Você está na página 1de 6

;#;

r'J,
I;

6í 1
v;
f:)
6
r

t:'

hnú rl &' ünüv ( f hxor O espaço de fluxos ii


'i,
i?l
i gr\a L
[,
ij',.
Intyodução
s:

O espaço e o tempo sâo as pninçipais dimensões materiais da vida hunrana.


Fisicos já desvendaram a compl§r(idaCe existente atrás da falaciosa simplicidadc
iotui(iva desscs conceitos. Cría4çae fm idqdq cscolsr tsbell qud o €lpáço e o ii
tempo relacionam-sc enrre si. E I rcoria,de supercordas, últinla moda cm Ílsica,
antccipa a hipótese de um hipgrgspago que aíicula dez dimensões, inclusive o í),
tcnrpo.r É cluro quc nÀo há lug4r pa-ia urna discussão dcssc tipo ncsta análise, P)
rigorosamente voltada para o slgniJicado sociol do espaço e do lempo. Mas
orinha rcferência a tal complexiCode vai além do pcdânli6mo rctórico, Convlda. &d
rios a refletir sobre as fomras sogiaislde tempo e cspaço que nâo se limiEm ৠf,.
percepções obtidas até agora corq base nas estruturas sociolécnicas, suplantadas tii
pela experiência histórica atual. Yrl
EI
Já que o espaço e o tempo estão interligados na natureza e na sociedade, ).
também o esiarão em minha análise, embora, para maior clareza, enfoque se- ü
,t
qüencialmente primeiro o espaço, neste capitulo, e depois o tempo, no próximo,
ít
A ordem da seqüência nào é aleatória: ao çontrário da maioria das teorias so-
l"(
ciais clássicas, que supõem o domínio do espaço pelo tempo, proponho a hi- Y,
pótese dc que o espaço organiza o tempo na soçiedade em rede. Espero que cssa .t
afirmação faça mais scntido no final dajomada intelectual apresenuda ao leitor
ncstes dois capitulos.
Tanto o cspaço quanto o tempo estão scndo haDsformados sob o efeito
combinado do paradigma da tecnologia da informação e das formas e prccessos
sociais induzidoe pelo processo atual d€ transformação histórics, aprcscnlsdo E1
neste livro. Contudo, o perfil real dessa transformação é profundamente divsrso V
das prudcntes oxkapolaçôês do determinismo tecnológico. Por exemplo, parcce
óbyio que as telscomunicaçôes avançadas tomariam a localização de c6critório8
ublqua, assim permitindo que empresas trsnslerissem suas s€d€s dç bairos co-
mcrciais centrais caros, congestionados e desagradáveis para i[§talações pct§o-
.&1 ,!Í
':1i1.'

lr 4U O cspâço dc Íluxo!
{l O .§pâço dc fluxo. 405

llt1 l,

nalizadas, em bonitos lugares ao redor do mundo. Porém, a análise emplrica de seja inevitável, no final do capítulo, apresentar ao lcitor alguns frlndamentos de
lt Mitchell Moss sôbÍe o impacto das telecomunicações nas empresas de Müúattân uma teoria social'de espaço, como forma de abordar a atual transformação da
ll nos anos 80 descobriu que essas novas facilidades dc telecomunicaçôes avan- base matcrial de nossa expcriênci4. Mas minha capacldade de comunicar uma
I çadas cstavam entre os fatores responsáveis pela lentidão da relocação de em- teorização um tanto abstrata das nqvas formas e processos espaciais certamente
I presas para longe de Nova York, por razões que exporei posteriormente. Ou, será melhorada com um brove Ievantamento dos dados disponiveis sobre a re-
I
utilizando. outro exemplo sobre um domínio social difcrente, supunha-se quc a cente pfl&onização espacial das funções econômicas e das práticas sociais pre-
comunicaçâo eletônica domiciliar induziria o declínio de formas urbanas densas e dominantes.l
I dinrinuiria a irltcração social localizada cspacialnrcutc. No cntanlo, o princiro
sistema de comunicação mediada por computadores difundido para a massa, o
Minitel francês descrito no capitulo anterior, originou-se na década de 80 er4 Serviços avançados, fluxos da informação e a cidade global
um ambiente urbano intenso, cuja vitalidade e interação por coirtato pessoal nãq
foram abaladas pelo novo meio dc comunicação. Na verdade, os estudantes fran- A economia globaUinforrqacional é organizada em tomo de centros de con-
ceses usavam o Minitel para organizaÍ manifestações de rua contra o govemo. trole e comando capazcs de coordenar, inovar c gcrenciar as atividadçs interll-
No inicio da década de 90, a telecomutação, ou seja, o trabalho on-line em casa, gadas das redes dc empresas.a Scrviços avançados, inclusive Íinanças, scguros,
cr0 pr0tic[da por urnu froçno muito pcquc[â d0 forçs dc trobolho dos EUÂ (cn- bcns imobiliários, consultorias, sewiços de assessoria j urídica, propaganda, pro-
fie lo/o e ZVo em um dia determinado), Europa ou Japão, se não contarrlros a jetos, marketing, relações públicas, seguiança, coleta de informações e gerencia-
velhâ e coslumeim prálica de profissionais liberais trabalharem em casa ou or- mento de sistemas dc informação, bem como P&D e inovação cicntifica, estào
ganizarem suas atividades em tempo e espaço flexlveis, quando contam com no ceme de todos os processos econômicos, seja na indúskia, agricultura, ener-
tempo disponivel para isso.2 Embora kabalhar meio-expediente cm case psreça gia, scja cm sewiços de diferentes tipos.s Todos podem scr reduzidos à geraçâo
estar se tomando um frrturo modo de atividade profissional, essa modalidade de conhecimen(o e a 0uxos da informação.6 Ponanto, os sistemas avançados de
desenvolve-se a partir do surgimento da cmpresa inregrada em rede c do proces- telccomunicaçô_cs poderiam'possibiliur su localização dhpersa pelo globo. Mais
so de trabalho flexivel, conforme análise em capltulos anteriores, e não como de uma década de estudos sobre o assunto, no entanto, estabeleceu um modelo
conseqüência direta da tecnologia disponível. As conseqüências teóricas e pnlti- espacial diferente, caracteúzado pela dispersão e concentração simultâneas de
cas dessa definiçâo precisa sào cruciais. É csta complexidadc de interação entre serviços avançados.? De um lado, os serviços avançados aumentaram substan-
a tecnologia, a sociedade e o espaço que abordarei nas páginas seguintes. cialmente sua participação nos indices de cmpregos e no PNB da maioria dos
Para prosseguir nessa direção, examinarei o material emPírico sobre a ts'ans- palscs, e apresentam o maior crescimento de empregos e as taxas mais altas de
formaçâo dos padrôes de localizaçÀo das principais atividades econômicas sob o .investimento nas principais áreas metropolitanas do mundo.s São abrangentes e
novo sistema tecnológico, tanto em Íelação a serviços avançados como À in' cstão locBlizsdo! cm tods a gcogrrfia do !,lsnala, com cxceçào dos "buÍ8cos
dústria. Depoi§, tentarei avaliar as poucas informações §obre a interação entre o negros" de marginalidade. De outro, tem havido uma conccDlmção espacial da
surgimento da casa cletrônica e a evolução da cidade, bem como me estenderei camada superior desias atividades em alguns centros nodais de alguns paÍses.e
a respeito da recente evolução das formas urbanas em vários contexto§. Entâo, Tal concenkação segue uma hierarquia entre as camadas dos centros urbanos
': l:, resumirci as tendências observadas sob ilma nolt lógica esPacial que chamo de com as funções de nÍvel mais alto, tanto em termos dÇ poder quanto de qualiÍi-
espaço deJluxos.Em oposição a essa lógica, aprese[tarci a organização espacial cação, e está localizada cm algumas impoíantes áreas metropolitanas.lo O es-
l.l tudo clássico de Saskia Sassen sobre a cidade global mostrou o domÍnio con-
j' historicamente enraiza da de nossa cxPeriência comwn: o espaço de lugares. E
mencionarei o reflexo dessa oposição dialética cnke o esPaço de fluxos e o jurto de Nova York, Tóquio e Londres nas Íinanças intcmacionais o na maior
i. espaço de lugares nos debates atuais §obrc arquitetura e projeto urbano. O oL p8íe dos serviços de consultoria c empresariais de âmbilo intemacional.rl Jun'
jetivo dessc itinenário intelectual é desenhar o perfrt deste novo ptocesso cs- tou, esses três ceÍItsos cobrêm o espectto de fusos horários no que diz rcspcito a
r. transaçõÉ financeirÊs e firncionam em grandc Parte como uma unidadc no mes'
pacial, o espaço dc fluxos, que se cstá tomando a manifestsçào espacial prc-
t'.: mc, sistcÍns dc transações contlnuas. Mas outros c€ntros são impoÍtantes e atê
àominante de poder e fltnção em nossas sociedades. APesar de todos o§ meu§
t,: esforços para àncorr, nor" lógica ospacial no registÍo empírico, rcceio que superiores em alguns segmentos especíIicos do comércio, por exemplo, Chicago
"
/t. i
Ln
i);
4tN

ll
O csprço dê Ílu.x.ot
ffi ffi O csp!ço .lc fluro! 407

e Cingapura cm contÍatos dc futuÍos (aliás, praticados pela primeira vez cm -Y, I wi, Dessa forma, o fenômeno da cidade global não pode ser reduzido a alguns
,,f s;
fl/ lr Chicago, em l9?2). Hong Kong, Osakâ, Fraúfurt, Zuriquê, paris, Los Angele§,
São Francisco, AmsteÍdã e Milão também sâo centros importantes tanto çm .1.
núcleos urbanqs no topo da hierarquia. É um processo que conecta serviços
avançados, cen6bs produtores e mercados em uma re{e global com intensidade
serviços financeiros quanto em serviços empresariais intcmacionais.12 E vários
llt 1i "cenkos regionais" eslâo rapidarnentc adefindo à rede, enquanto ,,mercados cmer-
difercnte e em diferente cpcala, lependendo ila relativa importância das ativ!
dafcs localizarlas em cada área yis-ri-vts a rede global. Em cada país a arqui-
gentcs" se desenvolvem por todo o mundo: Madri, São paulo, Buenos Àires, tetura de formação dc redcs reproduz-se cm centros locais e regionais, do forma
México, Taipei, Moscou, Budapeste, cntrc outos. que o sistema {odo fique intcrconecudo em âmbito global. Os territórios em
l; À medida quc a economia global se expande e incorpora novos mercados, tomo dcsses n{s desemponham uma função cgda vez.mais subordinada, às vc-
I
também organiza a produção dos serviços avançados necesúrios para o germ- zes, perdendo e importância (ou até mesmo a função). Um exemplo são as colo-
lr ciamento d4s novas unidades quc aderem ao sistema e das condiçôes dc suas nias populores da Cidadc dg Mpxico-(otiginalmcnte, assenlamentos de possei-
conexões çrt1 mudança contínua.r, Um bom excmplo para iluskar csse proce6o ros) que rcpresentam cerca ft lgês tcrços)da população das megalópoles sem
t, é Madri, relativamente atrasada em Íelação à economia global até 19g6. l{a- desempenhar nenhum papel distiifo-Iõ--íuncionamento da Cidade do México
quelc ano, a Espaúa aderiu à Comunidadc Européia, abrindo-se totalmente çomo centro iúemacional dg negócios.)r7 Ádpmais, a globalizaçào estirnula a
I ,o
investimentq de capikl estrangeiro nos mercados das bolsas de valores, em ope- regionalização. Em seus eqtufts sobrc regiões européigs na década de 90, utili.
I
rações bancárias e na aquisição de patrimônio das empresas, bem como cm bogs zândo os dadoE disponíveis, Phiíip Cooke mostrou que a intemacionalização
I imóvcis. Coryro ficou demonstrado em nosso estudo,ra no perlodo dc l9g6-90, o crescente das atividades eçolômiças na Europa tomou as regiões mais depen-
investimento estrangeiro direto na bolsa de valores de Madri fortaleceu uma flse deotes dessas atividades, Asslor, as rcgiôes, sob o imputso dos govemos e elires
empresariais, estruturaram,ss paq competir na economia global e estabeleçe.
de rápido crçscimento regional ao lado de um óoon no setor imobiliário e
ç{- ram redcs de cooperação cntÍg as institui!ôcs regionais c entrc as cmpresas lo-
pida cxpansAo dos nÍveis de empregô em serviços empresariais. A aquisição je
calizadas na área. Dessa formg, as regiões'e. as localidades não desaparecem, mas
açôes por investidores esrrangciros em Madri cntre 1982 e 1988 saltou do 4
ficam integradas nas rcdes inte6acionais que ligam seus setorcs nuis dinâmicos.l0
bilhões e 494 milhôes para 623 bilhões e 445 milhõcs de pcseras. O invesJi-
Michelsol.c Wheclei, q pedido de uma das principais transpoÍadoras, 8
mento estr4ngeiro direto em Madri subiu de 8 bilhões de pesetas em 1985 p{Ía Fcderal Express Corporation, gbtiveram uma aproximaiâo com a arquitetura de
quase 400 bilhões de peseras em 1988. Assim, a constnrçâo de escritórios fluxos da informação em depnvolvimento na economia global com base em
1o
centro de Mqdri e de imóveis rcsidenciais de alto nivel, no final dos anos E0, análise de dados do tráfego.le pstudaram o movimento de cartas, pacotcs e caixas
experimentoq o mesmo entusiasmo frenético ocorrido em Nova York e Londrus. enviados pelo sistema ovêrnlthl (entregas na manhã seguirtê) nas árcas nre-
A cidade foi Eansformada de forma proÂurda pela satumção do valioso cspaço tropolitanas dos EUA, duranlg a décàda de 90, bem como entre os principais
na metrópola c lambém por um proccsso maciço <lc suburbanizaçõo quc, aló centros remctcntcs noíc-[mcÍicnnos c os dê6tinos inlcmscionoit, Or rcaulisdor
entâo, fora um fenômeno de certa forma limitado cm Madri. da anállsc, llustndos nas flguras 6.1 o 6.2 mostram duas tendências básicasr (a)
Na mesma linha argumenrativa, o estudo realizado por Cappclin sobre a domlnio de alguns nós ou centros cspecialmente Nova York, seguido de Los
formação de redes de serviços nas cidadcs européias mostra a crescente intsrde- Angeles, aunentando com o tempo; (b) selecionados circuitos dc conexão na-
-cionaise
pendência e complemcntaridade entre os centros uÍbanos de tamaúo médio da intemacionais. Segundo a conclusão:

União Européia.r5 Cappelin concluiu que:


Todos or indicadorcs spontam púa um fortalêcimcnto ds cstrutura hicrâr-
quica dc fuoçõcs dc comândo e controle c do Íesultrntc intcrcâmbio dc
A importância relativs das rchçõcs cnhc cidadcs c Íegiões psrec€ diminuir infoÍÍnaçeo... A conccntrâção localizâda da informação resulta de altos nl-
tl quardo comparad.a à importância das relações quc intcrligam vÁrias cidades vcis dc inceÉczs, por sua vcz motivada pela tEnsformação tccnoló8ics, pcr-
de regiõcs c palses diferentes... As Douzs atividÂdcs concctrFâJn-sc om pólot sonElização, dcsrcgularncntâção c globalização do motcado.,. (Contudo) À
especlficos, c isso implics üm aumcnto das disparidâdca cntrc os pólos ur- mcdida quc a época atual for sc descnvolvcndo, pêrsittlrá s importância da
banos e as rcspectirr hintcrlândias.ló flcxibilidadc, como mccanisino básiço de stuaçÃo, c da6 cconomiâs dc âglo-

1
,çIlr
408 O crp.ço dê fluxos ffi # o cspaço dc flurot 409 .

sl:rl :;:"

Orlgem Dcstlno Íii


"Àl
';§i I
Novr York .1,5:3 Lor
^nl.lcs
Los Angcles 1.39r Novr York ?
0
rl
I
Novo York

Washlnglon
@
2.168 W.rhlBgton

Nova York
u E
e
d I

I ô
i Lo6 Àngeles SÃo Frânclsco

I Noy, York EtiI


-ITL Bo3lon il fi
ll
0

@
rITãI
Novo York FlladélÍh u
E
P
Boslon Noyo York llfit! Ú,.
t'l3]I
Nova York Milml i9 ã^

FilsdélÍis Iltil Novo York


D
o.:?
Allanla Iil Noyr York
,.1

Éà
São Franclsco @ Nova York d
Novs York @ AllanÍs -o 2,À
@ <õ
Dsllâs

Chlcsgo r I.os Angel€s

Los AnSelcs
;z
ç-a
<E
Figurâ 6.1 Maior crescimento absoluto dos fluxos dá informação, 1982 e 1990
Foníe: Dados da Federal Express. Elaborada por Michêlson e Wheeler (1994). il m -1 é-
t!
(J ,xá-:
ld
E?
I \ p
memção, como fator preemincnte de lmalizaçâo. Portanto, a impoíánciâ da .9
cidade como centro de gravidade paÍa as transaçôes cconômicas não desa-
I 'r.: pareccrá, Mas com a iminente regulamentâção dos mercados intcmaciomis.,. Ê E ,R!
!;IIttll o t t:-
i:i com meno§ incerteza sobre as rcgras do jogo cconômico c scus pârticipan-
tU 92
tes, a concentração do sgtor dâ informação sofrcrá uma desaceleÍzçâo, c
i ri, certos aspcctos dâ produção c distribuiçÃo filtrarão cm nlvcis mais brixos
,rÉ
êrE
! ... dc uma hierzrquia urbana intcmacionalizád8.2o
i:lilÍll \êô
!l
De fato, a hiemrquia na Íedo não é de forma alguma gaÍEntida ou estável:
está sujeita à conconência acirÍadâ eoEe as cidades, bem como à aventura de I
investimentos de alto risco em finanç5s e b€ns irnobiliários. Assim, P. W. Danicls,
: '1,
;'J em um dos estudos Ínais EbrangentÊs sobre o assunto, atibui o fracasso parcial do

;i'I i.1
\'
,i
,..s
4t0 O êsp!ço dc Íluo! 'rii O rspaço dc fluxos 4

redes produtivas e dc gerenciamepto, cuja flexibilidade não precisa incorporar


llll grande projeto de redesenvolvimento urbano de Canary Wharf, nas Docklands
de Londres, à estratêgia superampliada de sua empreendedora, a famosa enr- trabalhadores e fpmecedores, ma9 ser capaz de acessá-los quando for conve.
niente e quantas vezes forem necessárias em cada situação especlfica. A fle-
presa canadense Olympia & York. A empresa foi incapaz de absorver o excesso
trl de desenvolvimento de cscritórios dos anos 90, na estcira da reduçãô do nível de xibilidade e a adaptabilidade são rpais bem-servidas por cssa combinação entre
1,, emprego em serviços financeiros de Londres e Noya York. Daniels conclui que: I ag.lomeraçâo de redes centrais e a paíiÇipação dessas redes centrais e de suas
rcdeÀ dispersas auxiliares cm redes globais, via telecomunicações e tmnsporte
I
Ill A cxpansão de serviços no mercado intemacional introduziu, portanto, um aéroo. Outros fatores também parecem contribuir para fonalecer a concentÍação
g.aü maior que no passado em termos de flexibilidade e, em última análise, de atividades de alto nÍvel cm alguns nós: uma vez realizados, grandes invcsti-
de concoftência no sistema urbano globsl. Como a cxpcriência com Canary mcntos emprcsariais em imóycis valiosos explicam a relutância cm mudar-se,
WhaÍf demonstrou, cssa ârhpliaçâo também fez quc o resulrádo do plane- porque tal iniciativa desvalorizariq, seus ativos fixos; também, contatos pessoais
jamento e redesenvolvimento urbaros em lÂrgâ cscals ficÂssê rdfém dc fatorrs para dccisõcs cruciaia continrlam oondo nocessários na cra da cscuta gcocrall-
extcmos intcmâcionâis sobÍe os quâis sê pode rcr apenas contsole limitado.2l zada, visto quo, conformc confissão de um gorente em entrevista a Saskia Sas-
sen, algumas vezes há necessldade de os acordos comerciais serem marginal-
Poíanto, no inicio dos anos 90, enquanto, de um lado, cidades como Bang- mcnte ilegais.2! E, Íinalmenle, os principais centros metropolitanos continuam a
kok, Taipei, Xangai, México D,n ou Bogotá desfrutavam um crescimento ur- oferecer as maiores oportunidades de aperfeiçoamento pessoal, .rlalrs social c
bano explosivo fomentado pelos negócios, de outro, Madri, Nova York, Londres auto-satisfação aos imprcscindíveis profissionais liberais de nlvcl supcrior de
e Paris experimentavam uma queda que causou profunda diminuição nos preços -
boas cscolas para seus filhos a uma adesão simbólica ao grande consumo, inclu-
de imóveis e paralisou novas coDstruções. Esta montanha-Íussa urbana, em dife- sive de aíe e entretenimento.2a
rentes períodos nas diveÍsas áreas do mundo, ilustra a dcpendência e a vulnera- Contudo, os serviços arançados e principalmentc os serviços em gcral es-
bilidade de qualquer local, inclusive das principais cidades, em relação aos flu- palham-se e desce[tralizam para a periferia das áreas metropolitanas, áreas nre-
xos globais em transformaçâo. lropolitanas menores, rcgiõcs menos desenvolvidas e alguns países menos desen-
Mas por que esses sistemas de sewiços avançados ainda devem ficar dc- volvidos.25 Novos centros rógionais de atividades de processamcnto de serviços
pendentes da aglomeração em alguns grandes nós ou ccntÍos metropolitanos? A surgiram nos Estados Unidos (por exemplo, Atlanra, Gêórgia, ou Omaha, Ne-
esse respeito, Saskia Sassen, novamente, coroando anos de pesquisa em tEbalho braska), na Europa (Barcelona, Nico, Stuttgart, Bristol e outros), ou na Ásia (por
de campo dela mesma e de outros pesquisadores em difcrentes contextos, dá exemplo, Bombaim, Bangkok, Xsngsi). Ar poriforiar dl impoíanto. âr6!t mo.
respostas convincentes. Afi rma que: tropolitalas cstão agitadas com o dese[volvimento de novos escritórios, seja
Walnut Creek em São Francisco, seja Rcading perto de Londres. E, en alguns
A combinâçeo de dispersão espacial c integração global criou novo papel casos, surgiram noyos e importantes centros de serviços às margens de cidades
esFatégico parâ as principais cidad€s, Além de sus longa históÍia como ccntsos históricas, scndo La Défense de Paris o exemplo mais famoso e bem-sucedido.
j de coméÍcio e atividades bancáÍias intcmacionais, cssas cidadls agora fun- No entanto, em quasc todos os casos, a dçsçentralizSçào do trabalho de es-
;."! cionam em quatro no\as formas: primeira, como Poltos de comando al- critório afeta as "funções de apoio", ou seja, oproccssamenlo em massa das
i-i lr tamente concentrados na organização da economia mundial; segwda, como transaçôes que executam as estratégias docididas e projetsdas nos cêntros em-
:,r :
localiz!ções-châve paÍa empresas finalceiras e de serviços espccializados...; presariais das altas finanças e de serviços avançados.26 Essas são precisamente
i.ji terceira, como locais de produção, inclusive s produçâo de inovação ncsses as otividades quc empregam a maior pane dos trabalhadores de escritório se-
I impoÍtanlcs setorcs; c quarta, como mercados para o§ produtos e 8s ino- miquatificados, em grande parte mulheres suburbanas, muitas dçlas substitulvcis
1.§
vaçõcs produzidas.z
ou rccirláveis, à medida que a tecnologia evolui e a montaúa-russa econômica
t.. coltin$a.
Essas cidades, ou mclhor, seus bairros comerciais, são complexos dc pro-
1' ' O que essc 6istema espacial dc Btividades de serviços avançados aPrcscnta
t; dução dc valor com base na informação, onde as sedes corpomtivas ê a§ emPrc- dc signifrçativo não é sua conccntração nem descentralização, já que os dois
sas financciras avançadas podem cnconu-ar tanto os fomecedores como a mãode- procc6sos, na vordadc, cstâo oconcndo ao mosmo tempo cm todos or Palsos §
i
obra especializatla altamente qualificada de quc preaisam. S€m dúvida, constituem
,,;
i r't
ái:
,!..1
a:!
ii
,fl
I 4t2 O êspaço dc fluxos §
:-i {
.i!
I

I continentes. Tàmbém não é a hiecarquia de sua geografia, uma vez que essa
esü,
sem dúvida, subordinada à geometria variável do dinhciro e dos fluxos
da
mação. Afinal, qucm podcria prcvcr no illcio da década dc 80 quc Taipci,
fnfor- li
I Madri
'l ou Buenos Aires poderiam emergir como importantcs ccntros financeiros e
de
II negócios intemacionais? Acredito que a megalópole Ilong Kong-Shenzhcn4uang-
ir zhou-Zhuhai-Macau será uma das principais capi ais linanceiras e de negóciós
no inicio do século XX[, assim promovendo um grande realinhamento da gco-
l, grafia global dc serviços avançados.27 Mas para a análise espacial proposta
ngste
I trabalho, nAo é impoíante fazer uma previsão a ceíada. Porque, embora
a lo-
calização real dos centros de alto nível em cada período seja decis r parE
a
distribuição da riqueza e do podcr no mundo, sob a perspectiva da lóglca esPa.
cial do novo s istema, o que importa é a versatilidade dc süas redes. A cidade
lobal não é unr lu gar, mas um processo. Um proccsso por meio do qual
os
centros pro ut tvo§ e consumo seryrço§ ar?nç dos e suas sociedades auxi-
Iiares locais estâo conectados em uma rede global embora, ao mesmo tempo,
diminuam a importância das conexões com suas hinterlândias, com basc em
fluxos da informação.

Você também pode gostar