Você está na página 1de 9

CIÊNCIAS DA NATUREZA

E SUAS TECNOLOGIAS
Frente: Biologia I
EAD – MEDICINA
Professor(a): Lásaro Henrique

AULA 13

Assunto: Sistema Linfático e Imunológico

Linfócitos T, reconheceram esses fragmentos e foram ativados e,


consequentemente, dividiram-se e diferenciaram-se. Os descendentes
Resumo Teórico dessas células T ativadas atacaram as células de Washington infectadas
pelos vírus, evitando a propagação letal da doença. Outras células
descendentes daquelas células T persistiram em seu corpo como
“células de memória imunológica” e rapidamente defendiam-no
Introdução quando exposto à doença, na idade adulta.
Durante a Guerra da Independência dos Estados Unidos, o A inoculação dos soldados do exército comandado pelo
general George Washington recebeu relatórios de que os ingleses general, utilizando material colhido de lesões de portadores da
estavam disseminando varíola entre os soldados do exército colonial. varíola contando vírus mortos, estimulava a formação dessas células
Inicialmente, Washington deu pouco crédito a esses relatórios, até de memória em seus corpos, uma vez impedindo que a infecção viral
que os seus soldados começaram a contrair a temida moléstia. Em se propagasse. Essa prática foi utilizada por séculos e teve finalmente
uma época em que a varíola matava 16% das pessoas infectadas, sua base científica descrita por Edward Jenner duas décadas depois
Washington tinha de tomar alguma decisão drástica, se desejasse que Washington vacinou seu exército.
preservar o exército colonial. Sendo assim, tomou uma decisão médico/
militar. Ao escrever para o médico-chefe, relatou: “Encontrando varíola, Componentes do Sistema de Defesa
que está se espalhando rapidamente, e sabendo não existir nenhuma
precaução que evite a sua disseminação por todo o nosso exército, O nosso complexo sistema de defesa apresenta componentes
determinei que toda a tropa seja inoculada. A doença poderá vir com dispersos pelo corpo que interagem com quase todos os tecidos e
sua virulência normal; portanto, deveremos temê-la mais do que a órgãos. Nos tecidos linfóides, podemos incluir: o timo, a medula óssea,
espada do inimigo”. Ao ordenar a inoculação de sua tropa, ele sabia o baço e os linfonodos como partes essenciais do nosso sistema imune.
que, à época, causaria uma taxa de mortalidade de 0,33% (1 em cada No entanto, é fundamental a participação do sangue e da linfa.
300 inoculados morreria). Em 6 de janeiro de 1777, Washington deu O sangue e a linfa são fluídos tissulares constituídos
a ordem de que o exército colonial fosse inoculado com a varíola. essencialmente de água, solutos dissolvidos e componentes celulares.
Tratava-se da inoculação intencional do germe da varíola no corpo, O sangue corresponde a uma variedade de tecido conjuntivo
um procedimento mais perigoso do que a vacina com o vírus da varíola caracterizado por abundante quantidade de matriz extracelular, o
bovina (vacinação antivariólica), desenvolvido alguns anos mais tarde, plasma. O plasma sanguíneo é um líquido ‘amarelado’ que contém
em 1796. Embora não haja dados disponíveis a respeito do número íons dissolvidos, pequenos solutos moleculares e proteínas solúveis.
de mortes causadas pela inoculação, a maior parte das pessoas que Os eritrócitos (glóbulos vermelhos) encontram-se em suspensão
sofreu a inoculação da varíola sobreviveu e ficou protegida da varíola. no plasma sanguíneo, além de glóbulos brancos e de plaquetas
Apesar de arriscada e polêmica, a decisão do general (fragmentos celulares derivados dos megacariócitos essenciais para
baseava-se em sua experiência. Ele próprio havia sido vítima da doença a coagulação do sangue). Os glóbulos vermelhos normalmente são
em 1751, e sobrevivido. Um ano antes de sua ordem, em 1776, seu encontrados apenas no sistema circulatório fechado (coração, artérias,
exército perdeu 1000 homens no campo de batalha, mas 10.000 capilares e veias), enquanto os glóbulos brancos e as plaquetas são
para a varíola. Um século antes, havia documentos que atestavam o também observados na linfa.
poder virulento e letal desta doença na história americana, tendo sido
responsável por dizimar os índios americanos e tornando mais fácil a
colonização pelos europeus.
A verdade é que a taxa de mortalidade causada pela varíola nas
forças armadas revolucionárias decresceu após a ordem de Washington
ser aplicada. Entender a eficiência desta técnica, bem como o porquê
do general Washington ser imune à doença enquanto seu exército
era devastado por ela, encontra-se nas células e nas moléculas do
sistema imune.
A imunidade do general pode ser explicada: quando, na
adolescência, o mesmo contraiu a varíola, determinadas células
especializadas em realizar fagocitose, denominadas macrófagos,
internalizaram alguns vírus da varíola e digeriram-nos parcialmente.
Assim, fragmentos dos vírus foram apresentados na superfície pelos
macrófagos e, então, células brancas especializadas, denominadas

F B O NLINE.COM.BR 015.519 - 14086519

//////////////////
Módulo de Estudo

A linfa corresponde a um tecido de composição similar Imunidade Inata


ao sangue, caracterizado por um plasma que contém substâncias
provenientes do tecido sanguíneo, que dele escaparam através dos As defesas inatas costumam corresponder a mecanismos
vasos capilares e chegaram aos tecidos e aos espaços intersticiais de proteção que promovem a inibição da entrada de patógenos
percorridos por tais vasos. Acumula-se nos espaços externos aos vasos – organismos nocivos que podem causar doenças – em outros
sanguíneos e contém vários dos componentes celulares do sangue, organismos.
exceto os glóbulos vermelhos (eritrócitos). Nos organismos humanos, a defesa inata inclui barreiras físicas,
Capilares linfáticos muito finos conduzem o fluido para grandes assim como mecanismos de defesas celulares e químicas.
vasos que se conectam para formar um grande ducto linfático, que se
liga à veia principal (veia subclava esquerda) próxima ao coração. Por Barreiras e Agentes Locais de Defesa
meio deste sistema de vasos, o fluido linfático eventualmente retorna A pele é uma defesa inata primária contra invasores. Os
ao sangue e ao sistema circulatório. fungos, as bactérias e os vírus raramente penetram a pele quando
No trajeto dos vasos linfáticos encontram-se várias estruturas a mesma encontra-se íntegra. Porém, a pele ou uma superfície de
de aspecto arredondado, denominadas linfonodos (nódulos linfáticos), tecido interno lesionada aumenta intensamente o risco de infecção
que correspondem aos locais de maturação de uma variedade de por agentes patogênicos.
glóbulos brancos. Muitas bactérias e fungos vivem normalmente e reproduzem-se
Sendo assim, quando os fluidos linfáticos, provenientes em grande número nas superfícies de nosso corpo sem nos causar
do sangue, passam através destes nódulos, eles são filtrados e doenças. Esses ocupantes são denominados microbiota normal, e
“inspecionados” por essas células de defesa para a retenção de promovem um tipo de defesa inata ao competir com patógenos por
materiais estranhos. Somente depois desta importante vigilância, espaço e nutrientes.
o fluido segue em direção à veia subclava esquerda e retornará ao Os tecidos que secretam muco encontrado em partes dos
sistema circulatório. sistemas visual, respiratório, digestivo, excretor e reprodutivo têm
outras defesas contra patógenos. As lágrimas, o muco nasal e a
Imunidade Inata e Adaptativa saliva possuem uma enzima denominada lisozima, que ataca as
paredes celulares de várias bactérias. O muco das narinas retém
Qualquer resposta imune envolve, primeiramente, o os microrganismos nas vias aéreas superiores, sendo que a maioria
reconhecimento do patógeno ou de qualquer outro material estranho deles termina sendo capturada pelo muco das regiões profundas
e, em segundo lugar, a elaboração de uma reação, com o objetivo do trato respiratório. Os espirros são outra maneira de remover os
de eliminá-lo do organismo. De uma forma mais ampla, os diferentes microrganismos do trato respiratório.
tipos de resposta imune enquadram-se em duas categorias: respostas O estômago corresponde a uma região extremamente inóspita
inatas (ou não adaptativas) e respostas imunes adaptativas. para várias bactérias devido à secreção de ácido clorídrico e das enzimas
A principal diferença verificada entre estes dois tipos de resposta que digerem proteínas, que são aí assentadas.
é que a resposta imune adaptativa corresponde a um mecanismo de Todas essas barreiras e secreções são mecanismos de defesa
elevada especificidade para um dado patógeno. Além disso, podemos não específicos porque podem agir da mesma maneira sobre todos
afirmar que apesar da resposta inata não se alterar mediante exposição os patógenos invasores.
repetida a um dado agente infeccioso, a resposta adaptativa torna-se
cada vez mais eficiente após cada encontro sucessivo com o mesmo
patógeno: na realidade, o sistema imune adaptativo “memoriza” o
agente infeccioso, evitando, desta forma, que este mesmo patógeno
venha posteriormente a causar a doença.
Por exemplo, certamente você já ouviu dizer que uma pessoa
“só pega sarampo e difteria uma única vez”, isso ocorre devido à
exposição aos patógenos causadores destas doenças induzirem a uma
reposta imune adaptativa, que gera uma imunidade prolongada após
a infecção. Com isso, as duas principais características de uma reposta
imune adaptativa são a memória e a especificidade.

Processos Químicos e Celulares da Imunidade Inata


Existem também defesas não específicas (inatas) para
patógenos que promovem a danificação das superfícies externas ou
internas do corpo para penetrá-lo. Essas defesas adicionais incluem a
secreção de várias proteínas protetoras, assim como células de defesa
envolvidas com a fagocitose.
O sangue de organismos vertebrados costuma possuir uma
variedade de 20 proteínas com ação antimicrobiana que compõe o
sistema complemento. Essas proteínas, em combinações diferentes,
fornecem três tipos de defesa, promovendo um efeito “cascata”, em
que cada proteína promove: 1. Capacidade de aderir às membranas
dos micróbios, auxiliando assim os fagócitos a destruí-los; 2. Ativação
da resposta inflamatória para atrair os fagócitos para o local da
infecção; 3. Em colaboração com os anticorpos, lisam (rompem) as
células invasoras, como bactérias.

F B O NLINE.COM.BR 2 015.519 - 14086519

//////////////////
Módulo de Estudo

Interferons A propriedade vasodilatadora da histamina é a responsável pela


vermelhidão e calor nas áreas infectadas ou lesionadas. A histamina
Quando as células são infectadas por vírus, produzem faz com que também os capilares tornem-se frouxos (permeáveis),
pequenas quantidades de uma proteína antimicrobiana conhecida possibilitando o escape de plasma sanguíneo e de fagócitos para os
como interferon, que aumenta a resistência de células vizinhas à tecidos, causando o inchaço característico. A dor da inflamação é
célula infectada contra infecções do mesmo vírus ou até mesmo de resultante do aumento da pressão (decorrente do inchaço) e da ação
outros vírus. de enzimas liberadas.
Como não possuem uma especificidade de reposta imune, os Os macrófagos internalizam os invasores e os restos celulares
interferons correspondem a uma das linhas de defesa não específica e são os responsáveis pela cura ou pela resolução das inflamações.
do corpo contra infecções virais. Produzem várias citocinas que, entre outras funções, sinalizam ao
cérebro para produzir febre, que inibe o crescimento de patógenos
Fagocitose invasores. As citocinas podem também atrair células fagocíticas ao local
À fagocitose corresponde uma significativa defesa inespecífica de lesão e iniciar uma reposta imune específica contra o patógeno.
contra patógenos que penetram a superfície de um hospedeiro. Alguns Uma possível consequência da inflamação é a formação de
fagócitos trafegam livremente no sistema circulatório; outros podem pus. Ele é composto de células mortas (neutrófilos e corpos celulares
deixar os vasos sanguíneos e se aderir a certos tecidos. Os patógenos, lesados) e pelo fluido liberado. Um resultado natural da inflamação
assim como moléculas grandes, células e vírus, ficam aderidos à é o pus ser gradativamente consumido e digerido pelos macrófagos.
membrana do fagócito, que o internaliza por endocitose – movimento
de englobamento de partículas. Depois que ocorre a fusão do lisossomo
primário com o fagossomo, o patógeno é degradado por enzimas
hidrolases lisossomais.
• Os neutrófilos são os fagócitos mais abundantes, mas têm uma
meia-vida relativamente curta. Eles reconhecem e atacam patógenos
em tecidos infectados.
• Os monócitos diferenciam-se em macrófagos, que vivem mais que
os neutrófilos e podem destruir números superiores de patógenos.
Alguns macrófagos migram pelo corpo; outros são residentes
permanentes nos linfonodos, no baço e em alguns outros tecidos
linfóides, “inspecionando” a linfa em busca de patógenos.

• Os eosinófilos são fracamente fagocíticos. Sua função primária


é matar parasitas, como vermes, que tenham sido cobertos por
anticorpos. Esquema da resposta inflamatória.

Uma classe de glóbulos não-fagocíticos, conhecidos como


células assassinas naturais (do inglês natural killer cells), pode Imunidade Adaptativa
reconhecer células infectadas por vírus e algumas células tumorais em
comparação com as células normais e realizar a lise dessas células-alvo.
(Resposta Imune Específica)
Além dessa ação inespecífica, as células assassinas naturais também As defesas inespecíficas são numerosas e eficientes como
fazem parte da defesa específica, como descreveremos mais adiante. podemos observar, mas alguns invasores escapam a elas e precisam
ser combatidos pelos mecanismos de defesa específicos direcionados
Inflamação contra invasores perigosos. O reconhecimento e a destruição de
substâncias específicas não próprias são importantes funções do
As células do sistema imune estão amplamente distribuídas sistema imune dos animais.
pelo organismo, mas quando se instala um processo infeccioso, há a
necessidade de concentrar estas células e seus produtos no local da
Especificidade
infecção. Este processo denominado inflamação compreende alguns
sintomas como: vermelhidão e inchaço, acompanhados de calor Os antígenos correspondiam a qualquer molécula que
e de dor. Os corpos celulares lesionados causam esta reação pela induzisse a produção de anticorpos específicos pelas células B (linfócitos
liberação de várias substâncias, como a histamina, um sinalizador B ou plasmócitos). Atualmente, no entanto, esse termo é amplamente
químico. Algumas células aderem à pele ou localizam-se nas regiões utilizado para indicar qualquer molécula que possa ser reconhecida
que circundam os órgãos, como os mastócitos, que liberam histamina pelos elementos do sistema imune adaptativo, ou seja, linfócitos T,
quando lesionados, assim como também os basófilos. linfócitos B ou ambos.
015.519 - 14086519
3 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

Os sítios específicos nos antígenos que são reconhecidos Os linfócitos T auxiliadores (CD4) possuem proteínas de
pelo sistema imune são chamados de determinantes antigênicos. membrana que reconhecem e ligam-se aos determinantes antigênicos,
Quimicamente, um determinante antigênico é uma porção específica enquanto continuam compondo a membrana plasmática das células.
de uma molécula maior, como uma sequência de aminoácidos que Quando esse reconhecimento linfócito T/determinante antigênico
pode estar presente em várias proteínas. Os antígenos grandes, como acontece, tem-se início a resposta imune.
células inteiras, podem ter vários determinantes antigênicos diferentes Neste caso, os linfócitos T auxiliadores produzem substâncias
em sua superfície, cada um sendo capaz de interagir especificamente (interleucinas) que ativam a diferenciação de Linfócitos T citotóxicos
com anticorpos ou células T. (CD8), que lançam sobre as células infectadas substâncias denominadas
de perfurinas, que promovem a ruptura da membrana plasmática das
Diversidade células alteradas, matando-as por indução de lise celular.
Os desafios ao sistema imune são frequentes moléculas
individuais, vírus, bactérias, protoctistas e parasitas multicelulares.
Cada um desses tipos de patógenos em potencial inclui várias espécies
e cada um das espécies inclui várias subespécies que geram cepas
geneticamente distintas; cada cepa possui múltiplas características em
sua superfície, cada uma dessas é apresentada ao sistema imune. As
estimativas são de que os humanos podem responder especificamente
a 10 milhões de determinantes antigênicos diferentes.

Saber distinguir
O organismo humano possui dezenas de milhares de moléculas
protéicas diferentes, cada uma com uma estrutura tridimensional capaz
de gerar uma resposta imune. Cada célula carrega um enorme número Memória Imunológica
de determinantes antigênicos. Uma das atividades cruciais do sistema
Durante a interatividade da imunidade humoral e celular, um
imune é o reconhecimento dos determinantes antigênicos do próprio
dos linfócitos (célula B ou T) ativado produz dois tipos de células filhas,
organismo e a não produção de respostas contra eles. Uma falha nessa
células efetoras e células de memória.
distinção pode levar a uma doença auto-imune.
• As células efetoras realizam o ataque ao antígeno. Elas tanto podem
ser plasmócitos, produtores de anticorpos, ou células T que, uma
A interatividade da resposta imune adaptativa vez coligado ao determinante antigênico, liberam mensageiros
O sistema imune corresponde a duas respostas contra moleculares. As células efetoras vivem poucos dias.
invasores: a imune humoral e a imune celular. As duas respostas • As células de memória são células de vida longa que possuem a
operam em consonância – simultânea e cooperativamente, produzindo capacidade de iniciar uma divisão ao menor sinal de estimulação,
mecanismos complementares. produzindo mais células efetoras e mais células de memória. As
células de memória podem sobreviver por décadas.
Os linfócitos B e a imunidade humoral
Assim, quando somos submetidos ao encontro, pela primeira
Na resposta imune humoral (do latim “humor”, “fluido”), os vez, com um determinado antígeno, teremos uma resposta imunitária
anticorpos passam a agir com os determinantes antigênicos do invasor primária, e linfócitos produzem clones de células efetoras e de
quando ele se encontra no sangue, na linfa e nos fluidos tissulares. memória. As células efetoras destroem os invasores e morrem, mas um
Um animal tem a capacidade de produzir uma vasta quantidade de ou mais clones de células de memória foram gerados e compõem agora
anticorpos que pode reagir com quase todos os antígenos conhecidos. o sistema imune e são determinantes para a memória imunológica.
Muitos destes anticorpos podem ser solúveis e deslocam-se livremente Isso permite-nos entender que os encontros subsequentes
através do sangue e da linfa; outros anticorpos são proteínas integrais com o mesmo antígeno irão resultar em uma grande e mais rápida
de membranas em linfócitos especializados, denominados células B. produção de anticorpos antígeno-específico ou células T. Essa resposta
Na primeira vez que um antígeno específico invade o corpo, é denominada de resposta imunitária secundária.
ele pode ser detectado por meio de uma ligação com uma célula B
cujo anticorpo de membrana reconhece um de seus determinantes Concentração no plasma
antigênicos. Essa célula B, ativada (plasmócitos) passa a produzir de anticorpos específicos
várias cópias do anticorpo na forma solúvel possuindo a mesma para o antígeno introduzido
especificidade do anticorpo de membrana. 100 no corpo de um indivíduo
Assim, os anticorpos solúveis saem à “caça” dos antígenos, Resposta
tornando-os inativos e favorecendo sua destruição pelas células 10 secundária
Resposta
fagocitárias. Cerca de 20% das proteínas solúveis presentes no
primária
plasma sanguíneo humano são anticorpos produzidos em resposta a 1
substâncias estranhas que penetraram no organismo.

Os linfócitos T e a imunidade celular 0 10 20 30 40 50 60


Tempo
A resposta imune celular direciona-se contra antígenos que em
se estabeleceram no interior de uma célula do animal hospedeiro. Ela dias
detecta e destrói células infectadas por vírus que sofreram mutações. 1º inoculação 2º inoculação
Neste tipo de resposta não há a participação de anticorpos. do antígeno do mesmo antígeno
Em vez disso, ela é mediada por linfócitos T citotóxicos no interior de
linfonodos.

F B O NLINE.COM.BR 4 015.519 - 14086519

//////////////////
Módulo de Estudo

Graças à memória imunológica, desenvolvemos imunidade 02. (G1-CTFMG/2015-Adaptada) A célula humana a seguir está
natural para doenças como catapora, sarampo, entre outras. capturando bactérias no processo conhecido como fagocitose.

Vacinoterapia e Soroterapia

Vacinação ou Imunização ativa Bactéria


Uma área na qual os estudos imunológicos tiveram aplicação
e sucesso quase imediatos foi, sem dúvida, o campo das vacinas. O
princípio da vacinação está baseado com dois elementos fundamentais
da resposta imune adaptativa, memória e especificidade. Macrófago fagocitando
As células de memória permitem ao sistema imune elaborar
uma resposta de melhor qualidade e maior intensidade a partir A função desse processo para o organismo humano é a:
do segundo encontro com o antígeno. Deste modo, esta resposta A) defesa contra infecções.
secundária dá-se de forma mais rápida e mais eficiente. B) obtenção de nutrientes.
O objetivo profilático no desenvolvimento da vacina é C) realização de mutualismo.
alterar o patógeno ou suas toxinas de tal modo que eles se tornem
D) formação de novas células.
inócuos (inofensivos) sem perder a antigenicidade (capacidade de ser
reconhecido como antígeno). Bom, isto se torna possível porque os
anticorpos e as células T citotóxicas reconhecem determinadas partes 03. (UFF/2012) O sistema imune apresenta um tipo de célula que passa
dos antígenos, os epítopos (determinantes antigênicos), e não o do vaso sanguíneo para o tecido conjuntivo onde irá exercer sua
organismo ou a toxina como um todo. Como exemplo, podemos citar função de defesa. A célula e a passagem são, respectivamente,
a vacina anti-tetânica. O bacilo do tétano produz uma toxina que age identificadas como:
nos receptores, causando a contração tetânica dos músculos. A toxina
A) basófilos e pinocitose.
pode ser modificada pelo tratamento com formalina de maneira que
ela mantém seus determinantes antigênicos, mas perde sua toxicidade; B) macrófagos e fagocitose.
o toxóide resultante é utilizado como vacina. C) leucócitos e endocitose.
D) leucócitos e diapedese.
Soroterapia ou Imunização passiva E) glóbulos brancos e endocitose.
A imunização passiva pode ser adquirida sem que o sistema
imune seja estimulado por um antígeno. Isso é feito pela transferência 04. (Enem/2011) O vírus do papiloma humano (HPV, na sigla em inglês)
de soro ou imunoglobulinas de um doador imune para um indivíduo causa o aparecimento de verrugas e infecção persistente, sendo o
não imune. Alternativamente, células imunes de um indivíduo principal fator ambiental do câncer de colo de útero nas mulheres.
imunizado podem ser usadas para transferir imunidade. Imunidade
passiva pode ser adquirida naturalmente ou artificialmente. O vírus pode entrar pela pele ou por mucosas do corpo, o qual
Podemos citar a imunidade passiva naturalmente adquirida desenvolve anticorpos contra a ameaça, embora em alguns casos a
como a capacidade de transferência placentária da mãe para o feto defesa natural do organismo não seja suficiente. Foi desenvolvida
de IgG ou transferência de IgA pelo colostro. uma vacina contra o HPV, que reduz em até 90% as verrugas e
A imunização passiva artificial acontece a partir da preparação 85,6% dos casos de infecção persistente em comparação com
de soro, com a injeção de doses sucessivas e crescentes do antígeno
em cabras, cavalos e outros mamíferos de grande porte. Como ocorre pessoas não vacinadas.
inicialmente uma pequena quantidade de antígeno injetada, não Disponível em: <http://g1.globo.com>. Acesso em: 12 jun. 2011.
acontecerá prejuízo ao animal e, à medida que dosagens maiores vão
sendo administradas de forma crescente, a produção de anticorpos O benefício da utilização dessa vacina é que pessoas vacinadas,
presente evita prejuízos à saúde do animal. em comparação com as não vacinadas, apresentam diferentes
A análise do sangue do animal imunizado revela a presença respostas ao vírus HPV em decorrência da:
dos anticorpos especificamente produzidos, que serão purificados, e
A) alta concentração de macrófagos.
então constituintes do soro imune. No entanto, diferentemente da
imunização ativa, a soroterapia não estimula a formação de células de B) elevada taxa de anticorpos específicos anti-HPV circulares.
memória e, por isso, não confere imunidade permanente. C) aumento na produção de hemácias após a infecção por vírus
HPV.
D) rapidez na produção de altas concentrações de linfócitos
Exercícios matadores.
E) presença de células de memória que atuam na resposta
secundária.
01. (PUCPR/2015) Muito desenvolvido nos recém-nascidos, este órgão,
cujas células são, principalmente, os linfócitos T, começa a atrofiar
gradualmente após a puberdade. Qual é este órgão?
A) Baço.
B) Tonsila palatina.
C) Tonsila faríngea.
D) Timo.
E) Medula óssea.

015.519 - 14086519
5 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

05. (UFPE/2010 – Adaptada) As vacinas representam algumas das 07. (Unesp) O gráfico a seguir mostra as respostas primária e
principais ferramentas humanas para o combate às infecções. secundária da produção de anticorpos quando o indivíduo é
Sobre este assunto, leia a tabela a seguir, onde consta o calendário submetido a injeções de antígenos.
básico de vacinação adotado no Brasil, para crianças, assinalando
a opção correta. resposta
secundária

Nível de anticorpos
Idade Vacinas Dose
A
Ao BCG-ID única

no sangue
nascer Hepatite B 1ª dose resposta
primária B
1 mês Hepatite B 2ª dose
Tetravalente (DTP + Hib) 1ª dose
C
2 meses VOP (vacina oral contra a pólio, Sabin) 1ª dose
VORH (vacina oral contra rotavírus humano) 1ª dose 10 20 30 40 50 60 70 80 90
0
Tempo
Tetravalente (DTP + Hib) 2ª dose 1ª injeção 2ª injeção
4 meses em dias
VOP (vacina oral contra a pólio, Sabin) 2ª dose de antígeno de antígeno
VORH (vacina oral contra rotavírus humano) 2ª dose
Tetravalente (DTP + Hib) 3ª dose Analisando o gráfico, responda:
6 meses A) Qual a função do antígeno e qual curva corresponde às
VOP (vacina oral contra a pólio, Sabin) 3ª dose
Hepatite B 3ª dose respostas primária e secundária?
B) Explique o que acontece em relação aos anticorpos nas fases
9 meses Febre amarela única
das respostas primária e secundária.
12 meses SRC (tríplice viral, MMR) única
DTP (tríplice bacteriana) 08. (CFTRJ/2013)
15 meses 1º reforço
VOP (vacina oral contra a pólio, Sabin)
VACINA CONTRA HPV PARA HOMENS
DTP (tríplice bacteriana)
4-6 anos 2º reforço A Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou a
SRC (tríplice viral, MMR)
vacinação contra o HPV de meninos e de homens, entre 9
10 anos Febre amarela Reforço e 26 anos. A vacina ainda não está disponível para a rede
Ministério da Saúde do Brasil.
pública... Protege contra HPV dos tipos 6, 11, 16 e 18.
O tipo 16 é o mais associado ao câncer de boca, cuja incidência
A) Vacinas como a BCG, aplicadas para a prevenção da aumentou no Brasil.
tuberculose, são realizadas em várias doses, pois são muito
Revista Planeta, Jul/2011, Ano 39, Edição 466.
eficientes em estimular linfócitos TCD4, responsáveis pela
produção de anticorpos. A forma de imunização mencionada acima para a doença
B) O título de anticorpos no sangue não se altera após a aplicação sexualmente transmissível denomina-se ativa artificial. A esse
da primeira dose de vacinas, como a Tetravalente e a Hepatite B; respeito, podemos afirmar que:
daí a necessidade da administração de novas doses da vacina. A) em geral, tem a função curativa.
C) A VORH, aplicada contra rotavírus humanos em três doses, não B) injeta no organismo bactéria atenuada que possa ser
induz uma boa imunidade na maioria das pessoas, diferente identificada como antígeno.
da vacina contra febre amarela, que somente precisa de um C) injeta no organismo vírus atenuado que possa ser reconhecido
reforço. como antígeno.
D) A vacina VOP, contra a poliomielite, é uma das vacinas mais D) inocula no indivíduo certa quantidade de anticorpos.
modernas do mundo, pois a simples administração de uma
gotinha contendo antígenos do vírus é suficiente para induzir 09. (UEPB/2013) Analise as proposições apresentadas sobre os
imunidade. processos de imunização.
E) Vacinas de DNA, diferentemente das vacinas mostradas I. Existem dois tipos de resposta imune: a humoral, relacionada
na tabela acima, induzem imunidade após a introdução aos anticorpos presentes no sangue e na linfa, e a celular, que
de sequências genéticas microbianas, que se fundem ao é mediada pelos linfócitos T;
cromossomo humano na célula do hospedeiro. II. O princípio de atuação das vacinas difere do princípio dos soros.
As vacinas desencadeiam um mecanismo de imunização ativa e
06. (Unesp/2015) Em uma novela recentemente exibida na TV, um dos os soros desencadeiam um mecanismo de imunização passiva;
personagens é picado por uma cobra e, para curar-se, recorre a III. Na resposta imunitária secundária, o tempo para a produção de
remédios caseiros e crenças da cultura popular. O médico da cidade, anticorpos é maior e a quantidade de anticorpos produzido é
que não havia sido chamado para tratar do caso, afirmou que a menor, comparando-se com o que ocorre na resposta imunitária
prática adotada não era recomendável, e que “a ‘cura’ só se deu primária.
porque provavelmente a cobra não era venenosa.”
Em se tratando de uma cobra peçonhenta, qual o tratamento mais Assinale a alternativa que apresenta a(s) proposição(ões) correta(s).
adequado: soro ou vacina? Seria importante saber a espécie da A) I, II e III.
cobra? Justifique suas respostas. B) Apenas I e III.
C) Apenas III.
D) Apenas II e III.
E) Apenas I e II.

F B O NLINE.COM.BR 6 015.519 - 14086519

//////////////////
Módulo de Estudo

10. (Unesp/2013-Adaptada) Em 2012, assim como em anos anteriores, o 12. (UFRGS/2012) O quadro abaixo apresenta, na primeira linha,
Ministério da Saúde promoveu a campanha para a vacinação contra tipos de antígenos; na segunda, células apresentadoras
a gripe. A seguir, o cartaz informativo da campanha. desses antígenos; e, na terceira, células que interagem com as
apresentadoras no contexto especificado.

Reprodução/Unesp 2013
Toxinas
1 Bactérias extracelulares

Qualquer
célula Macrófago
3
Linfócitos T citotóxicos Linfócitos T auxiliares
No cartaz, lemos que devem ser vacinadas ‘‘Pessoas com 60 anos (CD8)
2 (CD4)
ou mais”.
Essa recomendação aplica-se a todos os que têm mais de 60
anos, independentemente de terem sido vacinados antes, ou Assinale a alternativa que apresenta a sequência de termos que
somente àqueles que têm mais de 60 anos que não tinham correspondem, respectivamente, aos números 1, 2 e 3 no quadro.
sido vacinados em anos anteriores? Justifique sua resposta, A) Células mortas — Linfócitos T auxiliares (CD4) — Célula B
tendo por base as características antigênicas do vírus da gripe, e B) Vírus — Células de memória — Célula dendrítica
explicando como a vacina protege o indivíduo contra a doença. C) Parasitas — Células de memória — Linfócitos T citotóxicos (CD8)
D) Células mortas — Linfócitos T Citotóxicos (CD8) — Célula
11. (IFPE/2012) “A vacina contra a malária está em fase final de dendrítica
testes. Quando for comprovada a sua eficácia, sem efeitos E) Vírus — Linfócitos T auxiliares (CD4) — Célula B
colaterais para o ser humano, em torno de 250 milhões de
pessoas deixarão de ser infectadas anualmente – e pelo menos 13. (UFG/2012) Considere que um bebê recém-nascido saudável não
1 milhão de mortes poderão ser evitadas em todo o mundo“. pôde ser amamentado com leite materno, mas foi alimentado
“Os brasileiros que mudaram as regras do jogo ajudando a criar um adequadamente desde o nascimento com fórmulas lácteas
mundo novo” – Revista VEJA, edição 2232, de 31 de agosto de 2011.
exclusivas para lactentes. No entanto, mesmo tendo sido
alimentado corretamente, haverá para o bebê, falha:
A vacina em questão está sendo desenvolvida por Ruth e Victor
A) no ganho de massa muscular.
Nussenzweig, pesquisadores formados em São Paulo e que
trabalham na Universidade de Nova York. B) no ganho de estatura.
C) no armazenamento lipídico.
Sobre a malária, a produção e a utilização de vacinas na D) na transferência da imunização passiva.
prevenção de doenças, assinale a única afirmativa correta. E) na transferência da imunização ativa.
A) A malária é uma doença endêmica do Norte do Brasil e a
vacinação consiste em injetar, nas pessoas que se deseja 14. (PUC-RS/2012) Referente a vacinas, assinalando os parênteses
imunizar, antígenos específicos para induzir à produção de
com (V) verdadeiro ou (F) falso:
anticorpos, como forma preventiva da doença.
( ) Vacinas compõem-se de bactérias, de vírus ou, ainda, de
B) A malária é transmitida aos humanos pelo mosquito do
gênero Anopheles. É epidêmica, principalmente na região micro-organismos patogênicos inteiros, enfraquecidos ou
Norte do Brasil, e a vacinação consiste em injetar no paciente mortos, que são introduzidos em animais.
acometido anticorpos específicos para destruir o agente ( ) Vacinas simulam infecções patogênicas, pois desencadeiam
patogênico. a produção de um agente infeccioso que deixará o
C) A malária é causada por um parasita do sangue, um organismo imune ou resistente ao agente verdadeiro.
protozoário do gênero Plamodium, transmitida pela picada ( ) O organismo vacinado é protegido graças à memória
de insetos vetores, e a vacinação consiste em estimular a imunológica, a qual reconhecerá o agente patogênico
produção de antígenos pelo paciente, inoculando-o com o
em futuras infecções, aumentando a eficiência do
próprio agente patogênico.
sistema imune para combatê-lo.
D) Embora a vacinação seja um método eficiente no combate
a várias doenças como a malária, o uso de medidas simples
pela população, tais como lavar bem as mãos antes das A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima
refeições e lavar bem os alimentos, principalmente os para baixo, é:
ingeridos crus, seriam medidas suficientes para minimizar A) V – V – V
os efeitos da doença em questão. B) F – V – F
E) Como a bactéria causadora da malária é transmitida através da C) V – F – F
tosse e espirros da pessoa contaminada, além da vacinação – uma D) F – F – V
eficiente forma de prevenção da doença –, a população deverá E) V – F – V
evitar aglomerados humanos que é a forma mais comum de
propagação da malária.

015.519 - 14086519
7 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////
Módulo de Estudo

15. (Uepa/2012) A criação da vacina contra alguns tipos de E) Falso. As vacinas de DNA não se fundem ao cromossomo
Papilomavírus humano (HPV) auxilia na prevenção do câncer de celular, permanecendo as sequências genéticas contidas em
colo uterino, estimulando a produção de proteínas específicas plasmídeos no citoplasma, de onde serão gerados os antígenos
(anticorpos), contra este agente causador de Doença Sexualmente microbianos que induzirão imunidade no hospedeiro.
Transmissível. Essa produção de proteínas específicas não
ocorre para a bactéria causadora da Gonorreia, que se expande Resposta: D
amplamente em número de casos, por apresentar resistência a
06. O tratamento imediato a ser feito no caso de picada de cobra
muitos antibióticos utilizados em seu combate. A respeito dos fatos
peçonhenta é a aplicação do soro antiofídico. O soro contém
abordados no enunciado, afirma-se que: anticorpos que neutralizam o efeito do veneno no corpo humano.
A) os glicídios são as unidades básicas formadoras dos anticorpos O conhecimento da espécie de cobra peçonhenta que provocou
imunizantes. o acidente é importante porque, nesse caso, é administrado o
B) os anticorpos são sintetizados no interior das células humanas soro específico, com efeito mais rápido e mais intenso. Os soros
pelo ribossomos. específicos são o anticrotálico, contra o veneno de cascavéis;
C) o HPV e a bactéria causadora da Gonorreia apresentam a antibotrópico, contra o veneno de jararacas; antielapídico, contra
mesma estrutura celular. o veneno de corais verdadeiras; antilaquético, contra o veneno
D) o Dispositivo Intra Uterino (DIU) previne a gravidez indesejada da cobra surucucu; entre outros.
e as doenças referidas.
07.
E) a presença de mitocôndrias confere às bactérias da Gonorreia
A) O antígeno introduzido através da vacinação induz o organismo
resistência aos antibióticos.
a produzir ativamente anticorpos específicos e células de
memória. A curva correspondente às respostas primária e
Resoluções secundária é a indicada pela letra A.
01. O timo é um órgão linfático situado sobre o coração, no qual B) Na resposta primária, o número de anticorpos aumenta pouco
ocorre a diferenciação dos linfócitos T. Esse órgão atrofia e diminui rapidamente. Na resposta secundária, devido à
memória imunológica, o número de anticorpos circulantes
gradualmente após a puberdade.
aumenta muito rapidamente, declinando lentamente.
Resposta: D
08. Na imunização ativa artificial, o corpo fabrica os anticorpos já que
02. A fagocitose de microrganismos patogênicos, realizada pelos o sistema imunológico entra em contato com o antígeno (vírus)
leucócitos, é uma estratégia de defesa contra infecções. atenuado presente na vacina. Este tipo de imunização induz a
produção de células de memória e tem função preventiva.
Resposta: A
Resposta: C
03. Macrófagos e neutrófilos são leucócitos capazes de realizar a
diapedese, isto é, podem se infiltrar através do endotélio capilar 09.
e atingir tecidos infectados. Nesses locais, esses glóbulos brancos III. Incorreto. Na resposta imunitária secundária, o tempo para
fagocitam e destroem os agentes infecciosos. a produção de anticorpos é menor e a quantidade maior,
comparando-se com a resposta imunitária primária, na qual a
Resposta: D produção de anticorpos é mais lenta e a quantidade menor.

04. A vacina contra HPV é administrada em três doses. As doses de Resposta: E


reforço levam o organismo vacinado a produzir células de memória
duradouras, capazes de produzir anticorpos anti-HPV de forma 10. A recomendação aplica-se a indivíduos de todas as idades. Os
mais rápida e mais intensa. vírus da gripe sofrem mutações, produzindo novas variedades,
daí a necessidade da vacinação periódica.
Resposta: E

05.
A) Falso. Vacinas oferecidas em dose única possuem antígenos 11. A malária é uma doença endêmica no Norte do Brasil causada pelo
eficientes em induzir a proliferação de células B de memória, protozoário do gênero Plasmodium e transmitida pela picada do
que geralmente produzem imunidade durante toda a vida do mosquito-prego fêmea (gênero Anopheles). A vacinação consiste
indivíduo. na inoculação de antígenos do parasita no corpo humano, que
B) Falso. A primeira dose de vacinas como a Tetravalente aumenta induzem a produção de anticorpos específicos e a formação de
o título de anticorpos, mas pode induzir a produção de um células de memória contra o agente patogênico.
número limitado de células B de memória, sendo necessárias
Resposta: A
novas aplicações.
C) Falso. Independentemente do esquema de aplicação, as
vacinas são produzidas para induzir imunidade contra os
agentes infecciosos na maioria das pessoas vacinadas.
D) Verdadeiro. Vacinas orais são consideradas modernas, pois
induzem excelente imunidade através do simples contato do
antígeno com a mucosa intestinal.

F B O NLINE.COM.BR 8 015.519 - 14086519

//////////////////
Módulo de Estudo

12.
1. A célula infectada por vírus é destruída pelos linfócitos T
citotóxicos, também conhecidos por células T CD8.
2. Os macrófagos são células que realizam a digestão intracelular
de microrganismos patogênicos e também apresentam os
antígenos aos linfócitos T auxiliares, ou células T CD4.
3. As células B (linfócitos B), estimuladas pelas células CD4,
originam plasmócitos que passam a produzir anticorpos
específicos contra o antígeno ligado aos seus receptores de
superfície.

Resposta: E

13. A alimentação do recém-nascido com derivados lácteos é isenta


dos anticorpos presentes no leite naturalmente produzido
pela mãe. Dessa forma, fica comprometida a transferência de
imunização passiva da mãe para o filho.

Resposta: D

14. As vacinas desencadeiam a produção de anticorpos e a formação


de linfócitos de memória que deixarão o organismo imune ou
resistente ao agente patogênico verdadeiro.

Resposta: E

15. Os anticorpos são proteínas sintetizadas pelos ribossomos dos


glóbulos brancos denominados plasmócitos.

Resposta: B

SUPERVISOR/DIRETOR: Sampaio – AUTOR: Lásaro Henrique


DIG.: Raul M. – REV.: Sarah

015.519 - 14086519
9 F B O N L I NE .C O M . B R
//////////////////

Você também pode gostar