Você está na página 1de 288

ro

ca d o
E d u 7 An
o

t al

o
en
am

d
nd

la
Fu
o
sin
En

n u a
M a m át i c
e
a

at
kar
as
Bh

M M
a rce
lo

SSE_ME_Matematica_7A_001a002.indd 1 18/04/2018 07:41


O conteúdo deste livro está adequado à proposta
da BNCC, conforme a Resolução nº 2, de 22 de
dezembro de 2017, do Ministério da Educação.

Matemática Direção de Arte


7o ano do Ensino Fundamental Vitoriano Júnior

Marcelo Bhaskara Assessoria pedagógica


Alexandre Lima
Editor Almir Serpa
Lécio Cordeiro Rubem Uchôa
Ricardo Jorge Ribeiro dos Anjos
Revisão de texto
Departamento Editorial Coordenação editorial
Distribuidora de Edições Pedagógicas Ltda.
Projeto gráfico, editoração eletrônica, Rua Joana Francisca de Azevedo, 142 – Mustardinha
iconografia, infografia e ilustrações Recife – Pernambuco – CEP: 50760-310
Allegro Digital Fone: (81) 3205-3333
CNPJ: 09.960.790/0001-21 – IE: 0016094-67
Capa
Gabriella Correia/Nathália Sacchelli/ Fizeram-se todos os esforços para localizar os detentores dos
Sophia karla direitos dos textos contidos neste livro. A Distribuidora de Edições
Foto: Svetography997I/shutterstock.com Pedagógicas pede desculpas se houve alguma omissão e, em
edições futuras, terá prazer em incluir quaisquer créditos faltantes.

Para fins didáticos, os textos contidos neste livro receberam,


sempre que oportuno e sem prejudicar seu sentido original,
uma nova pontuação.

As palavras destacadas de amarelo ao longo do livro sofreram


modificações com o novo Acordo Ortográfico.

ISBN: 978-85-7797-930-1
Reprodução proibida. Art. 184 do Código Penal e
Lei no 9.610, de 19 de fevereiro de 1998.

Impresso no Brasil

SSE_ME_Matematica_7A_001a002.indd 2 18/04/2018 07:41


A área de Matemática
O conhecimento matemático é necessário para todos os alunos matemática, como aspecto que favorece o desenvolvimento do
da Educação Básica, seja por sua grande aplicação na sociedade raciocínio lógico e crítico, estimula a investigação e pode ser pra-
contemporânea, seja pelas suas potencialidades na formação de ci- zeroso (fruição).
dadãos críticos, cientes de suas responsabilidades sociais. O desenvolvimento dessas habilidades está intrinsecamente
A Matemática não se restringe apenas à quantificação de fe- relacionado a algumas formas de organização da aprendizagem
nômenos determinísticos – contagem, medição de objetos, gran- matemática, com base na análise de situações da vida cotidiana,
dezas – e das técnicas de cálculo com os números e com as de outras áreas do conhecimento e da própria Matemática. Os
grandezas, pois também estuda a incerteza proveniente de fenô- processos matemáticos de resolução de problemas, de investi-
menos de caráter aleatório. A Matemática cria sistemas abstratos, gação, de desenvolvimento de projetos e da modelagem podem
que organizam e inter-relacionam fenômenos do espaço, do mo- ser citados como formas privilegiadas da atividade matemática,
vimento, das formas e dos números, associados ou não a fenôme- motivo pelo qual são, ao mesmo tempo, objeto e estratégia para
nos do mundo físico. Esses sistemas contêm ideias e objetos que a aprendizagem ao longo de todo o Ensino Fundamental. Esses
são fundamentais para a compreensão de fenômenos, a constru- processos de aprendizagem são potencialmente ricos para o de-
ção de representações significativas e argumentações consisten- senvolvimento de competências fundamentais para o letramento
tes nos mais variados contextos. matemático (raciocínio, representação, comunicação e argumen-
Apesar de a Matemática ser, por excelência, uma ciência hipo- tação) e para o desenvolvimento do pensamento computacional.
tético-dedutiva, porque suas demonstrações se apoiam sobre um Considerando esses pressupostos, e em articulação com as
sistema de axiomas e postulados, é de fundamental importância competências gerais da BNCC, a área de Matemática e, por con-
também considerar o papel heurístico das experimentações na sequência, o componente curricular de Matemática devem garan-
aprendizagem da Matemática. tir aos alunos o desenvolvimento de competências específicas.
No Ensino Fundamental, essa área, por meio da articulação
de seus diversos campos – Aritmética, Álgebra, Geometria, Esta-
tística e Probabilidade, precisa garantir que os alunos relacionem
Competências específicas
observações empíricas do mundo real a representações (tabelas, de Matemática para o
figuras e esquemas) e associem essas representações a uma ativi-
dade matemática (conceitos e propriedades), fazendo induções e Ensino Fundamental
conjecturas. Assim, espera-se que eles desenvolvam a capacida-
de de identificar oportunidades de utilização da matemática para
resolver problemas, aplicando conceitos, procedimentos e resul-
tados para obter soluções e interpretá-las segundo os contextos
1. Reconhecer que a Matemática é uma ciência humana,
fruto das necessidades e preocupações de diferentes
culturas, em diferentes momentos históricos, e é uma ciên-
das situações. A dedução de algumas propriedades e a verifica- cia viva, que contribui para solucionar problemas científicos
ção de conjecturas, a partir de outras, podem ser estimuladas, so- e tecnológicos e para alicerçar descobertas e construções,
bretudo ao final do Ensino Fundamental. inclusive com impactos no mundo do trabalho.
O Ensino Fundamental deve ter compromisso com o desen-
volvimento do letramento matemático1, definido como as com-
petências e habilidades de raciocinar, representar, comunicar e
2. Desenvolver o raciocínio lógico, o espírito de investi-
gação e a capacidade de produzir argumentos con-
vincentes, recorrendo aos conhecimentos matemáticos
argumentar matematicamente, de modo a favorecer o estabeleci- para compreender e atuar no mundo.
mento de conjecturas, a formulação e a resolução de problemas
em uma variedade de contextos, utilizando conceitos, procedi-
mentos, fatos e ferramentas matemáticas. É também o letramen-
3. Compreender as relações entre conceitos e procedi-
mentos dos diferentes campos da Matemática (Arit-
mética, Álgebra, Geometria, Estatística e Probabilidade)
to matemático que assegura aos alunos reconhecer que os co- e de outras áreas do conhecimento, sentindo segurança
nhecimentos matemáticos são fundamentais para a compreensão quanto à própria capacidade de construir e aplicar conheci-
e a atuação no mundo e perceber o caráter de jogo intelectual da mentos matemáticos, desenvolvendo a autoestima e a per-
severança na busca de soluções.

4. Fazer observações sistemáticas de aspectos quantita-


1
Segundo a Matriz do Pisa 2012, o “letramento matemático é a capacidade
individual de formular, empregar e interpretar a matemática em uma variedade
de contextos. Isso inclui raciocinar matematicamente e utilizar conceitos, tivos e qualitativos presentes nas práticas sociais e cul-
procedimentos, fatos e ferramentas matemáticas para descrever, explicar e turais, de modo a investigar, organizar, representar e comu-
predizer fenômenos. Isso auxilia os indivíduos a reconhecer o papel que a
matemática exerce no mundo e para que cidadãos construtivos, engajados e nicar informações relevantes, para interpretá-las e avaliá-las
reflexivos possam fazer julgamentos bem fundamentados e tomar as decisões
necessárias.”. Disponível em:
crítica e eticamente, produzindo argumentos convincentes.
< h t t p : / / d o w n l o a d . i n e p . g o v. b r / a c o e s _ i n t e r n a c i o n a i s / p i s a / m a rc o s _
referenciais/2013/matriz_avaliacao_matematica.pdf>. Acesso em: 23 mar. 2017.
5. Utilizar processos e ferramentas matemáticas, inclu-
sive tecnologias digitais disponíveis, para modelar e

III

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 3 29/05/2018 12:01:45


resolver problemas cotidianos, sociais e de outras áreas de a essa temática é de que os alunos resolvam problemas com núme-
conhecimento, validando estratégias e resultados. ros naturais e números racionais cuja representação decimal é fini-

6. Enfrentar situações-problema em múltiplos contextos,


incluindo-se situações imaginadas, não diretamente
relacionadas com o aspecto prático-utilitário, expressar suas
ta, envolvendo diferentes significados das operações, argumentem
e justifiquem os procedimentos utilizados para a resolução e avaliem
a plausibilidade dos resultados encontrados. No tocante aos cálcu-
respostas e sintetizar conclusões, utilizando diferentes regis- los, espera-se que os alunos desenvolvam diferentes estratégias para
tros e linguagens (gráficos, tabelas, esquemas, além de texto a obtenção dos resultados, sobretudo por estimativa e cálculo men-
escrito na língua materna e outras linguagens para descrever tal, além de algoritmos e uso de calculadoras.
algoritmos, como fluxogramas, e dados). Nessa fase espera-se também o desenvolvimento de habilidades

7. Desenvolver e/ou discutir projetos que abordem, so-


bretudo, questões de urgência social, com base em
princípios éticos, democráticos, sustentáveis e solidários,
no que se refere à leitura, escrita e ordenação de números naturais e
números racionais por meio da identificação e compreensão de ca-
racterísticas do sistema de numeração decimal, sobretudo o valor
valorizando a diversidade de opiniões de indivíduos e de posicional dos algarismos. Na perspectiva de que os alunos aprofun-
grupos sociais, sem preconceitos de qualquer natureza. dem a noção de número, é importante colocá-los diante de tarefas,

8. Interagir com seus pares de forma cooperativa, traba-


lhando coletivamente no planejamento e desenvolvi-
mento de pesquisas para responder a questionamentos e
como as que envolvem medições, nas quais os números naturais não
são suficientes para resolvê-las, indicando a necessidade dos núme-
ros racionais tanto na representação decimal quanto na fracionária.
na busca de soluções para problemas, de modo a identifi- Com referência ao Ensino Fundamental – Anos Finais, a expecta-
car aspectos consensuais ou não na discussão de uma de- tiva é a de que os alunos resolvam problemas com números naturais,
terminada questão, respeitando o modo de pensar dos co- inteiros e racionais, envolvendo as operações fundamentais, com seus
legas e aprendendo com eles. diferentes significados, e utilizando estratégias diversas, com com-
preensão dos processos neles envolvidos. Para que aprofundem a
noção de número, é importante colocá-los diante de problemas, so-
Matemática bretudo os geométricos, nos quais os números racionais não são sufi-
cientes para resolvê-los, de modo que eles reconheçam a necessidade
Com base nos recentes documentos curriculares brasileiros, a de outros números: os irracionais. Os alunos devem dominar também
BNCC leva em conta que os diferentes campos que compõem a o cálculo de porcentagem, porcentagem de porcentagem, juros, des-
Matemática reúnem um conjunto de ideias fundamentais que pro- contos e acréscimos, incluindo o uso de tecnologias digitais.
duzem articulações entre eles: equivalência, ordem, proporcionali- No tocante a esse tema, espera-se que saibam reconhecer, com-
dade, interdependência, representação, variação e aproximação. Es- parar e ordenar números reais, com apoio da relação desses nú-
sas ideias fundamentais são importantes para o desenvolvimento do meros com pontos na reta numérica. Cabe ainda destacar que o
pensamento matemático dos alunos e devem se converter, na esco- desenvolvimento do pensamento numérico não se completa, evi-
la, em objetos de conhecimento. A proporcionalidade, por exemplo, dentemente, apenas com objetos de estudos descritos na unidade
deve estar presente no estudo de: operações com os números na- Números. Esse pensamento é ampliado e aprofundado quando se
turais; representação fracionária dos números racionais; áreas; fun- discutem situações que envolvem conteúdos das demais unidades
ções; probabilidade etc. Além disso, essa noção também se eviden- temáticas: Álgebra, Geometria, Grandezas e medidas e Probabilida-
cia em muitas ações cotidianas e de outras áreas do conhecimento, de e estatística.
como vendas e trocas mercantis, balanços químicos, representações Outro aspecto a ser considerado nessa unidade temática é o es-
gráficas etc. tudo de conceitos básicos de economia e finanças, visando à edu-
Nessa direção, a BNCC propõe cinco unidades temáticas, cor- cação financeira dos alunos. Assim, podem ser discutidos assuntos
relacionadas, que orientam a formulação de habilidades a ser desen- como taxas de juros, inflação, aplicações financeiras (rentabilidade
volvidas ao longo do Ensino Fundamental. Cada uma delas pode re- e liquidez de um investimento) e impostos. Essa unidade temática
ceber ênfase diferente, a depender do ano de escolarização. favorece um estudo interdisciplinar envolvendo as dimensões cultu-
A unidade temática Números tem como finalidade desenvolver rais, sociais, políticas e psicológicas, além da econômica, sobre as
o pensamento numérico, que implica o conhecimento de maneiras questões do consumo, trabalho e dinheiro. É possível, por exemplo,
de quantificar atributos de objetos e de julgar e interpretar argumen- desenvolver um projeto com a História, visando ao estudo do dinhei-
tos baseados em quantidades. No processo da construção da noção ro e sua função na sociedade, da relação entre dinheiro e tempo,
de número, os alunos precisam desenvolver, entre outras, as ideias dos impostos em sociedades diversas, do consumo em diferentes
de aproximação, proporcionalidade, equivalência e ordem, noções momentos históricos, incluindo estratégias atuais de marketing. Es-
fundamentais da Matemática. Para essa construção, é importante sas questões, além de promover o desenvolvimento de competên-
propor, por meio de situações significativas, sucessivas ampliações cias pessoais e sociais dos alunos, podem se constituir em excelentes
dos campos numéricos. No estudo desses campos numéricos, de- contextos para as aplicações dos conceitos da Matemática Financei-
vem ser enfatizados registros, usos, significados e operações. ra e também proporcionar contextos para ampliar e aprofundar es-
No Ensino Fundamental – Anos Iniciais, a expectativa em relação ses conceitos.

IV

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 4 29/05/2018 12:01:45


A unidade temática Álgebra, por sua vez, tem como finalidade o contribuir para o desenvolvimento do pensamento computacional
desenvolvimento de um tipo especial de pensamento — pensamen- dos alunos, tendo em vista que eles precisam ser capazes de tradu-
to algébrico — que é essencial para utilizar modelos matemáticos na zir uma situação dada em outras linguagens, como transformar situa-
compreensão, representação e análise de relações quantitativas de ções-problema, apresentadas em língua materna, em fórmulas, ta-
grandezas e, também, de situações e estruturas matemáticas, fazen- belas e gráficos e vice-versa.
do uso de letras e outros símbolos. Para esse desenvolvimento, é ne- Associado ao pensamento computacional, cumpre salientar a
cessário que os alunos identifiquem regularidades e padrões de se- importância dos algoritmos e de seus fluxogramas, que podem ser
quências numéricas e não numéricas, estabeleçam leis matemáticas objetos de estudo nas aulas de Matemática. Um algoritmo é uma se-
que expressem a relação de interdependência entre grandezas em quência finita de procedimentos que permite resolver um determi-
diferentes contextos, bem como criar, interpretar e transitar entre as nado problema. Assim, o algoritmo é a decomposição de um proce-
diversas representações gráficas e simbólicas, para resolver proble- dimento complexo em suas partes mais simples, relacionando-as e
mas por meio de equações e inequações, com compreensão dos ordenando-as, e pode ser representado graficamente por um fluxo-
procedimentos utilizados. As ideias matemáticas fundamentais vin- grama. A linguagem algorítmica tem pontos em comum com a lin-
culadas a essa unidade são: equivalência, variação, interdependência guagem algébrica, sobretudo em relação ao conceito de variável.
e proporcionalidade. Em síntese, essa unidade temática deve enfati- Outra habilidade relativa à álgebra que mantém estreita relação com
zar o desenvolvimento de uma linguagem, o estabelecimento de ge- o pensamento computacional é a identificação de padrões para se
neralizações, a análise da interdependência de grandezas e a resolu- estabelecer generalizações, propriedades e algoritmos.
ção de problemas por meio de equações ou inequações. A Geometria envolve o estudo de um amplo conjunto de con-
Nessa perspectiva, é imprescindível que algumas dimensões do ceitos e procedimentos necessários para resolver problemas do
trabalho com a álgebra estejam presentes nos processos de ensino mundo físico e de diferentes áreas do conhecimento. Assim, nessa
e aprendizagem desde o Ensino Fundamental – Anos Iniciais, como unidade temática, estudar posição e deslocamentos no espaço, for-
as ideias de regularidade, generalização de padrões e propriedades mas e relações entre elementos de figuras planas e espaciais pode
da igualdade. No entanto, nessa fase, não se propõe o uso de le- desenvolver o pensamento geométrico dos alunos. Esse pensamen-
tras para expressar regularidades, por mais simples que sejam. A re- to é necessário para investigar propriedades, fazer conjecturas e pro-
lação dessa unidade temática com a de Números é bastante eviden- duzir argumentos geométricos convincentes. É importante, também,
te no trabalho com sequências (recursivas e repetitivas), seja na ação considerar o aspecto funcional que deve estar presente no estudo
de completar uma sequência com elementos ausentes, seja na cons- da Geometria: as transformações geométricas, sobretudo as sime-
trução de sequências segundo uma determinada regra de formação. trias. As ideias matemáticas fundamentais associadas a essa temática
A relação de equivalência pode ter seu início com atividades sim- são, principalmente, construção, representação e interdependência.
ples, envolvendo a igualdade, como reconhecer que se 2 + 3 = 5 e 5 No Ensino Fundamental – Anos Iniciais, espera-se que os alunos
= 4 + 1, então 2 + 3 = 4 + 1. Atividades como essa contribuem para identifiquem e estabeleçam pontos de referência para a localização
a compreensão de que o sinal de igualdade não é apenas a indica- e o deslocamento de objetos, construam representações de espa-
ção de uma operação a ser feita. A noção intuitiva de função pode ços conhecidos e estimem distâncias, usando, como suporte, mapas
ser explorada por meio da resolução de problemas envolvendo a va- (em papel, tablets ou smartphones), croquis e outras representações.
riação proporcional direta entre duas grandezas (sem utilizar a regra Em relação às formas, espera-se que os alunos indiquem caracterís-
de três), como: “Se com duas medidas de suco concentrado eu ob- ticas das formas geométricas tridimensionais e bidimensionais, as-
tenho três litros de refresco, quantas medidas desse suco concentra- sociem figuras espaciais a suas planificações e vice-versa. Espera-se,
do eu preciso para ter doze litros de refresco?”. também, que nomeiem e comparem polígonos, por meio de pro-
No Ensino Fundamental – Anos Finais, os estudos de Álgebra re- priedades relativas aos lados, vértices e ângulos. O estudo das sime-
tomam, aprofundam e ampliam o que foi trabalhado no Ensino Fun- trias deve ser iniciado por meio da manipulação de representações
damental – Anos Iniciais. Nessa fase, os alunos devem compreender de figuras geométricas planas em quadriculados ou no plano carte-
os diferentes significados das variáveis numéricas em uma expres- siano, e com recurso de softwares de geometria dinâmica.
são, estabelecer uma generalização de uma propriedade, investigar No Ensino Fundamental – Anos Finais, o ensino de Geometria
a regularidade de uma sequência numérica, indicar um valor desco- precisa ser visto como consolidação e ampliação das aprendizagens
nhecido em uma sentença algébrica e estabelecer a variação entre realizadas. Nessa etapa, devem ser enfatizadas também as tarefas
duas grandezas. É necessário, portanto, que os alunos estabeleçam que analisam e produzem transformações e ampliações/reduções
conexões entre variável e função e entre incógnita e equação. As téc- de figuras geométricas planas, identificando seus elementos varian-
nicas de resolução de equações e inequações, inclusive no plano car- tes e invariantes, de modo a desenvolver os conceitos de congruên-
tesiano, devem ser desenvolvidas como uma maneira de representar cia e semelhança. Esses conceitos devem ter destaque nessa fase do
e resolver determinados tipos de problema, e não como objetos de Ensino Fundamental, de modo que os alunos sejam capazes de re-
estudo em si mesmos. conhecer as condições necessárias e suficientes para obter triângu-
Outro aspecto a ser considerado é que a aprendizagem de Álge- los congruentes ou semelhantes e que saibam aplicar esse conhe-
bra, como também aquelas relacionadas a outros campos da Mate- cimento para realizar demonstrações simples, contribuindo para a
mática (Números, Geometria e Probabilidade e estatística), podem formação de um tipo de raciocínio importante para a Matemática,

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 5 29/05/2018 12:01:45


o raciocínio hipotético-dedutivo. Outro ponto a ser destacado é a -se que estabeleçam e utilizem relações entre essas grandezas e en-
aproximação da Álgebra com a Geometria, desde o início do estu- tre elas e grandezas não geométricas, para estudar grandezas deri-
do do plano cartesiano, por meio da geometria analítica. As ativida- vadas como densidade, velocidade, energia, potência, entre outras.
des envolvendo a ideia de coordenadas, já iniciadas no Ensino Fun- Nessa fase da escolaridade, os alunos devem determinar expressões
damental – Anos Iniciais, podem ser ampliadas para o contexto das de cálculo de áreas de quadriláteros, triângulos e círculos, e as de vo-
representações no plano cartesiano, como a representação de siste- lumes de prismas e de cilindros. Outro ponto a ser destacado refere-
mas de equações do 1º grau, articulando, para isso, conhecimentos -se à introdução de medidas de capacidade de armazenamento de
decorrentes da ampliação dos conjuntos numéricos e de suas repre- computadores como grandeza associada a demandas da sociedade
sentações na reta numérica. moderna. Nesse caso, é importante destacar o fato de que os prefi-
Assim, a Geometria não pode ficar reduzida a mera aplicação de xos utilizados para byte (quilo, mega, giga) não estão associados ao
fórmulas de cálculo de área e de volume nem a aplicações numéricas sistema de numeração decimal, de base 10, pois um quilobyte, por
imediatas de teoremas sobre relações de proporcionalidade em si- exemplo, corresponde a 1.024 bytes, e não a 1.000 bytes.
tuações relativas a feixes de retas paralelas cortadas por retas secan- A incerteza e o tratamento de dados são estudados na unida-
tes ou do teorema de Pitágoras. A equivalência de áreas, por exem- de temática Probabilidade e estatística. Ela propõe a abordagem
plo, já praticada há milhares de anos pelos mesopotâmios e gregos de conceitos, fatos e procedimentos presentes em muitas situações-
antigos sem utilizar fórmulas, permite transformar qualquer região -problema da vida cotidiana, das ciências e da tecnologia. Assim, to-
poligonal plana em um quadrado com mesma área (é o que os gre- dos os cidadãos precisam desenvolver habilidades para coletar, or-
gos chamavam “fazer a quadratura de uma figura”). Isso permite, in- ganizar, representar, interpretar e analisar dados em uma variedade
clusive, resolver geometricamente problemas que podem ser tradu- de contextos, de maneira a fazer julgamentos bem fundamentados e
zidos por uma equação do 2º grau. tomar as decisões adequadas. Isso inclui raciocinar e utilizar concei-
As medidas quantificam grandezas do mundo físico e são fun- tos, representações e índices estatísticos para descrever, explicar e
damentais para a compreensão da realidade. Assim, a unidade te- predizer fenômenos.
mática Grandezas e medidas, ao propor o estudo das medidas e Merece destaque o uso de tecnologias — como calculadoras,
das relações entre elas — ou seja, das relações métricas —, favo- para avaliar e comparar resultados, e planilhas eletrônicas, que aju-
rece a integração da Matemática a outras áreas de conhecimento, dam na construção de gráficos e nos cálculos das medidas de ten-
como Ciências (densidade, grandezas e escalas do Sistema Solar, dência central. A consulta a páginas de institutos de pesquisa —
energia elétrica etc.) ou Geografia (coordenadas geográficas, densi- como a do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
dade demográfica, escalas de mapas e guias etc.). Essa unidade te- — pode oferecer contextos potencialmente ricos não apenas para
mática contribui ainda para a consolidação e ampliação da noção de aprender conceitos e procedimentos estatísticos, mas também para
número, a aplicação de noções geométricas e a construção do pen- utilizá-los com o intuito de compreender a realidade.
samento algébrico. No que concerne ao estudo de noções de probabilidade, a fina-
No Ensino Fundamental – Anos Iniciais, a expectativa é que os lidade, no Ensino Fundamental – Anos Iniciais, é promover a com-
alunos reconheçam que medir é comparar uma grandeza com uma preensão de que nem todos os fenômenos são determinísticos. Para
unidade e expressar o resultado da comparação por meio de um isso, o início da proposta de trabalho com probabilidade está centra-
número. Além disso, devem resolver problemas oriundos de situa- do no desenvolvimento da noção de aleatoriedade, de modo que os
ções cotidianas que envolvem grandezas como comprimento, mas- alunos compreendam que há eventos certos, eventos impossíveis e
sa, tempo, temperatura, área (de triângulos e retângulos) e capacida- eventos prováveis. É muito comum que pessoas julguem impossíveis
de e volume (de sólidos formados por blocos retangulares), sem uso eventos que nunca viram acontecer. Nessa fase, é importante que os
de fórmulas, recorrendo, quando necessário, a transformações entre alunos verbalizem, em eventos que envolvem o acaso, os resultados
unidades de medida padronizadas mais usuais. Espera-se, também, que poderiam ter acontecido em oposição ao que realmente acon-
que resolvam problemas sobre situações de compra e venda e de- teceu, iniciando a construção do espaço amostral. No Ensino Fun-
senvolvam, por exemplo, atitudes éticas e responsáveis em relação damental – Anos Finais, o estudo deve ser ampliado e aprofunda-
ao consumo. Sugere-se que esse processo seja iniciado utilizando, do, por meio de atividades nas quais os alunos façam experimentos
preferencialmente, unidades não convencionais para fazer as com- aleatórios e simulações para confrontar os resultados obtidos com a
parações e medições, o que dá sentido à ação de medir, evitando a probabilidade teórica — probabilidade frequentista. A progressão
ênfase em procedimentos de transformação de unidades convencio- dos conhecimentos se faz pelo aprimoramento da capacidade de
nais. No entanto, é preciso considerar o contexto em que a escola se enumeração dos elementos do espaço amostral, que está associada,
encontra: em escolas de regiões agrícolas, por exemplo, as medidas também, aos problemas de contagem.
agrárias podem merecer maior atenção em sala de aula. Com relação à estatística, os primeiros passos envolvem o tra-
No Ensino Fundamental – Anos Finais, a expectativa é a de que balho com a coleta e a organização de dados de uma pesquisa de
os alunos reconheçam comprimento, área, volume e abertura de ân- interesse dos alunos. O planejamento de como fazer a pesquisa
gulo como grandezas associadas a figuras geométricas e que consi- ajuda a compreender o papel da estatística no cotidiano dos alu-
gam resolver problemas envolvendo essas grandezas com o uso de nos. Assim, a leitura, a interpretação e a construção de tabelas e
unidades de medida padronizadas mais usuais. Além disso, espera- gráficos têm papel fundamental, bem como a forma de produção

VI

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 6 29/05/2018 12:01:45


de texto escrito para a comunicação de dados, pois é preciso com- temática, como equivalência, ordem, proporcionalidade, varia-
preender que o texto deve sintetizar ou justificar as conclusões. No ção e interdependência.
Ensino Fundamental – Anos Finais, a expectativa é que os alunos Da mesma forma que na fase anterior, a aprendizagem em Ma-
saibam planejar e construir relatórios de pesquisas estatísticas des- temática no Ensino Fundamental – Anos Finais também está in-
critivas, incluindo medidas de tendência central e construção de ta- trinsecamente relacionada à apreensão de significados dos obje-
belas e diversos tipos de gráfico. Esse planejamento inclui a defi- tos matemáticos. Esses significados resultam das conexões que os
nição de questões relevantes e da população a ser pesquisada, a alunos estabelecem entre os objetos e seu cotidiano, entre eles e
decisão sobre a necessidade ou não de usar amostra e, quando for os diferentes temas matemáticos e, por fim, entre eles e os demais
o caso, a seleção de seus elementos por meio de uma adequada componentes curriculares. Nessa fase, precisa ser destacada a im-
técnica de amostragem. portância da comunicação em linguagem matemática com o uso
Cumpre destacar que os critérios de organização das habili- da linguagem simbólica, da representação e da argumentação.
dades na BNCC (com a explicitação dos objetos de conhecimen- Além dos diferentes recursos didáticos e materiais, como
to aos quais se relacionam e do agrupamento desses objetos em malhas quadriculadas, ábacos, jogos, calculadoras, planilhas
unidades temáticas) expressam um arranjo possível (dentre ou- eletrônicas e softwares de geometria dinâmica, é importante
tros). Portanto, os agrupamentos propostos não devem ser to- incluir a história da Matemática como recurso que pode des-
mados como modelo obrigatório para o desenho dos currículos. pertar interesse e representar um contexto significativo para
Essa divisão em unidades temáticas serve tão somente para facili- aprender e ensinar Matemática. Entretanto, esses recursos e
tar a compreensão dos conjuntos de habilidades e de como eles materiais precisam estar integrados a situações que propiciem
se inter-relacionam. Na elaboração dos currículos e das propostas a reflexão, contribuindo para a sistematização e a formalização
pedagógicas, devem ser enfatizadas as articulações das habilida- dos conceitos matemáticos.
des com as de outras áreas do conhecimento, entre as unidades A leitura dos objetos de conhecimento e das habilidades es-
temáticas e no interior de cada uma delas. senciais de cada ano nas cinco unidades temáticas permite uma
Na definição das habilidades, a progressão ano a ano se ba- visão das possíveis articulações entre as habilidades indicadas
seia na compreensão e utilização de novas ferramentas e também para as diferentes temáticas. Entretanto, recomenda-se que se
na complexidade das situações-problema propostas, cuja resolu- faça também uma leitura (vertical) de cada unidade temática, do
ção exige a execução de mais etapas ou noções de unidades te- 6º ao 9º ano, com a finalidade de identificar como foi estabele-
máticas distintas. Os problemas de contagem, por exemplo, devem, cida a progressão das habilidades. Essa maneira é conveniente
inicialmente, estar restritos àqueles cujas soluções podem ser obti- para comparar as habilidades de um dado tema a ser efetivadas
das pela descrição de todos os casos possíveis, mediante a utiliza- em um dado ano escolar com as aprendizagens propostas em
ção de esquemas ou diagramas, e, posteriormente, àqueles cuja re- anos anteriores também para reconhecer em que medida elas se
solução depende da aplicação dos princípios multiplicativo e aditivo articulam com as indicadas para os anos posteriores, tendo em
e do princípio da casa dos pombos. Outro exemplo é o da resolução vista que as noções matemáticas são retomadas ano a ano, com
de problemas envolvendo as operações fundamentais, utilizando ou ampliação e aprofundamento crescentes.
não a linguagem algébrica. Cumpre também considerar que, para a aprendizagem
de certo conceito ou procedimento, é fundamental haver um

Matemática no Ensino contexto significativo para os alunos, não necessariamente do


cotidiano, mas também de outras áreas do conhecimento e

Fundamental – anos da própria história da Matemática. No entanto, é necessário


que eles desenvolvam a capacidade de abstrair o contexto,
finais: unidades temáticas, apreendendo relações e significados, para aplicá-los em ou-
tros contextos. Para favorecer essa abstração, é importante
objetos de conhecimento e que os alunos reelaborem os problemas propostos após os te-
rem resolvido. Por esse motivo, nas diversas habilidades rela-
habilidades tivas à resolução de problemas, consta também a elaboração
de problemas. Assim, pretende-se que os alunos formulem
Para o desenvolvimento das habilidades previstas para o novos problemas, baseando-se na reflexão e no questiona-
Ensino Fundamental – Anos Finais, é imprescindível levar em mento sobre o que ocorreria se alguma condição fosse mo-
conta as experiências e os conhecimentos matemáticos já vi- dificada ou se algum dado fosse acrescentado ou retirado do
venciados pelos alunos, criando situações nas quais possam fa- problema proposto.
zer observações sistemáticas de aspectos quantitativos e qua- Além disso, nessa fase final do Ensino Fundamental, é impor-
litativos da realidade, estabelecendo inter-relações entre eles tante iniciar os alunos, gradativamente, na compreensão, análise
e desenvolvendo ideias mais complexas. Essas situações pre- e avaliação da argumentação matemática. Isso envolve a leitura
cisam articular múltiplos aspectos dos diferentes conteúdos, de textos matemáticos e o desenvolvimento do senso crítico em
visando ao desenvolvimento das ideias fundamentais da ma- relação à argumentação neles utilizada.

VII

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 7 29/05/2018 12:01:45


Matemática 6º ano
Unidades temáticas Objetos de conhecimento

Sistema de numeração decimal: características,


leitura, escrita e comparação de números naturais e de números racionais representados na for-
ma decimal

Operações (adição, subtração, multiplicação,


divisão e potenciação) com números naturais
Divisão euclidiana

Fluxograma para determinar a paridade de um número natural


Múltiplos e divisores de um número natural
Números primos e compostos

Números

Frações: significados (parte/todo, quociente),


equivalência, comparação, adição e subtração; cálculo da fração de um número natural; adição e
subtração de frações

Operações (adição, subtração, multiplicação, divisão e potenciação) com números racionais

Aproximação de números para múltiplos de potências de 10

Cálculo de porcentagens por meio de estratégias diversas, sem fazer uso da “regra de três”

Propriedades da igualdade

Algébra
Problemas que tratam da partição de um todo em duas partes desiguais, envolvendo razões entre
as partes e entre uma das partes e o todo

Plano cartesiano: associação dos vértices de um polígono a pares ordenados

Prismas e pirâmides: planificações e relações entre seus elementos (vértices, faces e arestas)
Geometria

Polígonos: classificações quanto ao número de vértices, às medidas de lados e ângulos e ao para-


lelismo e perpendicularismo dos lados

VIII

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 8 29/05/2018 12:01:45


Habilidades

(EF06MA01) Comparar, ordenar, ler e escrever números naturais e números racionais cuja representação decimal é finita, fazendo
uso da reta numérica.
(EF06MA02) Reconhecer o sistema de numeração decimal, como o que prevaleceu no mundo ocidental, e destacar semelhanças e
diferenças com outros sistemas, de modo a sistematizar suas principais características (base, valor posicional e função do zero), utili-
zando, inclusive, a composição e decomposição de números naturais e números racionais em sua representação decimal.

(EF06MA03) Resolver e elaborar problemas que envolvam cálculos (mentais ou escritos, exatos ou aproximados) com números natu-
rais, por meio de estratégias variadas, com compreensão dos processos neles envolvidos com e sem uso de calculadora.

(EF06MA04) Construir algoritmo em linguagem natural e representá-lo por fluxograma que indique a resolução de um problema
simples (por exemplo, se um número natural qualquer é par).
(EF06MA05) Classificar números naturais em primos e compostos, estabelecer relações entre números, expressas pelos termos “é
múltiplo de”, “é divisor de”, “é fator de”, e estabelecer, por meio de investigações, critérios de divisibilidade por 2, 3, 4, 5, 6, 8, 9,
10, 100 e 1000.
(EF06MA06) Resolver e elaborar problemas que envolvam as ideias de múltiplo e de divisor.

(EF06MA07) Compreender, comparar e ordenar frações associadas às ideias de partes de inteiros e resultado de divisão, identifican-
do frações equivalentes.
(EF06MA08) Reconhecer que os números racionais positivos podem ser expressos nas formas fracionária e decimal, estabelecer re-
lações entre essas representações, passando de uma representação para outra, e relacioná-los a pontos na reta numérica.
(EF06MA09) Resolver e elaborar problemas que envolvam o cálculo da fração de uma quantidade e cujo resultado seja um número
natural, com e sem uso de calculadora.
(EF06MA10) Resolver e elaborar problemas que envolvam adição ou subtração com números racionais positivos na representação
fracionária.

(EF06MA11) Resolver e elaborar problemas com números racionais positivos na representação decimal, envolvendo as quatro ope-
rações fundamentais e a potenciação, por meio de estratégias diversas, utilizando estimativas e arredondamentos para verificar a ra-
zoabilidade de respostas, com e sem uso de calculadora.

(EF06MA12) Fazer estimativas de quantidades e aproximar números para múltiplos da potência de 10 mais próxima.

(EF06MA13) Resolver e elaborar problemas que envolvam porcentagens, com base na ideia de proporcionalidade, sem fazer uso
da “regra de três”, utilizando estratégias pessoais, cálculo mental e calculadora, em contextos de educação financeira, entre outros.

(EF06MA14) Reconhecer que a relação de igualdade matemática não se altera ao adicionar, subtrair, multiplicar ou dividir os seus
dois membros por um mesmo número e utilizar essa noção para determinar valores desconhecidos na resolução de problemas.

(EF06MA15) Resolver e elaborar problemas que envolvam a partilha de uma quantidade em duas partes desiguais, envolvendo rela-
ções aditivas e multiplicativas, bem como a razão entre as partes e entre uma das partes e o todo.

(EF06MA16) Associar pares ordenados de números a pontos do plano cartesiano do 1º quadrante, em situações como a localização
dos vértices de um polígono.

(EF06MA17) Quantificar e estabelecer relações entre o número de vértices, faces e arestas de prismas e pirâmides, em função do seu
polígono da base, para resolver problemas e desenvolver a percepção espacial.

(EF06MA18) Reconhecer, nomear e comparar polígonos, considerando lados, vértices e ângulos, e classificá-los em regulares e não
regulares, tanto em suas representações no plano como em faces de poliedros.
(EF06MA19) Identificar características dos triângulos e classificá-los em relação às medidas dos lados e dos ângulos.
(EF06MA20) Identificar características dos quadriláteros, classificá-los em relação a lados e a ângulos e reconhecer a inclusão e a
intersecção de classes entre eles.

IX

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 9 29/05/2018 12:01:45


Construção de figuras semelhantes: ampliação e redução de figuras planas em malhas quadriculadas

Construção de retas paralelas e perpendiculares, fazendo uso de réguas, esquadros e softwares

Problemas sobre medidas envolvendo grandezas como comprimento, massa, tempo, temperatu-
ra, área, capacidade e volume

Grandezas e medidas Ângulos: noção, usos e medida

Plantas baixas e vistas aéreas

Perímetro de um quadrado como grandeza proporcional à medida do lado

Matemática 7º ano
Unidades temáticas Objetos de conhecimento

Múltiplos e divisores de um número natural

Cálculo de porcentagens e de acréscimos e decréscimos simples

Números inteiros: usos, história, ordenação, associação com pontos da reta numérica e operações

Números

Fração e seus significados: como parte de inteiros, resultado da divisão, razão e operador

Números racionais na representação fracionária e na decimal: usos, ordenação e associação com


pontos da reta numérica e operações

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 10 29/05/2018 12:01:46


(EF06MA21) Construir figuras planas semelhantes em situações de ampliação e de redução, com o uso de malhas quadriculadas, pla-
no cartesiano ou tecnologias digitais.
(EF06MA22) Utilizar instrumentos, como réguas e esquadros, ou softwares para representações de retas paralelas e perpendiculares
e construção de quadriláteros, entre outros.
(EF06MA23) Construir algoritmo para resolver situações passo a passo (como na construção de dobraduras ou na indicação de des-
locamento de um objeto no plano segundo pontos de referência e distâncias fornecidas etc.).
(EF06MA24) Resolver e elaborar problemas que envolvam as grandezas comprimento, massa, tempo, temperatura, área (triângulos
e retângulos), capacidade e volume (sólidos formados por blocos retangulares), sem uso de fórmulas, inseridos, sempre que possível,
em contextos oriundos de situações reais e/ou relacionadas às outras áreas do conhecimento.

(EF06MA25) Reconhecer a abertura do ângulo como grandeza associada às figuras geométricas.


(EF06MA26) Resolver problemas que envolvam a noção de ângulo em diferentes contextos e em situações reais, como ângulo de
visão.
(EF06MA27) Determinar medidas da abertura de ângulos, por meio de transferidor e/ou tecnologias digitais.

(EF06MA28) Interpretar, descrever e desenhar plantas baixas simples de residências e vistas aéreas.

(EF06MA29) Analisar e descrever mudanças que ocorrem no perímetro e na área de um quadrado ao se ampliarem ou reduzirem, igual-
mente, as medidas de seus lados, para compreender que o perímetro é proporcional à medida do lado, o que não ocorre com a área.

Habilidades

(EF07MA01) Resolver e elaborar problemas com números naturais, envolvendo as noções de divisor e de múltiplo, podendo incluir
máximo divisor comum ou mínimo múltiplo comum, por meio de estratégias diversas, sem a aplicação de algoritmos.

(EF07MA02) Resolver e elaborar problemas que envolvam porcentagens, como os que lidam com acréscimos e decréscimos simples,
utilizando estratégias pessoais, cálculo mental e calculadora, no contexto de educação financeira, entre outros.

(EF07MA03) Comparar e ordenar números inteiros em diferentes contextos, incluindo o histórico, associá-los a pontos da reta numé-
rica e utilizá-los em situações que envolvam adição e subtração.
(EF07MA04) Resolver e elaborar problemas que envolvam operações com números inteiros.

(EF07MA05) Resolver um mesmo problema utilizando diferentes algoritmos.


(EF07MA06) Reconhecer que as resoluções de um grupo de problemas que têm a mesma estrutura podem ser obtidas utilizando os
mesmos procedimentos.
(EF07MA07) Representar por meio de um fluxograma os passos utilizados para resolver um grupo de problemas.
(EF07MA08) Comparar e ordenar frações associadas às ideias de partes de inteiros, resultado da divisão, razão e operador.
(EF07MA09) Utilizar, na resolução de problemas, a associação entre razão e fração, como a fração 2/3 para expressar a razão de duas
partes de uma grandeza para três partes da mesma ou três partes de outra grandeza.

(EF07MA10) Comparar e ordenar números racionais em diferentes contextos e associá-los a pontos da reta numérica.
(EF07MA11) Compreender e utilizar a multiplicação e a divisão de números racionais, a relação entre elas e suas propriedades
operatórias.
(EF07MA12) Resolver e elaborar problemas que envolvam as operações com números racionais.

XI

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 11 29/05/2018 12:01:46


Cálculo de probabilidade como a razão entre o número de resultados favoráveis e o total de resul-
tados possíveis em um espaço amostral equiprovável
Cálculo de probabilidade por meio de muitas repetições de um experimento (frequências de ocor-
rências e probabilidade frequentista)

Leitura e interpretação de tabelas e gráficos (de colunas ou barras simples ou múltiplas) referentes
Probabilidade e estatística a variáveis categóricas e variáveis numéricas

Coleta de dados, organização e registro

Construção de diferentes tipos de gráficos para representá-los e interpretação das informações

Diferentes tipos de representação de informações: gráficos e fluxogramas

Linguagem algébrica: variável e incógnita

Álgebra Equivalência de expressões algébricas: identificação da regularidade de uma sequência numérica

Problemas envolvendo grandezas diretamente


proporcionais e grandezas inversamente
proporcionais

Equações polinomiais do 1º grau

Transformações geométricas de polígonos no plano cartesiano: multiplicação das coordenadas


por um número inteiro e obtenção de simétricos em relação aos eixos e à origem

Simetrias de translação, rotação e reflexão

A circunferência como lugar geométrico

Relações entre os ângulos formados por retas paralelas intersectadas por uma transversal
Geometria

Triângulos: construção, condição de existência e soma das medidas dos ângulos internos

Polígonos regulares: quadrado e triângulo equilátero

Grandezas e medidas Problemas envolvendo medições

XII

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 12 29/05/2018 12:01:46


(EF06MA30) Calcular a probabilidade de um evento aleatório, expressando-a por número racional (forma fracionária, decimal e per-
centual) e comparar esse número com a probabilidade obtida por meio de experimentos sucessivos.

(EF06MA31) Identificar as variáveis e suas frequências e os elementos constitutivos (título, eixos, legendas, fontes e datas) em dife-
rentes tipos de gráfico.
(EF06MA32) Interpretar e resolver situações que envolvam dados de pesquisas sobre contextos ambientais, sustentabilidade, trân-
sito, consumo responsável, entre outros, apresentadas pela mídia em tabelas e em diferentes tipos de gráficos e redigir textos escri-
tos com o objetivo de sintetizar conclusões.

(EF06MA33) Planejar e coletar dados de pesquisa referente a práticas sociais escolhidas pelos alunos e fazer uso de planilhas eletrôni-
cas para registro, representação e interpretação das informações, em tabelas, vários tipos de gráficos e texto.

(EF06MA34) Interpretar e desenvolver fluxogramas simples, identificando as relações entre os objetos representados (por exemplo, po-
sição de cidades considerando as estradas que as unem, hierarquia dos funcionários de uma empresa etc.).

(EF07MA13) Compreender a ideia de variável, representada por letra ou símbolo, para expressar relação entre duas grandezas, di-
ferenciando-a da ideia de incógnita.
(EF07MA14) Classificar sequências em recursivas e não recursivas, reconhecendo que o conceito de recursão está presente não ape-
nas na matemática, mas também nas artes e na literatura.
(EF07MA15) Utilizar a simbologia algébrica para expressar regularidades encontradas em sequências numéricas.

(EF07MA16) Reconhecer se duas expressões algébricas obtidas para descrever a regularidade de uma mesma sequência numérica
são ou não equivalentes.

(EF07MA17) Resolver e elaborar problemas que envolvam variação de proporcionalidade direta e de proporcionalidade inversa en-
tre duas grandezas, utilizando sentença algébrica para expressar a relação entre elas.

(EF07MA18) Resolver e elaborar problemas que possam ser representados por equações polinomiais de 1º grau, redutíveis à forma
ax + b = c, fazendo uso das propriedades da igualdade.

(EF07MA19) Realizar transformações de polígonos representados no plano cartesiano, decorrentes da multiplicação das coordena-
das de seus vértices por um número inteiro.
(EF07MA20) Reconhecer e representar, no plano cartesiano, o simétrico de figuras em relação aos eixos e à origem.

(EF07MA21) Reconhecer e construir figuras obtidas por simetrias de translação, rotação e reflexão, usando instrumentos de dese-
nho ou softwares de geometria dinâmica e vincular esse estudo a representações planas de obras de arte, elementos arquitetônicos,
entre outros.

(EF07MA22) Construir circunferências, utilizando compasso, reconhecê-las como lugar geométrico e utilizá-las para fazer composi-
ções artísticas e resolver problemas que envolvam objetos equidistantes.

(EF07MA23) Verificar relações entre os ângulos formados por retas paralelas cortadas por uma transversal, com e sem uso de soft-
wares de geometria dinâmica.

(EF07MA24) Construir triângulos, usando régua e compasso, reconhecer a condição de existência do triângulo quanto à medida dos
lados e verificar que a soma das medidas dos ângulos internos de um triângulo é 180°.
(EF07MA25) Reconhecer a rigidez geométrica dos triângulos e suas aplicações, como na construção de estruturas arquitetônicas (te-
lhados, estruturas metálicas e outras) ou nas artes plásticas.
(EF07MA26) Descrever, por escrito e por meio de um fluxograma, um algoritmo para a construção de um triângulo qualquer, conhe-
cidas as medidas dos três lados.

(EF07MA27) Calcular medidas de ângulos internos de polígonos regulares, sem o uso de fórmulas, e estabelecer relações entre ân-
gulos internos e externos de polígonos, preferencialmente vinculadas à construção de mosaicos e de ladrilhamentos.
(EF07MA28) Descrever, por escrito e por meio de um fluxograma, um algoritmo para a construção de um polígono regular (como
quadrado e triângulo equilátero), conhecida a medida de seu lado.

(EF07MA29) Resolver e elaborar problemas que envolvam medidas de grandezas inseridos em contextos oriundos de situações co-
tidianas ou de outras áreas do conhecimento, reconhecendo que toda medida empírica é aproximada.

XIII

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 13 29/05/2018 12:01:46


Cálculo de volume de blocos retangulares, utilizando unidades de medida convencionais mais
usuais

Equivalência de área de figuras planas: cálculo de áreas de figuras que podem ser decompostas
por outras, cujas áreas podem ser facilmente determinadas como triângulos e quadriláteros

Medida do comprimento da circunferência

Experimentos aleatórios: espaço amostral e estimativa de probabilidade por meio de frequência


de ocorrências

Estatística: média e amplitude de um conjunto de dados

Probabilidade e estatística Pesquisa amostral e pesquisa censitária

Planejamento de pesquisa, coleta e organização dos dados, construção de tabelas e gráficos e in-
terpretação das informações

Gráficos de setores: interpretação, pertinência e construção para representar conjunto de dados

Matemática 8º ano
Unidades temáticas Objetos de conhecimento

Notação científica

Potenciação e radiciação
Números
O princípio multiplicativo da contagem

Porcentagens

Dízimas periódicas: fração geratriz

Valor numérico de expressões algébricas

Associação de uma equação linear de 1º grau a uma reta no plano cartesiano

Sistema de equações polinomiais de 1º grau: resolução algébrica e representação no plano


cartesiano

Equação polinomial de 2º grau do tipo ax2 = b


Álgebra

Sequências recursivas e não recursivas

Variação de grandezas: diretamente proporcionais, inversamente proporcionais ou não


proporcionais

XIV

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 14 29/05/2018 12:01:46


(EF07MA30) Resolver e elaborar problemas de cálculo de medida do volume de blocos retangulares, envolvendo as unidades usuais
(metro cúbico, decímetro cúbico e centímetro cúbico).

(EF07MA31) Estabelecer expressões de cálculo de área de triângulos e de quadriláteros.


(EF07MA32) Resolver e elaborar problemas de cálculo de medida de área de figuras planas que podem ser decompostas por qua-
drados, retângulos e/ou triângulos, utilizando a equivalência entre áreas.

(EF07MA33) Estabelecer o número p como a razão entre a medida de uma circunferência e seu diâmetro, para compreender e resol-
ver problemas, inclusive os de natureza histórica.

(EF07MA34) Planejar e realizar experimentos aleatórios ou simulações que envolvem cálculo de probabilidades ou estimativas por
meio de frequência de ocorrências.

(EF07MA35) Compreender, em contextos significativos, o significado de média estatística como indicador da tendência de uma pes-
quisa, calcular seu valor e relacioná-lo, intuitivamente, com a amplitude do conjunto de dados.

(EF07MA36) Planejar e realizar pesquisa envolvendo tema da realidade social, identificando a necessidade de ser censitária ou de
usar amostra, e interpretar os dados para comunicá-los por meio de relatório escrito, tabelas e gráficos, com o apoio de planilhas
eletrônicas.

(EF07MA37) Interpretar e analisar dados apresentados em gráfico de setores divulgados pela mídia e compreender quando é pos-
sível ou conveniente sua utilização.

Habilidades

(EF08MA01) Efetuar cálculos com potências de expoentes inteiros e aplicar esse conhecimento na representação de números em
notação científica.

(EF08MA02) Resolver e elaborar problemas usando a relação entre potenciação e radiciação, para representar uma raiz como po-
tência de expoente fracionário.

(EF08MA03) Resolver e elaborar problemas de contagem cuja resolução envolva a aplicação do princípio multiplicativo.

(EF08MA04) Resolver e elaborar problemas, envolvendo cálculo de porcentagens, incluindo o uso de tecnologias digitais.

(EF08MA05) Reconhecer e utilizar procedimentos para a obtenção de uma fração geratriz para uma dízima periódica.

(EF08MA06) Resolver e elaborar problemas que envolvam cálculo do valor numérico de expressões algébricas, utilizando as proprie-
dades das operações.

(EF08MA07) Associar uma equação linear de 1º grau com duas incógnitas a uma reta no plano cartesiano.

(EF08MA08) Resolver e elaborar problemas relacionados ao seu contexto próximo, que possam ser representados por sistemas de
equações de 1º grau com duas incógnitas e interpretá-los, utilizando, inclusive, o plano cartesiano como recurso.

(EF08MA09) Resolver e elaborar, com e sem uso de tecnologias, problemas que possam ser representados por equações polino-
miais de 2º grau do tipo ax2 = b.

(EF08MA10) Identificar a regularidade de uma sequência numérica ou figural não recursiva e construir um algoritmo por meio de um
fluxograma que permita indicar os números ou as figuras seguintes.
(EF08MA11) Identificar a regularidade de uma sequência numérica recursiva e construir um algoritmo por meio de um fluxograma
que permita indicar os números seguintes.

(EF08MA12) Identificar a natureza da variação de duas grandezas, diretamente, inversamente proporcionais ou não proporcionais,
expressando a relação existente por meio de sentença algébrica e representá-la no plano cartesiano.
(EF08MA13) Resolver e elaborar problemas que envolvam grandezas diretamente ou inversamente proporcionais, por meio de es-
tratégias variadas.

XV

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 15 29/05/2018 12:01:46


Congruência de triângulos e demonstrações de propriedades de quadriláteros

Construções geométricas: ângulos de 90°, 60°, 45° e 30° e polígonos regulares


Geometria

Mediatriz e bissetriz como lugares geométricos: construção e problemas

Transformações geométricas: simetrias de translação, reflexão e rotação

Área de figuras planas

Área do círculo e comprimento de sua circunferência


Grandezas e medidas
Volume de cilindro reto

Medidas de capacidade

Princípio multiplicativo da contagem


Soma das probabilidades de todos os elementos de um espaço amostral

Gráficos de barras, colunas, linhas ou setores e seus elementos constitutivos e adequação para
determinado conjunto de dados

Organização dos dados de uma variável contínua em classes

Probabilidade e estatística
Medidas de tendência central e de dispersão

Pesquisas censitária ou amostral

Planejamento e execução de pesquisa amostral

Matemática 9º ano
Unidades temáticas Objetos de conhecimento

Necessidade dos números reais para medir qualquer segmento de reta


Números irracionais: reconhecimento e localização de alguns na reta numérica

Números Potências com expoentes negativos e fracionários

Números reais: notação científica e problemas

Porcentagens: problemas que envolvem cálculo de percentuais sucessivos

XVI

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 16 29/05/2018 12:01:46


(EF08MA14) Demonstrar propriedades de quadriláteros por meio da identificação da congruência de triângulos.

(EF08MA15) Construir, utilizando instrumentos de desenho ou softwares de geometria dinâmica, mediatriz, bissetriz, ângulos de 90°,
60°, 45° e 30° e polígonos regulares.
(EF08MA16) Descrever, por escrito e por meio de um fluxograma, um algoritmo para a construção de um hexágono regular de qual-
quer área, a partir da medida do ângulo central e da utilização de esquadros e compasso.

(EF08MA17) Aplicar os conceitos de mediatriz e bissetriz como lugares geométricos na resolução de problemas.

(EF08MA18) Reconhecer e construir figuras obtidas por composições de transformações geométricas (translação, reflexão e rota-
ção), com o uso de instrumentos de desenho ou de softwares de geometria dinâmica.

(EF08MA19) Resolver e elaborar problemas que envolvam medidas de área de figuras geométricas, utilizando expressões de cálcu-
lo de área (quadriláteros, triângulos e círculos), em situações como determinar medida de terrenos.

(EF08MA20) Reconhecer a relação entre um litro e um decímetro cúbico e a relação entre litro e metro cúbico, para resolver proble-
mas de cálculo de capacidade de recipientes.
(EF08MA21) Resolver e elaborar problemas que envolvam o cálculo do volume de recipiente cujo formato é o de um bloco retangular.

(EF08MA22) Calcular a probabilidade de eventos, com base na construção do espaço amostral, utilizando o princípio multiplicativo,
e reconhecer que a soma das probabilidades de todos os elementos do espaço amostral é igual a 1.

(EF08MA23) Avaliar a adequação de diferentes tipos de gráficos para representar um conjunto de dados de uma pesquisa.

(EF08MA24) Classificar as frequências de uma variável contínua de uma pesquisa em classes, de modo que resumam os dados de ma-
neira adequada para a tomada de decisões.

(EF08MA25) Obter os valores de medidas de tendência central de uma pesquisa estatística (média, moda e mediana) com a com-
preensão de seus significados e relacioná-los com a dispersão de dados, indicada pela amplitude.

(EF08MA26) Selecionar razões, de diferentes naturezas (física, ética ou econômica), que justificam a realização de pesquisas amos-
trais e não censitárias, e reconhecer que a seleção da amostra pode ser feita de diferentes maneiras (amostra casual simples, siste-
mática e estratificada).
(EF08MA27) Planejar e executar pesquisa amostral, selecionando uma técnica de amostragem adequada, e escrever relatório que
contenha os gráficos apropriados para representar os conjuntos de dados, destacando aspectos como as medidas de tendência cen-
tral, a amplitude e as conclusões.

Habilidades

(EF09MA01) Reconhecer que, uma vez fixada uma unidade de comprimento, existem segmentos de reta cujo comprimento não é
expresso por número racional (como as medidas de diagonais de um polígono e alturas de um triângulo, quando se toma a medida
de cada lado como unidade).
(EF09MA02) Reconhecer um número irracional como um número real cuja representação decimal é infinita e não periódica, e esti-
mar a localização de alguns deles na reta numérica.

(EF09MA03) Efetuar cálculos com números reais, inclusive potências com expoentes fracionários.

(EF09MA04) Resolver e elaborar problemas com números reais, inclusive em notação científica, envolvendo diferentes operações.

(EF09MA05) Resolver e elaborar problemas que envolvam porcentagens, com a ideia de aplicação de percentuais sucessivos e a de-
terminação das taxas percentuais, preferencialmente com o uso de tecnologias digitais, no contexto da educação financeira.

XVII

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 17 29/05/2018 12:01:46


Funções: representações numérica, algébrica e gráfica

Razão entre grandezas de espécies diferentes

Álgebra
Grandezas diretamente proporcionais e grandezas inversamente proporcionais

Expressões algébricas: fatoração e produtos notáveis

Resolução de equações polinomiais do 2º grau por meio de fatorações

Demonstrações de relações entre os ângulos formados por retas paralelas intersectadas por
uma transversal

Relações entre arcos e ângulos na circunferência de um círculo

Semelhança de triângulos

Relações métricas no triângulo retângulo


Teorema de Pitágoras: verificações experimentais e demonstração
Geometria Retas paralelas cortadas por transversais: teoremas de proporcionalidade e verificações
experimentais

Polígonos regulares

Distância entre pontos no plano cartesiano

Vistas ortogonais de figuras espaciais

Unidades de medida para medir distâncias muito grandes e muito pequenas


Unidades de medida utilizadas na informática
Grandezas e medidas

Volume de prismas e cilindros

Análise de probabilidade de eventos aleatórios: eventos dependentes e independentes

Análise de gráficos divulgados pela mídia: elementos que podem induzir a erros de leitura ou
de interpretação

Probabilidade e estatística
Leitura, interpretação e representação de dados de pesquisa expressos em tabelas de dupla
entrada, gráficos de colunas simples e agrupadas, gráficos de barras e de setores e gráficos
pictóricos

Planejamento e execução de pesquisa amostral e apresentação de relatório

XVIII

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 18 29/05/2018 12:01:46


(EF09MA06) Compreender as funções como relações de dependência unívoca entre duas variáveis e suas representações numérica,
algébrica e gráfica e utilizar esse conceito para analisar situações que envolvam relações funcionais entre duas variáveis.

(EF09MA07) Resolver problemas que envolvam a razão entre duas grandezas de espécies diferentes, como velocidade e densida-
de demográfica.

(EF09MA08) Resolver e elaborar problemas que envolvam relações de proporcionalidade direta e inversa entre duas ou mais grande-
zas, inclusive escalas, divisão em partes proporcionais e taxa de variação, em contextos socioculturais, ambientais e de outras áreas.

(EF09MA09) Compreender os processos de fatoração de expressões algébricas, com base em suas relações com os produtos notá-
veis, para resolver e elaborar problemas que possam ser representados por equações polinomiais do 2º grau.

(EF09MA10) Demonstrar relações simples entre os ângulos formados por retas paralelas cortadas por uma transversal.

(EF09MA11) Resolver problemas por meio do estabelecimento de relações entre arcos, ângulos centrais e ângulos inscritos na
circunferência, fazendo uso, inclusive, de softwares de geometria dinâmica.

(EF09MA12) Reconhecer as condições necessárias e suficientes para que dois triângulos sejam semelhantes.

(EF09MA13) Demonstrar relações métricas do triângulo retângulo, entre elas o teorema de Pitágoras, utilizando, inclusive, a seme-
lhança de triângulos.
(EF09MA14) Resolver e elaborar problemas de aplicação do teorema de Pitágoras ou das relações de proporcionalidade envolven-
do retas paralelas cortadas por secantes.

(EF09MA15) Descrever, por escrito e por meio de um fluxograma, um algoritmo para a construção de um polígono regular cuja me-
dida do lado é conhecida, utilizando régua e compasso, como também softwares.

(EF09MA16) Determinar o ponto médio de um segmento de reta e a distância entre dois pontos quaisquer, dadas as coordenadas des-
ses pontos no plano cartesiano, sem o uso de fórmulas, e utilizar esse conhecimento para calcular, por exemplo, medidas de perímetros
e áreas de figuras planas construídas no plano.

(EF09MA17) Reconhecer vistas ortogonais de figuras espaciais e aplicar esse conhecimento para desenhar objetos em perspectiva.

(EF09MA18) Reconhecer e empregar unidades usadas para expressar medidas muito grandes ou muito pequenas, tais como distân-
cia entre planetas e sistemas solares, tamanho de vírus ou de células, capacidade de armazenamento de computadores, entre outros.

(EF09MA19) Resolver e elaborar problemas que envolvam medidas de volumes de prismas e de cilindros retos, inclusive com uso de
expressões de cálculo, em situações cotidianas.

(EF09MA20) Reconhecer, em experimentos aleatórios, eventos independentes e dependentes e calcular a probabilidade de sua
ocorrência, nos dois casos.

(EF09MA21) Analisar e identificar, em gráficos divulgados pela mídia, os elementos que podem induzir, às vezes propositadamen-
te, erros de leitura, como escalas inapropriadas, legendas não explicitadas corretamente, omissão de informações importantes (fon-
tes e datas), entre outros.

(EF09MA22) Escolher e construir o gráfico mais adequado (colunas, setores, linhas), com ou sem uso de planilhas eletrônicas, para
apresentar um determinado conjunto de dados, destacando aspectos como as medidas de tendência central.

(EF09MA23) Planejar e executar pesquisa amostral envolvendo tema da realidade social e comunicar os resultados por meio de re-
latório contendo avaliação de medidas de tendência central e da amplitude, tabelas e gráficos adequados, construídos com o apoio
de planilhas eletrônicas.

XIX

ME_Matemática_Contextualizada_7A_00.indd 19 29/05/2018 12:01:46


Sumário
Atividades .......................................................... 48
Divisão de números inteiros ............................... 48
CAPÍTULO 1 Atividades .......................................................... 49
Múltiplos e divisores de um Aprimorando conceitos...................................... 51
número natural .............................................. 6 Praticando mais .................................................. 52
Múltiplos............................................................. 8
Divisores ............................................................. 8 CAPÍTULO 3
Números primos ................................................. 9
Critérios de divisibilidade................................... 9 Números racionais ......................................... 62
Atividades .......................................................... 12 Resgatando a história......................................... 64
Mínimo múltiplo comum (M.M.C.) ..................... 13 Número racional versus Frações ........................ 64
Máximo divisor comum (M.D.C.) ....................... 14 Como devemos ler as frações ............................ 65
Problemas envolvendo múltiplos e Tipos de fração................................................... 66
divisores de um número natural ......................... 15 Para analisar ....................................................... 68
Atividades .......................................................... 16 Refletindo sobre o texto ................................... 69
Para analisar ...................................................... 17 Simplificação de frações..................................... 69
Refletindo sobre o texto .................................... 17 Atividades .......................................................... 69
Amplie o conhecimento ..................................... 17 Comparação de frações ..................................... 71
Resgatando a história......................................... 18 Frações com denominadores iguais................... 71
Aprimorando conceitos...................................... 19 Frações com denominadores diferentes ............ 72
Praticando mais .................................................. 20 Amplie o conhecimento ..................................... 72
Adição e subtração de frações .......................... 73
Atividades .......................................................... 74
CAPÍTULO 2 Multiplicação de frações .................................... 75
Números negativos ....................................... 26 Atividades .......................................................... 76
O surgimento do sinal negativo ......................... 28 Problemas envolvendo torneiras........................ 76
Os números negativos indicando Atividades .......................................................... 77
temperatura ....................................................... 28 Divisão de frações .............................................. 78
Amplie o conhecimento ..................................... 30 Frações especiais ............................................... 78
Atividades .......................................................... 30 Porcentagens: uma fração muito
Para analisar ....................................................... 32 importante.......................................................... 79
Os negativos na reta numérica .......................... 33 Atividades .......................................................... 80
Atividades .......................................................... 33 Porcentagem por acréscimo e decréscimo
Valor absoluto, ou módulo, de um número simples ............................................................... 82
inteiro ................................................................. 34 Cálculo da porcentagem de um número ........... 82
Números opostos ............................................... 34 Atividades .......................................................... 84
Atividades .......................................................... 35 Calculando porcentagens com o auxílio
Comparação de números inteiros ...................... 36 da calculadora .................................................... 85
Atividades .......................................................... 36 Problemas com porcentagens ........................... 85
Adição de números inteiros com mesmo Atividades .......................................................... 86
sinal .................................................................... 38 Multiplicando números na forma decimal.......... 87
Atividades .......................................................... 40 Atividades .......................................................... 87
Adição de números inteiros com sinais Dividindo números na forma decimal ................ 88
diferentes ........................................................... 41 Divisor maior que o dividendo ........................... 88
Atividades .......................................................... 41 Atividades .......................................................... 90
Resgatando a história......................................... 44 Potência com base na forma fracionária
Para analisar ....................................................... 44 ou decimal .......................................................... 91
Refletindo sobre o texto .................................... 45 Atividades .......................................................... 92
Subtração de números inteiros .......................... 45 Os números racionais e a reta numérica ............ 92
Atividades .......................................................... 45 Atividades .......................................................... 93
Multiplicação de números inteiros ..................... 46 Resgatando a história......................................... 93
Sinais diferentes ................................................. 47 Aprimorando conceitos...................................... 94
Propriedades da multiplicação........................... 47 Praticando mais .................................................. 94

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 4 05/04/2018 21:43:16

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 4 29/05/2018 11:48:24


Resgatando a história......................................... 161
Refletindo sobre o texto .................................... 161
CAPÍTULO 4 Aprimorando conceitos...................................... 162
Introdução à álgebra: Praticando mais .................................................. 163
equações e inequações .................................. 104
Resgatando a história......................................... 106
Álgebra............................................................... 107
CAPÍTULO 6
Atividades ......................................................... 110 O estudo da circunferência ............................ 172
Sentenças abertas e fechadas ............................ 112 Circunferência e círculo ...................................... 174
Atividades .......................................................... 112 O estudo do pi (p) ............................................. 175
Comparação entre expressões .......................... 113 O comprimento da circunferência ..................... 175
Razão e proporção ............................................. 113 Problemas que envolvem objetos
Problemas envolvendo proporcionalidade ........ 114 equidistantes a uma circunferência .................... 180
Atividades .......................................................... 116 Atividades .......................................................... 182
Equação do 1º grau............................................ 116 Para analisar ....................................................... 183
Atividades ......................................................... 118 Amplie o conhecimento ..................................... 183
Princípios de igualdade ...................................... 118 Refletindo sobre o texto ................................... 184
Atividades .......................................................... 122 Resgatando a história ........................................ 184
Amplie o conhecimento ..................................... 123 Aprimorando conceitos ..................................... 185
Para analisar ....................................................... 124 Praticando mais .................................................. 186
Atividades .......................................................... 125
Inequação ........................................................... 125
Atividades ......................................................... 127
CAPÍTULO 7
Para analisar ....................................................... 128 Grandezas e medidas .................................... 196
Refletindo sobre o texto .................................... 128 Unidades de medida .......................................... 198
Aprimorando conceitos...................................... 129 Amplie o conhecimento ..................................... 199
Praticando mais .................................................. 130 Atividades .......................................................... 200
Problemas envolvendo unidades de
medida ............................................................... 200
CAPÍTULO 5 Atividades .......................................................... 201
Polígonos ....................................................... 136 Resgatando a história......................................... 202
Polígonos............................................................ 138 Medidas de volume............................................ 203
Revisando conceitos........................................... 139 Volume x Capacidade ........................................ 204
Atividades .......................................................... 141 Amplie o conhecimento ..................................... 205
Paralelogramo .................................................... 142 Atividades .......................................................... 206
Retângulo ........................................................... 143 Resgatando a história......................................... 209
Losango .............................................................. 143 Para analisar ....................................................... 210
Atividades .......................................................... 144 Refletindo sobre o texto .................................... 210
Perímetro............................................................ 145 Aprimorando conceitos...................................... 211
Atividades .......................................................... 146 Praticando mais .................................................. 211
Amplie o conhecimento ..................................... 148
Atividades .......................................................... 150
Soma dos ângulos internos de
CAPÍTULO 8
um polígono convexo ........................................ 151 Probabilidade e estatística ........................... 224
Determinando a quantidade de Probabilidade ..................................................... 226
diagonais de um polígono convexo ................... 152 Experimentos aleatórios .................................... 226
Para analisar ....................................................... 152 Espaço amostral ................................................. 226
Refletindo sobre o texto .................................... 153 Atividades .......................................................... 228
Atividades .......................................................... 153 Introdução ao estudo da estatística ................... 228
Transformações de polígonos no plano Elaboração e análise de tabelas e gráficos ........ 233
cartesiano ........................................................... 154 Atividades .......................................................... 235
Simetria dos polígonos ...................................... 155 Para analisar ....................................................... 238
Simetria no plano cartesiano.............................. 156 Refletindo sobre o texto .................................... 238
Decomposição dos polígonos............................ 157 Amplie o conhecimento ..................................... 239
Mosaicos e ladrilhamentos ................................. 157 Resgatando a história......................................... 239
Atividades .......................................................... 158 Aprimorando conceitos...................................... 240
Para analisar ....................................................... 160 Praticando mais .................................................. 240

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 5 05/04/2018 21:43:16

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 5 29/05/2018 11:48:25


Mahir Alawami/Shutterstock.com
Múltiplos e divisores
de um número natural
CAPÍTULO 1

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 6 05/04/2018 21:43:17 M

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 6 29/05/2018 11:48:27


Ruínas de Cirene, antiga cidade grega na
Líbia, África. Nessa cidade nasceu Era-
tóstenes, que criou um método para en-
contrar números primos, conhecido hoje
como Crivo de Eratóstenes, e descobriu
quantos quilômetros tem a circunferência
da Terra.

• Neste capítulo, veremos os conceitos e as


relações entre múltiplos e divisores de um
número natural.

• Reconheceremos os números primos e


vamos decompor um número em fatores
primos, além de resolver problemas
aplicando o cálculo do M.M.C. e do M.D.C.
entre números naturais.

• Conheceremos e faremos aplicações dos


critérios de divisibilidade por 2, 3, 4, 5, 6, 7,
8, 9 e 10.

:17 Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 7 05/04/2018 21:43:18

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 7 29/05/2018 11:48:28


Conteúdos
conceituais
Múltiplos
Vamos definir, de modo mais simples, o múltiplo de um número como sendo o resultado de uma
• Múltiplos e divisores de um número multiplicação, um produto, entre o número mencionado por outro número natural qualquer.
natural Para exemplificar uma tabela de múltiplos de um número natural, lembraremos primeiro a tradi-
cional tabuada.
• Divisibilidade Tomando, por exemplo, a tabuada de 3, temos:
• Números primos 3 × 1 = 3 E, assim, seguindo
• Crivo de Eratóstenes 3 × 2 = 6 continuamente.
• Decomposição de números com- 3 × 3 = 9
Concluímos que os múltiplos do
postos em fatores primos número natural 3 são:
3 × 4 = 12 M(3) = 0, 3, 6, 9, 12, 15, 18, 21, 24,
• Divisores de um número natural 3 × 5 = 15 27, 30, 33, ...
• Máximo Divisor Comum (M.D.C.) 3 × 6 = 18
• Algoritmo de Euclides 3 × 7 = 21
• Mínimo Múltiplo Comum (M.M.C.) 3 × 8 = 24
3 × 9 = 27

BNCC 3 × 10 = 30

Observações importantes referentes aos múltiplos de um número natural


Objetivos de conhecimento 1. O conjunto dos múltiplos de um número natural diferente de zero é um conjunto infinito.
2. Todo número natural não nulo é múltiplo de si mesmo.
• Múltiplos e divisores de um número 3. O número 0 (zero) é múltiplo de todo e qualquer número natural não nulo.
natural. 4. Qualquer número natural é múltiplo de 1.

Habilidades trabalhadas no
capítulo
Questão resolvida
(EF07MA01) Resolver e elaborar pro- 1. Identifique dez múltiplos dos números naturais 7 e 12.
blemas com números naturais, envol- Solução:
vendo as noções de divisor e de múl- M(7) = {0, 7,14, 21, 28, 35, 42, 49, 56, 63}
tiplo, podendo incluir máximo divisor M(12) = {0, 12, 24, 36, 48, 60, 72, 84, 96, 108}
comum ou mínimo múltiplo comum,
por meio de estratégias diversas, sem Divisores
a aplicação de algoritmos. Iremos afirmar que um número é divisor de outro, quando o resto da divisão entre eles for zero.
Temos como exemplo os números abaixo e seus respectivos divisores.

Dicas para o professor 12 tem os seguintes divisores: 1, 2, 3, 4, 6 e 12.


40 tem os seguintes divisores: 1, 2, 4, 5, 8, 10, 20 e 40.

8
• Compreender o conceito de múlti- CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

plo de um número.
• Calcular os múltiplos de um número. Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 8 05/04/2018 21:43:18 Ma

• Mostre que todo número possui infi-


nitos múltiplos e que o primeiro múlti- Anotações
plo de qualquer número é o zero.
• Demonstre que os produtos resul-
tantes das tabuadas de multiplicação
são múltiplos de um número.
Exemplo:
3.0=0
3.1=3
3.2=6
3.3=9
3 . 4 = 12
Logo: M(3) = {0, 3, 6, 9, 12,...}

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 8 29/05/2018 11:48:31


Dicas para o professor
Observações importantes referentes aos divisores de um número natural

1. O menor divisor natural de um número é sempre 1. • Ressalte que a quantidade de diviso-


2. O maior divisor de um número é sempre o próprio número. res de um número é finita.
3. O zero não é divisor de nenhum número. • O número 1 é divisor de qualquer
4. Os divisores de um número formam um conjunto finito. número.
5. Alguns números naturais possuem apenas dois divisores, o número 1 e o próprio número men- • Mostre que os números possuem
cionado. Esses números são chamados de números primos. quantidades de divisores diferentes.
• Compreender o conceito de múlti-
Números primos plo de um número.
• Calcular os múltiplos de um número.
É todo número natural que possui o número 1 e ele mesmo como divisores. Acompanhe o con-
junto dos números primos, expresso abaixo:
Leitura complementar
P = {2, 3, 5, 7, 11, 13, 17, 19, 23, 29, 31, 37, 41, 43, 47, 53, 59, 61, 67, 71, 73, 79, 83, 89, 97}

Esse conjunto representa os números primos entre 1 e 100.


É importante observar que o único número primo par é o 2.
A teoria euclidiana,
ou divisão inteira,
Critérios de divisibilidade fundamenta-se na
Para definir com precisão se um número é divisível por outro, é necessário conhecer algumas re-
divisibilidade dos
gras, classificando-as por critérios de divisibilidade. Esses critérios são de bastante importância para
minimizar a utilização de cálculos na efetuação de divisões. Vamos conhecê-los.
números naturais.
Divisibilidade por 1 O conceito de divisibilidade, que
Todo número é divisível por 1.
é o conjunto de condições que os nú-
Divisibilidade por 2 meros naturais têm que preencher
Todo número par é divisível por 2. para que um possa ser dividido por
outro de forma exata, é derivado do
Exemplos:
conceito de múltiplo de um número,
26.374 é divisível por 2, pois é um número par. ou seja, um número só é divisível por
46 é divisível por 2, pois é um número par.
345 não é divisível por 2, pois é um número ímpar.
outro quando for múltiplo desse outro.

Anotações
Observação
Se você tem dificuldade de identificar quando um número, muito extenso, é par ou ímpar,
observe apenas o algarismo da unidade. Se este for 0, 2, 4, 6 ou 8, esse número é par e, conse-
quentemente, divisível por 2.

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 9

3:18 Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 9 05/04/2018 21:43:18

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 9 29/05/2018 11:48:32


Dicas para o professor
Divisibilidade por 3
• Apresente situações em que os alu- Todo número divisível por 3 possui a soma dos seus algarismos resultando num múltiplo de 3.
nos percebam que conhecer os princí-
pios de divisibilidade facilita a resolu- Exemplos:
34.212 é divisível por 3.
ção de problemas. Isso ocorre porque 3 + 4 + 2 + 1 + 2 = 12. E 12 é múltiplo de 3. Logo, 34.212 é divisível por 3.
• Compreender as regras de divisibili-
dade por 2 e por 3. 751.422 é divisível por 3.
Isso ocorre porque 7 + 5 + 1 + 4 + 2 + 2 = 21. E 21 é múltiplo de 3. Logo, 751.422 é divisível por 3.
• Rever o conceito de valor absoluto.
346 não é divisível por 3. Veja que 3 + 4 + 6 = 13.
E 13 não é múltiplo de 3. Logo, 346 não é divisível por 3.
Leitura complementar
Divisibilidade por 4
Todo número divisível por 4 termina em 00, ou seus dois últimos algarismos formam um número
As calculadoras na aula divisível por 4.
de Matemática Exemplos:
300 é divisível por 4.
A calculadora, uma das ferramen- Isso acontece porque o número termina em 00.

tas que o ser humano desenvolveu 2.316 é divisível por 4.


para atender as suas necessidades de Isso acontece porque os dois últimos algarismos, 16, formam um número divisível por 4.
fazer cálculos, não foi o primeiro recur-
150 não é divisível por 4.
so que ele utilizou para esse fim. Isso ocorre porque não termina em 00 e os dois últimos algarismos, 50, não formam um número
A mão humana foi a primeira máqui- divisível por 4.

na de calcular de todos os tempos. Fo-


ram os dedos das mãos e dos pés os Divisibilidade por 5
Todo número divisível por 5 possui o algarismo das unidades igual a 0 ou a 5.
primeiros instrumentos que um indiví-
duo primitivo utilizou para atender a suas Exemplos:
2.443.865 é divisível por 5, pois o algarismo das unidades é 5.
dificuldades.
Da origem da civilização até hoje, o 854.390 é divisível por 0, pois o algarismo das unidades é 0.
desenvolvimento do comércio e da in-
6.548 não é divisível por 5. Isso ocorre porque o algarismo das unidades é 8.
dústria fez com que ser humano criasse
instrumentos mais avançados para aju- Divisibilidade por 6
dar na contagem, como a calculadora. Todo número só é divisível por 6 se, e somente se, for simultaneamente divisível por 2 e por 3.
Hoje, não há razão para evitar o uso
Exemplos:
das calculadoras nas salas de aula de 36 é divisível por 2 e por 3, logo também é divisível por 6.
Matemática, pois sabemos que os alu-
810 é divisível por 2 e por 3, logo também é divisível por 6.
nos têm acesso a esse instrumento há
muito tempo. Incentivá-los a usá-las 1.023 não é divisível por 2, logo também não é divisível por 6.
em momentos estratégicos será de
10
grande valia para o professor moder- CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

no, que sabe utilizar a tecnologia em


prol do crescimento dos alunos. Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 10 05/04/2018 21:43:18 Ma

Anotações

10

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 10 29/05/2018 11:48:33


Dicas para o professor
Divisibilidade por 7 
Todo número é divisível por 7 quando multiplicamos o último algarismo por 2 e subtraímos o
resultado pelos números que restaram. Se o resultado final for um múltiplo de 7, então o número é • Mostre que a compreensão das re-
divisível por 7. gras de divisibilidade facilitará a resolu-
Exemplos:
ção de situações que envolvam divisão.
553 é divisível por 7. • A regra da divisibilidade por 7 po-
Observe: 2 × 3 = 6 e 55 - 6 = 49. de apresentar situações em que o re-
Como 49 é múltiplo de 7, logo o número 553 é divisível por 7.
sultado seja negativo; por isso, alerte
280 é divisível por 7. os alunos para considerarem apenas o
Observe: 2 × 0 = 0 e 28 - 0 = 28.
Como 28 é múltiplo de 7, logo o número 280 é divisível por 7.
valor absoluto do número.
• Trabalhar o critério da divisibilida-
400 não é divisível por 7. de pelo método da memorização pa-
Observe: 2 × 0 = 0 e 40 – 0 = 40.
Verifique que 40 não é múltiplo de 7, logo 400 não é divisível por 7. ra que, assim, os alunos desenvolvam
o seu próprio método.
Divisibilidade por 8
Todo número é divisível por 8 se termina em 000 ou quando os três últimos algarismos resultam
em um número divisível por 8.
Anotações
Exemplos:
3.000 é divisível por 8, porque termina em 000 (três zeros).

4.160 é divisível por 8, porque 160 é múltiplo de 8.

3.420 não é divisível por 8, porque 420 não é múltiplo de 8.

Divisibilidade por 9 
Todo número divisível por 9 possui a soma dos seus algarismos resultando num múltiplo de 9.

Exemplos:
2.394 é divisível por 9, pois a soma de seus algarismos é igual a (2 + 3 + 9 + 4 =) 18.
Sendo 18 um múltiplo de 9, 2.394 é múltiplo de 9.

457.254 é divisível por 9, pois a soma de seus algarismos é igual a 4 + 5 + 7 + 2 + 5 + 4 = 27.


Sendo 27 um múltiplo de 9, 457.254 é um número divisível por 9.

1.210 não é divisível por 9, isso ocorre porque a soma de seus algarismos resulta em 1 + 2 + 1 +
0 = 4 e esse número não é múltiplo de 9.

Divisibilidade por 10
Todo número divisível por 10 termina em 0.

Exemplos:
200 é divisível por 10.
7.640 é divisível por 10.

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 11

3:18 Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 11 05/04/2018 21:43:18

11

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 11 29/05/2018 11:48:34


Atividades
1. Determine quantos e quais são os divisores 3. Informe quais os divisores dos números lis-
dos números abaixo. tados abaixo, mencionando seus critérios sem
efetuar as divisões.
a. 22
a. 4.536 =
D(22) = {1, 2, 11, 22}. Logo, 4 divisores.
É divisível por 2, pois termina com um algarismo par (6). É

b. 35 divisível por 3, pois 4.536 é múltiplo de 3. É divisível por 9,


D(35) = {1, 5, 7, 35}. Logo, 4 divisores.
pois a soma de seus algarismos resulta em um múltiplo de 9.

c. 40
D(40) = {1, 2, 4, 5, 8, 10, 20, 40}. Logo, 8 divisores. b. 6.432 =
É divisível por 3, pois a soma de seus algarismos
d. 18
resulta em um múltiplo de 9.
D(18) = {1, 2, 3, 6, 9, 18}. Logo, 6 divisores.

2. Na tabela abaixo, marque de vermelho os


múltiplos de 7 e de azul os múltiplos de 4.
c. 65.490 =
1 2 3 4 5 6 7 8 É divisível por 2, pois termina em um número

par. É divisível por 5 e por 10, pois termina em 0.


9 10 11 12 13 14 15 16

17 18 19 20 21 22 23 24

d. 635.400 =
25 26 27 28 29 30 31 32
É divisível por 2, 4, 5, 10 e 100, pois é par e ter-
33 34 35 36 37 38 39 40 mina em 0.
Ma

41 42 43 44 45 46 47 48

49 50 51 52 53 54 55 56 e. 763.000 =
É divisível por 2, 4, 5, 7, 8, 10, 100 e 1.000, pois é
57 58 59 60 61 62 63 64
par e termina em 0.
65 66 67 68 69 70 71 72

vermelho azul Marcar de vermelho 7, 14, 21, 28, 35, 42, 49, 56, 63, 70. Marcar
de azul: 4, 8, 12, 16, 20, 24, 28, 32, 36, 40, 44, 48, 52, 56, 60, 64,
12 CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 68, 72. Observação: os números 28 e 56 devem ser marcados
nos dois grupos.

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 12 05/04/2018 21:43:18

12

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 12 29/05/2018 11:48:35


dade encontrava uma forma bastan-
te particular de representar e contar
Mínimo múltiplo comum (M.M.C.) quantidades.
Dados dois ou mais números quaisquer, chama-se mínimo múltiplo comum, ou simplesmente
Os algarismos romanos não foram
M.M.C., o menor múltiplo desses dois ou mais números inicialmente dados. criados para desenvolver cálculos, mas
Vamos determinar o M.M.C. de dois modos distintos: um deles é determinando alguns múltiplos para registrar quantidades.
dos números tomados, verificando o menor comum; o outro é a aplicação de uma regra prática que
consiste na fatoração dos números tomados simultaneamente. Não havia representação entre os
Como exemplo, vamos determinar o M.M.C. dos números 12 e 8. algarismos romanos para o zero.
1º modo:
M(12) = {12, 24, 36, 48, 60, 72, 84, ...} Roberto Perides Moisés e Luciano Castro Lima
M(8) = {8, 16, 24, 32, 40, 48, 56, 64, 72, 80, 88, ...}

Observe que o menor número que aparece nas duas sequências de múltiplos é o 24. Nesse caso, Dicas para o professor
24 é o M.M.C. dos números 12 e 8.

2º modo:
Agora, utilizando o processo prático de fatoração, temos: • Antes de iniciar esse assunto, procu-
re relembrar o conceito de múltiplo de
12, 8 2
um número.
6, 4 2
• Apresente situações diferentes para
3, 2 2 que os alunos possam entender bem
3, 1 3 esse assunto.
1, 1 2 × 2 × 2 × 3 = 24 • Discuta com os alunos diferentes
maneiras de encontrar o M.M.C. entre
dois números.

Questão resolvida
Anotações
1. Determine, utilizando os dois modos apresentados, o mínimo múltiplo comum dos números 14 e 12.
Solução:

1º modo:
M(14) = {14, 28, 42, 56, 70, 84, 98, 112, ...}
M(12) = {12, 24, 36, 48, 60, 72, 84, 96, 108, 120, ...}
Temos 84 como o M.M.C. dos números 14 e 12.

2º modo:
14, 12 2
7, 6 2
7, 3 3
7, 1 7
1, 1 2 × 2 × 3 × 7 = 84

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 13

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 13 05/04/2018 21:43:18

Leitura complementar

Zero

A criação do zero pode ser consi- mas a uma concepção posicional da


derada um fato tão importante para a numeração.
humanidade quanto o domínio sobre O zero e a escrita posicional resol-
o fogo ou a invenção da roda. veram o problema da mecanização das
O zero foi o último número natu- operações numéricas, dos cálculos, o
ral a ser criado. Sua origem deveu-se que permitiu a criação das máquinas
não à necessidade de marcar a inexis- de calcular e dos computadores.
tência de elementos num conjunto, Até a criação do zero, a humani-
:18

13

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 13 29/05/2018 11:48:36


Dicas para o professor
Máximo divisor comum (M.D.C.)
• No exemplo da decomposição em Dois ou mais números naturais sempre têm divisores em comum. Entre esses divisores vamos
números primos, saliente que deve- aprender a identificar o maior deles. Isto é, calcular o máximo divisor comum, ou simplesmente o
mos identificar os valores comuns e M.D.C.
Como exemplo inicial, vamos calcular o M.D.C. dos números 12, 30 e 24.
multiplicar apenas os de menor ex-
poente. 1º modo:
Vamos apresentar os divisores dos números escolhidos e, assim, verificar quem é o maior comum
• Dê exemplos de M.D.C. entre os nú- aos três.
meros compostos e os números pri-
mos. D(12) = {1, 2, 3, 4, 6, 12}.
D(30) = {1, 2, 3, 5, 6, 10, 15, 30}.
Exemplos: D(24) = {1, 2, 3, 4, 6, 8, 12, 24}.
12 = 2 . 2 . 3 = 22 . 3
18 = 2 . 3 . 3 = 2. 32 Note que há vários divisores comuns para os três números. Mas só nos servirá o maior deles, ou
o máximo, que no exemplo é 6.
M.D.C. (12, 18): 2 . 3 = 6
2º modo:

Anotações Chamado de método prático, vamos fatorar os três números escolhidos simultaneamente e,
depois, efetuar a multiplicação entre os fatores que dividem os três números simultaneamente.
Observe:

12, 24, 30 2
6, 12, 15 2
3, 6, 15 2
3, 3, 15 3
1, 1, 5 5
1, 1, 1

Após a fatoração, conforme comentado antes, vamos calcular o produto dos fatores que dividem
os três números simultaneamente, no caso 2 × 3 = 6.

Logo, o M.D.C.(12, 30, 24) = 6.

Questão resolvida
1. Determine, utilizando os dois modos apresentados, o máximo divisor comum dos números 36 e 15.
Solução:
1º modo:
D(36) = {1, 2, 3, 4, 6, 9, 12, 18, 36}.
D(15) = {1, 3, 5, 15}.

14 CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 14 05/04/2018 21:43:18 Ma

14

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 14 29/05/2018 11:48:37


Leitura complementar
2º modo:
36, 15 2
Os dois modos
Mas por que o nome
12, 15 2
6, 15 2
comprovam que o
M.D.C. (36, 15) = 3.
primo?
3, 15 3
1, 5 5 A palavra “primo” se refere à ideia
1, 1 de primeiro, e sua origem está na con-
cepção numérica da escola pitagórica,
Problemas envolvendo múltiplos e divisores de um no século V a.C. Nessa época, os ma-
número natural temáticos gregos dividiam os números
inteiros naturais em três classes:
Uma loja de tecidos deseja dividir 2 pedaços de tecido em partes iguais, de maior tamanho pos-
sível, de modo que não haja sobras. Qual o tamanho de cada parte, se as peças medem 81 metros
e 54 metros? I. a monad (unidade, 1);
Note que o problema fala de divisão. Essa é a dica para calcular o M.D.C. entre 81 e 54. Caso o
II. os protói arithmói (números pri-
problema fale de repetição, deve-se calcular o M.M.C.
Vamos à solução: mos), ou asynthetói aritmói (núme-
81, 54 2
ros não compostos): aqueles que
81, 27 3 não podem ser gerados pelo pro-
27, 9 3 duto de outros números além da
9, 3 3 unidade. Ex.: 2, 3, 5, 7, 11, etc.;
3, 1 3 III. os deuterói arithmói (números se-
1, 1
cundários): aqueles que podem ser
Cada parte deve medir 3 × 3 × 3 = 27 metros, que nesse caso é o valor do M.D.C. de 81 e 54. gerados pelo produto de outros nú-
A peça que tem 54 metros será dividida em 2 pedaços, e a peça que mede 81 metros será divi- meros. Ex.: 6(= 2×3) , 6(= 2×3) 8, 10,
dida em 3 pedaços, sendo que cada pedaço medirá 27 metros.
12, 14, etc.;
Vamos comentar mais um problema.
Dois vigilantes estão de folga do trabalho hoje. Um deles tem folga a cada 7 dias, e o outro a A definição de Euclides para es-
cada 4 dias. Daqui a quantos dias a folga dos dois vai coincidir novamente?
Nesse caso, temos a ideia de repetição. Sendo assim, temos que determinar o M.M.C. Vamos ses números reflete essa classificação:
a ele: “Número primo é aquele que só pode
7, 4 2 Os vigilantes só terão a
ser medido através da unidade”.
7, 2 2 folga coincidente, outra
vez, após 28 dias.
7, 1 7
1, 1 2 × 2 × 7 = 28 Anotações

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 15

3:18 Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 15 05/04/2018 21:43:18

15

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 15 29/05/2018 11:48:38


Você sabia?
Se dois ou mais números são dados e um deles é divisor de todos esses números, este é o M.D.C.
deles.
Exemplo:
O M.D.C. (3, 6, 12) = 3. Pois 3 é divisor de 6, de 12 e dele mesmo.

Se dois números são consecutivos, esses números são primos entre si. Logo, o M.D.C. entre esses é 1.
Exemplo: 
O M.D.C. (15, 16) = 1.  Pois, o maior número que divide 15 e 16 é 1.

Atividades

1. Para participar de uma gincana, os 104 alunos 3. Com relação ao número 32:
do 7° ano e os 120 do 6° ano serão organiza-
a. Quantos divisores ímpares ele possui?
dos em equipes, todas com o mesmo número
de alunos. Se as equipes devem ter entre 6 e 1.
20 membros, sendo todos do mesmo ano, des-
cubra quantos membros cada equipe pode ter. b. Quais são esses divisores ímpares?
4 ou 6. Apenas o número 1.
ZouZou/Shutterstock.com

4. O número 4.312.5ab é divisível por 9. O valor


máximo da soma dos algarismos a e b será:

a. 11. b. X 12.
c. 13. d. 14.
e. 15.

5. (UFBA) Tenho menos que 65 livros; contando-


-os de 12 em 12, de 15 em 15 ou de 20 em 20, so-
bram sempre três. Calcule quantos livros possuo.
Possuo 63 livros.

6. Dos números a seguir, quais são divisíveis por 3?


2. Numa linha de produção, certo tipo de ma-
nutenção é feita na máquina A a cada 3 dias; a. X 123. b. 331.
na máquina B, a cada 4 dias; e na máquina C, a c. 509. d. X 681.
cada 6 dias. Se no dia 2 de dezembro foi feita e. 712. f. X 888.
a manutenção nas três máquinas, após quan-
tos dias as máquinas receberão manutenção no 7. O número 53.782.309.512 é divisível por 4? E
mesmo dia? por 5?
Após 12 dias, ou seja, no dia 14 de dezembro. É divisível por 4 e não é divisível por 5.

16 CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 16 05/04/2018 21:43:19 M

16

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 16 29/05/2018 11:48:40


Para analisar:
O número 37 e os nove múltiplos iniciais de 3 não nulos
Vamos relembrar o conjunto dos múltiplos de 3.
M(3) = {0, 3, 6, 9, 12, 15, 18, 21, 24, 27, 30, 33, 36, 39, 42, 45, 48, 51, 54, ...}
O nosso próximo passo é multiplicar os nove múltiplos iniciais, não nulos, do número
3 pelo número 37 e observar o que acontece.

3 × 37 = 111 A Matemática é ou não


6 × 37 = 222 surpreendentemente
intrigante?
9 × 37 = 333
12 × 37 = 444
15 × 37 = 555
18 × 37 = 666
21 × 37 = 777
24 × 37 = 888
27 × 37 = 999

Refletindo sobre o texto

1. Que relação existe entre os nove múltiplos iniciais, não nulos, de 3 e o algarismo 37?
Coincidentemente, o produto entre eles resulta sempre em um número com três algarismos iguais.

2. Se continuarmos essa multiplicação, surgirá alguma outra surpresa numérica?


Sim, teremos como produto um número composto por quatro algarismos em que os dois do meio

(segundo e terceiro) são algarismos iguais.

Amplie o conhecimento
Números amigáveis
Você já escutou falar nesse tipo de número?
Bem, vamos definir números amigáveis como sendo números, tomados aos pares, em que um
deles é o resultado da soma dos divisores dos outros. Temos como exemplo os números 220 e 284.
Vamos provar, apresentando os divisores de 220.

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 17

:19 Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 17 05/04/2018 21:43:19

17

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 17 29/05/2018 11:48:40


Dicas para o professor
D(220) = {1, 2, 4, 5, 10, 11, 20, 22, 44, 55 e 110}.

• Compreender a construção do Cri- Verifiquemos, agora, a soma desses divisores.


vo de Eratóstenes. 1 + 2 + 4 + 5 + 10 + 11 + 20 + 22 + 44 + 55 + 110 = 284.

• Compreender a importância das Vamos analisar agora os divisores de 284.


descobertas matemáticas feitas por D(284) = {1, 2, 4, 71, 142}.
antigas civilizações. Verifiquemos, dessa vez, a soma desses divisores.
• Você poderá fazer uma aula inter- 1 + 2 + 4 + 71 + 142 = 220.
disciplinar comentando sobre a histó-
Assim, provamos que esse par de números, 220 e 284, são números que podem ser classificados
ria da Grécia, enfatizando que ela foi o como números amigáveis.
berço de muitos filósofos e matemá- Referente a esse tipo de número, o matemático francês Pierre Fermat descobriu que os números
17.296 e 18.416 são igualmente amigáveis e o também matemático francês René Descartes desco-
ticos.
briu os números amigáveis 9.363.584 e 9.437.056.

Leitura complementar
Resgatando a história
O grego Eratóstenes desenvolveu um método prático e simples, utilizando a eliminação de múl-
Maior número primo tiplos dos números naturais, de encontrar número primos. Ele foi matemático, astrônomo, geógra-
fo, historiador e filósofo.
Era da cidade de Cirene, porém passou a maior parte da sua vida na cidade de Atenas e, poste-
Podemos afirmar que os números riormente, em Alexandria.
primos são infinitos, ou seja, não exis- Em Alexandria, trabalhou na biblioteca da universidade. Seu método para determinar números
divisíveis apenas por um e por si mesmo ficou conhecido como o Crivo de Eratóstenes. Morreu aos
te o maior número primo.
82 anos na cidade de Alexandria, no Egito, no ano de 194 a.C.
O que é possível afirmar é que o
maior número primo encontrado até
hoje é 277.232.917 −1.
Esse primo foi descoberto em de- Alexandria O
7
zembro de 2017, tem 23.249.425 dí- o So
l
Luz d
gitos e foi calculado com a ajuda de
processadores Intel i5-6600.
O
7
7
O Siena
É o 50º número de Mersenne (pro-
jeto que procura por números primos Centro da Terra
específicos, do tipo 2p – 1).

Para medir o meridiano ter-

Anotações
restre, Eratóstenes se baseou
na observação da posição do
Sol em Alexandria e em Sie-
na (hoje Assuã), situadas so-
bre o mesmo meridiano, mas
em latitudes diferentes.

18 CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 18 05/04/2018 21:43:19 Ma

18

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 18 29/05/2018 11:48:42


Dicas para o professor
Aprimorando conceitos
I. Qual é a relação entre múltiplos e divisores de um número natural?
• Desenvolva, junto com os alunos,
uma lista mostrando que todos os nú-
Múltiplos e divisores são números que resultam da multiplicação por um número natural e
meros compostos são formados pelos
que dividem um número deixando resto zero, respectivamente. Os múltiplos e divisores de produtos dos números primos.
um número estão relacionados entre si da seguinte forma: se 15 é divisível por 3, então 3 é • Após a construção do Crivo até 50 em
sala, peça que os alunos determinem to-
divisor de 15 e, consequentemente, 15 é múltiplo de 3.
dos os números primos de 50 até 100.

II. O que são critérios de divisibilidade?


• Tome cuidado para que os alunos
não façam a decomposição utilizando
São regras utilizadas para solucionar a divisão de números naturais, obtendo resto igual a
números compostos.
zero. É importante destacar que, com os critérios de divisibilidade, não há necessidade de

efetuar a operação de divisão. Leitura complementar

A diferença entre número


III. Qual é a diferença entre o M.D.C. e o M.M.C. de números naturais?
composto e número
O M.D.C. é o maior ou o máximo divisor comum entre os números naturais citados e o
primo
M.M.C. é o menor ou mínimo múltiplo comum entre os números naturais citados.
Em ordem crescente, os primeiros
números primos são: 2, 3, 5, 7, 11, 13,
17, 19, ...
IV. O que são números primos?
O número 1 não é considerado um
É um conjunto de números infinitos que só possuem dois divisores, o número 1 e ele
número primo. Uma razão é o fato de
mesmo. que isso nos possibilita estabelecer
proposições sobre os números primos
V. Qual é o critério de divisibilidade por 3? sem introduzir qualificações.
Todo número divisível por 3 possui a soma dos seus algarismos resultando num múltiplo de 3. A importância dos números pri-
mos na teoria de números representa
o teorema fundamental da Aritmética.
Esse teorema nos permite afirmar
VI. Qual é o critério de divisibilidade por 8?
que todo número inteiro natural maior
Todo número é divisível por 8 se terminar em 000 ou quando os três últimos algarismos re-
do que 1 pode ser escrito como um
sultam em um número divisível por 8. produto de fatores primos.
Outro fato relevante é a irregula-
ridade dos números primos quando
19
CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural
consideramos o intervalo entre dois
números primos consecutivos.
3:19 Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 19 05/04/2018 21:43:19

Anotações

19

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 19 29/05/2018 11:48:42


Atividades
complementares

1. Determine os números naturais cuja Praticando mais


forma fatorada é:
1. Num certo país asiático, a eleição para pre- mos igual a 20. De acordo com essas informa-
a) 22 . 32 . 5 = sidente ocorre a cada 5 anos e para prefeito, a ções, no dia da aplicação desta prova, Renato
b) 2 . 52 . 7 = cada 4 anos. Se em 2015 houve coincidência das tem a idade, em anos completos, igual a:
c) 32 . 11 = eleições para esses cargos, qual o próximo ano
em que elas voltarão a coincidir? a. 81.
Respostas: b. X 59.
Em 2035.
a) 4 . 9 . 5 = 180 c. 37.
d. 82.
b) 2 . 25 . 7 = 350 2. Um funcionário dos correios tem várias cor- e. 60.
c) 9 . 11 = 99 respondências para entregar numa rua numera-
da de 1 a 30. Para as casas pares, ele entregará 5. (FCC) Ao consultar o livro de registro de en-
as contas de água e, para as casas terminadas
2. Determine quantos divisores têm os trada e saída de pessoas às dependências de
em 0 ou 5, ele entregará as contas de energia.
números: a. Quantas casas receberão a conta de energia?
uma empresa, um funcionário observou que: 
a) 22 . 3 . 52 = 6 casas.
5
  do total das pessoas que lá estiveram ao
8
b) 22 . 5 = longo de certa semana eram do sexo masculino
c) 3 . 73 = b. Quantas casas não receberão a conta de 2
e que, destas,  tinham menos de 35 anos de
Respostas: água? 7
idade. Com base nessas informações, pode-se
a) (2 + 1) . (1 + 1) . (2 +1 ) = 3 . 2 . 3 = 15 casas.
concluir corretamente que o total de pessoas
18 divisores
b) (2 + 1) . (1 + 1) = 3 . 2 = 6 divisores 3. (Vunesp) Dois produtos líquidos A e B estão
armazenados em galões separados. Em um dos
que visitaram tal empresa naquela semana não

c) (1 + 1) . (3 + 1) = 2 . 4 = 8 divisores galões há 18 litros do produto A e, no outro, poderia ser igual a:


há 42 litros do produto B. Carlos precisa distri-
buir esses líquidos, sem desperdiçá-los e sem a. 56.
misturá-los, em galões menores, de forma que b. 112.
Anotações cada galão menor tenha a mesma quantidade e c. X 144.
d. 168.
o maior volume possível de cada produto. Após
essa distribuição, o número total de galões me- e. 280.
nores será: 6. (FCC) Durante os próximos 5 anos, a contar
de 2 de janeiro de 2007, a entrega de material
a. 6. para a secretaria da escola está organizada da
b. 8. seguinte maneira:
c. X 10.
d. 12. papel a cada 2 meses;
e. 14. lápis a cada 3 meses;
tinta para impressoras a cada 6 meses;
4. (FCC) O século XX foi do ano 1901 até o ano pastas de arquivo a cada 5 meses.
2000. Renato nasceu no mês de outubro em
um ano do século XX. Seu ano de nascimento Se todos esses itens de material forem entre-
é múltiplo de 23, com soma dos quatro algaris- gues no dia 2 de janeiro de 2007, em quantas

20 CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 20 05/04/2018 21:43:19

20

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 20 29/05/2018 11:48:44


outras datas, além desta, haverá coincidência na as três tarefas. Se Júlia realizar as tarefas rigo-
entrega de todos os itens? rosamente em dia, então é certo que a próxima
vez que ela deverá realizar essas três tarefas, no
a. X 2. mesmo dia, será numa:
b. 4.
c. 6. a. segunda-feira.
d. 12. b. terça-feira.
e. 15. c. X quarta-feira.
d. quinta-feira.
7. É divisível por  2,  3  e  5,  simultaneamente, o e. sexta-feira.
número:
11. (FCC) Um evento em comemoração ao dia
a. 470. do trabalho, com duração de 2 dias, é promovido
b. 1.040. para empresas de uma certa cidade. Para o pri-
c. 460. meiro dia do evento foram distribuídos 1.200 in-
d. X 1.020. gressos e, para o segundo dia, 1.800 ingressos. As
e. 1.064. empresas contempladas só poderiam participar
em um único dia, recebendo, cada uma, a mes-
8. Três peças de tecido que medem 15 m, 45 m e
ma quantidade máxima possível de ingressos. O
105 m devem ser todas cortadas em pedaços de
número de empresas participantes do evento é:
mesmo comprimento e de maior tamanho pos-
sível, sem que haja sobras. Quanto medirá cada
a. 12.
pedaço?
b. 18.
c. 9.
a. 12 m.
d. 6.
b. 13 m.
e. X 5.
c. 14 m.
d. X 15 m.
12. O total de divisores naturais do número 360 é:
e. 16 m.

9. (Cesgranrio) Em uma caixa há cartões. Em a. X 24.


cada um dos cartões, está escrito um múltiplo b. 18.
de 4 compreendido entre 22 e 82. Não há dois c. 16.
cartões com o mesmo número escrito, e a quan- d. 28.
tidade de cartões é a maior possível. Se forem
retirados dessa caixa todos os cartões nos quais 13. A estação rodoviária de uma cidade do in-
está escrito um múltiplo de 6 menor que 60, terior de Pernambuco, é o ponto de partida das
quantos cartões restarão na caixa? viagens intermunicipais. De uma plataforma da
estação, a cada 15 minutos, partem os ônibus
a. X 12. da Aviação Progresso, com destino a cidade de
Caruaru. Os ônibus da Viação Sucesso partem
3:19

b. 11.
c. 3. da plataforma vizinha a cada 18 minutos, com
d. 5. destino à cidade de Garanhuns. Se às 11 horas,
e. 10. os dois ônibus partirem simultaneamente, a que
horas os dois ônibus partiram juntos:
10. (Vunesp) Júlia trabalha somente de segunda
a sexta-feira, independentemente de ser feria- a. 12 horas.
do ou não, e realiza a tarefa A de 2 em 2 dias, b. X 12h30min.
a tarefa B de 3 em 3 dias e a tarefa C de 4 em c. 13h30min. 
4 dias. Na segunda-feira passada, ela realizou d. 14 horas.

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 21

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 21 05/04/2018 21:43:19

21

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 21 29/05/2018 11:48:44


14. Usando o critério de divisibilidade para fa- 19. Usando o critério de divisibilidade, assinale
cilitar nossos cálculos e considerando que po- os números que são divisíveis por 3.
demos usar o algoritmo da divisão, verifique:
a. 107.
a. 1.809 é divisível por 3. b. X 207.
Sim, é divisível. c. 328.
d. X 1.101.
b. 2.024 é divisível por 4. e. X 1.026.
f. 913.
Sim, é divisível. g. 506.
c. 791 é divisível por 7. h. X 4.005.

Sim, é divisível. 20. Dentre os números da questão anterior,


responda se houver:
d. 1.246 é divisível por 5.
a. quais são os divisíveis por 2?
Não, não é divisível.
352, 532.
e. 3.454 é divisível por 11.
b. quais são os divisíveis por 3?
Sim, é divisível.
Nenhum.
f. 2.156 é divisível por 17.
c. quais são os divisíveis por 5?
Não, não é divisível.
235, 325.
15. O número natural 1.071 é divisível por 9?
Qual o próximo número natural maior que 1.071 d. quais são divisíveis por 4?
que é divisível por 9?
352, 532.
Sim, 1.080.
21. Um ano é bissexto quando o número que
16. O maior número possível menor que 100 representa o ano é divisível por 4 ou, no caso
que é divisível por 7 pode ser calculado por 100 dos anos terminados em 00, é divisível por 400.
– n, em que n representa o resto da divisão de Sabendo dessa informação quais as primeiras
100 por 7. Determine, então o maior número décadas do século XXI que (começa no ano
possível menor que 100, que é divisível por 7. 2001 e termina em 2010) é ano bissexto?
O número procurado é 98. 2004 e 2008.

17. Para participar de um concurso, se inscreve- 22. Considere os números a seguir:


ram 23 mulheres e 49 homens. O representante do
concurso resolveu dividir em grupos mistos de tal 5.010 5.016 5.011 5.017 5.012 5.018
forma que todos os grupos tenham a mesma quan- 5.013 5.019 5.014 5.020 5.019
tidade de pessoas. Nessas condições o coordena-
dor poderá formar quantos grupos de 8 pessoas? Identifique quais deles são divisíveis por:
Serão formados 9 grupos. a. por 5
18. Usando os algarismos 2,3 e 5, você pode es- 5.010, 5.015, 5.020.
crever seis números naturais formados por esses
três números sem repeti-los? b. por 2
235, 253, 325, 352, 523, 532. 5.010, 5.012, 5.014, 5.016, 5.018, 5.020.

22 CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 22 05/04/2018 21:43:19 M

22

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 22 29/05/2018 11:48:46


c. por 10 27. Entre os números 11 e 21, há quatro núme-
ros primos. Quais são esses números? É correto
5.010, 5.020.
afirmar que sua soma é um múltiplo de 15?
d. por 9 11, 13, 17, 19. Sim.
5.013.
28. Numa sala de aula de estudam 16 meninas
e. ao mesmo tempo por 5 e 10 e 11 meninos. O número de alunos que estuda
5.010. nessa sala é um número primo?
Não.
23. Responda usando sim ou não, se 1.000 é
divisível ao mesmo tempo por:
29. Usando o conhecimento adquirido do Cri-
a. por 6 e por 9 vo de Erastóstenes sobre como identificar se
Não. um número natural é primo verifique se os nú-
meros abaixo são primos:
b. por 5 e por 7
a. 127
Não.
É primo.
c. por 5 e por 8
b. 203
Sim.
Não é primo.
d. por 2 e por 10
Sim. c. 401
É primo.
e. por 8 e por 7
Não. 30. De acordo com o censo de 2010 de uma fon-
te de pesquisa popular sobre o índice de jovens
f. por 8 e por 9
que consegue escolher um curso superior ainda
Não. estudando no ensino médio. 449 jovens optam
em seguir os estudos para o curso de Direito. Ve-
g. por 4 e por 5
rifique se esse número é um número primo. (Use
Sim. o algoritmo de divisão por números primos.)

24. A idade de Caio corresponde o maior divi- Sim, é primo.


sor do número 32, sem ser o número 32. Qual é
a idade de Caio? 31. (Vunesp) Uma pessoa comprou um frasco
16 anos. do medicamento A, com 93 comprimidos, e um
frasco do medicamento B, com 87 comprimidos
25. O número de apartamentos de Clarice e e quer separá-los em pacotinhos, todos com
Fernando corresponde ao maior divisor, ao o mesmo número de comprimidos e na maior
mesmo tempo de 40 e 50. Qual é o número do quantidade possível, de modo que cada pacoti-
apartamento dos dois? nho tenha comprimidos de um só medicamento
e que não ocorra nenhuma sobra. O número to-
10.
tal de pacotinhos que devem ser feitos é:
26. Entre os números naturais 45 e 55 há dois
que são primos. Quais são esses números? a. 52. b. 55.
c. 58. d. X 60.
47 e 53.
e. 63.

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 23

:19 Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 23 05/04/2018 21:43:20

23

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 23 29/05/2018 11:48:46


32. (FCC) Em uma urna, existem 80 bolas. Em pacotes, contendo cada um deles apenas catálo-
cada bola, está marcado um número inteiro di- gos de um mesmo tipo. Com base nas informa-
ferente. Desses números, 55 são pares e, dentre ções do texto, é correto afirmar que, se todos os
os ímpares, todos são múltiplos de 3. Se em me- pacotes tiverem o mesmo peso e se esse peso
tade das bolas está marcado um número múlti- for inferior a 10 kg, então cada pacote pesará:
plo de 3, a quantidade de bolas que estão mar-
cadas com um número múltiplo de 6 é igual a: a. 8,3 kg.
b. X 8,4 kg.
a. X 15. c. 8,0 kg.
b. 20. d. 8,1 kg.
c. 25. e. 8,2 kg.
d. 30.
e. 35. 38. (FCC) A soma dos três menores divisores
positivos de cada um dos números 14, 32 e 45 é
33. A quantidade de divisores primos que pos- um divisor do número:
sui o número 60 é:
a. 44.
a. X 3. b. 30.
b. 5. c. 60.
c. 12. d. X 52.
d. 11. e. 80.
34. (IMA) Qual é o menor número que se deve
somar a 683.251 para que resulte um número di- 39. Sabendo-se que o número A = 23 ⋅ 3 x ⋅ 51
visível por 3? possui 24 divisores positivos, podemos afirmar
que o valor de x é:
a. 1.
b. 3. a. 0.
c. X 2. b. 1.
d. 4. c. X 2.
d. 3.
35. (EsPCEx) No número 34n27, qual é o alga- e. 4.
rismo que substitui n para que ele seja divisível
por 9? 40. Duas composições de metro partem simul-
taneamente de um mesmo terminal, fazendo,
2. itinerários diferentes. Uma delas torna a partir a
cada hora e meia. Qual o tempo decorrido já que
36. Se M.M.C. (360, 300) = a e M.D.C. (360, 300)
as duas partem simultaneamente nesse terminal?
= b, então a · b é igual a:
a. X 12 horas.
a. 1.080.000. Ma
b. 11 horas.
b. X 108.000.
c. 10 horas.
c. 10.080.
d. 9 horas.
d. 1.080.
e. 108. 41. (Vunesp) Um acampamento de escoteiros
reuniu 72 representantes de uma cidade, 54 de
37. (Cespe) Uma empresa confeccionou catálo- outra e 84 de uma terceira cidade. Para uma
gos dos tipos A e B para presentear seus clientes. das atividades, os escoteiros foram divididos no
Um catálogo do tipo A pesa 240 g e um do tipo maior número de grupos possível, garantindo
B, 350 g. Os catálogos foram organizados em que em cada grupo todos fossem da mesma ci-

24 CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 24 05/04/2018 21:43:20

24

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 24 29/05/2018 11:48:48


Objetivos alcançados
dade e que todos os grupos tivessem o mesmo 45. (Cesgranrio) Os números naturais m, n e p
número de pessoas. O total de grupos assim são pares e consecutivos. Seja S = m + n + p.
formados é igual a: Conclui-se que S será sempre divisível por: • Identificar se o número é ou não múl-
tiplo e divisor de outro número em N.
a. 5. b. 7. a. X 6.
c. X 35. d. 70. b. 8. • Identificar o conjunto dos múltiplos
e. 105. c. 9. de um número em N e aplicar os crité-
d. 10.
42. Determine o valor de 2n, sabendo que n é o e. 12.
rios de divisibilidade.
número de divisores naturais de 3.000.
46. (Vunesp) Para a realização de uma atividade
• Identificar quando um número é primo.
a. 3. b. 4. cívica, 180 alunos de um colégio foram levados • Usar o Crivo de Erátostenes para iden-
c. X 8. d. 32. ao pátio e colocados em fileiras. Sabendo-se que tificar se os números são primos ou com-
o número de alunos de uma fileira corresponde
e. 64. postos.
ao número de fileiras mais 3, pode-se concluir
43. Qual é o número de elementos que formam que o número de alunos de uma fileira é: • Analisar um número fatorado.
o conjunto dos múltiplos estritamente positivos
a. X 15.
• Encontrar os divisores pela decom-
do número 3, menores que 31?
b. 13.
posição em fatores primos.
a. 9. b. X 10. c. 11. • Interpretar e calcular o M.D.C. de
c. 11. d. 12. d. 9. dois ou mais números naturais pela
e. 13.
decomposição em fatores primos e de
44. Aluízio comprou dois pacotes de balas: um 47. Três torneiras  estão com vazamento. Da forma simultânea.
contendo 84 balas e outro contendo 74 balas
e as distribuiu em quantidades iguais para 12
primeira cai uma gota de 4 em 4 minutos; da
segunda, uma de 6 em 6 minutos; e da tercei-
• Interpretar e calcular o M.M.C. de
pessoas. Nessas condições, o total de balas que ra, uma de 10 em 10 minutos. Exatamente às 2
dois ou mais números naturais pela
restou a Aluízio foi: horas cai uma gota de cada torneira. A próxima decomposição em fatores primos e de
vez que pingarão juntas novamente será às: forma simultânea.
a. 0.
b. 1. a. X 3 horas.
c. X 2.
d. 3.
b.
c.
4 horas.
2 horas e 30 minutos.
Anotações
d. 3 horas e 30 minutos.

CAPÍTULO 1 I Múltiplos e divisores de um número natural 25

Matematica_Contextualizada_7ºano_01.indd 25 05/04/2018 21:43:20

:20

25

ME_Matemática_Contextualizada_7A_01.indd 25 29/05/2018 11:48:49


Andrii Zhezhera/Shutterstock.com

Números negativos
CAPÍTULO 2

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 26 05/04/2018 21:42:46 M

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 26 29/05/2018 11:49:28


Os números negativos eram usados na
China antiga na forma de contadores:
eles eram separados em vermelhos, que
representavam números positivos, e pre-
tos, para números negativos. Esse dado
foi descoberto em um livro, que datava
da época da Dinastia Han (202 a.C – 220).

• No capítulo que segue, introduziremos o


conceito de números negativos;

• Verificaremos situações-problema que


envolvam números negativos, utilizando
diferentes estratégias para resolução;

• Identificaremos e compreenderemos a
utilização dos números negativos em
situações do nosso dia a dia.

:46 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 27 05/04/2018 21:42:47

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 27 29/05/2018 11:49:29


Conteúdos
conceituais
O surgimento do sinal
negativo
• Números inteiros Z A partir do momento em que o ser humano
• Representando Z na reta real sentiu a necessidade de contar e de registrar a
• Inteiros opostos ou simétricos quantidade das coisas que estavam ao seu re-
dor, ele começou a criar símbolos para repre-
• Módulo de um inteiro sentar quantidades. Com o tempo, o homem
• Os inteiros no cotidiano passou a enfrentar situações diferentes, tendo

• Comparando inteiros que registrar débitos, dívidas, número de ob-


jetos perdidos, saldo bancário negativo, etc. 1.000 litros –200 –350
• Operações com inteiros Foi assim que surgiu o sinal negativo, que é
popularmente chamado de sinal de menos e
representa números menores que zero.
BNCC Provavelmente, tais números se referiam ao que faltava para completar cada barril no comércio
de mercadorias.
Hoje, com o desenvolvimento das Ciências, utilizamos ainda mais esses números, como na loca-
lização do fuso horário, na balança comercial, no saldo de gols de um campeonato de futebol, na
Objetos de conhecimento bolsa de valores e em quase todos os ramos da ciência. Neste capítulo, vamos aprender a operar
com os números negativos e conhecê-los melhor.

• Números inteiros: usos, história, or- Os números negativos indicando temperatura


denação, associação com pontos da
reta numérica e operações. Uma das situações em que mais aparecem os números menores que zero é na indicação da tem-
peratura. No Brasil, país de clima tropical, as temperaturas médias registradas durante o ano ficam
em torno de 28 °C. Vejamos algumas temperaturas registradas em algumas cidades brasileiras no
Habilidades trabalhadas no ano de 2015.
capítulo
Rio de Janeiro – RJ Curitiba – PR
(EF07MA03) Comparar e ordenar núme-
ros inteiros em diferentes contextos, in-

Andre B Adur/Shutterstock.com
cluindo o histórico, associá-los a pontos
juninatt/Shutterstock.com

Observe que as tempe-


raturas abaixo de zero
da reta numérica e utilizá-los em situa- têm valor negativo.
42,8 °C – 0,8 °C
ções que envolvam adição e subtração.
(EF07MA04) Resolver e elaborar pro-
blemas que envolvam operações com São Joaquim – SC Palmas – TO
números inteiros.
Pedro Moraes/Shutterstock.com

Dicas para o professor


Arthur Puls/Wikimedia.com

– 6,3 °C 41,7 °C

Professor, procure sondar se os alu-


nos já conheciam os números inteiros.
28
Comente sobre a importância e a uti- CAPÍTULO 2 I Números negativos

lidade desses números e dê exemplos


de sua aplicação no cotidiano. Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 28 05/04/2018 21:42:48 Ma

Anotações

28

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 28 29/05/2018 11:49:31


Dicas para o professor
Você sabia?
A temperatura mais fria registrada • Peça que os alunos pesquisem sobre

www.ngdc.noaa.gov
até hoje foi na estação científica de o fuso horário de seu estado e o com-
Vostok, Antártida, onde, no dia 10 de pare com outros estados da Federação
agosto de 2010, a temperatura che-
gou a -89,2 °C, conforme informa-
e países, para começarem a ter noções
ções colhidas pelo satélite Landast 8 das operações com números inteiros.
da Nasa.
Essa estação foi criada pela então
• Identificar os subconjuntos dos intei-
União Soviética no ano de 1957 e, ros, esclarecendo que o conjunto dos
hoje em dia, é a residência de diver- números naturais também faz parte
sos pesquisadores russos, franceses e
americanos.
dos inteiros.

Outras situações em que utilizamos números negativos


• Perceber que todo número natural é
inteiro e que nem todo inteiro é natural.
Lucro x prejuízo • Mostre aos alunos que o sinal positi-
Os resultados financeiros de uma empresa, nos dois semestres de determinado ano, foram: vo (+) na frente dos números positivos
1º semestre → - R$ 60.000,00 pode ser dispensado, mas que o sinal
2º semestre → + R$ 120.000,00 negativo (–) é obrigatório.
Para diferenciar as duas situações, indicamos o lucro com o sinal de + e o prejuízo com o sinal
de –.

Crédito x débito
Nas contas bancárias, os créditos são representa-
dos por números positivos, e os débitos, por núme- Gastei mais do que tinha,
ros negativos. agora tenho um débito
de R$ -2.000,00.
Lembre-se de que crédito é a quantia que se tem
a receber e débito é a quantia que se deve. Anotações
Leia o diálogo abaixo.

Artur: — Vitor, você pode me ajudar a responder


uma questão da tarefa de Matemática? Não estou
conseguindo sozinho.
Vitor: — Claro! O que diz a questão?
Artur: — Se um cliente, depois de jantar, der duas
notas de R$ 100,00 para pagar sua conta de R$ 126,80,
quanto deverá receber de troco?
Vitor: — Vamos pensar, maninho. Se ele deu duas
Sasa Prudkov/Shutterstock.com

notas de R$ 100,00, logo ele tem 2 × 100 = R$ 200,00


de saldo positivo. Porém, há um saldo negativo refe-
rente ao seu jantar, que é de R$ -126,80. Logo, o troco
será o resultado entre 200 - 126,80. Já sabe a resposta?
Artur: Sim, R$ 73,20. Obrigado!

CAPÍTULO 2 I Números negativos 29

2:48 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 29 05/04/2018 21:42:48

29

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 29 29/05/2018 11:49:34


Dicas para o professor

Amplie o conhecimento
Aproveite o assunto Altitude para
estabelecer uma interdisciplinarida- Altitude
de com os professores de Geografia 2.000
Vejamos um pouco sobre um famoso e
e Ciências. Eles darão visões diferen- curioso país da Europa, a Holanda. Porém,
1.500

tes do assunto e ainda deixarão a aula antes de citarmos algumas características 1.000
físicas desse país densamente povoado,
mais divertida.
500
precisamos falar sobre os Países Baixos. 0
Entenda por quê.
Os Países Baixos tratam-se de 12 pro-
500

Leitura complementar víncias, que são a parte europeia do Rei- 1.000


no Unido dos Países Baixos. Dentre essas 1.500
províncias, duas possuem maior destaque:
Balança Comercial a Holanda do Norte e a Holanda do Sul. Isso fez com que os Países Baixos ficassem popularmente
conhecidos como Holanda, mesmo a Holanda (do Norte e do Sul) sendo apenas uma parte desse
conjunto de províncias.
Balança Comercial é o indicador Agora que você já sabe por que Holanda designa o conjunto dos Países Baixos, deve estar se
perguntando: mas por que esse nome? Nessa região, localizada no noroeste da Europa, encontra-
econômico que representa a relação -se a altitude média mais baixa, uma vez que um quarto do território fica abaixo do nível do mar. Por
entre o total de exportações e impor- isso é que são chamados de Países Baixos.
Lembre-se de que se considera altitude zero a altitude do nível do mar. Altitudes inferiores ao
tações de bens e serviços de um país
nível do mar (nível zero), representamos com números negativos. Por exemplo: -20 m, que indica 20
em determinado período. Pode ser metros abaixo do nível do mar.
expressa pela fórmula:

Saldo da Balança Comercial =


Exportações – Importações
Atividades
 
Superávit da Balança 1. Nas agências bancárias, os créditos são re- Balança comercial negativa
presentados por números positivos e os débitos
Comercial por números negativos. Represente as seguin- O Maranhão nunca importou tantos produ-
tes situações com números inteiros: tos como fez este ano. Os 101 produtos fabrica-
Quando o total de exportações de + 95,00 dos em outros países que entraram no estado
a. Crédito de R$ 95,00 –
bens e serviços for superior ao total de até setembro pelo Complexo Portuário de São
-200,00 Luís representam um desembolso de US$ 4,2 bi-
importações, registra-se um superávit b. Débito de R$ 200,00 –
lhões, o que foi suficiente para deixar a balança
no saldo da Balança Comercial. O su- c. Débito de R$ 198,00 –
-198,00 comercial negativa.
perávit da Balança Comercial é um fa- O déficit é de US$ 1,9 bilhão, resultado que é
-1.000,00 39% maior do que o anotado em 2008, ano em que
d. Débito de R$ 1.000,00 –
tor positivo na economia de um país, foi registrado o maior déficit da balança comercial
+120,00
já que mostra que o mesmo está ex- e. Crédito de R$ 120,00 – da história. O Ministério do Desenvolvimento e
Comércio Exterior (Mdic) passou a acompanhar a
portando (vendendo) mais bens e ser- 2. Leia o texto a seguir e responda as perguntas flutuação do fluxo de mercadorias importadas e
viços do que está importando (com- que se seguem. exportadas no Brasil a partir de 1999.
prando).  O resultado positivo da
30
Balança Comercial gera um lucro que CAPÍTULO 2 I Números negativos

pode ser utilizado para investir no pró-


prio sistema econômico do país. Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 30 05/04/2018 21:42:48

(vendendo) menos bens e serviços do a  taxa de cobertura das importações


Superávit da Balança Comercial = que está importando (comprando).  O pelas exportações, ou, simplesmente,
Exportações > Importações resultado negativo da Balança Comer- a taxa de cobertura. Essa taxa nos in-
  cial gera um prejuízo que deve ser co- dica em que percentagem as exporta-
Déficit da Balança Comercial berto pelas reservas financeiras do país. ções pagam as importações.
A taxa de cobertura é importante,
Quando o total de exportações de Déficit da Balança Comercial = pois proporciona a noção exata do grau
bens e serviços for inferior ao total de Importações > Exportações de (in)dependência comercial de um país
importações, registra-se um déficit no   em relação ao mercado externo, a um
saldo da Balança Comercial. O déficit Taxa de Cobertura grupo de países ou a um único país.
da Balança Comercial é um fator nega-
tivo para a economia de um país, já que A razão entre o total de exporta- Taxa de Cobertura =
mostra que o mesmo está exportando ções e importações de um país indicam Exportações / Importações
M

30

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 30 29/05/2018 11:49:35


No entanto, a notícia não é necessariamen- 4. Em campeonatos de futebol, o saldo de gols
te ruim. O fato é que 82,58% das importações de uma equipe é a diferença entre o número de
do estado são com combustíveis, como diesel gols marcados (gols pro) e o de gols sofridos
e querosene. Assim, o volume de importação (gols contra).
acaba sendo um bom indicador do aquecimen- Os números negativos foram criados para que
to da atividade econômica nas regiões Norte e sempre pudéssemos calcular a diferença entre
Nordeste do país, que têm passado por grandes dois números, mesmo quando precisássemos
transformações econômicas nos últimos anos. subtrair o maior do menor. No caso de empate
na classificação, o saldo é usado para desempa-
Fonte: http://clippingma.webnode.com.br/. te: ganha quem tem saldo maior.
Veja o saldo de gols de três equipes que termi-
a. Determine um número do texto que repre-
senta uma fração de denominador 100. naram o campeonato empatadas e determine
qual equipe ganhou e justifique sua resposta.
39 82, 58
ou Equipe Saldo de gols
100 100
Equipe A -2
b. Determine um número do texto que pode ser Equipe B -5
escrito utilizando o sinal de menos para repre- Equipe C -3
sentá-lo e justifique.
-1,9 bilhão, pois representa um déficit. A Equipe A é a vencedora, pois seu saldo de

gols é de –2, o menor saldo negativo entre as


3. Encontre, em matérias de revistas e jornais
ou na Internet, um artigo que envolva números três equipes.
negativos. Resposta pessoal

5. Observe a seguinte reta que representa fatos importantes que aconteceram antes e depois de
Cristo.

– 250 a.C. +10 d.C.


Min C Chiu/Shutterstock.com

Reprodução

Primeiras referências do Nascimento de Heron


relógio de areia. de Alexandria.

2:48

– 600 a.C. – 287 a.C. – 63 a.C. +1500 d.C.


Reprodução

Pecold/Shutterstock.com

Reprodução

Reprodução

Nascimento do 1º
Tales de Mileto, início da Invenção das rodas imperador romano Descobrimento do
Matemática Dedutiva. dentadas. Otávio Augustus. Brasil.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 31

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 31 05/04/2018 21:42:49

31

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 31 29/05/2018 11:49:36


Dicas para o professor
a. O que acontece com os números dessa reta que estão localizados mais para esquerda?
São listados como negativos.
O assunto Fusos horários também
pode ser trabalhado de forma interdis- b. Quem é maior: -250 ou -287?
ciplinar com Geografia. Aproveite para
-250.
ressaltar a divisão da Terra em meridia-
nos e paralelos, os fusos horários brasi-
leiros e a importância da Linha Interna- Para analisar:
cional de Mudança de Data. Fuso horário

As zonas horárias, ou fusos horários, são cada uma das vinte e quatro áreas em que se
Atividades divide a Terra e que seguem a mesma definição de tempo. Anteriormente, usava-se o tem-
complementares po solar aparente, de forma que a hora do dia se diferenciava ligeiramente de uma cidade
para outra. Os fusos horários corrigiram em parte o problema ao colocar os relógios de cada
região no mesmo tempo solar médio. O meridiano zero é conhecido como meridiano de
Greenwich, onde se situa a capital da Inglaterra, Londres.
1. Num certo dia do mês de agosto, os Hora do Fuso
termômetros registraram as seguintes
temperaturas em algumas cidades do 60º Anchorage São Petersburgo

mundo:
Moscou
Londres
Toronto Paris
Chicago
Nova York Roma Pequim
Seul
Los Angeles Teerã Tóquio
30º
Cairo
Cidade do Miami Délhi Xangai

Cidade Temperatura Oceano


México
Calcutá Manila Oceano
Atlântico Lagos Pacífico
Oceano
Buenos Aires –10 °C 0º

Pacífico Manaus
Nairóbi

Lima Brasília
Oceano Jacarta

Porto Alegre –1 °C Rio de Janeiro Índico

ata
São Paulo

eD
Sydney

Moscou +18 °C
30º
Santiago
Buenos Aires Cidade Adelaide

d
do Cabo

ça
Sentido da rotação da Terra

n
da
Barcelona +26 °C
Movimento aparente do Sol
u
M
e
ld
60°

na
Orlando +22 °C 180º 165º 150º 135º 120º 105º 90º 75º 60º 45º 30º 15º 0º 15º 30º 45º 60º 75º 90º 105º 120º 135º 150º 165º 180º
I n terna
cio

ha
-12 -11 -10 -9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 +8 +9 +10 +11 +12 Lin

Peça que os alunos resolvam as ativi- O cálculo do fuso horário é muito simples: utiliza-se matemática básica. O único item
dades em dupla, isso dará mais segu- necessário para o cálculo dos fusos é um mapa com os eixos do mundo, como evidenciado
na imagem acima.
rança a eles e promoverá uma maior Agora, vamos entender os fusos matematicamente, pois aí está o segredo para fazer
interação entre os colegas. o cálculo: o mundo contêm 24 eixos, cada eixo é representado por 15 graus, e cada grau
possui 4 minutos, ou seja, a cada 15 graus é passada 1 hora, para mais ou para menos. A
a) Como você interpreta os dados
cada eixo de 15 graus a leste, é adicionada 1 hora (+1); e a cada 15 graus a oeste, subtrai-se
apresentados nessa tabela? 1 hora (-1).
Resposta: Em duas cidades, as tempe- O eixo zero é o de Londres (meridiano de Greenwich), o eixo do Brasil é o -3, e os eixos
da Ásia (e um pouco da Eurásia) são os eixos 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11 e 12.
raturas estão abaixo de 0 grau. Pesquise e mostre exemplos de mudança de fusos entre países.
b) O que estão representando os si-
nais + e –?
32
Resposta: Temperaturas acima de zero CAPÍTULO 2 I Números negativos

(+) e abaixo de zero (–).


Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 32 05/04/2018 21:42:49 Ma

Anotações

32

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 32 29/05/2018 11:49:38


Dicas para o professor
Os negativos na reta numérica
Definimos o conjunto dos números inteiros como a reunião do conjunto dos números naturais, • É importante que os alunos perce-
dos opostos dos números naturais (negativos) e do zero. Esse conjunto é denotado pela letra Z bam a utilização dos inteiros no coti-
(Zahlen = número, em alemão) e pode ser escrito por: diano e enumerem situações em que
Z = {..., -4, -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3, 4,...}
eles sejam utilizados.
Atenção • Construa uma reta real e enumere
O número zero não é positivo nem negativo. os elementos do conjunto dos núme-
ros inteiros, facilitando, assim, a com-
Os números indicados para representar quantidades negativas, tais como -1, -2, -3, -4, -5..., são preensão do assunto.
chamados de números inteiros negativos.
• Ressalte que o número zero não é
positivo nem negativo.
–5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5
• Comente com os alunos que, assim
A B C D E 0 F G H I J como os números naturais, o conjunto
dos inteiros também é infinito.
Cada número inteiro é a coordenada de um ponto sobre a reta, chamado de abscissa.
• Mostre aos alunos que cada número
Exemplos: representa um ponto da reta e que ca-
A abscissa do ponto A é -5.
A abscissa do ponto H é +3.
da ponto pode ser nomeado por sua
A abscissa do ponto O é 0. letra (imagem geométrica).
Na reta acima, temos:
• Construa a reta na lousa sem co-
locar todos os números e coloque al-
O ponto O é chamado de origem. Esse ponto representa o número zero. gumas letras, depois peça aos alunos
Os números situados à direita do zero são chamados de números inteiros positivos.
Os números situados à esquerda do zero são chamados de números inteiros negativos.
que completem ou digam a abscissa
de cada letra ou a imagem de cada
número.
• Depois, pergunte aos alunos o por-
Atividades quê de representarmos os simétricos
1. Com relação aos números inteiros, qual das 2. Determine a variação de unidades quando na
dos inteiros negativos. Aproveite as
seguintes afirmações não pode ser verdadeira? reta numérica saímos de: respostas para explicar que o número
a. 17 e chegamos a 2. zero é maior que qualquer negativo e
a. A altura de um cachorro pode ser repre-
sentada por um número decimal. 15 unidades. menor que qualquer positivo.
b X A idade de uma tartaruga pode ser dada
por um número inteiro negativo. b. -2 e chegamos a 8.

Anotações
c. O peso de uma fruta-pão pode ser repre- 10 unidades.
sentado por um número inteiro.
d. O saldo de uma conta bancária pode c. -10 e chegamos a -1.
ser representado por um número inteiro ou
decimal. 9 unidades.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 33

2:49 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 33 05/04/2018 21:42:49

33

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 33 29/05/2018 11:49:39


Dicas para o professor
3. (Obmep) Na Sibéria, situa-se o local habitado

Maarten Taken
mais frio do mundo: a aldeia de Oymyakon. Um
• Alguns autores afirmam que o mó- dia, no início da manhã, ela estava com a tem-
dulo é a distância do número à ori- peratura agradável de 1 °C. No meio da manhã,
essa temperatura subiu 4 °C. Perto do meio-dia
gem. Para fins de entendimento, pre- subiu 2 °C, no meio da tarde caiu 10 °C, no início
ferimos oferecer uma definição mais da noite caiu 12 °C e à meia-noite desceu 9 °C.
Nesse último momento, qual a temperatura que
simples. Sugerimos que o professor fa- registrava o termômetro?
ça esse esclarecimento ao educando.
-24 °C.
• Compreender a ideia de oposto e Floresta congelada em Oymyakon.

simétrico.
• Entender o conceito de módulo, ou Valor absoluto, ou módulo, de um número inteiro
valor absoluto de um número inteiro. A distância de um ponto à origem é chamada de valor absoluto, ou módulo. Indicamos o valor
• Identificar o sinal de módulo e apli- absoluto (ou módulo) de um número colocando esse número entre duas barras. Assim, o módulo
de -3 é indicado por |-3|.
cá-lo corretamente. Numa reta numérica, é possível determinar a distância do ponto da abscissa zero (origem) a um
• Mostre aos alunos que dois núme- outro ponto qualquer da reta.
ros inteiros são simétricos quando se
distam igualmente da origem.
• Apresente o módulo de um número
como sendo a distância desse número
até a origem.

Anotações –5 –4 –3
C
–2 –1 0 +1 +2
B
+3 +4
A
+5

A distância do ponto 0 ao ponto A é de 4 unidades.


A distância do ponto 0 ao ponto B é de 2 unidades.
A distância do ponto 0 ao ponto C é de 3 unidades.

Então, temos:
|-4| = 4.
|+2| = 2.
|-3| = 3.

Leitura complementar Números opostos


O oposto, ou simétrico, de um número é indicado colocando-se o sinal de - (menos) à esquerda
dele. Veja alguns exemplos:
Numeri Absurdi O oposto de +5 é indicado por: -(+5) = -5
O oposto de -6 é indicado por: -(-6) = +6
Os números inteiros negativos são O oposto de 18 é indicado por: -(+18) = -18
utilizados para representar a diferen-
34
ça, falta, mudança de orientação, em CAPÍTULO 2 I Números negativos

situações de perdas e ganhos num


jogo, débitos e créditos bancários, Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 34 05/04/2018 21:42:50

temperaturas acima e abaixo de zero. O primeiro texto em que apare- tivos a créditos e números negati-
A análise da evolução histórica dos ceram explicitamente as regras, à vos a débitos, Brahmagupta fez uso
números mostra que pensar em núme- luz das quais a aritmética com nú- dos números negativos em seus cál-
ros negativos representou um grande meros negativos passou a ser ma- culos. No dizer de Brahmagupta, um
desafio para a humanidade. Conta-se nipulada com certa sistematização, débito menos zero é um débito, um
que o matemático grego Diofanto (sé- foi a obra Brahmasphutasiddhan- débito subtraído de zero é um crédi-
culo III) limitava-se a classificar o pro- ta (A abertura do Universo), escrita to, o produto de dois créditos é um
blema dos números negativos como em 628 d.C. pelo matemático hindu crédito, o produto de dois débitos é
“absurdo”. O uso pioneiro dos núme- Brahmagupta (598–670). Tal sistema- um crédito, etc. Dessa forma, ele es-
ros negativos é atribuído aos chineses tização ocorreu como resultado de tabelece as regras de sinais.
e aos hindus, que conceberam símbo- tentativas de formular um algoritmo
los para as faltas e diferenças “impos- para a resolução de equações qua- PIRES, Célia.Numeri Absurdi. Revista
síveis”, as dívidas. dráticas. Associando números posi- Fundamental, nov, 2008, p.37. Adaptado.
M

34

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 34 29/05/2018 11:49:41


Essa é difícil, Cadu,
não sei!
Alison, olha esta questão que
caiu na prova de Matemática:
cada caixa de fósforos produzida por
determinada fábrica contém 100 palitos.
Um maço é composto por exatamente 50
caixas, e um caixote é formado por 100
maços. Desse modo, o numeral que
representa a quantidade de palitos
que há em um caixote é?

É simples! A soma total do


número de fósforos dentro do
caixote é de 500.000, porque 100 x 50
= 500, e 500 x 100 = 500.000. Assim, a
resposta certa é 5, pois corresponde à
soma dos valores absolutos de todos
os algarismos.

Atividades
1. Qual é a sentença verdadeira? 3. Responda ao que se pede com a devida
2:50
atenção:
a. –5 < –10 
a. Se |z| = 4, então z pode ser igual a ou
b. 97 < 36
a
c. 4 < –9
d. X –80 < –12 –4 ou 4.

2. Quais números inteiros possuem módulo me- b. Se |x| = 22, então x pode ser igual a
nor que 4? ou a
–3; –2; –1; 0 ; +1;+2; +3. –22 ou 22.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 35

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 35 05/04/2018 21:42:50

35

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 35 29/05/2018 11:49:42


Dicas para o professor
4. Nas fichas seguintes, estão escritos números a. Dê o módulo, ou valor absoluto, de cada um
inteiros: desses números.
• Comparar números inteiros positi- 9; 10; 37; 105; 50; 48; 10; 720.
vos e negativos; estabelecer critérios
de comparação entre dois números +9 –10 +37 +105 b. Há números opostos, ou simétricos? Quais
são esses números?
positivos, dois números negativos ou
Sim. –10 e +10.
um número positivo com um número
negativo. –50 –48 +10 –720 c. Qual é o número que tem maior valor absoluto?

• Compreender a relação de igualda- 720.


de (–) ou desigualdade (>, <).
• Comparar os inteiros com o núme- Comparação de números inteiros
ro zero.
Na comparação entre números positivos e negativos, os negativos serão sempre menores que
• É importante que os alunos perce- os positivos e o zero.
bam que nem sempre o maior núme- aumenta
ro tem o maior módulo ou o menor nú-
mero tem o menor módulo. Ao contrá-
rio dos números positivos, os negati- –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5
vos têm essa relação de forma inversa. diminui

Anotações Entre os números inteiros negativos, o maior será sempre o que estiver mais próximo da origem.
Já entre os positivos, o maior será sempre o que estiver mais distante da origem.

Atividades
1. Num dia muito frio na Argentina, a tempe- seguinte, houve uma queda de mais 3 °C; no
ratura estava 2 °C. À noite, a temperatura dimi- terceiro, a queda foi de 4 °C. Porém, no quar-
nuiu 5 °C. Em que ponto da reta numérica se to dia, houve um aumento repentino de 5 °C.
encontra a temperatura atingida? Indique qual a variação de temperatura des-
ses dias.
A B C D E
– 4 °C.

–4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4
3. Escreva um número para representar cada
No ponto B. item:
Atividades a. O número oposto a –18 –
+18
2. Uma estação meteorológica registrou, du-
complementares rante a época da friagem, uma queda de 2 °C b. O oposto de +a –
–a
na temperatura média de uma cidade devido
15
à chegada de uma massa de ar polar. No dia c. O oposto do oposto de 15 –
1. Observe a reprodução de um ex-
36
trato de conta de um cliente de um CAPÍTULO 2 I Números negativos

banco.
Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 36 05/04/2018 21:42:50 Ma

Conta-corrente 031 – 05 – 123456 – 1


Data Histórico Valor Saldo
30/03/2018 - - 216,00 C
01/04/2018 Saque 100,00 D 116,00 C
02/04/2018 Salário 1.200,00 C 1.316,00 C
03/04/2018 Saque 500,00 D 816,00 C
05/04/2018 Cheque 800,00 D 16,00 C
07/04/2018 Depósito 300,00 C 316,00 C
09/04/2018 Cheque 96,00 D 220,00 C
a) O que é um extrato bancário? A que período de tempo se refere o extrato?
Resposta: É um resumo da movimentação da conta bancária. O período é de 30/03/2018 a 09/04/2018.
b) O que significam as letras C e D nas colunas de valor e de saldo?

36

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 36 29/05/2018 11:49:43


Anotações
4. Observe a sequência de temperaturas regis- 7. Classifique em V as sentenças verdadeiras e
tradas em algumas cidades e reescreva-as em em F as falsas.
ordem crescente.
a. F O módulo de –5 é menor que o módulo
de +5.
Cidade Temperatura
b. V O sucessor de –15 é o oposto do ante-
cessor de 15.
Nova York 0° c. V Números opostos possuem o mesmo
módulo.
São Paulo 11° d. V O módulo de +70 é igual ao módulo de
–70.
Buenos Aires –2° 8. Observe os pontos da reta e responda:

La Plata –5° A P R E N D O

Paris 4° –10 –5 0 4 7 10 12

a. Qual dos pontos possui o mesmo módulo?


–5 ºC; –2 ºC; 0 ºC; 4 ºC; 11 ºC.
A e D.

5. Thiago comprou para sua lanchonete pão de b. Qual dos pontos possui o número menor?
alho, espetinhos de camarão e pães de queijo.
A.
Veja as instruções para cada produto:

Pão de alho: conservar entre –5 °C e –10 °C. c. Qual dos pontos possui o menor módulo?
Espetinhos de camarão: conservar entre –12 °C R.
e –20 °C.
Pão de queijo: conservar entre 4 °C e 0 °C.
d. O menor número tem o menor módulo?

a. Qual é o produto que deve ser submetido à Não, o menor número é o –10 e o seu módulo é 10.
menor temperatura?
Espetinho de camarão. e. Qual é o módulo de –5?
5.
b. Qual é o produto que resiste à maior tempe-
ratura? 9. Determine o valor de:
Pão de queijo. 35.
a. |-35| –

6. Um termômetro está registrando 12 °C. 7.


b. |-7| –
Quanto ele marcará se a temperatura:
101.
c. |+101| –
a. subir 8 °C? 20 °C
10. Considere os pontos indicados na reta nu-
b. descer 15 °C? –3 °C merada.
0 °C A P R E N D O
c. subir 3 °C e depois descer 15 °C?

d. descer 30 °C? –18 °C –10 –5 0 4 7 10 12

CAPÍTULO 2 I Números negativos 37

2:50 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 37 05/04/2018 21:42:51

Resposta: C significa crédito, e D sig-


nifica débito.
c) O que aconteceu no dia 30 de mar-
ço?
Resposta: Não houve movimentação.
d) O que significam as expressões sal-
do positivo e saldo negativo?
Resposta: Saldo positivo – que a conta
pode ter saldo credor. Saldo negativo
– que a conta não tem saldo e está de-
vendo ao banco.

37

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 37 29/05/2018 11:49:44


Dicas para o professor
a. Escreva, abaixo, a distância entre o ponto R b. Dentre esses pontos, qual é o simétrico ao
e o ponto: ponto A?
• Este é um momento importante na
D.
construção da ideia de adição dos intei- A– 10 P– 5
ros. Mostre a adição de várias formas, in- c. O valor absoluto de dois pontos simétricos é
E– 4 N– 7 sempre igual?
clusive por meio da reta numérica.
D– 10 Sim.
A abordagem do deslocamento se
torna interessante à medida que va- 11. Na reta numérica a seguir temos alguns pontos definidos por letras. Escreva os opostos desses
mos preparando o aluno para estudos números em ordem decrescente.
mais aprofundados, como o dos nú- B A C D
meros decimais ou ainda o estudo da
notação científica. –10 –9 –8 –7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

• Compreender a adição de números


inteiros com sinais iguais. 10, 7, –1 e –5.

• Perceber que, se os sinais são iguais, 12. Leia com atenção as afirmações e marque a alternativa correta.
a soma de dois inteiros terá o mesmo
I. Todo número inteiro diferente de zero possui um número oposto.
sinal que as parcelas, sejam eles posi- II. O módulo de um número é sempre um valor positivo.
tivos ou negativos. III. Números opostos e números simétricos são a mesma coisa.

a. Apenas a alternativa I está correta.


Atividades b. Apenas a alternativa II está correta.
c. Apenas a alternativa III está correta.
complementares d. X Todas as alternativa estão corretas.
e. Todas as alternativas estão erradas.

1. Complete corretamente com < ou >. Adição de números inteiros com mesmo sinal
a) 5 ___ –8 Imagine a seguinte situação de adição entre números inteiros negativos:
b) –3 ___ 0 Um peixinho, que está 2 metros abaixo do nível do mar, desce mais 3 metros. Agora, então, ele
c) –7 ___ –1 está a 5 metros abaixo do nível do mar. Podemos representar matematicamente essa situação com
a adição de –2 e –3.
d) –8 ___ –10
Resposta: ( −2) + ( −3) = −5 ou –2 –3 = –5
a) > Como você pode observar, somando duas parcelas negativas, obtemos um resultado negativo,
b) < assim como somando dois números positivos, teremos um resultado positivo. Dessa forma, pode-
c) < mos generalizar afirmando que, quando somamos números de sinais iguais, conservamos esses
sinais e somamos os números.
d) > Veja:

(–8) + (–3) = –11


2. Complete com as palavras maior ou (+2) + (+7) = +9
menor. –7 –1 = –8
a) Todo número positivo é ____ que
38
zero. CAPÍTULO 2 I Números negativos

b) Todo número negativo é ____ que


qualquer número positivo. Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 38 05/04/2018 21:42:51

c) O número zero é _____ que qual-


quer número negativo. Anotações
Resposta:
a) maior.
b) menor.
c) maior.

38

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 38 29/05/2018 11:49:46


Arthur,
você parece Achei que era um bom
triste. O que vendedor, pois fiz quatro
houve? vendas, mas agora não sei se,
ao final de tudo, tive prejuízo
ou lucro.

Como
foram suas
vendas?

Na primeira, deixei
de ganhar R$ 4,00. Na
segunda, deixei de ganhar R$
11,00. Na terceira, tive um lucro
de R$ 13,00 e, na última, o
lucro foi de R$ 5,00.

2:51

Para saber, precisamos verificar o valor


absoluto primeiro. De acordo com o que
você falou, temos a seguinte operação: –4 –11
+ 13 +5 = +3. Dessa forma, podemos concluir
que você obteve lucro!

CAPÍTULO 2 I Números negativos 39

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 39 05/04/2018 21:42:51

39

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 39 29/05/2018 11:49:47


Atividades
1. Leia atentamente o texto abaixo, que mostra que possui é um prolongamento (bioluminescen-
características de alguns peixes abissais. te) da espinha dorsal e serve de isca para atrair
presas, daí o nome de peixe-pescador.
1. Serpente lendária
O peixe-remador (Regalecus glesne), ou pei- 6. Dragão de cavanhaque
xe-fita, pode atingir 16 metros de comprimento Chamado também de peixe-dragão-de-mar-
e pesar cerca de 46 quilos. É possível que ele -profundo (Grammatostomias flagellibarba), esse
seja um dos grandes responsáveis pelas antigas é outro bicho estranho que tem muito mais pose
lendas sobre serpentes marinhas relatadas por de mau do que tamanho — chega a cerca de 15
pescadores em séculos passados. centímetros. Ligado ao seu queixo há um barbi-
lhão, um longo apêndice carnoso. A ponta desse
2. Tubarão mergulhador “cavanhaque” em forma de fio também emite
O tubarão-de-seis-brânquias (Hexanchus gri- luz para seduzir presas.
seus) é encontrado em profundidades de até 2
mil metros e recebeu esse nome porque a maior 7. Resto é com ele
parte dos tubarões tem apenas cinco fendas O peixe-ogro (Anoplogaster cornuta) vive
branquiais. Ele cresce até 6 metros e se alimenta em águas profundas extremas, a cerca de 5.300
de uma variedade de animais, incluindo crustá- metros. Como o alimento nessas profundidades
ceos, peixes e mamíferos marinhos. é bastante escasso, ele acaba se alimentando
de tudo o que encontra pela frente, principal-
3. Cruel empalador mente restos de animais mortos que caem de
O peixe-víbora (Chauliodus sloani) é um profundidades menores.
dos mais ferozes predadores do mar. Sua boca
grande e pontuda tem dentes similares a cani-
nos, usados para empalar suas vítimas. De tão

Reprodução
grandes, os dentes não cabem dentro da boca,
curvando-se para trás, bem próximo aos olhos.
O peixe-víbora atinge até 60 centímetros.

4. Luz própria
O peixe-lanterna (Symbolophorus barnardi)
recebeu esse nome devido à sua capacidade de
produzir luz, emitida por órgãos localizados na
cabeça, na lateral do corpo e no rabo. Ele cres- Peixe-ogro (Anoplogaster cornuta).
Ma
ce até 15 centímetros e passa o dia em profun-
8. Ermitão sem olhos
didades que chegam a 1.500 metros — embora
O peixe encontrado na maior profundidade
suba mais perto da superfície à noite.
até hoje só tem nome científico: Abyssobrotula
galatheae. Exemplares da espécie foram locali-
5. Diabo marinho
zados a 8.372 metros de profundidade no mar do
A aparência do peixe-pescador-de-mar-profun-
Caribe. Ele parece não ter olhos, mas que dife-
do (Melanocetus johnsonii) lhe rendeu um outro
rença isso faz num lugar onde reina a escuridão?
nome bem apropriado: diabo-negro. Mas, apesar
dos dentes ameaçadores, ele não tem mais que Fonte: http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-
13 centímetros de comprimento. A “lanterninha” vivem-os-peixes-de-mar-profundo.

40 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 40 05/04/2018 21:42:52

40

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 40 29/05/2018 11:49:48


mado de regra de sinais: “Negativo
multiplicado por negativo resulta em
Agora que você já leu o texto: c. Determine dois números do texto que são
representados por numerais negativos e dois
um número positivo”. Isso não signifi-
a. Escolha três dos peixes apresentados e co- positivos. ca que eles conhecessem os números
loque em ordem crescente os numerais que re- Sugestão de resposta: 2 números positivos. Pei- negativos, pois essa regra se refere ao
presentam a profundidade em que eles vivem.
xe-remador: 16 metros e 46 quilos.
produto de diferenças — sempre com
a > b, c > d, e não a produto de núme-
Resposta pessoal. 2 números negativos. O peixe-lanterna vive
ros negativos. Diofanto considerava
a -1.500 metros abaixo do nível do mar, e o somente as raízes positivas das equa-
b. Some os numerais utilizados por você no
peixe-ogro vive a -5.300 metros abaixo do ní-
ções, mostrando o seu desconheci-
item a.
mento sobre os números negativos.
Resposta pessoal. vel do mar.

Adição de números inteiros com sinais diferentes Dicas para o professor


O artista Etsy Seller Justin LaDoux criou uma escultura do peixe-pescador toda feita com objetos
reciclados. Essa escultura está à venda pelo preço de US$ 8.000 e mede 5 metros de altura. Aproveite a questão 2 para apontar
Vamos supor que você queira comprar a escultura, mas que só dispõe de US$ 6.000. Assim, como
ficaria seu saldo caso você a comprasse? que o aumento da violência em todos
6.000 – 8.000 = – 2.000 os países, ou até mesmo em regiões,
como o bairro de uma determinada ci-
E se você tivesse US$ 12.000, como ficaria seu saldo?
12.000 – 8.000 = 4.000 dade, é decorrente das desigualdades
sociais. Utilize o momento para apre-
Veja outros exemplos:
sentar os dados da Leitura comple-
(+8) + (– 20) = –12
mentar da página 42 e concientizá-los
(2) + (+7) = +5
–7+1=–6 que a mudança ocorre todos os dias e
Então, generalizando, podemos afirmar que, quando somamos números de sinais diferentes, que a melhor solução para esse pro-
subtraímos o módulo maior e conservamos seu sinal. blema é a educação.

Anotações
Atividades
1. Se escrevêssemos o número três à esquerda 2. O prefeito de uma determinada cidade verifi-
do número 25 e trocássemos de sinal, o novo cou o crescente aumento da violência urbana e
número teria: do número de roubos, homicídios e sequestros.
Motivado a reverter esse quadro, ele investiu no
a. X 300 unidades a menos que 25. ano de 2006 em políticas públicas, esperando,
b. 325 unidades a menos que 25. a longo prazo, alcançar seu objetivo. Anos mais
c. 350 unidades a menos que 25. tarde, em 2016, foi feito um estudo sobre a vio-
d. 400 unidades a menos que 25. lência nessa cidade, cujos dados estão apresen-
e. 350 unidades a mais que 25. tados no gráfico a seguir:

CAPÍTULO 2 I Números negativos 41

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 41 05/04/2018 21:42:52

Leitura complementar A primeira vez que, explicitamente,


as regras que regem a Aritmética com
os números negativos apareceram em
Buscando agilizar os cálculos astro- uma obra foi na do matemático Brah-
nômicos, os sábios hindus se preocu- magupta, que data do ano 628 d.C.
pavam em idealizar formas de repre- Influenciados pela civilização egíp-
sentação numérica que simplificassem cia e babilônica, os matemáticos do
esses cálculos. Eles mostraram ser vir- período alexandrino (300 a.C.) busca-
tuosos no cálculo aritmético e algébri- ram na Matemática resoluções de pro-
co que permitiram conceber um novo blemas práticos de seu cotidiano.
tipo de símbolo para representar dívi- O resultado das investigações dos
das que, posteriormente, o Ocidente alexandrinos pode ser considerado
chamaria de negativo. uma “semente” do que pode ser cha-
:52

41

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 41 29/05/2018 11:49:49


Anotações
Variação entre anos consecutivos c. De 2010 até 2016, de quanto foi, aproxima-
em Nova York damente, a diferença percentual do número de
roubos e homicídios?
15%
Roubos Para roubos, temos aproximadamente –4 + 3 =
10%
–1. Já para os casos de homicídios, temos apro-

variação (%)
5%
0%
ximadamente 11 – 17 = –6.
–5%
–10% 3. (Obmep) Qual é o algarismo das unidades do
–15% número:
–20% (1× 3 × 5 × 7 × 9 × 11× 13 × 15 × 17 × 19) − 2.015 = ?
ano
2006 2008 2010 2012 2014 2016
a. X 0.
15% b. 1.
Homicídios c. 5.
10%
d. 6.

variação (%)
5% e. 8.
0%
–5% 4. Explique como é possível a situação repre-
sentada pelas imagens.
–10%
–15% A temperatura A temperatura
–20% aqui está próxima aqui está próxima
ano
2006 2008 2010 2012 2014 2016 de 12°. de 12°.
Fonte: http://www.atireiopaunografico.com.br/2013/11/o-
grafico-de-barras-e-visualizacao-de.html

Avaliando os dados apresentados no gráfico,

Samuel Borges Photography/Shutterstock.com


responda:

Sergei Mishchenko/Shutterstock.com
a. No período de 2010 a 2016, houve um au-
mento ou uma redução no número de casos de
roubos e homicídios?
Houve aumento no número de roubos e uma re-

dução no número de homicídios.


Resposta pessoal.
b. Qual foi, aproximadamente, a maior variação
percentual? Ela foi positiva ou negativa?
A maior variação percentual para roubos se deu
5. Qual é a menor temperatura: –10 ou –5?
entre 2013 e 2014; sendo –17 + 5 = –12, ela é ne-
–10.
gativa. E a maior variação percentual para homi-
6. Numa competição de tiro ao alvo, três pes-
cídios se deu também entre 2013 e 2014; sendo soas participaram da disputa: Juliana, Daniel e
Leitura complementar –10 + 13 = 3, ela é positiva.
Natália. Cada um teve direito a atirar 3 flechas,
e os resultados foram os seguintes:

42
O Brasil está entre os 10 países que CAPÍTULO 2 I Números negativos

mais mata jovens no mundo, e a maior


parte deles são negros e pobres das Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 42 05/04/2018 21:42:52 Ma

periferias das grandes cidades. Se- mente vulnerável:  morrem 2,6 vezes sil no período entre 1980 e 2014, e es-
gundo o  relatório Mapa da Violência mais negros do que brancos no Bra- tuda a incidência de fatores, como o
2016, lançado na Câmara dos Deputa- sil  em homicídios cometidos com ar- sexo, a raça/cor e as idades das víti-
dos, em Brasília, foram mortos mais de mas de fogo. O Mapa, inclusive, mos- mas dessa mortalidade. São aponta-
25 mil jovens entre 15 e 29 anos por tra que entre 2003 e 2014, o índice de das as características da evolução dos
armas de fogo no Brasil em 2014, o mortes de pessoas negras aumentou homicídios por armas de fogo nas 27
que representa um aumento de quase (de 24,9 mortes por 100 mil habitantes unidades da Federação, nas 27 capi-
700% em relação aos dados de 1980, para 27,4 — um aumento de 9,9%) en- tais e nos municípios com elevados ní-
quando o número de vítimas nessa fai- quanto que o de pessoas brancas di- veis de mortalidade causada por ar-
xa etária foi pouco mais de 3 mil no minuiu (de 14,5 para 10,6 — uma que- mas de fogo.
período. da de 27,1%). Caso tenha interesse de ver o mapa
Os dados confirmam ainda que a O estudo analisa a evolução dos é só acessar a página: http://www.ma-
população negra brasileira é extrema- homicídios por armas de fogo no Bra- padaviolencia.org.br/.

42

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 42 29/05/2018 11:49:50


Exemplos da vida real
caso. Depois, considerando as mesmas tempe-
–8
raturas iniciais, considere uma queda de 5 °C
É sempre importante aplicar as li-
–5
em cada caso. ções de Matemática às situações da
–2
+3 vida real. Pode ser difícil encontrar
1 bons exemplos de problemas que en-
+10 Juliana
volvam números negativos. A tempe-
2 ratura é um bom exemplo de conjun-
to negativo de números que usamos
3 diariamente.
–8 Peça para os alunos adicionarem 3
–5 4 a –20 graus e subtraírem 10 de 3 graus.
–2
+3 Utilize o termômetro como uma linha
5 de números para ajudá-los a respon-
+10 Daniel
der a essas equações.
Termômetros caso 1 caso 2
Anotações
1 +5 – 10

–8 2 +15 0
–5
–2 3 –5 – 20
+3
4 0 – 15
+10 Natália
5 +32 +17

8. A partir de 1.000 metros de profundidade oceâ-


nica, encontramos serpentes marinhas enormes.
O peixe-remador, ou peixe-fita, pode atingir 16
Observando os resultados acima, qual deles foi metros de comprimento e pesar cerca de 46 kg.
o grande vencedor da disputa? Utilizando as informações acima, responda:
Juliana: (+ 10) + (+3) + (–5) = + 8 a. Qual é o número inteiro que representa a
profundidade escrita no texto?
Daniel: (+ 10) + (– 8) + (–8) = – 6
–1.000.
Natália: (+ 3) + (+3) + (–8) = – 2
b. Quais dos números negativos abaixo repre-
A vencedora foi Juliana. sentariam profundidades onde é possível en-
contrar serpentes marinhas?

7. Os termômetros a seguir representam a tem- I. – 897


peratura em diferentes cidades do mundo. De- II. X – 1.325
termine a temperatura registrada em cada ter- III. X – 3.211
mômetro após um aumento de 10 °C em cada IV. – 465

CAPÍTULO 2 I Números negativos 43

2:52 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 43 05/04/2018 21:42:52

Sugestão de abordagem alunos resolverem, como –2 + 3. Soli-


cite que todos apontem para o primei-
ro número na equação, nesse caso –2.
Linha de números Em seguida, a classe deve adicionar 3
movendo três pontos para a direita na
A linha de números é uma ferra- linha de número.
menta útil para ensinar operações Qualquer que seja o número que
de adição e subtração de números os estudantes estiverem apontando
inteiros. agora será a resposta correta.
Escreva uma linha de números no Você pode praticar com uma linha
quadro e peça a cada aluno que escre- de números e pedir para os alunos
va a sua. “adicionarem 3” e, então, “subtrair 4”,
Apresente um problema para os e assim por diante.

43

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 43 29/05/2018 11:49:51


Leitura complementar

Resgatando a história
Para um povo que surgiu pequeno
e que sofreu grande opressão por par- Civilização hindu: invenção do número negativo
tes dos arianos, a Índia tem 1,1 bilhão de
A civilização hindu  é uma das sociedades mais antigas. Esse termo (hindu) tem origem persa e
habitantes e cresce em torno de 1,6%
significa “o (povo) que vive do outro lado do rio (Indo)”.
ao ano. Mais de 17 milhões de pessoas Com a centralização comercial no Oriente Médio e em regiões estratégicas da Ásia, o território,
anualmente são incorporadas ao país. hoje ocupado pela Índia, ficou distanciado dos demais povos e se manteve economicamente ativo
pelo comércio interno das especiarias até a Idade Média.
A Índia é um país marcado por gran-
A grande contribuição dos hindus para a Matemática foi a criação de um sistema de numeração
des contrastes. Desde 1991, o país tem posicional de base dez, cuja eficácia e simplicidade para o cálculo aritmético se estendera univer-
se desenvolvido economicamente, mas salmente. Habilidosos no cálculo aritmético e algébrico, os matemáticos hindus conceberam um
apesar disso, não diminuíram os seus novo tipo de símbolo para representar dívidas que, posteriormente, seria chamado de negativo
pelo Ocidente.
problemas sociais. A primeira vez em que, explicitamente, as regras que regem a aritmética com os números negati-
Nas duas últimas décadas, o gover- vos apareceram foi numa obra do matemático Brahmagupta, que data do ano 628 d.C. Brahmagupta
no indiano realizou amplas reformas não só utilizou os negativos em seus cálculos como os considerou entidades separadas e os dotou
de uma aritmética concordante com a dos inteiros.
econômicas e abriu o país à entrada
de grandes investimentos diretos es-
trangeiros associados à indústria na- Para analisar:
cional e estatal. As propriedades aplicadas à adição com números naturais são válidas também para nú-
meros inteiros (Z).
Veja os exemplos:

Anotações Propriedade comutativa – a ordem das parcelas não altera a soma.

(a + b) = (b + a)
(+8) + (-20) = -16 ou (-20) + (+8) = -16

Propriedade associativa – podemos associar as parcelas de diferentes maneiras sem


alterarmos a soma.

[a + (b + c)] = [(a + b) + c]
[(+5) + (-10)] + (+20) = 15 ou (+5) + [(-10) + (+20)] = 15

Propriedade do elemento neutro – o zero é o elemento neutro da adição, por isso qual-
quer número somado a ele dará sempre o próprio número.

a+0=a
(-8) + 0 = -8

Atenção: Observe também que a soma de dois números quaisquer inteiros resulta sem-
pre em um número também inteiro (propriedade do fechamento).

44 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 44 05/04/2018 21:42:53 Ma

44

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 44 29/05/2018 11:49:53


Dicas para o professor

Refletindo sobre o texto


• Compreender que a subtração de
1. O que se pode afirmar referente às propriedades da adição com números naturais em relação inteiros é como a adição de números
aos números inteiros?
com sinais diferentes.
Podemos afirmar que a aplicação das propriedades serve aos números inteiros como também aos
• Efetuar a subtração de inteiros de
números naturais. maneira correta.

2. Quais são essas propriedades?


• Perceber que as regras de sinais da
subtração são as mesmas da adição.
São elas: comutativa, associativa, fechamento e elemento neutro.

3. Apresente um exemplo referente à propriedade do fechamento.


Quando adicionamos dois ou mais números inteiros, o resultado sempre será um número inteiro. Anotações
(–5) + 6 = 1. –5 é um número inteiro; 6 é um número inteiro; 1 é um número inteiro.

Subtração de números inteiros


Subtrairmos um número negativo ou positivo de outro número é o mesmo que somarmos com
o oposto do minuendo:

(+5) – (+3) = (+5) + (–3) = +2


(+5) – (–3) = (+5) + (+3) = +8 Atenção: O sinal de
menos simboliza o
Observe que agora que estamos operando oposto do número.
com números inteiros (Z), podemos considerar Veja:
situações como 5 – 8 = –3, ou seja, a subtração – (+5) = –5
que nem sempre é possível entre naturais, é – (–3) = +3
sempre possível em Z.

Atividades
1. A tabela abaixo apresenta o número de gols sofridos pelos times que disputaram os jogos inter-
nos de um colégio em 2016.
Jogos internos 2016
gols
time
marcados sofridos
7° ano A 15 7
7° ano B 23 12
7° ano C 17 23
7° ano D 21 22

CAPÍTULO 2 I Números negativos 45

2:53 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 45 05/04/2018 21:42:53

45

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 45 29/05/2018 11:49:53


Dicas para o professor
De acordo com a tabela, responda: 3. O gráfico abaixo mostra a despesa e o lucro,
em milhares, de uma empresa em seus três pri-
• Reforce a diferença entre as regras a. Qual é o saldo de gols de cada time?
meiros meses de fundação. Observe-o e deter-
7º ano A: 15 – 7 = 8. mine o saldo aproximado de cada mês.
de sinais da adição e da multiplicação.
• Certifique-se de que os alunos com- 7º ano B: 23 – 12 = 11. 5
preenderam bem o assunto fazendo 7º ano C: 17 – 23 = –6. 4
questionamentos após a explicação.
• Compreender a multiplicação de in-
3
7º ano D: 21 – 22 = –1.
2
teiros com sinais iguais e com sinais di-
b. Qual time obteve o maior saldo de gols? E o 1
ferentes. menor?
• Entender que as regras de sinais da
0
Maior: 7º ano B. Mês 1
multiplicação são diferentes das regras
Mês 2
Mês 3
Menor: 7º ano C. Lucro
de sinais da adição e da subtração. Despesa

• Observar que o produto de intei- 2. Uma frente fria alterou a temperatura de três
Mês 1 –
4 – 2 = 2 mil.
ros com sinais iguais é sempre positi- cidades do Sul do País, de modo que estas ti-
veram uma redução de temperatura de cerca 2 – 4 = –2 mil.
vo e que o produto de números intei- de 8 °C. Sabendo que a temperatura dessas ci- Mês 2 –
ros com os sinais diferentes é sempre dades era consecutivamente12 °C, 5 °C e 20 °C,
Mês 3 –
3,8 – 1,5 = 2,3 mil “aproximadamente”.
determine como ficaram essas temperaturas
negativo. após a frente fria.
• Ressalte que o sinal da multiplica- 12° – 8° = 4°
4. Resolva, da maneira que você achar mais fá-
a. Cidade 1 – cil, as expressões numéricas abaixo.
ção não tem que se apresentar quan-
5° – 8° = –3° +40
do os fatores vêm com os sinais. Por b. Cidade 2 – a. (–32) + (+45) – (+28) + (55) =
exemplo: c. Cidade 3 –
20° – 8° = 12°
b. 672 – 320 + 328 – 180 = +50
(+3) . (+4)= (+3)(+4)
(-2) . (+9)= (-2)(+9)
Multiplicação de números inteiros
Sugestão de abordagem Sinais iguais
Quando multiplicamos dois números inteiros que possuem o mesmo sinal, o resultado será sem-
pre positivo.
Pensando em depósitos, retiradas Esquema:

e saldos bancários, a ideia de subtra-


ção é mais facilmente compreendida. + vezes +
+
Recomendamos o exercício do cálcu- - vezes -
lo mental, com questões do tipo: “Te-
nho saldo negativo de 30 reais e dou Exemplo:
Suponhamos que, como recompensa por sempre ajudar os pais em casa, um jovem passou a
um cheque no valor de R$ 20, qual o receber R$ 120,00 de mesada por mês. Quanto ele terá recebido, no total, ao fim de três meses?
meu saldo final?”. Baseado nas informações acima, temos o produto (+3) × (+120), ou seja, R$ +360,00.

46 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 46 05/04/2018 21:42:53 Ma

Anotações

46

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 46 29/05/2018 11:49:55


Dicas para o professor
Da mesma forma ocorre quando multiplicamos dois números negativos: o produto ficará positi-
vo. Veja:
• Compreender as propriedades da
Um banco fez um débito de R$ 50,00 na conta de um cliente. Porém, em vez de débito, deveria multiplicação dos inteiros.
ter ocorrido um crédito no mesmo valor. Reconhecendo o erro, o banco corrigiu da seguinte forma:
–(–50). Isso quer dizer que ocorreu o oposto de –50, ou seja, +50. • Verificar que a multiplicação de intei-
ros possui a propriedade do elemen-
Sinais diferentes to oposto.
Quando os fatores possuem sinais diferentes, o produto fica negativo, como mostra o esquema: • Utilizar corretamente o algoritmo da
multiplicação.
+ vezes - • Mostre que a multiplicação de intei-
-
- vezes + ros possui a propriedade distributiva.
• Considere a propriedade do ele-
Exemplo:
mento oposto como propriedade dis-
Guilherme está devendo cinco parcelas de R$ 800,00 do financiamento do seu carro. Podemos tributiva.
representar matematicamente esse débito como o produto de 5 por –800 [+5 x (–800)], que é igual
a uma dívida de R$ –4.000,00.
• Observe que as propriedades só ga-
nharão significado se forem aplicadas
Propriedades da multiplicação em situações de cálculos escritos ou
mentais.
Na multiplicação de inteiros, temos duas propriedades: a comutativa e a associativa.
• É interessante notar que as proprie-
Propriedade comutativa dades têm sua utilidade necessaria-
A ordem dos fatores não altera o produto. mente ligada à prova da operação, ou
Veja:
seja, provar que está correta.
12 × 7 = 84 e 7 × 12 = 84 • Explique a multiplicação como a so-
(–2) × 5 = –10 e 5 × (–2) = –10 ma de parcelas iguais, para que fique
Propriedade associativa mais clara a regra de sinais.
Na multiplicação de fatores distintos, podemos associar esses fatores como acharmos conve-
niente.
• É interessante citar ao aluno a utili-
Veja o exemplo:
dade de algumas das propriedades da
multiplicação.
(–30) · 2 · (–50) =
(–60) · (–50) =
= +3.000 Anotações
ou

(–30) · 2 · (–50) =
= (–30) · (–100) =
= +3.000

Na multiplicação, o número +1 como fator não altera os outros fatores, por isso ele é considera-
do elemento neutro da multiplicação.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 47

2:53 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 47 05/04/2018 21:42:53

47

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 47 29/05/2018 11:49:55


Dicas para o professor

• Mostre aos alunos que não há divi-


são com divisor igual a zero, que a di- Atividades
visão de inteiros com o mesmo sinal
1. Complete a tabela abaixo corretamente.
tem quociente positivo e a divisão de
inteiros com sinais diferentes tem quo- x –8 –4 3 9
ciente negativo. +5 –40 –20 +15 +45

• Lembre aos alunos que a divisão é a +3 –24 –12 +9 +27


operação inversa da multiplicação. 0 0 0 0 0
• Faça com que os alunos percebam –3 +24 +12 –9 –27
que as regras de sinais da divisão e da –5 +40 +20 –15 –45
multiplicação são iguais.
• Compreender a divisão de inteiros. 2. Determine qual é o sinal do produto nas se-
guintes multiplicações:
3. Resolva os produtos abaixo, atentando ao si-
nal do resultado de cada um deles.
• Observar que a divisão não possui a. Entre 3 números negativos?
as propriedades comutativa, associati- a. (–6) × (–9) =
(−6) × (−9) = +54
va e distributiva. Negativo.
( −5) × ( +9 ) = −45
• Reconhecer que as regras de sinais b. Entre 13 números positivos? b. (–5) × (+9) =
da divisão de inteiros são as mesmas Positivo.
c. (–12) × (+9) =
( −12) × ( +9 ) = −108
regras da multiplicação de inteiros. c. Entre 6 números negativos?
• Utilizar corretamente o algoritmo da Positivo. d. (+7) × (+9) =
( +7) × ( +9 ) = +63
divisão.

Anotações Divisão de números inteiros


Sinais iguais
Se o dividendo e o divisor tiverem o mesmo sinal, o resultado será positivo:

+ por +
+
- por -
Para efetuarmos a divisão, podemos recorrer ao produto. Veja:

−200
= + 50, pois + 50 ⋅ 4 = − 200
−4

Sinais diferentes
Na divisão com sinais diferentes, temos o mesmo esquema da multiplicação:

48 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 48 05/04/2018 21:42:53

48

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 48 29/05/2018 11:49:57


+ por -
-
- por +
Leia atentamente o diálogo a seguir para entender como efetuar a divisão.

Jorge, não Claro,


tenho os R$ Paulo.
600,00 que estou
te devendo. Posso
pagar em três

miniaria/Shutterstock.com
vezes?

−600
A situação acima pode ser representada matematicamente por , e o resultado será –200.
Ou seja, Paulo pagará sua dívida em 3 parcelas de R$ 200,00. 3
Também podemos utilizar a ideia de produto, na qual o resultado dessa divisão é um número
que, multiplicado por 3, resulte em –600, ou seja, –200.

–600 : 3 = –200, pois –200 x 3 = –600.

Atenção
Nem toda divisão em Z tem resultado inteiro. Em (–5) : (+2), –5 e +2 pertencem a Z, mas o
resultado não.
Zero não é divisor de nenhum número. Por exemplo, 5 : 0 não existe, pois nenhum número
multiplicado por zero dá 5.
Zero dividido por qualquer número diferente de zero dá sempre zero. Exemplo: –6 : 0 = 0, pois
0 · (–6) = 0.

2:53 Atividades
1. Qual das operações abaixo representa o parcelamento de uma dívida de R$ 330,00 em três pres-
tações?

330 330 −330


a. b. c. X
−2 3 3

−2 3
d. 330 e.
330

CAPÍTULO 2 I Números negativos 49

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 49 05/04/2018 21:42:54

49

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 49 29/05/2018 11:49:58


2. Em uma expressão numérica, as operações seguem esta sequência:

I. Potenciações e radiciações em primeiro lugar.


II. Multiplicações e divisões em segundo lugar, seguindo a preferência de quem aparecer primeiro,
da esquerda para a direita.
III. Adição e subtração por último.

Se aparecerem parênteses, colchetes e chaves, resolvemos primeiro as operações contidas nos pa-
rênteses, depois as contidas nos colchetes e, por último, as contidas nas chaves. De posse dessas
informações, verifique se as expressões estão corretas.

a. 170 – (–3) · 10 – 50 : ( –2)


= 170 + 30 + 25 =
= 225 Correta.

b. (150 – 3 · 10) – {[800 – 6 · 50) – (250 – 3 · 50)] : (18 – 2 · 8)} =


= 120 – {[500 – 100] : 2} =
= 120 – {400 : 2} =
= 120 – 200 = –80 Correta.

c. 200 – (98 + 23) : ( 49. 5 – 11 . 3) + 5 + 25 · 3 =


= 200 – (98 + 8) : (7 · 5 – 33) + 5 + 32 · 3 =
= 200 – 116 : 2 + 5 + 96 =
= 200 – 58 + 101 =
= 142 + 101 =
= 245 Errada. A solução correta é 243.

3. Depois de perder o emprego, Tibério fez um 5. Quais das seguintes sentenças são verdadeiras?
acordo com o banco para dividir o seu saldo de
R$ –32.000,00 em 5 parcelas iguais e sem juros. a. F x · y = 0 para qualquer valor inteiro de x e
Represente matematicamente essa divisão e o de y.
seu resultado.
b. V x · 1 = x para qualquer valor de x diferente
−32.000 de zero.
= −6.400
5
c. V O produto entre dois inteiros opostos é
sempre negativo.

4. Entre as quatro expressões abaixo, deter- x +y Ma

mine qual possui o resultado de menor valor e d. F = y para x diferente de zero.


x
qual possui o resultado de maior valor.
x ⋅y
e. V = y para x diferente de zero.
a. 56 : (–8) + 4 . (–7) = Menor valor. x
6. Dividindo x por y, o que acontece quando:
b. (–64) : (–8) –18 =
a. x é igual a zero e y é um número inteiro dife-
c. 0 : (–3) +7 . 0 = rente de zero?

Maior valor. O resultado é zero.


d. {(–49): [(+7) –8] +12 : 3} – 4 =

50 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 50 05/04/2018 21:42:54

50

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 50 29/05/2018 11:49:59


Leitura complementar
b. x e y são números inteiros e opostos? b. Quando estamos efetuando uma divisão com
números inteiros, é possível que o quociente
A resposta é –1.
seja maior que o dividendo ou que o divisor? Os números inteiros têm como sím-
c. x e y são números inteiros iguais, diferentes Não. bolo do seu conjunto a letra Z maiúscu-
de zero? la, sendo formado pelos números ne-
A resposta é 1. c. Se todos os termos de uma divisão forem ne- gativos, números positivos e pelo zero.
gativos, qual será o sinal do quociente?
No cotidiano, com frequência en-
7. Observe o anúncio abaixo. Positivo.
contramos os números inteiros, em notí-
Conheça o zoológico de Luján cias sobre a temperatura, no saldo ban-
d. Se apenas um dos termos da divisão for ne-
Nosso pacote de férias inclui, além da visita gativo, como fica o sinal do quociente? cário ou no nível da água na represa.
ao zoológico, passagem aérea, hotel, tour em
Negativo. Como todos os números naturais
Buenos Aires e show de tango.
Faça sua reserva! também são números inteiros, dize-
Apenas R$ 3.816,00, em até 6 prestações 8. Assinale a(s) informação(ões) verdadeira(s). mos que N é um subconjunto de Z ou
fixas.
a. Todo número racional é inteiro. que N está contido em Z.
Responda às seguintes questões relativas ao b. X O conjunto dos números inteiros é um sub-
texto e à divisão de inteiros: conjunto do conjunto dos números racionais.
Leitura complementar
a. Qual o valor de cada prestação, para uma c. X Todo número natural é também um nú-
pessoa que dividiu o passeio em 6 prestações? mero racional.
Seria correto indicar o valor de cada prestação
d. O zero não é um número racional.
com um número inteiro negativo? Veja os números inteiros que,
e. X O número de pessoas em um evento pode
Cada parcela custará R$ 636,00. Não. ser representado por um número racional.
quando lidos de frente para trás e
de trás para frente, continuam com a
Aprimorando conceitos mesma ordem de seus algarismos, de-
nominados de palíndromos. Também
I. Qual é o número que multiplicado por –5 resulta em –20? existem palavras e frases em portu-
O número é 4. guês que são palíndromos. Exemplos
II. Qual é o número que multiplicado por –5 resulta em +20?
no quadro a seguir.
O número é –4.
Matemática Português
III. Qual é o sinal de um produto entre dois números inteiros que possuem sinais iguais?
494 Roma é amor
O sinal é positivo +.
876678 Osso
IV. Qual é o sinal de uma divisão entre dois números inteiros que possuem sinais iguais? 47699674 O lobo ama o bolo
O sinal é positivo +.

V. Qual é o sinal de uma adição entre dois números inteiros que possuem sinais iguais? Anotações
O mesmo sinal dos sinais existentes na operação. Exemplo: (+) + (+) = + e (–) + (–) = –.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 51

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 51 05/04/2018 21:42:54

:54

51

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 51 29/05/2018 11:50:00


Praticando mais
1. Meu saldo bancário é de R$ –700,00 e ama- 4. Responda às questões abaixo e indique a
nhã tenho que pagar uma conta de energia de operação feita.
R$ 200,00 que está vencendo. Quanto ficará o
a. Um elevador partiu do 2º andar e subiu 12
meu saldo depois do pagamento?
andares. Em que andar ele parou?
R$ –900,00. 14º. Operação de Adição.

2. Em um campeonato pernambucano de fute- b. Devo R$ 150,00 para um amigo. Ganhei R$ 120,00


bol, o Sport Clube do Recife marcou 37 gols e de mesada. Abatendo o valor da dívida, ainda
sofreu 15 gols, já o Náutico marcou 23 gols e fico devendo? Quanto?
sofreu 31. Represente o saldo final de gols do Sim. R$ 30,00. Operação de subtração.
Sport e do Náutico nesse campeonato.
22 c. Stefanny depositou R$ 300,00 em sua conta e
a. Sport Recife –
seu saldo passou a ser de + R$ 72,00. Qual era o
–8 saldo de Stefanny antes do depósito?
b. Náutico
–R$ 228,00. Operação de subtração.
3. Quantos metros separam o pássaro circulado
do peixe na figura abaixo? 5. Analise as sentenças abaixo e assinale a que
não possui solução verdadeira.
15 m
a. (–2)3 = –8
b. (–1)100 = 1
c. X (–6)2 = –36 
d. (–2)10 = 1.024

0m 6. Escreva os números inteiros:


Nível
a. compreendidos entre 2 e 8.
do mar
3; 4; 5; 6 e 7.

b. compreendidos entre –2 e 5.
–1; 0; +1; +2; +3; +4.
Ma

c. compreendidos entre –1 e 2.
0; +1.
Willyam Bradberry/Shutterstock.com

–3m
d. compreendidos entre –6 e –2.
–5; –4; –3.

e. compreendidos entre –5 e 0.
18 metros. –4; –3; –2; –1.

52 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 52 05/04/2018 21:42:55

52

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 52 29/05/2018 11:50:02


Dicas para o professor
7. Observe a marcação nos termômetros A e B e indique qual temperatura cada um deles irá marcar
nas situações a seguir:
Ao trabalhar a questão 9, destaque
A B que dentro de ambientes fechados,
como na câmara frigorífica, é comum
encontrarmos um higrômetro, analógi-
–20 –15 –10 –5 0 5 10 15 20 –20 –15 –10 –5 0 5 10 15 20 co ou digital. Esses aparelhos são ex-
a. Se a temperatura diminuir 5 °C.
celentes, sobretudo porque, além da
b. Se a temperatura aumentar 12 °C. temperatura, aferem a umidade rela-
c. Se a temperatura diminuir 3 °C. tiva do ar, mapeando o ambiente na
d. Se a temperatura aumentar 5 °C.
intenção de informar e propiciar se-
termômetro 1 termômetro 2 gurança e saúde aos que trabalham
a.
nesses locais.
−5 − 5 = −10 10 − 5 = 5

b. −5 + 12 = +7 10 + 12 = +22

c. −5 − 3 = −8 10 − 3 = 7 Anotações
d. −5 + 5 = 0 10 + 5 = +15

8. A figura a seguir é uma representação da localização das principais cidades ao longo de uma
estrada, indicadas por letras, e das temperaturas registradas em °C, indicadas por números.

A B C D E F G H I J K L M

–9 –7
Com base na figura e mantendo-se a variação de temperatura entre as cidades, o ponto correspon-
dente a 0 °C estará localizado:

a. sobre o ponto M.
b. entre os pontos L e M.
c. X entre os pontos I e J.
d. sobre o ponto J.

9. (SEE) Dentro de uma câmara frigorífica, a 10. Em uma loja de eletrodomésticos, Jai-
temperatura é de –21 °C. Fora dela, a tempera- ro comprou um computador, no valor de R$
tura é de 28 °C. A diferença entre essas tempe- 2.200,00, uma TV, por R$ 800,00, e três cadeiras,
raturas é de: que custam R$ 120,00 cada. Os objetos foram
pagos em 5 parcelas iguais. O valor de cada
a. X 49 °C. parcela, em reais, foi de:
b. 22 °C.
c. 8 °C. a. 458. b. X 672.
d. 7 °C. c. 600. d. 1.244.
e. 24 °C. e. 1.300.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 53

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 53 05/04/2018 21:42:56

:55

53

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 53 29/05/2018 11:50:02


11. Usando números inteiros positivos ou nega- d. desce 7 andares e sobe 5 andares.
tivos, indique simbolicamente:
–2
a. um saldo de 15 gols a favor.
e. sobe 4 andares e sobe 3 andares e desce 7
+15 andares.

b. uma profundidade de 50 metros. 0 (térreo)

–50 13. Para se chegar à final de um campeonato


deve ter uma pontuação de 2.000 pontos positi-
c. um lucro de R$ 950.000,00. vos. Sabendo que tem duas etapas e na primeira
+950.000 etapa do campeonato o atleta obteve um saldo
negativo de 540 pontos, responda:
d. um crédito de R$ 6.000,00.
a. qual a quantidade de pontos se ele fizer na
+6.000 segunda etapa 540 pontos?

e. uma temperatura de 25 °C abaixo de zero. 0

–25
b. quantos pontos no mínimo ele terá que fazer
para chegar à final?
f. 250 metros acima do nível do mar.
2.540
+250

g. um saldo de 15 gols contra. 14. Humberto faz o controle mensal de seus ga-
nhos e gastos durante todos os meses do ano.
–15 Represente com números inteiros o saldo esti-
mado por ele após cada situação, sabendo que
h. um débito de R$ 450,00. hoje na sua conta bancária ele possui um valor de
–450 R$ 2.000,00.

i. o segundo andar do subsolo de um prédio. a. Se ele hoje depositar um valor de 500,00 do


seu salário.
–2
+2.500.
12. Usando números inteiros positivos ou ne-
gativos e considerando o térreo como origem, b. Se, depois retirar 1.000,00 reais para pagar
indique o andar onde o elevador se encontra contas de luz, água e parcela do carro?
quando:
+1.500.
a. sobe 6 andares
+6 c. Se, por fim retirar 2.000,00 para comprar um
notebook.
b. desce 8 andares. –500.
–8
d. Ele terá dinheiro para poder comprar o no-
c. sobe 9 andares e desce 4 andares. tebook?

+5 Não.

54 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 54 05/04/2018 21:42:56 M

54

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 54 29/05/2018 11:50:04


15. O saldo de gols (SG) de uma equipe é a • A posição de uma escola (ponto E) em relação
diferença entre gols marcados (GM) e gols so- a praça é representada pelo número inteiro –7.
fridos (GS), sabendo disso observe a tabela e
responda: E I

–7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6
Equipe GM GS
Barrigudos 25 20
18. Responda as questões a seguir usando os nú-
Bola cheia 15 18 meros inteiros positivos e negativos:
Pernas de pau 20 26
a. Em um termômetro graduado em graus, quan-
Só bolado 21 21 tas graduações há desde 8 graus abaixo de zero
até 3 graus acima de zero?
a. Quais dessas equipes terão como saldo ne-
gativo? 11 graduações.

Bola cheia e Pernas de pau.


b. Em linha reta, qual a distância desde o km
130 a oeste até o quilometro 110 a leste de uma
b. Qual das equipes apresenta saldo zero?
certa cidade?
Só bolado.
240 km.
c. Usando números inteiros positivos ou negati-
vos indique o saldo de cada equipe. c. Quantos quilômetros existe em uma linha
reta, de –45km até +55 km?
Barrigudos +5, Bola cheia –3, Pernas de pau –6,
100 km.
só bolado 0.
19. Classifique cada sentença com verdadeira
16. Um grande jogo da Internet marca suas pon- (V) ou falsa (F).
tuações obtidas por cada jogador, seja ela positiva
ou negativa. Usando a noção adquirida de núme- a. F O módulo de um número inteiro negativo
ros inteiros, registre o saldo de alguns jogadores é um número inteiro negativo.
em cada situação pedida: b. V O módulo de um número natural sempre
a. ganhou 2.000 pontos e perdeu 50 pontos. é um número inteiro positivo.
c. V O oposto do módulo de um número intei-
+1.950. ro negativo é um número inteiro negativo.

b. ganhou 1.800 pontos e perdeu 2.500 pontos. 20. Dois times de futebol estão empatados na
–700. classificação de um campeonato estadual. O de-
sempate se dá pelo maior saldo de gols. O time A
c. perdeu 9.000 pontos e ganhou 9.100 pontos. teve um saldo de 10 gols a favor, enquanto o time
B teve um saldo de 13 gols a favor. Nessas condi-
+100. ções responda as seguintes perguntas:
17. Imaginando que a reta numérica que conhe- a. Qual time teve melhor desempenho nesse
cemos seja uma avenida principal de um certo campeonato?
município. Nela o ponto O representa a praça
Time B.
principal e cada valor representa um quarteirão de
distância. Represente essa reta numérica quando:
b. Qual a comparação entre os números inteiros
• A posição de uma igreja (ponto I) em relação a representados nesses saldos dos dois times?
praça seja representada por um número inteiro
+13 > +10.
positivo +6.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 55

:56 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 55 05/04/2018 21:42:56

55

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 55 29/05/2018 11:50:05


21. Calcule as seguintes adições de números b. 120 – (47 + 158 – 31) = –54
inteiros.
c. 53 + (–20 + 8) – (–40 + 51) = +30
+4
a. (+10) + (–6) =
d. –91 – (43 –55 + 76) = –69
+9
b. (–11) + (+20) =
e. 108 – (90 + 60) – (–110 + 20) = +48
–14
c. (–8) + (–6) =
f. 95 – (28 – 17 – 33) + (–110 + 6) = +13
–110
d. (–72) + (–38) =
24. Determine as somas algébricas, eliminando
+35 os parênteses, colchetes e chaves das seguintes
e. (–65) + (+100) =
alternativas dadas.
–51
f. (+200) + (–251) =
a. (–4) + [23 – (43 – 32) + (–12 + 7)] + (–5) =
0
g. (–40) + (+40) =
–2.
+15
h. (+111) + (–96) =
b. [–11 + (–23 –10) –8] – {25 – [–17 + (23 – 7) –
+402 ( –12)] – (17 + 13)} =
i. (+72) + (+330) =
+8 –36.
j. (–9) + (+11) + (+6) =
+4 c. 6 – {2+ (–14) – [–8 – (–36)– (–20) +7] – (–24–18+4)} =
k. (+3) + (–7) + (–2) + (+10) =
–2 35.
l. (–3) + (+6) + (+2) + (–11) + (+4) =
+8 25. Usando da regra de multiplicação de núme-
m. (+6) + (+4) + (–9) + (–1) + (–2) =
ro inteiros, faça as multiplicações necessárias e
22. Lembrando do conceito de diferença de um diga se o resultado é um número inteiro positivo
número inteiro, faça as seguintes diferenças: ou negativo.
–4 a. (–43) . (–51) =
a. +8 e +12 =
+38 Positivo.
b. +31 e –7 =
+14 b. (–18) . 23 =
c. –26 e –40 =
Negativo.
–65
d. –37 e +28 =
+164 c. 38 . 24 =
e. +90 e –74 =
Positivo.
0
f. –60 e –60 =
d. (+54) . (–13) =
–162
g. –81 e +81 = Negativo.
–320
h. –209 e +111 =
26. Determine o valor dos seguintes produtos
23. Praticando um pouco mais sobre as opera- de números inteiros.
ções de:adição e subtração de números inteiros
+48
resolva as seguintes alternativas. a. (–3) . (–2) . (+8) =
+7 –54
a. 52 + (–47 + 60 – 58) = b. (+9) . (–2) . ( +3) =

56 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 56 05/04/2018 21:42:56 M

56

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 56 29/05/2018 11:50:06


–320
c. (–4) . (–4) . (+2) . (–10) = pagá-la em 8 prestações iguais. A financeira co-
bra ao todo um aumento de R$ 170,00 no preço
–27
d. (–3) . (–3) . (–3) = à vista. Calcule o valor de cada prestação, mon-
+100 tando uma expressão numérica com números
e. (–2) . (–2) . (25) = inteiros positivos.
+50
f. [(+8) . (–7) + (–6) . (–11)] . (+5) = R$ 150,00.

27. Mostre que [(+200) : (10)] ≠ (+200) : [(–10) : (–5)]. 32. Complete com positivo, negativo ou zero, tor-
(+4 ≠ +100) nando cada sentença verdadeira.

a. O quadrado de um número inteiro negativo é


28. Calcule os valores das seguintes potências sempre um número inteiro...
de números inteiros dados.
Positivo.
+64
a. (+8)2
b. O cubo de um número inteiro negativo é um
+256 número...
b. (+4)4
–16 Negativo.
c. –42
+64 c. A quarta potência de um número natural é
d. (–8)2 um número...
–216 Positivo.
e. (–6)3

29. Determine o valor numérico das seguintes d. A quinta potência de zero é...
expressões.
Zero.
a. (–5) + 3 =
3 4 –44
e. A nona potência do oposto do módulo de
b. (–3) – (–3) – (–3) =
3 2 –33 um número inteiro negativo é um número...

+1 Negativo.
c. 2 . (–5)2 – (–7)2 =
+6 33. Indique, se existir, um número inteiro que
d. 50 + 8 : (–2)3 – 6 . (–1)5 =
represente a raiz quadrada dos números abaixo
e. (–4)2 – 52 = –9 e calcule a raiz. Observação: a raiz quadrada de
um número x, ( x ) é um número que, quando
30. Calcule: multiplicado por si próprio, se iguala a x.
Existe, 9.
a. O dobro da quinta parte da soma de –5 com a. 81
o módulo de –2. Não existe.
b. –36
–486.
Não existe.
c. –121
b. O cubo da diferença dos quadrados de 3 e
–2, somado à diferença entre os cubos de 1 e 34. A temperatura em Buenos Aires, na Argenti-
–4, menos a raiz quadrada do módulo de –9. na, num certo dia de inverno, era de –3 °C pela
manhã. À tarde, essa temperatura subiu 12 °C.
187.
Qual a temperatura em Buenos Aires, à tarde,
nesse dia?
31. Igor comprou uma Smart TV que custa
R$ 1.030,00 à vista e fez um financiamento para 9 °C.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 57

:56 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 57 05/04/2018 21:42:56

57

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 57 29/05/2018 11:50:07


Sugestão de abordagem
35. Pitágoras, grande filósofo e matemático gre- 41. Uma pessoa tem R$ 50.000,00 na sua con-
go, nasceu no ano –570 (570 a.C.) e morreu no ano ta bancária e faz, sucessivamente, as seguintes
Solicite aos seus estudantes que pes- –496 (496 a.C.). Quantos anos Pitágoras viveu? operações bancárias:
quisem e estabeleçam comparações dos 74 anos.
• Retira R$ 5.250,00.
graus entre as escalas Celsius e Fahrenheit. • Deposita R$ 1.900,00.
36. Determine o número inteiro que responde
• Retira R$ 25.600,00.
corretamente a cada item:
• Retira R$ 15.400,00.
Anotações a. Qual o sucessor de +27?
+28
Após todas essas operações, o saldo final des-
–35 sa pessoa fica positivo ou negativo? Em quan-
b. Qual o sucessor de –36?
tos reais?
+1
c. Qual é o sucessor de 0?
Positivo. Em R$ 5.650,00.
+14
d. Qual é o antecessor de +15?
–17 42. O gráfico de colunas mostra o saldo do cai-
e. Qual é o antecessor de –16? xa (positivo ou negativo) de uma loja de móveis
37. Determine o valor das expressões abaixo: em cada mês do primeiro semestre de certo ano.
Analise o gráfico e responda às questões a seguir.
a. [(–8) – (+12)] + [(+8) – (+5)] = –17
milhares

b. [(+39) – (–16) + (+2)] + (–22) = 32 de reais

600

c. [(–15) · (–3) : (-5) + (+6)] · (–100) = –500


400

d. {[(–135) : (–3) – (–10)] : (+5)} · (+10) = 110


200
38. Escreva os números a seguir em ordem Mar. Abr.
crescente: 0
Jan. Fev. Maio Jun. mês

–7 –5 +13 –12 0 +4 –3 +9 +35 –200

–400
– 12, –7, –5, –3, 0, +4, +9, +13, +35.

39. Em uma cidade do Canadá, o termômetro a. Em quais meses a loja teve saldo positivo?
marcou –12° F  pela manhã.  Se a temperatura
Janeiro, fevereiro, maio, junho.
Leitura complementar descer mais 11° F,  o termômetro vai marcar:

a. –1°. b. X –23°. c. 1°. b. Em quais meses a loja teve saldo negativo?


d. 23°. e. 25°.
Março e abril.
Fahrenheit 40. Imagine que uma pessoa tem R$ 1.530,00 de-
positados em um banco e faça sucessivos saques: c. Em que mês a loja apresentou o pior resultado?
O Fahrenheit é uma escala de tem- 1º saque: R$ 220,00 Abril.
peratura termodinâmica, onde o ponto 2º saque: R$ 550,00
3º saque: R$ 800,00
de congelamento da água é de 32 graus d. Qual é a diferença entre o melhor saldo e o
Fahrenheit (°F) e o ponto de ebulição, Qual o saldo dessa pessoa após esses saques? pior saldo?

de 212 °F (com uma pressão atmosférica – R$ 40,00. R$ 1.000,00.

normal). Isso coloca os pontos de ebu-


58
lição e de congelamento da água exa- CAPÍTULO 2 I Números negativos

tamente a 180 graus de separação. Por


Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 58 05/04/2018 21:42:57 Ma

conseguinte, um grau na escala Fahre- pois como ponto de fusão do gelo), A escala Celsius é um sistema de
a escala Celsius é agora oficialmente intervalo, mas não um sistema de re-
1
nheit é de de intervalo entre o pon- uma escala derivada, definida em rela- lação, ou seja, segue uma escala rela-
180 ção à escala de temperatura Kelvin. tiva, mas não uma escala absoluta. Isto
to de congelamento e o ponto de ebuli- O zero na escala Celsius (0 °C) é ago- pode ser observado porque o interva-
ção da água. O zero absoluto é definido ra definido como equivalente a 273,15 K, lo de temperatura entre 20 °C e 30 °C
como igual a –459,67 °F. com uma diferença de temperatura de 1 é o mesmo que entre 30 °C e 40 °C,
°C equivalente a uma diferença de 1 K, mas 40 °C não tem o dobro da energia
ou seja, o tamanho da unidade em cada térmica de um ar de 20 °C.
Celsius escala é a mesma. Isto significa que 100
°C, previamente definido como o ponto Fonte: http://www.metric-conversions.org/pt-
Embora inicialmente definido como de ebulição da água, é agora definido br/temperatura/fahrenheit-em-celsius.htm.
ponto de congelamento da água (e de- como equivalente a 373,15 K. Acesso em: 06/08/2016.

58

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 58 29/05/2018 11:50:08


Leitura complementar
e. Escreva o nome dos meses obedecendo à or- b. A soma dos quadrados de quaisquer
dem decrescente de resultados financeiros. dois números primos é um número primo.
Maio, janeiro, fevereiro, junho, março, abril. c. X O produto de dois números naturais con- Os números inteiros (ou inteiros re-
secutivos pode ser um número primo. lativos) são constituídos por números
43. (Obmep) A sequência −6, 12, −18, 24, −30, d. A soma de três primos quaisquer nunca é
um número primo. naturais {0, 1, 2, ...} e por seus opos-
36... é obtida a partir dos múltiplos positivos
de 6, multiplicando-se os termos nas posições e. O produto de dois primos quaisquer pode tos {0, −1, −2, ...}. Dois números são
ser um número primo.
ímpares por −1. Observe na figura que a soma opostos se, e somente se, sua soma
dos dois primeiros termos da sequência é igual 46. (Obmep) Num dado comum, a soma dos
a 6, e a soma dos três primeiros termos é igual for zero. O conjunto de todos os intei-
pontos de duas faces opostas é sempre 7. É
a −12. Quantos termos consecutivos dessa se- possível construir um dado comum dobrando ros é representado por Z, que vem do
quência devemos somar, a partir do primeiro, e colando uma das peças de papelão a seguir. alemão zahlen (saldar, pagar). Núme-
para obter 180 como resultado? Qual delas?
ro, em alemão, é zahl.
Os resultados das operações de
–6 + 12 = 6 a. soma, subtração e multiplicação entre
–6 . 12 – 18 = –12 dois inteiros são inteiros. A ordem de
–6 + 12 – 18 +24 = 12
Z é dada por: ... < –2 < –1 < 0 < 1 < 2 <
...
... e faz de Z uma sequência sem limite
d. superior ou inferior. Chamam-se de in-
a. 30. teiros positivos os inteiros maiores que
b. X 60. zero; o próprio zero não é considerado
c. 90.
b. um positivo.
d. 120.
e. 180. A ordem é compatível com as ope-
rações algébricas no seguinte sentido:
44. (Prova Brasil) Em uma cidade do Alasca, o
termômetro marcou −15 °C pela manhã. Se a
temperatura descer mais 13 °C, o termômetro
e.
• Se a < b e c < d, então a + c < b + d
vai marcar:
• Se a < b e 0 < c, então ac < bc
a. X –28 °C. c. X
b. −2 °C. Como os números naturais, os in-
c. 2 °C.
d. 28 °C.
teiros formam um conjunto infini-
to enumerável. Podemos dizer que Z
45. (OBM) Todo número primo é um número in-
é um domínio euclidiano e que todo
teiro que tem exatamente dois divisores positi-
vos: o número 1 e o próprio número. Por exem- número inteiro pode ser escrito como
plo, 2 e 5 são primos, mas 1 e 4 não, pois o 1 tem 47. (FCC) Pensei em um número e dele subtraí 3
unidades, multipliquei o resultado por 5, somei
produto de números primos de forma
somente o 1 como divisor positivo, já o número
4 tem como divisores 1, 2 e 4. Pensando nisso, 9 unidades, obtive 24 como resultado. É correto única (desde que o 1 não seja consi-
qual das afirmações a seguir é verdadeira? afirmar que o quadrado desse número é: derado primo). Esse é o Teorema Fun-
a. 1. b. 4. c. 16. damental da Aritmética. O ramo da
a. A soma de quaisquer dois números pri-
mos é um número primo. d. 25. e. X 36. Matemática que estuda os inteiros é
chamado de teoria dos números.
CAPÍTULO 2 I Números negativos 59

2:57 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 59 05/04/2018 21:42:57

Anotações

59

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 59 29/05/2018 11:50:09


Leitura complementar
48. (Saresp) Em um jogo, o valor de cada ponto chamadas, acesso à Internet, envio de mensa-
perdido é –4, e o valor de cada ponto ganho é gens. Se ela gastou R$ 29,90 com acesso à Inter-
O censo demográfico no Brasil con- +3. Ana perdeu 13 pontos e ganhou 15 pontos. net e R$ 15,50 com o serviço de envio de mensa-
siste em uma operação que contabiliza Fazendo os cálculos, pode-se verificar que o to- gens, quanto foi que ela gastou com chamadas?
tal de pontos de Ana é:
a população brasileira e extrai informa- a. X R$ 74,36.
ções sobre as características desses ha- a. –10. b. R$ 74,46.
b. X –7. c. R$ 84,36.
bitantes, realizada desde 1872. c. 3. d. R$ 89,86.
As três operações censitárias exe- d. 11. e. R$ 104,26.
cutadas no Brasil durante o  século e. 12.
53. (OBM) Numa padaria, uma lata de 200 g de
XIX  preocuparam-se basicamente em 49. (Obmep) Na subtração abaixo, cada letra achocolatado em pó CHOCOBM custa R$ 3,00,
representa um algarismo diferente. Qual é o al- uma lata de 400 g custa R$ 5,00 e a de 800 g cus-
contar a população. A partir do  século ta R$ 9,00. Lara precisa de 1,2 kg de CHOCOBM
garismo que C representa?
XX, outras informações passaram a ser para fazer um enorme bolo. Qual das opções a
seguir é a maneira mais econômica de comprar
coletadas e hoje o questionário do cen- A B A a.
b.
2.
4. 1,2 kg de CHOCOBM nessa padaria?
so responde a questões fundamentais
C A c. 5.
que servem de base para a definição de d. 7. a. 6 latas de 200 g.
políticas públicas e planejamento de en- A B e. X 9. b. X 1 lata de 400 g e 1 lata de 800 g.
c. 4 latas de 200 g e 1 lata de 400 g.
tidades públicas e privadas do Brasil. 50. (FCC) Em um planeta fictício X, um ano pos- d. 2 latas de 200 g e 1 lata de 800 g.
O  Instituto Brasileiro de Geogra- sui 133 dias de 24 horas cada, dividido em 7 e. 2 latas de 200 g e 2 latas de 400 g.
meses de mesma duração. No mesmo período
fia e Estatística  (IBGE) é o órgão res- 54. Dadas as expressões K = 2 + (-3), W = 5 +
em que um ano terrestre não bissexto é com-
(-2) × 1 e Y = 3 -(-4)×3.
ponsável por realizar o censo demo- pletado, terão sido transcorridos no planeta X,
O valor de K + W - Y será:
exatamente:
gráfico brasileiro desde o ano de 1940,
tendo sido o último realizado no ano a. 10.
a. 1 ano, 6 meses e 4 dias.
b. 11.
de  2010  e o próximo previsto para b. 2 anos e 4 dias.
c. 13.
c. 2 anos e 14 dias.
acontecer em 2020. d. 2 anos, 5 meses e 14 dias.
d. X -13.
e. -11.
e. X 2 anos, 5 meses e 4 dias.
Anotações 51. (Cesgranrio) O primeiro censo brasileiro foi
55. Solucionando a expressão (-2 -7) + 5 × 2,
iremos obter como resposta correta.
realizado em 1872. Na época, o Brasil era uma
monarquia e ainda existia escravidão. Foram a. X Um número positivo menor que 5.
contadas 9.930.480 pessoas, das quais 1.510.806 b. Um número negativo maior que -1.
foram declaradas escravas. Em 1872, quantas c. O número zero.
pessoas foram declaradas não escravas no Brasil? d. Um número positivo maior de 5.
e. Um número negativo menor que -1.
a. X 8.419.674.
b. 8.420.486. 56. Se a soma e a diferença entre dois números
c. 8.422.514. inteiros são, respectivamente, iguais a 100 e 60,
d. 8.502.176. o produto desses números é:

52. (OBM) Em maio, o valor total da conta de a. 4.000. b. 2.600.


telefone celular de Esmeralda foi R$ 119,76, sem c. X 1.600. d. 6.020.
os impostos. Esse valor corresponde aos itens: e. 16.900.

60 CAPÍTULO 2 I Números negativos

Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 60 05/04/2018 21:42:57 Ma

60

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 60 29/05/2018 11:50:11


Objetivos alcançados
57. Sabendo que x = 2 + (-5) × (-3) e que y = 5 61. (Prova Brasil) O preço de uma TV LCD 40” à
- (-3) × 4 a subtração entre o sucessor de x e o vista é R$ 1.699,00 e à prazo, o mesmo aparelho
antecessor de y vale: custa R$ 1.985,50. O juros que se paga na com- • Reconhecer os números inteiros em
pra do aparelho à prazo é: diferentes situações-problema nas
a. 1.
b. X 2. a. R$ 314,50. quais os alunos possam identificar a
c. 3. b. X R$ 286,50. existência de números inteiros positi-
d. 4. c. R$ 316,50.
e. 5. d. R$ 276,00.
vos e negativos.
62. (SAEB) Ana é secretária de um médico. Ela
• Identificar o conjunto Z.
58. Numa divisão exata o divisor vale 3, o quo-
ciente vale –416. Quanto vale o dividendo? registrou na agenda dele alguns atendimentos • Representar a ordenação de núme-
do dia, na parte da manhã. Veja o que ela fez. ros inteiros e sua localização na reta
a. X –1.248.
HORÁRIO PACIENTE numérica.
b. 1.365.
c. 1.248. 7:00 Rogério Moreira • Associar o módulo de um número
d. –1.365. 7:45 Cibele Resende inteiro.
59. (SAEB) Cíntia conduzia um carrinho de brin-
8:30
9:15
José Aguiar
Geraldo Veloso
• Determinar os números opostos ou
quedo por controle remoto em linha reta. Ela simétricos.
10:00 Rosana Mendonça
anotou em uma tabela os metros que o carrinho
andava cada vez que ela acionava o controle. Quanto tempo dura uma consulta desse médico?
• Usar, na reta numérica, os números
Escreveu valores positivos para as idas e negati- inteiros em ordem crescente ou de-
vos para as vindas. a. X 45 minutos. crescente.
Vez Metros
b.
c.
60 minutos.
30 minutos.
• Utilizar os sinais > , < ou = na com-
Primeira +17 d. 15 minutos. paração de dois números inteiros.
Segunda –8 63. (Prova Brasil) O funcionário de um super- • Calcular a soma de dois números in-
Terceira +13 mercado ficou gripado. Ele explicou que estava teiros de mesmo sinal ou de sinais di-
fazendo muito calor (33,5 ºC) e que, quando en- ferentes.
Quarta +4 trou na câmara frigorífica, a temperatura desceu
Quinta –22 40 ºC. A temperatura dentro da câmara frigorí- • Usar a regra prática para o cálculo da
Sexta +7
fica é: diferença entre dois números inteiros.
Após Cíntia acionar o controle pela sexta vez, a a. –40 ºC. • Calcular o produto de quaisquer nú-
distância entre ela e o carrinho era de: b. –7,5 ºC. meros inteiros.
a. –11 m.
c. X –6,5 ºC.
d. 7,5 ºC.
• Compreender e calcular as proprie-
b. X 11 m. dades da potenciação.
64. Comprei um certo objeto pelo valor de R$
c.
d.
–27 m.
27 m. 2.450,00. Após 6 meses vendi o objeto e tive um • Resolver expressões numéricas.
prejuízo de R$ 840,00. Qual foi o preço de venda
60. (Prova Brasil) Ao resolver corretamente a ex-
pressão -1 -(-5) . (-3) + (-4)3÷ (-4), o resultado é:
desse objeto? Anotações
a. X R$ 1.610,00.
a. –13. b. R$ 2.110,00.
b. –2. c. R$ 2.320,00.
c. X 0. d. R$ 2.420,00.
d. 30. e. R$ 2.430,00.

CAPÍTULO 2 I Números negativos 61

2:57 Matematica_Contextualizada_7ºano_02.indd 61 05/04/2018 21:42:57

61

ME_Matemática_Contextualizada_7A_02.indd 61 29/05/2018 11:50:12


vig64/Shutterstock.com

Números racionais
CAPÍTULO 3

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 62 05/04/2018 21:41:51 M

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 62 29/05/2018 11:51:05


Fonte de Peterhof, São Petersburgo, Rús-
sia. Nessa cidade nasceu o Matemático
Georg Cantor, que em um de seus estu-
dos descobriu que o conjunto de núme-
ros racionais é equivalente à mesma me-
dida do conjunto de números naturais.

• Neste capítulo, vamos rever conceitos


importantes, como os que envolvem
frações, e a utilização desses conceitos
em situações do dia a dia. Encontramos
as frações na televisão, na Internet, em
jornais e nas revistas, nos cálculos de
porcentagens, de probabilidades, nas
compras à prestação, nos descontos em
compras feitas à vista, na alta do dólar,
nas receitas culinárias, etc. Em todas
essas situações, observamos a utilização
de números racionais (Q) — que vimos
no sexto ano —, conjunto que envolve as
frações, conteúdo que abordaremos neste
capítulo.

:51 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 63 05/04/2018 21:41:52

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 63 29/05/2018 11:51:05


Conteúdos
conceituais
Resgatando a história

• Noções e conceito de número racio- As primeiras frações egípcias foram


escrita egípcia nossa escrita
nal e fração criadas a partir da necessidade de re-
partir colheitas, medir terras, etc. Os
• Leitura e intepretação de frações profissionais que faziam esse trabalho 11
• Resolver questões envolvendo frações eram chamados de esticadores de
33
cordas. As frações, inicialmente, eram
que representam parte de um inteiro
consideradas frações unitárias, pois o
11
• Apresentação de métodos de sim- numerador tinha sempre o valor unitá-
12
plificações de frações rio 1. Normalmente eram representa- 12
11
das na notação hieroglífica e utilizavam
• Apresentação de métodos de com- um sinal elíptico seguido do número
parações entre frações inteiro correspondente, conforme ima- 21
21
• Noções básicas de operações com gem seguinte.
A partir das frações egípcias e babilônicas, surgiram muitas outras notações de várias civilizações,
frações (soma e subtração) por exemplo, a romana, que utilizava a base 12 para a representação. Já a chinesa utilizava uma
• Noções básicas de operações com barra horizontal para representar a unidade e traços verticais para o número.
frações (multiplicação e divisão) shi shichi kyu
• Noções básicas de frações decimais ichi ni san
yon
go roku
nana
hachi
ku
ju

• Noções básicas de frações em por-


centagem
• Apresentação das porcentagens co- 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
mo sendo uma fração muito importante
A partir do século XVI, surgiram as frações com numeradores maiores que o numeral 1. Essa no-
• Atividades com cálculos de porcen- tação moderna, devemos aos hindus e aos árabes. Aos hindus, pelo sistema decimal adotado, e aos
tagens de um número inteiro árabes, pela barra horizontal separando o numerador do denominador.
• Noções básicas de operações com Fonte: BOYER, C. B. História da Matemática. São Paulo: Ed. Edgard, 2001.
decimais (soma e subtração)
• Noções básicas de operações com Número racional x
decimais (multiplicação e divisão)
Frações
BNCC Número racional é todo número que
pode ser representado por uma razão
(ou fração) entre dois números.
Objetivos de conhecimento Mas o que vem a ser uma fração?
Uma fração pode representar uma
porcentagem, o quociente de uma divi-
• Cálculo de porcentagens e de acrés- são, um todo, parte de um todo ou um
cimos e decréscimos simples. todo e uma parte do mesmo. Ou ainda
uma razão especial, como escala, densi-
• Fração e seus significados: como dade e velocidade média.
parte de inteiros, resultado da divisão, Por exemplo:
razão e operador.
64
• Números racionais na representação CAPÍTULO 3 I Números racionais

fracionária e na decimal: usos, ordena-


ção e associação com pontos da reta Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 64 05/04/2018 21:41:52 Ma

numérica e operações. blema utilizando diferentes algoritmos. problemas, a associação entre razão
(EF07MA06) Reconhecer que as re-
2
Habilidades trabalhadas no soluções de um grupo de proble- e fração, como a fração para ex-
capítulo mas que têm a mesma estrutura po- 3
dem ser obtidas utilizando os mesmos pressar a razão de duas partes de uma
(EF07MA02) Resolver e elaborar pro- procedimentos. grandeza para três partes da mesma
blemas que envolvam porcentagens, (EF07MA07) Representar por meio ou três partes de outra grandeza.
como os que lidam com acréscimos e de um fluxograma os passos utilizados (EF07MA10) Comparar e ordenar nú-
decréscimos simples, utilizando estra- para resolver um grupo de problemas. meros racionais em diferentes con-
tégias pessoais, cálculo mental e cal- (EF07MA08) Comparar e ordenar frações textos e associá-los a pontos da reta
culadora, no contexto de educação fi- associadas às ideias de partes de inteiros, numérica.
nanceira, entre outros. resultado da divisão, razão e operador. (EF07MA11) Compreender e utilizar a
(EF07MA05) Resolver um mesmo pro- (EF07MA09) Utilizar, na resolução de multiplicação e a divisão de números

64

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 64 29/05/2018 11:51:07


Dicas para o professor
Oito chocolates divididos para duas pessoas podem ser representados por:

• Trabalhar partindo de atividades


concretas, como reconhecer números
8 racionais no contexto do dia a dia, re-
, ou seja, 8 : 2 = 4 chocolates para cada pessoa.
2 tomando os conceitos prévios.
• Explorar as atividades existentes no
livro.
• Resolver exercícios em grupo, verifi-
Três chocolates divididos para duas pessoas podem ser representados por: cando o quanto os alunos assimilaram
do conteúdo.
• Valorizar a capacidade de criar estra-
3
, ou seja, 3 : 2 = 1,5 chocolate para cada pessoa. tégias para a resolução de problemas.
2
• Valorizar a troca de experiências en-
tre os colegas.
Um chocolate dividido para duas pessoas pode ser representado por: • Mostre aos alunos que os números
racionais contêm o conjunto dos nú-
1
meros inteiros e dos naturais; portan-
, ou seja, 1 : 2 = 0,5, metade de um chocolate para cada pessoa.
2 to, todo natural é inteiro, e todos os in-
teiros são também racionais.
• Comente com os alunos que a huma-
Dois chocolates divididos para cinco pessoas podem ser representados por: nidade criou novos conjuntos numéricos
de acordo com as suas necessidades.
2
5
, ou seja, 2 : 5 = 0,4. Nesse caso, dividimos cada uma das duas
• Cite a importância de se conhecer a
barras em cinco partes e separamos duas partes para cada pessoa. simbologia matemática em função da
linguagem própria da disciplina.
• Comente com os alunos que pode-
Observe que, se o divisor, nesse caso 5, for maior, o resultado será sempre menor que uma uni- mos afirmar que N está contido em Z,
4 40 que N está contido em Q e que Z está
dade. Sabemos que 0,4 representa (quatro décimos), o equivalente a ou 40% (quarenta por
10 100
cento) do chocolate. contido em Q.

Anotações
Como devemos ler as frações?
a
Numa fração, como , sendo a e b dois números inteiros e b diferente de zero, chamamos a de
b
numerador e b de denominador. Vejamos um exemplo atribuindo valores à fração:

CAPÍTULO 3 I Números racionais 65

1:52 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 65 05/04/2018 21:41:53

racionais, a relação entre elas e suas


propriedades operatórias.
(EF07MA12) Resolver e elaborar pro-
blemas que envolvam as operações
com números racionais.

65

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 65 29/05/2018 11:51:08


Leitura complementar

Número racional é todo número


que pode ser representado por uma
5 numerador

fração entre dois números inteiros,


sendo indicado pelo símbolo Q. 2 denominador

A divisão de dois números intei- Primeiro lemos o numerador e, depois, o denominador, que é quem vai atribuir nomes às fra-
ros resulta nos números racionais. Por ções. No caso do exemplo acima, lemos cinco meios.
meio de uma fração, podemos repre- Quando o denominador é menor que 10, lemos:

sentar um número racional, sendo es-


p 1 21 132 213 233 3 3
crito na forma , onde p e q são nú-
q
meros inteiros e q deve ser diferente 2 32 253 2375 357 57 7
de zero, podendo também ser repre- um meio dois terços três quintos três sétimos

sentado na forma decimal. Todo racio- Para o denominador que é uma potência de 10, lemos:
nal é o quociente da divisão de dois
números inteiros. 7 7 3773 433 4 445 5 55
p
Q = { x|x = , sendo p e q intei- 10 1010
1010100
10 10100100
10 1100
.000
1.000
11.000
.000
ros, q ≠ 0}. q
sete décimos três décimos quatro cinco
centésimos milésimos

Anotações Para denominadores maiores que 10, sem ser potência de base 10, lemos:

4 4124 12125 5 5
12 1235
12 35300
35 300
300
quatro doze doze trinta e cinco
avos cinco avos trezentos avos

Tipos de fração
Fração própria

São frações que representam partes de um inteiro, ou seja, quantidades maiores que 0 e meno-
res que 1. Veja.
1 1 40
; ;
5 4 100
Nelas, o numerador é sempre menor que o denominador.

66 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 66 05/04/2018 21:41:54 Ma

66

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 66 29/05/2018 11:51:10


Sugestão de abordagem
Fração imprópria
Decifre o enigma escrevendo em seu
São frações que representam números inteiros ou números maiores que 1. Veja.
caderno a resposta à pergunta:
3
Cada inteiro foi dividido em 2 partes.
2 “Onde dorme um cachorrão bravo de
90 quilogramas?” Dicas:

2
8
Cada inteiro foi dividido em 3 partes.
• Os primeiros 6
da palavra embora.
3
4 da palavra qualida-
• Os primeiros
9 4
de, mais os primeiros da palavra
5
8
Cada inteiro foi dividido em 4 partes. quero.
4

5
• Os primeiros 8
da palavra lugarejo.

Fração aparente 3
• Os últimos 5
da palavra leque.
Quando a divisão do numerador pelo denominador é um número natural, chamamos a fração de
8
aparente, caso especial da fração imprópria. Podemos ver um exemplo disso acima, no qual = 2.
4 3
Frações diferentes também podem representar números iguais. Observe. • Os primeiros 8
da palavra elegante.

8 6
= = 2
4 3 3
• Os primeiros
5
da palavra quibe,
8 6
= = 2
4 3 mais a primeira 1 da palavra sertão.
8 6
= = 2
2
4 3

Resposta: Em qualquer lugar que ele


Fração mista
quiser.
As frações mistas são representações diferentes das frações impróprias. Veja:

8 2
3
, por exemplo, pode ser representado por 2 .
3 Anotações

CAPÍTULO 3 I Números racionais 67

1:54 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 67 05/04/2018 21:41:54

67

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 67 29/05/2018 11:51:12


Leitura complementar
Para analisar:
Quem representou, pela primeira
Judô
vez, um meio pela forma como conhe-
cemos hoje foi Leonardo Fibonacci, O judô é uma arte marcial fundada pelo japonês Jigoro Kano, em 1882. Ele idealizou
regras para um confronto esportivo que poderia oferecer aos praticantes uma extraordiná-
também conhecido por Leonardo de ria oportunidade no sentido de serem superadas as próprias limitações do ser humano. O
Pisa (1170–240), por ser esta a sua ter- maior lema da modalidade é usar a força do adversário a seu favor.
ra natal. Viajou bastante pelo Oriente Todos os lutadores devem usar um judogi, nas lutas oficiais, composto de kimono, calça e
faixa. As lutas de judô, tanto no masculino quanto no feminino, são disputadas em um único
e, no ano de 1200, voltou a Pisa, ten- round de cinco minutos. Em caso de empate, a disputa vai para o golden score de três minu-
do publicado um livro em que apare- tos, no qual o primeiro atleta que pontuar ganha a luta. Se o empate persistir, os três juízes
decidem o vencedor ao levantar uma bandeira da cor do kimono do vencedor.
cia, pela primeira vez, um meio repre-
O objetivo do judô é conquistar o ippon (ponto completo). O ippon é conquistado quan-
sentado sob a forma de fração. do um judoca consegue derrubar o adversário, imobilizando-o com as costas ou ombros no
Na Matemática, os números de Fi- chão durante meio minuto. Quando o ippon é concretizado, o combate se encerra. 
Outra forma de conquistar o ippon é através da obtenção de dois wazari, que valem meio
bonacci são uma sequência. Você co- ponto (vantagem). Pode-se também conquistar pontos com o yuko, que vale um terço de
meça com 0 e 1 e, então, produz o pró- ponto, e com a koka, que vale um quarto de ponto.
Veja uma tabela de pontuação do judô de 1988.
ximo número de Fibonacci somando
os dois anteriores para formar o pró- Golpe Pontuação
ximo. Os primeiros números de Fibo-
Ippon 1 ponto
nacci para n = 0,1, ... são 1, 1, 2, 3, 5,
8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, 233, 377, 610, 1
Wazari ponto
2
987, 1.597… Um uso interessante da
sequência de Fibonacci é na conver- 1
Yuko ponto
são de milhas para quilômetros. Por 4
exemplo, para saber aproximadamen-
1
te a quantos quilômetros 5 milhas cor- Koka ponto
8
respondem, pega-se o número de Fi-
Hansokumake 1 ponto
bonacci correspondendo ao número
de milhas (5) e olha-se para o núme- keikoku
1
ponto
2
ro seguinte (8).
1
Chui ponto
4
Anotações
1
Shidô ponto
8

Fonte: http://rederecord.r7.com/londres-2012/esportes/judo/. Acessado em 26/02/2015. Adaptado.

68 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 68 05/04/2018 21:41:55 Ma

68

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 68 29/05/2018 11:51:13


Leitura complementar

Refletindo sobre o texto Fração


Imagine que você foi a uma luta de judô, entre um japonês e um coreano, na qual os lutadores ti-
veram o seguinte desempenho: O termo fração tem sido comumen-
te usado tanto para designar certas
Japonês: um koka, um yuko, um wazari e três shidô.
Coreano: um wazari, dois koka, um chui, um shidô e um yuko. partes de um todo, ou de uma unida-
de, quanto para designar uma repre-
Baseado nessas informações e nas encontradas no texto, descubra quem venceu a luta.
sentação numérica dessa parte. O
O coreano.
próprio contexto dirá quando a fração
está designando uma parte da unida-
Simplificação de frações de — aqui temos um quarto de queijo,
A simplificação das frações nos auxilia principalmente quando precisamos multiplicar ou ali está meio melão — ou quando ex-
dividir frações com numeradores e denominadores grandes, como no caso abaixo. pressa numericamente essa parte — o

480 ÷10 48 ÷8 6 ÷2 3 pedaço correspondente a 1 de quei-


÷10
= ÷8
= ÷2 = 4
320 32 4 2
jo, a parte correspondente a 1 melão.
3
Dessa forma, é a forma mais simples de escrever
480
. 2
2 320
Como nenhum número natural diferente de 1 divide ao mesmo tempo 3 e 2, esta é a forma mais Número fracionário
simplificada, chamada de fração irredutível.

É o número associado à classe de


equivalência de uma determinada fra-
ção. Podemos imaginar as frações
Atividades 1 2 3 180
, , ,..., ,... como diferentes,
1. Entre vinte e cinco peixinhos de um aquário, 2. Observe a imagem e marque a única alterna- 2 4 6 360
cinco são dourados. Assim, podemos afirmar tiva incorreta: num certo sentido, mas equivalentes.
que a fração que representa os peixinhos dou-
rados é:
Mas, ao conjunto delas, está associada
a ideia de um só número fracionário.
5
a. Não temos um símbolo diferente para
100 Alternativa “b”, pois a questão
1 distinguir o número fracionário asso-
b. X 5
5 sugere a fração , que simplifi- ciado a essa classe. Ele se confunde
25
5 com o símbolo de qualquer fração da
c. 5 ÷5 1
kyslynskyyhal/Shutterstock.com

20 cada fica = .
25 ÷5 5 classe, embora muitas vezes seja usa-
25
d. da a fração que tem o menor numera-
20
25
e.
5 dor e o menor denominador (no caso,
CAPÍTULO 3 I Números racionais 69 1
). A fração, usada como registro nu-
2
1:55 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 69 05/04/2018 21:41:56 mérico de certa parte da unidade, con-
funde-se com o registro do número fra-
Anotações cionário que representa essa parte.

69

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 69 29/05/2018 11:51:15


a. A fração que representa o número de ca-
d

Inge Schepers/Shutterstock.com
1
valos brancos é .
4
b. A fração que representa o número de ca-
1
valos marrons é .
2
c. X É correto afirmar que a fração que repre-
senta o número de cavalos pretos é uma
fração imprópria.
d. É correto afirmar que a fração que repre-
senta o número de cavalos marrons é
uma fração própria.

3. Determine a fração que cada elemento dife-


a. 1 Um oitavo.
rente do grupo representa em relação ao total e
escreva como se lê cada fração que você deter- 8
minou.

Gts/Shutterstock.com
a 1 Um sétimo.
b.
7

c. 1 Um quinto.
5

1 Um quinze avos.
d.
15
b

Essas frações são próprias ou impróprias? Por


quê?
pogonici/Shutterstock.com

Todas as frações são próprias, pois têm o nume-

rador menor que o denominador.

Ma

c 4. Observe a imagem. Mindscape studio/Shutterstock.com

silvergull/Shutterstock.com

70 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 70 05/04/2018 21:41:57

70

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 70 29/05/2018 11:51:16


Dicas para o professor
a. A barra de chocolate pode ser dividida em a. Faça, em seu caderno, um desenho para re-
quantos tabletes? presentar cada uma dessas frações.
Pode ser dividida em 18 tabletes. Resposta pessoal. • Fazer a comparação entre números
b. Alguma dessas frações representa menos racionais na forma de fração e na for-
que uma unidade?
b. Seis desses tabletes representam que parte ma de números decimais.
Nenhuma dessas frações representa menos de
ou fração desse chocolate?
• Mostre aos alunos que, antes de
A fração que representa 6 desses tabletes é uma unidade. comparar, eles poderão localizar os
6: 6 1 números na reta real.
= .
18:6 3
• É necessário que eles visualizem a
5. Dadas as frações: c. Como são chamadas as frações cujo numera- comparação na reta real para que pos-
dor é sempre maior que o denominador? sam construir o conceito, e assim evitar a
5 7 7 11
I. II. III. IV. Frações impróprias.
4 3 5 5 memorização de regras de comparação.

Comparação de frações
Frações iguais não são obrigatoriamente idênticas. Por exemplo: Anotações
6 12
= 3, assim como também o é. Como estas, infinitas outras frações serão iguais, por exem-
2 4
18 24 300
plo, , , ...
6 8 100
A esse tipo de fração, damos o nome de frações equivalentes. Outros exemplos:

1 2 3 4 5 6
= = = = = = ...
2 4 6 8 10 12

Frações com denominadores iguais


Quando o denominador de duas frações for igual, o maior numerador define o maior número.
Observe:

4 2
é maior que , pois, por exemplo, 4 milhões de reais divididos para 3 pessoas representa
3 3
maior quantia que 2 milhões divididos para 3 pessoas.

4
3
4 2
>
2 3 3
3

CAPÍTULO 3 I Números racionais 71

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 71 05/04/2018 21:41:57

:57

71

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 71 29/05/2018 11:51:17


Frações com denominadores diferentes
Não conseguimos comparar, frequentemente, frações com denominadores diferentes. Por isso,
temos que recorrer à equivalência, ou seja, substituir essas frações por outras equivalentes. Para
encontrar frações equivalentes, devemos calcular o M.M.C. dos denominadores. Veja:

3 1
Comparando e ,
4 3

3 1
Temos: e e
4 3 12 12

 9 4 
12 : 4 · 3 = 9 12 : 3 · 1= 4  , 
 12 12 

Assim, calculando o M.M.C. dos denominadores, que nesse caso é 12, encontramos frações equi-
 9 4 
valentes às primeiras  ,  , com denominadores iguais; logo, possíveis de ser comparadas.
 12 12 

Amplie o conhecimento
Leia o texto e, em seguida, responda ao que se pede.

A China é o país de maior população do

testing/Shutterstock.com
mundo há muito tempo. Quando realizou
seu primeiro Censo, em 1953, a contagem
revelou 582 milhões de habitantes; hoje
possui cerca de 1,3 bilhão de habitantes.
Já a população do planeta Terra atin-
giu 7,2 bilhões de pessoas em 2013, como
informa a Organização das Nações Uni-
das (ONU) no estudo Perspectivas de
População Mundial. E, de acordo com as
projeções de crescimento demográfico
apresentadas pela entidade, a população
mundial deve chegar a 8,1 bilhões de pes- Ma

soas em 2025 e 9,6 bilhões, em 2050.

De acordo com o texto, podemos afirmar que a população chinesa representa aproximadamente
18 da população mundial?
100 18
Sim, pois a população da China representa aproximadamente 0,18, ou da população mundial.
100

72 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 72 05/04/2018 21:41:58

72

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 72 29/05/2018 11:51:19


Dicas para o professor
Adição e subtração de frações
Frações de mesmo denominador • Efetuar adições e subtrações com
Veja a seguinte situação:
números racionais corretamente.
• Relembre as operações com frações
com sinais positivos para depois ampliar
esse conceito efetuando operações com
1
A fração que representa essa figura é . números racionais com sinais diferentes.
5
Agora, observe a figura abaixo, que, por sua vez, representa a fração
2
.
• É preciso que os alunos encarem
5 esse assunto como uma continuida-
de dos conceitos que já construíram, e
não como um novo conceito.
Veja o que acontece quando somamos essas duas frações:
• Mostre aos alunos que algumas re-
gras não são válidas para os números
racionais.
• Discuta diferentes formas de resolu-
+ ção e peça aos alunos que participem
dando sugestões.

3
A fração que representa essa soma é
. Observe que, na adição de frações, não somamos os
Anotações
5
denominadores, mas apenas os numeradores.

1 2 3
+ =
5 5 5
1 5
Nesse caso, quanto devemos somar a para obtermos um inteiro? (O inteiro no exemplo seria .)
5 5
Respondemos com uma subtração:

5 1 4
− =
5 5 5
Para adição ou subtração de frações com o mesmo denominador, somamos ou subtraímos ape-
nas os numeradores, mantendo os denominadores sem alteração.

Frações de denominadores diferentes

Na comparação de frações, aprendemos a igualar os denominadores. Agora, vamos utilizar essa


mesma técnica para somar ou subtrair frações com denominadores diferentes, pois do mesmo
modo não podemos somá-las ou subtraí-las diretamente.

4 3
Exemplo: +
3 2

CAPÍTULO 3 I Números racionais 73

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 73 05/04/2018 21:41:58

:58

73

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 73 29/05/2018 11:51:20


Leitura complementar
Utilizando o conhecimento em frações equivalentes para obter frações de mesmo denominador,
8 9 8 9 17
Há mais de 1.000 anos, os chineses teremos + . Depois, sim, podemos somar: + =
6 6 6 6 6
usavam um método diferente para so-
mar frações. Esse método não exigia
que os denominadores das parcelas
fossem iguais. Ele aparece em um dos Atividades
primeiros livros chineses de Matemáti-
1. A parte colorida dos gráficos abaixo repre- d. O espaço vazio do notebook III suporta todo
ca, chamado Nove capítulos. Veja um senta a parte ocupada do HD de quatro note- o conteúdo do notebook IV?
exemplo de como eles faziam: books de mesma capacidade. Não.

2 4 I. II.
e. Para representarmos a soma do espaço ocu-
+ =?
3 5 pado no notebook II com o do notebook IV, o
que teríamos que fazer?
2 ⋅ 5 = 10
Pode ser feita a simplificação da fração do note-
3 ⋅ 4 = 12
book II para, então, fazer a soma. Observe: note-
10 + 12 = 22
2:2 1 1 2 3
book II = , assim a soma ficaria: + = .
(numerador da soma) 8:2 4

Todas as adições representam a mesma fração.


III. IV. 4 4 4

2 4 2. Qual é a soma que representa o maior número?


+
3 5 2 3 2 3 5
3 ⋅ 5 = 15 a. + + =
6 6 6 6 6

(denominador da soma) 2 1 2 1 2 3 5
b. + + = + =
a. Represente com uma fração a parte ocupada 6 2 6 2 6 6 6
2 4 22 de cada notebook.
Assim: + =
3 5 15 5 2 3 2 1 3 1 3 2 3 5
; ; ; c. + + = + =
8 8 4 4 3 6 3 6 6 6 6
Essa resposta está correta? Verifi-
b. Some as frações que representam o espaço
que e faça outras adições pelo méto- d.
1 1
+
1 1 2 3 5
ocupado dos notebooks I e II, depois some tam- + = + =
do dos antigos chineses. bém o espaço ocupado dos notebooks III e IV. 3 2 3 2 6 6 6
Qual das frações resultantes é imprópria? O que

Anotações significa ser fração imprópria?


5 2 7
3. Explique, com um pequeno texto, os proce-
dimentos que utilizamos para efetuar o cálculo
+ = A fração da soma entre os note- 3 1.
8 8 8 +
books III e IV é imprópria, pois o 5 2
3 2 5
+ = numerador foi maior que o de- Devemos igualar o denominador, calculando o
4 4 4 nominador. M.M.C., de 5 e 2. De posse do novo denomina-
c. O espaço vazio do notebook I suporta todo o dor 10, multiplicaremos pelos denominadores
conteúdo do notebook II? antigos 5 e 2 e multiplicaremos pelos nume-
radores 3 e 1. Daí, somamos apenas os novos
Sim. numeradores e obtemos o resultado da adição
dessas frações.
74 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 74 05/04/2018 21:42:00 Ma

74

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 74 29/05/2018 11:51:22


Dicas para o professor
1
4. Carina passou de sua vida morando na 5. Meus dois primos me visitaram neste final de
3
1 2 4
praia, morando na cidade, nas montanhas
5 5
semana. Distribuí entre eles dos chocolates
5 • Resolver situações-problema com
e o resto na fazenda, onde ela mais gostava de que eu possuía em casa, de modo que um ga- números racionais e inteiros e efetuar
7
morar. Sabendo disso, não é correto afirmar: nhou 10, o outro ganhou e eu comi o restan- a multiplicação de números racionais.
12
a. A maior parte de sua vida, Carina viveu
te. Assim sendo, quantos chocolates eu comi? • É importante que os alunos resol-
6. vam problemas em que estejam inseri-
nas montanhas.
das situações de seu cotidiano.
b. Na fazenda, que era onde ela mais gosta- 3
6. Luíza comeu de um tablete de chocolate, • Mostre aos alunos que a resolução
8 de situações-problema frequentemen-
va de estar, foi onde menos viveu. 1
e Ana desse mesmo tablete. Qual a fração do
8 4 te exige que se efetue mais de uma
c. Podemos afirmar que, durante de sua tablete de chocolate que sobrou para a Cecília
15 operação.
vida, ela morou entre a praia e a cidade. comer? 3
.
9
d. X Ela viveu na fazenda por de sua vida.
13
8 Anotações

Multiplicação de frações
Frações de mesmo denominador

Nessa operação, multiplicamos os numeradores e os denominadores entre si, o que quer dizer

2 2 2 2 2 2
que 5 vezes significa + + + + . Como você já sabe, nesse caso somamos os numeradores
3 3 3 3 3 3
2 2 2 2 2 10
e repetimos o denominador: + + + + = .
3 3 3 3 3 3

Frações de denominadores diferentes

Multiplicar frações com denominadores diferentes é mais fácil do que somá-las, pois para somar
temos que igualar os denominadores, achando frações equivalentes. Para multiplicar, basta multi-
plicarmos numeradores e denominadores entre si. Veja:

2 3 2⋅3 6
⋅ = =
5 4 5 ⋅ 4 20
A fração resultante do produto acima poderia ser simplificada, conforme já estudamos:

6 :2 3
= .
20:2 10
Saber simplificar frações é muito importante, pois necessitaremos desse conhecimento em futu-
ros conteúdos, como relações entre triângulos, proporções, porcentagens e muitos outros. Por isso,
vamos agora aprender uma técnica utilizada para simplificar uma fração antes de efetuar o produto,
conhecida como técnica do cancelamento.
Veja alguns exemplos:

CAPÍTULO 3 I Números racionais 75

2:00 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 75 05/04/2018 21:42:00

75

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 75 29/05/2018 11:51:23


Dicas para o professor
12 15 180
a) ⋅ = =6
5 6 30
• Mostre aos alunos a diferença de se Observe que podemos resolver de outra forma:
trabalhar problemas com duas tornei- ÷6 ÷5
ras e com mais de duas. 12 15 2 3
÷5
⋅ ÷6
= ⋅ = 2⋅3 =6
5 6 1 1
• Mostre aos alunos que as regras da
multiplicação de inteiros permanecem Podemos simplificar 12 e 6 dividindo ambos por 6, que dará 2. Depois, 15 e 5 por 5, que dará 3.
para os racionais. Assim, ficamos com um simples produto de 2 por 3.

• Lembre que a multiplicação e a divi- b)


32 65 2.080
⋅ = = 26
são seguem a mesma regra e que to- 5 16 80

da divisão de fração é transformada Podemos simplificar 32 e 16 dividindo ambos por 16, que dará 2. Depois, 65 e 5 por 5, que
dará 13. Ficamos, assim, com um simples produto de 2 por 13, como podemos ver abaixo.
em multiplicação. ÷16 ÷5
32 65 2 13
• Ressalte que, na multiplicação de 5
÷5

16
÷16
= ⋅
1 1
= 26
frações, pode ser usada a técnica do
cancelamento. A técnica do cancelamento também é de grande ajuda quando o valor do produto é muito alto.
• Embora o cancelamento seja de mui- Veja:
÷512 ÷75 ÷70
to uso, é interessante mostrar ao edu- 1.024

150

70
=
2 2 1 .
⋅ ⋅ =1
÷75 ÷512 ÷70
cando o verdadeiro motivo pelo qual 75 512 280 1 1 4

podemos cancelar, ou seja, que a pro-


priedade é consequência do elemen-
to neutro (quando numerador e deno-
minador forem iguais) e da simplifica- Atividades
ção de fração. 1. Resolva utilizando a técnica do cancelamento:

608 150 7 4
a. ⋅ ⋅ =
21 304 75 3
Anotações 480 210 7 36 5
b. ⋅ ⋅ ⋅ =
21 48 720 14 2

Problemas envolvendo torneiras


O problema das torneiras envolvendo o tempo de enchimento de um reservatório implica em
conhecimentos aritméticos ou algébricos. O matemático Hariki afirma que problemas de torneiras
são antiquíssimos. Encontramos uma versão desse tipo de problema na Antologia grega organizada
por Metrodoro, um matemático grego que vivia por volta do ano 500 d.C. Veja:
Eu sou um leão de bronze; de meus olhos, boca e pé direito jorram água. Meu olho direito enche
uma jarra em dois dias, meu olho esquerdo em três dias, e meu pé direito em quatro dias. Minha
boca é capaz de enchê-la em seis horas, diga-me quanto tempo os quatro juntos levarão para
enchê-la.

76 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 76 05/04/2018 21:42:01

76

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 76 29/05/2018 11:51:25


Exemplo:
Uma torneira enche um tanque em 4 horas, outra torneira consegue completar o mesmo tanque
em 6 horas. Sendo ambas abertas ao mesmo tempo, em quanto tempo conseguirão encher, juntas,
esse tanque?
Vamos chamar as torneiras de torneira X e torneira Y. Resumindo:

torneira X torneira Y

volume V V

tempo 4 horas 6 horas

V V
Se as torneiras irão trabalhar juntas, temos: +
4 6
A fração resultante mostra que, nessas condições, encheríamos 5 tanques iguais em 12 horas.
Então, dividimos numerador e denominador por 5, para descobrir quantas horas serão suficientes
para encher apenas um tanque.

V V 3V + 2V 5V 12
+ = = =
4 6 12 12 5

Pelo quociente, temos que ambas as torneiras preenchem o volume V em 12/5 horas (2,4 horas
= 2h24min).

Atenção: Cuidado na conversão de horas indicadas em deci-


mais para tempo em formato estendido. Por exemplo, 1,5 hora
é 1h30min, e não 1h50min! Basta multiplicarmos cada décimo
de hora por 6 minutos.
Um décimo (0,1) de hora é igual a 6 min., então 0,4 corres-
ponde a 4 × 6 = 24 min.

2:01 Atividades

1. Se um jacaré adulto entrar em uma lagoa, 2. Uma torneira enche um tanque em 6 horas.
próxima ao mangue que habita, ele dizimará a Outra torneira o enche em 3 horas. Abrindo-se
população de peixes em 8 horas. Mas, se for um as duas torneiras simultaneamente, em quanto
filhote, isso só ocorrerá em 12 horas. Em quan- tempo o tanque ficará cheio?
tas horas os dois jacarés juntos dizimariam toda
a população de peixes dessa lagoa? 2 horas.

4,8 horas = 4 horas e 48 minutos.

CAPÍTULO 3 I Números racionais 77

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 77 05/04/2018 21:42:01

77

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 77 29/05/2018 11:51:26


Dicas para o professor
3. Um pintor aplica uma textura em uma casa 4. (Obmep) Uma torneira enche um tanque em
em 5 horas, e seu colega consegue aplicar o 8 horas, e outra torneira enche o mesmo tanque
• Efetuar divisões entre os números mesmo tipo de textura em 4 horas. Trabalhando em 4 horas. Ao meio-dia, a primeira torneira foi
racionais. juntos, em quanto tempo conseguirão aplicar aberta com o tanque vazio e, duas horas depois,
essa textura? a segunda torneira também foi aberta. A que
• Resolver situações-problema que en- Em cerca de 2,22 horas = 2 horas e 13 minutos horas o tanque ficou cheio?
volvam divisões de números racionais. a. 14h.
• É interessante notar que a multipli- aproximadamente.
b. 14h30min.
cação em forma de X é consequência c. 15h.
do princípio do algoritmo da divisão d. 15h30min.
de racionais e é estabelecida em fun- e. X 16h.

ção dessa inversão da segunda fração.


Divisão de frações
2 3 2 8 16
 ÷  → ⋅ = Para dividir frações, vamos recorrer a um conceito básico que diz: dividir é o mesmo que
5 8 5 3 15
multiplicar pelo inverso multiplicativo. Por exemplo:
• Se preferir, peça aos alunos que 1
Dividir 4 por tem o mesmo resultado que multiplicar 4 por 2 (temos solução igual a 8 nos
criem e verifiquem essa característica. dois casos). 2
• Peça aos alunos que sugiram exem- 1
Multiplicar 30 por tem o mesmo resultado que dividir 30 por 2 (temos solução igual a 15 nos
plos e elabore, na lousa, problemas 2
dois casos).
com os exemplos sugeridos.
a c a d
Então: : = ⋅ , considerando os denominadores diferentes de zero. Exemplo:
b d b c

Anotações 3 2 3 7 21
: = ⋅ =
5 7 5 2 10

Sabendo disso, quantos copos de 250 ml, ou seja, um quarto de litro, conseguiríamos servir se
comprássemos uma garrafa de refrigerante de 2 litros?
1
Essa pergunta nos leva ao quociente dois dividido por um quarto: 2 : .
4
Observe que, dentro de cada litro, cabem 4 copos de 250 ml. Assim, basta multiplicarmos dois
pelo inverso multiplicativo de um quarto.
4
2⋅ =8
1
Dessa forma, uma garrafa de 2 litros cheia nos dará 8 copos de 250 ml.

Já vimos, em anos anteriores, a representação de números na forma decimal. Agora, vamos nos
aprofundar um pouco mais.

Frações especiais
Existem frações que não possuem representações decimais exatas. Por exemplo:

78 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 78 05/04/2018 21:42:02 Ma

78

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 78 29/05/2018 11:51:28


mos ou reduções em preços, números
ou quantidades, sempre tomando por
(I)
1 1
= 0, 333... ou = 0, 333
base 100 unidades.
3 3
5 5 100
(II) = 0, 8333... ou = 0, 833
6 6 = cem=por cento 100%
100

Observe que as reticências no fim das frações periódicas servem para indicar que há continui- Cento
dade dos numerais. Aos numerais decimais em que há repetição periódica e infinita de um ou mais
algarismos, dá-se o nome de numerais decimais periódicos, ou dízimas periódicas. Nelas, os
algarismos que se repetem infinitamente constituem o período dessa dízima, ou fração geratriz. O
período pode ser classificado como simples, quando há apenas a repetição de um algarismo, ou
A história do símbolo %
composto, quando há repetição de mais de um algarismo.
Exemplo: Relatos históricos datam que o
5
(I) = 0, 555... (período igual a 5)
surgimento dos cálculos percentuais
9 aconteceu por volta do século I a.C.,
7 na cidade de Roma.
(II) = 2, 333 (período igual a 3)
3
Alguns documentos antigos suge-
4
(III) = 0, 1212 (período igual a 12) rem que o símbolo de % tenha evoluí-
33
do a partir da escrita da expressão la-
Porcentagens: uma fração muito importante tina “per centum”, sendo conhecido
em seu formato atual desde meados
Também chamadas de taxa percentual e representadas por %, (lê-se por cento), as porcenta-
gens são frações que possuem denominador 100. Elas estão por toda parte:
do século XVII.

ESB Professional/Shutterstock.com
Pague à vista e ganhe
Símbolo usado no
Dos 36 alunos,
século XVII.
só passaram
40%.

15% Dicas para o professor


t o!
o n
d e d esc Aproveite o momento para discu-
tir sobre a história da porcentagem e
sua relação com a busca por melhores
taxas durante o período de expansão
marítima, que contribuiu para a mode-
A porcentagem é uma forma de se expressar um número como uma fração de um todo. Assim, lização do termo por cento.
para calcular a porcentagem, nos baseamos em um número total, que é o 100%. Por exemplo, se
você tem 8 livros, estes representam 100% dos seus livros. Se você, por algum motivo, perdeu dois

CAPÍTULO 3 I Números racionais 79 Anotações


2:02 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 79 05/04/2018 21:42:03

Leitura complementar consequente. Quando a e b forem me-


didas de uma mesma grandeza, elas
devem ser expressas na mesma unida-
Porcentagem: conceito de de medida.
A razão entre dois valores de uma
Dados dois números a e b, com grandeza pode ser estabelecida com
b ≠ 0 , chamamos de razão de a para diferentes consequentes. A razão ex-
b, ou, simplesmente, razão de a e b, pressa com denominador 100 é cha-
a
nessa ordem, ao quociente , o qual mada por cento, assim, para indicar
pode ser indicado por a : b. b sua razão, escrevemos %, onde o sím-
Esses valores recebem nomes es- bolo % lê-se por cento.
pecíficos, sendo a chamado de ante- Na atualidade é frequente o uso
cedente, e b sendo denominado de de expressões que refletem acrésci-

79

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 79 29/05/2018 11:51:30


Dicas para o professor
2
destes, então você perdeu de 100% = 200 = 25% de seus livros. Dessa forma, restam apenas 75%
dos livros (100% – 25%). 8 8
• Usufrua da questão 4 para propor
uma aula interdisciplinar juntamente
aos professores de Geografia e Ciên-
cias. Ao falar sobre o desmatamento e Atividades
a transformação do espaço geográfico,
1. Represente as porcentagens na forma de fra- Considerando o percentual apresentado na ta-
aproveite para destacar as implicações ções de denominador 100. bela, responda:
dessas ações para as futuras gerações. a. Qual foi o destino mais escolhido?
• Trabalhar com anúncios de jornais e a. 50% –
50
c. 20% –
20
Disney.
100 100
revistas que abordem a venda de car-
ros, objetos, roupas, imóveis, estimulan- b. Escreva a fração irredutível que representa
5 cada porcentagem.
do os alunos a verificarem e compara- b. 5% – d. 25% – 25
100 100 25 1
rem se as ofertas são vantajosas ou não. =
25% =
100 4
• Discutir os desafios propostos em 20 1
sala de aula. 2. Simplifique cada fração da questão anterior, =
20 % =
transformando-as em frações irredutíveis. 100 5
• Valorizar o interesse e a habilidade =
40 % =
40 2
dos alunos de resolver os exercícios 50 1 100 5
a. =
100 2 15 3
sugeridos. 50 =
15% =
5 = 11 100 20
100 =
100 220
50 1 c. Some todas as frações irredutíveis que você
20 == 11
5
Leitura complementar b.
100
100
100
50
= 2
20
5
encontrou. Essa soma representa quantos por
5 = 11
20 cento?
25 == 121
100
100 = 520
100 1 1 2 3 5 4 8 3 20
100
5 41 + + + = + + + = = 1 = 100%
c. 20
25 == 11 4 5 5 20 20 20 20 20 20
Segundo o estudo Estado das Flo- 100 =
100 45 20
100
20 4. Leia o texto.
restas do Mundo 2016, entre 1990 e 25 = 11
100 =
2005, 71% do desmatamento na Ar- 100 54 Consuma menos carne. A pecuária bovina
25 1
d. = é a maior responsável pelo desmatamento no
gentina, Colômbia, Bolívia, Paraguai, 100 4
Brasil. Além disso, a produção de suínos e aves
Peru, Venezuela e Brasil foi devido à consome grande parte da produção de grãos, o
que pressiona a retirada das florestas. Ademais,
demanda de pastos; 14% os cultivos 3. Veja a preferência dos alunos de uma escola
o gado produz metano, gás causador do efeito
com relação a viagens internacionais.
comerciais, e menos de 2% infraes- estufa. Ele tem um tempo de vida de 12 anos, e
trutura e expansão urbana.  A expan- sua molécula é 23 vezes mais eficaz em aquecer
Destino Alunos o Planeta do que a de gás carbônico. As emis-
são dos pastos causou a perda de ao Europa 25% sões de metano também são causadas por fe-
menos um terço das florestas em seis nômenos naturais e pelo homem. 
Caribe 20% O gado envia mais de 80 milhões de tone-
países analisados.  Na Argentina, a ex- ladas anuais de metano para a atmosfera du-
pansão dos pastos foi responsável por Disney 40% rante a ruminação. E o esterco acrescenta mais
40% dessa quantia. Aproximadamente 30% das
45% do desmatamento e a expansão Outros 15%
emissões mundiais desse gás vêm da pecuária.
de terras de cultivo comerciais respon-
80
deu por mais de 43%.  No Brasil, mais CAPÍTULO 3 I Números racionais

de 80% do desmatamento estava liga-


do à conversão de terras em terrenos Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 80 05/04/2018 21:42:04 Ma

de pasto. que cerca de 40% seja responsável ses que partilham a bacia amazônica”.
No período de 2000 a 2010, foi re- pelo desmatamento em regiões tro- As políticas, como a vinculação de in-
gistrado um desmatamento de 7 mi- picais e subtropicais; agricultura de centivos agrícolas associados a crité-
lhões de hectares de florestas anuais subsistência local, 33%; infraestrutu- rios ambientais, a adoção de práticas
nos países tropicais e aumento das ra, 10%; expansão urbana, 10%; e mi- silvipastoris, o pagamento por serviços
terras agrícolas de 6 milhões de hec- neração, 7%”. ambientais e a recuperação de pasta-
tares ao ano. A maior perda líquida de Apesar do desmatamento seguir gens degradadas podem evitar a am-
florestas e o maior aumento líquido em níveis altos na América Latina, em pliação da fronteira agrícola em detri-
de terras agrícolas durante esse pe- 2015 a taxa reduziu em quase 50% em mento das florestas.
ríodo ocorreu no grupo de países de relação a 1990. “Essa redução tam-
baixa renda, onde as populações ru- bém foi significativa na Amazônia de- Fonte: http://amazonia.org.br/2016/09/
rais estão aumentando. “A agricultu- vido às políticas de desenvolvimento pecuaria-e-responsavel-por-mais-de-80-do-
ra comercial em larga escala faz com sustentável impulsionadas pelos paí- desmatamento-no-brasil/

80

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 80 29/05/2018 11:51:32


quantidade de oxigênio distintas para
funcionarem bem. Com os carburados,
Baseado no texto que acabamos de ler: 6. Adilson tem um carro movido a biocombus-
tível, que pode ser abastecido com álcool ou
a mistura ar-combustível era regulada
a. Escreva as porcentagens que aparecem no gasolina. No domingo passado, ele se esque- mecanicamente pelo usuário. Imaginem
texto na forma de fração irredutível. ceu de abastecer, de modo que teve de ser re-
bocado até o posto mais próximo. Lá, Adilson
ter que regular o carburador toda vez
40 2 que o combustível do tanque mudasse.
=
100 5 1
30 3
abasteceu o carro com da capacidade total A injeção eletrônica possui atuadores no
=
4
100 10 2 sistema de indução que regulam a mis-
do tanque de álcool e de gasolina. Com os
3 tura de acordo com a temperatura am-
b. Faça um desenho para representar cada fra-
ção encontrada no item anterior. dois combustíveis que Adilson abasteceu, po- biente e a do motor para fazer a regula-
demos afirmar que:
gem automaticamente.
a. o tanque do carro ficou com exatamente Outro item indispensável para o car-
metade da sua capacidade. ro flex é a sonda lambda, um sensor ins-
b. o tanque do carro ficou com menos da
metade da sua capacidade. talado no coletor do escape, antes do
3
c. o tanque do carro ficou com exatamente
7
catalisador, que faz a leitura dos gases
da sua capacidade.
d. X o tanque do carro ficou quase completo. que saem das câmaras de combustão
do motor. Se a queima estiver pobre
Resposta pessoal.
7. João e José queriam saber quantos copos (muito ar) ou rica (muito combustível),
com capacidade para um quarto de litro pode- ela pode mandar um sinal à central ele-
riam retirar de uma garrafa de refrigerante de
dois litros. trônica do motor para enviar mais ou
João foi logo para o cálculo com frações: menos oxigênio.
1
2÷ . Como gasolina e etanol emitem gases
4
resultantes diferentes, a sonda identifica o
José utilizou a lógica matemática: se 2 litros cor-
1 que o carro está queimando. Nos mode-
respondem a 2.000 ml e de litro a 250 ml,
4 los mais modernos, há um equipamento
então é só dividir 2.000 por 250.
no tanque que, por meio da medição da
5. Vimos que dividir é equivalente a multiplicar Analise a solução encontrada pelos dois e de- diferença de condutibilidade elétrica de
pelo inverso. Assim, efetue as seguintes divisões: pois comente sobre elas. ambos os combustíveis, já faz a leitura an-
3 3 4 24 tes de gasolina, etanol ou qualquer pro-
a. 6 ÷ = 6 ÷ = 6× = =8
4
4 3 3 porção de ambos entrarem no motor.
Como o etanol é menos eficiente em
1 1 4
b. 2 ÷ = 2 ÷ = 2× = 8 sua queima do que a gasolina, os pro-
4 4 1 Resposta pessoal.
pulsores abastecidos com o combustí-
6 2 6 2 6 7 42 3 vel vegetal acabam consumindo mais.
c. ÷ = ÷ = × = =
14 7 14 7 14 2 28 2
Então há um cálculo de preço para sa-
2 3 2 3 2 4 8 ber se é melhor encher o tanque com
d. ÷ = ÷ = × =
5 4 5 4 5 3 15 um ou outro. O uso do etanol é vantajo-
so se o litro custar até 70% do valor do li-
81
CAPÍTULO 3 I Números racionais
tro da gasolina. Basta dividir o preço do
combustível de origem vegetal pelo da
2:04 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 81 05/04/2018 21:42:04 gasolina. Se o resultado for igual ou infe-
Leitura complementar Em 2012, dos mais de 3.800.000 veí- rior a 0,7, compensa usar etanol. Se pas-
culos leves novos licenciados no País, oi- sar de 0,7, vale a pena usar a gasolina.
tenta e sete por cento eram equipados
Em 2003, a Volkswagen apresentou o com algum tipo de sistema flexível de MORENO, Thiago. Tecnologia flex completa
Gol Total Flex, o primeiro carro brasileiro combustível, segundo os dados da An- 10 anos no Brasil. Disponível em: http://www.
que era capaz de rodar com gasolina ou favea (Associação Nacional dos Fabri- icarros.com.br/noticias/geral/tecnologia-flex-
etanol — que na época ainda era cha- cantes de Veículos Automotores). No completa-dez-anos-no-brasil/13877.html
mado apenas de álcool. Hoje, os mo- acumulado dos dois primeiros meses de
toristas podem chegar às bombas de 2013, essa estatística subiu para 88,3%. Dicas para o professor
combustível e ter liberdade para esco- Sem injeção eletrônica, não haveria
lher o que for mais vantajoso. Mas você carro flex, simples assim. Como a gaso-
sabe como funciona o sistema que tor- lina e o etanol produzem queimas dife- Aproveite a questão 6 para promo-
nou isso possível? rentes, necessitam de temperaturas e ver uma aula interdisciplinar com Ciên-

81

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 81 04/06/2018 16:04:21


cias. Ao falar sobre a tecnologia flex,
aproveite também para destacar ou-
tros biocombustíveis e sua importân- Porcentagem por acréscimo e decréscimo simples
cia para o meio ambiente. Além de determinar porcentagens, é muito importante compreender e determinar acréscimos e
também decréscimos envolvendo a porcentagem simples, utilizando cálculos resumidos.
Vamos supor que uma mercadoria teve seu valor aumentado em 10%. Para determinar o valor
Sugestão de abordagem final, é necessário multiplicar o valor atual por 1,10. Isso representa a parte inteira 1, adicionada ao
fator multiplicativo 0,10 referente aos 10% do aumento. Do mesmo modo, para um aumento de
15%, basta multiplicar o valor atual por 1,15 e assim por diante.

1. A quantidade de alunos da escola Exemplo 1


de Amanda é 3.600. Desse total, 20%
Um objeto que custa R$ 24,00 na compra à vista sofre um acréscimo de 22% se pago a prazo.
estão na Educação Infantil e 35% es- Quanto será o valor pago a prazo por esse objeto?
tão no Ensino Médio. Calcule quantos
24,00 × 1,22 = 29,28
alunos estão no Ensino Fundamental e
quantos estudam no Ensino Médio. Temos aqui um caso de acréscimo com porcentagem simples.
Para os casos de decréscimos, é necessário multiplicar pelo fator complementar da parte inteira
Solução: 1. Se temos um decréscimo de 30%, é necessário multiplicar por 0,70, que representa o restante,
20% + 35% = 55% para que os 30% completem 1, que é nosso inteiro.
100% – 55% = 45%
Exemplo 2
45% → 3.600
Um medicamento na farmácia custa R$ 132,00. Se esse medicamento é pago à vista, ele sofre
45 um decréscimo de 15% no seu valor final. Qual é o valor desse medicamento quando pago à vista?
⋅ 3.600 = 1.620
100
132,00 × 0,85 = 112,20

35% → 3.600 Temos, aqui, um caso de decréscimo com porcentagem simples.

35
⋅ 3.600 = 1.260
100 Cálculo da porcentagem de um número
Resposta: Bete teve 20% de desconto na compra de uma sandália que custava R$ 75,00. Quantos reais ela
45% estudam no Ensino Fundamental, teve de desconto?
Para descobrir de quanto foi esse desconto, temos que calcular 20% de 75.
o que representa 1.620 alunos.
35% estudam no Ensino Médio, o que 20
20% é igual a , ou 2 .
representa 1.260 alunos. 100 10
2 2 150
Assim: de 75 = . 75 = = R$ 15,00.
10 10 10

Anotações Vamos, então, generalizar:


x
Calcular x% de n é o mesmo que efetuar · n.
100
20 20 1 1 80
Ex: 20% de 80 = · 80. Como = , podemos fazer: · 80 = = 16.
100 100 5 5 5

82 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 82 05/04/2018 21:42:05 Ma

82

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 82 29/05/2018 11:51:36


Dicas para o professor

Aproveite o exercício 2 para falar


Questões resolvidas sobre arredondamentos.
1. (Obmep) A escola de Paraqui organizou uma Olimpíada de Matemática para seus 250 alunos e pre-
miou com medalhas os 8% que obtiveram as notas mais altas. Quantas medalhas foram distribuídas? Leitura complementar
Solução:
8 2
a. 8. Basta calcular 8% de 250: 8% = × 250 ⇒ × 250
100 25
b. 11.
Logo:
500
= 20 medalhas
Precisão
c. 14. 25
d. 17.
A precisão de uma unidade medida
e. X 20.
será automaticamente indicada pelo
2. Dois quadrados de papel estão sobrepostos, como na figura. A região não sobreposta do número de decimais com que se es-
quadrado menor corresponde a 52% de sua área, e a região não sobreposta do quadrado maior
crevem os valores da variável. Ex: 1,80
corresponde a 73% de sua área. Qual é a razão entre o lado do quadrado menor e o lado do qua-
drado maior? m indica uma medição com precisão
Solução: de centésimos; 1,800, precisão de mi-
73% Vamos chamar de l e L, respectivamente, os lados do quadrado me- lésimo; e 1,8, precisão de um décimo.
nor e do quadrado maior, e de Q a área comum aos dois quadra-
dos. Então Q corresponde a 100 - 52 = 48% da área do quadrado
menor e a 100 - 73 = 27% da área do quadrado maior. Arredondamento
2 2
I  27 I  27
  = ⇒  =
52% Segue que
48 2 27 2
I = L : logo,
L  48 L  48 De acordo com resolução do IBGE:
100 100
• quando o primeiro algarismo a ser
2
I  9 I  3
  = ⇒ =
 L  16 L  4 eliminado é 0, 1, 2, 3, ou 4, o último
3. Na figura apresentada a seguir, temos uma região retangular de largura 6 cm e comprimento 12 cm. algarismo a permanecer fica inaltera-
O quadrado localizado dentro da região retangular possui medida de lado igual a 5 cm. Deseja-se do. Ex: 53,24 passa a 53,2; 17,3452 pas-
descobrir qual a porcentagem que o quadrado representa referente à área retangular.
sa a 17,3.
5 cm
Solução: • quando o primeiro algarismo a ser
Solucionado o problema, temos inicialmente que calcular as abandonado é 6, 7, 8, ou 9, aumenta-
duas regiões. -se em uma unidade o último algarismo
Área retangular → 12 ⋅ 6 = 72 cm² a permanecer. Ex: 42,87 passa a 42,9;
12 cm

Área do quadrado → 5² = 25 cm²


25,08 passa a 25,1; 53,99 passa a 54,0.
Estabelecendo uma relação entre medidas de áreas e por-
centagens, temos:
• quando o primeiro algarismo a ser
abandonado é 5, há duas soluções:
25 p 25 ⋅ 100 2.500
= →p= →p= → p ≅ 34, 72
72 100 72 72
Isso significa que a área do quadrado representa aproxima-
a) Se ao algarismo 5 seguir, em qual-
6 cm damente 34,72% da área total do retângulo. quer casa, um algarismo diferente
de 0, aumenta-se em uma unidade
83
CAPÍTULO 3 I Números racionais
o último algarismo a permanecer.
Ex: 2,352 passa a 2,4; 25,6501 passa
2:05 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 83 05/04/2018 21:42:05 a 25,7.
b) Se o número 5 for o último al-
Anotações garismo ou se ao algarismo 5 só se
seguirem zeros, o último algarismo
a ser conservado será aumentado
de uma unidade se for ímpar, ou
permanecerá inalterado se for par.
Ex: 24,75 passa a 24,8; 24,65 passa a
24,6; 24,7500 passa a 24,8 e 24,6500
passa a 24,6.

83

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 83 29/05/2018 11:51:37


Atividades
1. Para representar a escola numa competição, Analisando a imagem, podemos afirmar que a
a coordenação chamou 30 alunos do fundamen- parte com tomate representa:
tal. Desses alunos, 60% eram meninas. Quantas
meninas e quantos meninos foram convidados? a. 20%.
b. X 25%.
18 meninas e 12 meninos.
c. 80%.
d. 40%.
2. A caixa-d’água da escola tem 4 m de largu-
ra, 3 m de altura e 5 m de comprimento, o que 5. Paulo, que é biólogo, analisou o crescimento
constitui um volume de 60 metros cúbicos e, de certa espécie de planta de acordo com a ta-
consequentemente, uma capacidade de 60.000 bela a seguir:
litros. Determine quantos litros a escola gasta
mensalmente com:
Crescimento anual Porcentagem
a. limpeza, sabendo que a fração que corres-
Entre 0 e 20 cm Fraco
1
ponde a esse gasto é de do total.
6 Mais que 20 cm e menos
Bom
10.000 litros. que 30 cm

Mais que 30 cm Ótimo


b. consumo dos alunos e funcionários, sabendo
que a fração que corresponde a esse gasto é de
Nestes dois últimos anos, ele acompanhou o
2 do total. crescimento de uma planta que possuía 120
15 centímetros. Ela teve um aumento de 10% no
8.000 litros. seu tamanho e, algum tempo depois, o aumen-
to foi de 25%. Podemos afirmar que, consecuti-
3. Metade do dinheiro que eu tenho na cartei- vamente, o crescimento foi:
ra corresponde à quarta parte do dinheiro que
meu amigo tem no bolso. Se meu amigo tem a. fraco e bom.
apenas 30 reais, quanto eu tenho no bolso? b. fraco nos dois.
c. X fraco e ótimo.
R$ 15,00. d. bom e ótimo.

4. A seguinte pizza está dividida em oito partes 6. Lucas contraiu uma dívida no valor inicial de
R$ 720,00. Após algum tempo, ele foi efetuar o
Ma
iguais. Observe:
pagamento e tomou um susto ao ouvir que o
valor atual da dívida era de R$ 1.008,00. Deter-
mine qual o percentual pago a mais por conta
do atraso.

a. 20%.
b. 30%.
c. X 40%.
d. 50%.

84 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 84 05/04/2018 21:42:06

84

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 84 29/05/2018 11:51:39


Sugestão de abordagem
Calculando porcentagens com o auxílio da calculadora
É de importância significativa o auxílio de equipamentos eletrônicos na execução de cálculos 1. Uma loja lança uma promoção de
matemáticos. Aqui, vamos utilizar a calculadora para determinar porcentagens. Acompanhe alguns 15% de desconto no preço de seus
modos de utilizar esse equipamento de maneira correta.
produtos. Se uma mercadoria custa R$
Exemplo 1: 180,00, quanto passará a custar?
Vamos usar uma calculadora para determinar quanto vale 13% de R$ 250,00.
Solução:
Digite inicialmente o 250. O desconto será de 15% de 180,00.
Digite o sinal de multiplicação.
Agora digite o valor percentual desejado, no caso 13.
Logo:
Digite a tecla de porcentagem e finalmente digite a igualdade.
250 x 13% = 32,5 15 15
de 180 → ⋅ 180 = 27
Podemos concluir assim que 13% de R$ 250,00 é R$ 32,50.
100 100
Serão retirados, portanto, R$ 27,00 de
Exemplo 2:
Agora, acompanhe a seguinte situação. Você necessita determinar quanto é 26% de R$ 420,00. R$ 180,00.
Porém, sua calculadora não possui a tecla de porcentagem (%). Veja como é possível utilizar essa 180 – 27 = 153
calculadora corretamente para obter o resultado desejado.

Digite o valor 420. Resposta: O preço com o desconto


Divida esse valor por 100. Isso se dá porque toda porcentagem é uma fração centesimal.
420 ÷ 100 = 4,2 será de R$ 153,00.
Multiplique o resultado obtido pela porcentagem desejada. No caso aqui, 26%.
4,2 × 26 = 109,2
2. Em uma compra de R$ 1.600,00, ob-
Vamos concluir, sem o auxílio da tecla de porcentagem (%), que 26% de R$ 420,00 é R$ 109,20. teve-se um desconto de 20%. Calcule
o valor pago pela compra.
Solução:
Problemas com porcentagens
Calculando o desconto, temos:
É verdadeiramente necessária a compreensão de porcentagens no nosso cotidiano. Isso fica
muito evidente nas transações comerciais que efetuamos. Vamos acompanhar a solução de alguns 20
problemas envolvendo porcentagens. ⋅ 1.600 = 320
100
Problema 1
Logo: 1.600 – 320 = 1.280
Ana Luiza comprou um vestido à vista para ganhar um desconto de 7% no valor original. Se o
vestido custa R$ 490,00, quanto Ana Luiza pagou?
Se o desconto no pagamento à vista é de 7%, Ana Luiza pagou a porcentagem de 93%. Resposta: O valor pago pela compra
Assim, temos: foi de R$ 1.280,00.
490 × 93% = 455,7

Pagando à vista e tendo ganhado um desconto de 7%, Ana Luiza pagou R$ 455,70 pelo vestido.
Anotações
Problema 2
Milton comprou um aparelho eletrodoméstico e resolveu pagar a prazo, pois não podia pagar

CAPÍTULO 3 I Números racionais 85

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 85 05/04/2018 21:42:06

:06

85

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 85 29/05/2018 11:51:40


à vista. Sabendo que o valor à vista é de R$ 2.300,00 e que o valor total a prazo é 22% maior que o
valor à vista, quanto Milton pagará pelo eletrodoméstico no total a prazo?
Como se trata de um valor maior que o valor total pago à vista, vamos multiplicar o valor por 1
unidade inteira adicionada à parte percentual 0,22. Isso nos ajudará a simplificar o cálculo.
Assim, temos:

2.300 × 1,22 = 2.806

Atividades
1. Em uma cidade, no interior de Pernambuco, 4. No ultimo mês, 42% dos 2.000 sócios de um
com 23.000 habitantes, 88% destes são alfabe- clube pagaram as mensalidades. Quantos só-
tizados. Com base nessa informação, responda: cios estão com o pagamento em dia?
a. Qual a porcentagem de habitantes não alfa- a. X 840 sócios.
betizados nessa cidade? b. 844 sócios.
12%. c. 845 sócios.
d. 855 sócios.
e. 862 sócios.
b. Qual a quantidade de habitantes alfabetiza-
dos nessa cidade? 5. Uma família é constituída de 40 pessoas, en-
20.240 habitantes são alfabetizados. tre crianças e adultos. Das 40 pessoas, 18 são
adultos. Qual é o percentual de crianças dessa
família?
2. Dei a meu irmão 42 bolinhas de gude das 120
bolinhas que eu possuía. Que porcentagem das a. 42%
minhas bolinhas de gude, eu dei ao meu irmão? b. 43%.
c. 44%.
35%. d. 45%.
e. X 55%.
3. Com o auxílio da calculadora, determine as
porcentagens solicitadas abaixo: 6. Um grande clube de futebol do Brasil pos-
sui 80.000 sócios com pagamentos quitados re-
a. 23% de R$ 14.000,00 ferentes ao ano de 2018. Cada sócio paga em
R$ 3.220,00. média o valor de R$ 120,00. Desejamos saber
quanto desse valor deverá ser restituído ao pa- Ma

trocinador master. Já que no contrato reza que


b. 45% de R$ 20.500,00. esse patrocinador deve receber 8,2% da renda
fornecida pelos sócios do clube.
R$ 9.225,00.
a. R$ 750.000.
c. 2% de R$ 234.000,00. b. R$ 800.500.
c. X R$ 787.200.
R$ 4.680,00. d. R$ 890.100.

86 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 86 05/04/2018 21:42:06

86

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 86 29/05/2018 11:51:42


Sugestão de abordagem
Multiplicando números na forma decimal
As frações são muito importantes, mas é muito mais frequente a utilização dos números na forma 1. Considere os seguintes números:
decimal. Assim, vamos rever algumas operações com decimais.
Uma empresa que cria jogos para celulares está recebendo R$ 2,80 por semana de cada assinan-
te. Quanto um assinante paga por um mês com 4 semanas? I) 0,021021021...
O cálculo se resume em 4 vezes 2,8, que pode ser efetuado por meio de uma soma ou de uma II) 0,030030003...
multiplicação.
III) 0,123412341234
2, 8 2, 8
2, 8 ×4 Quais são números racionais?
2, 8 11, 2
a) Apenas I.
+ 2, 8
11, 2
b) Apenas I e II.
c) Apenas I e III.
Quando, na multiplicação, aparecem números na forma decimal, efetuamos os cálculos e só de-
pois colocamos a vírgula, deixando o resultado com a mesma quantidade de casas decimais que a
d) Apenas II e III.
soma das casas decimais de cada fator. e) I, II e III.
Vejamos outro exemplo: 1 quilo de chocolate custa R$ 12,25. Sendo assim, quanto custa 2,7
quilos de chocolate?
Resposta: Alternativa “c”.
Nesse exemplo, é mais fácil percebermos o caso da consideração das casas decimais:

12, 25
× 2, 7 Anotações
8575
+ 2450
33, 075

Atividades
1. Veja o preço de alguns doces na Docemania. c. 12 pirulitos – R$ 9,00

d. 50 brigadeiros – R$ 72,50
Unidade do doce Valor em reais
Chocolate 1,25 2. Escreva um produto de números decimais
Bala 0,15 para representar cada situação abaixo:
Pirulito 0,75 a. um aumento de 15% sobre uma camisa que
Brigadeiro 1,45 custa R$ 78,25.
1,15 × 78,25
Determine o valor pago por:
b. um acréscimo de 22% sobre um salário de
a. 7 chocolates – R$ 8,75 R$ 720,75.

b. 25 balas – R$ 3,75 1,22 × 720,25

CAPÍTULO 3 I Números racionais 87

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 87 05/04/2018 21:42:06

:06

87

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 87 29/05/2018 11:51:43


c. um desconto de 20% em um sapato que custa d. 100 cm de diâmetro.
R$ 230,90.
314 cm
0,80 × 230,90
e. 23,42 cm de diâmetro.
3. Para calcular o perímetro de um círculo, uti- 73,5388 cm
lizamos a fórmula P = D ⋅ π , na qual D é o diâ-
metro e π vale aproximadamente 3,14. Já que o 4. Digite o número 0,2 na calculadora e aperte
diâmetro cabe aproximadamente 3,14 vezes no a tecla de multiplicação. Em seguida, digite 0,2
comprimento, utilize essa fórmula e determine novamente e depois aperte a tecla de igual al-
o comprimento de um círculo que possui: gumas vezes. O que foi que aconteceu cada vez
a. 4,2 cm de diâmetro. que você apertou essa tecla?

13,188 cm 0,2 · 0,2 = 0,04. A cada vez que apertamos a te-

cla (=), o resultado é acrescido do mesmo valor


b. 7,12 cm de diâmetro.
22,3568 cm que está aparecendo no visor como resposta.

Logo, 0,2 · 0,2 = 0,04 = 0,016 = 0,032 = 0,064 e


c. 10 cm de diâmetro.
31,4 cm assim na sequência crescente.

Dividindo números na forma decimal


Uma das propriedades da divisão é que, multiplicando o dividendo e o divisor por números
iguais, não alteramos o quociente. Veja:

12 : 2 = 6

Multiplicando dividendo e divisor por 10, teremos o mesmo resultado:

120 : 20 = 6

Podemos utilizar essa propriedade para dividir decimais e transformar uma divisão de decimais
em uma divisão de inteiros.

5,2 (× 10) : 0,2 (× 10) → 52 : 2 = 26

Também podemos considerar:


8,4 = 8 inteiros e 4 décimos. 84 décimos divididos por 2 décimos é igual a 42.
2,08 : 2 = 2 inteiros e 8 centésimos. 200 + 8 é igual a 208 centésimos, que divididos por 2 cen-
tésimos é igual a 104 centésimos.

Divisor maior que o dividendo


Quatro cocadas custam R$ 3,00. Quanto custa cada cocada?

88 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 88 05/04/2018 21:42:06 M

88

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 88 29/05/2018 11:51:45


3 4
?
Para responder a essa pergunta, primeiramente temos de pensar: quantas vezes 4 cabe em três?
A resposta é zero vezes e fica no quociente, assim:

3 4
0
Agora, para que seja possível continuar a divisão, trocamos 3 unidades por 30 décimos.

30 4
0
Dividindo 30 por 4, encontramos 7; e, como a resposta será um número na forma decimal, acres-
centamos uma vírgula no denominador.

30 4
0,7
30 : 4 não nos dá uma divisão exata, dessa forma teremos um resto de 2 décimos:

30 4
-28 0,7
02
2 décimos equivalem a 20 centésimos, por isso dividimos 20 por 4, que é igual a 5.

30 4
-28 0,75
020
–020
0 Por isso, podemos dizer que 3 : 4 é igual a 0,75.
CAPÍTULO 3 I Números racionais 89

:06 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 89 05/04/2018 21:42:06

89

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 89 29/05/2018 11:51:46


Atividades
1. Uma loja resolveu dar um desconto de 25% em 3. O preço das seguintes mercadorias da tabela
toda linha de eletrodomésticos, e a tabela abaixo abaixo foi colocado após um aumento geral de
mostra o preço de alguns após o desconto. 15% em cada produto, o que significa que es-
ses preços representam 115% do valor anterior
Eletros Valor (R$) para cada caso. Se dividirmos o preço das mer-
TV 1.350,00 cadorias por 1,15, que representa o aumento de
115% em cada produto, descobriremos quanto
Som 600,00 eles custavam antes do aumento. Faça isso e,
Ventilador 111,00 em seguida, monte uma nova tabela com os va-
lores iniciais de cada produto.
Liquidificador 82,50
Produto Novo valor (R$)
Observe que R$ 100,00, após um desconto de
25%, tornam-se R$ 75,00. Para que R$ 75,00 se Cadeira 287,50
tornem R$ 100,00 novamente, temos que dividi-
-los por 75%, ou seja, por 0,75. Na linguagem Mesa 943,00
comum, podemos dizer que 0,75 cabe 100 ve-
zes em 75. Então, dividindo cada número por Bancada 522,33
0,75 (100% – 25%), encontramos o preço antes
do desconto. Qual é o preço de cada eletrodo-
méstico antes do desconto? Produto Novo valor (R$)

TV – R$ 1.800,00 Cadeira 250,00

som – R$ 800,00 Mesa 820,00

ventilador – R$ 148,00 Bancada 454,20

liquidificador – R$ 110,00
4. Após um aumento de 20%, uma caixa de cho-
colate passou a custar R$ 7,20. Quanto custava
2. Naldo apurou R$ 400,40 vendendo churras- essa caixa de chocolate antes do aumento?
quinho na quinta-feira passada. Se cada um
custava R$ 2,20, quantos churrasquinhos ele R$ 6,00.
vendeu nessa quinta? Já na sexta-feira, ele apu-
rou R$ 822,50, mas vendendo cada churrasqui- 5. Cinco pequenos produtores compraram
nho por R$ 2,35. Assim, quantos churrasquinhos uma vaquinha leiteira para criar em parceria.
Naldo vendeu na sexta? Ela tem dado em média 30,6 litros de leite por
Na quinta-feira, Naldo vendeu 182 churrasqui- dia, então:

a. cada pequeno produtor terá em média 1,95


nhos.
litro de leite por dia.
Na sexta-feira, 350 churrasquinhos. Falso, pois cada produtor terá em média 6,12

litros de leite por dia.

90 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 90 05/04/2018 21:42:07 M

90

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 90 29/05/2018 11:51:48


b. em um mês, cada pequeno produtor terá Quantos litros de álcool ou de gasolina pode-
mais de 50 litros de leite. mos comprar com:
Verdadeiro, pois cada produtor terá em média a) R$ 57,75?

183 litros por mês. 21 litros de gasolina e 27,5 litros de álcool.

c. a produção diária dessa vaquinha equivale a b) R$ 173,25?


mais de 120 copos com capacidade de 250 ml. 63 litros de gasolina e 82,5 litros de álcool.
Verdadeiro, pois equivale a 122 copos de 250 ml.
7. Encontre uma matéria de jornal ou revista
que envolva números na forma decimal e crie,
em seu caderno, um problema envolvendo ope-
6. Observe a tabela de preços abaixo e respon- rações com esses números.
Resposta pessoal.
da às perguntas seguintes: 52 66
8. Quem é maior: ou ? Escreva essas duas
16 12
Gasolina 2,75 frações na forma decimal antes de responder.

Álcool 2,10 66
O maior é .
12

Potência com base na forma fracionária ou decimal


Você já ouviu falar nos juros compostos? Estes ocorrem quando o acréscimo é sempre feito sobre
o valor atual do produto. Por exemplo: quantos por cento aumenta, em um trimestre inteiro, uma
quantia que tem um acréscimo consecutivo de 40% durante cada mês?

4
40=
% = 0, 4
10
100
Como a quantia é representada por 100 = % = 1, temos 100% + 40% = 140%, o que significa que
todo mês ela será multiplicada por 1,4. 100
Então, temos que calcular 1,4 · 1,4 · 1,4, ou seja, 1,43 (uma potência de base decimal).

14 14 14 2.744
⋅ ⋅ = = 2, 744
10 10 10 1.000

1,43 = 2,744 ou 274,4%, o que implica que os juros de 40% ao mês, durante três meses, equivalem
a um juro trimestral de 274,4%, quase o triplo do valor do produto.
Podemos resumir, então, que, para calcular os juros compostos produzidos por um certo tempo,
utilizamos uma potência como as da tabela abaixo:

durante 2
50% ao mês 100% + 50% = 150% = 1,5 1,53 = 3,375 ou 337,5%
meses
durante 4
30% ao mês 100% + 30% = 130% = 1,3 1,34 = 2,8561% = 285,61%
meses
durante 5
8% ao mês 100% + 8% = 108% = 1,08 1,085 = 1,4693280768 ≈ 147%
meses

CAPÍTULO 3 I Números racionais 91

:07 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 91 05/04/2018 21:42:07

91

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 91 29/05/2018 11:51:49


Dicas para o professor

• Mostre o diagrama aos alunos e, na


lousa, represente os números racio- Atividades
nais na reta real para que eles perce-
1. Calcule os juros totais produzidos com os seguintes acréscimos consecutivos:
bam que esse conjunto é, ou seja, en-
≅169%
tre dois números racionais há infinitos a. 30 por cento ao mês durante 2 meses –
números racionais. b. 15 por cento ao ano durante 5 anos –
≅201,14%

• Comente que o conjunto dos núme- ≅207,36%


c. 20 por cento ao mês durante 4 meses –
ros racionais é não numerável.
≅108,25%
• Peça aos alunos que deem exem- d. 2 por cento ao mês durante 4 meses –
plos da utilidade dos números racio-
nais no cotidiano. Os números racionais e a reta numérica
A reta numérica é um segmento em que os números estão dispostos de modo crescente, do
menor para o maior. A origem da reta é o zero, que fica localizado em seu centro. Temos, à direita
Anotações da origem zero, os números positivos e, à esquerda do zero, os números negativos. A reta numérica
comumente é graduada com os números inteiros.

-9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9

Vamos indicar algumas estratégias para facilitar a localização de números inteiros na reta nu-
mérica.

1º) Observe o sinal do número racional: se for negativo, percorra a reta para a esquerda; se for
positivo, percorra-a para a direita.
2º) Se o número racional for apresentado na forma fracionária, transforme o mesmo para a forma
decimal. Lembre-se de que, para isso, basta dividir o numerador pelo denominador.
Vamos a um exemplo:

13
Seguindo as estratégias acima mencionadas, tente localizar  −  na reta numérica.
7
O número é negativo, logo ele deve ficar localizado à esquerda do zero.

13
Efetuando a divisão, temos: − = −1, 8...
7
Assim, na reta numérica, teremos -1,8 na localização indicada pela seta. Entre os números intei-
ros -2 e -1, com uma proximidade maior para -2.

-9 -8 -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9

92 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 92 05/04/2018 21:42:08

92

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 92 29/05/2018 11:51:51


Atividades
1. Nas retas numéricas abaixo, localize os números racionais apresentados.

1
a.
5 -3 -2 -1 0 1 2 3

4
b.
3 -3 -2 -1 0 1 2 3

8
c. −
3 -3 -2 -1 0 1 2 3

2. Ainda usando os números racionais da ques- 3. Transforme os números racionais da forma


tão anterior, qual deles é o menor número ra- fracionária para a forma decimal.
cional?
4 9
8 a. = 0,8 b. = 1,8
− . 5 5
3
8 11 5,5
c. = 2,6 d. =
3 2

Resgatando a história
Os números decimais têm origem nas frações decimais.
Reprodução
Em 1855, Stevin, engenheiro e matemático holandês, ela-
borou um método para efetuar operações por meio de núme-
ros inteiros, sem o uso de frações, no qual ordenava os núme-
ros naturais sobre os algarismos do numerador, o que indicava
a posição a ser ocupada pela vírgula no numeral decimal. 
A representação proveniente de frações decimais recebia
2:08 um traço no numerador indicando o número de zeros existen-
tes no denominador. 
Em 1617, a notação introduzida por Stevin foi adaptada por
John Napier, matemático escocês, que sugeriu o uso de um
ponto ou de uma vírgula para separar a parte inteira da parte
decimal.
Durante muito tempo, os números decimais foram empre-
gados apenas para cálculos astronômicos em virtude da preci-
são proporcionada. Esses números simplificaram muito os cál-
culos e passaram a ser usados com mais ênfase após a criação
do sistema métrico decimal. John Napier.

CAPÍTULO 3 I Números racionais 93

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 93 05/04/2018 21:42:09

93

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 93 29/05/2018 11:51:52


Aprimorando conceitos
3
I. Escreva uma fração equivalente à fração com o denominador igual a 60 e depois res-
5
ponda em que situação duas frações são chamadas de equivalentes.
3 36
= Duas frações são chamadas equivalentes quando representam a mesma parte do todo.
5 60

II. O que pode representar uma fração que tenha o numerador maior que o denominador?
Representa uma fração imprópria.

III. Duas frações diferentes possuem o mesmo denominador. Como saber qual fração repre-
senta o maior número?
A que possuir maior numerador é o número maior.

IV. Duas frações diferentes possuem o mesmo numerador. Como saber qual delas é a menor?
A menor delas é a que possui maior denominador.

V. Qual é o procedimento para somarmos duas frações?


Somar apenas os numeradores e repetir os denominadores.

VI. Qual é a relação que a divisão de frações tem com o produto de frações?
Para dividir duas frações, deve-se repetir a primeira fração e multiplicar pelo inverso da se-

gunda fração.

VII. O produto de um número na forma decimal, com duas casas decimais, por outro tam-
bém na forma decimal, mas com três casas decimais, tem como resultado um número com
quantas casas decimais?
Terá como resultado um número com cinco casas decimais.

Praticando mais
1. Usando seu conhecimento sobre frações, de- 7 2 25
b. + =
termine o valor das seguintes expressões: 2 3 6

1 2 11 7 3 19
a. + = c. 2 − + =
3 5 15 6 4 12

94 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 94 05/04/2018 21:42:09 M

94

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 94 29/05/2018 11:51:54


3 2 13 mede 46,50 m (92,99 m contando o pedestal),
d. + = apenas seu nariz mede 1,37 m e pesa 158 t, con-
2 3 6
tando com o esqueleto de aço (127 t) e a está-
tua de cobre (31 t). São 167 degraus de entrada
2 3 41
e. 3 − + = até o topo do pedestal. Depois são mais 168 de-
6 4 12
graus até a cabeça. Por fim, outros 54 degraus
levam à tocha.
2 7 1 107
f. + − =
5 2 3 30 a. Escolha dois dos números apresentados no
texto e reescreva na forma de fração.
3 5 1 1 Resposta pessoal.
g. ⋅ − =
4 6 2 8
b. Supondo que uma pintura será feita na par-
1 11 te superior da estátua sem o pedestal e que,
h. 2 + =
5 5 para isso, ela será dividida em três partes iguais,
quantos metros terá cada parte?
8 6
i. : =2 15,50 m.
12 18

4. Observe as frações e suas respectivas repre-


3 2 4 4
j. ⋅ + = sentações decimais.
5 3 10 5
7 5.361
2 5 2 5 I. = 0, 007 II. = 53, 61
k. ⋅ : = 1.000 100
12 4 3 16 625 964
III. = 0, 0625 IV. = 9, 64
10.000 10
3 1 2 2
l. − + − =0 Utilizando as igualdades acima, escolha a alter-
6 3 6 4
nativa correta.
4 4 4 4 a. I e II.
m. : ⋅ =
3 5 15 9 b. I e IV.
c. X I, II e III.
5 4 7 44 d. I, II, III e IV.
n. + + =
3 5 15 15
5. Qual das faixas destacadas na tabela repre-
2 2 2 2 senta a fração 7/14? Justifique.
o. − − =
3 5 15 15
a. X        
b.        
2. Bebi na hora do lanche uma terça parte da
c.        
garrafa de refrigerante de 1,5 litro e no jantar
bebi metade do que havia sobrado. Determine 7
a fração da garrafa inteira que bebi no total. A faixa que representa a fração é da
14
2 alternativa "a". Isso ocorre porque ao simplificar
3 7÷ 7 1
= , ou seja, teremos
a fração teremos
14 ÷ 7 2
3. A Estátua da Liberdade, localizada nos EUA,
exatamente a metade das faixas pintadas.
veio da França desmontada em 214 pacotes. Ela

CAPÍTULO 3 I Números racionais 95

:09 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 95 05/04/2018 21:42:10

95

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 95 29/05/2018 11:51:55


6. Determine as sentenças em verdadeiras (V) 9. Observe a imagem abaixo e responda às se-
ou falsas (F). guintes sentenças.
a. V 5 é um número natural.
b. F –17 é um número que não pertence aos
números inteiros.

absolutimages/Shutterstock.com
c. V –0,3 pertence ao conjunto de números ra-
cionais.
d. V 0 pertence aos números inteiros.

7. Você é capaz de escrever cada um dos quo-


cientes a seguir, na forma fracionária?

a. (–35) : (–70) = 1
+ a. A fração que representa o número de gatos
7 2
de cores diferentes é de .
3
3 Falso.
b. (+30) : (+10) = +
1 2
b. A fração que representa gatos brancos é .
3
Verdadeiro.
4
c. (+4) : (–9) = −
9 c. É correto dizer que os gatos brancos podem
ser representados por fração imprópria.
Falso.
8
d. (+6) : (+18) = +
9 8
d. A fração é uma fração equivalente da
24
9 fração de gato amarelo.
e. (–9) : (–16) = +
16 Falso.

10. Para encher um álbum de figurinhas, Karina


8. Em um grupo de 100 pessoas, foi feita uma
pesquisa para descobrir quem gosta de açaí. 35 1
contribuiu com das figurinhas, enquanto Cris-
pessoas disseram que não gostam de açaí. As- 6
3
sim, podemos afirmar que a fração dos que não tina contribuiu com  das figurinhas. Com que
4
gostam de açaí é: fração das figurinhas as duas juntas contribuíram?

75 11
a. .
100 12
35
b. . 11. Calcule:
75
35 1  1 1 3
c. . a.  − −  =
20 2 4 8 8
7
d. X .
20 1 1 1 1
b.  −  − =
35 2 4 8 8
e. .
135

96 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 96 05/04/2018 21:42:11 M

96

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 96 29/05/2018 11:51:57


12. No dia do lançamento de um prédio de

n_defender/Shutterstock.com
1
apartamentos,  desses apartamentos foram
3
1
vendidos e  foram reservados. Assim:
6

a. Qual a fração dos apartamentos que foi ven-


dida e reservada?
1
.
2 0 1 2 3 4 5 6 7

b. Qual a fração que corresponde aos aparta-


mentos que não foram vendidos ou reservados? A medida desta linha, em centímetros, é:
1
. a. 3,0. b. 3,4.
2 c. X 3,8. d. 4,0
3
13. Para uma receita de bolo, são usados de
4 17. Observe as setas (Z, Y, X e W) na reta numé-
1 rica abaixo.
xícara de farinha de trigo, de xícara de açúcar
4 Z Y X W
e 2 xícaras de leite. Para fazer a metade dessa
receita de bolo, como ficam as quantidades dos
ingredientes indicados? – 4 – 3 – 2 – 1 0 1 2 3 4 5
3 1
de xícara de farinha de trigo, de xícara de A seta que aponta para a localização aproxima-
8 8
da de π é:
açúcar e 1 xícara de leite.
a. W.
14. Qual o valor da seguinte expressão numérica: b. X X.
c. Y.
2 1 d. Z.
− + 0, 2 ?
5 10
18. A letra L está assinalando, na reta numérica,
7 o número 45,477.
a.
10
45,46 45,48
1
b. X
2
3 J L
c.
10 Qual é o número que a letra J está assinalando?
23
d. a. X 45,456.
10 b. 45,454.
 3
15. Seja M = 0, 03 + 49 −  4 ⋅ . O valor de M é: c. 45,435.
 2 d. 45,404.
a. 103.
b. 0,103. 19. O resultado de 2 – (4)–1 fica entre qual dos
c. 10,3. números abaixo?
d. X 1,03.
a. –1 e 0.
16. Artur é arquiteto. Ele está verificando as me- b. X 1 e 2.
didas de um projeto. No desenho abaixo, pode- c. 2 e 3.
mos ver a linha que Artur está medindo. d. 3 e 4.

CAPÍTULO 3 I Números racionais 97

:11 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 97 05/04/2018 21:42:12

97

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 97 29/05/2018 11:51:58


3 3  1 1
20. O número − está compreendido entre: 23. O valor da expressão numérica ⋅  −  é:
6 4 2 5
9
a. X .
a. 0 e 1. 40
b. 3 e 6. 21
c. X –1 e 0. b. .
40
d. –6 e –3.
3
c. .
10
21. A receita de bolo de Ana Maria diz que é
3 19
preciso usar de xícara de farinha. d. .
4 40
24. Pesquisas mostram que a altura média do
homem, nos anos 1000, era cerca de 1,68 m e,
0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 nos anos 2000, passou para cerca de 1,75 m.

B C D E Fonte: Revista Época 20/12/1999.

3 Com base nessas pesquisas, a altura média do


O valor correspondente a , na reta numerada,
é a letra: 4 homem teve um aumento, em cm, de:

a. A. a. 0,07.
b. X B. b. 0,7.
c. C. c. X 7.
d. D. d. 70.

22. No mês de julho, foram registradas as tempe- 25. Quatro alunos estão lendo um livro de 279
raturas mais baixas do ano nas seguintes cidades: páginas que a professora de Literatura solicitou.
3 9 9 5
Maria leu , Carla , Patrícia e Pedro . Os
Cidades Temperaturas (ºC) 4 12 13 7
alunos que leram a mesma quantidade de pági-
X –1 na até o momento são:

Y +2 a. X Maria e Carla.
b. Maria e Pedro.
Z –3 c. Patrícia e Pedro.
d. Carla e Patrícia.
A representação correta das temperaturas regis-
tradas nas cidades X, Y e Z, na reta numerada, é: 26. O professor de Matemática selecionou uma
relação de 73 exercícios para os alunos do 7º
a. 3 2
X 0 Y Z ano. Ana já resolveu , Bernardo , Cláudio
5 7
4 6
e Dudu . Até o momento, os alunos que
b. 8 10
0 X Y Z
resolveram a mesma quantidade de exercícios
foram:
c.
Z X 0 Y
a. Cláudio e Dudu.
b. Bernardo e Cláudio.
d. X c. Ana e Bernardo.
Z X 0 Y
d. X Ana e Dudu.

98 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 98 05/04/2018 21:42:13 M

98

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 98 29/05/2018 11:52:00


27. Para conseguir certa tonalidade de azul, um 30. Cada uma das figuras seguintes está dividi-
pintor usa 2 latas de tinta branca para 5 latas de da em 16 partes iguais. Em qual delas a parte
tinta azul-escuro. Então, quantas latas de tinta 5
cinza corresponde a da área total?
branca ele precisa para diluir em 10 latas de tin- 8
ta azul-escuro?
a. b.
a. 5 latas de tinta.
b. 10 latas de tinta.
c. X 4 latas de tinta.
d. 7 latas de tinta.

28. Flávia, Beto e Guilherme trabalham na mes-


ma empresa e recebem salários de igual valor.
4 6 c. X
Beto já gastou do seu salário, Flávia do
9 8 9
salário e Guilherme do seu salário. Podemos
12
afirmar que:

a. X Flávia e Guilherme gastaram a mesma


quantia. d.
b. Flávia e Beto gastaram a mesma quantia.
c. Beto e Guilherme gastaram a mesma
quantia.
d. Os três gastaram quantias iguais.

29. No painel de um carro, o medidor de com- 31. Observe as figuras e suas equivalências.
bustível registra a quantidade de gasolina ain-
da disponível no tanque, como mostra a ilus-
tração abaixo.
Equivale a 1
1 1 3 1
3 1
1 4 2 4 4 3
1 4 2
2 4 Equivale a 0,1 Equivale a 0,01
4
0

Combustível

O número decimal que corresponde à parte do


tanque que se encontra ocupada com combus- Com base nessas informações, qual número re-
tível é: presenta a figura abaixo?

a. 0,25. a. 3,31.
b. 0,34. b. X 3,13.
c. 0,43. c. 1,33.
d. X 0,75. d. 0,31.

CAPÍTULO 3 I Números racionais 99

:13 Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 99 05/04/2018 21:42:14

99

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 99 29/05/2018 11:52:01


Leitura complementar
32. Quando calculamos 4% de 120, obtemos: cais em que a soma das durações coincide com

O surpreendente é que as notas a. 48 a fração indicada como fórmula do compasso.


b. X 4,8 1
musicais foram descobertas com o uso c. 0,48
Por exemplo, se a fórmula de compasso for  ,
2
das frações. Você não acredita? Pois d. 480 poderia ter um compasso ou com duas semíni-
vamos contar o começo da história. 33. Após observar as desigualdades, indique mas ou uma mínima ou quatro colcheias, sendo
Havia música nas primeiras civiliza- qual é a alternativa correta.
possível a combinação de diferentes figuras.
ções, mas as notas diferiam de um ins- I. 11,002 < 10,7899
trumento para outro, pois não havia II. 1,9 > 1,132 Um trecho musical de oito compassos, cuja fór-
3
regras para produzi-las até aparecer III. 8,5 < 8,47 mula é  , poderia ser preenchido com:
4
Pitágoras, um dos mais famosos ma-
a. I e II estão certas. a. 24 fusas.
temáticos da Grécia Antiga, que viveu b. II está errada. b. 3 semínimas.
no século VI antes de Cristo. c. X I e III estão erradas. c. 8 semínimas.
d. Todas estão erradas. d. X 24 colcheias e 12 semínimas.
Diz a lenda que, ao passar em fren-
e. 16 semínimas e 8 semicolcheias.
te à oficina de um ferreiro, ele no- 34. (Enem) A música e a matemática se encon-
tram na representação dos tempos das notas
tou que os sons das marteladas eram musicais, conforme a figura seguinte.
35. (Seap) Um auxiliar de enfermagem deve tra-
balhar 30 horas semanais. Devido a um acúmulo
agradáveis ao ouvido e se combina- de serviço na semana passada, ele precisou fa-
vam muito bem. Para pesquisar esses Semibreve 1 zer 12 horas extras. A fração que corresponde a
quanto ele trabalhou a mais do que o previsto é:
sons, construiu um instrumento, mais
tarde chamado de monocórdio, que 1 1
Mínima 1/2 a. b.
pode ser imaginado como um violão 4 5

de uma corda só (mono indica “um” e 2 2


c. X d.
córdio vem de “corda”). Usando essa Semínima 1/4 5 3
única corda, ele conseguiu reproduzir 1
e.
3
os quatro sons harmoniosos que havia Colcheia 1/8
escutado. 36. (OBM) Geraldo, o serralheiro, pegou uma
chapa de metal quadrada, recortou e depois

Anotações Semicolcheia 1/16 soldou quatro triângulos retângulos de catetos


de 5 cm, construindo a peça representada ao
lado. Qual é a área dessa peça?
Fusa 1/32

h
Semifusa 1/64
5
5
h

Um compasso é uma unidade musical compos- 5

ta por determinada quantidade de notas musi-

100 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 100 05/04/2018 21:42:14

100

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 100 29/05/2018 11:52:03


a. 100 cm2. 41. Em um colégio, há 2.320 alunos. Certo dia,
b. 125 cm2. 2/5 dos alunos foram ao cinema. Responda:
c. 150 cm2.
a. Qual o número de alunos que foram ao cinema?
d. X 200 cm2.
e. 250 cm2. 928 foram ao cinema.

37. Eu fiz uma viagem de 900 km. Os 4/9 do per- b. Quantos alunos ficaram na escola?
curso foram feitos de automóvel, e o restante
1.392 ficaram na escola.
de ônibus. Que distância eu percorri de ônibus?
500 km. 42. Usando seu conhecimento sobre porcenta-
gem, calcule os valores em cada item abaixo.
38. Na última prova do Enem, das 45 questões R$ 2.385,00
de Matemática um aluno errou 1 . Quantas a. 30% de 7.950 –
questões ele acertou? 9 R$ 6.000,00
b. 15% de 40.000 –
40 questões. R$ 175,00
c. 25% de 700 –
39. Uma aeronave tem um tanque com capaci- R$ 200,00
dade para 840 litros de combustível. O ponteiro d. 1% de 20.000 –
do marcador de combustível está indicando 3/4 43. Um drone que custa R$ 1.200,00 pode ser
do tanque. Responda: vendido de três formas: 
a. Quantos litros de combustível há no tanque? 1º - Com um desconto de 30% quando compra-
O tanque com 3/4 da sua capacidade tem 630 do à vista.
2º - Comprado em 10 meses, tem um aumento
litros. de 42%.
3º - Pode ser dada uma entrada de R$ 200,00, mas
b. Quantos litros faltam para completá-lo? há um aumento de 30% no preço inicial e o res-
tante fica dividido em 5 pagamentos iguais.
Faltam 210 litros para completar o tanque.
Calcule o preço do drone quando adquirido pe-
las três maneiras e o valor das parcelas quando
40. Utilize os algarismos e escreva:
comprado a prazo.
a. Trinta e cinco décimos. 1º caso:
3,5 R$ 840,00.
b. Trinta e cinco centésimos.
2º caso:
0,35
2:14
R$ 1.704,00 com parcelas de R$ 170,40.
c. Trinta e cinco décimos de milésimos.
3º caso:
0,0035
R$ 1.760,00 com parcelas de R$ 312,00.
d. Novecentos e trinta e dois milésimos.
0,932 44. Uma TV interativa, com desconto de 20%,
custa R$ 1.500,00. Qual é o preço da TV antes
e. Cinco centésimos. do desconto?
0,05 R$ 1.875,00.

CAPÍTULO 3 I Números racionais 101

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 101 05/04/2018 21:42:14

101

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 101 29/05/2018 11:52:04


45. De um pacote com 400 folhas de papel, fo- a. 4.
4 b. 8.
ram usadas .
5 c. 13.
a. Quantas folhas foram usadas? d. 24.
e. X 26.
320.
49. (OBM) Se Joana comprar hoje um computa-
b. Qual foi a fração de folha que sobrou? Ela dor de R$ 2.000,00, ela conseguirá um desconto
corresponde a quantas folhas? 1 de 5%. Se ela deixar para amanhã, irá conseguir
, 80 folhas. o mesmo desconto de 5%, mas o computador irá
5
aumentar 5%. Se ela esperar, o que acontecerá?

a. Nada, pois pagará a mesma quantia.


46. A prova de um concurso será composta por
b. Ela perderá R$ 100,00.
quatro disciplinas, cada uma com 45 questões
c. Ela ganhará R$ 105,00.
de múltipla escolha, totalizando 180 questões.
d. X Ela perderá R$ 95,00.
Destas, 45 serão de Matemática, 45 de Física,
e. Ela perderá R$ 105,00.
45 de Português e 45 de Inglês, além de uma
Proposta de Redação. Assim sendo, determine:
50. (OBM) No triângulo equilátero ABC da fi-
a. Se um aluno acertou dois terços do total das
questões, quantas questões ele acertou na prova? gura, o segmento DA é o dobro de DB e o seg-
mento EC é o dobro de EA.
120. Sabendo que a área do triângulo ABC é igual a
162 cm2, qual é a área, em cm2, do quadrilátero
b. Se o mesmo aluno acertou dois terços das sombreado?
questões de Matemática, quantas questões ele
acertou nessa disciplina? A

30.

1
47. (Obmep) Qual é o valor de 1 + ? E
2
1−
3
1 3
a. b. D
3 2

4
c. d. 2 e. X 4
3 B C

48. (OBM) Numa sala do 6º ano, todos gostam M


a. X 126.
de, pelo menos, uma das duas matérias: Mate- b. 132.
3 c. 135.
mática ou Português. Sabe-se que dos alunos d. 140.
5 4
gostam de Matemática e dos alunos gostam e. 144.
7
de Português. A sala tem 56 alunos. Quantos 51. (Obmep) A figura a seguir mostra um qua-
drado dividido em 16 quadradinhos iguais. A
alunos gostam dessas duas matérias ao mesmo
área em vermelho corresponde a que fração da
tempo? área do quadrado?

102 CAPÍTULO 3 I Números racionais

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 102 05/04/2018 21:42:15

102

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 102 29/05/2018 11:52:07


Objetivos alcançados
a. G.
b. H.
c. I. • Identificar na reta numérica os números
d. X J. racionais não negativos, não positivos,
e. K.
positivos, negativos, diferentes de zero.
54. (Proeb) Sobre a reta numérica abaixo estão
marcados os pontos H e N.
• Realizar a adição algébrica de dois
ou mais números racionais.
H N
• Realizar a multiplicação de dois ou
– 0,3 0 0,6 mais números racionais.
1 1 As coordenadas dos pontos H e N, nessa or- • Efetuar a divisão de dois números
a. b.
2 3 dem, são: racionais relativos, com o segundo di-
a. −4 e −2. ferente de zero.
1
c. X
4
d.
1
8
b. −4 e 2.
c. −2 e 2. • Calcular o quociente de dois núme-
d. −0,2 e 0,2. ros racionais absolutos representados
1 e. X −0,4 e 0,2. de diversas formas.
e.
16 55. (Saeb) Este mês, Paulo atrasou o pagamento • Resolver expressões numéricas com
do condomínio. Com isso, além do valor men- números racionais.
52. (Prova Brasil) Em uma aula de Matemática, sal, de R$ 400,00, ele ainda pagou 5,5% de juros.
o professor apresentou aos alunos uma reta nu- Qual foi o total que Paulo pagou de condomínio? • Trabalhar partindo de atividades con-
mérica como a da figura a seguir. cretas, como reconhecer números ra-
a. R$ 455,00.
– 4 – 3 – 2 – 1 0 1 2 3 4 b. R$ 424,00. cionais no contexto do dia a dia, reto-
c. X R$ 422,00. mando os conceitos prévios.
d. R$ 420,00.
e. R$ 405,50. • Resolver problemas que envolvam
11 porcentagens por meio de estratégias
O professor marcou o número nessa reta.
4 56. (Prova Brasil) Uma pesquisa sobre o perfil
Esse número foi marcado entre que pontos da dos que bebem café mostrou que, num grupo
variadas.
de 1.000 pessoas, 70% bebem café e, dentre os
reta numérica?
que bebem café, 44% são mulheres. Qual é a
quantidade de homens que bebem café no gru-
Anotações
a. –4 e –3.
po de 1.000 pessoas?
b. –3 e –2.
c. X 2 e 3. a. 700. b. 660.
d. 3 e 4. c. 392. d. X 308.
e. 260.
53. (Prova Brasil) Observe a reta numérica abai-
xo, na qual estão representados números equi- 57. Um boneco de brinquedo dá passos de 8,5 cm.
distantes: 28, F, G, H, I, J, K, L, 32. O número de passos que ele deve dar para an-
dar 68 cm é:

28 F G H I J K L 32 a. X 8 passos.
b. 9 passos.
Qual é o ponto correspondente ao número c. 10 passos.
30,5? d. 11 passos.

CAPÍTULO 3 I Números racionais 103

Matematica_Contextualizada_7ºano_03.indd 103 05/04/2018 21:42:15

:15

103

ME_Matemática_Contextualizada_7A_03.indd 103 29/05/2018 11:52:08


Introdução à
Olga_V/Shutterstock.com
álgebra: equações e
CAPÍTULO 4 inequações

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 104 05/04/2018 21:41:20 M

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 104 29/05/2018 11:53:06


Estátua em Khiva, Uzbequistão, em home-
nagem a Al-Khwarizmi, matemático consi-
derado o precursor da álgebra.

• Quando falamos em fórmulas matemáticas,


códigos secretos, línguas mortas, etc., logo
nos lembramos de um conjunto de letras
e números que, somados à lógica e às
propriedades da igualdade, invadem muitas
áreas do conhecimento, como a Física, a
Química e a Economia. Esse conjunto é
denominado álgebra, área da matemática
que mais contribui para o desenvolvimento
tecnológico.

:20 Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 105 05/04/2018 21:41:21

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 105 29/05/2018 11:53:07


Conteúdos
conceituais Veja um problema que pode ser resolvido com o auxílio da álgebra.

Vamos agora aprofundar nossos


Um alpinista tinha o desafio de escalar o
• Noções e conceito de álgebra maior pico das Américas, o Aconcágua. Duran-
conhecimentos em torno da álgebra e
depois retornaremos a esse problema.
• Resolvendo questões que envolvem te a subida, devido a uma tempestade, ele teve
que parar, quando já havia percorrido 1/5 do
números e letras que representam par- percurso total. Se ele tivesse conseguido subir
te de um inteiro mais 2.100 metros, teria chegado à metade do
• Apresentação de termos, ou monô- percurso. Qual é a altura desse pico?

metros semelhantes
• Apresentação e soluções de redu- Resgatando a história
ção de termos semelhantes
• Noções básicas do valor das equa- Há mais de 4.000 anos vivia na Mesopotâmia, região correspondente ao atual Iraque, o povo su-
ções algébricas mério, um dos precursores da escrita. Em placas encontradas pelos arqueólogos, vestígios mostram
que eles conheciam uma álgebra primitiva.
• Noções básicas e soluções de sen-
tenças abertas
Mar Negro
• Apresentação das equações algébricas
• Princípio da igualdade e solução de
raiz de uma equação algébrica
Império
• Solução de denominadores das Mar
M edit
er Mesopotâmia Persa
equações algébricas e equações com rân
eo Ecbatana
mais de uma variável Susa
• Noções básicas e soluções de ine- Persépolis
quações

Ma
África

BNCC rV
e rm
Mar da
elh Arábia
Objetivos de conhecimento
o

Império Persa Mesopotâmia


Já em torno de 3.500 anos atrás, os egípcios do tempo dos faraós também utilizavam a álgebra.
• Linguagem algébrica: variável e in- Na época, não existia papel. Para registrar suas ideias, eles usavam uma espécie de folha formada
cógnita. por tiras finas de uma planta chamada papiro. Na resolução de problemas, tanto os sumérios quan-
• Equivalência de expressões algébri- tos os egípcios não usavam nem letras nem símbolos, como fazemos atualmente, mas empregavam
palavras, abreviações de palavras e desenhos.
cas: identificação da regularidade de Mais adiante, de forma bem limitada, o filósofo grego Aristóteles (384–322 a.C.) e o matemático
uma sequência numérica. grego Euclides (século II a.C.) usaram letras para representar números.
No entanto, foi Al-Khwarizmi, provavelmente por volta de 825 d.C., o primeiro matemático a
• Problemas envolvendo grandezas escrever uma obra envolvendo o uso de letras em expressões aritméticas. A palavra álgebra é de
diretamente proporcionais e grande- origem árabe, al-jabar, que significa restituição.
zas inversamente proporcionais.
106
• Equações polinomiais do 1º grau. CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

Habilidades trabalhadas no Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 106 05/04/2018 21:41:21 Ma

capítulo brica para expressar regularidades en- (EF07MA18) Resolver e elaborar pro-
contradas em sequências numéricas. blemas que possam ser representados
(EF07MA13) Compreender a ideia (EF07MA16) Reconhecer se duas ex- por equações polinomiais de 1º grau,
de variável, representada por letra ou pressões algébricas obtidas para des- redutíveis à forma ax + b = c, fazendo
símbolo, para expressar relação entre crever a regularidade de uma mes- uso das propriedades da igualdade.
duas grandezas, diferenciando-a da ma sequência numérica são ou não
ideia de incógnita. equivalentes.
(EF07MA14) Classificar sequências em (EF07MA17) Resolver e elaborar pro- Anotações
recursivas e não recursivas, reconhe- blemas que envolvam variação de pro-
cendo que o conceito de recursão está porcionalidade direta e de proporcio-
presente não apenas na matemática, nalidade inversa entre duas grandezas,
mas também nas artes e na literatura. utilizando sentença algébrica para ex-
(EF07MA15) Utilizar a simbologia algé- pressar a relação entre elas.

106

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 106 29/05/2018 11:53:08


Dicas para o professor
Álgebra
Para a matemática, a álgebra é a ciência que generaliza as questões numéricas, representando • Trabalhar questões com os alunos
ordinariamente as grandezas por letras. Podemos dizer ainda que são expressões e equações, que, para que eles possam se familiarizar
de agora em diante, aparecerão constantemente em nossos estudos, não só na Matemática, mas com a linguagem matemática, partin-
também em outras disciplinas.
do de atividades com sentenças ma-
Expressões contendo letras temáticas.

Martin Cloutier/Shutterstock.com
Com o intuito de resolver proble-
• Resolver exercícios em grupos, ob-
mas mediante o uso de técnicas algé-
servando como os alunos aplicaram e
bricas, é conveniente aprendermos a o quanto assimilaram do conteúdo.
traduzir matematicamente algumas
afirmações que, na maioria das vezes,
• Valorizar as diversas formas que os
aparecem para generalizar padrões. alunos encontraram para solucionar os
Veja um exemplo: você conhece a problemas.
Torre de Hanói? É uma brincadeira em
que temos de passar todos os discos • Valorizar a interação e a troca de ex-
de uma extremidade para outra, um periências entre os alunos.
a um, sem sobrepor nenhum disco a
outro de diâmetro maior.
• Quantos maior for a contextualização
A matemática nos dá uma expressão para o número mínimo de lances que podemos fazer para
dos assuntos abordados, mais significa-
realizar o deslocamento desses discos. tiva será a aprendizagem dos alunos.
Dois elevado ao número de discos menos um é a fórmula.
• Destacar que, no dia a dia, o empre-
go da álgebra é corriqueiro, por exem-
2x - 1 plo, para calcular a conta de energia, a
Estamos, então, representando o número de discos por x. Por exemplo, 23 - 1, que resultaria em quantidade de calorias necessárias para
8 – 1, ou seja, sete lances é o número mínimo de jogadas com três discos. manter nosso corpo saudável, a massa
Nas expressões em que usamos letras para representar números — geralmente a letra x —, cha-
mamos essas letras de variável. Traduzindo para a linguagem simbólica da matemática algumas corporal adequada; tudo isso utilizando
expressões, temos: regras ou fórmulas algébricas.
O dobro de um número → 2x ou 2 . x

O triplo de um número → 3x ou 3 . x
x
Anotações
A metade de um número →
2
O quadrado de um número → x2

A soma de dois números → x + y

A diferença entre dois números → x - y

O dobro de um número menos quatro → 2x - 4


2
Um número mais dois quintos desse número → x + x
5
CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações 107

1:21 Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 107 05/04/2018 21:41:21

107

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 107 29/05/2018 11:53:09


Leitura complementar
Termos, ou monômios, semelhantes
A Álgebra em Observe as seguintes expressões:
documentos históricos 2
8x; –32ab; 12x3; xy.
3
1650 a.C. – Papiro de Rhind: apre- Nessas expressões, aparecem apenas multiplicação e potenciação; não encontramos adição,
senta solução para equações algé- subtração nem divisão por variável. Por isso, podemos chamá-las de termos, ou monômios.
Os monômios possuem duas partes: a constante (parte numérica), também chamada de coefi-
bricas envolvendo o método da falsa ciente, e a parte literal (variável). Baseado nos exemplos acima, temos:
posição.
Termo, ou monômio Coeficiente Parte literal
Século III – Aritmética: tem alguns
símbolos e sinais para denotar quanti- 8x 8 x

dades e operações. –32ab –32 ab


655 – Brahmasphustasiddhanta: 12x 3
12 x3
apresentou abreviações para repre- 2 2
xy
sentar incógnitas. 3 3
xy

825 – Kitab al-jabr w’al-muqâbalah:


livro que trata basicamente de técni- Dois ou mais termos são semelhantes quando possuem a mesma parte literal. Exemplos:
cas para resolução de equações. 3
4x e 7x; 9m e –m; 3y e − y; 2,3x e 8x.
1145 – Liber embadorum: forne- 5
ce solução completa para equações Chamamos a adição de dois ou mais monômios de polinômio. Quando temos apenas dois ter-
mos, é mais comum chamarmos de binômio. E chamamos de trinômio quando temos três termos.
quadráticas. Exemplo:
1590 – Algebra Speciosa (obra do Dois grupos de doadores de sangue se reuniram:
francês François Viète): propiciou a di-
Número de doadores e tipo de sangue do 1º grupo: 4 A+, 3 B+ e 1 O+.
vulgação da álgebra no Ocidente. Número de doadores e tipo de sangue do 2º grupo: 7 A+, 4 B+ e 1 A–.

Anotações Então, temos no total: 11 A+, 7 B+, 1 O+ e 1 A–. Observe que só somamos os de mesmo tipo.
Podemos fazer um paralelo com os polinômios e considerar que somamos somente os termos que
possuem a mesma parte literal.

Adição de termos semelhantes

Para adicionarmos termos semelhantes, somamos os coeficientes e conservamos a parte literal.


Exemplo:
Jorge tem 3 maçãs e 4 laranjas, e Ana tem 5 laranjas e 1 maçã. Qual é o total de cada tipo de fruta?

3 maçãs de Jorge + 1 maçã de Ana = 4 maçãs.


4 laranjas de Jorge + 5 laranjas de Ana = 9 laranjas.
4 maçãs + 9 laranjas = ?

Observação: Só somamos os termos semelhantes.

108 CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 108 05/04/2018 21:41:22 Ma

108

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 108 29/05/2018 11:53:11


Dicas para o professor
Situações problemas

Um chiclete custa o dobro de uma bala. Como posso representar algebricamente o custo de 3 • Empregar as expressões algébricas
balas e 2 chicletes? para representar situações-problema.
Solução:
Preço de uma bala = x • Compreender a noção de incógnita
Preço de um chiclete = 2x e de variável.
Logo, teremos:
• Diferenciar incógnita de variável.
Três balas = 3x • Mostre aos alunos que as expres-
Dois chicletes = 2 · (2x) = 4x sões algébricas facilitam a resolução
Custo total: 3x + 4x = 7x
de problemas em que desconhece-
Num galinheiro, há 5 galinhas a mais que galos. Qual é a expressão algébrica para o número total mos algum valor.
de aves do galinheiro?
Solução:
• Ressalte a utilidade das expressões
Número de galos = x algébricas para que seu aprendizado
Número de galinhas = x + 5 seja mais significativo.
Total = x + x + 5 = 2x + 5

Uma galinha produziu 60 ovos num período de quatro dias. Supondo que a quantidade de ovos
tenha dobrado a cada dia, qual foi o número de unidades produzidas no primeiro dia?
Solução:
1° dia — x
Anotações
2° dia — 2x
3° dia — 4x
4° dia — 8x

Então, temos:
60
x + 2x + 4x + 8x = 60 → 15x = 60 → =
x = 4 ovos
15

Valor numérico de uma expressão algébrica


O valor numérico de uma expressão algébrica é o número obtido quando trocamos as letras por
números dados e efetuamos as operações indicadas.
No caso do cálculo do número de jogadas mínimas na Torre de Hanói, temos que essa quantida-
de representa o valor numérico da expressão 2x - 1.
Por exemplo: quando temos 4 discos, qual é o número mínimo de jogadas?
A resposta representa o valor numérico da expressão para x = 4.

2 x − 1 → 24 − 1 → 16 − 1 = 15

Temos, então, 15 jogadas, e 15 é o valor numérico da expressão para x = 4.
Outros exemplos:

1. No caso do valor numérico da expressão 3 ∙ (x + 2) para x igual a 10, temos 3 · (10 + 2) = 3 · 12


= 36. Então para x = 10, o valor numérico da expressão é 36.

2. Alguns pediatras calculam o peso ideal de uma criança utilizando a seguinte fórmula: P = 2i + 8,

CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações 109

1:22 Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 109 05/04/2018 21:41:22

109

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 109 29/05/2018 11:53:12


Dicas para o professor
na qual p está representando o peso da criança e i a sua idade. Então, qual seria o peso ideal de uma
criança com 4,5 anos de vida?
• É esperado que os alunos identifi-
quem a incógnita como o valor desco- P = 2 · 4,5 + 8 → P = 9 + 8 = 17 kg

nhecido que deverá ser encontrado ao


término do cálculo. x x
Valor: + = 15 ⇒ M.M.C. = 6
• Apresente os símbolos mais usados Arthur, papai pediu para calcular a
2 3
para a composição de inequações e 3 x + 2 x 90
minha mesada por meio do seguinte = ⇒ 5 x = 90 ⇒ x = 18
6 6
problemas do primeiro grau, pois es- problema: a soma da metade com a
terça parte da quantia que irei receber Logo: R$18,00.
ses símbolos são importantes elemen- é igual a R$ 15,00. Você pode me
tos axiomáticos da matemática que ajudar?
compõem as resoluções de problemas
algébricos.

Anotações

Atividades
1. Reduza os termos semelhantes dos polinô- 2. Determine a expressão simplificada que cor-
mios abaixo: responde ao perímetro de cada polígono abaixo.
a+
a. 5x – 8 + 4x – 3 1
a+
a. 1
9x - 11 5a + 4

b. 2y + 4x – y + 16x a + 2 a
y + 20x
a
c. 3ab – 12cd + 8ab – 8cd
11ab - 20cd b.
y 3y
4 +4
2 2
d. 4a – 12 + 3b + 12a + b – 8
16a + 4b - 20
y
110 CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 110 05/04/2018 21:41:23 Ma

110

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 110 29/05/2018 11:53:14


Dicas para o professor
x + y
c. a. Para 10 anos:
2x + 4y 138,5 cm.
y y • Este é um momento muito importan-
te na construção do conceito algébrico.
b. Para 7 anos:
x + y
121,4 cm.
• Na lousa, mostre algumas situações
que podem ser representadas algebri-
ab
6. Observe a figura que representa a área de camente e peça para seus alunos su-
d. lazer do condomínio de Joel. gerirem formas de representá-las.
b
a 2ab + a + b
• Incentive-os a dar outros exemplos.
ab
• Faça o inverso: apresente expres-
sões algébricas e peça que eles as de-
3. Desenvolva e simplifique aplicando a pro- finam oralmente.
priedade distributiva.

a. 3(a +1) – 3a + 3 Atividades


b. a(b + 2) – ab + 2a complementares
c. –5(a –4) – -5a + 20
Sabemos apenas que é uma área quadrada de
d. 7(3a + b –9) – 21a + 7b - 63 lado (l). 1. Transforme em expressões algébricas:
Determine uma expressão para representar cada a) Um número.
situação abaixo:
4. Um médico utiliza a fórmula P = 2i + 8 para b) O quíntuplo de um número.
calcular o peso médio de crianças de determi- a. O perímetro dessa área de lazer.
nada idade e a fórmula A = 95 + 6 ∙ (i – 3) para
c) A terça parte de um número.
determinar a altura. Utilizando essas fórmulas, 4l Resposta:
quais seriam o peso e a altura média de uma a) x
criança de: b. O trajeto percorrido por uma pessoa que der
três voltas completas e que andar mais 30 me- b) 5x
a. 3 anos? tros em torno dessa área.
Peso: 14 kg e altura: 95 cm. 3 . (4l) + 30 = 12l + 30
1
c) ⋅x
3
b. 5 anos? c. A área ocupada por esse terreno.
Peso: 18 kg e altura: 107 cm. l2
2. Traduza as expressões algébricas
em situações:
5. Sabendo que a altura ideal de uma criança 7. S é o número do sapato que uma pessoa cal- a) 3x + 1 =
depende não só da idade, mas de muitos outros
ça e está relacionado com comprimento P em
b) (x + y)2 =
fatores, médicos brasileiros fizeram uma pesqui- c) x2
5p + 28
sa com milhares de crianças e criaram uma fór- centímetros do pé, pela fórmula S = .
mula para crianças entre 4 e 13 anos, y = 5,7x + 4 Resposta:
Qual é o número do sapato de uma pessoa que
81,5, em que x é a idade da criança (em anos) a) O triplo de um número mais um.
e y é a altura da criança (em centímetros). Utili- tem 24 cm de pé?
zando essa fórmula, determine a altura ideal de
b) O quadrado da soma de dois números.
uma criança com 10 anos e de outra com 7 anos. 37. c) O quadrado de um número.

CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações 111

1:23 Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 111 05/04/2018 21:41:23

Anotações

111

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 111 29/05/2018 11:53:16


Leitura complementar
Sentenças abertas e fechadas
A álgebra surgiu no Egito quase ao Considere as seguintes frases:
mesmo tempo em que na Babilônia;
mas aos egípcios faltavam os métodos O maior estádio de futebol do Rio Grande do Norte é a Arena das Dunas.

sofisticados da álgebra babilônica, as- Messi é o melhor jogador do Barcelona.


sim como a variedade de equações re-
Frases como essas, chamadas de sentenças, exprimem um pensamento completo e de fácil
solvidas. Podemos perceber isso pelo compreensão. Quando uma sentença envolve números, ela é chamada de sentença matemática e
estudo do Papiro Moscou e do Papi- é expressa por meio de símbolos como = , ≠ ,∈,∉, > , < , entre outros.
Resumidamente, uma sentença pode ser:
ro Rhind — documentos egípcios que
datam de cerca de 1850 a.C. e 1650 Aberta – Não é possível afirmar de imediato se ela é verdadeira ou falsa, pois depende de
a.C., respectivamente. Para equações alguma condição, denominada de variável, ou incógnita.
Exemplo: 7x + 3 = 17.
lineares, os egípcios usavam um méto-
do de resolução consistindo em uma Fechada – Podemos atribuir de imediato um valor verdadeiro ou falso.
Exemplo: (–15) + 5 = –10, pois –15 + 5= –10 = verdadeiro.
estimativa inicial seguida de uma cor-
reção final — isso foi considerado um Veja alguns exemplos:
absurdo e recebeu o nome de regra
Frases Expressões matemáticas
da falsa posição.
Quatro é menor que sete. 4 < 7
A falta de sofisticação da álgebra Sentença fechada
(não tem variável, ou incógnita)
egípcia é explicada por possuírem, os Cinco mais dois é igual a sete. 5 + 2 = 7

egípcios, um sistema de numeração O dobro de um número é igual a 15. 2x = 15 Sentença aberta


relativamente primitivo em compara- A soma de um número com seis é menor que 15. x + 6 < 15 (apresenta variável, ou incógnita)

ção com o dos babilônios.

Anotações Atividades
1. Escreva (SF) para sentença fechada ou (SA) 2. Marque as sentenças fechadas nos casos
para sentença aberta: apresentados:
a. SF 5 + 7 = 12 a. 8 + x = 15
b. X 3 + 8 = 11
b. SF 13 + 7 = 20
c. 8 + x > 52
c. SF 5 + 7 ≠ 13 d. X 15 < 32
d. SA x + y = 8
3. Na sentença 7x2y + 5x – z = 17, identifique:
e. SA 4x + 1
a. O coeficiente de variável x – 5 .
f. SF 5 - 3 < 7
g. SF 49 = 7 b. O coeficiente de variável z – -1 .

112 CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 112 05/04/2018 21:41:23 Ma

112

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 112 29/05/2018 11:53:17


Dicas para o professor
4. Quais das seguintes expressões representam 5. Qual é a sentença verdadeira?
termos semelhantes?
a. 5xy e –3x
a. –5 < –10
b. 97 < 36
• Converse com os alunos e mostre
b. X 7y2 e –4y2 c. 4 < –9 que não basta que dois termos te-
c. 8a3 e –3a2 d. X –80 < –12 nham a mesma letra na parte literal pa-
d. 4z e 8z2
e. 8a e 9b
ra serem semelhantes, também é pre-
f. X 5x e –x ciso que os expoentes sejam iguais.
Exemplo: 3x é semelhante a 5x porém
Comparação entre expressões 3x não é semelhante a 3x2.
A matemática no campo da álgebra utiliza uma simbologia específica para comparar expressões.
• Ressalte que, quando somamos
Observe o quadro a seguir e verifique alguns desses símbolos e seu respectivo nome. duas expressões algébricas com duas
ou mais incógnitas, somamos apenas
Símbolo Nomenclatura
os termos semelhantes.
= Igual
> Maior que
< Menor que Anotações
≤ Menor ou igual que

≥ Maior ou igual que

A utilização desses símbolos entre duas expressões apresentadas é o que aqui definimos por
comparação. Isso dará origem às equações, quando o símbolo aplicado for uma igualdade. E dará
origem às inequações, quando o símbolo utilizado for o maior que, o menor que, o maior ou igual
que ou, ainda, o menor ou igual que.

Razão e proporção
Razão
Podemos definir razão como sendo o modo mais simples de comparar duas grandezas. Ao efe-
tuar a divisão entre duas grandezas, estamos comparando as mesmas. Tal relação passa a ser a base
para comparação entre diversas quantidades dessas duas grandezas.
Por exemplo, a área de uma superfície A mede 300 m² e a área de uma superfície B mede 210 m².
Qual é a razão entre essas superfícies A e B?
Observe:
210 7 Podemos concluir que a
= = 0, 7 área menor representa
300 10
70% da área maior.

CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações 113

1:23 Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 113 05/04/2018 21:41:23

113

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 113 29/05/2018 11:53:19


Dicas para o professor
Finalmente, podemos afirmar que:

• Perceba que o conceito de propor- Dados dois números reais a e b, com b diferente de zero, chamamos de razão entre a e b o
a
ção foi introduzido tomando por base quociente = k . Observe que k é um número real. O numerador a chama-se antecedente, e o
b
uma situação que propõe a compara- denominador b chama-se consequente dessa razão (lê-se a está para b). A razão k indica o valor
ção entre duas quantidades. do número a quando comparado ao número b, tomando-o como unidade.
• Ressalte que o estudo da proporção Exemplo:
está intrinsecamente associado à ideia Um terreno tem 1.200 m² de sua superfície como área construída e 3.000 m² de sua superfície
de razões iguais e de ampliação e re- como área livre. A razão da superfície construída pela superfície livre será:
dução de figuras. s. construída
s.constru da 1.200 12 2
razão
razª o= = = =
• Apresente a propriedade fundamen- s. livre 3.000 30 5
tal das proporções aos alunos e mos-
A superfície construída representa 40% da superfície livre.
tre que ela continua válida mesmo
quando permutamos os extremos, os Proporção
meios ou as razões.
Vamos definir proporção como sendo a igualdade entre duas razões. A proporção tem como pro-
priedade fundamental a afirmação de que o produto dos meios é igual ao produto dos extremos.
Leitura complementar a c
= onde: a, d são os extremos e b, c são os meios. De acordo com a propriedade fundamen-
b d

Como se dá o raciocínio 9 3
tal, temos a ⋅ d = b ⋅ c . As razões  e  são iguais, logo determinam a proporção  9 × 2 = 3 × 6.
6 2
proporcional? Exemplo:
Vamos determinar o valor de x na proporcionalidade a seguir.

Há mais de dez anos, a psicólo- 2 12


= Solucionando, temos:
ga Terezinha Nunes, chefe do De- 7 x
partamento de Psicologia da Oxford 2 ⋅ x = 7 ⋅ 12
Brookes University, estuda como nas- 2 x = 84
ce nas pessoas o pensamento mate- x=
84
mático. Na Universidade Federal de 2
x = 42 Para a citada proporção, temos x = 42.
Pernambuco, trabalhou com operá-
rios que mal sabiam escrever, mas en-
tendiam muito de escala. Mais tarde, Problemas envolvendo proporcionalidade
em Londres, continuou a investigação
Iremos visualizar algumas situações envolvendo a aplicação de razões proporcionais. Observe.
com crianças. Nos dois grupos, de-
tectou semelhanças. “São esquemas 1. (Enem) Há, em virtude da demanda crescente de economia de água, equipamentos e utensílios
como as bacias sanitárias ecológicas, que utilizam 6 litros de água por descarga em vez dos 15 litros
que independem da escolarização e utilizados por bacias sanitárias não ecológicas, conforme dados da Associação Brasileira de Normas
precisam ser considerados pelo pro- Técnicas (ABNT). Qual será a economia diária de água obtida por meio da substituição de uma
fessor”. Terezinha esteve no Brasil em
114
2002 e concedeu uma entrevista em CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

que destacou a proporcionalidade


como conceito central da Matemática Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 114 05/04/2018 21:41:24

e essencial ao ensino das operações.


Anotações

114

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 114 29/05/2018 11:53:21


bacia sanitária não ecológica, que gasta cerca de 60 litros por dia com a descarga, por uma bacia
sanitária ecológica? 

a) 24 litros.       
b) 36 litros.       
c) 40 litros.       
d) 42 litros.     
e) 50 litros.

Solução:
15 6
Chamemos de x o número de litros de água despejados pela bacia ecológica. Daí, =
60 x
15 ⋅ x = 6 ⋅ 60
15 x = 360
360
x=
15
x = 24 Assim, a economia será de: 60 − 24 = 36 litros. Logo, alternativa correta será “b”.

Algumas relações entre grandezas merecem nossa atenção maior na hora de solucioná-las. Isso
se dá pelo fato de não necessitarem multiplicar meios pelos extremos. São as proporcionalidades
entre grandezas inversas. Essas são classificadas desse modo porque, à medida que uma cresce, a
outra diminui. Observe com a máxima atenção o exemplo a seguir.

2. Se 5 pedreiros constroem uma casa em 10 dias, quantos pedreiros serão necessários para cons-
truir a mesma casa em 2 dias?

Solução:
Aqui é importante observar que, quanto maior o número de pedreiros, menor o tempo de cons-
trução da casa.
Como primeiro passo, coloque as grandezas iguais na mesma coluna.

Dias × pedreiros
10 5
=
2 x

Como as grandezas são inversamente proporcionais, vamos fazer a inversão de uma das razões.
No caso, iremos inverter a razão que representa a quantidade de pedreiros.

10 x
=
1:24
2 5
Agora sim, efetuamos os produtos para encontrar a quantidade correta.

10 x
=
2 5
2 ⋅ x = 10 ⋅ 5
50
x=
2
x = 25 Para construir a casa em 2 dias, serão necessários 25 pedreiros.

CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações 115

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 115 05/04/2018 21:41:24

115

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 115 29/05/2018 11:53:22


Professor, note que na primeira razão temos
cm/m, que será mantida na segunda razão. Por
isso nossa resposta aparece em metros.
Atividades
12 16
1. Determine o valor de x na proporção = . 4. Uma figura de forma retangular, medindo 10
48 x cm de largura por 32 cm de comprimento, deve
x = 64.
ser ampliada para 1,4 m de largura. O novo com-
primento correspondente da ampliação será:
2. Se 15 e 12 são diretamente proporcionais a z
4,48 m.
e 48, qual é o valor de z?
z = 60.
5. Certa máquina limpa uma superfície de 5.100 m2
3. Numa partida de basquete, Ricardo fez 15 ar- em 3 horas de trabalho. Nas mesmas condições,
remessos, acertando 6 deles. Nestas condições: em quanto tempo limpará uma área de 10.200 m2?

a. Qual é a razão do número de acertos para o 6 horas.


número total de arremessos de Ricardo?
6 2 6. De duas fontes, a primeira jorra 12 litros por
=
15 5 hora e a segunda 60 litros. Qual é o tempo neces-
sário para a segunda jorrar a mesma quantidade
b. Qual é a razão entre o número de arremessos de água que a primeira jorra em 10 minutos?
que Ricardo acertou e o número de arremessos
que ele errou? 2 minutos.

6 2
=
9 3

Equação do 1º grau
O inglês Isaac Newton, um dos maiores cientistas que a história conheceu, escreveu em seu livro
Aritmética Universal: “para resolver problemas referentes a números ou resoluções entre quanti-
dades, basta traduzir tal problema da linguagem corrente para a linguagem da álgebra, isto é, a
linguagem das equações”.
E, hoje, encontramos as equações em quase todas as áreas do conhecimento.
Observe a sentença:

2x + 6 = 36 – 4x. Ma

Há um sinal de igual.
Há uma letra que indica um número desconhecido. Nesse caso, chamamos de incógnita.

Temos, então, uma equação.

Equação é uma sentença matemática expressa por uma igualdade, na qual encontramos núme-
ros, sinais e ao menos uma letra representando um número desconhecido, a incógnita.

Entre as sentenças, representam equações apenas os itens “a”, “c” e “e”.

116 CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 116 05/04/2018 21:41:25

116

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 116 29/05/2018 11:53:24


Dicas para o professor
a) 3x + 1 = 16 b) 2y + 4 < 12 c) x – 1 = 5x
d) 3 + 5 = 8 e) 4y – 3 = y + 8 f) 4x > 2 + x
• Partindo do pressuposto de que os
Veja: alunos já estão mais familiarizados em
trabalhar a linguagem matemática de
4x−
5 = 13
+ 
 2x atividades com incógnitas, fica mais fá-
1º membro 2 º membro cil ampliar os seus conhecimentos.
A letra é a incógnita da equação. • Praticar as atividades existentes no
O que se escreve antes do sinal de igualdade se chama primeiro membro. livro para que os alunos consigam so-
O que se escreve depois do sinal de igualdade se chama segundo membro. lucionar as equações propostas.
Cada parcela da equação é chamada de termo. Assim:
• Fazer com que os alunos explorem
4 x − 5 = 13 + 2 x diversas estratégias que levem à solu-
ção de um mesmo problema e valori-
zar as formas encontradas por eles.
termo
• É importante que os alunos consi-
Quando resolvemos uma equação do 1º grau, obtemos um resultado, chamado de raiz da equa- gam diferenciar o conjunto universo
ção, ou conjunto verdade, ou conjunto solução da equação. Esse resultado é um valor numérico
que, substituindo a incógnita por ele, chegamos a uma igualdade numérica. Veja o exemplo: do conjunto verdade.
• Mostre as propriedades da igualda-
2x – 3 = 7 é uma equação do 1º grau. de para que os alunos possam perce-
2x = 7 + 3 ber a sua aplicação na resolução de
2 x = 10 equações.
10
x= =5
2
S = {5}
Anotações
Então, 5 é o conjunto verdade, solução, ou raiz da equação 2x – 3 = 7. Quando substituirmos o x
(incógnita) pela raiz, chegaremos a uma igualdade numérica. Veja:

2⋅5 −3 = 7
10 − 3 = 7
7=7
Temos, assim, a prova real de que 7 é raiz da equação.
Utilizamos esse conjunto verdade para identificar as equações equivalentes, pois quando o con-
junto verdade de uma equação é igual ao conjunto verdade de outra equação, temos duas equa-
ções equivalentes. Assim, podemos definir equações equivalentes como aquelas cujo conjunto
verdade é igual.
6 x = 18
Veja um exemplo de equação equivalente:
Dadas as equações 6x = 18 e x + 5 = 8. Para verificar se elas são equivalentes, deve-se primeiro
x = 18 : 6 = 3
achar o conjunto verdade de cada uma.
6 x = 18 x +5 =8
x = 18 : 6 = 3 x =8−5 =3

x +5 =8 CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações 117


x =8−5 =3

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 117 05/04/2018 21:41:25

:25

117

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 117 29/05/2018 11:53:25


Dicas para o professor
Como as duas soluções são iguais, podemos dizer que as equações 6x = 18 e x + 5 = 8 são equi-
valentes.
Antes de apresentar o conteúdo,
reflita com a classe sobre o significado
da palavra equivalência, que quer di-
zer “correspondência a alguma coisa”. Atividades
3x
1. Considerando a igualdade 8x + 5 = 3x + 30, b.
Sugestão de abordagem identifique:
6y 2x
a. o primeiro membro da igualdade.
8x + 5
4y
1. Determine se a igualdade das equa-
ções é atendida quando a raiz é 2. b. o segundo membro da igualdade. 4 y + 2 x + 3 x + 6 y = 5 x + 10 y Binômio.

a) x2 −2x = 0 3x + 30
c.
x c. um valor para x que torne o primeiro membro
b) 3 x − = 5 igual ao segundo. 5x y
2
5
Resposta: x
2. Qual dos seguintes polígonos tem seu perí-
a) x 2 − 2 x = 0 → x + y + 5 x = 6 x + y Binômio.
metro representado por um binômio (ou seja, a
22 − 2 ⋅ 2 = 4 − 4 = 0 → expressão possui apenas dois termos)? Escreva
a expressão que representa cada perímetro: 3. A medida do lado de uma superfície quadra-
S = {2} 5x da é 3x. Sabendo que a área total vale 36 m²,
a. quanto vale nessas condições:

x 2x 3x a. x?
b) 3 x − =5→
2 x = 2
2 4x
3⋅2 − = 5 → b. a medida do lado desse quadrado?
2 4 x + 3 x + 5 x + 2 x = 14 x Monômio. O lado do quadrado mede 6 metros.
6 − 1 = 5 → S = {2}
2. Represente e solucione algebrica-
mente cada situação.
a) Na cantina da escola de Watter, o Princípios de igualdade
preço do salgado é x. Watter comeu Princípio aditivo da igualdade
6 salgados e pagou R$ 9,00. Qual é o
Esse princípio diz que, em uma igualdade matemática, se adicionarmos um mesmo valor aos dois
preço de cada salgado? membros de uma equação, obteremos uma equação equivalente à que foi dada. Veja o exemplo:
Resposta: Dada a equação 2x + 3 = 7, se somarmos 3 aos dois membros da sua igualdade, teremos:

9 2x +3 + 3 = 7 + 3
6⋅x = 9 → x = → x = 1, 5 2x + 6 = 10.
6
118
O preço do salgado é R$ 1,50. CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

b) Comprei 3 sorvetes mais 1 torta de Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 118 05/04/2018 21:41:26 Ma

morango que custa R$ 18,00. Saben-


do-se que paguei com uma nota de R$ Anotações
50,00 e recebi R$ 20,00 de troco, de-
termine o preço de cada sorvete.
Resposta:
3s +18 = 50−20 → 3s +18 = 30
12
3s = 30 −18 → 3s = 12 s → =
3
Cada sorvete custou R$ 4,00.

118

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 118 29/05/2018 11:53:27


Leitura complementar
Chegamos à outra equação. Se desenvolvermos a solução da nova equação 2x + 6 = 10, iremos
verificar que essa terá resultado igual à equação inicial 2x + 3 = 7. Assim, confirma-se esse princípio
aditivo. Um cavalo e um burro caminhavam
Para comprovar, vamos desenvolver as duas equações.
juntos, carregando, cada um, pesa-
2x + 3 = 7 dos sacos. Como o cavalo reclamava
2x = 7 − 3 muito de sua pesada carga, respon-
2x = 4 deu-lhe o burro:
4
x= — De que te queixas? Se me des-
2
x =2 ses um saco, minha carga seria o do-
bro da tua. Mas se te der um saco, tua
Observe abaixo a resolução da equação com o número 3 adicionado aos membros.
carga será igual a minha.
2x +3 + 3 = 7 + 3
Digam-me, doutores matemáticos:
2 x + 6 = 10
2 x = 10 − 6
quantos sacos levavam o cavalo e o
2x = 4 burro?
4 Solução:
x=
2 Se me desses um saco, x – 1, a minha
x =2
carga y + 1 seria o dobro da tua y + 1
Assim, fica comprovado o princípio aditivo da igualdade. = 2 · (x – 1). Mas se te der um saco, y –
1, tua carga x + 1 será igual a minha y
Princípio multiplicativo da igualdade – 1 = x + 1.
Resolvendo-se o sistema:
Esse princípio mostra que, se multiplicarmos ou dividirmos os dois membros da igualdade pelo
mesmo número, desde que este seja diferente de zero, obteremos outra equação que será equiva-
lente à equação dada. Veja o exemplo:
y + 1 = 2x − 1

Dada a equação x + 1 = 5, uma das formas de achar uma equação equivalente a ela é utilizando y − 1 = x + 1
o princípio multiplicativo da igualdade. Se multiplicarmos os dois membros dessa igualdade por 2,
teremos: x=5ey=7
2 · (x + 1) = 5 · 2
2x + 2 = 10

Chegamos à outra equação, que é equivalente à equação x + 1 = 5.


Anotações
x +1 = 5
Já sabemos que, se as raízes forem iguais, as equações são equivalentes. Então, vamos calcular
x = 5 −1 = 4
as raízes do exemplo acima, para verificarmos se realmente são equivalentes.

x +1 = 5 2 x + 2 = 10
x = 5 −1 = 4 2 x = 10 − 2
2x = 8
2 x + 2 = 10 8
x = =4
2 x = 10 − 2 2
2x = 8
As raízes são iguais, portanto confirmamos o princípio multiplicativo da igualdade.
8
x = =4
2
CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações 119

1:26 Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 119 05/04/2018 21:41:26

119

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 119 29/05/2018 11:53:28


Dicas para o professor
Como encontrar a raiz de uma equação

É de fundamental importância a Tinha uma quantia, ganhei mais R$ 12,00 e fiquei com R$ 30,00. Quanto eu tinha?
prática dos princípios da igualdade x + 12 = 30

no estudo das equações, a fim de que Desfazemos a adição subtraindo R$ 12,00 de cada membro da igualdade.
os educandos possam entender o mé- x + 12 – 12 = 30 – 12
x = 18, ou seja, eu tinha R$ 18,00.
todo prático de resolução destas ex-
pressões. É comum eles confundirem Observe que aplicamos a subtração, que é o inverso da adição.
a troca de um membro para outro com Tinha uma quantia, gastei R$ 7,00 e me restaram R$ 15,00. Quanto eu tinha?
trocar o sinal, o que na verdade é troca x − 7 = 15
Desfazemos a subtração somando R$ 7,00 aos dois membros da equação:
de operação, ou seja, fazemos a ope-
x – 7 + 7 = 15 + 7
ração inversa. x = 22, ou seja, eu tinha R$ 22,00.
Observe que aplicamos a adição, que é o inverso da subtração.

Anotações Sete balas custaram R$ 5,60. Quanto custou cada bala?


7x = 5,60

Para desfazer a multiplicação, basta dividirmos os dois membros da equação por sete.
x = 5,6 : 7 = 0,8 ou seja, cada bala custou R$ 0,80.
Observe que aplicamos a divisão, que é o inverso da multiplicação.

Tinha uma quantia que, dividindo com 11 pessoas, resultou exatamente em R$ 12,00 para cada
pessoa. Quanto eu tinha?
x : 11 = 12

Para desfazer a divisão, basta multiplicarmos os dois membros da equação por 11.
x
⋅ 11 = 12 ⋅ 11
11
x = 132

Ou seja, eu tinha R$ 132,00.


Observe que aplicamos a multiplicação, que é o inverso da divisão.

Eliminando denominadores de uma equação



Multiplicamos todos os termos pelo denominador que aparecer ou por um múltiplo comum en-
tre os denominadores, se for mais de um. Vamos ver exemplos:
x
a) + 5 = 9
3 12
Observe que 12 é a solução dessa equação, pois + 5 = 9
3
Perceba que, multiplicando todos os termos por 3, temos:
3⋅x
+3⋅5= 3⋅9
3
x + 15 = 27

Equação sem denominador e com a mesma resposta.

120 CAPÍTULO 4 I Introdução à álgebra: equações e inequações

Matematica_Contextualizada_7ºano_04.indd 120 05/04/2018 21:41:26 Ma

120

ME_Matemática_Contextualizada_7A_04.indd 120 29/05/2018 11:53:30


Atividades
x = 27 – 15 complementares
x = 12

x 1 5 1. Determine a solução das equações.


b) + =
3 2 2 a) 5x + 4 = 24
Observe que 6 é a solução dessa equação, pois
6 1 5
+ = . b) 8x = 630 + 3x
3 2 2
Resposta:
Veja que, multiplicando todos os termos por 6, que é múltiplo de 2 e também de 3, eliminamos
os denominadores e mantemos a resposta. a) 5 x + 4 = 24
6 ⋅ x 6 ⋅1 6 ⋅ 5 5 x = 24 − 4
+ =
3 2 2