Você está na página 1de 88

Guia de Estudos

A Igreja Pós-Reforma
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

A Igreja Pós-Reforma
Guia de Estudos

2
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

Ligonier Connect
Guia de Estudos
Traduzido do original em inglês
Church History IV: The Post-Reformation Church
Copyright©ano by Robert Charles Sproul

Publicado por Nome da Editora Internacional

Copyright©2019 Curso Fiel de Liderança


1ª Edição em Português 2019

Todos os direitos em língua portuguesa reservados por Curso Fiel de Liderança da Missão
Evangélica Literária

PROIBIDA A REPRODUÇÃO DESTE CONTEÚDO POR QUAISQUER MEIOS, SEM A


PERMISSÃO ESCRITA DOS EDITORES, SALVO EM BREVES CITAÇÕES, COM
INDICAÇÃO DA FONTE.

3
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

Diretoria Administrativa: Alexandre da Costa Oliveira


Diretoria Acadêmica: Tiago José dos Santos Filho

Caixa Postal 1601 Diretoria Executiva: James Richard Denham III

CEP 12230-971 Coordenação Pedagógica: Laise Helena Oliveira

São José dos Campos – SP Tradução: Alan Cristie

PABX: (12) 3919-9999 Revisão: Yago Martins

www.cursofieldelideranca.com.br Diagramação: Laise Helena Oliveira


Capa: Laise Helena Oliveira

4
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

SUMÁRIO

COMO USAR ESTE GUIA ....................................................................................... 7

1 - A CONTINUAÇÃO DA REFORMA ....................................................................... 9

2 - TEOLOGIA ESCOLÁSTICA ................................................................................ 16

3 - A PIEDADE PURITANA.................................................................................... 22

4 – A POLÍTICA DOS PURITANOS ......................................................................... 28

5 - A ADORAÇÃO PURITANA E SUA ESCATOLOGIA .............................................. 35

6 – OS PURITANOS, A SEGURANÇA E A CONVERSÃO DO SALVO .......................... 41

7 - OS PURITANOS NA NOVA INGLATERRA .......................................................... 48

8 - O ILUMINISMO .............................................................................................. 55

9 - WESLEY E WHITEFIELD ................................................................................... 62

10 - O GRANDE DESPERTAMENTO ...................................................................... 68

11 - JONATHAN EDWARDS ................................................................................. 75

12 - REVOLUÇÕES POLÍTICAS .............................................................................. 82

5
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

O CURSO FIEL DE LIDERANÇA

O Curso Fiel de Liderança (CFL) é o ministério de educação teológica do Missão


Evangélica Literária (Ministério Fiel).
Este ministério, idealizado há mais de 20 anos pelo missionário Richard Denham Jr. -
Pr. Ricardo, fundador da “Fiel”, tem como alvo primário oferecer aos pastores, líderes,
professores e estudantes de teologia uma oportunidade de refletir e aprofundar seus
conhecimentos em temas bíblicos, baseados em uma cosmovisão reformada, que
possam cooperar com o seu crescimento na fé e na sã doutrina, o que certamente será
refletido em seu ministério de ensino e instrução do povo de Deus, na igreja local.
No ano de 2011, o CFL ganhou corpo, com o planejamento do primeiro curso. As
gravações das aulas deram início no ano de 2012 e, a partir deste momento, o número
de cursos oferecidos pelo CFL têm crescido consideravelmente ano a ano.
Atualmente, o CFL possui parceria com diversas instituições internacionais o que
tem resultado em reconhecimento internacional. O corpo docente é composto por
brasileiros e estrangeiros, mestres e doutores em teologia, que têm se dedicado ao
ensino e influenciado positivamente o cenário teológico contemporâneo.
O Curso Fiel de Liderança tem se preocupado em zelar pela qualidade teológica dos
cursos oferecidos para que você, ao estudar, seja enriquecido na Palavra.
Rogamos a nosso Deus que ele se agrade em fazer uso do conteúdo deste curso
para edificar sua vida e aquecer o seu coração.
Que o Senhor o abençoe em seus estudos!

Equipe CFL

6
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

COMO USAR ESTE GUIA

Este Guia de Estudos foi desenvolvido para ser utilizado juntamente com as aulas do
curso “A Igreja Pós-Reforma”. Se você é um aluno matriculado no CFL, tem permissão
para fazer o download desse material que se encontra na Biblioteca Virtual. Este
recurso tem a finalidade de colaborar com os seus estudos pessoais, através de um
melhor aproveitamento do conteúdo do curso.
Neste guia, para cada aula, você encontrará uma breve introdução; indicações de
leituras bíblicas, as quais consideramos extremamente importantes, pois auxiliarão na
fixação da matéria ministrada; uma descrição dos objetivos do processo de
aprendizagem; uma ou mais citações que corroboram com o conteúdo ministrado em
aula; o esboço da aula; exercícios de fixação (a quantidade de exercício proposta no
Guia excede o número proposto ao longo do curso); questões para estudos bíblicos,
que procuram relacionar o conteúdo estudado com a Palavra de Deus; questões para
reflexão das quais algumas foram propostas ao longo do curso; e, finalmente, uma
aplicação, que procura relacionar o conteúdo ministrado com a prática cristã.
Assim, nossa recomendação é para que, embora tenhamos parte do Guia de
Estudos nas atividades do portal, você o imprima e o utilize durante o
acompanhamento das videoaulas, sabendo que essa atitude será enriquecedora para
seus estudos particulares.
Oramos para que este Guia de Estudos seja de bom proveito aos alunos do curso “A
Igreja Pós-Reforma”.

Equipe CFL

7
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

Introdução

Enquanto a Igreja Protestante implantava a Reforma pelos Séculos Dezessete e


Dezoito adentro, ela enfrentava inúmeros desafios internos e externos. A Europa
estava testemunhando mudanças dramáticas conforme o mundo da Idade Medieval
começava a se transformar no mundo da Idade Moderna. Como haviam rompido
relações com a Igreja Católica Romana, os Protestantes podiam antever uma divisão
profunda que ocorreria dentre seus próprios membros. Mas, apesar destas muitas
lutas, A Igreja da Reforma seguia em frente. Nesta série, junte-se ao Dr. Robert
Godfrey enquanto ele analisa a história da Igreja Reformada no mundo de fala Inglesa.
Você irá estudar a respeito dos Puritanos da Inglaterra e da Nova Inglaterra. Você
também irá encontrar figuras notáveis; tais quais John e Charles Wesley, George
Withefield, e Jonathan Edwards; e verá que todos eles tiveram um papel importante
no Primeiro Grande Avivamento.

8
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

1 - A Continuação da Reforma

INTRODUÇÃO

A Reforma foi um “Divisor de Águas” na história da Igreja. E, chegando em seu


desfecho, o resultado foi que os Protestantes quiseram continuar avante nesta
trajetória traçada pelos reformadores. Eles ansiavam conseguir desenvolver uma
teologia que fosse reformada de acordo com as Escrituras, e que continuasse a
purificar, disciplinar, e trazer crescimento para a Igreja. Como não podia deixar de ser,
houve muitos desafios internos que a incipiente Igreja Reformada teve que enfrentar.
E, somados a estes desafios internos, houve também muitos ataques externos. Nesta
lição, Dr. Gofrey irá explicar quais eram os maiores desafios da Igreja Reformada. Esta
Igreja que desejava ser uma testemunha fiel em um mundo que estava sempre em
mudança.

LEITURAS BÍBLICAS

Mateus 28:16-20 ; Romanos 13:1-7

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Explorar os muitos desafios que a Igreja enfrentou após a Reforma

9
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

2. Examinar como as divisões internas da Igreja mudaram a maneira como os cristãos


se veem uns aos outros
3. Ver como a “rachadura” que a Igreja sofreu, deixou a Cultura Ocidental sem ter uma
Força Cultural Unificadora

CITAÇÕES

Protestantismo... associa a unidade da Igreja, acima de tudo, com a


unidade do cabeça da Igreja; com a comunhão de todos os crentes através
de um único e mesmo Espírito, com Cristo, e uns aos outros. E ainda mais;
com a unidade da fé, esparança, e amor; do Batismo, e muitas outras
coisas. Esta unidade, ainda que seja primeiramente espiritual em caráter;
acaba por existir objetivamente no mundo real, e assim não permanece
completamente invisível. Ela manifesta-se a si mesma externamente –
ainda que de forma imperfeita – e, pelo menos, podemos entender um
pouco daquilo que as Igrejas de Cristo tem em comum. Nenhum
cristianismo existe acima ou abaixo das diferenças religiosas, mas o que
existe realmente é um cristianismo que convive com as diferenças
religiosas. Porque nós temos a tendência de prestar mais atenção as
diferenças e aos cismas na Cristandade; nós corremos constantemente o
risco de menosprezar o seguinte : - Acima de tudo isto existe a verdadeira
UNIDADE. Aquilo que une todos os verdadeiros cristãos é sempre maior do
que aquilo que os separa.

- Herman Bavinck

10
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

ESBOÇO

I. Introdução
A. Esta série irá examinar o desenvolvimento da Igreja Reformada nos Séculos
Dezessete e Dezoito.
B. Este é um período no qual a diversidade intensificou-se Teologicamente,
Geograficamente, e Culturalmente.

II. A Continuação da Reforma


A. A Igreja Reformada procurou se firmar no fundamento lançado pelos
reformadores e construir sobre ele.
B. Em um mundo de mudanças constantes, a Igreja enfrentou muitos desafios.

III. Desafios Geográficos


A. A maioria dos Europeus não tinha a compreensão de quão vasto o mundo era
realmente.
B. Com a expansão Europeia para as Américas, África, e Ásia, se tornou clara a
realidade que muitas pessoas nunca tinham ouvido falar a respeito de Cristo.

IV. Mudanças Políticas


A. Durante todo o Século Dezessete, as nações, individualmente; com os seus
governantes, cresceram em importância.

11
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

B. Os governantes estavam limitados em poder pelos outros nobres e pelos


parlamentos.
i. O Parlamento é uma reunião de representantes do povo, dos quais um
governante sempre tem que pedir a
permissão.
ii. O Parlamento é que aprova os aumentos de impostos e o fortalecimento do
exército.
C. Durante o Século Dezessete, muitos governantes queriam se ver livres dos
Parlamentos, e governar baseados em um “direito divino”; tornando-se Governantes
Absolutistas.
D. Este desejo pelo Absolutismo criou uma grande tensão entre os governantes e
as outras forças da sociedade que também queriam dirigir as nações.

V. O Desafio de Uma Igreja Dividida


A. Até a Reforma, havia essencialmente uma única Igreja instituída.
B. Somando-se as Igrejas Católicas Romanas, Luteranas, e Reformadas; numerosas
Igrejas Anabatistas floresceram, assim como outros diversos grupos.
C. Muitos cristãos passaram a analisar as Igrejas em termos de Verdadeiro ou
Falso.

VI. Mudanças Culturais


A. A Religião fez parte da cultura Europeia desde o início.
B. A Igreja Católica Romana foi o “esqueleto” cultural do mundo Ocidental por
mais de um milênio.
C. Com a divisão da Igreja, ficou difícil de determinar o que iria manter a solidez
da cultura ocidental.

12
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

D. Alguns pensavam que o Cristianismo básico poderia cumprir este papel; mas
um número crescente de pensadores foi se voltando para a Ciência e o Iluminismo
como forças potenciais de união.

VII. Desafios Teológicos


A. Protestantes do final do Século Dezesseis e do início do Século Dezessete
encontram-se desafiados por movimentos de renovação dentro da Igreja Católica
Romana.
i. Os Reformadores pioneiros, como Lutero e Calvino, tinham uma educação
muito mais aprimorada do que os líderes que atuavam entre os Católicos Romanos.
ii. O teólogo mais proeminente que surgiu entre os Católicos Romanos foi
Robert Bellarmine.
1. Ele escreveu um trabalho chamado Controversies, que procurou
responder à teologia protestante.
2. Responder a Bellarmine exigiu dos protestantes uma defesa muito
técnica e aprimorada de sua fé.
B. A Igreja Reformada foi desafiada por um Luteranismo renovado.
C. Um novo ramo da teologia chamado de Socianismo se desenvolveu.
i. Ele duvidava da autoridade das Escrituras.
ii. Ele duvidava da Divindade de Cristo.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. Dr. Godfrey pensa que o estudo da História da Igreja se torna mais difícil
conforme se aproxima do presente porque _______________
a. Existem muitas fontes para serem analisadas

13
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

b. Se inicia um processo de haver uma diversidade extraordinária


c. Os historiadores acabam sendo tendenciosos, dando maior valor ao passado
recente
d. Os Católicos Romanos dominaram o que foi escrito a respeito da História da
Igreja

2. Esta série foca primariamente nas Igrejas Evangélicas e Reformadas.


a. Verdadeiro
b. falso

3. Nesta lição, nós vimos como a Igreja foi desafiada nos seguintes aspectos;
exceto:
a. Geograficamente
b. Etnicamente
c. Politicamente
d. Teologicamente

4. Durante o Século Dezessete, A Europa viu muitas transições pacíficas da


Monarquia para a Democracia.
a. Verdadeiro
b. Falso

5. O mais famoso teólogo Católico Romano, com o qual os protestantes tiveram


que contender, foi ________
a. Ignatius of Loyola
b. Robert Bellarmine

14
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

c. Francis Turrentin
d. Casper Olevianus

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. Com o fato da Igreja compreender a extensão do mundo, a sua compreensão


da participação em missões aumentou. Como pode o nosso conhecimento de outras
partes do mundo, e a facilidade atual com a qual temos conhecimento disto, informar
e inflamar nossas vidas por aqueles que ainda hoje nada ouviram do evangelho?

2. O formalismo era um conceito muito importante para os Puritanos. Você já se


encontrou simplesmente realizando tarefas ou tomando atitudes, seja na Igreja ou em
sua vida espiritual, sem que sua mente e coração estivessem envolvidos; apenas
mecanicamente? Quais seriam algumas maneiras de evitar que isto aconteça?

3. Como uma consequência da Reforma, entre os Protestantes, houve uma


mudança entre pensar nas Igrejas em termo de Verdadeiro ou Falso; para pensar nas
Igrejas em termos de Puras, ou Menos Puras. Como pode esta dicotomia permitir, que
as Igrejas de hoje, mantenha as suas características próprias; ao mesmo tempo em
que promovem a unidade entre os cristãos?

4. A Cristandade era aquilo que mantinha a união cultural por Séculos dentro de
toda a Europa. Isto mudou com o Iluminismo. Quais são algumas instituições
modernas, e práticas culturais, que ainda tem sua origem neste passado cristão? Você
pensa que isto ainda persistirá no futuro?

15
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

2 - Teologia Escolástica

INTRODUÇÃO

Alguém pode pensar que a teologia escolástica é seca, cheia de picuinhas, irrelevante;
mas isto não poderia estar mais longe da verdade. Muitos teólogos Escolásticos eram
letrados, práticos, e profundamente preocupados; não apenas com a ortodoxia, mas
também com a piedade. Ainda que os seus escritos eram muitas vezes desafiadores, os
cristãos de hoje podem beneficiar-se grandemente destes santos do passado. Neste
estudo, o Dr. Godfrey irá analisar o movimento escolástico, destacando a sua
importância e relevância para a Igreja – do passado e do presente.

LEITURAS BÍBLICAS

Romanos 14:1-12 ; 1 Pedro 3:15

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Analisar o estilo e a abordagem da teologia escolástica


2. Explicar a necessidade da precisão na Teologia
3. Mostrar como os Teólogos do passado podem beneficiar a Igreja de hoje.

CITAÇÕES

16
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

Deus está tão distante de mudar os seus decretos para se moldar as


mudanças do homem, que, ao contrário, as mudanças nas atitudes dos
homens é que procedem do Eterno e imutável decreto de Deus.

- Francis Turrentin

ESBOÇO

I. Escolaticismo
A. A teologia renovada que se desenvolveu, no início do Século Dezessete, é
frequentemente descrita como Escolasticismo.
B. Escolaticismo pode ser entendida como a Teologia ensinada nas Escolas,
contrastando com a que é ensinada nas Igrejas.
C. Ela desenvolve um vocabulário técnico e faz uso de expressões da filosofia de
Aristóteles e seus termos.
D. Este vocabulário, aliado ao conhecimento do Latim, permitia aos acadêmicos se
comunicarem com rapidez e concisão uns com os outros.

II. Francis Turrentin ( 1623 . !687 )


A. Turrentin era Pastor e Professor na Igreja Reformada de Genebra.
B. Ele escreveu um trabalho de 3 volumes intitulado As Institutas da Teologia
Elêntica.
i. Neste trabalho ele lida com as controvérsias teológicas de seus dias.

17
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

ii. Durante o Século Dezenove, estudantes do Seminário de Princeton


estudaram Turrentin no seu original em Latim.

III. A Precisão Escolástica


A. Os Escolásticos quase sempre iniciavam precisando e especificando qual era a
questão que seria analisada.
B. Eles procuravam identificar qual era o ponto real de desacordo entre as partes
opostas.
C. Esta precisão era necessária, já que eles tiveram que lidar com as contendas
entre os Católicos Romanos e os Luteranos.
D. Esta precisão também foi necessária para tratar das discórdias internas entre os
Reformados.

IV. Moise Amyraut


A. Amyraut era um Pastor e Professor Francês.
B. Ele confrontou a afirmação de que Cristo havia morrido apenas pelos eleitos;
ensinando que Cristo havia morrido por todos.
C. Os seus ensinos deram início a um movimento chamado Amyraudianismo,
algumas vezes chamado de
“Calvinismo de Quatro Pontos”.
D. Amyraut apresentou o seu estudo meticulosamente, e foi necessário haver
uma resposta precisa para aquilo que ele estava dizendo.

V. A Igreja Reformada da França no Século Dezessete


A. Os Reformados franceses sempre foram minoria, e tiveram que decidir se
seriam prudentes, ou firmes.

18
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

i. Ser prudentes significaria tornar o Calvinismo tão atrativo e pouco ofensivo


quanto fosse possível.
ii. Ser firme significaria levantar os padrões da Reforma sem ceder em nada nos
seus padrões.
B. Nenhuma das duas estratégias realmente foi aplicada; e entre 1600-1670 o
número de reformados caiu pela metade.
C. Em 1680, Luis XIV revogou o Édito de Nantes, que permitia que os Calvinistas
fossem tolerados; e por isto muitos Huguenotes Franceses saíram do país.

VI. O Valor da Teologia Escolástica


A. Tem havido um menosprezo pela teologia escolástica, dizendo que é morta e
inútil; mas nas últimas décadas ela tem se tornado mais apreciada.
B. Existe agora um crescente interesse pelos escritos escolásticos, muitos dos
quais esta6o sendo traduzidos para o Inglês.
C. Os Teólogos Escolásticos também eram muito preocupados com a piedade.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. A Teologia Escolástica se refere â Teologia que se desenvolveu


_________________
a. Nas Igrejas
b. Nas Instituições de Educação
c. Nos Monastérios
d. Nos Grêmios

19
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

2. No Século Dezessete, os acadêmicos podiam facilmente se comunicar entre si


em Latim.
a. Verdadeiro
b. Falso

3. A Teologia Escolástica do Século Dezessete dependia grandemente da filosofia


de ______________
a. Aristóteles
b. Platão
c. Sócrates
d. Plotino

4. O movimento conhecido como Almyrandianismo é frequentemente chamado


de “Calvinismo de Quatro Pontos”.
a. Verdadeiro
b. Falso

5. Francis Turretin escreveu aquele que pode ser o ponto mais alto da Teologia
Escolástica Reformada; um trabalho de 3 volumes intitulado ___________________
a. Institutas da Religião Cristã
b. Institutas da Teologia Elêntica
c. Dogmas Reformados
d. O Serviço Cristão Racional

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

20
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

1. Os Teólogos Escolásticos, normalmente, iniciavam os seus debates


determinando qual era o assunto específico da questão. Como é que esta metodologia
pode nos ajudar em nossas discussões atuais ?

2. Amyraut debatia assuntos que, para alguns, podem ser considerados questões
espirituais insignificantes. Mesmo assim, o seu ensino teve uma ampla repercussão.
Como podem os crentes de hoje, semelhantemente, tratar de assuntos não essenciais
com gentileza e amor?

3. Dr. Godfey comenta que Turrentin conhecia a diferença entre a Teologia


Escolástica e a pregação. Sendo assim, ele não levava o seu livro de teologia para ler no
púlpito. De que maneira a sua maneira de debater a respeito da fé continua a mesma,
ou é diferente, quando está conversando com crentes ou com descrentes, de vários
níveis de educação? O quanto a humildade é importante em cada uma destas
situações?

4. Quais são algumas maneiras pelas quais a Teologia Escolástica pode beneficiar
a Igreja de hoje? Existem áreas no seu próprio entendimento Teológico, nas quais você
se beneficia desta precisão dos estudos Escolásticos.

21
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

3 - A Piedade Puritana

INTRODUÇÃO
Apatia interna em relação a Deus, mascarada por uma obediência externa; é uma real
e constante artimanha em qualquer Igreja. Sabiamente alertas contra este perigo, os
Puritanos zelosamente proclamaram a importância da afeição, de coração sincero,
pelo SENHOR. Eles procuravam alimentar uma fé genuína e a piedade, especialmente
por meio de uma pregação fervorosa, estudos bíblicos, e a observação consciente do
Sábado. Ainda que frequentemente retratados como legalistas sem alegria, nós
veremos nesta lição que, em realidade, eram mais caracterizados por sua busca de
uma alegre e sincera devoção ao SENHOR.

LEITURAS BÍBLICAS

Êxodo 20: 8-11 ; Salmos 51: 15-17

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Destacar a grande preocupação dos Puritanos com a Fé, a Devoção, e a Piedade


2. Mostrar a ênfase que os Puritanos colocavam na pregação dirigida ao coração
3. Explicar porque a grande maioria do mundo de língua Inglesa do Século
Dezessete guardava o Sábado Cristão

CITAÇÕES

22
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

Assim como é a lei da natureza, que, em geral, tem um tempo que é


separado para a adoração a Deus; assim, em Sua Palavra, através de um
positivo, moral, e perpétuo mandamento que envolve o homem em todas
as épocas, Ele separou um dia dentre sete, para ser o Sábado; para ser
separado como santo para Ele. Este Sábado, desde o início do mundo até a
ressurreição de Cristo, era o último dia da semana; e, a partir da
ressurreição de Cristo, foi mudado para o primeiro dia da semana, que, nas
Escrituras, é chamado de O Dia do Senhor, e este deve ser guardado até o
fim dos tempos, como o Sábado Cristão.

ESBOÇO

I. O Surgimento dos Puritanos


A. O Século Dezesseis viu grandes mudanças na organização e na Teologia da
Igreja.
B. No Século Dezessete houve um desejo de promover a fé, a piedade, e a
devoção no coração do povo.
i. Isto era desejável para combater o formalismo, no qual as pessoas e Igrejas
tinham o exterior limpo e bonito, mas eram sujas e feias por dentro.
ii. Puritanismo foi um movimento que esteve grandemente preocupado com a
piedade.
C. Puritanismo é um fenômeno Inglês; mas teve sua influência além da Inglaterra.
i. Ele começou como um movimento na Igreja da Inglaterra.
ii. Muitos sentiram que a Reforma na Inglaterra não tinha avançado o
suficiente.

23
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

D. Puritanos queriam promover a piedade genuína em uma situação na qual


praticamente todos pertenciam à Igreja da Inglaterra, por esta ser oficial; e tinham a
obrigação de frequentar a Igreja.
i. Para este fim, eles procuravam pregar de maneira a atingir o coração dos
ouvintes.
ii. Eles estabeleceram “Encontros de Leitura”, que eram semelhantes a estudos
bíblicos, para que o povo pudesse compreender melhor as Escrituras.

II. Os Puritanos e o Sábado


A. Uma outra preocupação importante dos Puritanos era a observância do Sábado
Cristão.
B. Eles estavam persuadidos que a Escritura ensinava a necessidade do Sábado, e
que este era necessário para o bem estar espiritual da Igreja.
C. Eles procuraram persuadir cada um a descansar de seus trabalhos e devotar-se
às coisas de Deus.
D. Em meados do Século dezessete, praticamente todo o mundo de fala Inglesa já
observava o Sábado Cristão.
E. Desde o Século Dezessete até o Século Vinte, uma das maracas visíveis do
conservadorismo Protestante é a manutenção deste compromisso com o Sábado
Cristão.
F. King James I queria que os seus súditos praticassem esportes aos Domingos; ou
então que se apresentassem para exercícios militares, mas os Puritanos lutaram contra
isto e venceram.

III. William Perkins


A. Perkins foi um dos Teólogos fundadores do Puritanismo.

24
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

B. Ele viveu e ministrou sob o reinado da Rainha Elizabeth


C. Ele escreveu um dos mais influentes livros sobre a pregação, intitulado A Arte
Da Profecia.
i. Ele dá ênfase não apenas em expor a Palavra; mas também em aplica-la.
ii. Ele explica como é necessário levar em consideração os diferentes ouvintes
que estão na audiência; se se tratam de cristãos fortes, de cristãos fracos, ou de não
convertidos.

IV.As Esperanças dos Puritanos em Relação a Uma Reforma


A. Os Puritanos tinham a esperança que a Rainha Elizabeth fosse promover uma
Reforma, mas isto não ocorreu.
B. O reino passou para James, que havia sido criado por tutores presbiteriano na
Escócia.
i. Ele não gostava muito dos Presbiterianos porque estes não tinham o respeito
que deviam ter pelo Rei.
ii. Ao invés de ele tornar a Igreja da Inglaterra mais semelhante à Igreja da
Escócia, James e seu filho, Charle I, fizeram com que a Igreja da Escócia se tornasse
mais parecida com a Igreja da Inglaterra.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. Uma grande preocupação durante o Século Dezessete era o _______________ ,


no qual os frequentadores das Igrejas observavam externamente os ritos religiosos
com exatidão, mas não tinham uma devoção verdadeira por Deus dentro de seus
corações.
a. Nominalismo

25
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

b. Formalismo
c. Ateísmno
d. Existencialismo

2. O Puritanismo começou como um movimento nas Igrejas da Inglaterra.


a. Verdadeiro
b. Falso

3. Os Puritanos estabeleceram __________________ , que eram similares aos


atuais estudos Bíblicos, com a exceção de que usualmente apenas uma pessoa falava.
a. Grupos Caseiros
b. Grupos de Discipulado
c. Conferências
d. Encontros de Leitura

4. Na Inglaterra do Século Dezessete, praticamente todos pertenciam à Igreja da


Inglaterra.
a. Verdadeiro
b. Falso

5. O melhor, único, breve resumo da Teologia Puritana é _______________ .


a. A Confissão de Fé de Westminster
b. A Confissão Belga
c. A Coluna da Divindade
d. Os Canons de Dort

26
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. A sua Igreja enfatiza a ideia do Domingo como o Sábado Cristão? Como é que
esta observância do Sábado faz a ligação com a ênfase que os Puritanos tinham na
Piedade?

2. De uma perspectiva Bíblica, o que está errado no Formalismo?

3. No Século Dezessete a lei exigia a frequência à Igreja. Você pensa que isto
contribuiu para o problema do Formalismo? Em nossos dias; devem os pais exigir que
os seus filhos (já mais velhos) os acompanhem à Igreja? Porque sim, ou porque não?

27
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

4 – A Política dos Puritanos

INTRODUÇÃO

Na metade do Século Dezessete, A Inglaterra estava envolvida em uma guerra civil


entre as forças do Rei e as forças do Parlamento. Como resultado deste conflito, vimos
acontecer diversas mudanças políticas e muita reflexão teológica. Foi durante este
período que a assembleia de Westminster se reuniu para revisar a doutrina, governo
da Igreja, e a adoração. Neste estudo, você irá estudar este período turbulento, com o
foco na conexão existente entre os Puritanos e a Política. Você também entenderá
melhor qual era o clima geral da época, na qual a Assembleia de Westminster teve
lugar.

LEITURAS BÍBLICAS

1 Timóteo 2: 1-4

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Explicar a turbulenta história política da metade do Século Dezessete


2. Demonstrar como o Calvinismo desafiava o poder Monárquico
3. Explicar qual a razão de ser, e quais os objetivos da Assembleia de
Westminster, assim como os seus resultados

28
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

CITAÇÕES

I. Deus, o Senhor Supremo e Rei de todo o mundo, para a sua glória e


para o bem público, constituiu sobre o povo magistrados civis que lhe são
sujeitos, e a este fim, os armou com o poder da espada para defesa e
incentivo dos bons e castigo dos malfeitores.

IV. É dever do povo orar pelos magistrados, honrar as suas pessoas,


pagar-lhes tributos e outros impostos, obedecer às suas ordens legais e
sujeitar-se à sua autoridade, e tudo isto por amor da consciência.
Incredulidade ou indiferença de religião não anula a justa e legal
autoridade do magistrado, nem absolve o povo da obediência que lhe deve,
obediência de que não estão isentos os eclesiásticos. O papa não tem
nenhum poder ou jurisdição sobre os magistrados dentro dos domínios
deles ou sobre qualquer um do seu povo; e muito menos tem o poder de
privá-los dos seus domínios ou vidas, por julgá-los hereges ou sob qualquer
outro pretexto.

Confissão de Fé de Westminster – Parágrafo XXIII. 1,4

ESBOÇO

I. Os Puritanos Atuando Como Força Social e Política


A. Houve alguns na Inglaterra que começaram a andar ao lado dos Puritanos,
principalmente por razões políticas.
B. Penetrando em toda a Europa, o Calvinismo se tornou a ideologia de muitos
que defendiam um governo descentralizado.

29
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

i. O Puritanismo levantou uma questão política visando o Rei, e até mesmo indo
contra este.
ii. Os Puritanos cada vez mais se identificavam com o Parlamento e os seus
clamores por mais autoridade.

II. O Rei Charles I e o Parlamento


A. Quando Charles I se tornou Rei, ele queria reinar sem o Parlamento.
B. Charles procurou manter a facção dos Puritanos debaixo de seu controle.
C. Ele nomeou William Laud, que odiava os Puritanos, como Bispo de Londres.
D. Os Escoceses se uniram por um documento chamado “O Pacto Nacional”.
i. O seu Pacto era com o próprio Cristo, e consistia em manter a doutrina
Reformada, o governo da Igreja, e a adoração.
ii. Por volta de 50% dos habitantes da Escócia assinaram este Pacto.
E. Em 1640, o Rei, finalmente, instituiu um Parlamento; na esperança de poder
aumentar os impostos.
F. Este Parlamento foi dominado por Puritanos; e, por isto, ele o dissolveu e os
enviou de volta para suas casas
(este ficou conhecido como “O Breve Parlamento”).
G. Mais tarde naquele ano, ele instituiu outro Parlamento. Este também acabou
ficando com uma maioria de Puritanos.
H. O Rei tentou mandar estes também de volta para suas casas; mas eles se
recusaram (este ficou conhecido como “O Longo Parlamento”, pois permaneceu em
sessão por 20 anos).

III. Guerra Civil


A. Em 1642, a Guerra Civil irrompeu na Inglaterra entre o Rei e o Parlamento.

30
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

B. O Parlamento encontrou aliados na Escócia e Irlanda, entrando na “Solene Liga


e Aliança” em 1643.
C. Oliver Cromwell tornou-se o líder das forças do Parlamento.
i. Ele desenvolveu um Exército disciplinado, que passou a ser conhecido como
“O Novo Modelo de Exército”.
ii. As forças de Cromwell foram vitoriosas nas batalhas contra os Exércitos
Reais.
D. O Rei foi obrigado a se render.
E. Em 1646 Charles I foi preso. Em 1649 ele foi condenado e executado como
tirano.

IV. A Ascenção de Cromwell


A. O Parlamento era composto em sua maioria de Presbiterianos, que queriam
transformar a Igreja Anglicana em Igreja Presbiteriana.
B. Cromwell era da Igreja Congregacional; e pensava que era o melhor seria que
houvesse Igrejas independentes.
C. Cromwell acabou por se tornar o “Senhor Protetor da Commonwealth”, e
promoveu o Congregacionalismo. Com isto ele acabou evitando que a Igreja
Presbiteriana se tornasse a Igreja Nacional da Inglaterra.

V. Após Cromwell
A. Quando Cromwell morreu, a Commonwealth desintegrou-se, e Charles II foi
restaurado ao trono.
B. Charles II foi apoiado pelos Escoceses porque ele prometeu que manteria a sua
Igreja.

31
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

C. No momento em que subiu ao trono, ele repudiou a sua promessa e começou a


perseguir os Escoseses.
D. Charles II os Puritanos para fora da Igreja da Inglaterra.

VI. Benefícios que Vieram com a Guerra


A. Os Monarcas da Inglaterra nunca mais puderam governar sem o Parlamento.
B. O Parlamento estabeleceu uma assembleia de teólogos e ministros para decidir
como fazer a reforma da Igreja, e isto ficou conhecido como a Assembleia de
Westminster.
i. Ela não foi a assembleia de uma Igreja.
ii. Ela foi um comitê do parlamento.
C. A Assembleia de Westminster quis reformar a Igreja em 3 pontos.
i. Eles queriam uma declaração clara da Teologia Reformada.
1. Eles escreveram uma Confissão de Fé.
2. Eles escreveram um Longo Catecismo para adultos e um Pequeno
Catecismo para crianças.
ii. Eles queriam dar uma direção clara para a adoração Reformada.
iii. Eles queriam ter uma visão clara de como é o Governo da vida de uma Igreja
Reformada.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. ________________ se tornou a ideologia de muitos que defendiam a


descentralização do governo no Século Dezessete.
a. Absolutismo
b. Socialismo

32
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

c. Calvinismo
d. Arminianismo

2. O Rei Charles I a forma Presbiteriana de governo da Igreja na Inglaterra.


a. Verdadeiro
b. Falso

3. Os Escoceses se reuniram em torno de um documento chamado


__________________ , no qual prometiam manter a doutrina, a forma de governo, e a
adoração, nos moldes da Reforma.
a. O Pacto Nacional
b. A Confissão de Westminster
c. A Promessa Nacional
d. A Declaração de 1638

4. Quando Oliver Cromwell morreu, Charles II foi restaurado ao trono


a. Verdadeiro
b. Falso

5. A Assembleia de Westminster foi ____________________ .


a. uma assembleia de Igreja
b. um comitê do parlamento
c. um Concílio Ecumênico
d. uma assembleia Presbiteriana

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

33
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

1. Explique porque a Assembleia de Westminster criou um Longo Catecismo, e um


Pequeno Catecismo. Isto tem alguma relevância sobre o modo como o ensino deve ser
ministrado para diferentes grupos em casa ou na Igreja? O que aprendemos com isto?

2. De que maneira o Puritanismo passou a ser visto como uma oposição ao Rei?

3. Explique as mudanças entre as lideranças de Charles I e Charles II.


4. Como foi indicado pelo Dr. Godfrey, a questão 77 do Longo Catecismo
pergunta, “Em que diferem a Justificação e a Santificação?” Responda esta questão.

34
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

5 - A Adoração Puritana e sua Escatologia

INTRODUÇÃO

Muitas Igrejas reformadas de hoje irão encontrar as suas raízes nos Puritanos, e
podemos dizer que adotam como sua declaração de fé os padrões da Confissão de
Westminster e os seus Catecismos. No entanto, há duas áreas nas quais a maioria
destas Igrejas difere dos seus predecessores Puritanos: Adoração e Escatologia. Neste
estudo, o Dr. Godfrey, explica porque os Puritanos adoravam da maneira que faziam e
também como eles compreendiam o Livro de Apocalipse.

LEITURAS BÍBLICAS

1 João 2:18 ; Apocalipse 20:1-6

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Explicar qual era sua abordagem da adoração, especialmente em relação aos


instrumentos e ao uso dos Salmos.
2. Destacar alguns pontos de como os Puritanos entendiam o livro de Apocalipse
3. Mostrar a diversidade de opiniões entre os Puritanos a respeito da natureza do
Milênio

35
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

CITAÇÕES

A luz da natureza mostra que há um Deus que tem domínio e soberania


sobre tudo, que é bom e faz bem a todos, e que, portanto, deve ser temido,
amado, louvado, invocado, crido e servido de todo o coração, de toda a
alma e de toda a força; mas o modo aceitável de adorar o verdadeiro Deus
é instituído por ele mesmo e tão limitado pela sua vontade revelada, que
não deve ser adorado segundo as imaginações e invenções dos homens ou
sugestões de Satanás nem sob qualquer representação visível ou de
qualquer outro modo não prescrito nas Santas Escrituras.

Assim como Cristo, para afastar os homens do pecado e para maior


consolação dos justos nas suas adversidades, quer que estejamos
firmemente convencidos de que haverá um dia de juízo, assim também quer
que esse dia não seja conhecido dos homens, a fim de que eles se despojem
de toda confiança carnal, sejam sempre vigilantes, não sabendo a que hora
virá o Senhor, e estejam prontos para dizer - "Vem logo, Senhor Jesus".
Amém.

- Confissão de Fé de Westminster – 21.1 – 33.3

ESBOÇO

I. A Origem da Assembleia de Westminster


A. A Assembleia de Westminster foi convocada pelo Parlamento para encontrar
uma forma de reformar e aprimorar a Igreja da Inglaterra.

36
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

B. Eles deviam reformar a doutrina; o que eles fizeram com a Confissão de


Westminster e os Catecismos.
C. Eles deviam reformar o governo da Igreja
i. Eles investiram um tempo considerável discutindo como o governo da Igreja
deveria transcorrer
ii. Por maior esforço que foi feito; foram incapazes de conciliar Congregacionais
com Presbiterianos
D. Eles deviam reformar a adoração
i. Os Puritanos tiveram pouca dificuldade em reformar a adoração, pois eles
simplesmente seguiram as direções de João Calvino.
ii. A adoração deveria ser dirigida pela Bíblia, e instruída pela Bíblia.
1. Para Calvino e os Puritanos, isto significava não utilizar nenhum
instrumento musical.
2. Era um acordo entre eles que apenas os Salmos poderiam ser cantados
na adoração.

II. Escatologia na Assembleia de Westminster


A. Havia uma grande diversidade de opiniões entre os Puritanos a respeito do final
dos tempos e da vinda de Cristo.
B. Havia apenas algumas coisas nas quais os Puritanos concordavam.
i. Todos os Puritanos concordavam que o Papa era o Anticristo.
ii. Eles concordavam na maneira em como o livro de Apocalipse deveria ser lido.
1. Ele deve ser lido como uma profecia de toda a história da Igreja.
2. O objetivo é entender em que parte do livro nós nos encontramos.
3. Eles pensavam que podiam calcular aproximadamente quando seria a volta de
Jesus.

37
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

4. Após a Guerra Civil, muitos Congregacionais pensaram que o fim estava


próximo.
C. No Século Dezessete, muito Puritanos Ingleses começaram a ver Cristo não
apenas como o edificador da Igreja; mas também como o Glorificador da Igreja.
i. Eles acreditavam que Cristo daria para a Igreja uma Glória terrena de tal
grandeza que ela dominaria o mundo espiritualmente.
ii. Eles viam o futuro como a chegada de uma era de ouro na qual Cristo seria
glorificado na terra.
iii. Esta visão, muito ligada ao pós-milenismo, tornou-se a visão dominante
dentro da tradição reformada nos Séculos Dezessete, Dezoito, e Dezenove.
iv. Não importando o quanto esta visão foi difundida, não eram todos que
acreditavam nela, e sabemos que a Confissão de Westminster não confirmou esta
interpretação.
D. A visão de Cristo como um resgatador da Igreja (Pré-Milenista) Não se tornou
dominante na América até o início do Século Vinte.
i. Esta visão enxerga a Igreja estando sob ataque, e esperando por ser
resgatada para fora deste mundo perverso.
ii. Havia alguns no Século Dezessete que sustentavam esta visão, mas sempre
foram minoria.

III. Os Puritanos foram grandes autores de livros de devoção espiritual.


A. O mais famoso texto espiritual é o livro de John Bunyan, O Peregrino.
B. Por muitos Séculos este foi, provavelmente, o livro mais vendido depois da
Bíblia.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

38
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

1. Havia um consenso entre os Puritanos na questão ___________________


porque havia uma concordância de todos com os ensinos de João Calvino
a. Da Adoração
b. Do Governo da Igreja
c. Da Escatologia
d. Do Uso das Imagens

2. Os Puritanos encorajavam o uso de instrumentos na Igreja, no período da


adoração.
a. Verdadeiro
b. Falso

3. O Dr. Godfrey pensa que muitos cristãos “piedosos” demais para usar as
palavras do Salmo ________ quando estão ou orando, ou cantando para o Senhor.
a. 119
b. 77
c. 19
d. 84

4. Nos Séculos Dezesseis, Dezessete, e Dezoito, praticamente todos os


Protestantes acreditavam que o Papa era o Anticristo.
a. Verdadeiro
b. Falso

39
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

5. ______________________ dominava as Igrejas Reformadas do Século Dezessete


até o Século Dezsenove.
a. Pré-milenismo
b. Pós-milenismo
c. Amilenismo
d. Pan-milenismo

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. Analise o argumento para usar somente Salmos na Adoração. Você acha isto
persuasivo? Porque sim, ou porque não?

2. Leia o Salmo 88 e reflita sobre a ousadia com a qual o Salmista fala com Deus.
Você é tão aberto assim em suas orações a Deus? Como é a melhor maneira de nos
aproximarmos de Deus, com ousadia e, ao mesmo tempo, com reverência?

3. O Dr. Godfrey menciona que a maneira dos Puritanos abordarem a leitura do


Apocalipse tem sido amplamente abandonada. Como podemos nós refletir, em nossas
próprias interpretações das passagens mais difíceis das Escrituras, esta mesma
humildade que eles tinham?
4. Você acha que o argumento contra o uso de instrumentos convincente? Como
é que a convicção de que não se deve usar instrumentos está ligada à convicção de
que se deve cantar apenas Salmos?

40
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

6 – Os Puritanos, a Segurança e a Conversão do Salvo

INTRODUÇÃO

A segurança da Salvação é uma parte importante da fé Protestante, e uma das muitas


marcas que faz a distinção profunda dela com o Catolicismo Romano. No Século
Dezessete, entretanto, muitos dentre os Puritanos tiveram dificuldades, e discutiram
esta questão. Neste estudo, o Dr. Godfrey vai explicar esta discussão. Ele vai também
empregar um tempo considerável interpretando o entendimento Puritano a respeito
da Conversão, e irá mostrar como a ideia do que é a conversão tem mudado
radicalmente durante os últimos séculos.

LEITURAS BÍBLICAS

Romanos 8: 28-30 ; Gálatas 2: 15-16

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Explorar a importância que alguns Puritanos imputavam à esta doutrina da


segurança
2. Explicar a mudança no significado da palavra conversão, e como isto tem
impactado o entendimento Cristão da justificação
3. Conhecer como foi o início das missões Protestantes

41
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

Citação

Ainda que os hipócritas e os outros não regenerados podem iludir-se


vãmente com falsas esperanças e carnal presunção de se acharem no favor
de Deus e em estado de Salvação, esperança essa que perecerá, contudo, os
que verdadeiramente crêem no Senhor Jesus e o amam com sinceridade,
procurando andar diante dele em toda a boa consciência, podem, nesta
vida, certificar-se de se acharem em estado de graça e podem regozijar-se
na esperança da glória de Deus, nessa esperança que nunca os
envergonhará.

Esta segurança infalível não pertence de tal modo à essência da fé, que
um verdadeiro crente, antes de possuí-la, não tenha de esperar muito e
lutar com muitas dificuldades; contudo, sendo pelo Espírito habilitado a
conhecer as coisas que lhe são livremente dadas por Deus, ele pode
alcançá-la sem revelação extraordinária, no devido uso dos meios
ordinários. É, pois, dever de todo o fiel fazer toda a diligência para tornar
certas a sua vocação e eleição, a fim de que por esse modo seja o seu
coração no Espírito Santo confirmado em paz e gozo, em amor e gratidão
para com Deus, em firmeza e alegria nos deveres da obediência que são os
frutos próprios desta segurança. Este privilégio está, pois, muito longe de
predispor os homens à negligência.

- Confissão de Fé de Westminster – 18. 1,3

ESBOÇO

I. Os Puritanos e a Segurança da Salvação

42
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

A. O teólogo Católico Romano Robert Bellarmine disse que a pior heresia


Protestante era a doutrina da perseverança dos santos.
B. Para muitos Protestantes, a Segurança é parte da essencial da alegria de ser um
Cristão.
C. O grande tema da Segurança foi pregado pelos pioneiros da Reforma.
D. Durante o Século Dezessete, nos círculos Puritanos, Segurança se tornou um
assunto problemático.
i. Alguns expressavam que queriam acreditar, mas não estavam seguros que
podiam fazer isto.
ii. Pastores Puritanos respondiam tentando separar Fé de Segurança.
iii. Estes Pastores ensinavam que era possível ter paz com Deus (Fé), sem
precisar saber isto (Segurança).
iv. Separar Fé e Segurança, acabou levando a crescer o problema da Segurança.
1. Os padrões de Westminster foram escritos para que, aqueles que pensam que
a Segurança é a essência da Fé, assinem em baixo; e para que, aqueles que não
pensam assim, possam sentir-se acolhidos também.
2. O Catecismo de Heidelberg reflete a crença de que a Segurança é essencial para
a fé.

II. O significado da Conversão


A. No Século Dezesseis, Conversão significava Santificação.
B. Ter atitudes que demonstravam a Conversão era, no início do Século Dezessete,
a mesma coisa que ter atitudes que demonstravam a Santificação.
C. A palavra Conversão tem sua raiz no Latim Girar, e esta era a ideia a respeito da
vida Cristã como um todo; uma vida que se converte, que gira, e se volta para Deus.

43
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

III. A Conversão no Século Dezoito


A. Chegando ao Século Dezoito, a Conversão começou a ganhar um significado
mais técnico; e passou a ser considerada como o início da vida Cristã.
B. Isto é significante, porque em grande parte da Cristandade Americana, no
Século Dezenove, se dava menos atenção para a seguinte pergunta: “Você tem Fé e foi
Justificado?”; e a pergunta que se tornou constante foi: “Você se Converteu?”
C. Parece que houve uma mudança da Justificação, como sendo o alicerce
necessário para a conversão à uma vida Cristã; perdendo a noção de que a
Santificação é decorrência da Justificação e não existe por si só.
i. Esta ideia pode levar ao simples Moralismo.
ii. É devido a isto que muitos hoje estão confusos a respeito da Justificação.

IV. Os Puritanos e a Monarquia


A. A restauração da Monarquia aconteceu em 1660.
B. Muitos Cristãos pensavam que o Puritanismo não deveria dominar o País.
C. Na Igreja da Inglaterra, o que eles desejavam, era uma Igreja Anglicana com a
Teologia mais pura dominasse o país.

V. A Igreja da Inglaterra Confronta a Imoralidade


A. Confrontados com a imoralidade, a Igreja da Inglaterra apregoou a Lei e a
Santidade.
B. Um movimento denominado “moralismo”, ou “neonomianismo”.
i. Eles pensavam que a ilegalidade seria melhor atingida com a pregação
acerca da Lei.
ii. Jeremy Taylor disse que ninguém pode ser um filho de Deus se
deliberadamente e tendo entendimento, faz algo que Deus odeia.

44
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

iii. Esta teologia fez algumas pessoas confiarem em si mesmas, e


enganosamente se apoiarem naquilo que elas mesmas podiam conseguir.

VI. O Início das Missões Protestantes


A. As missões Protestantes iniciaram realmente o Século Dezessete.
B. Os Católicos haviam se lançado em esforços missionários com as navegações
dos Portugueses e Espanhóis.
C. As primeiras oportunidades missionárias para os Protestantes surgiram com os
Holandeses e Britânicos, conforme estes expandiam os seus negócios em diferentes
países.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. O teólogo Católico Romano Robert Bellarmine disse que a doutrina


______________________ era a maior heresia dos Protestantes.
a. da Predestinação
b. da Perseverança dos Santos
c. da Eleição
d. do Batismo Infantil

2. Os padrões de Westminster ensinam que a Segurança é a essência da Fé.


a. Verdadeiro
b. Falso

3. A palavra conversão, tem a sua raiz latina na palavra ____________


a. Conversar

45
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

b. Girar
c. Deixar ir
d. Tristeza

4. Após a Guerra Civil, os Anglicanos combateram a imoralidade que viam,


pregando sobre a graça e o perdão.
a. Verdadeiro
b. Falso

5. As oportunidades missionárias para os Protestantes surgiram no Século


Dezessete com o crescimento do comércio Holandês e _______________ .
a. Americano
b. Britânico
c. Canadense
d. Francês

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. Quão importante é a doutrina da Segurança para a sua fé? Quais passagens das
Escrituras podem ser um conforto quando você, ou um amigo cristão, estiver com
dúvidas nesta área?

2. O Dr. Godfrey nos pergunta o quanto o significado de uma palavra pode


sutilmente afetar o nosso pensamento. Como é que a mudança no significado da
palavra conversão afeta a ênfase, ou a importância da Justificação?

46
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

3. Resuma e critique o movimento do Moralismo (ou Neomianismo), que surgiu


na segunda metade do Século Dezessete.

4. Explique a origem das missões Protestantes dentro da Igreja Reformada.

47
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

7 - Os Puritanos na Nova Inglaterra

INTRODUÇÃO
Quando os Puritanos vieram para o Novo Mundo, eles não tinham nenhuma intenção
de estabelecer uma nova religião. O que eles tinham a intenção de fazer, no entanto,
era trazer os ideais de sua antiga religião do Velho Mundo para uma nova realidade.
Não importando as dificuldades inerentes ao seu novo ambiente, os Puritanos tiveram
um bom resultado inicial; podia-se dizer que era um sucesso. Mas; conforme o tempo
passou, os desafios internos somaram-se aos desafios externos. Neste estudo, o Dr.
Godfrey vai resumir como foi o alicerce da religião nas colônias Americanas,
destacando especialmente o desejo dos Puritanos de manter a pureza da Igreja.

LEITURAS BÍBLICAS

Mateus 5: 14 ; Miquéias 6: 6-8

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Destacar quais eram as esperanças dos Puritanos quando vieram para o Novo
Mundo
2. Destacar os esforços dos primeiros Puritanos entre os Indígenas Americanos
3. Explicar as dificuldades que se levantaram sobre os membros da Igreja

48
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

CITAÇÕES

O único caminho para evitar o naufrágio, e pensar em nossa


posteridade, é seguir os conselhos de Miquéias, e agir com justiça, amar a
misericórdia, e andar humildemente com o nosso Deus. Para este fim, nós
precisamos estar reunidos, neste trabalho, como um só homem. Nós
precisamos sustentar um ao outro em comunhão fraternal. Nós precisamos
estar desejosos de nos desapegar daquilo que nos é supérfluo, para poder
suprir as necessidades dos outros. Nós precisamos manter um comércio que
seja familiar, com toda a mansidão, gentileza, paciência, e liberalidade.
Precisamos nos alegrar uns com os outros; sentir as condições dos outros
como se fossem as nossas; Nos alegrar juntos, chorar juntos, trabalhar e
sofrer juntos; sempre tendo diante de nossos olhos a nossa comissão e a
nossa comunidade, sabendo que somos membros do mesmo corpo. Sendo
assim, devemos manter a unidade do Espírito no vínculo da paz. O Senhor
será o nosso Deus, e se alegra em habitar no meio de nós, como o Seu
próprio povo, e Ele irá nos dispensar a sua benção sobre nós e todas as
áreas. Assim nós iremos conhecer muito mais da Sua sabedoria, poder,
santidade e verdade; mais do que estávamos familiarizados. Nós
precisamos descobrir que o Deus de Israel está no meio de nós, e dez dentre
nós serão capazes de resistir a mil de nossos inimigos. E então Deus nos
tornará um louvor e uma glória na terra, pois é o que os homens dirão de
nossas sucessivas colheitas, “que Deus possa fazer assim conosco, assim
como o fez na Nova Inglaterra.” Pois nós temos que almejar ser como uma
cidade que é erguida sobre uma colina.

- John Winthrop

49
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

ESBOÇO

I. Os Alicerces da Religião nas Colônias Americanas


A. Os Puritanos não vieram para o Novo Mundo pensando em trazer nada novo.
B. Eles vieram para criar uma versão aprimorada do Velho Mundo.
C. Na Nova Inglaterra, o desejo de viver o ideal Puritano do Velho Mundo foi
especialmente intenso.

II. A Esperança de Melhorias na Religião


A. Puritanos pensavam que, no Novo Mundo, os movimentos para obter
melhorias podiam acontecer mais rapidamente.
B. Eles acreditavam que podiam ter um papel decisivo na História da Redenção, e
que até mesmo poderiam apressar a volta de Cristo.
C. Eles pensavam que Cristo iria glorificar a sua Igreja.
D. Alguns dos que vieram eram separatistas.
i. Eles haviam desistido da Igreja da Inglaterra
ii. Eles autoconscientemente haviam se separado da Igreja da Inglaterra
E. A maioria era de não-separatistas Congregacionalistas.
i. Eles não disseram que a Igreja da Inglaterra era uma Igreja Falsa, e não
quiseram separar-se formalmente.
ii. No entanto, eles não quiseram se conformar com algumas práticas da Igreja
da Inglaterra.
1. Eles não tinham um Bispo
2. Eles não utilizavam o Livro Comum de Orações
3. Eles não tinham Vestimentas Especiais para as cerimônias
F. Os Puritanos almejavam ter uma Igreja sólida e pura.

50
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

i. Eles não estavam interessados em tolerância religiosa


ii. Eles tinham o seu compromisso com as Igrejas Congregacionais
iii Para votar nas eleições políticas, uma pessoa devia ser membro de uma
Igreja Congregacional estabelecida.

III. A Realidade do Desenvolvimento Religioso


A. Durante os primeiros vinte anos isto funcionou muito bem, pois muitos dos que
vinham para o Novo Mundo, eram motivados por uma devoção religiosa.
i. Eles fundaram a primeira Universidade em 1638, que recebeu o nome de
Harvard.
ii. Ele era uma Universidade Calvinista, fundada para treinar pastores
Calvinistas.
B. Eles começaram a se envolver em missões para alcançar os Índios Americanos.
i. Houve um grande sucesso em algumas tribos já no início da empreitada.
ii. A evangelização esteve no topo até que a Colônia mudou sua característica
de ser fundamentalmente religiosa para ser basicamente comercial.

IV. Desafios para o Desenvolvimento Religioso


A. Problemas começaram a aparecer a medida em que, a nova geração, não era
tão entusiástica em relação à religião, quanto era a primeira geração.
B. Os pioneiros passaram a se perguntar como ter certeza, de que a segunda
geração seria tão fiel quanto a primeira.
C. Isto intensificou o debate a respeito do que deveria ser requerido de alguém
que quisesse se tornar membro da Igreja.

51
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

D. Muitos Puritanos começaram a buscar, na vida dos candidatos a membros;


testemunhos da Graça na vida deste cristão. Testemunhos de como ele passou da
rebelião para a fé.
E. Havia diferentes opiniões, sobre o quão restritos os requisitos para ser membro
de uma Igreja deveriam ser.
i. Richard Matter disse, “É melhor excluir dez Cristãos de verdade da Igreja do
que admitir um não-Cristão.”
ii. John Cotton disse, “É melhor admitir dez não-Cristãos na Igreja, do que
deixar um verdadeiro Cristão fora dela”
F. Em 1684 o Rei revogou o Tratado debaixo do qual a Colônia operava.
i. O antigo Tratado havia permitido que eles agissem essencialmente como
eles achassem melhor.
ii. O novo Tratado impunha um Governador.
iii. Com esta mudança, o direito de votar estava agora ligado à posse de terras;
e não mais à membresia na Igreja.
G. Em 1692 aconteceram os Julgamentos das Bruxas de Salem.
i. Os Pastores Puritanos estavam, em sua maioria, tentando manter a histeria
sob controle.
ii. Muitas pessoas do povo sentiram que o próprio diabo estava atacando a
sua sociedade; e que ele havia possuído cinco mulheres, as quais acabaram sendo
executadas.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. Os Puritanos que vieram para Plymouth era na sua maioria


__________________ .

52
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

a. Puritanos separatistas
b. Puritanos não-separatistas
c. Neominianos
d. Anglicanos

2. Os Puritanos que fundaram a Colônia da Baía de Massachusetts se separaram


totalmente da Igreja da Inglaterra.
a. Verdadeiro
b. Falso

3. A maior motivação para que, no início, as pessoas viessem para a Nova


Inglaterra foi _____________ .
a. Agricultura
b. Comércio
c. Devoção Religiosa
d. Oferta de Terras

4. A Universidade de Harvard foi fundada, primariamente, com a finalidade de


treinar pastores Calvinistas.
a. Verdadeiro
b. Falso

5. Quando o Rei editou um novo Tratado, a votação passou a ser baseada em


________________ .
a. Membresia na Igreja
b. Posse de Terras

53
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

c. Local de Nascença
d. Uma poupança mínima de dinheiro

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. O Dr. Godfrey notou que alguns dos Puritanos vieram para a América separados
da Igreja da Inglaterra, enquanto outros não. Em que ocasiões você pensa que um
grupo tem razões suficientes para se separar de uma comunidade da fé já constituída?
Que bases bíblicas você teria para isto?

2. A Evangelização entre os Índios Americanos cresceu até que as colônias


entraram em um direcionamento mais comercial. Como é que esta mudança serve
como um alerta para as Igrejas e indivíduos em nossos dias?

3. Uma questão importante com a qual os Puritanos tiveram que lidar, foi o
declínio do entusiasmo com a religião entre as gerações que se sucediam. Como
podem as Igrejas e os Pais encorajar a devoção em suas crianças?

4. Explique como as tensões sociais daqueles tempos podem ter influenciado no


caso do Julgamento das Bruxas de Salem. Você pensa que esta explicação é mais
coerente que as explicações tradicionais deste julgamento?

54
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

8 - O Iluminismo

INTRODUÇÃO

O Iluminismo teve um profundo efeito no pensamento Ocidental. Durante este


período, alguns procuraram conciliar a fé Cristã com estes novos pensamentos,
enquanto outros tentaram libertar-se totalmente de qualquer laço que os prendesse
aos antiquados pensamentos cristãos. Mas, até mesmo estes, que se levantaram para
arrancar as influências Cristãs sobre a sociedade; acabaram por adotar ideias
semelhantes dissimuladamente. Neste estudo, o Dr. Godfrey irá nos mostra como a
Igreja navegou durante o período de Iluminismo, destacando as diferentes respostas
que surgiram diante deste desafio.

LEITURAS BÍBLICAS

Romanos 3: 9-20 ; João 15:5

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Explicar como o Iluminismo afetou a Cristandade no Ocidente


2. Mostrar a mudança no pensamento que passou da Religião para o Humanismo
3. Examinar quais eram as crenças fundamentais partilhadas pelos filósofos
Iluministas

55
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

CITAÇÕES

Sendo homens, temos Deus como o nosso Rei, e estamos sob a lei da
razão: como Cristãos, nós temos Jesus, o Messias como o nosso Rei, e
estamos sob a lei revelada por Ele no Evangelho. E ainda que todos na
cristandade, tanto um nominal deísta, quanto um verdadeiro Cristão, seja
obrigados a estudar ambas as leis : da natureza, e a revelada pela palavra;
porque nelas nós podemos discernir a vontade de Deus, e de Jesus Cristo,
que Ele enviou: mesmo assim, em nenhuma dessas leis, pode se encontrar
uma seleção de fundamentos, que se diferenciem dos outros, que possam
fazer de uma pessoa um Deísta ou um Cristão. Mas, aquele que acredita em
um Deus eterno, invisível, seu Senhor e Rei; então deixa de ser um ateu. E
este que acredita em Jesus como o seu Messias, seu Rei, ordenado por
Deus; se Torna um Cristão. Ele então é libertado do poder das trevas, e é
transportado para o reino do Filho de Deus; ele se coloca sob a aliança da
graça, e tem aquela fé, aquela fé que lhe é imputada para a sua justiça; e,
se ele continua em sua fidelidade ao seu Rei, ele irá receber a recompensa:
a Vida Eterna.

- John Locke

ESBOÇO
I. Perspectivas emergentes na Fé Cristã
A. Na Europa, diferentes visões daquilo que era ser um cristão, estavam
emergindo.

56
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

B. Elas estavam, aparentemente, distanciando-se do que era o Cristianismo.


C. Muitos que queriam redefinir o Cristianismo pensavam que estavam fazendo
um bem ao Cristianismo.

II. A Busca pela Unidade Europeia Fora da Igreja


A. Na Idade Média a Igreja deu aos Europeus um senso de unidade.
B. Depois que a Igreja se dividiu durante a Reforma, alguns começaram a enxergar
os “Princípios do Cristianismo”
como um caminho para a união.

III. Da Religião para o Humanismo


A. Em 1695, o filósofo político, John Locke, escreveu um livro chamado A
Racionalidade do Cristianismo.
i. Ele se levantou para defender o Cristianismo
ii. Ele falou que a razão pode nos levar a muitas conclusões que o Cristianismo
pode nos levar também, e que essas partes semelhantes podem nos unir em níveis
políticos e culturais.
B. Em 1696, o Deísta John Toland apareceu com um trabalho que argumentava
que, desde que nós poderíamos chegar a partes importantes do Cristianismo por nós
mesmos, então nós realmente não precisaríamos da Bíblia.
C. Aconteceu uma mudança da religião na direção de um tipo de Humanismo.
D. Os seres humanos, sem a revelação divina, podem chegar a ter a ética
fundamental necessária para manter a humanidade unida.
E. Entre os líderes do Iluminismo, particularmente na França, foi surgindo uma
ideia crescente de que o Cristianismo (na forma do Catolicismo Romano) tinha um
impacto negativo no mundo moderno.

57
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

IV. A Secularização das Ideias Cristãs


A. O Iluminismo foi o alicerce da secularização do Ocidente.
B. Carl Becker argumentou, em 1930, que o que havia acontecido no Iluminismo,
foi que as ideias fundamentais do Cristianismo foram simplesmente secularizadas.
i. De muitas maneiras, poderíamos dizer que o Iluminismo é justamente uma
heresia Cristã.
ii. Ele pirateou muitas coisas que o Cristianismo ensina e acredita, mas sem dar
o crédito a Deus.
iii. Becker ajuda e entender como uma era é dominada por certas ideias, ideais,
e slogans.
1. Em relação ao Iluminismo
a. O homem não é naturalmente depravado.
b. O fim. O objetivo da vida é a vida em si mesma; a boa vida na
terra.
c. O homem é capaz, guiado apenas pela luz da razão e da
experiência, de tornar a vida perfeita na terra.
d. A primeira e essencial condição para ter uma vida boa na terra é
libertar a mente dos homens da ignorância e das superstições, e libertar os corpos da
arbitrariedade opressiva das autoridades sociais constituídas.
iv. O alicerce lançado no Iluminismo teve um forte impacto no desenvolvimento
do pensamento Ocidental nos últimos 3 Séculos.
v. Existe um desejo para encontrar sentido e valor, tornando a vida, aqui neste
mundo, melhor, ao invés de pensar no mundo porvir – e este sentimento atraiu
muitas pessoas.

58
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

V. Problemas com a Membresia nas Igrejas


A. Em 1662 as Igrejas lançaram o que se chamou de “A Meia Aliança.”
B. Havia muitas pessoas casadas que tinham filhos, mas que não haviam se filiado
as Igrejas.
i. Eles desejavam que seus filhos fossem batizados.
ii. Uma pessoa não podia ter seus filhos batizados se não fosse membro
filiado à Igreja.
iii. Se os membros tinham sido batizados, era permitido a eles apresentar as
suas crianças para serem batizadas.
C. Solomon Stoddard foi além, e argumentou que os membros que não haviam
professado sua fé publicamente deveriam poder participar da Ceia do Senhor.
D. Ele pensava que esta era uma ordenança para a conversão, e aqueles que
participassem poderiam ser convertidos.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. O Filósofo Político ________________ escreveu um livro argumentando que a


razão humana pode levar a muitas das mesmas conclusões que a fé Cristã leva.
a. John Locke
b. Jean-Jacques Rousseau
c. Thomas Hobbes
d. David Hume

2. Na França, a animosidade do Iluminismo contra o Cristianismo foi dirigida


principalmente contra a Igreja Católica Romana.
a. Verdadeiro

59
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

b. Falso

3. O historiador Carl Becker argumentou que, no Iluminismo, as ideias Cristãs


foram simplesmente __________
a. Ignoradas
b. Aceitas
c. Secularizadas
d. Demonizadas

4. O Iluminismo via a Superstição, muito mais do que o pecado, como o maior


impedimento para se viver uma boa vida na terra.
a. Verdadeiro
b. Falso

5. _________________ permitiu aos não membros das Igrejas da Inglaterra ter as


suas crianças batizadas.
a. A Aliança de Abraão
b. “ A Meia Aliança”
c. O acordo de 1662
d. A Iniciativa Infantil

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. John Locke tentou mostrar que a razão podia levar a muitas das mesmas
conclusões que o Cristianismo. Você pensa que esta tentativa de provar tal coisa foi
útil? Porque sim, ou porque não?

60
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

2. De acordo com uma tese de Carl Becker a respeito do Iluminismo, quais são
algumas evidências de que os filósofos da era do Iluminismo adotaram, e depois
secularizaram, as ideias Cristãs?

3. Compare e contraste os compromissos centrais da Iluminismo, com os


compromissos centrais do Cristianismo.

4. Explique o que levou a existir “A Meia Aliança”. Como a pressão social afeta as
suas fés, ou a sua Igreja?

61
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

9 - Wesley e Whitefield

INTRODUÇÃO

O clima religioso na Inglaterra no final do Século Dezessete e no início do Século


Dezoito era frio e seco. Nesta paisagem estéril surgiram George Whitefield e John
Wesley, dos quais as pregações poderosas e novos métodos tiveram um importante
papel em aquecer os corações e mexer com as afeições religiosas. Neste estudo, o Dr.
Godfrey irá nos introduzir à vida destes dois homens, o contexto espiritual no qual eles
trabalhavam, e os resuktados de seus ministérios.

LEITURAS BÍBLICAS

Romanos 1: 16-17 ; 1 Coríntios 1: 18-19

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Introduzir qual era o pano de fundo e quais foram os trabalhos iniciais de


George Whitefield e John Wesley
2. Examinar qual foi o impacto que teve o ministério destes dois homens
3. Mostrar como a sua abordagem ministerial era revolucionária

62
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

CITAÇÕES

Não é para se espantar que o inimigo não aprecie as pregações ao ar


livre! Eu também não gosto; eu prefiro um quarto confortável, um sofá
macio, um púlpito bonito. Mas aonde estaria o meu zelo se eu não
aceitasse enfrentar um lugar aonde devo ir descalço para que mais uma
alma seja salva?

- John Wesley

A verdadeira conversão significa voltar as costas, não apenas para o


pecado; mas também para a dependência da justiça própria. Aqueles que
confiam na própria justiça para a conversão se escondem atrás de suas
boas obras. Esta é a razão porque as pessoas com auto-justiça ficam tão
furiosas com pregadores do evangelho. É porque o verdadeiro evangelho
não poupa aqueles que não se submetem à justiça de Jesus Cristo.

- George Whitefield

ESBOÇO

I. O Declínio da Religião e da Moralidade na Inglaterra


A. No início do Século Dezoito, a vida moral e religiosa na Inglaterra estava
chegando um nível realmente muito baixo.
B. Imoralidade sexual e embriaguez estavam se tornando um grande problema.
C. A Igreja da Inglaterra parecia paralisada para ajudar de qualquer maneira que
fosse.

63
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

D. Muitas pessoas sentiram que era necessário haver um renovo religioso.

II. John Wesley e o Renovo Religioso


A. O pai de Wesley era um Pastor da Igreja da Inglaterra.
B. Wesley Frequentou a Universidade de Oxford.
C. Junto com seu irmão mais novo, Charles, eles fundaram um “Santo Clube”.
i. Eles leram a Bíblia juntos em Grego e Hebreu.
ii. Eles procuraram diligentemente servir ao Senhor, e serem fiéis.
D. Em 1735 ele decidiu ser missionário na Geórgia, entre os índios Americanos.
i. Atravessando o Atlântico, seu barco enfrentou uma terrível tempestade.
ii. Ele foi desafiado pela fé de um grupo de Irmãos Morávios.
iii. Depois de 3 anos ele voltou para a Inglaterra, e um sermão na Igreja que
destacou a Justificou, é conhecido como o momento da conversão em sua vida.

III. A Influência de George Whitefield sobre Wesley.


A. Eles foram para Oxford juntos, ainda que Whitefield era 11 anos mais jovem.
B. Whitefield foi pioneiro nas pregações ao ar livre na Inglaterra. Na Inglaterra se
considerava que isto estava abaixo do nível da dignidade de um Clérigo da Igreja da
Inglaterra.
C. A população Inglesa começou a se mudar para novas regiões do país, aonde
nem havia ainda Igrejas construídas.
i. Não havia pastores para atender a estas comunidades que estavam
crescendo
ii. Whitefield começou a pregar para eles
iii. Whitefield decidiu ir para a Georgia, e pediu para que John Wesley também
iniciasse pregações ao ar livre; e ele concordou.

64
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

iv. Wesley estava hesitante porque isto era muito radical – Sair fora do edifício
da Igreja e do Púlpito para pregar.

IV. A pregação de Whitefield e Wesley


A. Whitefield era um pregador extraordinariamente poderoso.
B. John Wesley não foi conhecido por ser um tão grande pregador quanto
Whitefield, mas ele tinha uma tremenda energia.
C. A estimativa é de que Wesley pregou 40.000 sermões durante toda a sua vida.
D. Whitefield e Wesley começaram a entender a real responsabilidade de suas
pregações – e realmente se via que o Espirito Santo estava trabalhando.
E. Sua mensagem era, em alguns pontos, revolucionária.
i. Nos círculos Puritanos do final do Século Dezessete e início do Dezoito, havia
uma ênfase no fato de esperar até que o Espírito Santo aplicasse a Lei de Deus no
coração; mostrando a alguém o seu pecado. Apenas, então, essa pessoa poderia
apropriadamente se chagar a Deus.
ii. Whitefield e Wesley, tal como Lutero e Calvino, pregavam que era possível
se chegar imediatamente a Cristo.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. __________ Wesley , irmão de John, acabou se tornando pastor e um grande


compositor de hinos.
a. Simon
b. Charles
c. George
d. Joseph

65
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

2. No início do Século Dezoito, a vida moral e religiosa da Inglaterra havia chegado


em um nível muito baixo.
a. Verdadeiro
b. Falso

3. Enquanto estava em Oxford, John Wesley e seu irmão formaram um grupo


chamado _____________ .
a. Comunidade de Estudo Bíblico
b. O Clube Santo
c. Sociedade dos Estudantes Cristãos
d. Ordem dos Morávios

4. Tanto George Whitefield, quanto Charles Wesley passaram um tempo como


missionários na Geórgia.
a. Verdadeiro
b- Falso

5. ______________ é conhecido até hoje como um dos maiores pregadores na


história da Igreja Cristã.
a. John Wesley
b. Charles Wesley
c. George Whitefield
d. Jonathan Edwards

66
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. Os ministérios de Whitefield e Wesley tiveram muitos frutos, mesmo quando


parecia haver pouca esperança de revitalização. Como isto pode nos encorajar em
nossa situação atual.

2. Relembre a conversa de Wesley com o líder Morávio. O que podemos aprender


deste fato, de que Wesley podia chamar Cristo de O Salvador do Mundo; mas não
podia realmente chama-lo de seu Salvador pessoal?

3. O que era tão radical no fato da Whitefield e Wesley pregarem ao Ar Livre?

4. Qual era a diferença da Pregação, de Wesley e Whitefield, das pregações dos


Puritanos que enfatizavam a necessidade de esperar o Espirito Santo convencer de
Pecado, antes da pessoa querer se chegar a Deus?

67
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

10 - O Grande Despertamento

INTRODUÇÃO
O Grande Despertamento foi um tempo de grande interesse religioso que começou na
Nova Inglaterrae se espalhou através das Colônias das Américas. Ele foi encabeçado
pelo grande pregador George Whitefield, e teve a ajuda de Jonathan Edwards, o mais
proeminente Pastor e Teólogo Americano. Neste estudo, o Dr. Godfrey irá explicar a
história deste influente movimento, focalizando as suas figuras chave. Ele irá também
voltar os olhos para a Inglaterra e revisitar o ministério e a influência de John Wesley
durante este período.

LEITURAS BÍBLICAS

Joel 2: 12-13 ; Romanos 10: 13-15

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Explicar a natureza e os efeitos do Grande Despertamento


2. Esclarecer alguns termos que estão ligados ao Grande Despertamento
3. Explicar qual foi o papel de Jonathan Edwards, e especialmente de George
Whitefield, no Grande Despertamento

CITAÇÕES

68
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

O Deus que vos mantém acima do abismo do inferno, tal como alguém
segura uma aranha, ou outro inseto repugnante sobre o fogo, vos
abomina; ele está terrivelmente irritado e seu furor contra vocês queima
como fogo. Ele vê vocês como apenas dignos de serem lançados no fogo. E
seus olhos são tão puros que não podem tolerar tal visão. Vocês são dez mil
vezes mais abomináveis a seus olhos do que é a mais odiosa das serpentes
venenosas para olhos humanos. Vocês o têm ofendido infinitamente mais
do que qualquer rebelde obstinado ofenderia a um governante. No entanto,
nada, a não ser a sua mão, pode impedir-vos de cair no fogo a qualquer
momento. O fato de vocês não terem ido para o inferno a noite passada e
de terem tido permissão para acordar ainda aqui neste mundo, depois de
terem fechado os olhos ontem para dormir, atribui-se ao mesmo favor. Não
existe outra razão porque vocês não foram lançados no inferno ao se
levantarem pela manhã, a não ser o fato da mão de Deus ter-vos
sustentado. E não existe outra razão porque vocês não caiam no inferno
neste exato momento.

- Jonathan Edwards

ESBOÇO

I. Os ventos de mudança
A. A mudança começou a acontecer na Inglaterra com Whitefield e Wesley.
B. A mudança também começou a acontecer na Nova Inglaterra, notadamente
com Jonathan Edwards.
i. Ele era um jovem Pastor em Northampton.

69
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

ii. Em 1733 e no início de 1734, ele viu uma resposta incomum as suas
pregações.
1. Isto aconteceu enquanto ele pregava a respeito da Justificação pela Fé.
2. Ele chamava isto de “agitações do Espírito”, ou de “os princípios do
Despertamento”.
a. Para os Puritanos, despertamento tinha um significado específico. Ç
b. Isto significava que havia mais interesse. Também significava que o
povo estava mais responsivo. Mas isto não significava que havia necessariamente
muitas conversões.
iii. Ele escreveu um tratado que ficou largamente conhecido, e que influenciou
a muitos. Seu título era Uma Narrativa Fiel do Surpreendente Trabalho de Deus.

III. O Grande Despertamento


A. George Whitefield foi o principal catalisador.
B. Whitefield começou a pregar na Nova Inglaterra em 1740.
C. Ele disse que o problema da Nova Inglaterra era que homens mortos estavam
pregando para homens mortos.
D. Críticas aos Clérigos se tornou um elemento constante no Grande
Despertamento.
E. Criticar os Clérigos, significava também criticar o sistema paroquial da época.
F. Neste sistema paroquial da época, uma pessoa não podia escolher qual Igreja
queria frequentar; pelo contrário, cada um que fazia parte de uma dada paróquia
só podia ir para a Igreja mais próxima.
G. Parecia que Deus estava realizando um trabalho incrível. Um observador
chegou a dizer que este era o maior trabalho do Espírito Santo desde o Pentecoste.

70
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

H. Whitefield e Wesley normalmente pregavam uma ou duas vezes em cada lugar


e depois partiam para outro.
i. Eles viam uma grande receptividade.
ii. Alguns se manifestavam com choro, gritando, ou até desmaiando.
1. Isto levou alguns a criticarem o Grande Despertamento como sendo
muito emocional.
2. Whitefield estava interessado não apenas no Despertamento, mas também que
almas se convertessem.
iii. O Despertamento durou de 1739 até 1744, se espalhando por todas as
colônias Americanas.

III. A volta de Wesley e Whitefield para a Inglaterra


A. Whitefield partiu em 1741 para returnar à Inglaterra e ajudar Wesley.
B. Wesley não teria cooperado com Whitefield, pois ele tinha se tornado muito
calvinista.
C. A teologia de Wesley tinha se movido para um lado mais Arminiano.
i. O seu pensamento a respeito da santidade por vezes parecia comprometer a
sua convicção de que a Justificação é pela Fé somente.
ii. Ele desenvolveu uma teoria do perfeccionismo Cristão, acreditando que
seria possível, pela fé, que um Cristão se tornasse perfeito.
D. Wesley era um grande administrador, e estabeleceu as “Sociedades
Metodistas”.
i. Eles ainda faziam parte da Igreja da Inglaterra.
ii. Seus encontros se pareciam com adoração; mas não eram assim
considerados.

71
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

iii. Ele iniciava “Reuniões de Classe” aonde, de dez a quinze metodistas,


pudessem se encontrar para estudo, oração, e discipulado.
iv. Isto se transformou em um grande movimento, e os Metodistas se
separaram da Igreja da Inglaterra após a morte de Wesley.
v. A Igreja Metodista se tornou a maior Igreja na América na metade do Século
Dezenove.
E. Whitefield era um pregador melhor do que Wesley, mas não era um melhor
administrador.

IV. Jonathan Edwards e o Grande Despertamento


A. Enquanto Whitefield foi a figura central do grande Despertamento na América,
a pregação de Jonathan Edwards teve também um lugar de destaque.
B. Seu sermão mais famoso é “Pecadores nas Mãos de Um Deus Irado”.
C. Foi na segunda vez em que ele pregou este sermão, e não na primeira, que ele
viu esta grande resposta.
D. O Grande Despertamento partiu da Pregação de pastores que falaram para
outras congregações; e não para as suas próprias Igrejas.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. Jonathan Edwards sentiu uma receptividade em sua congregação enquanto


pregava a respeito ____________
a. da Predestinação
b. da Soberania de Deus
c. da Santidade de deus

72
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

d. da Justificação pela Fé

2. Para os Puritanos o termo despertamento era sinônimo do termo conversão


a. Verdadeiro
b. Falso

3. O catalisador principal para o Despertamento que se espalhou através de toda


a Nova Inglaterra foi ________
a. George Whitefield
b. Jonathan Edwards
c. John Wesley
d. George Tenet

4. Após a morte de John Wesley , os Metodistas continuaram a trabalhar unidos à


Igreja da Inglaterra
a. Verdadeiro
b. Falso

5. A desculpa que John Wesley deu para não cooperar com George Whitefield foi
a de que Whitefield havia se tornado muito ____________
a. Arminiano
b. Calvinista
c. Argumentativo
d. Americano

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

73
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

1. Explique como os Puritanos usavam a palavra “despertamento”. Como você


entende a relação entre despertamento e conversão?

2. O Dr. Godfrey que um pouco do sucesso de Whitefield subiu a sua cabeça. Qual
é a melhor maneira de manter a humildade quando os nossos ministérios pelos outros
alcançam sucesso?

3. Quais são alguns perigos do sistema paroquial? Você consegue pensar em


alguns benefícios?

4. Qual foi a resposta de Whitefield para aqueles que criticavam as respostas


emocionais as suas mensagens? Você acha que estas demonstrações emocionais são
apropriadas? Por que ou porque não?

74
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

11 - Jonathan Edwards

INTRODUÇÃO

Jonathan Edwards tem sido chamado por alguns o mais brilhante Americano que já
viveu. Ele teve um papel principal no Grande Despertamento, e o seu Intelecto
Marcante só era suplantado pela sua Devoção Religiosa Surpreendente. Neste estudo,
junte-se ao DR. Godfrey enquanto ele explica a vida e o impacto de um dos mais
influentes indivíduos da história Americana.

LEITURAS BÍBLICAS

Atos 2: 36-41 ; 2 Coríntios ·:18

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Analisar a vida e o ensino de Jonathan Edwards


2. Explicar o papel de Edwards no Grande Despertamento
3. Mostrar algumas dificuldades que existem para se conseguir estudar a vida de
Edwards

CITAÇÕES

75
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

Na alma em que está a presença salvadora de Cristo, ali Ele vive. Ele não
precisa desta alma para viver, mas escolhe atuar com precisão na alma
deste crente, para que esta alma possa ter a vida. A Graça na alma é
totalmente ligada à presença de Cristo. É como a luz em um vidro, que nada
mais é do que os raios do sol espalhados nele; essa luz que é vista no vidro é
totalmente ligada ao Sol. Mas isto representa a comunicação da Graça
para a alma apenas em parte; porque nessa ilustração o vidro continua a
ser o que é, sua natureza não é transformada de nenhum modo; e a sua
natureza continua sem nenhum traço de luminescência. Mas a alma de um
santo recebe a luz do Sol da Justiça, de tal maneira, que a sua própria
natureza é transformada, e ela se transforma devidamente em algo
luminoso. Não apenas o Sol brilha nos santos, mas estes também se tornam
pequenos sóis, participando da Fonte de sua luz. A este respeito, podemos
comparar que a maneira de derivação desta luz é semelhante as lâmpadas
no Tabernáculo, que eram mais do que espelhos refletindo. Elas eram, na
verdade, acesas com o fogo dos céus, e se tornavam uma após as outras
chamas de fogo, brilhantes e luminosas.

- Jonathan Edwards

ESBOÇO

I. O Impacto do Grande Despertamento no Futuro da Vida da Igreja


A. Isto levou ao que foi chamado de “ O Triunfo dos Laicos na América”.

76
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

B. Se uma pessoa não gostasse de sua Igreja, poderia simplesmente mudar para
outra.
C. Por esta razão os Pastores passaram a sempre prestar atenção ao que os Laicos
estavam dizendo.
D. Isto criou um ambiente aonde havia muito mais atividade por parte dos Laicos.

II. A Educação e a Conversão de Jonathan Edwards


A. Muitos argumentam que Ele é o mais inteligente Americano que já viveu.
B. Ele nasceu em 1703 em Connecticut.
C. O seu pai era um Pastor Puritano.
D. Ele estudou em Yale, que tinha sido fundada pelo fato de que Harvard havia se
tornado liberal.
E. Ele descreveu a sua conversão como sendo ainda um jovem, que foi
maravilhado por um sentimento da Beleza de Deus e da Glória de Deus na natureza.
i. O seu pai não permitiu que ele se juntasse à Igreja Congregacional, porque
ele não achou que esta era uma narração adequada do que seria uma conversão.
ii. Ele finalmente conseguiu se unir à Igreja; mas não se sabe ao certo a data.

III. Edwards Entra Para o Ministério


A. Ele começou, em 1725, a acompanhar o seu avô no ministério.
B. Em 1729, o seu avô faleceu, e Edwards passou a tomar conta da congregação.
C. Ele viu que havia uma resposta muito positiva da congregação quando o
Grande Despertamento começou em 1740.
D. Ele registrou muito daquilo do que viu e experimentou.
E. Em 1743, ele falou que parecia que todos em Northampton haviam se
convertido.

77
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

G. Edwards incutiu na mente dos religiosos Americanos, que Deus trabalha através
de avivamentos, e frequentemente através de grandes pregadores.
i. Esta é uma noção errada.
ii. Deus executa a maioria de Seu trabalho através de ministérios
estabelecidos, com pastores estabelecidos, em congregações estabelecidas.

IV. O Declínio do Entusiasmo Religioso


A. Por volta de 1745, Edwards teve que admitir que o entusiasmo religioso estava
diminuindo nas colônias.
B. Um declínio na devoção era difícil de aceitar para ele; pois ele era um
perfeccionista.
C. Ele empenhava 12 a 13 horas por dia estudando e escrevendo.
D. Ele não compreendia como é que outros Cristãos não tinham este mesmo
compromisso.
E. A questão da membresia nas Igrejas voltou a surgir e Edwards se distanciou de
seu sogro, pois este aceitava a “Meia Aliança”.
F. Edwards ensinou que teria que existir uma narrativa da Graça, um testemunho;
e a sua Congregação respondeu com a sua demissão.
G. Ele foi ser pastor em Stockbridge, uma cidade na fronteira, e alí ele escreveu
muitos trabalhos importantes.

V. Apoio e Oposição a Edwards e ao Grande Despertamento.


A. Devido ao seu apoio ao Grande Despertamento, alguns o acusaram de
entusiasmo, e de confundir as emoções com a verdadeira religião.
B. Edwards respondeu escrevendo Um Tratado a Respeito das Afeições Religiosas.
C. Ele escreveu um tratado a respeito do pecado original.

78
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

i. B.B. Warfield e John Murray defendem que ele ensinou a imputação


imediatas do pecado de Adão – Que é a posição dos Reformados Ortodoxos da época
de Edwards.
ii. Charles Hodge e William Cunningan defendem que ele ensinou a imputação
mediada do pecado de Adão.
iii. Samuel Baird e John Gerstner defendem que ele não ensinou nem uma coisa
nem outra, mas uma nova ideia a respeito da identificação do pecador com Adão.
D. Edwards morreu com cinquenta e poucos anos de reações adversas a uma
vacina contra a Varíola.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

1. _______________ foi fundada porque Harvard tinha abraçado ideias liberais.


a. Yale
b. Priinceton
c. William and Mary
d. Brown

2. Jonathan Edwards descreveu a sua conversão, como uma experiência que teve
lugar quando ele ficou maravilhado com a Beleza e a Glória de Deus na natureza.
a. Verdadeiro
b. Falso

3. A visão de Edwards a respeito do milênio era fortemente

79
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

a. Prémilenista
b. Pósmilenista
c. Amilenista
d. Panmilenista

4. Edwards ensinou que o Milênio já havia começado em 1740


a. Verdadeiro
b. Falso

5. A razão pela qual Edwards foi mandado embora de sua Igreja estava ligada as
suas visões relativas __________
a. ao Milênio
b. a Predestinação
c. a Membresia na Igreja
d. ao Cuidado com os Idosos

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. Quais são alguns resultados negativos na vida da Igreja Americana do chamado


“Triunfo dos Laicos”?

2. Explique como Edwards viu o funcionamento dos avivamentos dentro do


trabalho de Deus na História. O que o Dr. Godfrey diz é uma compreensão melhor de
como Deus age?

80
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

3. Edwards, que estudava de 12 a 13 horas por dia, ficava desapontado porque os


outros Cristãos não eram assim tão disciplinados. Leia 1 Coríntios 12: 12-20 e explique
como um correto entendimento dos diferentes dons pode nos ajudar a não passar por
tais desapontamentos.

81
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

12 - Revoluções Políticas

INTRODUÇÃO

Chegando ao final do Século Dezoito, a Revolução Francesa, e a Revolução Americana


tiveram um enorme impacto na História subsequente. Enquanto ambos os
movimentos foram revolucionários em sua natureza, você verá o quanto eles eram
diferentes em seus objetivos e em seu caráter. Neste estudo, o Dr. Godfrey irá
destacar alguns dos pontos chaves destes eventos, mostrando especialmente como a
Revolução Americana afetou a História da Igreja.

LEITURAS BÍBLICAS

Romanos 13: 1-7 ; ! Pedro 2: 13-17

OBJETIVOS DO ENSINO

1. Observar como o Grande Despertamento afetou a História Política e


Eclesiástica dos Estados Unidos.
2. Explicar como a Revolução Americana afetou a vida da Igreja nos Estados
Unidos.
3. Evidenciar como as Revoluções Francesa e Americana diferem uma da outra,
especialmente no que tange o Cristianismo e a Tradição.

82
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

CITAÇÕES

A razão pela qual nós temos que nos submeter aos magistrados é
porque eles foram constituídos pela ordenação de Deus. Pois desde que
agrada a Deus que eles governem o mundo, aquele que tenta inverter a
ordem de Deus, e assim despreza a Sua Própria vontade, acaba
desprezando o próprio Deus, e desprezando o Seu poder. Isto seria
desprezar a Providência daquele que é o fundador de todo o poder civil,
seria levantar uma guerra contra Ele. Mas a compreensão deve ir além; de
que os poderes vem de Deus; e não as pestes, a fome, as guerras, e outras
visitações do mal e do pecado, que alguns dizem que vem dEle para tentar
legitimar e justificar seus maus governos. Pois apesar de que as Tiranias e
injustos exercícios de poder ( cheios de desordem), e que por isso não
deveriam ser chamados de governo; estejam no poder, ainda assim o fato
de estarem lá é uma permissão de Deus para o plano geral de bem estar da
humanidade. Como sabemos, é legal repelir as guerras e buscar a solução
para outros males, ainda que o apóstolo nos diga para, de boa vontade, e
com alegria devemos respeitar e honrar o direito e a autoridade dos
magistrados, como sendo úteis para os homens. Devemos considerar que
através deles Deus impõe punições aos homens maus, que acabam sendo
um meio para legitimar a ordem.

ESBOÇO

83
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

I. Do Grande Despertamento até a Aurora da Revolução Americana


A. Os EUA cresceram dramaticamente no Século Dezoito.
i. em 1713 havia 360.000 habitantes.
ii. em 1760 havia 1,6 milhões.
iii. em 1776 já havia 3 milhões.
B. Um dos efeitos do Grande Despertamento é que os Americanos ficaram mais
conscientes do que estava acontecendo na América e do que estava acontecendo na
Inglaterra.
C. Em 1760, surgiram rumores e que o Rei estava para enviar um Bispo para a
América.
i. Os Bispos eram parte da Aristocracia, e os Americanos estavam receosos
que a Inglaterra conseguisse exportar toda a sua aristocracia para a América.
ii. O grande receio do “Episcopalismo” começou a formar um sentimento
anti-realeza, especialmente entre os Presbiterianos e Congregacionalistas.
D. Surgiu um sentimento crescente de que os Americanos queriam ter os mesmos
direitos dos cidadãos Ingleses, e que não queriam pagar impostas a menos que
tivessem representação no Parlamento.

II. Os líderes da Revolução Americana


A. Pelo menos em termos formais, todos eram Cristãos.
B. Eles sabiam que os Cristãos deviam honrar e obedecer as autoridades que
estavam sobre eles.
C. Para muitos deles, pegar em armas contra o Rei era um assunto muito sério.
D. Havia um conceito muito bem definido na Teoria Política Calvinista, que dizia
que um monarca só podia sofrer oposição, se o mesmo se tornasse um tirano.

84
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

E. A noção do que é Tirania é clara – não apenas os súditos e cidadãos devem ter
responsabilidades para com seus governantes; como também os governantes devem
ter responsabilidades para com seus súditos e cidadãos.
F. A Declaração da Independência afirma que o Rei havia violado a sua
responsabilidade para com os seus súditos.
G. Foi uma revolução não para por abaixo; mas, sim, para manter os direitos
tradicionais.

III. Liberdade Religiosa


A. Esta foi uma das ideias embutidas na Constituição.
B. A maioria assumiu que o País se mantinha Protestante.
C. Foi decidido que não haveria uma Lei Federal que obrigasse alguém a ser
Anglicano, ou Presbiteriano, ou qualquer outra religião.
D. Esta liberdade religiosa significava a separação entre a Igreja e o Estado em
nível Federal.
E. Isto foi um fator que muito contribuiu para a formação das denominações.
i. O coração do denominacionalismo é que, uma denominação, diante da lei,
tem o mesmo valor que a outra.
ii. As diferenças entre as denominações eram respeitadas com seriedade, mas
estas diferenças não as dividiam em relação à adoração a Deus.

IV. O Desestabelecimento da Igreja


A. Desestabelecimento quer dizer que a Igreja para de receber dinheiro do
governo, que vinha como parte dos impostos.
B. Qualquer coisa que a Igreja fizesse agora, deveria ser financiado pelos Laicos.
C. Isto fez crescer o espírito de Voluntariado.

85
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

V. A Revolução Francesa
A. A Revolução Francesa foi levada a termo, muito mais pela convicção de que as
tradições tinham que ser derrubadas.
B. Ocorreu uma radicalização progressiva na Revolução Francesa.
C. Ela começou em 1789.
i. O Rei Luis XVI convocou os Estados Gerais numa sessão para pedir o seu
apoio para reformas.
ii. Os Estados Gerais se radicalizaram e, em alguns meses, se reformularam
como Assembleia Nacional com poderes reais de Parlamento.
iii. Eles limitaram o poder do Rei.
iv. Eles confiscaram propriedades da Igreja.
- A Igreja Católica Romana era proprietária de vinte por cento de todas as
propriedades na França.
D. Em 1791, a liberdade de Religião foi declarada para todos.
E. Em 1792, a França foi declarada uma República , e o Rei e a Rainha foram
executados logo depois.
F. 1793 e 1794 conheceram o “Reino do Terror”, no qual, qualquer um que era
simpático à causa da realeza era decapitado pela guilhotina.
G. Eles chegaram a experimentar “semanas de trabalho” de dez dias.
H. Uma paz relativa se restabeleceu em 1799; e então Napoleão Bonaparte
assumiu o controle.

PERGUNTAS A RESPEITO DO ESTUDO

86
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

1. Em 1760, rumores começaram a circular, de que o Rei da Inglaterra estava


pensando em enviar ___________
para a América
a. um Conselheiro
b. um Bispo
c. um Comandante
d. um Duque

2. Um dos efeitos do Grande Despertamento é que os Americanos mudaram a sua


atenção da Inglaterra para a própria América.
a. Verdadeiro
b. Falso

3. O desestabelecimento da Igreja significou que ela não receberia mais


______________ do governo
a. dinheiro dos impostos
b. privilégios especiais
c. reconhecimento oficial
d. proteção religiosa

4. A Revolução Americana foi uma revolução para manter os direitos tradicionais


a. Verdadeiro
b. Falso

5. O período da Revolução Francesa, no qual qualquer pessoa simpática à realeza


era condenada a morte, ficou conhecido como _____________

87
A Igreja Pós-Reforma
www.cursofieldelideranca.com.br

a. Lei dos trinta tiranos


b. Reino do terror
c. Domínio de Robespierre
d. Supremacia da Republica

ESTUDO BÍBLICO E QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

1. Explique a teoria política Calvinista bem firmada que foi um suporte para que
os Americanos fizessem oposição à Monarquia.

2. Como é que o desestabelecimento da Igreja acabou levando ao chamado


“Triunfo dos Laicos”?

3. Quais são as semelhanças e as diferenças entre as Revoluções Francesa e


Americana?

88

Você também pode gostar