Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE METROPOLITANA DE SANTOS

METODOLOGIA DA PESQUISA. 8º SEMESTRE 2021.2 – 8º SEMESTRE


NOME: NATHALIA DE OLIVEIRA FONSECA

LEIA COM ATENÇÃO O BREVE TEXTO ABAIXO E CRIE UM TEXTO,


ABORDANDO AS PRINCIPAIS IDEIAS. CUIDADO COM A CÓPIA.

Há inúmeros exemplos da aplicação da filosofia em diferentes


profissões, pois ela dialoga constantemente com todas as ciências. Filosofia do
Direito, por exemplo, é um ramo essencial, que se confunde coma
jurisprudência geral.
Deixemos de lado a questão profissional, podemos dizer, que em
sentido mais amplo, ela nos ajuda a encarar questões essenciais com que nos
defrontamos como seres humanos: qual o sentido da vida? Estamos nos
ouvindo? Estamos ouvindo uns aos outros? Confiamos uns nos outros?
Podemos dizer que a partir desta perspectiva, dando um suporte existencial a
cada ser humano, trata-se de uma atividade eminentemente prática,
independente de seu caráter reflexivo e espiritual. (João Mattar, Introdução à
Filosofia, p. 326)
A Filosofia e a ciência do direto:
A grande questão é: a filosofia é possível aplicar ela no dia a dia e praticá-la?
Será que além de ser um estudo profundo e critico sobre vários assuntos importantes,
pode ser vivenciado pelas pessoas? A meu ver, não só da para ser vivenciado como
DEVERIA ser praticado.
O estudo sobre as importantes questões das vidas sociais e politicas é
fundamental, servindo de base para formar pessoas e juristas, lembrando que, sempre
esteve nos assuntos mais importantes dos debates políticos e sociais, como a titulo de
exemplo a Revolução Francesa, quando peticionou pelos seus direitos à liberdade e
igualdade.
O direito é uma ciência social, econômica e politica, são base para se formar
uma nação, com sabedoria, e princípios dos quais deverão existir pra que se tenha um
equilíbrio para o país. A ciência do direito é algo vasto e com várias vertentes, a
filosofia dá a base para que nós consigamos cada vez mais compreender o ser humano e
suas atitudes.
Contudo, para que se tenha uma análise valida e coerente para conseguimos
entender o ser humano, precisa-se de estudos e acompanhamento de comportamentos
atípicos, ou comportamentos corriqueiros e que aparecem em vários casos. Para isso, a
filosofia e a sociologia pegam acontecimentos que estão ocorrendo em grande escala e
analisam a finco o que pode ter ocorrido nos casos e se há alguma conexão entre as
pessoas.
Assim como Émile Durkheim, psicólogo filósofo e sociólogo francês do século
XIX, com sua esplêndida obra “O suicídio” onde estuda o fenômeno do suicídio. O
direito sendo uma ciência social está mais que interligado com as atitudes e
comportamentos humanos, nós precisamos entender o ser humano, para sim podermos
criar normas gerais para um bom convívio.
Mediante o exposto acima, o estudo do ser humano, e dos seus fenômenos
sociais, não podem ser todos concretos e certos, pois, somos voláteis e cada um tem seu
ideal, seus princípios, mas o que Durkheim buscou em um de seus trabalhos, como o
mencionado no paragrafo anterior, foi o que ele intitulou de “fatos sociais” baseadas em
dados concretos assim conseguindo atingir a objetividade do “mundo empírico”.
Contudo, a filosofia não só pode ser praticada, como vivenciada, uma vez que, é o
estudo social do comportamento humano perante a sociedade e como se desenvolve,
precisamos pensar estudar e evoluir e para isso precisamos estudar uns aos outros, ouvir
uns aos outros, o que ainda nós não conseguimos fazer e vivemos em uma sociedade
majoritariamente de pessoas que não compreendem o próximo.

Você também pode gostar