Você está na página 1de 4

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

Diretoria de Ensino da Região de Jacareí


Escola Estadual "Dr. Washington Luiz Pereira de Souza"
Rua Washington Luiz, 27- CEP 07400-515 Fone: 4655-3900 - Arujá - São Paulo - SP
E-mail: washingtoncoordp@gmail.com

ROTEIRO DE ATIVIDADES PARA O PERÍODO DE AULAS NÃO PRESENCIAIS E PRESENCIAIS


3º BIMESTRE
2021

Professor: Raquel Rodrigues

Componente Curricular: Geografia

Ano/Série/Termo: 8° ano A e B

Quantidade de aulas na semana: 04

Período semanal: 30/08/2021 à 10/09/2021

Objeto do conhecimento: Desigualdade social e o trabalho

EF07GE07A
Analisar o papel das redes de transporte e comunicação e estabelecer relações
Habilidades desenvolvidas: com os fluxos materiais (objetos, mercadorias, pessoas) e imateriais (dados,
informação, comunicação) em escala global.

Orientações gerais:
- Leia com atenção as orientações:
- Devolutiva das atividades em atraso para organização e fechamento das notas
- Participar das aulas no Centro de Mídias de segunda a sexta das 13h as 18:35h
- Dúvidas através do grupo de whatsapp da turma.
- Centro de mídias: fazer as tarefas propostas.
- Enviar roteiro no privado do whatsapp ou e-mail raq.rod@terra.com.br
- O roteiro se encontrará disponível no drive da escola toda segunda-feira: . http://bityli.com/qhiRw
- Caso não tenho como fazer o impresso do roteiro, dirigir-se a unidade escolar para fazer a impressão do mesmo.
- As quarta-feira estarei na Unidade fazendo plantões, não atenderei pelo CMSP.
SEGUE TABELA DE HORÁRIO SEMANAL DE GEOGRAFIA (siga seu horário de aula para não se sobrecarregar com as
atividades e assim criar uma rotina diária junto com seu professor, tire suas dúvidas, faça as atividades, envie atividades,
faça chamada de vídeo pelo WhatsApp, mas tudo de acordo com seu horário semanal). Minhas aulas no CMSP, segue
tabela abaixo:

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta


13:00 Sem atendimento Sem Sem atendimento Sem atendimento Sem atendimento
atendimento
13:45 2ª: 7º ano A // 2ª: 7º ano B 8º ano A 6º ano A
14:30 3ª: 8º ano A // 3ª: 6º ano A 8º ano B 6º ano B
15:15 4ª: 8º ano B // 4ª: 8º ano A 6º ano A 7º ano B
16:20 5ª: 6º ano A // 5ª: 7º ano A 7º ano B 7º ano A
17:05 6ª: 7º ano B // 6ª: 6º ano B 7º ano A 8º ano A
17:50 7ª: 6º ano B // 7ª: 8º ano B 6º ano B 8º ano B

OS TEXTOS ABAIXO SÃO PARA LEITURA E AUXILIAR NO DESEENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES, DEVEM SER
IMPRESSOS E COLADOS NO CADERNOS.
SOBRE A TECNOLOGIA NO BRASIL

Paulo Henrique Heitor Polon


Luana Caroline Künast Polon

Até a década de 1930, o Brasil importava praticamente toda tecnologia dos países industrialmente
desenvolvidos, como os Estados Unidos e alguns países europeus. A pesquisa em Ciência e
Tecnologia e sua produção organizada começa ainda na década de 1930, com a criação de
Universidades – como a USP, em 1934 – e o incentivo à pesquisa docente. Como a noção de
modernidade está relacionada com o avanço tecnológico, consequentemente o Brasil era visto como
país atrasado em relação aos países que já possuíam consolidação em pesquisa e desenvolvimento
tecnológico. Muito embora diversos avanços tenham sido observados no Brasil nas últimas décadas
em relação ao investimento no desenvolvimento de tecnologias, o país continua na 69ª posição no
ranking do relatório global de tecnologia da informação, conforme informações divulgadas em abril
de 2014. Enquanto a Finlândia permanece em 1º lugar no ranking, segundo o Fórum Econômico
Mundial.
Entre os anos de 1945 até 1990, o Brasil apresentou uma postura de mercado um tanto rígida, e em
alguns momentos fechada ao comércio internacional, o que influenciou no baixo desenvolvimento
da tecnologia no país. O Brasil tem apresentado avanço significativo nos últimos anos em relação às
tecnologias da produção, como é o caso das pesquisas em combustíveis alternativos
(biocombustíveis) e na tecnologia de extração de petróleo. Os investimentos em pesquisa científica e
produção tecnológica aumentaram significativamente após de década de 1990.
O desejo de ser contemporâneo – moderno – está ligado ao desejo da contemporaneidade, esse
desejo tem ligação com a inovação tecnológica, deste modo, há uma corrida pela criação de
tecnologias e consequente ascensão em relação aos demais países. Especialmente nos últimos
governos houve um massivo investimento na Educação, como meio para promover a pesquisa, com
a ampliação de Universidades Federais e a criação de Universidades Federais Tecnológicas, além do
fomento para formação superior na sociedade, com políticas públicas como o PROUNI, SISU, FIES,
etc.
Para além das questões já expostas, cabe refletir sobre a influência das tecnologias no cotidiano. Os
recursos tecnológicos estão mais acessíveis à boa parte da população brasileira, especialmente os
telefones celulares e computadores, bem como o acesso à internet e às redes sociais. O acesso à
internet parece reduzir as distâncias entre as pessoas, promovendo uma maior interação social, o que
em muitos casos é utilizado para compartilhamento de ideias, mobilizando pessoas em torno de uma
causa comum, como é caso dos recentes protestos no Brasil, organizados através das redes sociais.
O avanço tecnológico influencia o comportamento dos indivíduos no meio social. Apesar da
interação comunicativa e a ideia de encurtamento das distâncias, alguns autores defendem que há
uma fragilização dos laços sociais, como é o caso do Sociólogo polonês Zigmunt Bauman, o qual
analisa as relações virtuais, próprias das sociedades onde a tecnologia é significativa. O autor em
questão alerta para a necessidade dos indivíduos em manterem laços “apertados” de sociabilidade,
muito embora não tão solidificados que não possam ser desfeitos, deixando-os assim também um
pouco frouxos.
São as contradições do avanço das tecnologias, as quais expõem os indivíduos de uma forma ainda
não vista em décadas anteriores, e a questão que se coloca é se os brasileiros estão lidando de forma
adequada com o avanço das tecnologias no país. O avanço do meio técnico-cientifico-informacional
no Brasil abre questões sobre a ética, por exemplo, levando os indivíduos a refletirem sobre quais os
limites para o uso dos recursos disponíveis. Muito embora as técnicas venham para facilitar a vida
dos indivíduos, o uso destas deve ser questionado sempre que necessário for. Este avanço no Brasil
impulsionou também o consumo, especialmente o consumo da novidade, o qual gera consequências
que também merecem discussões, como o uso demasiado dos recursos naturais, e o descarte
inadequado destes objetos de consumo no meio. A troca tornou-se sinônimo de modernidade, fruto
dos recursos tecnológicos disponíveis à produção. São as contradições sobre as quais precisamos
aprender a refletir, para que não nos tornemos vítimas da nossa produção tecnológica e científica.

Copie e responda as questões abaixo em seu caderno: Parte I- de 30/08 à 03/09


1) Como o Brasil era visto em relação ao seu desenvolvimento tecnológico?
2) Qual a posição do país no ranking tecnológico?
3) Qual a postura do Brasil entre 1945 à 1990?
4) Qual é o avanço significativo que o Brasil teve nos últimos anos em tecnologia?
5) Quais os recursos tecnológicos estão mais disponíveis aos brasileiros?
6) O que promove o acesso a internet?
7) Quais as questões que o Meio-Técnico-Científico abre no Brasil?
8) O avanço tecnológico no Brasil o impulsionou de que forma?

Parte – II de 06/09 à 10/09.

Observe as imagens e responda as questões:

a) A imagens em questão faz uma crítica a quê?

B) Na nossa vida diária usamos muita tecnologia, e você em sua casa, escola, onde e qual
tipo de tecnologia que usa?
C) a tecnologia hoje veio de forma muito rápida as pessoas, para nos ajudar em muitas
questões e facilitar nossa vida, você acha que todas as pessoas tem acesso a essa tal
tecnologia? Justifique sua resposta.

d) A tecnologia interliga tudo e todos, de que maneira podemos usar a tecnologia de forma
saudável, sem atrapalhar nossa vida ou saúde mental? Justifique.

Você também pode gostar