Você está na página 1de 4

A CONSTRUÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE

QUÍMICA
2 1 3
(ZIMMERMANN, Everton Gütler ; DONATTO, Gustavo Quatrin ; MARQUES, José Francisco
4 6 7 8
Zavaglia ; TOLENTINO, Sheila dos Santos ; SILVA, Maria Amélia de Mello ; ISER, Fabiana ; BASSO,
9
Berenice Geschwind )

INTRODUÇÃO

A tecnologia está presente em todos os setores da nossa sociedade, tanto é que uma pessoa
que não tem interação com ela pode sentir excluída, ou até mesmo dificuldade para se inserir no
mercado de trabalho. Este trabalho consiste na construção de um DVD com experimentos do
ensino médio para que o professor possa utilizar em aulas de demonstração ou até mesmo se
estimula o professor-aluno a realizá-lo em laboratório.

OBJETIVOS

O projeto tem como objetivo, a elaboração de um material multimídia para o ensino de


química, no intuito de incentivar a busca pela prática de experimentos, facilitando a
compreensão da teoria.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Contribuir no processo de remodelação do ensino, oferecendo ao aluno uma aula mais


dinâmica;

Oportunizar um ensino de química de qualidade a todas as escolas da região;

Proporcionar um ensino diferenciado, que vai além da memorização indiscriminada de


símbolos, fórmulas e nomes de substâncias.

__________________________
1
Trabalho PIBEX - Programa Institucional de Bolsas de Extensão na UNICRUZ
2,3,4,5,6
Acadêmicos do curso de Licenciatura em Química da UNICRUZ.
4
francisco_quimica@yahoo.com.br
7
Professora orientadora pesquisadora integrante do Grupo de Pesquisa em Estudos Humanos e
Pedagógicos da UNICRUZ
8
Professora colaboradora Mestre em Ciências da Comunicação pela UNISINOS, Graduada em
Comunicação Social – habilitação Jornalismo (UNICRUZ) e docente do Curso de Comunicação Social
da UNICRUZ
9
Professora colaboradora Mestre, Pesquisadora do GPEHP da Unicruz e Coordenadora do Curso de
Pedagogia
Tecnologia Educacional

As tecnologias é método de planejar, executar e avaliar o processo de ensino-


aprendizagem tornando o ensino mais dinâmico, eficiente e mais atraente ao aluno. Mas
no ensino atual o dinamismo e atração dos alunos na matéria, pois aulas tecnológicas
necessitam de tempo para cria-la e de objetivos a alcançar com o educando. (MENDES,
1984)

Um exemplo de aula dinâmica é o professor usar o projetor em aula, em um slide


pode transmitir o conteúdo da aula, que seria escrito no quadro, só que um ganho de 10
minutos no tempo. Essa diferença pode ser utilizada trabalhando as explicações e
atendimento individualista deles, de acordo com as dificuldades dos alunos.

O autor GRANDO (1982) fala que os objetivos da tecnologia é melhorar o método


de preparação e avaliação do sistema escolar, e deve desafiar, e o aluno opere sobre a
informação, comparar, analisar, identificar, sintetizar os elementos da mensagem
sempre levando em conta que cada etapa do desenvolvimento do sujeito existe um
limite da utilização dos recursos. O sistema escolar é o planejamento, execução e
avaliação fazendo a mudança no individuo, atribuído ao processo de aprendizagem, na
transformação do ser imaturo e dependente em maturo e produtivo na sociedade.

Comunicação

É uma pessoa ou um conjunto de pessoas com o proposito de transmitir uma


mensagem na forma de sinais e códigos que são codificados pelos seus receptores. Há
duas maneiras de expressa-las no mecanismo vocais (palavras, sons, notas musicais)
ou os movimentos musculares de mão (escrevendo, desenhando, sinais, e outros
componentes do corpo). (MENDES, 1984)

Embora o ensino é feito de comunicação oral, as palavras representam coisas


que podem ser observadas como no ensino de química através de experimentos.

Essa é a razão fundamental pela qual os cientistas


dão tanto valor ao laboratório e ao trabalho no próprio campo
de pesquisa, sendo que o conhecimento cientifico depende
da observação direta dos fatos e das coisa. (GRANDO, 1982,
p. 15)

Dentro desta relação existe o chamado bloqueio de comunicação são eles:


verbalismo, confusão de referências, devaneio, não percepção e desinteresse. O
verbalismo é uso excessivo da comunicação oral que dá espaço para várias
interpretações doS alunos, o devaneio que é o afastamento do aluno sobre o assunto e
concentra-se em outras coisas mais importantes para ele causado pelo verbalismo que
pode ser aumentado pelo uso de audiovisuais. O desinteresse é causado pelo uso
excessivo de uma só didática de ensino.

Recursos audiovisuais

Entendem-se como recursos todos mural didático, retroprojeção, televisão


educativa e em sala de aula, cinema, fotografia, computadores, gráfico e diagramas,
cartaz didático, ilustração, quadro de giz, teatro, jornal escolar e outros mais. A
predominância da visão e audição é responsável por 70% da comunicação do nosso dia
a dia. (MENDES, 1984)

Segundo GRANDO (1982) ”existem vantagens de usar a televisão em aula são


elas: atingir número ilimitado de alunos, atingir várias salas de aulas ao mesmo tempo,
repetir lições em horas diferentes, repetir lições simultâneas ou quando necessárias.”

A autora MENDES (1984), reforça outras vantagens existentes no uso de


recursos audiovisuais como: enriquecem a experiência sensorial, facilita a aquisição e a
fixação da aprendizagem, estimular a imaginação, e diz ainda que o que vemos e
ouvimos influencia o nosso comportamento e constitui o principal fator na aquisição de
conhecimentos.

A também as desvantagens descrito por ela sendo a utilização desnecessária,


excessiva, inútil, não desenvolve a capacidade de abstração e imaginação, a falta de
expressões orais, perda de alcançar objetivos para o sucesso do seu uso.

O uso de audiovisual vem como auxilio no ensino e aprendizagem, uma


ferramenta de fácil utilização e de baixo custo para preparar uma aula, este recurso
deve estimular a curiosidade e o pensamento crítico do aluno. A televisão uns dos
principais órgãos de comunicação é capaz de induz as pessoas pensarem no que vestir,
no que consumir, no que se alimentar até vezes no que pensar em relação a certo a
assunto, o ensino pode aproveitar-se da televisão para fazer a sua propaganda da sua
matéria, incentivando o aluno a ver e ouvir e facilitando a compreensão e induzindo a
procurar na televisão programas educativos e culturais que podem trazer acréscimo no
seu conhecimento.

Apesar de alguns avanços obtidos na educação do ensino médio, nos últimos


anos, o ensino de química, por meio de práticas laboratoriais, ainda não é muito
explorado nas escolas. Tal motivo se deve, em parte, pela falta de investimento nessas
instituições, as quais não têm condições de adquirir materiais e equipamentos
apropriados, e também pela falta de pessoas qualificadas para manutenção e utilização
desses recursos.

No que se refere ao ensino de química, a maior preocupação das instituições de


ensino da nossa região, está baseado na memorização indiscriminada de símbolos,
fórmulas e nomes de substâncias, mas esta metodologia não é suficiente para o
desenvolvimento de competências e habilidades desejáveis que o aluno deve adquirir
ao longo de sua formação básica.

METODOLOGIA

O projeto consiste na elaboração de um material multimídia em DVD, composto


por experimentos de fácil entendimento, que abordem os conteúdos mais relevantes da
química do segundo ano do ensino médio. Os testes dos experimentos e suas
gravações estão em desenvolvimento nos laboratórios de Química da Universidade de
Cruz Alta.

Cada experimento contem cerca da 5 minutos de gravação. No segundo


semestre de 2010, será aplicado aos professores das escolas da rede estadual do
município de Cruz Alta no intuito de avaliar o projeto, assim com os resultados obtidos.

RESULTADOS E DISCUSSÕES

O beneficio é aos professores que não possuem infraestrutura na escola de trabalho ou


financeiro para compra de materiais para realização de experimentos. Vem como forma de
incentivar as escolas que tem condições de realizar experimentos de seguir o procedimento
conforme o vídeo. Segundo SANTOS (1984), pesquisas mostram que as pessoas aprendem
melhor por meio de imagens do que por sons e com uso de audiovisuais o aprendizado aumento
35% e dura por maior período de tempo.

CONCLUSÃO

O uso de material audiovisual como vídeos experimentais no ensino de química é uma


forma de ensino indireta do aprendizado e auxilio do professor, o educador não pode usar como
ensino direto que converterá o beneficio a maleficio, pois pode diminuir sua expressão oral do
aluno e desenvolvimento de abstração.

O professor não deve se sentir ameaçado pela as tecnologias, pelo contrario deve procurar
se inteirar e aperfeiçoar seus conhecimentos, pois só tem a ganhar com aulas mais dinâmicas e
facilitando a compreensão dos alunos e também incentivando a procurar vídeos na televisão ou na
internet que tragam conhecimento, cultura para sua formação como cidadão.

REFERENCIAS

MENDES, Maria Cândida. A Tecnologia Educacional: e os meios audiovisuais. Cruz Alta. Ed:
UNICRUZ, 1984.

GRANDO, Ana M. Noro; COSTA, Auta de Souza; WEISSHEIMER, Astrid; GONZALES, Elias
Nunes. Recursos audiovisuais: um manual para o professor. Santa Maria. Ed. UFSM, 1982.