfiança, checa o celular dele, faz

ameaças e acusações

3- Você sai com seu parceiro para algum lugar:


A- Você caminha ao lado dele de mãos dadas
B- Se ele deseja entrar em alguma loja que você não quer, você
entra apenas para vigiá-lo
C- Se percebe que a vendedora é atraente, arruma logo uma
desculpa para retirá-lo dali.

4- Você entra de repente na sala e percebe que seu marido


estava falando ao telefone e a seguir desliga:
A- Você age normalmente fazendo o que foi fazer
B- Pergunta quem era
C- Pergunta quem era, qual assunto e por que desligou quando você
chegou, imaginando que poderia ser alguma traição

5- Seu parceiro atrasa-se no trabalho e chega em casa tarde:


A- Você se preocupa com o que pode ter acontecido, sente alívio
quando ele chega
B- Liga para ele e pede explicações
C- Tem certeza que ele está te traindo, talvez dentro de um motel

● Maioria das respostas A: Você é uma pessoa zelosa, que

cuida da relação, confia em si e no (a) parceiro (a). ALERTA


: cuidado apenas para que o excesso de confiança não se

torne descuido.

● Maioria de respostas B: Você às vezes é zelosa e às vezes


ciumenta, tenha cuidado para distinguir as situações reais
das imaginárias, onde só você enxerga coisas que na
verdade não existem.

● Maioria de respostas C: Algo está mal com você e com o


relacionamento de vocês, procure ajuda, o ciúme exagerado
deteriora a relação, tira o brilho. Poderá resultar no fim do
relacionamento se algo não mudar urgentemente.

Monogamia X infidelidade...
Nos últimos cinquenta anos, abrimos diversas possibilidades de
união e configurações familiares, sejam heterossexuais, gays ou
transexuais. Existindo mães solteiras, pais solteiros, padrastos,
madrastas, recasamentos, enfim, diversos tipos de arranjos
redefinem os limites do âmbito casal, e que têm reconhecimento
legal.
Tradicionalmente considera-se monogamia ter um parceiro sexual
para toda vida, hoje significa ter um parceiro de cada vez.
Nossa fé na monogamia é tão enraizada que a maioria dos casais
especialmente os heterossexuais nem tocam no assunto, acham
que não há necessidade de conversar sobre algo que é dado! Ou
seja, concreto. Pois discutir a fidelidade, implica que ela esteja
aberta para algo não imperativo, ou seja, deixa de ser concreto,
real, fato dado. Historicamente a monogamia era uma
forma de controle da reprodução, imposto às mulheres ,
uma vez que isso era o sustentáculo da
sociedade patriarcal, o dinheiro, a herança,
permanecia dentro da família, tomando conta para que estes filhos
fossem do mesmo clã. Nada tinha a ver com amor, isso é uma
construção moderna, quando as pessoas passam a casar por
amor, por sentimento, por uma questão de escolha, e escolher
implica em renunciar aos outros, deixando de existir o casamento
contratual, arranjado, como era no passado, passando aqui a
fidelidade uma expressão de compromisso recíproco e amor.
Numa cultura onde tudo é passageiro, descartável, o
medo da perda e do abandono afetam mais a fidelidade,
escondendo uma possessividade
romântica por trás de pensarmos possuir o outro, e quando nos
damos conta de que isso é pura ilusão, abala a construção do amor
fiel, pois na verdade não somos donos de nada.

As pessoas são infiéis por muitas razões, amor desgastado,


desejos insatisfeitos, vingança, o velho e simples tesão, e a própria
ideia da transgressão, de estar fazendo algo proibido, é um
afrodisíaco, mas quando ocorre dentro de um contrato de
casamento, pode significar um alarme indicando a necessidade
urgente que essa relação precisa de atenção, antes de dar
literalmente o último suspiro uma relação com histórico de
infidelidade dá alguns sinais que devemos prestar atenção.
Algumas relações precisam desse "fantasma" da terceira pessoa
para sustentar o peso de um casamento, digamos que os vínculos
de um casamento são tão pesados, que são precisos dois, às
vezes três, para carregá-los.
Mas qual é o segredo para relacionamentos duradouros?
Alguns teóricos afirmam que seria a infidelidade, mas calma, não é
infidelidade em si, mas sua ameaça, uma injeção de ciúme é o
único remédio para salvar uma relação arruinada pelo hábito, pelo
comodismo e falta de atenção.
Quanto mais abafamos a liberdade do outro, mais difícil é para o

desejo respirar dentro de uma relação formal, ao menos

deveríamos lembrar que não somos donos de nossos parceiros.

A monogamia é um nexo moral, um buraco na fechadura através


do qual podemos espionar nossas próprias preocupações, nos faz
pensar em algumas questões: O compromisso emocional está
sempre ligado à exclusividade sexual? Podemos amar mais de
uma pessoa? Sexo e amor são coisas distintas?
Acontece de sexo ser somente sexo? Homens são mais
propensos a trair que as mulheres? Ciúme é uma expressão de
amor ou um sinal de segurança? Por que gostamos de compartilhar
amigos, mas exigimos exclusividade com nossos amantes? Sei que
muitos não terão como responder estas questões, no entanto
penso ser vantajoso domar nossa nostalgia romântica que atrela
fidelidade ao casamento ou qualquer outro tipo de compromisso, e
refletir sobre estas questões de maneira honesta consigo mesmo.
E o mais importante, se desejamos passar a vida ao lado de
alguém, devemos repensar e rever nosso contrato de fidelidade,
vendo a monogamia como uma escolha e não como uma certeza
dada, imposta, inquestionável.
Respeito

A quem diga que quando ele acaba, acaba tudo, pois recuperar é
bem difícil, mas afirmo que é possível, não será fácil, mas
conseguiremos, através de uma grande mudança, começando pela
forma de se comunicar, muitas vezes é aqui que a falta de respeito
nasce, quando passamos a tratar o outro de um modo qualquer, não
tendo mais a qualidade inicial da comunicação, usando de palavras
de baixo calão, xingamentos, ofensas e outras, falta de respeito, que
podem chegar a baixaria, evite isso a todo custo, pois quanto mais
esgarçada estiver esta comunicação, mais difícil será, impor o
respeito novamente.
Caso você seja desrespeitada pelo par, não retroalimente, já ouviu
dizer que feio é de quem faz? Isso mesmo, feio foi para ele, que fez,
e no momento oportuno com ânimos acalmados fale sobre o
assunto e peça que não repita o fato, pois abrirá precedentes para
ser desrespeitado também.

Carência
O carinho e o afeto representam a capacidade que o ser
humano tem de amar, aprovar e aceitar o outro. Dar carinho é tão
importante quanto receber: Segundo pesquisa do Ibope, 28% da
população brasileira considera não ter recebido carinho na vida,
enquanto 21% afirma jamais ter expressado carinho a qualquer
outra pessoa. Com base nesses números entende-se porque
existem tantas pessoas que sofrem de carência afetiva.
Mas o que é carência afetiva? E como isso pode atrapalhar
meu casamento:
A carência afetiva é uma dependência emocional extrema, na
qual uma pessoa precisa da outra para se sentir feliz e amada.
Esta condição se torna um peso para os envolvidos, uma vez que
nenhum companheiro é capaz de suprir os problemas internos de
uma pessoa. Daí o carente despeja em cima do par todas suas
expectativas de amor, carinho e atenção, isso é um saco! Por que
quem atura uma pessoa com um nível de dependência desses?
Reflita sobre isso.
A carência nasce nas relações primárias, ou seja, criança x pai
e mãe, olha eu aqui novamente falando da família de origem, e
observe você, como isso tem a ver... Crianças que não receberam
carinho suficiente ou foram rejeitadas e abandonadas costumam ter
carência afetiva, pois não aprenderam a receber ou dar carinho.
Isso pode acontecer tanto em uma situação real ou por
interpretação em particular diante de algum fato traumático. Mas
não é só a falta que detona tudo não, o excesso de carinho e
cuidado também pode desencadear a carência afetiva. Porque a
pessoa foi criada com aquele padrão de dependência emocional,
então tenderá projetar, quero dizer, reproduzir, isso em suas
relações pessoais também.

Pessoas carentes possuem diversas características, vou citar


algumas:

● Dependem do outro para serem felizes; se submetem e aceitam


qualquer coisa para não ficarem sozinhas;

● Apresentam dificuldades de se manterem em relacionamentos;

● Cansam o parceiro (a) com o fardo de terem que fazer a pessoa


feliz sempre;

● Sentem ciúmes exagerados;


● Precisam controlar o outro, muitas vezes sufocando o par com
excessos de cobranças e perseguições.

● Podem em casos extremos, abandonar a própria vida para


viverem em função do outro, não possuem planos pessoais,
facilmente se comparam aos demais, e se sentem inferiores,
possuem clara falta de critérios para se relacionar, pois qualquer
pessoa é melhor que a solidão, com isso acabam se envolvendo
com pessoas que não a valorizam.

Se você se reconheceu em alguns pontos que mencionei, você


precisa modificar este padrão de funcionamento, aprendendo a
ficar só, aprendendo a se valorizar, entendendo que ter um par,
não é viver uma simbiose, ou seja, você é um e ele é outro, não
são e nem nunca serão a mesma pessoa, sendo assim, têm
atividades diferentes, vidas individuais, gostos pessoais,
necessidades diferentes. Aprenda a gostar de você, a se pôr em
primeiro lugar, a reconhecer seu valor, suas conquistas, seu papel
no ambiente de trabalho, em casa e no mundo e amar-se! Dê a
você tudo aquilo que busca no outro, trate-se bem, desde um
simples elogio até uma viagem de férias, construa o seu amor
próprio!!
Insegurança

Tem coisa mais chata que aguentar a insegurança de alguém?


A insegurança é um problema pessoal, calcada lá na primeira
infância, ainda nas relações primárias, ou seja, mãe/pai e filhos,
lembra que eu disse sobre as histórias familiares?

Por isso é muito útil conhecer a história da família de origem,


pois nela estão muitas informações que servirão para a pessoa
afetada por certos problemas como este, resgatarem e passarem a
limpo, digamos assim, avaliando isto e sabendo diferenciar a
relação dela com o par da relação e dela com os pais.
Ponto super importante quando tratamos a insegurança, é a
construção da sua auto estima, quando você está com sua auto
estima bacana, a sua insegurança perderá espaço, diminuindo, ou
até mesmo desaparecendo.
Lembre-se que ele escolheu você e não vá destruir isso com a
insegurança;
Não se desvalorize, perante ele, interrogando, mexendo no
celular, fuxicando bolsos, brigando, discutindo, enfim, permitindo
que coisas alheias tirem sua paz.
Regue seus 'jardim' para que as borboletas venham brincar
nele, o que eu quero dizer com isso? Torne-se uma pessoa
interessante, segura de si!

Confiança

A falta de confiança pode envenenar seu relacionamento,


podendo minar e aos poucos matar o sentimento, a desconfiança
tira o brilho da relação, principalmente sem motivo, preste atenção
se a pessoa ao seu lado se sente feliz com isso, e se você tem
motivos palpáveis para desconfiar, ou são coisas que a sua cabeça
anda criando.
A desconfiança poderá levar o par a viver num cativeiro, só
para te agradar, mas cuidado, uma vez que esse par saia do
cativeiro poderá nunca mais querer voltar. Lembre-se gostamos
daquilo que temos que conquistar e não daquilo que é obrigado,
previsível e imposto, declaradamente.
Mude essa postura e traga de volta a necessidade de
conquistar entre vocês, acredite que você consiga, não se torne
amarga, construa a confiança com paciência e persistência, não
ponha as suas expectativas no outro, e sim em você, em melhorar
e mudar, desenvolvendo sua capacidade de acreditar nas pessoas
e resgatando a confiança perdida.
Traição

Você deve estar se perguntando, mas é possível se recuperar


depois de uma traição? E recuperar o casamento?
Sim, para as duas perguntas, muitas vezes a traição vem para
dar uma ' chacoalhada' necessária, naquilo que estava ruim,
servindo para que vocês deem novos rumos a vida conjugal, o ideal
é enfrentar, procurar entender, por mais doloroso que isso seja, se
você decidiu que quer seu casamento restaurado, reúna as forças
que ainda te restam e procure entender o que o outro foi buscar!
Antigamente era apenas a ala masculina quem traia, mas as
coisas mudaram e muito, hoje podemos afirmar que a coisa está
em 50% para cada um, não é mais uma atitude tipicamente
masculina, eram até estimulados socialmente a terem uma mulher
na rua, a meretriz, com quem podiam fazer o 'sexo sujo' e a mãe
dos filhos, com quem faziam aquele sexo papai e mamãe, mas os
tempos mudaram, e juntamente com o empoderamento feminino,
elas passaram a trair também, não vou me render por aqui, mas as
razões são basicamente as mesmas, a única mudança perceptual
é
que elas ganharam espaço, voz e poder, mas no geral buscam fora
as mesmas coisas que os homens.
Analise friamente a situação e entenda onde está a falha no
vínculo conjugal. A traição sinaliza algumas coisas, uma delas é
que o outro está 'escapando' deste vínculo, outra coisa que pode
sinalizar é a falta de entrosamento sexual do casal, é hora de
analisar com calma onde se perderam um do outro, somente assim
saberão consertar.

Você precisará encarar o fato com muita sabedoria e


maturidade, entendendo se foi algo pontual, um deslize, motivado
por uma circunstância, ou se é um caso de longa data, com status
de amante para a pessoa que compõe o trio e tudo mais.
Mas você deve estar se perguntando, ora, que diferença isso
faz? Traiu, Traiu, não tem diferença, mas vou explicar que tem sim,
e muita, caso seja recorrente nesse tema, seu par tem desvio de
caráter, minha cara, se ele sempre traiu, você ou seja as anteriores
a você, isso é lamentavelmente, na verdade, um desvio de caráter.
Portanto ambas situações demandará que você tenha uma
conversa bem honesta com esse par, e ouça sobre os motivos, que
levaram a cometer a traição, ouça tudo e depois pergunte como
esse par se sentiria se o mesmo acontecesse com ele, e até que
ponto
está disposto a mudar e consertar tudo isso, após esta conversa
decidirão se recomeçam ou não, mas quando decidirem por dar
uma segunda chance ao casamento,
deverão fazer de verdade,
recomeçando do zero e refazendo os acordos conjugais
quebrados.
É hora de quem foi traído, analisar se têm recursos emocionais
e amor suficientes, para perdoar e seguir em frente, perdoar como
já falamos não é esquecer, isso é amnésia, mas entender que isso
não poderá ficar vindo a tona a todo momento, pois daí a ferida
nunca fechará. Esquecer é impossível, mas parar de pensar sim!
Nada de baixarias e nem revanches, isso só porá tudo a perder.
É importante que entendam que a confiança quebrada deverá
ser resgatada, e infelizmente não ocorre da noite para o dia, mas
tome cuidado como conduzirá isso, não fique enlouquecida cada
vez que ele se atrasar, ou ela, pensando que está sendo traída,
ponha a razão na frente destas angústias e ansiedades, a
responsabilidade de uma traição é dos dois, acredite nisso, dentro
de um casamento, haverão perdas, tire lições e não se culpe.

Quero deixar algumas dicas para não ser traída e para se


recuperar após uma traição:
Uma coisa importante é você deixar claro o que gosta e o que
não gosta, e como se sente, mas não despeje tudo de uma vez só,
vá falando aos poucos. Se tomou a decisão de perdoar, não vale
ficar 'jogando' na cara, isso é infantil e fragiliza ainda mais os laços;
Avalie o sentimento que têm um pelo o outro, tente
compreender as expectativas do outro dentro dessa relação;
Evite tomar decisões drásticas, quando souber, já soube de
mulheres que foram atrás, armaram grandes barracos e se
expuseram demais, e depois perdoaram, pense você, como esta
pessoa ficou depois desse vexame todo? Não tome esta ação, ir
atrás, flagrar, só te trará mais dor e vergonha, ainda existem
mulheres que querem dar uma lição na outra, amiga nunca faça
isso, quem te deve fidelidade é seu par e não a outra pessoa.
Alimente a auto estima dele, o homem precisa se sentir importante
dentro da relação, certamente a outra ou o outro, conquistou assim,
elogiando, sendo atenciosa, sei que você também o conquistou
assim, mas acontece que as pessoas esquecem, por isso você
precisa fazer sempre!
Se aperfeiçoe na arte da sedução e do sexo, vou te dar muitas
dicas ao longo deste livro, o homem gosta da fase do jogo da
sedução, isso os mantêm ligados;
Cuide muito da sua aparência, uma mulher bem tratada é muito
reparada por onde passa e isso enche o seu par de orgulho.
Não seja uma mulher reclamona e rabugenta, quando tiver que
falar seja breve e não repetitiva, o homem não é surdo;
Mantenha o clima de namoro, seja simpática e alegre;
Melhore a qualidade da relação de vocês;
Provoque um pouco de ciúmes, lembra do texto sobre a
monogamia, uma pitada de dúvida poderá ajudar a fazer com que o
outro perceba que você também poderá traí-lo, caso queira, que
ninguém está verdadeiramente livre disso, nem ele, não existe solo
100% firme pra ninguém neste aspecto;
Comunicação!!! Essa é a maior de todas as chaves do sucesso
das relações, sem ela os laços se afrouxam, e onde não tem
conversa a intimidade é quebrada, mesmo a intimidade dos corpos
é afetada com a distância verbal;
Não precisa pegar no pé dele, uma vez que ele sente que você
é auto suficiente e não está nem aí para ele, ele ficará super ligado
em você;

Rotina
Tem coisa pior na vida do que rotina? Nós seres humanos
somos movidos a novidades, precisamos disso como ar que
respiramos, até ficamos dentro de relacionamentos sem novidade
se amamos muito, mas se você quer manter sempre acesa a
chama da paixão o caminho é sair da rotina, vamos às dicas
práticas:
Traga o 'bar' para sua casa, crie um clima gostoso, faça uma
mesa bonita, com petiscos, um vinhosinho, uns queijinhos, uma boa
música, decore o ambiente, e o que mais a sua criatividade permitir;
Ouse um pouco mais, com uma noite especial, convide-o com
uma mensagem picante no meio do dia, para essa noite;
Faça uma depilação diferente, temática, com desenho de
coração, por exemplo;
Aposte em uma fantasia ou brinquedinho novo do sexy shop;
Esteja disposta e animada para o sexo, homem gosta muito de
sexo, pensa nisso todo tempo e quer fazer sempre, então minha
cara, o segredo é um só, você também deve gostar e muito de
sexo; Toque-o inesperadamente,agarre, segure
com vontade, demonstre seu desejo por
ele, seu desejo é um afrodisíaco para ele,
o acenderá na hora;
Aprenda fazer o melhor sexo oral da vida dele, existem muitas
revistas, sites, sobre o tema, e ele também poderá ser seu
professor,
ensinando exatamente como ele prefere, não tenha vergonha,
afinal é o seu marido;
Invista em uma roupa e lingerie poderosas para recebê-lo, aproveite
o ensejo e jogue fora aquelas roupas íntimas feias que você não
teria coragem de ir ao médico vestindo;
Elimine de vez o péssimo hábito de dormir com kit horror
(camisa de político + crocs + máscara de pepino), ninguém merece
te ver assim, muito menos seu amado;
Se vocês têm filhos, separe a rotina deles, da sua como casal,
os eduque para respeitar o espaço de vocês e momentos só de
vocês, explique que pai e mamãe, precisam passar algum tempo
juntos namorando;
Vão ao cinema, saiam para jantar, dançar ou fazer qualquer
outro programa exclusivamente de casais, e se produza para
ocasião, o homem fica todo orgulhoso quando a mulher se arruma
para sair com ele;
Bem, agora que já falamos sobre quase todos assuntos sobre
a rotina, quero que lembre de seu relacionamento quando era
recente, e pegue este segredinho, que eu vou contar, aqui a seguir.
Relacionamento novo é como um papel de embrulho... A
pessoa “vende” o que ela quer que você veja dela, obviamente, ela
não vai de cara te mostrar que é ciumenta, controladora,
dominadora, isso ocorrerá ao longo da relação, dependerá do
modo que o outro funcionará, se vai ou não despertar esse lado
ruim do outro. Por exemplo, existem pessoas que não eram
ciumentas em relacionamentos anteriores, de repente se casa com
um homem que gosta de "aparecer" digamos assim, e este
comportamento dele, despertará nela o ciúme, a desconfiança e
outras coisas ruins.
Então você precisará separar o que é seu, e o que nesta
pessoa estimula seus pontos negativos, e ter uma conversa franca
a respeito do problema, que neste caso, se tornará dos dois, aparar
as arestas é mais fácil do que deixar o problema crescer!
ETAPA 4

LIDANDO COM RAIVA E RESSENTIMENTOS

Eu não prometo que este texto acabará com as brigas


raivosas,mas eu posso prometer um novo entendimento da
raiva/indignação, juntamente com ferramentas úteis para lidar com
estas emoções fortes. Portanto, siga comigo, e vamos
entender
algumas coisas teóricas. Depois aprenderemos algumas
ferramentas.
Sempre que você estiver com raiva, pergunte-se “onde está a
ameaça aqui?” Às vezes será uma questão, ideia ou decisão muito
clara. Frequentemente, será muito mais abstrato. Mas você
PRECISA se perguntar: “onde está a ameaça?”

Existem três medos básicos:


1) Não ter o suficiente
2) Não ser bom o suficiente
3) Não ser amado o suficiente

Muitas vezes, quando sentimos uma ameaça, um desses medos é


despertado e assim a raiva começa. Outra área a ser considerada
é se seu ideal está sob ataque. Todos carregamos dentro de nós
uma sensação interna de como as coisas deveriam ser, esse é o
nosso ideal. Quando nosso ideal não acontece, nossa sensação do
que podemos esperar é desafiada, muitas vezes nos deixando em
uma pequena crise.
Lidando com sua raiva

Para lidar com sua raiva, é importante focar primeiro em si


próprio, e então focar em como lidar com a raiva que seu parceiro
joga sobre você. Enquanto você estiver predisposto a responder à
raiva de seu parceiro com sua própria raiva, você está em um beco
sem saída. E enquanto você reagir à sua própria resposta
ameaça/mágoa, você irá apenas alimentar a raiva de seu parceiro.

Lidando com a raiva de seu parceiro


Mas e se não for você quem está com raiva? E se seu parceiro
é quem está com raiva? Este, meu amigo, é o desafio do
casamento. Como você pode ajudar em um processo que não está
dentro de você e cujo controle você não tem, e que lhe afeta
intimamente? Lidar com a raiva de seu parceiro é muito importante
para resolver uma situação, e, frequentemente, um casamento.
Lide bem com a raiva de seu parceiro e você estará trabalhando
em direção à solução. Lide mal com a raiva de seu parceiro e você
poderá estar trabalhando em direção à dissolução - o final do
relacionamento.
Então quero pontuar 3 coisas importantes que você deve
observar:

Ponto #1: Atrás de toda raiva está a mágoa. É muito mais fácil
cuidar da mágoa do que da raiva, e seu parceiro se sentirá mais
conectado se você responder à mágoa. Mais importante, se você
sabe que a mágoa está por trás, você terá mais facilidade em
dissolver a tempestade da raiva. Uma vez que a tempestade
acabe, caso você tenha se conectado com a mágoa, você
provavelmente achará mais fácil reconectar-se. Então comece por
procurar a mágoa. O que pode ser ameaçador para seu parceiro?
Não tome uma decisão rápida baseada em sua perspectiva. Ao
invés disso, tente se colocar no lugar de seu parceiro. Mesmo que
você não ache que seu parceiro está certo sobre estar se sentindo
ameaçado, isso agora não é o mais importante. O fato de ter a
sensação de ameaça é o suficiente. Após seu parceiro expressar
sua raiva, você pode até dizer: “Eu obviamente lhe machuquei. Não
sei exatamente o que fiz, mas eu não quis lhe machucar. Sinto
muito que você esteja assim. Você pode me dizer o que fiz para te
machucar e o que eu posso fazer para melhorar?” Esta é uma
mudança poderosa. Você
imediatamente evita sua própria raiva, se aproxima de seu parceiro
e automaticamente passa para o Ponto #2.

Ponto #2: Trabalhe para evitar o encontro de raiva com raiva.


Em um relacionamento íntimo, toda briga causa algum dano. E
quando uma força desnecessária encontra uma força que estava
perdida, não há razão para danos. Ameaça e raiva, uma vez
entendidas, podem ser vistas pelo que são. Raiva é uma expressão
da mágoa. A mágoa é frequentemente o resultado de uma
sensação de ameaça que está enraizada no biológico do cérebro.
Assim, raiva e ameaça são uma oportunidade para crescimento ou
divisão, dependendo de quem reina: o cérebro primitivo ou o topo
do cérebro. Meu voto é para o neocórtex. Isso significa que você
deve evitar responder à raiva com raiva. Uma observação
interessante é que frequentemente expressamos raiva quando
pensamos estar exprimindo dor ou mágoa. E isso é verdadeiro para
seu parceiro. Ele ou ela pode se aproximar de você com uma
atitude raivosa, mas na realidade não ter idéia do fato de que a
raiva está emergindo. Quando você responde com raiva, a outra
pessoa é pega de surpresa. Primeiro por conta da inconsciência de
sua própria raiva.
E segundo, por causa daquela conversa imaginária que descarrilou
em reação à sua resposta.

Ponto #3: Casamento é aprendizado e crescimento. Conforme


seu relacionamento ganha mais tempo, existem duas
possibilidades.
Primeiro, vocês podem culpar um ao outro pelo dano feito no
relacionamento e seguir reféns do que já aconteceu no passado.
Segundo, vocês podem aceitar o fato de que tudo é um processo
de aprendizado, e continuar tentando mudar. Como o fundador do
McDonald’s, Ray Kroc, disse: “Você está verde e crescendo ou
maduro e apodrecendo”. Ofereça algum espaço para seu parceiro.
Aceite que nenhum de vocês fez isso perfeitamente e tente aceitar
seu parceiro. Portanto, aceite que nenhum de vocês é perfeito, mas
ambos podem crescer e se desenvolver. E não caia na armadilha
que tanto vejo. Alguém decide tentar mudar e encontra o velho “nós
já tentamos isso antes e não funcionou”. Ou pior: “Nós tentamos
mudar antes e simplesmente não podemos”. Essa é uma evidência
de estar preso em uma mentalidade emperrada e não da realidade
real. Crescimento é possível e uma das formas de crescer é
atravessando emoções difíceis, incluindo raiva e indignação.
Como tornar as brigas produtivas

Já que divergir, discutir e brigar é inevitável que aconteça, procure


tornar formas produtivas e adequadas para elas. Aja com
amorosidade e generosidade para com o outro.
● Evite perguntas com o POR QUÊ, pois significa censura;
● Procure ater-se a um tema, relembrar outros que por muitas
vezes já foi discutido, não é nada produtivo;
● Não dê enredo, muitas vezes nós mesmos damos pautas,
assuntos para que o outro utilize contra nós, geralmente à partir
daquilo que nós mesmos contamos;
● Não se atolem em questões irrelevantes, tipo quem fará o que,
bem como outros impasses tolos que só servirão de desgaste
sem acrescentar nada;
● Não tragam a tona o passado, não remoam o passado um do
outro;
● Não insultem e nem rotulem, não tem coisa pior que troca de
ofensas;
● Não façam afirmações: " VOCÊ" .....Você é sempre assim... Você
esquece tudo… Você é egoísta… Você não liga para mim...
● Não seja extremista: 'SEMPRE' .... ' NUNCA'....
● Não interrompa - dê a chance da pessoa concluir o que pensa;
● Desenvolva o autocontrole, isso irá te ajudar muito futuramente,
calar-se, quando o outro espera que você grite, tira o outro desse
lugar que ele deseja por você na discussão;
● Retomem o assunto num momento de ânimos mais calmos, se o
assunto ainda te incomoda, com delicadeza e elegância, para
não incendiarem novamente;
● Esperar 'baixar a poeira' para conversar e entender o que
aconteceu, pode ser muito útil;
● Evitar as recaídas em discussões, tente administrá-las e até
mesmo prevenir que ocorram! Porque no fundo você sabe bem o
que pode se transformar em uma briga calorosa! Afinal sempre
conhecemos o 'calo' que dói do outro, antes de pisarmos!

Então, como casamento é uma das relações complexas da


vida evolutiva do ser humano, ele passa pelas chamadas: Crises
previsíveis em um casamento, vou citá-las para que reconheça
quando ocorrer.
TORNAR-SE CASAL: É onde perdem-se o status de indivíduo
para tornarem-se casal, será preciso deixar de pensar
individualmente é uma mudança radical, onde inicia-se o mito da
felicidade eterna sem esforços;

NASCIMENTO DO PRIMEIRO FILHO: Perda do seu status de filho


para tornarem-se pai/mãe, perda do espaço da vida a dois e
construção de um trio;

NASCIMENTO DO SEGUNDO FILHO: Ocorre a necessidade de


expansão dos espaços e construção de subsistemas entre irmãos,
desafio dos pais em educar, exercer autoridade, condutas e regras
da nova família;

ENTRADA DOS FILHOS NA ESCOLA: Fim do isolamento protetor


da família, ocorre primeiro teste da família em sociedade onde a
criança fará o link sociedade x família;

ADOLESCÊNCIA: Pais tentando impor limites, e ao mesmo tempo


estimular e respeitar a individualidade do novo jovem adulto;
FILHOS ADULTOS: É necessário ceder lugar a próxima geração, é
uma transição bem feita neste momento será importante para a
qualidade da relação que manterão quando deixarem os lares da
família de origem.

NINHO VAZIO: É o tempo de reestruturação do casal, muitas


vezes não só como pais, mas também como avós. É hora de
voltarem a ser casal.

Ainda sobre estas crises completamente previsíveis, poderão


ocorrer as crises inesperadas, como o desemprego, alguma
doença, a perda de algum membro, dentre outras que mexem
igualmente com a estrutura do casamento.
A Reconquista
RESGATANDO A AUTO-ESTIMA

Pode parecer inicialmente, que tratar desse assunto


não é muito o seu interesse nesse momento.
Permita-me ser muito clara!
O principal ponto que te levou a chegar à casar-se
foi a admiração que um dia seu parceiro demonstrou
por você. Se essa admiração acabou, se as coisas
simplesmente tornaram-se triviais , sem novidade, se
até mesmo você não se admira mais ou não tem
mais prazer em seus dias, por que espera isso de
seu companheiro?
Um exemplo muito simples, para que entenda onde
quero chegar: seu parceiro gosta de jogar futebol, é
um exercício bom, gosta de estar entre amigos, e
você sempre reclama que é um tempo em que ele
está só, ou até mesmo estabelece algum tipo de
desconfiança, essa é uma prática que promove
prazer à ele, que o mantém em equilíbrio, é o tipo de
atividade que precisa existir para que ainda que
casal, o Indivíduo que ele é, seja mantido,
respeitado.
Agora, por que não buscar algo que te satisfaça?
Porque não inventar uma atividade que te estimule
como ser humano? que faça bem mentalmente e até
fisicamente?
Tomar determinadas atitudes em seu
relacionamento, que te façam sair da sua zona de
conforto, já vão levar seu parceiro a voltar a reparar
em você. Não basta desejar ter seu casamento de
volta, sem que nada de diferente seja feito para que
isso ocorra.
Não pense que conversar vai resolver qualquer
coisa, pois eu já adianto que não vai!
O diálogo é necessário enquanto as coisas ainda
estão no eixo e precisam apenas de alguns ajustes.
A partir do momento em que se perde o controle
emocional sobre tudo, não devemos mais insistir nos
mesmos erros.
Comece a mudança que deseja no seu
relacionamento por você! Cuide-se física e
emocionalmente.
E pare! Eu repito, PARE! Não sufoque-se e muito
menos ao seu par. O câncer dos relacionamentos é
a cobrança. O relacionamento precisa ser uma coisa
leve, agradável, feliz, divertida. Não se permita
desconfiar o tempo inteiro, cobrar o tempo inteiro,
nenhum relacionamento é completamente perfeito e
nenhum relacionamento resiste por muito tempo à
um comportamento doentio. Todos os
relacionamentos enfrentam os seus problemas e
deve-se superar com maturidade!
Mantenha sempre a sua cabeça focada e mantenha
a sua estabilidade emocional. Não se diminua para
caber no mundo de ninguém. Seja sempre confiante!
E como vai começar a adquirir confiança? Não é
uma tarefa simples, mas também não é impossível.
Existe um princípio da Arte da Guerra, que é: Todo
soldado precisa entrar na Guerra com a vontade de
vencer, mas disposto a morrer, ou seja, enquanto o
medo de perder a outra pessoa, estiver o tempo todo
presente em sua cabeça, você não vai conseguir
manter o seu equilíbrio para sair dessa situação.
Faça um pacto consigo mesma, abrande o medo de
perder o outro e as coisas ficarão muito mais fáceis,
a visão ficará muito mais clara. Isso não é da noite
para o dia, é um exercício que deve ser praticado
todos os dias. Ocupe a sua mente, cuide-se e
dispare esse gatilho em seu cérebro, para que
consiga chegar aonde queremos.
Todos os dias ao invés de parar para pensar em
coisas ruins, ou em seu par te deixando, pense em
tudo de bom que já viveram juntos e do quanto já
foram felizes e com isso vá ganhando forças e
buscando a mudança de comportamento que
necessita.

Como limpar a sujeira?

Sim, o termo é exatamente esse, sujeira!


Quando nos permitimos levar por todo o lixo
emocional que acumulamos, seja por algum trauma
do passado, por dificuldades do dia a dia, ou até
mesmo por feridas provocadas dentro do
relacionamento e que não foram prontamente
diagnosticadas e tratadas, despejamos toda essa
carga (lixo), em cima do outro.
O primeiro passo é não permitir que chegue a esse
ponto. Mas, se já chegou, quero que saiba que
podemos resolver esse problema.
Não quero aqui, que você pense que as coisas serão
muito fáceis, pois essa não é a realidade que eu vou
apresentar adiante.
Para que a mente de uma pessoa possa apagar os
rastros que foram deixados, são necessários no
mínimo 30 dias. A partir desse prazo pode-se ganhar
espaço novamente para que uma nova imagem sua
comece a ser construída. Vão ser necessárias
algumas mudanças:

A) Não cometa os mesmos erros. O que eu quero


dizer com isso? Não volte a brigar pelos mesmos
motivos, fazer as mesmas cobranças, e cometer os
mesmos deslizes. Esse é o momento que precisa
mudar de dentro para fora, para que volte a atrair a
atenção de seu parceiro.

B) Você vai precisar mudar, sua aparência neste


momento é um ponto importante. A imagem que está
ligada a tudo de ruim que foi gerado antes precisa
ser apagada completamente da cabeça.

Como Reconquistar o seu EX

Nesse ponto do relacionamento é justamente onde


se cometem os maiores erros. De forma alguma
tente convencer o seu ex, de que ele precisa voltar
para você. Você vai precisar reconquistá-lo e não
convencê-lo.
Um segundo ponto importante é resgatar a sua
imagem. Nesse momento é importante que você se
ausente da vida do seu par. A conexão mental
estabelecida entre vocês é muito negativa, logo,
enquanto não se afastar, não vai conseguir apagar
ou anular qualquer ponto negativo que ainda esteja
afastando os dois. Fica inviabilizado qualquer tipo de
aproximação se o seu desejo for de fato que seu par
volte a te admirar.
Imagino sua angústia, a busca de uma forma de
tentar resgatar a sua relação e de convencer o seu
par de que a melhor escolha é estar ao seu lado,
mas acalme-se! Respira! Se durante o
relacionamento você não conseguiu fazer com que
ele ficasse ao seu lado, não vai ser depois de um
término que vai conseguir isso de forma fácil, e já
vou adiantar, não vai ser se mantendo atrás que vai
conseguir o que deseja.
Quando seu marido diz vai sair de casa
normalmente você fica para morrer, na primeira
semana não consegue trabalhar de tão abalada que
fica diante dessa situação.
E o primeiro passo no processo de reconquista é
entender o porque da decisão dele. Você pode estar
passando por uma tremenda confusão pensando no
motivo pelo qual ele foi embora, mesmo que ele
tenha dito aquelas coisas básicas de Homens “você
não tem se esforçado o suficiente(mesmo que isso
não seja verdade), nós estamos brigando demais e
etc “, sem te dar nenhum outro tipo de explicação
nem nenhuma hipótese de tentar mudar alguma
coisa.
Comece a reviver, mentalmente, o seu último ano de
casamento até que chegue a conclusão Assustatora.
Você estava mesmo se esforçando demais para que
essa relacão funcionasse completamente ao
contrario do que ele diz e isso acabou por arruinar a
relação! E se você quiser mesmo uma reconciliação,
terá que mudar.
Você pode ser uma pessoa muito rômantica, mas
isso tem tomado proporções exageradas e você só
conseguirá perceber essa situação muito tarde. Você
ficou tão focada na relação com seu marido que não
conseguia pensar com clareza. Chegou a um ponto
em que só conseguia pensar em seu marido e no
que poderia fazer para que ele ficasse feliz.
E isso é algo muito comum não entenda que o
problema é exclusivamente seu, mas quando você
cai em si e percebe a realidade dos fatos fica
chocada com as suas próprias atitudes. E é nessa
altura que conseguirá começar a desenvolver um
plano para recuperar seu marido, mas sem que isso
o assuste e o afastasse ainda mais.

Frases e Ações para a Reconquista

Você pode estar em uma busca desesperada para


descobrir todas as respostas em relação aos
casamentos e como salva-lo.
Pode estar se enterrando em livros de psicologia
para descobrir algo que agora vou expor para aqui
no Casamento de Sucesso, É chamado de “Quadro
de Controle”.
Então, quando você aprender tudo sobre esse
quadro, algo incrível irá acontecer.
O quadro de controle é uma base para começar a
construir essas técnicas verbais para fazer com que
qualquer homem fique obcecado por qualquer
mulher que sabe como usá-las corretamente.
Não se preocupe, eu não vou lhe sacrificar com
todos os detalhes técnicos.
Eu vou ser mais objetiva em tudo isso – se você
entender o que eu tenho para compartilhar com
você, então será capaz de aplicar o que aprendeu
para cada situação em que se encontra o seu
Casamento.
Não importa como está sendo essa fase do seu
casamento, se ele aind está em casa ou ja partiu,
você terá a base necessária para obter os resultados
exatos que você terá depois.
Agora é imperativo que, antes de eu realmente
ensinar-lhe esta técnica, quero compartilhar com
você alguns exemplos das situações mais comuns
em que você pode usá-la…
Quando outras mulheres “estão na foto”
Quando você usa essa técnica de forma eficaz,
obtém uma vantagem sobre a concorrência se existe
outra mulher envolvida nessa situação.
Essencialmente, você estará se distinguindo do
rebanho. Apenas um pequeno número de mulheres
estão cientes da natureza do que eu vou estar
compartilhando com você. Esta técnica funciona em
grande escala, mas que não seja distribuída tão
amplamente.
Para criar enormes quantidades de curiosidade, Se
você quiser tirar o melhor proveito possível do
período mais crítico, a fim de capturar o interesse
seu marido com uma melhor oportunidade, tente
criar uma primeira impressão pós afastamento
infalível, então, mais da metade do seu trabalho já
estará feito.
Uma das belezas desta técnica é que ela não é de
tudo limitada ao que você é capaz de fazer quando
está cara a cara com o seu ex marido.
Porque esta é uma técnica estritamente psicológica,
então você pode usá-la ou não com a pessoa por
quem que você está interessada, de maneira mais
imediata. Enquanto você está se comunicando com
a pessoa em questão, você pode usar esta técnica
de forma eficaz. Agora em seguida, o seu marido vai
te testar, quer ver o quão longe você está disposta a
ir por ele, você ainda pode muito bem ser testada
pelo comportamento frio dele.
Se você sentir como se estivesse no fim de receber
um “jogar duro para conseguir reconquista-lo”,
seguindo os princípios desta técnica irá garantir que
você nunca tenha que se preocupar em não ser
capaz de encontrar-se a quaisquer padrões que ele
possa ter.
Agora que você entende a seriedade do que eu vou
ensinar-lhe, finalmente é hora de ir direto para tudo o
que há de mais prazeroso e que eu gostaria de
compartilhar neste capítulo.
Isto é o que você está esperando para – depois de
tudo o eu tenho para compartilhar aqui, todos os
seus problemas de relacionamento vão parecer
pouco mais do que uma brincadeira de criança.
Agora, sem mais delongas, aqui está o segredo vital
que você precisa saber, a fim de tirar todo o poder
de todas as frases que eu tenho compartilhado com
você até agora.
“Durante cada interação que você tem com o seu ex
marido, seu trabalho é torcer tudo o que ele diz fazê-
lo soar como se ele estivesse tentando levá-la a
gostar dele ou tentando conquistálo.” De todas as
técnicas de trabalho que eu tenho visto ao longo dos
anos, esta tem sido a mais eficaz.
Faça isso de modo que cada interação que você
tenha com o seu marido pareça como se ele fosse
para a ofensiva, basicamente garantindo que a bola
caia sempre diretamente no seu campo, em vez do
dele.
Não importa o que ele diga ou faça, ele sempre vai
acreditar que ele mesmo chegou à conclusão de
tudo por conta própria. Na verdade, uma vez que
você domina toda a extensão desta técnica, você
será capaz de ganhar o jogo sem ele nunca estar
ciente de que foi você quem esteve o tempo todo
tomando as rédeas.
Ele vai estar pensando que é quem sempre foi capaz
de trazer a relação a ser concretizada de novo, mas
na verdade, ele será inteiramente controlado, devido
à sua capacidade de controlar a maré que há por
trás de seu estágio mental.
O que estamos fazendo aqui é essencialmente
lançando completamente o script em que ele pode
ter acreditado na ordem natural de como uma
relação entre um homem e uma mulher recomeçar
depois de uma crise no relacionamento. Ele vai ser
completamente derrubado.
Vários homens estão tão acostumados a estar no
controle quando uma mulher é capaz de exercer
alguma influência contra ele, ela vai parecer quase
estranhamente poderosa.

Ação 1 – Fique na sua, não saia procurando ele por


nada.
Ele precisa notar que sua vida tá seguindo sem ele e
que ele não faz falta. Você não vai conseguir este
efeito se ficar ligando, curtindo fotos no facebook,
pedindo pra voltar, se declarando, etc.

Ação 2 – Dê uma geral na aparência de quem tá


sofrendo
Isso mesmo!
Faça alguma coisas diferentes no seu cabelo, na sua
aparência. Entre em uma academia, mude sua rotina
não fica se martirizando, isso só piora a sua situação
e faz com que ele olhe para você numa possível
ocasião com um ar de superioridade, como quem fez
algo certo em sair de casa, faça algo que você
melhore tanto que ninguém nem acredite que você
está fazendo aquilo.
Quando você faz isso ao mesmo tempo que segue a
dica anterior, a pessoa que tanto você ama e quer
de volta, inconscientemente, acha que você não está
fazendo isso por ela, mas sim por você mesma, ele
pensa que você tá querendo seguir a vida, isso te
tornará mais atraente aos olhos dele, ele vai ficar
louco de raiva querendo saber porque você não tá
sentindo a falta dele, porque você não está sofrendo
por ele.

Ação 3 – Faça ele saber da boca de outras pessoas


ou pelas redes sociais que você vai muito bem,
obrigado!
Isso pode ser feito de várias maneiras. Você pode
postar fotos no Facebook, pode pedir para alguma
amigo em comum comentar algo, pode encontrar a
pessoa “sem querer” na rua e mostrar a cara da
felicidade, como se não se sentisse abalada com a
presença dele, como se estivesse melhor do que
nunca agora que está sem ele.
Só de seguir este truque baseado nestas 3 ações,
você não faz ideia de quantos relacionamentos já
foram restaurados.
É possível reconquistar o seu amor sim, basta você
mudar suas atitudes, seus comportamentos e agir do
jeito certo.
Se ele já se apaixonou por você uma vez, então ele
pode fazer isso de novo, ele só precisa ver em você
o que ele viu no começo do relacionamento
potencializado.
Vamos apenas dar uma olhada em um exemplo aqui
que pode lançar alguma luz sobre como usar esta
técnica quando um homem a está prestes a sair de
casa…
Ele – Eu não acho que nós vamos poder continuar
juntos.
Você- Eu estava pensando a mesma coisa, na
verdade! Quer dizer que você e eu somos tão
diferentes. Seria estranho se fôssemos um casal.
Quer dizer, eu sou claramente um pouco difícil para
lidar com você. Estaremos muito melhor sendo
apenas amigos.
Você vê o que aconteceu nesse cenário? Em vez de
apenas ir junto com o que ele provavelmente espera
de você, que é de se engolido na sua decepção,
simplesmente reconheça o que ele disse e vá
levando a conversa, indicando sua rejeição ou
aceitação de que você não o é centro de toda a
existência dele.
Basicamente, o que você fez foi tomar o que ele
disse e jogá-lo direto para trás sobre algo que
mudou o contexto de toda a conversa – com
algumas palavras bem colocadas, você
legitimamente fez parecer como se fosse realmente
ele mesmo quem estava sendo rejeitado por você o
tempo todo.
Agora depois que você conseguiu fazer algo como
isso, você deverá forçá-lo a vir a percepção de que
ele nunca compreendeu realmente as coisas tanto
quanto ele pensou que fez.
Ele vai questionar seu próprio subconsciente a ponto
de que sua confiança seja abalada
significativamente.
Com não mais do que apenas uma única frase, você
terá dado a si mesma o poder de arrancar o tapete
do seu Marido que pensa que tem tudo planejado. É
tão simples, suave e inteligente.
Agora, existem duas principais razões pelas quais
esta técnica é tão incrivelmente poderosa.

Motivo 1
– Você não deve aceitar o que ele diz.
Quando você segue o processo, conforme descrito
acima, que é essencialmente romper com o rebanho
que leva a rejeição extremamente pessoal assim que
acontece.
Você não tem que dizer que você não aceita as
palavras dele, mas quando você faz as coisas desta
maneira, se envolve em uma prática subversiva que
vai confundi-lo sobre o que você está realmente
fazendo.
Quando você mostrar a ele que o que ele disse
realmente não importa muito, você está
estabelecendo-se como uma Mulher Segura que não
vai ser reduzida a cacos só porque o seu marido não
salta imediatamente à ideia de estar com você
depois de uma longa relação.
Há muitos homens por aí que parecem ter este
equívoco de que cada coisa que eles dizem tem que
ser imediatamente validada por padrão. Em vez de
pensar exatamente na razão do que eles disseram
X, Y ou Z, ele pode assumir que não há necessidade
de pensar sobre tudo.
Muitos homens usam mulheres que tomam tudo o
que eles dizem que pelo seu valor nominal, sem
dúvida, e assim, quando uma mulher vê que não é
apenas para comprar o que ele vende de imediato,
uma sensação extremamente real de incerteza é
criada dentro deles.

Motivo 2
– Ele sente a necessidade de justificar-se a você.
– Quando você empurrá-lo para esta zona,
essencialmente, ele vai sentir como se tivesse de
justificar a sua posição.
Você faz parecer que o seu marido foi realmente o
único que perdeu muito deixando você, ele vai de
repente sentir que ele tem que lutar para justificar
exatamente o que é que ele disse em primeiro lugar.
Aqui está a melhor parte sobre o uso desta técnica
de forma eficaz mesmo que você esteja transferindo
todo o poder na equação para si mesma, ele não vai
ter nenhuma ideia que você realmente exerceu tanto
poder.
Ele vai ficar tão preocupado com seus próprios
sentimentos confusos que ele nunca vai atravessar
sua mente e perceber que você era a única que
orquestrou tudo desde o início daquele “fim”.
Agora, aqui estão alguns exemplos das maneiras
que você pode usar essas frases para a sua
vantagem, aquelas frases no pé do ouvido sempre
que puder.
Algumas situações no primeiro momento…
Ele – (Quando ele tenta te beijar, elogiar uma roupa
sua ou algo que modificou em sua aparência).
“Está bem! Devagar”, você deve abraça-lo e dizer no
pé do seu ouvido…” vamos dar um passo de cada
vez … “(E, em seguida, ofereça o seu rosto para ele
beijar).
Como foi dito antes, os homens gostam de acreditar
que tem você todas as vezes, só porque eles
pensam que estão sendo inteligentes.
Se você disser a ele para abrandar, ele vai quebrar
instantaneamente qualquer percepção que tem de
que ele é o único que tem todo o controle da
situação.
Ele – Então você gosta tanto de mim assim?
Você – “Bem, você parece que mudou bastante
desde que decidiu sair de casa. Mas uma parte de
mim não confia em você ainda! ”
Ele provavelmente vai ficar pensando em como ele
formularia esta pergunta. Será uma ótima maneira
de fazê-lo revelar todas as razões por que você acha
que ele mudou e que agora não voltará com todas
as atitudes de antes, mas quando você lhe dá uma
resposta como esta, em vez de se perguntar por que
você não vai deixar para baixo suas defesas tão
facilmente quanto ele esperava.
Os Homens podem ser extremamente inseguros
quando revelam qualquer coisa sobre si mesmos,
que poderia ser interpretada como fraqueza, e
portanto, quando isso acontece, pode detonar um
par de alarmes em sua cabeça que vai fazê-lo
pensar sobre como ele está fazendo com a
impressão que ele está deixando em você.
Ele – Eu sei que você gosta de mim.
Você – Sim, eu gosto de você, mas temos que
colocar as coisas nos eixos ainda.
Ele provavelmente está se preparando para você
negar o fato de que gosta dele depois que ele diz
isso, mas depois que você dizer que devem colocar
as coisas nos eixos, será como um golpe duplo para
as suas expectativas que deixarão a cabeça dele
girando.
Ele – Eu não estou muito seguro de que está tudo
voltando a dar certo entre nós.
Você – Está tudo bem, você não precisa fingir. Eu
percebi isso várias vezes.
Aqui você não está mesmo aceitando a sua ideia de
rejeição, em vez disso você está virando a mesa,
deixando-o saber que você realmente nunca pensou
que vocês dois poderiam voltar a ficarem bem,
juntos como um casal novamente, de qualquer
maneira.
“Foi uma ótima noite; Foi bonito vê-lo se despedindo
de mim “.
“Você estava tão bom hoje, espero que possamos
manter isso no futuro”.
Muitos homens esperam que suas mulheres fiquem
pegajosa e sedentas de atenção quando se
afastarem por um período de tempo suficientemente
longo, mas quando você honra sua distância sem
sequer perguntar por que ele está agindo tão
distante; ele vai ser agradavelmente surpreendido.
Como ele esta se evolvendo com você, procure dizer
o seguinte …
Os caras adoram puxar o “que é tão bonito quando
você faz (X, Y, Z)” em uma garota quando ela está
frustrada, mas não é sempre que eles vão falar
desta forma, ao mesmo tempo – deixe que ele veja a
confusão em seu rosto quando isso acontece.
Se ele quer ser deixado sozinho, diga o seguinte …
“OK! Por favor, tem todo o tempo que quiser. De
qualquer maneira, eu sei o quanto você é louco por
mim e não será capaz de ficar longe de mim por
muito tempo. ”
Então, por agora você deve compreender a ciência
básica que há por trás de tudo! Torça as palavras de
um indivíduo, e em nenhum momento plano, você irá
acender um nível de atração e desejo dentro dele
que pode ter parecido ser impossível antes.

Conclusão da Reconquista

Jamais deixe-se abalar em frente a todos, deixe isso


para o momento seu com Deus, na hora de se
ajoelhar no seu quarto, somente Deus vai te ajudar
nesse momento em que você está precisando
demonstrar tudo o que realmente sente, ele não vai
te julgar ou sentir seu ego inflar, já o seu marido sim,
ele nunca deve assistir isso pois, para esses
momentos quem acha que demonstrar tudo que
sente na frente do seu ex-marido é a melhor saída
nunca conseguirá te-lo de volta.
Então confie em Deus, converse com ele, e para nós
seres humanos, seja feliz que Deus estará no
controle e guiará tudo que deve ser seu.
ETAPA 5
JOGANDO PESADO
Vamos começar com algumas informações para ajudá-lo
rapidamente a começar a reconstrução do seu relacionamento.
Faremos assim: nós usaremos um formato de perguntas e
respostas, para montar um plano de como salvar seu casamento.

Pergunta: Meu parceiro está com raiva e estou sendo levado


pelas emoções dele (a). O que posso fazer para evitar que isso
aconteça?

Primeiro, você precisa perceber que seu parceiro provavelmente


esteja magoado, não com raiva. Veja, a raiva é uma emoção
secundária que aparece quando estamos magoados. Então você
vê a raiva, porém não vê a mágoa. Você precisa fazer disso quase
um mantra, sobre seu parceiro estar magoado e não com raiva. Na
verdade, frequentemente recomendo que as pessoas façam um
cartão dizendo: “meu parceiro está magoado, não com raiva”. Você
pode querer justificar que não está magoado como seu parceiro.
Você pode querer dizer que seu parceiro não tem motivo para ficar
com raiva. Também pode querer dizer que seu parceiro não tem
motivo para ficar magoado. Mas neste momento isso é irrelevante.
Não quero dizer que isso não seja importante. Só quero dizer que,
se você quer salvar seu casamento, então isso é irrelevante. O fato
é que ele ou ela está magoado (a) e isso se exterioriza como raiva.
Esqueça isso e você será pego em sua raiva. Não terá benefício
para nenhum de vocês. Lembre-se, muito de nossa raiva é
baseada em enganos. Quando os enganos são clareados, a raiva
vai embora. Isso é uma verdade para você também.

Pergunta: Então, como devo agir? O que devo fazer?

O pano de fundo para isto é o que chamo de Cs. Vamos olhar os


três Cs, um de cada vez.

Calma: Sem ter calma, você estará constantemente respondendo

às emoções de seu parceiro. De fato, você se surpreenderá com

quão preso está em reagir às emoções que não conseguirá colocar

seu
plano em prática. Frequentemente ouço pessoas me dizendo que

não querem reagir aos seus parceiros, mas elas não

conseguem evitar. Isso é o que quero dizer sobre não ter calma. O
pânico é o inimigo. Infelizmente, esta é a típica resposta neste
momento. Então você precisa tomar a decisão de ficar calmo,
mesmo se seu parceiro não ficar. Às vezes as pessoas me dizem
que não tiveram escolha a não ser reagir. Dizem que é assim
mesmo. Eles não têm controle sobre suas emoções. Mas isto não é
justificativa. Todos nós controlamos nossas emoções em alguns
momentos. Você invadiria a sala do seu chefe gritando e berrando
com ele em um momento de pânico? Provavelmente não. Mesmo
assim, fazemos isso com nossos parceiros o tempo todo. Eu só
quero que você entenda que todos nós escolhemos como
responder, mesmo se não reconhecemos que seja uma escolha.

Consistência: Este é o segundo C. Um dos problemas de se


trabalhar um casamento é que frequentemente estamos indo para
uma direção, depois outra, depois outra e depois outra. Nunca
paramos o suficiente para ver se o que estamos fazendo é efetivo.
Quando temos outra ideia, nós tentamos também. Ou tentamos
algo, e ao invés de esperar para ver se funciona, jogamos tudo
para o alto
e saímos batendo pé. Às vezes, isso serve para provar que nosso
parceiro está certo. Ele percebe que aquilo que você mais teme,
que não podemos mudar, é obviamente verdade. É isso que você
quer que seu parceiro veja? Em meio a uma crise, seu parceiro não
precisa ver indecisão. Quando você fica tentando novas técnicas,
pode achar que não está sendo indeciso, mas é o que seu parceiro
verá. Seja consistente sobre sua abordagem. Escolha sua direção,
e fique nela. Para reiterar: seja consistente, escolha sua direção, e
continue caminhando nesse caminho. Você pode contar com o fato
de que as coisas irão piorar antes de melhorar. Seu parceiro
testará você para ver se você realmente mudou. Seu parceiro
questionará seus motivos, imaginando o que você está tramando e
pensando que você tentará enganá-lo. Não dê razão a ele. Seja
consistente.

Constância: Este é o terceiro C. Continue seguindo em frente,


mesmo que pareça que não há progresso. Não se preocupe com a
batalha, pense na guerra. Você está tentando salvar um
casamento. Isso requer que você mantenha seu objetivo em mente
e não se preocupe com as pequenas coisas pelo caminho. Ser
constante significa que você seguirá firme, pelo tempo que for
necessário, até provar que vale a pena salvar o casamento. Isso
pode ser bem
frustrante, portanto você precisa de alguém para conversar. Você
precisa ter um amigo íntimo, alguém que possa ouvir sobre suas
frustrações e mantê-lo nos trilhos. Isso não significa contar para
todo mundo. Na realidade, na seção sobre o que não fazer em
meio a uma crise, eu fui contra contar para mais de uma ou duas
pessoas. Quero reiterar isso aqui. Escolha apenas uma ou duas
pessoas confiáveis para contar.

Pergunta: Meu parceiro está cansado de me ouvir dizer que


vou mudar. Como posso provar que estou mudando? Pergunta
difícil. Isso indica que o casamento chegou a um ponto em que seu
parceiro não acha que você seja capaz de fazer as mudanças que
você prometeu há tempos. Eu não lhe conheço, então não posso
atacá-lo diretamente. Posso apenas lhe dizer que a maioria dos
casamentos se desmancha após anos e anos do parceiro querendo
que a outra pessoa mude.
Você provavelmente também tem uma lista com mudanças que
você quer de seu parceiro. No entanto, se você escolheu salvar seu
casamento, deixe essa lista de lado e veja o que VOCÊ precisa
mudar para manter o casamento nos trilhos. Não estou dizendo
que isso seja justo. Apenas que este é o jeito certo. Então, por ora,
deixe
de lado a lista que você fez para seu parceiro e foque em como
você precisa mudar. O lugar para começar é se olhar no espelho.
Você precisa começar mudando você mesmo. Eu digo isso sem lhe
conhecer, sabendo que todos nós precisamos mudar. Na verdade,
se você seguir este plano, o pior que pode acontecer é você sair
desta crise mudado para melhor. Isso não é tão ruim assim.

Exercício: vamos começar com o processo.


Passo um: Quero que você pegue um papel e enumere de 1 a 10.
Ao lado dos números, quero que você escreva uma mudança que
seu parceiro já pediu mais de uma vez. Neste momento pense
apenas sobre o que você ouviu. Você não precisa se preocupar
sobre as palavras exatas do seu parceiro. Tudo o que você vai
fazer aqui é escrever as mudanças que seu parceiro pediu ao longo
dos anos. Portanto, neste instante, tire um momento e escreva as
10 Coisas Principais Que Seu Parceiro Quer Que Você Mude.
Certo. Agora um pequeno trabalho de edição. Pegue cada frase
que você escreveu e reescreva de um modo menos negativo e
raivoso do que a forma como foi dita por seu parceiro. Mas
certifique-se de que seja algo que você concorde. Seja honesto
consigo mesmo. Seja honesto sobre o que você ouviu de seu
parceiro. Existe algum fundo de
verdade no que seu parceiro disse? Isso demanda uma
honestidade brutal, mas se a maioria de nós for honesta, há
alguma verdade naquilo que ouvimos continuamente de nossos
parceiros. Agora dê outra olhada na lista. Risque os itens que você
realmente não aceita como sendo necessários mudar. Mas
certifique-se de que você está sendo honesto consigo mesmo.
Passo dois: Abaixo de cada frase que você concorda e vê como
necessidade de mudar, escreva cinco formas de fazer a mudança.
Não coloque apenas uma. Na realidade, se você consegue pensar
em dez maneiras, escreva as dez. Eis o porquê: as duas
primeiras mudanças serão óbvias. As duas seguintes
serão um pouco melhores. As próximas serão
provavelmente excelentes. E as últimas serão um esforço, uma
tentativa desesperada de preencher o papel. Você quer toda a
gama de possibilidades. Passo três: escolha duas ou três formas
de fazer as mudanças e comece a agir. Não seja casual sobre isso.
Faça um diário. Escreva o que você fará a cada dia para seguir seu
plano. Passo quatro: não se permita sair dos trilhos. Não deixe a
raiva, frustração e indignação de seu parceiro impedirem que seu
plano siga adiante. Não permita que seu parceiro lhe impeça de
mudar da forma como você precisa mudar. A ironia
está no fato de seu parceiro, que quer que você
mude, ficar chateado e, como resposta,
você se recusar a mudar mesmo que você saiba que é uma boa
ideia. Não permita que isso aconteça.
Minha esperança é que no fim do dia você se olhe no espelho e
veja que você é uma pessoa melhor do que aquela do início do dia.

3 SEGREDOS SIMPLES PARA UM CASAMENTO DE


SUCESSO

Depois de anos observando os casais, tanto bem-sucedidos e


mal sucedidos, notei três estratégias que parecem ser marcas
registradas de casamentos bem sucedidos. Claro, existem outros
fatores que contribuem e nem todos os casamentos bem-sucedidos
mantêm todos os três segredos. A maioria tem pelo menos dois, e
muitos têm todos os três. Siga-os e o sucesso se aproxima. Estas
três estratégias são, mais do que tudo, mudanças na perspectiva
que levam a mudanças no comportamento. Em um nível mais
profundo, incidindo sobre estas três áreas, vamos para outro lugar.
Lembre-se, esses segredos não são fáceis, mas eles valem o
esforço. E a propósito, se apenas um de vocês deseja tomar estas
ações, o outro será afetado.

Segredo #1: Desistir de discutir


Eu sei, você pode estar pensando: sem discussão, sem
comunicação. Eu sei disso porque eu ouvi de incontáveis casais.
Infelizmente, muitos casais encontram-se presos no hábito de
discutir e geralmente com pouco sucesso. Discutir não é se
comunicar. Discussão são duas pessoas com dois pontos de vista
diferentes tentando convencer o outro de estar certo. É um "cabo
de guerra" sem vencedores. A discussão é bem-sucedida em
apenas uma arena: Tribunal. Tem um juiz que decide cujo ponto de
vista é o mais preciso. Fora isso (e as crianças não contam como
juízes) discussão é uma aposta. Então desista. Outra coisa, faça
esta pergunta: "Ajuda-me a entender como é que você vê dessa
forma?" Esta é uma pergunta poderosa. A pergunta nos move da
vitória em direção à compreensão. A pergunta estabelece que você
não vê o mesmo. Estabelece a existência de uma variedade de
visões de mundo. Embora possa parecer óbvio, casais parecem
esquecer que todo mundo tem uma maneira diferente de ver o
mundo — um outro paradigma, para usar um chavão. Um
paradigma não é nem certo nem errado, apenas é. Ele atua como
um filtro, impedindo-nos de ver algumas coisas e nos levando a
focar em outras. Então a tarefa é entender a outra visão do mundo.
Como é que ele ou ela vê? Como meu parceiro vê o mundo? E
lembre-se desta distinção crucial: você
pode entender como alguém vê algo sem concordar com isso.
Compreender não é o mesmo que concordar.

Segredo #2: Focar em ser complementar

Nós completamos um ao outro, podemos fazer o outro inteiro.


Pelo menos temos o potencial para fazer isso. Temos também o
potencial de destruir uns aos outros. É interessante e preocupante
assistir a destruição quando casais se esquecem como eles se
completam, pois eu sei que eles estão conscientes de como eles são
complementares antes de eles se casarem. Eles podem não ter
pensado sobre isso, mas eles podem descrever o que eles fazem
um ao outro. Em outras palavras, eles podem falar sobre como um
é na fraqueza e o outro é na força e vice-versa em cada área. Eles
perderam a natureza complementar de seu relacionamento. Por
exemplo, um casal antes do casamento pode me dizer como ele é
muito focado e organizado, enquanto ela é espontânea e muito
amorosa. É uma imagem de equilíbrio, desde que possam encontrar
isso em outra pessoa e ver como melhorar ele ou ela. Vamos fingir
que esses casais retornam em 5 a 6 anos no meu consultório, a vida
tomou muito deles e seu relacionamento está em apuros. Eles
geralmente vêm com uma lista de queixas. “Cada detalhe de
picuinhas tem que passar por ele. Ele está me sufocando". Então eu
ouço "ela é tão irresponsável. Ela está sempre atrasada, sempre
mudando os planos e nunca segue completamente o que foi
planejado". Eu sei que este casal perdeu seu sentido de
complementaridade. Então faço uma simples pergunta, "O que atraiu
você para o outro em primeiro lugar?" eles sempre ficam com um
olhar úmido, distante e me falam sobre o foco e a organização ou a
diversão e a espontaneidade. Como você deve ter adivinhado,
quando perde de vista a complementaridade, você começa a se
mover para mais e mais distante. Quando os casais estão cientes de
sua complementaridade, eles tendem a se mover para o outro ao
longo do tempo. Eles acham que sua vida é o equilíbrio e o parceiro
ajuda a criar esse equilíbrio. Complementaridade é realmente um
pensamento excelente, um conceito que deve sempre estar em
mente e posto em prática. Lembre-se de como seus pontos fortes
suplementam as fraquezas do seu parceiro. Mais um desafio, lembre
como os pontos fortes do seu parceiro complementam suas
fraquezas. Existem dois métodos infalíveis para descobrir as áreas
onde você e seu parceiro são complementares entre si. Primeiro,
foque no que atraiu originalmente um ao outro. Estas áreas de
atração estão frequentemente em torno de pontos de
complementaridade. Em segundo lugar, olhe para pontos onde ele
ou ela te deixa louco! Sim, é isso mesmo! Essas áreas de conflito e
frustração, frequentemente, apontam para as áreas de
complementaridade. Olhando para essas áreas com uma nova luz,
talvez com palavras positivas, possa levá-lo a ver novas áreas em
que se completem.

Segredo #3: Tomar decisões com base no que é bom para o


relacionamento

Muitas vezes seremos pegos no estalar das decisões. Se


fizermos uma escolha que é melhor para mim, nos sentimos
egoístas. Se fizermos uma escolha que é melhor para você, nos
sentimos inferiorizados. Às vezes, isso nos deixa em uma situação
de perder/perder. Uma terceira opção está disponível. Fazer uma
escolha com base no que é bom para o relacionamento, para o NÓS.
Isso cria uma maneira de contornar o dilema pessoal e nos obriga a
ser mais criativo. Geralmente não é fácil. A escolha de nós é menos
automática. Quando as decisões são baseadas no que é melhor
para o relacionamento, o casal é forçado a tratar a sua relação como
algo real. Isto traz a relação para fora da imaginação e coloca na
realidade. Este é um exercício poderoso e que pode mudar a relação
de maneiras incríveis. Tomada de decisões que são baseadas na
relação puxam em direção a um sentido mais forte de nós dois e cria
um forte sentimento de "estar juntos". Já que as decisões, muitas
vezes, fortalecem ou destroem um relacionamento. Alimentar essa
abordagem pode aliviar muitos pontos de estresse. Esta técnica
simples é aplicada quando uma decisão precisa ser feita.
Simplesmente faça esta pergunta: "O que seria melhor para a
relação?" Esteja aberto à surpresa sobre a resposta!

PARA ELAS:

Agora vamos falar de forma direta, com você, mulher! Este


capítulo é inteirinho seu.

Os grandes desafios de ser Mulher


Em um artigo publicado em 1949, foi uma escritora, intelectual,
filósofa existencialista, ativista política, feminista Simone de Beauvoir
disse: "Ninguém nasce mulher, torna-se mulher" , querendo com
isso dizer que a categoria ' mulher' significando ser do sexo feminino
não ' nascia pronto', precisamos nos ' tornar mulher', e isso nos é
dado com ensinamentos, de modos, comportamentos, gestos,
posturas e expressões ao longo de nossas vidas, ainda acrescento
que apesar de nos tornarmos, como apregoa nossa ilustre
representante, temos que nos manter mulheres, sim, ser mulher
demanda uma manutenção tremenda, falando de cabelo, unha,
maquiagem, depilação, cuidados pessoais e por aí vai.
Nós participamos ativamente da economia, estudamos, saímos
para trabalhar, criamos filhos, cuidamos da casa, do marido e da vida
pessoal, isso sem deixar a peteca cair, fazendo quase que tudo
simultaneamente.
É bem verdade que somos um pouquinho mais frágeis que os
homens, sofremos de algumas doenças que vêm assolando cada
vez mais mulheres, como por exemplo o câncer de mama, penso
que o estilo de vida moderno tenha favorecido a isso... se na época
de nossas avós elas tinham 10, 12 filhos e passavam boa parte de
suas vidas inundadas por prolactina (hormônio presente na gravidez
e amamentação), hoje em dia as mulheres estão mais atrás de
estrogênio, algumas até testosterona, hormônios do prazer, qual
razão disso??
Elas querem cada dia menos filhos, querem adiar ao máximo a
maternidade, querem cultuar o corpo, mesmo que para isso
necessitem de hormônios masculinos, e cada vez mais andrógena
(masculinizada) esta mulher se transformar, mais riscos de câncer
ela terá.
Com advento da medicina preventiva alargando a faixa da juventude
cada vez mais, a saúde pública de maneira geral e de altas
tecnologias, usadas a nosso favor, a expectativa de vida mudou,
antes, entre 45/50 anos esta mulher já estaria na menopausa,
cessando com ela seus desejos e sua libido, e por volta dos 60/70
anos, uma mulher já era considerada idosa, hoje, com a expectativa
de vida aumentada, e a medicina afirma que uma mulher pode
conceber até os 50 anos de idade, sua menopausa será após 50
anos, por consequência a velhice só a atingirá por volta dos 70/75
anos.
No início dos anos 2000, as mulheres começaram a mudar este
cenário, empenhando se em suas carreiras e estudos, deixando de
lado o padrão de funcionamento da década que as antecedeu, esse
é um movimento chamado de empoderamento feminino, onde a
mulher participa igualmente com as finanças domésticas, com a
busca de igualdade de gênero, lutam por cada vez mais
empoderamento e lugar na sociedade que era até então,
prioritariamente machista onde somente o homem tinha espaço e
poder, isso agora está cada vez mais no passado.
A escolha é nossa!!! Sim, é nossa, cabe a nós decidirmos qual par
teremos, de que gênero será, se teremos ou não filhos, se
casaremos, ou não, se nos divorciaremos, se aceitaremos ou não o
que o outro quer de nós, se vamos mudar o corpo, o cabelo, a forma
de vestir, nada importa! Cabe a nós decidirmos!!
Percebam como as mulheres mudam e transformam
definitivamente as sociedades, nós, somos responsáveis pelas
grandes mudanças que ocorreram desde os tempos do império até
os dias atuais, nós devemos tomar a consciência de nosso papel, de
nossa participação na sociedade e principalmente de nossa
importância para existência dela.

Mulher, se for autoconfiante sai de baixo!

AUTOCONFIANÇA.... amor-próprio... O amor mais duradouro e


real! O amor a si mesmo! Sempre deve estar em primeiro LUGAR!
A autoconfiança possui alguns pilares: potencial interno, acreditar
no outro, mudanças de crenças negativas ou distorcidas, ou seja
desconstruir crenças que limitam você ou distorcem a realidade dos
fatos, o modo como você percebe as coisas em sua volta.
Comece eliminando as suas 'travas' - são elas: medos,
frustrações, modelos passados pelas famílias,
decepções, identifique a sua.
Sair da zona de conforto, tomar a decisão de se colocar em primeiro
lugar, nas relações, nas amizades, na família, no trabalho, se
respeitar, não forçar seus próprios limites de tolerância de alguma
situação, seja ela qual for...física ou emocional.
Ter disciplina para mudar, sair da estagnação, é hora da valorização
pessoal, as mudanças são bem vindas, seja na aparência, na vida
profissional, num relacionamento, enfim, mover se para a mudança!
Vamos juntas! Mesmo que aos poucos! Saia do ciclo de
estagnação muitas vezes dói, mas os resultados serão
gratificantes! Experimente!

Feminismo.... Afinal a mulher deve ser a 'fêmea' da relação....


Sempre?

Estamos numa era das mulheres fálicas, mas o que quer dizer isto?
Mulheres poderosas, que tomam frente da casa, da vida familiar, das
contas, dos filhos, do trabalho e ainda tem sua vida pessoal, as
'super' mulheres.
Tudo bem alguma vez você ser a 'mulherzinha' da relação, deixar
ele abrir 'os potes'..(metaforicamente falando) faz parte deixar ele se
sentir o alfa dominante, mesmo que não seja, ou mesmo que você
tenha cedido este lugar a ele.
E a mulher pode assumir um pouco o papel dela a priori... Não
sendo fraca, mas calma, ser paciente, ter postura, não se prestar a
ladainhas desgastantes, reclamações infinitas não levam a nada,
objetivar a fala, sempre pontualmente, nada de jogar embaixo do
tapete, mas ponderar a hora de falar, com total domínio sobre sua
comunicação;
Eleve o nível da sua comunicação! Resgate a leveza e bom humor,
do início do relacionamento, lembre-se, sempre seja elegante nas
palavras!
Cuidado com as carências excessivas, depositar no outro o que
é seu, pode ser a chave para dependência emocional tão temida
dentro da relação;
Buscar o equilíbrio é fundamental, controlar suas emoções,
principalmente as não tão positivas...como ciúmes e raiva. Afinal
quem não gosta de (mesmo que só às vezes) se sentir protegida por
alguém? E o que há de errado se de repente os papéis se
inverterem? E ele quem ficar na posição de ser cuidado, protegido,
ou até mesmo assumindo os papéis domésticos? Nada de errado
nisso, se for um arranjo acordado por ambos!
Uma mulher que é inteligente é aquela levada a ter
relacionamentos sadios e equilibrados, não problemáticos. Para
isso, é preciso que primeiro aprenda a gostar de si mesmo, se
valorizando, nunca deve esquecer que você é a sua prioridade.

Mulher Repelente

Tenho uma pergunta para você: Você é uma mulher repelente?


Aquela que afasta qualquer homem, pois eles não gostam de
mulheres que ficam reclamando de tudo, que ficam grudadas com
um chiclete além de tudo mal humoradas.
A mulher repelente adora uma divergência, sempre que acontece
um impasse quer 'discutir' até que se esgote o assunto, fala, fala,
fala pelos cotovelos, irrita qualquer um, mas não se toca não
percebe que isso não resolve e não soluciona nenhum problema,
pelo contrário só afasta o outro.
Perde horas do seu dia ligando ou enviando mensagens, sem
dar uma trégua, sem deixar o outro respirar, acredita que com isso
está se conectando ao par, mas é justamente o oposto disso que irá
conseguir, se mostrando como fútil e desocupada.
Há também aquela que só faz cobranças, carinho que é bom ela
não dá, contudo, cobranças é com ela mesma, tem também aquela
que deveria trabalhar na polícia, especialista em interrogatórios, sei
que perguntar toda mulher pergunta, é normal, faz parte da nossa
essência, mas tem algumas que exageram passam da normalidade,
tenha cuidado com isso e respeito a individualidade do par.
Tem também aquela que é um barril de pólvoras ambulante, vive
de TPM, irrita-se com tudo, seja com um copo fora do lugar ou com
uma palavra mal colocada que o infeliz disse, mulher, controle sua
TPM, ninguém é obrigado a se sujeitar a ela.
E aquelas pouco femininas, que não se cuidam bem, o cabelo
oleoso, a unha com esmalte descascando, roupas inadequadas ao
peso e idade, dentes mal cuidados, ainda emendo por aqui as
escandalosas, seja no tom de sua voz, nos gestos sempre muito
amplos ou no modo de se vestirem, hoje não tem desculpa de nada
disso permanecer ocorrendo, temos tantas informações gratuita
pela internet, sobre todos esses pontos.
Torne-se Interessante

Para isso ser posto em prática, você precisará ter vida própria,
sim, ter seu trabalho, estar engajada em algum curso, ou alguma
atividade que te ocupe, quando eu falo isso, preciso que entenda
que sua vida para por circundar apenas em torno do seu casamento,
pois aí sim, o foco em tudo seria superdimensionado, as pessoas
que possuem uma vida própria conseguem relações mais leves,
menos densas.
Cuidado e sabedoria com as palavras, elas constroem e
destroem as relações, desenvolva técnicas de paciência, conte até
100, até 500 se preciso for. Outra coisa super importante é o tom de
sua voz, cuide para não ser alto e nem irritante;
O toque, tocar no outro conecta ele, suave e de vez enquanto,
quando estiverem conversando, olhe nos olhos dele e vez ou outra
toque no braço por exemplo;
Nunca se entregue a ninguém 100% de sua devoção, seja um
pouco misteriosa, como já falei, os terrenos muito firmes despertam
poder no outro;
Invista em outras paixões, como por exemplo, jardinagem,
pintura, estudo de algum idioma ou cultura, culinária de algum lugar
específico, leitura, além de enriquecer você como pessoa focará
parte do seu tempo que não seja o par;
Foque mais em você mesma e menos nele, quanto mais você
se puser em primeiro lugar em sua vida, mais interessante você se
tornará aos olhos do outro;
Invista na sua sensualidade, em despertá-la, pode ser com
algumas roupas novas, uma dieta, com a prática de exercícios, ou
uma dança, dançar ajuda melhorar os movimentos inclusive o sexo,
lingeries novas, vou até abrir um parênteses aqui (homens são
extremamente visuais, os homens não resistem a rendas e lacinhos),
uma nova forma de se maquiar, ou um novo corte de cabelo que
seja, mas mude!
Mudanças são sempre bem vindas, para nós e para percepção
do outro sobre nós;
A quem pense que homem não entende, não presta atenção,
não sabe diferenciar estrias e celulites, não caia nessa, eles não são
tão desligados assim, eles até podem não saber os nomes e
diferenças de todos esses defeitinhos que temos ou inventamos,
mas sabem diferenciar uma mulher que tem, daquela que não tem,
isso você pode ter certeza!
Os homens valorizam a mulher cheirosa, bem tratada e com a
depilação em dia, unha bonita, cabelo cheiroso, parece óbvio, mas
é requisito básico, mas conheço vários rapazes que já tiveram
alguma experiência desagradável, nestes quesitos, principalmente
em se tratando de higiene íntima, verdade amigas, não são todas de
nós que se preocupam em estar sempre bem cuidadas, então, fique
muito atenta a esses detalhes.
Isso é o cultivo prático do seu ' jardim secreto', que é só seu,
com suas memórias, seu jeito de ser, não mostre se demais, em
quem você é, foi ou se transformará, enfim, na mulher que você
deseja ser, sim você pode se transformar!

Reestruturando amor próprio

Amar a si mesmo, a pessoa mais importante de sua vida: você!


Por que muitos acham difícil? Não deveria ser, mas são raízes
profundas, fincadas na primeira infância, que marcam a baixa
estima, falta de amor próprio e pouco valor. Não se achar merecedor
das coisas boas da vida, do amor do outro, das amizades, etc, são
estas distorções que atrapalham todos os relacionamentos e laços,
a boa notícia é que você pode mudar isso!
Autoestima... afinal por que isso é tão importante para
formação de uma personalidade sadia? Auto = si próprio, Estima -
estimar-se - gostar-se... mas afinal existem pessoas que não se
gostam? Sim, muitas!
Sua autoestima está dentro de você, você é o responsável, e
apenas você! Diminua a expectativa de perfeição, ela não existe! Se
aceitar como é, em peso, altura, cabelo, etc; Não existem dias 100%
bons, ou ruins, é preciso lidar com eles, não se compare, e não
permita que o façam, cada um é um ... e único! E acredite, isso é
ótimo! Cuide-se, sim, cuide de sua aparência, do seu corpo, de sua
saúde, vista-se para se sentir bem consigo mesmo, valorizando cada
acerto, cada conquista! Cada dia melhor que o anterior! Não
autodeprecie-se, respeite-se, honre-se! Não se critique, você não
nasceu para cumprir expectativas de terceiros, você precisa ser
melhor cada dia para você em primeiro lugar. Pratique exercícios,
seja uma caminhada, uma corrida, uma aula de zumba, de ginástica,
de dança! Não importa, o que importa é você se mexer. Você precisa
ter um hobby, uma atividade gostosa, algo que goste de fazer, um
investimento em você! Atreva-se a mudar algo que te incomode e
comece agora! Seja eliminar peso, sem encanação, não existe corpo
perfeito ou padrão, criar novos hábitos alimentares, praticar algum
esporte, estudar algum idioma, fazer algum curso.... Enfim! Tenha
um tempo para si mesmo, fazendo somente coisas que te façam
bem, cuidando de você mesmo! E quando estiver inteira... todo o
resto será apenas acréscimo!

Algumas das formas de não amarmos a nós mesmos:

● Censuramo-nos e criticamo-nos de maneira interminável;


● Maltratamos nossos corpos com alimentos errados, álcool e
drogas;
● Escolhemos acreditar que não somos merecedores de amor;
● Temos medo de cobrar um preço razoável pelos nossos
serviços;
● Criamos doenças e dor em nossos corpos;
● Adiamos fazer coisas que nos beneficiariam;
● Vivemos no caos e na desordem;
● Criamos dívidas e fardos;
● Atraímos amantes e parceiros que nos diminuem.

O que geralmente os maridos esperam de suas esposas?


Você consegue arriscar um palpite? Em primeiríssimo lugar está
o aconchego, sexo, serem cuidados, é minha cara, os homens
casam-se para em primeiro lugar serem cuidados, como as mães
deles faziam, em segundo lugar está a construção da família dele, o
lar, sua casa, sua identidade como família, embora seja contraditório
que se casem para ser cuidados, eles não querem e não esperam
que você aja como a mãe dele, dizendo o que ele deve ou não fazer,
isso é muito chato, não queira esse lugar, marido que vê a esposa
como mãe, perde o tesão, afinal ninguém faz sexo com a própria
mãe, não é mesmo?!
Maridos também esperam ter um lar agradável, que não seja
cenário de discussões e lamentações infinitas, principalmente depois
de um dia cansativo de trabalho, chegar em casa e encontrar uma
mulher atacada é melhor ficar na rua, percebo alguns homens
reclamando quando eles preferem estar entre seus amigos do que
em casa, e percebo aqui o principal motivo, as mulheres tagarelas e
nervosas.
É redundante eu dizer que eles amam ser recebidos por uma
mulher cheirosa, calma e carinhosa, se tiver algo para eles comerem
então, nossa, é a perfeição!
Agradar seu marido nem é tão complicado assim não é mesmo?
COMO ENTENDER OS HOMENS?

Eles são criados e cobrados para serem fortes, trabalhar,


proteger sua mulher, desde a irmã mais nova até sua mãe, o dever
de prover, de proteger, de estar no comando, então aí vai a dica: Ele
precisa ao menos acreditar que é ele quem manda no pedaço, eles
precisam se empoderar disto, entenda que faz parte da constituição
masculina, se você inflar o ego dele, conseguirá tê-lo aos seus pés,
não tente ser a mandona, ou querer 'bater' de frente, aja com a
inteligência, com jeitinho e paciência, você conseguirá tudo que
deseja.
Homem é feito de EGO + Testosterona, ou seja, Eu +
hormônios, então ele precisa deste lugar, de poder, de comando, por
natureza, colabore com isso, elogiando seu homem, dando-lhe este
lugar que ele espera ter ao seu lado, quando uma homem percebe
que a mulher conhece todas as fragilidades dele, ele se afasta ou se
fecha, pois o homem é um caçador por natureza e não gosta de ser
caçado, ele sente-se confortável nesta posição não tente inverter,
não será nada produtivo.
Homens são seres muito simples, diretos e práticos, gostam de
praticidade, de ir direto ao ponto, não curtem DR´s - (discutir a
relação), não gostam de falatórios, nem assimilam tantas
informações ao mesmo tempo, então evite ao máximo longos
"despejos" e reclamações, quando você tiver algo para falar aguarde
o momento certo, e fale pontualmente e diretamente sem rodeios e
de forma bem simples, sem elaborações. Fale e acabou, não se
prolongue, pois os primeiros 5 minutos ele te ouvirá, os demais
apenas fará uma leitura labial sem nenhuma compreensão do que
está sendo dito!
Entenda de uma vez por todas, eles têm uma caixinha do 'nada',
e de vez enquanto estão dentro dela, isolados, com seus próprios
pensamentos, quietinhos lá, não se incomode com isso, é
absolutamente parte da essência masculina.

A Síndrome de Peter Pan

Gostaria de falar sobre uma coisa que vem atrapalhando muitos


casais, a Síndrome de Peter Pan, mas vocês irão se questionar,
Peter Pan não é mesmo aquele personagem de filme infantil? É sim,
isso mesmo! O próprio! Mas o que isso tem a ver com meu
relacionamento?
Muita coisa, se você convive com um, como identificar? A
síndrome de Peter Pan se caracteriza, portanto, pela imaturidade em
certos aspectos (psicológicos, sociais, problemas sexuais), além de
apresentar comportamentos narcisistas, de dependência,
irresponsabilidade, rebeldia, etc. Acima de tudo, são homens que
temem a solidão, o abandono e o fracasso. São crianças crescidas,
meninões. Porém, no quesito relacionamento amoroso não se
esforçam para fazer sua parte, como um casal maduro e estável.
A pessoa acometida pela síndrome se recusa a amadurecer,
possuindo hábitos e comportamentos infantis, são homens-meninos,
incapazes de proteger, cuidar, levar a sério um relacionamento,
retornando a estágios de relações superficiais de posicionamento
maduro, portanto são regredidos e imaturos.
É muito fácil reconhecer alguém com síndrome, geralmente
estão habituados a não tomarem decisões, estabelecem padrões de
comunicação ineficazes, principalmente quando precisam tomar
posicionamento, esperam ser entendidos pelos demais, não
costumam se fixar em algum vínculo empregatício, geralmente têm
lazeres em jogos e vídeos games, ou se fixam em padrões de
repetição de comportamentos infantilizados.
Também existe o oposto, quando ocorre na mulher, chamada
Complexo de Wendy, se caracteriza pela grande necessidade de ser
aceita, vivem prisioneiras do medo do abandono e da rejeição,
mulheres que manifestam uma preocupação excessiva pelo bem
estar do outro, acompanhada de sentimentos de medo à rejeição e
insegurança contínua.
Essas mulheres entram numa relação como a figura maternal,
ao invés da figura de esposa, favorecendo assim, a imaturidade
masculina, ou a conhecida síndrome de Peter Pan. Ou seja, uma
mulher com esta característica acaba por dar espaço ao homem com
o complexo de Peter Pan.

Para eles: Como você têm se saído como marido?

O homem amigo, companheiro, atencioso que ela se casou não


existe mais? Está sempre indisponível, cheio de prioridades que não
são a sua esposa.
Sua mulher é viúva de marido vivo? Ela pode contar com você
para cuidar da casa, dos filhos, das coisas de vocês? Afinal é um
espaço dos dois, apesar de muitos homens acharem que a casa é
da mulher, ela quem precisa dar conta de tudo, como se não
morasse nela. E dos filhos? vejo muitas mães reclamarem da
sobrecarga de tarefas que envolvem os filhos, vejo muitos maridos
se isentando também desses papéis, como se os filhos fossem
apenas das mães, não custa nada partilhar das tarefas dos filhos,
ela não os fez sozinha.
Ela te convida para sair, você está cansado, não a leva em um
cinema, para jantar, na casa de alguns amigos, nada, vida social
para ela já era... Mas a sua continua, seja na partida de futebol com
os amigos, no churrasco da empresa, no happy hour com a galera
do escritório, cuidado com o egocentrismo, pensar só em você em
uma relação não é legal!
Preste mais atenção a isto, as mulheres precisam de atenção,
elogios, carinho, mimos, momentos de lazer, assim como você, mas
quem não dá, não recebe… E assim abre caminho a insatisfação e
amargura dessa mulher.

Para eles: Como funciona a cabeça feminina?

A fala sério, que eu vou escrever sobre isso, mas não era segredo
eterno entre nós mulheres? Mas vou dar essa forcinha para os
rapazes, afinal se compraram este livro eles estão empenhados em
serem melhores para nós! Então vou dar essa forcinha.
O homem conseguiu grandes feitos para humanidade, como ir
a lua, descobrir o átomo, construiu pontes, algumas obras incríveis,
mas até hoje considera a mente feminina um verdadeiro mistério.
Mulheres são por natureza seres maternais, gostam de cuidar,
são sentimentais, precisam se sentir queridas, desejadas, amadas,
confortadas e algumas vezes também precisam se sentir protegidas
e cuidadas por quem amamos, queremos isso a todo tempo, mesmo
quando estamos nos descabelando dentro de uma discussão.
Mulheres são inundadas por hormônios talvez esta seja a maior
diferença entre nós e os homens, pois estes hormônios fazem oscilar
nosso humor, nosso desejo, nosso comportamento, enfim, fazem
uma bagunça infinita em nós! Sejam pacientes!
Compreenda se um dia estivermos doce, noutro amarga, um dia
nervosa, noutro triste, ou até mesmo chorando "a toa", não se
frustrem tudo isso é normal, basta que tenham paciência, uma dose
de carinho e atenção e tudo ficará bem.
Um conselho eu gostaria de dar: muito cuidado com o sexo
feminino, não temos nada de frágil, você deverá olhar sua parceira
com igualdade, caminhando juntos e construindo juntos, terá uma
guerreira ao lado, dispostas a enfrentar o mundo a seu lado, basta
que a valorize, para uma guerra necessitam-se de 100 homens e
para construir uma família basta uma mulher, lembre-se sempre
disso!
Entender a cabeça feminina é simples, estamos sempre
esperando que vocês adivinhem o que queremos, ha ha ha, não é
brincadeira não, estou sendo muito sincera, porque no fundo somos
românticas e imaginamos que nosso par nos conheça bem,
colocamos a emoção e os sentimentos acima de tudo, não somos
práticas como vocês, fazer o que? É como somos! E viva as
diferenças!

Principais diferenças entre homens e mulheres

Adivinhe quais são as diferenças entre o cérebro feminino e o


masculino? Somos praticamente iguais, digo praticamente pois a
diferença é apenas de 1%, segundo os cientistas, mas esse um por
cento é apontado como o responsável pelas diferenças entre o
nosso jeito de ser e o deles, é o que mais nos interessa.
Os rapazes são diferentes nas atitudes e na comunicação, eles
entendem o mundo de forma mais prática e simples que nós, e por
isso agem diferente de nós.
As mulheres têm memória mais apurada para detalhes
emocionais, como as datas especiais, cheiros, gostos, palavras, e
eles registram as informações simples e objetivas, como: fatos,
imagens e competição.
As mulheres pensam em sexo uma vez por dia, os homens
pensam em sexo a todo momento, acha grosseiro quando um
homem conversa com você de olho no seu decote ao invés de olhar
em seus olhos? Saiba que isso é puro instinto, eles têm duas vezes
mais lugar no cérebro para sentimentos sexuais e contam com de
dez a 100 vezes mais testosterona, hormônio que abastece a
vontade de transar.
Nós mulheres somos mais auditivas, precisamos de nos sentir
queridas e desejadas pelo par, para nós sexo está ligado à emoção
e sentimento.
Nós temos a percepção mais refinada, logo notamos se alguém
está triste enquanto os homens não captam a tristeza facilmente,
dificilmente reparam quando alguém está triste, e o que fazer para
que um homem perceba nossa tristeza ou mágoa, pode parecer
dramático, mas o jeito é chorar de verdade, o hábito de se debulhar
em lágrimas é o único sinal de tristeza que chama a atenção deles.
Nas mulheres o olfato é super apurado, e ainda ficam mais
aguçados nos dias que antecedem a ovulação, a fim de facilitar a
mãe natureza, nos tornam quase que uma máquina de identificação
de cheiros, neles o olfato não distinguem aromas tão bem quanto em
nós, que muitas vezes ligamos o cheiro a situações inesquecíveis.
As mulheres conseguem perceber quando a relação vai mal,
como se possuem uma espécie de alerta que sinaliza problemas nos
relacionamentos, bem antes deles, 75% dos divórcios são pedidos
pelas mulheres. Os homens possuem mais dificuldade de interpretar
estes sinais. Em contrapartida são bem menos ansiosos que as
mulheres, que algumas vezes por conta da ansiedade tendem
enxergar problemas onde não existem.
Sendo as mulheres mais sensíveis por natureza, sofrem, se
descabelam, choram, ficam depressivas quando uma relação acaba,
demonstram os sentimentos mais que os homens, contudo, não quer
dizer que eles não sofram também, eles apenas reagem de outra
forma, já que são mais racionais do que emocionais, sentem
calados!
AMOR é importante para você?

E o SEXO? Você faz? Gosta? Faz do jeito que queria? Na frequência


que queria? Tem sido prazeroso no seu casamento?
É comum que no dia a dia super corrido o sexo acabe em
segundo plano na vida a dois, muitas horas fora de casa trabalhando,
muito trânsito, stress da vida moderna, filhos, contas e até o cansaço
físico mesmo, podem atrapalhar o sexo.
Mas quando a frequência do sexo no casamento torna-se motivo
de preocupação, culpa e cobranças, é hora de perceber que
devemos fazer alguma coisa para mudar, a insatisfação sexual abre
precedentes para fragilizar o vínculo conjugal, uma vez que sexo faz
parte das necessidades básicas do ser humanos, assim como
dormir, comer e beber, então merece atenção redobrada, uma vida
sexual saudável é importante para o equilíbrio do casamento e até
mesmo da nossa saúde.
Existe, claro, dentro de uma relação espaço para não querer transar,
não estamos no pique, mas passar longos períodos de 'seca' sinaliza
que algo, não vai bem entre vocês, precisam conversar sobre o que
está acontecendo, de forma clara e honesta, entendendo o ponto de
partida, se é a rotina, a perda do desejo, os filhos, a falta de tempo,
o cansaço, existem várias razões para o afastamento sexual,
importante conhecer o real motivo para recuperá-lo. Não existe uma
quantidade definida como 'boa' ou 'ruim'... dentro de um
relacionamento, mas em média os casais brasileiros transam três
vezes por semana, podendo com o passar dos anos dentro da
mesma relação esse número cair para uma vez, isso são dados
estatísticos, apenas.

Como estão seus hormônios?


O "sal" da vida feminina, sem eles com certeza você não seria
uma mulher, como estão os seus? Tem feito exames regularmente?
Muitas mulheres experimentam falta de desejo, e nem
suspeitam dos verdadeiros vilões: os hormônios, sim estes
danadinhos são capazes de nos tornar muito diferentes.
É claro que fatores psicológicos e orgânicos, servem de
combustível para acender a vontade de transar na mulher, sentir se
desejada por exemplo.
O principal responsável é o estrogênio e em segundo lugar a
testosterona, sim, as mulheres também produzem testosterona nos
ovários e nas glândulas suprarrenais, claro que em quantidades
menores que os homens, já que eles produzem cerca de cem vezes
mais testosterona que nós, mas se estes hormônios estiverem
desregulado poderá por gelo entre os lençóis, ui!! Bate na madeira!
Os estrogênios podem alterar também a gordura
corporal tipicamente feminina.

TPM

Nervosismo, raiva, ansiedade, irritabilidade, baixa autoestima,


depressão, distúrbios do sono e aumento de conflitos interpessoais
são alguns dos sintomas da tensão pré-menstrual, pesquisas
recentes mostram que a TPM está mais relacionada à transmissão
de substâncias no plano cerebral. Existem
medicamentos que controlam , caso você tenha uma TPM muito
severa é bom tomar.
Consulte seu médico e peça uma avaliação de como estão seus
hormônios, isso poderá fazer bastante diferença na sua qualidade
de vida.
Algumas dicas fundamentais que devem fazer parte da vida
saudável da mulher são:

Procurar fazer exercícios físicos para manter um corpo


saudável;
Manter um cuidado com a pele, os cabelos, as unhas, para se
manter jovem e bonita, os hormônios e alimentação podem
influenciar nisso também;

Ter uma alimentação saudável que previne deficiências


nutricionais e protege contra doenças infecciosas, evite fazer dietas
rigorosas e privativas de certas vitaminas;

Fazer consultas periódicas ao seu médico, para manter sua


saúde íntima em dia, evitando fadigas, stress, e outras doenças;

Cuide de sua saúde física e mental, mantendo assim sua


qualidade de vida em dia.

Você é boa de cama?

O autoconhecimento sexual é fundamental

Uma mulher que conhece o próprio corpo, que sabe o que fazer
para ter mais prazer sexual pode transformar o sexo em algo muito
mais prazeroso, tanto para ela quanto para o parceiro. A consciência
do seu próprio corpo, a deixará mais segura e apta a fazer novas
descobertas junto com o par.
Não são todos os homens ficam preocupados em saber se a
mulher tem ou não experiência sexual, tampouco se elas têm
conhecimento sobre o tema, então cuide disso pessoalmente, um
dos grandes erros das mulheres é por nas costas do homem a
obrigação de satisfazê-las, amigas, quando você se conhece, saberá
o que te dá prazer, como tocar, onde tocar, em que tempo, enfim,
não delegue ao outro a responsabilidade de te fazer feliz nesta área
sozinho, pois nosso corpo para muitos homens é uma máquina
bastante complexa, facilite a vida dele e a sua!

Atitudes das mulheres boas de cama

1. Aceitar e propor loucuras:


Não é nada fácil se manter interessado em algo que é repetitivo,
tedioso, sexo não pode virar rotina, nem cair na mesmice, empenhe-
se em mudar isso!
Homens gostam de mulheres abertas a novidades e que
também proponham novidades, na cama não vale tabu, nada de ficar
reprimida ou cheia de medos.
Sugestões não faltam: comece pelas posições sexuais,
existem muitas, acrescente-as ao seu repertório na cama, aprenda
uma dança sensual, faça um strip-tease, compre brinquedos
eróticos, géis, roupinhas sexys...

As duas partes participam da boa transa, então, para inovar, é


preciso ter um parceiro que a estimule, não a repreenda. E vale
lembrar meninos: não adianta só “cobrar” sexo anal, o homem
precisa ser cuidadoso para que a experiência seja bacana para a
mulher também, quando você conseguir deixá-la louca, ela pedirá, a
mulher não gosta muito que isso seja premeditado, tipo: Vamos pra
cama agora e eu vou comer seu.. c**

2. Caprichar no sexo oral:


Eles amam sexo oral mais que futebol!!! Não ter vergonha é
essencial, procure usar as mãos, a língua, seja delicada nada de
dentes, a quem diga que um sexo oral na hora certa ganha qualquer
partida contra esse homem, acordá-lo com sexo oral, sexo oral
inesperado então, amiga, nem te conto é melhor que qualquer santo
milagreiro em seu favor.
Um homem cheiroso é muito mais convidativo para o

sexo oral, cuide bem da sua higiene íntima, não é só lavar bem,
precisa secar bem também, os homens tem uma mania de não secar
bem as partes íntimas e isso pode ocasionar doença. Outro detalhe
importante é o excesso de pêlos, ideal é depilar, seja com gilete, cera
fria, cremes depilatórios, sem pelos, sem odores.

As mulheres também amam sexo oral, use e abuse, sendo


assim dediquem-se sem pressa, para elas muita calma nesta hora,
quanto mais delicado você for, melhor será, sem movimentos
bruscos, sem dente, de preferência sem pelos afiados...

Meninas, cuidem bem da sua higiene íntima, não é só


lavar bem, precisa secar bem também, existem sabonetes líquidos
feitos especialmente para essa região, adquira um. Outro detalhe
importante é o excesso de pêlos, ideal é depilar, seja com gilete, cera
fria ou quente, nós aguentamos, cremes depilatórios, sem pelos,
sem odores.
3. Pode falar umas coisinhas durante o sexo, transar com
uma muda é muito frio, sussurre no ouvido dele o quanto gosta do
membro dele, fale bobagens, os homens adoram ouvir você
ofegante, excita muito mais eles, algumas palavras picantes para
animar o momento. Não existe vulgaridade entre quatro paredes.
Só fica vulgar quando for feito em público. Mas use essa dica com
moderação: mulher tagarela é broxante, eles dizem.

Meninos: Vocês gostam de ouvir besteirinhas, mas algumas de


nós não... principalmente se for xingamentos na cama. É um limite

que precisa ser respeitado e conversado com a parceira sobre aquilo

que ela gosta e do que não gosta, mas lembre-se que forçar a barra

pode arruinar a noite.

4. Sem Vergonha

Os homens querem que as mulheres participem mais na hora


do sexo, querem saber se estão agradando, então não tenha
vergonha de falar, ou fazer algo que você queira. Ouvir esse retorno
da parceira ainda durante o ato sexual, ajuda saber se está
agradando, se está no caminho certo, se ela está gostando, eles
gostam de saber se estão agradando.
A boa de cama não tem vergonha de falar, pedir, perguntar, gemer e
gritar. Pegar a mão e direcionar o local certo que deseja ser tocada,
se mostre, lembre do que eu já disse, homem é extremamente
visual, acende na hora!
Em suma, a mulher boa de cama, gosta de sexo, está sempre
disposta, tem a iniciativa de transar, nem sempre espera pelo seu
parceiro, e eles gostam disso.
O um item de sobrevivência, tão importante como se alimentar,
ou saciar a sede, é necessário a vida saudável, qualidade de vida,
saúde e da relação, ideal que seja de forma espontânea, sem medo
de expor sua pessoa e seus sentimentos.
Muito importante que você goste e valorize seu corpo como ele
é, importante que conheça seus gostos, não se importa em transar
de luz acesa, ou durante a luz do dia, não se submete a bloqueios
bobos, tipo: estrias, celulites, padrões de beleza, magreza ou
gordura, nada disso é impedimento, quando um homem está com
você é porque quer você! Seja segura disto, homem gosta de carne,
de ter onde pegar, gosta de curvas, não se enquadre em padrões
sociais, esteja bonita para você mesma em primeiro lugar!
Agora quero falar de cuidados práticos com a relação:

O segredo é a Dosificação... Saber dosar... Digamos assim, ter


um relacionamento Baunilha (relacionamento estável), sem picos de
estresse, ciúmes, brigas.. Com picos de Chocolate (surpresas e
coisas boas)... Assim sendo, superando problemas diários, evitando
discussões bobas e desgastantes, conquistando a lealdade e
cumplicidade, buscando o ponto de equilíbrio para a relação, que
passa muito pelo autoconhecimento e pelo conhecimento do outro,
isso acaba sendo adquirido com o tempo mesmo.
Nunca deixar o véu do segredo cair, intimidade demais não faz bem,
usar o banheiro perto do par, futucar espinhas, cortar as unhas do
pé, tem coisas que temos que fazer sozinhas, precisamos ter nosso
"Jardim Secreto", quando nos abrimos demais, nos tornamos
vulneráveis, sim, mesmo dentro de uma relação a dois, existem
coisas que só pertencem a você e vice e versa!
Cumplicidade é preservarem mutuamente o casal, não falar de
problemas a terceiros; geralmente curiosos, que pouco ou nada
ajudarão. Pode ser que eu já tenha falado sobre isso, mas aqui quero
reforçar! Elogiar, presentear, agradecer, propiciar momentos
bacanas;
É possível, desde que os dois estejam engajados a isso!

Dicas sobre alguns cuidados práticos:

Faça da sua casa um lar, um lar contém paz, harmonia, silêncio


e muito aconchego, seja na decoração, na limpeza, na organização
e no ambiente como um todo;
Arrume muito bem sua casa, cuidando de pequenos detalhes,
como tapetes, almofadas, espelhos, enfeites, flores, até o cheiro,
existem muitas essências à venda, que eu costumo chamar de
‘perfume de casa’, eles podem ser usados dentro de armários,
closets, despensas, sofás, camas, nos tapetes, nas cortinas e onde
mais você desejar, dê um toque muito especial a sua casa;
Capriche na limpeza, deste as teias de aranha, as gavetas,
armários, lustres, enfim, aquela organização verdadeira que dá um
outro aspecto a casa, mesmo que você tenha empregada, é bom
saber como faz, afinal quem não sabe fazer não sabe das as ordens;
Arrume seu quarto como um ninho de amor, uma cama bem
forrada, com uma colcha bonita, travesseiros perfumados, tudo bem
macio, boas cortinas que escureçam de verdade o ambiente, enfeite
com fotos bem bonitas de vocês dois, em momentos felizes, adquira
uma malinha secreta com brinquedinhos de adultos, adquiridos em
um sexy shop, crie um ambiente que ele tenha vontade de ficar;
Prepare o banheiro para o seu par, deixe uma toalha limpa
dobrada com um bilhetinho para ele, desejando-lhe um banho
refrescante e relaxante, com um "eu te amo" no final do bilhete,
coloque também a roupa de dormir e o chinelo;
Prepare um jantar especial, ponha uma mesa bonita, caprichada
nos mínimos detalhes, coloque flores, toalha bonita e utensílios
bonitos;
Cuide das coisas dele, arrume bem as roupas e sapatos dele,
deixe tudo organizado por cor, coloque em gavetas separadas
cuecas e meias e em caixas separadas relógios, óculos , gravatas e
outras coisas que seu marido costuma usar, são nos pequenos
detalhes que notamos o amor do outro por nós;
Faça massagem no seu par, especialmente após um dia
estressante, com um óleo perfumado, você marcará muitos pontos
a seu favor!
Procure separar um tempo para tomarem café da manhã ou almoçar
juntos, segure nas mãos dele por um segundo e não fale sobre
problemas, apenas coisas amenas;
Se seu marido tem um hobby procure aprender sobre isso, tente
acompanha-lo, por exemplo, se ele gosta de pedalar, nadar, surfar,
voar de para pente, escalar ou jogar futebol, vá prestigiá-lo,
assistindo ele fazer, faça junto se possível;
Crie um clima para um filminho a dois, mesmo que seja na sala
da sua casa, prepare o ambiente bem gostoso para isto;
Espere ele com uma mesa de queijos e vinhos, ou aquela
cerveja importada e alguns petiscos, vista uma lingerie bacana por
baixo da roupa e o provoque;
Espero que aproveite algumas destas dicas e que elas se
desdobrem em mais criatividade para você e que você persista, é
possível ter uma relação feliz e saudável, basta se empenhar e estar
disposta a trabalhar para isso.
Na época de aniversário de casamento mande flores em
agradecimento ao amor de vocês, escreva algo especial;
No aniversário do par, grave um vídeo de depoimentos de
pessoas queridas, prepare uma comemoração surpresa!
Adote o uso de bilhetinhos recortados em formato de coração
com mensagens positivas, seja de amor, de trabalho, de fé ou
amizade, deixe nas coisas dele.

*Todas as dicas aqui podem ser adequadas a sua realidade


e ao seu bolso, use sua criatividade e imaginação!

Amar e permanecer amando…

Você sabe diferenciar paixão de amor? Digamos que apaixonar-


se é cair em amores por alguém e amar é permanecer neste estado,
mas o amor, ah o amor dá trabalho, exige muita dedicação,
determinação, humildade, maturidade, coragem, disciplina e
disposição!
Os seres humanos necessitam de amor para se manterem
vivos, seja o amor materno, o amor fraterno, amor romântico, amor
erótico e o principal e mais importante, o amor próprio.
Mas o grande desafio é amar, em uma era em que vivemos é a
era da liquidez, esse é o diagnóstico feito por Zygmunt Bauman o
homem pós-moderno, tudo é fluido, rápido, instantâneo, os laços são
frágeis, temporários, incertos tão velozes quanto às notícias, ou a
rede social, agora é uma coisa o minuto seguinte outra.
De acordo com psicanalista Erich Fromm, o amor pode ser visto de
duas formas: uma união simbiótica, por necessidade, como uma
mãe e o bebê ou psíquica, onde mesmo estando em corpos
independentes, eles estão ligados psicologicamente; e o amor
amadurecido, seria o amor ideal, onde mesmo unidos, cada um
preservam suas integridades próprias, suas vidas, sua parte ativa na
relação.
Mas existem ainda as relações onde o amor é entendido de
forma equivocada e não produtiva, onde as pessoas temem a perda
do outro, isso é posse, não é amor, apesar de muito confundido, mas
esse medo é doloroso e a ilusão de ter alguém é fantasiosa, pois não
podemos ter ninguém, cada um pertence a si próprio, onde existir
este padrão de funcionamento o relacionamento estará fadado ao
fracasso.
Está bem, você já compreendeu bem essa explicação sobre o
amor, mas como mantê-lo?
Simples: cuidar é a chave! Cuidar e deixar livre, interessante não
é mesmo? Pois o amor não sobrevive a amarras, se degenera se
possuir cadeados, trancas e correntes.
Manter o diálogo, pois como já falei e preciso reforçar, uma
relação não se sustenta sem ele, até a intimidade é afetada, não há
tesão que resista à degeneração da comunicação.

Uma última consideração

Uma última consideração: Lute pelo seu casamento, mesmo


que seu par demore entender o qual é a verdadeira importância do
casamento, vocês se casaram, fizeram um voto, uma promessa, não
foi uma encenação, foi um compromisso sério firmado na presença
de um Juiz, padre, pastor, família, testemunhas, enfim, não foi algo
feito para ser destruído por pedras que encontraram em seus
caminhos. Esta aliança, esse elo, essa corrente, é inquebrável, não
importa o quanto estejam magoados, machucados ou feridos, o que
devem levar em consideração é o perdão!!
Não se divorciem em nenhuma circunstância, por ninguém, por
nenhuma briga, lembre-se casamento não é um só e sim dois em
um! Um casamento deve ir além das crises, além dos tropeços, dos
egos, dos filhos, da família, da interferência alheia, é passar prova
diária, ter dias bons, outros nem tanto, se fosse fácil não teria graça,
é difícil mesmo, dá trabalho, mas vale a pena ter com quem contar,
não estar sozinho, ter com quem dividir a vida, a solidão é muito
pesada, muito triste.

Os casais passam por crises, ficam magoados, machucados ou


feridos, o que devem levar em consideração é o perdão!!
Todo casamento tem seu momento de luto. Mas, o grande
desafio está aí, em superar estas crises e vencer em prol da família
e do amor que os uniu... André de Araújo Campos

A Lenda:
Existia uma aldeia, bem antiga e longe daqui, onde existiam
regras próprias e todos deveriam seguir estas regras…
E nela uma mulher vivia infeliz no casamento, era um
casamento cheio de brigas, de discussões, onde o homem não a
tratava bem, enfim, e esta mulher já estava cansada, mas ela não
podia se separar deste homem, pois na aldeia, a regra para isso era
clara: Não existe separação! Pois bem, ela resolveu que o marido
então, deveria morrer!
Foi até o feiticeiro da aldeia e conversou com ele e pediu a ajuda
dele para acabar com a vida do marido, o feiticeiro então, foi lá em
um porão e trouxe um pacote de ‘veneno’ de um quilo, ensinou que
ela deveria dar apenas um pouquinho por dia, numa bebida
qualquer, mas ele advertiu a mulher que seria necessário que ela
fizesse uma mudança total com este homem, passando a tratá-lo
bem, para que não houvessem desconfianças dela quando ele
partisse.
Ok! Ela disse, e assim seguiu para casa, passando dia após dia
fazendo, sucos, mingaus, chás, vitaminas, sobremesas, e outras
coisas que pudesse ‘envenenar’ para servir o marido, paralelo a isto,
passou a tratá-lo bem...muito bem!
Chegando a metade do saco com o ‘veneno’, ela começou a se
reapaixonar por este marido, pois notou ele muito diferente com ela,
bateu o desespero e ela correu ao feiticeiro novamente, pedindo um
antídoto para combater o ‘veneno’ que havia passado tempos dando
ao marido, pois era apenas um pouquinho por dia.
O sábio feiticeiro, disse para ela, volte sossegada mulher, aquilo
não era um veneno, era apenas uma vitamina, volte e viva em paz
com seu marido.
Moral da história: Quando mudamos o outro muda também, é
uma consequência.
CASOS REAIS

Olá gente. Preciso desabafar. Estou casada a 12 anos. Tenho 3 filhos


com esta pessoa. Mas após 5 anos de relacionamento descobri a
primeira traição dessa pessoa. Na primeira traição estava de
resguardo do meu primeiro filho. Ele pediu perdão, perdoei e
continuamos juntos depois de um tempo outras traições. Os
relacionamentos extraconjugais eram coisas frequentes, ele conhecia
a mulher saia uma vez, depois ia pra outra e outras. Minha reação
inicial foi me calar, pensar no que fazer, o tratava com indiferença,
mas não dizia o que estava sabendo. Cheguei a adoecer
psicologicamente, coloquei rastreador no celular dele, seguia ele de
carro. E nunca consegui pegar nada. Sabia que as traições existiam
por causa do rastreador do celular. Via mensagens. Fotos de nudes.
Tudo que vocês imaginarem. E sempre calada. No contrário ele
sempre me tratando bem, sempre presente e atencioso, super
carinhoso e um pai perfeito. Sempre trabalhei, mas ele também
sempre presente no seu papel financeiro. Fiquei levando tudo aquilo
achando que um dia, tudo mudaria. Ele muito romântico. Não
conseguia acreditar no tamanho mal caráter que ele era. Ficava me
perguntando, onde eu estava errando, para ele procurar mulheres
fora do casamento. Comecei a criar coisas inusitadas sexualmente
falando. O tratava com maior atenção e carinho. E nada dele mudar.
Pelo contrário. Começou a achar que eu estava com alguém fora do
casamento. Quando meu filho estava com 5 anos engravidei
novamente e pra completar de gêmeos. E dessa vez ele arrumou uma
amante fixa e amiga de trabalho. Tive uma gravidez difícil ele sempre
ao meu lado, mas com ela, e sempre negando. Passamos 1 ano e
pouco nesse triângulo amoroso. No dia
16/10/2016 ele foi embora de casa. Pois eu fui procurá- la, não fiz
escândalo, mas foi o necessário para ele fazer um teatro e dizer que,
por eu não confiar mais nele era melhor separar. Ainda conseguiu sair
como vítima. As pessoas que me rodeiam não nos querem ver juntos,
dizem que eu mereço algo melhor. Alguém com caráter. Sei de tudo
isso. Sei que mereço alguém do Bem. Sei que ele mente
descaradamente. Mas não consigo me curar dessa doença. O livro o
aproximou novamente, veio atrás pediu perdão, assumiu que estava
com a fulana. Que foi fraco. Mas pasmem, ele está se relacionando
com uma mulher casada além da fulana (que depois de pedir perdão
sei que ainda estão juntos). Em um desse momento que esteve em
minha casa para pedir perdão, acabou chegando uma mensagem no
zap durante um momento que ele estava com as crianças e eu curiosa
abri. Li não falei nada. Ele se despediu, disse que me amava e se foi.
Eu não consigo mais acreditar em uma mudança de alguém assim.
Alguém com experiência em relacionamentos, acha que ainda vale a
pena tentar? Que tipo de postura devo tomar?

RESPOSTA:
Querida leitora, pelo seu relato percebemos que as traições são
recorrentes, traições recorrentes me suscita desvio de caráter, como
você mesma disse, que ele não possui, e isso é uma compulsão, mas
no primeiro episódio onde relata que você sempre se calou,
infelizmente acabou por reforçar o comportamento negativo do
seu marido, você não deveria ter se calado, pois o entendimento
que ele teve é de que você simplesmente ‘aceita’ digamos assim,
nesse caso de rompimento do contrato conjugal, precisam ter
uma conversa franca e descobrir sim, os reais motivos dele em
fazer isto, e como você mencionou que ele passou todo casamento
traindo e mesmo após seu último perdão ele ainda faz, você precisa
avaliar junto com ele o que leva ele a fazer isso e se te ama de
verdade não para em definitivo com isso.Boa sorte!

Estou divorciada há mais de 1 ano porém minha vida continua de


pernas pro ar! Falida de todas as formas, como esposa, como mãe ,
como arrimo de família, como mulher e como
profissional/economicamente. Namoramos 2 anos e ficamos casados
por mais 3. no início tudo eram flores... Tão gentil, tão simpático, tão
afetuoso,, prestativo.... Já tinha uma filha de 3 anos (produção
independente), já havia desistido de casar,,estava desiludida e achei
que o melhor seria ser mãe... Então veio minha filha linda mais velha
agora com 9 anos! Ela também se encantou por ele, era atencioso,
ficava com ela até que dormisse, deitava-se no chão para contar
histórias para ela, ensinou-a a rezar... Brincava com ela e enfim
acabaram se adotando como pai e filha por afetividade. Quando
casamos, ele queria muito outro filho, para ficar um par ou um casal.
sou 10 anos mais velha que ele....Estava com 38 anos ... Poderia
acontecer... Então decidimos que iríamos parar com os
anticoncepcionais e preservativos e ver o que aconteceria...
Engravidei 1 mês após o casamento! Desde este dia ele mudou, ficou
frio, distante, trabalhávamos eu médica, ele enfermeiro... Perto dos
outros me tratava muito bem, a dois, tinha carinho sim mas não era o
mesmo...Achei que fosse pela gravidez...Deixei pra lá! Quando o
caçula nasceu então nosso casamento despencou morro abaixo.
Muito difícil explicar, eu tive depressão pós parto, olhava para ele e
chorava, chorava,voltei a trabalhar 2meses e meio após o nascimento
do Francisco... ele diz que fez coisas por mim que eu não me lembro
....Realmente não me lembro, o que vi foram um monte de papéis na
minha frente para assinar para comprar casa, carro (não tínhamos
dinheiro, mas uma vida confortável, eu preferia esperar mais um
pouco juntar um dinheiro maior para não precisar fazer
financiamentos tão grandes, pagar umas contas pendentes que seria
fácil se ele não tivesse tido aquele surto de sair comprando o mundo,
minha licença maternidade cobria as contas da casa bem, depois
desse compra - compra e as contas chegando e o mês não fechando
ele entrou em depressão, e a única alternativa que tive foi sair da
minha licença maternidade e voltar ao trabalho. Toda endividada, sem
saber de onde eu iria tirar forças para pagar aquilo tudo, casa,carro,
auxiliar do lar, faxineira, babá, caseiro, reforma da casa... A medida
que as coisas foram desenrolando ele fazia cada vez mais maus
negócios sem me perguntar, piorando nossa situação financeira e
nosso relacionamento. dizem que o dinheiro sai pela porta e o amor
pela janela... Em abril ele teve um surto desesperado para conseguir
dinheiro para pagar umas contas imediatas e eu não tinha de onde
tirar, já estava trabalhando uma média de 80 a 96 hs por semana, já
não aguentava mais, 3 a 4 plantões noturnos por semana os demais
diurnos hospitalares ou consultório....Dinheiro entrava e escorria pelo
ralo e cada dia ele me tratava pior. brigas gritos xingamentos, entrou
em depressão, não saia do quarto, dormia o dia inteiro, teve o
diagnóstico de bipolaridade com tendência a depressão, quando ele
levantava da cama era irritado briguento saia para "arranjar " dinheiro
que mais tarde eu iria saber que era mais uma dívida. eu o amava
tanto .... Mas será que ele me amava? Será que foi um golpe ou ele
não deu conta do tranco mesmo e teve um surto bipolar, depois fiquei
sabendo de histórias anteriores dele de absenteísmo ao trabalho,
mudanças de humor repentinas, coisas que levavam a pensar q ele
poderia já saber e nao ter me contado. Mãe bipolar... Foi muito sofrido,
eu trabalhava dia e noite, mal via meus meninos, tinha que colocar
gente 24 hs por dia para ficar com as crianças ´porque não poderia
confiar na sanidade mental dele. Afastou-se do trabalho pelo INSS ...
Me senti traída, sugada, abusada, enganada, cobrava dele o trabalho,
o esforço para o tratamento correto, levava ele a vários psiquiatras
nenhum servia, queria que o mantivesse afastado do trabalho, os
psiquiatras falavam que eram 2 anos de tratamento no mínimo para
fazer efeito, mas naquele lar infernal, 1 mês de tratamento já parecia
1 ano! Completava 3 meses de tratamento, começava a melhorar ele
punha defeito no remédio e trocava, e de novo, e de novo e de novo.
Os tais 2 anos nunca teriam fim. Trancou-se em casa e queria que
nós ficássemos lá também, não ia a casa de amigos, dos pais, não
deixava ninguém entrar lá, só os funcionários porque aí poderia sair ,
dormir, sumir... Mas sempre que eu chegava em casa ele estava lá!
As crianças faziam festa, eu morta de cansaço, explicando que
precisava de um banho, comer e dar atenção a eles tadinhos , ele
entendiam... No meu rastro meu ex me seguia e começavam as
críticas infinitas, todos os problemas com a empregada, as babás, eu
não fazia nada direito, porque eu não liguei, porque eu não fiz, porque
eu não falei porque, eu não comi, porque eu não fiz qualquer coisa?
Começava as brigas horrorosas eu cansada, exausta, me sentindo
uma escrava e ele de feitor.... Eu chorava, tomava antidepressivos e
dormia o máximo que pudesse para fugir dele e de mim porque ele
nunca estava disposto a conversar! Sempre que eu tentava
amigavelmente conversar, pedir desculpas por uma má resposta,
tentar resolver uma situação em bons termos acabava em briga e
quanto mais eu tentava pior ficava....E não via meus filhos e dormia
chorando porque o amava muito, saudade do homem com quem me
casei...Então um dia eu percebi medo nos olhos dos meus filhos, vi
minha filha sempre tão alegre, cruzando os bracinhos e olhando para
ele sem saber o que fazer, e ele ou no tablet ou atendendo ao irmão
mais novo que tinha aprendido a gritar, a provocar a irmã para
conseguir a atenção dele, para que ele acordasse, para que saísse
daquele tablet ou da tv e lhe desse um pouco de atenção! Muito triste
... Minha filha isolada no canto...
Neste dia acabou meu casamento. perguntei a ele o q estava
acontecendo ali. Ele disse: a Clara é o problema, a culpa é sempre
dela, o Francisco não faz nada.... Um menino de 2 anos e meio nao
faz nada? Fui argumentar e ele soltou a bomba final.... Ela é muito
parecida com você! Por isso brigo tanto com ela! Como assim? Ela é
inteligente, amorosa, carinhosa,estudiosa, procurei um advogado e
em 15 dias saiu a separação de corpos e o litígio. Hoje ele diz que eu
o trai! Não trai, por muitas vezes disse a ele que o deixaria, que não
iria conseguir viver daquele jeito por muito mais tempo... Mas como
tudo que eu escrevi até agora, ele não sabia de nada, nunca tinha
feito nada errado, . O divórcio acabou se convertendo em amigável,
saiu tudo rápido. mas com muita mágoa, dor e desgaste de todos nós.
Não sei se quero voltar para ele, nem sei se ele quer (já está
namorando - traz a moça aqui na porta da casa dos meus pais onde
estou morando para pegar Francisco. Porque Clara não deixo mais,
perdi a confiança, a violência psicológica a que eu e meus filhos fomos
submetidos foi muito grande! Mas pensei ... Se pudéssemos começar
de novo de um outro jeito...Teria dado certo? Onde eu errei? Onde
ele errou? Como convencê-lo? Como convencer minha família e
amigos que viram todo esse tsunami? Se até hoje ainda temos altos
e baixos e o relacionamento que temos por causa do Francisco
sempre por um fio...... Pelo menos poderia conseguir uma amizade,
conseguir conversar, curar as feridas, lidar melhor com ele em
benefício de das duas crianças.....Vale a pena? Eu ainda amo o
homem com o qual me casei e que vejo renascer quando está longe
de mim... Estou muito cansada de tudo, buscando toda forma de ajuda
para me refazer...Grata pelo ombro amigo!

RESPOSTA:
Querida leitora, seu caso teria sido muito mais fácil de resolver se
tivesse logo no início buscado ajuda médica e terapêutica, digo isto,
porque uma não resolveria sem a outra, deveria tomar a medicação
certa e terapia, pois seu marido é uma pessoa com transtorno bipolar
- transtorno do humor, que fazem oscilações entre a mania e a
depressão, não é mania de hábito não, é mania de maníaco - uma
fase da doença, caracterizada pela alegria sem motivo, compulsão
por compras, geralmente a pessoa quando está nesta fase da doença
se mete em dívidas, quando alterna para fase depressiva se
arrepende do que comprou.
Geralmente o paciente na fase maníaca, se sente bem, eufórico e
jamais buscaria ajuda, só buscam ajuda na fase depressiva, e aqui
está o maior erro em tratamento destas doenças, pois o médico avalia
o paciente na fase depressiva (que é quando ele está mais suscetível
a buscar ajuda) e não percebe que é alternada a fase maníaca e
prescreve remédios apenas para esta fase, não resolvendo o
problema.
A bipolaridade é uma doença séria e sem cura, que enreda toda
família e ciclo de convivência do portador, a bipolaridade tem este
nome pois a pessoa transita por dois pólos, o maníaco e o depressivo,
A causa ou as causas ainda são desconhecidas, as estudos apontam
diversas vertentes, como peculiaridades biológicas, ou seja no
cérebro, um desequilíbrio nos neurotransmissores, hormônios,
histórico familiar, até causas genéticas podem ser apontadas como
causa, fatores de estresse, abuso sexual e outros traumas podem
estar relacionadas ao desencadeamento da doença.
É muito difícil conviver com um doente bipolar, justamente por nem
eles saberem quem eles são ou querem, mas se considerarem a
possibilidade de um tratamento levado a sério e disposição para
mudança é possível que consigam passar esta história a limpo, e
desta vez você mantendo controle lúcido sobre as finanças do casal,
onde nasceram os problemas, por conta da doença! Boa sorte!

Minha história se assemelha a de muitos aqui. Meu marido saiu de


casa há exatos 5 meses. Quando nosso filho tinha apenas 5 meses
de vida. Estávamos juntos há 11 anos e casados há 1 ano e meio.
Depois que nosso filho tão planejado e desejado nasceu...Acabei de
dedicando demais a maternidade e nos afastamos. Eu tinha
dificuldades em manter relação com ele... Sentia dores..Minha libido
sumiu.. .Foi horrível pra nós. Com os hormônios a flor da pele me
estressava com tudo... Ele chegou a conclusão que não estava feliz
e que eu deixei de cuidar dele...E então saiu de casa. Chorei,implorei
pra ele voltar... O que não ocorreu. Um mês depois descobri que ele
está namorando com a prima dele... Mulher que seria madrinha do
meu filho.. Uma cobra que me enganou friamente! Hoje ele está cego
por ela e diz que não me ama mais. Não desisti do meu casamento e
tenho lutado. Eu o amo demais mas não sei o que fazer!

RESPOSTA:
Em primeiro lugar peço que entenda que o funcionamento da
maternidade não é dada para os homens quanto para as mulheres, e
as mulheres quando se tornam mães, acabam por focando muito
mesmo nos filhotes, esquecendo-se do resto, do marido, da casa,
dela como mulher - sexuada - e aí isolados os homens se tornam
carentes, esta prima pode ter percebido esta carência e resolvido
partir para cima, sim, concordo que ela não foi sua amiga.
Pergunta básica, você o quer de volta certo? Sim … Mas está fazendo
diferente do que fez? Foi ao médico, para reajuste da prolactina? Só
assim seus hormônios e sua libido voltará, quando engravidamos e
amamentamos nosso corpo é invadido por este hormônio, ele
despenca com a libido mesmo. Alguns homens seguram bem a onda,
quando são inseridos neste ninho mãe e bebê, mas quando se
sentem meio de ‘ fora’ digamos assim, acabam por achar que se a
mulher se distanciou é porque não amam mais… Comece por as
mãos na massa, vá ao seu médico, fale sobre esse problema da
libido, cuide de sua aparência, cuide para ele encontrá-la de modo
diferente quando for visitar o filho, esteja linda, perfumada, sexuada,
elogie ele, envie mensagens mostrando que está com desejo por ele,
faça-o notar que seu desejo voltou, afinal o que ele foi buscar fora, foi
apenas isto, está iludido com a ‘novidade’ do sexo que não estava
tendo, apenas isto! Conquiste ele novamente, como se fossem
namorados, leia o livro novo com as dicas de como proceder. Boa
sorte!!

Boa noite, recebi meu livro estou lendo mas vou relatar um pouco da
minha história. Sou casada a 12 anos, tenho um filho de 3. Em 2009
foi quando aconteceu a primeira traição, daí levamos mais de um ano
vivendo por viver, sai de férias e vim para Bahia visitar a minha família,
ele ficou em Vinhedo, aí dormia na casa da amante quase todas as
noites pois ela era nossa vizinha. Aí depois ele conseguiu terminar
com ela. Passaram cerca de 3 anos, em 2015 ele se envolveu com a
chefe dele, resolvemos abrir mão do nossos trabalho em Vinhedo
para salvar a nossa família, uma vez que ele disse que se continuasse
na empresa não conseguir se livrar da mulher. No final de 2015
viemos para a Bahia, chegando aqui o plano dele era deixar eu e
nosso filho e voltar para ela, mas ele não conseguiu, segundo ele, não
saberia viver longe de.mim e do filho, mas foi uma tortura porque ela
ligava para ele sempre é se falavam pelo whats, se não bastasse tudo
isso, ele se envolveu com uma mulher na cidade onde estamos
morando e tem sido muito difícil superar tudo isso. Quando me lembro
que abri mão do meu trabalho, da minha vida, até o meu carro tivemos
que vender, ou seja começamos do zero e ele ainda se envolveu com
outra aqui, mentiu para ela dizendo que estávamos separados há
mais de um ano, que eu morava em outra cidade. Mandei ele sair de
casa várias vezes, ele disse que não sabe viver longe de mim e do
filho. Mas tem uma situação que me machuca muito, é porque ele diz
não ter mais nada com mulher nenhuma mas, continua batendo papo
com elas pelo Watts. Isso me machuca muito. Não consigo confiar.

RESPOSTA:

Querida leitora, você precisa ter uma conversa muito franca com seu
esposo, nesta conversa procure saber o que ele busca nestas
mulheres, o que ele acha que você deveria mudar/melhorar, se inclua
no processo de mudança que você pedirá que ele tenha, coloque suas
condições, fale firmemente que precisa de um basta nestas traições,
ou caso contrário você irá cuidar de si, fale sobre troca de lugares, se
ele gostaria que você passasse traí-lo também, os homens traem,
mas têm verdadeiro pavor de ser traídos, mas você deverá ser firme
e decidida nesta conversa. Pois infelizmente ele entrou neste padrão
de funcionamento por de certo modo foi lhe ‘permitido’ e ‘perdoado’,
por exemplo, você ter ido para Bahia na primeira traição foi totalmente
errado, você deixou ‘livre’ o espaço da outra, essa atitude sua não foi
eficaz, e por que você diz … ele conseguiu terminar….ele conseguiu
se livrar…. como assim?? Ele é casado, não pode agir como solteiro!
E com esse comprometimento e com essa autoridade de esposa que
você vai convidá-lo a solucionar esta situação, usando as alegações
dele, que não consegue ficar longe de você e do filho! Boa sorte!
Tenho 3 anos e 2 meses de casada, sou louca por ele, amo demais,
mas já vai fazer um tempo que ele mudou comigo, nós éramos loucos
um pelo o outro, sempre estávamos juntos em tudo, felizes e muito
bem. Só que tudo isso mudou do dia pra noite… Agora é tudo do jeito
dele, saímos só quando ele quer e pra onde ele quer, toda semana
ele chega duas, três, vezes tarde da noite em casa, sai todos os dia
e quando chego do serviço ele nunca está, pelo contrário, sai antes
de eu chegar só pra não me ver, diversas vezes o procurei para
termos relação e ele diz q está cansado ou que não quer… Acho que
ele perdeu o desejo em mim ... Desde quando estamos juntos ele já
fez tanta coisa comigo e eu sempre dizendo que é só uma fase que
vai passar mas já estou cansada! Ele sai de uma fase e entra em
outra, não sei mais o que fazer ,o respeito completamente, o amo
demais já fui até capaz de ajoelhar em seus pés pedindo que
continuasse comigo. Quase todas as noites vou dormir chorando e
pedindo que ele mude e que ele volte a ser o homem que
conheci...Me ajude não sei o q fazer!

RESPOSTA:
Querida leitora, seu marido parece ter perdido o interesse por você,
percebi de cara em seu breve relato um grande erro: “fui capaz de me
ajoelhar e pedir que continuasse comigo” - isso você nunca deveria
ter feito, a colocou num lugar inferior a ele, devemos sempre estar em
igualdade, uma vez que você fez isso, você se sub julgou à ele, e
acredite amiga, um homem precisa de ter o medo da perda, caso
contrário ele continuará fazendo o que bem entende, chegando tarde,
saindo sem você etc… Você precisa urgentemente mudar seu
comportamento, aqui no livro no texto - tornando se interessante - tem
as dicas, você precisará cuidar de você, do seu jardim secreto,
tornando se uma mulher diferente do que vem sendo, experimente
inclusive sair com suas amigas também, não procurá-lo, não pedir que
saia com você, não fazer cobranças, enfim, dar a ele um pouco do
desprezo que ele vem te dando, por um tempo, pois ele sentindo na
pele o que tem feito com você, fará o efeito espelho, para que ele se
veja, e perceba o que tem feito com você. E você também não vai
pedir mais que ele mude, chorar, implorar, você vai se ocupar com
você e ter a serenidade de esperar.
Em algum momento ele vai dizer ou perceber que está diferente, e aí
é a hora de você convidá-lo a ter uma conversa franca e estabelecer
os acordos conjugais que estão rompidos, mas dessa vez ele precisa
notar menos dependência emocional da sua parte, isso só será
possível se você voltar o foco à você, cuidando se, ocupando se e
tornando-se interessante. Boa sorte!

Meu marido saiu de casa já tem quase 3 meses, estávamos


discutindo muito e após uma briga feia, ele se fechou e esperou que
eu fosse falar com ele, como ele sempre nunca dava o braço a torcer,
eu também não fui, estava muito triste e chateada. Após uma semana
ele saiu e foi para casa da mãe. Temos dois filhos, uma de 16 e outro
de 2 aninhos. Ele disse a minha filha que não dava mais que já tinha
feito tudo e que a única coisa que levou de bom do nosso casamento
de 17 anos foram eles dois. Está na casa da mãe e nos vemos de vez
em quando, ele me trata normalmente parece que não aconteceu
nada, quando saímos me dá a mão, às vezes esquece e me chama
de amor, fica bem a vontade em nossa casa, sempre que sai com a
gente pega a chave e dirige nosso carro, as vezes parece que está
tudo bem e que vai baixar a guarda, mas não posso me aproximar e
nem tocar no assunto de voltar pra casa, parece que só quer ser meu
amigo. Eu o amo muito e sinto muita falta dele e meus filhos são
loucos por ele. O que faço? Não sei como agir, pois quero muito que
volte para casa.

RESPOSTA:
Querida leitora, este homem saiu de casa, mas continua ligado a você
e a família, não se demore em ter uma conversa amorosa e generosa
com ele, ainda é tempo, o homem quando saí de casa e ainda a
frequenta não quer de verdade ir embora… ou não quis isto
verdadeiramente.
O que ele tem é orgulho ferido, nesta briga talvez você tenha dito algo
que o magoou, e agora que a raiva passou, dê o primeiro passo, o
convide para um momento a sós e abra seu coração, peça desculpas,
diga o quanto o ama, o quanto ele é importante para a família, que o
quer de volta em casa, enfim, pergunte o que vocês juntos podem
fazer para melhorar o casamento de vocês. Você vai conseguir! Boa
sorte!
Referências Bibliográficas:
BAUMAN, Zygmunt. Amor Líquido - Sobre a Fragilidade dos laços

humanos. Trad. de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar,

2004.

.Medo Líquido. Trad. de Carlos

Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

.Tempos Líquidos. Trad. de Carlos

Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

.Vida Líquida. Trad. de Carlos Alberto

Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

FROMM, Erich. A Arte de Amar. Trad. de Eduardo Brandão. São

Paulo: Martins Fontes, 2000.

GARDNER, R. A. (1998). The Parental Alienação Syndrome (A

Síndrome de Alienação Parental), Segunda Edição, Cresskill, NJ: Creative

Therapeutics, Inc

HAGGE, Renata. A Família em conflito no âmbito da Justiça.


JusBrasil. Publicado em: 11 mai. 2016. Disponível em:
<http://renatahaggepsi.jusbrasil.com.br/artigos/235212997/a-familia-
emconflito-no-ambito-da-justica>. Acesso em: 27 dez. 2016

IBGE. Estatística do Registro Civil – 2010. Disponível em:

<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/registrocivil/2010/

rc2010.pdf>. Acesso em: 27 dez. 2016.

SANTOS, Eduardo Ferreira. Ciúme: o lado amargo do amor. São

Paulo, SP: Editora Gente, 2000