Você está na página 1de 27

ABS BOSCH 2S

Diagnóstico e manutenção

O Anti-lock Braking System (ABS) é um sistema que como o nome diz, evita que as rodas
do carro travem durante uma frenagem brusca e com isso o condutor perca o controle do
veículo.
Os Omegas “A” nacionais fabricados entre 1993 e 1998 tinham como opcional o sistema de
freios com ABS fabricado pela BOSCH e conhecido como 2S de 3 canais. Após muito
tempo de uso e desgaste do sistema o ABS tende a apresentar problemas, seja ele eletro-
eletrônico ou de natureza mecânica. Os problemas mais comuns são:

- Sensores com problemas de leitura;


- Polias fônicas deslocadas ou com dentes quebrados;
- Relés defeituosos;

Para diagnosticar um problema neste ABS BOSCH 2S que acompanha o Omega é muito
complicado visto que este sistema foi um dos primeiros a ser utilizado na Europa e é
analógico, ou seja, não armazena códigos de erro. Existe um aparelho específico criado pela
BOSCH para diagnosticar este tipo de ABS, ele é chamado de ABS 2 LED TESTER, mas é
extremamente difícil de encontrar uma oficina que possua esse aparelho, a maioria das
concessionárias não possui, e o preço de um simples diagnóstico pode passar de 100 reais.

ABS 2 LED TESTER


Como o ABS do meu Omega já vinha apresentando alguns problemas nas últimas semanas
resolvi pesquisar mais a fundo sobre este sistema com a ajuda dos amigos do
OMEGACLUBE.
Primeiramente surgiram alguns tutoriais de teste deste modelo de ABS, eles verificam os
sensores, relés, solenóides e muitos outros itens, mas os valores de referência destes testes
muitas vezes não batiam com os valores encontrados por nós.
Devido a isso resolvemos montar uma super planilha, reunindo os testes de vários outros
tutoriais e ainda testes criados por nós do OMEGACLUBE depois de muita pesquisa. O
mais importante desta planilha é que conseguimos os valores de referência de dois ABS
BOSCH 2S que estavam totalmente em funcionamento, ou seja, sem apresentar defeitos,
isso foi fundamental. Aqui neste link você pode baixar a planilha de testes com os
resultados de quatro Omegas, sendo dois que apresentaram falhas no sistema e dois com o
ABS em funcionamento.

http://www.mediafire.com/?wyxm0wmitwz

O problema que o ABS do meu Omega CD 95 4.1 apresentava era o seguinte, após ligar a
ignição a luz do ABS permanecia acesa normalmente, e apagava logo após que o motor
fosse ligado, ao sair com o carro ouvia-se o barulho da bomba da UH (Unidade Hidráulica)
e logo após a luz do ABS acendia e não apagava mais.
O primeiro passo que devemos fazer quando o ABS começar a apresentar problemas é uma
inspeção visual dos sensores de roda e das polias fônicas, os sensores devem ser limpos e
bem fixados, as polias fônicas não devem estar deslocadas ou com dentes faltando, muitas
vezes apenas uma boa limpeza nos sensores pode solucionar o problema de mau
funcionamento do ABS. Verifiquem também o fusível 27 (Omega 4.1) responsável pelo
ABS e o relé de proteção que fica na caixa preta no compartimento do motor, próximo ao
hidrovácuo do freio, inclui aqui um tutorial que contém testes para os relés do ABS.
Sensor do ABS (dianteiros – 90459666) (traseiros – 90247177 e 90510190)

Relé de proteção - 90275794


Mas após realizar os testes da planilha não foi possível chegar a nenhuma conclusão, pois
todos valores obtidos estavam semelhantes aos valores dos testes dos outros amigos do
clube, ou seja, aparentemente o problema não estava nos sensores, relés, ect...
O problema só poderia estar ou na ECU (central eletrônica localizada embaixo do banco do
motorista), ou na UH, aparentemente a ECU estava íntegra internamente e para fazer um
teste realmente válido com a ECU só substituindo-a por uma outra, mas isso estava fora de
cogitação no momento, o foco então seria a UH.

ECU – BOSCH – 0 265 103 034


Um dos fatores que me levou a desconfiar do funcionamento da UH foi o estado do fluido
de freio do meu carro, totalmente escuro e cheio de partículas de sujeira, a foto mostra o
fluido novo e o fluido que estava no carro.

Fluidos

Fiz uma tentativa, sem sucesso, de substituir todo fluido de freio do carro, mas o ABS
continuava a apresentar problemas, então não havia jeito, era necessário retirar a UH e
tentar de alguma forma limpa-la ou desmonta-la se possível fosse. Por dias tentei encontrar
na internet fotos ou depoimentos de como abrir a UH do ABS BOSCH 2S, mas
simplesmente não existe nada referente a isso, encontrei muitas reportagens sobre o 2S,
mas nenhuma falava em abrir a UH e muito menos limpa-la, meu receio era que a UH fosse
lacrada, isso explicaria a falta de informações nesse sentido, então fui obrigado a arriscar e
retira-la do carro.
Para esse processo tenha em mãos alguns panos e uns frascos ou recipientes vazios, eles
serão necessários para limpeza e armazenagem do fluido de freio e da direção hidráulica
que serão drenados do sistema.
Primeiramente drene todo fluido de freio do reservatório com uma seringa, e muito
cuidado, pois este fluido é altamente corrosivo e pode atacar a pintura do carro. Drene
também o fluido do reservatório da DH, pois nos Omegas 4.1 as mangueiras da DH e o
reservatório ficam logo acima da UH e prejudicam o acesso.
Desconecte com cuidado as tubulações que ficam presas ao cilindro mestre, pois as roscas
quase sempre estão encruadas e os conectores acabam quebrando. Desconecte o restante
dos parafusos que prendem o cilindro mestre e ele estará em suas mãos.
Aproveitando a retirada do cilindro mestre realizei uma limpeza neste, desmontando-o por
completo, confesso que é extremamente necessário esta manutenção visto a sujeira que
apresentou o cilindro internamente, e como ele fica logo acima da UH toda sujeira do
reservatório e do cilindro mestre irão se depositar na UH.

Cilindro mestre

O próximo passo é remover o reservatório da DH, após drenar o fluido com uma seringa,
desconecte primeiro a outra extremidade de uma das mangueiras que saem do reservatório,
a que fica conectada a bomba da DH, próximo a ventoinha, isso permite drenar ainda mais
o fluido e com isso evita derrames desnecessários. Retire o reservatório da DH, a bateria, o
reservatório da água dos vidros e a barra estabilizadora.
Agora a UH fica bem a vista e podemos trabalhar nela com mais espaço, desconecte com
cuidado as cinco conecções da tubulação de fluido da UH, duas entradas frontais e três
saídas na parte superior, tenha em mãos umas buxinhas de plástico ou de papel, elas
servirão para tamponar estas entradas e saídas e evitará derrame excessivo de fluido de
freio.
Retire a tampa preta plástica da UH com uma chave torx e desconecte o plug do xicote,
retire os dois relés e desconecte também um fio terra que vai preso ao motor da UH, logo
abaixo dos relés.
Aqui temos os dois relés que ficam acoplados a UH.

Relés da UH

A UH é presa por três parafusos, um na frente (lado do cilindro mestre) e dois atrás (lado
dos faróis), juntamente presa a UH há uma lata que serve para proteger a UH do calor
direto do motor.
Pronto, a UH já pode ser retirada do carro.
Unidade Hidráulica – BOSCH - 0 265 200 029 ou 0 265 200 048

Como eu não sabia o tempo que seria necessário ficar com a UH fora do carro e também
não queria ficar com o carro parado na garagem montei um esquema que deixa o freio
direto, sem ABS, é muito simples e o custo é muito baixo.
A idéia era não entortar os encanamentos originais do freio e deixa-los na mesma posição
para recolocar a UH quando esta estivesse pronta, para isso comprei alguns conectores e
alguns encanamentos pequenos, aqui temos a lista do material utilizado:
- 3 conectores Y para fusca - 8 reais cada
- 1 encanamento de 36 cm - 3,50 reais
- 1 encanamento de 14 cm - 2 reais
- 2 parafusos para serem usados como tampões – 1 real cada
Conectores do freio

Aqui uma breve explicação de como fazer a instalação após a UH ter sido retirada.
Colocar um conector Y em cada encanamento de roda dianteira, estes encanamentos eram
os que estavam conectados nas saídas VL e VR da UH, com o encanamento menor de 14
cm que compramos unimos os dois conectores Y como na foto acima, sobrarão duas saídas,
uma é tamponada com o parafuso e na outra é conectado o encanamento original que parte
para o cilindro mestre. No encanamento das rodas traseiras é mais fácil, é só conectar o Y,
tamponar uma das saídas e na outra conectar o encanamento novo de 36 cm que vai até o
cilindro mestre. Vale lembrar que devemos tomar muito cuidado com um dos
encanamentos originais que sai do cilindro mestre, o primeiro deles (próximo ao
hidrovácuo) que comanda as rodas traseiras, é fácil de encontrar em quaisquer autopeças, já
o segundo que fica na ponta do cilindro mestre e comanda as rodas dianteiras, tem uma
particularidade, na extremidade que fica presa a UH o conector tem uma rosca comum a
todas outros encanamentos, mas na extremidade que fica presa ao cilindro mestre a rosca é
um pouco maior e simplesmente não existe igual, na GM a peça não é mais fornecida e nas
autopeças me disseram que tem que mandar fazer esta ponta maior, por isso muito cuidado.
Conector frontal do cilindro (by féltras)

Ai é só sangrar bem o freio e ver se não tem vazamentos nas novas conexões e pronto, o
carro já pode circular sem o ABS, mas freando que é uma beleza.
Sistema sem ABS

Desmontando a UH

Depois de terminar esta etapa foi à vez de desmontar a UH, a principio a peça parecia ser
blindada, mas depois de muitas análises e tentativas percebi que não era bem assim.
Aparentemente o problema seria no motor da bomba da UH, ele parecia estar pesado e
estava muito sujo também, pois havia vazamento de fluido da DH bem em cima deste
motor, por isso a desconfiança. O motor sai facilmente, primeiro retire uma abraçadeira que
prende a parte plástica preta no motor, para isso é necessário uma chave torx de boa
qualidade, solte também o fio positivo do motor que vai preso nesta parte preta da UH, por
fim o motor é preso a UH por dois parafusos torx, eles estavam bem apertados e foi
necessário muito cuidado para não espanar as cabeças e a chave torx.
Com o motor fora da UH foi só desmonta-lo, é uma tarefa um pouco complicada, ele é
lacrado com umas travas e é necessário abri-las com o martelo e uma chave de fenda, mas
com muito cuidado.
Travas do motor
Motor aberto

O estado interno do motor era deplorável, muita sujeira, e para limpeza utilizei WD40 e
pano seno, ficou em estado de novo. As quatro escovas estavam zeradas. Vale lembrar que
este motor não pode ficar ligado por muito tempo, pelo que percebi ele recebe apenas
pulsos e funciona apenas por alguns segundos, deixa-lo ligado por mais de 4 segundos pode
danifica-lo, para testa-lo injete 12V e apenas ligue e desligue-o rapidamente.

Para desmontar o corpo da UH não tem uma ordem correta, o que vou narrar aqui foi a
seqüência executada por min já que eu ia desmontando o que parecia ser fácil já que nunca
tinha me deparado com uma destas na minha frente.
Primeiramente foi aberta a parte inferior da UH, são dois êmbolos, um correspondente aos
canais das rodas dianteiras e o outro correspondente ao canal das rodas traseiras. Para
retirar estes êmbolos são necessárias duas pessoas, uma para pressionar o êmbolo contra a
mola e a outra para retirar um anel de expansão que o prende ao corpo da UH, a foto abaixo
mostra com mais detalhes.
Êmbolos inferiores

Logo após retirei os êmbolos laterais, relacionados com a bomba da UH, um êmbolo é
responsável pelos canais das rodas dianteiras e o outro é responsável pelo canal das rodas
traseiras.
Para soltá-los utilize uma chave Allen 10 e retire as duas porcas, uma de cada lado, depois
com um pequeno arame rígido introduza-o no orifício de onde o motor foi retirado e
empurre para fora, se necessário utilize WD40 para facilitar a tarefa.
Orifício do motor
Êmbolo lateral

Muito cuidado, pois este êmbolo lateral contém outro êmbolo menor dentro dele com umas
molas pequenas e uma esfera, e preste bem atenção na ora de desmontar, pois na montagem
não pode haver erros, são muitos detalhes. Todos estes êmbolos possuem anéis de borracha
de todos tamanhos imagináveis, alguns estavam bem deteriorados e foi necessário substitui-
los. Encontrei estes anéis de todos tamanhos em uma ferragem perto de minha casa, eles
possuem um estojo com muitos tamanhos e bitolas diferentes.
Se possível execute este trabalho em um local com boa iluminação e que permita organizar
as peças na medida em que elas vão sendo retiradas da UH, isso é fundamental para não
haver surpresas na hora da montagem.

A próxima faze foi a mais difícil, me deparei com alguns problemas e achei que não seria
possível desmontar o restante da UH, mas os dias passaram e as coisas iam se revelando.
Um destes problemas foi os parafusos principais que compõe a UH, a principio achei que
eram Allen, mas quando fui desmontar percebi que eram parafusos pentagonais, ou seja,
seria praticamente impossível encontrar uma chave para retira-los, e para piorar os
parafusos centrais tinham a cabeça lisa o que não permitia retira-los.
Parafusos superiores da UH

Foi ai então que a primeira parte do problema foi solucionada, com um pequeno martelo dei
umas batidas na cabeça destes parafusos lisos e percebi que o metal cedeu facilmente,
peguei uma chave de fenda média e comecei a bater no centro destes parafusos e percebi
que eram apenas capas de lata cobrindo a cabeça dos parafusos, ai foi só retira-las e pronto,
os parafusos estavam à mostra.
Capas dos parafusos centrais

A segunda parte do problema seria como retira-los, entrei em contato com várias casas do
ramo de parafusos e simplesmente ninguém conhecia esse tipo de parafuso, muito menos
uma chave para eles, nem em catálogos encontrei, apenas na internet com a ajuda do Mauro
Perides é que achamos algo semelhante, mas mesmo assim não tinha numeração de
tamanho, trata-se de uma chave pentagonal de uso automotivo, mas pagar 22 reais mais o
frete por uma chave que eu nem sabia se ia dar certo estava fora dos meus planos.
Resolvi então fazer uma chave destas usando como base uma chave Allen 8 que era a que
quase encaixava neste parafuso. Foi mais fácil que pensei, com a lixadeira fui moldando a
chave Allen e testando no parafuso, ficou perfeita e com isso consegui retirar os 6 parafusos
com certa facilidade.
Chave pentagonal
A UH estava finalmente aberta.

UH aberta

Nesse momento é necessária muita atenção, muitos anéis vedadores de borracha aparecem
em todos lugares e de todos tamanhos, marque também a seqüência das solenóides, ou com
uma caneta ou riscando na lateral da solenóide, isso vai facilitar na ora da montagem.
Conforme a UH vai sendo desmontada muito fluido de freio retido nas galerias internas
começa a escorrer, alguns pedaços de papelão ajudam bastante.
Desencaixe as solenóides da tampa e retire os anéis de borracha e de plástico que tem na
parte superior das solenóides, tudo vai ser limpo depois. Há também uns dutos pequenos
que ficam presos nas laterais da tampa e no corpo da UH, muito cuidado ao retira-los,
utilize WD40 para facilitar e fazer com que o anel de borracha que o prende escorregue
fácil.
UH aberta

A última parte a ser desmontada da UH foi também a mais difícil, as câmaras frontais, o
serviço foi tão trabalhoso devido ao excesso de sujeira que havia dentro destas galerias, foi
necessária muita paciência e insistência, e novamente duas pessoas para conseguir abri-las.
A seqüência foi à mesma dos outros êmbolos, uma pessoa pressiona o êmbolo contra a
mola com um objeto qualquer enquanto a outra retira o grampo que segura o êmbolo com
uma chave de fenda. Muito cuidado, a pressão do grampo é muito forte e pode saltar com
velocidade, use óculos de proteção para realizar este serviço.
Êmbolos frontais
UH desmontada

Depois de tudo desmontado é só fazer uma boa limpeza, quem tiver um compressor com ar
comprimido melhor ainda, eu utilizei muito spray CAR 80 para limpeza das peças e um
secador de cabelos para secagem. As solenóides possuem uns filtros nas partes superior e
inferior, preferi não desmonta-los, pois estes mini filtros são de um plástico muito frágil e
parecia estar ressecado, tentei forçar para retirada, mas não teve jeito, e visualmente não
parecia ter sujeira por dentro do filtro. Acredito que só uma pulverizada com ar na entrada
das solenóides já resolva um possível entupimento.
Há dois furos minúsculos que necessitam de uma atenção especial na ora da limpeza, ele
tem o diâmetro de uma agulha e certamente devem estar entupidos, eles fazem a
comunicação das duas entradas de fluido da UH com as duas câmaras frontais, nesta foto
poderemos visualiza-los melhor.
Furos pequenos

Introduza uma agulha ou arame rígido e fino nos furos superiores circulados em vermelho e
ele tem que sair lá em baixo, nas câmaras, os furos minúsculos ficam bem na direção do
círculo azul.
Faça uma inspeção visual em todos anéis de borracha da UH, pois se algum anel estiver
corroído e a UH for montada, todo serviço vai para o espaço, então substitua os anéis
desgastados.

Montando a UH
Depois de tudo limpo e novo em folha é ora de fazer a ordem inversa, não tem muito
mistério, apenas gostaria de deixar algumas dicas que considero importantes no momento
da montagem.
Comece recolocando os êmbolos inferiores e os frontais, muito cuidado na montagem dos
êmbolos, pois os anéis de borracha entram muito justos e podem ser danificados se forçar
muito, para isso coloquei um pouco de vaselina dos anéis, isso facilita bastante o deslize do
êmbolo sem forçar.
Recoloque o motor e fixe-o, depois recoloque os êmbolos laterais e as porcas Allen 10.
Nesta etapa o corpo inferior da UH esta montada e ai vem um detalhe muito importante,
quando eu pesquisei sobre a UH do ABS BOSCH 2S descobri que a UH quando vendida
nova vinha cheia de fluido de freio e com as entradas e saídas tamponadas, isso devido à
dificuldade de retirar o ar interno em uma sangria, ou seja, devido as muitas galerias e dutos
é muito difícil retirar o ar interno da UH na ora de sangrar o freio, por isso resolvi injetar
fluido na UH para monta-la cheia. Para isso compre uma seringa e uma agulha muito fina e
injete fluido neste ponto:

Entrada de fluido da UH

Com a agulha fina e comprida será possível injetar fluido nestas câmaras frontais, e daí o
fluido vai preencher toda parte inferior da UH. Não esqueça de tamponar estas entradas e
que a agulha deve passar do furo minúsculo que fica uns 4 cm da borda.
Depois que os furos transbordarem fluido ai comece a recolocar as solenóides e seus anéis
de borracha e os de plástico.
Recoloque a tampa e injete mais fluido nas saídas superiores da UH e pronto, sua UH já
esta montada.

Após instalar a UH no carro sangre o freio de 2 a 3 vezes, e com bons intervalos, ou seja,
sangre o freio e ande uns dois dias com o carro, depois sangre novamente, isso é
fundamental para retirar todo ar que ficou retido em algum ponto da UH. Se notar que o
freio ainda esta xoxo pode sangrar novamente que deve ser ar.
Observações importantes:

- Caso você não encontre os anéis de borracha para substituição lembre-se de que
pelo menos os anéis pequenos utilizados na UH são semelhantes aos anéis
existentes nos xiclês de carburadores, estes xiclês são baratíssimos;
- Há um resistor logo abaixo dos pinos do plug da UH (BW 54 TFX) que poder ser
testado com um multímetro entre os pinos 10 e 12 da UH;
- Quando sair com o carro pela primeira vez depois da montagem da UH faça uns
bons testes, molhe os pneus ou saia com chuva em uma estrada de areia ou com
calçamento escorregadio, execute umas frenagens bruscas, isso colocará o ABS para
funcionar, tanto as solenóides quanto à bomba e ajudará a expulsar o ar de dentro do
sistema. É normal o ABS falhar nestes primeiros testes e a luz do ABS acender,
afinal o ar dentro das solenóides vai impedir o alivio de pressão e as rodas irão
travar o que causará um erro no sistema, sangre o sistema e refaça os testes;

Gostaria de agradecer a todos amigos do fórum OMEGACLUBE que de alguma forma


ajudaram e contribuíram para que mais esse mito fosse derrubado, gostaria de citar o nome
dos colegas envolvidos neste projeto, mas poderia cometer a injustiça de esquecer o nome
de alguém, por isso coloco aqui o link do fórum do OMEGACLUBE que contem todo
andamento do processo e todas pessoas envolvidas, muitos detalhes, dúvidas e soluções
estão disponíveis neste tópico. Aconselho a todos que tiverem interesse em aprender um
pouco sobre o ABS BOSCH 2S do Omega.
http://www.omegaclube.com.br/forum/viewtopic.php?t=7873&postdays=0&postorder=asc
&start=0

Montei também uma pequena explicação de como funciona a Unidade Hidráulica do ABS
internamente. (652.78 KB)
http://www.mediafire.com/?1gynrg2nby1

Planilha de testes (by Max) (21.5 KB)


http://www.mediafire.com/?jmy2mgmz4bb

Diagnostico Bosch abs 2s (483.21 KB)


http://www.mediafire.com/?wyxm0wmitwz

Manual ABS BOSCH 2S – italiano (1.13 MB)


http://www.mediafire.com/?lzznuujdzrc

Manutenção ABS bosch 2S (by Omegaclube - revisado)


http://www.mediafire.com/imageview.php?quickkey=ygstamidjli&thumb=5

Fotos detalhadas do processo (48.58 MB)


http://www.mediafire.com/?dmj1wzmmisa
Estou a disposição para esclarecimentos, críticas e a ajudar algum amigo que venha a fazer
esta manutenção em seu ABS. Também me disponho a realizar a limpeza da UH, é só
entrar em contato através do meu e-mail maxgigi@vetorial.net

Um abraço a todos

Maximiano machado

Você também pode gostar