Você está na página 1de 4

SERVINDO UM PATRONO, FILOSOFIA OU FORCA

O clérigo comum é um servo ordenado de um deus particular e escolhe um Domínio Divino


associado a essa divindade.

A magia do clérigo flui do deus ou do reino sagrado deste deus, e muitas vezes o clérigo tem
um símbolo sagrado que representa essa divindade.

Alguns clérigos, especialmente em um mundo como Eberron, servem a todo um panteão, em


vez de uma única divindade. Em certas campanhas, um clérigo pode, em vez disso, servir uma
força cósmica, como a vida ou a morte, ou uma filosofia ou conceito, como o amor, a paz ou
um dos nove alinhamentos.
“Selûne, a Donzela da Lua

Selûne é uma divindade atenciosa, mística e serena. Ela é calma e tranqüila, e geralmente tem
uma aparência entristecida, graças a eventos muito antigos. Em contraste ao seu
comportamento padrão, reluzem as batalhas ferozes que ela trava com sua arquiinimiga, Shar,
que atravessam os céus e outros planos. Selûne assume muitas formas, refletindo as fases da
própria lua. Ela é tolerante com a maioria dos seres.

As igrejas de Selûne são formadas por diversas congregações de adoradores, que incluem
marinheiros, licantropos, místicos e conjuradoras (nunca conjuradores). Apesar das diferenças
entre os fiéis e suas igrejas, todos são amigáveis e obsequiosos entre si. A aparência dos
templos de Selûne varia conforme seus freqüentadores, desde pequenos santuários em áreas
selvagens até edifícios tão grandes quanto mansões, com o teto aberto para os céus. Os
templos realizam adivinhações, enfrentam licantropos malignos, oferecem cura com
generosidade e pregam a auto-suficiência e a humanidade.

Os clérigos de Selûne rezam por suas magias à noite, em direção a lua. Embora a maioria dos
rituais da religião seja individual e geralmente envolva dança e oferendas de vinho ou leite,
todos os clérigos festejam a Conjuração da Segunda Lua e o Mistério da Noite. A Conjuração
acontece durante o Encontro de Escudos. Ela convoca as Centelhas, que são planetárias de
cabelo azul a serviço da deusa, para seguir as ordens do clero (quase sempre combater os
lacaios de Shar); no final da cerimônia, um dos clérigos une-se às fileiras de Centelhas. O
Mistério da Noite acontece anualmente. Durante sua realização, os clérigos flutuam a grandes
alturas para comungar com a divindade enquanto permanecem em transe. Os adoradores de
Selûne costumam adquirir níveis de bardo ou feiticeiro.

História e Relacionamento: Da essência primordial do mundo e do firmamento, aglutinaram-se


duas deusas gêmeas que se complementaram como luz e trevas. Juntas, elas criaram o mundo
e os outros corpos celestes, preenchendo-os com vida. Então, as duas gêmeas guerrearam
para controlar o destino da sua criação; desse confronto, nasceram às divindades originais da
magia, da guerra, da doença, do assassinato, da morte, entre outras. Com o tempo, o conflito
atingiu um equilíbrio, mas Selûne, a deusa da luz, continua tentando erradicar os planos de sua
irmã maligna, Shar. Os demais inimigos da Donzela da Lua são Umberlee e Mask, mas ela tem
muitos aliados entre as divindades da sorte, luz, magia, beleza, tempo e alegria. Foi Selûne
quem concedeu a divindade à Mystra durante a Grande Catástrofe em um ritual envolvendo
“os escolhidos das estrelas”.

Dogma: Permita que todos os voluntários atingidos pela luz de Selûne sejam bem-vindos. A
vida é similar a lua prateada, que cresce e míngua. Confie no brilho de Selûne e saiba que todo
o amor vivente abaixo de sua luz receberá sua benção. Vire-se para a lua e ela será sua
verdadeira guia. Promova a aceitação e a tolerância. Trate todos os seres como iguais. Ajude
aos Selûnitas como se fossem seus amigos mais queridos.

Símbolo: Par de olhos femininos, rodeados por sete estrelas prateadas.

Tendência: CB (Caótico e Bom).


Aspectos: Lua, estrelas, navegação, navegadores, peregrinos, missionários, licantropos bons e
neutros.

Domínio da Forja Os deuses da forja são patronos de artesãos que trabalham com metal, do
ferreiro humilde que mantém as ferraduras e arados da vila, ao grande elfo artesão cujas
flechas de mitral com ponta de diamante abateram lordes demoníacos. Os deuses da forja
ensinam, que com paciência e trabalho duro, mesmo o metal mais intratável pode ser
transformado de um pedaço de minério para um objeto lindamente trabalhado. Clérigos
destas divindades buscam objetos perdidos às forças da escuridão, resgatam minas ocupadas
por orcs e recuperam os materiais raros e maravilhosos necessários para criar itens mágicos
potentes. Seguidores destes deuses têm muito orgulho de seu trabalho e estão dispostos a
criar, usar armaduras pesadas e armas poderosas para protegê-lo. Divindades deste domínio
incluem Gond, Reorx, Onatar, Moradin, Hephaestus e Goibhniu

criada por anoes a elfa foi jogada na forja e reforjada para ser uma guerreira que iria dobrar
seus inimigos como dobra o aço

Seiren demonstra geralmente indiferença, mas ela claramente se preocupa com aqueles que
ela considera amigos e família, ela está virtualmente disposta a fazer qualquer coisa por eles.
Seu pai e mestre é uma dessas pessoas. Seiren o ama muito e está disposto a morrer por ele se
significar o protegê-lo. Apesar disso ela é um enigma ele finge não se importar, mas acaba
sempre ajudando quando precisa dela.

Basil Ainsworth é um ferreiro mestre que perdeu sua esposa e o braço esquerdo em um
incidente e Seiren é sua filha adotiva talentosa.

Seiren cresceu com seu pai na forja do templo de Selune e é um grande ferreiro respeitado na
cidade que foi agraciado com dons da criação pelo deus Gond, Basil é um anão que tinha uma
relação especial com a elfa Althaea que ele salvou na floresta próxima onde foi buscar os
minérios para sua forja ela já estava gravida de Seiren quando ele a salvou ela não possuía
memorias do que aconteceu e mesmo com seus mistérios ele a acolheu em sua casa onde
criaram uma relação especial entre eles.
Em uma noite tempestuosa Althaea entrou em trabalho de parto e depois de muito esforço
Seiren nasceu, mas algo estava errado algo maligno estava a espreita em meio as sombras uma
figura adentrou a casa e apagando toda e qualquer luz do ligar Basil tentou enfrentar a besta
mas acabou perdendo seu braço esquerdo para ele e no desespero Althaea se pôs na frente de
sua filha que acabara de nascer e tomou um ataque fatal tirando sua vida e no seu ultimo ato
enquanto a criatura ia embora ela disse seu adeus e agradecendo pelo tempo que passaram
juntos e deu um nome a sua filha Seiren era seu nome e depois de dar a Basil sua vida se
esvaiu.

Depois dessa tragedia ele se viu forçado a se mudar para dentro de um templo para proteger
sua filha já que algo estava rondando sua presença a mesma que tirou a vida de sua Althaea
pedindo refúgio em um templo de Selune onde Seiren cresceu com seu pai enquanto ele a
ensinava a arte da forja quando ela chegou à maioridade eles decidiram que era hora de voltar
a reabrir sua forja, mas agora próximo ao templo onde Seiren se mostrou um cleriga da forja e
incumbida de procurar objetos perdidos às forças da escuridão.

Seiren ainda sente falta de sua mãe mesmo não tendo nenhuma memória sobre ela. Mas
ainda que não tenha respostas para o que aconteceu no seu passado ela acredita que um dia
as encontrara e mesmo agora que tenha que partir em viagem para cumprir sua missão ela
ainda pensa em seu pai e sempre que pode o visita em sua forja e agora mais do que nunca
eles ainda não sabem que a ameaça que levou seu ente querido está se aproximando
novamente ...

Agora ela vai rumo a guilda para cumprir seus objetivos.

Você também pode gostar