Você está na página 1de 3

QUESTIONÁRIO CURATELA E AUSENCIA

ACADÊMICA: Danusa Seraphim

CURATELA

1. O QUE É CURATELA?

R- A curatela é um mecanismo de proteção para aqueles que, mesmo maiores de idade, não possuem
capacidade de reger os atos da própria vida. Ela é o encargo imposto a uma pessoa natural para cuidar e
proteger uma pessoa maior de idade que não pode se auto determinar patrimonialmente por conta de
uma incapacidade

2. ESCLAREÇA AS DIFERENÇAS ENTRE TUTELA E CURATELA.

R- A tutela, declarada por um juiz, serve para que uma criança ou adolescente tenha alguém que o
proteja e o represente na sociedade civil quando necessário. Aquele que recebe a tutela é chamado de
tutor.

Já a curatela serve para que alguém seja responsável por um adulto ou idoso que se encontra incapaz de
exercer suas vontades. A curatela também deve ser atribuída por um juiz e quem recebe a curatela é
conhecido como curador.

3. QUAIS OS TIPOS DE CURATELA?

R- Segundo Maria Helena Diniz podemos dividir as espécies de curatela em três grupos: a) Curatela dos
adultos incapazes; b) Curatelas destacadas da disciplina legal do instituto em razão de suas
peculiaridades; c) Curadorias especiais

4. O QUE É PROCESSO DE INTERDIÇÃO?

R- É uma ação intentada no âmbito cível e tem por fim a declaração da incapacidade de determinada
pessoa. Uma vez decretada a interdição pelo magistrado, o interditado não mais poderá comandar os
atos na vida civil, portanto, faz-se necessário a nomeação de um curador, o que é feito na mesma ação
de interdição.

5. DIGA ALGUMAS DAS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES EM RAZÃO DO ESTATUTO DA PESSOA DEFICIENTE, LEI
ROMÁRIO.

R- O Estatuto altera diversos artigos do Código Civil, remodelando consubstancialmente a teoria das
incapacidades, uma vez que passou a declarar apenas uma hipótese de incapacidade absoluta: os
menores de 16 anos, inexistindo, portanto, no Ordenamento Pátrio, pessoa maior absolutamente
incapaz. Em síntese, os arts. 3º e 4º do Código Civil sofreram as principais modificações.
6. O QUE É SER PRÓDIGO? EXPLIQUE A SUA CURATELA.

R- É aquele que dilapida seus bens de forma compulsiva. De acordo com o artigo 1.782, do Código Civil,
"a interdição do pródigo só o privará de, sem curador, emprestar, transigir, dar quitação, alienar,
hipotecar, demandar ou ser demandado, e praticar, em geral, os atos que não sejam de mera
administração".

7. O QUE SIGNIFICA PRESTAR CONTA EM TUTELA E CURATELA E QUANDO DEVERÁ SER

EFETUADA?

R- A prestação de contas pelo tutor ou curador é um dever que decorre do encargo público concedido
pelo Poder Judiciário e para o qual, em regra, o responsável é intimado na própria sentença. Trata-se da
forma de fiscalização pelo Poder Judiciário e pelo Ministério Público do exercício da tutela ou curatela.

8. COMO OCORRE O FIM DA TUTELA E DA CURATELA?

R-Como a tutela é um instituto de caráter assistencial e protetivo, só se justifica enquanto o tutelado


precisar de proteção. Assim, a tutela extingue-se com a maioridade ou emancipação do pupilo. Também
caindo o menor sob o poder familiar, no caso de adoção ou reconhecimento, cessa a tutela.

Tendo em vista o seu caráter de temporalidade, ou seja, a curatela só permanece enquanto durarem os
motivos que a determinaram, e tendo em vista que as circunstâncias que determinam a interdição nem
sempre são permanentes, art. 1.186.

AUSÊNCIA

1 QUEM É O AUSENTE?

R- Pelo novo estatuto legal considera-se ausente pessoa de que deixa o seu domicílio, sem deixar
notícias suas e nem representante ou procurador que administre os seus bens.

2 QUAIS AS ETAPAS NO PROCESSO DE AUSENCIA?

R- O instituto da ausência se divide em 3 fases: curadoria, sucessão provisória e sucessão definitiva. As


fases da ausência vão se sucedendo através do decurso do tempo.

3 O QUE É MORTE PRESUMIDA?

De acordo com o diploma civil, há dois casos de morte presumida, sem declaração de ausência:
desaparecimento do corpo da pessoa, sendo extremamente provável a morte de quem estava em perigo
de vida; e desaparecimento de pessoa envolvida em campanha militar ou feito prisioneiro, não sendo
encontrado até dois anos após o término da guerra. A ausência é outra hipótese de morte presumida,
decorrente do desaparecimento da pessoa natural, sem deixar corpo presente (morte real).
4 QUAL O PAPEL DO CONJUGE NA AUSÊNCIA?

R- O cônjuge passou a figurar no terceiro lugar na ordem de vocação hereditária, antes dos colaterais, os
quais passaram a herdar somente até o quarto grau.

5 UM CONJUGE VIÚVO EM RAZÃO DE MORTE PRESUMIDA E QUE CASOU

NOVAMENTE, NA HIPÓTESE DO(A) EX RETORNAR TERÁ O NOVO CASAMENTO

ANULADO?

§ 1º O casamento válido só se dissolve pela morte de um dos cônjuges ou pelo divórcio, aplicando-se a
presunção estabelecida neste Código quanto ao ausente. O estando dissolvido o primeiro casamento,
válido ficaria o segundo

Você também pode gostar