Você está na página 1de 5

1

A Informática no Agronegócio

1
Marcelo A. Duarte da Cruz

Resumo

A tecnologia da informação (T.I.) não garante sozinha, o sucesso de uma


atividade, mas tem se tornado determinante quando bem utilizada. O agronegócio
passou por transformações marcantes nos últimos tempos. Consumidores buscam, a
cada dia, mais qualidade, maior variedade, alimentos seguros e produzidos
respeitando-se o meio ambiente e melhor preço, exigindo cada vez mais da base
produtiva. Nesse cenário, a maior eficiência dos processos produtivos tornou-se vital
para as empresas, que, para competirem, não podem perder de vista a qualidade
dos produtos que colocam no mercado e o controle dos custos de produção. É
justamente aí que ganham destaque a produção e o uso da informação, estratégicos
para a gestão de qualquer empresa hoje.

Palavras-chave: agronegócio, sistemas de informações, gerenciamento,


administração.

O agronegócio é definido por Davis e Goldberg (1957) como sendo a soma


total das operações de produção e distribuição de suprimentos agrícolas; das
operações de produção na fazenda; do armazenamento, processamento e
distribuição dos produtos agrícolas e itens produzidos a partir deles. Ou seja, toda
relação comercial e industrial envolvendo a cadeia produtiva agrícola ou pecuária.
Já o sistema de informações gerenciais é um método organizado para prover
o executivo de informações passadas, presentes e futuras sobre a operação interna
e o ambiente da empresa dando suporte ás funções de planejamento, controle e
operação de uma empresa, fornecendo informação uniforme para assistir a tomada
de decisão. (Dearden, 1972).
A junção destes dois temas, aliados a outros, é o que tem alavancado o
crescimento nas diversas áreas do agronegócio. A transformação da tradicional
1
Técnico em Agropecuária e Graduando em Gestão em Tecnologia do Agronegócio, 2º período, SESPA -
Sociedade de Ensino Superior de Patos de Minas – MG (2009)
2

sociedade baseada no capital para uma economia sustentada por informação e


conhecimento é uma verdade. A gerência eficaz do conhecimento gerado pela
análise das informações também se tornou uma ferramenta competitiva.
Entretanto a realidade global hoje é a preocupação com o meio ambiente e
com o que vamos deixar para as gerações futuras de recursos naturais. Baseado
nisto, uma grande pressão recai sobre o setor produtivo do agronegócio, uma vez
que deveríamos produzir alimentos ambientalmente corretos sem nos esquecermos
da segurança alimentar. Quando seguidas, estas prerrogativas tem nos
proporcionado abertura de novos mercados mundo afora.
Para que os índices de produtividade evoluam ano após ano no sentido
ascendente, temos utilizado um aparato extremamente importante, a tecnologia da
informação. Novas técnicas de cultivo, e de manejo tem nos proporcionado este
novo cenário. A informação antes restrita apenas aos meios urbanos, hoje está cada
vez mais presente nos setores do agronegócio brasileiro, contribuindo para que o
cenário de crescimento se torne realidade. Proporcionando agilidade nas tomadas
de decisões, confiabilidade nos resultados e consequentemente aumento da nossa
competitividade. Desta feita, torna-se a representatividade do agronegócio um forte
alicerce da economia do País.
Porém vale ressaltar que o índice de informatização das fazendas brasileiras
ainda é muito baixo, sobretudo se comparado à realidade das empresas urbanas.
Pesquisa realizada pela Embrapa (2002) apontava que apenas cerca de 6% das
propriedades rurais trabalhavam com o auxílio da informática.
Não há limites imagináveis do uso da informação no agronegócio. Da
agricultura de precisão que usa satélites para monitorar minuciosamente a área de
plantio, aos transmissores na detecção de cio das vacas, da utilização de microchips
na rastreabilidade animal ou até robôs ordenhadores, isto apenas para
exemplificarmos em um universo de tantos outros.
Hoje os empresários rurais têm à sua disposição os mais variados softwares
de gerenciamento, desenvolvidos especialmente para o seu negócio. Controlam
todas as fases produtivas, interferem e otimizam processos, diminuem custos e
potencializam seus lucros, com isto dão dinamismo em suas ações minimizando as
possibilidades de erro. Ele deve coletar, armazenar, analisar, utilizar e disseminar as
informações relevantes à sua gestão favorecendo assim a sua adequação ao
mercado que se encontra em constante mudança. A internet, antes quase
3

impensada no meio rural, hoje facilita a disseminação destas informações e do


conhecimento e é uma ferramenta indispensável dia após dia. Também os
empreendedores precisam ter em mente que só conseguimos melhorar, evoluir,
naquilo que conseguimos medir, e é nisto que a informação se propõe a fazer no
meio rural e tem surtido resultados expressivos. Também é necessário evitar um
equívoco: a administração de qualquer atividade é do empresário e não do
computador. Daí a importância da gestão profissional das fazendas e da capacitação
da mão-de-obra e, sobretudo, dos funcionários responsáveis pela coleta dos dados.
Só assim é possível tirar o melhor proveito dos recursos da informática,
possibilitando a tomada de decisões mais precisas. Uma atitude que requer o
tratamento adequado do sistema de informações, tendo em vista a obtenção do
retorno desejado.
Estamos deixando para trás o Brasil do extrativismo, do amadorismo, das
baixas produtividades e principalmente os agricultores desinformados – e
desinteressados - nos assuntos relativos à tecnologia da informação, que produziam
e vendiam tendo em vista apenas o mercado regional ou nacional e ingressando o
meio rural na nova realidade global que é a era da T.I., ferramenta cada vez mais
necessária para a eficiência dos empreendimentos rurais, mas seria completamente
inviável consolidar mudanças tão grandiosas no setor sem a implementação de
sistemas eficientes e eficazes de gestão do agronegócio.
É um caminho sem volta.
4

BIBLIOGRAFIA

A Informação no agronegócio. A importância na informação no agronegócio e as

novas tecnologias da informação. Acessado em 05 de setembro de 2009. Disponível

em: <http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?id=24334> Artigo

publicado em 05 de junho de 2009.

Brasil: Novidades na Agrishow 2009. Estudo do Mercado Brasileiro de Software

para o Agronegócio. Acessado em 10 de setembro de 2009. Disponível em:

<http://www.seedquest.com/News/releases/2009/april/25953.htm>

Embrapa faz pesquisa sobre informática junto a cooperativas. Em 22/01/2009.

Acessado em 10 de setembro de 2009. Disponível em:

<http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?id=28032>

LOPES, Marco Aurélio. Informática aplicada á bovinocultura. Jaboticabal,

FUNEP, 1997. 82 pág.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Sistemas de Informações Gerenciais.

Estratégicas, táticas, operacionais. 11ª Ed. São Paulo: Atlas, 2007. 299 pág.

MIZUUTI, Roberto. Tecnologia da informação no agronegócio: rompendo

barreiras. Acessado em 10 de setembro de 2009. Disponível em:

<http://www.artigonal.com/tec-de-informacao-artigos/tecnologia-da-informacao-no-

agronegocio-rompendo-barreiras-936118.html> Artigo publicado em: 25 de maio de

2009.
5

ZYLBERSZTAJN, Décio et al. Economia e gestão dos negócios agroalimentares.

Indústria de alimentos, indústria de insumos, produção agropecuária, distribuição.

São Paulo: Pioneira, 2000. 428 pág.