Você está na página 1de 68

manualdoaluno2010

MENSAGEM AO ALUNO

Prezado aluno,

O grande mérito de ingressar num curso superior, seguramente, é seu. Seu esforço, suas
inúmeras horas de estudo, sua dedicação, brindaram este momento muito especial - início
das aulas - indicando o fim da maratona do Processo Seletivo e o início da busca do futuro
num mundo globalizado.
No século em que vivemos temos a oportunidade de verificar grandes transformações
sociais, econômicas, culturais, tecnológicas e científicas. O desafio não é mais a informação,
mas a transformação dessa informação em conhecimento. A Faculdade Brasileira - UNIVIX
nasceu no final do século XX com uma visão sistêmica dirigida para participar do desafio
da formação de indivíduos capazes de enfrentar as grandes e profundas mudanças dessas
transformações.
O crescimento e o desenvolvimento advindos da Faculdade demonstram que a concepção
e a filosofia de trabalho da Direção da Instituição estão corretas.
Este manual representa nossa busca de uma comunicação direta com os alunos. Conhecendo
a estrutura da Faculdade Brasileira - UNIVIX, o aluno pode participar e contribuir para o
aprimoramento da Instituição.

Sejam Bem-Vindos,

Prof. Dr. Alexandre José Serafim


Diretor

9
manualdoaluno2010

1 Proposta Pedagógica da Faculdade Brasileira – UNIVIX


O desafio da Faculdade Brasileira - UNIVIX é não só oferecer ao aluno o CONHECIMENTO
básico necessário e específico de cada curso, como também capacitar esse aluno a desenvolver
um potencial que o leve a competir, liderar e gerir.
Além das matérias básicas de um curso tradicional, nossos currículos incluem disciplinas
que permitem que você atue no mercado de trabalho com prática e profissionalismo. A parte
prática de nossos cursos é privilegiada com estágios para proporcionar contato direto dos
alunos com seu mercado de trabalho. Com o mesmo objetivo são programadas palestras com
profissionais do setor para debates de assuntos pertinentes à profissão.
Nossa grande preocupação é ENSINAR o aluno a APRENDER a transformar a INFORMAÇÃO
em CONHECIMENTO. Com esse intuito conduzimos nossos alunos para pesquisar, questionar,
planejar, produzir e criar. As aulas desta instituição são orientadas para fomentar essa aquisição,
por meio de debates e trabalhos criativos.
Nosso alvo é levar você a assumir seu papel no mercado de trabalho de forma crítica,
independente e empreendedora. Se conseguirmos isso, teremos levado a termo o nosso
compromisso.

2 Informação / Atendimento aos Alunos


É importante esclarecer que, ao ingressar na Faculdade Brasileira - UNIVIX, o aluno é
identificado por um número de matrícula que o acompanha por toda sua vida acadêmica,
pois ele o identifica em todos os requerimentos e/ou documentos solicitados/fornecidos pela
Faculdade Brasileira - UNIVIX.
Os alunos podem receber informações sobre frequência, notas, histórico e horário de aulas
por meio da internet, desde que se utilizem de sua senha pessoal.
O atendimento geral do aluno é feito na Central de Atendimento. No entanto, o aluno pode
conversar com a Coordenação de seu Curso e ainda com a Coordenação de Graduação, caso
suas dúvidas não sejam dirimidas.

2.1 Relação de Documentos que são Requeridos na Central de Atendimento


Todas as solicitações de documentos devem ser feitos por meio de requerimento protocolado
na Central de Atendimento, conforme modelo anexo. Quando for o caso, o pagamento da
taxa deve ser feito junto ao Setor Financeiro. Solicitações que não sejam feitas por meio do
procedimento adequado não têm validade e não são consideradas.

10
manualdoaluno2010

SOLICITAÇÕES PRAZOS
Assinatura de Contrato de Estágio 05 dias úteis
Deferimento de Relatório de Estágio 10 dias úteis
Confecção de Contrato de Estágio 05 dias úteis
Confecção de Termo Aditivo e Estágio 05 dias úteis
Cartão do Aluno 15 dias
Certificado de Conclusão de Curso 05 dias úteis
Certificado de Monitoria 10 dias úteis
Declaração 02 dias úteis
Estrutura Curricular 02 dias úteis
Histórico Escolar 05 dias úteis
Histórico Escolar Simplificado 02 dias úteis
Levantamento Acadêmico, Financeiro e Biblioteca 20 dias úteis
Plano de Ensino 03 dias úteis
Portaria de Autorização e/ou Reconhecimento 02 dias úteis
Registro de Diploma Prazo médio - 01 ano
Diploma de Pós-Graduação 04 meses
Histórico Escolar de Pós-Graduação 10 dias úteis
Certificado de Atividades de Extensão 30 dias úteis

2.2 Cartão de Aluno


O acesso de alunos ao interior do campus é feito por sistema de controle eletrônico por meio
do “Cartão de Aluno”, que é emitido apenas em favor do aluno devidamente matriculado e/
ou que tenha feito RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA, nos termos do Contrato de Prestação de
Serviços Educacionais firmado entre as partes.
O Cartão de Aluno é de uso pessoal e intransferível. São de responsabilidade do titular do
uso do cartão sua guarda responsável e manutenção adequada, respondendo por infração
disciplinar, civil ou penal aquele que ceder, emprestar ou dele fizer uso indevidamente.
O Cartão de Aluno perde sua validade e é automaticamente bloqueado, na falta de
RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA, ou outra ocorrência de perda da condição de aluno por
descumprimento do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais.
11
manualdoaluno2010

O Aluno devidamente matriculado ou que tenha feito RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA, que


não estiver portando seu Cartão de Aluno tem “permissão especial” de acesso de até três
vezes por semestre. Depois de esgotadas essas permissões, ele é cadastrado na portaria na
condição de visitante e notificado da suspensão de seu acesso.
Ocorrendo perda, roubo ou extravio do Cartão de Aluno, deve seu titular comunicar,
por escrito, imediatamente tal ocorrência à Central de Atendimento e requerer sua 2ª.
via, mediante pagamento da taxa vigente, sendo de sua responsabilidade o conteúdo das
informações prestadas quanto ao destino do cartão, podendo no caso de roubo ou perda a
Faculdade exigir o Boletim de Ocorrência de autoridade policial.
No período de confecção da 2ª. via do Cartão de Aluno, o aluno porta um protocolo
devidamente assinado pela supervisora da Central de Atendimento, que é apresentado na
portaria para acesso na condição de visitante.

2.3 Núcleo Psicopedagógico


A Faculdade conta com o serviço do Núcleo Psicopedagógico que se coloca à disposição
do aluno, orientando-o nas suas possíveis dificuldades de aprendizagem, de relacionamento
com colegas e professores de modo a possibilitar a sua completa integração à Faculdade
Brasileira - UNIVIX. É um espaço de análise e reflexão didático-pedagógica onde o aluno
apresenta suas críticas e sugestões que visem ao aperfeiçoamento do Ensino e dos demais
serviços oferecidos pela Faculdade.
O Núcleo Psicopedagógico prioriza suas atividades a partir de 03 aspectos fundamentais: o
Professor, o Aluno e a Avaliação Institucional. Esta avaliação é o instrumento que permite
exatamente estreitar o diálogo entre os vários setores da Instituição, porque o Professor
avalia a coordenação do curso, os diversos serviços da faculdade, e é também avaliado
pelos alunos e pela coordenação. Nessa via múltipla de comunicação é possível traçar
políticas constantes de melhoramento para todos os setores. Em relação aos alunos, há três
programas:
Ambientação de Calouros, que objetiva tornar a Faculdade Brasileira - UNIVIX o mais
proveitosa possível a seus alunos recém chegados;
Grupo de Aperfeiçoamento de Estudos, para os alunos que sentem dificuldade em apreender
o conteúdo das disciplinas;
Atendimento individualizado, a alunos que porventura queiram otimizar os resultados de
seus estudos e/ou melhorar sua adaptação à vida universitária.
Essas iniciativas objetivam trabalhar a formação integral dos alunos. Não há um procedimento
rígido para solicitar os serviços do Núcleo. Basta comparecer ou telefonar para 3335-5632
e marcar um horário.

12
manualdoaluno2010

A criação ou modificação dos programas depende exatamente das trocas constantes de


informação. Por isso, sinta-se à vontade para discutir com a equipe do Núcleo qualquer
sugestão ou observação acerca dos programas citados.

3 Do Ingresso
Os cursos de graduação da Faculdade Brasileira - UNIVIX são abertos à matrícula de
CANDIDATOS CLASSIFICADOS no Processo Seletivo e que tenham apresentado os
seguintes documentos:

- Original do Histórico Escolar de Conclusão do Ensino Médio ou Original do Certificado


de Conclusão do Ensino Médio ou cópia autenticada do Diploma do Ensino Médio ou
cópia autenticada do Diploma do Ensino Superior;
- Carteira de Identidade (cópia autenticada);
- CPF (cópia autenticada);
- Documento Militar (cópia autenticada);
- Título Eleitoral (cópia autenticada);
- Comprovante da última votação (cópia autenticada);
- Certidão de Nascimento ou Casamento (cópia autenticada);
- Duas Fotos 3x4 recentes;
- Comprovante de Residência do Aluno (cópia autenticada: conta de telefone fixo ou conta
de água ou conta de luz, recente).

Documentos do Fiador (código civil art. Nº 818 e seguintes)


- CPF (cópia autenticada);
- Carteira de Identidade (cópia autenticada);
- Comprovante de Residência do Fiador (cópia autenticada: conta de telefone fixo ou conta
de água ou conta de luz, recente);
- Comprovante de Renda (cópia autenticada: contracheque do último mês ou Declaração
de Imposto de Renda Pessoa Física do último exercício fiscal);
- Reconhecimento de Firma do Contratante, Fiador e Cônjuge.

Obs.: a falta de qualquer dos documentos acima relacionados impede a concretização da


matrícula definitiva e/ou renovação de matrícula (se for o caso).
O aluno, desde o primeiro dia de aula, deve se certificar de que toda a documentação
necessária foi entregue. O aluno que não entregar todos os documentos fica impedido de
entrar na faculdade, de colar grau e/ou solicitar o diploma de conclusão de curso.

13
manualdoaluno2010

Podem ser admitidos, desde que haja vaga no curso pretendido e respeitada a legislação
vigente, alunos TRANSFERIDOS, PORTADORES DE DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR E
ALUNO NÃO REGULAR.

3.1 Realização da Matrícula (alunos ingressantes)


A matrícula é o ato formal de ingresso no curso escolhido logo após o Processo Seletivo.
O ato da matrícula na Faculdade Brasileira - UNIVIX importa no compromisso formal de
respeito à legislação vigente, ao Regimento Geral da Faculdade e às normas baixadas pelos
órgãos competentes, bem como às autoridades que deles emanam, constituindo falta punível
o seu desatendimento ou transgressão.

3.2 Renovação de Matrícula
O sistema de matrículas da Faculdade Brasileira - UNIVIX é online. Cada aluno deve
informar-se junto à Coordenação de seu curso sobre os procedimentos, sendo respeitadas as
datas previstas no Calendário Acadêmico.
O aluno que tenha sofrido penalidade disciplinar depende de autorização expressa da
Direção da Faculdade Brasileira - UNIVIX para fazer a RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA.
Em todos os cursos o regime é seriado semestral. A matrícula em disciplinas em um número
menor da proposta pela estrutura curricular só é deferida mediante uma justificativa da
Coordenação do Curso e com aprovação da Direção.
Os alunos que não tiverem a Renovação de Matrícula efetivada no prazo estabelecido pelo
Calendário Acadêmico devem pagar uma taxa previamente fixada, para ressarcimento à
Instituição dos custos adicionais pelo serviço extra prestado, conforme portaria nº 007, de
09 de junho de 2006.
Caso o aluno deseje cursar disciplinas eletivas, optativas ou complementares acima da carga
horária mínima exigida no Projeto Pedagógico do Curso, deve informar-se na Central de
Atendimento sobre o custo dessas disciplinas.

3.3 Portador de Diploma de Curso Superior – Novo Curso


A matrícula de portadores de diploma de curso superior, devidamente registrado, é aceita,
desde que haja vaga no curso pretendido, após atendimento prioritário aos aprovados no
Processo Seletivo e aos alunos transferidos.

Documentação Exigida para solicitação da vaga:


a) Requerimento fornecido pela Instituição preenchido;
b) Cópia autenticada do diploma do curso superior;

14
manualdoaluno2010

c) Original do Histórico escolar do ensino superior;


d) Original do Plano de ensino das disciplinas que deseja dispensa ou aproveitamento de
estudos.

O candidato que tiver a solicitação deferida tem que apresentar a mesma documentação
exigida para candidato aprovado no processo seletivo.
Após aceito como aluno regular, caso tenha desenvolvido estudos no curso superior
concluído, que sejam correlatos a estudos a serem desenvolvidos no curso superior que
vai iniciar, o aluno deve apresentar, na Central de Atendimento, a documentação acima e
solicitar dispensa das disciplinas pertinentes, quando necessário.
Dessa forma, apesar de estar iniciando um NOVO CURSO superior, o aluno pode não
ingressar no 1º período do curso ao qual se candidata, mas em período mais adiantado,
dependendo do número de dispensas de disciplinas que obtiver e do número de adaptações
a serem realizadas. Define-se como adaptação toda e qualquer disciplina da estrutura
curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, situada em período anterior àquele em que o
aluno ingressa na Faculdade Brasileira - UNIVIX, para Novo Curso.
Nesses casos, o cálculo do valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno obedece a
um dos seguintes critérios:

a) Quando houver dispensas e adaptações:


O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária
cursada - a base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ão)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX considerando-se
as disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando e a(s) disciplina(s) em
adaptação.
O aluno de Novo Curso deve cursar a(s) disciplina(s) em adaptação de acordo com
o calendário definido pelo coordenador do curso e sempre na primeira oferta feita pela
Faculdade.

b) Quando houver somente dispensas:


O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária
cursada. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ão)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se as
disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando.

15
manualdoaluno2010

c) Quando houver somente adaptações:


O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária cursada
pelo aluno. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ão)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se
as disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando e a(s) disciplina(s) em
adaptação.

3.4 Matrícula de Aluno Não Regular


Portadores de diploma de curso superior ou alunos regularmente matriculados em outras
IES podem solicitar matrícula em disciplina isolada. O “Requerimento de Matrícula como
Aluno não Regular” é feito na Central de Atendimento, em formulário próprio, no prazo
estabelecido no Calendário Acadêmico.
Os alunos da Faculdade Brasileira - UNIVIX que desejarem cursar disciplinas fora do seu
currículo devem solicitar na Central de Atendimento em formulário próprio como “Aluno não Regular”.
A Coordenação do Curso ao qual está vinculada a disciplina decide quanto à aceitação da
matrícula e informa à Coordenação de Graduação sobre o deferimento do pedido.
O aluno não regular pode cursar, dependendo da existência de vaga, até quatro disciplinas
por semestre e um máximo de doze disciplinas no total.
O aluno não regular está sujeito aos critérios de verificação e avaliação da aprendizagem
estabelecidos para as disciplinas em que obtiver matrícula e ao mesmo regime disciplinar
que os alunos regulares.
Para cada disciplina cursada no regime aqui explicitado, o valor da semestralidade é
calculado proporcionalmente considerando-se a carga horária semestral da disciplina e a
carga horária semestral total do período curricular onde esteja posicionada a disciplina no
curso a que esteja vinculada, e o valor vigente da semestralidade do curso.
Para efeito de pagamento a semestralidade é dividida em 06 (seis) parcelas.
Para maior clareza segue o seguinte exemplo:
a) carga horária semestral da disciplina a ser cursada como aluno não regular = 45h.a
b) carga horária semestral total do período curricular onde está posicionada a disciplina = 300h.a
c) valor vigente da semestralidade do curso = R$ 3.000,00
d) valor de cada uma das 06 (seis) parcelas da disciplina:
45h.a/300h.a = 0,15 X R$ 3.000,00/6 = R$ 75,00
O aluno não regular recebe, exclusivamente, histórico escolar próprio a título de comprovante
de rendimento.
A aprovação em disciplina isolada não assegura obrigatoriamente direito a aproveitamento
das mesmas em outras Instituições.

16
manualdoaluno2010

3.5 Relação Financeira com a Faculdade


O aluno tem uma relação financeira com a Faculdade que implica o pagamento de uma
semestralidade dividida em parcelas padrão, de acordo com o valor de seu curso. Caso
ele necessite cursar disciplina (s) em regime de dependência, solicitar dispensa ou fazer
qualquer outra modificação, as alterações no valor das parcelas só ocorrem a partir da
terceira parcela, ou seja, as duas primeiras parcelas do semestre são no valor da parcela
padrão de seu curso.
O pagamento de disciplinas optativas previstas no projeto pedagógico está incluído nas
mensalidades, bem como o das demais disciplinas. Entretanto, caso o aluno queira fazer um
número maior de disciplinas do que o previsto ou reprovar ou desistir, essas disciplinas são
cobradas.

4 Abandono de Curso e Desligamento


O ABANDONO DE CURSO é caracterizado pela ausência do aluno às atividades escolares
por período superior a sessenta dias letivos, por não Renovação da Matrícula no período
estabelecido ou por não solicitação de reingresso.
O aluno que abandona o curso perde o direito à vaga. O retorno somente ocorre mediante
expressa solicitação do aluno e análise da situação por parte da Direção que, se deferir
o pedido, pode exigir do aluno o pagamento do total devido à Instituição, desde o
abandono.

4.1 Desistência
Representa a interrupção definitiva da vinculação do aluno com a Faculdade Brasileira -
UNIVIX.
O Contrato de Prestação de Serviços Educacionais firmado entre a Faculdade Brasileira -
UNIVIX e os alunos pode ser rescindido bilateralmente, conforme disposto no mesmo. Em
caso de DESISTÊNCIA, fica o aluno responsável pelo pagamento da parcela dos encargos
educacionais referentes aos 30 (trinta) dias subsequentes à formalização do seu pedido,
exceto para os alunos do curso de Administração Certificado pela FVG, como especificado
em contrato próprio.

5 Frequência
A frequência é obrigatória e é considerado reprovado na disciplina o aluno que não obtiver
frequência escolar, no mínimo, de 75% (setenta e cinco por cento) das aulas e demais
atividades programadas, a não ser nas duas únicas exceções amparadas em legislação
especial, a saber: Regime Domiciliar e Serviço Militar Obrigatório. Esse percentual pode ser
reduzido para 50% para o aluno que alcançar média final maior ou igual a oito, exceto para
o curso de Administração Certificado FGV.
17
manualdoaluno2010

No caso dos alunos do curso de Administração Certificado pela Fundação Getúlio Vargas,
em qualquer situação o aluno tem que frequentar um mínimo de 75% do total de aulas de
determinada disciplina para que possa ser aprovado na mesma. No caso do número de
faltas ser superior a 25% o aluno é reprovado e este status deve constar do histórico escolar
como Reprovado por Faltas.

5.1 Regime Domiciliar


O REGIME DOMICILIAR contempla os alunos portadores de afecções congênitas ou
adquiridas, infecções e traumatismo (Decreto – Lei nº 1.044 de 21.10.69) e as alunas grávidas
(Lei nº 6.202 de 17.04.75) e não significa abono de faltas ou licença. É apenas um direito,
decorrente da legislação citada, que permite ao aluno realizar suas tarefas em casa, durante o
período em que está legalmente impossibilitado. Portanto, os exercícios domiciliares apenas
compensam as ausências, não substituindo obrigatoriamente as avaliações.
Para obtenção do regime domiciliar o aluno deve requerê-lo na Central de Atendimento no
prazo de 5 (cinco) dias úteis contados da data do início do evento. Ao requerimento deve
estar anexado o documento comprobatório da impossibilidade do aluno, sendo, no caso
dos portadores de afecções, o laudo médico e, no caso das gestantes, o atestado médico.
Caso o aluno não providencie o requerimento devidamente documentado no prazo, perde
o direito.
As tarefas domiciliares são retiradas na Central de Atendimento pelo próprio aluno ou por
pessoa por ele autorizada e devem ser devolvidas de acordo com os prazos estabelecidos
pelos professores. Elas são examinadas e, no término do período, o aluno faz ou não os
exames finais, a critério do professor. Esclarecemos que a vigência do Regime Domiciliar é
contada a partir da data que consta no laudo ou atestado médico. Só pode ser solicitado o
regime domiciliar caso o tempo de afastamento seja igual ou superior a quinze dias.
O tempo de afastamento permitido é: para alunos acometidos por afecções – máximo de
50% do semestre acadêmico; para aluna gestante – noventa dias a partir do 8º mês de
gravidez.

5.2 Abono de Faltas


As únicas exceções contempladas a respeito de abono de faltas no ensino superior são as
relativas ao Serviço Militar Obrigatório (Decreto – Lei nº 715 de 30.06.69 e Lei nº 4.375 de
17.08.64) e à participação de alunos em congressos científicos ou competições artísticas
nacionais ou desportivas de âmbito internacional (Decreto nº 69.053 de 11.08.71, Portaria
MEC nº 646 de 06.07.79 e o Decreto nº 80.228 de 25.08.77).
6 Trancamento
O trancamento de curso é realizado para efeito de interrupções temporárias de estudos

18
manualdoaluno2010

do aluno, mantendo a sua vinculação à Faculdade e seu direito à RENOVAÇÃO DE


MATRÍCULA, desde que respeitado o prazo máximo para integralização de curso.
Para obter o trancamento os alunos devem atender às seguintes condições:

a) requerimento em até 60 (sessenta) dias corridos após o primeiro dia letivo do semestre
acadêmico, a partir do 2º período do curso, exceto para o curso de Administração
Certificado FGV, em que a data de trancamento de matrícula está estipulada no Calendário
Acadêmico;

b) só tem direito ao trancamento o aluno que tiver cursado o 1º período do curso e tiver
obtido aprovação em, pelo menos, uma disciplina;

c) deve estar regular junto à Biblioteca, Gerência Financeira e Secretaria Acadêmica da


Faculdade Brasileira - UNIVIX;

d) o trancamento inicial é concedido até o final do semestre-período em curso. Pode haver


renovação do trancamento por semestres adicionais, desde que haja aquiescência da
Instituição. Após o período de quatro semestres de trancamento, inclusive aquele em que foi
solicitado o trancamento, o aluno é considerado desistente.

e) para se beneficiar da possível renovação do período de trancamento, o aluno deve


comparecer à Instituição após o primeiro período/semestre de trancamento com o objetivo
de reiterar sua intenção de continuar seu curso. Este comparecimento deve acontecer,
necessariamente, 30 dias corridos antes de findar o período/semestre de trancamento, quando
tem sua solicitação de renovação de trancamento analisada e decidida pela Instituição.

f) o aluno beneficiado com o trancamento do curso, ao retornar à Faculdade, sujeita-se


ao enquadramento no currículo em vigor na data do retorno e aos demais requisitos da
Instituição, inclusive financeiros.

O trancamento solicitado somente é permitido por até quatro períodos letivos.

6.1 Trancamento Ex Officio


No caso de o aluno perder o prazo para renovação de matrícula, definido previamente no
Calendário Acadêmico ou tiver pendências com a Instituição de ordem acadêmica, financeira
e/ou com a biblioteca, sua matrícula é automaticamente trancada – TRANCAMENTO EX

19
manualdoaluno2010

OFFICIO – por um período letivo. O aluno é comunicado pela Secretaria Acadêmica, por
meio de correspondência registrada, sobre seu trancamento ex officio. O retorno deve ser
solicitado pelo interessado, sendo o pedido analisado pelas Coordenações de Curso e de
Graduação.
Caso o aluno não reabra sua matrícula no período subsequente, tem sua matrícula cancelada
por abandono.
O aluno que abandona o Curso perde sua vaga, mas não interrompe as obrigações financeiras
com a mantenedora no período anterior à data do trancamento ex officio.
Da mesma forma que o trancamento por solicitação, o trancamento ex officio somente é
permitido por até quatro períodos letivos. Entretanto, os períodos de trancamento ex officio
não podem ser consecutivos.
Não é computado para efeito de integralização curricular o tempo em que o aluno
permanecer com Trancamento (solicitado ou ex officio).
O aluno cujo curso sofrer alteração curricular no período e, que estiver com a matrícula
trancada, fica sujeito à adaptação ao currículo vigente à época em que solicitar reabertura
de matrícula.

7 Transferência
Obs.: as orientações para o curso de Administração Certificado FGV encontram-se no final
deste item.
Ao aluno transferido de curso superior de outras instituições de ensino superior pode ser
concedida matrícula para prosseguimento dos estudos, na estrita conformidade das vagas
existentes.
O interessado deve requerer a transferência na Central de Atendimento, em requerimento
próprio, e anexar à documentação pertinente, conforme previsto na Portaria do MEC nº 230
de 09 de março de 2007.

Documentos necessários:
Original do Histórico Escolar da Instituição de Origem
Original do Plano de Ensino das Disciplinas Cursadas
Original da Portaria de Autorização ou Reconhecimento do Curso
Original da Declaração de Adimplência
Original do Histórico do Ensino Médio
Copia autenticada dos Documentos Pessoais: Carteira de Identidade, CPF, Documento
Militar, Título Eleitoral e Comprovante da última eleição, Certidão de Nascimento ou
Casamento e duas Fotos 3X4.
Dessa forma, o aluno pode, durante um semestre letivo ou mais, ser dispensado de uma ou
20
manualdoaluno2010

mais disciplinas, mas também ter necessidade de adaptação de estudos. Define-se como
adaptação toda e qualquer disciplina da estrutura curricular da Faculdade Brasileira -
UNIVIX, situada em período anterior àquele em que o aluno ingressa na Faculdade Brasileira
- UNIVIX, por meio de processo de transferência.
A transferência do aluno da Faculdade Brasileira - UNIVIX para outra Faculdade somente
é concedida ao término do período letivo e a requerimento do interessado. As cópias
oficiais dos programas das disciplinas cursadas pelo aluno com rendimento são fornecidas
mediante o pagamento de uma taxa (cujo valor está especificado em uma tabela disponível
na Gerência Financeira), que corresponde ao conjunto de programas das disciplinas de um
semestre letivo.
No caso de transferência para a Faculdade Brasileira - UNIVIX, o cálculo do valor da parcela
da semestralidade devida pelo aluno obedece a um dos seguintes critérios:

a) Quando houver dispensas e adaptações:


O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária
cursada. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ão)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se
as disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando e a(s) disciplina(s) em
adaptação.
O aluno transferido deve cursar a(s) disciplina(s) em adaptação de acordo com o calendário
definido pelo coordenador do curso e sempre na primeira oferta feita pela Faculdade.

b) Quando houver somente dispensas:


O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária
cursada. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ão)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se as
disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando.
Enquanto o aluno se beneficiar de dispensa de disciplinas, o cálculo segue o critério definido
anteriormente neste item, considerando-se sempre como base a carga horária do período em
que o aluno está matriculado.

c) Quando houver somente adaptações:


O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária cursada
pelo aluno. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ao)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se
as disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando e a(s) disciplina(s) em
adaptação.
As orientações supra não se aplicam ao curso de Administração Certificado FGV. Para este
curso a Coordenação avalia e decide sobre a inclusão no programa de certificação. Caso seja
21
manualdoaluno2010

incluído, o aluno pode solicitar a validação de até quinze disciplinas que não foram cursadas
em cursos certificados pela FGV. O aluno deve fazer uma prova para cada disciplina, que é validada pela
FGV se obtiver uma nota igual ou superior a seis. O aluno inserido no programa de certificação que não
validar suas disciplinas ou superar o limite de quinze disciplinas a serem validadas pela FGV deve atender a
duas exigências: a) cursar no mínimo 50% das disciplinas da estrutura curricular num curso de Administração
Certificado FGV; b) obter nota igual ou superior a cinco numa prova referente a todo o conteúdo do curso,
realizada após a conclusão de todas as disciplinas referentes à estrutura curricular do curso.

8 Aproveitamento de Estudos
Obs.: no caso dos alunos do curso de Administração Certificado FGV, o procedimento está
descrito no item 7.
A Faculdade Brasileira - UNIVIX admite dispensa de disciplina, desde que o aluno tenha
cumprido com rendimento o mesmo conteúdo programático, com carga horária compatível
com o currículo da Faculdade Brasileira - UNIVIX, sendo que tais disciplinas podem ter sido
cursadas em cursos de graduação, cursos tecnológicos superiores ou em cursos sequenciais
em outro estabelecimento regular de ENSINO SUPERIOR. Nos prazos determinados pelo
Calendário Acadêmico, o aluno deve solicitar a dispensa das disciplinas já cursadas,
anexando as ementas, os programas detalhados das mesmas e a cópia do histórico escolar
que comprove o rendimento alcançado.
Os documentos anexados à solicitação devem, necessariamente, ter o reconhecimento
(carimbo e rubrica), do responsável por sua emissão e, em caso de apresentação de fotocópia,
esta deve ser autenticada.
Para efeito de aproveitamento de estudos, além da equivalência dos programas, é observado o
tempo de validade das disciplinas cursadas em outra Instituição e objeto do aproveitamento,
que está adstrito ao prazo máximo para integralização curricular do curso onde foram
cumpridas as disciplinas.
O prazo de validade de disciplina cursada, anteriormente mencionado, não se aplica aos
casos em que o aluno tenha concluído o curso e obtido o diploma.
Alunos que cursarem disciplinas em outras instituições de ensino superior podem ser
dispensados da exigência de cursá-las na Faculdade Brasileira - UNIVIX. À Coordenação de
Curso fica facultado o direito de verificar o aprendizado do aluno, mediante a realização de
avaliação e a obtenção de conceito mínimo. Ambos os procedimentos devem estar previstos
nos projetos pedagógicos dos cursos.

9 Reopção e Remoção
A reopção é a solicitação do aluno para realizar outro curso afim (Conforme Tabela de Áreas
do Conhecimento – CNPq), diferente daquele em que fora aprovado no processo seletivo

22
manualdoaluno2010

e a remoção é a mudança do turno pelo qual fez opção no processo seletivo. Tanto para
o pedido de reopção, quanto para o de remoção, o aluno tem de aguardar, pois as suas
possibilidades dependem da existência de vagas no curso pretendido.
Para obter a reopção ou remoção as seguintes condições são observadas, necessariamente:

a) requerimento do aluno dentro do prazo estabelecido no Calendário Acadêmico;


b) existência de vaga no curso ou turno pretendido;
c) rendimento acadêmico incluindo o processo seletivo;
d) deferimento do pedido pela coordenação do curso pretendido;
e) regularidade junto à Biblioteca, Gerência Financeira e Secretaria Acadêmica da
Faculdade Brasileira - UNIVIX.

O aluno que fez reopção está sujeito às adaptações curriculares que se fizerem necessárias,
aproveitando os estudos realizados com aprovação no curso de origem, desde que estejam em
consonância com o programa de disciplinas do currículo do curso a que está se candidatando.
Para tanto, o aluno deve solicitar, na Central de Atendimento, o aproveitamento dos estudos
realizados e a dispensa das disciplinas pertinentes.
Dessa forma, o aluno pode, durante um semestre letivo ou mais, ser dispensado de uma ou
mais disciplinas, mas também ter necessidade de adaptação de estudos. Define-se como
adaptação toda e qualquer disciplina da estrutura curricular da Faculdade Brasileira -
UNIVIX, situada em período anterior àquele em que o aluno ingressa na Faculdade Brasileira
- UNIVIX, por meio de processo de reopção.
Nesses casos, o cálculo do valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno obedece a
um dos seguintes critérios:

a) Quando houver dispensas e adaptações:

O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária


cursada. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ão)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se
as disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando e a(s) disciplina(s) em
adaptação.
O aluno que fez reopção deve cursar a(s) disciplinas(s) em adaptação de acordo com o
calendário definido pelo coordenador do curso e sempre na primeira oferta feita pela
Faculdade.
b) Quando houver somente dispensas:
O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária
cursada. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ão)

23
manualdoaluno2010

posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se as


disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando.
Enquanto o aluno se beneficiar de dispensa de disciplinas, o cálculo segue o critério definido
anteriormente neste item, considerando-se sempre como base a carga horária do período em
que o aluno está matriculado.

c) Quando houver somente adaptações:

O valor da parcela da semestralidade devida pelo aluno é proporcional à carga horária cursada
pelo aluno. A base de cálculo é a carga horária do semestre em que a(s) disciplina(s) está(ao)
posicionada(s) na estrutura curricular da Faculdade Brasileira - UNIVIX, considerando-se
as disciplinas cursadas no período em que o aluno está ingressando e a(s) disciplina(s) em
adaptação.

10 Avaliação do Rendimento Escolar1


A avaliação do rendimento escolar abrange a frequência regular às atividades de cada
disciplina e a verificação de rendimento. Quanto à frequência, já nos pronunciamos no item
5. Explicaremos, a seguir, como acontece a verificação de rendimento.
A VERIFICAÇÃO DE RENDIMENTO por disciplina, em cada semestre acadêmico, é composta
de 2 (duas) NOTAS BIMESTRAIS, e é apurada da seguinte forma:

A cada VERIFICAÇÃO DE RENDIMENTO é atribuída uma nota de 0 (zero) a 10 (dez),


admitindo-se uma casa decimal. Para obtenção da nota bimestral o professor pode submeter
os alunos às várias formas de verificação de rendimento escolar, tais como projetos, estágios,
relatórios, provas escritas, trabalhos de pesquisa individual ou em grupo, práticas de
laboratório e outras formas de verificação previstas no plano de ensino da disciplina.

10.1 Condições para Aprovação2


É considerado aprovado o aluno que obtiver:

I - Média Semestral (MS) igual ou superior a 7 (sete), obtida pelo cálculo da média aritmética
simples das avaliações sistematizadas em cada disciplina, no decorrer do semestre letivo, e
frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento);
II - Média Semestral (MS) igual ou superior a 8 (oito), obtida pelo cálculo da média aritmética
simples das avaliações sistematizadas em cada disciplina, no decorrer do semestre letivo, e
frequência igual ou superior a 50% (cinquenta por cento);
1 No caso dos alunos do curso de Administração Certificado FGV, o procedimento está descrito no item 11.8. Antes,
estes alunos devem atentar para o item 10.6, que dispõe sobre a aplicação de prova.
2 As condições para aprovação e reprovação dos alunos do curso de Administração Certificado pela Fundação Getúlio
Vargas estão no item 11.8.

24
manualdoaluno2010

III - Média Final (MF), igual ou superior a 5 (cinco), obtida pelo cálculo da média aritmética
ponderada entre a Média Semestral (MS), com peso 6 (seis) e a nota da prova final, com peso
4 (quatro), e frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento);
IV - Média Final (MF) igual ou superior a 8 (oito), obtida pelo cálculo da média aritmética
ponderada entre a Média Semestral (MS), com peso 6 (seis) e a nota da prova final, com peso
4 (quatro), e frequência igual ou superior a 50% (cinquenta por cento).
Para formulação das médias semestral e final a nota deve ser truncada, ou seja, é considerada
a primeira casa decimal sem arredondamento.
A ponderação tem por finalidade fazer com que os resultados obtidos durante o semestre
acadêmico preponderem sobre aqueles obtidos na avaliação final.

10.2 Condições para Reprovação


É considerado reprovado o aluno que, ao término do semestre acadêmico, não obtiver:

I – Média Semestral (MS) igual ou superior a 2 (dois) e frequência igual ou superior a 75%
(setenta e cinco por cento), não tendo direito a realizar a prova final;
II – Média Semestral (MS) igual ou superior a 6,7 (seis e sete décimos) e frequência igual ou
superior a 50% (cinquenta por cento), não tendo direito a realizar a prova final;
III – Média Final (MF) igual ou superior a 5 (cinco), após o cálculo da média aritmética
ponderada entre a Média Semestral (MS), com peso 6 (seis) e a nota da prova final, com peso
4 (quatro), e frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento);
IV – Média Final (MF) igual ou superior a 8 (oito), após cálculo da média aritmética ponderada
entre a Média Semestral (MS), com peso 6 (seis) e a nota da prova final, com peso 4 (quatro),
e frequência igual ou superior a 50% (cinquenta por cento).

25
manualdoaluno2010

10.3 Estudo de Caso

ALUNO X
Avaliações DISCIPLINAS
e A B C
Médias Nota Frequência Nota Frequência Nota Frequência
1ª. Bimestral 7,1 7,1 3,4
2ª. Bimestral 8,6 3,5
Substitutiva 2,5
Média
Semestral
(MS) = 7,8 5,3 2,9
(1ª BI + 2ª
BI)/2
(>= 7) >= 75% >= 75% >= 75%
Avaliação
Dispensado 4,7 2
Final (AF)
Média Final
(MF) =
5,0 2,5
(6*MS +
4*AF)/10
Avaliação
(>= 5) (< 5)
Final (AF)
Situação
Aprovado Aprovado Reprovado
Final

Considera-se aprovado na disciplina o aluno que:


Nota Frequência
Média Semestral >= 7 e >= 75%
>= 8 * e >= 50%
Ou
Média Final
>= 5 e >=75%

Considera-se reprovado na disciplina o aluno que obtiver :


Média Semestral < 2 Qualquer índice de frequência
Média Final < 5 Qualquer índice de frequência
Média final < 8 * Índice de frequência entre 50% e 75%
* Estes itens não se aplicam ao curso de Administração Certificado FGV.

26
manualdoaluno2010

10.4 Prova Substitutiva


A realização da PROVA SUBSTITUTIVA é garantida ao aluno que, por qualquer motivo,
tenha ficado impossibilitado de comparecer a uma verificação de rendimento escolar. A
PROVA SUBSTITUTIVA é um mecanismo que possibilita ao aluno repor a nota de apenas
uma avaliação durante todo o semestre.
No caso de o aluno faltar a mais de uma avaliação de rendimento, pode substituir apenas
uma delas, a critério do professor, e recebe nota zero nas demais.
O aluno pode requerer somente uma prova substitutiva por disciplina.
No prazo estabelecido no Calendário Acadêmico o aluno deve requerer na Central de
Atendimento a aplicação de prova substitutiva. Na oportunidade é cobrada do aluno uma
taxa cujo valor consta de uma tabela disponível na Central de Atendimento. Caso não haja
manifestação do aluno, é atribuída nota zero.
Após a solicitação do aluno, a PROVA SUBSTITUTIVA é aplicada no final do semestre,
abrangendo todo o conteúdo programático dos dois bimestres, conforme as datas
estabelecidas no Calendário Acadêmico.
A nota obtida na PROVA SUBSTITUTIVA equivale à nota da verificação de rendimento
escolar à qual o aluno não compareceu.
A taxa cobrada do aluno para realização da prova substitutiva só é devolvida, retendo-
se o percentual de 20% (vinte por cento) para cobertura de custos administrativos do
planejamento do serviço, se o aluno manifestar por escrito, por meio de requerimento feito
na Central de Atendimento, até 05 (cinco) dias úteis antes da data prevista para aplicação da
prova, sua intenção em não se submeter à referida prova (este item não se aplica aos alunos
do curso de Administração Certificado FGV).
O aluno que estiver cursando disciplina sob a forma de dependência não tem direito à prova
substitutiva, ressalvados os casos amparados na lei.
No caso de o aluno faltar à avaliação integrada (para os cursos que a adotarem), ele deve
fazer prova substitutiva de cada uma das disciplinas correspondentes ao período e deve
seguir as mesmas regras descritas acima.

10.5 Revisão de Provas


O aluno que discordar da nota que lhe foi atribuída nas Provas Substitutivas e nas Provas
Finais tem direito à revisão das mesmas.
Para assegurar esse direito, o aluno deve requerê-lo à Central de Atendimento, no prazo
máximo de 3 (três) dias úteis, contados da divulgação do resultado, conforme previsto em
calendário. A REVISÃO DE PROVA é realizada pelo professor da disciplina que, mediante
avaliação técnica, pode modificar a nota dada ou não. O aluno não concordando com

27
manualdoaluno2010

a decisão do professor, justificando sua discordância num prazo máximo de 3 (três) dias
letivos, pode solicitar à Central de Atendimento que sua prova seja submetida a nova revisão,
desta feita, avaliada por professor indicado pela Coordenação do Curso. Na oportunidade
é cobrada do aluno uma taxa cujo valor consta de uma tabela disponível na Central de
Atendimento e na Gerência Financeira.
Não há revisão de nota atribuída a avaliações práticas, gráficos de laboratórios, individuais
ou de grupos de alunos.

10.6 Da Aplicação de Prova


Os procedimentos para aplicação de provas estão descritos na portaria abaixo. Todos os
professores devem, sem exceção, seguir tais normas.

PORTARIA Nº 009 de 13 de outubro de 2008.

Estabelece orientação sobre a elaboração,


aplicação, correção de provas parciais
e devolução de resultados na Faculdade
Brasileira.

O Diretor da Faculdade Brasileira, credenciada pela Portaria/MEC nº 259, de 11 de fevereiro


de 1999, mantida pela Empresa Brasileira de Ensino, Pesquisa e Extensão SA - EMBRAE,
usando a competência que lhe foi delegada pelo Regimento Interno da Instituição, aprovado
pelo MEC em 25 de janeiro de 2002, visando aperfeiçoar a avaliação do processo ensino-
aprendizagem em sala de aula e a prevenção à prática da cola e tendo em vista Resolução
do Conselho Acadêmico em reunião do dia 10 de abril de 2008, resolve:

Art. 1º Adotar cabeçalho padrão para todas as provas aplicadas no âmbito da Faculdade
Brasileira em que constarão os seguintes avisos:

I - As provas serão feitas a caneta, obrigatoriamente, na cor azul ou preta;


II - Nas disciplinas quantitativas, os cálculos poderão ser a lápis, sem direito a
revisão, e os resultados intermediários e final serão, obrigatoriamente, a caneta;
III - Não é permitido o empréstimo de material escolar (caneta, lápis, borracha,
etc.) nem a troca de informações durante a prova;
IV - É expressamente proibido o uso de celular no recinto da prova, devendo os
celulares permanecerem em modo silencioso e guardados em bolsas, mochilas e
similares debaixo das carteiras;
V - Quem sair do recinto da prova para atender celular, ou por outro motivo, não
poderá retornar;

28
manualdoaluno2010

VI - No decorrer da prova, não serão permitidas saídas para o banheiro. Casos


especiais serão tratados com a devida excepcionalidade;
VII - Quaisquer informações sobre a modalidade de prova com ou sem consulta
estarão incluídas no próprio texto da prova;
VIII -só será permitida a saída de aluno do local de prova após 30 (trinta) minutos
do início da atividade.

Art. 2º aprovar as seguintes recomendações quanto à elaboração, aplicação de provas, bem


como devolução dos resultados aos alunos:

§ 1º Quanto à elaboração:

I - elaborar provas, conforme os objetivos previstos para os conteúdos a serem


avaliados, evitando a simples “reprodução/cópia” dos materiais didáticos vistos
em sala de aula que ensejam apenas a memorização mecânica;
II - Dar preferência ao uso de prova mista, englobando questões objetivas e
discursivas e, na medida do possível, organizar e/ou redigir questões de forma
diferenciada, dificultando que o aluno possa se apropriar de respostas de colegas
mais próximos;
III - Respeitando o projeto pedagógico de cada curso e o planejamento didático de
cada professor, procurar elaborar provas com caráter interdisciplinar;
IV - Ter cuidado ao elaborar a chave de correção, mesmo dos assuntos do seu mais
absoluto domínio, gerando um documento precioso, previamente estabelecido,
que será de grande utilidade ao professor para dirimir dúvidas futuras.

§ 2º Quanto à aplicação:
I - Criar durante a prova um clima tranquilo que enseje a reflexão e a elaboração
do conhecimento dos alunos, garantindo o cumprimento das diretivas incluídas no
cabeçalho padrão;
II - Não permitir, em hipótese alguma, a entrada de aluno atrasado após a saída de
alguém que já tenha entregue a prova;
III - Lembrar sempre que a organização da sala em dia de prova é parte de
responsabilidade do professor que, caso considere necessário, poderá indicar
antes da prova e/ou mudar no decorrer da mesma a posição em que os alunos
devam se assentar.
IV - Casos de flagrante cola deverão ser comprovados no ato com a anexação da
prova, material e/ou o arrolamento de testemunhas. A ocorrência será lavrada na

29
manualdoaluno2010

Ata de Prova e entregue à Coordenação de Curso que encaminhará o assunto ao


setor competente.
V - Outras ocorrências serão igualmente lavradas na Ata de Prova e encaminhadas
à Coordenação de Curso que decidirá se as enviará ou não ao setor competente;

Art. 3º Quanto à devolução dos resultados:


I - Fazer a correção da prova, conforme a chave de correção previamente
elaborada;
II - Permitir que o aluno tome conhecimento de sua prova em sala de aula, fazendo
os comentários pertinentes para que entenda os pontos da matéria em que pode
melhorar. O professor poderá entregar definitivamente a prova ou solicitá-la, em
vista das características da matéria que ministra;
III - Caso o professor fique com as provas, deverá arquivá-las durante todo o
semestre;
IV - Sem necessidade de recorrer ao coordenador, aceitar, neste momento, a revisão
de provas ou definir critérios de solicitação de revisão das avaliações parciais,
conforme sua metodologia de trabalho;
V - Manter um prazo máximo de 15 dias para devolução dos resultados, visto que,
passado este período, a avaliação começa a perder o sentido, na medida em que o
aluno não poderá perceber os pontos em que precisa melhorar;
VI - Com a finalidade de evitar possíveis questionamentos, por parte dos alunos,
sobre questões ou parte de questões que não teriam sido corrigidas, obliterar todas
as linhas e espaços em branco, após a correção;
VII - No caso de o professor reter a avaliação do aluno, o mesmo assinará atestando
ciência da nota.

Art. 4º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua aprovação, revogadas as disposições
em contrário.

Prof. Dr. Alexandre José Serafim,


Diretor da Faculdade Brasileira

30
manualdoaluno2010

CABEÇALHO PADRÃO DE PROVAS


NÚMERO DE MATRICULA:_______________________________
NOME:_______________________________________________
CURSO:______________________________________________
NOTA
DISCIPLINA:__________________________________________
DATA:____/____/_____

1- As provas serão feitas a caneta, obrigatoriamente, na core azul ou preta.

2 - Nas disciplinas quantitativas, os cálculos poderão ser a lápis, sem direito à revisão, e os
resultados intermediários e final serão, obrigatoriamente, a caneta;

3 - Não é permitido o empréstimo de material escolar (caneta, lápis, borracha etc.) e a troca
de informações durante a prova.

4 - É expressamente proibido o uso de celular no recinto da prova, devendo os celulares


permanecerem em modo silencioso e guardados em bolsas, mochilas e similares debaixo
das carteiras.

5 - Quem sair do recinto da prova para atender celular, ou por outro motivo, não poderá
retornar.

6 - No decorrer da prova, não serão permitidas saídas para o banheiro. Casos especiais serão
tratados com a devida excepcionalidade.

7 - Só será permitida a saída de aluno do local de prova após 30 (trinta) minutos do início
da atividade.

10.7 Do plantão de atendimento:


O aluno tem o direito de saber as notas de suas avaliações e entender os motivos de seus erros. Em
relação às provas parciais, entretanto, o professor pode reter, após ciência do aluno, as avaliações
escritas, não sendo obrigado a devolvê-las em definitivo.
Quanto às provas finais e substitutivas, a instituição possui, de acordo com a Resolução 01/2009, de
05 de novembro de 2009, um plantão de atendimento de professores, conforme previsto no Calendário
Acadêmico, para que o aluno tenha acesso ao conteúdo de sua avaliação e compreenda a nota que lhe
foi atribuída. As revisões de prova seguem as regras dispostas na seção 10

31
manualdoaluno2010

11 Dependência3

11.1 Definição
DEPENDÊNCIA refere-se à situação acadêmica em que o aluno regularmente matriculado
em uma disciplina fica reprovado, por nota ou por frequência. Trancamentos intermediários,
desistências, com perda de disciplina não configuram direito à dependência.

Vale ressaltar que é do próprio aluno a responsabilidade sobre o acompanhamento de notas,


frequência, cumprimento de prazos, exigências burocráticas, financeiras e acadêmicas,
inclusive prazos de conclusão de curso.

A DEPENDÊNCIA é a disciplina ofertada pela Instituição, em período letivo (semestre),


horário, local e data definidos por ela, para os alunos que estejam em uma das situações
definidas no item 11.2. A dependência é ofertada de acordo com a disponibilidade da
Instituição, que escolhe o melhor semestre para que aconteça. Dessa forma, é possível
que a dependência não ocorra no semestre seguinte à reprovação. O aluno deve cursar a
disciplina em dependência na primeira oferta dessa disciplina feita pela Instituição, após sua
reprovação.

11.2 Podem Requerer Dependência


a) Alunos reprovados em semestres acadêmicos anteriores, por nota ou por frequência.
b) Alunos oriundos de transferência, de reopção e de novo curso, realizando adaptação de
estudos cujas disciplinas estejam situadas em períodos anteriores ao efetivo enquadramento
no curso, baseados em parecer favorável do Coordenador do Curso.
Quaisquer decisões sobre situações específicas dos alunos são tomadas pelo Coordenador
do Curso, ouvida a Coordenação de Graduação.

11.3 Matrícula em Dependência


Quando da RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA semestral prevista no Calendário Acadêmico, o
aluno que desejar matricular-se em alguma disciplina em regime de dependência e desde
que a disciplina esteja sendo oferecida nesta modalidade deve expressá-lo na sua proposta
de estudo, na RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA.

11.4 Modalidades de Oferta


1. Curso de verão – com carga horária totalmente presencial ou parcialmente presencial (50%).
2. Durante o semestre letivo – com carga horária totalmente presencial ou parcialmente presencial (50%).
3 Este item não se aplica aos alunos do curso de Administração Certificado FGV. Vide item 11.8. Quando reprovado,
o aluno cursará a disciplina normalmente no semestre seguinte, com a turma regular.

32
manualdoaluno2010

3. Oferta regular – com carga horária total presencial.


Fica a critério da coordenação do curso a definição da carga horária, se totalmente presencial
ou parcialmente presencial, e em qual modalidade de oferta cada aluno deve cursar a
disciplina.
O aluno em DEPENDÊNCIA com carga horária parcialmente presencial não tem direito à
prova substitutiva, ressalvados os casos amparados na lei. No regime de dependência são
observadas as mesmas regras do ensino regular para o planejamento, desenvolvimento das
ações e a verificação do rendimento escolar. Caso o aluno não consiga média cinco após
a prova final, fica reprovado e cursa novamente a disciplina sob a forma regular ou em
dependência, conforme a oferta da Instituição no semestre imediatamente subsequente.
Admite-se que o aluno seja reprovado na dependência e aprovado em disciplina regular
que tenha a DEPENDÊNCIA como requisito dependendo da aprovação da Coordenação de
Curso.

11.5 Operacionalização
Os colegiados dos cursos de graduação da Faculdade Brasileira - UNIVIX definem as
disciplinas que são ofertadas nas três modalidades. Cabe da mesma forma aos colegiados
de cursos definirem as disciplinas e/ou atividades que não podem ser cursadas em regime
de dependência.
A oferta durante o semestre acontece, preferencialmente, ao longo da semana em turno
diferente do cursado pelo aluno.
As disciplinas ofertadas em curso de verão não são ofertadas ao longo do semestre.
Os cursos de verão são ministrados por professor especificamente contratado para esse
fim, orientado pelo professor da Faculdade Brasileira - UNIVIX responsável pela disciplina.
As avaliações devem constar de provas elaboradas pelo professor da disciplina, que faz a
revisão da correção após a aplicação e correção pelo professor contratado.
O número mínimo de alunos por turma para a oferta com carga horária totalmente presencial
é de 10 (dez) alunos e com a carga horária parcialmente presencial (cinquenta por cento) da
disciplina é de 05 (cinco) alunos.
A oferta de disciplina em dependência só é oficializada cumpridas as condições estipuladas
acima.
O aluno cursando, em oferta regular, a disciplina em que ficou reprovado, deve acatar as
normas de frequência e rendimento adotadas nesta modalidade de oferta.

33
manualdoaluno2010

11.6 Da Aprovação em Disciplina em Dependência


O aluno que não alcançar média 5.0 (cinco) após a prova final fica reprovado e cursa
novamente a disciplina sob a forma regular ou em dependência, mediante parecer da
Coordenação do Curso e aprovação da Coordenação de Graduação.

11.7 Dos Efeitos Financeiros


O valor e o número de parcelas referentes à disciplina em dependência estão disponíveis
numa tabela na Gerência Financeira. O aluno, ao se matricular em dependência, reconhece
a dívida referente à(s) disciplina(s) a ser(em) cursada(s) nesta modalidade, por meio da
assinatura da RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA, obrigando-se a quitá-la de forma integral no
número de parcelas definidas pela Instituição, independentemente do resultado obtido nas
verificações de rendimento ou de desistência ao longo do semestre.
No caso de alunos em situação de dependência em uma ou mais disciplinas, e na
impossibilidade da existência do mínimo de 10 (dez) alunos para a oferta integral da
disciplina e do mínimo de 05 (cinco) alunos para a oferta com 50% (cinquenta por cento) da
carga horária da disciplina, os mesmos assumem o ônus referente ao custo da modalidade
da oferta.

11.8 Para o curso de Administração Certificado FGV
O aluno deve ter Média Final (MF) igual ou superior a 5,0 (cinco) numa escala de 0 a 10
para ser aprovado na disciplina. No caso de aprovação este status deve constar do histórico
escolar do aluno como Aprovado por Média e, caso contrário, Reprovado por Média.
Existe apenas uma Prova Substitutiva ou Suplementar (PS) no Período.
O aluno que faltar as duas provas presenciais mínimas exigidas é reprovado por média e
sua Média Final permanece igual à Média Ponderada das Avaliações do Período ou Média
Semestral (MS) descrita abaixo.
Ao aluno é facultado o direito de pedido de revisão de prova. Em primeira instância esta
revisão é efetuada pelo professor titular da disciplina. Caso o aluno não concorde com a
revisão realizada pode requerer uma banca formada pelo coordenador de curso e outros
dois professores do corpo docente, para em segunda instância reverem a prova. O aluno não
tem direito ao pedido de revisão para provas realizadas total ou parcialmente a lápis.
O aluno tem diversos tipos de avaliação durante o período letivo. No mínimo duas destas
avaliações devem ser obrigatoriamente provas presenciais individuais (aqui chamadas P1 e
P2 para facilitar a leitura do modelo abaixo). São sugeridas enfaticamente outras avaliações
como, por exemplo, trabalhos de pesquisa, exercícios, trabalho extracurricular, participação
em sala de aula, projetos (em grupo) finais interdisciplinares, etc. Cada uma destas avaliações
tem uma ponderação na avaliação do aluno, podendo variar de disciplina para disciplina
34
manualdoaluno2010

conforme a orientação da coordenação de curso e/ou do professor da disciplina. A P2 deve


ter ponderação de 60% do total da MS, já que as provas devem ter caráter cumulativo. A P1
e demais avaliações devem ter ponderação de 40% do total da MS.
O cálculo da média das avaliações do período ou média semestral (MS) é efetuado da
seguinte maneira:

MS= 4 x P1 + 6 x P2
10

onde:
P1= nota das avaliações do primeiro bimestre, referente às avaliações locais (provas,
trabalhos, testes, participação em sala de aula).
P2= nota do segundo bimestre, referente à prova nacional da FGV.

Caso a MS seja igual ou superior a 7,0 (sete) o aluno é aprovado por média e sua Média Final
da disciplina é igual à MS.

Caso a MS seja inferior a 4,0 (quatro) o aluno é reprovado por média e sua Média Final da
disciplina é igual à MS.

Caso a MS seja igual ou superior a 4,0 (quatro) e inferior a 7,0 (sete) o aluno não é aprovado
por média, devendo fazer a Prova Substitutiva ou Suplementar (PS) e sua Média Final (MF) é
igual à nota obtida na PS. Caso a nota da PS seja inferior a 5,0 (cinco) o aluno é reprovado
e se for igual ou maior que 5,0 (cinco) o aluno é aprovado.

No caso de o aluno faltar a uma das provas presenciais individuais (P1, P2) o mesmo deve
obrigatoriamente fazer a Prova Substitutiva ou Suplementar (PS). A nota obtida pelo aluno é
utilizada como se fosse a obtida na prova não realizada, sendo utilizada também no cálculo
da Média de Avaliações do Período ou Média Semestral (MS). Caso a MS seja igual ou
superior a 7,0 (sete) o aluno é aprovado por média e sua Média Final da Disciplina é igual
a MS. Caso a MS seja inferior a 4,0 (quatro) o aluno é reprovado por média e sua Média
Final da Disciplina é igual à Média Semestral (MS). Caso a MS seja igual ou superior a 4,0
(quatro) e inferior a 7,0 (sete) a Média Final (MF) é igual à nota obtida na Prova Substitutiva
ou Suplementar (PS). Se a MF (nota da PS) for igual ou superior a 5,0 (cinco) o aluno está
aprovado, caso contrário o aluno está reprovado.

35
manualdoaluno2010

12 Representantes de Turma
São eleitos, anualmente, 1 (um) representante titular e 1 (um) representante suplente de
cada turma dos cursos de graduação. O critério de escolha de tais representantes fica à livre
decisão da turma.
O representante de turma é um elo de ligação significativo entre as turmas e os setores
acadêmico-técnicos em seus diversos níveis. Os problemas apresentados pelas turmas
devem ser tratados pelo Representante com o Coordenador de Curso para as providências
devidas a cada caso.

13 Disciplina de Libras
A Faculdade Brasileira - UNIVIX oferece como disciplina optativa para todos os cursos, a
disciplina de libras. As condições para o oferecimento desta disciplina são:
1. haver pelo menos 20 alunos matriculados, para que a oferta seja viabilizada;
2. sendo uma atividade optativa, em alguns cursos tem registro no histórico do aluno e em
outros cursos conta como atividade complementar;
3. o valor desta atividade é informado pela Central de Atendimento;
4. se o aluno reprovar na disciplina, não é obrigado a repeti-la, pois pode fazer outra optativa
ou não fazer nada, caso sua pretensão fosse usá-la como atividade complementar. Caso
repita, a disciplina tem oferta regular e carga horária integral e como tal deve ser paga.

14 Estágio Curricular
O estágio curricular é a atividade de aprendizagem social, profissional e cultural
proporcionada ao aluno pela participação em situações reais de vida e trabalho em seu
meio, podendo ser realizada junto a pessoas jurídicas de direito público e privado, órgãos da
administração pública direta, autárquica e fundacional de qualquer dos Poderes da União,
Estados e Municípios, bem como por profissionais liberais de nível superior, devidamente
registrados em seus respectivos conselhos de fiscalização profissional.
O desenvolvimento de atividades práticas é fundamental para a complementação curricular.
É nesta etapa da vida acadêmica que se conciliam os conhecimentos teóricos, obtidos em
sala de aula, com a realidade do mercado de trabalho.

14.1 Documentação
A caracterização e formalização do estágio supervisionado curricular obrigatório ou não
obrigatório são definidas por meio de dois documentos, conforme exposto na Lei 11.788, de

36
manualdoaluno2010

25 de dezembro de 2008, assim como pelas diretrizes estabelecidas na Resolução CNE/CEB


nº. 1, de 21 de janeiro de 2004. Os documentos são os seguintes:

- Convênio assinado entre a empresa (parte concedente do estágio) e a Faculdade Brasileira


- UNIVIX;
- Termo de Compromisso, documento celebrado entre o aluno, a empresa (parte concedente
do estágio) e a Faculdade Brasileira - UNIVIX.

Toda e qualquer atividade de estágio é sempre curricular e supervisionada, e é assumida


pela Instituição de Ensino. Para efetivar o processo de supervisão, a empresa concedente de
estágio deve ter no local e horário onde ocorre o estágio um profissional formado na mesma
área do aluno, para supervisionar as atividades desenvolvidas.
Para que a Faculdade Brasileira - UNIVIX possa elaborar e assinar a documentação exigida,
o aluno regularmente matriculado e frequentando o curso compatível com a modalidade
de estágio que pretende desenvolver, deve retirar na Central de Atendimento o formulário
“Relação de Dados a serem informados pela Empresa para Efetivação de Convênio e Contrato
de Estágio”. Todos os dados solicitados neste formulário devem ser obrigatoriamente
preenchidos.
Em seguida, o aluno deve retornar com todas as informações pedidas no formulário à Central
de Atendimento e solicitar, por meio de requerimento, a elaboração da documentação
(Convênio e Termo de Compromisso).
O aluno deve verificar com a Coordenação de Curso a partir de qual período do curso ele
pode fazer estágio supervisionado obrigatório ou não obrigatório.
A solicitação para a confecção do CONVÊNIO DE ESTÁGIO E TERMO DE COMPROMISSO
na Central de Atendimento deve ser feita antes do aluno iniciar o estágio na empresa
concedente, com vistas a atender as exigências da legislação pertinente.
A carga horária de estágio supervisionado não pode exceder a jornada diária de 6 horas,
perfazendo 30 horas semanais. A jornada do estágio para os alunos da Faculdade Brasileira
- UNIVIX deve ser diurna e compatível com a jornada escolar.
A Faculdade Brasileira - UNIVIX não homologa estágios noturnos e nos finais de semana.

14.2 Relatório de Estágio Curricular


O aluno que está em fase de estágio deve, obrigatoriamente, entregar RELATÓRIO DE
ATIVIDADES BIMESTRAIS (a cada dois meses) desenvolvidas na empresa, para análise e
deferimento das horas da disciplina de estágio supervisionado, durante todo o período do
estágio.
37
manualdoaluno2010

A entrega de relatórios de atividades com defasagem igual ou maior a trinta dias incorre no
cancelamento do estágio.
O relatório deve ser entregue na Central de Atendimento por meio de requerimento. O
cumprimento da carga horária relativa a estágio supervisionado obrigatório existente na
estrutura curricular do curso está condicionado, dentre outras exigências ao atendimento
das seguintes atividades:

– Convênio e Contrato de Estágio assinados, regulamentando as condições de realização


do estágio;
– Entrega de todos os relatórios de atividades para análise;
– Deferimento dos relatórios pela Coordenação de Curso;

14.3 Renovação de Contrato de Estágio – Aditivo de Contrato


A empresa concedente interessada em renovar o período de estágio do aluno deve requerer
formalmente o ADITAMENTO DO CONTRATO DE ESTÁGIO à Faculdade. No pedido de
aditamento deve constar: nova data de término do estágio, número do seguro, atividades
a serem desenvolvidas, nome e graduação do supervisor do estágio na empresa, plano de
atividades de estágio a serem desenvolvidas.
A Faculdade Brasileira - UNIVIX providencia o aditamento do contrato de estágio, desde
que o aluno satisfaça as seguintes exigências: 1. esteja regularmente matriculado; 2. tenha
entregue todos os relatórios do período de estágio; 3. os relatórios tenham sido deferidos
pela Coordenação; 4. tenha entregue a via do Contrato e Convênio de Estágio à Faculdade.

14.4 Programa de Estágio Supervisionado


As condições e critérios para a realização do Estágio Supervisionado, conforme as
peculiaridades e exigências de cada curso estão disponíveis no sítio da Faculdade Brasileira
- UNIVIX (www.univix.br), ícone “estágio supervisionado”.

14.5 Cobrança de Estágio Supervisionado


A cobrança do estágio supervisionado acontece no(s) semestre(s) determinado(s) na estrutura
curricular. Caso o aluno fique reprovado, é cobrado novo valor, tal como ocorre nas demais
disciplinas.

15 Exame Especial – Extraordinário Aproveitamento Discente4


Para melhor esclarecer esta norma acadêmica, transcrevemos a seguir o parágrafo segundo
do artigo 47 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação:
4 Para os alunos que se candidatarem ao curso de Administração Certificado FGV, as provas nacionais (P2) das
respectivas disciplinas podem corresponder ao exame especial.

38
manualdoaluno2010

“Os alunos que tenham extraordinário aproveitamento nos estudos, demonstrado por meio
de provas e outros instrumentos de avaliações específicos, aplicados por banca examinadora
especial, podem ter abreviada a duração dos seus cursos, de acordo com as normas dos
sistemas de ensino”.
Essa norma permite que o aluno regularmente matriculado em um curso da Faculdade
Brasileira - UNIVIX que comprove o domínio do conteúdo de uma ou mais disciplinas
solicite permissão para Exame Especial a ser realizado perante banca examinadora até o
20º dia letivo do semestre acadêmico. Caso seja aprovado, pode abreviar a duração de seu
curso.
Para obter essa permissão o aluno deve:

a) requerer, na Central de Atendimento, Exame Especial numa disciplina de seu Curso,


dentro do prazo estabelecido no Calendário Acadêmico. No requerimento, o aluno deve
explicitar claramente as razões que o levaram a requerer o Exame Especial;
b) pagar a taxa correspondente ao Exame Especial cujo valor consta de uma tabela disponível
na Gerência Financeira;

O aluno é considerado aprovado nessa disciplina se obtiver na avaliação específica do


Exame Especial nota igual ou superior a 80% (oitenta por cento) do valor máximo atribuído
à avaliação.

Esse direito está vedado aos alunos que tenham sido reprovados por nota ou por faltas
na Faculdade Brasileira - UNIVIX ou em outra IES (no caso dos transferidos) na disciplina
referente à qual desejariam o Exame Especial.
O aluno do curso de Administração Certificado FGV que fizer o exame especial tem sua
inclusão ou permanência no programa de certificação condicionada à validação de um
total de cinco disciplinas cursadas em cursos não certificados pela FGV ou dispensadas
por meio de exame especial. Para essa validação o aluno deve fazer uma prova para cada
disciplina, que é validada pela FGV se obtiver uma nota igual ou superior a sete. O aluno
inserido no programa de certificação que não validar suas disciplinas ou superar o limite
de cinco disciplinas a serem validadas deve atender a duas exigências: a) cursar no mínimo
50% das disciplinas da estrutura curricular num curso de Administração Certificado FGV;
b) e obter nota igual ou superior a sete numa prova nacional referente a todo o conteúdo
do curso, realizada após a conclusão de todas as disciplinas referentes à estrutura curricular
do curso.
39
manualdoaluno2010

16 Regulamento de Trabalhos Acadêmicos


O regulamento para elaboração de trabalhos acadêmicos devem orientar as produções
acadêmicas dos cursos da Faculdade Brasileira, conforme Resolução nº 03/2009, de 05 de
novembro de 2009.
Em relação ao trabalho de conclusão do curso, o aluno deve assinar o “Termo de Ética e
Responsabilidade”, nos seguintes termos: “Assumo total responsabilidade pela autoria deste
trabalho, visto que todas as referências de terceiros nele utilizadas foram rigorosamente
citadas conforme as normas da ABNT, Vancouver ou APA”. O trabalho deve ser elaborado
pessoalmente pelo aluno, sendo que qualquer irregularidade na elaboração é considerada
falta grave, tal como disposto na portaria nº 006, de 07 de julho de 2008.

17 Colação de Grau
A COLAÇÃO DE GRAU é o ato oficial da conclusão do curso de graduação realizado em
sessão solene e pública, em dia e horário previamente fixados pela Direção.
Para o aluno colar grau é necessário:

a) cumprir o currículo do curso;


b) cumprir o tempo mínimo de integralização do curso;
c) estar em dia com a documentação na Secretaria Acadêmica;
d) estar em dia com a Biblioteca e com as eventuais taxas acadêmicas;
e) comparecer à solenidade na data fixada pela Direção;
f) não ter nenhuma pendência acadêmica, seja com estágios, trabalhos de conclusão de
curso, disciplinas e/ou atividades complementares.
g) após cumprir todas as suas obrigações, fazer um requerimento de sua colação de grau
junto à Central de Atendimento, imediatamente após a entrega de todos os seus resultados.
Os alunos que não comparecem à solenidade de colação de grau podem requerer junto à
Central de Atendimento, mediante justificativa e recolhimento da taxa devida, a COLAÇÃO
DE GRAU em data especial. Nesse caso, a data da colação de grau é definida pela Direção
da Faculdade Brasileira - UNIVIX.

Obs.: no caso de colação de grau em data especial, cabe exclusivamente à Direção agendar a data.

17.1 Orientações sobre Colação de Grau

1. O local, a data e a hora da COLAÇÃO DE GRAU são definidas pela Direção da Faculdade
Brasileira - UNIVIX.

2. A data da cerimônia de COLAÇÃO DE GRAU geralmente é fornecida pela Direção com


18 a 24 meses de antecedência. Quanto ao local, há uma pré-reserva do salão, podendo

40
manualdoaluno2010

haver modificação, a critério da Direção, em tempo hábil para ser incluído nos convites.

3. Por decisão do Conselho Acadêmico da Faculdade Brasileira - UNIVIX, somente participam


da cerimônia de COLAÇÃO DE GRAU os alunos que efetivamente concluem o curso
(incluindo-se aí trabalho de conclusão de curso, estágio supervisionado e dependências).

4. A Comissão de Formatura, tão logo seja constituída pelos alunos, deve ser registrada
na Central de Atendimento, fornecendo nomes, telefones de contato e ano previsto para a
formatura.

5. A Vice-Diretora Acadêmica (Profª. Marlene Strauch Serafim) está à disposição das


Comissões de Formatura para reuniões. Para tanto basta agendar com a secretária da
Direção.

6. A Vice-Diretora, sempre que necessário, solicita reunião com as Comissões. No caso de


não haver Comissão de Formatura constituída, o contato se faz com os líderes de turma.

7. Em caso de pedidos de COLAÇÃO DE GRAU em data especial, fica a critério da Direção


marcar a data e o horário da cerimônia, desde que a solicitação seja deferida.

8. O aluno que solicitar COLAÇÃO DE GRAU em data especial tem que fazer o requerimento
com o prazo máximo de até 30 dias antes do término do semestre, pagando taxa a ser
informada pela Central de Atendimento e apresentando no momento da solicitação um
dos seguintes documentos comprobatórios: aprovação em concurso público; aprovação
em processo seletivo de qualquer natureza; aprovação em processo seletivo para ascensão
de carreira; comprovante de mudança de estado ou país; documentação comprovando a
participação de intercâmbio.

17.2 Diploma
A Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) é o órgão instituído pelo Ministério da
Educação para registrar os diplomas de todos os cursos superiores concluídos em faculdades
no Espírito Santo. A Faculdade Brasileira - UNIVIX oferece gratuitamente o diploma simples,
conforme mostruário disponível na Central de Atendimento, sendo que o aluno tem que
pagar a taxa da UFES referente ao registro de diploma. Caso o aluno queira requerer diploma
em pergaminho, deve pagar uma taxa extra.
Não é oferecida a opção em opaline.

41
manualdoaluno2010

Caso o aluno não faça o requerimento para a confecção do diploma, atrasa o registro do
mesmo.
De acordo com a Portaria nº 1, de 9 de março de 1982, o aluno tem direito a 2ª via do Diploma
tanto por motivo de extravio, como por danificação do original. No caso de danificação,
deve anexar ao requerimento o diploma danificado. No caso de perda ou extravio, deve
anexar ao requerimento uma declaração do próprio interessado, contendo nome completo,
endereço e cópia autenticada da carteira de identidade e do CPF, com assinatura e firma
reconhecida em cartório.
A 2ª via do diploma expedido traz os dados usuais, apenas tendo com destaque, no anverso
e no verso, a expressão “2ª. VIA”, e é registrado de acordo com o mesmo procedimento
usado para requerer a 1ª via.

18 Biblioteca
A Biblioteca da Faculdade Brasileira - UNIVIX possui seu espaço físico distribuído em dois
pavimentos no bloco II, totalizando sua área física em setecentos e setenta e três metros
quadrados. No térreo encontram-se o acervo de livros, setor de empréstimo, reserva e
devolução de livros, guarda-volumes e setor de reprografia. No primeiro piso encontram-se
setor de multimídia, periódicos, seminário, cabines coletivas, espaço de estudo individual,
sala técnica e coordenação.

Objetivo:
Fornecer suporte informacional ao ensino, pesquisa e extensão a toda comunidade,
coordenando e estabelecendo políticas, procedimentos técnicos e administrativos.

Cadastro:
Podem inscrever-se como usuários da Biblioteca membros do corpo docente, discente,
monitores, técnico-administrativos e estagiários registrados na Instituição. Para a inscrição é
necessária a apresentação de um documento de identidade. 

Horário de atendimento:
Segunda a Sexta-feira: 7:30 às 22:00 horas
Sábado: 8:00 às 13:00 horas

Acervo:
É formado por livros, referência, periódicos, monografias, dissertações, teses, normas
técnicas, dicionários, bibliografias, guias, anuários, fitas de vídeo, Dvds, CD´s entre outros.

Empréstimo:
As obras que compõem o acervo estão à disposição dos usuários obedecendo a política de
empréstimo da Biblioteca descrita abaixo:

42
manualdoaluno2010

- O material emprestado para consulta em domicilio deve ser devolvido na data determinada,
nas mesmas condições de conservação em que foi recebido.
- O atraso na devolução da obra incide em cobrança de multa (inclusive finais de semana
e feriados).
- A não devolução do material na data estipulada implica em multa de R$ 2,00 (dois reais)
ao dia, por obra em atraso.
- Caso a devolução não seja feita em até uma semana de atraso, a multa é progressiva a cada
intervalo de 10 dias sendo acrescida em valor dobrado.
- Completados 30 (trinta) dias de atraso na devolução, a Biblioteca encaminha ao financeiro
memorando informando o valor do livro que é cobrado no boleto da parcela de semestralidade
do aluno inadimplente.
- A multa deve ser paga no setor Financeiro da Faculdade.
- O usuário com obras em atraso fica impedido de novos empréstimos.
- O usuário afastado do empréstimo por atraso na devolução de obras presentes no acervo,
tem sua situação regularizada somente com apresentação do recibo de pagamento.

Categoria de Período de Fitas de Período de


Monografias Livros
Usuário Empréstimo vídeo Empréstimo
Alunos de
Graduação, Ensino, 7 dias
Consulta virtual 05 obras
funcionários e
bolsistas/ trabalho

Alunos de Pós-
Graduação, 02 02 Dias
bolsistas/ Pesquisa Consulta virtual 06 obras 15 dias
e alunos em
elaboração de TCC

Professores Consulta virtual 07 obras 15 dias

- O usuário pode renovar o empréstimo por igual prazo, desde que não haja reserva das
obras retiradas.
- Podem ser feitas reservas, realizadas diretamente pelo usuário via web, utilizando seu
número de identificação e senha. A obra reservada fica à disposição do usuário pelo prazo
de 24 horas após a devolução. No final deste prazo, a reserva é anulada.
- A justificativa de atraso na entrega de material bibliográfico, por impossibilidade de acesso
à renovação do empréstimo online, não é aceita na biblioteca. Neste caso, o usuário deve

43
manualdoaluno2010

comparecer à Biblioteca para renovação.


- O usuário é responsável pelas obras em seu poder com a obrigação de devolvê-las dentro
do prazo fixado.
- É expressamente vetado ao usuário fazer anotações nos volumes sob sua responsabilidade.
A transgressão desta norma obriga o usuário a substituir o volume anotado ficando sujeito a
outras penalidades.
- Uma vez danificado ou perdido qualquer volume em poder do usuário, deve este,
obrigatoriamente, substituí-lo ou indenizar de imediato a Biblioteca.
- Caso o volume perdido esteja esgotado, o usuário faz reposição ao acervo por outra obra
de igual conteúdo.
- Os dias de férias escolares são computados para o efeito da contagem dos dias de atraso na
devolução. As penalidades correspondentes são aplicadas no momento da devolução.
- Quaisquer outras faltas, além das previstas, são submetidas à Diretoria e coordenação da
Biblioteca, que recomenda as penalidades cabíveis em cada caso.

Serviços:
Catalogação na Fonte: Este serviço é executado pelo bibliotecário e consiste na elaboração
de ficha catalográfica de obras a serem publicadas pela Instituição.
Comutação Bibliográfica: permite que o usuário, caso seja de seu interesse, solicite
bibliografia nacional ou estrangeira não encontrada no acervo da biblioteca.
Orientação Bibliográfica: são oferecidas informações aos usuários das aplicações das
normas bibliográficas em trabalhos acadêmicos.
Serviço de Disseminação da Informação: consiste no envio de cópias dos sumários dos
periódicos adquiridos pela Biblioteca às Coordenações de Curso, para circulação entre
docentes.
Empréstimo Domiciliar: o empréstimo domiciliar é um serviço exclusivo para alunos,
professores e funcionários, e permite a retirada de material bibliográfico por período pré-
determinado. O empréstimo é realizado por meio de apresentação de documento com foto,
carteira de estudante ou crachá funcional.
Serviço de Referência: presta orientação aos usuários na consulta dos recursos informacionais
disponíveis.
Padrões de Uso da Biblioteca:
É de suma importância a manutenção do silêncio no ambiente de estudo, nas dependências
das cabines de estudos coletivos ou individuais.
Informamos que não é permitida a entrada de bolsas, mochilas, fichários, sacolas ou similares
nas dependências da Biblioteca. Todo material deve ser deixado nos guarda–volumes

44
manualdoaluno2010

localizados no primeiro piso.


As obras consultadas no período de estudo devem ser deixadas sobre as mesas para coleta
de dados estatísticos.
Não é permitido aos usuários nas dependências da Biblioteca: uso de telefone celular,
alimentar-se ou ingerir líquidos, fumar, ou qualquer atividade que não seja de cunho
acadêmico.

Atos de indisciplina:
O usuário que cometer falta grave (agressão com palavras e ou gestos), depredar o patrimônio
da Biblioteca e outros casos não previstos é advertido por escrito por meio de Boletim de
Ocorrência (BO) e encaminhado à Direção.
O usuário que comprometer a manutenção do silêncio na Biblioteca deve ser advertido
verbalmente e/ou por escrito pela coordenação do setor.

19 Laboratório de Informática
19.1 Horário
O laboratório de Informática da Faculdade Brasileira - UNIVIX funciona nos turnos da
manhã, tarde e noite, no horário das 7:00 às 22:20, sempre com um funcionário e um
monitor disponíveis para dirimir eventuais dúvidas e/ou problemas de utilização.

19.2 Equipamentos
Atualmente a Faculdade Brasileira - UNIVIX conta com três laboratórios para atender aos
cursos existentes, sendo um apenas para pesquisa. Os laboratórios têm uma distribuição de
máquinas da seguinte forma: Laboratório I com 30 micros, Laboratório II com 61 micros
e Laboratório III com 51 micros. Os Laboratórios II e III contam com aparelhagem de som
e projetor fixo. Em todos os laboratórios os micros estão ligados em rede com acesso à
Internet. Este acesso hoje está contando com um total de 5 Mbps.
19.3 Softwares
Todos os laboratórios possuem serviço de acesso à Internet, softwares básicos (editores de
texto, planilhas eletrônicas, etc.) e antivírus, todos devidamente licenciados pela Microsoft
e TREND.
A Faculdade Brasileira - UNIVIX, em função de seu contrato com a Microsoft, tem permissão
para uso acadêmico nos seus laboratórios de todas as ferramentas e softwares da Microsoft.
O laboratório que atende aos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Elétrica e
Engenharia de Produção Civil também possui o AUTOCAD 2009, REVIT, MSPROJECT,
VOLARES, MATLAB, Banco de Dados MYSQL.

45
manualdoaluno2010

19.4 Regras de Funcionamento


a) O laboratório é de uso exclusivo dos alunos, professores e técnico-administrativos, sendo
vedada a entrada de terceiros sem autorização expressa da Diretoria da Instituição.
b) É expressamente proibida a entrada de alunos com alimentos e/ou bebidas de qualquer
espécie e/ou fumar nas dependências do laboratório.
c) O aluno deve ficar em silêncio durante sua permanência no laboratório, pois o ambiente
é de estudos.
d) É proibido ao usuário do laboratório alterar qualquer configuração das estações de
trabalho sem prévio consentimento do responsável pelo laboratório.
e) Aos professores é facultado o direito de reservar o laboratório para ministrar suas aulas,
ficando proibida a utilização do laboratório por alunos que não sejam da turma em aula
naquele horário. Para evitar transtornos, os horários reservados para aulas de professores são
afixados com antecedência na entrada do laboratório.
f) A organização, a limpeza, bem como o cuidado de todo o laboratório é de responsabilidade
de todos os usuários, lembrando que, ao final da utilização do laboratório, o usuário deve
deixar a mesa arrumada para o próximo usuário.
g) Os acessos às páginas da WEB (Internet) são todos monitorados pelo responsável pelo
laboratório, portanto, o acesso a páginas cujo conteúdo não esteja ligado à atividade
acadêmica é expressamente proibido;
h) Não é permitido “download” em quaisquer circunstâncias.
i) É proibida a instalação de qualquer programa que não seja autorizado pela Instituição.
j) O Laboratório dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Elétrica e Engenharia de
Produção Civil é de uso restrito aos alunos e professores destes cursos.
k) O laboratório é exclusivamente para fins acadêmicos, portanto é proibida qualquer outra
atividade que não seja acadêmica.
l) A gravação de CDs só é permitida para fins acadêmicos, sendo necessária a autorização
do responsável pelo laboratório.
m) O descumprimento de qualquer dos itens acima implica punições aos usuários. Tais
sanções podem chegar até ao cancelamento da chave de rede do usuário infrator.

20 Visão Geral da Graduação

20.1 Curso de Administração Certificado FGV


Características do curso
O curso de Administração busca fortalecer seu nível de excelência por meio de uma parceria

46
manualdoaluno2010

com a Fundação Getúlio Vargas – FGV. O programa de certificação da FGV define critérios
diferenciados para que o curso e o diploma dos alunos sejam certificados com a tradição
da FGV no setor de negócios. No caso do aluno, ele recebe a certificação da FGV em
conjunto com o seu diploma no final do curso, mas para isso deve ser aprovado em todas as
disciplinas do curso certificado. Em cada disciplina o aluno faz uma prova nacional, enviada
pela FGV, que representa a nota do segundo bimestre e a avaliação por parte da FGV, o
que permite, em caso de aprovação, sua permanência no programa de certificação. Além
das contribuições para a formação do aluno, esse processo oferece a ele maior valorização
por parte do mercado de trabalho e o acesso a uma estrutura exclusiva, disponibilizada
no Espírito Santo apenas pelo curso de Administração da Faculdade Brasileira - UNIVIX.
O curso tem duração prevista para 04 anos - 08 períodos letivos. No 6º período o aluno
deve optar por uma linha de formação online, na qual vai se aprofundar. Ao longo do curso
diversas linhas podem ser oferecidas a critério da FGV, as disponíveis atualmente são:
•Finanças
•Marketing
•Gestão
•Meio Ambiente
•Pesquisa e Docência
•Administração Pública
Os alunos que iniciaram o curso de Administração antes do processo de certificação não
estavam inseridos numa estrutura curricular definida pela FGV, nem tampouco estavam
submetidos às provas nacionais, portanto, a FGV não permite sua inclusão no processo de
certificação. Para esse grupo, a parceria do curso de Administração com a FGV oferece a
possibilidade de matrícula nas disciplinas das linhas de formação online, na medida em
que forem disponibilizadas pela FGV. Nesse caso, o aluno recebe um certificado da FGV
online referente a cada disciplina. Além disso, esses alunos passam a usufruir de uma série
de melhorias, envolvendo desde o aperfeiçoamento docente até o acervo da biblioteca,
exigidas do curso de Administração por parte do sistema de certificação da FGV. Para
este grupo de alunos ainda estão disponíveis duas linhas de formação presenciais: Gestão
de Recursos Humanos e Gerência de Operações e Logística; que substituem as linhas de
formação online da FGV.
O curso tem carga horária de 3.114 horas/aula, divididas entre conteúdos de formação
básica, conteúdos de formação profissional, conteúdos de estudos quantitativos e suas
tecnologias e conteúdos de formação complementar. O estágio supervisionado totaliza 440
horas que compreende atividades dentro das organizações. Na formação complementar estão
incluídas atividades que fazem a integração da teoria com a prática e incluem atividades

47
manualdoaluno2010

nas empresas, visitas técnicas, participação em seminários, congressos e assemelhados,


iniciação científica, elaboração de artigos, apresentação de trabalhos e demais atividades
que coloquem o aluno em contato com a realidade da profissão que pretende seguir.
Objetivos do Curso
Desenvolver competências, com base nos conhecimentos adquiridos e no processo ensino
aprendizagem, que possibilitem ao profissional intervenção na realidade organizacional, na
sociedade e no mercado.
O que faz o profissional
A profissão é regulamentada pela Lei 4.769 de 9 de setembro de 1965, que define as
atribuições e atividades específicas do Administrador. As funções básicas do Administrador
são:
•Planejar, organizar, coordenar/ dirigir e controlar os processos organizacionais.
•Desenvolve pesquisas, estudos, análises, interpretação de situações internas e externas às
organizações.
•Elabora planos e projetos, bem como sua implantação e acompanhamento.
•Elabora relatórios, pareceres, arbitragens e laudos, com base nas técnicas administrativas.
Onde atua?
O Administrador atua tanto em grandes como médias e pequenas empresas de todos
os setores da economia e instituições públicas. Tendências atuais do mercado apontam
para maior número de ofertas de postos de trabalho em pequenas e médias empresas e
organizações do 3º setor. Além disso, o Administrador sai apto a constituir sua empresa em
qualquer área de negócio que preferir. Pode, ainda, atuar como consultor de empresas e no
ensino, pesquisa e extensão em Administração.
Subáreas
• Administração Financeira e Orçamentária
• Administração da Produção e Logística
• Administração Mercadológica
• Administração de Recursos Humanos
• Administração de Sistemas de Informação
Duração: mínimo de 4 anos, distribuídos em 8 períodos, e máximo de 7 anos.
Titulação: Bacharel em Administração.

20.2 Curso de Arquitetura E Urbanismo


Objetivos do Curso
Gerais: Promover um ensino de qualidade, oferecendo uma gama de matérias
interdisciplinares voltadas para a formação de Arquitetos Urbanistas com a finalidade de

48
manualdoaluno2010

proporcionar ao futuro profissional informações, conceitos e o instrumental necessário às


habilidades, atitudes e comportamentos éticos condizentes com o seu compromisso social
de contribuir para o aprimoramento de sua atividade profissional, quer seja no ensino, quer
seja na pesquisa e quer seja na extensão.
Incentivar e divulgar conhecimentos científicos, técnicos e artísticos, promovendo contínua
atualização e reflexões críticas em relação ao desenvolvimento histórico e tecnológico e
às análises da organização social e do espaço construído nos âmbitos da arquitetura e do
urbanismo.
Específicos: Oferecer à comunidade um curso de estrutura pedagógica de qualidade voltado
à formação prioritária do profissional Arquiteto Urbanista capaz de resolver problemas nos
âmbitos de suas competências, no que se refere ao projeto de edifícios e ao planejamento
urbano. Formar profissionais com capacidade de desenvolver reflexões críticas sobre
a produção e organização do espaço arquitetônico e urbano, que possam atuar junto à
sociedade na habilitação que lhes compete a Lei 5194/66, Parecer n° 384/69 CEF/MEC.
Assim, os objetivos específicos do curso consistem em formar profissionais Arquitetos
Urbanistas capazes de:
- Promover melhorias no atendimento à demanda da sociedade por projetos nos diversos
âmbitos da Arquitetura e do Urbanismo, quer seja junto a empresas, quer seja por
prestação de serviços.
- Produzir e difundir conhecimentos, desenvolver pesquisas e estudos de pós-
graduação.
- Participar da formação de novos profissionais atuando no ensino, em pesquisa e
extensão.
O que faz o profissional
As funções básicas do Arquiteto Urbanista consistem em: projetar edificações, planejar
setores urbanos e regionais, organizar espaços para atender a funções específicas, controlar
o andamento de projetos complementares à arquitetura e ao urbanismo.
Assim, sob o ponto de vista legal, compete ao Arquiteto Urbanista:
o exercício de todas as atividades referentes a projetos e acompanhamento de obras de
edificações, conjuntos arquitetônicos e monumentos, arquitetura paisagística e de interiores,
projeto urbano de cidades ou setores das cidades, planejamento físico, planejamento urbano
e regional;
• Dar suporte às organizações públicas ou privadas no que se refere ao projeto do espaço
físico, a ser construído ou restaurado, de edifícios e de cidades na sua estruturação ou
reestruturação ante os desafios da qualidade de vida para os habitantes;
• Exercer atividades de supervisão, orientação técnica, coordenação, planejamento,

49
manualdoaluno2010

projetos, especificações, direção ou execução de obras, ensino, assessoria, consultoria,


vistoria, perícia e avaliação no que se refere à arquitetura e ao urbanismo.
• Conduzir negócios e empreendimentos referentes à arquitetura e ao urbanismo.

Onde atua o Arquiteto Urbanista


A atuação é bastante ampla na abrangência de suas competências legais. O Arquiteto
Urbanista pode exercer sua profissão de forma liberal em seu escritório ou em sua própria
empresa, em atividades assalariadas junto a outras empresas ou órgãos públicos, ou como
autônomo com prestação de serviços. Pode ainda se dedicar ao ensino, pesquisa e extensão
em arquitetura e urbanismo.
Subáreas:
• Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo
• História da Arquitetura e Urbanismo
• Teoria da Arquitetura
• História do Urbanismo
• Teoria do Urbanismo
• Projeto de Arquitetura e Urbanismo
• Planejamento e Projetos da Edificação
• Planejamento e Projeto do Espaço Urbano
• Planejamento e Projeto do Equipamento
• Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
• Adequação Ambiental
• Paisagismo
• Desenvolvimento Histórico do Paisagismo
• Conceituação de Paisagismo e Metodologia do Paisagismo
• Estudo de Organização do Espaço Exterior
• Projetos de Espaços Livres Urbanos
Campos conexos:
• Planejamento Urbano e Regional
• Teoria do Planejamento Urbano e Regional
• Teoria da Urbanização
• Política Urbana e História Urbana
• Métodos e Técnicas do Planejamento Urbano e Regional
• Informação, Cadastro e Mapeamento
• Técnica de Supervisão Urbana e Regional
• Técnicas de Análise e Avaliação Urbana e Regional

50
manualdoaluno2010

• Técnicas de Planejamento e de Projeto Urbanos e Regionais


• Serviços Urbanos e Regionais e Administração Municipal e Urbana
• Estudos da Habitação e Aspectos Sociais do Planejamento Urbano e Regional
• Aspectos Econômicos do Planejamento Urbano e Regional
• Serviços Comunitários e Infra-Estruturas Urbanas e Regionais
• Transporte e Tráfego Urbano e Regional e Legislação Urbana e Regional
Duração:
A duração do curso é de cinco anos. Os conteúdos curriculares se distribuem em carga
horária total de 3.840 horas ao final do curso.
A proposta pedagógica do curso de Arquitetura e Urbanismo contempla visitas guiadas a
obras, cidades e conjuntos históricos de relevância, participação em seminários, congressos
e assemelhados, apresentação de trabalhos e demais atividades que colocam o aluno em
contato com a realidade da profissão de Arquiteto Urbanista.
Titulação: Arquiteto Urbanista
Habilitação: Arquitetura e Urbanismo

20.3 Curso de Direito


Objetivos do Curso
- Formar profissionais que estejam habilitados a entender os diversos tipos de conflitos
de interesses e solucioná-los com a aplicação de normas éticas elaboradas pelo Estado e
que compõem o ordenamento jurídico.
- Desenvolver estudo multidisciplinar, de modo a dar ênfase à relação existente entre
o Direito e as demais ciências, evidenciando que o Bacharel em Direito deve ter uma
visão de todo o conjunto científico, de forma a harmonizar o conhecimento adquirido
às normas jurídicas.
- Desenvolver nos alunos habilidades para a identificação de problemas de ordem
trabalhista, comercial, constitucional, tributária, fiscal, administrativa, ambiental,
eleitoral, agrário, criminal e civil, analisando, em especial, as relações familiares e normas
de proteção de crianças e adolescentes, bem como regras para transmissão patrimonial,
seja por atos praticados que produzem efeitos durante a vida, seja pela morte.
- Atualizar o conhecimento dos alunos, de acordo com as mais recentes posições
doutrinárias, com apoio nas posições majoritárias e predominantes adotadas nos
Tribunais.
- Desenvolver nos alunos habilidades para utilização de recursos jurídicos.
O que faz o profissional
O Profissional liberal: advogado, consultor, parecerista redige contratos, atua em

51
manualdoaluno2010

assessoramento de empresas, desempenha atividades forenses; atua em atividades pré-


processuais em Delegacias de Polícia, preservando o direito de seus constituintes.
Onde atua o profissional:
• Advocacia;
• Magistratura;
• Ministério Público;
• Defensoria Pública;
• Procuradorias; e
• Universidades e Faculdades.
Titulação: Bacharel em Direito.
Duração: cinco anos, distribuídos em dez períodos.

20.4 Curso de Enfermagem


Objetivos do Curso
O curso de Enfermagem da Faculdade Brasileira - UNIVIX tem como objetivo a formação
de profissionais competentes para atuarem no atendimento às necessidades de saúde da
população e demanda dos serviços de saúde. Assim, considerando-se como meta principal
a formação do bacharel empreendedor e reflexivo, toma-se como fundamental o estímulo e
a valorização da relação docente-discente-usuário de serviços de saúde, numa perspectiva
que valorize o diálogo reflexivo e construtivo, a iniciativa e criatividade dos sujeitos no
processo pedagógico.
Características do curso
O curso de enfermagem da Faculdade Brasileira - UNIVIX valoriza alguns pilares pedagógicos,
com a formatação de um currículo que, além de atender a legislação, considera também
como fundamento as necessidades reais dos educandos, a sua criatividade e sensibilidade,
no sentido de permitir a formação de sujeitos críticos, empreendedores e capazes de recriar a
realidade que vai sendo produzida no cotidiano do processo de formação, em particular com
o olhar e as ações voltadas tanto para o ensino quanto para uma prática interdisciplinar.
Tem duração de quatro anos, com carga horária total de 4.000 (4.100) horas. As disciplinas
estão agrupadas em cinco áreas: Bases biológicas e sociais da enfermagem; Fundamentos
da enfermagem; Assistência de enfermagem; Administração em enfermagem; Educação
em enfermagem. No decorrer de sua formação, o aluno só pode matricular-se em estágio
curricular I e II e monografia de curso I e II, após cumprir todas as disciplinas dos períodos
anteriores. Ao término do curso, sob orientação docente, o aluno deve elaborar um trabalho
de conclusão que é defendido em banca.
O aluno tem oportunidade de aplicar os conhecimentos teóricos aprendidos, mediante
atividades práticas curriculares, inserindo-se na comunidade e serviços de saúde em
52
manualdoaluno2010

geral. O curso pretende lançar no mercado profissionais com habilidades e competências


para atuarem tanto no nível ambulatorial como hospitalar, na prevenção, tratamento e
recuperação da saúde.
O enfermeiro
O enfermeiro é um profissional autônomo que atua principalmente no setor da saúde, tendo
como base do seu trabalho o cuidado humano. Exerce funções gerenciais, de assistência,
ensino e pesquisa, sendo um profissional altamente requisitado tanto no setor público quanto
no privado.
As funções básicas do enfermeiro consistem em:
• prestar assistência de enfermagem, em consonância com as diferentes necessidades e/ou
fatores de risco apresentados pelos indivíduos em diversos grupos etários;
• exercer uma prática profissional em consonância com a Lei 7498/86 que regulamenta o
exercício profissional;
• utilizar o método de investigação científica como instrumento que subsidie a sua prática;
• utilizar os princípios éticos, políticos e humanísticos como norteadores de seu trabalho;
prestar cuidados de enfermagem que favoreçam a defesa da vida e o direito de cidadania aos
usuários dos serviços de saúde;
• planejar e implementar programas de educação continuada na enfermagem; e
planejar e implementar ações que visem intervir no processo saúde-doença, comprometendo-
se e responsabilizando-se pelo cuidado de enfermagem em seus diferentes níveis; entre
outras atividades.
Infraestrutura do curso
A Instituição oferece um curso diferenciado mediante um projeto pedagógico inovador,
pois está pautado na legislação atual e busca a integração entre as diferentes disciplinas e,
consequentemente, uma visão mais integral do ser humano. Seu corpo docente é formado
por doutores, mestres e especialistas da área, com larga experiência no mercado.
Titulação: Enfermeiro.
Duração: 4 anos, distribuídos em 8 semestres.

20.5 Curso de Engenharia Elétrica


Objetivos do Curso
Formar profissionais de Engenharia Elétrica com ênfases em: Eletrônica, Telecomunicações
e Computação, que tenham capacidade técnica para resolver problemas práticos de
abordagem experimental, de forma individual ou em equipe multidisciplinar, podendo se
adaptar rapidamente às novas tecnologias.
Estes profissionais devem ser capazes de projetar, implantar, melhorar e manter sistemas
produtivos automatizados; prestar serviços técnicos especializados de projeto, manutenção
e instalação de equipamentos elétricos, eletrônicos, de telecomunicações e computacionais;

53
manualdoaluno2010

planejar, projetar e implantar redes locais de computadores, bem como instalar e dar suporte
de softwares aplicativos tecnológicos. Os profissionais devem ter sempre participação ativa
e consciente do desenvolvimento da sociedade brasileira, nas questões humanísticas, sociais
e ambientais.
Buscam-se os seguintes objetivos específicos:
•formar profissionais capacitados a exercerem as atividades da Engenharia Elétrica nas
áreas específicas da Eletrônica, das Telecomunicações e da Computação, participando
do desenvolvimento da sociedade brasileira de forma consciente de seu papel;
•formar profissionais com capacidade de raciocínio, de potencial criativo e visão
crítica;
• formar profissionais que busquem e sejam capazes de criar suas próprias oportunidades
de trabalho;
• incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento
da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura;
• promover a divulgação de conhecimentos técnicos, científicos e culturais, mediante o
ensino, as publicações e a promoção de eventos;
• promover, permanentemente, o aperfeiçoamento profissional e cultural, possibilitando
a sua concretização mediante uma estrutura intelectual integradora e sistematizada;
• promover a extensão aberta à participação da comunidade, visando a difusão das
conquistas e benefícios resultantes da pesquisa científica e tecnológica e da criação
cultural geradas.
Estrutura curricular do curso
O curso de Engenharia Elétrica da Faculdade Brasileira - UNIVIX foi estruturado com base
na Resolução CNE/CES 11 de 11/03/02 que fixa os mínimos de conteúdo dos Cursos de
Graduação em Engenharia, e na Lei nº. 9.394, de 20/12/96 que estabelece as Diretrizes e
Bases da Educação Nacional – LDB.
A estrutura do curso estabelece uma sólida formação em ciências básicas e de engenharia,
capacitando o profissional formado a se adaptar rapidamente às novas tecnologias,
possibilitando que ele possa exercer as atividades previstas no Artigo 9º da Resolução 218/73
do CONFEA, de 29/06/73, e na Resolução 380 do CONFEA, de 17/12/93.
O curso está estruturado em 10 (dez) períodos, totalizando uma carga horária de 3.600
(3.813) horas. Além das disciplinas previstas na estrutura curricular, o aluno deve cumprir as
atividades de Projeto de Graduação e Estágio Supervisionado. O curso pode ser concluído
em 5 (cinco) anos, entretanto, de acordo com a legislação vigente, a sua conclusão pode ser
feita em tempo superior, respeitado o limite de 9 (nove) anos.
O Curso é constituído de Matérias de Formação Básica, Formação Geral, Formação

54
manualdoaluno2010

Profissional Geral, Formação Profissional Específica e Matérias de Complementação.


Características do curso
O Engenheiro Eletricista
É um profissional preparado para apresentar o seguinte perfil:
•capacidade de dirigir estudos, projetar, implantar, melhorar e manter sistemas
produtivos automatizados. Para tanto, tais profissionais devem gerenciar pessoal,
materiais e equipamentos, especificando, prevendo e avaliando os resultados obtidos,
recorrendo a conhecimentos especializados, juntamente com os princípios e métodos de
análise e projetos de engenharia. Além disso, devem ser capazes de fabricar, realizar a
operação e a manutenção de equipamentos elétricos, eletrônicos de telecomunicações e
computacionais (Informática, Teleinformática e Telemetria), dentro dos padrões técnicos
exigidos. Devem também ser capazes de planejar, projetar, implantar redes locais de
computadores e instalar e dar suporte de softwares aplicativos tecnológicos;
• capacidade de prestar serviços técnicos especializados de projeto, manutenção e
instalação de equipamentos elétricos, eletrônicos de telecomunicações e computacionais,
incluindo o suporte de redes locais de computadores e softwares aplicativos
tecnológicos;
• capacidade para criar suas próprias oportunidades de trabalho e de ser um novo
profissional, “um empreendedor”, capaz de trabalhar no setor produtivo em geral e de
serviços, utilizando novas técnicas gerenciais e a informática aplicada;
• capacidade de atender às demandas da sociedade por tecnologia, produzindo e
difundindo o seu conhecimento, e ser capaz de refletir criticamente e de atuar modificando
e aperfeiçoando as realidades tecnológicas, humanísticas, sociais e ambientais;
• capacidade de estabelecer metas que ultrapassem as atuais fronteiras, interagindo com
os diferentes blocos econômicos;
• capacidade técnica para resolver problemas práticos de abordagem experimental, de
forma individual ou em equipe multidisciplinar, proporcionada pela sólida formação
em ciências básicas e de engenharia que permita enfrentar e solucionar problemas da
engenharia elétrica, principalmente da área de eletrônica, de telecomunicações e de
computação;
• capacidade de investigação e busca contínua de atualização e aperfeiçoamento;
• capacidade de utilização da informática aplicada e de comunicação em pelo menos
um idioma estrangeiro.
Titulação: Engenheiro Eletricista.
Duração: cinco anos, distribuídos em dez períodos.

55
manualdoaluno2010

20.6 Curso de Engenharia de Computação


Objetivos
No progresso de sua carreira profissional, agregando experiência prática e aperfeiçoamentos
realizados, os Engenheiros de Computação formados pela Faculdade Brasileira, deverão
estar capacitados a assumir funções em diferentes níveis dentro das organizações, seja
de execução, gerenciamento ou de direção, para as quais seguem algumas atividades e
responsabilidades técnicas inerentes à função: diretor, administrador, gerente, projetista,
coordenador, engenheiro, pesquisador, professor, dentre outras.
Assim, os objetivos que a proposta curricular do curso pretende alcançar, em consonância
com as novas diretrizes curriculares, são:
•permitir uma formação ampla e geral com base nas diretrizes curriculares dos cursos da
área de computação e informática;
•promover atualização permanente do conteúdo programático estabelecido de forma
a manter o conhecimento tecnológico de vanguarda sempre presente nas unidades
curriculares do curso;
•incorporar ao currículo do aluno o aproveitamento de atividades extra-classe através
do conceito de “atividades complementares”;
•incentivar as práticas de estudo e atividades de pesquisa;
•propiciar uma melhor integração entre o que é ministrado na etapa de formação básica
e na de formação profissional;
Estrutura curricular do curso
A organização curricular para este projeto pedagógico assenta-se nas diretrizes curriculares
do MEC (Ministério da Educação) para cursos de engenharia, na legislação referente aos
cursos de engenharia, na nova proposta de regulamentação do CREA/CONFEA, no perfil do
corpo docente do Departamento de Engenharia Elétrica (que atua fortemente no curso) e em
características regionais.
A estrutura do curso estabelece uma sólida formação em ciências básicas e de engenharia,
capacitando o profissional formado a se adaptar rapidamente às novas tecnologias.
O curso está organizado em 10 (dez) períodos, totalizando uma carga horária de 3.832 horas.
Além das disciplinas previstas na estrutura curricular, o aluno deve cumprir as atividades de
Trabalho de Conclusão de Curso e de Estágio Supervisionado Obrigatório. O curso pode
ser concluído em 5 (cinco) anos, entretanto, de acordo com a legislação vigente, a sua
conclusão pode ser feita em tempo superior, respeitado o limite de 9 (nove) anos.
O Curso é constituído de Matérias de Formação Básica, Formação Geral, Formação
Profissional Geral, Formação Profissional Específica e Matérias de Complementação.
Características do Curso
Grande parte da demanda tecnológica identificada nas empresas do País, estão diretamente
relacionadas com a área da eletrônica e da computação. As inovações tecnológicas que

56
manualdoaluno2010

estas áreas têm experimentado nos últimos anos, podem ser aplicadas em projetos e no
desenvolvimento de processos produtivos automatizados, mais eficientes e mais robustos,
resultando em uma sensível melhora na qualidade dos produtos fabricados.
A crescente procura por esse tipo de profissional, capaz de atuar nas áreas de Engenharia
Elétrica e Ciência da Computação, vem promovendo o interesse de jovens em disputar uma
vaga no curso de Engenharia de Computação da Faculdade Brasileira.
A oferta de vagas nos diferentes turnos vem atender às solicitações crescentes das empresas
em aumentar a qualificação de seu pessoal nessas áreas. Isto também atende a um número
expressivo de pessoas que já estão ou que necessitam entrar no mercado de trabalho e que
pretendem obter a formação em uma engenharia especializada nessas áreas de hardware e
software.
O Engenheiro de Computação
O Engenheiro de Computação tem formação em hardware e software, com conhecimento
nas áreas de Ciência da Computação e Engenharia Eletrônica necessários ao projeto de
software, hardware e software integrado ao hardware.
O engenheiro define e coordena projetos de sistemas de computação; define e implementa
arquiteturas de computadores, redes de computadores e processos de automação industrial;
propõe e executa projetos de sistemas baseados em microprocessadores para aplicações
industriais, comerciais e científicas; projeta, desenvolve e faz manutenção em sistemas de
software para aplicações comerciais, de engenharia e áreas correlatas; gerencia centros de
processamento de dados.
Atua em empresas fabricantes de computadores, em produtoras de software (software houses)
e em indústrias com processos automatizados.
O conjunto de aptidões esperadas dos egressos ao final do curso de Engenharia de
Computação da Faculdade Brasileira é:
•Conhecimento suficiente em outras áreas (física, eletricidade, administração, etc.), que
não apenas a computação, e que lhe permita assumir a responsabilidade completa de
produtos e serviços até um determinado nível de especificidade, coerente com a sua
formação.
•Facilidade de interagir e de se comunicar com profissionais da área de computação e
profissionais de outras áreas no desenvolvimento de projetos.
•Disposição e postura de permanente busca pela atualização profissional.
•Disposição em aceitar a responsabilidade pela correção, precisão, confiabilidade,
qualidade e segurança de seus projetos e implementações.•Capacidade de tirar proveito
das tecnologias já estabelecidas, e de desenvolver novas técnicas, no intuito de gerar
produtos e serviços.

57
manualdoaluno2010

•Capacidade de entender e interagir com o ambiente em que os produtos e serviços, por


ele projetado ou construído, irão operar.
•Capacidade em adquirir conhecimentos em ciência da computação e engenharia
eletrônica e de métodos necessários para aplicá-los.
•Facilidade de interagir e de se comunicar com clientes, fornecedores e com o público
em geral.
•Capacidade para especificar, desenvolver, implementar, adaptar, industrializar, instalar
e manter sistemas computacionais, bem como perfazer a integração de recursos físicos e
lógicos necessários para o atendimento das necessidades informacionais, computacionais
e da automação de organizações em geral.
•Capacidade para projetar, desenvolver e implementar equipamentos e dispositivos
computacionais, periféricos e sistemas que integram hardware e software;
•Capacidade para produzir novas máquinas e equipamentos computacionais;
•Capacidade para desenvolver produtos para serviços de telecomunicações, como os
que fazem a interligação entre redes de telefonia.
•Capacidade para planejar e implementar redes de computadores e seus componentes,
como roteadores e cabeamentos.
•Capacidade para coordenar e supervisionar equipes de trabalho, realizar estudos de
viabilidade técnico-econômica, executar e fiscalizar obras e serviços técnicos;
•Capacidade para efetuar vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres,
considerando em suas atividades a ética, a segurança, a legislação e os impactos
ambientais.
Titulação: Engenheiro de Computação
Duração: cinco anos, distribuídos em dez períodos.

20.7 Curso de Engenharia de Produção Civil


Objetivos do Curso
Formar profissionais capazes de projetar, implantar, melhorar e manter sistemas
produtivos integrados. Para tanto, tais profissionais devem gerenciar homens, materiais,
obras e equipamentos, especificando, prevendo e avaliando resultados obtidos destes
sistemas, recorrendo a conhecimentos especializados da matemática, física, ciências
sociais e ambientais, conjuntamente com os princípios e métodos de análise e projeto de
engenharia.
A Engenharia de Produção Civil busca a integração dos conhecimentos de Engenharia Civil
e de Engenharia de Produção, capacitando o profissional a atuar no projeto e execução de
obras e serviços de construção civil e na organização e controle de seus sistemas produtivos,

58
manualdoaluno2010

visando a melhoria da produtividade do trabalho e da qualidade do produto, ou seja, o


aumento da eficácia dos mesmos.
O Curso busca os seguintes objetivos específicos:
• formar profissionais capazes de atender a demanda do mercado de trabalho, produzindo
e difundindo o seu conhecimento; capazes de refletir criticamente sobre o mundo que os
circunda e de atuar modificando e aperfeiçoando a realidade;
• formar profissionais capazes de minimizar o desperdício e atividades que não agregam
valor nas diversas fases do processo de produção, particularmente na indústria da
construção civil;
• formar engenheiros preocupados permanentemente com o aumento da produtividade
e da qualidade;
• criar profissionais-empresários que busquem e sejam capazes de criar suas próprias
oportunidades de trabalho;
• formar engenheiros com capacidade gerencial, capacidade técnica, excelência no
uso da informática aplicada e capazes de compreender a necessidade de adequar suas
decisões às demandas ambientais;
• formar profissionais voltados a fomentar negócios e capazes de trabalhar no setor
produtivo em geral e de serviços, tanto na área privada quanto pública.
• formar engenheiros capazes de interagir com os diferentes segmentos econômicos.
A abordagem de Engenharia de Produção, que historicamente iniciou-se em outros
setores industriais como o da mecânica e de manufaturas, ao ser aplicada na construção
civil, contribui para o desenvolvimento do setor, buscando o aprimoramento do processo
construtivo, com a atualização e modernização das técnicas de planejamento e controle
a ele aplicado, e com o desenvolvimento de tecnologias cada vez mais avançadas.
A Estrutura Curricular do Curso
O curso de Engenharia de Produção Civil da Faculdade Brasileira - UNIVIX é um curso
superior de graduação com duração de, no mínimo, dez períodos semestrais e carga horária
global de 3.600 horas-aula, conforme estabelece a Resolução CNE/CES de 11/03/02 que
determina as Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Engenharia.
A organização curricular, além de atender ao que preceitua a Resolução CNE/CES nº 11/02,
está em perfeita consonância com as demandas do mercado profissional, possibilitando
ao aluno adquirir uma sólida formação na área de Engenharia Civil conjugada com uma
capacitação na área gerencial, dotando o egresso de um perfil profissional que representa
mais de 90% da demanda do mercado de trabalho na área Civil.
As matérias/disciplinas que compõem o currículo do Curso de Engenharia de Produção Civil
da Faculdade Brasileira - UNIVIX são as seguintes:

59
manualdoaluno2010

a) Formação Básica
O núcleo de conteúdos básicos versa sobre os tópicos que seguem:
Metodologia da Pesquisa
Comunicação e Expressão
Desenho Técnico
Cálculo I
Cálculo II
Cálculo III
Geometria Analítica
Equações Diferenciais
Álgebra Linear
Física I
Física II
Física III
Física IV
Física Experimental I
Física Experimental II
Fenômenos de Transporte
Mecânica Geral
Instalações Elétricas
Química Tecnológica
Organização Industrial
Economia da Engenharia
Ciências do Ambiente
Comportamento Humano nas Organizações
Introdução à Engenharia
b) Formação Profissionalizante
O núcleo de conteúdos profissionalizantes versa sobre os tópicos que seguem:
Processamento de Dados I
Processamento de Dados II
Resistência dos Materiais
Geotécnica
Hidráulica
Hidrologia
Materiais de Construção
Cálculo Numérico

60
manualdoaluno2010

Probabilidade e Estatística
Estruturas Isostáticas
Estruturas Hiperestáticas
Topografia
c) Formação Específica
O núcleo de conteúdos específicos versa sobre os tópicos que seguem:
Elementos de Arquitetura
Construção Civil
Saneamento
Instalações Prediais
Estruturas de Concreto
Estruturas Metálicas
Estruturas de Madeira
Sistemas de Transportes
Projeto Geométrico de Estradas
Mecânica dos Solos
Gerenciamento da Construção I
Gerenciamento da Construção II
Legislação e Ética
Gerência Industrial
Pesquisa Operacional
Ergonomia e Segurança do Trabalho
Planejamento e Controle de Produção
Estudos de Tempos e Métodos
Projeto de Produto
Garantia de Qualidade
Gerência de Materiais
Projeto de Graduação I)
Projeto de Graduação II
Estágio Supervisionado
Tópicos Especiais em Engenharia
d) Atividades Complementares
Tais atividades caracterizam-se como práticas acadêmicas apresentadas sob múltiplos
formatos. Estas atividades devem ser previamente aprovadas pela Coordenação do Curso
de modo a serem passíveis de enquadramento e contabilização de horas na categoria de
“Atividades Complementares”.

61
manualdoaluno2010

Por meio de circular própria da Coordenação os alunos têm maiores esclarecimentos com
relação às atividades que podem ser incorporadas nesta categoria.
e) Estágio Supervisionado
No 9º (nono) período do curso, os alunos devem desenvolver um Estágio Supervisionado
(acompanhado de um professor supervisor) que deve totalizar um mínimo de 260 horas na
empresa por ele escolhida, acrescido da carga horária de supervisão em sala de aula.
O Engenheiro de Produção Civil
O ensino e a profissão de Engenharia são regidos e regulamentados em 2 (duas) instâncias
distintas. Os cursos, sua organização, implementação, funcionamento e reconhecimento
são atribuições do MEC – Ministério da Educação, por meio de procedimentos próprios
que devem ser cumpridos por todas as Instituições de Ensino Superior que ministram cursos
nessa área. Por meio da Resolução nº 11/2002, a Câmara de Educação Superior do Conselho
Nacional de Educação fixou as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação
em Engenharia que fixou os conteúdos dos cursos de Engenharia ministrados no Brasil.
O exercício da profissão de Engenheiro, por delegação da Lei 5.194/66 é regulamentada
e fiscalizada pelo sistema CONFEA –CREA (Conselho Federal/ Conselhos Regionais de
Engenharia, Arquitetura e Agronomia) que, por meio de instruções, normas e resoluções
define a atuação dos diversos profissionais.
A Resolução nº 218/73 – CONFEA em seus artigos 1º e 7º discrimina as atividades do
Engenheiro Civil. A Resolução nº 288/83 – CONFEA designa o título e fixa atribuições das
novas habilitações em Engenharia de Produção e Engenharia Industrial. Em seu Art.1º a Res.
288/83 estabelece: “Aos profissionais diplomados em Engenharia de Produção, oriundos da
área Civil, dar-se-á o título de Engenheiro Civil e as atribuições do Art. 7º da Res. 218/73 –
CONFEA”.
O Engenheiro de Produção Civil é um profissional de nível superior com formação e
capacitação que o habilitam a atuar no projeto e execução de obras de construção civil, bem
como no planejamento, projeto, implantação e controle de sistemas produtivos, visando à
integração dos fatores da produção, melhoria de produtividade, qualidade do produto e
otimização do processo.
Baseado nas atividades 01 a 18 da Resolução nº 218, de 29 de junho de 1973 do Conselho
Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, o Engenheiro de Produção Civil estuda,
projeta, fiscaliza e supervisiona a execução de construções, calcula custos, especifica
tipos de materiais e equipamentos; projeta, executa e fiscaliza a execução de estruturas e
fundações de edificações, bem como de suas instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias,
entre outras; prepara, organiza e supervisiona os trabalhos de conservação e reparação de
construções já existentes; prepara o programa de trabalho e dirige as operações nas diversas

62
manualdoaluno2010

etapas da construção; realiza pesquisa científica e tecnológica e ensaios tecnológicos.


Na gestão dos sistemas de produção e da empresa, elabora planos para avaliação de cargos
e sistemas de incentivos, bem como planos para identificar e resolver problemas de alocação
de recursos; atua em programas de higiene e segurança do trabalho; participa e colabora na
seleção e treinamento de pessoal, em programas de ligação entre consultores externos e a
administração; e realiza a interface entre as áreas administrativa e técnica da empresa.
Na área de planejamento industrial, realiza estudos sobre a localização geográfica da
empresa e planeja o arranjo físico de suas instalações; desenvolve estudos de viabilidade
técnico-econômica para aplicação de capital no processo industrial; conduz programas de
redução de custos; elabora e calcula lotes econômicos e séries de produção, bem como
previsões de venda; estabelece políticas de administração e controle de estoques e reposição
de equipamentos; presta assistência no desenvolvimento de máquinas, ferramentas e
produtos e no desenvolvimento de políticas e procedimentos; acompanha e supervisiona a
operação de materiais e equipamentos.
Como gerente do sistema produtivo, desenvolve projetos e faz o planejamento para controlar a
produtividade ou eficiência operacional de uma empresa, conjugando os recursos humanos,
equipamentos e materiais disponíveis, visando ao aumento da produção com o menor custo
possível; desenvolve métodos de otimização do trabalho, procedimentos para programação
e controle de produção, programas de controle da qualidade e modelos de simulação para
problemas administrativos complexos.
Titulação: Engenheiro de Produção Civil.
Duração: 5 anos, distribuídos em dez semestres – Matutino e Noturno.

20.8 Curso de Farmácia


Objetivos do Curso
O curso de Farmácia da Faculdade Brasileira - UNIVIX objetiva formar profissionais capazes
de atender as necessidades da sociedade brasileira, atuando na prevenção, promoção e
recuperação da saúde humana, por meio do desenvolvimento de atividades ligadas às áreas
do Medicamento, das Análises Clínicas e Toxicológicas e do Alimento, inserindo-se no
contexto social, político, econômico, tecnológico e científico. Para tanto nosso sistema de
ensino foi idealizado para proporcionar ao aluno o devido conhecimento teórico e prático,
além de estimular o espírito crítico e empreendedor.
Um dos objetivos específicos principais é o de formar profissionais capacitados a aplicar de
forma integral os conhecimentos adquiridos, criando soluções adequadas diante de novas
situações e de desenvolver uma visão humanística, crítica e reflexiva para atuar em todos os
níveis de atenção à saúde.
Características do curso
Considerando o momento histórico atual em que está passando a profissão farmacêutica,
a Instituição reformulou seu projeto pedagógico, de forma que os farmacêuticos por ela

63
manualdoaluno2010

formados tenham formação generalista, sendo capazes de atuar em todo o âmbito da profissão.
A duração do curso é de 4 anos e os conteúdos curriculares contemplam disciplinas da
área de ciências exatas, biológicas, humanas e farmacêuticas. A partir do terceiro semestre,
o aluno é inserido num programa de estágio supervisionado, que é oferecido em graus
crescentes de complexidade, que perdura até o final do curso.
Atuação do farmacêutico
O farmacêutico é um profissional de nível superior capacitado para o exercício de atividades
ligadas ao fármaco e ao medicamento, às análises clínicas e toxicológicas e ao controle,
produção e análise de alimentos. O decreto nº 85.878 de abril de 1981, que regulamenta a
profissão farmacêutica, define como algumas atribuições do farmacêutico:
•A dispensação de medicamentos (alopáticos, fitoterápicos e homeopáticos) em
estabelecimentos públicos e privados com a devida orientação farmacêutica;
•A manipulação e industrialização de medicamentos, cosméticos e demais produtos
químicos;
•O controle de qualidade de medicamentos, cosméticos e alimentos;
•O assessoramento e responsabilidade técnica em farmácia clínica e hospitalar;
•O assessoramento e responsabilidade técnica em laboratórios de análises clínicas e
toxicológicas;
•Sanitarismo e ações no meio ambiente;
•Ensino e pesquisa;
Além dessas, a profissão garante, com exclusividade ou não, diversas atribuições no
âmbito do medicamento, do alimento, do cosmético, das análises clínicas, dos produtos de
diagnóstico, das análises toxicológicas, das análises bromatológicas, de controle ambiental,
da higiene e segurança do trabalho e na saúde pública como um todo.
Infraestrutura do curso
O curso de farmácia da Instituição é o primeiro curso privado, no Estado do Espírito Santo,
aprovado e reconhecido pela Portaria do MEC nº. 1.368 de 3 de junho de 2004. É o único
curso do Estado que possui Centro de Estudos e Informação Sobre Medicamentos credenciado
junto ao Sistema Brasileiro e laboratório de tecnologia farmacêutica. Conta com um
quadro de professores experientes, altamente qualificados, entre mestres e doutores, e com
estrutura física composta por treze laboratórios totalmente equipados. Todas as disciplinas
obrigatórias, em que são ministradas aulas práticas, contam com o auxílio de técnicos, que
ficam à disposição dos alunos durante as atividades práticas.
Titulação: Farmacêutico.
Duração: quatro anos, distribuídos em 8 períodos.

64
manualdoaluno2010

20.9 Curso de Psicologia


Objetivos do Curso
O Curso de Psicologia da Faculdade Brasileira, visando desenvolver uma educação plena,
humanística e profissional, pretende formar profissionais para a atuação em seu sentido mais
estrito (Formação de Psicólogos). Para isto, torna-se imprescindível:
a) oferecer uma organização curricular que permita aos alunos a identificação e
compreensão dos diferentes aspectos da profissão;
b) formar profissionais críticos, com sólida formação nos diferentes conhecimentos
psicológicos e marcados por uma profunda reflexão ética, que atendam à demanda das
diversas áreas da Psicologia;
c) preparar profissionais que possam atuar, de modo eficiente, em atividades da pesquisa
psicológica, seja esta de cunho básico, instrumental ou profissional;
d) favorecer oportunidades de acompanhamento de novos desenvolvimentos teórico-
metodológicos e áreas de atuação da prática psicológica, proporcionando atualizações
constantes;
e) enfatizar a necessidade da prevenção e atuação do psicólogo, mediante procedimentos
adequados;
f) proporcionar uma visão ampla dos fatores determinantes dos distúrbios mentais e
comportamentais;
g) favorecer a compreensão das interações entre comportamento e contexto bio-
psicossocial, bem como das relações grupais, institucionais e comunitárias;
h) preparar o profissional para o domínio de métodos e técnicas de avaliação psicológicas
e sua aplicação nas áreas de saúde, educação e trabalho;
i) promover atividades de extensão e pesquisa em área de abrangência do Curso,
incentivando o aluno a desenvolver trabalhos de iniciação científica, a partir da
compreensão da metodologia científica e das práticas em técnicas de pesquisa;
j) desenvolver conteúdos relativos ao exercício da cidadania, à promoção dos direitos
humanos, à prevenção de práticas discriminatórias e violência; e, por fim,
k) formar profissionais que possam atuar em prol da difusão e solidificação do
conhecimento psicológico na região, inserindo-o em um contexto social mais amplo
como um profissional promotor de saúde mental nos mais diferentes níveis.
Características do curso
O Curso de Psicologia está oferecendo 80 (oitenta) vagas anuais na modalidade Psicólogo.
O curso é oferecido em período integral, completado em um mínimo de 10 semestres ou um
máximo de 14 semestres, de acordo com o perfil profissiográfico, competências e habilidades
descritos em seu projeto pedagógico. Além disso, para a formação do Psicólogo, torna-se
necessária a realização de um estágio prático de atuação psicológica, a ser realizado a partir
do quarto período.
65
manualdoaluno2010

O Psicólogo
O Psicólogo é um profissional de nível superior capacitado para:
a) Estudar o comportamento e o mecanismo mental dos seres humanos e realizar
pesquisas sobre os problemas psicológicos que se colocam no terreno da medicina, da
educação e da indústria e recomendar o tratamento adequado;
b) Projetar e realizar experimentos e estudos em seres humanos para determinar suas
características mentais e físicas;
c) Analisar a influência de fatores hereditários, ambientais e outros mais, na configuração
mental e comportamental dos indivíduos;
d) Fazer diagnósticos, tratamento e prevenção de transtornos emocionais e da
personalidade, assim como dos problemas de inadaptação ao meio social e de
trabalho;
e) Aplicar testes psicológicos para determinar a inteligência, as aptidões, as atitudes
e outras características pessoais, interpretando os dados obtidos e fazendo as
recomendações pertinentes.
Essas atividades podem ser desenvolvidas pelo psicólogo nas mais variadas situações, dentre
as quais se destacam a clínica, a organizacional, a industrial, a social, a sanitária, a política,
a jurídica, a publicitária e a propagandística. Assim sendo, sua atuação abrange postos de
saúde e hospitais, consultórios e clínicas, centros de reabilitação, empresas e organizações
sociais, agremiações desportivas, grupos comunitários e instituições de ensino, pesquisa e
extensão universitários.
Infraestrutura do curso
O curso de Psicologia da Instituição tem sua marca na diversidade e na pluralidade. De
acordo com a concepção, seu currículo contempla aulas práticas e teóricas orientadas para
a multidisciplinaridade.
Apesar dos espaços dos laboratórios estarem divididos fisicamente por áreas de conhecimento,
sua utilização é comum a todas elas, permitindo o intercâmbio entre discentes e docentes
tanto pessoal quanto profissionalmente.
Titulação: Psicólogo.
Duração: 5 anos, distribuídos em 10 períodos.

21 Logomarca UNIVIX
A logomarca UNIVIX é propriedade da EMBRAE (mantenedora da Faculdade). Sendo assim,
sua utilização, sob qualquer forma, é exclusiva da EMBRAE e da Faculdade, não podendo ser
utilizada por quaisquer outras pessoas, empresas, instituições, associações sem a autorização
expressa e por escrito da Direção da Faculdade Brasileira - UNIVIX.

66
manualdoaluno2010

22 Código de Conduta
Este Código de Conduta tem por objetivo nortear os princípios comportamentais do corpo
discente da Faculdade Brasileira - UNIVIX de modo que todos os alunos possam contribuir
para o bom andamento das atividades de ensino a partir de um relacionamento construtivo
com colegas, professores e técnico-administrativos. Igualmente há a necessidade de
internalizar hábitos de estudo e de pesquisa respaldados no respeito mútuo e na preservação
dos bens coletivos e do patrimônio da instituição.
Julgamos oportuno lembrar os princípios indissociáveis aprovados pela Associação
Internacional de Universidades, convocada pela UNESCO em 1950 e em 1998, a saber:
- O direito de buscar conhecimento por si mesmo e de persegui-lo até onde a procura
da verdade possa conduzir;
- A tolerância em relação a opiniões divergentes e a liberdade em face de qualquer
interferência política;
- A obrigação, enquanto instituição social, de promover, mediante o ensino e a pesquisa,
os princípios de liberdade e justiça, dignidade humana e solidariedade, e de desenvolver
ajuda mútua, material e moral, em nível internacional.
São inerentes à Ética do Ensino Superior o direito à pesquisa, o pluralismo, a tolerância, a
autonomia em relação aos poderes políticos, bem como o dever de promover os princípios
de liberdade, justiça, dignidade humana e solidariedade.
Respaldados nestes princípios da Educação Superior, conforme já expressos em outros
documentos da Faculdade Brasileira - UNIVIX, notadamente nos Projetos Político-
Pedagógicos dos seus diferentes cursos e no Regimento Geral, aprovamos as seguintes
normas de conduta a serem observadas pelo corpo discente. A inobservância de conduta
apropriada ao ambiente acadêmico civilizado é passível de enquadramento no Regime
Disciplinar conforme descrito adiante.
1. Não são permitidos:
- atitudes que atentem contra o patrimônio da Instituição, inclusive aquelas que afetem
a sua manutenção e conservação;
- atos que atentem contra a moral e os bons costumes;
- incitação de movimentos que causem tumulto nas dependências da Faculdade,
inclusive trote. A prática do trote passou a constituir delito, a partir da promulgação da
Lei Estadual nº 8.364, de 03 de julho de 2006;
- utilizar ou permitir a utilização de quaisquer meios ilícitos para o aproveitamento
escolar;
- utilizar o nome da Faculdade para fins indevidos, em proveito próprio ou que possa
causar qualquer tipo de dano à Instituição;
- entrar na biblioteca e nos laboratórios com bolsas e objetos pessoais e
- manifestações de natureza religiosa e político-ideológica.

67
manualdoaluno2010

2. Fica proibido nas dependências da Faculdade:


- portar arma de qualquer natureza sem autorização legal;
- consumir bebida alcoólica ou qualquer substância tóxica e/ou entorpecente ilícita;
- adentrar e/ou permanecer nas dependências da Faculdade sob efeito de bebidas
alcoólicas ou qualquer substância tóxica e/ou entorpecente ilícita;
- jogos ilícitos;
- venda de qualquer produto sem autorização por escrito da direção e
- fixar cartazes no mural da instituição sem autorização prévia do setor competente.
3. Em relação a sala de aulas, biblioteca e laboratórios, ficam proibidos:
- fumar nos corredores próximos aos laboratórios;
- utilizar telefone celular;
- lanches de qualquer natureza;
- uso de equipamentos sonoros não autorizados;
- uso de equipamentos eletrônicos não autorizados pelo professor;
- comportamentos que perturbem o desenvolvimento das atividades;
- atividades alheias ao conteúdo da aula e
- sair da sala de aula durante a realização de provas sem autorização do professor.
4. Atitudes obrigatoriamente exigidas:
- respeito aos professores, coordenadores, diretores e técnicos administrativos e
- pontualidade nas aulas e nas demais atividades acadêmicas do curso e/ou da
instituição;
5. Recomendações:
- evitar trazer objetos de valor para as dependências da Faculdade. A Faculdade não se
responsabiliza por objetos pessoais furtados no interior do seu campus;
- é proibido fumar nas dependências da Faculdade e
- procurar trajar-se de modo adequado ao ambiente acadêmico.

6. Utilização do Laboratório de Informática: observar que os recursos computacionais da


Faculdade destinam-se exclusivamente ao desenvolvimento de suas atividades de ensino,
pesquisa e extensão e é vedado ao corpo discente:
- degradar o sistema ou interferir no trabalho dos demais usuários;
- fazer uso de falhas de configuração, falhas de segurança ou conhecimento de senhas
especiais para alterar o sistema computacional;
- fazer uso de meios eletrônicos para enviar mensagens ou sediar páginas ofensivas,
preconceituosas ou caluniosas;
- danificar as instalações, equipamentos e material didático colocados à disposição do

68
manualdoaluno2010

aluno;
- fazer cópia de programas que estejam disponíveis na rede, ficando os infratores sujeitos
às penalidades da lei;
- tentativas de reparo dos equipamentos ou remoção de componentes;
- utilizar papéis colocados nos periféricos de saída (impressoras, plotters, etc.) de maneira
abusiva. Os responsáveis pelo laboratório estão autorizados a interromper as impressões
que não respeitem esse compromisso;
- utilizar jogos não autorizados pelo professor e
- desrespeitar técnico-administrativos e monitores do laboratório, bem como outros
usuários.

23. Regime Disciplinar


23.1 O Regime Disciplinar visa alcançar os objetivos da Instituição bem como assegurar
normas de convivência humana que ensejem as atividades de ensino-aprendizagem e o
crescimento pessoal.

23.1.1 Adota-se como princípio norteador do Regime Disciplinar na Instituição o conceito


do Professor Luiz Alves de Mattos5: “consideram-se como atos de indisciplina todas as
atitudes, palavras e ações, que contrariam as normas do bom comportamento e do convívio
social ou atentam contra a moral, a autoridade, a propriedade, a boa ordem, o espírito e as
tradições da instituição”.

23.2 O Regime Disciplinar baseia-se no cumprimento dos seguintes preceitos gerais:


I – respeito aos princípios éticos que regem a Faculdade Brasileira - UNIVIX;
II – respeito à integridade física e moral de todas as pessoas envolvidas no convívio
escolar;
III – preservação do patrimônio moral, científico, cultural e material da Faculdade
Brasileira - UNIVIX;
IV – acatamento às disposições legais, estatutárias e regimentais que visem assegurar o
exercício das funções pedagógicas;
V – manutenção de clima de harmonia, cordialidade e elevado
companheirismo entre os Corpos Discente, Docente e Técnico-Administrativo.
Alunos regularmente matriculados na Faculdade Brasileira - UNIVIX, cujo
comportamento
macule a imagem e o bom nome da Instituição, durante as atividades cotidianas da
faculdade, em colações de grau, eventos artísticos, desportivos e culturais, visitas técnicas

5 MATTOS, Luiz Alves de. Sumário de Didática Geral. Rio de Janeiro: Aurora, 1997.

69
manualdoaluno2010

e viagens de estudo, bem como em quaisquer manifestações públicas de recepção de


alunos calouros por alunos veteranos, com ou sem a aquiescência dos primeiros, estão
sujeitos às normas disciplinares.

23.3 São direitos dos integrantes do corpo discente:


I – participar das atividades curriculares oferecidas aos alunos, atendidas as normas da
Instituição;
II – ser atendido por todos os integrantes do quadro de pessoal, observada a sequência
hierárquica da estrutura da Instituição;
III – frequentar as dependências da Instituição, observando as normas de acesso e
permanência;
IV – conhecer o registro de infração – Processo Disciplinar – de eventual penalidade,
tendo garantido o direito de defesa;
V – conhecer todas as normas e regulamentos vigentes na Instituição;
VI – apresentar sugestões, por ocasião da Avaliação Institucional ou por outro meio, para
melhoria dos recursos humanos, materiais e do processo ensino-aprendizagem.

23.4 São deveres dos integrantes do corpo discente:


I – participar efetivamente das atividades de ensino, objetivando o maior aproveitamento,
mantendo respeito e atenção;
II – comparecer, quando convocado, à Direção, às Coordenações e aos demais Setores,
para conhecimento ou deliberação de assuntos que lhe digam respeito;
III – colaborar para conservação, higiene e manutenção dos ambientes e do patrimônio
da Instituição;
IV – cumprir as normas de utilização de ambientes e equipamentos e orientações sobre
a prevenção de acidentes na Instituição;
V – utilizar de forma apropriada, nas dependências da Instituição, instrumento de
identificação oficial, mantendo-o em bom estado de conservação;
VI – participar dos atos cívicos e culturais previstos no Calendário;
VII – manter silêncio nas proximidades das salas de aula, núcleos de práticas, laboratórios,
biblioteca e demais dependências da Instituição;
VIII – responsabilizar-se pelo seu material escolar e pertences particulares trazidos à
Instituição;
IX – proceder de forma a não ferir a integridade física e moral das pessoas, tratando-as
com respeito e educação;
70
manualdoaluno2010

X – submeter à aprovação da Coordenação de Curso eventuais convites a visitantes para


quaisquer atividades na Instituição.

23.5 A responsabilidade pela manutenção da disciplina, além do que prescrevem as normas


legais e as emanadas dos Conselhos Superior e Acadêmico, compete ao/aos:
I – Diretor;
II – Colegiados de Curso;
III – Coordenadores;
IV – Docentes;
V – Secretário Geral, Bibliotecário, Superintendentes, Chefes de Setores, Técnicos de
Laboratório e Seguranças.

23.6 Processos Disciplinares 23.1


A inobservância dos processos instituídos no Código de Conduta ou infrações, que atentem
contra a moral, a ética, a integridade física, ou que sejam ilegais, são passíveis de sanções
disciplinares, conforme descrito a seguir. Enviar para Sanções Disciplinares
23.6.1 A instauração de Processo Disciplinar é iniciada, na maior brevidade possível, a partir
do recebimento do Boletim de Ocorrência, sendo tolerado o prazo máximo de 1 (um) ano a
contar da ciência do ato infrator, e observa o procedimento previsto em norma específica.

23.6.2 O Processo Disciplinar é instaurado pela autoridade competente, mediante a


apresentação de ocorrência por qualquer membro do Corpo Discente, Docente, Técnico-
Administrativo, da Mantenedora ou Autoridade Acadêmica.

23.6.3 É competente para a instauração do Processo Disciplinar o Diretor, independente de


quem tenha praticado o ato infrator, que indica a Comissão Disciplinar Apuradora.
23.6.4 O Processo Disciplinar é instaurado mediante memorando da Direção resumindo
o conteúdo da infração disciplinar imputada ao interessado, e dando-lhe oportunidade de
defesa por escrito, no prazo de 05 (cinco) dias contados de sua ciência.

23.6.5 Apresentada a defesa por parte do interessado, a Comissão Disciplinar providencia


a produção das provas complementares que entender pertinentes, podendo tomar o
depoimento pessoal dos interessados, proceder à oitiva de testemunhas, à juntada de novos
documentos e produção de demais provas que entender pertinentes, garantindo que ao
interessado seja dada ciência dos dias, horas e locais em que os atos devam praticar-se, ou
no caso de novos documentos, notificando-o para deles tomar ciência.

71
manualdoaluno2010

23.6.6 São tomados, primeiramente os depoimentos pessoais dos interessados e,


posteriormente, as testemunhas apresentadas, todos separadamente, tendo seus depoimentos
reduzidos a termo.

23.6.7 Os interessados têm garantia de audiência durante o Processo Disciplinar.

23.6.8 Com ou sem defesa por parte do interessado e esgotada a fase probatória, a Comissão
Disciplinar formula seu relatório, no qual resume as principais peças e atos praticados,
menciona as provas em que baseou sua convicção, indicando o dispositivo transgredido,
as circunstâncias agravantes ou atenuantes previstas neste Manual e no Regimento Geral da
Instituição, e submete o processo ao Diretor.

23.6.9 A autoridade competente profere sua decisão aplicando a penalidade correspondente,


sendo certo que o relatório prévio não a vincula, podendo, motivadamente, agravar, abrandar
ou isentar o interessado da penalidade proposta pela Comissão.

23.6.10 O interessado é convocado e notificado das decisões proferidas na hipótese do


inciso anterior.
23.6.11 A aplicação de qualquer penalidade não desobriga o punido do ressarcimento de
danos materiais ou morais causados à Mantenedora e à Faculdade.

23.6.12 O aluno tem sua candidatura impugnada em qualquer representação estudantil ou


perde o mandato caso já esteja exercendo a representação.
Sanções Disciplinares

23.7 As sanções disciplinares são as seguintes:


I – Advertência por escrito;
II – Repreensão, por escrito;
III – Suspensão de até 07 (sete) dias;
IV – Suspensão de 08 (oito) até 14 (quatorze) dias;
V – Desligamento.

23.7.1 As sanções podem vir combinadas com pedido de retratação ao ofendido.


23.7.2 No caso específico de aplicação de suspensão, a não observância dos dias de
suspensão incide em penalidade adicional de suspensão de três dias extras para cada dia
não observado.
23.8 As sanções previstas no item anterior são aplicáveis da seguinte forma:
I – Advertência por escrito, por:
a) descortesia a quaisquer membros da Diretoria e Coordenações, do Corpo Docente,

72
manualdoaluno2010

do Corpo Discente, do Corpo Técnico-Administrativo ou da Entidade Mantenedora;


b) ingresso em sala de aula para aviso, ou em qualquer outro recinto da instituição sem
expressa autorização das autoridades competentes;
c) utilização de aparelhos eletro-eletrônicos durante o horário de aula, sem a autorização
da autoridade competente;
d) distribuição de folhetos nas dependências da Faculdade, sem expressa autorização
das autoridades competentes;
e) venda de quaisquer produtos nas dependências da Faculdade, sem expressa
autorização das autoridades competentes.
II – Repreensão por escrito, por:
a) prejuízo material ao patrimônio da Faculdade, além da obrigação de substituir o
objeto danificado ou de indenizá-lo;
b) atos de desrespeito, desobediência, insurgência às determinações de qualquer
membro do corpo docente ou de autoridade acadêmica ou administrativa, ou ainda,
quaisquer outros que ocasionem violações das normas disciplinares;
c) prática de atos atentatórios à moral ou aos bons costumes;
d) utilização dos espaços institucionais sem a devida autorização da autoridade
competente;
e) reincidência das faltas previstas no inciso I.
III – Suspensão, de até 7 (sete) dias, por:
a) perturbação dos trabalhos escolares, da ordem no recinto da instituição, bem como
o funcionamento da administração, com atitudes que reflitam elevação do tom de
voz, discussão e alteração de humor, que tragam publicidade e repercussão interna
ou externa;
b) guarda, transporte e utilização de arma, de substância que cause dependência, ou
de bebida alcoólica;
c) incitamento a atitudes de insurgência individual ou coletiva às regras da instituição;
d) pronunciamento de discursos inflamados em aglomeração nas dependências da
instituição;
e) improbidade na execução de atividades escolares, inclusive com utilização de meios
fraudulentos, com o propósito de obter aprovação ou eleição;
f) desrespeito à autoridade constituída dos Diretores, Coordenadores, Professores e
Técnico-Administrativos, a discentes e a membros da Entidade Mantenedora;
g) reincidência nas faltas previstas nos incisos I e II;

IV – Suspensão, de 8 (oito) até 14 (quatorze) dias:


a) por práticas de atos desonestos incompatíveis com a dignidade do meio acadêmico.
Inclui-se neste inciso a burla do controle da catraca, isto é, emprestando ou tomando
emprestado o cartão de aluno, bem como cartão de visitante ou passando sobre ou sob
as catracas de acesso da faculdade.

73
manualdoaluno2010

b) ofensa ou agressão moral a qualquer membro do Corpo Docente, Discente, Técnico-


Administrativo ou da Entidade Mantenedora;
c) utilização de expressões, termos ou palavras, escrita ou oralmente, que demonstrem
sarcasmo, deboche, desrespeito ou agressão desnecessária a qualquer membro do
Corpo Docente, Discente ou Técnico Administrativo e da Entidade Mantenedora;
d) reincidência nas faltas previstas nos incisos II e III;

V – Desligamento, por:
a) incitamento a movimentos que causem tumulto nas dependências da Faculdade,
inclusive trote, este considerado como ato ilegal conforme a Lei Estadual nº 8.364, de
03 de julho de 2006.
b) ofensa grave ou agressão a qualquer membro da Direção da Faculdade ou da
Mantenedora, do Corpo Docente, Discente ou Técnico-Administrativo da Instituição
Mantenedora;
c) prática de atos desonestos ou definidos como infração pelas leis penais, incompatíveis
com a dignidade do meio acadêmico;
d) maculação da imagem e do bom nome da Instituição, durante as atividades cotidianas
da Faculdade, em colações de grau, eventos artísticos, desportivos e culturais, visitas
técnicas e viagens de estudo, bem como em quaisquer manifestações públicas de
recepção de alunos calouros por alunos veteranos, com ou sem a aquiescência dos
primeiros;
e) reincidência das faltas previstas nos incisos II, III e IV.

23.9 Para o fim específico da aplicação das penalidades e determinação do tempo de


suspensão prevista nos incisos III e IV são consideradas as seguintes circunstâncias:

I – Atenuantes:
a) ausência de punição disciplinar anterior.

II – Agravantes:
a) dolo ou culpa;
b) valor do bem moral, cultural ou material atingido;
c) grau da autoridade ofendida.
23.10 Quando a infração disciplinar constituir igualmente delito sujeito à ação penal, a
Diretoria diligencia a remessa de cópias autenticadas do Processo Disciplinar à autoridade
policial competente, se achar conveniente.

23.11 A burla da catraca é considerada falta grave, tendo em vista o desrespeito às normas,
à segurança e ao espaço físico da instituição. Por burla entende-se o empréstimo do cartão
de identificação do aluno (carteirinha), saltar a catraca ou passar por debaixo dela.

23.12 Todas as penalidades aplicadas ficam registradas na pasta individual do aluno.

74
manualdoaluno2010

REQUERIMENTO - Preencher com letra de forma


Nome: Nº Matrícula:
Telefone(s): E-mail:
Curso: Período: Turno: Turma:

Abono de Faltas (Comprovar Serviço Militar,/ Participação em Congressos Científicos ou Competições)


Assinatura de Contrato de Estágio
Assinatura de Relatório de Estágio
Atividades Complementares (Anexar Comprovantes)
Atividades Complementares (Anexar Comprovantes)
Certificado de Monitoria
Colação de Grau em Data Especial
Colação de Grau Oficial
Confecção de Contrato de Estágio
Confecção de Termo Aditivo de Estágio
Declaração de Adimplência
Declaração de Conclusão de Curso
Declaração para Imposto de Renda
Declaração de Regularidade de Matrícula
Desistência de Curso
Dispensa de Disciplina (citar disciplina)
Endereço p/ envio de Boleto (preencher abaixo)
Entrega de Relatório de Estágio
Entrega Contrato Estágio p/ Arquivar na IES
Exame Especial (Extraordinário Aproveitamento)
Estrutura Curricular
Histórico Escolar Completo
Portaria de Autorização
Programas de disciplinas
Prova Substitutiva (citar disciplina/ professor/ data)
Reabertura de Matrícula
Regime Domiciliar (Anexar comprovação legal)
Remoção de turma
Renovação de Matrícula

75
UNIVIX 2010
manualdoaluno2010

Reopção de Curso
Revisão de prova (Anexar Prova)
Trancamento de matrícula
Transferência para outra IES (Anexar cópia da Declaração de Vaga)
Troca de Turno
2ª Via Cartão de Aluno
Outros:

Justificativa: (No caso de alteração de cadastro, especificar abaixo os campos a serem alterados)

Biblioteca. Em ___/____/_____

Secretaria Acadêmica. Em _____/____/____

Central de Atendimento. Em _____/____/____

OBS: Os documentos não retirados no prazo de 90 dias serão eliminados.

Vitória-ES, _____ de _________________ de 20___

________________________ _________________________
Assinatura do Aluno Funcionário Responsável

76