Você está na página 1de 4

ASPECTOS COMPORTAMENTAIS DA GESTÃO DE PESSOAS

1- As diferenças perceptuais podem influenciar os relacionamentos


interpessoais? Sim, a maneira como cada indivíduo percebe e vê as
coisas, a si próprio e o mundo influencia no seu julgamento e
relacionamento com outros indivíduos. Quanto melhor for o seu
autoconhecimento, melhor poderá ser a percepção do outro e
conseqüentemente a interrelação.
2- Quem investe no autoconhecimento aumenta suas chances de
sucesso. Você concorda com esta afirmação? Porquê? Sim.Pois ele
é o ponto de partida para o processo de mudança pessoal.
Desenvolver o autoconhecimento implica em conhecer as próprias
emoções, saber lidar com as emoções, motivar-se, reconhecer as
emoções no outro e saber lidar com os relacionamentos. Quem
desenvolve estas técnicas tem maiores chances nos
relacionamentos interpessoais e conseqüentemente obtém maior
sucesso.
3- Como o feedback do líder pode influenciar o comportamento de
sua equipe? Positiva ou negativamente, depende da maneira como
for desenvolvido. Mas deve ser utilizado para manter e aprimorar
desempenhos, orientar e aconselhar pessoas, adquirir novas
aptidões, desenvolver talentos e o desempenho em equipe, assim
como criar motivação e comprometimento. Para isto deve analisar
a situação antes de começar uma reunião de feedback, praticar a
comunicação assertiva, mostrar os comportamentos a serem
alterados, e fazer uma autocrítica após a reunião.
4- Quais são as principais características do processo de
aprendizagem? . o processo resulta de mudança de
comportamento, . a aprendizagem decorre da prática, . o
comportamento adquirido é permanente e . a aprendizagem não é
diretamente observável.
5- Que relação têm as idéias de Paulo Freire com o papel do líder
como educador? Segundo Paulo Freire ensinar é promover a
construção do conhecimento, é pensar certo e é escutar. Também
na empresa o líder como educador deve construir o conhecimento,
ou seja, ensinar na prática como se faz, a prática traz um
aprendizado maior do que a teoria, pensar certo é constantemente
rever seus conceitos e atualizar-se perante as mudanças, o líder
educador deve partir do grau de conhecimento do liderado,
sabendo que este tem condições de criticar o ensinamento e
chegar a conclusões por si mesmo, pensar certo é ética,
pensamentos e atitudes coerentes e por fim ensinar é escutar, pois
o aprendizado coletivo pode ser mais produtivo se todos tiverem
voz, quem efetivamente faz também ensina e o líder pode
despertá-los para um aprendizado ainda maior.
6- Quais as principais diferenças comportamentais entre o modelo
burocrático de gestão e o das organizações contemporâneas? O
modelo burocrático defende a impessoalidade, defesa de território,
controle e autoridade estabelecidas pelos cargos ao passo que as
Organizações Contemporâneas afirmam o compartilhamento, a
colaboração, a confiança e a autoridade fundamentada no
conhecimento.
7- Na sua experiência profissional, você considera que predominam
os comportamentos burocráticos ou os comportamentos
inovadores? Por quê? Acredito que na maioria das empresas ainda
deva permanecer o comportamento mais próximo ao burocrático
com definições de terreno, controles e a impessoalidade, mas creio
que também dependa da empresa ou dos setores... na minha
empresa nós já praticamos um pouco mais o 2º comportamento
talvez não seja ainda totalmente inovador mas mais próximo disso.
O fato das empresas ainda estarem no modelo burocrático em
grande maioria deve-se, no meu ponto de vista, a resistência a
mudanças.
8- Reflexões a respeito: da utilidade da ética em sua vida profissional?
A ética é o comportamento moral humano, a ação humana,
determinando assim os valores de uma sociedade. Um profissional
precisa agir conforme os códigos éticos da sociedade em que vive,
pois será julgado por este mesmo código, se tiver um
comportamento anti-ético, embora por uma boa causa não o
beneficiará no julgamento. Os fins não justificam os meios.
9- Reflexões a respeito: do assédio moral e suas repercussões? O
assédio moral, constrangimento ou desqualificação da pessoa ou
profissional por meios verbais ou não verbais, com o objetivo de
macular o ambiente de trabalho é uma prática que prejudica o
clima organizacional, gerando discórdia, mau desempenho, faltas,
desligamentos... um clima organizacional prejudicado influi
diretamente na produção da empresa. Desta forma deve-se
solucionar este problema o mais rapidamente possível.
10- Reflexões a respeito: da importância de uma postura ética
organizacional? A postura ética de uma organização cria uma
credibilidade interna e externa na empresa, clientes, fornecedores
e colaboradores sentem-se mais felizes e motivados a trabalharem
com uma empresa que mantém uma postura ética.
11- De que modo as falhas no processo de comunicação podem
prejudicar a organização? A comunicação quando eficiente
transmite as informações a todos os níveis da organização e
quando falha isto deixa de ocorrer, prejudicando o entendimento e
os resultados da produção. Uma comunicação eficiente traz
resultados eficazes. É preciso eliminar os ruídos da comunicação, e
criar uma forma de comunicação realmente eficaz, ou o mais
próximo disto.
12- Por que é importante o líder saber “ler” os aspectos não-verbais da
comunicação dos seus colaboradores? É pela linguagem não verbal
que se verifica como a informação chegou ao seu destino, se foi
assimilada ou não, se agradou ou não, numa reunião ou conversa é
bom estar sempre atento ao grau de interesse dos componentes
sobre o assunto desenvolvido para não correr o risco de falar sem
ser entendido e conseqüentemente atendido. Da mesma forma um
feedback recebido ou dado é preciso avaliar a comunicação não
verbal pois ela compõe mais de 90% do processo.
13- Quais as principais barreiras de comunicação existentes em sua
organização? *pouca disponibilidade de tempo, *relacionamento
interpessoal, *tendência a avaliar e julgar(receptor), *desconfiança
(receptor).
14- Se um trabalhador for uma pessoa esforçada e motivada, mas não
tiver as habilidades necessárias para a tarefa que lhe confiaram, qual será o
resultado? Mesmo sendo uma pessoa motivada e esforçada, a motivação
deste trabalhador deve cair, já que não conseguirá cumprir com suas
tarefas, o desafio é motivador mas quando está fora de alcance torna-se um
fator de desmotivação, pois baixa a auto-estima, uma das alavancas da
motivação. É preciso estar atento ao repassar as tarefas, verificar se a
pessoa estiver realmente preparada para a função, o treinamento ou
acompanhamento da liderança poderiam suprir as necessidades do
colaborador, desta forma deixando-o apto à função, mantendo a motivação,
já que o indivíduo é esforçado, pode encará-lo como um desafio não o
alcance de metas “impossíveis”.
15- Como será o trabalho de um colaborador desmotivado mas
talentoso? Abaixo do esperado, mesmo talentoso, o fato de estar
desmotivado o inibe de realizar as tarefas com maior empenho. Neste caso
é preciso conhecer os fatores que motivam ou desmotivam esta pessoa na
organização para desta forma alterar o quadro, para que haja um melhor
aproveitamento de recursos de ambas as partes.
16- Quais são as principais características da liderança conectiva e em
que ela se distingue das demais? São líderes que induzem e exploram
interconexões entre pessoas, instituições e processos, em toda parte. São
líderes que atuam no cenário atual, dinâmico onde imperam alianças,
fusões e mudanças constantes. Liderança conectiva traz uma amplitude
maior, distingui-se da liderança centrada no líder, onde o líder pensa e os
liderados executam, da centrada nos lideres e nos liderados, onde existe a
liderança autocrática ou democrática, da liderança situacional que tem
enfoque no líder, liderados e na situação, alternando estilos de liderança
conforme a situação atual. Na liderança conectiva há uma maior
participação do líder e liderados no processo, todos fazem parte das fases
do processo tendo uma iniciativa e um empenho intenso do líder para
democratizar, construindo uma comunidade, com visão conjunta
incentivando o surgimento de novas lideranças, exigindo sacrifícios pessoais
antes dos liderados.
17- Como você vê a atuação do líder no universo do teletrabalho?
Numa equipe de teletrabalho o enfoque maior é nos resultados já que não
existem os controles internos de uma organização, a equipe deve ser
bastante coesa e o líder atua como um animador, facilitador, a comunicação
passa a ser a distância, um dos pontos fracos, porém nesta equipe devem
participar pessoas aptas ao trabalho a distância para que se consiga os
resultados almejados.
18- Como você explica a formação de um grupo e sua transformação
em equipe? Um grupo é uma reunião de pessoas que transforma-se em
equipe quando existe um objetivo comum, trabalham conjuntamente cada
qual com suas habilidades para um propósito, a equipe trabalha unida e
comprometida com o todo e com cada um, buscando resultados e sendo
mutuamente responsáveis por eles.
19- Estabeleça um paralelo entre uma equipe autogerenciada e uma
equipe multifuncional. A equipe multifuncional conta com a participação de
especialistas de diversas áreas para desenvolver uma atividade ou projeto,
ao passo que as autogerenciadas são equipes com alta autonomia, com
poder de decisão inclusive de admissão ou demissão, visando a melhoria
dos resultados da equipe, não necessariamente especialistas, mas coesos.

Sandra Regina Bergmann Schneider


26/abril/2006