Você está na página 1de 48

Mônica Fernandes Ferreira

 Distribuição de pontos do semestre:


 1º Bimestre
- (04) pts = Unificada
- (06) pts = Prova

 2º Bimestre
- (07) pts = Prova
- (03) pts = Trabalho ou Prova
 Introdução, Classificação das Rodovias,
Escolha do traçado

 Elementos básicos para o projeto de uma


estrada

 Curvas horizontais circulares

 Curvas horizontais com transição


 Superelevação

 Superlargura

 Perfil longitudinal – Curvas Verticais

 Seção transversal, Projeto de terraplenagem,


Diagrama de Brückner
 Federais
 Via que interessa diretamente à Nação, quase
sempre percorrendo mais de um estado
 Construídas e mantidas pelo governo federal
 Estaduais
 Ligam as cidades entre si e a capital de um
estado
 Atende às necessidades do estado, ficando
contida em seu território
 Municipais
 Construídas e mantidas pelo governo
municipal
 Interesse de um município ou de municípios
vizinhos
 Atende ao município que a administra
 Vicinais
 Estradas municipais, pavimentadas ou não
 Uma só pista e de padrão modesto – às vezes
são privadas
 Setor primário – agricultura
 Projeto de uma estrada

ELEMENTOS
FÍCICOS
CONFORTO OPERAÇÃO

PROJETO
GEOMÉTRICO
SEGURANÇA FRENAGEM

ACELERAÇÃO
Econômico

Técnica

social

Geometria

Física
Projeto geométrico
Projeto de terraplenagem
Pavimentação
Obras de arte
Drenagem
TRAÇADO DA
Desapropriação ESTRADA
Interseções
Sinalização
Impacto ambiental etc.
- Prioridades de ligação em função
de dados socioeconômicos
- Demanda de tráfego
Evitar trechos retos longos
( ~ 2 a 3 km)

 Fadiga e cansaço

Impacto da iluminação dos


faróis à noite
 Topografia
- Função dos movimentos de terra
- Harmonia com a topografia do local

 Geologia / geotecnia
- Estabilização de cortes e aterros em terrenos
desfavoráveis (rochas, solos moles, etc.)
Estrada na Itália – com mais de 2.700 metros de
altitude
 Hidrologia
- Regime pluviométrico, corpos hídricos
superficiais, etc.
- Drenagem, obras de arte, etc.
 Desapropriação
- Benfeitorias na faixa de implantação
 Benefício social
 Impacto ao meio ambiente
Escolha do traçado
 Reconhecimento da região
- Possíveis locais de passagem
- Levantamento de obstáculos topográficos,
geológicos, hidrológicos
 Coleta de dados
- Mapas, cartas, fotos aéreas, topografia,
dados socioeconômicos, de tráfego, estudos
anteriores, etc.
 Escala 1:10.000 (pelo menos)
 Levantamento de alternativas possíveis

- Traçado da rodovia: representa espacialmente


a rodovia (planta e perfil)

- Diretriz do traçado: ampla faixa de terreno ao


longo e ao largo da qual presume-se que
possa ser lançado o traçado da rodovia
 Determinação de pontos de passagem
obrigatórios
- De condição: obrigatoriamente atingidos (ou
evitados), por razões sociais, econômicas ou
estratégicas
• Cidades, vilas, povoados, áreas de reserva,
instalações industriais, militares, etc.
- De passagem: a obrigatoriedade de serem
atingidos (ou evitados) é devida a razões
técnicas
• Condições topográficas, geotécnicas,
hidrológicas
• Rios, acidentes geográficos, etc.
 Levantamento de quantitativos e custos
preliminares das alternativas

 Avaliação dos traçados

 Elaboração de plantas e perfis


- Comparação e escolha do traçado mais
conveniente
 Declividade muito íngreme
- Desenvolver o traçado
Estrada na Itália – com mais de 2.700 metros de
altitude
 Traçado acompanha as curvas de nível
- Há redução do volume escavado: plataforma
cruzará menos com as curvas de nível
 Traçado cruza um espigão
- Procurar pelos pontos mais baixos
(gargantas)
- Rampas com declividades menores – menor
movimentação de terra
 Traçado de espigão e traçado de vale
 Harmonia do traçado com a paisagem
 Greide da rodovia deve resultar suave e
uniforme, evitando-se as constantes quebras
do alinhamento vertical e os pequenos
comprimentos com rampas diferentes
 Nos trechos em corte ou em seção mista,
deve-se projetar o greide com declividade igual
ou superior a 1 %
 Rampas inferiores requerem cuidados especiais
quanto à drenagem
 O mínimo permitido é de 0,35 %, limitado a uma
extensão de 30 metros
 Nos trechos em corte, deve-se evitar
concavidades com rampas de sinais
contrários, para evitar problemas com
drenagem superficial

 Em regiões planas, o greide deve ser


preferencialmente elevado
Coordenação de curvas horizontais e
verticais
 Iniciar a curva horizontal antes da vertical
 Dobra ótica
 Dobra ótica
 Mergulho em tangente

 Mergulho em curva
 Abaulamentos (tobogã)
 Ondulações na curva
 Planta
Projeção da estrada sobre um plano
horizontal
 Perfil longitudinal
Interseção da estrada com a superfície
vertical que contém o eixo da estrada
 Seções transversais
Cortes da estrada feitos por planos verticais,
perpendiculares ao eixo da estrada
 Traçado de uma estrada

• Projeto geométrico, terraplenagem,


pavimentação, obras de arte, drenagem,
desapropriações, impacto ambiental, etc.
• Prioridades de ligação – demanda
• Aspectos econômicos, sociais e técnicos
(geometria, veículos)
• Pontos de passagem obrigatórios
• Avaliação de traçados – recomendações e
defeitos