Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE CATÓ

CATÓLICA DE GOIÁ
GOIÁS
DEPARTAMENTO DE MEDICINA

IMUNOLOGIA
Imunidade Humoral
COMPONENTES DA
IMUNIDADE ESPECÍFICA

Prof. Hermínio Maurício da R. Sobrinho

Ativação de Linfócitos B
A ativação das células B e sua diferenciação em células
secretoras de anticorpos é desencadeada pelo antígeno e
requer células T auxiliares (citocinas).
A imunoglobulina de superfície (IgM ou IgD - BCR) que
serve como receptor do antígeno nos linfócitos B
transmite sinais diretamente ao interior da célula quando
se liga ao antígeno e através da endocitose mediada por
receptor ela envia o antígeno aos sítios intracelulares,
onde é degradado e devolvido para a superfície da célula
B, como peptídeo ligado a moléculas MHC de classe II.

1
Ativação de Linfócitos B Ativação de Linfócitos B
Linfócitos virgens antígeno-específicos não podem ser
ativados por antígenos isolados. Uma molécula efetora particularmente importante, que tem
como uma de suas funções dirigir todas as fases da resposta
Eles requerem um sinal co-estimulatório das células das células, é a molécula de superfície da célula T conhecida
apresentadoras de antígeno profissionais (B7 x CD28). como ligante CD40 (CD40L) que se liga à molécula CD40 de
Sinais acessórios (citocinas) que podem ser de uma célula superfície da célula B. A ligação do CD40 ao seu ligante ajuda
T auxiliar ativada ou, em alguns casos, diretamente dos a estimular a célula B em repouso a retomar o ciclo celular, e é
constituintes microbianos, são requeridos. essencial para as respostas da célula B aos antígenos timo-
dependentes (Ags protéicos).
As respostas de anticorpos aos antígenos protéicos Embora as células T auxiliares ativadas peptídeo-específicas sejam
requerem o auxílio das células T antígeno-específicas. As necessárias paras as respostas de células B a antígenos protéicos, muitos
células T auxiliares que reconhecem o complexo peptídeo/ constituintes dos micróbios, como os polissacarídeos bacterianos podem
MHC na superfície da célula B enviam sinais ativadores induzir as células B a produzirem anticorpos na ausência de células T
auxiliares peptídeo-específicas. Esses antígenos microbianos são
para a célula B.
conhecidos como antígenos timo-independentes. O segundo sinal
Assim, as células T auxiliares ativadas somente auxiliam necessário para ativar a produção de anticorpos a antígenos timo-
independentes é fornecido diretamente pelo reconhecimento de um
as células B cujos receptores se ligam ao antígeno constituinte microbiano comum ou por uma célula acessória não derivada
contendo o peptídeo que elas reconhecem. do timo.

Ativação de Linfócitos B
A RIH não é feita somente por células B, mas necessita da
Anticorpos são produzido com a função principal de neutralizar participação (cooperação) de linfócito T helpers que vão
e eliminar o antígeno que estimulou a sua produção. Esse regular a atividade da resposta ( através das interleucinas),
processo de eliminação é feito de diversas formas, através da sendo os LT então de extrema importância. O SMF (fagócitos
fixação do complemento, opsonização, reação anafilática mononucleares) são importantes na apresentação do antígeno
(desgranulação de mastócitos), neutralização da substância, ao LTh, mas também as células B tem a capacidade de
aglutinação, etc. apresentar o antígeno ao LTh.
A Célula B ou linfócito B (LB) é capaz de reconhecer o antígeno
diretamente pela ligação com receptores de superfície, como IgM
monomérica e IgD. Após o reconhecimento, há uma seleção de
imunoglobulinas. O epítopo ligado à IgM monomérica forma um complexo,
que é então fagocitado pelo LB. Este complexo dentro da célula vai até ao
núcleo e ativa genes específicos para produzir endonucleases, que são
enzimas que vão deletar (apagar) genes de diversas imunoglobulinas e
deixar somente um isotipo específico. Esse isotipo, como por exemplo a
IgG, é produzido pelo gene restado e lhe são acrescentados as
características que a tornam específicas contra o antígeno. Após isso, as
imunoglobulina específicas são liberadas.

2
Para se desenvolver uma RIH, é necessária apresentação do Quando o antígeno é proteico, o mecanismo inicial para a
antígeno ao linfócito B. Isso é feito de forma direta , ou seja, o ativação da RIH não é apenas a interação LB-antígeno, mas
LB entra em contato direto com o antígeno sem a também a extrema participação dos linfócitos T helpers. As
necessidade de célula apresentadora de antígeno. Nesse APCs (células apresentadoras de antígenos) ou os LB vão
contato, há interação do antígeno com o receptor de apresentar o antígeno protéico aos LTh que vão se ativar, e
superfície IgM. Como veremos adiante, essa interação produzir interleucinas.
antígeno-IgM participa da ativação para proliferação e síntese
Essas interleucinas vão interagir com os LB e estimular o
de imunoglobulinas pelos LB. Esse mecanismo básico de RIH
segundo sinal para ativar o LB.
é eficaz contra antígenos de natureza lipídica, polissacáride
ou glicídica. O primeiro sinal é gerado na interação LB (IgM) com
antígeno.
As interleucinas mais importantes são : IL-4 e IL-2. A IL-4 é a
mais importante de todas e fundamental para o
desenvolvimento dos linfócitos B, sendo produzidas pelos
LTh2 (LThelpers-2).

O antígeno proteico necessita da participação dos LTh.


Se o paciente tiver deficiência de linfócitos T (síndrome de Di
George) ou ausência de timo, terá muita deficiência na
resposta imune humoral ( e celular) contra antígenos
proteicos. Por isso esses antígenos são denominados
antígenos timo-dependentes.
Os antígenos não-proteicos, que podem ser eliminados pelas
RIH sem o auxílio dos LTh são denominados anítgenos timo-
independentes, de natureza lipídica, polissacáride ou glicídica.

3
Ativação do LB LTh Resposta Imune

CD40L
Antígeno MHC IL-4

.
CD40
Igα e BCR
IgD Igβ
BCR
LB

. LB

Ag
.

4
Ativação da Via Clássica do ADCC
Complemento Via Clássica
Célula NK

C4a
C2a GrB

C2
C4 C3a

C3b

C4b
C2b
C3 C3b
C3 convertase

C5 convertase
C4b2b3b
de via Clássica

ADCC Desordens da função imunológica são causas de muitas


Célula NK doenças.
A unidade básica de todas as imunoglobulinas consistem de 4
cadeias de polipeptídeos ligados por pontes dissulfeto. São
duas cadeias pesadas (55.000-70.000 daltons) idênticas e
duas cadeias leves (23.000 daltons )idênticas.
Tanto as pesadas quanto as leves tem na região carboxi-
terminal uma região constante e na extreminade amino-
terminal, um região variável. Na região variável de todas as
cadeias de todas as imunoglobulinas possui uma região
hipervariável, que juntamente com sua conformação
tridimensional, é responsável pela interação com o antígeno (
especificidade).

5
Estrutura de Imunoglobulina

6
ERROR: stackunderflow
OFFENDING COMMAND: ~

STACK: