Você está na página 1de 2

Sociologia - Módulo 1

Sociologia e sociedade: o homem como ser social

1. A constituição da Sociologia como ciência

Uma ciência que propõe questionar e confrontar constantemente a realidade social,


no sentido de responder aos seus impasses, contradições e transformações, só poderia ter
surgido em um momento histórico em que tais manifestações se tornavam visíveis e se
impunham à tomada de consciência dos homens.

Em outras palavras, a Sociologia surge do movimento de pensar e questionar a


realidade social, no momento em que a vida da sociedade europeia do final do século XVIII
está marcada pela desagregação de seus valores e de suas crenças tradicionais, em
consequência das transformações produzidas pela constituição da modernidade, baseada no
primado da razão como meio de interpretação dessa realidade.

Nesse sentido, a Sociologia é uma ciência que nasce da contradição entre o novo e o
velho; entre, de um lado, a ênfase no desenvolvimento do progresso – proporcionado pelo
avanço das ciências naturais e a consequente introdução de inovações tecnológicas,
fundamentais à consolidação do capitalismo, com o crescimento industrial resultante das
mudanças significativas no modo de produção e de consumo, na composição do mercado de
trabalho e nas relações de trabalho e de produção – e, de outro lado, a tentativa de
restabelecimento da ordem social, subvertida em seus valores fundamentais.

A Sociologia surge, portanto, no século XIX, visando entender e explicar as


transformações sociais, que, originadas com a Revolução Francesa, e atenuadas com a
Revolução Industrial, necessitavam ser conhecidas e apreendidas por uma forma de
conhecimento, a qual, em seus primórdios, se baseou na metodologia das ciências naturais, ao
considerar os múltiplos aspectos da vida em sociedade como “fatos sociais”, que poderiam ser
apreendidos por meio da observação e da experimentação, de modo a ser possível estabelecer
as leis de funcionamento da sociedade.

No Caderno do Professor, em que introduzimos o estudo da Sociologia no Ensino


Médio, afirmamos a dificuldade de definir a Sociologia em uma única frase (p. 11). Mas
queremos trazer para a sua reflexão pelo menos uma definição, a que foi dada por Florestan
Fernandes, em meados do século XX. Este importante sociólogo brasileiro entendia a
Sociologia como a ciência que tem como objeto o estudo da interação social dos seres vivos
Sociologia - Módulo 1
Sociologia e sociedade: o homem como ser social

“nos diferentes níveis de organização da vida”. Para realizar esse objetivo, a Sociologia
preocupou-se, ao longo do processo de seu desenvolvimento como ciência, em definir o seu
objeto e os métodos para analisá-lo, afirmando a sua especificidade diante das demais ciências
humanas. Isso significa que a construção do conhecimento sociológico resulta do
levantamento de dados empíricos mediante técnicas de observação rigorosamente definidas,
e da análise consistente e coerente desse material, tendo como condição a possibilidade de
sua reprodução e validação por outros pesquisadores. Dessa maneira, a Sociologia consiste em
um conjunto disciplinado de práticas e apresenta um acúmulo de conhecimentos – como
afirma Bauman (ver biografia) (BAUMAN, 2010) –, que permitem distingui-la das outras
disciplinas, como história, psicologia, direito, serviço social ou geografia.

Essa exposição, embora breve, sobre as inquietações sociais e intelectuais que deram
origem à Sociologia como ciência, aponta-nos a questão fundamental que norteia essa forma
de conhecimento, desde seus primórdios até hoje: a relação entre sujeito e objeto.

Em outras palavras, é essa relação que determina que a Sociologia – tanto em sua
origem como durante seu desenvolvimento – seja, mais uma vez, definida por um movimento
contraditório, que, de um lado, explica os sérios questionamentos interpostos ao seu
reconhecimento como ciência, já que nela o sujeito do conhecimento é também parte do
objeto a ser conhecido; mas que, de outro lado, também justifica seus avanços, na medida em
que seu desenvolvimento é fruto das diferentes formas como essa relação foi trabalhada por
seus pensadores exponenciais – sobretudo Karl Marx (1818-1883) (ver biografia), e Max Weber
(1864-1920) (ver biografia), além do já citado Émile Durkheim (ver biografia) –, e continuou
sendo fundamental para a formação de seus seguidores.

Portanto, é exatamente no sentido de apreender a referida questão central da


Sociologia a partir do ponto de vista sociológico – na bela formulação de Wright Mills,
pressupõe entender que a vida social se constitui no âmbito da relação entre biografia e
história, ou seja, entre indivíduo e sociedade –, que propomos a você, caro cursista, o ensino
dessa disciplina por meio do despertar de um olhar sociológico entre seus alunos. Neste ponto,
retomamos a discussão dos dois princípios metodológicos que orientam a proposta curricular
de Sociologia para o Ensino Médio, e que foram apresentados já no primeiro volume da 1ª
série: o estranhamento e a desnaturalização.