Você está na página 1de 4

MUND FÍSICO

Projeto de Extensão Jornal Mundo Físico – Departamento de Física da UDESC – Joinville - SC, ano V, No. 25 – JUL/AGO 2008

Palavra do Professor Acidentes Ocasionados por


Por Luiz Clement Choques Elétricos
por Equipe
Esta edição do Jornal
Mundo Físico pode ser con- As lesões provocadas pelo choque elétrico podem ser de
siderada uma edição especi- quatro naturezas:
al, pois, aborda uma temáti- 1 - Eletrocussão (fatal)
ca única, à saber: energia 2 - Choque elétrico
elétrica e choque elétrico. 3 - Queimaduras e
Além do mais, é uma edição 4 - Quedas provocadas pelo choque
que foi elaborada pelos alu-
nos da disciplina de Instru- Eletrocussão: é a morte provocada pela exposição do corpo
mentação para o Ensino de à uma dose letal de energia
Figura 1: Redes de transmissão de Física II (IEF II), do Curso de elétrica. Os raios e os fios
Energia Elétrica. Licenciatura Plena em Físi- de alta tensão (tensão su-
ca, durante o semestre 2008/01. perior a 600 volts), costu-
A elaboração do jornal foi idéia dos próprios estudantes ao mam provocar esse tipo de
desenvolverem uma Ilha de Racionalidade, que teve como acidente. Também pode
problemática os Choques Elétricos. Eles optaram por produzir ocorrer a eletrocussão com
um jornal informativo com uma série de reportagens importan- baixa tensão (Tensão < 600
tes que abordam a temática em questão. Além disso, outro V), se houver a presença
produto educativo, um Vídeo, foi produzido ao longo do de- de: poças d'água, roupas
senvolvimento da Ilha de Racionalidade. molhadas, umidade eleva-
Tendo em vista a importância do estudo dessa temática, da ou suor.
desejo aos leitores uma boa leitura e espero que essas infor- Figura 3: Raios causam eletrocussão.
mações ativem a curiosidade para leituras mais detalhadas
sobre o tema bem como, inspire diálogos e debates sobre o Choque elétrico: o choque elétrico é causado por uma cor-
mesmo, uma vez que, os choques elétricos ainda são “vilões” rente elétrica que passa
a serem combatidos. através do corpo humano
ou de um animal qualquer.
Importância e Riscos da Energia O pior choque é aquele
que se origina quando
Elétrica uma corrente elétrica en-
por Equipe
tra pela mão da pessoa e
Atualmente é difícil imaginarmos nossas vidas sem a exis- sai pela outra. Nesse
tência da energia elétrica. Ela é indispensável para quase tudo caso, atravessando o tó-
o que fazemos, precisamos dela na indústria, para acionar os rax, ela tem grande chan-
motores, fornos e máquinas elétricas; na iluminação de casas, ce de afetar o coração e
ruas e praças; para assistirmos televisão, usarmos o compu- os pulmões. Se fizerem
tador, descongelarmos pizza no microondas enfim, quase parte do circuito elétrico o
toda nossa vida gira em torno da utilização da eletricidade. Figura 4: Corrente circula pelo corpo. dedo polegar e o indicador
Sua necessidade é ta- de uma mão, ou a mão direita e o pé direito, por exemplo, o
manha que o governo fe- risco é menor. O valor mínimo de corrente que uma pessoa
deral ao longo de vários pode perceber é 1mA. Com uma corrente de 10 mA, a pessoa
anos, através de progra- perde o controle dos músculos, sendo difícil abrir as mãos
mas, está levando a ener- para se livrar do contato. O valor mortal está compreendido
gia elétrica aos mais remo- entre 10 mA e 3 A.
tos confins do país.
Percebemos sua impor-
tância quando estamos em
Figura 2: Energia Elétrica chegando aos algum lugar e, de repente,
mais remotos locais. há uma queda no abasteci-
mento de energia elétrica, a sensação é de que não podemos
executar mais nenhuma tarefa, pois tudo depende da eletrici-
dade. A utilidade da energia elétrica é indiscutível, mas há al-
guns riscos envolvidos quando se lida com ela, o principal de-
les é o choque elétrico.
Mas, o que é o choque elétrico?
Como ele atua em nosso corpo? Figura 5: As piores conseqüências são quando a corrente circula pelo cora-
ção (mão esquerda/pé direito, mão/mão, cabeça/pé).
Como se prevenir?
Trataremos disso nesta Edição Especial do Mundo Físico.
Queimaduras: a pele humana é um bom isolante e apresen- a condução de correntes
ta, quando seca, uma resistência à passagem da corrente elé- elétricas. Já os materiais
trica de 100.000 Ohms. isolantes (vidro, plástico,
Quando molhada, porém, borracha, etc) não permi-
essa resistência cai para tem a passagem de cor-
apenas 1.000 Ohms. A rente elétrica.
energia elétrica de alta ten- Os riscos de acidentes
são, rapidamente rompe a dos empregados que tra-
pele, reduzindo a resistên- balham com eletricidade,
cia do corpo para apenas em qualquer das etapas de
Figura 6: Queimaduras provocadas por 500 Ohms. Veja estes geração, transmissão, dis-
choque elétrico. exemplos numéricos: os 2 tribuição e consumo de
primeiros casos, referem-se energia elétrica, constam
à baixa tensão (120 volts) e o terceiro, à alta tensão: Figura 9: Efeitos do Choque Elétrico. da Norma Regulamentado-
a) Corpo seco: 120 volts/100000 ohms = 0,0012 A = 1,2 mA (o ra Instalações e Serviços em Eletricidade – NR10 do Minis-
indivíduo leva apenas um leve choque) tério do Trabalho e Emprego – MTE.
b) Corpo molhado: 120 volts/1000 ohms = 0,12 A = 120 mA Os riscos de choques elétricos estão presentes em diver-
(suficiente para provocar um ataque cardíaco) sas situações:
c) Pele rompida: 1000 volts/500 ohms = 2 A (parada cardíaca • descargas atmosféricas (raios)
e danos aos órgãos internos). • ferramentas elétricas manuais
Além da intensidade da corrente elétrica, o caminho per- • peixe-elétrico (o Poraquê da Amazônia)
corrido pela eletricidade ao longo do corpo (do ponto onde en- • atrito (eletricidade estática)
tra até o ponto onde ela sai) e a duração do choque, são os • cerca elétrica (para animais)
responsáveis pela extensão e gravidade das lesões. • fios energizados (de postes ou no lar)
• baterias (alimentadas por cata-ventos)
Quedas de altura: os acidentes com eletricidade ocorrem de • painéis fotovoltaicos (energia solar)
várias maneiras. Os riscos • turbinas (energia hidráulica)
resultam de danos causa- • motores estacionários (geradores) e
dos aos isolantes dos fios • motores elétricos
elétricos devido a roedores, A energia elétrica é muito perigosa e pode provocar graves
envelhecimento, fiação im- acidentes, tais como: queimaduras (até de terceiro grau), coa-
própria, diâmetro ou mate- gulação do sangue, lesão nos nervos, contração muscular e
rial do fio inadequados, uma reação nervosa de estremecimento (a sensação de cho-
corrosão dos contatos, que) que pode ser perigosa, se ela provocar a queda do indiví-
rompimento da linha por duo (de uma escada, árvore, muro, etc.) ou o seu contato com
queda de galhos, falta de equipamentos perigosos (alto risco de choques).
aterramento do equipa- Os efeitos estimados da corrente elétrica de 60 hertz, no
mento elétrico, etc. As ben- organismo humano, podem ser resumidos na tabela que se
feitorias agrícolas estão su- segue:
jeitas à poeira, umidade e
Figura 7: Um choque elétrico pode pro- ambientes corrosivos, tor- Corrente Conseqüência
vocar a queda de uma pessoa.
nando-as especialmente 1 mA Apenas perceptível
problemáticas ao uso da eletricidade.
Durante o Terceiro Encontro Nacional de Segurança e 10 mA Contrações musculares
Saúde no Setor Elétrico - 16 mA Máxima tolerável
ENASSE, realizado recente-
mente no Rio de Janeiro, foi 20 mA Parada respiratória
divulgado que cerca de 2% 100 mA Ataque cardíaco
das 3.091 mortes por causas
laborais no Brasil em 2.000, ti- 2A Parada cardíaca
veram origem nas companhi- 3A Morte
as energéticas. Quedas e
Tabela 1: Efeitos Fisiológicos do choque elétrico.
energização acidental das re-
Fonte: www.ufrrj.br
Figura 8: Transformadores. des foram citados como os
maiores riscos nas concessio-
nárias de energia: um erro pode levar a um choque de 3.000 à Como Funciona?
6.000 volts, ou uma eletrocussão em um transformador. por Equipe
Fonte: www.ufrrj.br
Como funciona o disjuntor?
Efeitos Fisiológicos do Choque Disjuntor é um dispositivo eletromecânico que protege uma
instalação elétrica de sobrecargas. Sua principal característica
Elétrico no Corpo Humano é a capacidade de se rearmar (manual ou eletricamente),
por Equipe quando ocorrem sobrecargas, diferindo do fusível, que têm a
O choque elétrico é a reação do organismo à passagem da mesma função, mas que fica inutilizado depois de proteger a
corrente elétrica. Eletricidade, por sua vez, é o o nome dado a instalação (o fusível é descartável). Assim, o disjuntor inter-
uma área de conhecimento da Física que se preocupa com os rompe a corrente em uma instalação elétrica antes que os
estudos relacionados aos efeitos elétricos. Nesse sentido, foi efeitos térmicos e mecânicos desta corrente possam se tornar
possível mediante os estudos relacionados à eletricidade, perigosos às próprias instalações. Por esse motivo, ele serve
identificar materiais condutores e isolantes. Grosso modo, po- tanto como dispositivo de manobra quanto de proteção à cir-
demos afirmar que os condutores (metais em geral) permitem cuitos elétricos.
Atualmente é muito utilizado em instalações elétricas resi- dos de forma que o disjuntor desarme mesmo que o atuador
denciais e comerciais o disjuntor magnetotérmico ou termo- seja segurado ou travado na posição "liga".
magnético. Esse tipo de disjuntor possui três funções: 2 Mecanismo atuador: une os contatos junta ou indepen-
• Manobra - abertura ou fechamento voluntário do cir- dentemente.
cuito. 3 Contatos: permitem que a corrente flua quando o disjun-
• Proteção contra curto-circuito – Essa função é desem- tor está ligado e seja interrompida quando desligado.
penhada por um atuador magnético (solenóide), que 4 Terminais.
efetua a abertura do disjuntor com o aumento instan- 5 Trip bimetálico.
tâneo da corrente elétrica no circuito protegido. 6 Parafuso calibrador: permite que o fabricante ajuste pre-
• Proteção contra sobrecarga – É realizada através de cisamente a corrente de trip do dispositivo após montagem.
um atuador bimetálico, que é sensível ao calor e pro- 7 Solenóide.
voca a abertura quando a corrente elétrica permane- 8 Extintor de arco.
Fonte: http://pt.wikipedia.org
ce, por um determinado período, acima da corrente
nominal do disjuntor.
As características de disparo do disjuntor são fornecidas Prevenção de Acidentes com
pelos fabricantes através de duas informações principais: cor-
rente nominal e curva de disparo. Outras características são Energia Elétrica
importantes para o dimensionamento, tais como: tensão nomi- por Equipe
nal, corrente máxima de interrupção do disjuntor e número de Há vários tipos de proteção e de providências que podem
pólos (unipolar, bipolar ou tripolar). ser usados para se evitar o choque elétrico:
• fusíveis e disjuntores
Disjuntor de alta tensão • aterramentos
Para a interrupção de altas correntes, especialmente na • materiais isolantes e
presença de circuitos indutivos, são necessários mecanismos • uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).
especiais para a interrupção do arco voltaico, resultante na
abertura dos pólos. Para aplicações de grande potência, esta Outras recomendações para sua segurança:
corrente de curto-circuito, pode alcançar valores de 100 kA. ✔ Plugue e use os dispositivos elétricos de segurança
Após a interrupção, o disjuntor deve isolar e resistir às ten- disponíveis como, por exemplo, a tomada de 3 pinos.
sões do sistema. Por fim, o disjuntor deve atuar quando co- ✔ Considere todo fio elétrico como "positivo", ou seja,
mandado, ou seja, deve haver um alto grau de confiabilidade. passível de provocar um choque mortal.
Alguns tipos de disjuntores de alta potência: ✔ Cheque o estado de todos os fios e dispositivos elétri-
• Disjuntor a grande volume de óleo, cos; conserte-os ou substitua-os, se necessário.
• Disjuntor a pequeno volume de óleo, Aprenda como dimensionar o fio elétrico.
• Disjuntor a ar comprimido, ✔ Certifique-se de que a corrente está desligada, antes
• Disjuntor a vácuo, de operar uma ferramenta elétrica.
✔ Se um circuito elétrico em carga tiver de ser reparado,
• Disjuntor a hexafluoreto de enxofre (SF6).
chame um eletricista qualificado para fazê-lo.
✔ Use ferramentas "isoladas", que fornecem uma barrei-
Disjuntor de baixa tensão ra adicional entre você e a corrente elétrica.
Abaixo uma fotografia do detalhe interno de um minidisjun- ✔ Use os fios recomendados para o tipo de serviço elé-
tor termomagnético de corrente nominal de 10 ampères. trico a que ele vai servir.
✔ Não sobrecarregue uma única tomada com vários
aparelhos elétricos, usando, por exemplo, o "benja-
mim".
✔ Cuidado ao substituir a resistência queimada do seu
chuveiro, pois o ambiente molhado aumenta o risco
ao choque.
Fonte: www.ufrrj.br

Curiosidade
por Equipe

Choques que salvam

O que é e como funciona um desfibrilador?

O desfibrilador é um aparelho que existe há vários anos,


usado principalmente em medicina de urgência e em CTIs.
Realiza o que chamamos de desfibrilação ou cardioversão, ou
seja, pela passagem de uma corrente elétrica através do cora-
ção podem ser revertidas arritmias graves ou potencialmente
graves, como, por exemplo, a fibrilação ventricular, situação
quando o coração está em ritmo incompatível com a vida.
Figura 10: Foto ilustrativa de um disjuntor. Também é indicado nos casos de taquicardia ventricular,
quando o coração pode estar funcionando, mas sem condi-
Componentes de um disjuntor mostrados na figura 10: ções de manter a pressão arterial adequada ou mantém insta-
1 Atuador: utilizada para desligar ou resetar manualmente bilidade importante que pode evoluir para fibrilação ventricular,
o disjuntor. Também indica o estado do disjuntor (Ligado/Des- quadro ainda mais grave.
ligado ou desarmado). A maioria dos disjuntores são projeta-
Atualmente, os desfibri- Desafios
ladores chegaram a um im- por Equipe
portante grau de sofistica-
ção, acoplando ao seu
aparelho várias outras mo- REPOSTA DO DESAFIO DA EDIÇÃO ANTERIOR
dalidades de tratamento,
como marcapasso transcu- Por que os pássaros não levam choque quando pou-
tâneo, monitor de eletro- sam em fios elétricos energizados?
cardiograma e até mesmo
comando de voz para apa- Segundo o professor
relhos automáticos, ou de física do cursinho da
seja, os aparelhos infor- Poli Bassam Ferdinian,
mam o que está aconte- os pássaros não tomam
Figura 11: Desfibrilador.. cendo e indicam a conduta choque porque a distân-
a ser tomada. cia entre as patas dos
Fonte: http://www.saudeplena.com.br animais não é suficiente
para gerar uma diferen-
ça de potencial (ddp)
Figura 12: Pássaros pousam em fios elétri- capaz de eletrocutá-los.
Primeiros Socorros à Vítimas de cos e não tomam choque.
Dessa forma acaba não
Choque Elétrico havendo passagem de correte elétrica pelo corpo dos pássa-
por Equipe ros, fazendo com que não levem nenhum choque elétrico.
As chances de salvamento de uma vítima de choque elétri- Agora, se um ser humano resolver agarrar (com ambas as
co diminuem com o passar de alguns minutos. Pesquisas rea- mãos) um fio energizado, sem estar isolado, é muito provável
lizadas apresentam as chances de salvamento em função do que ele tome um choque. A distância entre as mãos de uma
número de minutos decorridos do choque aparentemente pessoa é suficiente para gerar uma diferença de potencial e,
mortal. Pela análise da tabela 2 contata-se que a chegada da conseqüentemente, tomar um choque.
assistência médica para socorrer a vítima pode ser o mesmo
que assumir a sua morte. Então não se deve esperar, o cami-
DESAFIO DESTA EDIÇÃO
nho é a aplicação de técnicas de primeiros socorros por uma
pessoa que esteja nas proximidades.
O ser humano que esteja com parada respiratória e cardía-
Nem todas as estre-
ca passa a ter morte cerebral dentro de 4 minutos. Por isso é
las do céu têm a mesma
necessário que o profissional que trabalha com eletricidade
cor. Na constelação Ori-
esteja apto a prestar os primeiros socorros a acidentados, es-
on, por exemplo, a es-
pecialmente através de técnicas de reanimação cardio-respi-
trela Betelgeuse, situa-
ratória. O socorro deve ser prestado com segurança, portanto
da no ombro da conste-
primeiramente deve-se observar se o local não apresenta ne-
lação, é vermelha, en-
nhum risco imediato ao socorrista e à vítima.
quanto a estrela Rigel,
Tempo para iniciar a res- Chance de reanimação localizada no pé de Ori-
piração artificial da vítima on, é azul. Por que exis-
te essa diferença na cor
1 minuto 95 % dessas estrelas?
2 minutos 90 %
3 minutos 75 % Figura 13: Representação da constelação
Orion.
4 minutos 50 %
5 minutos 25 % A Equipe
6 minutos 1%
8 minutos 0,5 % Luiz Clement – Coordenação Geral
Tabela 2: Chances de reanimação de uma vítima de choque elétrico.
Irineu Hattenhauer – Edição
Anne Luise Krüger – Edição

Método da respiração artificial Boca-a-Boca: Equipe de Elaboração da Ilha de Racionalidade


1. deite a vítima de costas com os braços estendidos. Disciplina de Instrumentação para o Ensino de Física – II
2. coloque uma mão na nuca do acidentado e a outra na testa, Licenciatura Plena em Física - CCT/UDESC
incline a cabeça da vítima para trás.
3. com o polegar e o indicador aperte o nariz, para evitar a Amilson Rogelso Fritsch - (amilsondafisica@yahoo.com.br)
Davi Luis Goergen - (davi.goergen@yahoo.com.br)
saída do ar. Denilson Toneto da Silva - (denilson_toneto@yahoo.com.br)
4. encha os pulmões de ar. Kaique E. Mendes de Souza - (kaique_eduardo@hotmail.com)
5. cubra a boca da vítima com a sua boca, não deixando o ar Ricardo Albrecht - (ricardo_pd@hotmail.com)
sair.
6. sopre até ver o peito erguer-se. Sugestões: lclement@joinville.udesc.br
7. solte as narinas e afaste os seus lábios da boca da vítima
irineuhatt@ig.com.br
para sair o ar.
8. repita esta operação, a razão de 13 a 16 vezes por minuto. annelk1@gmail.com.br
9. continue aplicando este método até que a vítima respire por OBS: A autoria e a veracidade das informações contidas nas dife-
si mesma. rentes reportagens são de responsabilidade de seus autores, identi-
ficados em cada uma delas.
Fonte: www.brigadamilitar.rs.gov.br