Você está na página 1de 65

GEOTECNIA

Professor: Prof. MSc. Rogério Sarmento


ROGERIO.JUNIOR@MULTIVIX.EDU.BR
ÚLTIMA AULA

2
3
ROCHAS

4
ROCHAS 5
ROCHAS
Para as obras de grande porte, dentre elas as de mineração, é muito
importante o conhecimento da capacidade de resistência dos materiais que
serão solicitados. Essa capacidade é uma das principais diferenças entre
solos e rocha.
No estudo geotécnico todos os materiais sólidos consolidados ou os
agregados de matéria mineral formados naturalmente e que se apresentam
em grandes massas ou em fragmentos são chamados de rochas.
As principais propriedades que distinguem uma rocha de um solo são:
COESÃO INTERNA E A RESISTÊNCIAÀ TRAÇÃO.

ROCHAS 6
ROCHA X MACIÇO ROCHOSO
Agora é importante destacar a diferença entre rocha e maciço rochoso. A
rocha é o material componente do maciço rochoso, constituído por minerais
e que se apresenta em grande massa ou em fragmentos. Apresenta
descontinuidades em todas as escalas de observação. Maciço Rochoso é um
meio descontínuo formado pelas rochas e fraturas que o compartimentam.
Apresenta descontinuidades à escala megascópica (afloramento) e regional.

ROCHAS 7
ROCHAS E MINERAIS

• Rocha: corpo sólido natural, resultante de um processo


geológico determinado, formado por agregados de um ou
mais minerais, arranjados segundo as condições de
temperatura e pressão existentes durante sua formação.

• Mineral: substância sólida natural, inorgânica e homogênea,


que possui composição química definida e estrutura cristalina
característica.Entre os principais estão: Caulinita,
Feldspato, Quartzo, Mica, Calcita e Dolomita.

ROCHAS 8
Tipos de Rochas

• Existem três categorias


básicas para conceituação
das rochas, sendo elas:
– Magmáticas (Ígneas)
– Sedimentares
– Metamórficas.

• Essa classificação é dada de


acordo com seu processo
originário.
Tipos de Rochas - Magmáticas

• As rochas magmáticas são também denominadas como


rochas ígneas, e são originadas a partir da solidificação do
magma, tanto em erupções vulcânicas, quanto pelo
extravasamento por fendas na crosta terrestre, ou mesmo no
interior da Terra.
Tipos de Rochas - Magmáticas

• Plutônicas ou intrusivas: resultam de lentos processos de


resfriamento e solidificação do magma, em profundidade.

– neste tipo de rocha são visíveis os minerais que formam a


rocha. Material cristalino geralmente de granulação
grossa
– Exemplos: granitos, gabros, sienitos, dioritos e outros
Tipos de Rochas - Magmáticas

• Vulcânicas ou extrusivas: formadas na superfície terrestre


pelo extravasamento de lava por orifícios vulcânicos.

– rápido resfriamento não permitem os minerais se


formarem, resulta em material vítreo ou cristalino de
granulação fina.
– Exemplos: riólitos, basaltos e outros.
Tipos de Rochas - Magmáticas
Tipos de Rochas - Sedimentares

• As rochas sedimentares são


formadas por meio da erosão,
transporte (fluvial, marítimo ou
eólico) e deposição de sedimentos
(clastos ou detritos) derivados da
desagregação e decomposição de
rochas na superfície terrestre, da
precipitação química ou, ainda, do
acúmulo de fragmentos orgânicos.
Tipos de Rochas - Sedimentares

• Rochas Sedimentares Clásticas

• Também chamada de rochas sedimentares detríticas, são


formadas por detritos de outras rochas antigas. Como exemplo
de rocha clástica, existe o Arenito, Tilito, etc.
Tipos de Rochas - Sedimentares
• Rochas Sedimentares Orgânicas

• As rochas sedimentares orgânicas são formadas por restos de


animais e vegetais mortos, que vão se acumulando em alguns
locais, e através de grande pressão e temperatura, dão origem
á rochas e minerais como calcário, carvão mineral, etc.
Tipos de Rochas - Sedimentares
• Rochas Sedimentares
Químicas

• São formadas quando o


líquido (água) onde os
sedimentos de rocha
estão dispersos, se
torna saturado. As
rochas químicas em
geral formam cristais.
• Ex: calcita, aragonita,
dolomita, estalactites e
estalagmites.
Tipos de Rochas - Sedimentares
Tipos de Rochas - Metamórficas

• Rochas metamórficas: Resultado da transformação de


qualquer tipo de rocha quando em condições de pressão e
temperatura muito distintas daquelas aonde ela se formou.
Tipos de Rochas - Metamórficas
Tipos de Rochas - Metamórficas
Tipos de Rochas - Metamórficas
Tipos de Rochas - Metamórficas
Tipos de Rochas

• É importante destacar que as rochas (magmáticas,


sedimentares e metamórficas) estão em constante processo
de transformação, formando o chamado ciclo das rochas.

• Portanto, uma rocha que hoje é magmática, pode se


transformar em uma rocha metamórfica pela ação contínua
das mudanças de temperatura de uma dada região.
Síntese da formação das Rochas
Composição das Rochas
• Quanto ao material abundante pode ser caracterizada como:

– Rochas silicosa: Tem predomínio de sílica em sua


composição. Possuem maior resistência mecânica e maior
durabilidade. Podem ser magmáticas, metamórficas ou
sedimentares. Exemplos: Granito, basalto

– Rochas Calcárias: Tem carbonato de cálcio (CaCO3) como


componente principal. Possuem boa resistência mas
durabilidade média em relação às rochas silicosas. Exemplos:
Calcário, Mármore

– Rochas Argilosas: de baixa durabilidade e resistência,


possuem a argila como componente principal. São
predominantemente sedimentares. Exemplos: argilito e ardósia
Caracterização Tecnológica
• As pedras são extraídas das respectivas formações geológicas, as
pedreiras.
• A extracção pode ser:
A céu aberto
- fazem-se sondagens para avaliar a profundidade dos estratos,
- removem-se os terrenos da cobertura,
- abertura de acessos e extracção,
- preparação do parque de armazenamento,
- desbaste dos blocos,
- transporte dos resíduos estéreis e tapagem.
Caracterização Tecnológica
• As pedras são extraídas das respectivas formações geológicas, as
pedreiras.
• A extracção pode ser:
Subterrânea
- maciço a pouca profundidade
-maciço de grande profundidade (é feita por poços)
Caracterização Tecnológica
Caracterização Tecnológica
Caracterização Tecnológica

Petrográficos

CARACTERIZAÇÃO
Mecânicos Físicos
TECNOLÓGICA

Químicos
Propriedades Petrográficas

• O estudo petrográfico estabelece a classificação da rocha.

• Compreende a descrição macroscópica (estruturação, cor) e


microscópica (mineralogia, textura, granulação),

•Para a engenharia enfatiza as características que possam


influenciar o comportamento mecânico e a durabilidade sob as
condições de uso a que será submetida (alteração, deformação,
padrão de microfissuramento e outros).
Propriedades Petrográficas

•Consiste na observação de seções delgadas da rocha


(com espessura de 30 μm) em microscópio óptico de luz
transmitida.
Propriedades Físicas

• Dureza

•É a propriedade das rochas que indica a maior ou menor


resistência ao risco.

•São classificadas em:


•Rochas Brandas, Semi-duras, Duras e Duríssima, de acordo com
a resistência ao corte, sendo as brandas riscadas à unha e as
duríssimas não riscadas ao canivete.
Propriedades Físicas

 Técnicas disponíveis

 Microdureza Knoop (HK ou HKN): objetiva a dureza das rochas.


É realizada ao microscópio e consiste em pressionar a superfície
polida da rocha com uma força conhecida, com uma ponta de
diamante.
Propriedades Físicas
Técnicas disponíveis

Desgaste abrasivo por atrito, simulando o tráfego de pessoas ou


veículos: adota-se o tribômetro Amsler, que consiste na
medição da redução de espessura (mm) que placas de rocha
apresentam após um percurso abrasivo de 1.000 m, com o uso
de areia essencialmente quartzosa como abrasivo.
Propriedades Físicas
Propriedades Físicas

•Densidade: importante parâmetro para o cálculo de cargas em


construções, o dimensionamento de embalagens, os custos e
meios de transporte, entre outras aplicações.

•Absorção de água: considerada, em rochas para revestimento,


como o valor numérico que reflete a capacidade de
incorporação de água.

•Porosidade: relativamente baixa nas rochas ígneas e


metamórficas, quando comparada à de rochas sedimentares.
Os “poros”, naquelas, não são representados por “vazios”, como
nas sedimentares, mas sim pelas microfissuras, alterações em
minerais, contatos entre grãos, etc.
Propriedades Físicas
•Calculadas a partir dos pesos de corpos-de-prova nas
condições seca, saturada com água e submersa em água.
Propriedades Físicas

• Dilatação térmica

As rochas, como vários materiais de construção, dilatam- se


quando se aquecem e contraem-se ao esfriarem, implicando
variações nas dimensões e no volume.

Para a determinação do coeficiente de dilatação térmica linear


(10-3 mm/m.°C) a rocha é submetida a variações de temperatura
em um intervalo entre 0°C e 50 °C.

Finalidade: dimensionamento do espaçamento das juntas em


revestimentos, destacadamente, de exteriores (pisos, paredes e
fachadas).
Propriedades Mecânicas
COMPRESSÃO UNIAXIAL
Determina a tensão (MPa) que provoca a ruptura da rocha
quando submetida a esforços compressivos.

Detalhe de corpo-de-prova rompidos após aplicação de esforços.

Finalidade: fornecer parâmetros para o dimensionamento do


material rochoso utilizado como elemento estrutural, ou seja, com
a finalidade de suportar cargas.
Propriedades Mecânicas
COMPRESSÃO UNIAXIAL
É determinada nas condições seca e saturada, concordante e
paralelamente à estruturação da rocha (no caso de gnaisses,
migmatitos etc.)
Propriedades Mecânicas
Propriedades Mecânicas
COMPRESSÃO UNIAXIAL

Classificação das rochas de acordo com a resistência à


compressão uniaxial.
Propriedades Mecânicas
SONDAGEM ROTATIVA
Propriedades Mecânicas
GRAU DE FRATURAMENTO DO MACIÇO
Propriedades Mecânicas
GRAU DE FRATURAMENTO DO MACIÇO
Propriedades Mecânicas
GRAU DE RECUPERAÇÃO

A recuperação (Re) é calculado em testemunhos retirados de


todas as coroas. Se obtém pela porcentagem do comprimento
total de todos testemunhos da manobra pelo comprimento da
manobra. De acordo com essa porcentagem se tem:

• Re>80% - Rocha de boa qualidade


• 50% < Re <80% - Rocha medianamente alterada
• Re < 50% - Rocha muito alterada
Propriedades Mecânicas
RQD - Rock Quality Designation

Para testemunhos retirados por coroas


de diâmetro superior a 76mm ainda é
realizada a classificação da qualidade
da rocha com base no valor de RQD
Propriedades Mecânicas
GRAU DE ALTERAÇÃO
É uma analise
Subjetiva, pode ser
classificada em: Sã,
praticamente sã,
alterada e muito
alterada.

GRAU DE
CONSISTÊNCIA
Caracterização geotécnica das rochas
APLICAÇÕES DAS
CARACTERIZAÇÕES
(a) fundações: as rochas são um excelente material de
fundação, mas podem ser fraturados e alterados. É
necessário estabelecer a competência da rocha em
relação a sua capacidade de suportar a carga para
níveis toleráveis de deformação.

(b) taludes: a mecânica das rochas pode identificar o risco


de ruptura do talude rochoso, seja por tombamento,
flexão, em cunha ou em plano;

(c) túneis e poços: a estabilidade de túneis e poços depende


da estrutura da rocha, estado de tensões, regime de
fluxo subterrâneo e técnica de construção;
APLICAÇÕES DAS CARACTERIZAÇÕES
OUTRAS PROPRIEDADES
MECÂNICAS

Tração na Flexão (flexão por carregamento em três pontos)


O ensaio de tração na flexão (ou módulo de ruptura) determina a
tensão (MPa) que provoca a ruptura da rocha quando submetida
a esforços flexores.

Detalhe de corpo-de-prova rompido por aplicação de esforços fletores.

Permite avaliar sua aptidão para uso em revestimento, ou


elemento estrutural, e também fornece um parâmetro indicativo
de sua resistência à tração.
OUTRAS PROPRIEDADES
MECÂNICAS

Flexão (módulo de ruptura)


solicitações de flexão em rochas empregadas em edificações -
telhas (ardósias), pisos elevados, degraus de escadas, tampos de
pias e balcões.
OUTRAS PROPRIEDADES
MECÂNICAS

 Flexão (ou flexão por carregamento em quatro


pontos): esforços flexores em placas de rocha,
simulando o esforço do vento em placas de rocha
fixadas em fachadas com ancoragens metálicas.
OUTRAS PROPRIEDADES
MECÂNICAS

RESISTÊNCIA AO IMPACTO
Fornece a resistência da rocha ao impacto, através da
determinação da altura de queda (m) de uma esfera de aço que
provoca o fraturamento e quebra de placas de rocha. É um
indicativo da tenacidade da rocha.

Detalhe de corpo-de-prova quebrado pela queda de esfera de aço


Propriedades dos Minerais

•As propriedades físicas dos minerais resultam da sua


composição química e das suas características estruturais.

•As propriedades físicas mais óbvias e mais facilmente


comparáveis são as mais utilizadas na identificação de um
mineral.

•Na maioria das vezes, essas propriedades, e a utilização de


tabelas adequadas, são suficientes para uma correcta
identificação.

•São as seguintes as propriedades físicas macroscópicas: Cor,


brilho, clivagem, fratura, dureza
Propriedades dos Minerais - Dureza
Tabela de dureza de Mohs
Propriedades dos Minerais -
Cor

•É uma característica extremamente importante dos minerais.


Pode variar devido a impurezas existentes em minerais.

•A origem da cor nos minerais está principalmente ligada à


presença de íons metálicos, fenomenos de transferência de carga
e efeitos da radiação ionizante.
Propriedades dos Minerais -
Brilho

•O brilho é a característica dos minerais quando são observados


à luz, nas superfícies frescas de fractura do mineral.

•O brilho é avaliado à vista desarmada e descrito em termos


comparativos utilizando um conjunto de termos padronizados.

• Os brilhos são em geral agrupados em: metálico e não metálico


ou vulgar.

•Diz-se que o brilho é não metálico, ou vulgar, quando não é


semelhante aos dos metais, sendo característico dos minerais
transparentes ou translúcidos
Propriedades dos Minerais -
Brilho
•Brilhos não metálicos:

• Acetinado — brilho não metálico que faz lembrar o brilho do


cetim, é característico dos minerais fibrosos;

• Adamantino — brilho não metálico que, pelas suas


características, nomeadamente a intensidade, se assemelha ao
do diamante

• Ceroso — brilho não metálico que lembra o da cera;

• Nacarado — brilho não metálico semelhante ao das pérolas

• Resinoso — brilho não metálico que lembra o observado nas


superfícies de fractura das resinas

• Vítreo — brilho não metálico que lembra o do vidro


Propriedades dos Minerais -
Brilho
•Brilhos metálicos:
• Metálico — brilho que se
assemelha ao dos metais,
sendo característico de
minerais opacos como a
galena, a calcopirita e a
pirita;
• Submetálico — brilho que
faz lembrar o dos metais,
mas não tão intenso,
sendo característico dos
minerais quase opacos
como a cromita
Propriedades dos Minerais -
Clivagem

•A clivagem é uma propriedade física de um mineral que


consiste em dividi-lo, por aplicação de uma força, segundo
superfícies planas e brilhantes, de direções bem definidas e
constantes.

•Os planos de clivagem correspondem a superfícies de


fraqueza da estrutura cristalina dos minerais, daí que se possa
afirmar que esta propriedade é uma consequência direta da
geometria da malha espacial e das forças de ligação química.

•Alguns minerais apresentam clivagem fácil como, por exemplo,


a calcite e as micas; outros dificilmente a manifestam.
Fatores a Considerar na utilização das
Rochas

Soleiras, degraus, lajes:


- Resistência ao choque
- Resistência ao desgaste
Revestimento do interior da
parede:

- Possibilidade de acabamento
- Resistência ao choque
Revestimento interior do piso:
- Resistência ao choque
- Resistência ao desgaste
- Possibilidade de acabamento