Você está na página 1de 86

EDIÇÃO DO INSTRUTOR

Ficha Técnica
Especialista Técnico
Ben Hur Fabri – Engenheiro de Segurança do Trabalho e Meio Ambiente
Equipe Técnica
Ben Hur Fabri Filho – Técnico de Segurança
Pedro Pablo Spinelli – Engenheiro Civil
Edição
19 de setembro de 2019
Coordenação Pedagógica
Msc. Esp. Engº Prefº. Ben Hur Fabri
Editoração
Equipe Master Training Ltda.
Diretor Master Training Ltda.
Engº Daniel Pereira Ribeiro

2
SUMÁRIO
Introdução ............................................................................................................ 7
Definição de Serviços Elétricos ............................................................................ 7
Definição de Controle de Energias Perigosas ...................................................... 7
Energia Elétrica .....................................................................................................8
Energia Mecânica..................................................................................................8
Energia Hidráulica .................................................................................................9
Energia Pneumática ..............................................................................................9
Energia Química....................................................................................................9
Energia Térmica ..................................................................................................10
Energia Nuclear...................................................................................................10
Energia Residual ou Potencial ............................................................................11
Energia Zero........................................................................................................11
Atividades 01 .......................................................................................................13
Diferença Entre Intervenção / Interventores ....................................................... 14
Intervenção..........................................................................................................14
Interventores ...................................................................................................... 14
Conceito de Energias Perigosas ........................................................................ 15
Energia Potencial (Energia Gravitacional Armazenada) .................................... 16
Indústria ..............................................................................................................16
Energia Cinética ..................................................................................................16
Energia Hidráulica e Pneumática ........................................................................16
Energia Térmica e Residual ................................................................................17
Atividades 02 .......................................................................................................18
Programa De Controle De Energias Perigosas (PCEP) ..................................... 20
O que é Bloqueio e Etiquetagem? .......................................................................20
Objetivos do PCEP..............................................................................................21
Utilizar o Bloqueio e Sinalização sempre que o trabalhador: ............................. 22
Trabalhador Afetado ........................................................................................... 23
Dispositivos ........................................................................................................ 23
Procedimentos Para Implantar o PCEP ............................................................. 25
Liberação de Energia Residual .......................................................................... 25
Análise De Energias ........................................................................................... 26
Procedimento Por Máquina ................................................................................ 26

3
Recomendações Práticas Do Programa PCEP.................................................. 28
Dispositivos de Isolamento/Bloqueio de Energias Perigosas ............................. 30
Remoção de Fusíveis ..........................................................................................30
Etiqueta de Identificação .....................................................................................30
Cadeado de bloqueio ..........................................................................................32
Cadeado Verde ...................................................................................................32
Cadeado Vermelho .............................................................................................33
Cadeado Azul ......................................................................................................33
Cadeado Preto ....................................................................................................34
Cadeados Extras .................................................................................................34
Caixa de bloqueio................................................................................................35
Dispositivos de controle ......................................................................................37
Dispositivo De Multibloqueio ...............................................................................37
Travamento com utilização de dispositivos diversos .......................................... 38
Cartão de Bloqueio..............................................................................................38
Atividades 03 .......................................................................................................40
Etapas Para Travamento e Etiquetagem ........................................................... 42
Resumidamente Bloqueio e Etiquetagem em 3 Etapas Simples........................ 44
Desenergizar (D) .................................................................................................44
Bloquear (B) ........................................................................................................44
Testar (T).............................................................................................................44
Impossibilidade de aplicação de Bloqueio .......................................................... 45
Bloqueio Múltiplo ................................................................................................ 45
Trabalhos múltiplos em um mesmo equipamento .............................................. 46
Medidas para prevenção de risco ...................................................................... 46
Mudança de turno ou equipe de trabalho ........................................................... 47
Bloqueio por terceiros/contratados ..................................................................... 48
Violação de Bloqueios ........................................................................................ 48
Formulário de Emissão do Certificado de Isolamento Elétrico e do Certificado de
Isolamento Elétrico e Certificado de Bloqueio Mecânico .................................... 51
Validade dos Certificados de Isolamento Elétrico (CIE) e Certificado de Bloqueio
Mecânico (CBM)..................................................................................................51
Reenergização Temporária para Testes .............................................................51

4
Preenchimento da Lista de Verificação do Isolamento Elétrico e Bloqueio
Mecânico .............................................................................................................52
Instruções passo a passo do preenchimento do Certificado de Isolamento
Elétrico - CIE .......................................................................................................53
Lista de Verificação a ser preenchida antes da realização do isolamento: .........54
Executor do isolamento (eletricista) ................................................................... 58
Instruções passo a passo do preenchimento do Certificado de Bloqueio
Mecânico - CBM ................................................................................................. 60
Certificado de isolamento elétrico e Certificado de Bloqueio Mecânico – Folha de
Continuação ....................................................................................................... 66
Atividades 04 .......................................................................................................67
Execução de Serviços Elétricos ......................................................................... 69
Classes de tensão de Energia Elétrica ............................................................... 69
Outros Aspectos de Segurança a serem considerados ..................................... 72
Seção – PSE – Permissão de Serviço Elétrico .................................................. 72
Responsabilidades ............................................................................................. 75
Livro De Anotação do Bloqueio e Etiquetagem .................................................. 77
Falhas Na Desenergização ................................................................................ 77
Formulários: ....................................................................................................... 78
Atividades 05 .......................................................................................................83
Conclusão .......................................................................................................... 85
Referências ........................................................................................................ 86

5
6
Introdução

O Certificado de Isolamento e Bloqueio de Energias Perigosas estabelece


os requisitos para realização do isolamento/bloqueio e etiquetagem das fontes
de energia de máquinas, equipamentos e/ou instalações. A correta utilização
deste procedimento é eficaz para evitar que máquinas/equipamentos/instalações
voltem à operação de maneira inadvertida e/ou que ocorra a liberação de
energia armazenada de forma inesperada.

Definição de Serviços Elétricos

Sempre que fala de Bloqueio e Etiquetagem, normalmente há uma


associação meio automática de serviços em eletricidade. Sabemos que o
Bloqueio e Etiquetagem não é uma ferramenta exclusiva da Energia Elétrica,
mas envolve várias energias. Mas devido a este fato, iniciaremos com definição
do conceito de Serviços Elétricos para a atenção ao assunto.

Serviço elétrico é definido como aquele executado nas proximidades de


circuito elétrico energizado onde não é possível instalação de barreira isolante
ou em que equipamentos/circuito elétrico energizado com tensão entre 50 a
1000 volts em corrente alternada ou 120 a 1500 volts em corrente contínua.

Definição de Controle de Energias Perigosas

Deve ser aplicado o Controle de Energias Perigosas em qualquer


equipamento/máquina, e instalações que possuem energia capaz de causar
danos às pessoas, às instalações e ao meio ambiente, podendo liberá-la de
7
maneira não controlada. Sempre que necessário desligar algum equipamento ou
desenergizar uma instalação para a realização de qualquer intervenção, deve
ser realizado bloqueio e etiquetagem.

Energia Elétrica

Serviço elétrico é definido como aquele executado nas proximidades de


circuito elétrico energizado onde não é possível instalação de barreira isolante
ou em que equipamentos/circuito elétrico energizado com tensão entre 50 a
1000 volts em corrente alternada ou 120 a 1500 volts em corrente contínua.

Energia Mecânica

A energia cinética (linear ou rotacional) ou potencial (gravitacional ou


elástica) é cuja liberação possa provocar acidente (lesões, danos materiais, etc).

8
Exemplos: partes em movimento, materiais suspensos, cabos tracionados,
molas comprimidas, etc.

Energia Hidráulica

Líquidos sob pressão cuja liberação possa resultar em acidente (lesões,


acionamento de partes móveis, etc). Exemplos: recipientes e tubulações
contendo líquidos sob pressão, pistões e comandos hidráulicos sob pressão, etc.

Energia Pneumática

Gás ou vapor sob pressão ou instalação sob vácuo cuja liberação possa
resultar em acidentes (explosão, acionamento de partes móveis, implosão, etc).
Exemplos: recipientes e tubulações contendo gases ou vapores (ar, de água,
etc) sob pressão, pistões e comandos pneumáticos sob pressão, instalações sob
vácuo, etc.

Energia Química

Produto ou substância cuja reação química possa causar acidente


(explosão, incêndio, corrosão, contaminação ambiental, queimadura,

9
intoxicação, asfixia, etc). Exemplos: recipientes e tubulações contendo
combustíveis, inflamáveis, ácidos, bases, entre outros; tais como: hidrogênio,
hexano, GLP, óleo diesel, óleo BPF, amônia, nitrogênio, ácido clorídrico, ácido
sulfúrico, soda cáustica, etc.

Energia Térmica

Superfície ou substância aquecida acima de 45 ºC ou resfriada abaixo de


4 ºC cujo contato possa provocar acidente (incêndio, queimadura,
congelamento, etc). Exemplos: instalações de vapor, trocadores de calor,
superfícies aquecidas por atrito, fornalhas, vapor de água, nitrogênio líquido, etc.

Energia Nuclear

Substância radioativa ou equipamento emissor de radioatividade cuja


emissão possa causar acidente (câncer, queimadura, contaminação ambiental,
etc). Exemplos: medidores de espessura, equipamentos de raios-X, etc.

10
Energia Residual ou Potencial

Energia que permanece no sistema após o isolamento da fonte geradora


e tem o potencial para provocar acidentes. Pois continua sendo perigosa.
Deve ser contida e/ou liberada (descarregada). Exemplos: capacitores,
acumuladores, partes em movimento (inércia), partes suspensas, molas
comprimidas, cabos tracionados, líquidos ou superfícies aquecidas, resíduos de
produtos químicos, líquidos ou gases sob pressão, etc.

Energia Zero

Condição do equipamento, instalação ou sistema, onde todas as formas


de energia estão bloqueadas e ou desativadas.

11
12
Atividades 01
Agora que aprendemos sobre as formas de energias, você conseguiria
listas as energias que você lembra?

Energia Elétrica, Energia Mecânica, Energia Hidráulica, Energia

Pneumática, Energia Química, Energia Térmica, Energia Nuclear,

Energia Residual ou Potencial, Energia Neutra.

Em sua opinião, as energias servem para que?

Energia é uma forma de força que realiza trabalho e é ela que

movimentam as máquinas e equipamentos nas indústrias, que nos

faz vive, que transformam em outras energias, etc... .

Conforme estudado, todas as energias são perigosas? Justifique sua


resposta.

Não. Porém, podem se tornar na sua aplicação. Controle de Energias

Perigosas em qualquer equipamento/máquina, e instalações que

possuem energia capaz de causar danos às pessoas, às instalações e

ao meio ambiente, podendo liberá-la de maneira não controlada.

NOTA: Comente suas respostas em forma de arguição, com o Instrutor e seus


colegas. Lembre-se, isto é um meio de aprendizagem, aproveito o conhecimento
de todos.

Promover um processo de arguição com intuito de verificação da

aprendizagem e interação dos discentes e o conteúdo apresentado

Bases acadêmicas:

Aplique o conceito Newtonriano para Energia como forma de

explicar o conceito de Trabalho;

Se necessário, poderá utilizar conceito de Einstein sobre Energia

com relação de criação de matéria em função da velocidade da

luz ao quadrado.

13
Diferença Entre Intervenção / Interventores

Intervenção

Ação de intervir em equipamento, para realização de serviços.

Interventores

Todos os empregados envolvidos nas intervenções.

Fluxograma para implementação de bloqueio e etiquetagem

14
Conceito de Energias Perigosas

Energia cuja magnitude tem o potencial para provocar acidentes (lesões,


doenças, danos às instalações, agressão ambiental, etc.) em decorrência do
contato, aproximação ou liberação acidental. São elas:

15
Energia Potencial (Energia Gravitacional Armazenada)

Indústria

Guindaste içando uma carga, rompimento do cabo de sustentação.

Energia Cinética

Força que provoca o deslocamento de uma massa.

Indústria
Esteiras

Elevadores de canecas

Terno de moenda

Energia Hidráulica e Pneumática

É a energia gerada por um fluido sob pressão.

16
Indústria
Hidro jateamento

Prensa hidráulica

Vaso de pressão (linha de ar comprimido)

Energia Térmica e Residual

É a energia que define a temperatura de algo ou a energia armazenada


em um determinado local mesmo após a interrupção da fonte.

Indústria
Manutenção em linhas de vapor

Torta de filtro

17
Atividades 02
Com novas informações, responda as questões abaixo:
Explique a diferença de Interventores e intervenção

Intervenção é a ação de intervir em equipamento, para realização

de serviços e todos os empregados envolvidos nas intervenções são os

interventores.

Comente suscintamente as energias perigosas.

Energia cuja magnitude tem o potencial para provocar acidentes

como: lesões, doenças, danos às instalações, agressão ambiental,

etc..., em decorrência do contato, aproximação ou liberação

acidental. São elas: Elétrica, mecânica (Cinética, Potencial),

hidráulica, pneumática, química, térmica e nuclear.

Cite exemplos onde estas energias podem estas em locais e condições


que foram abordadas acima.

Energia Potencial na Indústria, Guindaste içando uma carga,

rompimento do cabo de sustentação. Energia Cinética em força que

provoca o deslocamento de uma massa, indústria, esteiras,

elevadores, moenda. Energia Hidráulica e Pneumática sob forma de

um fluido sob pressão nas indústrias, hidro jateamento, prensa

hidráulica, vaso de pressão (linha de ar comprimido). Energia

Térmica e Residual que define a temperatura de algo ou a energia

armazenada em um determinado local mesmo após a interrupção

da fonte encontrada nas indústrias, linhas de vapor, caldeiras, etc.

NOTA: Comente suas respostas em forma de arguição, com o Instrutor e seus


colegas. Lembre-se, isto é um meio de aprendizagem, aproveito o conhecimento
de todos.

Promover um processo de arguição com intuito de verificação da

aprendizagem e interação dos discentes e o conteúdo apresentado

18
Bases acadêmicas e históricas:

Comente sobre a História da Revolução industrial e seus

desenvolvimentos durante as décadas.

Fale sobre os processos de fabricação como: Usinagem, Trefilação,

Extrusão, Metalurgia do Pó, Forjamento, etc... .

Se necessário, poderá utilizar conceito de Mecânica Aplicada,

Resistência dos Materiais, Dinâmica de Máquinas e Vibrações,

Eletricidade Básica, Fenômeno dos transportes, transferência de

Calor e Massa, Termodinâmica e Mecânica dos Fluidos.

19
Programa De Controle De Energias Perigosas (PCEP)

Programa direcionado a prevenir a energização inesperada ou a liberação


de energia armazenada em máquinas, equipamentos e instalações nas quais
serviços de manutenção ou operações estejam sendo realizados pelos
trabalhadores.

Deve considerar normas e práticas que regulamentem e orientem a


realização de trabalhos perigosos.

a) Conscientização (trabalhadores afetados);


b) Capacitação (autorizados);
c) Análise das energias perigosas (equipamento, máquina, instalação);
d) Procedimentos para o controle de energias perigosas;
e) Aquisição dos dispositivos de bloqueio e sinalização;
f) Adequação das instalações para permitir o CEP;
g) Auditorias;
O que é Bloqueio e Etiquetagem?

É o procedimento de bloqueio realizado para controlar ou eliminar todos


os tipos de energias perigosas presentes em máquinas e equipamentos.

O procedimento de Travamento e Etiquetagem, também conhecido como


“Sistema Bloqueio e Etiquetagem”, é fundamental para garantir a segurança
de nossos colaboradores, e pode certamente, salvar vidas. Consiste na
aplicação de dispositivos de bloqueio e de elementos de aviso que atuam de
forma a impedir o reestabelecimento inadvertido da energia e informar sobre o
bloqueio realizado, respectivamente. Abaixo temos exemplos de equipamentos
utilizados na aplicação deste procedimento.

20
Objetivos do PCEP

Preservar pessoas de liberação inesperada de energia quando em


manutenção, reparos ou serviços junto às máquinas, equipamentos ou
componentes do processo.

Garantir o controle de energias perigosas:

a) Serviços de manutenção;

b) Razões operacionais;

c) Condições inseguras (medida temporária);

Atendimento à legislação vigente:

a) NR 10 (Instalações e serviços em eletricidade);

b) NR 12 (Máquinas e equipamentos);

Utilizar o PCEP sempre que for identificada uma fonte de energia perigosa
em máquinas, equipamentos e instalações, quando o operador e/ou o
mantenedor estiverem em trabalhos de:

a) Reparo e Manutenção;
b) Lubrificação;
c) Limpeza;
d) Desobstrução;
e) Ajustes;
f) Substituição de instrumentos;
g) Substituição de ferramentas.

21
Utilizar o Bloqueio e Sinalização sempre que o trabalhador:

a) Remover ou ignorar proteções das máquinas ou outros dispositivos de


segurança;

b) Colocar qualquer parte de seu corpo dentro ou próximo do ponto de


operação de uma máquina;

c) Colocar qualquer parte de seu corpo em uma zona de perigo associada


com operações das ou nas máquinas.

Não deve ser utilizado o Bloqueio e Sinalização sempre que:

a) Energia elétrica é única forma de energia perigosa;

b) A energia é controlada totalmente pela desconexão da tomada;

c) O plugue está sobre o controle exclusivo do trabalhador que executa o


reparo, manutenção ou operação.

Exceção para:

a) Quando forem utilizadas ferramentas manuais portáteis;

b) Quando as máquinas e equipamentos forem conectados por cabos e


plugues;

c) Quando em trabalhos de bancada;

d) Quando ocorrem atividades rotineiras, repetitivas, mas essenciais para


a produção, como pequenas trocas de instrumentos e ferramentas, que ocorram
durante as operações normais de produção (ex: manutenção de 1º nível).

22
Trabalhador Afetado

Aquele que realiza trabalhos numa área onde o controle de energias está
aplicado, cuja segurança pode ser afetada por este controle, porém não é o
responsável pela sua implementação. Treinado para:

a) Reconhecer o controle implantado;


b) Entender sua importância;
c) Não tentar partir ou operar;
d) Estar ciente das consequências de desrespeitar o controle.

Dispositivos

Os dispositivos existentes de proteção são:

a) de isolamento:

Dispositivo mecânico capaz de prevenir fisicamente a transmissão ou a


liberação de energia. Exemplos: disjuntores, chaves seccionadoras, válvulas,
registros, plugues, flanges cegos ("raquetes"), etc.

23
b) de bloqueio:

Dispositivo que use um meio seguro para manter o dispositivo de


isolamento de energia numa posição segura, prevenindo a energização ou a
liberação de energia. Exemplos: bloqueadores, multibloqueadores, caixas de
bloqueio ("Caixa de bloqueio"), chaves, cadeados, etc.

c) multibloqueador:

Dispositivo que permite o bloqueio simultâneo por mais de um trabalhador


autorizado, sobre um mesmo dispositivo de isolamento.

d) de sinalização:

Etiqueta de bloqueio a ser instalada juntamente com cada dispositivo de


bloqueio, para identificar a aplicação do controle de energias e o trabalhador
autorizado que o instalou.

e) bloqueio e sinalização:

Aplicação do dispositivo e da etiqueta de bloqueio sobre um dispositivo de


isolamento de energia, conforme procedimento estabelecido, para garantir que o
dispositivo de isolamento de energia não será operado até a remoção do
dispositivo de bloqueio.

24
Procedimentos Para Implantar o PCEP

Os procedimentos aplicados para a implantação do PCEP são:

a) Elaborar, aprovar e disponibilizar um procedimento-mestre que


regulamentará o Controle de Energias Perigosas na empresa;

b) Definir metodologia e material para treinamento;

c) Treinamento de capacitação dos funcionários bloqueadores


(autorizados);

d) Providenciar levantamento de cada equipamento analisando todas as


energias perigosas envolvidas no funcionamento daquela máquina.

Liberação de Energia Residual

Para garantir a inexistência de energia residual, é fundamental checar os


respectivos itens:

• Verificar se as peças, como eixos, rodas e semelhantes, estão


devidamente bloqueadas, impedindo movimentos acidentais;
• Despressurizar tubulações, mangueiras e equipamentos;
• Efetuar aterramento elétrico;
• Verificar presença de fontes capacitivas;
• Anular, cortar ou restringir a presença de qualquer energia residual
(armazenadas ou remanescentes);
• Outros conforme avaliação do local/equipamento.

25
Análise De Energias

a) Estudo realizado sobre cada máquina, equipamento ou instalação, para


permitir a identificação de todas as possíveis fontes de energia a serem
controladas, bem como suas magnitudes.

b) Deve ser realizado por uma ou mais pessoas com conhecimentos


específicos daquele equipamento.

c) Na fase da análise das energias perigosas, identificar e solicitar:

1. Adequações em válvulas, seccionadoras, disjuntores, etc.

2. Identificação e sinalização de máquinas, equipamentos e instalações


(dispositivos de isolamento, motores, bombas, tanques, tubulações, circuitos
elétricos, quadros elétricos, transformadores, linhas de ar comprimido e vapor,
botoeiras, etc.)

3. Estabelecer responsáveis pela revisão e aprovação dos procedimentos


descritos para cada máquina, equipamento e/ou instalação (disponibilizar os já
aprovados).

Procedimento Por Máquina

a) Documento que contém as informações necessárias ao trabalhador


“bloqueador” para assegurar o controle das energias perigosas (passo a passo).

b) Procedimentos devem ser descritos com base nas análises de energias


específicas por máquina, equipamento ou instalação. Devem ser completos e “à
prova de dúvidas”.

26
Recomendações Básicas Do Programa PCEP

Conforme preconiza a norma OSHA 29 CFR 1910-147:

- Definições e termos claramente definidos;


- Procedimentos detalhados que descreve a sequência lógica das
etapas necessárias para estabelecer e remover, sob condições normais e de
emergência, bloqueio e etiqueta;
- Atribuição clara dos serviços e responsabilidades para controle e
permissão de bloqueio e etiqueta;
- Treinamento e retreinamento extensivo em procedimentos de
bloqueio/etiqueta, em padrões e em processo;
- Tempo necessário para ser gasto na execução de exercícios
práticos, de modo que os operadores e mecânicos podem resolver qualquer
problema ou questão, que deveria ser adequado para o conhecimento e
habilidade a serem adquiridos;
- Ação disciplinar contra infratores de procedimentos de
bloqueio/travamento e etiqueta/sinalização, incluindo processo de término de
repetição de infratores.

27
Recomendações Práticas Do Programa PCEP

Outras recomendações da norma OSHA 29 CFR 1910-147:


- Permitir somente pessoal qualificado; em todo o sistema, na
interface, no conhecimento da instalação, treinamento de bloqueio e etiqueta
para sua instalação e remoção;
- Providenciar instruções sobre uso de planos elaborados ou outra
documentação corrente na preparação de bloqueio e etiqueta. As etapas a
serem tomadas, nos casos desses materiais que não estão disponíveis, também
devem ser providenciadas;
- Garantir que os colaboradores estão cientes das áreas de
limitações, para que estes possam se certificar destas delimitações e na
existência de riscos de “energia zero”, que os trabalhadores permaneçam com
essas delimitações durante a execução do serviço;
- Verificar o sistema de procedimento antes de iniciar a tarefa.
Por exemplo, quando da execução da manutenção elétrica, o eletricista é
o responsável pela própria segurança, verificando os componentes e/ou circuitos
fechados, na proximidade da área energizada, usando dispositivos de teste
adequado antes de iniciar o trabalho;
- Treinamento geral de empregado deve enfatizar que é a
responsabilidade de cada indivíduo, para assegurar que essas ações e as outras
ações não transgridam a política de procedimentos de bloqueio e etiqueta. Isso
não pode prevenir eventuais erros, mas é significativo na eliminação ou redução
das consequências que ocorreriam na infração de bloqueio e etiqueta;
- Periodicamente efetuar a auditoria em bloqueio/travamento e
etiqueta/sinalização, verificar se eles ainda são requeridos e que os
componentes estão bloqueados e etiquetadas na posição correta;

28
- Ação disciplinar enérgica para quando ocorrer uma infração de
bloqueio e etiqueta. Quando empreiteiras ou prestadoras de serviços estão
executando serviços cobertos pelo programa de bloqueio e etiqueta, os
supervisores da instalação devem discutir os requisitos de proteção com as
empresas e eliminar qualquer diferença na interpretação e aplicação dos
procedimentos;

- Todas as medidas de proteção de bloqueio e etiqueta devem ser


aplicadas de acordo com os procedimentos da instalação. O gerente da
instalação deve garantir que esses procedimentos estão compreendidos e
seguidos pelas empreiteiras. A empresa deve incluir no contrato de serviço, uma
cláusula de exigência do uso do programa de bloqueio e etiqueta.

29
Dispositivos de Isolamento/Bloqueio de Energias Perigosas

Remoção de Fusíveis

O isolamento através da remoção de fusíveis poderá ser necessário


quando a alavanca de acionamento não puder ser travada na posição desligada.
Essa operação não é encorajada, pois o trabalho em barramentos pode
significar uma exposição a risco maior do que quando os fusíveis são mantidos
em seu lugar. Para a remoção de fusíveis, por vezes poderá ser requerido
isolamento prévio em outro ponto, ou o uso de ferramentas especiais. Sempre
todas as precauções possíveis deverão ser tomadas.
Se o desligamento for feito pela remoção de fusíveis, os mesmos
deverão ser guardados na caixa de bloqueio múltiplo e identificados quanto a
sua origem, até o momento da reenergização.

Etiqueta de Identificação

As etiquetas de identificação são utilizadas para identificar quem realizou


o isolamento/bloqueio e quem são os executores envolvidos no serviço. Devem
ser de uso individual.

Deverão ser padronizadas cores por setor. A definição das cores deverá
seguir a padronização abaixo.

30
Padronização de cores para Etiquetas e Cadeados

Setor Cor
Operação Vermelho
Elétrica e Instrumentação Verde
Mecânica Amarelo
Caldeiraria Azul
Liderança Preto
Prestadores de Serviço Vermelho

31
Cadeado de bloqueio

Os cadeados deverão ser utilizados para manter bloqueada e


interrompida as entradas de energia. Deve ser diferentes dos demais cadeados
usados na empresa, possuir numeração fixa e são de cores diferentes dos
demais usados na empresa, conforme padronização de cores do cartão de
identificação, de modo a não serem confundidos ou usados para outros fins, os
cadeados devem possuir segredos diferentes, de forma que, apenas a chave
especifica de cada cadeado possa abri-lo.

Sua finalidade é manter travada e interrompida as entradas de energia,


são acoplados a outros dispositivos se necessário.

Cadeado Verde

Etiqueta Individual e cadeado Verde correspondem a equipe da Elétrica e


Instrumentação.

32
Cadeado Vermelho

Etiqueta Individual e cadeado Vermelho correspondem a equipe da


Operação.

Cadeado Amarelo
Etiqueta Individual e cadeado Amarelo correspondem a equipe da
Mecânica.

Cadeado Azul

Etiqueta Individual e cadeado Azul correspondem a equipe da Caldeiraria.

33
Cadeado Preto

O gestor é responsável pelo bloqueio do equipamento, bem como pela


garantia da emissão da documentação pertinente por pessoal devidamente
qualificado.
Etiqueta Individual e cadeado Preto correspondem ao Gestor da área.

Cadeados Extras

Estes estarão sob responsabilidade do supervisor da área e somente será


liberado com a seguinte situação: Tenha mais de um local de bloqueio no
equipamento.

Atenção!

• Só pode haver uma chave para cada cadeado


• É proibido emprestar a chave do cadeado para outra pessoa

34
Caixa de bloqueio

Realizar bloqueio e instalar cartão de bloqueio no dispositivo para evitar


que o fluxo de energia seja restaurado, depositar as chaves dos bloqueios no
interior da caixa de bloqueio múltiplo em seguida o Responsável pelo serviço
(Emissor) atribui o seu cadeado e cartão de identificação na caixa de bloqueio
múltiplo
Obs.: Todos os executores atribuem os seus cadeados e cartões de
identificação na caixa de bloqueio múltiplo
Múltiplos Serviços: Quando for necessário bloquear e etiquetar um
dispositivo no qual várias equipes irão trabalhar, deverá ser usado um dispositivo
de bloqueio múltiplo, como um multibloqueador, sendo que cada responsável por
sua equipe/serviço coloque seu cadeado, seu cartão de bloqueio e sua etiqueta
de identificação no dispositivo de bloqueio múltiplo. O bloqueio e etiquetagem
deverão ter tantas travas, cartões e etiquetas quantas forem as equipes que
estejam executando o serviço no equipamento que será isolado.

O responsável pela área deve viabilizar o isolamento/bloqueio, sendo o


responsável pelo mesmo, colocando a sua etiqueta de identificação e um
cadeado na caixa de múltiplo bloqueio. Cada membro da equipe do prestador de
serviço deve receber um cadeado e uma etiqueta de identificação a ser utilizado
na caixa de múltiplo bloqueio. Ao término do serviço o isolamento/bloqueio deve
ser retirado conforme fluxo de retirada do bloqueio, devendo o cadeado e a
etiqueta de cada prestador ser devolvidos ao responsável pela área.
As chaves dos cadeados utilizados para travar os dispositivos de
bloqueio devem ser depositadas no interior da caixa de bloqueio múltiplo,
devendo o responsável pelo serviço colocar a sua etiqueta de identificação junto
a um novo cadeado na caixa de bloqueio, de forma a impossibilitar o acesso à

35
chave depositada na caixa. A chave deste novo cadeado deve permanecer em
posse do responsável pelo serviço.
Cada executor deve aplicar um cadeado e sua etiqueta de identificação
na caixa de bloqueio múltiplo, permanecendo com a chave até que finalize sua
etapa no serviço.
É permitido que a chave da caixa de bloqueio múltiplo seja guardada em
um claviculário central de controle da liderança, porém deve ser garantido que o
acesso ao claviculário seja restrito a liderança e que não ocorrerá o risco de
abertura de janelas no bloqueio.
DIE (Dispositivo de Isolamento de Energia) é um dispositivo mecânico
criado para interrupção ou alívio de algum tipo energia. O DIE, sozinho, não
representa o bloqueio de energia.

Um dispositivo que fisicamente previne a transmissão ou fuga da energia


por exemplo: chaves elétricas, disjuntores, fusíveis, válvulas, dentre outros,
podendo ser bloqueado através de dispositivo de bloqueio ou mesmo no seu
projeto prever bloqueio através de cadeado.

36
Dispositivos de controle

Dispositivos que possibilitam controlar o fluxo de energia, como válvulas,


chaves e disjuntores.

Dispositivo De Multibloqueio

É utilizada quando mais de um interventor estiver fazendo atividade no


equipamento, assim será possível colocar os cadeados de todos e suas
respectivas identificações.

Outros Exemplos De Dispositivos De Bloqueio

37
Travamento com utilização de dispositivos diversos

Para realização do isolamento/bloqueio deve bloquear o fluxo de energia


através dos dispositivos de controle, como válvulas e chaves liga/desliga, e
impedir o seu manuseio através de dispositivos de bloqueio, os quais devem
impedir que o fluxo de energia possa ser reestabelecido inadvertidamente.

Os dispositivos de bloqueio devem receber cadeados de forma que não


possam ser retirados sem a autorização do responsável pelo serviço, assim
como cartão de bloqueio, que identifiquem o executor do bloqueio, que alertam
sobre a inoperância do equipamento.

Cartão de Bloqueio

Cartão de Bloqueio: O cartão de bloqueio deverá ser preenchido


criteriosamente pelo emissor do Certificado de Isolamento e Bloqueio de
Energias Perigosas em conjunto com o executante do bloqueio e instalado no
dispositivo de bloqueio.
Cartões de bloqueio deverão ser utilizados para indicar que um
equipamento foi isolado/bloqueado. Deverá indicar claramente a que serviço se
refere, de acordo com o este procedimento.

Os cartões deverão ser colocados junto aos dispositivos de bloqueio


utilizados para travamento.

Os cartões de bloqueio são essencialmente elementos de aviso.


Portanto, não promovem restrição física a manipulação dos dispositivos de

38
controle. Devem ser preenchidos pelo responsável pelo isolamento/bloqueio e
fixados junto aos dispositivos de bloqueio.

Assim como para os dispositivos de bloqueio, os cartões não podem


jamais ser removidos sem autorização da pessoa que o fixou. O padrão
estabelecido para o cartão encontra-se no ANEXO I.

É colocado nas caixas de segurança “Caixa de Segurança” com


informação do responsável pelo bloqueio, informando o bloqueio da atividade,
cada participante da atividade terá sua identificação individual em seu cadeado.

39
Atividades 03
Lembra?
Programa De Controle De Energias Perigosas (PCEP), o que aprendemos
sobre este assunto?
Programa direcionado a prevenir a energização inesperada ou a

liberação de energia armazenada em máquinas, equipamentos e

instalações nas quais serviços de manutenção ou operações estejam

sendo realizados pelos trabalhadores. Considerar: Conscientização;

Capacitação; Análise das energias perigosas; Procedimentos para o

controle de energias perigosas; Aquisição dos dispositivos de bloqueio

e sinalização; Adequação das instalações para permitir o CEP; e

Auditorias;

O que é Bloqueio e Etiquetagem?

É o procedimento de bloqueio realizado para controlar ou eliminar

todos os tipos de energias perigosas presentes em máquinas e

equipamentos.

Quais os objetivos do PCEP

Preservar pessoas de liberação inesperada de energia quando em

manutenção, reparos ou serviços junto às máquinas, equipamentos

ou componentes do processo.

Cite os procedimentos para implantar o PCEP

Elaborar, aprovar e disponibilizar um procedimento-mestre que


regulamentará o Controle de Energias Perigosas na empresa;

Definir metodologia e material para treinamento;

Treinamento de capacitação dos funcionários bloqueadores


(autorizados);

Providenciar levantamento de cada equipamento analisando todas


as energias perigosas envolvidas no funcionamento daquela
máquina.

40
Quais as Recomendações Práticas Do Programa PCEP?

Permitir somente pessoal qualificado; Providenciar instruções sobre


uso de planos elaborados ou outra documentação corrente na
preparação de bloqueio e etiqueta; Garantir que os colaboradores
estão cientes das áreas de limitações; Verificar o sistema de
procedimento antes de iniciar a tarefa; Treinamento geral de
empregado deve enfatizar que é a responsabilidade de cada
indivíduo; Periodicamente efetuar a auditoria em
bloqueio/travamento e etiqueta/sinalização; Ação disciplinar
enérgica para quando ocorrer uma infração de bloqueio e etiqueta;
Todas as medidas de proteção de bloqueio e etiqueta devem ser
aplicadas de acordo com os procedimentos da instalação.

NOTA: Comente suas respostas em forma de arguição, com o Instrutor e seus


colegas. Lembre-se, isto é um meio de aprendizagem, aproveito o conhecimento
de todos.

Promover um processo de arguição com intuito de verificação da

aprendizagem e interação dos discentes e o conteúdo apresentado

Bases de Processo de Fabricação:

Comente sobre o Manual de Permissão de Serviço (MPS) e a seção 06;

Demonstre equipamentos referentes ao sistema de Bloqueio e

Etiquetagem.

Se necessário, de exemplo de ponto de energias perigosas

relacionadas a determinado serviço. Dê exemplo de uso bem

sucedidos e de quase acidentes e acidentes.

41
Etapas Para Travamento e Etiquetagem

1º Passo: O processo de travamento e etiquetagem se inicia com a


necessidade de intervenção em equipamentos/ máquinas / instalações.

2º Passo: É preciso identificar todas as energias envolvidas (tipos, fontes


e perigos) e os dispositivos de controle existentes (botoeiras, chaves, válvulas,
etc.), ou seja, quais são os riscos e as medidas de controle necessárias para
mitigação.

Isolamentos elétricos devem ser realizados por eletricistas ou


instrumentistas. Já os bloqueios mecânicos devem ser realizados pela equipe
que realizará o serviço.

3º Passo: Coleta dos equipamentos necessários para realização do


bloqueio / isolamento junto a estação de travamento.

4º Passo: A comunicação da intenção de bloqueio deverá ser feita antes


da realização do mesmo, de forma assertiva, com todos que possam ser
afetados, direta ou indiretamente, pelo bloqueio.

5º Passo: Deverá ser emitido, por pessoa devidamente treinada, todos os


documentos necessários para a realização do bloqueio/isolamento.

Para os bloqueios mecânicos deve-se preencher o Certificado de


Bloqueio Mecânico (CBM) e para os isolamentos elétricos deve-se preencher o
Certificado de Isolamento Elétrico (CIE).

As listas de verificação dos certificados devem ser preenchidas antes do


início do bloqueio/isolamento.
42
6º Passo: Os equipamentos devem ser desligados através de todos os
dispositivos normais de controle existentes (botão de parada, chave liga/desliga,
válvula, etc.).

7º Passo: Isole todas as fontes de energia do equipamento. Na maioria


dos casos existem várias dessas fontes. Para tanto, poderá ser necessário
desconectar cabos de força, desligar chaves gerais, retirar fusíveis, fechar
válvulas mestras, flangear, tubulações, etc.

Nos locais em que for possível realizar duplo bloqueio, ou seja, existirem
dois dispositivos de controle próximos para controle deste fluxo de energia, a
aplicação do dispositivo de bloqueio é obrigatória em ambos os dispositivos de
controle

8º Passo: Mesmo após desligado e bloqueado, um equipamento ou


instalação pode ainda apresentar energia armazenada (eletricidade estática,
partes aquecidas, pressão residual em tubulações, etc.).

Essa energia deve ser dissipada através de procedimentos como


aterramento, bloqueio de partes móveis, drenagem e purga de tubulações,
resfriamento de partes aquecidas, etc.

9º Passo: Deve-se proceder com o bloqueio e etiquetagem da fonte de


energia. Cada dispositivo de controle deve receber um dispositivo de bloqueio. O
uso desses dispositivos garante a impossibilidade de manuseio dos dispositivos
de controle garantindo a segurança dos colaboradores trabalhando nos
equipamentos/ máquinas/ instalações.

10º Passo: Necessário testar o equipamento para assegurar-se de que


ele não pode ser energizado. Durante o teste, certifique-se que ninguém está em
contato com o equipamento.

Se necessário, utilize instrumentos de medição.

11º Passo: Finalmente os certificados devem ter seus preenchimentos


concluídos.

Pode-se garantir que temos um estado de “energia zero”, e há total


segurança para realização dos serviços necessários junto ao equipamento.

43
Resumidamente Bloqueio e Etiquetagem em 3 Etapas Simples

Desenergizar (D)

Bloquear (B)

Testar (T)

Desenergizar (D)

• Conhecer o serviço que será executado;


• Identificar todas as fontes de energia envolvidas;
• Desenergizar todas as fontes.
Bloquear (B)

• Todos os funcionários envolvidos no Bloqueio devem colocar seus


cadeados (vermelhos);
• O líder da área será o responsável pela atividade realizando o
bloqueio com cadeado amarelo;
• Use suas etiquetas de identificação.
Testar (T)

• Realizar o teste de energia zero (tentativa de ligar a máquina)


• Verifique durante o trabalho se os bloqueios estão operacionais

44
Impossibilidade de aplicação de Bloqueio

Eventualmente pode-se encontrar uma situação onde é necessário


manter um equipamento sem energia, mas, devido a restrições técnicas, não
seja possível a aplicação de dispositivos de bloqueio. Nesses casos, deve-se:

• Comunicar a Segurança do Trabalho, para que possam buscar


alternativa no mercado para bloqueio especial;
• Aplicar uma etiqueta de identificação e cartão de bloqueio no
mesmo local onde será aplicado o bloqueio;

Bloqueio Múltiplo

Quando o serviço for realizado por mais de uma pessoa, deve-se utilizar
a caixa de bloqueio múltiplo para que todos os executores possam atribuir seus
cadeados a caixa, na qual estará armazenada a chave do cadeado utilizado no
dispositivo de bloqueio.

Observações:

- O responsável pelo serviço também deve aplicar o seu cadeado a caixa


de treinamento de forma que o desbloqueio só possa ser realizado com
sua autorização.

45
Trabalhos múltiplos em um mesmo equipamento

Quando mais de uma equipe necessitar realizar uma atividade em um


equipamento na qual seja necessário o bloqueio, cada responsável pelo serviço
de cada equipe deve atribuir um cadeado ao dispositivo de bloqueio e guardar a
chave em sua caixa de bloqueio múltiplo. Caso o dispositivo de bloqueio não
possibilite a implementação de mais de um cadeado, deve-se utilizar um
multibloqueador.

Medidas para prevenção de risco

As medidas de prevenção de risco no Controle de Energias Perigosas


deverão ser definidas com critérios claros e objetivos, com base em uma análise
detalhada do cenário, objetivando compreender quais são as energias existentes
no local e todas as interfaces (tubulações, tanques adjacentes, cabos, etc) e
potencial de energia residual.
Serviços em Equipamentos Energizados em Baixa-Tensão
A realização de serviços em circuitos energizados somente deve ser
efetuada se a desenergização for impraticável. Nesse caso, devem ser seguidos
procedimentos de segurança específicos, dentre os quais listamos:
Utilização de Equipamentos de Proteção Individual adequados, tais
como:
Luvas de proteção aprovadas deverão ser utilizadas
As vestimentas de trabalho deverão ser adequadas às atividades,
devendo contemplar condutividade e inflamabilidade de acordo com previsto na

46
NR-10 do Ministério do Trabalho de acordo com a tensão e as correntes
elétricas envolvidas;
Utilização de equipamentos / ferramentas com isolamento apropriado;
Desenvolvimento de AST detalhando todas as precauções a serem
consideradas para execução do serviço;

Mudança de turno ou equipe de trabalho

Durante mudanças de turno, os equipamentos que precisam ser mantidos


sem energia não devem ficar desbloqueados.

1) O funcionário do turno que está encerrando suas atividades deverá


retirar sua etiqueta e manter o equipamento bloqueado.
2) Entregar a chave do cadeado ao colaborador do turno seguinte,
orientando-o para que coloque a sua etiqueta no ponto de bloqueio.
3) O mesmo vale quando há mudança de equipe de trabalho em um
determinado serviço.
O processo deve ser realizado na presença da nova equipe, de forma que
assim que retirada a etiqueta, o próximo funcionário implemente a sua. Os
responsáveis pelo serviço também deverão trocar etiquetas, caso aplicável.

47
Bloqueio por terceiros/contratados

Para os serviços realizados por empresas contratadas nos quais o


bloqueio seja necessário, o responsável pela área deve possibilitar a
implementação do bloqueio, sendo os contratados responsáveis apenas pela
solicitação do bloqueio e pela implementação de seus cadeados e etiquetas na
caixa de bloqueio múltiplo.

O responsável pela área também deve implementar um cadeado e sua


etiqueta na caixa de bloqueio múltiplo. Sendo o último a retirar o cadeado após a
execução do serviço. Abaixo temos o modelo da etiqueta de identificação de
prestadores de serviço.

Violação de Bloqueios

A violação autorizada de bloqueios pode ocorrer quando o desbloqueio é


necessário, mas um dos cadeados não pode ser retirado. Como exemplo temos:

- Colaborador perde a chave do cadeado.


- Colaborador leva a chave pra casa.
A violação de bloqueio deve acontecer quando extremamente necessário,
sendo necessária aprovação formal através do formulário “Autorização para
violação de bloqueio” pelo gerente ou pessoa por ele designada.

Sempre que possível o responsável pelo bloqueio deve ser localizado e


solicitado a liberar o equipamento.

A autorização para violação de bloqueio deve seguir o fluxo abaixo:

48
1°Colaborador necessita liberar o equipamento para operação e o
responsável pelo bloqueio está ausente;

2°Supervisor faz contato com o responsável pelo bloqueio (sendo


possível o mesmo deve vir até a empresa e liberar o equipamento, não sendo
possível o fluxo continua);

3°Supervisor preenche a autorização de violação de bloqueio e solicita


aprovação com assinatura do gerente;

4°O colaborador vai até o equipamento e libera o mesmo para operação;

5°Colaborador devolve a autorização de bloqueio.

49
AUTORIZAÇÃO PARA VIOLAÇÃO DE BLOQUEIO

NOME: CS:

FUNÇÃO: SETOR: TURNO:

DADOS SOBRE O BLOQUEIO A SER VIOLADO


NÚMERO DO CADEADO: Nº CBM E CIE: EQUIPAMENTO BLOQUEADO:

MOTIVO DA VIOLAÇÃO:

CHECK-LIST DE SEGURANÇA

Colaborador responsável pelo bloqueio foi localizado e comunicado? 1 Sim 1 Não

Existe algum colaborador em contato com o equipamento a ser


1 Sim 1 Não
desbloqueado?

O equipamento está seguro para voltar a operar? 1 Sim 1 Não

A área foi inspecionada para garantir o restabelecimento seguro de


1 Sim 1 Não
energia?
Os funcionários envolvidos foram comunicados que o equipamento
1 Sim 1 Não
será desbloqueado?
AÇÕES REQUERIDAS:

APROVAÇÃO: SOMENTE GERENTE OU POR ELE DELEGADO

NOME: CS:

DATA: HORÁRIO: ASSINATURA:

ANEXO III – FÓRMULARIO DE AUTORIZAÇÃO DE VIOLAÇÃO DE BLOQUEIO

50
Formulário de Emissão do Certificado de Isolamento Elétrico e do
Certificado de Isolamento Elétrico e Certificado de Bloqueio Mecânico

Validade dos Certificados de Isolamento Elétrico (CIE) e Certificado de


Bloqueio Mecânico (CBM)

O CIE e CBM são validos até o momento em que for requisitada


formalmente a reenergização do equipamento/circuito elétrico ou for verificado
que o mesmo não se encontra eficaz. A reenergização temporária do
equipamento/circuito elétrico é permitida apenas para efeito de testes, com
preenchimento da parte correspondente para tal no corpo do formulário do
Certificado.

Reenergização Temporária para Testes

Podem existir situações que requeiram um teste em


equipamento/circuito elétrico antes que uma Permissão de Serviço possa ser
dada como concluída (ex.: vazamento no selo ou gaxeta de uma bomba após
sua substituição). A reenergização temporária é permitida para estas situações.
Requisições para este tipo de providência devem ser registradas na devida parte
do Certificado e autorizadas pelo Emissor, que deve assegurar a realização de
interface com todos os afetados pelo isolamento elétrico em questão, indicando
a reenergização temporária. Antes da aprovação da reenergização o emissor
deve certificar-se de que todas as Permissões de Serviço associadas a este
certificado de isolamento elétrico foram suspensas e que a reenergização pode
ser realizada de forma segura.

51
Importante ser lembrado que, além da comunicação para retirada do
travamento, para a reenergização temporária, o aterramento temporário também
deverá ser retirado.

Preenchimento da Lista de Verificação do Isolamento Elétrico e Bloqueio


Mecânico

Todos os registros, exceto assinaturas, devem ser perfeitamente


legíveis, devendo o preenchimento ser realizado a mão, com o uso de caneta
esferográfica e em conjunto pelo Executante e pelo Emissor.
Se não houver espaço suficiente no corpo do Certificado para o
detalhamento necessário para o completo entendimento de sua extensão, folha
em separado deverá ser preenchida e anexada ao Certificado.
Se a resposta para qualquer item do Certificado de Isolamento Elétrico e
Certificado do Bloqueio Mecânico for “Não”, o isolamento/bloqueio não poderá
ser autorizado.

52
Instruções passo a passo do preenchimento do Certificado de Isolamento
Elétrico - CIE

Unidade: Indicar a unidade.


Empresa: Indicar o nome da empresa responsável pela execução do
isolamento (nome da empreiteira ou da Cia., se empregado próprio).
CIE n°: Deve ser numerado de acordo com as instruções contidas no
Seção 01.
Setor: Indicar o setor onde o serviço está sendo realizado.
Local: Especificar a local realização da atividade (ex. Caldeira 2,
moenda A)
Data/hora: Data e hora de abertura da permissão de serviço.
Descrição / Localização do equipamento / circuito elétrico:
Necessário descrever em qual local o equipamento/circuito elétrico a ser
isolado/bloqueado está localizado. Se necessário, um Layout mostrando a
localização exata, deve ser anexado ao Certificado. Numeração dos
equipamentos deve ser usada para identificar a área afetada pelo trabalho
pretendido.
Assinalar o tipo de instalação/equipamento a ser isolado
Isolamento em baixa-tensão <1000V
Isolamento em alta-tensão > 1000V
As tensões apresentadas no formulário correspondem a “ca” - corrente
alternada. Necessário apenas assinalar se o isolamento será em baixa ou alta
tensão.

53
Lista de Verificação a ser preenchida antes da realização do isolamento:

Todos os envolvidos na execução de isolamento elétrico, teste de tensão


e realização de aterramento temporário no equipamento/circuito mencionado
estão preparados e qualificados para trabalhar de maneira segura (envolvidos
estão na listagem de pessoas autorizadas no caso de necessidade de acesso à
casa de força e/ou subestação)?

Todas as pessoas envolvidas devem conhecer os procedimentos de


segurança relativos a trabalhos em equipamentos/instalações elétricas e em
suas proximidades. Os trabalhadores devem compreender todos os detalhes do
trabalho a ser executado. Todo pessoal que irá trabalhar em
equipamentos/circuitos elétricos ou em suas proximidades deve estar
formalmente autorizado a realizar este tipo trabalho de acordo com o previsto na
NR 10 e possuir autorização formal da empresa para qual presta serviço.

Todos os equipamentos / ferramentas / EPC’S / EPI’S estão disponíveis


e adequados de acordo com o grau de risco (tensão x corrente)

De acordo com o serviço a ser executado e as características dos


equipamentos / circuitos há exigências específicas de EPI requerido. Trajes
especiais resistentes a fogo sobre o uniforme normal podem ser exigidos, assim
como luvas de acordo com a tensão envolvida, entre outros. Estes
equipamentos, ferramentas, EPIs e/ou EPCs devem estar disponíveis para
realização do serviço.

54
Todos os envolvidos estão cientes da necessidade de retirar todo
material / objeto condutor? (Ex. anéis, cordões, pulseiras, etc.)

Objetos/adornos pessoais aumentam o risco de acidentes e são


proibidos de serem usados durante o expediente de trabalho.

Uma pessoa está de prontidão para acionamento da emergência?

É obrigatório ter uma segunda pessoa de prontidão para realização de


isolamento com tensão superior a 500 VAC.

Todo pessoal autorizado recebeu o treinamento obrigatório constante da


NR 10 e reciclagem quando aplicável?

Conforme estabelecido pela Norma Regulamentadora n° 10, o executor


que realizar intervenção em instalações elétricas com tensão superior a 50 Volts
em corrente alternada ou superior a 120 Volts em corrente contínua deve
receber treinamento específico. Curso complementar deve ser realizado para os
executores que intervenham em instalações elétricas energizadas com alta
tensão, ou seja, superior a 1000 Volts em corrente alternada e 1500 Volts em
corrente contínua. Ambos os treinamentos estão contemplados pela Matriz de
Treinamentos.

55
As ferramentas e equipamentos elétricos e mecânicos possuem
isolamento e aterramento adequado para trabalho em sistemas elétricos?

Apenas ferramentas devidamente isoladas devem ser usadas. O


isolamento deve ter resistência a danos mecânicos. As ferramentas devem ser
inspecionadas frequentemente por pessoal competente. Os instrumentos de
teste devem possuir ponteiras isoladas e fusíveis. Se o isolamento protetor de
qualquer ferramenta ou outra parte do instrumento de teste for danificado, há
risco real de danos físicos. O equipamento danificado deve ser retirado do
serviço e, se irrecuperável, destruído.

Outro fator a ser considerado é que ferramentas e equipamentos de


testes não devem ser considerados como totalmente confiáveis e responsáveis
pela proteção contrachoques. As ferramentas / equipamentos devidamente
isolados e a correta utilização de EPIs apropriados, associados ao cumprimento
dos procedimentos adequados é que garantem a proteção do trabalhador
contrachoque elétrico.

Prevista a proteção de elementos energizados e passíveis de


energização dentro da zona risco / controlada?
Os elementos energizados e passíveis de energização dentro da zona
de risco/ controlada devem possuir proteções de forma que o contato não
intencional seja evitado. As proteções também devem evitar a ocorrência de
arcos elétricos.

56
Estabelecido os pontos de instalação do sistema de aterramento
temporário e seccionamento da instalação
Necessário estabelecer os locais de instalação do sistema de
aterramento e de seccionamento de equipamentos/circuitos elétricos antes do
início do isolamento. Caso não seja possível aplicar o aterramento temporário
em baixa tensão, deve-se assinalar como não aplicável e proceder com o
procedimento de travamento e etiquetagem, justificando o porquê o aterramento
temporário não pode ser realizado no local adequado.
Executor do isolamento (eletricista)/Ass./Data/Hora
Emissor do isolamento (eletricista)/Ass./Data/Hora
Essas assinaturas são necessárias para confirmação das respostas das
perguntas realizadas na lista de verificação, objetivando analisar se as
condições de segurança estão adequadas para execução do isolamento.
Após realizado o isolamento descrever / relacionar o serviço efetuado

Método de isolamento:

Detalhes completos do método de isolamento (ex.: chave travada,


desconexão de equipamento), dependendo da classe de tensão, e quaisquer
detalhes relevantes de localização devem ser registrados, uma vez que, a
reenergização poderá ser feita por outra pessoa.

Método de bloqueio na posição desligada:


Deverão ser informados/registrados os detalhes completos do método
de travamento. Todos os pontos de isolamento devem ser travados abertos
(posição "desligado").
Nº dos cadeados utilizados para bloqueio do equipamento:
57
Descrever a identificação dos cadeados utilizados, se aplicável
Cadeado do solicitante do isolamento aplicada na caixa de bloqueio
múltiplo? Número:
Quando necessário a utilização de cadeado de bloqueio múltiplo, o
solicitando do isolamento (emissor), deverá aplicar seu cadeado na caixa e
garantir que a energização somente seja realizada após a realização dos
procedimentos necessários.
As chaves foram guardadas na caixa de bloqueio múltiplo?
As chaves dos cadeados utilizados para bloqueio do equipamento
devem ser depositadas no interior da caixa de bloqueio múltiplo.
Nº dos cartões de bloqueios utilizados:
Especificar o número dos Cartões de bloqueio utilizados
Efetuado aterramento temporário do equipamento / circuito? Se NA
justificar o porquê.
O aterramento temporário deve ser realizado a fim de evitar a
reenergização acidental e o risco elétrico. Se for não aplicável deverá ser
apresentada uma justificativa técnica do porquê.
Precauções adicionais:
Caso alguma medida complementar tenha sido realizada para garantir a
segurança da operação, descrevê-la aqui.
Foi comprovada a ausência de tensão?
O circuito/equipamento só deverá ser considerado como isolado após
constatação da ausência de tensão. É fundamental o teste de energia zero em
campo para certificar que o circuito energizado corresponde ao equipamento
alvo do isolamento.

Executor do isolamento (eletricista)

O executor deve assinar e preencher seu nome, a data e a hora de


realização do bloqueio.
Confirmo a realização do isolamento e a ausência de tensão no
equipamento/circuito elétrico
- Emissor

58
O emissor do Certificado de Isolamento Elétrico deve assinar e
preencher com seu nome, data e hora em que endossa a afirmativa acima.

A reenergização temporária do equipamento/circuito elétrico é permitida


apenas para testes e para o processo de hibernação.

Suspensas as PS?

O Emissor deve assegurar que todas as permissões de serviço atreladas


ao certificado de isolamento elétrico foram suspensas para garantir que o
acionamento do equipamento possa ser realizado de maneira segura.

Reenergização – iniciais/rubrica

A data e hora da reenergização devem ser registradas, assim como as


iniciais e as rubricas do emissor e do executor.

Isolamento – iniciais/rubrica

A data e hora do reestabelecimento do isolamento devem ser


registradas, assim como as iniciais e as rubricas do emissor e do executor.

Confirmo que todas as Permissões e autorizações de Serviço


associadas a este Certificado de Isolamento foram encerradas e, portanto,
autorizo a remoção do bloqueio.

Após execução dos serviços, quando for solicitada a reenergização do


equipamento, o emissor deve verificar se as Permissões de Serviço atreladas ao
certificado de isolamento elétrico foram finalizadas, se a caixa de bloqueio
múltiplo não possui cadeados que indiquem a presença de pessoas trabalhando
no equipamento e, portanto, impossibilite o acesso à chave dos cadeados dos

59
dispositivos de bloqueio e se todas as proteções foram reinstaladas para
autorizar a remoção do isolamento. Após esta avaliação, o emissor assina
endossando a afirmativa acima.

Confirmo que todo isolamento e etiquetas foram retirados.

Executor: O executor da reenergização deve escrever seu nome, assinar


e indicar data e hora da realização da reenergização.

Emissor: O emissor deve escrever seu nome, assinar e indicar data e


hora endossando que todos os isolamentos foram retirados.

Declaro que este Certificado de Isolamento foi retirado e encerrado.

O emissor deve escrever seu nome, assinar e indicar data e hora


endossando a afirmativa acima.

Instruções passo a passo do preenchimento do Certificado de


Bloqueio Mecânico - CBM

Unidade: Indicar a unidade.


Empresa: Indicar o nome da empresa responsável pela execução do
isolamento (nome da empreiteira ou da Cia., se empregado próprio).
CBM n°: Deve ser numerado de acordo com as instruções contidas no
SEÇÃO 01.
Setor: Indicar o setor onde será realizado o serviço.
Local: Especificar o local de realização da atividade (ex. Caldeira 2,
moenda A).
Data/horário: Data e horário de abertura do CBM.
Descrição / Localização do bloqueio: Indicar o equipamento que será
bloqueado, descrevendo também a sua localização.

60
Situações de emergência imediatamente invalidam este certificado se
ele não tiver sido completado ou interferir com o bloqueio efetuado.

A realização do bloqueio foi comunicada para todos os interessados?

A realização de interfaces é necessária para a garantia da segurança de


todos aqueles que podem ser afetados pela realização do bloqueio.

Todos os equipamentos que possam comprometer a segurança da


equipe de manutenção foram identificados? (Ex.: Válvulas, Chave elétrica,
atuadores, dispositivos de controle).

Antes de se iniciar o bloqueio é essencial a identificação de todos os


dispositivos que permitem restringir o fluxo de energia ao
equipamento/máquina/instalação a ser bloqueado e de todos os dispositivos que
possam atuar automaticamente de forma a reestabelecer o fluxo de energia.
Todos os dispositivos mapeados devem receber bloqueios/isolamentos,
conforme procedimento auxiliar – Travamento e Etiquetagem.

Os executores conhecem os procedimentos para realização do


bloqueio?

É necessário que os executores saibam como realizar e quais são os


riscos envolvidos com a realização do bloqueio. Para isto, deve existir
procedimento que contemple estas questões.

Disponível equipamento de travamento e etiquetagem para todas as


válvulas, equipamentos e tubulações que necessitem de bloqueio?

61
Todos os dispositivos de controle devem receber dispositivos de
bloqueio para evitar seu manuseio inadvertido e consequentemente o
reestabelecimento do fluxo de energia.

Caso mais de um serviço com equipes diferentes seja realizado existe


disponível equipamento de travamento e etiquetagem múltipla?

Quando da realização de múltiplos serviços com equipes diferentes,


cada supervisor da atividade deve atribuir o seu cadeado ao dispositivo de
bloqueio. Caso o próprio dispositivo não possibilite a aplicação de mais de um
cadeado deve-se utilizar um dispositivo auxiliar, como um multibloqueador.

Em caso de bloqueio em válvulas, equipamentos e tubulações com


interface elétrica, foi realizado isolamento elétrico?

Válvulas e equipamentos podem possuir sistemas de automação e/ou


acionamento elétrico, devendo receber, além do bloqueio mecânico, o
isolamento elétrico, o qual deve ser realizado por pessoas autorizadas e o
devido certificado de isolamento elétrico preenchido (Vide MPS 04).

CIE n°: No caso de necessidade de isolamento elétrico, indicar o número


do certificado.

O Equipamento foi: Indicar, dentre as opções pré-definidas, quais


procedimentos foram realizados nos equipamentos e tubulações.

Foi prevista a expansão de líquido devido à temperatura?

62
Quando partes de tubulações são bloqueadas, e estas estão seladas em
ambos os lados, é gerado um risco devido à expansão por temperatura do
produto, gerando pressões superiores à capacidade dos flanges. Isto poderá
causar gotejamentos, vazamentos, derrames etc. Este é um risco adicional
importante para os executores que depois retirarão os flanges cegos, devendo
os mesmos serem conscientizados sobre este risco. Os procedimentos de
desbloqueio devem contemplar este risco.

Após realizado do bloqueio, descrever / relacionar o serviço efetuado

Método de bloqueio: Assinalar os procedimentos realizados para o


bloqueio. Somente será aceito o bloqueio apenas com cartão de bloqueio
quando não for possível realizar o travamento (Vide procedimento auxiliar –
Travamento e Etiquetagem).

Identificar todas as válvulas, equipamentos e tubulações que receberam


bloqueio mecânico: Todos os dispositivos de controle que foram bloqueados,
com dispositivos de bloqueio e/ou com etiquetas devem ser registrados neste
campo. Deve- se indicar também o número dos cartões de bloqueio utilizados.

Identificar o dispositivo mecânico de travamento utilizado: Indicar quais


foram os dispositivos de bloqueio utilizados para impedir o manuseio dos
dispositivos de controle que foram bloqueados.

Nº dos Cadeados Utilizados para bloqueio do equipamento

Descrever a identificação dos cadeados utilizados, se aplicável.

As chaves foram guardadas na caixa de bloqueio múltiplo?

63
As chaves dos cadeados utilizados para bloqueio do equipamento
devem ser depositadas no interior da caixa de bloqueio múltiplo.

Cadeado do solicitante do isolamento aplicada na caixa de bloqueio


múltiplo? Número:

Quando necessário a utilização de cadeado de bloqueio múltiplo, o


solicitando do isolamento (emissor), deverá aplicar seu cadeado na caixa e
garantir que a energização somente seja realizada após a realização dos
procedimentos necessários.

Nº dos cartões de bloqueios utilizados:

Especificar o número dos Cartões de bloqueio utilizados

Precauções adicionais:

Caso alguma medida complementar tenha sido realizada para garantir a


segurança da operação, descrevê-la aqui.

Foi comprovada a ausência de energias (Teste de energia zero)?:

O equipamento/tubulação só deverá ser considerado como bloqueado


após constatação da ausência de energias residuais.

Executor do bloqueio: O executor deve assinar e preencher seu nome, a


data e a hora de realização do bloqueio.

Certifico que o bloqueio foi implementado e que foi comprovada a


ausência de energias (Energia Zero)

- Emissor: O emissor do Certificado de Bloqueio Mecânico deve


assinar e preencher com seu nome, data e hora em que endossa a afirmativa
acima.

64
A remoção temporária do bloqueio mecânico é permitida apenas para
realização de testes

Suspensas as PS's?

O Emissor deve assegurar que todas as permissões de serviço atreladas


ao certificado de bloqueio mecânico foram suspensas para garantir que o
acionamento do equipamento possa ser realizado de maneira segura.

Desbloqueio – iniciais/rubrica

A data e hora do desbloqueio devem ser registradas, assim como as


iniciais e as rubricas do emissor e do executor.

Bloqueio – iniciais/rubrica

A data e hora do reestabelecimento do bloqueio devem ser registradas,


assim como as iniciais e as rubricas do emissor e do executor.

Confirmo que todas as Permissões e autorizações de Serviço


associadas a este Certificado de Bloqueio foram encerradas, portanto autorizo a
remoção do bloqueio.

Após execução dos serviços, quando for solicitado o desbloqueio do


equipamento, o emissor deve verificar se as Permissões de Serviço atreladas ao
certificado de bloqueio mecânico foram finalizadas, se a caixa de bloqueio
múltiplo não possui cadeados que indiquem a presença de pessoas trabalhando
no equipamento e, portanto, impossibilite o acesso à chave dos cadeados dos
dispositivos de bloqueio e se todas as proteções foram reinstaladas para
autorizar a remoção do bloqueio. Após esta avaliação, o emissor assina
endossando a afirmativa acima.

Confirmo que todo Bloqueio e etiquetas foram retirados.

65
Executor: O executor do desbloqueio deve escrever seu nome, assinar e
indicar data e hora da realização do desbloqueio.

Emissor: O emissor deve escrever seu nome, assinar e indicar data e


hora endossando que todos os bloqueios foram retirados.

Declaro que este Certificado de Bloqueio foi retirado e encerrado.

O emissor deve escrever seu nome, assinar e indicar data e hora


endossando a afirmativa acima.

Certificado de isolamento elétrico e Certificado de Bloqueio Mecânico –


Folha de Continuação

Nos casos nos quais sejam realizados mais reenergizações para teste
do que os espaços disponíveis para preenchimento no certificado, a folha de
continuação deve ser utilizada para registro dos demais testes.

Instruções Passo a Passo do Preenchimento da Folha de Continuação

Unidade: Indicar a unidade na qual será realizado o isolamento.

Empresa: Indicar o nome da empresa responsável pela execução do


isolamento (nome da empreiteira ou da Cia., se empregado próprio).

PS n°: Indicar o número da permissão de serviço que originou a


necessidade do certificado.

CIE/CBM n°: Deve ser numerado de acordo com as instruções contidas


no SEÇÃO 01.

Reenergização temporária para testes

Preencher conforme instruções fornecidas para a realização de testes do


CIE /CBM

66
Atividades 04
Como podemos responder?
Cite suscintamente as Etapas Para Travamento e Etiquetagem.
1º Passo: necessidade de intervenção em equipamentos/

máquinas / instalações; 2º Passo: É preciso identificar todas as

energias envolvidas; 3º Passo: Coleta dos equipamentos necessários

para realização do bloqueio / isolamento junto a estação de

travamento; 4º Passo: A comunicação da intenção de bloqueio

deverá ser feita; 5º Passo: Deverá ser emitido, por pessoa

devidamente treinada; 6º Passo: Os equipamentos devem ser

desligados através de todos os dispositivos normais de controle

existentes; 7º Passo: Isole todas as fontes de energia do equipamento.

8º Passo: Mesmo após desligado e bloqueado, um equipamento ou

instalação pode ainda apresentar energia armazenada

(eletricidade estática, partes aquecidas, pressão residual em

tubulações, etc.); 9º Passo: Deve-se proceder com o bloqueio e

etiquetagem da fonte de energia; 10º Passo: Necessário testar o

equipamento para assegurar-se de que ele não pode ser energizado;

11º Passo: Finalmente os certificados devem ter seus preenchimentos

concluídos.

Escreva Resumidamente Bloqueio e Etiquetagem em 3 Etapas Simples.

Desenergizar (D); Bloquear (B); Testar (T)

Comente sobre Trabalhos múltiplos em um mesmo equipamento

Quando mais de uma equipe necessitar realizar uma atividade em

um equipamento na qual seja necessário o bloqueio, cada

responsável pelo serviço de cada equipe deve atribuir um cadeado ao

dispositivo de bloqueio e guardar a chave em sua caixa de bloqueio

múltiplo. Caso o dispositivo de bloqueio não possibilite a

implementação de mais de um cadeado, deve-se utilizar um

multibloqueador.

67
Explique sobre Formulário de Emissão do Certificado de Isolamento
Elétrico e do Certificado de Isolamento Elétrico e Certificado de Bloqueio
Mecânico.

O CIE e CBM são validos até o momento em que for requisitada

formalmente a reenergização do equipamento/circuito elétrico ou

for verificado que o mesmo não se encontra eficaz. A reenergização

temporária do equipamento/circuito elétrico é permitida apenas

para efeito de testes, com preenchimento da parte correspondente

para tal no corpo do formulário do Certificado.

Descreva as Instruções passo a passo do preenchimento do Certificado


de Isolamento Elétrico - CIE?

Indicar a unidade; Indicar o nome da empresa responsável pela

execução do isolamento; CIE n°: Deve ser numerado de acordo com

as instruções contidas na Seção 01; Indicar o setor onde o serviço

está sendo realizado; Especificar a local realização da atividade;

Data e hora de abertura da permissão de serviço; Descrição /

Localização do equipamento / circuito elétrico:

NOTA: Comente suas respostas em forma de arguição, com o Instrutor e seus


colegas. Lembre-se, isto é um meio de aprendizagem, aproveito o conhecimento
de todos.

Promover um processo de arguição com intuito de verificação da

aprendizagem e interação dos discentes e o conteúdo apresentado

Bases do Manual de Permissão de Serviço

Comente sobre o Manual de Permissão de Serviço (MPS) e a seção 06;

Demonstre o preenchimento das PS e Formulários.

Se necessário, de exemplo de uma PS e Formulários preenchidos

conforme energias perigosas a determinado serviço. Dê exemplo de

preenchimento correto e erros possíveis.

68
Execução de Serviços Elétricos

A execução de serviços elétricos com tensão superior a 500 VAC até


1000 VAC não poderá ser realizado individualmente devendo ser no mínimo dois
eletricistas ou instrumentista. Os executantes da atividade deverão:

Conhecer e entender o escopo do serviço e as implicações de


segurança relativas à tarefa a ser executada;

Estar capacitado e habilitado para desenergizar ou interromper a energia


elétrica a partir de qualquer sinal de problemas com responsável pela tarefa;

Conhecer os procedimentos do PAE (Plano de Atendimento de


Emergência).

Comunicação permanente entre os executores da atividade;

Classes de tensão de Energia Elétrica

Em conformidade com classe de tensão da energia elétrica, deverá ser


estabelecido as respectivas premissas:

Alta-Tensão: Para alta-tensão, ou seja, em tensão maior do que 1000


Volts em corrente alternada, o isolamento deverá ser executado pela companhia
69
de eletricidade local, empresa devidamente qualificada para serviço em alta-
tensão ou profissional devidamente habilitado/qualificado em serviços para
Sistemas Elétricos de Potência - SEP.

Baixa-Tensão: Para baixa-tensão, ou seja, tensão maior do que 50 Volts


e menor ou igual a 1000 Volts, o isolamento poderá ser obtido com a colocação
e travamento da alavanca de acionamento da chave/disjuntor na posição
desligada e aplicando o procedimento de travamento e etiquetagem.

Uma pessoa não precisa estar em contato físico com condutores não
isolados, quando estes estão a altas voltagens, para sofrer um choque elétrico
ou queimadura. A energia elétrica pode saltar a distância, formando um arco,
quando a diferença de tensão é suficientemente alta.

Na emissão da permissão deverá ser levada em consideração a


possibilidade de contato inadvertido com condutor energizado sem isolamento.

Os riscos principais são:

Choque – cuja extensão do dano depende da intensidade da corrente e


da duração da exposição a mesma. A morte pode ocorrer com a fibrilação
ventricular do coração ou contração da musculatura do peito interrompendo a
respiração;

70
Queimaduras – estas podem ser consequências do choque elétrico ou
do arco voltaico;

Explosão ou fogo – pode ser deflagrado por centelhas numa atmosfera


inflamável;

Danos a equipamentos – que pode ser deflagrado por formação de


arcos elétricos ou curto circuito em condutores.

A distância de aproximação máxima de pessoas autorizadas à


exposição de partes energizadas deve seguir a tabela constante neste item,
levando em consideração as definições de Zona de Risco e Zona Controlada:

Classificação das Zonas de Risco, Controlada e Livre

Zona de Risco: Zona de Risco é definida como sendo o entorno de parte


condutora energizada, não segregada, acessível inclusive acidentalmente, de
dimensões estabelecidas de acordo com o nível de tensão, cuja aproximação só
é permitida a profissionais autorizados e com a adoção de técnicas e
instrumentos apropriados de trabalho.

Zona Controlada

Zona Controlada é definida como o entorno de parte condutora


energizada, não segregada, acessível, de dimensões estabelecidas de acordo
com o nível de tensão, cuja aproximação só é permitida a profissionais
autorizados.

71
Outros Aspectos de Segurança a serem considerados

Dependendo da localização e/ou natureza da tarefa proposta, os


seguintes pontos devem sempre ser considerados:

Os trabalhadores envolvidos em serviços elétricos não deverão utilizar


objetos de adorno pessoal;

Necessidade de haver extintor de incêndio nas proximidades;

Localização de equipamento de ressuscitação;

Sistema de comunicação quando o trabalho envolve duas áreas distintas


(telefone e/ou rádio);

Seção – PSE – Permissão de Serviço Elétrico

Todos os executores conhecem os procedimentos e as tarefas que irão


executar e estão formalmente autorizados?

Todas as pessoas envolvidas devem conhecer os procedimentos


relativos a trabalhos em equipamentos/instalações elétricas e em suas
proximidades, além de serem formalmente autorizados.

Todos os equipamentos / ferramentas / EPC / EPI estão adequados de


acordo com o grau de risco (tensão x corrente)?

De acordo com o serviço a ser executado e as características dos


equipamentos / circuitos há exigências específicas de EPI requerido. Trajes
especiais resistentes a fogo repentino e arco elétrico tem seu uso obrigatório na

72
realização da atividade bem como o uso de luva isolante de borracha de acordo
com a tensão envolvida, entre outros que aliem maior segurança na execução.

Os eletricistas/instrumentistas estão utilizando os EPI's de forma


correta? Avaliar se os eletricistas/instrumentistas estão utilizando os EPI’s de
forma correta conforme recomendação do fabricante e orientações de
segurança. Especial atenção para os trajes dos eletricistas, a blusa
obrigatoriamente deve estar por dentro da calça.

As ferramentas e equipamentos elétricos e mecânicos possuem


isolamento e aterramento adequado para trabalho em sistemas elétricos?

Apenas ferramentas devidamente isoladas devem ser usadas. O


isolamento deve ter resistência a danos mecânicos. As ferramentas devem ser
inspecionadas frequentemente por pessoal competente. Os instrumentos de
teste devem possuir ponteiras isoladas e fusíveis. Se o isolamento protetor de
qualquer ferramenta ou outra parte do instrumento de teste for danificado, há
risco real de danos físicos. O equipamento danificado deve ser retirado do
serviço e, se irrecuperável, destruído.

Outro fator a ser considerado é que ferramentas e equipamentos de


testes não devem ser considerados como totalmente confiáveis e responsáveis
pela proteção contrachoques. As ferramentas / equipamentos devidamente
isolados e a correta utilização de EPI’s e EPC’s apropriados, associados ao
cumprimento dos procedimentos adequados é que garantem a proteção do
trabalhador contrachoque elétrico.

73
Disponibilizado segundo eletricista/instrumentista para trabalhos com
tensões superiores a 500 VAC até 1000 (corrente alternada)?

A NR-10 preconiza que a execução de serviços elétricos não pode ser


realizada individualmente em tensões superiores 1000 VAC, porém a Raízen
EAB adota esta obrigatoriedade com tensões superior a 500 VAC.

Os eletricistas/instrumentistas sabem como agir em situações de


emergência? A segundo eletricista/instrumentista que está realizando o
acompanhamento da atividade deve saber como agir em situações de
emergência e conhecer os meios para acioná-lo.

Todos os envolvidos estão cientes da necessidade de retirar todo


material/objeto condutor?

Objetos/adornos pessoais aumentam o risco de acidentes e são


proibidos de serem usados durante o expediente de trabalho.

Prevista a proteção de elementos energizados e passíveis de


energização dentro da zona risco/controlada?

Os elementos energizados e passíveis de energização dentro da zona


de risco/ controlada devem possuir proteções de forma que o contato não
intencional seja evitado. As proteções também devem evitar a ocorrência de
arcos elétricos

Executor: Eletricista responsável para realização do serviço elétrico

Data: Data da realização da atividade

Horário de início: Horário que atividade iniciou

Horário de término: Horário de Término

74
Responsabilidades

Gerentes

• Assegurar a implementação deste procedimento;


• Prover os recursos necessários à aquisição e manutenção dos
dispositivos requeridos para identificação e bloqueio de energias perigosas;
• Autorizar formalmente a violação especial de bloqueio conforme
ANEXO III.

Gestores / Supervisores

• Garantir a aplicação efetiva do procedimento Certificado de


Isolamento e Bloqueio de Energias Perigosas;
• Garantir que todos os funcionários de sua responsabilidade
recebam a capacitação e reciclagem do procedimento de Travamento e
Etiquetagem;
• Inspecionar rotineiramente a aplicação deste procedimento pelos
funcionários de sua de responsabilidade;
• Solicitar, quando necessário, junto a Segurança do Trabalho a
confecção de novos cartões de identificação e aquisição de dispositivos de
bloqueio;
• Definir os locais de instalação da estação de travamento e avaliar
rotineiramente a disponibilidade dos equipamentos e demais recursos que
permitam a aplicação de dispositivos de bloqueio, realizando adaptações e
reposições se necessário.

Engenharia

• Garantir que novos equipamentos disponham de recursos que


permitam a aplicação de dispositivos de bloqueio.

Segurança do Trabalho

• Assessorar e suportar tecnicamente todos os setores na aplicação


deste procedimento;

75
• Garantir que todos os funcionários recebam a capacitação descrita
neste procedimento;
• Realizar solicitação de confecção de cartões de identificação e a
aquisição dos dispositivos de bloqueio;

Todos os funcionários

• Aplicar adequadamente o procedimento de Controle de Energias


Perigosas em suas atividades diárias;
• Manter as etiquetas de identificação, cadeados de segurança e
dispositivos de bloqueio em bom estado de conservação e uso, utilizando-os
apenas para o fim a que se destinam;
• Identificar e informar as dificuldades na aplicação deste
procedimento e oportunidades de melhorias, encaminhando-as ao seu gestor.
• Interromper imediatamente a sua atividade ao identificar condição
de Risco Grave e Iminente (RGI);

Suprimentos

• Garantir que todas as exigências e pré-requisitos indicados sejam


incluídos na consulta ao mercado.

SSMA Corporativo

• Manter este procedimento atualizado;


• Fazer divulgação deste procedimento para as unidades;
Dar suporte para as unidades na implantação e manutenção do procedimento

76
Validade

A validade máxima da PSE é de até 24 horas. Caso o serviço ultrapasse


24 horas da emissão da permissão, será necessária a emissão de uma nova
Permissão de Serviço/Revalidação, conforme SEÇÃO 02 – Permissão e Serviço.

O CIE e CBM são validos até o momento em que for requisitada


formalmente e executada a reenergização do equipamento/circuito elétrico ou for
verificado que o mesmo não se encontra eficaz. O religamento temporária do
equipamento/circuito elétrico é permitido apenas para efeito de testes, com
preenchimento da parte correspondente para tal no corpo do formulário do
certificado.

Serviços de manutenção, reparo, ajuste, limpeza, inspeção e montagem


requerem que os equipamentos ou instalações envolvidas sejam previamente
desenergizados. Isso acontece, por exemplo, quando desligamos a alimentação
de uma máquina, isolamos um painel elétrico ou interrompemos o fluxo de uma
tubulação através de manobras nas válvulas.
Livro De Anotação do Bloqueio e Etiquetagem
Cada aplicação do Bloqueio e Etiquetagem deverá ser registrada no livro
pelo líder de estágio/operação, contendo as seguintes informações:

• Local ou setor onde será realizado o bloqueio;


• Data do bloqueio;
• Equipamento que será realizado o bloqueio;
• Nome dos integrantes que realizaram o bloqueio;
• Encerramento da atividade de bloqueio.

Falhas Na Desenergização

✓ Falha ao desligar um equipamento;


✓ Falha ao desconectar o equipamento de sua fonte de energia;
✓ Falha ao eliminar a energia residual;
✓ Falha ao religar acidentalmente o equipamento;
✓ Falha ao não afastar objetos que possam interferir quando o equipamento
for reativado;

77
Formulários:

CERTIFICADO DE ISOLAMENTO ELÉTRICO


Unidade/Setor Empresa: CIE n°:
Descrição/localização do equipamento/circuito elétrico:

1 Isolamento em baixa-tensão <1000V 1 Isolamento em alta-tensão >1000V


Situações de emergência imediatamente invalidam este certificado se ele não tiver sido completado ou interferir com o isolamento
efetuado.
Lista de verificação a ser preenchida antes da realização do isolamento
Todos os envolvidos na execução de isolamento elétrico, teste de tensão e realização de aterramento temporário no
equipamento/circuito mencionado estão preparados e qualificados para trabalhar de maneira segura (envolvidos estão 1 Sim 1 Não
na listagem de pessoas autorizadas no caso de necessidade de acesso à casa de força e/ou subestação)?
Todos equipamentos / ferramentas / EPC's / EPI's estão disponíveis (adequados de acordo com o grau de risco -
1 Sim 1 Não
tensãoxcorrente)?

Todos os envolvidos estão cientes da necessidade de retirar todo material/objeto condutor? (Anéis, cordões, pulseiras etc.) 1 Sim 1 Não

Uma pessoa está de prontidão para acionamento da emergência? 1 Sim 1 Não


Todo pessoal autorizado recebeu o treinamento obrigatório constante da NR 10 e reciclagem quando aplicável? 1 Sim 1 Não
As ferramentas e equipamentos elétricos e mecânicos possuem isolamento e aterramento adequado para trabalho em
1 Sim 1 Não
sistemas elétricos?
Prevista a proteção de elementos energizados e passiveis de energização dentro da zona risco / controlada? 1 Sim 1 Não
Estabelecido os pontos de instalação do sistema de aterramento temporário e seccionamento da instalação? 1 NA 1 Sim 1 Não
O serviço de isolamento não pode ser autorizado se algum item estiver marcado como "Não".

Executor do isolamento: Ass. Data: Hora:


Verifiquei toda a documentação relativa ao trabalho, assim como os testes aplicáveis e autorizo a realização do isolamento.

Emissor: Ass. Data: Hora:


Após realizado o isolamento descrever/ relacionar o serviço efetuado
Método de isolamento:

Método de bloqueio na posição desligada:

Número dos cadeados utilizados:

Cadeado do solicitante do isolamento aplicada na caixa de bloqueio múltiplo? Número: 1 Sim 1 NA

As chaves foram guardadas na caixa de bloqueio múltiplo? 1 Sim 1 NA


Etiquetas de isolamento utilizadas:

Efetuado aterramento temporário do equipamento/circuito? Se NA justificar o porquê. 1 Sim 1 NA

Precauções adicionais:

Foi comprovada a ausência de tensão? 1 Sim 1 Não


ASSINATURAS DE EMISSÃO DA CIE

Executor do isolamento: Ass. Data: Hora:


Confirmo a realização do isolamento e a ausência de tensão no equipamento/circuito elétrico.

Emissor: Ass. Data: Hora:


A reenergização temporária do equipamento/circuito elétrico é permitida apenas para testes e para o processo de hibernação.
Suspensas as Reenergização - iniciais/rubrica Isolamento - iniciais/rubrica
PSs? Data Hora Executor Emissor Data Hora Executor Emissor

ASSINATURA DE FECHAMENTO CIE


Confirmo que todas as Permissões e autorizações de Serviço associadas a este Certificado de Isolamento foram canceladas e, portanto autorizo
a remoção do bloqueio.

Emissor: Ass. Data: Hora:


Confirmo que todo isolamento e etiquetas foram retirados.

Executor da reenergização: Ass. Data: Hora:

Emissor: Ass. Data: Hora:


Declaro que este Certificado de Isolamento foi retirado e encerrado.

Emissor: Ass. Data: Hora:


EM CASOS DE EMERGÊNCIA, UTILIZAR O RAMAL 1193 OU COMUNICAR VIA RÁDIO

78
CERTIFICADO DE BLOQUEIO MECÂNICO
Unidade/Setor: Empresa: CBM nº
Descrição/localização do bloqueio:

Situações de emergência imediatamente invalidam este certificado se ele não tiver sido completado ou interferir com o bloqueio efetuado.

A realização do bloqueio foi comunicada para todos os interessados? 1 Sim 1 Não


Todos os equipamentos que possam comprometer a segurança da equipe de manutenção
1 Sim 1 Não
foram identificados? (Ex.: Válvulas, Chave elétrica, atuadores, dispositivos de controle)
Os executores conhecem os procedimentos para realização do bloqueio? 1 Sim 1 Não
Disponível equipamento de travamento e etiquetagem para todas as válvulas, equipamentos
1 Sim 1 Não
e tubulações que necessitem de bloqueio?
Caso mais de um serviço com equipes diferentes seja realizado existe disponível
1 Sim 1 Não 1 NA
equipamento de travamento e etiquetagem múltipla?
Em caso de bloqueio em válvulas, equipamentos e tubulações com interface elétrica, foi
1 Sim 1 Não 1 NA
realizado isolamento elétrico?
CIE n°:
O equipamento foi: 1 Drenado 1 Despressurizado 1 Desgaseificado 1 Desvaporizado 1 NA
Foi prevista a expansão de líquido devido a temperatura? 1 Sim 1 Não 1 NA
OBS.: Caso o bloqueio de alguma válvula, equipamento ou tubulação não possa ser realizado, especificar no item "Precauções
adicionais" quais medidas de controle foram adotadas para mitigação dos riscos.
O serviço de bloqueio não pode ser autorizado se algum item estiver marcado como “Não”.

Executor do bloqueio: Ass. Data: Hora:


Verifiquei toda a documentação relativa ao trabalho, assim como os testes aplicáveis e autorizo a realização do bloqueio.

Emissor: Ass. Data: Hora:


Após realizado o bloqueio descrever/ relacionar o serviço efetuado
Método de bloqueio: 1 Travamento 1 Etiquetagem
Identificar todas as válvulas, equipamentos e tubulações que receberam bloqueio mecânico e o número da etiqueta:

Identificar o dispositivo mecânico de travamento utilizado:

Número dos cadeados utilizados:


As chaves foram guardadas na caixa de bloqueio múltiplo? 1 Sim 1 Não
Cadeado do solicitante do bloqueio aplicado na caixa de bloqueio múltiplo? Número: 1 Sim 1 Não
Número dos cartões de bloqueio utilizados:
Precauções adicionais:

Foi comprovada a ausência de energias (Teste de energia zero)? 1 Sim 1 Não


ASSINATURAS DE EMISSÃO

Executor do bloqueio: Ass. Data: Hora:


Obs.: Deve-se, preferencialmente, realizar o Travamento e Etiquetagem. A realização somente de etiquetagem será permitida
apenas quando o Travamento implicar em impossibilidade ou modificações significativas no equipamento a ser bloqueado.
Certifico que o bloqueio foi implementado e que foi comprovada a ausência de energias (Energia Zero)

Emissor: Ass. Data: Hora:


A remoção temporária do bloqueio mecânico é permitida apenas para realização de testes
Suspensas as Desbloqueio - iniciais/rubrica Bloqueio - iniciais/rubrica
PSs? Data Hora Executor Emissor Data Hora Executor Emissor

ASSINATURA DE FECHAMENTO
Confirmo que todas as Permissões e autorizações de Serviço associadas a este Certificado de Bloqueio foram cancelas e, portanto autorizo
a remoção do bloqueio.

Emissor: Ass. Data: Hora:


Confirmo que todo bloqueio e etiquetas foram retirados.

Executor do desbloqueio: Ass. Data: Hora:

Emissor: Ass. Data: Hora:


Declaro que este Certificado de Bloqueio foi retirado e encerrado.

Emissor: Ass. Data: Hora:


Distribuição: 1ª Supervisor 2ª via campo
EM CASOS DE EMERGÊNCIA, UTILIZAR O RAMAL 1193 OU COMUNICAR VIA RÁDIO

79
CERTIFICADO DE ISOLAMENTO ELÉTRICO - Folha de continuação N°______
Unidade: Empresa: PS n°: CIE n°:

A reenergização temporária do equipamento/circuito elétrico é permitida apenas para testes e para o processo de hibernação.
Suspensas as Reenergização - iniciais/rubrica Isolamento - iniciais/rubrica
PSs? Data Hora Executor Emissor Data Hora Executor Emissor

EM CASOS DE EMERGÊNCIA, UTILIZAR O RAMAL 1193 OU COMUNICAR VIA RÁDIO


Distribuição: 1ª Supervisor 2ª via campo

80
CERTIFICADO DE BLOQUEIO MECÂNICO - Folha de continuação N°______
Unidade: Empresa: PS n°: CBM n°:

A remoção temporária do bloqueio mecânico é permitida apenas para realização de testes


Suspensas as Desbloqueio - iniciais/rubrica Bloqueio - iniciais/rubrica
PSs? Data Hora Executor Emissor Data Hora Executor Emissor

EM CASOS DE EMERGÊNCIA, UTILIZAR O RAMAL 1193 OU COMUNICAR VIA RÁDIO

81
AUTORIZAÇÃO PARA VIOLAÇÃO DE BLOQUEIO

NOME: CS:

FUNÇÃO: SETOR: TURNO:

DADOS SOBRE O BLOQUEIO A SER VIOLADO


NÚMERO DO CADEADO: Nº CBM E CIE: EQUIPAMENTO BLOQUEADO:

MOTIVO DA VIOLAÇÃO:

CHECK-LIST DE SEGURANÇA

Colaborador responsável pelo bloqueio foi localizado e comunicado? 1 Sim 1 Não

Existe algum colaborador em contato com o equipamento a ser


1 Sim 1 Não
desbloqueado?

O equipamento está seguro para voltar a operar? 1 Sim 1 Não

A área foi inspecionada para garantir o restabelecimento seguro de


1 Sim 1 Não
energia?
Os funcionários envolvidos foram comunicados que o equipamento
1 Sim 1 Não
será desbloqueado?
AÇÕES REQUERIDAS:

APROVAÇÃO: SOMENTE GERENTE OU POR ELE DELEGADO

NOME: CS:

DATA: HORÁRIO: ASSINATURA:

ANEXO III – FÓRMULARIO DE AUTORIZAÇÃO DE VIOLAÇÃO DE BLOQUEIO

82
Atividades 05
Concentre-se e responda
Cite suscintamente a Execução de Serviços Elétricos
Execução de serviços elétricos com tensão superior a 500 VAC até

1000 VAC não poderá ser realizado individualmente devendo ser no

mínimo dois eletricistas ou instrumentista.

Estar capacitado e habilitado para desenergizar ou interromper a

energia elétrica e conhecer os procedimentos do PAE.

Escreva Resumidamente as Classes de tensão de Energia Elétrica.

Alta-Tensão: Para alta-tensão, ou seja, em tensão maior do que 1000

Volts em corrente alternada; Baixa-Tensão: Para baixa-tensão, ou

seja, tensão maior do que 50 Volts e menor ou igual a 1000 Volts.

Explique sobre Seção – PSE – Permissão de Serviço Elétrico

Todos os envolvidos devem conhecer os procedimentos com

instalações elétricas e autorizados. Deverá ser estipulado os EPI’s e

EPC’s em função do serviço. Garantir que eletricistas/instrumentistas

estarão utilizando os EPI’s de forma correta. Apenas ferramentas

específicas, testadas e inspecionadas deverão ser utilizadas. Os

instrumentos deverão ser apropriados para o serviço. A NR-10

preconiza que a execução de serviços elétricos não pode ser

realizada individualmente em tensões superiores 1000 VAC, porém a

Raízen EAB adota esta obrigatoriedade com tensões superior a 500

VAC. Os elementos energizados e passíveis de energização dentro da

zona de risco/ controlada devem possuir proteções de forma que o

contato não intencional seja evitado. As proteções também devem

evitar a ocorrência de arcos elétricos

Cite sobre que tem Responsabilidades sobre a PS.

Gerentes; Gestores / Supervisores; Engenharia; Segurança do

Trabalho; Todos os funcionários; Suprimentos; SSMA Corporativo

83
Descreva quais as PS e formulários complementares a serem
preenchidos em um isolamento de energias.

Certificado de Isolamento Elétrico – CIE;

Autorização para violação de Bloqueio.

NOTA: Comente suas respostas em forma de arguição, com o Instrutor e seus


colegas. Lembre-se, isto é um meio de aprendizagem, aproveito o conhecimento
de todos.

Promover um processo de arguição com intuito de verificação da

aprendizagem e interação dos discentes e o conteúdo apresentado

Bases do Manual de Permissão de Serviço e Acadêmico

Comente sobre o Manual de Permissão de Serviço (MPS) e a seção 06;

Demonstre o preenchimento das PS e Formulários.

Se necessário, de exemplo de uma PS e Formulários preenchidos

sobre energia elétrica de Alta Tensão - AT e Baixa Tensão - BT a

determinado serviço. Dê exemplo de preenchimento correto e erros

possíveis.

Utilize conceitos elétricos como Magnetismo, Efeito Âmbar,

Eletrização, Lei de Coulomb, Lei de Faraday, Lei de Lenz, Lei de

Gauss, efeito Joule, Foucalt e conceito de histerese em circuitos RL.

84
Conclusão

O sistema de Bloqueio e Etiquetagem, é uma ferramenta essencial para


prevenção em acidentes, que pode ser implementado em qualquer fonte de
Energia que possa de forma direta ou indireta, agir sobre um corpo e gerar um
acidente que poderá ser, deste de arranhou e ou perfurações até óbito das
pessoas envolvidas em um determinado serviço.

Esta ferramenta exigi um alto conhecimento do processo de fabricação e


da máquina ou equipamento, pois as energias estão em vários pontos e de
várias formas. Portanto, o conhecimento é fonte importante para utilização desta
ferramenta. Por isso, o treinamento é primordial para que esta ferramenta tenha
sua eficiência esperada.

Juntando estes pontos, teremos segurança na execução dos serviços


necessários no equipamento e certeza que as pessoas envolvidas estarão
integras e com confiança para execução dos trabalhos, resultando em maior
produtividade e satisfação de trabalhar em uma empresa que garante sua
integridade física e de seus colegas.

85
Referências

Seção 06 Certificado de Isolamento e Bloqueio de Energias Perigosas.

BRASIL. Ministério do Trabalho e Previdência Social. Norma Regulamentadora


10, de 11 de janeiro de 2011. Diário oficial [da] Republica do Brasil, Poder
Executivo, Brasília, DF, 14 fev. 2011. Seção 1, p.2046. Disponível em:. Acesso
em: maio 2016.

KULCSAR NETO, Francisco; SOBRAL, Mario. Controle de Energias Perigosas


Bloqueio e Etiquetagem. Disponível em: Acesso em: Jun. de 2016

SILVEIRA, Júlio César Agrícola Costa da; FERREIRA, Robson Guilherme;


COELHO, Jackson Duarte. Normalização do sistema de bloqueio conforme a NR
10. Disponível em: Acesso em: jun. de 2016

U.S. Departament of Labor. Control of Hazardous Energy Lockout/Tagout.


Tradução da empresa Tagout- especializada em Lockout/Tagout. mar.2012.
Disponível em: Acesso em: jun. de 2016.

VALER, Educação-VALE. Bloqueio e Etiquetagem. Guia do Instrutor.


março.2014. Disponível em: Acesso em: jun. de 2016.

CANADA. Canadian Centre for Occupational Health and Safety. Hazardous


Energy Control Programs. Disponível em: Acesso em: 19 nov. 2016.

FUNDAÇÃO COGE. Histórico. Disponível em: <


http://www.funcoge.org.br/Home/Historic>. Acesso em: 02 nov. 2016.

UNITED STATES OF AMERICA. Department of Labor. Occupational Safety and


Health Administration. Control of Hazardous Energy: Lockout/Tagout. [S.l.: s.n.],
2002. 45 p.

86

Você também pode gostar