Você está na página 1de 494

Flávia Rita Coutinho Sarmento

PORTUGUÊS

. DESCOMPLICADO .

A'

Gramática e Interpretação de Textos

para Concursos Públicos

4a edição

A GRUPO
Animus
PORTUGUÊS

.DESCOMPLICADO.

Gramática e Interpretação de Textos

para Concursos Públicos


Para Júlia, Víctor e Tatá.
Sem vocês, meu mundo seria cinza.
Obrigada por encherem de cor os meus dias, por fazerem bagunça,
por falarem alto, espalharem as coisas, por pedirem o possível
e o impossível... por serem o meu momento mágico do dia,
por fazerem de mim
a mãe mais realizada e completa que poderia desejar ser.

Para minha mãe, sempre.


Sem o seu amor, eu não conseguiria... Ainda me entristeço, às vezes
até me ressinto de não tê-la mais comigo. Mas, aceito os planos de
Deus e agradeço pela bênção que você foi em minha vida.

Para Cassinha, minha irmã tão dedicada. Sempre me mandando


mensagens carinhosas, telefonando-mepara saber como estou...
Puxando a minha orelha quando trabalho demais ou desapareço!

Para Luana, minha eterna amiga. Sempre disponível e bem-


-humorada.

Para Pedro, meu amigo fiel. Quem mais poderia me fazer rir
quando estou triste? Quem mais poderia me levar ao zoológico para
ver o gorila? Obrigada por estar sempre por perto.

Para Rose, por cuidar de mim, da minha casa e dos meus filhos.
AGRADECIMENTOS

Ana Karinne Senra


Ana Paula Marcati
Andreia Ferreira Noronha
Carolina Sales de Araújo
Curso Orvile Carneiro (MG)
Curso Praetorium (MG)
Curso Pro Labore (MG)
Curso Múltiplas (RJ)
Curso Papa Concursos (RS)
Daniele A. S. Cabral
Eudson Justiniano Cardoso da Silva
Faculdade Anhanguera
Fernanda Oliveira
Fernanda Resende
Fernanda Souza
Gabi
Kathleen Fernandes
Layla Fabel Gontijo
Luana Marina Alves
Luciana Paula Rincon
Mariana Assíria
Pablo Leonardo Ribeiro da Silva
Pedro Henrique Menezes Ferreira
Pleno Preparatório
Professor Marcelo Sobral
Rede de Ensino Pitágoras
Rede Interasat
Roberta Zampeti
Rosilene Ponciano Souza
Silvânia Souza
Supremo Concursos
APRESENTAÇÃO

ensino da Língua Materna tem se tornado um desafio para os docentes da área. Cada vez menos teóricas,
as provas de concursos públicos ganham dimensão reflexiva e verificam habilidades lingüísticas adquiri-
O das ao longo da vida escolar do candidato.
Os manuais de gramática não devem ser esquecidos, mas as provas revelam um discurso muito mais pauta-
do na análise lingüística que propriamente na apreensão isolada de regras. O fato de os itens de gramática serem
formulados a partir de textos presentes na própria prova revela um avanço na avaliação dos concursandos. Insti-
tuições como UNB, FUNDEP, FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS e FUMARC formulam as questões de gramática
a partir dos textos das provas, ou seja, os elementos lingüísticos dos suportes empregados na construção da prova
é que "ditam" as questões.
Conteúdos tradicionais continuara a ser cobrados. O verbo e suas flexões figuram os programas de reconhe-
cidas instituições, mas há espaço para questões mais práticas como as da FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS, que
normalmente opta por explorar as relações entre tempos verbais. A UNB também apresenta sempre pelo menos
um item sobre o tema, mas com uma nuance semântica. Nota-se uma preocupação das instituições contemporâne-
as em verificar o conhecimento do candidato a partir da língua em uso. Mais do que saber qual é o tempo e o modo
de uma forma verbal, o candidato deve demonstrar conhecimento sobre o emprego de tal mecanismo lingüístico.
Planejar os estudos a partir da banca organizadora do concurso é um diferencial que garante o sucesso de muitos
candidatos.
A noção de certo e errado não é a única referência para o aprendizado da língua. Por isso, considerar as va-
riações do Português se faz necessário em nossa prática pedagógica. Não raro, os programas atuais contemplam o
tópico "Variação Lingüística". Tomando com base tal conteúdo, uma construção pode estar adequada a um deter-
minado gênero textual, mas não ser compatível com outro. Na NCE, por exemplo, as questões de Redação Oficial
exploram construções do texto-base, também utilizado na elaboração dos demais itens. Solicita-se ao candidato
que verifique a possibilidade de uma determinada sentença figurar ou não em uma Redação Oficial. O aluno deve,
portanto, analisar as construções propostas e assinalar a que estiver mais adequada aos padrões do gênero textual.
A variação lingüística vai além da dicotomia certo' e errado', pois explora as possibilidades contextuais da língua.
Nós, professores de Português, temos, então, um grande desafio se pensarmos a língua como um fenômeno
cultural não estático e cheio de implicações. Dessa forma, somos convidados a transformar a nossa sala de aula em
uma espécie de laboratório real dos estudos que envolvem a linguagem. É preciso apresentar aos alunos conteúdos
que serão efetivamente cobrados pelas diversas bancas organizadoras e refletir sobre o perfil de cada instituição.
Faz-se necessário efetivar conceitos lingüísticos e verificá-los por meio de exercícios que privilegiem a análise em
detrimento da memorização. Os concursos públicos, hoje em dia, partem da premissa de que o candidato deve ter
acesso ao conhecimento lingüístico de forma reflexiva e contextualizada. Nessa nova perspectiva, tenho tentado
conduzir minhas aulas. Certa de que todos "perseguem" seus objetivos, estarei sempre em busca das melhores for-
mas de ensinar e aprender no ambiente da sala de aula.
A autora.
SUMÁRIO
Introdução Unidade V
Linguagem, Língua e Fala 13 Análise Sintática 130
Conceitos Básicos 130
Unidade I Período Simples 130
Fonologia 14 Período Composto 139
Noções de Fonética 14 Exercícios 160
Acentuação Gráfica 16
Reforma Ortográfica 18 Unidade VI
Exercícios 22 Regência 164
Conceito 164
Unidade II Regência Nominal 164
Ortografia 26 Regência Verbal 166
Algumas Orientações Ortográficas 26 Casos de Regência 170
Dificuldades Ortográficas 27 Exercícios 174
Palavras que Oferecem Dúvida Quanto à
Unidade VII
Sílaba Tônica 29
Crase 180
Variantes Lingüísticas 29
Conceito 180
Emprego das Letras 30
Casos Proibidos de Crase 181
Emprego das Iniciais Maiúsculas 31
Casos Especiais de Crase 182
Semântica, Sinonímia, Antonímia 31
Casos Facultativos de Crase 183
Exercícios 35
Casos Obrigatórios de Crase 184
Exercícios 184
Unidade III
Morfologia (Classes de Palavras) 44
Unidade VIII
Relação Determinante/Determinado 44
Concordância 188
Classes de Palavras 45
Concordância Nominal 188
Substantivos 46
Concordância Verbal 192
Adjetivos 52
Exercícios 198
Advérbios 54
Preposições 55
Unidade IX
Conjunções 57 Pontuação 204
Interjeições 58
Pré-requisitos para o Estudo da Vírgula 204
Artigos 58 Outros Sinais de Pontuação 210
Pronomes 59
Exercícios 214
Verbos 80
Numerais 101 Unidade X
Exercícios 102 Algumas Questões Gramaticais 220
Vocábulo QUE 220
Unidade IV Vocábulo SE 221
Morfologia (Formação de Palavras) 120 Análise Sintática
Conceitos Básicos 120 (Termos do Período Simples) 223
Processo de Formação de Palavras 122 Flexão do Infinitivo 227
Exercícios 124 Exercícios 229
Unidade XI Ortografia 322
Estilística - Compreensão e Relação Determinante-Determinado 324
interpretação de textos 234 Classes de Palavras 327
Noções Básicas de Interpretação 234 Formação de Palavras 330
Significação Contextual Pronome 332
de Palavras e Expressões 239 Verbo 334
Variação Lingüística; Modalidade do Uso Análise Sintática 337
da Língua e Adequação Lingüística 240 Concordância 340
Denotação e Conotação 242 Crase 343
Estilística 242 Regência 345
Figuras de Linguagem 242 Pontuação 348
Vícios de Linguagem 247 Elementos de Coesão 351
Funções de Linguagem 248 Figuras de Linguagem 355
Tipos de Discurso 254
Fatores de Textualidade 255 Unidade XIV
Exercícios 261 Exercícios (Treinando por Bancas) 359
Questões da Fundação Carlos Chagas 359
Unidade XII Questões da Fumarc 374
Exercícios (Treinando por Provas Completas) Questões da Fundep 390
Prova I Questões do Cespe 404
(Esaf - Ministério da Fazenda) 270 Questões do Cetro 410
Prova II Questões da Esaf 430
(Esaf - Receita Federal) 278
Prova III
Apêndice
(FCC-TRE/Amazonas) 288
Redação Oficial 455
Prova IV
(FCC-TRE/Amazonas) 293 O que é Redação Oficial? 455
Prova V Pronomes e Formas de Tratamento 459
(Fundep - Analista Municipal/OP) 297 Fechos para Comunicações 461
Prova VI Identificação do Signatário 461
(Fundep - Tribunal de Justiça/MG) 301 O Padrão Ofício 462
Prova VII Forma de Diagramação 463
(Fundep - Assembleia/MG) 304 Tipos de Texto Oficial 464
Prova VIII Outros Tipos de Textos 469
(Fundep - Tribunal de Justiça/MG) 309 Exercícios 477
Prova IX Produção de Texto Dissertativo 479
(Fundep - Analista Judiciário/MG) 313
Noções Básicas 479
Prova X
Qualidades de um Texto 480
(Fundep - Analista de Sistemas/Prodabel) 316
O que é Dissertação? 480
Estrutura Clássica do Texto Dissertativo .... 484
Unidade XIII
Dicas Finais 485
Exercícios (Treinando por Temas) 320
Propostas de Redação 487
Fonética / Acentuação Gráfica /
Divisão Silábica 320
Obras de Referência 490
ÍNDICE REMISSIVO DE QUADROS SINÓPTICOS

ACENTUAÇÃO GRÁFICA 25 PREFIXOS DE ORIGEM GREGA 127


ADJETIVOS PÁTRIOS 104 PREFIXOS DE ORIGEM LATINA 128
ANÁLISE SINTÁTICA - DICAS GERAIS 162 PRONOMES ÁTONOS EM
CLASSIFICAÇÃO DOS VERBOS 115 LOCUÇÕES VERBAIS - EMPREGO 111
COESÃO TEXTUAL 268 PRONOMES ÁTONOS EM
COLOCAÇÃO PRONOMINAL 109 TEMPOS COMPOSTOS - EMPREGO 110
COLOCAÇÃO PRONOMINAL - RESUMO 112 PRONOMES DEMONSTRATIVOS
COMPARATIVOS E - EMPREGO 113
SUPERLATIVOS IRREGULARES 107 PRONOMES PESSOAIS OBLÍQUOS ÁTONOS
CONCORDÂNCIA NOMINAL 202 - FUNÇÕES SINTÁTICAS 108
CONCORDÂNCIA VERBAL 200 PRONOMES RELATIVOS
CONJUGAÇÃO - DICAS GERAIS 114 - EMPREGO 108
CONJUNÇÕES 107 PRONÚNCIA ADEQUADA
CONSIDERAÇÕES SOBRE PRONÚNCIA 42 DE ALGUNS VOCÁBULOS 41
CORRELAÇÕES DE INFINITIVO 163 PROSÓDIA 43
CRASE 186 QUE - TIPOS 230
DIFICULDADES ORTOGRÁFICAS 40 RADICAIS DE ORIGEM GREGA 126
DIVISÃO SILÁBICA 25 RADICAIS DE ORIGEM LATINA 129
ESQUEMA DETERMINAÇÕES VERBAIS 117 REGÊNCIA NOMINAL - EXEMPLOS 179
FOCALIZAÇÃO DISCURSIVA 264 REGÊNCIA VERBAL - ESQUEMA 176
FON ÉTICA 24 REGÊNCIA VERBAL - EXEMPLOS 178
FORMAS REDUZIDAS DE SE - FUNÇÕES 231
ALGUNS ADJETIVOS PÁTRIOS 106 SE (CONJUNÇÃO) - TIPOS 232
FUNÇÕES DE LINGUAGEM 266 SE (PRONOME) - TIPOS 232
GRAU DOS ADJETIVOS 106 TABELA DE BASES VERBAIS 117
INTERTEXTUALIDADE 267 TEMPOS COMPOSTOS 116
ORAÇÕES ADJETIVAS 163 TEMPOS PRIMITIVOS E TEMPOS DERIVADOS... 113
ORAÇÕES SUBSTANTIVAS 163 TIPOS DE DISCURSO 267
OUTROS SINAIS DE PONTUAÇÃO 218 TIPOS DE LINGUAGEM 268
PARONÍMIA E HOMONÍMIA 36 VERBOS IRREGULARES - BASES 114
PLURAL DAS PALAVRAS VERBOS QUE APRESENTAM
TERMINADAS EM ÃO 104 DIFICULDADES DE CONJUGAÇÃO 118
POLIFONIA 269 VÍCIOS DE LINGUAGEM 268
PONTUAÇÃO - VÍRGULA 216 VOZES VERBAIS 116
PREDICADO 163
INTRODUÇÃO

LINGUAGEM,

LÍNGUA E FALA

A linguagem torna o homem capaz de comu- parte individual da língua: varia conforme a es-
nicar-se e o distingue dos seres irracionais, por- colha de cada um, o que resulta em vários níveis.
que é por meio dela que se transmite a cultura não NÍVEIS DA FALA - Estes podem ser: culto,
só no tempo como no espaço. O resultado disso é coloquial ou literário.
a evolução. A língua culta ou língua-padrão requer estu-
Língua ou idioma é uma instituição. É um do profundo, conhecimento das normas gramati-
instrumento social à disposição do falante. É um cais. A Gramática Normativa apresenta as regras a
dos veículos que o homem criou para traduzir a serem obedecidas para se escrever bem, fator in-
linguagem. É um sistema de sinais (signos lingüís- dispensável para assegurar a unidade lingüística.
ticos) convencionais e organizados. Em concursos públicos, avaliam-se não ape-
A utilização da língua pelos diferentes falan- nas as normas da língua como também os recur-
tes constitui o discurso ou fala. Portanto, fala é a sos de que ela dispõe.

A gramática normativa é dividida em cinco partes:

I. FONOLOGIA: estudo dos sons e de suas representações gráficas.

II. MORFOLOGIA: estudo da palavra em sua estrutura e formação, em suas flexões e em seu agru-
pamento em classes.

III. SINTAXE; estudo das palavras associadas em orações e das orações agrupadas em períodos.

IV. SEMÂNTICA: estudo dos significados das palavras em determinado contexto discursivo.

V. ESTILÍSTICA: estudo do aspecto estético e emocional da linguagem, principalmente na literatu-


ra. Nesse item, a Gramática se atém de modo mais enfático à linguagem figurada.

13
UNIDADE !

FONOLOGIA

NOÇÕES DE FONÉTICA Encontros


vocálicos Como acontecem Exemplos

Ditongo Encontro de dois sons vo- pei-xe


FONEMA cálicos na mesma sílaba, trou-xa
pronunciados de uma só hós-tia
vez. lí-rio
Fonema é a menor unidade sonora que entra
na constituição da palavra. Sendo o fonema uma Tritongo Encontro de três sons vo- i-guais
cálicos na mesma sílaba, sa-guão
unidade sonora, só pode ser percebido pelos nos- pronunciados de uma só a-ve-ri-guei
sos ouvidos. vez. Pa-ra-guai
• Fonema é de natureza sonora; representa, Hiato Encontro de sons vocáli- po-e-ta
pois, cada som por nós emitido. cos em sílabas diferentes, sa-ú-de
pronunciados separada- ca-í-da
• Letra é a representação gráfica do fonema; é, mente. ru-im
portanto, a tentativa que fazemos de represen- No aparecimento dos encontros vocálicos
tar graficamente o som que emitimos. ditongo e tritongo, ocorrem dois tipos de fonemas:
Nem sempre há coincidência entre o número vogai e semivogal.
de letras e de fonemas.
Em chave, escrevemos 5 letras - c h a v e - e
Semivogal
pronunciamos 4 sons - x av e - porque ch possui
É o fonema pronunciado mais fracamente que
apenas o som de x.
a vogai; é outro som elementar da voz humana;
Em boxe, escrevemos 4 letras - b o x e - e pro-
quando pronunciado vem acompanhado de leve
nunciamos 5 sons - bokse - porque o x possui o
ruído consonantal. São os fonemas / y / e / w /
som de ks.
que se agrupam com uma vogai, formando sílaba.
Na escrita, é representada por e, i, o, u.
ENCONTRO VOCÁLICO Nunca aparece sozinha. Entra na formação dos
seguintes encontros vocálicos: ditongo e tritongo.
Existem palavras em que os sons ou fonemas
Caixa Ameixa
a, e, i, o, u são pronunciados com maior ou me-
A: vogai E: vogai
nor intensidade, imediatamente um após o outro,
constituindo os encontros vocálicos. I: semivogal I: semivogal

I 14
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Ditongo • Tritongos orais


Encontro de uma vogai com uma semivogal. a-de-quai a-guai a-pa-zi-guei
azuis síria água a-ve-ri-gueis ave-ri-guou ra-diou-vin-te

Conforme a posição da vogai e da semivogal,


• Tritongos nasais
o ditongo é classificado em crescente ou decres-
de-sá-guem sa-guôes
cente.
Quanto ao papel das cavidades bucal e nasal, o
Hiato
ditongo pode ser oral ou nasal. Encontro de duas vogais em sílabas separadas.
• Ditongo crescente: quando a semivogal vem
har - mo - ni - a ru - a
antes da vogai.
ba - ú sa - í - da
dolência > do-lên-cia
DÍGRAFO
A
SV V É o conjunto de duas letras que representam
• Ditongo decrescente: quando a semivogal um único fonema.
vem depois da vogai.
ss; massa qu: quilo
ágeis ->a - gets rr: arroz gu: águia
Ih: ilha sc: piscina
v sv nh: ninho sç: nasça
ch: chave xc: exceção
O ditongo decrescente pode ser oral ou nasal.
• Oral: quando o ar sai apenas pela boca:
saudosos, faixa, trouxa, peixe, coronéis,
Em palavras como quatro,
jibóia, véu...
guaraná e escola, não encontramos dígrafos,
• Nasal: quando o ar sai pela boca e pelo nariz: porque qu, gu e sc representam dois sons.
Nos grupos am, an, en, em, im etc., em
Coração, amam, bênção, órgão, hífen...
palavras como bambu, linda, monte etc., o m
Os ditongos nasais apresentam -m, -n ou til. ou o w não são pronunciados, apenas nasali-
zam a vogai anterior, por isso são considera-
dos dígrafos vocálicos.
Bambu (bãbu)

Também podem ser conside-


rados ditongos os grupos em, am, en, an, on, ENCONTRO CONSONANTAL
al, el, ol, em palavras como: porém, amam, tre-
É o encontro de duas consoantes numa mesma
mem (tremei/tremeim), palma, hífen...
palavra.

Tritongo plangentes sombras tremem


Encontro de semivogal + vogai + semivogal. emblema plasma asco

Pa- ra- guai astro istmo teste

15
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

ENCONTRO CONSONANTAL REGRAS DE ACENTUAÇÃO

• Perfeito: mesma sílaba Acentuam-se os monossílabos ■


pro - ble - ma Exemplos
tônicos terminados em

• Imperfeito: sílabas distintas A(s) más, pá, vá, Brás, chá


tes - te
E(s) fê, vê, mês, Sé, três, pé

O(s) nó, pós, dó, pôs, só


ACENTUAÇÃO GRÁFICA

TONICIDADE IBEÊBüssisml
Também recebem acento as formas verbais
• Oxítonas terminadas em o - e - a tônicas, seguidas de
A última sílaba é tônica. pronome (lo, los, la, Ias): trá-lo, fá-lo, vê-lo,
pô-los, vê-los...
MA/RA/BÁ
Certas formas verbais pronominais apresen-
MA RA BA
tam dois monossílabos tônicos acentuados:
Jabá - mocotó - sapê - você vê-lo-ás
Lmonossílabo tônico terminado em a (s)
• Paroxítonas monossílabo tônico terminado em e (s)
A penúltima sílaba é tônica.

HIS/TÓ/RIA fá-lo-á
Lmonossílabo tônico terminado em a(s)
HIS TO RIA
monossílabo tônico terminados em a(s)
lápis - remédio - órfão - ímã

• Proparoxítonas Acentuam-se
A antepenúltima sílaba é tônica. as oxítonas Exemplos
terminadas em
RÁ/PI/DO EM/ENS também, parabéns, alguém
RÁ PI DO 0(5) retrós, compôs, cipó, mocotó
E(s) jacaré, vocês, café, dendê
lâmpada - síndico - pêssego - ínterim
A(s) Carajás, vatapá, verás, guaraná

• Monossílabas Tônicas
Possuem apenas uma sílaba e ela é tônica.

gás - má - cá - pá - dó - ré - mês Acentuam-se todos os vocábulos proparoxí-


tonos: bígamo, bárbaro, cálice, chácara, cândi-
A classificação das sílabas se observa da di-
do, chávena, conjugue, cúpula, diácono, déspota,
reita para a esquerda da palavra (do final
êxodo, féretro, gélido...
para o princípio do vocábulo).

16
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

sem acento (com 1, m, n, r, z ou seguidos


de nh): Raul, ruim, juiz, cair, saindo, amen-
Termcis proparoxítonos podem ser encontra- doim, bainha, tainha...
dos fazen do parte de formas verbais pronominais:
Coloca-se acento circunflexo na sílaba tônica
entregá-lo-íamos das formas verbais de terceira pessoa do plu-
proparoxítona ral do presente do indicativo dos verbos ter e
oxítona terminado em a vir e de seus derivados:

Ter Vir
Acentuam-se ele tem ele vem
as paroxítonas Exempl os eles têm eles vêm
terminadas em
PS bíceps, tríceps, fórceps, Quéops • Os derivados recebem acento agudo no sin-
l(s) júri, táxis, biquíni, tênis, lápis gular e acento circunflexo no plural.

R fêmur, dólar, caráter, Víctor


Derivados (Regra de Oxítona)
N Nélson, hímen, cânon, abdômen ele contém ele intervém
Ã(s) ímã, órfãs, dólmã eles contêm eles intervém
ÃO(s) órfão, bênção, acórdãos ele retém ele sobrevém
eles retêm eles sobrevêm
US Vênus, bônus, vírus, lótus
El(s) pônei, louváveis, úteis, jóquei • Acentuam-se os ditongos abertos éi, éu, ói
UM(uns) fórum, álbuns, médiuns em final de palavra.
L útil, notável, automóvel, fácil coronéis, chapéu, véus, lençóis...
X tórax, fênix, Félix, ônix
Ditongo Acento Diferencial
família, Vitória, cárie, vácuo, níveo Recebem o acento diferencial (circunflexo) os
crescente
Ditongo vocábulos tônicos que apresentam a mesma escri-
amáveis, favoráveis, notáveis ta que os átonos (chamados de homógrafos).
Decrescente
por (preposição) X pôr (verbo)
pode (presente) X pôde (pretérito)

Vocábulos paroxítonos terminados em A(S)


E(S), 0(S) e EM (ENS) não são acentuados. RESUMINDO...
òifen - hifens hímen - himens Recebem acento
Proparoxítonos todos
Regras Especiais Monossílabos
terminados em a(s) - e(s) - o(s)
• Acentuam-se os hiatos tônicos I e U, sozi- tônicos
nhos ou com S: Oxítonos terminados em a(s) - e(s) - o(s) -
Paroxítonos diferentes de em - ens
• O "1" e o "U", quando forem a segunda vogai
tônica de um hiato, não estando seguidos de Hiatos tônicos i(s) -u(s)
nh, recebem acento: saúva, ruína, saíres, baú, Ditongos em final de
éi - ói - éu
país, baús, caíste, balaústre, Esaú, juizes... abertos palavra

17
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Grafia do Porquê • preposição por + conjunção integrante que.


Anseio por que você saia. (= para que)
a) Escreve-se separado e sem acento: por que
b) Escreve-se separado e com acento: por quê
• preposição por + pronome interrogativo que, preposição por + pronome interrogativo que
na introdução de orações interrogativas dire- no final das interrogativas.
tas ou indiretas. Saíste por quê? (= por que razão)
Por que saíste? (interrogativa direta)
c) Escreve-se junto e sem acento: porque como
Diga-me por que saíste. (interrogativa indi-
conjunção, qualquer que seja. (causai ou ex-
reta)
plicativa)
Saí porque eu quis. (= pois)
• preposição por + pronome relativo que, refe-
rindo-se a um substantivo.
d) Escreve-se junto e com acento: porquê como
Não sei o motivo por que saíste. (= pelo qual)
substantivo.
Dê-me uma razão por que não posso sair.
Não interessa o porquê da minha saída.
(= pela qual)
(= motivo)

üíiTDGídfICA k
1-TREMA
ANTES m \ ATUALMENTE
Usávamos o trema na vogai "U" (pronunciada e átona), ante- (sem trema)
cedida de Q ou G e seguida de E ou I. O objetivo do trema era LINGÜIÇA, FREQÜÊNCIA,
distinguir a vogai "U" muda (= não pronunciada) da vogai "U" QÜINQÜÊNIO, SEQÜESTRO,
pronunciada: lingüiça, freqüência, qüinqüênio, seqüestro, TRANQÜILO, QUINQUAGÉSIMO,
tranqüilo, qüinquagésimo, delinqüente, pingüim, entre tan- DELINQÜENTE, PINGÜIM...
tas outras.

2 - REGRA DO ACENTO DIFERENCIAL (PARCIALMENTE ABOLIDA)


ANTES ATUALMENTE
Recebiam acento gráfico: (sem acento)
• "ELE PÁRA" (do verbo PARAR, só a 3a. pessoa do singular • "ELE PARA aqui todos os dias";
do presente do indicativo); . "EU PELO", "TU PELAS" E "ELE
. "EU PÊLO, "TU PÉLAS" e "ELE PÉLA" (do verbo PELAR); PELA";
• "O PÊLO", "OS PÊLOS" (substantivo = cabelo, penugem); . "O PELO", "OS PELOS";
• "A PÊRA" (substantivo = fruta); . "A PERA";
• "O PÓLO', "OS PÓLOS" (substantivo = jogo ou extremidade). . "O POLO", "OS POLOS".

18
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

O QUE NÃO MUDA:


(PÔR X POR) 1
• PÔR (só o infinitivo do verbo) • POR (preposição)
"Ele deve PÔR em prática tudo que aprendeu". "Ele deve ir POR este caminho".

VERBO PODER
.PÔDE • PODE
É a 3a. pessoa do singular do pretérito perfeito Ê a 3a. pessoa do singular do presente do indicativo.
do indicativo. "Agora ele não PODE sair".
"Ontem ele não PÔDE resolver o problema".

Outros exemplos !
I- VERBO II - PREPOSIÇÃO
• Isto é para PÔR aqui, Mariana? • Eles passam POR aqui todos os dias.
• Todos os dias você deve PÔR ração para os » POR Deus, o que aconteceu, Flavinho?
pombos, certo? « Ela é feliz POR ter a Júlia e o Víctor em sua vida.
• No mês passado você não PÔDE pagar a conta,
neste você PODE?
Só é possível identificar a palavra como verbo ou preposição
verificando o contexto (toda a construção da frase).

Em FÔRMA (substantivo), o acento diferencial é facultativo.

3 - REGRAS DOS DITONGOS ABERTOS


"EU", "El" E "OI" (PARCIALMENTE ABOLIDA)
ANTES ATUALMENTE 1
Acentuavam-se todas as palavras que Perderam o acento agudo somente as palavras
apresentavam os ditongos abertos ÉU / EI / ÓI. PAROXÍTONAS.
CÉU, RÉU, CHAPÉU, TROFÉUS, PAPÉIS, ANÉIS, I-DEI-A, BOI-A, JI-BOI-A, ESFE-ROI-DE, HE-
IDÉIA, ASSEMBLÉIA, DÓI, HERÓI, EU APÓIO... ROI-CO, EU A-POI-O, ELE A-POI-A...

O QUE NÃO MUDA: O acento agudo permanece


NOTA: Não se acentuam os ditongos nas palavras MONOSSÍLABAS (UMA SÓ SÍLABA)
fechados: E NAS ÓXITONAS (ÚLTIMA SÍLABA TÔNICA):
EU: SEU, ATEU, JUDEU, EUROPEU... MONOSSÍLABAS: DÓI, MÓI, RÓI, CÉU, RÉU...
EI: LEI, ALHEIO, FEIA... OXÍTONAS: HERÓI, ANÉIS, PAPÉIS, PASTÉIS,
OI: BOI, COISA, 0 APOIO... TROFÉU, CHAPÉUS...

4 - REGRA DO "U" E DO "I" (PARCIALMENTE ABOLIDA)


ANTES ATUALMENTE |
FEI-Ú-RA, BAI-Ú-CA, BO-CAI-Ú-VA As palavras em que as vogais "1" e "U" não formam
hiato com a semivogal do ditongo anterior perderam
o acento agudo (falso hiato).
FEI-U-RA, BAI-U-CA, BO-CAI-U-VA i

19
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

O QUE NÃO MUDA:

As vogais "1" e "U" recebem acento agudo sempre que formam hiato com a vogai anterior, desde que sozinhas
na sílaba ou com "S" e distantes do dígrafo
Gra-ja-ú ba-ú a-tra-í-do con-te-ú-do pa-ís fa-ís-ca
ca-ís-te dis-tri-bu-í-do sa-ú-de ra-í-zes ju-í-za ca-í-mos

5 - OUTRAS REGRAS
A) Não se acentua mais a letra "U" nas formas verbais GUE, QUE, GUI, QUI, dos verbos apaziguar, averiguar,
arguir e obliquar.
ANTES ATUALMENTE
ARGÚI, APAZIGÚE, AVERIGÚE, OBLIQÜE ARGUI, APAZIGUE, AVERIGUE, OBLIQUE

B) Os hiatos "OO" e "EE" não são mais acentuados.


ANTES ATUALMENTE
abençôo - enjôo - perdôo - vôo - corôo - côo abençoo - enjoo - perdoo - voo - coroo - coo
môo - povôo - lêem - dêem - crêem - vêem moo - povoo - leem - deem - creem - veem
descrêem - relêem - revêem... descreem - releem - reveem...

6 - HIFENIZAÇÃO

A) HÍFEN - RR e SS: O hífen não é mais utilizado em palavras formadas de prefixo terminado em vogai +
palavra iniciada por "R" ou "S", sendo que essas letras devem ser dobradas.

ANTES ATUALMENTE
ante-sala ante-sacristia auto-retrato antessala antessacristia autorretrato
anti-social anti-rugas arqui-romântico antissocial antirrugas arquirromântico
arqui-rivalidade contra-senso contra-regra arquirrivalidade contrassenso contrarregra
extra-sístole extra-seco infra-som extrassístole extrasseco infrassom
semi-sintético semi-real ultra-sonografia semissintético semirreal ultrassonografia

NOTA; Nos prefixos SUB, HIPER, INTER e SUPER, permanece o hífen se a palavra seguinte for iniciada por
"H" ou"R":
sub-hepático hiper-realista inter-racial inter-relação
hiper-requintado hiper-requisitado inter-regional super-racional
super-realista hiper-história super-homem inter-hospitalar

/
20
FLÂVIA RiTA C0UT1NH0 SARMENTO

B) HÍFEN - MESMA VOGAL: Agora se utiliza o hífen quando a palavra é formada por um prefixo terminado
em vogai + palavra iniciada pela mesma vogai.

ANTES ATUALMENTE
Microondas microônibus Micro-ondas micro-ônibus
Antiibérico antiinflamatório Anti-ibérico anti-inflamatório
Antiinflacionário antiimperialista Anti-inflacionário anti-imperialista
Arquiinimigo microorgânico Arqui-inimigo micro-orgânico

NOTA: São exceções os prefixos "CO" e "RE", que permanecem sem hífen diante de vogai idêntica.
cooperação coobrigar coordenar
reelaborar reestruturar reeleger

C) HÍFEN - VOGAL DIFERENTE: Não se utiliza mais o hífen em palavras formadas por um prefixo termi-
nado em vogai + palavra iniciada por outra vogai.
ANTES ATUALMENTE
auto-afirmação auto-ajuda autoafirmação auto ajuda
auto-aprendizagem auto-escola autoaprendizagem autoescola
auto-estrada auto-instrução autoestrada autoinstrução
contra-exemplo contra-indicação contraexemplo contraindicação
extra-oficial infra-estrutura extraoficial infraestrutura
intra-ocular intra-uterino intraocular intrauterino
neo-expressionista neo-imperialista neoexpressionista neoimperialista
semi-aberto semi-árido semiaberto semiárido
semi-automático semi-embriagado semiautomático semiembriagado
semi-obscuridade supra-ocular semiobscuridade supraocular
ultra-elevado micro-esfera ultraelevado microesfera

NOTA: Esta regra não se encaixa quando a palavra seguinte se iniciar por "H".
anti-herói anti-higiênico extra-humano semi-herbáceo

D) Não se usa mais hífen em compostos que, pelo uso, perderam a noção de composição ou que tenham termo
de ligação.
ANTES ATUALMENTE
manda-chuva pára-quedas mandachuva paraquedas
pára-quedista pára-lama paraquedista paralama
pára-brisa pára-choque parabrisa parachoque

NOTA: O uso do hífen permanece em palavras compostas que não contêm elementos de ligação e constituem
unidade sintagmática e semântica, bem como naquelas que designam espécies botânicas e zoológicas.
beija-flor couve-flor erva-doce conta-gotas segunda-feira bem-te-vi

ano-luz azul-escuro médico-cirurgião guarda-chuva mal-me-quer tenente-coronel

21
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE O HÍFEN:

. Em palavras formadas com prefixos "PRÉ", "PRÓ", "PÓS" (quando acentuados graficamente), "EX" (no sen
tido de "passado"), "VICE", "SOTO", "SOTA", "ALÉM", "AQUÉM", "RECÉM" e "SEM", usa-se o hífen.
pré-natal pró-europeu pós-graduação ex-presidente vice-prefeito soto-mestre
além-mar aquém-oceano recém-nascido sem-teto vice-rei pré-vestibular

♦ Em palavras formadas por "CIRCUM" e "PAN" + palavras iniciadas em VOCAL, H, M ou N, usa-se o hífen.
pan-americano circum-navegação circum-murado circum-hospitalar

Com os sufixos de origem tupi-guarani "AÇU", "GUAÇU" e "MIRIM", que representam formas adjetivas, usa-
se o hífen.
amore-guaçu anaja-minm capim-açu

EXERCÍCIOS

Assinale a opção em que todas as palavras são acen- Indique a única alternativa em que NENHUMA pala-
tuadas pela mesma regra de "alguém", "inverossí- vra é acentuada graficamente.
mil" e "caráter", RESPECTIVAMENTE: a) bônus, tênis, aquele, virus
a) hífen, também, útil b) repolho, carvalho, onix, grau
b) armazém, útil, éter c) juiz, saudades, flores, assim
c) têm, anéis, éter d) levedo, carater, condor, ontem
d) há, impossível, crítico e) caju, virus, níquel, ecloga
e) pólen, magnólias, nós
A palavra abaixo que NÃO deve receber acento grá-
Assinale a alternativa de vocábulo INCORRETAMEN- fico é
TE grafado. a) constrói
a) hifen b) orfã
b) item c) filantropo
c) itens d) têxtil
d) ritmo
As silabadas, ou erros de prosódia, são freqüentes
Indique a única alternativa em que NENHUMA pala- no uso da língua. Assinale a alternativa onde NÃO
vra é acentuada graficamente. ocorre nenhuma silabada.
a) lápis, canoa, abacaxi, jovens
a) Eis aí um prototipo de rúbrica de um homem vai-
b) ruim, sozinho, aquele, traiu doso.
c) saudade, onix, grau, orquídea
b) Para mim a humanidade está dividida em duas
d) voo, légua, assim, tênis metades: a dos filantropos e a dos misantropos.
e) flores, açúcar, alguns, virus

22
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

c) Os arquétipos de ibero sao mais púdicos que se 9 Todas as palavras a seguir apresentam o mesmo nú-
pensa. mero de sílabas e são paroxítonas, EXCETO:
a) silencio
d) Ávaro de informações, segui todas as pegadas do
éfebo. b) gratuito
c) insensível
7 Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE d) melodia
as frases:
1 Cada qual faz como melhor lhe . 10 Em algumas palavras, a posição da sílaba tônica não
2 O que estes fracos? é tão nitidamente marcada, decorrendo daí pronún-
cias desencontradas. Nesses casos, a Gramática pro-
3 Neste momento, os teóricos os
põe como correta a forma que está de acordo com o
conceitos.
uso culto. Quando há hesitação no próprio uso culto,
4 Eles a casa do necessário. a Gramática admite como corretas as diferentes pro-
núncias. Assim, é correto tanto acrobata como acró-
a) convém / contêm / reveem / proveem bata (trata-se de formas variantes). As palavras que
b) convém / contém / reveem / provêm seguem apresentam problemas de acentuação gráfi-
c) convém / contém / revêm / provêm ca, decorrente da sua pronúncia hesitante. Assinale a
alternativa em que todas as palavras estão grafadas
d) convém / contém / reveem / proveem
de acordo com a pronúncia culta.
e) convém / contêm / reveem/ proveem
a) pudico, rúbrica, ínterim
8 Todas as palavras a seguir devem ser acentuadas gra- b) lêvedo, boêmia, ibero
ficamente, EXCETO
c) avaro, aerolito, batavo
a) hifen
b) biquini d) filantropo, gratuito, aziago
c) item e) alacre, ímprobo, protótipo
d) juizes

| p-OT | q-6 | >8 i b-Z 1 q-9 | o-S | 3-1? | q- £ | e-z | q-i |


oiuBqeo

DICAS GERAIS

1 - Em palavras como i - dei - a e pia - tei - a, pronomes tônicos. Preposições, conjunções,


não há hiato. Observe que, como o ditongo artigos e pronomes átonos constituem mo-
é decrescente, não há encontro de vogais em nossílabos átonos.
sílabas distintas. Logo, tais palavras apresen-
tam ditongo e falso hiato. 3 - Em palavras como história e grêmio, há ins-
tabilidade fonética no ditongo. Dessa forma,
2 - Os monossílabos tônicos são semanticamen- alguns autores consideram a possibilidade de
te completos, por isso são representados por divisão do ditongo (proparoxítonas eventuais).
substantivos, adjetivos, advérbios, verbos e his -tó - ri. a grê -mi. o
23 |
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

FONÉTICA
FONEMA: é a representação sonora de uma letra ou de um conjunto de letras.
• A letra "x" pode, ocasionalmente, ter o som de "ks".
• Não se pode fazer a inclusão de vogais após consoantes não sonoras.

CONSIDERAÇÕES SOBRE FONEMA


• O número de letras de um vocábulo pode ser igual, maior ou menor que o número de fonemas.
• As letras "m" e "n" podem, ocasionalmente, indicar apenas a nasalização da vogai anterior ou emitir sons de semivogal.

DÍGRAFO (DIGRAMA): é o encontro de duas letras que produzem um único fonema.


Dígrafo vocálico: vogai + m/n.
Dígrafo consonantal: nh, ch, Ih, rr, ss (serão sempre dígrafos), xc, cç, qu, gu... (dependendo da palavra).

ENCONTRO CONSONANTAL: é o encontro de duas consoantes que produzem dois sons distintos.
Encontro consonantal perfeito: na mesma sílaba.

Encontro consonantal imperfeito: em sílabas distintas.

ENCONTRO VOCÁLICO: é o encontro de duas vogais ou de vogai + semivogal.


Escala: A (vogai)
• A letra "A" é sempre vogai. '^
O: pode ser vogai ou semivogal. O
E: pode ser vogai ou semivogal. E
I/U: podem ser vogais ou semivogais.
Ü (som, pois o trema não existe mais): sempre semivogal. I/U
Toda semivogal acontece associada a uma vogai.
Ü (semivogal)
DITONGO: é o encontro de vogai + semivogal ou de semivogal + vogai na mesma sílaba.
Ditongo crescente: semivogal + vogai.
Ditongo decrescente: vogai + semivogal.
Ditongo aberto: a pronúncia é aberta. Portanto, o som é de acento agudo.
Ditongo fechado: a pronúncia será fechada, Logo, o som é de acento circunflexo.
Ditongos orais: pronúncia pela boca.
Ditongos nasais: pronúncia pelo nariz. São aqueles que possuem N/M/TIL.
As letras M, N e L podem formar encontros vocálicos quando produzirem sons de semivogais (i/u).

TRITONGO: é o encontro de semivogal + vogai + semivogal na mesma sílaba.


HIATO: é o encontro de duas vogais em sílabas distintas.
A palavra "muito" apresenta ditongo nasal em caráter excepcional.

24
FLÁVIA RiTA COUTINHO SARMENTO

DIVISÃO SILÁBICA
Não existe sílaba sem vogai.

Consoante "sozinha" fica em sílaba anterior.

Os prefixos ab, ob, ex, bis, trans, sob, sub... , quando acompanhados de vogai, formam sílaba. Por outro lado, quando
acompanhados de consoante, não formam sílaba.
Os dígrafos NH, LH e CH ficam sempre na mesma sílaba.
Letras duplicadas ficam sempre em sílabas separadas.
As vogais dos hiatos ficam em sílabas separadas.
Ditongos e tritongos não se separam.
Observação; As palavras paroxítonas terminadas em ditongo crescente podem admitir uma divisão fonética do ditongo.

Sílaba anterior acentuada - final junto: his-tó-rja


ATENÇAO di-á-rio
Palavras terminadas em dois sons vocálicos crescentes

Sílaba anterior sem acento - final separado: a-le-gri-a


di-a

ACENTUAÇÃO GRÁFICA
REGRAS GERAIS
Acentuam-se os monossílabos tônicos terminados em A(s), E(s), O(s). São monossílabos tônicos substantivos, adjetivos,
advérbios, verbos e pronomes tônicos.
Acentuam-se as oxítonas terminadas em A(s), E(s), O(s), EM e ENS.
Não se acentuam as paroxítonas terminadas em A(s), E(s), O(s), EM e ENS.
Acentuam-se as paroxítonas terminadas em: -L-N.-R,-X, W-UM.-US, -Ad).-Ã,-Pj b DITONGO. => NltMPSLEIRUSXÃO
Acentuam-se as paroxítonas terminadas em ditongo crescente.
Todas as proparoxítonas são acentuadas.
CASOS ESPECIAIS
Acentuam-se as vogais -i e -u dos hiatos em 23 posição, tônicas, sozinhas ou seguidas de -S e longe de -NH (condições
simultâneas).
Acentuam-se os ditongos abertos OI, EU e El em final de palavra (oxítona ou monossílaba).
Emprega-se o acento diferencial nos seguintes vocábulos: pôr (verbo) para diferenciar de por (preposição), pôde (preté-
rito) para diferenciar de pode (presente).
OBSERVAÇÕES
• Os derivados de ter e vir apresentam acento circunflexo no plural e acento agudo no singular.
• Dobram a letra "e" no plural: crer, dar, ler, ver e derivados (sem acento).
• Em caso de verbos associados a formas pronominais, são usadas as regras normais de acentuação. Parti-lo (oxítona ter-
minada em "i"), substituí-lo (hiato), apoiá-lo (oxítona), vendê-lo (oxítona), contrariá-lo (oxítona), vendê-lo-íamos.

25
UNIDADE II

ORTOGRAFIA

ALGUMAS ORIENTAÇÕES FORMAÇÃO DE SUBSTANTIVOS

ORTOGRÁFICAS A PARTIR DE VERBOS

S
Antes de qualquer informação, é necessário
imeRGir imersão
observar:
exPELir expulsão
Toda palavra derivada conserva
as letras da palavra primitiva. diveRIir diversão
aspeRCiR aspersão
Palavra primitiva Palavras derivadas inCORRer incursão
cereja cerejeira ImPELir impulsão
inveRIer inversão
varejo varejista
disCORRer discurso
cortês cortesia
asceNDer ascensão
cerveja cervejeiro compreeNDer compreensão
anjo anjinho Conclusão: Escrevem-se com S os substantivos
canja canjica e adjetivos derivados de VERBOS cujos radicais
terminem em RG, RT, ND, PEL e CORR.
jeito ajeitar, rejeitar, sujeitar
Outros exemplos:
tesouro tesoureiro, tesouraria
converter conversão
Obs.: Para formar o diminutivo no plural, faz-se,
descender descensão
primeiramente, o plural do substantivo no grau
normal, depois acrescenta-se o sufixo zinho e, em pretender pretensão
seguida o s, de plural.
papel —> papéis _papeizinhos compelir compelisão
flor -aflores —> florezinhas
concorrer concurso
anzol anzóis —anzoizinhos

1 26
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Observação: A maioria dos substantivos abstra-


ss
tos derivados de verbos são escritos com çao.
conCEDer concessão
subMETER submissão
VERBO SUBSTANTIVO ABSTRATO
opriMIR opressão
obrigar obrigação
aCEDer acesso
descrever descrição
permiTIR permissão
informar informação
admiTIR admissão
redigir redação
impriMIR impressão
reter retenção
proMETER promessa
aceitar aceitação
aCREDir agressão
continuar continuação
Conclusão: São escritos com SS os substantivos
derivados de verbos cuja terminação é CEDER,
MIR, TIR, METER, GREDIR.
DIFICULDADES ORTOGRÁFICAS
Outros exemplos:
Que / Quê
reprimir repressão
QUE QUÊ
discutir discussão Monossílabo átono Monossílabo tônico
a) No meio da frase: a) Quando vem no final
progredir progressão
Não sei o que ele fez. da frase:
Então, você fez o quê?
remeter remessa b) No início da frase:
Que trabalho é este? b) Quando é substantivo:
retroceder retrocesso 0 que fazer? Ela tem um quê
angelical.
c) Como conjunção:
Todos dizem que isso é c) Como interjeição:
Ç
mentira. Quê! Você já chegou?!
deTER detenção
aTER atenção
Por que / Por quê / Porque / Porquê
conTER contenção
PORQUE
Conclusão: Escrevem-se com Ç os substantivos
a) Nas frases interrogativas:
derivados de verbos que se originam de TER (ver-
Diretas - Por que você o ofendeu!'
bo). Indiretas - depois dos verbos "dicendi" (que
indicam dizer):
Outros exemplos:
Ele me perguntou por que você o agradeceu.
obter obtenção
b) Como pronome relativo (= pelo qual):
Esta não me parece a vida porque ele luta.
abster abstenção

27
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

PORQUÊ Onde / Aonde


Usado no final das frases interrogativas diretas ou
ONDE AONDE
indiretas:
(lugar em que, no qual) (preposição a + onde)
Você o defendeu por quê? Usado com verbos que É usado com verbos de
pedem a preposição em. movimento, que indicam
Você o defendeu e não disse porquê. Esses verbos indicam "direção para" exigem A.
permanência. Vou aonde quero.
Moro onde f ca a igreja. Aonde vais?
PORQUE A casa onde ele reside é
simples.
Conjunção: causai ou explicativa.

Ele está muito feliz porque passou no concurso. - Causai. A/Há/À

Você está triste é porque não passou na prova? - Causai A HÁ


na interrogativa. Artigo - Vem antes do a
3 pes. do sing. do pres.
Por favor, ajude-me, porque estou doente. - Explicativa substantivo feminino: a ind. do verbo haver.
casa, a vida, a beleza... Sentido de tempo
passado:
Preposição - Indica Isso aconteceu há pouco.
PORQUÊ
distância, tempo futuro, Estou aqui há 2 horas.
É um substantivo. Vem precedido de determinante: direção, destino, etc. Sentido de existir:
Ele não definiu o porquê de sua atitude. Não vamos q teatro. Hoje não há sessão.
Acasafca q200m. Ali há uma casa bem antiga.
Só irei daqui a 2h.
Vou a Paris.
Mal / Mau
A A (pronome
MAL bem (a prep. + artigo) pessoal = ela)
Vou a + a praia. Os pais já a encontraram.
E/e chegou mal' Ele não é tão mau.
Vou ò praia.
E/e chegou bem- Ele não é tão bom.
0 ml com o bem se paga. Tem um mu humor.
Enviarei a correspondência A (pronome
Mal saí, ele chegou, (conj) Tem um bom humor.
à empresa. demonstrativo = aquela)
Esta obra é a que indicaram
no censo.

Mas / Mais Ao encontro de / De encontro a

MAS = porém MAIS # menos AO ENCONTRO DE DE ENCONTRO A


ser favorável, estar de acordo ser contra, opor-se
0 país parece que está Foi ele quem mais trabalhou.
Sua decisão veio ao encontro Sua decisão veio de
melhorando, mas ainda Foi ele quem menos trabalhou.
das minhas expectativas, por encontro às minhas
há inflação. (= porém Estava mais afito.
isso estou feliz. expectativas, o que
ainda há inflação.) Estava menos afito.
muito me decepcionou.

28
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Afim / A fim de A par / Ao par

AFIM A FIM DE = para AO PAR


A PAR
semelhante, igual (locução prepositiva) indica equivalência de
bem informado
Descobri que tínhamos Estou aqui a fim de te ajudar. valores financeiros
idéias a fins. Sorria a fim de me alegrar. Não estou a par do As moedas fortes, como a libra,
assunto da conferência. mantêm-se sempre ao par.

Demais / De mais
PROSÓDIA OU SÍLABA
DE MAIS # de menos
DEMAIS = muito PALAVRAS QUE OPEREM DÚVIDA
ou a mais
Ele ficou feliz demais. Não veio nada de mais aqui. QUANTO À SÍLABA TÔNICA
(Ficou muito feliz.) (Não vejo nada de menos aqui.l
OXÍTONAS PAROXÍTONAS PROPAROXÍTONAS
cateter. acórdão. aeródromo,
Senão / Se não harém. misantropo. biótipo,
Gibraltar. exegese, anélito.
SENÃO mister. necropsia. íngreme
SE NÃO
de outro modo, do contrário, Nobel. filantropo, arquétipo.
caso não (condição) fortuito.
aliás, porém, exceto novel. bávaro.
refém. gratuito, boêmia,
Trabalha e estuda, senão nada Se não ficou rico ainda,
recém. avaro. aziago, ínterim,
conseguirás. (= do contrário) trabalhe mais.
ruim. barbaria, pudico, ruMola
Ninguém senão você poderá Ficaram muitos hóspedes
sutil, Hungria, ibero, iêvedo,
entender-me. (= exceto) no hotel, índex, dúplex.
ureter ímprobo
Todos ficaram ricos. se não todos lá condor maquinaria síncope
Ele não encontrou senão uma estavam lá. etc. efebo pároco
pequena esmeralda. Se não podes, por que etc. tálamo
(= apenas) vais? etc.
Observação: Alguns dicionários já aceitam leve-
do, duplex e boêmia. O VOLP já traz tais registros.
Tampouco / Tão pouco
VARIANTES LINGÜÍSTICAS
TAMPOUCO TÃO POUCO
Também não Mais / intensidade Palavras de grafia oscilante
Não sei tudo. tampouco ele Bebi tão pouco quanto ele. assobiar assoviar acróbata acrobata
o sabe. bílis bile alópata alopata
porcentagem percentagem ambrosia ambrosia
aluguel aluguer anidridio anídrido
A cerca de / Acerca de
cotidiano quotidiano biópsia biopsia
A CERCA DE ACERCA DE cota quota homília homilia
aproximadamente a respeito de loura loira projétil projétil
0 homem dirigiu-se a cerca 0 homem falou acerca do alpercata alpargata réptil réptil
de um milhão de fiéis. aborto. enfarto enfarte túlipa tulipa
bêbedo bêbado cociente quociente
Há cerca de -> só para referência a tempo catorze quatorze coisa cousa etc...

29
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

EMPREGO DAS LETRAS


Grafam-se com x
Grafam-se com s a) As palavras começadas por en e me:
a) Todas as palavras que tenham um verbo cog- enxurrada - enxergar
nato (= da mesma raiz) terminado em ender e mexer - mexicano
d/r: Exceção: encher e seus cognatos.
defesa (defender) - ilusão (iludir)
pretensão (pretender) - alusão (de aludir) b) Depois de ditongo decrescente:
caixa - trouxa - peixe - ameixa
b) Todas as palavras derivadas em que fique o s
Exceção: caucho, recauchutagem.
no radical da primitiva:
mesário (mesa) - lapisinho (lápis)
Grafam-se com g
c) As formas dos verbos querer e pôr:
a) As palavras derivadas de primitivas que
quis, quiseram - puseste, puséssemos
tenham g (exceto antes de a, o e u);

Grafam-se com z rabugento (de rabugem)


homenagear (de homenagem)
a) As palavras cognatas de outras grafadas com
c, ç, g -. Grafam-se com^'
audaz (audácia) - amizade (amigo)
reduzir (redução) a) Todas as palavras derivadas de primitivas que
tenham j:
b) Todas as palavras derivadas em que não haja s nojento ( de nojo) - lisonjear (de lisonja)
no radical da primitiva:
b) As formas dos verbos em jar.
bambuzal (de bambu) - caquizeiro (de caqui)
viajei, viajem (verbo viajar)
c) Os sufixos diminutivos ou aumentativos: encorajemos (encorajar)
pezinho (pé) - canzarrão (cão) babujeis (babujar)

Atenção: viagem (substantivo).


Grafam-se com ch
Grafam-se com ss
a) Palavras derivadas de primitivas que tenham o
c/j: a) As palavras ou radicais iniciados pors, quando
enchoçar (de choça) - encharcar (de charco) entram em derivadas ou compostas, se o
fonema /s/ se mantém entre vogais:
b) O verbo encher e seus cognatos: girassol (gira + sol)
preencher, preenchido, enchido, enchimento homossexual (homo + sexual)

c) Palavras cognatas de outras grifadas com pl, b) As terminações dos superlativos sintéticos e do
fl,cl: imperfeito do subjuntivo de todos os verbos:
chumbo (plúmbeo) - chave (clave) boníssimo - péssimo
chama (flama) amasse - vendêssemos

30
FLÁVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

Grafam-se com ç SEMÂNTICA, SINONÍMIA,


a) As palavras derivadas de primitivas que tenham ç: ANTONÍMIA
pançudo (de pança)
embaçado (de embaço) Quanto à forma e à significação:
Sinônimos —> mesmo sentido.
b) Os verbos em ecer/escer, antes de a, o, u:
Antônimos —> sentidos opostos.
amanheça (amanhecer)
Homônimos —> mesma grafia e/ou mesmo som.
enrubesço (enrubescer)
Parônimos —> mesma grafia e/ou
c) As palavras de origem árabe, indígena e africana:
pronúncia similar.
muçulmano - açafrão - babaçu
paçoca - araçá - miçanga
Sinônimos

EMPREGO DAS INICIAIS MAIÚSCULAS São aqueles diferentes na forma, mas semelhan-
tes ou iguais na significação:
Nos substantivos próprios
(pessoas, ruas, cidades, países, regiões etc.) O céu parece de algodão.
Paulo - Rua dos Caetés - Brasil
No firmamento brilham as estrelas.
os povos do Norte - Via Láctea - Mantiqueira
Nem sempre existe um sinônimo perfeito para
Nos nomes de livros, jornais e revistas
Jubiabá - Dom Casmurro a palavra empregada. Vale mais a aproximação de
Diário da Tarde - Folha de São Paulo sentido (capacidade sinonímica).
Medicina e Saúde - Eletrônica Popular
morrer! falecer Deus / Pai Eterno
Nos nomes de agremiações,
beija-flor / colibri careca / calvo
estabelecimentos públicos e particulares
porco / suíno casa / lar
Clube Atlético Mineiro - Instituto de Educação
língua / idioma casamento / matrimônio
Colégio Anchieta - Cemig

Nos substantivos comuns, quando Veja os exemplos abaixo:


personificados ou enfatizados
a Bondade - o Amor - o Vício Muda-se de casa, mas o lar continua.
a Morte - o Lobo - o Cordeiro (A palavra casa foi tomada como elemento físico.
Já o termo lar possui uma conotação espiritual.)

Alguns casais se casam, mas


Quando o substantivo estiver personificado,
não contraem matrimônio.
deve ser grafado com inicial maiúscula:
(O verbo casar-se tem conotação jurídica. O subs-
A Virtude fugiu do mundo. tantivo matrimônio tem uma conotação religiosa.)

Os logradouros podem ser grafados com


Assim, pode-se concluir que a capacidade si-
maiúscula:
nônimica de um termo não pode ser avaliada fora
Moro na Praça Cairo. de contexto.

31
I PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Antônimos Parônimos

São aqueles diferentes na forma e contrários na Parônimos são palavras diferentes no sentido, mas
significação: com muita semelhança na escrita e na pronúncia:
altruísmo / egoísmo infligir / infringir
análise / síntese retificar / ratificar
acessório / essencial vultoso / vultuoso
mesquinho / magnânimo
aziago / propício
Parônimos - emprego do 6 ou do /
prólogo / epílogo
Arrear = pôr arreios a Arriar = abaixar
Além das palavras que apresentam significação Deferimento = concessão Diferimento = adiamento
oposta no dicionário, existem outras cuja oposição Deferir = conceder Diferir = adiar
está inserida no contexto, ou seja, a oposição se Delatar = denunciar Dilatar = retardar, estender
prende apenas ao texto. Descrição = representação Discrição = reserva
Descriminar = inocentar Discriminar = distinguir
"A vós correndo vou, braços sagrados, Despensa = compartimento Dispensa = desobriga
Nessa cruz sacrossanta descobertos Destratar = insultar Distratar = desfazer (con-
Que para receber-me, estais abertos trato)
E por não castigar-me estais cravados." Emergir = vir à tona Imergir = mergulhar
(Gregório de Matos) Emigrante = o que sai do Imigrante = o que entra em
próprio país país estranho
Eminência = altura, excelên- Iminência = proximidade de
Antônimas apenas no texto acima:
cia ocorrência
receber / castigar Eminente = alto, excelente Iminente = que ameaça
abertos / cravados ocorrer
sagrados / descobertos Emitir = lançar fora de si Imitir = fazer entrar
Enfestar = dobrar ao meio na Infestar = assolar
braços abertos: livres, sem empecilho; sua largura
braços cravados: presos, fixados; Enformar = meter em fôrma, Informar = avisar
incorporar
braços sagrados: braços descobertos.
Entender = compreender Intender = exercer vigilância
Lenimento = suavizante Linimento = medicamento
A antononímia também pode originar-se de um para fricções
prefixo de sentido oposto ou negativo: Peão = que anda a pé Pião = espécie de brinquedo
Recrear = divertir Recriar = criar de novo
bendizer, maldizer ativo, inativo
Se = pronome átono, con- Si = pronome tônico, nota
simpático, antipático esperar, desesperar junção musical
Vadear = passar a vau Vadiar = passar vida ociosa
progredir, regredir comunista, anticomunista
Venoso = relativo a veias Vinoso = que produz vinho
concórdia, discórdia simétrico, assimétrico

explícito, implícito pré-nupcial, pós-nupcial

32
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO i
• Homônimos homófonos, são palavras que
Parônimos - emprego do O ou do U
apresentam mesma pronúncia, mas a grafia
Açodar = instigar Açudar = construir açudes é diferente.
Assoar = limpar (o nariz) Assuar = vaiar
Bocal = embocadura Bucal = relativo à boca apreçar/ apressar
Comprido = longo Cumprido = executado sessão / seção / cessão
Comprimento = extensão Cumprimento = saudação
Costear = navegar junto à costa Custear = prover as despesas de Homônimos e Parônimos - emprego do grupo SC
Cutícula = película Cutícola = que vive na pele Acender = pôr fogo a Ascender = subir
Insolação = exposição ao sol Insulação = isolamento
Decente = decoroso, limpo Descente = que desce, vazante
Insolar = expor ao sol insular = isolar
Discente = relativo a alunos Docente = relativo a professores
Ovular = semelhante a ovo Uvular = relativo à úvula
Ascético = relativo ao ascetismo
Pontoar = marcar com ponto Pontuar = empregar a Acético = relativo ao
pontuação em vinagre Asséptico = relativo à assepsia
Roborizar = fortalecer Ruborizar = corar, envergonhar-se
Soar = dar ou produzir som, ecoar Suar = transpirar
Homônimos e Parônimos - emprego do C. Ç, S e
Soporativo = que produz sopor Supurativo = que produz SS
(modorra) supuração
Acento = inflexão da voz, Assento = lugar onde se assenta
Sortir = abastecer Surtir = originar sinal gráfico
Torvar = tornar-se Turvar = tornar turvo Acessório = que não é fun- Assessório = relativo ao assessor
carrancudo (opaco); toldar damental
Torvo = iracundo, enfurecido Turvo = opaco, toldado Anticé(p)tico = oposto aos Antissé(p)tico = desinfetante
Vultoso = volumoso Vultuoso = atacado de vultuo- céticos
sidade (congestão Apreçar = marcar ou ver o Apressar = tornar rápido
relativo à face) preço de
Caçar = perseguir a caça Cassar = anular
Cé{p)tico = que ou quem Sé(p)tico = que causa infecçâo
Homônimos duvida
Homônimos são palavras diferentes no sentido, Cegar = fazer perder a vista a Segar = ceifar, cortar
Cela = aposento de religiosos Sela = arreio de cavalgadura
mas que têm a mesma pronúncia. Dividem-se em
Celeiro = depósito de provisões Seleiro = fabricante de selas
homônimos perfeitos e homônimos imperfeitos.
Cenário = decoração de Senário = que consta de seis
Homônimos perfeitos são palavras diferentes teatro unidades
no sentido, mas idênticas na escrita e na pronúncia. Censo = recenseamento Senso = juízo claro
Censual = relativo ao censo Sensual = relativo aos sentidos
Homem são (adj.) / São João / São várias as causas.
Cerração = nevoeiro espesso Serração = ato de serrar
Como vais ?/ Eu como feijão.
Cerrar = fechar Serrar = cortar
Cervo = veado Servo = servente
Homônimos imperfeitos, que se dividem em:
Cessação = ato de cessar Sessação = ato de sessar
• Homônimos homógrafos, são palavras que Cessar = interromper Sessar = peneirar
apresentam mesma escrita e a mesma pro- Ciclo = período Siclo = moeda judaica
núncia, exceto a abertura da vogai tônica. Cilício = cinto para penitências Silício = elemento químico
Cinemático = Relativo ao Sinemático = Relativo aos
almoço (verbo) movimento estames
almoço (substantivo) mecânico
(continua)

33
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Ctrio = vela grande de cera Sírio = da Síria Estrato = camada sedimentar, Extrato = o que foi tirado de
Concertar = harmonizar; Consertar = remendar, reparar tipo de nuvem dentro, fragmento
combinar Externo = exterior
Corço = cabrito selvagem Corso = natural da Córsega Esterno = osso do peito
Hesterno = Relativo ao dia de
Decertar = lutar Dissertar = discorrer ontem
Empoçar = formar poça Empossar = dar posse a
Incerto = duvidoso Inserto = inserido, incluído
Incipiente = principiante Insipiente = Ignorante
Homônimos e Parônimos - emprego do ch ou do X
Intenção Intensão ...
= proposito = intensidade Brocha = prego curto de Broxa = pincel
ou tenção ou tensão
cabeça iarga e
Intercessão = súplica lnterse(c)ção = ponto em que duas chata
linhas se cortam
Bucho = estômago de ani- Buxo = arbusto ornamental
Laço = laçada Lasso = cansado mais
Maça = clava Massa = pasta Cachão = borbotão, fervura Caixão = caixa grande; féretro
Maçudo = indigesto, monótono Massudo = volumoso Cachola = cabeça, bestunto Caixola = pequena caixa
Paço = palácio Passo = passada Cartucho = canudo de Cartuxo = pertencente à ordem
Ruço = pardacento, grisalho Russo = natural da Rússia papel da Cartuxa
Secção ou seção = corte, divisão Chá = arbusto, infusão Xá = título de soberano no
Cessão = doação, anuência Oriente
Sessão = reunião Chácara = quinta Xácara = narrativa popular em
Sexta = ordinal feminino de seis verso
Cesta = utensílio de vara,
Chalé = casa campestre em Xale = cobertura para os
com asas
Sesta = hora de descanso estilo suíço ombros
Indefeso = sem defesa Cheque = ordem de Xeque = incidente no jogo de
Indefesso » incansável pagamento xadrez, contratempo
Infenso = contrário Cocha = gamela Coxa = parte da perna
Cocho = vasilha feita com Coxo = aquele que manca
um tronco de ma-
Homônimos e Parônimos - emprego do S ou do Z deira escavada
Asado = que tem asas Azado = oportuno Luchar = sujar Luxar = deslocar, desconjuntar
Asar = guarnecer com asas Azar = dar azar, má sorte Tacha = brocha, pequeno Taxa = imposto, preço
Coser = costurar Cozer = cozinhar prego
Revezar = substituir Revisar = rever, corrigir Tachar = censurar, notar Taxar = estabelecer o preço ou
alternadamente defeito em o imposto
Vês = forma do verbo ver Vez = ocasião
Fuzil = carabina
Fúsil = Que se pode fundir
Fusível = resistência de
fusibilidade calibrada

Homônimos e Parônimos - emprego do S ou do X


Espiar = espreitar Expiar = sofrer pena ou castigo
Espirar = soprar, respirar, Expirar = expelir (o ar), morrer
estar vivo

34
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

EXERCÍCIOS

X Assinale a alternativa que preencha CORRETAMENTE 6 Assinale a alternativa em que todas as palavras estão
os espaços da frase abaixo. escritas CORRETAMENTE.
A do político depende muito da do a) paralisar - pesquisar - ironizar - deslizar
apoio popular. b) alteza - empreza - francesa - miudesa
a) ascensão, obtenção c) cuscus - chimpanzé - encharcar - encher
b) ascensão, obtensão d) incenso - absesso - Luís - compreensão
c) ascenção, obtenção e) chineza - marquês - garrucha - meretriz
d) ascenssão, obtensão
e) ascenssão, obtenção 7 O rendido pelas artes da , na
espreguiçadeira. A seqüência CORRETA é
2 Uma falsa meiguice encobria-lhe a e a falta de a) herói - cosinha - cochilava.
. A seqüência CORRETA é b) herói - cosinha - coxilava.
a) regidês - compreenção. c) herói - cozinha - coxilava .
b) rigidez - compreensão. d) herói - cozinha - cochilava.
c) rijidez - compreensão. e) herói - cozinha - coxilava.
d) rijidês - comprensão.
e) rigeza - compreenção. 8 A certa altura do ritual, o das atingiu
marcação . A seqüência CORRETA é
3 Assinale a alternativa em que NÃO ocorre erro de a) ritmo - danças - alucinante.
grafia. b) ritmo - dansas - aluscinante.
a) escasso, massa, carrocei, puzesse, senso c) rítimo - danças - aluscinante.
b) honradez, quizestes, ruço, dissertar, cessar d) ritimo - danças - aluscinante.
c) empossar, incipiente, obscecaçâo, assessório, maçudo e) ritmo - danças - alucinante.
d) celeiro, exegesse, cerração, intensão, disfarse
e) atraso, maça, ascensorista, exceção, obsessão 9 Assinale a série de grafia INCORRETA.
a) usina - buzina
4 Assinale a alternativa que contém ERRO gráfico. b) ombridade - hombro
a) herege, extático, montês c) úmido - humilde
b) extensão, destro, ironizar d) erva - herbívoro
c) bueiro, despender, imersâo e) néscio - cônscio
d) empecilho, faxina, consenso
e) excêntrico, pretencioso, escassez 10 Assinale a resposta que completa CORRETAMENTE os
espaços abaixo.
5 São grafadas com "s", "ss", "ç", RESPECTIVAMENTE, Olhei, não ninguém e tive um breve mo-
as palavras mento de .
a) incur o / tor_ ão / controvér ia. a) encherguei - hexitação
b) emi ão / intromi ão / exten ão. b) enxerguei - hesitação
c) admi, ível / assun ão / exten ão. c) enxerguei - exitação
d) preten ioso / opre_ ão / reten ão. d) encherguei - exitação
e) cansa o / conce ão / an ioso. e) encherguei - hesitação

| q-Ot | q-6 | e-8 i p-Z ) e-g | p-S | a-t? | a-í j q-z | b-i |
oxueqBO

35
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

PARONÍM1A E HOMONÍMIA
Relação de palavras homônimas e parônimas que com maior freqüência provocam
dúvidas quanto à grafia correta e pertinente numa dada frase.

Absolver: inocentar, relevar da culpa impu- Amoral: desprovido de moral, sem senso de Aresto; acórdão, caso jurídico julgado: Neste
tada: O júri absolveu o réu. moral. caso, o aresto é irrecorrível.
Absorver: embeber em si, esgotar: O solo Imoral: contrário à moral, aos bons costu- Arresto: apreensão judicial, embargo: Os
absorveu lentamente a água da chuva. mes, devasso, indecente. bens do traficante preso foram todos arrestados.

Acender: atear (fogo), inflamar. Ante (preposição): diante de, perante: Ante Arrochar: apertar com arrocho, apertar
Ascender: subir, elevar-se. tal situação, não teve alternativa. muito.
Ante- (prefixo): expressa anterioridade: an- Arroxar: ou arroxear, roxear: tornar roxo.
Acento: sinal gráfico; inflexão vocal: Vocá- tepor, antever, anteprojeto ante-diluviano.
bulo sem acento. Anti- (prefixo): expressa contrariedade; As: exímio em sua atividade; carta do ba-
Assento: banco, cadeira: Tomar assento num contra: anticientífico, antibiótico, anti-higi- ralho.
cargo. ênico, anti-Marx. Az (p. us.): esquadrão, ala do exército.
Acerca de: sobre, a respeito de: No discurso, Ao encontro de: para junto de; favorável Atuar: agir, pôr em ação; pressionar.
o Presidente falou acerca de seus planos. a: Foi ao encontro dos colegas. O projeto sa- Autuar: lavrar um auto; processar.
A cerca de: a uma distância aproximada de: larial veio ao encontro dos anseios dos tra-
O anexo fica a cerca de trinta metros do prédio balhadores. Auferir: obter, receber: Auferir lucros, van-
principal. Estamos a cerca de um mês ou (ano) De encontro a: contra; em prejuízo de: O tagens.
das eleições. carro foi de encontro a um muro. O governo Aferir: avaliar, cotejar, medir, conferir: Afe-
Há cerca de: faz aproximadamente (tanto não apoiou a medida, pois vinha de encontro rir valores, resultados.
tempo): Há cerca de um ano, tratamos de caso aos interesses dos menores.
idêntico; existem aproximadamente: Há cer- Augurar: prognosticar, prever, auspiciar: O
ca de mil títulos no catálogo. Ao invés de: ao contrário de: Ao invés de Presidente augurou sucesso ao seu par ameri-
demitir dez funcionários, a empresa contratou cano.
Acidente: acontecimento casual; desastre: mais vinte. (Inaceitável o cruzamento *ao Agourar: pressagiar, predizer (geralmente
A derrota foi um acidente na sua vida pro- em vez de.) no mau sentido): Os técnicos agouram desas-
fissional. O súbito temporal provocou terrível Em vez de: em lugar de: Em vez de demitir tre na colheita.
acidente no parque. dez funcionário, a empresa demitiu vinte.
Incidente; episódio; que incide, que ocorre; Avocar: atribuir-se, chamar: Avocou a si
O incidente da demissão já foi superado. A par: informado, ao corrente, ciente: 0 competências de outrem.
Ministro está a par (var.: ao par) do assunto; Evocar: lembrar, invocar: Evocou no discurso
Adotar: escolher, preferir; assumir; pôr em
ao lado, junto; além de. o começo de sua carreira.
prática.
Ao par: de acordo com a convenção legal: Invocar; pedir (a ajuda de); chamar; profe-
Dotar: dar em doação, beneficiar.
Fez a troca de mil dólares ao par. rir: Ao final do discurso, invocou a ajuda de
Deus.
Afim: que apresenta afinidade, semelhança,
Aparte: interrupção, comentário à margem:
relação (de parentesco): Se o assunto era afim,
O deputado concedeu ao colega um aparte em Caçar: perseguir, procurar, apanhar (geral-
por que não foi tratado no mesmo parágrafo?
seu pronunciamento. mente animais).
A fim de: para, com a finalidade de, com o
A parte: em separado, isoladamente, de Cassar: tornar nulo ou sem efeito, suspen-
fito de: O projeto foi encaminhado com quin-
ze dias de antecedência a fim de permitir a lado: O anexo ao projeto foi encaminhado por der, invalidar.
expediente à parte.
necessária reflexão sobre sua pertinência.
Carear: atrair, ganhar, granjear.
Alto; de grande extensão vertical; elevado, Apreçar: avaliar, pôr preço: O perito apreçou Cariar; criar cárie.
grande. irrisoriamente o imóvel. Carrear: conduzir em carro, carregar.
Auto: ato público, registro escrito de um Apressar: dar pressa a, acelerar: Se o anda-
ato, peça processual. mento das obras não for apressado, não será Casual: fortuito, aleatório, ocasional.
cumprido o cronograma. Causai: causativo, relativo à causa.
Aleatório: casual, fortuito, acidental. Cavaleiro: que anda a cavalo, cavalariano.
Alheatório: que alheia, alienante, que des- Área: superfície delimitada, região. Cavalheiro: indivíduo distinto, gentil, no-
via ou perturba. Ária: canto, melodia. bre.

36
FLÁV1A RITA COUTINHO SARMENTO

Censo: alistamento, recenseamento, conta- Conje(c)tura: suspeita, hipótese, opinião. Despercebido: que não se notou, para o
gem. Conjuntura; acontecimento, situação, oca- que não se atentou: Apesar de sua importân-
Senso: entendimento, juízo, tino. sião, circunstância. cia, o projeto passou despercebido.
Desapercebido: desprevenido, desacaute-
Cerrar: fechar, encerrar, unir, juntar. Contravenção; transgressão ou infração a lado: Embarcou para a missão na Amazônia
Serrar: cortar com serra, separar, dividir. normas estabelecidas. totalmente desapercebido dos desafios que lhe
Contraversâo: versão contrária, inversão. aguardavam.
Cessão; ato de ceder: A cessão do local pelo
município tornou possível a realização da Coser: costurar, ligar, unir. Dessecar: secar bem, enxugar, tornar seco.
obra. Cozer: cozinhar, preparar. Dissecar: analisar minuciosamente, dividir
Seção: setor, subdivisão de um todo, repar- anatomicamente.
tição, divisão: Em qual seção do ministério ele Costear: navegar junto à costa, contornar.
trabalha? A fragata costeou inúmeras praias do litoral Destratar: insultar, maltratar com palavras.
Sessão: espaço de tempo que dura uma baiano antes de partir para alto-mar. Distratar: desfazer um trato, anular.
reunião, um congresso; reunião; espaço de Custear: pagar o custo de, prover, subsidiar.
tempo durante o qual se realiza uma tarefa: Qual a empresa disposta a custear tal projeto? Distensáo: ato ou efeito de distender, torção
A próxima sessão legislativa será iniciada em Custar: valer, necessitar, ser penoso. Qiianto violenta dos ligamentos de uma articulação.
lo de agosto. custa o projeto? Custa-me crer que funcionará. Distinção: elegância, nobreza, boa educa-
ção: Todos devem portar-se com distinção.
Chá: planta, infusão. Deferir: consentir, atender, despachar favo- Dissensão: desavença, diferença de opiniões
Xá: antigo soberano persa. ravelmente, conceder. ou interesses: A dissensão sobre a matéria im-
Diferir: ser diferente, discordar; adiar, retar- possibilitou o acordo.
Cheque: ordem de pagamento à vista. dar, dilatar.
Elidir; suprimir, eliminar.
Xeque: dirigente árabe; lance de xadrez;
(fig.) perigo (pôr em xeque). Degradar; deteriorar, desgastar, diminuir, Ilidir; contestar, refutar, desmentir.
rebaixar.
Círio: vela de cera. Degredar: impor pena de degredo, dester- Emenda: correção de falta ou defeito, rege-
rar, banir. neração, remendo: ao torná-lo mais claro e
Sírio: da Síria.
objetivo, a emenda melhorou o projeto.
Ementa: apontamento, súmula de decisão
Cível: relativo à jurisdição dos tribunais ci- Delatar (delação): denunciar, revelar crime
ou delito, acusar: Oí traficantes foram delata- judicial ou do objeto de uma lei. Procuro
vis.
uma lei cuja ementa é "dispõe sobre a proprie-
Civil: relativo ao cidadão; cortês, polido dos por membro de quadrilha rival.
dade industrial".
(daí civilidade); não militar nem, eclesiás- Dilatar (dilaçâo): alargar, estender; adiar,
tico. diferir: A di/ação do prazo de entrega das
Emergir: vir à tona, manifestar-se.
declarações depende de decisão do Diretor da
Imergir: mergulhar, afundar submergir),
Colidir: trombar, chocar; contrariar: A nova Receita Federal. entrar.
proposta colide frontalmente com o entendi-
mento havido. Derrogar: revogar parcialmente (urna lei), Emigrar: deixar o país para residir em outro.
Coligir: colecionar, reunir, juntar: As leis fo- anular. Imigrar: entrar em país estrangeiro para
ram coligidas pelo Ministério da Justiça. Derrocar: destruir, arrasar, desmoronar. nele viver.
Comprimento: medida, tamanho, exten- Descrição; ato de descrever, representação, Eminente (eminência): alto, elevado, sublime.
são, altura. definição. Iminente (iminência); que está prestes a
Cumprimento; ato de cumprir, execução Discrição: discernimento, reserva, prudên- acontecer, pendente, próximo.
completa; saudação. cia, recato.
Emitir (emissão): produzir, expedir, publicar.
Concelho: circunscriçâo administrativa ou Descriminar: absolver de crime, tirar a cul- Imitir (imissão): fazer entrar, introduzir,
município (em Portugal). pa de. investir.
Conselho: aviso, parecer, órgão colegiado. Discriminar: diferençar, separar, discernir. Empoçar: reter em poço ou poça, formar
poça.
Concerto: acerto, combinação, composi- Despensa: local em que se guardam manti- Empossar: dar posse a, tomar posse, apo-
ção, harmonização (cp. concertar): O con- mentos, depósito de provisões. derar-se.
certo das nações... O concerto de Guarnieri... Dispensa: licença ou permissão para deixar
Conserto; reparo, remendo, restauração de fazer algo a que se estava obrigado; de- Encrostar: criar crosta.
(cp. consertar): Certos problemas crônicos missão. Incrustar: cobrir de crosta, adornar, reves-
aparentemente não têm conserto. tir, prender-se, arraigar-se.

37
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Entender: compreender, perceber, deduzir. Incipiente: iniciante, principiante. Locador: que dá de aluguel, senhorio, ar-
Intender; (p. us): exercer vigilância, supe- Insipiente: ignorante, insensato. rendador.
rintender. Locatário: alugador, inquilino: O locador
Incontinente: imoderado, que não se con- reajustou o aluguel sem a concordância do lo-
Enumerar: numerar, enunciar, narrar, ar- tém, descontrolado. catário.
rolar. Incontinenti: imediatamente, sem demora,
Inúmero: inumerável, sem conta, sem nú- logo, sem interrupção. Lustre: brilho, glória, fama; abajur.
mero. Lustro: qüinqüênio; polimento.
Induzir: causar, sugerir, aconselhar, levar a:
Espectador; aquele que assiste qualquer ato O réu declarou que havia sido induzido a co- Magistrado: juiz, desembargador, ministro.
ou espetáculo, testemunha. meter o delito. Magistral: relativo a mestre (latim: magis-
Expectador: que tem expectativa, que es- Aduzir; expor, apresentar: A defesa, então, ter); perfeito, completo; exemplar.
pera. aduziu novas provas.
Mandado: garantia constitucional para
Esperto: inteligente, vivo, ativo. Inflação: ato ou efeito de inflar; emissão proteger direito individual líquido e certo
Experto: perito, especialista. exagerada de moeda, aumento persistente ato de mandar; ordem escrita expedida por
de preços. autoridade judicial ou administrativa: um
Espiar: espreitar, observar secretamente, Infração: ato ou efeito de infringir ou violar mandado de segurança, mandado de prisão.
olhar. uma norma. Mandato: autorização que alguém confere
Expiar: cumprir pena, pagar, purgar. a outrem para praticar atos em seu nome;
Infligir: cominar, aplicar (pena, castigo, procuração; delegação: o mandato de um
Estada: ato de estar, permanência: Nossa es- repreensão, derrota): O juiz infligiu pesada deputado, senador, do Presidente.
tada em São Paulo foi muito agradável. pena ao réu.
Estadia; prazo para carga e descarga de na- Infringir: transgredir, violar, desrespeitar Mandante: que manda; aquele que outorga
vio ancorado em porto: O "Rio de Janeiro" (lei, regulamento, etc.) (cp. infração): A con- um mandato.
foi autorizado a uma estadia de três dias. denação decorreu de ter ele infringido um sem Mandatário: aquele que recebe um man-
número de artigos do Código Penal. dato, executor de mandato, representante,
Estância: lugar onde se está, morada, recin- procurador.
to. Inquerir: apertar (a carga de animais), en- Mandatório: obrigatório.
Instância: solicitação, pedido, rogo; foro, cilhar.
jurisdição, juízo. Inquirir: procurar informações sobre, inda- Obcecaçáo: ato ou efeito de obcecar, teimo-
gar, investigar, interrogar. sia, cegueira.
Estrato; cada camada das rochas estratifica- Obsessão: impertinência, perseguição, idéia
das. Intercessâo: ato de interceder. fixa.
Extrato: coisa que se extraiu de outra; paga- Interse(c)çâo: ação de se(c)cionar, cortar;
mento, resumo, cópia; perfume. ponto em que se encontram duas linhas ou Ordinal: numerai que indica ordem ou sé-
superfícies. rie (primeiro, segundo, milésimo, etc.).
Flagrante: ardente, acalorado; diz-se do ato Ordinário: comum, freqüente, trivial, vul-
que a pessoa é surpreendida a praticar (fla- Inter- (prefixo): entre; preposição latina gar.
grante delito). usada em locuções: inter alia (entre outros),
Fragrante: que tem fragrância ou perfume; inter pares (tntre iguais). Original: com caráter próprio; inicial, pri-
cheiroso. Intra- (prefixo): interior, dentro de. mordial.
Originário: que provém de, oriundo; ini-
Florescente: que floresce, próspero, viçoso. Judicial: que tem origem no Poder Judiciá- cial, primitivo.
Fluorescente: que tem a propriedade da rio ou que perante ele se realiza.
fluorescência. Judiciário: relativo ao direito processual ou Paço: palácio real ou imperial; a corte.
à organização da Justiça. Passo: ato de avançar ou recuar um pé para
Folhar: produzir folhas, ornar com folha- andar; caminho, etapa.
gem, revestir lâminas. Liberação: ato de liberar, quitação de dívida Pleito: questão em juízo, demanda, litígio,
Folhear: percorrer as folhas de um livro, ou obrigação. discussão: O pleito por mais escolas na região
compulsar, consultar. Libertação: ato de libertar ou libertar-se. foi muito bem formulado.
Preito: sujeição, respeito, homenagem: Os
Incerto: não certo, indeterminado, duvido- Lista: relação, catálogo; var. pop. de listra. alunos renderam preito ao antigo reitor.
so, variável. Listra: risca de cor diferente num tecido
Inserto: introduzido, incluído, inserido. (var. pop. de lista). Preceder: ir ou estar adiante de, anteceder,
adiantar-se.

38
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Proceder; originar-se, derivar, provir; Prolatar: proferir sentença, promulgar. Subentender: perceber o que não estava cla-
a efeito, executar. Protelar: adiar, prorrogar. ramente exposto; supor.
Subintender: exercer função de subinten-
Pós- (prefixo); posterior a, que sucede, atrás Ratificar: validar, confirmar, comprovar. dente, dirigir.
de, após: pós-moderno, pós-operatório. Retificar: corrigir, emendar, alterar: A dire- Subtender: estender por baixo.
Pré- (prefixo): anterior a, que precede, à toria ratificou a decisão após o texto ter sido
frente de, antes de: pré-modernista, pré- retificado em suas passagens ambíguas. Sustar: interromper, suspender; parar, inter-
-primário. romper-se (sustar-se).
Pró (advérbio): em favor de, em defesa de. Recrear: proporcionar recreio, divertir, ale- Suster: sustentar, manter; fazer parar, deter.
A maioria manifestou-se contra, mas dei meu grar.
parecer pró. Recriar: criar de novo. Tacha: pequeno prego; mancha, defeito,
pecha.
Preeminente: que ocupa lugar elevado, no- Reincidir: tornar a incidir, recair, repetir. Taxa: espécie de tributo, tarifa.
bre, distinto. Rescindir: dissolver, invalidar, romper, des- Tachar: censurar, qualificar, acoimar: tachar
Proeminente: alto, saliente, que se alteia fazer: Como ele reincidiu no erro, o contrato alguém (tachá-lo) de subversivo.
acima do que o circunda. de trabalho foi rescindido. Taxar; fixar a taxa de; regular, regrar: taxar
mercadorias.
Preposição: ato de prepor, preferência; Remição: ato de remir, resgate, quitação.
palavra invariável que liga constituintes da Remissão: ato de remitir, intermissão, in- Tapar: fechar, cobrir, abafar.
frase. tervalo; perdão, expiaçâo. Tampar: pôr tampa em.
Proposição: ato de propor, proposta; máxi-
ma, sentença; afirmativa, asserçáo. Repressão: ato de reprimir, contenção, im- Tençâo: intenção, plano (deriv.: tencionar);
pedimento, proibição. assunto, tema.
Presar: capturar, agarrar, apresar. Repreensão: ato de repreender, enérgica ad- Tensão: estado de tenso, rigidez (deriv.: ten-
Prezar; respeitar, estimar muito, acatar. moestaçâo, censura, advertência. sionar); diferencial elétrico.

Prescrever: fixar limites, ordenar de modo Ruço: grisalho, desbotado. Tráfego: trânsito de veículos, percurso,
explícito, determinar; ficar sem efeito, anu- Russo: referente à Rússia, nascido naquele transporte.
lar-se: O prazo para entrada do processo pres- país; língua falada na Rússia. Tráfico: negócio ilícito, comércio, negocia-
creveu há dois meses. ção.
Proscrever: abolir, extinguir, proibir, ter- Sanção: confirmação, aprovação; pena im-
minar; desterrar. O uso de várias substâncias posta pela lei ou por contrato para punir sua Trás: atrás, detrás, em seguida, após (cf. em
psicotrópicas foi proscrito por recente portaria infração. locuções: de trás, por trás).
a
do Ministro. Sansão: nome de personagem bíblico; certo Traz: 3 pessoa do singular do presente do
tipo de guindaste. indicativo do verbo trazer.
Prever: ver antecipadamente, profetizar;
calcular: A assessoria previu acertadamente o Sedento: que tem sede; sequioso (var. p. us.: Vestiário: guarda-roupa; local em que se
desfecho do caso. sedente). trocam roupas.
Prover: providenciar, dotar, abastecer, no- Cedente: que cede, que dá. Vestuário: as roupas que se vestem, traje.
mear para cargo; O chefe do departamento de
pessoal proveu os cargos vacantes. Sobrescritar: endereçar, destinar, dirigir. Vultoso: de grande vulto, volumoso.
Provir; originar-se, proceder; resultar: A Subscritar: assinar, subscrever. Vultuoso (p. us.): atacado de vultuosidade
dúvida provém (Os erros provêm) da falta de (congestão da face).
leitura. Sortir: variar, combinar, misturar.
Surtir: causar, originar, produzir (efeito).

39
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

DIFICULDADES ORTOGRÁFICAS

abacaxi catequese hipnose papisa


abóbada catequizar hipnotizar paralisar
aborígine caxambu hombridade paralisia
açafrão coice inigualável pedágio
açaí compleição jenipapo penugem
acarajé contracheque jerimum pesquisa
açucena contrassenso jibóia pesquisar
adivinhar cortês lajem (variante de laje) piche
alisar de repente (expressão) lambujem pitonisa
almoço deslize liso poetisa
almoxarife digladiar louça por isso (expressão)
ameixa disenteria lousa prazerosamente
amenizar diurese macaxeira pretensioso
ameno duquesa maisena princesa
anáfase egrégio majestade privilégio
analisar em cima malandragem profetisa
análise (substantivo) embaixo manteigueira profetizar
analise (verbo) empecilho marquês que eles viajem (verbo)
anchova ou enchova encharcar (charco) marquesa ramagem
ansioso encher (cheio) mecha recauchutagem
aragem enchiqueirar (chiqueiro) meiose recauchutar
arcabouço enchouriçar (chouriço) meritíssimo reivindicar
azulejo enchumaçar (chumaço) metáfase rixa
bandeja enxada metamorfose selvagem
baronesa enxaqueca meteorologista síntese
beiço enxurrada mexer sintetizar
beneficência enxuto mexerico sobrancelha
beneficente escassez mexerica solidez
burguês exegese mexida superstição
burguesa espontaneidade mexilhão touceira
cabeleireiro estágio misto trouxa
cadarço faixa montês usufruto
cafajeste feição mortadela vagem
caixa ferrugem mendigo vertigem
camponês foice náusea viger
camponesa frouxo obcecado xadrez
canal fuligem obsceno xampu
canalizar garagem obsessão xangô
canjica gêiser paçoca xavante
caranguejo gênese pajé xerife
catálise hilaridade pajem xingar

40
FLÁVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

PRONÚNCIA ADEQUADA DE ALGUNS VOCÁBULOS

Abóbada - e não abóboda destilar - e não distilar pexote - e não pixote

aleijar - pronuncie o i digladiar - e não degladiar pirulito - e não pirolito

advogado - o d é mudo dignitário - e não dignatário pousa - com o o fechado

Absoluto - o b é mudo disenteria - e não desinteria pneu - e não pineu ou peneu

Absurdo - o b é mudo eu estouro - com o o fechado prazeroso - sem i

aterrissar - som de s estupro - e não estrupo prazerosamente - sem i

arrabalde - e não arrebalde estuprar - e não estrupar privilégio - e não previlégio

aborígine - e não aborígene empecilho - e não impecilho problema - e não pobrema

babadouro - lugar para babar engajamento - e não enganjamento próprio - e não própio

bebedouro - lugar para beber eletricista - e não eletrecista propriedade - e não propiedade

bandeja - sem i frustrar - e não fustrar prostração - e não prostação

beneficente - sem i hilaridade - e não hilariedade prostrar - e não prostar

beneficência - sem i homogeneidade - e não homogeniedade recorde - sílaba tônica é cor

bueiro - e não boeiro inigualável - e não inegualável reivindicar - e não reinvindicar

bicarbonato - e não bicabornato intitular - e não entitular reincidência - e não reicindência

caderneta - e não cardeneta irrequieto - e não irriquieto retrógrado - e não retrógado

cabeçalho - com Ih jabuticaba - e não jaboticaba eu roubo - com o o fechado

cabeleireiro - dois ii lagarto - e não largato salsicha - e não salchicha

caranguejo - sem i lagartixa - e não largatixa superstição - e não supertição

cataclismo - e não cataclisma manteigueira - e não mantegueira signatário - e não signitário

chimpanzé - e não chipanzé mendigo - e não mendingo surripiar - e não surrupiar

terraplenagem - e não terraplana-


cinqüenta - e não cincoenta meritíssimo - e não meretíssimo
gem

cuspir - e não guspir meteorologia - e não metereologia trouxe com som de s

cuspe - e não guspe mortadela - e não mortandela tóxico com som de ks

41
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

CONSIDERAÇÕES SOBRE PRONÚNCIA

Pronuncia-se o "u" das seguintes palavras: agüentar exíguo quingentésimo ambigüidade exiguidade
qüinqüênio, apaziguar, unguento, quiproquó, arguição, conseqüência, tranqüilo, bilíngüe, delinquir,
quinquagésimo, contiguidade, equidistante... (não se usa mais o trema)

Não se pronuncia o "u" das seguintes palavras: distinguir, aqueduto, extinguir, equitação, exangue,
extorquir, adquirir, questão...

É facultativo pronunciar o "u" das seguintes palavras: antigüidade ou antigüidade, liquidar ou li-
qüidar, sangüíneo ou sangüíneo, liquidificação ou liqüidificação, equidade ou eqüidade, líquido ou
liqüido equivalente ou eqüivalente, liqüidificador ou liqüidificador... (não se usa mais o trema, apenas
o som do "ü")

O "e" das seguintes palavras deve ser pronunciado aberto: anelo, coleta, flagelo, servo, cetro, réu,
confesso, ileso, obeso, cervo, duelo, obsoleto, sesta(descanso), destro, prelo, grelha...

O "e" das seguintes palavras deve ser pronunciado fechado: acervo, efebo, almejo, adrede, defeso,
ginete, apedreja, alameda, escaravelho, interesse, boceja, amuleto, eu fecho, espelha, bofete, tu fe-
chas, vespa, festejo, caminhonete, ele fecha...

O "o" das seguintes palavras deve ser pronunciado aberto: canoro, fornos, coldre, forros, dolo, suor,
inodoro, tocos, probo, tropo...

O "o" das seguintes palavras deve ser pronunciado fechado: algoz, alcova, bodas, crosta, chope,
poça, desporto, teor, filantropo, torpe...

Pronuncia-se o "x" como "z" nas seguintes palavras: exagero, exasperar, exaurir, exógeno, exalar,
executar, exegese, exuberante, exame, inexorável, exilar, exótico, exangue, exeqüível, exímio, exu-
mar...

Pronuncia-se o "x" como "s" nas seguintes palavras: auxílio, máximo, sintaxe, trouxe. Pronuncia-se
o "x" como "ks" nas seguintes palavras: anexo, fluxo, ortodoxo, axila, índex, prolixo, complexo, léxico,
paradoxo, convexo, nexo, sexagenário, fixo, ônix, praxe...

Muda-se o timbre da vogai tônica - de fechado para aberto - na pluralização das seguintes palavras:
apostos, destroços, jogos, ovos, reforços, caroços, esforços, miolos, poços, rogos, chocos, fogos, mor-
nos, porcos, tijolos, corcovos, fornos, mortos, portos, tortos, cornos, fossos, novos, postos, trocos,
coros, grossos, olhos, povos, troços, despojes, impostos, ossos, rebordos, socorros... (metafonia)

Observação: Algumas palavras já aceitam mais de uma pronúncia em função do uso corrente.

42
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

PROSÓDIA
Algumas palavras que podem oferecer dúvidas quanto à posição correta da sílaba tônica:

acróbata ou acrobata — dupla pronúncia aceita díspar -paroxítona cropsia também é aceita.
aeródromo — proparoxítona aerólito - pro- edito (lei, decreto) -paroxítona Niágara — proparoxítona
paroxítona édito (ordem judicial) - proparoxítona Nobel — oxítona
álacre — proparoxítona égide -proparoxítona Normandia — paroxítona
Alcácer - paroxítona elétrodo — proparoxítona (OAurélio registra novel — oxítona
algaravia — paroxítona também a forma eletrodo - paroxítona) obus — oxítona
álibi — proparoxítona êmbolo - proparoxítona Oceânia ou Oceania - dupla pronúncia aceita
âmago — proparoxítona epíteto (s.) — proparoxítona ômega - proparoxítona (0 Vocabuldrio Or-
âmbar — paroxítona estratégia - paroxítona tográfico da Língua Portuguesa registra tam-
ambrosia ou ambrosia—dupla pronúncia aceita etíope - proparoxítona bém a forma omega - paroxítona)
anátema — proparoxítona fagócito -proparoxítona ônix — paroxítona
Andronico (nome próprio) — paroxítona filantropo — paroxítona ortoépia ou ortoepia — dupla pronúncia
anídrido ou anidrido - dupla pronúncia aceita filatelia - paroxítona aceita
antífrase — proparoxítona flébil -paroxítona páramo — proparoxítona
aríete — proparoxítona fluido (s.) — paroxítona pegada — paroxítona
arquétipo -proparoxítona fórceps — paroxítona périplo -proparoxítona
austero — paroxítona fortuito — paroxítona perito - paroxítona
autóctone - proparoxítona geodésia ou geodesia — dupla pronúncia plêiade - proparoxítona
avaro -paroxítona aceita primata — paroxítona
azáfama — proparoxítona Gibraltar - oxítona projétil ou projétil — dupla pronúncia aceita
azálea — paroxítona grácil - paroxítona protótipo — proparoxítona
aziago — paroxítona gratuito - paroxítona pudico — paroxítona
Bálcãs ou Bálcãs - dupla pronúncia aceita hangar — oxítona quadrúmano -proparoxítona
barbárie - paroxítona hieróglifo — proparoxítona (0 Aurélio regis- quiromancia - paroxítona
batavo — paroxítona tra também a forma hieroglifo -paroxítona) recém — oxítona
bávaro - proparoxítona homília ou homília - dupla pronúncia aceita recorde — paroxítona
bímano -proparoxítona Hungria - paroxítona refém — oxítona
hoèmin - paroxítona (0 Vocabuldrio Orto- ibero - paroxítona refrega-paroxítona
gráfico da Língua Portuguesa registra também idolatra (s.) - proparoxítona réptil ou réptil — dupla pronúncia aceita
a forma boêmia — paroxítona) impio (cruel) - paroxítona rubrica — paroxítona
bólido - proparoxítona ímpio (incrédulo) - paroxítona ruim - oxítona
brâmane — proparoxítona ímprobo — proparoxítona sinonímia - paroxítona
cánon — paroxítona inaudito -paroxítona sóror ou soror — dupla pronúncia aceita
caracteres — paroxítona íngreme - proparoxítona sótão - paroxítona
cartomancia -paroxítona ínterim - proparoxítona sutil - oxítona
cateter — oxítona leucócito — proparoxítona táctil - paroxítona
chávena — proparoxítona lêvedo (adj.) — proparoxítona têxtil — paroxítona
ciclope - paroxítona levedo (s.) — paroxítona trânsfuga — proparoxítona
Cister - oxítona Lúcifer - proparoxítona transido -paroxítona
cível — paroxítona maquinaria - paroxítona tulipa — paroxítona (0 Vocabulário Ortográ-
Cleópatra — proparoxítona meteorito -paroxítona fico da Língua Portuguesa registra também a
clímax - paroxítona misantropo — paroxítona (0 Vocabulário forma túlipa - proparoxítona)
cômputo (s.) - proparoxítona Ortográfico da Língua Portuguesa registra ureter - oxítona
condor — oxítona também a forma misântropo -proparoxítona) xérox - (paroxítona) ou xerox (oxítona) —
cotilédone — proparoxítona mister - oxítona dupla pronúncia aceita
crisântemo ou crisantemo — dupla pronún- munícipe — proparoxítona zãngão — (paroxítona) ou zangão (oxítona) -
cia aceita masseter — oxítona dupla pronúncia aceita
decano — paroxítona necrópsia — paroxítona - a pronúncia ne- zéfiro — proparoxítona

43
UNIDADE III

MORFOLOGIA

Classes de palavras

Já o artigo os, o pronome nossos, o numerai


RELAÇÃO
dois e o adjetivo velho aparecem referindo-se ao
DETERMINANTE / DETERMINADO
substantivo livro. São chamados, pois, determi-
A Língua Portuguesa possui dez classes de pa- nantes.
lavras: substantivo, adjetivo, artigo, numerai, pro-
nome, verbo, advérbio, interjeição, conjunção e Nota: O sentido das setas indica a relação
preposição. entre determinante e determinado; elas vão do
Essas classes de palavras ficam, numa frase, determinante [T] para o determinado^].
relacionadas entre si, umas modificando, outras
sendo modificadas e algumas servindo de elo en- Pode o substantivo passar a ser determinante.
tre as palavras.
As palavras que modificam são normalmente Aquele parece ser o médico Baroni.
denominadas determinantes, as que são modifi- i t
subst. subst.
cadas, determinadas; outras, por servirem ape-
O substantivo médico está sendo modificado
nas como elementos de ligação, são chamadas de
por outro substantivo - Baroni. Assim, o substan-
conectivos.
tivo médico aparece como determinado, e o subs-
O substantivo normalmente é determinado,
tantivo Baroni como elemento determinante.
isto é, geralmente aparece modificado por um
pronome, adjetivo, artigo ou numerai. O substantivo pode ser simultaneamente de-
terminante e determinado.
Os nossos dois livros velhos estão na biblioteca.
T T T í T- O mundo inteiro admirava o piloto Sena
art. pron. num. subst. adj.
t ^ t
art. subst. subst.
O substantivo livro aparece modificado pelo O substantivo piloto está determinado pelo ar-
artigo, pelo pronome, pelo numerai e por um ad- tigo o, este é, pois, determinante. Simultaneamen-
jetivo. Dizemos, então, que o substantivo é um te, está sendo modificado pelo substantivo Sena é
elemento determinado. que também o determina.

I 44
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

determinado por o mente, circunstância de negação e de tempo. São,


pois, determinantes. Já a forma verbal choverá é
Piloto:
elemento determinado.
determinado por Sena

Duas classes de palavras, por servirem de liga-


O advérbio aparece normalmente como deter-
ção entre dois termos ou duas orações, são cha-
minante, expressando circunstância relacionada
madas de conectivos.
ao verbo, ao adjetivo ou a outro advérbio.

São elas as preposições e as conjunções.


Jonas saiu muito bem vestido.
; t 11 ;
verbo adv. adv. adj. Pedro e Maria estiveram em casa, mas eu não os vi.
conj. prep. conj.

O advérbio bem está modificando o sentido do \ I


ligam termos liga orações
adjetivo vestido, exprimindo uma circunstância
de modo.
O advérbio muito está modificando o sentido
do advérbio bem, exprimindo uma circunstância
de intensidade. Nota: São determinantes do substantivo
adjetivos, locuções adjetivas, pronomes,
Não choverá amanhã. locuções pronominais, artigos e numerais.
ti T
adv. verbo adv.

Os advérbios não e amanhã modificam o sen-


tido do verbo chover, exprimindo, respectiva-

CLASSES DE PALAVRAS

artigo ( preposição ^
A elementos
ce
adjetivo l conjunção ' ''S3^0
A
numerai %Podem ter natureza
Interjeição [Isolada na frase]
^ Z7 substantiva ou adjetiva verbo
pronome advérbio- adjetivo
advérbio
> normalmente determinantes normalmente determinante

■ substantivo - verbo •
(normalmente determinados)

45
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

SUBSTANTIVO ARTIGO
• nomeia seres, coisas e idéias. • acompanha o substantivo, determinando-o,
generalizando-o ou indefinindo-o.
ADVÉRBIO
• modifica o verbo, o adjetivo ou outro advérbio CONJUNÇÃO
e exprime circunstância. • relaciona duas orações ou dois termos da mes-
ma oração.
NUMERAL
• indica quantidade de seres ou estabelece or- ADJETIVO
dem. • modifica o substantivo; exprime estado, quali-
dade, característica.
INTERJEIÇÃO
• expressa sentimento, emoção súbita. PREPOSIÇÃO
• liga dois termos da mesma oração.
VERBO
• exprime ação, movimento, fenômeno, estado. PRONOME
• acompanha ou substitui o substantivo.

Nossa, ele gosta de olhar tanto e às escondidas os dois belos machos de mico-leão!

interj. Pron. locução verbal adv. conj. locução adverbial art. num. adj. subst. loc. adjetiva
auxiliar + principal prep. + subst. prep, ♦ subst.

SUBSTANTIVOS Abstratos
Designam os seres de existência dependente,
Substantivo é a palavra com que designamos
isto é, que não existem em nosso mundo exterior.
os seres em geral.
Só existem dependendo dos seres concretos. São
Deus, Marta, alma, fada, quartzo, patriotismo,
sentimentos, ações, qualidades, estados, toma-
bondade, surdez, couro, Belo Horizonte, Pitangui...
dos como seres.
Uma característica elementar do substantivo é - sentimentos: amor, ódio, raiva...
admitir determinante. - ações: produção, progresso, colheita, viagem,
brincadeira...
CLASSIFICAÇÃO DOS SUBSTANTIVOS - estados: vida, morte, gaguez, medo, raiva,
Concretos ânsia, nervosia...
Designam os seres de existência independente - qualidades: beleza, grandeza, imensidão, ho-
ou que nossa imaginação aceita como tal, sejam nestidade, feiúra...
reais ou imaginários (pessoas, animais, vegetais,
Comuns
minerais, lugares, coisas, gases e entidades).
São os que se aplicam a todos os seres de uma
homem, Júlia, onça, bicho, flor, ouro, espécie ou designam uma abstração.
prata, país, livro, oxigênio, Deus... país, cidade, vaidade, homem, briga, sombrinha...
1 46
FLÁVIA RITA C0UTINH0 SARMENTO

Próprios FLEXÕES DOS SUBSTANTIVOS


São os que se aplicam a determinado ser da espécie.
O substantivo varia em gênero, número e grau.
Brasil, Paris, São Paulo, Pedro, Anete,
Mantiqueira, Palácio da Alvorada, Terex, Flexão de gênero
rua das Acácias, av. Pedro II...
Gêneros: masculino e feminino. Alguns pos-
Coletivos
suem uma única forma para os dois gêneros. São
São os substantivos comuns que, no singular,
UNIFORMES e subdividem-se em três tipos:
designam um conjunto de seres da mesma espé-
cie. Os coletivos podem ser: • Comuns-de-dois-gêneros
- Específicos: os que se aplicam a uma só es- São designados de pessoas e apresentam uma só
pécie de seres: forma para masculino e feminino. Distingue-se
arvoredo, carrilhão, cordilheira,
o gênero pela anteposição ou posposição de um
matilha, arquipélago.
determinante.
- Indeterminados: os que se aplicam a diver-
sas espécies de seres: o pianista / a pianista
manada (de bois, búfalos, elefantes) o gerente / a gerente
bando (de aves, pessoas, marginais)
um telefonista / uma telefonista
réstia (de cebolas, de alhos)
aquele cliente / aquela cliente

FORMAÇÃO DOS SUBSTANTIVOS estudante aplicado / estudante aplicada


o líder / a líder
Primitivos
São os substantivos que não derivam de outros, • Epicenos
pelo contrário, possibilitam a formação de novas São alguns nomes de animais ou plantas que
palavras. apresentam a distinção de sexo com o emprego
pedra, ferro, planta, folha, dente... dos adjetivos macho e fêmea.

Derivados cobra macho / cobra fêmea


São os substantivos que derivam de outras pa- jacaré macho ! jacaré fêmea
lavras, dado o acréscimo de prefixos e/ou sufixos. onça macho / onça fêmea
pedrEIRA, ferrEIRO, plantaÇÃO, folhaGEM, DES- pulga macho / pulga fêmea
lealDADE, dentISTA, INfeliz...
• Sobrecomuns
Simples Não apresentam marca para diferenciar o gêne-
São aqueles que se formam a partir de um único ro. A distinção é feita somente dentro do con-
radical.
texto.
vento, raio, escola, manga, água...
a criança, a vítima, a testemunha, o cônjuge,
Compostos o carrasco, o indivíduo, a pessoa etc.
São aqueles que se formam a partir da justaposi-
O cônjuge Maria Benedita requereu a pensão
ção ou da aglutinação de dois ou mais radicais.
alimentícia para o filho.
navio-escola, couve-flor, planalto, manga-espada,
aguardente (água + ardente)... Ela foi o meu carrasco durante quarenta anos.

47
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

São biformes os substantivos que possuem uma A gramática registra, como correta, a forma fi-
forma específica para o masculino e outra para o xada pelo uso culto.
feminino (geralmente marcada pela desinência a).
São masculinos: São femininos:
professor - professora o apêndice a alface
prefeito - prefeita o champanha a aluvião
o clã a sentinela
presidente - presidenta (a presidente)
o derma a apendicite
aluno - aluna o cataclismo a bacanal
ministro - ministra o dó a cal
hóspede - hóspeda o eclipse a comichão
o eczema a derme
a) Alguns deles são heteroformes (apresentam o formicida a gênese
radicais diferentes para masculino e feminino). o guaraná a libido
o herpes a omoplata
pai - mãe o telefonema a musse
homem - mulher o trema a vernissagem
o tracoma a panturrilha
genro - nora
boi - vaca
frei - sóror
zângão ou zangão - abelha Nem o uso culto da língua fixou o gênero de
alguns substantivos. São aceitas, portanto, as 1
b) Outros têm feminino derivado de radical do
duas formas (gênero flutuante); J
masculino, pela substituição ou acréscimo de o diabete ou (o diabetes) / a diabete
terminações muito variadas. o personagem / a personagem
o laringe / a laringe
capiau - capioa
o usucapião / a usucapião I
ator - atriz o cólera / a cólera |
judeu - judia o agravante / a agravante
ateu - ateia o xerox - xérox / a xerox - xérox
frade - freira o atenuante / a atenuante
perdigão - perdiz o omelete / a omelete \
réu - ré o cataplasma / a cataplasma 1
maestro - maestrina
embaixador - embaixadora, embaixatriz
marajá - marani, marâni
fQPIWffliãWifM

SUBSTANTIVOS QUE OFERECEM • Há substantivos que mudam o significado


ao mudarem de gênero.
DÚVIDAS QUANTO AO GÊNERO
o cura (o pároco) - a cura (restabelecimento)
Há dificuldade na identificação do gênero de o cisma (separação, dissidência) - a cisma (des-
algumas palavras, por não haver, necessariamen- confiança)
te, relação entre gênero gramatical e sexo. o caixa (o funcionário) - a caixa (máquina
registradora)
I 48
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Casos particulares:
o cabeça (o chefe) - a cabeça (parte do cor-
• Acrescenta-se "es" ao singular dos substantivos ter-
po, pessoa inteligente)
minados em "R" ou "Z" para pluralizá-los.
o capital (os bens) - a capital (cidade prin-
cipal) cor Es, flor Es, amor Es, bar Es, pazEs, nozEs...
o moral (o ânimo) - a moral (os costumes) • Pluralizam-se os substantivos terminados em
o guia (o cicerone) - a guia (o documento, "AL", "EL", "OL", "UL", trocando-se o "L" final por
meio-fio) "IS".
o crisma (o óleo santo) - a crisma (cerimô- Bananal(is), papel(is), anzol(is)...
nia religiosa)
o tormento (a tortura) - a tormenta (tem-
poral)
o grama (medida de massa) - a grama í São exceções os plurais de: i
(capim) i i
o polícia (o policial) - a polícia (a corpora- iI mal / males I
ção policial) II Cônsul / Cônsules Ii
o rádio (o aparelho) - a rádio (estação, \ real / réis (moeda) ou reais •
- '
emissora)

• Caso os substantivos terminem em "IL", sua plu-


• As SIGLAS usadas como nome próprio têm
ralização ocorrerá de duas maneiras:
o gênero do substantivo inicial:
MEC = Ministério da Educação e Cultura - sendo eles OXÍTONOS, troca-se o "L" final
por "S".
O MEC não conseguiu resolver o funiS, fuziS, aniS...
problema da greve dos professores.
- sendo eles PAROXlTONOS, troca-se o "IL"
Outros exemplos: o Cespe, a Ceasa, a Cemig... final por "EIS".
fóssEls, réptEIs (ou reptis), projétEIs (ou projetis)...

Flexão de número • Pluralizam-se os substantivos terminados em


Os substantivos ora se encontram no SINGU- "S" pelo acréscimo de "ES", caso sejam OXÍTO-
LAR, ora se flexionam no PLURAL. A explicação NOS ou MONOSSÍLABOS. Todavia, se forem
da palavra "NÚMERO" se fundamenta na própria PAROXlTONOS ou PROPAROXÍTONOS,
concepção numérica ou de quantidade dos seres. permanecerão invariáveis, flexionado-se apenas
Assim, temos que DOIS ANOS representa forma o ARTIGO que os acompanha.
pluralizada de UM ANO.
a) meses, reses, gases, abuses, fregueses, países,
portugueses, deuses...
REGRAS DE PLURALIZAÇÃO
DOS SUBSTANTIVOS b) o(s) pires, o(s) alferes, o(s) vírus, o(s) ônibus,
o(s) bônus...
• Regra geral: pluralizam-se os substantivos com
o simples acréscimo da desinência "s" ao singu- • Caso os substantivos terminem em "M", troca-
lar, caso terminem por vogai ou ditongo. -se a terminação por "NS".
menino(s), parede(s), vida(s), praia(s), bomboNS, reféNS, álbuNS, nuveNS, iteNS, beNS,
boneca(s), chapéu(s) ... atuNS, hifeNS (ou hífenes), poleNS (ou pólenes)...

49
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

• Plural dos substantivos terminados em ÃO obras-primas, guardas-noturnos,


Não existem regras fixas para o plural dos subs- amores-perfeitos, cachorros-quentes.
tantivos terminados em "ÃO". Alguns apresen-
c) Se o substantivo for formado por
tam a forma pluralizada em "ÃOS", outros em ADJETIVO + SUBSTANTIVO.
ÕES e, às vezes, em "ÃES". (P.104) boas-vindas, más-línguas, longas-metragens...
a) Plural em "ÃOS" d) Se o substantivo for formado por
PAROXÍTONOS: órgão(s), hênção(s), órfão(s), NUMERAL + SUBSTANTIVO.
sótão(s), gólfão(s), acórdão(s), cidadãos(s)... terças-feiras, quartos-zagueiros...

b) Plural em "ÕES"
. VARIA APENAS O PRIMEIRO ELEMENTO
limão - limões, botão - botões,
anão - anões, vulcão - vulcões, a) Sendo o substantivo formado por
espião - espiões, aldeão - aldeões, SUBSTANTIVO + PREPOSIÇÃO
+ SUBSTANTIVO.
mamão - mamões, melão - melões,
escolas de samba, pés de moleque,
caixão - caixões, folião - foliões,
flores de lis, pães de ló, mulas sem cabeça...
falcão - falcões, zangão - zangões...
b) Se o substantivo composto formado por
c) Plural em "ÃES" DOIS substantivos, desempenhando o SE-
pão - pães, cão - cães, capitão - capitães, GUNDO papel de ADJETIVO.
charlatão - charlatões, escrivão - escrivães, navio(s)-escola, peixe(s)-espada,
alemão - alemães, sacristão - sacristães, pombo(s)-correio, manga(s)-rosa,
tabelião - tabeliães, guardião - guardiães, banana(s)-prata, salário(s)-família...
capelão - capelães... • OBSERVAÇÃO

• OBSERVAÇÃO Alguns autores admitem a flexão em ambos os


artesão (artífice) - artesãos elementos, no caso de o segundo substantivo
artesão (adorno arquitetônico) - artesões. especificar ou delimitar o primeiro.

. VARIA APENAS O SEGUNDO ELEMENTO


. PLURAL DOS SUBSTANTIVOS
a) Se o substantivo for formado por palavras re-
COMPOSTOS petidas.
Um substantivo é COMPOSTO quando se for- tico-ticos, reco-recos, quero-queros...
ma pela justaposição ou aglutinação de dois ou b) Se o substantivo for formado por
mais radicais. O plural desses substantivos se faz VERBO + SUBSTANTIVO.
beija-flores, guarda-roupas...
obedecendo-se às seguintes regras:
c) Se o substantivo for formado por
. VARIAM OS DOIS ELEMENTOS PALAVRA INVARIÁVEL +
PALAVRA VARIÁVEL.
a) Se o substantivo for formado por sempre-vivas, ave-marias, abaixo-assinados...
SUBSTANTIVO + SUBSTANTIVO.
d) Se os elementos dos substantivos NÃO forem
couves-flores, mestres-salas, abelhas-mestras... ligados por hífen, formando uma só palavra.
aguardentes, girassóis,
b) Se substantivo for formado por
planaltos, fidalgos...
SUBSTANTIVO + ADJETIVO.

50
FLÁVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

ÃO(ALHÃO / ZARRÃO / EIRÃO / ZÃO) =


e) Se o substantivo for formado por casarão, vozeirão, garrafão, vagalhão
REDUÇÃO + SUBSTANTIVO. ÁZIO = copázio
grão-mestres, bel-prazeres... ONA = vacona, mulherona
ORRA = cabeçorra, manzorra
. PERMANECEM INVARIÁVEIS UÇA = dentuça
OS DOIS ELEMENTOS ARÉU = fogaréu, povaréu
a) Sendo o substantivo formado por
GRAU DIMINUTIVO
VERBO + ADVÉRBIO. Observe a frase abaixo:
o(s} bota-fora, o(s) pisa-mansinho...
"A reunião será na SALETA ao lado."
b) Sendo o substantivo formado por
VERBO + SUBSTANTIVO PLURAL. Veja que o substantivo "SALETA" está flexio-
o(s) troca-tintas, o(s) saca-rolhas, nado no DIMINUTIVO por representar o tama-
o(s) guarda-chaves, o(s) salva-vidas, nho reduzido do substantivo "SALA".
Alistam-se abaixo alguns SUFIXOS formado-
o(s) porta-luvas...
res desses diminutivos:
ACHO = riacho, penacho
FLEXÃO DE GRAU EJO = lugarejo
O grau exprime as variações de tamanho dos EBRE = casebre
seres. Assim, a partir da forma normal dos subs- ECO = livreco, jornaleco
tantivos, aparecem os graus AUMENTATIVO e ETO / ETA = poemeto, saleta
DIMINUTIVO. ICO = burrico
ICULO(A) (Erudito) - película
mão - mãozinha - manzorra
IM = espadim, flautim
INHO = caderninho, pastinha
GRAU AUMENTATIVO ISCO = chuvisco
Observe a frase abaixo: ITO(A) = mosquito, cabrito, senhorita
ZINHO = papelzinho, irmãzinha
"... e o Lobo Mau abriu a BOCARRA
OCA = engenhoca
e comeu a vovozinha ..." OLA =fazendola
OTE = velhote
A palavra "BOCARRA" está no grau aumen-
UCHO = papelucho
tativo, já que apresenta o tamanho exagerado do ULA (O) = radícula, glóbulo
substantivo "BOCA". ÚNCULO(A) (Erudito) - homúnculo
O AUMENTATIVO dos substantivos se reali-
EMPREGOS SEMÂNTICOS DO
za com o acréscimos de SUFIXOS à forma normal DIMINUTIVO EDO AUMENTATIVO
dos substantivos primitivos.
• Diminutivo afetivo: fdhinho, amorzinho, ma-
Eis alguns SUFIXOS AUMENTATIVOS utili-
mãezinha...
zados nesse processo:
ARRA = bocarra, naviarra • Diminutivo pejorativo: gentinha, mulherzinha,
jornaleco, velhote...
AÇA = barcaça, barbaça, caraça
ALHA = muralha, fornalha • Aumentativo pejorativo: porcalhão, narigão,
AÇO - calhamaço medicastro, atrevidaço...
51
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

LOCUÇÃO ADJETIVA
ADJETIVOS
É a expressão (formada de preposição + subs-
Adjetivo é a palavra que se junta ao substanti-
tantivo) que se refere ao outro substantivo atri-
vo para precisar-lhe o significado.
buindo-lhe as mesmas características que o adje-
qualidade (defeito ou virtude)
tivo atribui.
Serve para modo de ser
• cor de chumbo (aspecto, aparência) = plúmbeo
indicar aspecto ou característica
• criatura sem mácula = imaculada, intemerata
estado
• pessoa sem vergonha (qualidade) = desavergo-
• Qualidade: cantigas bonitas, palavra gentil nhada
(virtudes). Estátua defeituosa, pessoa chata • caráter de ferro = ferrenho
(defeitos).
• estátua de mármore (tipo) = marmórea
• Modo de ser; estrada pedregosa, rua asfaltada. • caminho de ferro = férreo
• Aspecto, aparência, tipo: faixa amarelo-laran- • hábitos contra a moral = imorais
ja, céu transparente.
Nota: Nem toda locução adjetiva pode
• Estado: natureza morta, pessoa triste, carne ser reduzida a um adjetivo.
fresca.
CLASSIFICAÇÃO DOS ADJETIVOS

Quanto à formação, os adjetivos classificam-se


em:
1) Adjetivos substantivados: muitos adjetivos
são usados com valor de substantivos, facil- Primitivos
mente subentendidos. Aqueles que não derivam de outras palavras.
Pelo contrário, a partir deles são formados os de-
Os antepassados (os homens antepassados)
rivados.
Os justos (os homens justos) útil, forte, bom, triste, fraco, mau ...

O circular (o ônibus circular) Derivados


Aqueles que derivam de substantivos ou ver-
2) Substantivos adjetivados: trata-se de subs- bos, apresentando sempre um prefixo e/ou sufixo.
tantivos usados com valor de adjetivos. teimoso, desleal, mulherengo,
Vapor cinza = vapor de cor idêntica à da cinza pontual, cabeludo, respeitado...

Simples
(resíduos de combustão)
Aqueles que apresentam um único radical.
Comício monstro = comício monumental, grandioso
português, escuro, castanho...
(ser disforme) Compostos
Blusas rosa = blusas de cor idêntica à da rosa. Aqueles que se formam a partir da união de
4- DOIS ou MAIS radicais.
(designação de flor) luso-brasileiro, verde-claro, castanho-escuro...

52
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Adjetivos Pátrios Flexão de número


Também denominados gentílicos, os adjetivos O PLURAL dos adjetivos SIMPLES se faz da mes-
pátrios designam a NATURALIDADE ou NA- ma forma com que se pluralizam os substantivos.
CIONALIDADE DOS SERES. Os adjetivos compostos são constituídos de
Amazonas = amazonense dois ou mais radicais. Sua pluralização segue as

Brasília = brasiliense seguintes regras;

Mato Grosso = mato-grossense • Varia apenas o ÚLTIMO ELEMENTO se o ad-


Rio de Janeiro (capital) = carioca jetivo composto é formado por ADJETIVO +
Rio de Janeiro (estado) = fluminense ADJETIVO.
Divinópolis = divinopolitano cabelos castanho-escuros, lenços verde-claros,
S. João Del Rei = sanjoanense poemas herói-cômicos, folhas verde-escuras...

• O adjetivo surdo-mudo flexiona seus dois ele-

FLEXÕES DOS ADJETIVOS mentos.


Meninas surdas-mudas.

FLEXIONAR uma palavra é "variá-la", "trans- • Sendo o adjetivo composto por uma PALAVRA
INVARIÁVEL (Io elemento) e o segundo VÁ-
formá-la. Os ADJETIVOS se flexionam ou variam
RIAVEL, apenas este será pluralizado.
em GÊNERO, NÚMERO e GRAU, sempre de acor-
do com o SUBSTANTIVO caracterizado por eles. mal-educados, semi-selvagens, recém-formados...

• Caso o adjetivo composto seja formado por um


Flexão de gênero ADJETIVO + SUBSTANTIVO, os dois ele-
Quanto ao GÊNERO, os adjetivos se classifi- mentos permanecerão INVARIÁVEIS.
cam em:
lençóis verde-oliva, tapetes azul-turquesa,
camisas amarelo-ouro...
• Biformes: adjetivos que apresentam duas for-
• Permanecerão também INVARIÁVEIS as locu-
mas distintas, uma para designar o masculino e
ções formadas de COR + DE + SUBSTANTIVO.
outra para o feminino.
vestidos cor-de-rosa, calças cor-de-café...
passeio BOM / viagem BOA
• Permanecerão também INVARIÁVEIS os compos-
aluno PREPARADO / aluna PREPARADA
tos azul-marinho, azul-celeste e azul-ferrete.
rapaz JUDEU / moça JUDIA
corpo FRACO / mente FRACA Flexão de grau
• Grau comparativo de INFERIORIDADE (me-
• Uniformes: adjetivos que apresentam uma úni- nos do que).
ca forma tanto para o masculino quanto para o Pesquisas revelam que os homens são
feminino. MENOS fortes QUE as mulheres.

simples, capaz, saliente, útil, feroz, igual, forte, • Grau comparativo de IGUALDADE (igual a,
elegante, gentil, anterior, cortês, cruel... como, tanto quanto, tão quanto).

53
! PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Nós somos TÃO portugueses


QUANTO os próprios lusitanos. ADVÉRBIOS
São palavras invariáveis em gênero e número,
• Grau comparativo de SUPERIORIDADE (mais que modificam o sentido dos adjetivos, dos ver-
do que). bos, de outros advérbios e, ocasionalmente, até de
frases inteiras, indicando uma circunstância.
Amigos sinceros são MAIS necessários
• de afirmação; sim, certamente, realmente...
(DO) QUE o dinheiro. • de negação; não, nunca, jamais...
• de dúvida: talvez, caso, porventura, oxalá,
. Grau SUPERLATIVO
quiçá...
ABSOLUTO SINTÉTICO (associação de prefi- • de intensidade: bastante, bem, mais, pouco,
xo ou sufixo) muito, extremamente, meio...
A torre é altíSSIMA. • de lugar: aí, ali, aqui, adiante, atrás, lá...
Capitu, você está UndíSSIMA. • de modo: assim, bem, depressa, devagar...
Nosso apartamento é ÓTIMO. de tempo: agora, ainda, cedo, depois, tarde,
cedo...
ABSOLUTO ANALÍTICO (associação a advérbio)
Ele é MUITO HUMILDE. LOCUÇÃO ADVERBIAL
É MUITO GRANDE a responsabilidade
de um governante. Expressão que eqüivale a um advérbio.
As locuções adverbiais, no entanto, são variá-
Isso é EXCESSIVAMENTE VALIOSO, rapaz.
veis
. GRAU SUPERLATIVO RELATIVO Tudo correu às mil maravilhas.
(maravilhosamente)
DE INFERIORIDADE (o menos)
Diríamos que ele é O MENOS preparado LOCUÇÕES ADVERBIAIS
da família. DE LUGAR à distância, de longe, de perto, em cima,
em volta, ao lado, à esquerda, à direita etc.
DE SUPERIORIDADE (o mais) DE TEMPO às vezes, à tarde, à noite, de manhã, de
Seria a Terra O MAIS belo dos planetas? repente, de vez em quando, em breve, a
qualquer momento, hoje em dia etc.
DE MODO às pressas, às claras, à vontade, à toa, às
• Quando se comparam duas qualidades de escondidas, aos poucos, frente a frente,
um mesmo ser, emprega-se a forma ANALÍ- lado a lado, a pé, de ônibus, dessa ma-
TICA (mais grande, mais bom, mais pequeno, neira etc.
mais ruim...). DE INTENSIDADE em excesso, por completo, de todo etc.
• Se a mesma qualidade se referir a seres
diferentes, emprega-se a forma SINTÉTICA DE DÚVIDA quem sabe, se possível etc.
(maior, melhor, menor, pior...). DE AFIRMAÇÃO sem dúvida, com certeza, de fato, por certo
etc.
O professor é mais GRANDE que GORDO. DE NEGAÇÃO de jeito nenhum, de modo algum etc.
Aquela sala é MAIOR que esta.

Ele é MENOR que o irmão.


• Em uma seqüência de advérbios terminados
Ele é mais PEQUENO que MAGRO. em mente, o sufixo pode aparecer apenas no
último elemento, ficando subentendido nos
• Nas locuções comparativas, pode-se usar demais termos.
que ou do que.
Ela agiu calma e gentilmente.
54
FLÁVIA RITA COUT1NHO SARMENTO

ADJETIVOS ADVERBIAL1ZADOS Exemplos de expressões adverbiais:


Meio -> Viajei de avião.
O adjetivo, quando determinante do verbo, tem
natureza e valor de advérbio, portanto, de adjunto Instrumento —> Escreve a máquina.

adverbial. Passa a ser invariável como o advérbio e Assunto -A Falamos sobre economia.
é classificado conforme a circunstância que acres- Condição —> Não irei sem você.
centa ao elemento a que se refere. Companhia —> A criança só sai com a
mãe.
Falem baixo.
Concessão -> Embora triste, sorria.
Comprei caro os lotes. Causa -> Adoeceu de frio.

Pensei melhor e resolvi falar claro. Finalidade -> Trabalha pela família.

• Os advérbios variam em grau exatamente


como um adjetivo. (P. 53-54) PREPOSIÇÕES

Termos invariáveis que servem de ligação en-


tre palavras de uma mesma oração, ficando a pri-
O lugar do adjunto adverbial ]
meira (antecedente) modificada ou completada
I é depois do verbo ou do complemento do ver- 1
1 bo. Se ele vier deslocado, será, em geral, sepa- | pela segunda (conseqüente).
; rado por vírgula. ; Não voltei para casa.
li ii
Chorava de dor.
i Abaixo de Deus, foi ele quem me salvou. ]
Concordo com você.

PREPOSIÇÕES ESSENCIAIS
PALAVRAS DENOTATIVAS
a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em, entre,
São palavras que se assemelham a um advér-
para, per, perante, por, sem, sob, sobre, trás.
bio, mas não podem ser consideradas como tal,
pois não modificam o verbo, o adjetivo ou o ad-
LOCUÇÕES PREPOSITIVAS
vérbio e sim uma frase inteira ou outras palavras
São expressões que terminam sempre em uma
como pronomes ou substantivos.
preposição essencial.
Ele não fala, apenas murmura palavras. —> exclusão
Abaixo de, acerca de, acima de, devido a,
Então ele disse toda a verdade. —>• situação a despeito de, adiante de, defronte de, embaixo de,
em frente de, graças a, junto de, perto de,
Até comprei uma roupa nova. —> inclusão
por entre, por trás de, quanto a etc.
Eu sei lá o que ele disse. —> realce
PREPOSIÇÕES ACIDENTAIS
São palavras de outras classes que podem
exercer função de preposição.
Não só os advérbios mas tam- i
bém expressões e locuções adverbais determi- \ afora, conforme (= de acordo com), consoante,
nam o verbo, o adjetivo ou outro advérbio. ; durante, exceto, salvo, segundo, senão, mediante,
'
que, visto (- devido a, por causa de) etc.
55
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Vestimo-nos conforme a situação e o momento.


a preposição liga dois termos, sendo invari-
Os heróis tiveram como prêmio aquela vida. ável, enquanto o pronome oblíquo substitui um
Mediante meios escusos, ele conseguiu a vaga. substantivo. Já o artigo antecede o substantivo,
A moça dormiu durante a viagem. determinando-o.

As preposições essenciais regem pronomes Não a vi novamente, (pronome oblíquo)


oblíquos tônicos. Já as preposições acidentais Chegou a chorar, (preposição)
regem as formas retas dos pronomes pessoais. Conhecia a moça. (artigo)
Falei sobre ti. / Todos, exceto eu, vieram.
f.hUJMW.m
CARGA SEMÂNTICA DAS PREPOSIÇÕES
Observa-se que a última palavra da locução
Isoladamente, as preposições são palavras va-
prepositiva é sempre uma preposição, enquan-
zias de sentido, embora algumas contenham uma
to a última palavra de uma locução adverbial vaga noção de tempo e lugar. Nas frases, expri-
nunca é preposição. mem diversas relações:

• autoria - música de Caetano


Loc. Adv. Loc. Prepos.
• lugar - cair sobre o telhado, estar sob a mesa
à toa afim de
• tempo - nascer a 08 de janeiro, viajar em uma
à tarde através de hora, viajei durante as férias
à noite devido a
• modo ou conformidade - chegar aos gritos,
a pé ao lado de votar em branco
Quanto ao emprego, as preposições podem
• causa - tremer de frio, preso por vadiagem
ser usadas em:
• assunto - falar sobre política
• Combinação; preposição + outra palavra
sem perda fonética (ao/aos). • fim ou finalidade - vir em socorro, vir para
ficar
• Contração: preposição + outra palavra com
• instrumento - escrever a lápis, ferir-se com a
perda fonética (na/àquela). faca
• não se deve contrair a preposição ao artigo • companhia - sair com amigos
ou ao pronome reto antes de verbo se o ter-
• meio - voltar a cavalo, viajar de ônibus
mo seguinte for sujeito.
Está na hora de ele falar. • matéria - anel de prata, pão com farinha
• posse - carro de João
• a preposição após pode funcionar como ad-
vérbio (= atrás). • oposição - Flamengo contra Atlético
Terminada a festa, saíram logo após.
• conteúdo - copo de (com) vinho
• Trás, atualmente, só se usa em locuções ad- • preço - vender a (por) R$ 300,00
verbiais e prepositivas.
• origem - descender de família humilde
por trás, para trás, por trás de etc.
• especialidade - formou-se em Medicina
Quanto à diferença entre pronome pessoal • destino ou direção - ir a Roma, olhe para
oblíquo, preposição e artigo, deve-se observar que frente.

56
FLÁVIA RiTA C0UT1NH0 SARMENTO 1

CONJUNÇÕES • Temporais: quando, enquanto, assim que, até


que, mal, logo que, desde que etc.
São termos invariáveis que servem para rela-
• Integrantes: que, se, como etc.
cionar duas orações ou dois termos coordenados
da mesma oração. As conjunções se dividem em
As conjunções integrantes não apresentam
coordenativas ou subordinativas.
carga semântica e introduzem sempre uma oração
subordinada substantiva.
a) COORDENATIVAS: ligam orações que não
fazem parte de uma outra ou unem núcleos de
VALOR CONTEXTUAL DAS CONJ UNÇÕES
um mesmo termo da oração. Podem ser:
• Aditivas: e, nem, hem como, não só, mas tam-
"(...) e assim, quando mais tarde me procure
bém, não apenas, como ainda etc.
/ Quem sabe a morte, Eu possa me dizer do
• Adversativas: mas, porém, todavia, contudo,
amor (que tive): / Que não seja imortal, posto
não obstante, no entanto, entretanto etc.
que é chama / Mas que seja infinito enquanto
• Alternativas: ou, ou...ou, quer...quer, ora...
dure. Vinícius de Moraes
ora, já...já, seja... seja etc.
• Conclusivas: assim, logo, portanto, então, por Esse é um dos mais conhecidos e apreciados
isso, desse modo, por conseguinte, dessa for- poemas de Vinícius. Entretanto, nota-se uma ina-
ma, pois (deslocado) etc. dequação gramatical na utilização da expressão
• Explicativas: que, porque, pois (antes do ver- posto que com o valor semântico de causa. O
bo), porquanto etc. poeta espera que o amor não seja imortal, já que
é chama, o que revela uma contradição entre o va-
b) SUBORDINATIVAS: indicam a dependência lor habitual do conector (concessivo) e seu valor
de um elemento a outro. contextual.
• Causais: haja vista, que, porque, pois, por- A questão é que "POSTO QUE" tem valor con-
quanto, visto que, uma vez que etc. cessivo, ou seja, indica oposição, tem o mesmo va-
lor de "apesar de que, embora, ainda que, mesmo
• Comparativas: como, que nem, que (depois de
que", e não de "porque, já que, visto que". Então, o
mais, menos, melhor, pior, maior) etc.
verso deveria ter sido construído assim: "Que não
• Concessivas: embora, conquanto, ainda que,
seja imortal, já que é chama", ou "porque é chama"
mesmo que, em que pese, posto que etc.
ou ainda "visto que é chama".
• Condicionais: se, desde que, caso, contanto
Muitas são as expressões e as palavras que cau-
que, a menos que, somente se etc. sam dúvidas ou apresentam problemas semânti-
• Conformativas: conforme, como, segundo, de cos ao concursando. Vejamos algumas delas:
acordo com, consoante etc.
• Consecutivas: que (depois de tal, tanto, tão) A conjunção "COMO" pode ter três valores se-
de modo que, deforma que, de sorte que etc. mânticos: causa, comparação e conformidade.
• Finais: para que, afim de que etc.
• Na frase "Como estava chovendo, não saí de
• Proporcionais: à proporção que, à medida
casa.", ela indica causa, pois poderia ser subs-
que, quanto mais... mais, quanto menos... me-
tituída por "já que".
nos etc.

57
PORTUGUÊS DESCOMRUÇADO

• Em "Faço o trabalho como o regulamento ARTIGOS


prescreve." indica conformidade, pois pode-
ria ser substituída por "conforme". Trata-se de termos que antepomos aos subs-

• Em "Ele age como o pai.", indica comparação, tantivos para determiná-los, indicando-lhes, ao

pois poderia ser substituída por "igual a". mesmo tempo, o gênero e o número.

A conjunção "SE", além de ser condicional, Os artigos definidos (o, a, os, as) determi-
pode ser causai ou iniciar oração subordinada nam os substantivos de modo preciso, parti-
substantiva com função de sujeito ou de objeto cular.
direto, sendo denominada, nesse último caso, de
conjunção integrante. Vi o rapaz, (um rapaz referido, conhecido, de-

• Na frase "Se você estudar, conseguirá seu in- terminado)

tento." ela indica condição, pois eqüivale a


Os artigos indefinidos (um, uma, uns,
"caso".
umas) determinam os substantivos de modo
• Em "Se você sabia que era proibido entrar lá, vago, impreciso, geral.
por que não me avisou?", indica causa, pois
poderia ser substituída por "já que". Vi um rapaz. ( um rapaz não referido, desco-
nhecido, indeterminado)
• Em "Não sei se ficarei aqui muito tempo."
há uma conjunção integrante, pois "se fica- O bicho

rei aqui muito tempo" funciona como objeto Vi ontem um bicho.

direto do verbo "saber". Na imunãície do pátio


Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
INTERJEIÇÕES
Engolia com voracidade.
O bicho não era um cão.
São palavras invariáveis que, sozinhas, eqüiva-
Não era um gato.
lem a uma frase, geralmente exprimindo sentimen-
Não era um rato.
tos ou emoções súbitas.
O bicho, meu Deus, era um homem!
Ah!, OU, Alô!, Tomara!, Puxa!, Psiu!, Caramba!,
Manuel Bandeira
Arre!, Ó!, Upa!...

As palavras acima destacadas são artigos, por-


LOCUÇÕES 1NTERJETIVAS
que estão antepostas aos substantivos determi-
nando-lhes o sentido precisa ou imprecisamente.
Conjunto de palavras que atua como uma
interjeição.
O artigo um serve para dar uma idéia de um
Meu Deus!, Ó de casa!, Que pena!, Bom dia!, ser desconhecido ou não especificado, ou seja,
Até logo!, Queira Deus! um ser qualquer.

I 58
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

O artigo o serve para especificar, particulari- PRONOMES


zar o ser dando a idéia de que se trata de um ser
São palavras que substituem ou acompanham
já conhecido, definido.
um substantivo sempre em referência às três pes-
o pátio, os detritos seres particulares, conhe- soas do discurso.
ciãos do autor.
Pronomes - Resumo
Pessoais Indicam Retos: eu, tu, ele, nós,
Compare o emprego da palavra bicho no poema: diretamente as vós, eles.
• no primeiro verso: "Vi ontem um bicho." três pessoas do Oblíquos átonos: me, te,
discurso. se, lhe, nos, vos, o, a...
(Um bicho qualquer, não identificado.) Oblíquos tônicos: mim,
• no último verso: "O bicho, meu Deus, era ti, comigo, contigo, ele,
nós, conosco, convosco...
um homem!" Reflexivos: me, te, se, si,
(agora, o ser antes não identificado, já não é consigo..,
De tratamento: você,
um bicho qualquer, foi identificado pelo au- senhor, V. Exa....
tor.) Demonstrativos Indicam a posição este, esse, aquele, o, tal,
dos seres no mesmo, próprio, aquilo,
espaço, no tempo semelhante, isto, isso...
e no contexto.
Um homem = ser desconhecido Relativos Relacionam-se a que, quem, quanto, onde,
um antecedente, o qual, cujo, como,
(nota-se o espanto do autor ao perceber tratar-
representando-o
se de um homem): " O bicho, meu Deus, era na oração
um homem! (sentido genérico) seguinte.
Indefinidos Indicam o ser de tudo, nada, algum,
forma indefinida nenhum, muito, certo,
ou expressam pouco, mais, todo, vários,
quantidade qualquer...
indefinida.
Toda palavra determinada
Interrogativos Iniciam que, quem, qual, quanto.
por um artigo torna-se um substantivo: um interrogações
sim, um não, o porquê, os ii, os oo, o dez, o diretas e indiretas.
senão, o bom, o andar, a bebida. Possessivos Indicam posse. meu, teu, seu, nosso, vosso...

FUNÇÃO DOS PRONOMES

SU BSTANTIVAÇÃO Uns funcionam, na frase, substituindo o subs-


Consiste em transformar uma palavra de outra tantivo, outros só acompanham o substantivo, e
a maioria ora acompanha o substantivo ora o
classe gramatical em substantivo, por meio de ante-
substitui.
posição de um determinante.
Pronomes substantivos
O verde das folhas. Quando desempenham a função de um substan-
tivo (nesse caso, substituem um substantivo, isto é,
O andar do homem.
comportam-se como se fossem substantivos).
O mal da humanidade.
Não há ninguém em casa.

59
| PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

• O pronome ninguém substitui um substantivo. As palavras grifadas, no texto, são pronomes,


porque estão substituindo ou acompanhando no-
De todas, levarei esta aqui. mes (um substantivo).
Alguns deles:
• O pronome esta substitui o substantivo.

Pronomes adjetivos QUEM => está substituindo um nome, isto é, está


Quando desempenham a função de um adjeti- sendo usado em lugar de um substantivo.
vo (nesse caso, acompanham um substantivo, ou
seja, comportam-se como se fossem adjetivos). Não há no mundo pessoa que visse aman-
tes que se quisessem.
Este carro é de seu pai?
QUE => aparece em lugar de um substantivo;
• este: acompanha o substantivo carro, apontan-
substitui, na 3a oração, o substantivo amantes.
do-o, indicando-o.
• seu: acompanha o substantivo pai, exprimindo Esse pronome foi usado para evitar que o subs-
posse. tantivo amantes aparecesse repetido, prejudi-
cando a construção frasal.
-"Acabemos com isto!", - ela me disse.
E eu respondi-lhe assim: - "Pois acabemos!" Não há no mundo pessoa que visse
Efizo que se faz em tais extremos: amantes/amantes se quisessem...
Tomei do meu chapéu com fanfarrice.
SE => também estão se referindo ao substan-
tivo amantes, dando a idéia de reciprocidade.
Observe que, nos trechos, são pronomes substan-
tivos: isto, ela, me, eu, lhe, o.
(...) quisessem um amante ao outro amante (...)
Por outro lado, são pronomes adjetivos: tais, meu.

• OBSERVAÇÃO Assim, quem, que e se são PRONOMES


ronome Substantivo - substitui o substantivo SUBSTANTIVOS no texto.
ronome Adjetivo - acompanha o substantivo
MINHA => está acompanhando o substan-
tivo mãe, denotando idéia de posse, isto é, a
EMPREGO DE PRONOMES mãe pertence ao eu-poético. Assim, minha é
um PRONOME ADJETIVO.
Pronomes adjetivos e
pronomes substantivos - aplicação
FLEXÃO DOS PRONOMES

ARRUFOS Os pronomes são palavras que podem variar


"Não há no mundo quem amantes visse para indicar gênero, número, pessoa e caso.
Que se quisessem como nos queremos ...
• Gênero (masculino e feminino)
Um dia, uma questiúncula tivemos
Visitei uma vila por cujas ruas andei tranqüilamente.
Por um simples capricho, uma tolice.
(fem.)
/
Nem minha mãe volvendo agora ao mundo." Conheci um lugarejo em cujos vales há muitas flores.
(masc.)
Arthur Azevedo

60
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

• Número (singular e plural) Basta a mim a tua palavra. Nunca saia sem ela.
Reze por mim. Tenho dó de ti.
Você deve anotar quaisquer recados para o diretor.
(plural) Cá entre nós. Leve-o para ela.
Ficou fora de si. Confio em vós.
Todos devem procurar meu talão agora.
(plural) (sing.)
mim = comigo
a a a
• Pessoa ( I , 2 , 3 ) ti = contigo
Eu aviso-te amanhã sobre aquele moço. preposição com + si = consigo
(Ia) (2a) (3a)
nós = conosco
vós = convosco

PRONOMES PESSOAIS Mauro saiu comigo. Ana ficará conosco.

São os que designam as três pessoas do discurso.


Classificam-se como:
• do caso reto - funcionam como sujeito ou Oblíquos átonos
predicativo. Desprovidos de acento tônico; nunca precedi-
• do caso oblíquo - funcionam como comple- dos de preposição.
mento ou adjunto. Quero-o amanhã.
Basta-me a tua palavra.
Não nos aborreça. Vejo-te no escritório.
PRONOMES PESSOAIS Mando-lhe depois. Passe-me o saleiro.
PRONOMES OBLÍQUOS
PESSOAIS RETOS
ÁTONOS TÔNICOS
(s/preposição) (c/preposição)
V-
JTO Ia eu me mim, comigo
Z5
b/) 2a tu te ti, contigo
c
Cn 3° ele, ela se, o, a, lhe si, ele, ela, consigo
1) Todos os pronomes pessoais são pronomes
"rõ Ia nós nos nós, conosco
substantivos.
_=3 2a vós vos vós, convosco
Ü. 2) A rigor, somente os pronomes EU e TU são
3° eles, elas se, os, as, lhes si, eles, elas
considerados exclusivamente do caso reto,
Oblíquos tônicos por não se poderem reger de preposição.
Marcados com acento tônico; sempre precedi- Eu quero agradecer-te o elogio.
dos de preposição. Tu necessitas de mim?
mim
ti 3) Os pronomes ele(s), ela(s), nós e vós po-
dem ser retos ou oblíquos, dependendo da
preposição + si, ele, ela
função que exercem na frase.
(a, de, em, por, nós
para, sem etc.) Lutou contra nós. (oblíquo)
vós
Nós venceremos isso. (reto)
si, eles, elas
61
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

O uso de EU e TU Falo com vós quatro mais tarde.


Ela está mal com nós todos.
Traga o livro para eu ler.
Encomendei algo para tu usares. Também com aposto:

Em frases desse tipo, a preposição não está re- Com nós, brasileiros, não há tempo ruim.
gendo os pronomes eu e tu. Na verdade, trata-
-se de duas orações, sendo a segunda reduzida de Também com oração objetiva;
infinitivo. Isto aconteceria com nós, que somos precavidos.

Traga o livro para que eu leia. Variações das formas O, AS, OS, AS
Encomendei algo para que uses. (Substituem termos sem preposição.)

Assim, os pronomes eu e tu funcionam como Pu-la na mesa.


sujeito de verbo no infinito, como ocorre nos Fi-lo no escritório.

exemplos abaixo: O pronome pessoal o pode assumir as formas


Ela pediu para eu e tu esperarmos aqui. lo, ia, no, na (e plurais):
Comprei um perfume para tu usares.
a) Lo(s), la(s): depois de forma verbal termi-
Não há nada para eu ler agora.
nada em r, s, z, sendo estas consoantes su-
primidas.
O uso de MIM e TI
R Vê-lo é um suplício. (Ver + o)
Traga o livro para mim.
■ S + lo(s), la(s): Achamo-lo em casa. (Achamos + o)
Encomendei algo para ti.
Z João ainda não fez anos;fá-los hoje.
Não havendo verbo no infinitivo e estando os I desaparecem (Faz + o)
pronomes eu e tu regidos de qualquer preposição,
devem ser trocados pelas formas oblíquas corres- b) No(s), na(s): depois de forma verbal termi-
pondentes (mim e ti). nada em ditongo nasal.

Ela pediu para mim epara ti. M


Comprei um perfume para ti. + no, na, nos, nas: Dão- no. Tem-nos.
Não há nada para mim agora. N(til) Põe-na. Acharam-nas.

COM NÓS X CONOSCO c) Demais casos: o, a, os, as.


COM VÓS X CONVOSCO
Vi-o. Entreguei-as. Deu-os.
Usam-se com nós (em vez de conosco) e
com vós (em lugar de convosco), quando vierem Contração de pronomes oblíquos átonos
acompanhados de ambos, mesmos, outros, to-
Entreguei-lho.
dos, numerai ou outro determinante.

Deixaram o recado conosco. Os pronomes oblíquos me, te, lhe, nos, vos
(em função de objeto indireto) podem combinar-
Deixaram o recado com nós mesmos.
-se com o, a, os, as (objeto direito), gerando as
Estava com nós outros.
formas mo, to, lho, no-lo, vo-lo.
Isto se deu com vós ambos.

| 62
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Entreguei o dinheiro a ele. (o dinheiro = o: OD)( a ele = lhe: OI) É hora de eles voltarem.
Entreguei-lho. (lhe + o) Chegou o momento de elas desfilarem.

Você paga a mim a dívida? (me - oi) (a dívida - od) A ocasião de eu comemorar é agora.

Você ma paga. (me + a)


Pronome integrante ao verbo
Não deram o doce a ti? = Não to deram?
Arrependi-me do que fiz.
Ninguém me contou a estória = Ninguém ma contou.
Ocorrem com verbos pronominais essenciais
Combinações pronominais possíveis:
que exprimem sentimento, mudança de estado, mo-
me + o = mo me + a = ma
vimento etc.
nos + o = no-lo nos + a = no-la
te + o = to te + a = ta Queixar-se Converter-se Tornar-se
vos + o = vo-lo vos + a = vo-la Arrepender-se Atrever-se Referir-se
lhe + o = lho lhe + a = lha Alegrar-se Orgulhar-se Suicidar-se

Os pronomes, junto a esses verbos, não têm


Pronome oblíquo com função de sujeito função sintática (são chamados de parte integran-
Deixou-me falar. te do verbo).

Em frases desse tipo, o pronome oblíquo não Maria queixa-se de fortes dores.
está funcionando como objeto do verbo anterior, Arrependi-me do que fiz.
mas como sujeito do verbo no infinitivo que faz Não te atrevas a sair sem mim!
parte de uma oração reduzida.
Pronome reflexivo ou recíproco
Deixou-me falar. = Deixou que eu falasse.
Ela se odeia. Elas se odeiam.
Tal fenômeno acontece com verbos do tipo ver,
i i
ouvir, sentir, fazer, mandar, deixar + infinitivo. Pronome
Pronome
Ouvi-as chegar. reflexivo recíproco
Vi-o entrar.
Fi-las dormir. Mandei-os sair.
Deixem-no brincar. Esperei-a voltar. Pronomes Reflexivos
São os pronomes se, si, consigo, e também as
Tais verbos são denominados cansativos ou formas me, te, nos e vos, quando indicam que a
sensitivos. ação do verbo recai na própria pessoa que a pratica.

Ele fala de si.


Pronome reto antes de infinitivo
Ela se odeia.
Está na hora de eu ir trabalhar. Nós não nos ferimos no acidente.
É o momento de eles falarem.

Ocorrendo os pronomes eu e ele (ela, eles,


As formas si e consigo são
elas) + infinitivo, não haverá combinação com
sempre reflexivas, só podem ser usadas em
preposição, pois os pronomes servem de sujeito
referência ao próprio sujeito.
do verbo no infinitivo.

63
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Devem ser usadas as b) Sua: designa a pessoa de quem se fala (isto


Errado:
formas corretas: é, a 3a pessoa).
Ana, preciso falar Ana, preciso falar com Sua Excelência, o Presidente, falará ao povo hoje.
consigo. você.
Sua Santidade João XXIII morreu em que ano?
Ivan, conversamos Ivan, conversamos
muito sobre si ontem. muito sobre você Convém conhecer as seguintes formas de tra-
ontem.
Desejo falar consigo. tamento e as abreviaturas com que são indicadas
Desejo falar com você. na escrita:
Na reunido, fiquei fora
de si. Na reunido, fiquei fora
de mim. Abreviaturas Tratamento Usado para
VA. Vossa Alteza Príncipes, arquiduques,
Pronomes recíprocos
duques
São alguns pronomes reflexivos que, com va- V. Ema. Vossa Eminência Cardeais
lor de um ao outro, referem-se a sujeito plural ou
composto (mais de uma pessoa).
V. Exa. Vossa Excelência Altas autoridades do
Governo e das Forças
Os lutadores se estudaram, isto é,
estudaram um ao outro. Armadas
V.M. Vossa Majestade Reis, imperadores
Paulo e Ana não se cumprimentam.
(uma e outra)
V. Maga. Vossa Reitores das Universi-
Magnificência dades
Nós nos abraçamos, (um ao outro)
V. Revma. Vossa Sacerdotes em geral
Ela se odeia. Reverendíssima
(Ela pratica a ação sobre si mesma: reflexivo) V.Sa. Vossa Senhoria Funcionários públicos
graduados, oficiais até
Elas se odeiam.
(Cada uma pratica a mesma ação sobre a outra: coronel, pessoas de
recíproco). cerimônia, tratamento
comercial
Pronomes pessoais de tratamento V.S. Vossa Santidade Papas

Usados no tratamento cerimonioso ou comer-


V. Exa.Rema. Vossa Excelência Bispos
cial.
Reverendíssima
a) Vossa: designa a pessoa a quem se fala (isto
é, a 2a). c) Abreviaturas das formas de tratamento

Vossa Excelência sabe que sou seu amigo. usadas no plural


Vim até Vossa Senhoria pedir-lhe um favor. • Abreviaturas com letras dobradas:

Embora a forma Vossa seja de 2a pessoa, exige singular plural singular plural
os verbos e os outros pronomes na terceira V.M. VV.MM. VA. VV.AA.
pessoa.
S.M. SS.MM. S.S. SS.SS.

64
FLAVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

Não se usa o tratamento Vossa Santidade no - oficiais até a patente de coronel


plural em referência ao Papa (VV.SS.), porquanto 05 - tenente-coronel
só existe um Papa vivo. to ■s - major
o
ns -c - capitão
u» c
lo CD - aspirante a oficial
• Nas abreviaturas que terminam com a letra a, o to
- diretor de repartição pública
acrescenta-se s\
- chefe de seção
singular plural
V. Exa. V. Exas.
S. Ema. S. Emas. 1 - O tratamento dispensado ao Presidente
da República sempre por extenso:
S. Exa. S. Exas.
V. Exa. Revma. V. Exas.Revmas. Excelentíssimo Senhor Presidente da
República , Vossa
V. Ema. V. Emas. Excelência está convidado a participar do
Io Seminário de Geriatria.
Complemento do Quadro de Tratamento
2 - O tratamento dispensado pessoalmente ao
Altas autoridades do Governo: Juiz de Direito é Meritíssimo Juiz.
- Presidente da República
- embaixadores
- deputados federais e estaduais Civis Vocativo Usado para
- juizes - Senadores * As normas - Senador
- senadores - Ministros do manual de - Ministro
- ministros - Governadores Redação da - Governador
- governadores de Estado - Deputados Presidência nem - Deputado
- Prefeitos sempre convergem - Prefeito
2 ro - prefeitos com as da NGB
- Embaixadores - Embaixador
^ 8 - secretários de Estado
- vereadores Excelentíssimo
- cônsules Senhor
o x
(P.459)
Altas autoridades das Forças Armadas:
- Chefes das Casas - Chefe
- ministro da Guerra Civil e Militar - Vereador
■ marechal - Vereadores t /i ti í'l /'t IV - Cônsul
jCnnor
-general - Cônsul - Diretor
- contra-almirante - Diretores de
Autarquias
- almirante
- vice-almirante - Reitores Magnífico - Reitor
- brigadeiro Judiciárias Vocativo Usado para

O) - Desembargador - Desembargador
da Justiça -Juiz
- abade
- Juizes de Direito Excelentíssimo - Curador
- prior
- Curador Senhor - Promotor
- superior de convento
- Promotor

65
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

PRONOMES DEMONSTRATIVOS
Militares Vocativo
- Ministro da Guerra Indicam a posição dos seres com relação às três
- Marechal pessoas gramaticais, situando-as no tempo ou no
- General espaço.
Excelentíssimo Senhor
- Contra-Almirante
+ patente çn
-Almirante VARIÁVEIS INVARIÁ-
S
(S)
- Vice-Almirante (S) VEIS
UJ
D-
- Brigadeiro MASCULINO FEMININO
a
I este, estes esta, estas isto
- Oficiais até Coronel
Ia esse, esses essa, essas isso
- Tenente-coronel
jo aquele, aqueles aquela, aquelas aquilo
- Major Senhor + patente
- Capitão
-Aspirante a oficial este próximo de quem fala
Autoridades Eclesiásticas Vocativo esta
tempo -presente (atual)
-Papa Santíssimo Padre isto
- Cardeais Eminentíssimo Senhor
-Arcebispos e Bispos Reverendíssimo Senhor esse afastado de quem fala
Autoridades Monárquicas Vocativo essa passado determinado
isso tempo
- Reis - Sua Majestade Real passado indeterminado
- Imperadores - Sua Majestade Imperial
aquele afastado de quem fala e de quem ouve
- Príncipes - Sua A/teza Imperial
aquela í distante (remoto)
- Sua Alteza Real tempo
- Sua Alteza Sereníssima aquilo
[ passado incerto
Outros Títulos Vocativo
-Dom - Digníssimo Dom
Este, esta, isto
■ Doutor -Senhor Doutor São usados em referência:
- Comendador - Senhor Comendador • ao espaço (indicando tudo que está próximo
- Professor - Senhor Professor de quem fala).

Este lápis aqui é meu.


Entrego-lhe isto como prova.
Esta minha blusa está horrível.
"Seu", na linguagem popular, pode aparecer
em lugar do tratamento Senhor. • ao tempo presente (em que estamos vivendo).
Seu garçom, traga a conta, por favor. Este ano está sendo o melhor de todos.
(=■ Senhor garçom) Nesta semana, vamos trabalhar mais.
Seu Geraldo já chegou?
(= Senhor Geraldo) • ao contexto (referindo-se ao último termo
expresso anteriormente).
66
FLÂVIA RITA C0UTINH0 SARMENTO

Encontrei Carlos e Celso na reunião. Aquela bolsa ali é minha.


Este pretende mudar-se para Curitiba. (Celso) Nossa! Aquele menino quase foi atropelado.
Você viu?
Esse, essa, isso
Usados em referência: • ao tempo remoto (passado distante em que
• ao espaço (indica tudo que está afastado de não vivemos):
quem fala e próximo de quem ouve). "Naquele tempo, disse Jesus a seus apóstolos..."

Essa sua blusa ficou bem em você.


Esse objeto que você carrega é perigoso. • ao tempo vago, impreciso ou incerto:
Que é isso aí, Mauro? "Bons tempos aqueles!
Naquela época eu contava apenas com uns
• ao tempo passado: quinze ou dezesseis anos.

Um dia desses estive em Salvador. Que aurora, que sol, que vida,
Conversei com Magda uma noite dessas. Que noites de melodia
Naquela doce alegria
• ao que foi mencionado pela pessoa com Naquele ingênuo folgar".
quem se fala:
• a um total afastamento afetivo de quem não
Não sei o que você quer dizer com isso.
gostamos:
Pressinto muita ironia nessa sua pergunta.
Não conheço aquele indivíduo.

• àquilo de que desejamos distância;


• ao texto referindo-se ao primeiro termo ex-
Não me fale mais nisso.
presso anteriormente:
O povo já não confia nesses políticos.
Não combino muito com esse indivíduo. Entre Inês e Mércia, prefiro aquela à última.
(=lnês)

• ao que já foi mencionado antes por quem


fala: NOTAS SOBRE O EMPREGO
DE PRONOMES DEMONSTRATIVOS
Fingir estar doente? Isso eu não faço.
"Tem que dar certo". Essas palavras são muito a) Emprego dos demonstrativos no contexto
ambíguas. em referência a dois termos (duas pessoas ou
duas coisas):

Aquele, aquela, aquilo Este (e variações) para o último termo.


Usam-se em referência:
Aquele (e variações) para o primeiro termo.
• ao espaço: indicando tudo que está afastado
de quem fala e de quem ouve; (1°) (2°) (2°) (1°)
Marciano, que é aquilo que está no alto da Entre o Amazonas e o Nilo, acho este mais caudaloso que aquele.
torre? [este (2o) = Nilo / aquele (Io) = Amazonas!

67
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

(1°) (2°) d) TAL, SEMELHANTE são demonstrativos quan-


Conversando com Melissa e Giovani, notei que
aquela estava tensa e este mais tranqüilo. do eqüivalerem a este, esse, aquele (e flexões).
(1°) (2°)
Tal episódio já me aconteceu. (= esse)
b) Emprego dos demonstrativos no texto em re- Não disse semelhante asneira. (= essa)
lação ao que se vai dizer e ao que já foi dito:
Não creio em tal. (= nisso)
ESTE (e variações) para o que será exposto (será
dito ou escrito):
Contração dos
Repare nestas palavras: "Um de vós há de me trair". pronomes demonstrativos
Os pronomes demonstrativos podem unir-se
ESSE (e variações) para o que já foi exposto:
às preposições a, em e de.
"O heijo, amigo, é a véspera do escarro". Essas
palavras amargas são do poeta Augusto dos Anjos. ^ a + aquele = àquele
a + aquela = àquela
Levo martelo, grampos e arame. Esses objetos são
importantes aonde vou. a + aquilo = àquilo
a + aqueles = àqueles
c) O (OS, A, AS), MESMO, PRÓPRIO, TAL, SE-
MELHANTE podem ser pronomes demons- a + aquelas = àquelas
trativos:
f em + aquele = naquele
• O (OS, A, AS) são demonstrativos quando
em + aquela = naquela
eqüivalem a aquele, aquela, aquilo:
em + aqueles = naqueles
Nem tudo o que dizes é verdade. (- aquilo) em + a ue
Não aprecio os que são preguiçosos. (= aqueles) em "{ q las = naquelas
Onde ficam as que muito considero? (= aquelas) em + aquilo = naquilo
em + isso = nisso
. MESMO, PRÓPRIO são demonstrativos quan-
do se eqüivalerem: em + isto = nisto

- Vbcé é o Paulo? - O próprio. (= mesmo) r


de + aquele = daquele
As janelas fecharam-se por si mesmas. (= próprias)
Eu próprio preparei os convites. (= mesmo) de + aquela = daquela
de + aqueles = daqueles
de i de + aquelas = daquelas
de + aquilo = daquilo
Em alguns casos, o mesmo eqüivale a isso: de + isso = disso
Se você gritar, também farei o mesmo. (= isso) de + isto = disto
Vou dizer certas verdades a ele; diga o mes-
mo também.(-isso) PRONOMES RELATIVOS
O pronome mesmo não pode retomar palavras.
A língua é importante, pois a mesma organiza São assim chamados porque se referem a um
o pensamento, (errado) substantivo ou a um pronome substantivo men-
cionado anteriormente.
Para corrigir a frase, basta suprimir a forma O nome (substantivo ou pronome substanti-
pronominal: A língua é importante, pois orga- vo) a que ele se refere é chamado de antecedente.
niza o pensamento.
68
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO |

VARIÁVEIS Emprego dos


INVARIÁVEIS pronomes relativos
MASCULINO FEMININO
o qual, os quais, a qual, as quais que • QUE - pode ter como antecedente pessoa, coisa
cujo, cujos, cuja, cujas, quem ou objeto.
quanto, quantos quanta, quantas onde
como Encontrei o menino que estava a minha procura.
Cão que late muito, pouco morde.
O livro que me emprestaste não foi o que te pedi.
A cadeira que comprei quebrou-se.
A ele, devo tudo quanto sou.
Atualmente, obedecendo à regência, o relativo que
Não conheço a moça com quem falaste. deve ser regido apenas de preposição monossilábica.
A rua onde moro está sendo asfaltada. A rua em que moro é bastante arborizada.
Comprei a revista de que você tanto fala bem.
O aluno cujo preparo elogiei foi promovido.
Esta é a chave com que abri meu armário.
Trazia guarda-chuva, sem o qual não saía. Aquela é a árvore por que brigamos tanto.

Em alguns casos, o antecedente do relativo que é


omitido.

• Que, o qual, quem, quanto e onde são Não vejo que reclamar. (= Não vejo nada que reclamar.)
pronomes substantivos. Que, quem, quan- Não teve [coisa] que dizer.
to, onde podem ser, em alguns contextos,
trocados por o qual. . QUEM - deve ter como antecedente pessoa.
O menino de quem falei está aí fora. Éramos nós quem te chamávamos na rua.
(= do qual falei)
Parecia ser você quem se afogava na piscina.
O edifício onde moro fica no centro.
O relativo quem aparece regido também de pre-
(- no qual moro)
posição monossilábica.
• Cujo funciona apenas como pronome ad- Este é o Papa a quem mais admiro.
jetivo e concorda com a coisa possuída em
Ninguém conhece a pessoa por quem te enamoraste.
gênero e número (termo conseqüente ).
Não gostei da pessoa a quem você alude tanto.
A região Sudeste, sobre cujas riquezas nosso
professor discorreu, é a mais próspera do país. Em lugar de sem que (nem sempre bem aceito),
deve-se usar sem o qual.
• Os pronomes relativos substituem, na ora-
Esperamos pelo professor, sem o qual não haverá aula.
ção em que estão, seu antecedente.

Encontrei a sacola que havia perdido. (En- O relativo quem pode referir-se a um antece-
contrei a sacola. / Havia perdido a sacola.) dente subentendido.

Passei no local onde acontecera o acidente. "Viverás enquanto houver quem pulse o mágico
(Passei no local. / O acidente acontecera no instrumento..." (Olavo BHac)
local.)
Quem cala consente. (- Aquele que cala, consente.)

69
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

"Zombam. Não há quem dele se condoa!"


(Raimundo Correia) Não se deve usar artigo com
(Não há ninguém que dele se condoa!) o relativo cujo (e variações).
Está errado dizer:
< QUANTO - pode sofrer flexões: quantos, Os carros cujos os defeitos são muitos estragou,
quanta, quantas; seu antecedente deve ser um (cujos defeitos)
pronome indefinido ou demonstrativo. A árvore cujas as folhas amarelecem geral-
Esqueci-me de tudo quanto me foi ensinado. mente morre, (cujas folhas)

Tudo quanto ganhei num mês perdi num dia.

O relativo quanto pode ser empregado sem an- • ONDE - é usado em referência a lugar.
tecedente. Tal emprego é comum em certos do-
Conheci o povoado onde nasceu nosso supervisor.
cumentos jurídicos.
Estarei num lugar onde nunca desejara estar.
Saibam quantos lerem esta escritura...
(= Saibam todos quantos lerem esta escritura.) Também a exemplo dos outros relativos, pode vir
preposicionado, assumindo, às vezes, as formas aon-

CUJO E VARIAÇÕES - indicam posse, apare- de e donde:

cem relacionando dois termos: possuidor e coi- Irei ao lugar aonde você foi ano passado.
sa possuída.
Venho de uma região donde não desejaria vir.
O partido cuja plataforma for mais sólida
Derrubaram a pinguela por onde passávamos
vencerá as eleições.
perigosamente.
O relativo cuja está ligando partido com plata-
O relativo onde pode ser usado sem anteceden-
forma. [plataforma (coisa possuída) do partido
te. (O antecedente está implícito no contexto da
(possuidor)]
frase.)
Deve o relativo cujo concordar sempre com a
O carro enguiçou onde não havia socorro,
coisa possuída, ou seja, com o conseqüente.
(num lugar onde)
A árvore cujas folhas amarelecem geralmente
"Onde me espetam, fico"(M. de Assis)
morre.
Quero ir aonde estás, (ao lugar)
Pode também o relativo cujo vir preposicionado.
Venha por onde eu passar.
Este é o vilarejo por cujos caminhos
nós já passamos.
"Existe sim [a felicidade]: mas nós não a alcançamos
Aluguei aquela casa em cujas dependências Porque está sempre apenas onde a pomos
havia móveis. E nunca a pomos onde nós estamos."

O garoto a cuja inteligência todos se (Vicente de Carvalho)

referem viajou.

70
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

. O QUAL E VARIAÇÕES: são usados em subs- Falei com José cujo sócio estava viajando.
tituição aos outros relativos, exceto cujo, que
O relativo cujo dissipa a dúvida: o sócio de
não admite equivalente.
José está viajando.
É um passado de que (ou do qual) ninguém se
lembra. No último período apresentado, relativo o qual
pode aparecer precedido de preposição monossí-
Fizeram-lhe acusações de que (ou das quais se
defendeu com energia. laba, dissílaba ou qualquer outra.

Algumas vezes, seu uso é imprescindível para Conversei com o mecânico contra o
clareza de um período. qual você moveu o processo.

Lá vai a moça do carro que precisa de água. As mulheres perante as quais os homens
se ajoelham são santas?
O emprego do relativo que torna a frase ambí-
gua, pois fica a dúvida acerca de que ou de quem Este é o carro junto do qual ficamos
precisa de água: a moça ou o carro? conversando ontem.

Com o emprego do pronome o qual, fica desfei- A mangueira debaixo da qual nos
ta a ambigüidade.
abrigamos tanto é esta.
Se a moça precisa de água, usa-se a qual. Esta é a mangueira sob a qual no
Lá vai a moça do carro a qual precisa de água. abrigamos tantas vezes.

Caso o carro necessite de água, coloca-se o Esta é a pessoa sem a qual


qual. você não consegue viver?
Lá vai a moça do carro o qual precisa de água.
O relativo o qual é usado com pronomes indefi-
Veja outro exemplo:
nidos, numerais, expressões partitivas e expres-
Conversei com o pai da noiva que se acidentou, sões superlativas antepostos a ele.
(quem?)
Ganhei quatro revistas, duas das quais eu já lera.
Conversei com o pai da noiva a qual se acidentou,
(noiva) Percorri muitas cidades,
algumas das quais muito limpas.
Conversei com o pai da noiva o qual se acidentou,
(pai)
Comprei bastantes laranjas,
• OBSERVAÇÃO grande parte das quais estragou-se.
Quando não se consegue clareza com o prono- Havia perto de mil pessoas,
me o qual, deve-se usar o relativo cujo.
metade das quais era visitante.
Falei com o sócio de José, que estava viajando.
Entrevistei duzentas pessoas, a mais
Falei com o sócio de José, o qual estava viajando. radical das quais não fumava.
Nos dois períodos citados fica a dúvida - quem
estava viajando?

71
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

A pessoa contra quem lutávamos,


DIFERENÇA
(errado/use: contra a qual)
sem acento com acento
o que um quê NOTA:
demonstrativo relativo artigo substantivo Em caso de preposições com mais de uma
sílaba, use o qual (e variações).
Ela tem um quê ãe mistério.
1
( substantivo O pronome quem, quando seguido de VTD,
' artigo indefinido exige a preposição a para efeito de ajuste fonético.
Não gostei do que ocorreu. Nesse caso, ele forma objeto direto preposicionado.
LI pronome ralativo
prep.+pronome demonstrativo A mulher que conheci é especial. (OD)
=( daquilo)
A mulher a quem conheci é especial. (OD Prep.)
REFERENCIAÇÃO CONTEXTUAL
DE PRONOMES RELATIVOS
Nos exemplos acima, a preposição a foi exigida
Os pronomes relativos substituem (retomam) pelo pronome quem. Não é caso de regência.
um termo antecedente com o qual mantêm rela-
ções de sentido. A mulher a quem me refiro é interessante. (OI)

As pessoas a que nos referimos estiveram no No exemplo acima, a preposição a é uma exi-
local, (que - pessoas) fência do verbo, não do pronome quem. É caso
e regência.
Países desenvolvidos e nações que buscam
a autonomia econômica têm os mesmos PRONOMES INDEFINIDOS
direitos, (que = nações)
São os que se aplicam à 3a pessoa gramatical,
Jovens escolarizados e crianças que não quando considerada de um modo vago e indeter-
tiveram acesso à educação formal disputam vagas minado.
no mercado de trabalho, (que = crianças)
Principais pronomes indefinidos:
O Brasil é um país que investe pouco em
turismo, (que = país)
VARIÁVEIS LU
A criação do imposto cuja decretação ocorreu
ontem levou anos. (cuja = imposto) Singular Plural
■ ->
Duvidava do que havia ocorrido, (que - o) Masc. Fem. Masc. Fem. z

USO DE PREPOSIÇÃO ANTES algum alguma alguns algumas alguém


DE PRONOMES RELATIVOS nenhum nenhuma nenhuns nenhumas ninguém
todo toda todos todas tudo
Usa-se preposição antes do pronome relativo
sempre que o termo posposto a ele exigir (ver re- outro outra outros outras outrem
gência). muito muita muitos muitas nada
tanto tanta tantos tantas cada
A mulher a cujos direitos me refiro deve ser colo-
cada em liberdade. quanto quanta quantos quantas quem
pouco pouca poucos poucas menos
Os cidadãos de cujos planos falávamos merecem
vário vária vários várias mais
respeito.
certo certa certos certas que

Os pronomes que e quem só admitem prepo- qualquer quaisquer


sições monossiiábicas. bastante bastantes
qual quais
A pessoa sobre quem falávamos esteve no local,
(errado/use: sobre qual) tal tais

72
FLÂV1A RITA C0UT1NH0 SARMENTO

LOCUÇÃO PRONOMINAL INDEFINIDA Bastante


Grupo de palavras que eqüivale a pronomes • Anteposto ao substantivo: pronome adjetivo in-
indefinidos. Em geral, é formada por mais de um
pronome. definido.

Eles disseram bastantes asneiras. (= muitas)


cada qual outro qualquer
todo aquele que seja quem for • Posposto ao substantivo: adjetivo.
cada um qualquer outro
Eles não foram homens bastantes. (= suficientes)
fosse quem fosse seja qual for
Bastantes adultos não são adultos bastantes,
[pron. adj. indefinido (=muitos): anteposto]
a) Pronomes indefinidos invariáveis que funcio- [adjetivo (= suficientes): posposto]
nam como pronomes substantivos: tudo, nada,
alguém, ninguém, quem, algo, que, outrem. • Bastante pode ser advérbio se modificar o sen-
Ninguém conseguiu dizer nada. tido de um verbo ou de um adjetivo.
(pronomes substantivos indefinidos)
Você já falou bastante hoje.
b) Pronomes indefinidos invariáveis que fun- (modificando verbo)
cionam como pronomes adjetivos: cada, me-
nos, mais. Ele está bastante molhado,
(modificando adjetivo)
Mais amor, menos confiança, Todo
é o que diz o provérbio.
(pronomes adjetivos indefinidos) • Anteposto ao substantivo: pronome adjetivo inde-
finido.
Cada coisa no seu lugar.
Todo homem morre. (= qualquer)
Tudo estava tão caro, que
comprei menos do que precisava. Estudo todo dia. (= todos os dias, sem exceção)
(pronomes substantivos indefinidos)
• Posposto ao substantivo; adjetivo.
c) Os pronomes indefinidos variáveis ora funcio-
nam como pronomes substantivos ora como O homem todo morre. (= inteiro)
pronomes adjetivos. Estudo o dia todo. (= inteiro)

Todo dia deseja-se bastante dinheiro


com pouco esforço. • Todo é usado como advérbio, significando in-
(pronomes adjetivos indefinidos) teiramente, quando modifica o sentido de um
adjetivo.
Alguns falaram, poucos ouviram,
e nenhum fez aparte. O menino estava todo molhado, (^completamente)
(pronomes substantivos indefinidos)

d) Deve-se ficar atento à colocação de certos pro-


nomes na frase, pois podem mudar de sentido Gramáticos, como Domingos
e também de classe gramatical.
Paschoal Cegalla e Evanildo Bechara, acei-
Certos homens valem a pena. tam todo sendo advérbio flexionando-se em
(pronome indefinido / = alguns) gênero e número. Entretanto, a norma não
recomenda aflexão.
Homens certos valem a pena.
(adjetivo / = adequados) Elas estavam todas sujas.
Os meninos estavam todos molhados.

73
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

Muito, pouco, mais, tanto, menos Ela está com vária dúvida.
• Podem ser pronomes adjetivos indefinidos (ante- Chega gente de vário lugar.
postos a substantivos). Chega gente de espécie vária.
Muito pano, pouca camisa.
Algum / Alguns / Alguma / Algumas
Mais chuva em certos dias. • Quando antepostos ao substantivo, têm valor
afirmativo, e, quando pospostos, valor negativo.
• Podem ser advérbios (modificando verbos, adje-
Alguma coisa me diz que
tivos ou outro advérbio). (= qualquer - afirmativo)
não sobrará coisa alguma.
Ela fala muito, porque está muito alegre. (= nenhuma - negativo)
(verbo) (adjetivo)

Paula veste-se muito bem.


(advérbio)
1 Posposto ao substantivo, algum (alguma) 1
11 não admite plural. \
i il
Certo / Certa / Certos / Certas i1 Errado: Ele não sabe coisas algumas. ;
i
• Podem ser pronomes adjetivos indefinidos (ante-
1 Certo: Ele não sabe coisa alguma.
posto a substantivo).
''

Tinha certo ar de superioridade. Cada / Cada um / Cada uma


• Não se usam tais formas sozinhas, são sempre
Conheci um certo Maurício das Cebolas. pronomes adjetivos.

Certo; Receberam dez pacotes cada um.


Certos exercícios valerão pontos.
Errado; Receberam dez pacotes cada.
• Podem ser adjetivos (posposto a substantivo).
Nenhum / Nenhuns / Nenhuma /
Nenhumas
Não somos pessoas certas. • Esses pronomes não podem ser usados no plural
quando pospostos ao substantivo.
Os exercícios certos valerão nota.
Errado; Ele não sabe coisas nenhumas.
• Podem ser advérbios quando estiver modifican-
Certo; Ele não sabe coisa nenhuma.
do o sentido de um verbo.
Um / Uma / Uma / Umas
Ele falou certo. • A palavra um(a) pode ser:

- numerai
Deus escreve certo por linhas tortas.
- artigo indefinido
-pronome indefinido
Vário / Vária / Vários / Várias
• Podem aparecer no singular, concordando • UM é numerai quando seguido de só, so-
com o substantivo. mente, único, apenas ou indicar claramente
quantidade:

74
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO ;

a) quando se percebe claramente que seu plu- • UM é pronome indefinido quando eqüivaler
ral é dois; a algum:
b) quando se pode pospor a ele só ou único;
a) quando anteposto ao substantivo expressar
c) quando se pode antepor a ele somente, só,
idéia vaga, imprecisa;
apenas;
d) quando a frase apresenta uma construção b) quando for substituível pelo pronome algum;

paralela empregando outro numerai. c) quando vem geralmente empregado o pronome

Tenho um irmão. Tenho dois irmãos. indefinido outro.

Tenho um só irmão. = Tenho um único irmão. Um dia lhe digo o que aconteceu.

Tenho somente um irmão. = Tenho só um irmão. Algum dia lhe digo o que aconteceu.

Tenho um irmão e duas irmãs. Uma e outra bebida faz bem.

Encontrei uma saída para o impasse. Alguma e outra bebida fazem bem.

Encontrei duas saídas para o impasse. Um gosta de futebol, outro de basquete.

uma so
Encontrei saída para o impasse.
uma única
PRONOMES 1NTERROGATIVOS
somente Servem para introduzir uma pergunta.
Encontrei apenas uma saída para o impasse.
so
VARIÁVEIS INVARIÁVEIS
Qual...? Quais...? Que...?
• UM é artigo indefinido quando eqüivaler a Quanto...? Quantas...? Quem...?
qualquer:
Os interrogativos são usados nas interrogações
a) quando a idéia for de indeterminação do subs- diretas e indiretas.
tantivo;
Que está fazendo?
b) quando expressar a idéia de qualquer (pode-se Quem disse tal coisa? diretas (?)
trocá-lo pelo pronome qualquer ou pospor ao Qual deles é mais estudioso?
substantivo o pronome qualquer).
Quero saber quantos alunos vieram.
Ganhei um livro de histórias. = Ganhei qualquer
Pergunto quais os teus desejos. indiretas (.)
livro de histórias, ou Ganhei um livro de história
Dize-me quem faltou.
qualquer. (Entenda-se dessa forma: Ganhei um
livro de histórias que não se quis especificar.)
Os pronomes interrogativos são os mesmos pro-
Fui abordado por uma mulher na rua. = Fui abor- nomes indefinidos, com outra função na frase.
dado por qualquer mulher na rua. ou Fui aborda-
Os pronomes interrogativos que, quem são pro-
do por uma mulher qualquer na rua.
nomes substantivos.
(Entenda-se assim: Fui abordado por uma mulher
qualquer na rua que não se quis especificar.) Que queres? Quem está aí?

75
PORTUGUÊS DESCOMPLIGADO

• Os pronomes interrogativos qual, quanto po- PRONOMES POSSESSIVOS


dem ser pronomes substantivos ou pronomes
São os que se referem às pessoas do discurso,
adjetivos.
indicando posse.
Qual delas você escolheu? (pron. adj. inter.)
Ia. pessoa meu, minha, meus, minhas
Qual você quer? (pron. subst. inter.)
Singular 2a. pessoa teu, tua, teus, tuas
As interrogativas indiretas são introduzidas: 3a. pessoa seu, sua, seus, suas
a) por expressões do tipo: Ia. pessoa nosso, nossa, nossos,nossas
Plural 2a. pessoa vosso, vossa, vossos, vossas
Quero saber 3a. pessoa seu, sua, seus, suas
quem quebrou a vidraça.
Desejo saber

T»]:i
Queremos saber ]
quantas pessoas virão hoje. a) Concordam com o objeto possuído.
Desejamos saber
meu livro - meus livros
Gostaria de saber sua casa - suas casas
que achas da festa.
b)As formas seu, sua aplicam-se indiferente-
Desejaria saber
mente ao possuidor da 3a pessoa do singular
ou da 3a pessoa do plural.
b) pelos verbos perguntar, indagar, dizer
(verbos dicendi) Ele perdeu seu tempo esperando, (o tempo dele)
Eles perderam seu tempo esperando.
Pergunto quanto custa.
Indago-te quem chegou. (o tempo deles)
Diga-me que horas são.
Dize qual das blusas tu queres. c) Os pronomes possessivos podem ser substituí-
dos pelos pronomes oblíquos me, te, se, lhe (s),
• As perguntas diretas são marcadas pelo nos, vos.
ponto de interrogação:
João fitava-me os olhos. (= os meus olhos)
Quantos caixotes você trouxe?
Achei-lhe o relógio. (= o seu relógio)
Quem pediu um sanduíche?
Tomaram-nos o lugar. (- o nosso lugar)
• Os pronomes que, quem, quanto, qual não Quero-vos o carro. (= o vosso carro)
introduzindo perguntas diretas ou indiretas
podem ser pronomes indefinidos ou relativos. d) Se se mudar a posição dos pronomes possessivos,
Diga-lhe quem faltou. (= pedido ou ordem) muda-se ocasionalmente o sentido da frase.
(pronome substantivo indefinido)
Meu filho, (um só do sexo masculino)
Não seria ele quem gritava? (= o qual) Filho meu. (todos de ambos os sexos)
(pronome relativo) Suas fotografias.
Diga-me quem falou. (fotografias pertencentes ao proprietário)
(pergunta indireta = Quem falou?) Fotografias suas.
(pronome substantivo interrogativo) (fotografias em que a pessoa é retratada)

76
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

COLOCAÇÃO PRONOMINAL MESÓCLISE


Colocação dos presente
pronomes átonos em: • futuro do
, pretérito
a) Próclise: pronomes átonos antes do verbo. *Se NÃO houver caso de próclise
Depois te contarei.
ENCLISE
b) Mesóclise: pronomes átonos intercalados ao verbo. • início de frase
Contar-te-ei. • imperativo afirmativo
c) Ênclise: pronomes átonos após o verbo. • advérbio virgulado
• gerúndio sem preposição em
Conto-te depois.
• optativas com sujeito posposto
Quando se usam os pronomes átonos perto de
Colocação com dois verbos
verbo, são possíveis três formas de colocação:
em TEMPOS
em LOCUÇÕES VERBAIS
COMPOSTOS
Próclise => verbo <= Ênclise
auxiliar + part. pas-
auxiliar + infintivo sado terminado em
ít
principal no [ gerúndio DO, GO, TO, SO
Mesóclise

Sem Casos de Próclise


PRONOMES PESSOAIS OBLÍQUOS ÁTONOS auxiliar
me - te - se - nos ênclise no ou ênclise só no auxiliar
Oblíquos principal
vos - o(a) - lhe(s)
Átonos
(e variações) Com Casos de Próclise
próclise no auxiliar próclise no auxiliar
Colocação com um verbo ou ou
ênclise no principal próclise no principal
PRÓCLISE
Casos proibidos
Palavra negativa
advérbio curto (sem vírgula) 1) Início de frase.
Se deixou levar pelo medo.
indefinidos substantivos
(certo) Deixou-se levar pelo medo.
1
pronomes demonstrativos substantivos
, relativos 2) Depois de ponto e vírgula.
Falou pouco; se lembrou de tudo.
conjunções subordinativas (certo) Falou pouco; lembrou-se de tudo.
gerúndio precedido da preposição em
interrogativas 3) Depois de particípio.
Tinha lembrado-se do fato.
orações exclamativas (certo) Tinha se lembrado do fato.
pptativas (=desejo)
4) Depois de futuros do indicativo.
infinitivo pessoal preposicionado Darei-te outra chance.
(certo) Dar-te-ei outra chance.

77
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Alguns exemplos de colocação:

Não lhe digo nada. a) Nas frases optativas, se o sujeito vier depois do
(advérbio de negação ou palavra negativa) verbo (posposto), usa-se a ênclise:

Ele nunca me contou. Proteja-nos, Deus!


(advérbio de tempo ou palavra negativa) Valha-me, Nossa Senhora!

Sempre me lembro dela.


b)Se houver pausa (na escrita, vírgula) entre o
(advérbio de tempo)
advérbio e o verbo, recomenda-se a ênclise:
Devagar ela nos respondeu.
Agora, negam-se a depor.
(advérbio de modo)
Aqui, consertam-se bicicletas.
Caramba, tudo vos acontece!
(pronome indefinido)
Casos de mesóclise
Comprastes o livro que vos pedi? A próclise prevalece sobre a mesóclise.
(pronome relativo)
do presente
condição: verbo no futuro
Alguém te mostrou o menino que te agredira? do pretérito
(pron. indefinido e pronome relativo)
Obedecer-lhe-emos. (futuro do presente)
Bons ventos o levem! (oração optativa) Obedecer-lhe-íamos. (futuro do pretérito)
Falar-te-ei depois, (futuro do presente)
Quanto se estuda inutilmente às vezes! Entregar-vos-ia, se pudesse, (futuro do pretérito)
(oração exclamativa)

Quem te mandou aqui? (oração interrogativa)

Quem te mandou aqui não conhece a escala de Mesmo com verbo no futuro do presente ou
serviço, (pronome indefinido) no futuro do pretérito, havendo casos que exijam
a próclise, esta prevalece:
Acredito que nos ligarão hoje.
(conjunção subordinativa integrante) Depois te falarei.
(o advérbio de tempo atrai o pronome)
Caso ele se calasse, tudo estaria bem.
(conjunção subordinativa condicional) Não vos entregaria.
(o advérbio de negação atrai o pronome átono)
"Nesta terra, em se plantando tudo dá ..."
(gerúndio precedido da prep. em) Sempre lhe obedeceremos.
(o advérbio de tempo atrai o pronome)
Por te queixares à toa, caístes no ridículo.
(infinitivo pessoal com preposição)
Talvez lhe obedeceríamos.
As ordens eram para nos levarem até você. (o advérbio de dúvida atrai o pronome)
(infinitivo pessoal com preposição)

78
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Casos de ênclise Ênclise


a) No início de orações.
a) Sem casos de próclise:
b) Com imperativo afirmativo.
c) Com gerúndio não precedido da preposição em. Quero falar-lhe algo. (ênclise no infinitivo)
d) Com advérbio virgulado. Quero-lhe falar agora, (ênclise no auxiliar)

Pedro, mexa-se rápido. Estou dizendo-lhe tudo. (ênclise no gerúndio)


(imperativo afirmativo) Estou-lhe dizendo pouco, (ênclise no auxiliar)
Devemos-lhe dizer a verdade, (ênclise no auxiliar)
João entrou; sentou-se, contou-me algo horrível.
(início de oração) Devemos dizer-lhe verdade.(ênclise no infinitivo)
Vinham-me acompanhando, (ênclise no auxiliar)
Nesta terra, plantando-se tudo dá.
Vinham acompanhando-me. (ênclise no gerúndio)
(gerúndio sem preposição em)

Lá adiante, saudava-nos o povo. b) Com casos de próclise:


(advérbio virgulado)
Agora lhe devemos dizer a verdade.
(próclise no auxiliar)
Agora devemos dizer-lhe a verdade.
Não havendo exigência de pró-
(ênclise ao principal)
clise nem de ênclise, pode-se colocar o pronome
átono antes ou depois do verbo. Todos me vinham acompanhando.
(próclise no auxiliar)
Os meninos se sentaram à mesa.
Todos vinham acompanhando-me.
(ou)
(ênclise ao principal)
Os meninos sentaram-se à mesa.

Com infinitivos impessoais, a


em locuções verbais
Colocação colocação será sempre facultativa.
Pronominal Devemos agora lhe dizer a verdade.
em tempos compostos
Devemos agora dizer-lhe a verdade.

No infinitivo
Colocação Pronominal
Colocação pronominal nos tempos compostos
em locuções verbais , No gerúndio
Verbo auxiliar -t- particípio passado terminan-
do em DO, GO, TO, SO.
Verbo auxiliar + verbo principal
Com os tempos compostos (formados de au-
xiliar + principal no particípio passado), coloca-se o
Com as locuções verbais (formadas de verbo au-
pronome átono depois do verbo auxiliar, não ha-
xiliar + verbo principal no infinitivo e no gerúndio),
vendo casos que exijam próclise.
não havendo casos que exijam a próclise, pode-se
colocar o pronome depois do verbo auxiliar ou de- Haviam-me convidado ontem.
pois do verbo principal. Tinham-te avisado.

79 I
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

FLEXÒES DO VERBO

Havendo, nos tempos compostos, casos que Número - singular (flexão de número)
exijam a próclise, coloca-se o pronome átono an- Pessoa - 1» pessoa (flexão de pessoa)
tes do verbo auxiliar. Modo - modo indicativo (flexão de modo)
Não me haviam convidado. Tempo - pretérito perfeito (flexão do tempo)
(próclise com o adv. de negação)
Ao conjunto de flexões verbais, dá-se o nome
Já te tinham avisado.
de conjugação.
(próclise com o adv. de tempo)

Alguns se tinham rebelado.


Número
(próclise com o pronome indefinido)
• Singular - quando o verbo se refere a uma pes-
Alguns não se tinham rebelado.
(próclise com o adv. de negação ou palavra negativa) soa ou coisa: estudo, estudas, estuda...

• Plural - quando o verbo tem por sujeito mais de


A próclise em relação ao verbo principal tam-
uma pessoa ou coisa: estudamos, estudais, estu-
bém é possível.
dam...
Não tinham se revelado na ocasião.
Pessoa
O verbo flexiona-se para indicar as três pesso-
as do discurso no singular e no plural.
VERBOS

Palavra variável em pessoa, número, tempo, Singular Plural


modo e voz que exprime uma ação, um estado, um eu Ia nós
fenômeno, um fato, representados no tempo. tu 2a vós
Quando lemos as seguintes frases ele, ela 3a eles, elas

O português desbravou os mares.


O capitão estava aflito. Desinências
Na Amazônia, chove muito. As flexões de pessoa e de número são indicadas
Aconteceram muitas mortes nesses últimos dias. por terminações, as desinências pessoais, também
chamadas desinências número-pessoais ou, sim-
entendemos que
plesmente, desinências verbais.
O português praticou determinada ação.
O capitão se encontrava em certo estado.
Presente do Indicativo Pretérito Perfeito do Indicativo
Na Amazônia, ocorre com freqüência dado fenômeno.
singular plural singular plural
O número de mortes é um fato concreto.
0 mos i mos
Portanto, as palavras desbravou, estava, chove e s is / des ste stes
aconteceram são verbos. m u ram

80
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Modo
Chamam-se modos as diferentes formas que
OBSERVAÇÃO
toma o verbo para indicar a atitude da pessoa que
fala em relação ao fato que enuncia. O infinitivo pode apresentar-se:
Há três modos em português: a) substantivado:

• Indicativo - exprime atitude de certeza. O amar é lutar, (impessoal)

Estudei muito para ser o que sou. b) não-flexionado:

• Subjuntivo - exprime atitude de dúvida, de- Os senhores podiam empregar meios menos cruéis,
sejo ou possibilidade. (impessoal)

Se vieres a Belo Horizonte, vem visitar-me. c) flexionado:

• Imperativo - exprime atitude de vontade É para aprenderem que eu ensino, (pessoal)


(ordem, convite, conselho, súplica, pedido).
• Gerúndio -NDO - é uma forma verbal que
"Senhor, tende piedade de nós".
apresenta o fato com valor durativo e eqüi-
vale a um advérbio ou a um adjetivo.
FORMAS NOMINAIS DO VERBO
São formas nominais do verbo o infinitivo, o " Saudade! Olhar de minha mãe rezando
gerúndio e o particípio. E o pranto lento deslizando em fio ...
Recebem esse nome porque, além do valor ver- Saudade! Amor da minha terra ... o rio
bal, podem ter a função de nomes (substantivo, Cantiga de águas claras soluçando".
adjetivo, advérbio).
• Particípio -ADO - IDO -DO -TO -GO -SO é
• Infinitivo - é uma forma verbal que enun- uma forma verbal que corresponde a um ad-
cia a ação, o estado, o fato ou o fenômeno de jetivo e, como tal, pode flexionar-se, em certos
modo vago ou indefinido.
casos, em número e gênero.
a) Pessoal: ligado às pessoas do discurso. É
conjugável.
O Brasil foi colonizado pelos portugueses.
andar eu andarmos nós
andares tu andardes vós Voltou da guerra com um dos braços amputados.
andar ele andarem eles
Merecem ser lidas as obras de Machado de Assis.
partir eu partimos nós
partires tu partides vós EMPREGO DOS TEMPOS VERBAIS
partir ele partirem eles
Tempo é a variação que indica o momento em
b) Impessoal: não é flexionável. É o nome do
que se dá o fato expresso pelo verbo.
verbo, servindo para indicar apenas a con-
junção. Três são os tempos naturais;
amar: 1a conjugação presente - pretérito - futuro
pôr / vender: 2a conjugação
partir: 3a conjugação Tempos do Indicativo
Infinitivo impessoal - forma locuções ver- O presente enuncia o fato como atual.
bais ou certas orações reduzidas. Sou estudioso; os colegas de classe me admiram.
Leio uma revista instrutiva.
Infinitivo pessoal - só forma orações reduzi-
das. Falamos corretamente o vernáculo.

81
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

OBSERVAÇÃO c) uma ação frequentativa, isto é, que se re-


O Presente do Indicativo pode expressar não petia no passado.
só um fato atual, mas também
Ana acordava cedo.
a) uma ação habitual ou uma faculdade do su-
jeito, dissociadas da idéia de tempo. • Pretérito perfeito: diz respeito a um fato já
concluído em época passada.
A terra gira em torno do Sol.
(Está sempre girando.) Fui estudioso, os colegas da classe me aplaudiram.
b) uma ação passada, principalmente para dar Li uma revista feminina.
maior vivacidade a certas narrações.

Caxias assume o comando e derrota o inimigo.


(assumiu) (derrotou) • O Pretérito Perfeito do indicativo, na
c) uma ação futura. forma simples, indica uma ação completamente
acabada:
Amanhã eu falo com você. (= falarei)
Estudei a matéria efui aprovado no concurso.

• Quando composto, exprime geralmente a


Pretérito se refere a fatos passados em rela-
ção ao momento em que falamos, repetição de um fato ou a sua continuidade.
perfeito - ação totalmente concluída,
Tenho lido coisas úteis.
imperfeito - ação inacabada,
mais-que-perfeito - ação anterior à outra Tenho viajado ultimamente.
ação passada.
• Pretérito mais-que-perfeito: expressa um
Pretérito imperfeito: indica, normalmen-
te, uma ação anterior à atualidade, que não fato anterior a outro fato que também é pas-
estava concluída quando se verificou outro sado.
fato passado.
Cheguei à casa do rapaz, mas ele já partira.
Cantava, quando ela entrou na sala. (fato passado) (fato passado, anterior
Lia coisas boas. ao primeiro fato)
Falávamos corretamente nossa língua. (pretérito perfeito)
Não salvei nada em casa,
OBSERVAÇÃO
porque a enchente arrastara tudo.
O Imperfeito do Indicativo, a mais complexa (pretérito mais-que-perfeito)

em expressividade das formas do pretérito,


denota, por vezes, apenas:
a) uma ação durativa no passado.
O Pretérito-mais-que-perfeito do indicativo
Ia sozinha a moça. na forma simples, hoje pouco usada, pode eqüi-
valer também ao pretérito imperfeito do subjun-
b) uma ação vaga.
tivo ou ao futuro do pretérito.
Era uma vez, um lindo rapaz...
Se mais mundo houvera (houvesse),
lá chegara (chegaria).

82
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO |

• Futuro do presente: enuncia um fato que Espero que passem no vestibular.


deve realizar-se num tempo vindouro com Pode bem ser que o colega te passe a perna.
relação ao momento presente.
Deixe o cansaço e você verá.
Serei feliz e viverei harmoniosamente. Seja feliz.
Viajaremos pelo Brasil em breve. Deus te guie.
Conquistarei o mundo. Passe bem.

• O Pretérito imperfeito diz uma ação passa-


da, mas posterior e dependente de outra ação
O Futuro do Presente pode ser usado com passada.
valor de imperativo.
O professor receou que eu desistisse do curso.
Honrarás teu pai e tua mãe. Não matarás. (= ação passada) {- ação passada, mas posterior
e dependente da primeira)
(= Honre) (= mates)
Eu duvidava que ele fizesse a viagem.
(ação passada) (ação passada, mas posterior
• Futuro do pretérito: expressa um fato poste- e dependente da primeira)
rior com relação a outro fato já passado; fre- • OBSERVAÇÃO
qüentemente, o outro fato já passado é depen-
O Pretérito Imperfeito expressa, freqüente-
dente do primeiro e inclui uma condição.
mente, condição (oração adverbial); forma, tam-
Chegaríamos primeiro, tivéssemos condição. bém, frases optativas.
"chegaríamos" = fato posterior, "tivéssemos" = fato passado,
dependente do primeiro Se pudéssemos, participaríamos do torneio, (condição)
e inclui condição.
Oxalá Deus me ouvisse, (optativa = desejo)
• OBSERVAÇÃO

O Futuro do Presente e o Futuro do Pretéri- • O Futuro expressa ação vindoura condicio-


to podem indicar incerteza sobre fatos presentes nal, temporal ou conformativa dependente
e passados, como se verifica em: de outra ação também futura.
Naquela cidade, haverá umas cinqüenta casinhas. Quando se esgotarem todos os recursos, apelaremos.
(=haveria)
Se for preciso, nós te ajudaremos.
No edifício, arruinado haveria uns doze apartamentos.
(=haverá). Faremos como julgarmos melhor.

• OBSERVAÇÃO
Tempos do Subjuntivo
• O presente traduz uma ação subordinada à O Futuro do Subjuntivo pode ocorrer tam-
bém em orações adjetivas.
outra, e que se desenvolve no momento atu-
al; expressa dúvida, possibilidade, suposição; Os alunos que chegarem atrasados serão punidos.
pode ainda formar frases isoladas, manifes-
As pessoas a quem ajudardes vos ajudarão também.
tando desejo (frases optativas).

83
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

RESUMO: Pretérito Perfeito do Indicativo


EMPREGO DE UM TEMPO PELO OUTRO
Pretérito mais-que-perfeito do indicativo
3a pessoa do
Pretérito imperfeito do subjuntivo
passado plural forma
Presente pelo futuro Futuro do subjuntivo
imperativo
Futuro do presente do indicativo
presente Futuro do pretérito do indicativo
Imperfeito pelo Infinitivo
futuro do pretérito Impessoal Pretérito imperfeito do indicativo
forma Infinitivo pessoal
Mais-que-perfeito pelo imperfeito subjuntivo.
Gerúndio
formas nominais
presente (dúvida) Particípio
Futuro pelo
imperativo
Para exemplificar, tomemos como modelo o
verbo cantar.
impessoal (sem referente com suj.
indeterminado ou em locução verbal) a) A primeira pessoa do singular do presente do
Infinitivo
pessoal (com sujeito próprio)
valor de imperativo indicativo forma todo o presente do subjuntivo.

regular: voz ativa (ter / haver) Presente do Indicativo Presente


Particípio (Iapessoa singular)
irregular: voz passiva (ser/estar) do Subjuntivo
e
Canto- o + íf ., Cante
a (2a, 3a conj.)
TEMPOS PRIMITIVOS Cantas Cantes
E TEMPOS DERIVADOS Canta Cante
Cantamos Cantemos
Tempos Primitivos
Cantais Canteis
São os que dão origem a outros tempos chama-
Cantam Cantem
dos derivados. Há dois tempos primitivos e uma
forma nominal que dão origem aos outros tempos b) A terceira pessoa do plural do pretérito perfei-
e outras formas nominais. to do indicativo forma o pretérito-mais-que-
-perfeito do indicativo, o pretérito imperfeito
Presente do Indicativo do subjuntivo e o futuro do subjuntivo.
imperativo
negativo (completo) Perfeito do Mais-que-perfeito Imperfeito do Futuro do
• Ia pessoa do presente do
singular forma subjuntivo imperativo Indicativo do Indicativo Subjuntivo Subjuntivo
afirmativo (você, (3a pes. pl.) (desin.: ra) (desin.: sse) (desin.: r)
nós, vocês) cantara cantasse cantar
cantaras cantasses cantares
2a pessoa do singular forma imperativo afirmati- cantara cantasse cantar
vo (tu sem a letra s) cantáramos cantássemos cantarmos
cantáreis cantásseis cantardes
2a pessoa do plural forma imperativo afirmativo cantaram cantassem cantarem
(vós sem a letra s) cantaram (- m final) (- ram + sse) (- am)
84
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

c) O iníinitivo impessoal forma os tempos do Ir


pretérito imperfeito do indicativo, o futuro do PRESENTE DO IMPERATIVO PRESENTE 00 IMPERATIVO
INDICATIVO AFIRMATIVO SUBJUNTIVO NEGATIVO
presente do indicativo, o futuro do pretérito
VOU vá
do indicativo e as formas nominais (iníinitivo
vais => vai vás não vás
pessoal, gerúndio e particípio).
vai vá <= vá não vá
Iníinitivo Pretérito Futuro do Futuro do vamos <= vamos nao vamos
vamos
Imperfeito Presente do Pretérito do
ides => ide vades não vades
do Indicativo Indicativo Indicativo
vão vão <= vão não vão
cantava cantarei cantaria
cantavas cantarás cantarias
CLASSIFICAÇÃO DOS VERBOS
cantava cantará cantaria
cantávamos cantaremos cantaríamos Verbos Abundantes
Em geral, possuem duas formas de particípio
cantáveis cantareis cantaríeis passado.
cantavam cantarão cantariam
VERBOS NOTÁVEIS
cantar ^ (- R + VA) (+ EI + ÁS) (+ IA)
NO PARTICÍPIO PASSADO
Particípio
Formação do Imperativo Infinitivo
regular ia
1 - Afirmativo: as pessoas TU e VÓS vêm do pre- absorver absolvido absolto
sente do indicativo sem o "s" final. aceitar aceitado aceito
O restante é formado a partir do presente do acender acendido aceso
subjuntivo. assentar assentado assento
2 - Negativo: é o próprio presente do subjuntivo benzer benzido bento
corrigir corrigido correto
acompanhado da palavra "não".
desenvolver desenvolvido desenvolto
Passear dispersar dispersado disperso
PRESENTE DO IMPERATIVO PRESENTE DO IMPERATIVO distinguir distinguido distinto
INDICATIVO AFIRMATIVO SUBJUNTIVO NEGATIVO
eleger elegido eleito
passeio passeie
emergir emergido emerso
passeias => passeia passeies não passeies
encher enchido cheio
passeia passeie <= passeie não passeie
entregar entregado entregue
passeamos passeemos <= passeemos não passeemos
envolver envolvido envolto
passeais => passeai passeeis não passeeis
enxugar enxugado enxuto
passeiam passeiem <= passeiem não passeiem
erigir erigido ereto
Fazer expelir expelido expulso
PRESENTE DO IMPERATIVO PRESENTE DO expressar expressado expresso
INDICATIVO AFIRMATIVO SUBJUNTIVO exprimir exprimido expresso
faço faça —
expulsar expulsado expulso
fazes => faze tu faças não faças tu extinguir extinguido extinto
faz faça você <= faça não faça você findar findado findo
fazemos façamos nós <= façamos não façamos nós fixar fixado fixo
fazeis => fazei vós façais não façais vós frigir frigido frito
fazem façam vocês <= façam não façam vocês

85
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Particípio Particípio O leão havia sido morto pelo caçador.


Infinitivo
irregular Todas as tochas foram acesas imediatamente.
fritar fritado frito
tingir tingido d) Muitas vezes, as formas irregulares não pas-
tinto
sam de meros adjetivos.
ganhar ganhado ganho
vagar vagado vago Vinho tinto.
imergir imergido imerso Redação correta.
imprimir imprimido impresso
incorrer incorrido incurso e) O verbo trazer, como a maioria dos verbos,
só apresenta um particípio: trazido.
inserir inserido inserto
isentar isentado isento f) Há verbos abundantes (termiandos em -zer)
juntar juntado junto que apresentam duas formas de imperativo
desenvolver desenvolvido desenvolto para a 2a pessoa do singular.
limpar limpado limpo
malquerer malquerido malquisto Traz tu
Traze tu
matar matado morto Faz tu
misturar misturado misto Faze tu
morrer morrido morto
murchar murchado murcho Verbos Defectivos
ocultar ocultado oculto São aqueles aos quais faltam certas formas.
omitir omitido omisso
prender prendido preso Distribuem-se em:
romper 1 - Defectivos quanto à eufonia (Io grupo): sem
rompido roto
a Ia pessoa do singular do presente do indica-
salvar salvado salvo
tivo, sem todo o presente do subjuntivo e sem
secar secado seco as formas do imperativo tomadas do presente
segurar segurado seguro do subjuntivo: abolir, colorir, soer, banir, retor-
soltar soltado solto quir, exaurir, delinquir, puir etc.
submergir submergido submerso
sujeitar sujeitado sujeito 2 - Defectivos quanto à eufonia (2o grupo): sem
suprimir suprimido supresso as formas rizotônicas do presente do indicati-
suspender suspendido suspenso vo, sem todo o presente do subjuntivo e sem
as formas do imperativo (com exceção da 2a
pessoas do plural): reaver, explodir, precaver-
• OBSERVAÇÕES mKÊÊÊKÊÊÊÊ
se, falir, remir, adequar-se etc.
a) Os particípios dos verbos abundantes rece-
bem a seguinte classificação: 3 - Defectivos quanto à significação (Io grupo):
• regular es: terminados em ado ou ido. verbos sem sujeito ou verbos cujo sujeito nor-
• irregulares: terminados em go, to, so, do. malmente só aparece na 3a pessoa: grassar,
gear, ventar, trovejar etc.
b) Os particípios regalares são, geralmente, em-
regados na voz ativa com os auxiliares ter e
aver.

O caçador havia matado o leão. Há alguns verbos como caber, poder


e querer que são defectivos do ponto de vista
Todos tinham acendido suas tochas.
semântico, no que diz respeito às formas
c) Os particípios irregulares são em geral em- imperativas. Do ponto de vista gramatical,
pregados na voz passiva com os auxiliares ser
e estar. apresentam conjugação completa.

86
FLÁVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

Pode-se verificar a defectividade de um verbo MODO INDICATIVO


conjugando-o na primeira pessoa do presente do Pretérito Pretérito
Presente
indicativo. Se a pronúncia se confundir com a de imperfeito perfeito
outro verbo ou se não houver eufonia, trata-se de 0 ava ei
um verbo defectivo. as avas aste
a ava ou
falir: eu falo (confunde-se com o verbo Ia. and
amos ávamos amos
falar).
ais áveis astes
soer: eu soo (confunde-se com o verbo am avam aram
soar). 0 ia i
es ias este
remir: eu remo (confunde-se com o verbo
e ia eu
remar) ou eu rimo (confunde-se 2a. mov
emos íamos emos
com o verbo rimar).
eis íeis estes
abolir: eu abulo (confunde-se com eu a em iam eram
bulo) (verbo bulir + o pronome 0 ia i
átono a = eu mexo com ela). es ias este
e ia iu
3a. part
CONJUGAÇÃO imos íamos imos
Conjugar um verbo é fazê-lo passar por todas is íeis istes
as modificações que denotam o modo, o tempo, a em iam iram
pessoa, o número e a voz.
A conjugação é constituída de radical (ou radi- Pretérito Futuro do Futuro do
cais) acrescido de características modais e tempo- mais-que-
perfeito presente pretérito
rais e de desinências pessoais e numéricas (flexões).
ara arei aria
CONJUGAÇÃO DE VERBOS REGULARES
aras arás arias
- Tempos Simples ara ará aria
Ia. and
áramos aremos aríamos
Terminações dos tempos simples e formas no- áreis areis aríeis
minais:
aram arão ariam
1a conjugação - tema em a - andar era erei eria
a
2 conjugação - tema em e - mover eras erás erias
era erá eria
3a conjugação - tema em i - partir 2a. mov
éramos eremos eríamos
êreis ereis eríeis
OBSERVAÇÃO eram erão eriam
Para conjugar qualquer verbo regular, você ira irei iria
terá, apenas, que ajustar o seu radical às iras irás irias
terminações da respectiva conjugação (Ia, 2a, ou 3a). ira irá iria
3a. part
Para exemplificar, serão conjugados os verbos iramos iremos iríamos
ireis ireis iríeis
andar (Ia conjugação), mover (2a conjugação) e
iram irão iriam
partir (3a conjugação).

87
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

MODO SUBJUNTIVO
Infinitivo sj_

Partic
Presente Pretérito imperfeito

dio

pio
Gerú
Conjuga- Não
e asse Flexionado
ção flexionado
es asses
ar, ares,
a e asse a
I . and I . and ar ar, armos, ando ado
emos ássemos
ardes arem
eis ásseis
er, eres,
em assem a
2 . mov er er, ermos, endo ido
a esse
erdes, erem
as esses
ir, ires,
a esse
2a. mov 3a. part ir ir, irmos, indo ido
amos êssemos
irdes, irem
ais êsseis
am essem
a isse
as isses
a isse SUBSÍDIOS PARA
3a. part
amos íssemos CONJUGAÇÃO DE VERBOS REGUE ARES
ais ísseis cantar bater partir
am issem Modo indicativo
Presente
MODO IMPERATIVO canto bato parto
Futuro Afirmativo Negativo cantas bates partes
ar - - canta bate parte
ares a es cantamos batemos partimos
ar e e cantais bateis partis
Ia. and cantam batem partem
armos emos emos
ardes ai eis Pretérito Imperfeito
arem em em cantava batia partia
er - - cantavas batias partias
eres e as cantava batia partia
er a a cantávamos batíamos partíamos
2a. mov
ermos amos amos cantáveis batíeis partíeis
erdes ei ais cantavam batiam partiam
erem am am Pretérito Perfeito
ir - - cantei bati parti
ires e as cantaste bateste partiste
ir a a cantou bateu partiu
3a. part
irmos amos amos cantamos batemos partimos
irdes i ais cantastes batestes partistes
irem am am cantaram bateram partiram

88
FLÁV1A RITA COUTINHO SARMENTO

Pretérito mais-que-perfeito Formas Nominais


cantara batera partira Gerúndio Infinitivo Particípio
cantaras bateras partiras cantar cantado
cantando
cantara batera partira bater batido
batendo
cantáramos batêramos partíramos partido
partindo partir
cantáreis batêreis partíreis
cantaram bateram partiram
Futuro do Presente
Imperativo
cantarei baterei partirei
cantarás baterás partirás Afirmativo
cantará baterá partirá
canta tu bate tu parte tu
cantaremos bateremos partiremos
cante você bata você parta você
cantareis batereis parti reis
cantemos nós batamos nós partamos nós
cantarão baterão partirão
cantai vós batei vós parti vós
Futuro do Pretérito cantem vocês batam vocês aartam vocês
cantaria bateria partiria
Negativo
cantarias baterias partirias
cantaria bateria partiria cantes tu batas tu partas tu
cantaríamos bateríamos partiríamos cante você bata você parta você
cantaríeis bateríeis partiríeis Não cantemos nós batamos nós partamos nós
cantariam bateriam partiriam canteis vós batais vós partais vós
cantem vocês batam vocês partam vocês
Modo subjuntivo
Presente
cante bata parta
partas TEMPOS COMPOSTOS (ter/haver + particípio)
cantes batas
cante bata parta Modo indicativo
cantemos batamos partamos Pretérito Perfeito Com- Pretérito mais-que-
canteis batais partais posto perfeito Composto
cantem batam partam
tenho tinha
Pretérito Imperfeito tens cantado tinhas cantado
cantasse batesse partisse tem batido tinha batido
cantasses batesses partisses temos partido tínhamos partido
cantasse batesse partisse tínheis
tendes
cantássemos batêssemos partíssemos
têm tinham
cantásseis batêsseis partísseis
cantassem batessem partissem Futuro do Presente Futuro do Pretérito
Composto Composto
Futuro
cantar bater partir terei teria
cantares bateres parti res terás cantado terias cantado
cantar bater partir terá batido teria batido
cantarmos batermos partirmos teremos partido teríamos partido
cantardes baterdes partirdes tereis teríeis
cantarem baterem partirem terão teriam

89
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

Modo Subjuntivo • pretérito perfeito: presente do indicativo do


Pretérito Perfeito Composto auxiliar + particípio do verbo principal.

tenha • pretérito mais-que-perfeito: pretérito im-


tenhas cantado
perfeito do indicativo do auxiliar + particí-
tenha batido
pio do verbo principal.
que tenhamos partido
tendes • futuro do presente: futuro do presente do
têm
indicativo do auxiliar + particípio do verbo
Pretérito mais-que-perfeito Composto principal.
tivesse
tivesses • futuro do pretérito: futuro do pretérito in-
cantado
tivesse batido dicativo do auxiliar + particípio do verbo
se tivéssemos partido principal.
tivésseis
tivessem No modo Subjuntivo, a formação se dá da se-
Futuro Composto guinte maneira:
tiver
• pretérito perfeito: presente do subjuntivo do
tiveres cantado
auxiliar + particípio do verbo principal.
tiver batido
quando tivermos partido
• pretérito mais-que-perfeito: imperfeito do
tiverdes
subjuntivo do auxiliar + particípio do verbo
tiverem
principal.

Formas Nominais Compostas • futuro composto: futuro do subjuntivo do


Infinitivo Composto Gerúndio Composto auxiliar + particípio do verbo principal.

cantado cantado
Quanto às formas nominais, elas são formadas
ter batido tendo batido
da seguinte maneira:
partido partido

• iníinitivo composto: infinitivo pessoal ou


impessoal do auxiliar + particípio do verbo
principal.

TEMPOS COMPOSTOS • gerúndio composto: gerúndio do auxiliar +


particípio do verbo principal.
Quanto à formação, os tempos compostos da
voz ativa constituem-se dos verbos auxiliares TER O modo subjuntivo apresenta três pretéritos,
ou HAVER + particípio do verbo que se quer con- sendo o imperfeito na forma simples e o perfeito e
jugar, dito principal. o mais-que-perfeito nas formas compostas.
No modo Indicativo, os tempos compostos são
formados da seguinte maneira:

I 90
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

CLASSIFICAÇÃO DOS VERBOS EREQUENTATIV O


Idéia de repetição da ação ou processo, COM
QUANTO À FUNÇÃO
SUFIXO:
. AUXILIARES
Choramingar Pestanejar
São aqueles que, na frase, não possuem senti-
Esbravejar Cabecear
do próprio, pois estão ajudando a compor uma
locução verbal (verbo auxiliar + infinitivo ou
gerúndio) ou um tempo composto (TER ou ONOMATOPAICO
HAVER + particípio) ou voz passiva (ser / estar Pavonear Engatinhar Patinhar
+ particípio). (do pavão) (de gato) (de pato)

[•;: Cavalgar Cricrilar Serpentear


(de cavalo) (de grilo) (de serpente)
Os verbos auxiliares podem indicar aspecto
semântico. VERBOS REFLEXIVOS
Ele pode viver, (possibilidade) São os que se conjugam com pronomes áto-
Continua andando, (continuidade) nos do caso oblíquo (com função de objeto
OD / OI), na pessoa idêntica à do sujeito;

. PRINCIPAIS Eu me cortei.
São aqueles que têm significado pleno na frase. Eu (sujeito) - Ia pessoa,
me (objeto) - Ia pessoa.

Vendemos a casa. Ela se dá ares de importante.


Ela (sujeito) - 3a pessoa,
O trem partiu cedo. se (objeto) - 3a pessoa.

Ela ama os filhos. No primeiro exemplo, o pronome exerce a


função de objeto direto e, no segundo, de objeto
QUANTO AO ASPECTO indireto. Outros verbos reflexivos: coçar-se, des-
pedir-se, embonecar-se, enfeitar-se, enforcar-se,
. AUMENTATIVO ferir-se, lavar-se, machucar-se, maquiar-se, pente-
ar-se, pintar-se, trancar-se, vestir-se...
Transmite idéia de exagero, COM PREFIXO:

Esbravejar Retorcer Alevantar

. DIMINUTIVO VERBOS PRONOMINAIS


Idéia de ação menor em relação à normal, COM
São os que se conjugam com pronomes áto-
SUFIXO:
nos integrantes, ou seja, com pronomes que não
Adocicar Escrevinhar
exercem função sintática e fazem parte intrínseca
Bebericar Namoricar
do verbo.
. INCOATIVO esquecer-se, lembrar-se, tornar-se,
Idéia de início de ação ou fenômeno, COM avir-se, compadecer-se, condoer-se,
SUFIXO: dignar-se, esforçar-se, regozijar-se,
Amanhecer Alvorecer suicidar-se, ufanar-se, zangar-se...
Florescer Amadurecer
91
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Ela se tornou freira. IMPERATIVO


Ela se lembrava de tudo. Imperativo Afirmativo: veste-te, vista-se,
Eu me arrependi do que fiz. vistamo-nos, vesti-vos, vistam-se.
Ela se queixa do frio. Imperativo Negativo; não te vista, não se vista,
Nas frases acima os pronomes são integrantes, não nos vistamos, não vos vistais, não se vistam.
ou seja, não exercem fução sintática, por isso os Infinitivo Impessoal: vestir-se.
verbos são pronominais. Infinitivo Pessoal: vestir-se, vestires-te,
vestir-se, vestirmo-nos, vestirdes-vos,
A seguir, exemplos de conjugação de um ver- vestirem-se.
bo reflexivo (vestir-se) e de um verbo pronomi- Gerúndio: vestindo-se.
nal (zangar-se). Particípio: (não se usa com pronome enclítico).

VESTIR-SE ZANGAR-SE
INDICATIVO
INDICATIVO
Presente: zango-me, zangas-te, zanga-se,
Presente: visto-me, vestes-te, veste-se,
zangamo-nos, zangais-vos, zangam-se.
vestimo-nos, vestis-vos, vestem-se.
Pretérito Perfeito: zanguei-me, zangaste-te,
Pretérito Perfeito; vesti-me, vestiste-te, vestiu-se,
zangou-se, zangamo-nos, zangastes-vos,
vestimo-nos, vestistes-vos, vestiram-se.
zangaram-se.
Pretérito Imperfeito: vestia-me, vestias-te,
Pretérito Imperfeito: zangava-me, zangavas-te,
vestia-se, vestíamo-nos, vestíeis-vos, vestiam-se.
zangava-se, zangávamo-nos, zangáveis-vos,
Pretérito mais-que-perfeito: vestira-me, zangavam-se.
vestiras-te, vestira-se, vestíramos-nos, Pretérito-mais-que-perfeito: zangara-me,
vestíreis-vos, vestiram-se. zangaras-te, zangara-se, zangáramo-nos,
Futuro do Presente: vestir-me-ei, vestir-te-ás, zangáreis-vos, zangaram-se.
vestir-se-á, vestir-nos-emos, vestir-vos-eis, Futuro do Presente: zangar-me-ei, zangar-te-ás,
vestir-se-ão. zangar-se-á, zangar-nos-emos, zangar-vos-eis,
Futuro do Pretérito: vestir-me-ia, vestir-te-ias, zangar-se-ão.
vestir-se-ia, vestir-nos-íamos, vestir-vos-íeis, Futuro do Pretérito; zangar-me-ia, zangar-te-ias,
vestir-se-iam. zangar-se-ia, zangar-nos-íamos, zangar-vos-íeis,
zangar-se-iam.
SUBJUNTIVO (Nos tempos deste modo, o prono-
me aparece proclítico por causa das atrativas que, SUBJUNTIVO (Nos tempos deste modo, o prono-
se, quando.) me aparece proclítico por causa das atrativas que,
Presente: que me vista, que te vistas, que se se, quando.)
vista, que nos vistamos, que vos vistais, que se Presente: que me zangue, que te zangues,
vistam. que se zangue, que nos zanguemos, que vos
Pretérito Imperfeito: se me vestisse, se te zangueis, que se zanguem.
Pretérito Imperfeito: se me zangasse, se te
vestisses, se se vestisse, se nos vestíssemos, se
zangasses, se se zangasse, se nos zangássemos,
vos vestísseis, se se vestissem.
se vos zangásseis, se se zangassem.
Futuro: quando me vestir, quando te vestires,
Futuro: quando me zangar, quando te
quando se vestir, quando nos vestirmos,
zangares, quando se zangar, quando nos
quando vos vestirdes, quando se vestirem.
zangarmos, quando vos zangardes, quando se
zangarem.
92
FIÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

IMPERATIVO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO


Imperativo Afirmativo: zanga-te, zangue-se,
Vir Ver Ter Pôr
zanguemo-nos, zangai-vos, zanguem-se.
eu vim eu vi eu tive eu pus
Imperativo Negativo: não te zangues, não
tu vieste tu viste tu tiveste tu puseste
se zangue, não nos zanguemos, não vos
ele veio ele viu ele teve ele pôs
zangueis, não se zanguem.
nós viemos nós vimos nós tivemos nós pusemos
Infinitivo Impessoal: zangar-se.
vós viestes vós vistes vós tivestes vós pusestes
Infinitivo Pessoal: zangar-me, zangares-te,
eles vieram eles viram eles tiveram eles puseram
zangar-se, zangarmo-nos, zangardes-vos,
zangarem-se.
Gerúndio: zangando-se.
PRESENTE DOSUBJUNTIVO
Particípio; (não se usa com pronome enclítico).
Vir Ver Ter Pôr
que que que que
O PROBLEMA DOS VERBOS DERIVADOS
eu venha eu veja eu tenha eu ponha
ob ad tu ponhas
tu venhas tu vejas tu tenhas
entre' entre desa ele tenha ele ponha
ele venha ele veja
ante man inter nós venhamos nós vejamos nós tenhamos nós ponhamos
VER TER VIR
pre re pro vós venhais vós vejais vós tenhais vós ponhais
re de sobre eles venham eles vejam eles tenham eles ponham
con con

PÔR e seus derivados: FUTURO DOSUBJUNTIVO


antepor expor dispor apor Vir Ver Ter Pôr
impor propor compor indecompor
quando quando quando quando
pressupor contrapor indispor recompor
eu vier eu vir eu tiver eu puser
decompor interpor repor depor
tu vieres tu vires tu tiveres tu puseres
justapor sotopor descompor opor
ele vier ele vir ele tiver ele puser
superpor dispor pospor supor
nós viermos nós virmos nós tivermos nós pusermos
entrepor prepor transpor sobrepor
vós vierdes vós virdes vós tiverdes vós puserdes
eles vierem eles virem eles tiverem eles puserem

ALGUNS PADRÕES DE CONJUGAÇÃO


INFINITIVO
PRESENTE DO INDICATIVO vir ver ter pôr
Vir Ver Ter Pôr
eu venho eu vejo eu tenho eu ponho
GERÚNDIO
tu vens tu vês tu tens tu pões
vindo vendo tendo pondo
ele vem ele vê ele tem ele põe
nós vimos nós vemos nós temos nós pomos
vós vindes vós vedes vós tendes vós pondes PARTICÍPIO
eles vêm eles veem eles têm eles põem vindo visto tido posto

93
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Tempos Compostos: formados a partir de um


MODOSUBJUNTIVO
verbo auxiliar (ter e haver) mais um particípio do
verbo principal. 5- Pretérito Perfeito (auxiliar no presente)
haja tenha
hajas tenhas
haja tenha amado
MODO INDICATIVO hajamos tenhamos vendido
1 - Pretérito Perfeito (auxiliar no presente) hajai tenhais partido
hajam tenham
hei tenho
hás tens amado 6- Pretérito mais-que-perfeito
há ou tem vendido (auxiliar no pretérito imperfeito)
havemos temos partido havia tivesse
haveis tendes havias tivesses
hão têm havia tivesse amado
havíamos tivéssemos vendido
2 - Pretérito mais-que-perfeito
havíeis tivésseis partido
(auxiliar no pretérito imperfeito)
haviam tivessem
havia tinha
havias tinhas
7- Futuro (auxiliar no futuro)
havia tinha amado
houver tiver
havíamos tínhamos vendido
houveres tiveres
havíeis tínheis partido
houver tiver amado
haviam tinham
houvermos tivermos vendido
3 Futuro do Presente (auxiliar no futuro do presente) houverdes tiverdes partido

haverei houveram tiveram


terei
haverás terás FORMAS NOMINAIS
haverá terá amado
8 - Infinitivo 9 - Gerúndio
haveremos teremos vendido
havereis tereis partido ter ou haver tendo ou havendo
haverão terão amado, vendido, partido amado, vendido, partido

FORMULA EQUIVALENTE
4-■ Futuro do Pretérito (auxiliar no futuro do pretérito)
Tinha
haveria teria TT . + part. = Pret.M.Q.Perf.(RA)
Havia
haverias terias Tinha feito = fizera
haveria teria amado Tinha estudado = estudara
haveríamos teríamos vendido No quadro a seguir, apresentamos as relações
haveríeis teríeis partido existentes entre tempos simples e compostos nos
haveriam teriam modos indicativo e subjuntivo.

94
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

MODO INDICATIVO MODO SUBJÜNTIVO MODO INDICATIVO


só tem forma simples; só tem forma simples; Presente Pretérito Imperfeito
Presente

fala, falas, fala... fale, fales, fale... sou era


és amado eras amado
só tem forma simples; só tem forma sim- é era
Imperfeito

falava, falavas, falava... ples; falasse, falasses, somos éramos


falasse. sois amados éreis amados
são eram
forma simples: forma simples: Pretérito Perfeito Pret. mais-que-perfeito
falei, falaste, falou... não existe JUV) fui fora
Perfeito

forma composta: CL foste amado foras amado


forma composta: E
tenho falado, tens tenha falado, tenhas «75 foi fora
«/>
oCL
falado, tem falado... falado, tenha falado... cc fomos fôramos
forma simples: forma simples: p fostes amados fôreis amados
Mais-que-perfeito

falara, falaras, falara... não existe, foram foram


forma composta: forma composta: Futuro do Presente Futuro do Pretérito
tinhas falado, tivesse falado,
serei seria
tinha falado, tivesses falado,
serás amado serias amado
tinha falado... tivesse falado...
será seria
do Presente Do Subjuntivo seremos seríamos
forma simples: forma simples: sereis amados serieis amados
falarei, falarás, falará... falar, falares, falar... serão seriam
forma composta: terei forma composta; tiver Pretérito Perfeito Pret. mais-que-perfeito
falado, terás falado, falado, tiveres falado, tenho tinha
Ou terá falado... tiver falado... tens sido amado tinhas sido amado
<M3
u.3 do Pretérito do Pretérito tem tinha
forma simples: forma simples: «/) temos tínhamos
4->o«/)
falaria, falarias, falaria... não existe, OCL tendes sido amados tínheis sido amados
forma composta: forma composta: Eo têm tinham
u Futuro do Presente Futuro do Pretérito
teria falado, terias não existe. «/)
o
falado, teria falado... CL
E terei teria
£ terás sido amado terias sido amado
Voz Passiva Analítica: formada a partir de dois terá teria
verbos: ser, estar, ficar, andar, viver, ver, (auxilia- teremos teríamos
res) + particípio passado (principal) terminando tereis sido amados teríeis sido amados
em: DO, GO, TO, SO. terão teriam
A exemplo, será conjugado o verbo amar na voz
passiva analítica.

f simples ) na voz passiva:


Conjugação
de um verbo SER AMADO
composto

95
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

MODOSUBJUNTIVO FORMAS NOMINAIS


Presente Infinitivo não flexionado
seja ser amado
sejas amado
Infinitivo flexionado
seja

Tempos Simples
sejamos ser
sejais amados seres amado
sejam ser
Pretérito Imperfeito sermos
serdes amados
Cl fosse
serem
E fosses amado
t/) Gerúndio
fosse
CL fôssemos sendo amado
F
£ fósseis amados Infinitivo não flexionado composto
fossem
ter ser amado
Futuro
V)O Infinitivo flexionado composto
for
fores amado Tempos Composti ter
for teres sido amado
formos ter
fordes amados termos
forem terdes sido amados
Pretérito Perfeito terem
tenha Gerúndio Composto
tenhas sido amado tendo sido amado
tenha
tenhamos
tenhais sido amados LOCUÇÕES VERBAIS
tenham
Por locução, entende-se a combinação de dois
V) Pretérito Mais-que-perfeito
+-»V) verbos; o primeiro é auxiliar (em sua forma sim-
o tivesse
CL ples ou composta) e o segundo é o verbo principal,
F tivesses sido amado
o tivesse o qual pode estar no infinitivo ou no gerúndio.
O
oa. tivéssemos As mais importantes locuções verbais são:
E tivésseis sido amados
tivessem 1) "Ter de" + verbo principal no infinitivo,
Futuro Composto que expressa obrigação.
tiver
tiveres sido amado Tens de estudar para o vestibular.
tiver Você terá de trabalhar muito.
tivermos
tiverdes sido amados
tiverem 2) "Haver de" + verbo principal no infinitivo,
que expressa intenção ou desejo.

96
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO i

Hei de estudar para o concurso. Estou terminando isso.


Haveremos de encontrar uma solução. Estou para terminar isso.

Ela ia caindo na rua.


Nos dois primeiros casos, a preposição Ela ia cair na rua.
de pode ser substituída por que.
Acabo de escrever isso.
Parei de escrever isso.
3) "Estar", "andar", "ir", "vir" + verbo princi- Deixem de brigar à toa.
pal no gerúndio, que expressa continuida-
Desisti de falar com ela.
de da ação.

Estou lendo um romance. VERBOS CAUSATIVOS E SENSITIVOS

Você anda estudando para o concurso? • Os verbos deixar, fazer, mandar (chama-
dos causativos) e os verbos ver, ouvir, sentir
Vamos vivendo em paz. (chamados sensitivos) não formam locu-
ção com infinitivo. O pronome átono que
Luana vem descendo a rua.
os acompanha funciona como sujeito, logo
há duas orações.
4) Além das locuções verbais mencionadas,
há outras. Normalmente, são formadas por
um verbo auxiliar + verbo principal no infi- Deixe-o falar.
nitivo ou no gerúndio. sujeito de falar

À noite, virei ouvir música. (= Deixe falar o menino.)


sujeito de falar
Fique tranqüilo; o rapaz não vai fugir.
(= Deixe que o menino fale.)
• Na locução verbal, apenas o verbo au- sujeito de falar
xiliar é flexionado em pessoa e número,
modo e tempo. O verbo principal respon-
Cumpre lembrar a distinção entre locução ver-
de apenas pela regência da locução.
bal (na qual os verbos não se separam, formando
• Entre o verbo auxiliar e o infinitivo pode um todo) e as orações reduzidas (em que o verbo
ou não haver preposição, dependendo do na forma reduzida é separável do verbo anterior).
caso: de, em, para, por, a...).
Fiquei a ouvir música até tarde.
Estou escrevendo a vocês.
Estou a escrever a vocês. • Locução verbal: os dois verbos formam um
todo inseparável.
Ana anda falando muito.
Ana anda a falar muito. Esperei ouvir música ao longe.
(= Esperei que ouvisse música ao longe.)
Continuo escrevendo a vocês.
Continuo a escrever a vocês.
• Oração reduzida: os dois verbos são sepa-
Comecei a escrever a vocês. ráveis, pertencendo cada um a uma oração
Desatei a escrever muito. distinta.
Esperei => oração principal
Principiei a ter calafrio.
ouvir música ao longe => oração subordina-
Passei a sentir calafrio.
da objetiva direta reduzida de infinitivo.

97 |
j PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

VOZES VERBAIS O papel foi cortado por mim.

Voz é a forma que o verbo assume para indicar A cama será consertada por quem?
a relação entre ele e o sujeito.
Três são as formas verbais: mMmimu*

• Ativa —>■ sujeito agente Além do verbo ser, há outros auxiliares que,
• Passiva —> sujeito paciente combinados com um particípio, podem formar
• Reflexiva —> sujeito agente e paciente a voz passiva.
Estão nesse caso verbos como: estar, andar,
viver, ficar, ir, vir...
Voz Ativa
Quando, normalmente, o sujeito exerce a ação As tropas estavam cercadas pelo inimigo.
expressa pelo verbo. Ela ficou envelhecida pelos desgostos.

Precisa-se de marceneiros. O presidente vinha acompanhado de seus


O delegado interrogou o preso. ministros.

Como se pode observar no segundo exemplo,


o delegado é o sujeito (agente), porque praticou a • Passiva Sintética:
ação de interrogar. também chamada passiva pronominal, é for-
mada com um verbo na 3a pessoa do singular
Voz Passiva ou plural + o pronome se.
Quando o sujeito sofre a ação expressa pelo verbo.
Demoliu-se a ponte.
A casa fora construída pelo prefeito. D Ü
Construiu-se a casa. verbo 3a pronome sujeito
apassivador (paciente)
Nota-se, pelos exemplos dados, que a casa é o
Cultiva-se o campo fértil.
sujeito (paciente), porque recebe a ação centrali-
zada pelo verbo. Alugam-se casas.
Há duas maneiras de se construir a voz passiva:

1) Empregando-se dois verbos: passiva analítica. mssmB


2) Verbo + pronome se: passiva sintética. 1 Com um verbo no infinitivo precedido de pre-
(ambas se eqüivalem) posição, tem-se a voz passiva de infinitivo.

Este imóvel é vendido. = Vende-se este imóvel. Osso duro de roer. (-de ser roído)

• Passiva Analítica; O inimigo foifácil de vencer. (= ser vencido)


formada por ser, estar (ou outro auxiliar) + Os índios levaram-no a enterrar. (= para ser
particípio do verbo principal. enterrado)
A ponte foi demolida pelos operários.
2 A voz passiva, de modo geral, só pode ser for-
fí í]
sujeito verbo agente da passiva mada a partir de verbo transitivo direto ou
(paciente) (ser + principal) verbo tansitivo direto e indireto.

98
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

• Para se converter uma frase da voz passiva

ativa
Voz
sintética para a voz passiva analítica, proce- 0 técnico está procurando uma solução.
de-se assim:

passiva
Uma solução estó sendo procurada pelo

Voz
rv
voz passh
sintéticí

técnico.
Não se destruiu 0 prédio.

O menino atirou uma pedra, (voz Ativa)


TO
> (TJ Atirou-se uma pedra, (voz Passiva Sintética)
W
</) O
4.1
cs
CL ro Não foi destruído 0 prédio.
NO C«J Uma pedra foi atirada pelo menino, (voz Passiva Analítica.)

Troca-se 0 pronome Passa-se 0 0 sujeito é


se pelo verbo auxiliar verbo da voz 0 mesmo Passando-se da ativa para a passiva sintética:
conjugado na mesma passiva sin- (paciente troca-se o sujeito da ativa pelo se na passiva
forma em que estava tética para 0 em ambos
sintética.
0 verbo da passiva particípio. os casos).
sintética.
Passando-se da ativa para a passiva analítica.

• Para se converter um verbo da voz ativa para a) O complemento do verbo da voz ativa pas-
a voz passiva analítica, coloca-se o verbo ati- sa a ser sujeito na voz passiva analítica.
vo no particípio e conjuga-se o verbo auxi-
b) Coloca-se o verbo da voz ativa no particí-
liar na mesma forma em que estava o verbo
pio passado e usa-se o auxiliar (ser/estar)
ativo, fazendo a devida concordância com o
no mesmo tempo e pessoa do verbo ativo.
sujeito.

Voz Reflexiva
Os sociólogos recusaram os projetos.
Quando o sujeito pratica e recebe ao mesmo
tempo a ação expressa pelo verbo.

Os projetos foram recusados pelos sociólogos. Mariana penteia-se demoradamente.

Cuida-te.
Não me penteio bem.
• Quando o verbo ativo vem precedido de um
verbo auxiliar, este não sofre transformação • Os pronomes reflexivos podem indicar reci-
na passagem para a voz passiva (exceto a exi- procidade.
gida pela concordância).
Eles se olharam demoradamente.
Como norma prática, pode-se proceder assim:
• OBSERVAÇÕES
a) Coloca-se o último verbo (o principal) no
particípio. • A voz reflexiva é formada pela combinação
b) Conjuga-se o verbo ser na forma em que de um verbo com o pronome oblíquo átono
estava o verbo principal. na mesma pessoa do sujeito.

99
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

ACERCA DE VERBO:
Com os verbos que indicam sentimentos,
como dignar-se, arrepender-se, queixar-se,
• Tempo Simples: aquele em que o verbo é conju-
atrever-se, não há propriamente voz reflexi- gado isoladamente, isto é, um só verbo é usado.
va, pois os pronomes integram o significado Eu cerco tudo.
do verbo, sendo então classificados como Tu leras muito.
parte integrante de um verbo pronominal, Nós ouviríamos tudo...
sem qualquer função sintática.
• Tempo Composto: formado de dois verbos: ter,
Com os verbos intransitivos, como ir-se, haver (auxiliares) e outro verbo no particípio
ajoelhar-se, sorrir-se etc., os pronomes apa- passado (principal).

recem apenas como realce, indicando mui-


Eu tenho cercado tudo.
tas vezes espontaneidade de ação, não tendo Tu havias lido muito.
também função sintática. São partículas ex- Nós teríamos ouvido...
pletivas ou de realce.
Observe a correspondência:

Tu leras (simples) = Tu havias lido (composto)


RESUMINDO...
Nós ouviríamos (simples) = Nós teríamos ouvido (composto)
VOZ VERBAL: é o modo pelo qual são aciona-
O tempo composto é um tipo de locução verbal.
dos o sujeito e a ação expressa pelo verbo.
• Locução Verbal: formada de dois verbos (auxi-
• Ativa: O sujeito é agente da ação. liar + principal no infinitivo ou no gerúndio).

O menino feriu o irmão. Eu estou cercando tudo.


Eu estou a cercar tudo.
• Passiva: O sujeito é paciente da ação.
Tu andas lendo muito.
- analítica; verbo auxiliar + particípio passado. Tu tens de ler muito.

O irmão foi ferido pelo menino. Nós vínhamos ouvindo...


Nós estávamos a ouvir...
- sintética: verbo na 3a pessoa e pronome apas-
• Oração Reduzida: aquela que não apresenta
sivador SE. conjunção e traz o verbo reduzido nas formas
normais de i ;erúndio, particípio, infinitivo.
Feriu-se o irmão.
Terminando
Terminada a sessão, iremos todos a um restaurante.
• Reflexiva: O sujeito é agente e paciente da mes- Ao terminar
ma ação. (= Quando terminar a sessão...)

O menino imbecil agredira-se. Voz Passiva: formada pelos verbos "ser", "es-
tar", "ficar" + verbo principal no particípio.

Toda ilha é cercada de água.


Ele foi ferido no acidente.

100
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

NUMERAIS • Designando séculos, reis, papas e capítulos,


utiliza-se na leitura ordinal até décimo; a partir
São palavras que, de maneira precisa, indicam
daí, usam-se os cardinais. (Luís XIV - quatorze,
a quantidade em si ou servem para substituir ou
Papa Paulo II - segundo).
modificar os nomes, denotando a quantidade dos
seres ou apresentando-os como ordenados, multi-
• Se o numerai vier antes do substantivo, será
plicados ou divididos.
obrigatório o ordinal. (XX Bienal - vigésima, IV
Podem ser: cardinais, ordinais, multiplicativos e
Semana de Cultura - quarta).
fracionários.

• Zero e ambos(as) também são numerais cardi-


• Cardinais: designam a quantidade em si ou
nais. 14 apresenta duas formas por extenso ca-
acompanham os substantivos indicando-lhe a
torze e quatorze.
quantidade.

Dois e dois são quatro. Vinte dias. • A forma milhar é masculina, portanto não exis-
te "algumas milhares de pessoas", e sim alguns
• Ordinais: indicam a ordem de sucessão de se- milhares de pessoas.
res numa dada série.

Ele é o primeiro aluno da sala. • Alguns numerais coletivos: grosa (doze dúzias),
lustro (período de cinco anos), sesquicentenário

• Multiplicativos: indicam o aumento propor- (150 anos).

cional da quantidade, a sua multiplicação.


• O numerai um indicando quantidade é artigo
Ela ganha o dobro do seu marido.
quando se opõe ao substantivo, indicando-o de
forma indefinida.
• Fracionários: indicam a diminuição propor-
cional da quantidade, a sua divisão.

Vou comer um terço da pizza.

DICAS DE EMPREGO DE NUMERAIS

• Os ordinais como último, penúltimo, antepe-


núltimo, respectivos... não possuem cardinais
correspondentes.

• Os fracionários têm como forma própria meio,


metade e terço, todas as outras representações
de divisão correspondem aos ordinais ou aos
cardinais seguidos da palavra avos (quarto, dé-
cimo, milésimo, quinze avos).

101
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

EXERCÍCIOS

1 Há ERRO de flexão do substantivo em b)"Qualquer filho descobre desde cedo que os pais
utilizam dois diálogos diferentes."
a) Agora, as casas revelaram-se primitivas e paupérri- "Qualquer filho descobre desde cedo a utilização
mas, mas nas árvores, ainda persistentes, ficaram de dois diálogos diferentes pelos pais."
os bem-te-vis.
c) "Exige-se do paciente que fale o tempo todo na te-
b) Da janela do trem, ouvindo o lento e ritmado som rapia."
das máquinas, via os adeuses emocionados dos pa- "Exige-se do paciente falar o tempo todo, na terapia."
rentes...
d)"As boas freiras se esforçavam para realizar em
c) Daqui posso ver o deserto das ruas e o céu imen- nós modelos de futuras dialogantes."
so, repleto de estrelas, guardas-noturnos da minha "As boas freiras se esforçavam para a realização em
solidão. nós de modelos de futuras dialogantes."

d) Irritou-se com a indiferença dos boas-vidas diante e) "Temos oportunidades de aplicar as coisas apren-
do sacrifício de seu filho. didas."
"Temos oportunidade de aplicação das coisas
e) Lembro-me disso: depois de cometida a injustiça, aprendidas."
rebelaram-se todos os escrivães e tabeliões do mu-
nicípio. 4 Assinale a alternativa em que a forma verbal em des-
taque tenha sido CORRETAMENTE empregada.
2 Observe os segmentos de frase do texto:
a) A babá entrelinha os meninos enquanto eu cui-
1) Aquelas pobres mulheres...
dava do lanche.
2) Um chinês muito velho...
3) A espontânea homenagem... b) A mãe interviu na briga e acalmou os ânimos.
4) Naquela casa pequena...
5) Uma história inventada... c) Após o encontro, os operários anteveram uma
melhora salarial.
Transformando o adjetivo em substantivo, verifica-se
d) Preveu-se que faria mau tempo no fim de sema-
ERRO de formação em
na.

a) A pobreza daquelas mulheres...


5 Assinale a alternativa em que a classificação e a for-
b) A velhice de um chinês...
ma plural do termo sublinhado, indicadas entre pa-
c) A espontaniedade da homenagem... rênteses, estejam CORRETAS.
d) A pequenez daquela casa...
e) A invenção de uma história... a) O rapaz, que era escrivão, não tinha aprovação
dos pais da noiva (adjetivo, escrivães)
3 NÃO está efetuada a substituição do verbo da oração b) Tomamos bastante cerveja na festa, (advérbio,
sublinhada por um nome correspondente em bastantes)

a) "Dele esperamos que resolva todos os problemas c) Dei-lhes um bom-dia seco e saí. (substantivo com-
da relação." posto, bons-dias)
"Dele esperamos a resolução de todos os proble-
d) Chego em primeiríssimo lugar, (numerai, primei-
mas da relação."
ríssimos)

102
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

6 Todas as alternativas estão corretas com relação à 9 Em todas as alternativas, a forma destacada indica
colocação do pronome, EXCETO circunstância de modo, EXCETO em

a) Maria não vai casar-se outra vez. a)É extremamente sóbria no que toca às suas despe-
sas pessoais.
b) Disseram-me que a joia era falsa.
b)Devo ter me enrubescido ridiculamente, como
c) Os presos já tinham rebelado-se mais de duas ve- donzela pudica.
zes no ano.
c) Lucas Lesma passava repetidamente os dedos pela
d) Vê-la-ia mais vezes se pudesse. calva reluzente.

7 Na forma plural, todos os itens dos compostos grifa- d)Da repartição foi diretamente para casa, evitando
dos poderão ser flexionados, EXCETO em passar pelo bar.

a) Ele tenente-coronel. e) Um pouco maldosamente observou que ela estava


muito feliz.
b) Ganhei um vestido verde-claro.
10 O nome sublinhado modifica o verbo, funcionando,
c) O primeiro-ministro não quis gravar entrevista.
portanto, como advérbio, em todas as opções, EXCE-
d) Você não come cachorro-quente? TO:

a) As primeiras mulheres pelas quais meu coração


8 Em todas as alternativas, o termo destacado restrin-
bateu forte eram estudantes da USP.
ge o significado do termo a que se refere, EXCETO em
b) Vestem solene as calças ou as calcinhas.
a) Foi-me penosa a longa viagem pelo deserto.
c) O olhar vazio da maioria deitada num sofá, diz "eu
b) Causou estranheza a sua falsa inocência.
sou bela, você não é".
c) Deslizava na montanha a branca neve.
d) O jeito da maioria só diz "eu sou bela, você não é."
d) Ficou na casa aquele móvel mais velho.
e) Que tanto tomam banho, mudam de roupa, pas-
e) Considerou muito capaz o jovem aluno. sam creme e fazem charme para as câmeras.

| B-OT I B-6 I 3-8 I q-Z I 3-9 | 3-S I B-t7 I 3- C 1 3-Z I a-t |


oiUBqeo

103
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

PLURAL DAS PALAVRAS TERMINADAS EM ÃO

PRIMEIRO GRUPO - a maioria das palavras com "ao" no fim tem o plural com "ões": anfitriões, ba-
lões, botões, feijões, mamões, melões. Os aumentativos fazem parte deste grupo: facões, paredões,
portões, narigões, piscinões.

SEGUNDO GRUPO - algumas poucas fazem "ães" no plural: alemães, cães, capelães, capitães, cata-
lães, escrivães, tabeliães. Repare que neste grupo estão incluídas palavras que designam atividades
profissionais (capitães, escrivães, tabeliães) e religiosas (capelães).

TERCEIRO GRUPO - um grupo pequeno alterna para "ãos" no plural: cidadãos, cortesãos, irmãos,
cristãos, pagãos. Desse grupo, fazem parte as paroxítonas terminadas em "ão": acórdãos, bênçãos,
órfãos, órgãos, sótãos.

QUARTO GRUPO - há palavras que aceitam duas ou três formas de plural, como aldeãos, aldeães, al-
deões, anãos, anões, anciãos, anciães, anciões, castelãos, castelões, charlatães, charlatões, cirurgiães,
cirurgiões, corrimãos, corrimões, ermitãos, ermitães, ermitões, faisães, faisões, guardiães, guardiões,
refrãos, refrães, sacristãos, sacristães, verãos, verões, vilãos, vilães, vilões, vulcãos, vulcães, vulcões.

ALGUNS ADJETIVOS PÁTRIOS


LOCALIDADE LOCALIDADE ADJETIVO PÁTRIO
Acre acreano Cairo cai rota
Afeganistão afegane, afegão Calábria calabrês
Alagoas alagoano Campinas campineiro, campinense
Amapá amapaense Cartago cartaginês, púnico
Angola angolano Catalunha catalão
Aracaju aracajuense, aracajuano Chipre cipriota
Atenas ateniense Córsega corso
Áustria austríaco Costa Rica costariquenho
Belém (Palestina) belemita Creta cretense
Belém (Pará) belenense Croácia croata
Belo Horizonte belo-horizontino Cuiabá cuiabano
Bizâncio bizantino Curitiba curitibano
Boa Vista boa-vistense El Salvador salvadorenho
Brasília brasiliense Espírito Santo espírito-santense, capixaba
Buenos Aires portenho Estados Unidos estadunidense, norte-ameri-
cano, ianque
Cabo Frio cabo-friense Etiópia etíope

104
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

LOCALIDADE ADJETIVO PÁTRIO LOCALIDADE ADJETIVO PÁTRIO


Fernando de Noronha noronhense Porto Alegre porto-alegrense
Flandres flamengo Porto Rico porto-riquenho
Florença florentino Porto Velho porto-velhense
Florianópolis florianopolitano Preovença provençal
Fortaleza fortalezense Provença provençal
Goiás goiano Recife recifense
Grécia grego, helênico Ribeirão Preto ribeirão-pretense, ribeirão-
-pretano, riberopretano
Havana havanês Rio Branco rio-branquense
índia indiano, hindu Rio de Janeiro (cidade) carioca
Itapetininga itapetiningano Rio de Janeiro (estado) fluminense
Itu ituano Rio Grande do Norte rio-grandense-do-norte,
norte-rio-grandense, poti-
guar
Japão japonês, nipônico Rio Grande do Sul rio-grandense-do-sul, sul-
-rio-grandense, gaúcho
Jerusalém hierosolimitanom, hieroso- Rondônia rondoniense
limita
João Pessoa pessoense Roraima roraimense
Juiz de Fora juiz-forense, juiz-forano Salvador salvadorense, soteropoli-
tano
Macapá macapaense Santa Catarina catarinese, barriga-verde
Maceió maceioense São Luís são-luísense
Madagáscar /Madagascar madagascarense, malgaxe São Paulo (cidade) paulistano
Manaus manauense, manauara São Paulo (estado) paulista
Marajó marajoara Sardenha sardo
Parma parmesão Tocantins tocantinense
Pequim pequinês Três Corações tricordiano
Petrópolis petropolitano Vitória vitoriense

:
105
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

FORMAS REDUZIDAS DE ALGUNS ADJETIVOS PÁTRIOS


LOCALIDADE ADJETIVO PÁTRIO LOCALIDADE ADJETIVO PÁTRIO
África afro- Europa euro-
Alemanha germano- ou teuto- Finlândia fino-
América américo- França franco-
Ásia ásio- Galiza galaico- ou galego-
Austrália australo- Grécia greco-
Áustria austro- índia indo-
Bélgica belgo- Inglaterra anglo-
China sino- Itália ítalo-
Dinamarca dano- Japão nipo-
Espanha hispano- Portugal luso-

GRAU DOS ADJETIVOS


GRAU COMPARATIVO FORMAÇÃO EXEMPLOS
de superioridade mais + adjetivo + que (do que) A garota é mais inteligente que seu irmão.
de igualdade tão + adjetivo + quanto (como) Ela é tão ágil quanto sua mãe.
de inferioridade menos + adjetivo + que (do que) 0 garoto é menos inteligente que sua irmã.
GRAU SUPERLATIVO FORMAÇÃO EXEMPLOS
Absoluto sintético acrescentam-se os sufixos -íssi- belíssimo, felicíssimo, facílimo, libérrimo
mo, -ílimo, -érrimo
Absoluto analítico antepõem-se ao adjetivo os muito fácil, bem pobre, bastante largo, imensamente
advérbios muito, bem, bastante, bom
imensamente etc.
Relativo de superioridade antepõe-se o (a) ao comparativo É o mais antigo prédio Foi a mais hábil professora.
de superioridade
Relativo de inferioridade antepõe-se o (a) ao comparativo 0 garoto é o menos inteligente da classe.
de inferioridade

106
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

COMPARATIVOS E SUPERLATIVOS IRREGULARES


GRAU DE ADJETIVOS
COMPARATIVOS E SUPERLATIVOS IRREGULARES
Comparativo de Superlativo
Adjetivo
Superioridade Absoluto sintético Relativo
bom melhor ótimo o melhor
mau pior péssimo o pior
grande maior máximo o maior
pequeno menor mínimo o menor
As formas sintéticas são usadas na comparação de substantivos.
Esta sala é maior que aquela.
As formas analíticas são usadas na comparação de adjetivos.
Esta sala é mais grande que confortável.
Com particípios, não se usam as formas sintéticas melhor e pior. Usam-se as formas analíticas mais bem e
mais mal
Ele está mais bem preparado para o concurso.
Nas relações de comparação, pode-se usar que ou do que.
Ela é mais bonita que/do que a mãe.
CONJUNÇÕES
CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
01. de adição: e, nem, não só... mas também, não apenas... como ainda, não só...como também...
02. de adversidade (contraste/oposição): mas, contudo, entretanto, todavia, porém, no entanto, não obstan-
te...
03. de alternância: ou, ou...ou, ora...ora, já...já, quer...quer, seja...seja...
04. de conclusão: portanto, logo, então, por isso, pois (posposto ao verbo), por conseguinte, assim, dessa for-
ma, desse modo...
05. de explicação: que, porque, pois (anteposto ao verbo), porquanto...

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS
06. de causa: visto que, já que, porque, como (em oração anteposta), haja vista, porquanto, uma vez que, dado
que...
07. de conseqüência: tal que, tanto que, tão que, de modo que, de sorte que, de forma que..
08. de concessão (exceção à regra): embora, apesar de que, ainda que, mesmo que, em que pese, conquanto...
09. de conformidade: como, conforme, segundo, de acordo com...
10. de condição: se, caso, desde que, somente se, apenas se, a menos que, contanto que...
11. de tempo: já, agora, desde que, logo que, assim que, quando, enquanto, ao mesmo tempo que, mal...
12. de comparação: como, igual a, tanto quanto, mais...que, menos...que, tal qual...
13. de finalidade: a fim de, para que...
14. de proporcionalidade; à medida que, à proporção que, quanto mais...mais, quanto mais...menos...
— nrr
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

PRONOMES RELATIVOS - EMPREGO


PRONOME OBSERVAÇÃO
PR TODO PR retoma um termo antecedente com o qual mantém relações de sentido.
PR Usa-se preposição antes de PR sempre que o termo posposto a ele exigir.
Só devem ser precedidos de preposição monossilábica. Em caso de preposição com mais de uma
QUE/QUEM
sílaba, usa-se o qual (e variações).
0 pronome QUEM, quando seguido de VTD, será precedido da preposição A para efeitos de AJUSTE
QUEM FONÉTICO. Trata-se de OD preposicionado.
0 pronome QUEM só pode ser usado para se referir a pessoas ou entes personificados.
0 pronome ONDE só pode ser usado para retomar lugar (não necessariamente geográfico).
ONDE
ONDE eqüivale a EM QUE.
CUJO e variações devem ser empregados da seguinte forma:
a) aparecem entre dois substantivos;
b) indicam noção de posse (seu/sua);
CUJO c) concordam com o termo conseqüente;
d) retomam, como todo PR, um termo antecedente (perguntar de quem ao conseqüente);
e) não admitem posposição de artigo;
f) não apresentam sinônimos perfeitos (a frase demandará ajustes).
Só será PR depois das palavras FORMA, MANEIRA, JEITO, MODO ou sinônimos.
COMO
Eqüivale a COM QUE.
QUANTO Só é PR depois de pronomes indefinidos ou demonstrativos. Eqüivale a QUE / 0 QUE.
Os pronomes QUE e 0 QUAL (e variações) podem se referir a coisas, pessoas ou lugares.
QUE/
0 QUAL e variações concordam com o antecedente e fazem combinação ou contração com
0 QUAL
preposição, pois são precedidos de artigos.

PR= PRONOME RELATIVO

PRONOMES PESSOAIS OBLÍQUOS ÁTONOS - FUNÇÕES SINTÁTICAS


RESUMO DAS FUNÇÕES POSSÍVEIS DOS PRONOMES PESSOAIS
SUJEITO DE ORAÇÕES
REDUZIDAS DOS VERBOS ADJUNTO
PRONOMES OD- 01 - COMPLEMEN-
CAUSATIVOS (MANDAR, ADNOMIMAL
DEIXAR, FAZER) E SENSITI- VTD/VTDI VTI/VTDI TO NOMINAL
(POSSE)
VOS (VER, OUVIR, SENTIR).
0, AS, OS, AS (e
SIM SIM NÃO NÃO NÃO
variações)
LHE/LHES
NÃO NÃO SIM SIM SIM
(A ELE, A ELA)
ME, TE, SE,
SIM SIM SIM SIM SIM
NOS, VOS

108
FIÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

COLOCAÇÃO PRONOMINAL
Quadro das colocações dos pronomes átonos de acordo com
a norma culta da Língua Portuguesa no Brasil e em Portugal.
CASOS PROIBIDOS
1. Não se usa pronome oblíquo átono no início de frase. - Descuidou-se do fato.
2. Não se usa pronome oblíquo átono depois de ponto e vírgula (;). - Não se esqueceu do fato; lembrava-se de tudo.
3. Não se usa pronome oblíquo átono depois de particípio. - Tinha se distraído com a questão.
4. Não se usa pronome oblíquo átono depois de futuros do indicativo. - Contar-me-ia a verdade.
PRÓCLISE
REGRAS DE EMPREGO EXEMPLOS

Quando antes do verbo existe qualquer palavra de valor ne- - Nada nos impede de sair logo daqui.
gativo. - Ninguém o viu.
- Por que o prenderam ali?
Nas orações ou frases interrogativas, exclamativas e optativas
- Quanto me custou aquela atitude!
(As orações optativas exprimem desejo).
- Quem me dera poder ir à Europa!
Quando há, antes do verbo, um advérbio (sem pausa). - Talvez nos encontremos ainda hoje.
- Aqui se fabricam móveis de estilo.
Havendo pausa, usa-se a ênclise. Enfim, vejo-te feliz.(adv. com pausa)
- Mal se viram, começaram a discutir.
Quando há, na oração, um pronome relativo ou conjunção su-
-0 ser humano ama o outro que o faz feliz.
bordinativa.
- Se me visse, eu ficaria constrangida.
Quando antes do verbo há outro pronome: demonstrativo, in- - Alguns se admiraram com a beleza do pôr do sol.
definido, de tratamento, relativo, interrogativo. - Aquilo me deixou encantada.
Trata-se de um caso de próclise por eufonia. V.Sa. o recebeu.

Com o verbo no gerúndio, regido de preposição em. - Em se tratando de dinheiro, dirija-se ao caixa.

Nas orações coordenadas alternativas. - Ou você fala agora, ou se cala para sempre.

Com o infinitivo flexionado, regido de preposição. - Por me ajudares, serás recompensado.

MESÓCLISE
REGRAS DE EMPREGO EXEMPLOS
Só se usa no futuro do oresente ou no futuro do oretérito. des- - A Jovem sentir-se-á segura se você a acompanhar.
de que não haja, na oração, um fator de próclise. - 0 tempo devolver-te-á a tranqüilidade.
Obs.: Não se usa pronome átono enclítico com ver-
bos no futuro do presente e no futuro do pretérito. Observe, porém:
Ninguém te perturbará.
Dir-Zbe-ei algo. (certo) (palavra negativa)
Direi-Zbe algo. (errado)
Nós lhe diremos a verdade.
(pronome)
Assim, se houver palavra atrativa, a próclise pre-
valecerá.

109
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

ÊNCLISE
REGRAS DE EMPREGO EXEMPLOS
Na língua culta, não se inicia a frase com pronome átono; portan- - Falaram-me que o espetáculo foi maravilhoso.
to, se a frase comecar com verbo, será de rigor a ênclise. - "Trago-te flores, restos arrancados..."
Também nas frases imperativas afirmativas, usa-se a ênclise. - Por favor, ajude-me a solucionar este problema!
Obs.; Não se usa o pronome enclítico ao verbo no particípio, - Cuida-te,rapaz!
como em: Tenho deliciado-me com a leitura dos clássicos, (errado)
Com os verbos no infinitivo e gerúndio, se não houver fator de - Vim mostrar-lhe as orovas. (infinitivo)
próclise. - Parou, olhando-me desconfiado, (aerúndio)

Com os pronomes o, a. os, as e verbo no infinitivo não-flexionado Obs.: 0 infinitivo impessoal regido de preposição ad-
regido de preposição a, por eufonia, usa-se a ênclise. mite a próclise ou a ênclise. mesmo havendo fator
Estavam ali a observá-lo. de próclise:
(Observe o som da frase construída com próclise: Estavam ali a o Para defender-se, atacou-o.
observar). Para se defender, atacou-o.
Para não defender-se, saiu.
Para não se defender, saiu.

EMPREGO DOS PRONOMES ÁTONOS NOS TEMPOS COMPOSTOS

Tempos compostos TER e HAVER + VERBO PRINCIPAL

verbos auxiliares no particípio

Tinha escrito
Havia visto

Nos tempos compostos, são possíveis as seguintes colocações pronominais:

a) Se a frase começa com verbo:

Têm- me_ enviado muitas informações. Haviam- no visto tá pelos lados do mercado.
Ênclise ao verbo auxiliar ou solto entre os dois. Ênclise ao verbo auxiliar.

b)Quando há fator de próclise;

Ninguém me tinha visto mesmo. Ninguém tinha me visto mesmo.

Obs.: Não se usa o pronome enclítico quando o verbo está no particípio.

110
FLÁVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

EMPREGO DOS PRONOMES ÁTONOS EM LOCUÇÕES VERBAIS


LOCUÇÕES VERBAIS COM INFINITIVO

a) Se a frase não começa com verbo:

Ele me_ devia acolher naquela hora. —> Próclise ao verbo auxiliar
Ele devia rne_ acolher naquela hora. —^ Solto entre o auxiliar e o principal
Ele devia acolher-me naquela hora. —> Ênclise ao verbo principal

b) Se a frase começa com verbo:


Preciso me calar. Pronome entre o verbo
auxiliar e principal ou depois
Preciso calar-me. do verbo principal

LOCUÇÕES VERBAIS COM GERÚNDIO

a) Se a frase não começa com verbo:


O combustível se foi esvaindo.—> Próclise ao verbo auxiliar
O combustível foi-se esvaindo.^ Ênclise ao verbo auxiliar
O combustível foi esvaindo-se.—> Ênclise ao verbo principal

b) Se a frase começa com verbo:


Estava se adaptando à cidade grande.-^ Pronome entre o verbo auxiliar e principal
Estava adaptando-se à cidade grande.-^ Pronome enclítico ao verbo principal

VERBO AUXILIAR + PREPOSIÇÃO + INFINITIVO

a) Se a frase não começa com verbo:

Ele há de se acostumar.^ Próclise ao verbo auxiliar


Ele há de ocosíumor-se.—> Ênclise ao verbo principal
Ele se há de ocosíumor.—> Próclise ao verbo auxiliar

b) Se a frase começa com verbo:


Hão de se ajeitar.^ Próclise ao verbo principal
Hão de ajeitar-se.-^- Ênclise ao verbo principal

Observação: As normas de colocação pronominal, no Brasil, não devem ser tomadas como inflexíveis visto que são, mui-
tas vezes, determinadas pela eufonia ou pela ênfase.
Há, ainda, na língua falada e escrita no Brasil uma nítida preferência pela próclise. enquanto, em Portugal, há preferência
oela ênclise.

111
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

COLOCAÇÃO PRONOMINAL

OBRIGATÓRIO RECOMENDADO CONSIDERAÇÕES GERAIS


CASOS PROIBIDOS:
Pronomes
demonstrativos ou 1) Em início de frase.
Palavra de sentido negativo
indefinidos em função
2) Depois de ponto e vírgula (;).
substantiva
3) Depois de particípio (ADO / IDO/DO/
Frases interrogativas, GO/TO/SO).
Conjunção subordinada exclamativas e optativas
4) Depois de futuros do indicativo.
(desejo)

Pronome relativo

OBSERVAÇÕES FINAIS:
Advérbio curto sem vírgula
1) Infinitvo impessoal - em geral vem precedido de preposição: A, DE,
PARA. Nesse caso, pode-se usar próciise ou ênclise.
Gerúndio precedido de EM
Ela tem medo de se entregar.
Ela tem medo de entregar-se.
Só poderá ser usada se não
houver caso de próclise 2) Futuro do subjuntivo: vem precedido de conjunção (quando, caso,
se...) => caso obrigatório de próclise.

Só poderá ser usada com Quando se lembrar do fato, será tarde.


futuros do indicativo ' A conjucação obriga a próclise.
3) Flavendo vírgula, a ênclise será preferencial.
Será obrigatória se o verbo no Hoje, fala-se em liberdade sexual.
futuro do indicativo iniciar a
4) Apossínclise: trata-se da POSSIBILIDADE de colocação do
frase
pronome entre duas palavras atrativas ou antes da palavra atrativa.
Se não houver caso obrigatório
de próciise nem de mesóclise, O governo se não referiu ao caso.
ambas as colocações serão A questão a que se não referiu o rapaz foi encerrada.
possíveis 5) Colocação de pronomes em locuções verbais:
Seguem-se as mesmas regras de colocação.

A ênclise só será obrigatória se


O governo se deve lembrar do fato.
a próclise for proibida
O governo deve se lembrar do fato.
O governo deve-se lembrar do fato.
O governo deve lembrar-se do fato.
Se não houver obrigatoriedade
ou proibição, as duas
colocações serão possíveis

112
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

PRONOMES DEMONSTRATIVOS - EMPREGO


ESTE (S), ESTA (S), ESSE (S), ESSA (S), AQUELES (S), AQUELA (S),
PRONOMES
ISTO ISSO AQUILO
Pessoa lã 2- 35
Espaço Perto do emissor Perto do receptor Distante dos interlocutores
Tempo Presente Passado ou futuro próximo Passado distante
Enumeração Útimo elemento Elemento intermediário Primeiro elemento
Texto / Trecho Vai ser dito Já disse

Para se referir a um termo descontextualizado, admite-se o uso de esse(s), essa(s), este(s), estas(s).

As mulheres tiveram muitas conquistas ao longo dos últimos anos. Estas/Essas estão, em geral, ligadas ao
trabalho e à liberdade sexual.

TEMPOS PRIMITIVOS E TEMPOS DERIVADOS


TEMPO PRIMITIVO TEMPO DERIVADO CONJUGAÇÃO
Base + E(Conj. AR)/Base + A(Conj. ER/
Presente subjuntivo
OR/IR)
Presente do indicativo Presente subjuntivo. Exceto TU e VÓS,
GRUPO 1
Base = 15 sing - 0 Imperativo afirmativo que vêm do presente do indicativo sem
0 s
Imperativo negativo Não + presente subjuntivo
Pretérito mais-que-
Base + RA (todas) e RE (vós)
-perfeito do indicativo
Presente Perfeito Pretérito imperfeito do
GRUPO 2 Indicativo Base + SSE (há conector: se, caso...)
subjuntivo
Base = 35 plural-RAM
Futuro do subjuntivo Base + R (há conector: se, caso...)

Futuro do presente do
rei, rás, rá, remos, reis, rão
indicativo
Infinitivo Impessoal
Base 1 = verbo-R Futuro do pretérito do
GRUPO 3 ria, rias, ria, ríamos, ríeis, riam
Base 2 = verbo- indicativo
(vogal+R) va (ar), ia (er/ir), nha (ter, pôr, vir e
Pretérito imperfeito
derivados)
indicativo
No vós, usa-se "e"

113
PORTUGUÊS DESCOMPÜCADO

VERBOS IRREGULARES - BASES


VERBOS DERIVADOS 3a PLURAL BASE
VER rever, entrever, antever, prever VIRAM VI

PRECAVER PRECAVERAM PRECAVE

PROVER PROVERAM PROVE


VIR advir, desavir, intervir, provir, sobrevir, convir VIERAM VIE
TER obter, entreter, manter, reter, deter, conter TIVERAM TIVE
PÔR repor, anterpor, impor, interpor... PUSERAM PUSE
REQUERER REQUERERAM REQUERE
REAVER REOUVERAM REOUVE
APRAZER APROUVERAM APROUVE
CABER COUBERAM COUBE

CONJUGAÇÃO - DICAS GERAIS


MEDIAR, ANSIAR, REMEDIAR, INTERMEDIAR, INCENDIAR, ODIAR.

Tais verbos se conjugam com o verbo ODIAR (ODEIo, ODEIas, ODEIa, ODiamos, ODiais, ODEIam).

Espero que o governo mèdié situações de conflito, (correto: medeie)

Todas as formas de querer e pôr são grafadas com "S": quis, quisesse, pusesse...
Verbos terminados em -UIR são grafados com I: possuir - possui/contribuir - contribui...
Verbos terminados em -UAR são grafados com E: conceituar - conceitue/efetuar - efetue...
Adivinhar - não apresenta "D" mudo.
Reaver é um verbo defectivo e nunca apresenta NH ou J.

Espera-se que o governo reaveia o dinheiro investido.(errado)

Eu reaveio/reavenho. (errado)

*0 verbo é defectivo. Tais formas não existem. Use sinônimos.


Precaver é um verbo defectivo e nunca apresenta NH ou J.

Não me précaVeio. (errado)

Não me orecdvénho.(errado)

*0 verbo é defectivo. Tais formas não existem. Use sinônimos.

114
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

CLASSIFICAÇÃO DOS VERBOS


VERBOS CONSIDERAÇÕES EXEMPLOS
REGULARES Não apresentam alterações no radical nem no paradigma. Cantar / Vender
caber - caib-o / valer - valh-o
dormir - durm-o / perdir - peç-o
IRREGULARES Apresentam pequenas alterações no radical ou no paradigma. fazer - faç-o / trazer - trag-o
medir - meç-o / sorrir - sorri-o
ANÔMALOS Apresentam profundas alterações no radical e no paradigma. Ser /Ir
Em geral, apresentam mais de uma forma de particípio. Aceitado - aceito / acendido - aceso...
Regular (ado/ido) / Irregular (do/go/s/o).
Em geral, usa-se o particípio regular na voz ativa com os Ele tinha expressado seus sentimentos.
auxiliares TER e HAVER.
Em geral, usa-se o particípio irregular na voz passiva com Seus sentimentos foram expressos.
ABUNDANTES os auxiliares SER e ESTAR.
Alguns autores admitem as formas Ele tinha pagado / pago as contas.
PAGO e GANHO também na voz ativa. As contas foram pagas por ela.
Trazer - trazido / fazer - feito /
A maioria dos verbos apresenta apenas um particípio. abrir - aberto
Alguns partidpios irregulares são usados apenas como adjetivos. Vinho tinto. Menino bento.
colorir, adequar-se, precaver, reaver, explodir,
Náo apresentam algumas formas verbais. falir, demolir
DEFECTIVOS
Alguns verbos são considerados defectivos por questões latir, miar, nevar, chover
semânticas.
Apresentam pronome oblíquo átono integrante, ou seja, Ela se tornou uma boa mãe.
PRONOMINAIS sem função sintática.
A maioria dos verbos pronominais é VTI.
Apresentam pronome oblíquo átono reflexivo com função Ela se vestia mal.
REFLEXIVOS sintática de OD ou OI.
O sujeito pratica e sofre a ação expressa pelo verbo. Ela se considera gentil.
Constituem orações sem sujeito.
IMPESSOAIS Em geral, permanecem sempre na 3a pessoa singular. Haver (existencial) / fenômenos naturais /
Apenas o verbo ser varia, concordando com o núraeral a haver e fazer (tempo decorrido) / ser (hora/
que se refere. data/distância).
São empregados na construção de locuções verbais (mais de
um verbo com um único sentido).
AUXILIAR - determina a CONCORDÂNCIA.
PRINCIPAL - determina a REGÊNCIA.
VERBOS ter/haver + particípio
TEMPO COMPOSTO
AUXILIARES
PASSIVA ser/estar + particípio
Poder/dever/ter/começar/precisar...
CARGA SEMÂNTICA + inflnitivo/gerúndio
TER + INFINITIVO TER/HAVER + QUE/DE + INFINITIVO
São empregadas em locuções verbais ou em orações Gerúndio (NDO)
FORMAS Particípio (ADO/IDO/OUTROS) /
reduzidas. Podem funcionar como substantivos, adjetivos
NOMINAIS ou advérbios. Infinitivo (AR/ER/OR/IR)

115
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

VOZES VERBAIS
voz OBSERVAÇÃO
0 sujeito pratica a ação.
VOZ ATIVA Pode ser formada a partir de qualquer tipo de verbo.
Admite como auxiliar os verbos TER e HAVER.
0 sujeito sofre a ação experessa pelo verbo.
Só pode ser formada a partir de VTD ou VTDI.
0 objeto direto da voz ativa corresponderá sempre ao sujeito da passiva.
0 sujeito da voz ativa corresponderá sempre ao agente da passiva.
0 agente da passiva pratica a ação sobre o sujeito paciente. Trata-se de um termo
VOZ PASSIVA
facultativo introduzido pelas preposições por, pelo(a)/(s) ou de.
Voz passiva analítica: locução verbal (ser/estar + particípio). Pode ocorrer com outro verbo
auxiliar: continuar, ficar, permanecer.
Voz passiva sintética: VTD/VTDI+SE(PA). 0 verbo deve, obrigatoriamente, concordar com o
sujeito paciente.
0 sujeito é agente e paciente, ou seja, pratica e sofre a ação do verbo.
VOZ REFLEXIVA Depende de um pronome reflexivo ou de uma construção reflexiva.
Pode indicar reflexão ou reciprocidade.

TEMPOS COMPOSTOS
FORMA COMPOSTA TEMPO COMPOSTO EXEMPLO
Presente do Pretérito Perfeito Composto do
Tenho estudado
Indicativo+particípio Indicativo
Pretérito Imperfeito do Pretérito mais-que-perfeito
Tinha estudado
Indicativo+particípio Composto do Indicativo
Futuro do Presente do Futuro do Presente do Composto
Terei estudado
Indicativo+particípio Indicativo
Futuro do Pretérito do Futuro do Pretérito Composto
Teria estudado
Indicativo+particípio do Indicativo
Presente do Pretérito Perfeito Composto
Que tenha estudado
Subjuntivo+particípio do Subjuntivo
Pretérito Imperfeito do Pretérito mais-que-perfeito
Que tivesse estudado
Subjuntivo+particípio Composto Subjuntivo
Futuro do Futuro Composto
Que tiver estudado
Subjuntivo+particípio do Subjuntivo

Infinitivo+particípio Infinitivo Composto Ter estudado

Gerúndio+particípio Gerúndio Composto Tendo estudado

116
FIÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

TABELA DE BASES VERBAIS


PREFIXOS VERBOS BASES ERRADO CERTO
re, pre, ante,
Ver VI Se ele nos ver novamente (...) Se ele nos vir novamente (...)
entre
ad, con, inter, Se alguém intervier no caso
Vir VIE Se alguém intervir no caso (...)
sobre, pro (...)
ob, re, de, man, Se ninguém contiver o rapaz
Ter TIVE Se ninguém conter o rapaz (...)
con, entre, abs... (...)
re, de, pro, ante,
Se o rapaz depuser no caso
com, inter, dis, Pôr PUSE Se o rapaz depor no caso (...)
(...)
su, sobre
re, per Fazer FIZE Se ela refazer a tarefa (...) Se ela refizer a tarefa (...)
Se as pessoas provissem suas Se as pessoas provessem suas
0 Prover PROVE
famílias (...) famílias (...)
0 Precaver PRECAVE Se ninguém se precavisse (...) Se ninguém se precavesse (...)
Ela não reaviu o dinheiro (...) Ela não reouve (...) /
0 Reaver REOUVE
(reavesse, reavisse) Se ela reouvesse (...)
Se ninguém requisesse o Se ninguém requeresse o
0 Requerer REQUERE
documento (...) documento (...)

ESQUEMA DE TERMINAÇÕES
DMT TERMINAÇÕES
TEMPOS VERBAIS Desinências
EU TU ELE NÓS VÓS ELES
modo-temporais
Presente do Indicativo 0 o / ou / ei s a/e/i mos is m / âo
Pretérito Perfeito do i / ei ste eu / iu / ou mos stes ram
0
Indicativo
Pretérito MQP do RA ra ras ra ramos reis ram
Indicativo
vamos / veis / eis / vam / iam /
Pretérito Imperfeito do vas / ias / íamos /
VA/IA/ NHA va / ia / nha va / ia / nha nheis nham
Indicativo nhas nhamos
Futuro do Presente do REI/RÂ rei rás rá remos reis rão
Indicativo
Futuro do Pretérito do RIA ria rias ria ríamos ríeis riam
Indicativo
AR -> E e es e emos eis em
Presente do Subjuntivo
ER/OR/IR-^ A a as a amos ais am
Pretérito Imperfeito do SSE sse sses sse ssemos sseis ssem
Subjuntivo
Futuro do Subjuntivo R r res r rmos rdes rem
Imperativos Idêntico ao presente do subjuntivo, EXCETO tu e vós do imperativo afirmativo (vêm do presente do indicativo - s)

117
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

VERBOS QUE APRESENTAM


DIFICULDADES NA CONJUGAÇÃO
ADVERTIR GERIR ARRUINAR
PI : advirto, advertes, adverte, adverti- PI: giro, geres, gere, gerimos, geris, ge- PI: arruino, arruinas, arruina, arruina-
mos, advertis, advertem rem mos, arruinais, arruinam
PS: advirta, as, a, advirtamos, advirtais, PS : gira, -as, -a etc. PS: arruine, arruines, arruinemos, ar-
advirtam ruineis, arruinem
IMERGIR
ASPERGIR PI; imerjo(ê), imerges, imerge, imergi- AVERIGUAR
PI: asperjo(ê), asperges, asperge, asper- mos, imergis, imergem PI: averiguo, averiguas, averigua, averi-
gimos, aspergis, aspergem PS: imerja, imerjas, imerja, etc. guamos, averiguais, averiguam
PS: aspirja, aspírjas, aspirja, aspirja- PS: averigúe, averigúes, averigúe, averi-
mos, aspirjais, aspirjam MOSCAR guemos, averigueis, averigúem
PI: musco, muscas, musca, moscamos,
CABER moscais, muscam APRAZER
PI: caibo, cabes, cabe, cabemos, cabeis, PS: musque, musques, musque, mos- PI : aprazo, aprazes, apraz, aprazemos,
cabem quemos, mosqueis, musquem aprazeis, aprazem
PS: caiba, caibas, caiba, caibamos, cai- PS: apraza, aprazes, apraza, aprazamos,
bais, caibam MUNIR aprazais, aprazam
PPI: coube, coubeste, coube, coube- PI: muno, munes, mune, munimos, PPI: aprouve, aprouveste, aprouve,
mos, coubestes, couberam munis, munem aprouvemos, aprouvestes, aprouveram
PS: muna, -as, -a etc.
CHOVER MQP: aprouvera, aprouveras, aprouve-
PI: chove, chovem POLIR ra, aprouvéramos, aprouvéreis, aprou-
PS: chova, chovam PI : pulo, pules, pule, polimos, polis, veram
pulem
COMPELIR PS: pula, pulas, pula, pulamos, pulais, COMERCIAR
PI: compilo, compeles, compele, com- pulam PI; comercio, comercias, comercia, co-
pelimos, compelis, compelem merciamos, comerciais, comerciam
PS: compila, compilas, compila, compi- PRECAVER PS: comercie, comercies, comercie, co-
lamos, compilais, compilam PI: precavemos, precaveis merciemos, comercieis, comerciem
PPI: precavi, precaveste, precaveu, pre- PPI: comerciei, comerciaste, comer-
DISCERNIR cavemos, precavestes, precaveram ciou, comerciamos, comerciastes, co-
PI ; discirno, discernes, discerne, dis- MQP: precavera merciaram
cernimos, discernis, discernem IS: precavesse
PS: discirna, -as, -a etc. CONSTRUIR
PREMIAR PI; construo, construis (ou constróis),
EXPLODIR PI: prêmio, premias, premia, premia- construi (constrói), construímos, cons-
PI: eu, explodes, explode, explodimos, mos, premiais, premiam truis, construem /constróem)
explodis, explodem PS: premie, premies, premie, premie- PS: construa, -as, -a etc.
PS:- mos, premieis, premiem
CUSPIR
FALIR PROVER PI: cuspo, cospes, cospe, cuspimos,
PI: falimos, falis PI: provejo, provês, provê, provemos, cuspis, cospem
PS: (só é conjugado quando após o "1" provedes, provêem PS: cuspa, -as, -a, etc. (os demais tem-
houver "i": falia, falias...- fali, faliste...- PS: proveja, -as, -a etc. pos sempre com "u")
falira, faliras...) PPI: provi, proveste, proveu, provemos,
provestes, proveram COLORIR
ERIGIR PI: eu, colores, colore, colorimos, colo-
PI: frijo, freges, frege, frigimos, frigis, REAVER ris, colorem
fregem PI: reavemos, reaveis PPI: colori, coloriste, coloriu etc. (só
PS: frija, frijas, frija, frijamos, frijais, PS: - não possui aquelas pessoas em que,
frijam PII: reavia, -as, -a, etc. seguindo-se ao "r" teríamos "a" ou "o")

118
FLÂVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

CEDER FERIR SUAR


PI: cedo, cedes, cede, cedemos, cedeis, PI: firo, feres, fere, ferimos, feris, ferem PI: suo, suas, sua, suamos, suais, suam
cedem PS : fira, -as, -a etc. PS: sue, sues, sue, suemos, sueis, suem
PS: ceda, cedas, ceda, cedamos, cedais, PPI: suei, suaste, suou, suamos, suastes,
cedam RESFOLEGAR e variante RESFOL- suaram
GAR
CERZIR PI: resfólego, resfólegas, resfólega, res- VER
PI: cirzo, cirzes, cirze, cerzimos, cerzis, folegamos, resfólegam (resfolgo, res- PI: vejo, vês, vê, vemos, vêdes, veem
cirzem folgas, resfolga, resfolgamos, resfolgais, PPI: vi, viste, viu, vimos, vistes, viram
PS; cirza, cirzas, cirza, cirzamos, cir- resfolgam) PS: veja, vejas, veja, vejamos, vejais, ve-
zais, cirzam (os demais tempos com PS: resfólegue, resfólegues, resfólegue, jam
"e") resfoleguemos, resfolegueis, resfóle-
guem (resfolgue, resfolgues, resfolgue, VIR
CINGIR resfoleguemos, resfolegueis, resfol- PI: venho, vens, vem, vimos, vindes, vêm
PI : cinjo, cinges, cinge, cingimos, cin- guem) PS: venha, venhas, venha, venhamos,
gis, cingem venhais, venham
PS: cinja, cinjas, cinja, cinjamos, cin- SOAR FUT. SUBJ.: vier, vieres, vier, viermos,
jais, cinjam PI: soo, soas, soa, soamos, soais, soam vierdes, vierem
PS: soe, soes, soe, soemos, soeis, soem PPI: vim, vieste, veio, viemos, viestes,
ESCAPULIR PPI: soei, soaste, soou, soamos, soastes, vieram
PI: escapulo, escapoles, escapole, esca- soaram FUT. IND.: virei, virás, virá, viremos,
pulimos, escapolis, escapolem vireis, virão
PS: escapula, -as, -a etc. IMP. SUBJ.: viesse, viesses, viesse, viés-
semos, viésseis, viessem

119
UNIDADE IV

MORFOLOGIA

Formação de palavras

CONCEITOS BÁSICOS Desinências


Trata-se das flexões que uma palavra pode sofrer
MORFEMAS em função do contexto discursivo. Desinências não
São unidades estruturais que constituem uma formam novas palavras. Vejamos um exemplo:
palavra. Amar e amamos não são cognatas e nem de-
rivadas. São a mesma palavra, têm o mesmo sen-
Radical ou Semantema tido. "Amamos" é uma forma do verbo "amar"
Parte da palavra responsável pela produção submetida a um processo flexionai.
de sentido. Não é necessário que ele se mantenha
Há dois tipos de desinências - as nominais e
igual em todos os derivados. Pode haver alteração
as verbais.
como em pobre e paupérrimo, vida e vitalício...

Pedregulho - PEDR )' .


Nominais Verbais
Anoitecer - NOITE
Gênero Número Modo-temporais Número-pessoais
Girassol - GIRA e SOL
Co o
c _n3 oCL os_ 03
"5u 'c OJi— O (D O(✓)
-a
bJ) _zs o
Termos Cognatos E c (DE E to
2
CO
UuO) lo
Ü_ h- 2
z Q.O)
São cognatos palavras da mesma família eti-
mológica. Elas apresentam o mesmo radical ou
semantema e guardam alguma relação de sentido
Vogai Des. Des. Nú-
obrigatoriamente. Pode ser até o sentido oposto, Palavra Radical
temática Gênero mero
mas deve haver uma relação de sentido, como em Meninas MENIN - A S
leal e desleal, uso e desuso... Menino MENIN - 0 —
Mares MAR E — s
terrestre / terrorista
Jovem JOVEM - - —
- Não são cognatos e nem têm relação de sentido,
Telefone TELEEON E - -
(radicais TERRA/TERROR)
vida / vital / vitalício / vivência / viver
Conceito de vogai temática: liga o radical a
- São cognatos.
uma desinência.
uso / desuso / usual / usuário - São cognatos.

120
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

As desinências verbais podem ser: Mares - tema: mare

• Modo-temporais: indicam o modo e o tempo Partiram - tema: parti


no qual o verbo se encontra conjugado. Os verbos Afixos
conjugados em formas primitivas não apresen- São acréscimos feitos ao radical capazes de
tam desinências modo-temporais diretas. modificar o sentido da palavra e/ou sua classe.
São formas primitivas do verbo: São elementos distintos da desinência, porque
- Inímitivo impessoal; formam novas palavras.
- Presente do indicativo; Os afixos são divididos em dois tipos: prefixos
- Pretérito perfeito do indicativo. e sufixos.
- Prefixos - antes do radical.
Nessas formas, o verbo apresentará desinên-
- Sufixos - após o radical.
cias número-pessoais, com aspecto temporal.
A vogai temática dos verbos é definida pela
• OBSERVAÇÃO
conjugação:
Algumas bancas denominam
os afixos de infixos.
AR —>A
ER / OR —>E Vejamos exemplos;
IR ->1 Feliz - adjetivo

Infeliz - a classe foi mantida, mas o sentido foi


Nem toda forma de conjugação verbal apre-
totalmente alterado: negação.
senta vogai temática.
Felicidade - o sentido não foi significativamente
alterado, mas a classe mudou (substantivo).
Vogai
Palavra Radical DMT DNP Infelizmente - mudou-se a classe e o sentido.
temática
A palavra é um advérbio com valor de negação.
Amávamos AM Á VA MOS
Exemplos de prefixos:
Deixou DEIX - - OU
Amo AM - - 0 DESleal, INjusto, MAN ter, REter.
Amemos AM - E MOS
Exemplos de sufixos:
Cantava CANT A VA -
Cantaríamos CANT A RÍA MOS comunicaÇÃO, comuniCADO,
Vendesse VEND E SSE - justIÇA, lealMENTE, gostOSO.

Os sufixos costumam modificar mais a classe


do que os prefixos. Estes normalmente alteram
mais o sentido da palavra que sua classe.
Tema
Trata-se da junção do radical a uma vogai te-
Vogai ou Consoante de Ligação
mática. Como nem toda palavra tem vogai temá-
São utilizados para ligar afixos ao radical ou
tica, nem toda palavra apresentará tema.
radicais entre si.
Vendesse - tema: vende
Gira + sol - girassol - há um "-s" de ligação.

121 1
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

A + crônico = anacrônico - há uma vogai e uma Derivação Prefixai e Sufixai


consoante de ligação. Nesse caso, pode-se dizer que Acréscimo independente de sufixos e de prefi-
há uma sílaba de ligação, porque NA forma uma xos à palavra primitiva.
sílaba. deslealdade, inquietude, infelicidade,
ultrapassagem, reconsideração.
Legal + dade = legalidade
(apresenta a vogai "i" de ligação) Derivação Parassintética
(ou Parassíntese)
Acréscimo simultâneo de sufixos e de prefixos
PROCESSO DE FORMAÇÃO
à palavra primitiva.
DE PALAVRAS
amolecimento, entristecer, desalmado,
DERIVAÇÃO envelhecer, repatriado...

Formação de palavras novas a partir de um


vocábulo já existente, acrescentando-lhe aíixos
Derivação prefixai e
(prefixos e/ou sufixos) ou reduzindo-o (corte de
elementos finais). sufixai ^ Derivação parassintética

Há seis tipos de derivação:


• Prefixai ou preíixação Para que uma palavra seja formada por deriva-
• Sufixai ou sufixação ção prefixai e sufixai, é necessário que ela subsista,
• Prefixai e sufixai com sentido, depois de retirarmos o sufixo e/ou o
• Parassintética ou parassíntese prefixo. Assim:
• Regressiva
deslealmente reconsideração
• Imprópria ou conversão
desleal H lealmente reconsiderar // consideração
deriv. deriv. deriv. deriv.
Derivação Prefixai prefixai sufixai prefixai sufixai
Acréscimo de prefixos à palavra primitiva.
Já as palavras emagrecer e entristecer são for-
pré-histórico, dispor, desleal, ab-rogar
madas por derivação parassintética, pois, se reti-
super-homem, eufonia, vice-diretor,
rarmos qualquer um dos afixos, elas não subsis-
semi-círculo, infeliz, refazer, binóculo...
tem com sentido.
de depor
emagrecer entristecer
com + por = compor
emagro//magrecer <= não existem => entriste//tristecer
im impor
inãecom indecompor
Derivação Regressiva
Criação de uma nova palavra por meio da su-
Derivação Sufixai
pressão de elementos da palavra primitiva.
Acréscimo de sufixos à palavra primitiva.
planaltino, lealdade, portuguesa, boníssimo, janta (de jantar) canto (de cantar)
macérrimo, inquietude, manteigueira, ramagem, venda (vender) ataque (de atacar)
sofrimento... defesa (de defender) compra (de comprar)

122
FLÂVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

COMPOSIÇÃO

A derivação regressiva forma, de modo Criação de novas palavras com sentido novo,
geral, substantitvos abstratos agentivos a par- pela associação de duas ou mais palavras já exis-
tir de verbos. Alguns autores consideram as tentes, com ou sem modificação de sua forma.
reduções como derivações regressivas. Há dois tipos de composição:
Não é habitual na NGB. • Por justaposição (sem modificação da palavra)
• Por aglutinação (com modificação da palavra)
Derivação Imprópria
Processo que consiste na mudança de classe Composição por justaposição
gramatical das palavras. Dois ou mais elementos que se unem forman-
do uma só palavra, conservando autonomia de
a) substantivos próprios passam a comuns:
forma e acentuação própria.
gilete (de Gillette) - lâmina x inventor
amor-perfeito, pé de moleque, girassol,
Ele é o judas da turma.
pau dagua, guarda-chuva, barco a vela,
bom-bril (porpalhinha de aço)
navio-escola, malmequer, bem-te-vi...
b) substantivos comuns passam a próprios:
José Costa Coelho, Nara Leão, Fernando Composição por aglutinação
Ferreira Neto... Dois ou mais elementos que se unem numa só
palavra, subordinada a um só acento e com perda de
c) substantivos a adjetivos: autonomia de forma.
comício monstro - mulher gato - camisa rosa embora (em boa hora) planalto (plano alto)
petróleo (petra óleo) aguardente (água ardente)
vinagre (vinho agre) você (vossa mercê)
d) verbos a substantivos:
o jantar - o prazer - primeiro andar
HIBRIDISMO
e) particípios a substantivos ou a adjetivos:
Formação de uma palavra composta, cujos ele-
a bebida - o passado - vinho tinto
(substantivos) (adjetivo) mentos provêm de línguas diferentes.

televisão (tele + visão)


grego latim
alcoômetro (álcool + metro)
árabe grego
abreugrafia (abreu + grafia)
port. grego
sociologia (socio + logia)
A derivação imprórpia também recebe o
latim grego
nome de conversão. capim-meloso (capim + meloso)
tupi-guar, port.
burocracia (bureau + cracia)
francês grego
automóvel (auto + móvel)
grego latim
123
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

• em sons ou ruídos de objetos ou coisas: ti-


lintar (dinheiro ou campainha) bimbalhar,
É preciso não confundir este processo com
dlim-dão, fon-fon, reco-reco...
composição por aglutinação. Na composição,
os elementos são de uma mesma língua:
Redução
datilografia (do grego). Criação de uma nova palavra com a supressão
No hibridismo, de línguas diferentes: de parte da palavra primitiva.
alcoômetro (do árabe e do grego).
pneu (de pneumático), foto (de fotografia),
cine e cinema (de cinematográfico),
pólio (de poliomielite), auto (de automóvel),
moto (motocicleta).

OUTROS PROCESSOS
DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS

E preciso não confundir este processo


Onomatopéia
com a derivação regressiva. Na redução,
Processo que consiste na criação de palavras
suprime-se a parte da palavra (às vezes uma
imitativas.
palavra inteira): pólio (poliomielite);
Ocorre em dois casos;
Na regressiva, suprimem-se os elementos
• em vozes de animais: au-au, miau, coaxar, finais da palavra: poda (de podar). Alguns
piar, criciar, cri-cri, ronronar... autores admitem a associação dos dois casos.
^ '

EXERCÍCIOS

1 A palavra ensolarada tem o mesmo processo de for- com a idéia de


mação da palavra
a) esterilidade, auscultaçâo, beleza de formas, dis-
a) deslealdade tância, relevo.
b) anoitecer b) relevo, estética, visão ao redor, distância, beleza
c) esperada de formas.

d) sonhada c) esterilidade, relevo, distância, visão ao redor, bele-


za de formas.
e) amada
d) relevo, auscultaçâo, beleza de formas, visão ao re-
2 Os aparelhos ópticos denominados estereoscó- dor, distância.
pio, estetoscópio, caleidoscópio, periscópio, te- e) exterioridade, estética, calosidade, visão ao redor,
lescópio têm relação direta, RESPECTIVAMENTE, auscultaçâo.

124
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

3 Nas palavras atenuado, televisão, percurso, temos, bjPereirinha estava mesmo com a razão. Sigilo ...
RESPECTIVAMENTE, os seguinte processos de forma- Voto secreto ...Bobagens, bobagens!
ção de palavras c)Sem radicai reforma da lei eleitoral, as eleições
a) parassíntese - hibridismo - prefixação continuariam sendo uma farsa!

b) aglutinação - justaposição - sufixação d)Não chegaram a trocar um isto de prosa, e se en-


tenderam.
c) sufixação - aglutinação - justaposição
e)Dr. Osmírio andaria desorientado, senão bufando
d) justaposição - prefixação - parassíntese
de raiva.
e) hibridismo - parassíntese - hibridismo
8 As palavras couve-flor, planalto, aguardente são for-
4 Todos os verbos seguintes são formados por paras- madas por
síntese (derivação parassintética), EXCETO
a) derivação
a) endireitar
b) onomatopéia
b) atormentar
c) hibridismo
c) enlouquecer
d) composição
d) desvalorizar
e) prefixação
e) soterrar
9 Em qual dos exemplos abaixo está presente um caso
5 Assinale a única opção constituída por palavras for- de derivação parassintética?
madas APENAS por sufixação.
a) Lá vem ele, vitorioso do combate.
a) agulha - diplomata - costureira
b) Ora, vá plantar batatas!
b) aglutinação - insuportável - saleta
c) Começou o ataque.
c) ordinário - orgulhoso - caminho
d) Assustado, continuou a se distanciar do animal.
d) costureira - silencioso - saleta
e) Não vou mais me entristecer, vou é cantar.

6 O item em que a palavra NÃO está CORRETAMENTE


10 Assinale a alternativa cujas palavras são, RESPECTI-
classificada quanto ao seu processo de formação é
VAMENTE, parassintética, onomatopaica e híbrida.
a) ataque - derivação regressiva
a) anoitecer - coaxar - televisão
b) fornalha - derivação por sufixação
b) deslealdade - chilrear - automóvel
c) acorrentar - derivação parassintética
c) fidalgo - zunzum - embarcar
d) antebraço - derivação prefixai
d) descobrimento - tique-taque - decímetro
e) casebre - derivação imprópria
e) enriquecer - zás-trás - pernalta.
7 Em que alternativa a palavra em destaque resulta de
derivação imprópria?
a) Às sete horas da manhã, começou o trabalho prin- | B-Ot | 3-6 | P-8 | P-/ | 3-9 | P-S | p-tH B- £ I p-z | q-t I
cipal: a votação. oiueqeo

125
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

RADICAIS DE ORIGEM GREGA


RADICAL SIGNIFICADO EXEMPLO
acro alto acrofobia (medo de altura)
aero ar aeronáutica (navegação pelo ar)
agogo o que conduz demagogo (o que conduz o povo)
atropo homem antropologia (estudo dos grupos humanos)
arqueo antigo arqueologia (estudo de coisas antigas)
auto de / por si mesmo automóvel (que se move por si mesmo)
biblio livro biblioteca (coleção de livros)
bio vida biologia (estudo dos seres vivos)
caco mal cacofonia (mau som)
calí belo caligrafia (bela escrita)
cardio coração cardiologia (estudo do coração)
cefalo cabeça cefalalgia (dor de cabeça)
cosmo mundo cosmopolita (cidadão do mundo)
cracia governo democracia (governo do povo)
cromo cor acromia (ausência de cor)
demo povo " democracia (governo do povo)
etimo origem etimologia (estudo das origens)
etno raça, povo etnologia (estudo das raças)
fobia medo, aversão fotofobia (aversão à luz)
gastro estômago gastrite (inflamação do estômago)
geo terra geologia (estudo da terra)
grafia escrita ortografia (escrita correta)
hemo sangue hemorragia (derramamento de sangue)
hidro água hidrômetro (o que mede água)
hipno sono hipnofobia (medo de dormir)
hipo cavalo hipódromo (local onde correm cavalos)
homo mesmo, igual homógrafo (que tem a mesma escrita)
lito pedra litogravura (gravura feita em pedra)
mega grande megalópole (grande cidade)
metro medida cronômetro (o que mede o tempo)
micro pequeno micróbio (pequeno ser vivo)
morfo forma morfologia (estudo das formas)
necro morto necrologia (notícia de falecimento)
neo novo neologismo (palavra nova)
orto certo, correto ortografia (escrita correta)
pato doença patologia (estudo das doenças)
poli muitos polissílabo (que tem muitas sílabas)

126
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

RADICAL SIGNIFICADO EXEMPLO


pseudo falso pseudônimo (falso nome)
psico alma psicologia (estudo da alma)
taqui rápido taquigrafia (escrita rápida)
teca coleção mapoteca (coleção de mapas)
tele longe telefone (o que fala para longe)
teo deus teocracia (governo dos deuses)
termo temperatura termômetro (o que mede a temperatura)
trofia desenvolvimento atrofia (ausência de desenvolvimento)
xeno estrangeiro xenofobia (aversão ao estrangeiro)
zoo animal zoologia (estudo dos animais)

PREFIXOS DE ORIGEM GREGA


RADICAL SIGNIFICADO EXEMPLO
a, an negação, privação ateu, anarquia
anfl duplicidade, dualidade anfíbio, anfiteatro
anti ação contrária antiaéreo, antipatia
arce, arqui superioridade arcebispo, arquiduque
dia movimento através diagona, diâmetro
dis dificuldade disenteria, dispnéia
endo posição interior endoscópio, endotérmico
epi posição superior epitáfio, epiderme
eu bem, bom eufemismo, eufonia
hemi metade hemiciclo, hemisfério
hiper excesso hipertrofia, hipertensão
meta transformação metamorfose, metáfora.
para ao lado de paralelo, parágrafo
peri em torno de perímetro, periscópio
sin simultaneidade sincrônico

127
PORTUGUÊS DESCOMPL1CADO

RADICAIS DE ORIGEM LATINA


RADICAL SIGNIFICADO EXEMPLO
agri campo agricultor (que cultiva o campo)

arbori árvore arborizar (plantar árvores)

avi ave avícola (local onde se vendem aves)

beli guerra belicoso (habituado à guerra)

capiti cabeça decapitar (cortar a cabeça)

cida que mata inseticida (que mata insetos)

cola que cultiva vinícola (que cultiva vinho)

fero que contém aurífero (que contém ou produz ouro)

fide fé fidedigno (digno de fé)

forme forma biforma (que possui duas formas)

frater irmão fraternidade (irmandade)

fugo que foge lucífugo (que foge da luz)

loco lugar localizar (fixar o lugar)

ludo jogo ludoterapia (tratamento através de jogos)

mater mãe materno (relativo a mãe)

multi muito multilateral (muitos lados)

oni tudo, todo onipresente (que está presente em tudo)

paro que produz ovíparo (que produz ovos)

pater pai paterno (relativo a pai)

pede pé pedestre (que anda a pé)

pisei peixe piscoso (cheio de peixes)

pluri vários pluricelular (que possui várias células)

puer criança pueril (infantil)

quadri quatro quadrimotor (que tem quatro motores)

silva floresta silvícola (que vive nas florestas)

umbra sombra penumbra (quase sombra)

voro que come carnívoro (que come carne)

128
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

PREFIXOS DE ORIGEM LATINA


RADICAL SIGNIFICADO EXEMPLO

ambi duplicidade ambivalente, ambidestro

ante anterioridade antebraço, antepor

bi, bis dois bienal, bisavô

circum movimento em torno circunferência, circunavegação

eis posição, aquém cisplatino, cisapino

contra oposição contradizer, contra-ataque

infra posição inferior, abaixo infravermelho, infra-assinado

intra, intro posição interior intravenoso, introvertido

justa posição ao lado justapor, justalinear

mal, male mal malcriado, mal-humorado

multí muitos multinacional, multicolor

pen quase penumbra, península

per movimento através percorrer, perambular

pos posição posterior póstumo, postergar

pre anterioridade prefácio, preconceito

re repetição refazer, repensar

semi etade, quase semicírculo, seminu

trans posição além de transatlântico, transamazônica

tri três tricampeão, tricolor

vis,vice substituição visconde, vice-reitor


UNIDADE V

ANÁLISE

SINTÁTICA

Ele afirma / que você vencerá. (2 orações)


CONCEITOS BÁSICOS
Ele tirou o brinquedo da gaveta / e verificou / que
A análise sintática é a parte da Gramática que ele estava quebrado. (3 orações)
estuda e classifica as orações e os termos de cada
oração. Analisar sintaticamente um enunciado
significa decompô-lo em partes e verificar a fun-
ção das partes em relação ao todo. PERÍODO simples
Frase é todo enunciado capaz de transmitir
SUJEITO E PREDICADO
novas idéias.
Em um enunciado completo, sempre é dada
Uma lua clara iluminava o céu.
uma informação (predicado) a respeito de alguém
Puxa! Que frio! ou de alguma coisa (sujeito).

Socorro!

Oração é toda frase construída em torno de Ana dirigiu a palavra às classes menos favorecidas.
um verbo.

Por favor, volte para casa ainda hoje.


O conjunto A recebe uma informação comple-
Um lua clara iluminava o céu. ta de B.
A triste notícia foi transmitida de manhã. O conjunto B dá uma informação completa
sobre o conjunto A.

Período é a frase formada por uma ou mais


orações. O período pode ser: RESUMINDO...

a) Simples: formado por uma única oração. Sujeito é o termo da oração que recebe uma
informação completa, que é dada pelo predicado.
Naquele dia, todos voltaram cedo.
Predicado é o termo da oração que dá infor-
b) Composto: formado por duas ou mais mação completa a respeito do sujeito ou que se
orações. constitui a partir de um verbo impessoal.

130
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Núcleo do sujeito: Dentro do conjunto do CLASSIFICAÇÃO DO SUJEITO


sujeito, quando este é formado de mais de um
a) Simples: quando tem um só núcleo.
elemento, há sempre um termo de maior impor-
tância semântica, que funciona como núcleo da f
sujeito predicado
função.
Clara atualizava seus conhecimentos.
f~ n
sujeito predicado
b) Composto: quando tem mais de um núcleo.
O mato crescia irregular.
i
núcleo
sujeito predicado
Júlia, Víctor e Otávio andavam juntos.
r
sujeito predicado
c) Desinencial: quando não vem expresso na
Crianças, jovens e adultos andavam misturados.
; i ; oração, mas é possível determiná-lo por
nl n2 n3 meio da desinência verbal.

Características do Sujeito r
sujeito predicado
O verbo e o sujeito estão, em geral, concordan- (Nós) Já nascemos bastante sofridos.
do entre si.

Os gatos vadios dominavam os becos. í~


sujeito predicado
sujeito verbo (Tu) Não porás mordaça ao homem.

I—concordam—^
Nesses casos, o sujeito é simples, porém está
Em um grande número de orações, o sujeito
subentendido no verbo.
pode ser trocado por um dos seguintes pronomes:
ele, ela, eles, elas.
SUJEITO INDETERMINADO
Milhares de abelhas invadiram a cidade.
Quando a afirmação expressa pelo predicado
Elas invadiram a cidade.
sujeito repousa num elemento que não pode ser determi-
nado dentro de um conjunto.
Há, em português, três maneiras de se indeter-
SUJEITO DETERMINADO
minar o sujeito:
Quando a informação do predicado repousa
a) Com verbo na 3a pessoa do plural sem su-
num elemento que pode ser facilmente determi-
jeito expresso, (efeito genérico)
nado.

sujeito predicado f
sujeito predicado
A mulher vivia rindo à vista de todos.
Mataram o meu amigo.

131
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

b) Com o verbo na 3a pessoa do singular mais Observe que, nas duas frases, o sujeito é o
partícula SE (índice de indeterminação do mesmo: o plano. Na voz passiva pronominal, o
sujeito). SE indica que o sujeito recebe a ação, caracteri-
zando uma voz passiva, por isso é denominado
f pronome apassivador.
sujeito predicado
? Uma pergunta: se na frase Divulgou-se o plano,
Precisa-se do apoio de todos.
trocássemos o sujeito por os planos, o que deveria
Em geral, é formado por VT, VTI ou VLig. acontecer na forma verbal divulgou? Por quê?
A resposta: a forma verbal teria que ser coloca-
da no plural, porque o sujeito e o verbo devem estar
sempre concordando. A frase ficaria, então, assim:
Muitas vezes, temos o verbo na terceira
pessoa do singular mais a partícula SE pronome apassivador
T
e o sujeito será determinado, estando
Divulgaram-se os planos.
presente na oração. 4^ 4,
Existem, na Língua Portuguesa, duas verbo sujeito
Sujeito e verbo concordam entre si.
construções bastante semelhantes no que se
refere à função da palavra SE. Outra pergunta; como ficaria essa nova frase
A palavra SE funciona, na voz passiva na voz passiva analítica?
pronominal, como pronome apassivador. Ela ficaria assim:

Nesse caso, haverá sujeito expresso na frase.


Os planos foram divulgados.
O SE também pode exercer a função de i 4<
índice de indeterminação do sujeito. sujeito loc. Passiva

Na passiva, não há OD. Ele funciona como su-


SE como pronome apassivador jeito paciente nesse tipo de construção.

O SE terá essa função quando aparecer ligado a SE como índice de


um verbo na 3a pessoa (do sing. ou pl.) e a oração indeterminação do sujeito
admitir a transformação para a voz passiva ana-
lítica, isto é, para a voz passiva com dois verbos A palavra SE terá essa função quando ela apa-
(verbo ser ou estar + verbo principal no particí- recer ligada a um verbo (sempre na 3a pessoa do
singular) em frases que não admitem a transfor-
pio).
mação para a voz passiva analítica.

Voz Passiva Pronominal Voz Passiva Analítica


Concordou -se com o plano.
Divulgou- se o plano. 0 plano foi divulgado.
verbo na ]a pessoa índice de indeterminação do objeto
do singular sujeito Indireto
verbo v*. sujeito sujeito verbo
cO cs> -C)o cs principal
CO cn£ cu> cs Essa frase nos diz que houve alguém, que não
br^ CL.
<3 cs
O sabemos quem é (portanto, sujeito indetermina-
do), que concordou com o plano.

132
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Observe que a transformação para a voz pas- b) Com os verbos FAZER, SER, ESTAR com
siva analítica resultará em uma frase sem sentido, referência a tempo.
que não é gramaticalmente aceita:
1
sujeito predicado
Com os planos foram concordados.
0 Faz dois anos que estive aqui.
(frase inaceitável)

Em geral (não sempre), o que impede a transfor- 1


mação da frase para a passiva analítica é uma prepo- sujeito predicado
0 Já é tarde.
sição (no exemplo, a preposição com).

Esquematizando essas duas funções do SE: 1


sujeito predicado
Dada a frase em que se quer determinar a fun- 0 Está frio em São Paulo.
ção do SE e/ou o sujeito, observe o seguinte:

A FRASE ADMITE A TRANSFORMAÇÃO c) Com os verbos que exprimem fenômenos


PARA A PASSIVA ANALÍTICA? naturais.
SIM: NÃO:
Então SE é pronome apas- Então SE é índice de sujeito predicado
sivador, e o sujeito está indeterminaçâo do sujei- 0 Choveu muito em São Paulo.
escrito na frase. to, e o sujeito classifka-
-se como indeterminado. 1
sujeito predicado
0 Anoiteceu rapidamente.
SUJEITO INEXISTENTE
(ORAÇÀO SEM SUJEITO)
d) Construções do tipo: chega de, basta de e
Elá, em Português, enunciados onde ocorre
passa de.
apenas a informação veiculada pelo predicado,
sem que esta se refira especificamente a um su- f
sujeito predicado
jeito. Dizemos, então, que se trata de uma oração 0 Chega de palhaçada.
sem sujeito ou que o sujeito é inexistente.
Ocorre sujeito inexistente nos seguintes casos:
a) Com o verbo HAVER no sentido de existir
• OBSERVAÇÕES
ou com referência a tempo.
Quando temos orações sem sujeito, dizemos
que o verbo de tais orações é IMPESSOAL.
sujeito predicado Os verbos impessoais, em geral, devem ficar
0 Havia muitos alunos na classe. na terceira pessoa do singular. Assim, não se diz:

Haviam muitas leis no país.


Fazem dois anos que nos conhecemos.
1 Corrija-se para:
sujeito predicado
0 Há dois anos estive aqui. Havia muitas leis no país.
Faz dois anos que nos conhecemos.
133
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

PREDICAÇÀO VERBAL Oferecemos flores a uma dama neurótica.


VTD 1 comp. s/ prep. compl. c/
A predicação verbal trata do modo pelo qual prep. prep.
os verbos formam o predicado, isto é, se exigem
ou não complementos. Quando à predicação ver- De Ligação
bal, os verbos classificam-se em; São aqueles que, não tendo conteúdo próprio,
servem apenas como elemento de ligação entre o
Intransitivos sujeito e um atributo do sujeito (predicativo).
São verbos que não reclamam complemento e,
Ela era feliz.
por isso, podem constituir sozinhos o predicado. sujeito vi atributo do sujeito
(predicativo)
f
sujeito predicado
Principais verbos de Ligação
José nasceu.

Em geral, aparecem em frases com adjuntos ser, estar, permanecer, ficar, parecer, tornar-se,
adverbiais. continuar, andar (=estar), viver (=estar)
virar (=tornar-se)...
José nasceu no Rio de Janeiro em março.
sujeito vi A, Adv, Lugar A. Adv, de Tempo
TERMOS QUE SE REFEREM AO VERBO

Transitivos
Objeto direto
São verbos que, por não possuírem sentido
É um termo da oração que se liga a um verbo
completo, exigem um complemento e, por isso,
(transitivo direto ou bitransitivo) sem preposição
não conseguem sozinhos constituir o predicado.
obrigatória, completando-lhe o sentido.
Os verbos transitivos subdividem-se em:
Ela comprou 0 um novo sapato.
a) Transitivos diretos: quando exigem com-
sujeito VTD prep. OD
plemento sem preposição obrigatória.

Maria comprou 0 novas roupas. Objeto indireto


sujeito VTD prep. complemento (OD) É o termo da oração que se liga a um verbo
(transitivo indireto ou bitransitivo) por meio de
b) Transitivos indiretos: quando exigem preposição obrigatória, completando-lhe o sentido.
complemento com preposição obrigatória.
Ele pensava em coisas úteis.
José gosta de coisas finas. sujeito VTI prep. OI
sujeito VTI prep. complemento (Oi)

c) Transitivos diretos e indiretos (ou bitran-


sitivos): quando exigem dois complemen-
tos: um sem e outro com preposição obri-
gatória.

134
FLÁV1A RITA C0UTINH0 SARMENTO

Agente da Passiva
Os alunos, ninguém os viu.
Ê o termo da oração que sempre se refere a um OD sujeito OD plen. VTD
verbo passivo por meio de preposição para indi-
car o elemento que executa ação verbal. A mim, nada me importa.
01 sujeito 01 pleon, VTI
Ele foi amado por Maria.
sujeito verbo passivo prep. agente da passiva

Só admite as preposições por, de, pelo (e va-


Adjunto Adverbial
riações).
O adjunto adverbial se liga a um verbo expri-
mindo uma circunstância. Alguma vezes, o ad-
junto adverbial pode estar ligado a um adjetivo ou
Objeto Direto Preposicionado
a um advérbio.
O objeto direto é o termo da oração que com-
pleta o sentido de um verbo transitivo sem pre-
posição obrigatória. Algumas vezes, no entanto, Maria é muito estudiosa.
o objeto direto poderá vir antecipado de preposi- V. lig. adj. adv. adjetivo
ção. Nesses casos, a preposição não é exigida pelo
verbo.
pron, oblíquo tonico
Os amigos convidam a mim. Maria fala muito bem.
sujeito VTD prep. OD prep VI adj. adv. advérbio

Os amigos convidaram ao aluno.


sujeito VTD prep. OD São inúmeras as circunstâncias que o adjunto
+ artigo
adverbial pode indicar. Vejamos as mais comuns:
Verifique que, se tivéssemos objeto indireto, a
preposição não desapareceria, pois é exigida pelo Moro em Belo Horizonte, (lugar)
verbo.
Cheguei cedo. (tempo)

Os amigos se referiam a mim.


Falava sobre futebol, (assunto)
Os amigos se referiam a ela.
Os amigos se referiram a pessoas especiais. Cortou-se com afaça, (instrumento)
sujeito VTI prep. 01
Falava bem. (modo)

Objeto Pleonástico Falava muito, (intensidade)


Muitas vezes, por questão de ênfase, anteci-
Morreu de fome. (causa)
pamos o objeto, colocando-o no início da frase
e depois o repetimos por meio de um pronome Estudou para aprova, (fim)
oblíquo. A este objeto repetido, dá-se o nome de
objeto pleonástico.

135
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

DICAS GERAIS DE PREDICAÇÃO Nas orações em que há sujeito, o predicado é o


que se declara a respeito desse sujeito.
• Nem todo verbo intransitivo tem sentido Com exceção do vocativo, que é um termo à
completo. parte, tudo o que difere do sujeito numa oração é
• Perguntas direcionadas ao verbo nem sempre o seu predicado.
são suficientes para identificar sua transitivi- Os homens (sujeito) pedem amor às mulheres
dade (use passiva ou outros recursos). (predicado).
• Ser, estar, permanecer, etc. nem sempre são de Passou-me (predicado) uma idéia estranha
ligação. Serão de ligação sempre que houver (sujeito) pelo pensamento (predicado).
predicativo do sujeito.
Para o estudo do predicado, é necessário veri-
• Nem todo termo preposicionado é objeto in- ficar se seu núcleo está num nome ou num verbo.
direto. Considere a possibilidade de ser adjun- Deve-se considerar também se as palavras que
to adverbial, complemento nominal ou outro formam o predicado referem-se apenas ao verbo
termo de natureza preposicionada. ou também ao sujeito da oração.
• A análise sintática do predicado deve ser ini- Os homens sensíveis (sujeito) pedem amor
ciada pelos adjuntos adverbiais, evitando-se, sincero às mulheres de opinião (predicado).
assim, confundi-los com objetos indiretos.
O predicado acima apresenta apenas uma
• Se o verbo estiver seguido exclusivamente de palavra que se refere ao sujeito: pedem. As de-
adjuntos adverbiais, ele será intransitivo. mais palavras ligam-se direta ou indiretamente
• Predicativo não é exclusivo de verbo de liga- ao verbo.
ção. Pode acompanhar qualquer verbo e pode A existência (sujeito) é frágil (predicado).
se referir tanto ao sujeito quanto ao objeto.
O nome frágil, por intermédio do verbo, re-
• A predicação / transitividade de um verbo
fere-se ao sujeito da oração. O verbo atua como
pode variar em função do contexto.
elemento de ligação entre o sujeito e a palavra a
ele relacionada.
O predicado verbal é aquele que tem como nú-
cleo significativo um verbo.
CLASSIFICAÇÃO DO PREDICADO
Chove muito nesta época do ano.

O predicado é o conjunto de enunciados que, Senti seu toque suave.


numa dada oração, contém uma informação nova
O velho prédio foi demolido.
para o ouvinte.
Nas orações sem sujeito, o predicado simples- Os verbos acima são significativos, isto é, não
mente enuncia um fato qualquer. servem apenas para indicar o estado do sujeito,
mas indicam processos.
Chove muito nesta época do ano.
O predicado nominal é aquele que tem como
Houve problemas na reunião. núcleo significativo um nome; esse nome atribui

I 136
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

uma qualidade ou estado ao sujeito, por isso é TERMOS QUE SE REFEREM AO NOME
chamado de predicativo do sujeito. O predicativo
é um nome que se liga a outro nome da oração por
Adjunto Adnominal
meio de um verbo.
É o termo da oração que se liga a um nome,
Nos predicados nominais, o verbo não é signi-
sem mediação de verbo a fim de determiná-lo ou
ficativo, isto é, não indica um processo. O verbo
caracterizá-lo.
une o sujeito ao predicativo, indicando circuns-
tâncias referentes ao estado do sujeito.

Ele é senhor das suas mãos e das ferramentas. Aqueles dois tristes meninos estudiosos saíram.
AAdn. AAdn. AAdn. A Adn,
Na frase acima, o verbo ser poderia ser subs-
tituído por estar, andar, ficar, parecer, perma- O adjunto adnominal pode ser representado
necer ou continuar, atuando como elemento de por:
ligação entre o sujeito e as palavras a ele rela-
• artigo
cionadas.
1
A função de predicativo é exercida normal-
0 menino saiu.
mente por um adjetivo ou substantivo. A Adn.
O predicado verbo-nominal é aquele que
apresenta dois núcleos significativos: um verbo
numerai
e um nome. No predicado verbo-nominal, o pre-
dicativo pode referir-se ao sujeito ou ao comple-
Dois meninos saíram.
mento verbal. A Adn.
O verbo do predicado verbo-nominal é sem-
pre significativo, indicando processos. É também
pronome adjetivo
sempre por intermédio do verbo que o predicati-
vo se relaciona com o termo a que se refere. f"
Aqueles meninos saíram.
O dia amanheceu ensolarado. A Adn.

As mulheres julgam os homens inconstantes.


adjetivos
No primeiro exemplo, o verbo amanhecer
v
apresenta duas funções: a de verbo significativo e
Meninos tristes saíram.
a de verbo de ligação. Esse predicado poderia ser A Adn.
desdobrado em dois, um verbal e outro nominal.

O dia amanheceu. locuções adjetivas

O dia estava ensolarado. r-


Meninos do interior saíram.
No segundo exemplo, é o verbo julgar que rela-
A Adn.
ciona o complemento homens como o predicativo
inconstantes.

137
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Complemento Nominal Nota:


É o termo da oração que se liga a um nome Palavras que completam advérbios só podem
sempre por meio de preposição obrigatória, a fim ser complementos nominais.
de completar-lhe o sentido. Podemos dizer que o
Amor de mãe é bom.
complemento nominal é o objeto do nome tran-
sitivo. Amor: substantivo abstrato; prep. "de"; a na-
tureza é ativa - a mãe está amando. Então, o
termo destacado não é complemento nomi-
A resposta ao professor foi satisfatória.
Nome Prep. CN nal, é adjunto adnominal, pois tem natureza
ativa.
NÃO CONFUNDA Amor à mãe é bom.
ADJUNTO ADNOMINAL COM
Amor: substantivo abstrato; prep. "a"; natu-
COMPLEMENTO NOMINAL
reza passiva - a mãe está sendo amada. En-
Complemento nominal
tão, o termo é complemento nominal, pois
• Completa nomes transitivos (substantivos
tem natureza passiva.
abstratos, adjetivos ou advérbios).
• Substantivo abstrato: sentimento, ação, qua-
Adjunto adnominal
lidade ou estado. Os sentimentos e as ações
têm uma maior probabilidade de pedirem • Acompanha substantivos abstratos ou con-
cretos.
complemento.
• Pode ser representado por artigos, pronomes,
• É obrigatoriamente preposicionado.
• Quando se refere a um substantivo abstrato, numerais, adjetivos ou locuções adjetivas.
• Quando se refere a um substantivo abstrato,
tem natureza passiva.
tem natureza ativa.
O medo da morte aproxima as pessoas.
As duas últimas casas de José eram bonitas.
Medo: substantivo abstrato; da morte: prep.
As palavras destacadas funcionam como ad-
"de"; tem natureza passiva (a morte é temi-
juntos adnominais do vocábulo CASA, que é
da). É complemento nominal.
um substantivo concreto.
Isso é favorável ao país.
EXPLICANDO...
Favorável: adjetivo; preposição "ao"; ao país: A crítica do diretor foi severa.
complemento nominal.
Nesse caso, crítica é um substantivo abstrato
e o termo ligado a ele sugere uma noção ativa.
Nota:
Então, do diretor é adjunto adnominal.
Palavras que completam adjetivos só podem
ser complementos nominais. A crítica ao diretor foi severa.

Agiu contrariamente a seus princípios. Nesse caso, o diretor foi criticado, reforçan-
do a natureza passiva do termo. Logo, trata-se de
Contrariamente: advérbio; prep. "a"; a seus
um complemento nominal.
princípios: complemento nominal.

138
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Predicativo Vocativo
É o termo da oração que se refere a um nome O vocativo constitui um termo independente da
sempre por meio do verbo (de ligação ou não), a oração por não se articular a nenhum outro. Por-
fim de caracterizá-lo. O predicativo pode ser: tanto, o vocativo não se refere ao sujeito, nem ao
predicado.
a) predicativo do sujeito: liga-se a um nome
Trata-se de um chamamento, direcionado ao
(que sintaticamente funciona como sujeito)
ouvinte da frase.
por meio de verbo (de ligação ou não), a
Esse termo vem sempre isolado por sinais de
fim de caracterizá-lo.
pontuação.

Caros eleitores, votem com consciência.


A terra redonda. Prezados concursandos, estudem!
sujeito v. lig pred. suj.
Vai, Carlos, viver a vida!

Ele morreu feliz. PERÍODO composto


sujeito v, int. pred. suj.
O período composto é uma estrutura com sen-
b) predicativo do objeto: liga-se a um nome
tido completo, constituída de duas ou mais ora-
(objeto) por meio de verbo, a fim de carac-
ções.
terizá-lo.
Cheguei a casa, mas não me demorei, porque
recebi um chamado urgente.
O ingrato deixou a rica Marília pobre. Ia oração: Cheguei a casa,
sujeito VTD OD PO a
2 oração: mas não me demorei,
a
3 oração: porque recebi um chamado urgente.
OBSERVAÇÃO
O predicativo do objeto pode vir antes ou ATENÇÃO! DIVIDA CORRETAMENTE!
depois do objeto.
Na divisão das orações de um período, é ne-
Ela deixou o rapaz nervoso.
Ela deixou nervoso o rapaz. cessário atentar no seguinte;

• marcar os verbos, as locuções verbais, as for-


Aposto mas nominais do verbo (gerúndio, infinitivo,
O aposto é o termo da oração que se refere a particípio), os conectivos (conjunções, pro-
um nome com função de explicá-lo, esclarecê-lo,
nomes relativos);
identificá-lo. Normalmente, o aposto vem separa-
do por vírgulas. • atentar nos sinais de pontuação;

f • observar o sentido de cada oração;


José, o pipoqueiro, nunca jogou bola.
predicado • pôr os marcos de separação.
sujeito aposto

139
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

Voltando ao escritório, / Mário ficou olhando Assim, são independentes, por terem, cada
para o quadro / que tanto problema lhe causara. uma, sentido próprio.
Podemos dizer que as orações são independen-
a
I oração: Voltando ao escritório, (verbo reduzi- tes, ou seja coordenadas entre si; sendo o período,
do, em lugar de conectivo) portanto, composto por coordenação.

2a oração: Mário ficou olhando para o quadro


As orações de um período composto por coor-
(sem conectivo e com locução verbal)
denação podem ser:
3a oração: que tanto problema lhe causara, (com
Assindéticas - sem conjunção.
conectivo e verbo)
Sindéticas - com conjunção.

Coordenação Vim, vi e venci.


O período pode /(só orações coordenadas)

ser composto por Subordinação As orações "vim" e "vi" estão colocadas lado
\ (principal + subordinada) a lado sem nenhuma conjunção as ligando. São
^Coordenação e Subordinação assindéticas.
(simultaneamente coordenadas A terceira oração "e venci" está ligada a ante-
+ subordinadas + principal) rior pela conjunção e. Nesse caso, ela é chamada
sindética.
PERÍODO composto
POR COORDENAÇÃO
Está frio; você deve agasalhar-se.
As orações que dele fazem parte são indepen-
dentes (cada uma tem sentido próprio com estru- As duas orações do período estão justapostas,
tura sintática completa).
colocadas lado a lado sem conjunção que as ligue.
O automóvel corre, a lembrança morre, o suor São coordenadas assindéticas.
escorre e molha a calçada...
Está frio; você deve agasalhar-se, pois.
Vejamos a distribuição das orações do período
acima:
A primeira oração apresenta-se sem conjun-
Ia oração: o automóvel corre,
ção: coordenada assindétíca.
a
2 oração: a lembrança morre, A segunda oração traz a conjunção pois, em-
bora deslocada: coordenada sindética.
3a oração: o suor escorre

4a oração: e molha a calçada... Diferença entre/rase optativa e


frase imperativa:
O período é formado por 4 orações.
Cada uma delas pode, por si, constituir ou- Sê maldito! (imperativo / sugere ordem)
tro período, chamado período simples, contendo
oração com estrutura sintática completa (sujeito e Maldito sejas! (optativa - subjuntivo / sugere desejo):
predicado). [- Que sejas maldito!]

140
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Ouvi, todavia não compreendi.


flySiiBiESBE——
As orações coordenadas se apresentam com Tomei cuidado, não obstante caí.

verbo no imperativo ou indicativo. Não apre- Fui ao banco, entretanto não fiz o saque.
sentam verbo no subjuntivo, exceto quando
Corri, contudo não alcancei o ônibus.
a coordenação é feita entre as orações opta-
tivas. O jogo estava bom; os torcedores, porém, vaiaram
os jogadores.
Bons ventos o levem
e melhores ventos o tragam. As conjunções e e mas podem aparecer uma
no lugar da outra.
coordenada assindética
coordenada sindética aditiva Acendi o cigarro, e não fumei.
(= mas não o fumei: sindética adversativa)
As coordenadas sindéticas dividem-se, de
Acendi o cigarro mas fumei-o devagar.
acordo com o sentido e com as conjunções que
(- e fumei-o devagar: sindética aditiva)
as ligam, em:

Aditivas Alternativas
Sentido: exprimem em relação à oração Sentido: expressam em relação à oração
anterior uma idéia de adição. (Exprimem anterior uma idéia de alternância ou de es-
soma de pensamentos.) colha. (Exprimem pensamentos que se ex-
cluem ou se alternam.)
Conjunções: e, nem (=não), como também,
mas também, também, bem como, que (entre Conjunções: ou, ou...ou, nem...nem, quer...
verbo repetido), mas ainda... quer, ora...ora, seja... seja...

Pedro entrou e foi dormir.


Ora xinga, ora elogia.

O médico não veio, nem me telefonou. Corra ou não alcançará o trem.

Pedro nem diz sim nem diz não,


Não só é vaidosa, mas também inconveniente.
está sempre em cima do muro.
A água escorre que escorre.
A conjunção nem (aditiva) aparece apenas
uma vez e tem o sentido de e não; a con-
Adversativas junção nem... nem (alternativa) aparece
Sentido; expressam pensamentos que se repetida - uma em cada oração.
opõem, que contrastam com o anterior. Maurício não estuda nem trabalha.
(Exprimem pensamentos opostos.) (= e não trabalha: aditiva)
Maurício nem estuda nem trabalha.
Conjunções: mas, porém, contudo, todavia,
(= repetida: alternativa)
entretanto, senão, não obstante, no entanto...

141
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

Conclusivas por conector. Nota-se, porém, que há, entre elas,


Sentido: expressam pensamento que encer- uma relação de oposição, ainda que não haja co-
ra uma conclusão acerca da oração ante- nector.
rior. (Exprimem uma conclusão.) As orações coordenadas assindéticas podem
ser separadas por vírgula, ponto e vírgula ou
Conjunções: logo, portanto, por conseguinte,
dois-pontos, conforme a situação discursiva e o
pois (após o verbo), por isso, assim, desse
tipo de relação que se deseja estabelecer.
modo, então, dessa forma..

Você é meu amigo; deve, pois, ajudar-me. Brigam muito: querem o divórcio.
(valor conclusivo)
Ganho pouco, logo devo economizar.
Ouviu um barulho, levantou-se, não era nada.
O ingresso está muito caro, por isso não vou (valores conclusivo e adversativo, respectivamente)
assistir ao show.

Explicativas
Sentido: expressam pensamento que explica,
justifica o anterior. (Explicam, esclarecem.) PERÍODO COMPOSTO
POR SUBORDINAÇÃO
Conjunções: pois (antes do verbo), porque,
que, porquanto... As orações que dele fazem parte são depen-
dentes (= interagem sintaticamente entre si).

Não pise a grama, que é proibido. Não sei como perdi o relógio.
Vejamos a distribuição das orações do período
Alegra-te, porque vamos ajudá-lo.
acima:
Não desarrume a casa, pois sua mãe detesta isso.
Ia oração: Não sei
empregada antes do verbo,
introduz oração sindética explicativa
(= porque). 2a oração: como perdi o relógio.

A conjunção pois
O período é formado por duas orações.
empregada após o verbo,
introduz oração sindética conclusiva A primeira oração interfere sintaticamente na
| (= portanto). segunda assim:
O verbo saber da primeira oração é transiti-
As orações coordenadas assindéticas não são vo direto, tendo seu sentido complementado pela
introduzidas por conector, mas guardam entre si segunda oração que exerce, portanto, a função de
uma relação semântica. objeto direto.
Daí, o período ser composto por subordina-
Uns querem a paz; outros querem a guerra.
ção, por possuir oração dependente,
As duas orações que compõem o período são Todo período composto por subordinação
assindéticas, pois nenhuma delas é introduzida possui, basicamente, dois tipos de orações:
142
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

• Principal ORAÇÃO SUBORDINADA


a) Substantiva - com fun-
ção sintática na principal Características da Oração Subordinada
b) Adjetiva - refere-se a a) Apresenta conectivo ou contém verbo em
Subordinada um termo da principal forma reduzida.

c) Adverbial - exprime b) Exerce função sintática na principal.


uma circunstância em Convém aparecer tendo folga.
relação à principal
O período apresenta três orações:
As orações subordinadas podem ser desenvol-
Ia oração: Convém: principal.
vidas ou reduzidas.
verbo conjugado
desenvolvidas 2a oração: aparecer: subordinada, reduzida de
+
infinitivo - apresenta forma verbal no infiniti-
conector
vo e exerce a função de sujeito.
sem conector
reduzidas + 3a oração: tendo folga: subordinada, reduzida
forma nominal de gerúndio - apresenta forma verbal no ge-
rúndio, exerce a função de adjunto adverbial
ORAÇÃO PRINCIPAL de tempo.

As duas subordinadas podem apresentar-se


É a que subordina outra oração.
desenvolvidas (com conectivo).
Características da Oração Principal
Convém que apareça / quando tiver folga.
conjunção
a) Em geral, não As orações subordinadas, conforme a função
apresenta
r conectivo 1 , .. que desempenham, classificam-se em:
I pronome relativo
a) substantivas: Espero que ele seja feliz.
de gerúndio (ndo) b) adjetivas: O rapaz que conheci é bonito.
c) adverbiais: Se houver aula, eu irei.
b) Não contém verbo de particípio
em forma reduzida (do, go, to, so) ORAÇÃO SUBORDINADA SUBSTANTIVA
(exceto se houver
locução verbal) de infinitivo (r) Exerce a função desempenhada por um subs-
tantivo e subdivide-se em;
O verbo da oração principal, em geral, está no • subjetiva - função de sujeito.
indicativo. • objetiva: direta ou indireta - função de com-
plemento verbal.
Desconfio de que você perderá seu lugar. • completiva nominal - complemento verbal.
• predicativa - função de predicativo.
Desconfio: oração principal - sem conjunção, • apositiva - função de aposto.
sem forma verbal reduzida - o verbo está empre- • agente da passiva - função de agente da pas-
gado no presente do indicativo. siva
143
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

As orações subordinadas substantivas objeti- Não se sabe se ela chegou.


vas diretas, objetivas indiretas e predicativas li- Sei que ele chegou.
gam-se ao verbo da principal ou da oração anterior.
Nunca se soube como ele fugiu.
Espero Não sabemos quando ela voltou.
Necessito de que voltes logo.
Não descobri onde ele se escondeu.
Meu desejo é....

As orações subordinadas substantivas com-


FUNÇÃO SINTÁTICA DAS ORAÇÕES
pletivas nominais e apositivas ligam-se ao nome
SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
da principal ou da oração anterior.

Tenho receio de que me denuncies. • Subjetiva - tem função de sujeito.

Não quero isto: que me denuncies. Ê preciso que estudemos.


[ = Nosso estudo é preciso, (sujeito)]
As orações subordinadas substantivas subje-
tivas tanto podem ligar-se ao verbo quanto ao
• Objetiva direta - exerce a função de objeto direto.
nome da principal ou da oração anterior.
"Confesso que me emocionei..."
Convém que regresses logo.
[= Confesso minha emoção... (objeto direto)]
É meu desejo que regresses logo.

Exercem a função desempenhada por um • Objetiva indireta - exerce a função de objeto


substantivo. indireto.

Ele necessita de que o ajudes.


CLASSIFICAÇÃO FUNÇÃO SINTÁTICA
ligam-se ao [= Ele necessita de tua ajuda, (objeto indireto)]
OBJETIVA DIRETA OBJETO DIRETO VERBO
OBJETIVA INDIRETA OBJETO INDIRETO da oração
PREDICATIVA anterior • Predicativa - exerce a função de predicativo.
PREDICATIVO
A verdade é que minha mãe era cândida.
SUBJETIVA SUJEITO
[=A verdade é a candura de minha mãe. (predica-

COMPL. NOMINAL 1 COMPL. NOMINAL ligam-se ao tivo do sujeito)]


NOME
da oração
APOSITIVA APOSTO anterior • Completiva nominal - função de complemento
nominal.

Todos estavam convictos de que seria aprovado.


[= Todos estavam convictos de sua aprovação.
Qualquer oração subordinada substantiva
(complemento nominal)]
pode ser introduzida por conjunção integran-
te (que, se), por pronome indefinido (que, • Apositiva - exerce a função de aposto.
quem, quanto, qual) ou por advérbio inter-
Ela declarou apenas isto: que lutará até o fim.
rogativo (onde, quando, como, por que, para
[= Ela declarou apenas isto: a luta até o fim.
que).
(aposto)]

144
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

CLASSIFICAÇÃO DAS Ficou claro


ORAÇÕES SUBSTANTIVAS Parece evidente que você viria cedo.
Era duvidoso
Subordinada Substantiva Subjetiva
Exerce a função de sujeito da oração anterior. h) Voz Passiva
• Passiva sintética: (verbo na 3a pessoa + se)
É certo que ele regresse logo. Sabe-se, conta-se, dir-se-ia, pede-se, diz-se...
• Passiva analítica: (verbo ser, estar + part.
Ia oração: 2a oração; passado).
contém só o serve como sujeito da
predicado Ia oração (o regresso dele logo)
Sabe-se
principal subjetiva
Ficou provado que José não sabe ler.
Dir-se-ia
Como reconhecer a subordinada substantiva
subjetiva;
c) Verbos unipessoais: usados só na 3a pessoa do
O verbo da oração principal ou da oração anterior
singular, (são intransitivos)
aparece na 3a pessoa do singular e não admite sujeito
• de conveniência: convém, cumpre, impor-
dentro da própria oração em que ele está.
ta...
• de ocorrência: ocorre, acontece, sucede...
Não se sabe quem quebrou as vidraças.
• de efeito moral: apraz, agrada, satisfaz...
• de dúvida: parece, consta, corre...
A oração "Não se sabe" não aceita que se lhe colo-
que como sujeito o pronome ele, pois fica sem senti-
Urge
do. Isso porque o seu sujeito está representado pela
Importa que você estude mais.
oração seguinte: "quem quebrou as vidraças", que é a
Apraz
subordinada substantiva subjetiva.
A oração subordinada substantiva subjetiva é in-
Aconteceu
troduzida pelas seguintes estruturas:
Parece que ele não disse nada.
Consta
a) Predicado nominal
b) Voz passiva . subordinada
substantiva (subjetiva)
c) Verbos unipessoais Substantiva Objetiva Direta
Exerce função de objeto direto da oração an-
terior.
a
a) Predicado nominal (com verbo na 3 pessoa do Marcos afirmou que voltaria dia dezoito.
singular).
Ia oração: 2a oração:
• Verbos ser, estar, ficar, mais adjetivo ou subs- contém sujeito serve como objeto direto da
tantivo: é bom, é fato, é verdade, ficou claro, e verbo TD Ia oração (sua volta dia dezoito)
parece óbvio... principal objetiva direta

145
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

DIFERENÇA ENTRE A SUBJETIVA E A OBJETIVA DIRETA

Subordinada Substantiva Subjetiva: a oração Quero que você colabore.


a
anterior aparece na 3 pessoa do singular e não (= Eu quero a sua colaboração)
aceita sujeito. (sujeito) (objeto direto de querer)

Pede-se que você colabore. Nós verificamos quantos alunos faltaram.


(sujeito) (objeto direto de verificar)
A oração Pede-se tem o verbo na 3a pessoa do
Ele não sabe se há dinheiro em caixa.
singular e não aceita como sujeito o pronome ele,
(sujeito) (objeto direto de saber)
porque fica sem sentido. (Ele pede-se que você
colabore). [?]
(*) Peço-lhe que não falte ao nosso encontro.
Daí, a oração seguinte que você colabore exer- sujeito: eu
cer a função de sujeito, com o nome de substan-
(*) Avisaram-nos que haverá prova amanhã.
tiva subjetiva. sujeito indeterminado

(*) Diga-me quem provocou o quebra-quebra.


Subordinada Substantiva Objetiva Direta: a
sujeito: você objeto indireto: me
oração anterior aparece com verbo em qualquer objeto direto: quem provocou o quebra-quebra
pessoa e aceita sujeito dentro da própria oração. (*) VERBO TDI

A oração subordinada substantiva objetiva di- A oração subordinada substantiva objetiva indi-
reta serve de complemento (OD) do verbo transi- reta funciona como objeto indireto do verbo tran-
tivo direto e do verbo transitivo direto e indireto sitivo indireto ou transitivo direto e indireto da
da oração anterior. oração anterior.

Espero que traga o livro amanhã. Preciso de que me elogiem.


TD OD Gosto de que me elogiem.
Peço-lhe que traga o livro amanhã. Anseio por que passem.
TDI OI OD
Lembrei-me de que já o vira.
Subordinada Substantiva Objetiva Indireta Avisei-os de que não haverá reunião.
Funciona como objeto indireto da oração ante-
rior.
Nem sempre vem preposicionada. Subordinada Substantiva Completiva Nominal
Exerce a função de complemento nominal da
Necessito de que consertes meu televisor. anterior.
Aparece sempre com preposição.
Ia oração; 2a oração;
contém sujeito serve como objeto indireto da
e verbo TI ia oração (do conserto do meu televisor) Tinha medo de que me punissem.
principal objetiva indireta
A oração substantiva completiva nominal com-
A preposição pode vir subentendida. pleta o sentido de um nome (substantivo abstrato,
146
FLÁVIA RITA COUT1NHO SARMENTO

adjetivo, advérbio) contido na oração anterior. Seu desespero era que o gato morria.

Recebi notícias de que ela voltará breve. Sua alegria seria que o irmão sarasse logo.

Fiquei com receio de que chovesse.

Você era digno de que o demitissem. Subordinada Substantiva Apositiva


Exerce função de aposto da oração anterior.
Estou certo de que choverá.
A substantiva apositiva aparece, normalmente,
Estavam ansiosos por que chegasse.
depois de nome com dois pontos (ou vírgula).

Contou-me algo horrível: que Ana se casaria.


Ia oração: 2a oração;
o objeto direto está desenvolve o sentido do
Não confundir completiva nominal
com o sentido truncado objeto direto da Ia oração
com objetiva indireta. Oração principal Apositiva

• Completiva nominal; completa nome


Ela pediu-me isto: que o avisasse de tudo.
(adjetivo, substantivo abstrato, advérbio).
Aparece neste esquema; Peço-te um favor: que não me denuncies.
nome + preposição + completiva nominal.
A necessidade da empresa é uma só:
Estou certo de que as coisas irão melhorar. que trabalhem duro.
Não há certeza sobre quem recairá a culpa.
Estou desejoso de que você consiga o cargo
Verbo na 3a pessoa do singular + se
de gerente.
em orações substantivas.

• Objetiva indireta: completa verbo transi-


D
tivo indireto. Apresenta-se neste esquema:
oração anterior contém oração seguinte é
verbo + preposição + objetiva indireta. substantiva
se (pron.) e verbo
Necessitamos de quem seja digitador. sem preposição subjetiva

Nada obsta a que você saia agora.


anteposto ao verbo
se ou
posposto e ligado ao verbo pelo hífen
Subordinada Substantiva Predicativa
Exerce a função de predicativo da oração ante-
rior. É introduzida pelo verbo ser, ou outro verbo
substantiva subjetiva
de ligação.

A verdade é que não descontamos o cheque. Não mais se fala que você era o culpado.
Ia oração: 2a oração;
contém sujeito serve de predicativo (= o não Falava-se que ele era o culpado.
e verbo ser desconto do cheque) da Ia oração
Oração principal Predicativa Não se espera que o comércio venda bem.

O melhor será que estudem mais. Pede-se que se faça silêncio.

147
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

• A oração principal traz verbos transitivos diretos


na voz passiva sintética. 3)

• Não aceita sujeito, pois a oração seguinte é o seu oração anterior con oração seguinte é
tém se (pron.) e verbo substantiva objetiva
sujeito.
com preposição indireta
• A partícula SE ligada ao verbo é pronome apas-
sivador; anteposto
se ou
• A oração seguinte é substantiva subjetiva.
posposto

Não se sabe se ele chegou.


subjetiva
substantiva objetiva indireta
Sabe-se que ele chegou.
subjetiva
Não se lembra de que ele era o culpado?

Precisa-se de quem tenha experiência.

Esqueça-se de quem lhe disse isso.

oração anterior contém oração seguinte é


se (conj.) e verbo sem • A oração principal traz verbo transitivo indireto
substantiva objetiva
preposição direta na voz ativa.

• O pronome se é índice de indeterminação do


se posposto ao verbo sem estar a
sujeito ou parte integrante do verdo.
ele ligado por hífen
• A oração seguinte é substantiva objetiva indireta.

substantiva objetiva direta


Verbo na 3o pessoa do singular
Falava se você era o culpado. + outro pronome (que não o SE)
em orações substantivas.
Ninguém mais fala se ela fugiu.

Você sabe se ele chegou?


D
Desconheço se há alguém a par do acontecido. oração anterior con- oração seguinte é
tém pronome e verbo substantiva objetiva
• A oração anterior de cada período traz verbo sem preposição direta
transitivo direto.
anteposto me pediu
• Cada oração anterior tem o seu sujeito:
pronome ou
[ele] falava [Ninguém] mais fala
posposto pediu-me
[você] sabe [eu] desconheço;

• A partícula se é conjunção integrante e introduz


oração objetiva direta. substantiva objetiva direta
1
148
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Avisou-me que ela estava viajando. • Os pronomes ligados ao verbo exercem a função
TDI OI OD de objeto direto.

Ninguém me avisou que haveria greve. • A oração depois da preposição é subordinada


01 TDI OD substantiva objetiva indireta.

Peço-te que venha mais cedo.


TDI 01 OD ESQUEMA
Já vos falei que não daria certo.
01 TDI OD Para melhor compreensão deste esquema, seguir
a direção indicada pelas setas.
• Verbo da oração principal é transitivo direto e
indireto. Oração Subordinada Substantiva
• cada oração principal tem o seu sujeito: Oração Principal ou anterior => introduz => Oração Subordinada tem:
[ele] avisou-me [Ninguém] me avisou Ji D
ser ou de ligação »-subst. predicativa
[eu] peço-te [eu] já vos falei
com preposição *■ subst. obj. indireta
• O pronome átono serve de objeto indireto. sem preposição, com sujeito —*■ subst. obj. direta
verbo
• A oração seguinte é substantiva objetiva direta. ou e não apresenta sujeito subst. subjetiva
nome

com dois pontos ou vírgula >■ subst. apositiva


com preposição substxompletivanominal
oração anterior con- oração seguinte é
tém pronome e verbo substantiva objetiva
Nosso desejo é que pensem.
com preposição indireta
f| predicativa
verbo ser
anteposto
pronome ou Desejamos que pensem.
objetiva direta
posposto verbo transitivo direto
SM
Necessitamos de que pensem.
substantiva objetiva indireta f[ objetiva indireta
verbo transitivo (indireto com preposição)
Ninguém me convence de que ele é inocente.
OD TDI 01 É necessário que pensem.
f| subjetiva
Comuniquei-o de que não daria certo.
não apresenta sujeito na oração principal
TDI OD 01

Não o aconselho a que trabalhe muito. Desejamos apenas isto: que pensem.
0D TDI 01 apositiva
Informou-me de que ela estava viajando. nome + dois pontos
TDI OD 01
Temos necessidade de que pensem.
A oração principal traz verbo transitivo direto e fj * completiva nominal
indireto na voz ativa. nome + preposição

149
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

ORAÇÀO SUBORDINADA ADJETIVA


OBSERVAÇÃO

Exerce a função de adjetivo ou locução adjeti- A subordinada adjetiva restritiva possui


va, referindo-se a substantivo ou pronome da ora- valor de adjetivo, exercendo a função sintática de
ção principal ou anterior. adjunto adnominal.
É introduzida pelos pronomes relativos: que,
Pedro é um jovem que estuda muito.
quem, quanto, onde, o qual, cujo. = adjetivo estudioso
função: adjunto adnominal do subst. jovem.

É teu tudo quanto existe aqui.


Os pronomes que, quanto, quem, = adjetivo existente [aqui.]
onde, quanto e como só serão relativos se
função: adjunto adnominal do pron. tudo
retomarem um termo antecedente.
SUBORDINADA ADJETIVA EXPLICATIVA
Por ter valor secundário, dispensável do perío-
Recebi a encomenda que me enviaste.
(que = a encomenda) do, liga-se ao termo antecedente com uma pausa,
marcada na escrita necessariamente por vírgula.
Não conheço a rua onde você mora.
(onde = a rua) Os homens, que são mortais, dominam tudo.
(todos os homens)
Conforme seu valor, classifica-se em: Pedro, que é muito rico, ainda ficará mais rico.
• Restritiva: sem pontuação. (especificamente Pedro)
• Explicativa: com pontuação.

OBSERVAÇÃO
SUBORDINADA ADJETIVA RESTRITIVA A oração subordinada adjetiva explicativa
É indispensável à compreensão do termo ante- eqüivale a um aposto.
cedente, ao qual se liga sem pausa; não havendo,
portanto, necessidade de vírgula na escrita.
A primavera, que é a estação das flores, chegou.
A causa por que lutamos é o nosso ideal.
(= pela qual) A primavera, estação das flores, chegou.
= aposto
O livro que comprei é excelente.
(= o qual)
ESQUEMA DE ORAÇÃO
O homem a quem me refiro viajou cedo. SUBORDINADA ADJETIVA
(= ao qual)
CLASSIFICAÇÃO FUNÇÃO SINTÁTICA
Feliz é a nação cujo governante é honesto, adjetiva adjunto
(cujo não apresenta sinônimo perfeito) restritiva adnominal referem-se
a um nome
sem pontuação ou pronome
adjetiva aposto da oração
anterior
explicativa (= antecedente)
com pontuação

150
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

DIFERENÇA ENTRE AS ORAÇÕES O medo a que fiz referência era infundado.


ADJETIVAS RESTRITIVA E EXPLICATIVA = referido

= ao qual
• A adjetiva restritiva individualiza um nome ou complemento nominal
pronome anteriormente expresso; ela indica uma
parte do todo. Acrescenta uma nova idéia. • O verbo da completiva nominal pode ser tro-
cado por um substantivo.
O homem que é justo perdoa.

A oração "que é justo" restringe o sentido da • A completiva nominal pode ser trocada por um
palavra "homem": não é todo homem que per- pronome substantivo.
doa, mas somente aquele que é justo. • O conectivo que introduz a completiva nominal
é uma conjunção que não faz referência a termo
• A adjetiva explicativa repete uma idéia, mere- anterior. Também não exerce função sintática; é
cedora de realce e que pertence à palavra ante- mero elemento de ligação.
rior. Indica uma qualidade inerente ao ser.
Tenho medo de que me julguem idiota.
Deus, que é justo, perdoa.
= julgamento (verbo julgar
A oração "que é justo" não acrescenta nada de trocado por substantivo)
novo à palavra Deus; pois Deus por sua própria = disso (toda a oração trocada
natureza tem de ser justo. pelo pronome isso)
O fato de a adjetiva explicativa repetir algo Tenho certeza de que a situação do país melhorará.
que já está implícito na palavra anterior a torna = melhora
(da situação do país)
dispensável do período, razão por que aparece
= disso (toda a oração trocada
com vírgula.
pelo pronome isso)

Diferença entre uma oração substantiva com-


pletiva nominal e uma oração adjetiva restritiva,
(ambas com preposição e sem pontuação) FUNÇÃO SINTÁTICA DOS
PRONOMES RELATIVOS
• A oração adjetiva restritiva pode ser trocada
por um adjetivo. Os pronomes relativos exercem dupla função:
a de conectivo, pois ligam duas orações, e a de
• O conectivo que introduz a adjetiva restritiva é termo da oração que introduzem, porque repre-
um pronome relativo. sentam o nome anterior.
Os pronomes relativos podem ser substituídos,
Não gostei da revista de que você tanto fala. na oração em que estão, pelo nome que os prece-
= falada de.

= da qual Veja:
objeto indireto |—I Adorei as caixas 11 que me enviaram.
oraçãoprincipal subordinada adjetiva restritiva

151 1
PORTUGUÊS DESCOMRUÇADO

A oração adjetiva restritiva possui o verbo en- ORAÇÃO SUBORDINADA ADVERBIAL


viar (na forma enviaram). Este verbo pede dois
complementos - quem envia, envia alguma coisa
Exerce a função de um advérbio.
a alguém. Dentro da oração, o pronome me serve
Conforme a circunstância expressa, subdivi-
de OI (a mim); falta o OD. Assim, o pronome que
exerce esta função. de-se em:
O pronome relativo que substitui, na frase em • Causai: idéia de causa.
que está, o antecedente as caixas. Desse modo, a
• Comparativa: idéia de comparação.
oração adjetiva fica assim, após a troca: ...envia-
ram-me as caixas, (o termo em negrito funciona • Consecutiva: idéia de conseqüência.
como objeto direto). • Concessiva: idéia de concessão.

• Condicional: idéia de condição.


Função sintática Exemplos
• Conformativa: idéia de conformidade.
0 homem que é justo tem a cons-
sujeito ciência tranqüila. • Final: idéia de finalidade.
antecedente = o homem é justo
• Proporcional: idéia de proporção.
adjunto adverbial Esta é a cidade onde me criei.
de lugar = me criei na cidade • Temporal; idéia de tempo.

A mulher a cujos filhos fiz referên-


adjunto A oração subordinada adverbial é introduzida
adnominal cia é especial.
= fiz referência aos filhos da mulher por conjunção subordinativa.
A revista a que fiz alusão ainda
complemento
não chegou. • Causai
nominal
= fiz alusão à revista Sentido; expressa uma circunstância de causa,
A carne que comprei estava razão do que aconteceu anteriormente.
objeto direto estragada.
= comprei a carne
Pedro foi reprovado porque não estudava.
Encontrei o rapaz por quem me
objeto indireto u
apaixonei.
causa da reprovação de Pedro,
= apaixonei-me pelo rapaz
Você não é mais o amigo que Conjunções: porque, porquanto, por isso
predicativo sempre foi. que, pois que, pois, visto que, visto como, uma
= sempre foi o amigo
vez que, já que, como (antes da oração princi-
pal) etc.

• cujo e variações em geral funcionam como Como chovia muito, fiquei em casa.

adjuntos adnominais. Foi reprovado, porquanto não estudou.


• onde >■ só funciona como adjunto
O leão atacou o domador,
adverbial de lugar.
• conto ► só funciona como adjunto visto que estava com fome.

adverbial de modo. Uma vez que fui ofendido, revidei energicamente.

152
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO |

DIFERENÇA ENTRE ADVERBIAL CAUSAL Embora em ambos os exemplos a oração por-


E COORDENADA EXPLICATIVA que é natal exprime causa, a classificação das
orações não é a mesma.
É muito difícil e sutil diferenciar uma adverbial
causai de uma coordenada explicativa. • No primeiro exemplo, tem-se uma oração ad-

Alguns artifícios são empregados para tentar verbial causai porque ela antecede, é a primeira

visualizar uma e outra. Normalmente, a adverbial oração (observe que o verbo da oração principal

causai não aceita os artifícios da coordenada ex- está no indicativo).

plicativa e vice-versa.
• No segundo exemplo, embora se tenha o mes-
mo sentido do primeiro, a primeira oração traz
• Toda oração será coordenada explicativa se o
o verbo no modo imperativo. Quando a oração
verbo da oração anterior estiver exprimindo or-
anterior tem seu verbo no imperativo, a oração
dem ou pedido {- imperativo ou outro tempo
seguinte é coordenada sindética explicativa,
verbal que substitua ou que seja equivalente ao
pois ela apenas explica, esclarece a ordem dada
imperativo).
anteriormente.
Não fume, que é proibido.
Não fumei porque é proibido.
Estude muito; porque é preciso. (subordinada adverbial causai)
Levarei este casaco, pois gostei dele.
Não fume, porque é proibido.
Não matarás, que é pecado. (= Não mates) (coordenada sindética explicativa)

• A adverbial causai, por ser o motivo/a causa, Nãofumarás, porque é proibido.


(coordenada sindética explicativa)
pode vir em primeiro lugar no período.
• No primeiro exemplo, o fato anterior, o fato ge-
Ela gritou porque lhe pisaram o calo, rador é a proibição. Assim, a oração porque é
ou proibido ser adverbial causai,
Porque lhe pisaram o calo, ela gritou.
• No segundo exemplo, pelo fato de a primeira
oração possuir um verbo no modo imperativo, a
Não fui ao show uma vez que chovia, segunda oração está apenas explicando, esclare-
ou cendo a ordem dada anteriormente. Então, ela é
Uma vez que chovia, não fui ao show. coordenada sindética explicativa.

• No terceiro exemplo, a primeira oração possui


• "Porque é Natal, oramos." (adverbial causai) um verbo no modo indicativo equivalente ao im-
"Oremos, porque é Natal." (coordenada explicativa) perativo (= Não fume); assim a segunda oração
está apenas explicando, esclarecendo a ordem
Qual é o fato gerador? O Natal ou orar? dada anteriormente. Então, ela é coordenada
O Natal é o fato gerador. Ora-se por causa do Natal. sindética explicativa.

153
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

> Comparativa E/a não pode ver palhaço, sem que chore.
Sentido: expressa uma comparação; exprime o
Choveu, choveu, que inundou o lugarejo.
outro termo de uma comparação antes.

Sempre que houver adverbial consecutiva, po-


Mário é tão esperto quanto o pai.
de-se intercalar após a conjunção que a expressão
li li
primeiro termo outro termo da comparação em conseqüência.

Conjunções: quanto, como, que, do que, bem O susto foi tamanho que ele desmaiou.
como, assim como, tal como, qual, que nem... li
= que, em conseqüência, ele desmaiou

Aquela jovem é tão bela quanto você.


Gritei tanto, tanto que resolveram ajudar me.
A baleia é maior do que o elefante.
li
Juliana é tão esperta como a mãe. = que, em conseqüência, resolveram ajudar me

Você é menos lento que nós.

Normalmente, a adverbial comparativa não


possui verbo expresso por ser o mesmo da ante-
rior. Assim, evita-se repetição desnecessária de DIFERENÇA ENTRE A
termos. COMPARATIVA E A CONSECUTIVA

Adalberto é tão genioso quanto o pai, (é) Adverbial consecutiva - Comeu tanto que
nem pode andar.
' (do) que Ana.
(sem verbo)
Ângela é menos inteligente Verbo expresso é diferente do da anterior;
(do) que Ana é.
expressa a conseqüência do fato anterior
(verbo repetido)
(ter comido tanto).
Consecutiva
Sentido: exprime uma conseqüência do pensa- Comeu tanto que, em conseqüência.
mento expresso na oração anterior. nem pôde andar.

A moça chorou tanto, que ficou doente. Adverbial comparativa - Comeu tanto que
nem o pai.
conseqüência de a moça ter chorado.
Verbo não expresso, mas o mesmo da ante-
rior (que nem o pai comeu); expressa a com-
Conjunções: que, sem que (= que não), de paração iniciada na oração anterior .
modo que, de sorte que, de forma que, de ma-
neira que (precedidas normalmente de tão, Comeu tanto que nem o pai, (comeu)
tanto, tamanho, tal)...

154
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

DIFERENÇA ENTRE Conjunções: embora, ainda que, nem que,


ADVERBIAL CONSECUTIVA E mesmo que, não obstante que, se bem que, pos-
ADJETIVA RESTRITIVA to que, conquanto, por pouco que, apesar de
que, por mais que, por menos que, por maior
Adjetiva restritiva que, suposto que, por pior que, por melhor
• restringe o sentido do termo anterior; que, que, sem que (= embora não) malgrado,
• é introduzida por pronome relativo; em que pese...
• eqüivale a um adjetivo;
• exerce a função sintática de adjunto adno- Posto que fosse feia, exalava simpatia.
minal. Gosto de maçãs, ainda que verdes.

Os cães faziam um barulho que era um desespero!


(= o qual era um desespero) • Condicional
(= barulho desesperado) Sentido: exprime uma condição de que de-
pende a realização, ou não, do que se declara
A oração "que era um desespero" está res-
tringindo o substantivo barulho, sendo, Se não chover à tarde, iremos ao clube.
pois, uma subordinada adjetiva restritiva. u
condição imposta
Adverbial consecutiva
• exprime conseqüência; Conjunções: se, salvo se, exceto se, a menos
• é introduzida por conjunção subordinativa; que, sem que, a não ser que, desde que, contan-
• eqüivale a um advérbio. to que, sem que...

Os cães faziam tanto barulho Paulo será aprovado, contanto que estude.
que era um desespero!
{=que, em conseqüência, era um desespero.) Irei a São Paulo, desde que o tempo melhore.

A oração "que era um desespero" está ex- Caso o tempo melhore, continuaremos a viagem.
primindo conseqüência pelo fato de os cães
fazerem tanto barulho é, pois, subordinada
adverbial consecutiva. • Conformativa
Sentido: exprime um fato em conformidade com ou-
• Concessiva tro.
Sentido: exprime uma concessão (= não ha-
Tudo se realizou conforme eu tinha previsto.
verá obstáculo ou impedimento para o que se
declara), noção de exceção. em conformidade = de acordo

Foi trabalhar, embora estivesse doente.


Conjunções: conforme, como, de modo que,
u
segundo, consoante, de forma que...
concessão aberta

155
PORTUGUÊS DESCOMPÜCADO

Ele fez o serviço, como foi combinado.


1 Conjunções: à medida que, à proporção

A tarefa, consoante as revras estabelecidas. que, ao passo que, (tanto mais)... quanto mais...

foi realizada ontem.


Todos entravam, à proporção que eram chamados.
Secundo consta em nossos arquivos.
Vossa Senhoria encontra-se inadimplente. Quanto mais se tem, mais se deseja.

Canso-me ao passo que subo a ladeira.


• Final
Quanto mais falava, menos explicava.
Sentido: exprime a finalidade do que foi decla-
rado. À medida que estudo, aprendo.
Faço votos para que sejam aprovados.
u
finalidade do que foi declarado antes • Temporal
Sentido: traduz o tempo da realização daquilo
Conjunções; para que, a fim de que, porque, que é expresso em outra oração.
que (com verbo no subjuntivo)...
Quando saímos da estrada, perdemo-nos.

tempo da realização
Parei-o, a fim de que me desse o cartão.

Conjunções: quando, enquanto, apenas,


Todos lhe faziam gestos para que voltasse lopo.
mal, logo que, antes que, depois que, sempre
que, até que, desde que, assim que...
A adverbial final pode ser introduzida pelas
conjunções porque e que, se o verbo estiver no
subjuntivo. Mal o sol se escondeu, começaram a seresta.

Passo pela MG 5, sempre que posso.


"Orai porque não entreis em tentação."
= para que verbo no subjuntivo
Apenas iniciaram os distúrbios,
foi encerrada a reunião.
Senhor, dê licença que eu saia?
= para que verbo no subjuntivo
A adverbial temporal pode ser introduzida pela
conjunção que, antecedida de expressões do
• Proporcional tipo agora, a primeira vez, a única vez, a últi-
Sentido: exprime proporcionalidade (= um ma vez e outras idênticas.
fato que ocorre, aumenta ou diminui, simulta-
"A primeira vez que vi Teresa, achei que
neamente àquilo que se declara).
ela tinha as pernas estúpidas..."
À medida que andávamos, ele contava o caso. A segunda vez que errares. dar-te-ei um tapa.
\ 7"
fato simultâneo a outro Agora que você está mais calmo, vamos conversar.

156
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

ORAÇÃO REDUZIDA Reduzidas de Gerúndio


• Orações adverbiais causais, concessivas, condi-
É a oração que possui um verbo em uma de cionais e temporais.
suas formas nominais: gerúndio, particípio ou • Orações adjetivas restritivas.
infinitivo. • Orações coordenadas entre si.

Mara caiu da cama, machucanão-se.


Formas
Terminações Exemplos coordenada assindética (= e machucou-se toda)
nominais

Não estudando, fui Estudando, passarão.


Gerúndio ndo subord. adv. condicional (= se estudarem)
reprovado.

ado, ido, Temendo confusão, saí logo.


Suprimida a pena,
Particípio do, go, subord. adv. causai (= porque temia confusão)
voltaram ao serviço.
to, so
Acabando a sessão, fomos ao clube.
ar
subord. adv. temporal (= quando acabou a sessão)
er Seria certo ver o
Infinitivo r
or trem?
Chegando ao mercado, vi comerciantes
ir
mudando o preço dos legumes.
Chegando ao mercado, subord, adv. temporal
(= quando cheguei ao mercado)
vi comerciantes => principal
CARACTERÍSTICAS DA
mudando o preço dos legumes. => subord. adjetiva restritiva
ORAÇÃO REDUZIDA (= que mudavam o preço dos legumes)

LOCUÇÃO VERBAL X VERBO


Não é introduzida por conjunção ou pronome EM SUA FORMA NOMINAL
relativo. Verbo na sua forma nominal introduz ora-
Pode, em geral, ser desdobrada em uma oração ção subordinada reduzida de gerúndio, de par-
com conjunção e verbo em forma íinita (indicati- ticípio, de infinitivo.
vo, subjuntivo ou imperativo). Chovendo, não iremos ao clube.

O verbo acima está apenas no gerúndio, in-


Estudando sem método, seremos reprovados. troduzindo uma oração subordinada adverbial
sem conjunção e com verbo reduzido condicional, reduzida de gerúndio. (= se cho-
ver, não iremos ao clube).
Desdobrando-a: Está chovendo; não iremos ao cinema.

Verbos formando uma locução verbal e fa-


Se estudarmos sem método, seremos reprovados.
zendo parte de uma oração coordenada assin-
com conjunção e verbo finito dética. (Não se trata, pois, de oração reduzida
de gerúndio).
Daí a reduzida receber a mesma classificação Está: auxiliar, chovendo: principal. Os dois
da desenvolvida: adverbial condicional. eqüivalem a um só verbo: chover (chove).

157
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Reduzidas de Particípio Vimos Pedro sair rápido.


subord. adjetiva restritiva (= que saía rápido)
• Orações adverbiais causais, concessivas, condi- Quero pedir lhe algo: não discutir à toa.
cionais, temporais. subord. substantiva apositiva (= que não discuta à toa)

• Orações adjetivas restritivas ou explicativas.


VERBO REDUZIDO DE INFINITIVO
COM O FUTURO DO SUBJUNTIVO
Aprovada a ata, começamos os trabalhos.
subord. adverbial temporal (= Quando a ata foi aprovada) • Com verbo reduzido de infinitivo, não há
conjunção.
Perdida a pávina no vídeo, conseguiu
A continuar a chuva, não sairemos.
retirá la da memória.
(= se continuar a chuva)
subord. adverbial concessiva (= Embora tivesse perdido) subord, adverbial condicional, reduzida de infinitivo

Prevista discussão, não iniciei a sessão.


• Com o futuro do subjuntivo, há conjunção
subord, adverbial causai (= Porque previ discussão)
subordinativa ou pronome relativo, (que, se,

A decisão, tomada pelo juiz, agradou. quando, enquanto...)


subord. adjetiva explicativa (= que foi tomada)
Se continuar a chuva, não sairemos.
futuro do subjuntivo
subord, adverbial condicional (desenvolvida)
• As orações adverbiais proporcionais e com-
parativas são sempre desenvolvidas.
• As adverbiais consecutivas e finais não apare- A CONJUNÇÃO "E" NO PERÍODO
COMPOSTO POR COORDENAÇÃO E
cem reduzidas de gerúndio.
SUBORDINAÇÃO
• Não há oração substantiva reduzida de ge-
rúndio e de particípio. • Imediatamente após a principal, introduz
coordenada sindética aditiva.
Reduzidas de Infinitivo Pedro ligou-me e
• Orações substantivas. ia
• Orações adverbiais causais, concessivas, condi- pediu-me encarecidamente
cionais, finais e temporais. 2a
• Orações adjetivas restritivas. que o ajudasse.
3a
Não pedi para trazerem os livros. Ia oração: principal.
subord. substantiva objetiva direta (= que trouxessem os livros) 2a oração: coordenada sindética aditiva e
principal de segundo grau em relação à 3a
Urge sairmos agora. oração (pois traz o verbo pedir que é transi-
subord. substantiva subjetiva (= que saiamos agora)
tivo direto e indireto e tem um de seus com-
plementos em forma de oração).
Ela saiu sem me agradecer. a
3 oração: subordinada substantiva objetiva di-
subord. adverbial concessiva (= sem que me agradecesse)
reta (serve de objeto direto do verbo pedir).
I 158
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

ORAÇÕES INTERCALADAS
• Após oração subordinada, introduz oração
com o mesmo nome da anterior (trata-se
• São orações independentes que
de duas orações subordinadas coordenadas
entre si). ' fazem parte do período.
Mariana disse
ia não ,
que compraria o colar exercem função sintática (não se
2a ligam sintaticamente a nenhuma outra).
e o daria a você.
3a • Intercalam-se no período, interrompendo-o por
a
I oração: principal. um instante para, como num aparte, introduzir
2a oração: subordinada substantiva objetiva di- uma citação, advertência, desejo, ressalva, opi-
reta.
nião, enfim uma observação qualquer.
3a oração: subordinada substantiva objetiva
direta, coordenada à anterior e subordinada
• Nada tem a ver com o período em que se inter-
à primeira oração.
calam.
que compraria o colar,
Mariana disse • Também podem ser chamadas de orações in-
que o daria a você. terferentes.
As moças, creio eu, não gostam de
ALGUMAS CORRELAÇÕES mim, que sou feio.
DE ORAÇÀO REDUZIDA
O período é formado de duas orações:
a
• I oração: As moças não gostam de mim (prin-
• O verbo no infinitivo antecedido de preposição
cipal)
inicia orações com os seguintes valores semânti-
• 2a oração: que sou feio (subord. advérbio! casual)
cos: causa, tempo, finalidade e condição.
• "creio eu" não faz parte do período, é, portanto,
• Com a preposição por, a indicação será de causa: oração intercalada.
Por estar acamado, não irei à reunião Por que não fumas?
• Com para, de finalidade: - perguntou o comerciante."

Elas vieram para conversar. Porque a saúde é minha mãe.


- respondeu o filósofo."
• Com ao, de tempo:
"Ela já viu isto?
Ao chegar ao colégio, encontrei meu amigo.
-perguntei àporteira"
• Com a, de condição:
As orações em negrito exemplificam casos de
A continuar assim, você não conseguirá seu intento. oração interferente.
• Com apesar de, de concessão: vírgulas
Apesar de ser jovem, era muito séria. As intercaladas podem
aparecer entre travessões ou

parênteses

159
| PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

As orações colocadas no início do período po- Perguntou o comerciante: "Porque não fumas?"
dem introduzir uma fala, uma citação ou uma fala
explicação, como nos exemplos a seguir: 0 petróleo, dizem os jornais, vem subindo de preço.
oração intercalada
- Por que não fumas? - perguntou o comerciante.
oração intercalada Dizem os jornais: "0 petróleo vem subindo de preço."
citação

EXERCÍCIOS

1 "Quando o enterro passou, b) Correndo assustado, o menino foi chamar o guar-


Os homens que se achavam no café da.
Tiraram o chapéu maquinalmente." c) Os garotos vestindo camisetas velhas reclamavam
(Manuel Bandeira) apenas uma penca de bananas meio amassadas.
A oração que se achavam no café é d) Faça das entranhas coração para obter, um dia, a
a) subordinada adverbial condicional. rara felicidade dos humanos.
b) coordenada sindética adversativa. e) Moleques de carrinho dirigiam-se a várias dire-
c) subordinada substantiva subjetiva. ções, atropelando uns aos outros.
d) subordinada substantiva objetiva direta.
e) subordinada adjetiva restritiva. 4 Assinale a opção em que a substituição da expressão
destacada modifica o sentido básico da frase.
2 Assinale o item em que há uma oração, quanto à a) A maioria elabora comentários sobre fatos que
classificação, idêntica à segunda do período Pernoi- não existiram.
tamos depois junto a um açude lamacento, onde patos A maioria elabora comentários sobre fatos irreais.
nadavam. b) Eles são alguns dos que transitam pela avenida
a) "As virilhas suadas ardiam-me, o chouto do ani- Paulista.
mal sacolejava-me..." Eles são alguns dos transeuntes da avenida Pau-
b) "De onde vinham as figuras desconhecidas para lista.
encontrar-nos?" c) Os mais eloqüentes nas bobagens que falam são
c) "Fiz o resto da viagem com um moço alegre, que os meninos.
tentou explicar-me as chaminés dos bangüês..." Os mais eloqüentes nas bobagens proferidas são
d) "Os ais graúdos percebiam que a viagem era os meninos.
alegre." d) Parece existir o sentimento generalizado de que
e) "Surgiam, regatos, cresceram tanto que se trans- tudo é possível neste País.
formaram em rios..." Parece existir o sentimento generalizado de toda
a viabilidade deste País.
3 Assinale o período que contenha uma oração reduzi- e) Trans-Piração é o programa a que aludiu o re-
da com valor de adjetivo. pórter.
a) O ônibus parou na rua transversal para assustar Trans-Piração é o programa mencionado pelo re-
os passageiros. pórter.
160
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

5 Em todas as opções, as duas orações estão correta- Agrediram-nos, pois eram desonestos.
mente relacionadas no período, EXCETO em d) Assistiremos aos melhores espetáculos, porque
a) Falou-me de João Cabral. Eu já conhecia alguns temos ótimo gosto.
poemas dele. Assistiremo-lhes, porque temos ótimo gosto.
= Falou-me de João Cabral, que poemas eu já co- e) Mostrou grande interesse em namorar a prima.
nhecia. Mostrou grande interesse em namorá-la.
b) Você não estava passando bem. Não devia ter sa-
ído de casa. 8 A frase CORRETA em relação à regência é:
= Se você não estava passando bem, não devia ter a) Contento-me com pouco; aspiro pouca coisa nes-
saído de casa. te mundo.
c) O choque entre os dois ônibus foi muito violento. b) Quem relatou o fato, assistiu-o.
Vários passageiros sofreram fraturas sérias. c) Nunca esqueci das coisas que me disseste.
= O choque entre os dois ônibus foi tão violento d) Estimo a meus pais; obedeço-os em tudo,
que vários passageiros sofreram fraturas sérias. e) O rádio avisou ao povo os acontecimentos.
d) É melhor dar o assunto por encerrado. Nada mais
temos a tratar. 9 Segundo a norma culta, há ERRO de regência em
= É melhor dar o assunto por encerrado, já que a) Há livros especializados que descrevem como a
nada mais temos a tratar. teoria se aplica à prática.
e) Moram na mesma rua. Raramente se encontram. b) Em algumas tarefas, chega-se a solução quando
= Embora morem na mesma rua, raramente se um ponto crucial é resolvido.
encontram. c) Prefiro isso àquilo.
d) O médico não havia assistido o doente.
6 Considere as seguintes frases:
I - João informou-o de que chegaram os livros. 10 Assinale a alternativa em que o uso do verbo custar
II -João informou-lhe que chegaram os livros. NÃO está de acordo com a norma culta.
III - João informou-o que chegaram os livros. a) Custou-me entender o fato.
IV - João informou-lhe de que chegaram os livros. b) Custou ao aluno entender o fato.
c) Custa-me resolver este problema.
Podemos dizer, a respeito da regência do verbo infor-
d) O trabalho custou muito esforço ao aluno.
mar, que as frases
e) O aluno custou para entender o exercício.
a) II e IV estão corretas.
b) I e II estão corretas.
c) I, II e III estão corretas.
d) I e III estão corretas.

7 Em todas as opções, a expressão sublinhada foi cor-


retamente substituída, EXCETO em

a) Ensinava redação técnica aos alunos do curso de


História.
Ensinava-lhes redação técnica.

b) Precisamos de melhores recursos para ajudar as


populações carentes.
Precisamos de melhores recursos para ajudá-las. | a-OI 1 q-6 1 a-8 | pV | q-9 | e-S | p-H 3- £ | ^ I a-l I
c) Agrediram os homens, pois eram desonestos. ojueqBO

161
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

ANALISE SINTÁTICA - DICAS GERAIS


1. Inicie a análise sintática isolando o sujeito e identifican- 10. Predicativo pode acompanhar qualquer tipo de verbo.
do os adjuntos adverbiais.
11. Predicativo pode se referir tanto ao sujeito quanto ao
Chegou de Londres. objeto.
VI Adj. Adv. Lugar
As meninas encontraram os pais nervosas/nervosos.
2. Adjuntos adverbiais são palavras ou expressões que expri- Suj. VTD OD Predicativo Predicativo
mem CIRCUNSTÂNCIA (tempo, modo, causa, dúvida, Sujeito Objeto
lugar). Perguntas: Para quê? Por quê? Onde? Com quem?
Como? Quanto? Quando?... 12. Predicativo nem sempre é representado por adjetivo.

Gosto de Boston. Voltou de Boston. Ela já é uma mulher.(subst.)


VTI OI VI Adj. Adv. Lugar Suj. AAT VLig. Predicativo Sujeito

3. Adjuntos adverbiais podem ou não ser preposicionados. Fulana é outra, (pronome)


Suj. VLig. Predicativo Sujeito
Compareceu ao encontro hoje.
VI Adj. Adv. Adj. Adv. 13. Não confunda predicativo do sujeito com adjunto ad-
finalidade/lugar Tempo verbial de modo (invariável).
4. Se um verbo vier seguido apenas de adjuntos adverbiais, Ela vive sá (Variável - sozinha, solitária)
ele será sempre intransitivo. Suj. VI Predicativo do Sujeito

As lojas vendem muito no Natal. Ela fala alto, (invariável)


Suj. VI Adj. Adv. Modo
Suj. VI Adj. Adv. Adj. Adv. Tempo
Intensidade O Governo permaneceu calado, (variável)
Suj. VLig. Predicativo do Sujeito
5. Nem todo termo preposicionado é objeto indireto.
14. Não confunda verbo intransitivo com verbo transitivo
Ela saiu com a amiga.
VI Adj. Adv. Companhia direto. Isso ocorre porque a frase está invertida. Use os
recursos de pronominalizaçâo no início da frase. VTD
6. Nem todo objeto indireto apresenta preposição explícita. aceita passiva(ser/estar +particípio) e VI não aceita pas-
Jamais lhe obedecerei. siva.
Adj. Adv. Negação OI VTI (He)Resta outra opção, (outra opção é restada? Impossível)
'VI Suj.
7. Ser, estar, permanecer, ficar, continuar... nem sempre se-
rão verbos de ligação. (Ejlé)Existia
/N
uma alternativa, (uma alternativa era existida? Impossível)
VI Suj.
Ela ficou em casa. Ela ficou triste.
Suj. VI Adj. Adv. Lugar Suj. VLig Pred. Suj. (Ele)Encontrou outra opção. (Outra opção foi encontrada.)
VTD OD Suj. Paciente
EJa ficou com a herança. Ela ficou triste em casa. (Ele)Buscava uma alternativa. (Uma alternativa era buscada.)
Suj. VTI OI 1 Suj. VLig. Predicativo do suj. VTD OD Suj. Paciente
Adj. Adv. Lugar
14. A transitividade de um verbo pode variar em função do
8. Adjunto adverbial pode acompanhar qualquer verbo.
contexto.
9. Para um verbo ser de ligação, são necessárias duas con-
Ela fala muito.
dições SIMULTÂNEAS: estar na lista de verbos de liga- Suj. VI Adj. Adv. Intensidade
ção e ter predicativo do sujeito.
Ela fala a você.
Ela está feliz. Ela acordou feliz. Suj. VTI OI
Suj. VLig Pred. Suj. Suj. VI Predicativo Suj.
Ela fala coisas interessantes.
Ela acordou bem. Ela está bem. Suj. VTD OD
Suj. VI Adj. Adv. Modo Suj. VI Adj. Adv. Modo
Ela fala coisas interessantes a você.
Suj. VTDI O D /OI
Ela permaneceu longe.
Suj. VI Adj. Adv. Lugar

162
FIÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

PREDICADO
Tipos de predicado
TIPO VERBO PREDICATIVO SENTIDO
Verbal VI, VTD, VTI, VTDI 0 Ação
Nominal Verbo de Ligação Predicativo do sujeito Qualidade, Estado, Característica
Predicativo do sujeito
Verbo-nominal VI, VTD, VTI, VTDI Ação + Qualidade, Estado, Característica.
ou do objeto
OBS.: Os destaques são os núcleos do predicado.
• Em um predicado verbal, não há predicativo.
• Toda vez que houver verbo de ligação, o predicado será nominal.
• Se houver predicativo e não houver verbo de ligação, o predicado será verbo-nominal.

ORAÇÕES SUBSTANTIVAS
ORAÇÃO SUBSTANTIVA CARACTERÍSTICAS DA ORAÇÃO PRINCIPAL
Verbo de Ligação + Predicativo
Subjetiva Verbo Intransitivo
VTD, VTDI + SE (Voz Passiva)
Objetiva Direta VTD (sem passiva)
Objetiva Indireta VTI
Completiva Nominal Nome + Preposição
Apositiva Dois-pontos ou vírgula
P re d i cativa Sujeito + Verbo de Ligação
Voz passiva analítica
Agente da passiva
(introduzida pelas preposições: por, pelo (a)/(s) ou de)

ORAÇÕES ADJETIVAS
EXPLICATIVAS: UM/TODOS RESTRITIVAS; UM DOS / ALGUNS DOS
Vêm entre vírgulas. Referem-se a um conjunto NÃO vêm entre vírgulas.
unitário ou a uma generalização. Referem-se a uma parte de um conjunto maior.

CORRELAÇÕES DE INFINITIVO
COMBINAÇÃO VALOR CONECTOR USUAL
AO + Infinitivo Temporal Quando
A + Infinitivo Condicional Se / Caso
Afim de + Infinitivo Final A fim de que
Para + Infinitivo Final Para que
Por + Infinitivo Causai Porque / Como (início de frase)
Apesar de + Infinitivo Concessão Embora / Ainda que

163
UNIDADE VI

REGÊNCIA

Observe que o primeiro termo em negrito


CONCEITO
completa um substantivo abstrato, sendo, por-
Regência é o estudo da relação de dependência tanto, complemento nominal. Já o segundo termo
que há entre a palavra dependente, chamada re- funciona como adjunto adnominal, não configu-
gida, e o termo a que ela se prende, dito regente. rando caso de regência.
Esta dependência pode ser direta, ou seja, sem
preposição obrigatória, e pode ser indireta, isto
REGÊNCIA
é, com preposição indispensável. Assim, torna-se
DE ALGUNS NOMES
importante o estudo das preposições.

O homem tem necessidade de amor. Acessível a = aproximação, acesso /


(Regência nominal) para = passagem
nome regente - termo regido (= complemento nominal)
agradável a

A mulher necessita de amor. amor a / para com


(Regência verbal), ânsia de / por
verbo regente - termo regido (= objeto indireto) apaixonado de/ por
atenção a / sobre / com / para com
O regente e o regido, intimamente relaciona-
avaro de
dos, formam um todo significativo.
atento a / em
avesso a
REGENCIA NOMINAL aversão a / para / por

substantivo —> Amor ao estudo. Bom para


Quando o termo adjetivo -> Difícil de solucionar.
regente é
advérbio —> Relativamente ao assunto. Capaz de
certo de
Os termos regidos por nomes exercem a função
conforme a / com
de complemento nominal.
contente de / com / em / por
A criação do homem é obra de Deus.
(CN) (Adj. Adn.) cuidados com

164
FLÁVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

cego a Ida a pobre de


comum a / de idêntico a pronto para
contíguo a impróprio para próprio a = apropriado
2
cruel com / para com impossível de próprio de = peculiar
curioso de / por 3
imune a / de próprio para = conveniente
incompreensível a próximo a / de
Desejoso de
infatigável em
devotado a Rebelde a
infiel a
devoção a / por rente a / de / com
insaciável de
devoto de / a responsável com / por
incapaz de
digno de
indigno de relativamente a
diferente de
inferior a respeito a / de / com / por /
dotado de
inimigo de para com
dúvida de / em /
inútil para rico de / em
sobre / acerca

Jeito de / para Sedento de / por


Entendido em
junto a / de simpatia a / por / para com
empenho de / em / por
estima a / por = amizade / situado a / em / entre

de = consideração Lento em suspeito a / de


longe de semelhante a
Feliz com / de / em / por livre de sensível a
firme em luta contra superior a
furioso com
falta a / de / com / contra Maior de Temeroso de
favorável a mal de traidor de
fértil de / em mau com / para /
fraco de para com Ultimo a / de / em
fiel a / em morador em união a / de / em
manso de útil a
Gosto a / de / para /
menor de
por / em Vazio de
guerra a
Natural de visível a
grato a
necessário a versado em
vizinho a / de
Hábil em
Obediência a
horror a
Zangado com
habituado a
hostil a Parecido a / com a
peculiar a
parco em / de

165
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

• Transitivos Diretos e Indiretos (VTDI)


REGÊNCIA VERBAL
Regem, conjuntamente, os dois complementos
Quando o regente é um verbo. acima citados: objeto direto e objeto indireto.

Amar os estudos. Dei um livro ao colega.


Dificultar as coisas. Mandamos um recado ao amigo.
Relacionar os erros mais comuns. "um livro", "um recado" - objetos diretos
A regência verbal envolve conhecimento da predi- "ao colega", "ao amigo" - objetos indiretos
cação dos verbos.
Assim, vale a pena uma recapitulação.
1 Os pronomes ojs), a(s) e as variantes lo(s), la(s),
Os verbos dividem-se em: no(s), na(s) podem funcionar como comple-
mento de verbos transitivos diretos.
• Intransitivos (VI)
Esperava-o ontem.
Quando não necessitam de complemento (OD/ Entregamo-los depois.
OI).
Os pronomes em destaque funcionam como ob-
Fulano morreu. jeto direto,
Piam as aves.
2 Os pronomes lhe e lhes funcionam como com-
Chegou um desconhecido.
plemento de verbos transitivos indiretos, como
As expressões "fulano", "as aves", "um desconhe- adjunto adnominal ou como complemento no-
minal.
cido" exercem a função de sujeito.
Perdoava-lhe sempre.
• Transitivos Diretos (VTD) Isto não lhe pertence.
Exigem um complemento (objeto direto), que
lhe = objeto indireto
se lhes prende diretamente, para juntos integra-
(verbos transitivos indiretos)
lizarem o todo significativo.
Desejo-lhe sorte.
Fizemos os exercícios.
Peço-lhe silêncio.
Desenhamos um livro.
Ninguém ignora essas coisas. lhe = objeto indireto
(verbos transitivo diretos e indiretos)
As expressões "os exercícios", "um livro", "essas
coisas" têm função de objeto direto. Quero-lhe o relógio. (=seu)
• Transitivos Indiretos (VTI) Admiro-lhe a coragem. (=sua)
Necessitam de um complemento preposiciona- lhe = adjunto adnominal
do (objeto indireto), a fim de formarem com ele (verbos transitivos diretos)
o todo significativo.
A questão parece-lhe justa.
Precisamos de coragem. A decisão foi-lhe favorável.
Gostaram das praias.
Assistimos ao festival. lhe = complemento nominal
As expressões "de coragem", "das praias", "ao
(verbos de ligação)
festival" são objetos indiretos.
166
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

3 Os pronomes me, te, se, nos, vos podem tam- Aludimos à religião. Aludimos a ela.
bém servir como complementos de verbos Aspiramos a um cargo. Aspiramos a ele.
transitivos diretos, transitivos indiretos, transi-
Assistiram aos jogos. Assistiram a eles.
tivos diretos e indiretos e como adjuntos adno-
minais ou como complementos nominais. Recorri ao diretor. Recorri a ele.
Procederam ao sorteio. Procederam a ele.
Eu vejo-te amanhã.
Viso a um cargo. Viso a ele.
Ele feriu-se todo.
pronomes; OD / verbos; TD

Pago-vos amanhã.
REGÊNCIA DE ALGUNS VERBOS
Ela nos obedeceu.
pronomes; OI / verbos; TI
A
Pegou-me a mão. (=minha) aborrecer-se com apoderar-se de
Quer-nos a casa. (=nossa) abster-se de arriscar-se a
pronomes: ADJ.ADN. / verbos: TD aconselhar-se a / com assinalar com
ajuntar-se com ater-se a
Dê-nos dinheiro.
Peço-te licença. almejar por ausentar-se de
pronomes: OI / verbos: TDI antecipar-se a avir-se com
apegar-se a acautelar-se com
4 As formas lho, lha, lhos, lhas são complemen- apiedar-se de acomodar-se a
tos de verbos transitivos diretos e indiretos, bem aproximar-se a / de admirar-se de
como servem de adjunto adnominal.
assentir a alimentar com / de
A blusa? Em casa lha dou. atentar contra / em amoíinar-se com
fí atrair a apartar de
[= Em casa, darei a blusa a você.
aviar-se de aperceber-se de
lha = lhe (OI) + a (OD)
absolver de apressar-se a / em / por
(= a você) (= a blusa)
acercar-se de assemelhar a / com
Não lhe sei o nome, nem que lho soubesse o diria. ajuntar a atinar com
í\ amercear-se de autorizar a
[= Nem que soubesse o seu nome o diria.] apaixonar-se por avizinhar-se de
lho = lhe (ADJ. ADN.) + o (OD)
apelar para
(= seu) (= o nome)

5 Há verbos transitivos indiretos que não se usam B


com o pronome lhe, mas com os pronomes bandear-se para bastar a
oblíquos tônicos ele, ela, eles, elas, antecedidos brigar com blasfemar contra
da preposição a: aludir, aspirar (-desejar), assis- batalhar com brindar com
tir (=ver), tomar, recorrer, preferir, proceder, visar bater em / a bater (TD)
(-desejar).
baixar a bater a (TI)
brindar (TD)

167
PORTUGUÊS DESCOMPÜCADO

estimular a / com excusar de


cair em / sobre comprazer-se em/com estribar-se em exercitar-se em
casar-se com comungar com empenhar-se por / em / com
chamar por / de condescender com ensaiar-se em / com
cingir de consentir em esforçar-se em / por / para
clamar por contribuir para / com
coincidir com corresponder-se com
combinar com coxear de faltar com / a folgar de / com
comerciar com / em fiar-se de / em fincar-se em / de
curtir-se em
competir com feder a fatigar-se de / com
carecer de
franquear de / a fundar-se em
comprometer-se a certificar-se de
fartar com / de forrar de / com
concorrer a / com chegar-se a
conformar-se com / a circunscrever a
contrapor a coexistir com
gabar-se de guarnecer com
convir com / a / em combater contra
guardar-se de graduar-se em
cotejar com comedir-se em
gloriar-se de guindar-se a
cruel com / para com compelir a
capitular com comprazer a
H
ceder a comutar em
habilitar-se com / para hombrear-se com
chamar (TD) condoer-se de
haver-se com harpejar
cingir-se a conter-se em
herdar de humilhar-se a
cobrir de converter em / a
coligar-se com corresponder a
I
começar a / por cristalizar em
igualar com impenetrável a
comparar a / com curar-se de
incidir em induzir a / em
insistir sobre / em irmanar com
D
imbuir-se de / em intrometer-se em
decidir-se sobre deter-se em / com
impor a incorrer em
dependurar em / de distrair-se com inferir de injuriar com
desempenhar-se de deleitar-se com / em / de interessar-se por / em isentar de
discrepar em desavir-se com impelir a importunar com
decidir sobre dignar-se de / a impedir a / de (TDI) ndignar-se com
desapegar-se de dotar com / em inflexível a inquietar-se com / de
investir contra / com / em
E importar a (impessoal)=> de (país)=> em (quantia)?
embaraçar-se com engalanar-se com / em
entreter-se com especular com / em
J
enfurecer-se com / contra exceder a / em jactar-se de jubilar com
envaidecer-se com / por engolgar-se com juntar-se a / com juntar (TD)
168
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

L R
lamentar-se de limitar-se a / com radicar-se em render-se a
ligar a / com / para lutar contra / com / por rebaixar-se a / de reptar para
litigar com / contra lidar com reincidir em rodear-se de / com
lastimar-se de lisonjear-se de remontar a reconvir sobre
residir em regalar-se com
M restabelecer-se de rejubilar em
maliciar de meter-se a / em romper com regozijar-se de / com
matizar de mortificar-se com ralhar com resultar de / em
mesclar em manter-se com / em recrear-se com rogar por
murmurar de meditar em / sobre relaxar-se em responder a
mancomunar-se com moderar sem
s
mediar entre
sacrificar-se a / por sub-rogar
salpicar de suster com
N
servir-se a / parar / de sair-se de / com
namorar (TD) nivelar-se a / com
sujar-se com / de satisfazer-se a / com
negar-se a nutri-se de / com
safar-se de substabelecer em
namorar-se de negociar em / com
segregar de sustentar-se de / com

O T
obstar a ofender-se com / por tachar de traficar com / em
ofender (TD) orar por terminar em / por temer de / por
optar por / entre ocupar-se com / em / de traduzir em / para / de topar com
obstinar-se em opinar sobre tropeçar com / em trasladar a / em / de
tardar em tiritar de
P
u
pactuar com pleitear com / contra
ufanar-se de / com ungir com
pender de / para preponderar sobre
ultrajar com utilizar-se de
persuadir a / de prezar-se de
unir a / com
porfiar em prostar por
prezar-se de participar de / em V
prevenir de / para / contra perseverar em vacilar em vincular a

pugnar por / contra precaver-se contra / de vazar em vangloriar-se de / por

padecer de prescindir de viciar-se com / em velar por / em

permutar com / por prover a / de valer-se de voltar de / a


variar de / em

Q
quadrar com qualificar de zangar-se com zombar de
quebrantar-se com queixar-se de / a zelar por
169 j
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Pensando mais...
CASOS DE REGÊNCIA

A decisão do governo implicará recessão.


Um caso de regência trata da complementação
de nomes e verbos. Essa complementação pode Seria possível, mantendo-se o sentido e a cor-
ser com ou sem preposição. reção gramatical, inserir a preposição em logo
após o verbo implicar?
Necessitava (verbo) de apoio.
(Regência verbal). O verbo implicar, no sentido de acarretar, é
VTD e não pede nem admite preposição. Logo,
Era favorável (adjetivo) a novas leis.
(Regência verbal). não seria possível.

A lei a que se referiu foi mencionada no processo.

Seria possível, mantendo-se o sentido e a cor-


Pensando...
reção gramatical, substituir a expressão a que por
a quaP.
As pessoas que apresentarem os sintomas da gripe
Qual é um pronome relativo que vem precedido
HINI devem comparecer em um posto de saúde.
de artigo (a qual, as quais, o qual, os quais). O verbo
O verbo comparecer pede a preposição "a", referir-se pede a preposição a. Logo, para manter a
portanto a frase está incorreta. correção gramatical, seria necessário acento grave
no a (à qual). Portanto, não seria possível.
Esquecer de coisas simples pode indicar alguma
dificuldade de memória. Isso visa à resolução do caso.

O verbo esquecer tem duas possibilidades Seria possível, mantendo-se o sentido e a cor-

de regência: como VTI, com preposição e com reção gramatical, retirar o acento grave do perío-

pronome ou como VTD, sem preposição e sem do apresentado?

pronome. Pode-se usar esquecer-se de ou sim- O verbo visar, no sentido de desejar, é VTI. Vi-

plesmente esquecer algo. Portanto, a frase está sar pede a preposição a. Logo, não seria possível.

incorreta.
PRINCIPAIS CASOS DE REGÊNCIA VERBAL

A idéia de que o homem é um ser social visa a


Simpatizar, deparar, antipatizar, empatizar,
promover a convivência.
implicar (no sentido de ser implicante)
Visar, no sentido de desejar, é verbo transitivo
indireto e pede a preposição a. A preposição pode . São VTI.
ser suprimida quando se tratar de objeto oracional • Exigem a preposição com.
- "visa promover". Assim, é possível que a frase seja • Não são pronominais.
reescrita da seguinte forma:
A idéia de que o homem é um ser social visa Ele deparou com uma nova situação.
promover a convivência. O governo não simpatizou com a proposta.

170
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Chegar, ir, voltar, retornar, comparecer Ela não obedece a/às ordens.
Não lhe (a ele) desobedecerei.
. São VI. As pessoas não obedecem às leis de trânsito.
• Exigem a preposição a quando seguidos de Desobedeceu ao regulamento do prédio.
adjuntos adverbiais de lugar (destino).
• Não admitem a preposição em e variações. Referir-se

Os cidadãos devem retornar ao local de votação. . É VTI.


Voltaram àquele lugar. • Exige a preposição a.
Admitem outras preposições com alterações de
sentido ou de registro: A mulher a cujos filhos me refiro esteve no local.
Chegou de Londres, (origem) A decisão à qual o governo se referiu foi muito
Chegou a Londres, (destino) discutida.
Chegou em Londres, (coloquial)
Foi a Londres, (destino temporário) Implicar (no sentido de acarretar)
Foi para Londres, (destino permanente)
Foi em Londres, (coloquial) . É VTD.
• Não exige preposição.
Morar, residir, assistir (no sentido de morar) • Não admite a preposição em e variações.
e domiciliar são VI.
Isso implicará demissão
Estar, ficar, permanecer e entregar variam a de muitos funcionários.
transitividade conforme o complemento. A alta nos preços implicou recessão.

• Quando seguidos de adjuntos adverbiais de Implicar-se (= envolver-se) é VTI (em).


lugar, os dois grupos exigem a preposição em. Ela se implicou em problemas.

Ela reside na rua Abre Campo. Pisar


A informação está na página 20.
Entrega-se em domicílio. . É VTD.
• Não exige preposição.
Preferir
Não pise a grama.
• Em geral, é VTDI. Não piso o chão que você pisa.
• Exige a preposição a.
• Não aceita que, do que, e não e nem.
• Não aceita os advérbios mais e menos.

Preferia estudar a trabalhar.


Preferia o sossego do campo à agitação da cidade. • OBSERVAÇÃO
Preferia mais felicidade a mais dinheiro.
(Nesse caso, mais não é advérbio. Trata-se de um De acordo com a NGB (Nomenclaturas
pronome indefinido.) Gramaticais Brasileiras), o verbo pisar é visto
Preferia o trabalho a coisas fúteis.
como um caso de mudança em progresso. As-
Obedecer/desobedecer sim, alguns autores já aceitam tal verbo como
intransitivo regido pela preposição em.
. São VTI.
• Exigem a preposição a. Não pise na grama.

171
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Namorar Aspirar

E VTD. No sentido de cheirar, é VTD e não pede pre-


Não exige preposição. posição.
Não admite a preposição com.
Aspirava o aroma das flores.
Quer me namorar?
No sentido de desejar, é VTI e pede a prepo-
Quem ela namora, ninguém pode saber. sição a.

Assistir As pessoas aspiram à felicidade.

< No sentido de socorrer/auxiliar, é VTD e não Aspirava ao sucesso profissional.


pede preposição.
Agradar
O governo assiste os pobres.
No sentido de fazer agrados, é VTD e não
■ No sentido de ver, é VTI e pede a preposição a. pede preposição.

Assistimos a cenas de violência. O governo procura agradar o povo.

• No sentido de caber, é VTI e pede a prepo- No sentido de satisfazer, é VTI e pede a pre-
sição a. posição a.

A decisão assiste ao governo. A política de preços não agradou aos


consumidores.
No sentido de morar, é VI e pede a preposição
em no adjunto adverbial de lugar. Querer

Nossos políticos assistem em Brasília. No sentido de desejar, é VTD e não pede pre-
posição.
Visar
Queria um bom emprego.
• No sentido de pôr visto, é VTD e não pede
preposição. No sentido de estimar, é VTI e exige a pre-
posição a.
O gerente visou os cheques roubados.
Queria aos colegas de cursinho.
• No sentido de mirar, é VTD e não pede pre-
posição.
Custar
Visou o alvo e atirou.
• No sentido de ser custoso/ser difícil, é VTI.
• No sentido de desejar/almejar, é VTI e exige
a preposição a. Fica sempre na 3a do singular + OI
+ sujeito oracional.
O governo visa à reformulação do projeto.
O governo custou para avaliar
Visava a uma nova vida. a proposta de investimento, (errado)
Custou (VTI) ao governo (OI) avaliar a proposta
Visava (a) resolver o problema, (objeto oracional - de investimento (suj. oracional). (certo)
a preposição pode vir subentendida)

172
FLÁVIA RITA C0UT1NH0 SARMENTO

(Nós) Custamos a entender a matéria, (errado) maram-lhe), pois o verbo pode ser VTD ou
Custou (VTI)-nos (OI) entender a matéria (suj. VTI. Logo, a substituição não prejudica a
oracionai), (certo) correção gramatical.

Pagar, perdoar, agradecer


• No sentido de acarretar, é VTDI e pede a pre-
posição a.
• São VTD com coisas e não pedem preposição.
• São VTI com pessoas e exigem a preposição a.
O casamento custou sacrifícios aos noivos. • Podem ser VTDI.

• No sentido de custos/ônus, pode ser VI com O governo agradeceu a população pelo apoio, (errado)
adjunto adverbial de modo. O governo agradeceu (VTDI) à população (OI) o
apoio (OD). (certo)
Aquelas roupas custam muito caro.
Pagou ao banco primeiro, pois os juros eram altos,
Chamar (banco = pessoa jurídica)

• No sentido de convocar/convidar, é VTD e Atender


não pede preposição.
• Pode ser VTD ou VTI (pede a preposição a).
Chamaram o ministro para a reunião. • É, preferencialmente, VTD com pessoas.
• É, preferencialmente, VTI com coisas.
• No sentido de denominar/cognominar, é
VTD ou VTI. Atendeu ao pedido, (melhor)
• Se VTD, não pede preposição e exige OD. Se
VTI, pede a preposição a e apresenta OI. Atendeu o pedido.
• Ambos pedem predicativo do objeto, regido
ou não pela preposição de. Atendeu o cliente.
• Sendo a preposição de facultativa, não há al-
teração de sentido. Atendeu ao cliente, (melhor)

I. Chamaram (VTD) o governo (OD) de corrupto Informar, avisar, notificar,


(pred. do objeto). (Chamaram-no de corrupto.) cientificar, certificar...

II. Chamaram (VTD) o governo (OD) corrupto (pred. • Em geral, são VTDI.
do obj.). (Chamaram-no corrupto.) • Ocasionalmente, podem apresentar apenas
um complemento (OD ou OI).
III. Chamaram (VTI) ao governo (OI) de corrupto • Admitem as preposições a, de ou sobre.
(pred. do obj.). • Exigem complementos distintos.

IV. Chamaram (VTI) ao governo (OI) corrupto (pred. Informaram à população (OI), diante do fato ex-
do obj.). posto, sobre as dificuldades do setor (OI), (errado)

• Todas as frases estão de acordo com a norma Formas corretas:


culta.
• A retirada da preposição de, na frase I, não Informaram à população (OI), diante do fato
modifica o sentido original do período. A pre- exposto, as dificuldades do setor (OD).
posição é facultativa, logo não há alteração de Informaram a população (OD), (...), sobre as
sentido. No entanto, fora do contexto, a frase dificuldades do setor (OI).
pode ser considerada ambígua.
• Seria possível, na norma culta, substituir a
forma -no (chamaram-no) por -lhe (cha-

173
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Esquecer/lembrar
o verbo comunicar deve ser usado, preferen-
• Construção clássica.
cialmente, com a preposição a em detrimento
de sobre e de, mas aceita as duas últimas. VTI (3a pessoa) + OI (nome ou pronome) +
sujeito.
Comunicou aos funcionários a data do evento.
Verbo e pronome podem estar em pessoas
Esquecer/lembrar distintas.

• VTD, sem preposição e sem pronome. Esqueceu -me a data da prova.

Esqueceu a data da prova. Lembrou-nos isso ontem.

Lembrei isso ontem. Ver, olhar, observar, presenciar


• VTI, com pronome e com preposição (de). • São VTD e não admitem preposição.
(Verbo pronominal; o pronome e o verbo de-
vem estar na mesma pessoa.)
Presenciamos cenas de violência.
Esqueceu-se da data da prova.
Não vejo o que quero.
Lembrei-me disso ontem.
Observava a paisagem.
• OBSERVAÇÃO
Os verbos amar, odiar e adorar são
• Alguns autores consideram como transitivos
usados, freqüentemente, com objeto direto
diretos verbos transitivos indiretos seguidos
preposicionado.
de objeto oracional não-preposicionado.
Amava a Deus.
Pensei que isso fosse fácil.
O verbo desejar pode ser VTDI.

Desejava-lhe sorte.

EXERCÍCIOS

l Assinale a alternativa que apresenta ERRO. 2 "... olhando para trás, como quem quer voltar."
a) Simpatizei com a nova diretoria e com as novas Considerando os padrões da língua culta, usou-se o
orientações. verbo sublinhado acima, mantendo-se correta a re-
b) Há alguns dos novos diretores com os quais não gência, EXCETO em
simpatizamos. a) Minha filha, eu a quero muito bem.
c) A firma toda não se simpatizou com as novas b) Nós queremos um lugar ao sol.
orientações. c) Este é um trabalho duro para um organismo que
d) Somente o tesoureiro não simpatizou com a nova está querendo repouso.
diretoria. d) Nem nos momentos mais difíceis, quero o seu
e) Nenhum dos que estavam presentes, nem mes- apoio.
mo o filho do novo diretor, simpatizou com as e) Você quer ainda a pasta de documentos?
novas orientações.

| 174
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO |

3 "Mas de que adiantam essas intenções se estamos 7 Em todas as alternativas, o verbo destacado apre-
impotentes para assegurar às pessoas o direito à senta regência de acordo com a norma padrão, EX-
vida, à sociedade, o direto de viver em paz...." CETO em
Quanto à predicação, o verbo destacado no trecho a) Assistimos, impassíveis, ao massacre de crianças
acima é no Brasil.
a) transitivo direto e indireto. b) Os cidadãos brasileiros preferem a omissão à jus-
b) transitivo indireto. tiça.
c) transitivo direto. c) Alfredo de Almeida jr. não obedece as leis do país.
d) intransitivo. d) Fazer justiça implica grande vontade política.
e) transitivo indireto. e) Os meninos de rua aspiram à cidadania.

4 Assinale a alternativa CORRETA, quanto à regência 8 Dependendo do contexto, um verbo normalmente


verbal. intransitivo pode tornar-se transitivo. Assinale a al-
a) Não costumo obedecer a ordens que não ema- ternativa em que ocorre um exemplo disso.
nem de autoridade. a) "Ponha intenções de quermesse em seus olhos ..."
b) Assisti um espetáculo dantesco naquele dia.
b) "... e do céu descesse uma névoa de borboletas..."
c) Os jogadores brasileiros preferem jogar na Euro-
c) "... beba licor de contos de fadas ..."
pa do que nos seus clubes de origem.
d) "Ande como se o chão estivesse repleto de sons..."
d) Dona Margarida foi intimada a comparecer na
e) "... sorria lírios para quem passe debaixo da janela."
polícia porque não pagou o farmacêutico.
e) Custei a entender por que Adriano não se simpa-
9 A regência verbal está CORRETA em
tizava comigo.
a) A herança cultural que o texto se refere é o acervo
5 Entre os exemplos abaixo, freqüentemente emprega- de conhecimentos históricos.
dos na linguagem informal, apenas um está de acor- b) Os acontecimentos históricos que assistimos de-
do a norma culta da língua. Assinale-o. vem servir-nos de exemplo.
a) Com quem você está namorando, agora? c) Devem ser explicitados os objetivos que visamos
b) Lá em casa somos em quatro filhos. ao estudar História.
c) Tudo que o pai diz, a mãe acredita. d) A busca da verdade por que o historiador anseia
d) Meu amigo, isto implicará em sua suspensão. atinge a todos os estudiosos.
e) O candidato residente na rua Cosme Velho não e) Os usos práticos os quais não podemos esquivar-
compareceu à prova. mos no estudo da História são numerosos.

6 Em todas as opções, a expressão destacada está em-


10 Há ERRO de regência em
pregada corretamente, conforme normas da língua
a) Ela o amava e lhe obedecia.
padrão, EXCETO em
b) É ótimo o cargo a que aspira.
a) Os ingratos, mais uma vez, esqueceram-se de
quem sempre os ajudara. c) Nós lhe desejamos o melhor.
b) Não estou me referindo a quem começou a dis- d) É necessário obedecer as leis.
cussão. e) Custa-nos acreditar no que dizes.
c) Era meu pai a pessoa em quem eu mais acreditava.
d) Era realmente bela a moça por quem Abadias se
apaixonara.
e) Laura, com quem Ivo namorava, na época, era- | p-Ot I p-6 I a-8 | >L I 9-9 I 9-S | e-t-1 b- C | b-z ( d-t |
-Ihe muito dedicada. oiueqBO

175
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

REGÊNCIA VERBAL - ESQUEMA


VERBO SENTIDO TRANSITIVIDADE OBSERVAÇÃO
tachar/ Pode vir com preposição DE (uso
VTD ou VTI - nunca VTDI
cognominar facultativo).
chamar
convocar/ Em geral, vem seguido de adjunto
VTD - nunca VTDI
convidar adverbial de finalidade.
informar / avisar
cientificar Em geral são VTDI. Admitem as preposições a, de ou sobre.
notificar / certificar Exigem complementos distintos.
comunicar
VTD com COISA Podem ser VTDI, desde que respeitem a
pagar / perdoar / agradecer
VTI(a) com PESSOA complementação.
É, preferencialmente, VTD
atender com pessoas e VTI(a) com
coisas
Pode ser VTD ou VTI. Sendo VTDI, o OI
em resposta VTD
será, preferencialmente, pessoa.
responder Nos sentidos de "dar resposta e em
dar resposta VTI(a) resposta", não há distinção semântica
significativa.
socorrer / auxiliar VTD
ver / presenciar VTI (a)
assistir
caber VTI (a)
morar / residir VI (em)
dar início VTI (a)
ter fundamento VI
proceder comportar-se VI + Adj. adv. modo
vir de / originar
VI + Adj. adv. lugar
de
pôr visto / Não existe "vistar" algum documento,
VTD
rubricar o correto é visar.
visar
mirar VTD
desejar/almejar VTI (a)
cheirar VTD
aspirar
desejar/almejar VTI(a)
desejar VTD
querer
estimar VTI (a)
fazer agrados VTD
agradar
satisfazer VTI(a)
ser custoso / VTIfa) Pessoa / Sing. + OI - Nome/
VTI (a)
custar ser difícil Pronome +Suj. Oraclonal
acarretar VTDI (a)

176
FLÁV1A RITA COUTINHO SARMENTO

VERBO SENTIDO TRANSITIVIDADE OBSERVAÇÃO |


VTD SEM preposição e SEM pronome
VTI(Pronominal) - verbo e Com preposição (DE) e com pronome
esquecer / lembrar pronome na mesma pessoa (ME, TE, SE, NOS, VOS).
VTI (Construção Clássica VTI(a) pessoa / Sing. + OI - Nome/
Machadiana) - vir à memória Pronome + Sujeito
obedecer / desobedecer VTI(a)
referir-se VTI(a)
namorar VTD Não admite COM.
implicar / acarretar VTD Não admite EM.
0 verbo PISAR, atualmente, é entendido
pelos falantes, como intransitivo. Por isso,
pisar VTD
alguns gramáticos já flexibilizam o uso da
preposição EM junto a esse verbo.
Em geral, vem seguido de adjunto
convocar / convidar VTD
adverbial de finalidade.
ver / presenciar / olhar / observar VTD
amar / odiar / adorar / desejar VTD Desejar pode ser VTDI(a).
Exige a preposição A.
preferir VTDI (em geral) Não admite; do que / que / e não.
Não admite os advérbios: MAIS e MENOS.
Não admitem EM. Em geral, são seguidos
de adjunto adverbial de lugar. Em caso de
chegar / ir / voltar / retornar / comparecer VI (a)
idéia DE DESTINO, apenas e somente a
preposição A poderá ser usada.
Quando seguidos de adjunto adverbial de
morar / residir VI (em)
lugar, exigirão a preposição EM.
Exigem a preposição COM.
deparar/simpatizar Não são pronominais. Portanto NÃO
antipatizar / empatizar VTI(com) ACEITAM: me, te, se, nos, vos.
implicar (ser implicante) Deparar-se (pron.) é regido pela
preposição a.

177
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

! REGÊNCIA VERBAL - EXEMPLOS


VERBO SENTIDO CLASSIFICAÇÃO EXEMPLO
Ele aspirou muita fumaça durante 0 incêndio.
sorver, respirar VTD
ASPIRAR Todas as pessoas aspiram ao sucesso.
pretender, desejar VTI (a)

Ele assistiu ao jogo na casa da sogra.


ver, presenciar, caber VTI (a)
ASSISTIR 0 médico assistiu 0 doente com presteza.
dar assistência VTD
Naquela época, ele assistia em Pernambuco.
morar VI

Aproximou-se e tentou agradar 0 filho.


fazer carinho VTD 0 aumento no preço dos combustíveis não agra-
AGRADAR
satisfazer VTI (a) dou ao consumidor.

Esqueci 0 aniversário dele.


quando não pronominais Lembrei 0 nome dele.
ESQUECER VTD
quando pronominais Esqueci-me do aniversário dele
E LEMBRAR VTI (de)
(exigem a preposição de) Lembrei-me do nome dele.

Chegou ao casamento vinte minutos atrasado.


exigem a preposição "a"
CHEGAR EIR VI (a) Foi à festa na casa dos milionários.
quando indicam lugar

MORAR exigem adjunto adverbial Moro na rua São Paulo.


E RESIDIR VI (em) Residia na Av. Bárbara Coelho de Brito, 983.
com a preposição "em"

exigir, acarretar trabalho VTDI Este trabalho custou-me sacrifícios.


ser custoso, difícil VTI (3a pessoa Custou-me acreditar na sua história.
CUSTAR do sing. + sujeito
oracional)

Sua atitude implicará demissão.


acarretar VTD
IMPLICAR O professor implicava com a aluna.
ter implicância VTI (com)

INFORMAR A diretoria informou ao funcionário a demis-


(avisar, comunicar, VTDI são.
dar notícias
(a, de, sobre) A diretoria informou 0 funcionário da demis-
cientificar)
são.
NAMORAR Ele namora minha prima há dois anos.
não aceita "com" VTD

OBEDECER E No Brasil, ninguém obedece à sinalização.


(exigem a preposição "a") VTI (a) Todos devem obedecer ao regulamento.
DESOBEDECER

Paguei a conta.
Perdoei a agressão.
(quando 0 objeto é coisa) Agradeci 0 convite.
PAGAR, PERDOAR VTD
E
AGRADECER Pagarei ao garçom.
(quando 0 objeto Perdoei ao meu namorado.
VTI (a)
é pessoa) Agradecemos ao gerente.

178
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

VERBO SENTIDO CLASSIFICAÇÃO EXEMPLO

querer antes VTDi Prefiro o amor à guerra.


PREFERIR (não se usa a locução (com a preposição Prefiro ficar em casa a sair com aquele trog-
"do que" com este verbo) "a") lodita.

desejar VTD Ele queria o carro a qualquer custo.


QUERER
estimar VTi (a) Quero muito hem aos meus colegas.
exigem a preposição
SIMPATIZAR
"com"; VTI (com) Nunca simpatizei com a diretora da escola.
ANTIPATIZAR
não são pronominais)
mirar VTD Visou o alvo e atirou.
VISAR dar visto VTD 0 agente acabou visando o cheque.
objetivar VTi (a) As medidas visam a diminuir a inflação.

REGÊNCIA NOMINAL - EXEMPLOS


VERBO PREPOSIÇÃO EXEMPLO
ACOSTUMADO a, com Já estamos acostumados a essa situação.

ADAPTADO a Nunca esteve tão adaptado à função.

AFLITO com, por Não vale a pena ficar aflito com coisa tão insignificante.

ALHEIO a Alheio à vontade popular, o governo continua sem implantar a reforma agrária.

ALIENADO de Alienado dos problemas sociais, só pensava em ganhar dinheiro.

ALUSÃO a Assisti ontem ao filme a que fizeste alusão.

AMOR a, para, com, por Um elo liga filha a mãe: "amor afazer compras".

ANTIPATIA a, contra, por Nutria verdadeira antipatia pelos negócios.

APAIXONADO por Eu sou apaixonado por poesia.

APTO para, a 0 aluno considerava-se apto para o cargo.

COMPATÍVEL com Este trabalho não é compatível com a sua função.

GRATO a Se o seu marido lhe comprar flores inesperadamente, mostre-se grata a ele.
IGUAL a Meu relatório acabou ficando igual ao seu.

IMUNE a Imune às críticas, ele continuava seu trabalho.

PASSÍVEL de Todos os projetos são passíveis de modificação.

PREFERÍVEL a 0 silêncio é preferível à leviandade das palavras.

PROPENSO a, para Não estava propenso a viajar tanto.

RESIDENTE em Pessoas residentes em centros urbanos sofrem com a poluição.

VINCULADO a Seu futuro na empresa estava vinculado ao da esposa.

179
UNIDADE VII

CRASE

CONCEITO CONDIÇÕES DE OCORRÊNCIA

Crase é a fusão de duas vogais iguais. Trata-se da fusão de duas vogais de mesma

A crase do o é assinalada com o uso de acento natureza. No português brasileiro, ocorre crase
entre a preposição a e um artigo definido a(s)
grave (à).
ou pronome demonstrativo iniciado pela letra a
O acento da crase indica, pois, a existência das
(aquele(s), aquela(s), aquilo, a, as).
duas vogais:

Condições de ocorrência:
a (preposição) + a / as (artigo feminino)
• o termo regente exigir a preposição a.
• o termo conseqüente admitir o artigo a ou
Crase é, também, a fusão de;
ser um demonstrativo iniciado pela letra a.

a (preposição) + a / as (-aquela / aquelas => Referiu-se (a+a) à mulher.

pronome demonstrativo) Referiu-se a (somente preposição) ela.

Conheci a (somente o artigo) mulher.


Sua queixa é igual à de todos os trabalhadores.

Pensando...
a (preposição) + a inicial dos pronomes
Comparou (VTDI) sua boca (OD) à boca de
demonstrativos aquele, aquela, aqueles,
outras moças (OI).
aquelas, aquilo e dos relativos a
qual e as quais. Nesse caso, a crase é obrigatória, pois se trata
de um objeto indireto. Entre palavras repetidas
Prefiro isto àquilo.
que constituem expressão idiomática, a crase é
Dedico-me àquele trabalho de História. proibida.

Esta é a obra à qual o professor fez alusão ontem. Preferia (VTDI) dinheiro a felicidade.

Por uma questão de paralelismo sintático, não


O emprego do acento da crase depende da re- se usa artigo antes de felicidade, pois não há artigo
gência nominal ou verbal. antes de dinheiro.
| 180
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

A atitude dela foi igual à sua. • Entre palavras repetidas que constituam
expressões idiomáticas.
A crase antes de pronomes possessivos é faculta-
boca a boca
tiva, desde que não subentenda palavra. Nesse caso
é obrigatória, pois subentende a palavra atitude. cara a cara
frente a frente
Candidatou-se a rainha de bateria. uma a uma

A expressão rainha de bateria foi tomada em gota a gota


sentido genérico. Logo não deve ser usada a crase. mês a mês...

• Antes de numerais cardinais (exceto ho-


Eles chegaram à noite e resolveram a questão. ras).

À noite é adjunto adverbial de tempo, é uma Minha casa fica a dois quilômetros daqui.
locução adverbial feminina. A crase, nesse caso,
De 15 a 20 de novembro, haverá uma conferência
justifica-se por tradição.
no setor.

Referiu-se à (àquela) que seria discutida Da uma da tarde à uma da manhã,


(indicação de horas)
no outro dia.

A crase empregada no trecho marca a fusão en- Ele trabalha das cinco às vinte horas,
(indicação de horas)
tre a preposição o e o pronome demonstrativo a.
Chegou à uma, saiu às três. (indicação de horas)

CASOS PROIBIDOS DE CRASE • Antes de nomes próprios completos.

• Antes de masculinos em geral. Referia-se a Flávia Rita Coutinho Sarmento.

O governo falava a respeito de políticas públicas. • Antes de uma palavra plural quando o "a"
estiver no singular.
Pagamentos a prazo devem ser negociados.
Os brasileiros não obedecem a leis de trânsito.
• Antes de verbos (não é palavra feminina,
Os brasileiros não obedecem às (a+as) leis de trânsito.
nem masculina).

A partir de hoje, não faça isso. OBSERVAÇÃO


Com datas a definir, o governo não falou muita Se o mesmo a vier seguido de -s, de plural,
coisa. haverá crase.

Era favorável a decisões justas.


• Antes de artigos indefinidos {um, uma,
uns, umas). Era favorável às (a+as) decisões justas.

Referiu-se a uma decisão do governo. Pode ocorrer, nesse caso, sutil alteração de
sentido.
Era favorável a uma atitude mais severa.
181
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

• Antes de palavras tomadas em sentindo ge- Referiu-se a Vossa Excelência com respeito.
nérico.
Dirigia-se a Vossa Senhoria na ocasião.
Esse tipo de tema interessa a mulher (termo
Enviou o texto a Sua Senhoria.
genérico), não a homem.

(Poderia haver crase, mas mudaria o sentido • Antes de dona + nome próprio.
da frase. Nesse caso, a palavra homem deve- Pode-se escrever dona com a inicial maiúscula
ria também vir precedida de artigo.) ou minúscula, mas é preferível que se inicie com
maiúscula.
Esse tipo de comportamento é associado a criança,
Dirigia-se a Dona Maria.
não a adulto.
Dirigia-se à dona do bar.
• Depois de preposição (exceto até). (sentido de posse adminte crase)
(ante, perante, desde, para, contra...)
• Antes de pronomes indefinidos, (cada,
Jurou perante a Justiça dizer a verdade.
alguma, nenhuma, qualquer, certo, tudo,
Desde a última semana, nada mais pouco, nada...)
foi falado sobre o caso.
Obedeceria a alguma daquelas ordens.
A reunião foi marcada para as duas horas.
Preferia sua idéia a cada opinião dela.

• Em sujeito.
• Antes de pronomes demonstrativos não ini-
As vezes em que ele esteve aqui foram boas. ciados pela letra a (este, esta, isso, isto, essa...).

A medida que o governo usou foi adequada. Era favorável a essa atitude.

Jamais obedecerei a esta ordem.


• Em objeto direto.

Avisaram a família (OD) sobre as alternativas do


CASOS ESPECIAIS DE CRASE
rapaz (OI).

Informaram a população (OD), de acordo com o • Antes das palavras casa, terra e distância.
que foi definido em assembléia pelo governo, sobre - Haverá crase, se houver determinante.
as mudanças no orçamento (OI). - Não haverá crase, se não houver determinante.

Jamais voltaria a casa depois de tudo o que aconte-


• Antes de pronomes pessoais.
ceu.
Eu, tu, ela, nós, vós, mim...
Os deputados voltaram à Casa para a votação.
Era favorável a ela, não a mim.
Observava-os a uma distância de dez metros.

• Antes de pronome de tratamento (exceto Educação a distância é uma tendência.

senhora e senhorita). Voltaram à terra natal depois de alguns anos.


182
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO 1

• Antes de topônimos (nomes de lugar). • Crase e Produção de Sentido


Femininos; admitem crase, (da)
Chegou a noite (sujeito = anoiteceu) e nada foi
Neutros: não admitem crase, (de)
feito.
Neutros; especificados: admitem crase, (da)
Chegou à noite (locução adverhial = período da
Voltaram à Bahia ontem.
noite) e nada foi feito.
(Vou à Bahia, volto da Bahia)

Referiu-se a Campinas. Nos exemplos acima, ambos corretos, a crase


alterou o sentido básico do enunciado.
Retornou a Paris pela manhã.

Voltou à Paris das luzes.

Voltou à Belo Horizonte dos jardins encantados. CASOS FACULTATIVOS DE CRASE

• Antes de que e de. • Antes de pronomes possessivos femininos,


Haverá crase se o "a" tiver valor de aquela ou
no singular, que não subentendam pala-
subentender palavra feminina.
vras. (O uso do artigo antes do pronome
Referia-se à de olhos claros. possessivo é facultativo. Logo, a crase tam-
bém será.)
Sua atitude era igual à (subentende atitude) de
outras moças. Referiu-se a suas idéias, (caso proibido)

A peça a que assisti era interessante, (só preposição) Referiu-se às suas idéias, (caso obrigatório)

Minha idéia era semelhante à sua (subentende


• Nas formas a qual e as quais.
Haverá crase sempre que o termo conse- idéia), (caso obrigatório)

qüente exigir a preposição a. Referiu-se a sua idéia, (caso facultativo)


As decisões às quais fomos favoráveis eram positi- Era favorável a nossa atitude, (caso facultativo)
vas para a população.

A lei à qual o homem se referiu já não tinha mais • Depois da preposição até.
valor. (Depois de até, a preposição a será faculta-
tiva.)
A decisão a qual desejava (VTD) tinha outras
motivações.
Chegou até o colégio.

• Crase e Paralelismo Sintático Chegou até ao colégio.


Todos têm direito a vida, liberdade, igualdade.
Foram até a escola.
Não há artigo antes de liberdade e igualda-
de. Logo, não se coloca artigo antes de vida. Foram até à escola.

A sociedade é favorável a lei, ordem, regra,


Observa-se que o artigo é facultativo, como
ou
ocorreu diante da palavra masculina "colégio".
A sociedade é favorável à lei, à ordem, à regra.
183
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

• Se houver fusão entre a preposição a e um


• Antes de nomes próprios femininos (sem pronome demonstrativo iniciado pela letra
sobrenome). a (aquele, aquela,...).

Refiro-me a Ana. Preferia isso àquele produto.

Refiro-me à Ana. Voltou àquele lugar.

Refiro-me à Ana, minha melhor amiga. • Em expressões adverbiais, prepositivas ou

Refiro-me a Ana, uma colega de trabalho. conjuntivas (circunstâncias) formadas por


palavras femininas, emprega-se, por tradi-
Havendo contexto de intimidade, usa-se,
ção lingüística, o acento grave.
obrigatoriamente, a crase. Havendo contexto
de distanciamento, não se usa crase, é caso A noite, à tarde, às vezes, à medida que, à
proibido. O artigo demonstra intimidade. Só proporção que, à procura, à espera, á direita, à
é facultativa a crase quando não sabemos se esquerda,...
há ou não intimidade.
• Em indicações de horas (tradição lingüís-
tica).
CASOS OBRIGATÓRIOS DE CRASE Chegou às duas horas.

Saiu às cinco. Voltou às dez..


• Se houver fusão entre a preposição a e um
artigo definido "a(s)". • Em expressões que subentendam as pala-
vras moda/maneira de.
Dirigia-se à direção da escola.
Escrevia à Machado de Assis.
O governo é favorável à mudança.
(à maneira de)

EXERCÍCIOS

1 A frase está CORRETAMENTE construída em 3 Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE


a) Não assisto à filmes de guerra. as lacunas da frase abaixo.
b) A pintura foi executada à óleo.
"Ficaram frente frente se olharem, pensando
c) Não vou a festas.
no que dizer uma outra."
d) A roupa transpira à suor e à vinho.
e) Passeamos à pé todos os dias. a) à-à-a
b) a-à-a
2 "Garanto você que compete ela, pelo menos c) a-a-à
meu ver, tomar as providências para resolver o d) à-a-a
caso." Assinale a alternativa que preenche CORRETA- e) à-a-à
MENTE as lacunas acima.
a) a - a - a 4 Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE
b) à - à - a as lacunas no período abaixo.
c) a - à - à
"Agradeço Vossa Senhoria oportunidade para
d) a - à - a
manifestar minha opinião respeito."
e) à - a - à

184
FLÂV1A RITA COUT1NHO SARMENTO [

a) à-a-à 8 Preencha as lacunas com a, à, as, às e marque a op-


b) à-a-a ção que contém a ordem CORRETA.
c) a-a-a • Fui praia e logo começou chover.
d) à-à-à • Gosto de apreciar praças.
e) à-à-a
• Tivemos que assistir comemoração da Inde-
pendência.
5 "Sentou máquina e pôs-se reescrever uma
uma as páginas do relatório." • Contarei uma história você.
A alternativa CORRETA é • Fui __ Roma e Bahia.
a) a - a - à • Ela não se dirige pessoas frente frente.
b) a - à - à
a) à-a-às-à-à-a-a-a-a
c) à - a - a
b) a-à-às-a-à-a-à-a-à
d) à - à - à
c) à-a-as-à-a-a-à-a-a
e) à - à - a
d) a-à-as-à-a-à-à-a-a
e) à-à-às-à-a-a-à-a-a
6 Em que frase está CORRETO o acento indicador da
crase? 9 Marque a única opção em que NÃO pode haver o
a) O material já foi entregue à aluna. acento indicativo da crase.
b) Chegamos à Ouro Preto. a) Os marinheiros chegam a terra.
c) Fomos à Sabará ontem. b) Vou a terra dos meus avós.
d) Nunca voltarei à essa cidade. c) Dedicou-se a sua carreira.
e) Aproveito o ensejo para reiterar à V. Exa. os pro- d) Já voltaram a casa paterna.
testos de minha estima e consideração. e) Escrevi ontem uma carta a Elisabete.

7 Marque a única frase CORRETA quanto ao uso do 10 Em que alternativa a crase é facultativa?
acento grave. a) Chegando a casa, ela desmaiou.
a) À noite, feriram o estrangeiro à bala. b) Chegou até a montanha.
b) Não gosto de comprar à prazo. c) Dirija-se aquela sala.
c) Pus-me a andar a toa. d) Quando você voltará a Argentina?
d) Pedimos a menina que trouxesse feijoada à carioca. e) A crise de hoje é semelhante a de anos anteriores.
e) Esta bicicleta é semelhante a que comprei.

| q-OI 1 B-6 I D-8 I B-Z | B-9 | D-S I D-F i D- £ I b-z I 3-X I


oiuBqBO

185
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

CRASE
CASOS PROIBIDOS CASOS ESPECIAIS CASOS OBRIGATÓRIOS
Antes de casa, terra e distância, Se houver fusão entre um "A"
Antes de maculino em geral. haverá crase sempre que tais palavras preposição e um "A"(S) artigo
estiverem especificadas. definido.
Antes de topônimos (nome do lugar).
Se houver fusão entre um "A"
a) Femininos: admitem crase.
preposição e um pronome
Antes de verbo. b) Neutros: não admitem crase.
demonstrativo iniciado pela letra
c) Neutros especificados: admitem
"A" (aquele, aquela, aquilo...).
crase.
TRADIÇÃO LINGÜÍSTICA:
Nas locuções adverbiais,
prepositivas ou conjuntivas,
Antes de QUE e DE, haverá crase
formadas por palavras femininas.
Antes de numerais (exceto em sempre que o "A" tiver valor de
à direita, à esquerda, às vezes,
indicação de horas). AQUELA ou subentender palavra
às pressas, à beira, à procura,
feminina.
à espera, à medida que, à
proporção que, à disposição, à
noite, à tarde...
Nas formas a qual/as quais, haverá Indicação de horas
Antes de artigo indefinido (um,
crase sempre que o conseqüente exigir (circunstâncias de tempo):
uma, uns, umas).
preposição "A". DE-A / DAS-ÀS / DA-À
Se as expressões MODA DE,
Antes de nome próprio Crase e produção de sentido. Quando
ou MANEIRA DE estiverem
completo. houver ambigüidade / valor distintivo.
subentendidas.
OBS.: Alguns autores não
empregam acento grave
Antes de uma palavra plural Crase e paralelismo sintático. nas locuções adverbiais de
quando o "A" estiver no singular. Manutenção da coerência textual. instrumento. Acreditam que só
Deve-se observar a padronização no há preposição.
uso de artigos.
Antes de Dona + nome próprio. CASOS FACULTATIVOS
Observe: Antes de pronomes possessivos
Antes de pronomes pessoais. Todos têm direito a lei, ordem, regra, femininos no singular, que não
ou subentendem palavras.
Antes de pronome Todos têm direito à lei, à ordem, à
de tratamento regra. Depois da preposição ATÉ.
(exceto senhora/senhorita).
*Pode haver oscilação de sentido.
Antes de nomes próprios
Antes de pronomes indefinidos. femininos
SEM REFERÊNCIA.

186
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

CASOS PROIBIDOS DICA


Antes de pronomes
demonstrativos não iniciados com Quem vai à e volta da coloca crase no à
a letra "A", (este, isto, essa.,.).
Entre palavras repetidas, Vou à Bahia.
(ano a ano, mês a mês...). (Volto da Bahia)

Em sujeito.
Quem vai a e volta de coloca crase para quê ? Para errar!
Em objeto direto.
Vou a Belo Horizonte.
Depois de preposição
(Volto de Belo Horizonte)
(exceto até).
UNIDADE VIII

CONCORDÂNCIA

CONCORDÂNCIA NOMINAL
Manoel comprou um cinto e colar antigo.
A concordância nominal acontece quando o ad-
ou
jetivo, o pronome, o numerai e o artigo alteram suas
desinências para se ajustarem ao substantivo a que se Manoel comprou um cinto e colar antigos.
referem.
Tratava-se de momento e lugar inoportuno.
REGRA GERAL ou
O adjetivo, o pronome, o numerai e o artigo
Tratava-se de momento e lugar inoportunos.
concordam em gênero e número com o substan-
tivo a que se referem. Quando o adjetivo vem posposto a substan-
tivos de gêneros diferentes, vai ao masculino
Os seus dois carros novos chegaram.
plural ou concorda com o mais próximo.
Estes lindos olhos azuis me encantam.
vaidosa - Adjetivo no singular, con-
Tenho um primo corda com o substantivo mais próximo.
CASOS PARTICULARES
e uma irmã
vaidosos - Adjetivo vai ao plural,
concorda com todos os substantivos.
• Adjetivo posposto a dois ou mais substanti-
vos vai ao plural ou concorda com mais pró- Ana recebeu uma pasta e um batom
ximo. importado.
• Quando um adjetivo vem posposto a subs- ou
tantivos do mesmo gênero, conserva o gê- Ana recebeu uma pasta e um batom
nero, indo ao plural ou concordando com o importados.
mais próximo.
Marta pediu um garfo e uma faca cromada.
vaidosa - Adjetivo no singular,
concorda com o substantivo próximo. ou
Tenho uma prima
Marta pediu um garfo e uma faca cromados.
e uma irmã
vaidosas - Adjetivo vai ao plural,
concorda com todos os substantivos.

188
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

• Adjetivo posposto a substantivos em gradação,


Adjetivo posposto a mais de um substantivo
em sinonímia ou referindo-se a uma só pessoa
(adjetivo com função de adjunto adnominal)
concorda com o substantivo mais próximo.
OCORRÊN- CONCORDÂN-
EXEMPLOS
CIAS CIA EFETUADA
• Quando o adjetivo vem posposto a dois ou
Substantivos adjetivo Canhei camisa
mais substantivos alinhados em gradação
de mesmo concorda com o e blusa branca/
concorda com o mais próximo. gênero + substantivo brancas.
adjetivo mais próximo Comprei sofá e banco
Um ser, uma força, uma inteligência
ou vai ao plural usado/usados.
suprema...
Substantivos adjetivo Ganhei camisa e
A inteligência, o esforço, a dedicação de gêneros concorda com o sapato preto/pretos.
extraordinária vence tudo. diferentes + substantivo mais Comprei sofá e cama
adjetivo próximo ou vai usada/usados.
ao plural no Tomo bebidas e leite
• Quando o adjetivo vem posposto a dois ou
masculino quente/quentes.
mais substantivos sinônimos entre si, con-
Substantivos adjetivo Tinha idéia e
corda com o mais próximo.
exprimindo concorda com o pensamento fixo.
Era um marido e companheiro exemplar. gradação e substantivo Tinha por ela amor e
sinonímia mais próximo paixão intensa.
A aplicação e amor racional faz bem.
Substantivos adjetivo Ele é um esposo
Havia júbilo e alegria intensa em casa. referindo-se a concorda com o e companheiro
uma só pessoa substantivo dedicado.
As maldições se cumpriram no povo e gente mais próximo Conheci um cantor e
hebreia. ator famoso.

• Quando o adjetivo vem posposto a dois ou


• Adjetivo anteposto a dois ou mais substantivos.
mais substantivos referentes a uma só pessoa
concorda com o mais próximo.
• Quando um adjetivo se antepõe a dois ou
O treinador e goleiro tranqüilo chegou. mais substantivos comuns, concorda quase
sempre com o mais próximo.
O deputado e secretário da Educação mineiro.
Bela floresta e rios.

Que assim mereça eterno nome e glória.


| Há casos em que a concordância atrativa ; Era dotado de extraordinária coragem e
| será obrigatória, ou seja, o adjetivo terá de ; talento.
1 concordar com o substantivo mais próximo 1
! por causa do sentido. I • Adjetivo anteposto a nomes de parentescos
; Ganhei de presente relógio e frango saboroso. | ou nomes próprios de pessoas ou títulos,
\V // concorda com o conjunto.

189 1
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Os preocupados pai, mãe e tios chegaram. Entrada é proibido.

Os enigmáticos Guimarães Rosa e Mário de Paciência é necessário neste trânsito louco.


Andrade são muito lidos.
Vitaminas, às refeições, não é mau.
Os afortunados Embaixador dos Estados
Aplausos é permitido.
Unidos e Primeira-Ministra de Israel
escaparam ilesos. É permitido aplausos.

Os modernistas Cecília Meirelles e Manuel • Quando o sujeito do verbo ser vem determi-
Bandeira geralmente fazem bem à alma. nado, o adjetivo em função de predicativo
concorda com o substantivo.
Adjetivo anteposto a mais de um substantivo
(adjetivo com função de adjunto adnominal) Substantivo na função de sujeito determina-
CONCORDÂNCIA do por artigo, pronome ou numerai.
EXEMPLOS OCORRÊNCIAS
EFETUADA
Substantivos Adjetivo Conheci belas
comuns A água mineral é boa para a saúde.
concorda com 0 florestas e rios.
substantivo mais Percorri imensa Toda cerveja quente é péssima.
próximo lagoa e vales.
Muitos aplausos são permitidos.
Substantivos Adjetivo vai ao Já li os grandes Ruie
próprios plural Machado. Algumas vitaminas, às refeições, são necessárias.
Os Clássicos Homero
É proibida a entrada.
e Virgílio...
A entrada é proibida.
• Predicado nominal formado de "verbo ser + ad-
jetivo predicativo".
(é bom, é proibido, é necessário, é claro, é eviden- REGRAS ESPECIAIS
te, é ótimo...)
• Particípio realiza concordância com o seu re-
ferente.
• Quando o sujeito do verbo ser é tomado em
sua generalidade, sem determinante, o ad- Dadas, em função de um problema específico,
jetivo em função de predicativo permanece soluções para a questão, nada foi feito.
invariável na forma masculina.
• Menos, abaixo, alerta e pseudo são sempre
invariáveis.
Substantivo na função de sujeito sem deter-
minante (sem artigo, pronome ou numerai). Os representantes do governo se mantiveram
alerta durante a reunião.

Água mineral é bom para a saúde. Usou pseudo argumentos na ocasião.


Cerveja quente é péssimo.
• Em anexo, em alerta, a sós, haja vista, em
É proibido entrada. mão são expressões invariáveis.

190
FLÂVIA RITA COUT1NHO SARMENTO |

Ele foi aprovado no concurso, • Dois ou mais substantivos qualificados por


haja vista o seu esforço. um único adjetivo em função predicativa
(verbo + adjetivo).
Os documentos seguem em anexo, (sem a
preposição, a palavra anexo varia normalmente) - Adjetivo anteposto: concorda com o termo
mais próximo ou com o conjunto.
Eles estavam a sós.
Estava satisfeita mãe e filho.
Nota:
A expressão haja vista admite plural no verbo Estavam satisfeitos mãe e filho.
haver.
Haja(m) vista os acontecimentos, chegou Parecia clara a decisão e a atitude do governo.
atrasado.
Pareciam claras a decisão e a atitude do governo.
• Obrigado, quite, incluso, anexo, nenhum, vá-
- Adjetivo posposto: concorda sempre com o
rios e próprio são palavras variáveis, por isso
conjunto.
concordam com o substantivo a que se refe-
rem.
Mãe e filho estavam satisfeitos.
Muito obrigada, disse a moça ao rapaz.
A decisão e atitude do governo pareciam claras.
Nós estamos quites com o banco.
• Expressões do tipo é bom, é necessário, é
permitido, é preciso, é pouco, é muito, é su-
Seguem anexos os documentos.
ficiente, é proibido.
Vocês não são nenhuns coitados.
- Com determinante, variam.
"Vária vez, ouvi aquela mulher chorar."
É permitida a saída do funcionário.
(Machado de Assis)
São proibidas as músicas altas.
• Tal qual: tal concorda com o antecedente e
qual concorda com o conseqüente.
Os dez reais são suficientes.
As medidas do governo são tais quais os
seus interesses.
- Sem determinante, permanecem no mascu-
O governo é tal qual o povo. lino e no singular.

Eles eram tais qual o pai. Ê permitido saída do funcionário.

É proibido músicas altas.


Os filhos eram tais qual a mãe.
Dez reais é suficiente.
• O adjetivo possível, em expressões superlati-
vas (o mais, o menos), concorda com o artigo
que o precede.
• Muito, pouco, bastante, meio, só, alto,
Eram alunos o mais estudiosos possível. baixo, mesmo...
- Variam quando se referem a um termo de
Eram alunos os mais estudiosos possíveis.
natureza substantiva.
Eram pessoas o mais respeitadas possível.

191 I
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

Elas estavam sós.


CONCORDÂNCIA VERBAL
Comeu meia maçã.
Havia bastantes opções. REGRA GERAL

- Não variam quando funcionam como advér-


• O verbo concorda em número e pessoa com o
bios (modificam verbo, adjetivo ou o próprio
seu sujeito.
advérbio).
Falta investimento.
Elas só dizem a verdade.
Ela acordou meio nervosa. Faltam investimentos.

Pai e filho reconheceram o rapaz.


^

• Bastante vai para o plural quando for equi- Qual de nós sabe a verdade?

valente a muitos, muitas ou suficientes.

}á tenho problemas bastantes. A nenhum de nós essas tarefas.


(cabe / cabem)
• Meio não varia com valor de um pouco, mais
ou menos. Considerando que a frase está invertida, o cer-
to seria cabem, pois o sujeito da frase é essas
A presidenta está meio preocupada em
tarefas.
relação ao futuro do país.

• Só varia com valor de sozinho/sozinha.


Não se de fatos complexos.
Ela estava só.
(trata / tratam)
Elas estavam sós.
O correto seria trata, pois a partícula se foi em-
• Mesmo varia com valor de próprio. pregada para indeterminar o sujeito. Logo, o
verbo fica no singular.
Ela mesma resolve seus problemas.

• O vocábulo mesmo não pode ser usado para


aos alunos, nas suas diversas ativida-
retomar termos substantivos (palavras, no-
des, considerar o fato.
mes próprios). Ele é empregado para dar ên-
(cabe / cabem)
fase ou retomar idéias.
O correto seria cabe, pois o verbo está regido
Respeitava o projeto, pois o mesmo era
por um sujeito oracional considerar o fato.
inovador, (errado: está retomando a palavra)

A mulher mesma discutiu o tema. (certo:


haver mudanças no setor.
sugere ênfase)
(Precisa / Precisam)
Eu ajudei o rapaz, qualquer um faria o mesmo.
O verbo haver está empregado com valor exis-
(certo: está retomando a idéia, não a palavra)
tencial, assim seu auxiliar se torna impessoal.
Portanto, o correto seria Precisa.

192
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

As mulheres tiveram várias conquistas, o que as


TIPOS DE CONCORDÂNCIA
mais fortes, (fez / fizeram)
Lógica: feita com o núcleo do sujeito.
O verbo deve concordar com o termo antece-
dente do relativo. No caso, concorda com o pro- A maioria das pessoas acredita no amor.
nome o ficando, portanto, no singular/ez.
Atrativa: feita com o termo mais próximo.

Nenhum de nós tudo sobre a nossa A maioria das pessoas acreditam no amor.
essência, (sabe / sabemos)
Ideológica (silepse): feita com a idéia sugerida
Nesse caso, o pronome nenhum é o núcleo do pelo termo.
sujeito e o verbo deve, obrigatoriamente, ficar
Todos buscamos a felicidade, (nós)
na 3a pessoa do singular. Logo, o correto é sabe.

Não se a regras arbitrárias nos dias CASOS DE CONCORDÂNCIA VERBAL


de hoje. (obedece / obedecem)
• Expressões partitivas + determinante: lógica
Quando o verbo for VTI, o se será índice de ou atrativa (a maioria, grande parte, um pe-
indeterminação do sujeito. Nesse caso, o verbo queno número, um grupo...).
sempre fica na 3a pessoa do singular, portanto o
A maioria dos adolescentes não
correto é obedece.
respeita / respeitam normas.

A maioria da população problemas Grande parte dos cidadãos vive / vivem com o
para dormir, (tem / têm) mínimo.

O verbo ter, como está associado a uma expres- • Coletivos + determinante; lógica ou atrativa.
são partitiva, poderia, no contexto da frase fa- (grupo, turma, classe, conjunto, enxame...)
zer concordância lógica ou atrativa. Na frase em
Um conjunto de engenheiros
análise, os dois termos, maioria e população, resolveu / resolveram o caso.
estão no singular. Logo, o verbo só poderá ficar
no singular tem. Um enxame de abelhas atacou / atacaram
o rapaz.
• Prefere-se o singular.
O governo tem muitos planos; a população, não.
• Numerais percentuais, decimais ou fracioná-
A vírgula empregada no trecho torna as duas
rios + determinante: lógica ou atrativa.
frases semanticamente dependentes porque
substitui a expressão tem muitos planos. 1 % dos produtos estragou / estragaram.

DICAS SOBRE SUJEITO 50% da sociedade acredita / acreditam.


• O núcleo do sujeito não pode ser preposicionado. Nota:
• O sujeito pode estar posposto ao verbo.
• Não se separa sujeito de predicado por vírgula. Sem determinante, o verbo concordará com o
numerai.
• Para identificar o sujeito na frase, use o quê? ou
quem?.

193
PORTUGUÊS DESCOMPUCADO

• Bater, soar, tocar, dar, faltar, bastar,... + sujei-


Se houver um determinante antes do numerai,
to numérico:
o verbo concordará, obrigatoriamente, com o
o verbo concorda com o sujeito numérico.
numerai. Algumas bancas preferem a concor-
dância atrativa. Bastam cinco reais para resolver o caso.
Os 50% da sociedade acreditam.
Faltam dois dias para a prova.
Este 1 % dos produtos estragou.
Na atual conjuntura da política econômica
• Sujeito composto posposto ao verbo: lógica ou brasileira, bastam dois milhões (...).
atrativa.
• Ser (hora/data/distância):
Falta /faltam investimento e recurso no setor.
o verbo concorda com o numerai. O verbo ser,
Basta / bastam uma atitude e uma avaliação. nesse caso, forma oração sem sujeito, pois é
impessoal.
• Um dos que/uma das que: lógica ou atrativa.
São duas horas.
O governo foi um dos que investiu / investiram no
E meio-dia e meia.
setor.
Já é uma e meia.
Ela foi uma das moças que se manifestou / mani-
Hoje são cinco de março.
festaram.
Hoje é dia cinco de março.
• Há uma preferência pelo plural. São dois quilômetros até a minha casa.

• Pronome indefinido ou interrogativo (no plu-


ral) +nós/vós: lógica ou atrativa. • Expressões de quantidade aproximada sem de-
terminante (cerca de, perto de, mais de, menos
Quais de nós sabem / sabemos o que aconteceu? de...): o verbo concorda com o numerai.

Alguns de nós sonham /sonhamos com Mais de um milhão foi gasto.


uma vida melhor.
Menos de duas pessoas estiveram no local.
• Pronome que, na função de sujeito:
o verbo concorda com o antecedente.
• Se houver determinante, poderá fazer concor-
Fomos nós que fizemos a tarefa. dância lógica ou atrativa.
• Numerai sem determinante: o verbo concorda
Conhecia muitas pessoas, o que a tornava especial. com o numerai.

• Pronome quem, na função de sujeito:


o verbo concorda com o antecedente ou fica 50% concordaram com o governo.
na 3a pessoa do singular, concordando com o
próprio quem. Metade concordou com o governo.

Fomos nós quem fizemos/fez a tarefa. • Sujeito representado por nome próprio plural:
Foram as mulheres quem decidiram / decidiu
- com artigo, usa-se o plural.
tudo.
- sem artigo, o verbo permanece no singular.

194
FLÁVIA RITA COUT1NHO SARMENTO

Estados Unidos representa o mundo. Vossa Excelência está preocupado porque sabe de
Os Estados Unidos representam o mundo. suas obrigações.

As Minas Gerais representam o país. Preciso dizer a você que o amo.


Minas Gerais representa o país.
Pronomes de tratamento não admitem com-
• Sujeitos representados por verbos no infinitivo: binações com teu, te, ti, vós, vosso, -ste, stes.
- com artigo, usa-se o plural.
- sem artigo, o verbo permanece no singular.
• Haver existencial: 3a pessoa do singular.
Ler e escrever representa a base da educação,
(verbo impessoal / forma oração sem sujeito / VTD)
(sujeito oracional)
Se houvesse soluções para o caso, eu saberia.
O ler e o escrever representam a base da educação,
(Se existissem soluções para o caso, eu saberia.)
(sujeito composto)
Havia problemas estruturais no setor.
Em caso de antônimos, recomenda-se o plural.
(Existiam problemas estruturais no setor.)
Amar e odiar são sentimentos contrastantes.

O verbo existir não é impessoal, flexiona-se


• Sujeitos unidos por ou:
normalmente. É sempre VI.
- se der idéia de inclusão, usa-se o plural.
- se der idéia de exclusão, usa-se o singular.
Haviam discutido a proposta do governo
Cigarro ou álcool fazem mal à saúde. Houveram-na por louca.
Atlético ou Flamengo será campeão brasileiro.
O verbo haver, em outros sentidos, varia nor-
Teatro ou cinema eram as opções de lazer. malmente, como nas duas frases acima.
Teatro ou cinema era o programa da noite.
Na discussão, teve quem questionasse a decisão do
governo, (certo: houve)
• Sujeitos unidos por com:
- usa-se o plural. Admite-se o singular quando se
O verbo ter não pode ser usado com valor exis-
deseja dar ênfase ao primeiro elemento.
tencial, logo a frase acima está errada de acordo
A professora com os alunos decidiram a data da com a norma culta.
prova.

A professora, com os alunos, decidiu a data da prova.


• Haver e fazer indicando tempo decorrido: 3a
pessoa do singular.
• Pronomes de tratamento:
(verbos impessoais / formam oração sem sujeito)
embora sejam de 2a pessoa, concordam com
verbos e formas auxiliares em 3a pessoa. Em gê- Havia semanas que não se falavam.

nero, concordam com o sexo da pessoa a que se Já faz cinco anos que ele esteve aqui.
referem.

195
| PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

• Verbos indicando fenômenos naturais: 3a pes- • Sujeitos em gradação: realizam concordância


soa do singular. atrativa.
(são verbos impessoais / formam oração sem Ao se concordar com o conjunto, há descaracte-
sujeito) rização da gradação.
Choveu em vários estados brasileiros. Um ano, um mês, uma semana não muda nada.

Ventavam folhas para todos os lados. Um olhar, um gesto, uma palavra bastaria.
(Em sentido figurado, o verbo varia. Portanto,
o verbo ventar concordou com o seu sujeito • Sujeitos representados por núcleos sinônimos:
sintático: folhas.) realizam concordância atrativa.

Amor e paixão ardente faz* bem à alma.


• Auxiliares de verbos impessoais ficam sempre
Alegria e felicidade move* a vida.
na 3a pessoa do singular.

Deve haver outras opções para o rapaz. • A concordância com o conjunto descaracteriza
a sinonímia.
Vai fazer dez anos que nos conhecemos.

• Verbo parecer.
a O parecer se flexiona em locuções verbais, se-
• Cada um (a) de/dos/das: 3 pessoa do singu-
lar. guido de infinitivo sem flexão.

Cada uma das meninas chegou no horário. Pareciam compreendera vida. (loc. verbal)

Cada um de nós sabe o que quer. Os governantes parecem concordar com o acordo,
(loc. verbal)

• Nenhum (a) de/dos/das: 3a do singular. O parecer permanece na 3a pessoa do singular,

Nenhum de nós criticou o governo. seguido de infinitivo flexionado formando su-


jeito oracional. Nesse caso, há estruturação de
Nenhuma delas entendeu o fato.
período composto.

Parecia compreenderem a vida.


• Sujeito oracional = Parecia que eles compreendiam a vida.
O verbo da oração principal fica sempre na 3a
Os governantes parece concordarem
pessoa do singular.
com o acordo.
Cabe aos alunos das diversas universidades = Parece que os governantes concordaram com o acordo.
brasileiras discutir o tema.

Procura-se resolver conflitos. É possível que ambos os verbos fiquem no


singular. Entretanto, os dois jamais ocorrerão
É importante que se diga a verdade. no plural.
Eles pareciam saberem a verdade. (Errado)

196
FLÁVIA RITA C0UTINH0 SARMENTO

• Em locuções verbais, apenas o auxiliar de um • Verbo ser (de ligação)


verbo no infinitivo pode se flexionar. O verbo ser concorda ora com o predicativo ora
com o sujeito, seguindo a seguinte ordem de
Elas estão estudando, (locução verbal)
prevalência;
Elas vão estudar, (locução verbal) PRONOME RETO > PESSOA >
PLURAL > OUTROS
• Em períodos compostos, o infinitivo poderá
Você sou eu amanhã.
ser flexionado, sobretudo se estiver precedido
de preposição. Meus sonhos é ela.

Elas pediram para sair / saírem mais tarde. A vida são crianças brincando.

Elas têm receio de se sentir / se sentirem mal.


Se houver pronome indefinido ou demonstra-
tivo + plural, a concordância poderá ser feita
com qualquer um dos termos.

Isso é / são coisas da vida.

LOCUÇÃO VERBAL Tudo é / são flores.


X
PERÍODO COMPOSTO
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Locução verbal:
• o infinitivo não varia. • Em caso de concordância lógica e atrativa,
sempre haverá alteração sutil de sentido ou
• possui apenas um sujeito.
de ênfase, sem necessariamente comprome-
ter a coerência textual.
Período composto:
• o infinitivo pode variar. A maioria dos políticos cumpre / cumprem
• possui dois sujeitos que podem ser diferentes suas promessas.
ou iguais. (no singular, dá foco para a coletividade e, no
plural, dá foco para a particularidade)
As pessoas têm medo de se sentir sozinhas ao
longo da vida. [ou se sentirem]
• Ordem de prevalência das pessoas gramati-
As pessoas devem, ao longo da vida, reforçar cais no Português Brasileiro:
suas ideologias, [não pode variar locução]
- a Ia pessoa prevalece sobre as demais.
Os professores pediram para, na ocasião, sair
- entre a 2a e a 3a pessoa, não há prevalência.
mais cedo. [ou saírem]
Eu, tu e Ana fomos ao local.
Os governantes têm que, em algum momento,
discutir o fato. [não pode variar locução] Tu e Ana foram / fostes ao local.

• Alguns autores recomendam a prevalência da


Os governantes sentem necessidade de refletir
2a pessoa.
sobre o fato. [ou refletirem]

197
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

EXERCÍCIOS

1 Os termos destacados estão corretamente flexiona- 4 "Vossa Excelência ouvir a opinião dos jovens
dos, EXCETO em que apoiaram durante campanha." As-
a) Foi-me penosa a indecisão, o medo e a fraqueza. sinale a alternativa que completa CORRETAMENTE as
b) Embora fosse tarde, saíram apressadas e sós. lacunas.
c) Vinha com bolso e mãos cheios de dinheiro. a) deveis, lhe, vossa.
b) deve, o, sua.
d) Felizmente, hoje está quites com seus credores.
c) deve, lhe, sua.
e) Apesar da idade, não era homem de meias pala-
d) deveis, vos, vossa.
vras.
e) deve, o, vossa.

2 Todas as concordâncias são referenciadas pela nor- 5 Assinale a opção que NÃO se apresenta adequada à
ma culta, EXCETO em norma culta da língua padrão.
a) Estavam bastante desertas a vila, os bares e o a) A maioria das pessoas está preferindo morar no
tempo. meio urbano.
b) É necessário manter bastante limpas as ruas e os b) Nenhum de nós desconhece a importância de tua
jardins. tese.
c) Quais de vocês viajariam para um deserto como a
c) Considerava as razões bastantes para acusar de
fazenda do matagal?
corrupto o rei e a rainha.
d) Quantos de vós me ensinareis a viver melhor a
d) Terão bastantes razões para considerar simpáti-
minha vida?
cos o diretor e sua filha? e) Qual de vocês têm algum juízo para me apontar
e) Serão bastante importantes as máquinas para caminhos?
que os homens se encantem com elas?
6 Identifique a opção que pode ser completada APE-
3 Até agora, já foram encontradas oito torres e um pe- NAS com a primeira forma verbal proposta, segundo
os padrões da língua culta.
daço do grande muro que protegia a cidade.
a) Ainda hoje haver muitas Elviras em nossa
sociedade, (pode / podem)
Ocorreu um caso de concordância equivalente ao gri- b) Quais de vós a primeira pedra em Elvira?
fado acima em (atirariam / atiraríeis)
c) A maioria dos amantes de Elvira no su-
a) Mandou-me, pelo emissário, livros e frutas madu- búrbio. (morava / moravam)
d) Não se facilmente, em nosso peito,
ras.
pessoas iguais a Elvira. (admite/admitem)
b) Perdido o orgulho e a fé, nada mais lhe restou
senão a morte. 7 Todas as alternativas abaixo apresentam concordân-
c) Foram reconhecidos, pelas famílias, o corpo e as cia verbal correta, EXCETO
vestes do morto no acidente. a) A maior parte dos menores vive sob as marquises.
A maior parte dos menos vivem sob as marquises.
d) São necessárias todas as providências, para que
b) Faz anos que a questão do menor se agrava no
fatos dessa natureza não mais ocorram. Brasil.
e) A rudez e a violência alheia assustam mais do que Fazem anos que a questão do menor se agrava no
as nossas próprias. Brasil.

198
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO i

c) llson Escóssia é um dos que apresenta suspeita de 9 Assinale a frase que contém ERRO, tendo em vista a
delinqüência. concordância verbal.
llson Escóssia é um dos que apresentam suspeita a) Eu, tu e vossos amigos fomos ao cinema.
de delinqüência. b) Fui ao cinema eu, tu e vossos amigos.
d) Um bando de meninos morre a cada dia no País. c) Tu e teus amigos quisestes sair.
Um bando de meninos morrem a cada dia no d) Tu e teus amigos quiseram sair.
País. e) Tu e teus amigos quiseste sair.
e) Quais de nós pensam nos meninos de rua?
Quais de nós pensamos nos meninos de rua? 10 Em todas as opções, a lacuna pode ser preenchida
apenas por uma das formas verbais indicadas,
8 Em todas as alternativas, a lacuna pode ser preenchi- EXCETO em
da corretamente por ambas as formas entre parênte- a) resultados completamente satisfató-
ses, EXCETO em rios. (Havia/Haviam)
a) A maioria das pessoas comentá- b) Os dias tristes, nem as horas longas, nada o
rios sobre fatos que não existiram, (elabora / ela- para outro lugar, (deslocava/desloca-
boram) vam).
b) Alguns de nós profissionais autônomos. c) -lhe o juízo e o senso do ridículo, pois
(são / somos) tinha medo de se exibir. (Sobrava/ Sobravam)
c) Boa parte dos entrevistados ao concer- d) -lhe as propriedades e o dinheiro da he-
to de Villa Lobos, (assistiu/assistiram) rança misteriosa. (Faltava/Faltavam)
d) Mais de um Ulysses Guimarães posando
pelado numa revista, (viu/viram)
e) Na Avenida Paulista, a burguesia e o po-
pulacho. (transita/transitam)

| 3-0t | 3-6 | p-8 | q-i | b-9 I 3-S | q-H q- £ | ^ I P-t I


oiUBqeo

199
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

|| CONCORDÂNCIA VERBAL - PRINCIPAIS CASOS


| CASOS CONCORDÂNCIA TIPO
Expressões partitivas + determinante Grande parte, a maioria, um pequeno número... Lógica ou Atrativa
Coletivo + determinante Uma coleção, um conjunto, uma turma... Lógica ou Atrativa
• Se o numerai vier precedido de determinante (artigo/pronome), o
Numerais + determinante verbo concordará com o numerai.
• Se o numerai não estiver determinado, o verbo concordará com o Lógica ou Atrativa
numerai.
Um(a) dos/das que Há uma preferência pelo plural. Lógica ou Atrativa
Pronomes indefinidos ou interrogativos, no
plural, + nós ou vós Se o pronome estiver no singular, o verbo ficará apenas no singular. Lógica ou Atrativa
Sujeito composto posposto ao verbo Em caso de sujeito anteposto, usa-se a concordância lógica. Lógica ou Atrativa
• Nem um / nem outro - preferencialmente singular.
Nem um / nem outro / um e outro • Um e outro - preferencialmente plural. Nesse caso, o substantivo Lógica ou Atrativa
só pode ficar no singular e o adjetivo só pode ficar no plural.
Impessoal, oração sem sujeito, VTD, não aceita passiva. Haver
Haver existencial sem valor existencial varia. Não pode usar o verbo TER com valor 3a Pessoa/Singular
existencial.
Haver e fazer indicando tempo decorrido Impessoal, oração sem sujeito, não aceita passiva. 3a Pessoa/Singular
Impessoal, oração sem sujeito, não aceita passiva.
Fenômenos naturais ATENÇÃO: em sentido figurado, o verbo concordará como 3a Pessoa/Singular
sujeito.
Auxiliares de verbos impessoais O verbo existir e seu auxiliares variam. 3a Pessoa/Singular
Sujeito oracional Amar é bom. 3a Pessoa/Singular
Nenhum(a) de / dos / das Nenhum de nós disse isso. 3a Pessoa/Singular
Cada um(a) de / dos / das Cada um de nós chegou. 3a Pessoa/Singular
Aposto resumitivo / enumeração
+ tudo, nada, ninguém Amor, amizade, dinheiro, nada lhe agradava. 3a Pessoa Singular

Núcleos sinônimos Amor e paixão ardente fáz bem à alma. Atrativa


*Altera-se o sentido. Amor e paixão ardente fazem bem à alma.
Nesse caso perdeu a noção de sinônimo. 3a Pessoa

Um mês, um ano, uma vida não bastaria para... Atrativa


Núcleos em gradação
Um olhar, um gesto, uma palavra mudariam tudo.
Perdeu-se a noção de gradação. 3a Pessoa/Singular

Mais de um(a) Exceções em caso de expressão duplicada ou idéia de reciprocidade. 3a Pessoa/Singular


Soar, tocar, dar, bater, faltar,
restar + sujeito numérico. O verbo concordará com o sujeito numérico.

Ser - hora / data / distância O verbo concordará com o numerai que o acompanhar.

• O verbo concordará com o numerai da expressão.


Expressões de quantidade aproximada • Se a expressão estiver seguida de determinante, a concordância atrativa
também será aceita.

200
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

CASOS CONCORDÂNCIA TIPO |

Com determinante Plural


Nomes próprios plurais
Sem determinante Singular

Partícula Apassivadora - o verbo varia para concordar com o sujeito. Lógica


a
índice de indeterminaçáo do sujeito 3 Pessoa Singular
Para o CESPE, a partícula SE poderá ser IIS também com VTD ou VTDI. Isso ocorrerá
quando o verbo (VTD/VTDI) estiver seguido de complemento plural. Nesse caso, o
Partícula SE verbo só poderá ficar na 3a pessoa do singular.
1) Procura-se (VTD - PA) soluções para o caso. Certa para o CESP e errada para
qualquer banca.
2) Procuram-se (VTD - IIS) soluções para o caso. Certa para
qualquer banca.

• Em locuções verbais, apenas o auxiliar varia, ou seja, o infinitivo não se flexiona.


• Em períodos compostos com o mesmo sujeito, a flexáo do infinitivo será facultativa,
Flexáo de infinitivo sobretudo se ele vier percedido de preposição.
• Se o sujeito do infinitivo estiver explicito e for distinto da oração, a flexão será
obrigatória.

Parecer - 3a singular + infinitivo flexionado - Período Composto


Verbo parecer Parecer flexionado + infinitivo impessoal (sem flexão) - Loc. Verbal

O verbo ser (de ligação) poderá concordar ora com o sujeito ora com o predicativo do
sujeito, respeitando a seguinte ordem de prevalência:
Verbo Ser (de ligação) 1) pronome reto - 2) pessoa - 3) plural - 4)outros.
EXCEÇÃO: Pronome indefinido ou pronome demonstrativo + palavra plural, a
concordância poderá ser realizada com qualquer um dos termor. Tudo é/são flores.

Pronome de tratamento Concorda sempre em 3a pessoa com verbos e formas auxiliares.

Sujeitos unidos por OU Inclusão: plural / Exclusão: singular

Sujeitos unidos por COM Em geral, usa-se plural. Admite-se o singular para efeito de ênfase no primeiro elemento.

QUE - o verbo concordará sempre com o termo antecedente.


Sujeito representado pelos pronomes a
QUEM - o verbo concordará com o antecedente ou permanecerá na 3 pessoa do
relativos QUE ou QUEM singular concordando com o próprio QUEM.

201
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

CONCORDÂNCIA NOMINAL - PRINCIPAIS CASOS


CASOS DE CONCORDÂNCIA REGRA ESPECÍFICA

São sempre invariáveis. Alguns autores admitem a flexão do vocábulo


Menos, abaixo, alerta, pseudo
alerta quando junto do nome.

Haja vista, em anexo, a sós, em alerta, a São sempre invariáveis. Alguns autores admitem a flexão da forma haja(m)
olhos vistos, a olhos nus, em mão quando seguida de palavra plural.

Tal qual Tal concorda com o antecedente e qual concorda com o conseqüente.

Adjetivo possível em expressões 0 adjetivo possível, em expressões superlativas, concorda com o artigo que
superlativas o precede.

Particípio passado Concorda sempre com o substantivo a que se refere.

Se houver determinante, a concordância será feita seguindo o padrão do


É proibido, é permitido, é bom, é
determinante.
necessário, é pouco, é suficiente
Se não houver determinante, a expressão ficará no masculino, singular.
Obrigado, quite, incluso, leso, próprio,
Tais adjetivos concordam com o substantivo a que se referem.
nenhum, vários, anexo...

Usa-se artigo plural, seguido de substantivo plural e de adjetivos no


Dois ou mais adjetivos qualificando um singular.
único substantivo Ainda, pode-se usar artigos antes de todos os termos subentendendo o
substantivo.

Dois ou mais substantivos qualificados por Adjetivo anteposto: mais próximo ou conjunto.
um único adjetivo em função predicativa Adjetivo posposto: conjunto.

Dois ou mais substantivos qualificados


Adjetivo anteposto: mais próximo.
por um único adjetivo em função de
Adjetivo posposto: mais próximo ou conjunto.
adjunto adnominal

Em caso de nomes próprios A concordância será feita com o conjunto.

Em caso de sinônimos A concordância será feita com o termo mais próximo.

Em caso de gradação A concordância será feita com o termo mais próximo.

Em caso de dos ou mais substantivos se


A concordância será feita com o termo mais próximo.
referindo a um mesmo ser

Muito, pouco, alto, baixo, caro, barato, São invariáveis quando funcionam como advérbios. Variam quando se
mesmo, só, meio, bastante... referem a termo de natureza substantiva.

202
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

• OBSERVAÇÃO

Alguns autores admitem construções com os verbos poder e dever, seguidos de partícula SE e de
infinitivo impessoal, como casos híbridos de sujeito oracional ou locução verbal. Em função da du-
plicidade de estrutura sintática, aceitam-se duas construções distintas:

Passiva sintética com sujeito oracional


(período composto)

Pode-se aceitar conselhos.


i l
VTD (PA) Sujeito

Deve-se proteger os filhos.


I i — c
VTD (PA) Sujeito

Passiva sintética com sujeito nominal


(Período simples com locução verbal)
(PA)
Podem-se
1
aceitar conselhos.
I —i—1 \
V.Aux. Loc, Verbal VTD Sujeito
(PA)
Devem-se proteger os filhos.
V. Aux. Loc, Verbal VTD Sujeito

203
UNIDADE IX

PONTUAÇÃO

há omissão de termos que ficam ocultos na


PRÉ-REQUISITOS PARA
cadeia da frase.
O ESTUDO DA VÍRGULA

Dizemos que os termos de uma oração estão Esses fenômenos, em geral, são marcados por

em ordem direta quando eles se sucedem na vírgulas na escrita.

seqüência natural da fala, isto é, quando se dispõe É preciso não incorrer numa pressuposição en-

na seguinte progressão: ganosa: que toda pausa na língua oral correspon-


de a uma vírgula na escrita. Se assim fosse, para o
sujeito -> verbo -> complemento do verbo -> adjunto adverbial uso da vírgula, poderíamos confiar cegamente na
intuição e não precisaríamos estudar regra alguma.
Orações em ordem direta É verdade que muitas pausas da língua oral corres-
As autoridades visitaram o salão do automóvel ás dez horas. pondem à vírgula na escrita, mas a implicação não
sujeito -> verbo -> complemento do verbo -> adjunto adverbial é necessária, sobretudo porque:
- a língua oral é livre de convenções e mais
Dizemos que há ordem indireta sempre que sujeita à individualidade do falante;
a progressão acima for alterada. Se, por exemplo, - a língua escrita é mais conservadora e mais
colocarmos o adjunto adverbial antes do sujeito apegada a usos adquiridos ao longo de uma
ou entre o sujeito e o verbo, teremos um caso de tradição.
ordem indireta. Disso decorre que:
- pode haver pausas na língua oral que não são
Orações em ordem indireta marcadas por vírgula na escrita.

Às dez horas, as autoridades visitaram o salão do automóvel. 0 desenvolvimento normal da personalidade pressupõe bom ambiente.
adjunto adverbial -> sujeito -> verbo -> complemento do verbo sujeito -> predicado

Os termos da oração ocorrem dispostos em Note que entre o sujeito e o predicado não
ordem indireta quando se usa vírgula, embora, na fala, possa haver uma
- há inversões; pausa, sobretudo quando o sujeito tem alguma
- há intercalações; extensão.

204
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

- pode haver vírgulas na escrita que não Para separar termos coordenados (em enume-
correspondem à pausa na língua oral. ração)

Fique quieto, menino. O livro estava sujo, rasgado, imprestável.


vocativo

Como se pode notar, no caso acima, não ocorre Para marcar elipse do verbo
pausa na fala e ocorre vírgula na escrita. Nós trabalhamos com os fatos, com hipóteses,
Como conclusão, a gramática, baseada no
(trabalhamos com hipóteses)
uso culto que se têm feito da vírgula, propõe
um conjunto de normas que devem ser seguidas
Para isolar
por aqueles que desejam usar a escrita dentro do
• o vocativo.
padrão formal.
Não demores tanto, meu filho.

USO DA VÍRGULA ENTRE • o aposto.


OS TERMOS DA ORAÇÀO
O tempo, nosso inimigo, foge rápido.

No interior da oração, usa-se a vírgula:

Para marcar intercalação


• OBSERVAÇÃO
• do adjunto adverbial.
RESUMO DO EMPREGO DE VÍRGULA E
Ele, com razão, sustenta opinião contrária.
CONSIDERAÇÕES SEMÂNTICAS
• da conjunção coordenativa deslocada.
Os sinais de pontuação servem para dar
Não há, portanto, nenhum risco no negócio.
sentido aos textos escritos.
• das expressões explicativas ou corretivas. Logo, alterações na pontuação podem mu-
dar o sentido de um texto ou de um trecho.
Todos se omitiram, isto é, colaboraram com os
Vejamos exemplos de itens:
adversários.
Os Estados Unidos, o Canadá, a China, entre
Para marcar inversões outros países, participaram do acordo.
• do adjunto adverbial (no início da oração).
As vírgulas empregadas no trecho separam
Por cautela, deixamos um depósito. itens de enumeração coordenados entre si.
(Afirmativa errada.)
^Observação: Pode-se omitir a vírgula, a menos
que o adjunto adverbial tenha certa extensão. O erro está no fato de que as duas primei-
ras vírgulas são de enumeração. Para ser enu-
• do complemento pleonástico antecipado ao
meração, as palavras separadas devem perten-
verbo.
cer à mesma classe gramatical. As vírgulas que
Casos mais importantes, já os apresentei.
isolam "entre outros países" cumprem outra
• do nome de lugar antecipado às datas. função, a de separar termo de natureza expli-
cativa.
Belo Horizonte, 9 de maio de 2011.

205
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

A China (país de base ainda socialista), o Ca- 1 Isolar aposto (termo de natureza explica-
nadá e os Estados Unidos assinaram o acordo. tiva).
Os parênteses empregados no trecho po- O aposto pode ser isolado por vírgulas,
deriam ser substituídos por travessões. por travessões, por parênteses ou por
(Afirmativa correta.) dois pontos.
Em expressões de natureza explicativa, po-
Referia-se a Ouro Preto, uma linda
de-se usar vírgula, parênteses ou travessões.
cidade histórica.
A sociedade que privilegia o coletivo se
desenvolve expressivamente. 2 Isolar vocativo (um chamamento).

Seria possível empregar uma vírgula logo Votem, caros eleitores, com consciência.
após "sociedade" e outra antes do pronome
Não são possíveis as mesmas opções de
"se", porém haveria alteração de sentido.
substituição do aposto. Se o vocativo es-
(Afirmativa correta.)
tivesse no início, poderíamos usar um
Sem as vírgulas, teríamos uma informação
ponto de exclamação ou interrogação.
de caráter restritivo. Com as vírgulas, a infor-
mação seria de natureza explicativa. 3 Isolar expressões de natureza explicativa
(ou seja, isto é, ou melhor, vale dizer,
quer dizer etc).
A VÍRGULA EM ANÁLISE
O Brasil é um país rico, ou seja, dispõe de
muitos recursos naturais.
Uso de Vírgula
"■Algumas bancas denominam tais expres-
A atual crise política brasileira (1) prejudica (2)
a imagem (3) do país (4) no exterior. sões de retificativas.

Casos proibidos 4 Isolar complemento pleonástico (aparece


1 Entre sujeito e predicado. repetido dentro da estrutura frasal).
2 Entre verbo e complemento verbal.
3 Entre nome e complemento ou adjunto Esta questão, já a discutimos outro dia.
adnominal.
5 Separar palavras de retificação ou ênfase
Observação: Na posição 4, a vírgula seria
(principalmente, inclusive, só, menos,
facultativa. O adjunto adverbial está em sua
exceto etc).
posição natural, que é o final de frase. A vír-
gula é permitida apenas para dar ênfase. Todos merecem ser aprovados no concurso,
principalmente eu.
Casos de Vírgula
Observação; ordem natural/direta/canôni- 6 Separar itens de enumeração (palavras
ca da frase: sujeito + verbo + complemento coordenadas entre si, termos da mesma
verbal + adjunto adverbial. classe gramatical que exercem a mesma
Se a frase está disposta na ordem direta, não função sintática).
é necessário usar vírgula, que marca exata-
mente a interrupção de tal ordem direta. As pessoas têm medo, ao longo da vida, da
solidão, da morte, do abandono.
í
206
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Somente a 3a e a 4a vírgulas são de enu- 9 Indicar deslocamento de conjunções


meração. A Ia e a 2a servem para isolar coordenativas (portanto, entretanto, por
adjunto adverbial deslocado. Os termos isso, assim, então etc.). Geralmente, a
enumerados são todos complementos conjunção coordenativa vem no início
nominais. de oração (^de início de período). Logo,
a conjunção deslocada é aquela que está
7 Indicar elipse ou zeugma de termos. no interior de uma oração.

Na minha frente, uma enorme fila. O país investe em educação,


A vírgula marca a omissão de formas entretanto não há resultados visíveis.
verbais que poderiam, gramatical- O conector entretanto está no início da
mente, ser representadas por havia ou segunda oração. Logo, não está desloca-
existia. do. Sendo assim, não é possível colocar
uma vírgula após entretanto.
O governo se posicionou sobre o fato.
A população, não. Esquema:
(a população não se posicionou.) • Conector no início da segunda oração, usa-
se apenas uma vírgula antes do conector.
8 Indicar deslocamento de adjuntos adver-
Se as duas orações forem separadas por
biais, sobretudo se forem muito longos.
um ponto, o conector estará no início do
A população brasileira, hoje em dia, está período. Nesse caso, pode se usar uma
preocupada com o futuro do país. vírgula após o conector.
É um adjunto adverbial deslocado, pois
está no meio da frase. • Colocando-se ponto e vírgula antes do
Para a Esaf e para o Cespe, as vírgulas são conector, pode se usar vírgula após o co-
apenas recomendadas.
nector.
Atualmente, muitas nações buscam
fontes limpas de energia. Vejamos o conector deslocado, ou seja, no
interior de uma oração:
O Brasil ainda não resolveu (...).
O país investe em educação; não há,
O vocábulo ainda poderia vir entre vír-
entretanto, mudanças visíveis.
gulas. Trata-se de um caso facultativo.

Nesse caso, o conector está deslocado.


O governo, em geral, não tem esse
tipo de atitude.
Quando o conector coordenativo estiver
no interior de uma oração, virá, obriga-
Nesse caso, as vírgulas não são facultati-
toriamente, entre vírgulas.
vas, pois alteram o sentido da frase.

207
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

10 Separar orações coordenadas sindéticas • Poiissíndeto (repetição da mesma


ou assindéticas. conjunção) - vírgula obrigatória.
Coordenadas = independentes.
Sindéticas = com conjunção. Ela chorava, e gritava, e pedia,
Assindéticas = sem conjunção. e implorava...
Entre orações coordenadas, pode-se (Trata-se de uma enumeração.)
usar vírgula, ponto-íinal ou ponto e vír-
gula. Observação: a vírgula antes de etc é
facultativa.
O governo investiu no projeto, entretanto
não obteve o retorno esperado. 12 Isolar oração subordinada substantiva
apositiva (oração substantiva é intro-
A vírgula pode ser substituída por pon-
duzida por conjunção integrante). Esse
to e vírgula ou ponto-íinal.
caso admite também dois-pontos.
Obs.: em alguns casos, é possível usar
dois-pontos. O governo queria apenas uma coisa:
Brigam muito, querem o divórcio. (,) que tudo se resolvesse.
Brigam muito: querem o divórcio. 13 Isolar oração subordinada explicativa
É possível usar dois pontos, sobretudo (oração adjetiva é introduzida por pro-
quando porque há uma relação de ex- nome relativo).
plicação ou de conclusão.
Referiu-se ao governo,
que era a base de tudo.
11 Vírgula antes do conector e.
14 Isolar orações subordinadas adverbiais
(exprimem circunstância) antecipadas
• Sujeitos idênticos - vírgula desneces-
ou intercaladas à principal.
sária.
A vírgula do adjunto adverbial pode ser
O governo decidiu o fato e facultativa. No caso de oração adverbial
comunicou-o à população. deslocada, é obrigatória.

O sujeito é o mesmo nas duas ora- O governo, se quiser, poderá resolver


ções, então a vírgula não é necessária. a situação, (intercalada)

Se quiser, o governo poderá resolver


• Sujeitos diferentes - vírgula reco-
a situação, (antecipada)
mendada.
O governo poderá resolver a situação
O governo fez o projeto,
se quiser, (posposta facultativa)
e a população o reprovou.
Conector com valor alterado (valor NOTA:
de "mas", por exemplo) - vírgula fa- Oração adverbial depois da principal
cultativa. - vírgula facultativa.
O governo iniciou o projeto,
e não o concluiu. (=mas)

208
FIÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

15 Isolar orações interferentes. Não se imaginava que a propaganda seria tão agressiva.
(Orações interferentes apresentam opi- oração principal oração subordinada substantiva
nião do locutor, fala, explicação etc.)

O governo brasileiro, não que isso Subordinadas adjetivas


fosse positivo, fez alianças com A adjetiva restritiva não se separa da principal
os Estados Unidos. por vírgula.

São raros os programas de TV que trazem algum proveito.


O Brasil, segundo afirmam, oração principal oração subordinada adjetiva restritiva
é o país do futuro.
Pode ocorrer vírgula depois da oração subor-
As orações interferentes podem vir, dinada adjetiva restritiva, sobretudo se ela tiver
também, entre parênteses ou duplo tra-
certa extensão ou se terminar em um verbo contí-
vessão.
guo ao da oração seguinte. No entanto, não é um
caso normativo.

Os empreendimentos que mais convinham foram entregues a outros.


oração subordinada oração principal
NÃO SE USA A VÍRGULA adjetiva restritiva
t

Não se usa vírgula entre termos imediatos de A adjetiva explicativa vem sempre isolada por
uma mesma oração. vírgulas.

• Entre sujeito e predicado. O juiz ,que era integro, não se vendeu.


oração subordinada oração principal
adjetiva explicativa
Todos os componentes da mesa t
recusaram a proposta.
Subordinadas adverbiais
• Entre verbo e seus complementos. Sempre é correto o uso da vírgula entre as su-
bordinadas adverbiais e a oração principal.
O trabalho custou sacrifício aos realizadores.
Ainda que a situação fosse adversa, conseguimos bom resultado.
oração subordinada adverbial oração principal
• Entre nome e complemento nominal ou ad-
junto adnominal. Orações coordenadas
As orações coordenadas são separados por vír-
A intrigante resposta do mestre ao aluno
gula.
despertou reações.
Pegou o recado, leu-o, disparou para a rua.
oração coordenada assindética coordenada coordenada assindética
USO DA VÍRGULA ENTRE assindética
AS ORAÇÕES DO PERÍODO
"Penso, logo existo."
coordenada assindética coordenada sindética conclusiva
Subordinadas substantivas
Não se separam da oração principal por meio As coordenadas sindéticas introduzidas pela
de vírgula. Faz exceção a substantiva apositiva, conjunção e podem separar-se por vírgula nos se-
que se separa por dois-pontos ou por vírgula. guintes casos:

209
PORTUGUÊS DESCOMPLiCADO

Se os sujeitos forem diferentes. Também não se usa ponto e vírgula entre os ter-
mos do período simples.
Os responsáveis eram eles, e nós tivemos de assumir.
Usa-se o ponto e vírgula para separar orações
coordenada assindética coordenada sindética aditiva
sujeito: os responsáveis sujeito: nós coordenadas que tenham certa extensão.

Se o e vier repetido várias vezes a título de Os dois primeiros depoimentos foram analisados
ênfase. com extremo cuidado; não encontraram nenhuma
passagem que o implicasse.
E falou, e pediu, e insitiu.
(polissíndeto) Em uma seqüência de orações coordenadas,
usa-se o ponto e vírgula para separar blocos de
orações que se opõem pelo sentido.
OBSERVAÇÃO
Orações intercaladas: separam-se por vírgulas. Uns pelejavam, esforçavam-se, exauriam-se; ou-
tros dispersavam-se, folgavam, divertiam-se.
Não podemos, dizia ele, pagar o bem com o mal.
(Note que, nesse exemplo, as três primeiras das
A oração intercalada pode vir também se- seis orações opõem-se pelo sentido às três últimas.
parada pelo duplo travessão ou por parênteses. Para separá-las, três a três, a vírgula seria insufi-
ciente e o ponto-final acarretaria a divisão em dois
períodos distintos.)

Usa-se o ponto e vírgula para separar orações


(ou conjunto de orações) que mantêm algum
equilíbrio entre si: por possuírem a mesma estru-
tura, ou por terem em comum algum simetria.
OUTROS SINAIS DE PONTUAÇÃO

O time brasileiro, mesmo cansado, pressionou a


PONTO E VÍRGULA todo instante; o adversário, muito mais disposto,
fechou-se na retranca.
Como o próprio nome indica, o ponto e vír-
gula é um sinal intermediário entre a vírgula e o Usa-se o ponto e vírgula para separar orações
ponto-fmal. Indica um pausa mais marcante que a coordenadas que já vêm marcadas por vírgula no
seu interior.
vírgula, mas não marca término do período como
o ponto-final. O inquilino quis recorrer à justiça; sua causa,
Essa posição intermediária confere ao ponto e porém, era perdida.
vírgula um uso muito variado, sujeito a interpre-
tações subjetivas e ao contexto, tornando difícil Usa-se o ponto e vírgula para separar os vários
itens de um considerando.
uma sistematização rigorosamente exata.
Considerando:
Apesar disso, algumas normas seguras podem
a) o alto custo do material;
ser depreendidas de seu uso: b) a exigência de pessoal habilitado;
c) a prioridade de outras obras;
Nunca se usa o ponto e vírgula para separar
decidimos desaconselhar a assinatura desse
uma oração subordinada de sua principal.
contrato.

210
FLÁV1A RITA COUTINHO SARMENTO

DOIS-PONTOS término. São muitas as razões pelas quais ocorre


essa interrupção. Acompanhe os exemplos que se
Os dois-pontos servem para indicar basica- seguem:
mente o seguinte: tudo o que vem à sua frente ex-
- É promessa, há de cumprir-se.
plica ou desenvolve melhor algum termo anterior.
Dentro desse princípio, usam-se os dois-pontos - "Sei que você fez promessa ... mas uma pro-
para: messa assim ... não sei... creio que, bem pensando
... Você acha que, prima Justina?" (M. Assis - apud
• marcar citação alheia (normalmente depois de
Celso Cunha)
verbos: dizer, afirmar, responder, perguntar).

Olhando o brilho das pedras, afirmou: No caso, as interrupções marcadas pelas reti-
"elas valem o preço que custam". cências refletem a hesitação de quem fala.
As reticências, portanto, marcam interrupções
• dar início a uma seqüência que explica, dis- que refletem dúvidas, timidez, gagueira e estados
crimina ou desenvolve melhor uma noção semelhantes.
anterior. Observe este outro exemplo:
Tivemos uma idéia: esvaziar o pneu.
(explicação) "Se mana Piedade tem casado com Quincas Bor-
ba, apenas, me daria um esperança colateral. Não
Entregou tudo aos pobres: dinheiro, propriedades, casou; ambos morreram, e aqui está tudo comigo; de
heranças, (discriminação) modo que o que parecia uma desgraça..." (M. Assis).

Catástrofe no oriente: Beirute em chamas!


No caso, as reticências marcam a interrupção
(desenvolvimento )
de uma frase que não foi concluída para que o
• OBSERVAÇÃO leitor complemente segundo sua imaginação.
Além disso, a interrupção reflete certa censura
No início de cartas ou requerimentos não ofi-
que o personagem se impõe.
ciais, depois dos convencionais apelativos (Pre-
zado Senhor, Exmo. Senhor e semelhantes),
usa-se vírgula, dois pontos, ponto ou pontuação
alguma. • As reticências podem combinar-se tanto
com o sinal de interrogação (?) quanto com
- Prezado Senhor: o sinal de exclamação (!).
- Prezado Senhor, Será que... ?
- Prezado Senhor. Elas sempre sabiam que no final daria tudo
- Prezado Senhor certo...!

• As reticências podem ter um valor mera-


mente prático, sem força expressiva alguma.
RETICÊNCIAS Nesses casos, servem apenas para marcar
que uma frase foi truncada no seu início ou
As reticências servem, basicamente, para indi-
no seu término.
car que uma frase foi interrompida antes de seu
211
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

"Me perdoa", solicitou o itinerante com jeito


Entre as passagens do texto, a que mais se
de quem estava apressado e, por isso, ia
presta para justificar a questão proposta é a
esbarrando em todos e em tudo.
seguinte:
(Aspas para isolar uma expressão de caráter
"... com a presença da máquina ali no largo,
popular.)
que, se um dia desabasse... "

(As reticências marcam a omissão de trechos Era tão velho o nosso amigo, que presenteava as
do texto). namoradas com "vidro de cheiro".
(Aspas para isolar uma expressão arcaica em
desuso.)
ASPAS

A função básica das aspas é isolar qualquer Não se trata de um simples habitante de um
parte do texto que não pertença ao autor que o grupo social, mas de "um ser humano" com
escreve. todos os sentimentos e direitos de um ser
Em decorrência disso, usam-se aspas: dessa espécie.
• isolar, no texto, uma citação literal colhida de (Para dar ênfase a certas palavras ou expres-
outra pessoa. sões da frase.)

Os sentimentos contraditórios provocados Isso nos leva à fábula da coruja que,


pela máquina podem ser depreendidos dessa
envaidecida da grande "beleza" dos seus
afirmação de Bertrand Russel: 'As máquinas
filhotes, acabou por prejudicá-los.
são adoradas porque são belas e detestadas
porque são feias". (Para manifestar o sentido irônico ou um se-
• isolar palavras ou expressões que são alheias gundo sentido que se queira atribuir a uma
ao idioma padrão. palavra.)
Entenda-se por palavras ou expressões
alheias todas aquelas que se desviam do pa-
drão culto de fala: TRAVESSÃO
- os estrangeirismos;
Há duas funções básicas para o travessão:
- as gírias;
Marcar a mudança de interlocutor nos diálogos.
- os modos populares da fala; - Por que saístes tão cedo?
- os arcaísmos etc. - Porque esse trem ...
- O que acontece com o trem?
Os políticos estudam com os juristas as
- Vem superlotado depois das seis.
possibilidades de reimplantação do "habeas
corpus". • Costuma-se usar o duplo travessão em lugar
(Aspas para isolar uma expressão latina / es- das vírgulas ou dos parênteses para destacar,
trangeirismo.) de alguma forma, palavras ou expressões que
se queiram enfatizar.
Aí, "meu chapa", as coisas mudam de figura e,
mesmo entre amigos, é necessário um pouco Esta interpretação - não há quem negue - desvia-se
de cautela nos negócios. completamente do verdadeiro significado da obra.
(Aspas para isolar uma expressão de gíria.)
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO

PARÊNTESES • marcar definições ou traduções textuais de uma


palavra anterior.
A função básica dos parênteses é isolar infor-
Introversão (do latim intro + vertere) é a tendên-
mações acessórias ou paralelas que não se encai-
cia do indivíduo a dirigir sua preocupação para o
xam na seqüência lógica do enunciado. Dentro
mundo interior.
desse princípio geral, usam-se os parênteses para;

• marcar explicações.
• isolar explicações, uma reflexão, um comentário
à margem do que se está dizendo.
"O amor (sentimento real e iconteste) move o mundo'.'
Em São Paulo (é o maior parque industrial da
América Latina e um dos maiores do mundo), o
problema da poluição tem atingido proporções • OBSERVAÇÃO
alarmantes.
(Parênteses usados para isolar uma explicação
marginal.) Embora as normas de pontuação sejam claras e
obedeçam a uma sistematização lingüística, elas

Belo Horizonte (que absurdo) é uma monstruosa podem sofrer alguma flexibilização em função
cidade quase inabitável. do caráter semântico envolvido no tema.
(Parênteses para isolar uma reflexão ou uma
emoção.)

213
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

EXERCÍCIOS

1 A frase pontuada CORRETAMENTE é; 4 Leia o texto abaixo.


a) Enquanto não estudava sofria; agora, que sabe "Disse um autor inglês com a graça que caracteriza
muito, sofre mais pois, a consciência de tudo a os escritores do seu país uma menina deve aprender
atormenta. com as condições sociais a coser a cozinhar a ser be-
b) Enquanto não estudava, sofria; agora, que sabe névola e não desperdiçar o tempo como se vê esse
muito, sofre mais, pois a consciência de tudo a autor fez uma salada espirituosa."
atormenta.
c) Enquanto não estudava sofria, agora, que sabe A opção INCORRETA quanto à pontuação da frase é:
muito, sofre mais, pois, a consciência de tudo a a) dois-pontos depois de país.
atormenta. b) vírgula depois de aprender e sociais.
d) Enquanto não estudava, sofria; agora, que sabe c) vírgula depois de coser, cozinhar e benévola.
muito, sofre, mais, pois a consciência de tudo a d) ponto-final depois de tempo; com ajustes neces-
atormenta. sários.
e) Enquanto não estudava, sofria agora, que sabe e) vírgula depois de vê.
muito, sofre mais, pois a consciência de tudo a
atormenta. 5 Assinale a frase pontuada CORRETAMENTE.
a) Embora não tivesse recebido convite o candidato
2 A vírgula foi usada para separar uma oração subordi- conseguiu apresentar-se, ao Ministro da Marinha.
nada adverbial em b) Dizem, que, depois da 2a Guerra Mundial, ojapão
a) Destinava-se a uma cidade maior, mas o trem conseguiu um milagre econômico à custa do ca-
permaneceu na antepenúltima estação. ráter do povo.
b) Aos poucos, acalmou-se, aceitou a flor e deu-lhe c) Formavam um estranho conjunto na árida paisa-
um beijo rápido. gem, aquelas duas árvores.
c) Levantei-me devagar, e ela se dirigiu à sala de reu- d) Dom Casmurro, uma das melhores obras de Ma-
niões da secretaria. chado de Assis, conta uma história de amor e de
d) Depois de uma convivência maior, descobri que sofrimento, pois apesar de alguns capítulos de fe-
sua mania era agradar ao próximo. licidade, não há final feliz.
e) Se a um deles não ocorresse uma sugestão, tería- e) A fronte do sacerdote se verga para o cálice sagra-
mos permanecido no impasse. do. A do lavrador, para a terra.

3 Indique a pontuação CORRETA. 6 Existem, no texto abaixo, vírgulas que se justificam por
a) O candidato promete, se eleito mudar toda a es- uma das alternativas. Assinale a alternativa CORRETA.
trutura atual da agremiação. "A corda água, que parece olho baço, a corda rel-
b) O candidato promete, se eleito, mudar toda a es- va, a cor do eucalipto, a cor do firmamento que
trutura atual da agremiação. era uma cor de líquido azul."
c) O candidato promete, se eleito mudar, toda a es-
trutura atual da agremiação. a) separam oração subordinada adjetiva e enumera-
d) O candidato, promete se eleito, mudar toda a es- ção
trutura atual da agremiação. b) separam orações subordinadas adjetivas
e) O candidato promete se, eleito mudar toda a es- c) separam orações subordinadas adverbiais
trutura, atual, da agremiação. d) separam orações coordenadas assindéticas
e) indicam enumeração

214
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

7 "Um peixe resvalou à flor da água: do céu baixou um c) Era tão vaidoso. Estava tão certo de seu imenso
raio de sol e feriu o dorso do animal". saber; que os realmente informados não tinham
Indique o porquê dos dois-pontos. dúvida. Era um tolo perfeito.
a) citação d) Era tão vaidoso, estava tão certo de seu imenso
b) enumeração saber, que os realmente informados não tinham
c) aposto discriminativo dúvida: era um tolo perfeito.
d) explicação ou continuidade do pensamento e) Era tão vaidoso, estava tão certo, de seu imen-
e) necessidade de pausa so saber, que os, realmente, informados não ti-
nham duvida: era um tolo perfeito.
8 Assinale a alternativa em que o texto está CORRETA-
MENTE pontuado. 10 Assinale a alternativa CORRETA em relação ao em-
a) Fundamentalmente, esses fatores são de dois ti- prego de sinais de pontuação.
pos: ponderáveis e imponderáveis, ou em outras a) Realmente a ser verdade, o que pensavam, não
palavras, concretos e abstratos. haveria ingratidão mais negra do que a do Leo-
b) Fundamentalmente esses fatores, são de dois ti- nardo, para com aquela gente, que tão benigna-
pos, ponderáveis e imponderáveis ou em outras mente, o acolhera.
palavras, concretos e abstratos. b) Realmente a ser verdade o que pensavam, não ha-
c) Fundamentalmente esses fatores são de dois ti- veria ingratidão mais negra, do que a do Leonar-
pos, ponderáveis e imponderáveis ou em outras do para com aquela gente que tão benignamente
palavras concretos e abstratos. o acolhera.
d) Fundamentalmente, esses fatores, são de dois ti- c) Realmente, a ser verdade (o que pensavam), não
pos: ponderáveis e imponderáveis ou, em outras haveria ingratidão, mais negra do que a do Leo-
palavras concretos e abstratos. nardo, para com aquela gente, que, tão benigna-
e) Fundamentalmente, esses fatores são de dois ti- mente, o acolhera.
pos: ponderáveis e imponderáveis ou, em outras d) Realmente, a ser verdade o que pensavam, não
palavras, concretos e abstratos. haveria ingratidão mais negra do que a do Leo-
nardo para com aquela gente, que tão benigna-
9 Assinale a alternativa em que o texto está CORRETA- mente o acolhera.
MENTE pontuado. e) Realmente, a ser verdade - o que pensavam - não
a) Era tão vaidoso: estava tão certo, de seu imenso haveria ingratidão mais negra, do que a do Leo-
saber, que os realmente informados não tinham nardo para com aquela gente, que tão benigna-
dúvida: era um tolo perfeito. mente o acolhera.
b) Era tão vaidoso: estava tão certo de seu imenso
saber; que os realmente informados não tinham
dúvida. Era um tolo perfeito.

| p-ot I p-6 | 3-8 I p-L I 6-9 1 3-5 I 3-H q- £ I 3-t I q-t I


oiueqEO

215
PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

PONTUAÇÃO - VÍRGULA

• Os sinais de pontuação servem para dar sentido 8. Separar local de data.


aos textos escritos. Belo Horizonte, 20 de abril de 2011.
• Os sinais de pontuação podem alterar o sentido de
um texto. 9. Indicar deslocamento de adjuntos adverbiais, so-
bretudo os de grande extensão.
CASOS PROIBIDOS DE VÍRGULA (Caso de vírgula recomendada.)
• Não se usa vírgula entre sujeito e predicado (ver- Cespe/Esaf: aceitam como caso facultativo.
bo). FCC, Fundep, Fumarc: entendem a vírgula como
• Não se usa vírgula entre verbo e complemento. obrigatória.
• Não se usa vírgula entre nome e complemento ou O Brasil, ainda, não definiu essas questões, (adj.
adjunto adnominal. adv. de pequena extensão)

CASOS DE VÍRGULA
Esse tipo de caso, em países como o Brasil, não é
1. Isolar aposto (termo de natureza explicativa).
resolvido.
Ouro Preto, um centro histórico mineiro, recebe
muitos turistas.
Obs.: Em alguns casos, o uso da vírgula em adjun-
2. Isolar vocativo (um chamamento). tos adverbiais está condicionado à produção de
Eleitores, votem com consciência. sentido. Nesses casos, não se pode dizer que se
trata de um uso facultativo.
3. Isolar expressão de natureza explicativa (ou seja, O governo brasileiro, em geral não participa
isto é, vale dizer, quer dizer, ou melhor, ou ain- desse tipo de projeto. (Nesse caso, o uso das vír-
da...). gulas altera o sentido.)
O Brasil é um país rico, ou seja, dispõe de muitos
recursos. 10. Indicar deslocamento de conjunções coordenati-
vas (no entanto, então, por isso, assim, logo, por-
4. Separar expressões enfáticas (principalmente, in-
tanto...)
clusive, até) ou retificativas (menos, exceto).
Todos merecem ser aprovados, principalmente eu. [O governo investiu em educação]01, [no entanto os
Todos merecem ser aprovados, exceto ele. resultados ainda não foram percebidos.]02

5. Separar itens de enumeração (termos coordena- - Conector no início de oração: usa-se uma vírgu-
dos/ mesma classe/ mesma função). la para separar as orações. É proibido colocar o
O Brasil enfrenta problemas econômicos, políticos, termo entre, pois o conector não está deslocado.
sociais. - Conector após (;): aceita-se vírgula após o co-
nector.
6. Isolar complemento pleonástico (repetido na fra-
se). - Conector em início de período: aceita-se vírgula
Quanto ao problema, já o resolvemos. após o conector.

O governo investiu em educação. Os resultados, no


7. Indicar elipse ou zeugma de termos (omissão).
Uns querem a paz; outros, a guerra, (zeugma - há entanto, ainda não foram percebidos.
referenciação expressa) - Conector no interior de oração: obrigatoriamen-
Na minha frente, uma enorme fila. (elipse - não há te entre vírgulas.
referenciação expressa)

216
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

11. Separar orações coordenadas (sindéticas ou assin- 15. Separar oração subordinada apositiva da principal.
déticas). - Pode-se usar (,) ou (:).
"Penso, logo existo." (coordenadas assindética e sin- - O que é uma conjunção integrante.
dética)
Queria apenas uma coisa, que os problemas do país
Verificou os documentos, assinou o contrato, (coor-
fossem resolvidos.
denadas assindéticas)
- Pode ser usado (;)
16. Isolar oração adjetiva explicativa.
- O que é pronome relativo
12. Separar orações coordenadas unidas por "e" com
sujeitos distintos. Queria a verdade, que só seria dita sob pressão.
- É um caso recomendado, pode haver atenuantes Caso clássico de mudança de sentido.
(frase pequena, correspondência à mesma pes-
soa). 17. Isolar oração adverbial (exprime uma circunstân-
cia: tempo, causa...) anteposta ou intercalada à
Pedro entrou, e José saiu.
principal.
A população pede reformas, e o povo cobra medidas.
- É caso obrigatório.
O governo é responsável pelo povo, e suas medidas
devem visar ao bem comum. Se quisesse, o governo resolveria o problema.
Obs.: Se a oração adverbial vier depois da principal, a
13. Separar orações coordenadas por "e" com valor ad- vírgula será facultativa.
versativo.
- É um caso recomendado. O governo tomará atitudes acertadas, quando
conhecer melhor a realidade da população local.
O governo prometeu que viria e não veio
O governo prometeu resolver o caso, e suas atitudes 18. Isolar oração interferente.
demonstraram o contrário. - Em geral, traz uma opinião do autor.
- (Sujeitos diferentes com valor adversativo.) - Não é coordenada, nem subordinada.

O governo, não que fosse positivo para o país, tomou


14. Separar orações coordenadas unidas por "e" em atitudes severas no mercado.
polissíndeto (seqüência de orações iniciadas pelo
mesmo conector).
- Caso obrigatório por constituir enumeração.

Ela chorava, e pedia, e clamava, e implorava, e dese-


java.

217
1 PORTUGUÊS DESCOMPLICADO

OUTROS SINAIS DE PONTUAÇÃO

PONTO E VÍRGULA - gíria;


- Não se usa em período simples. - coloquialismo;
- Não se usa para separar oração subordinada de - linguagem figurada;
principal. - fala de personagem;
- Em geral, pode ser substituído por ponto final, mas - citação;
altera-se a relação de dependência entre as ora- - entre outras formas de marcar trechos.
ções.
Recomenda-se o uso de (;): PARÊNTESES
- entre orações coordenadas longas; Toda informação entre parênteses apresenta cará-
- entre orações coordenadas opostas pelo sentido; ter acessório, marginal, ou seja, por mais que haja
- entre orações coordenadas simétricas; muitos parênteses no texto, eles podem ser suprimi-
- entre orações coordenadas que já tenham vírgula dos que não haverá prejuízo da informação central
no interior; do texto. São usados para isolar explicações, siglas.
- entre orações coordenadas agrupadas entre si; posicionamentos enunciatívos, desdobramentos de
- para separar "considerandos" de uma enumeração informação (conseqüência, reflexo).
translinear (de uma linha para outra).
TRAVESSÕES
DOIS-PONTOS - Travessão simples indica mudança de discurso (fala
São utilizados para: de personagem).
- introduzir citação textual; - Duplo travessão é aplicado no mesmo caso de en-
- fala de personagem; tre vírgulas, sugere mais ênfase.
- enumeração;
- explicação; RETICÊNCIAS
- conclusão; São empregadas em três situações discursivas:
- desenvolvimento de uma idéia. - indicar continuidade de uma idéia/ enumeração;
- indicar suspensão de uma idéia por censura -
ASPAS moral ou conhecimento prévio do locutor;
São empregadas nos seguintes casos: - indicar hesitação do falante.
- ironia;
- ênfase; Obs.: Em caso de supressão de texto, as reticências
- estrangeirismo; devem vir entre parênteses ou colchetes. Para
- neologismo (palavra inventada); suprimir um parágrafo, deve-se usar uma li-
- arcaísmo (palavra em desuso); nha pontilhada, sem parênteses ou colchetes.

218
FLÁVIA RITA COUTINHO SARMENTO

• CURIOSIDADE

O SURGIMENTO DOS SINAIS DE PONTUAÇÃO

O surgimento e a história do sistema de pontuação têm acompanhado o desenvolvimento da escri-


ta. No começo, os textos eram redigidos em letra maiúscula e de forma contínua, sem espaços sequer
entre os vocábulos.
Zénodoto de Éfeso (320-240 a.C), responsável pela Biblioteca de Alexandria, foi o primeiro a se-
parar os textos de autores diferentes ao copiar um manuscrito.
Seu pupilo, Aristófanes de Bizâncio, consolidou o alfabeto grego e criou o primeiro sistema de pon-
tuação: um ponto no alto para indicar o fim de um grupo de palavras, um ponto no meio da altura da
letra para indicar que seria adicionado algo ao significado corrente e um ponto na base para indicar
que o significado da frase se completaria adiante.
Uma ordem lógica do texto escrito surgiu entre os séculos 4 e 9 d.C., quando os livros passaram a
ser feitos em minúsculo. Isso incorreu na aproximação das letras, o que possibilitou o reconhecimento
do desenho das palavras como uma unidade.
Naquela época, os escribas também passaram a adicionar notas auxiliares às cópias, explicando
como deveria ser recitado um verso ou pronunciado um termo. Esse código, utilizado como um ins-
trumento de organização, era chamado ponto. Eis a origem da palavra pontuação.
A maioria dos sinais que conhecemos hoje apareceu entre os séculos 14 e 17. O surgimento da im-
prensa foi o principal responsável pela evolução e popularização da pontuação. Com ela, as marcações
deixaram de ser dirigidas a quem escreve e se voltaram a quem lê, destinando-se a facilitar a compreen-
são do texto. A impressão tipográfica também exigiu que houvesse uma padronização e simplificação
dos sinais.
Há pouca diferença de usos da pontuação ao redor do mundo. Ela é ajustada à língua pelas regras
gramaticais. Um exemplo é a interrogação, que, em espanhol, aparece no início e no fim da frase, ao
contrário do que acontece no português, (em que o sinal é empregado apenas no fim da frase).

219
UNIDADE X

ALGUMAS QUESTÕES

GRAMATICAIS

VOCÁBULO QUE CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA


CONSECUTIVA
PRONOME RELATIVO • Une orações adverbiais.
• Substitui um termo antecedente. • Exprime idéia de conseqüência.
• Une duas orações. • Vem precedida de intensificador (tão, tal,
• Introduz oração subordinada adjetiva. tanto, tamanho...).

A história que ele contou é verdadeira. O governo investiu tanto em educação que
os resultados foram percebidos na base social,
Não sei o (aquilo - demonstrativo)
(conseqüência)
que (relativo) aconteceu.
As pessoas têm tanto medo do futuro que tentam
Gostou do (daquilo - demonstrativo)
antecipá-lo. (conseqüência)
que (relativo) foi dito.

CONJUNÇÃO COORDENATIVA
CONJUNÇÃO INTEGRANTE EXPLICATIVA
• Une orações, sem retomar termos. • Une orações coordenadas, estabelecendo
• Introduz oração subordinada substantiva. entre elas uma relação de explicação.
• Em geral, vem após imperativo.
É fato que o governo brasileiro não estava
• Equivale-se a pois/porque.
preparado.
Estudem, que a prova pode estar difícil.
A idéia de que o mundo muda é antiga.
Chora, que as lágrimas lavam a dor.

PREPOSIÇÃO ACIDENTAL CONJUNÇÃO COORDENATIVA ADITIVA


• Ocorre entre o verbo ter + infinitivo. • Une duas orações coordenadas, estabelecendo
• Nesse tipo de locução, pode-se usar que ou de. entre elas idéia de adição.
• Vem entre verbos repetidos.
O governo tem que resolver a situação.

As pessoas têm, em algum momento, que refletir O governo promete que promete, (promete e
sobre a vida. promete novamente)
220
FLÂVIA RITA COUTINHO SARMENTO |

As pessoas falam que falam, (falam e falam • A frase admite voz passiva analítica (ser/estar
novamente) + particípio).
• O verbo concorda com o seu sujeito paciente.
PRONOME 1NTERROGAT1VO
• Aparece em construções interrogativas. Buscam (VTD)-se (PA) soluções para o caso
• A pergunta pode ser formulada a partir do (sujeito paciente).
vocábulo que ou da expressão o que. (=Soluções para o caso são buscadas.)

O que houve com ele? Justifica (VTD)-se (PA) o fato (sujeito paciente).
Que houve com ele? (=Ofato é justificado.)

PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE ÍNDICE DE IN DETERMINAÇÃO


• Trata-se de um termo sem função sintática DO SUJEITO
ou semântica na frase. • Condição: não pode haver sujeito explícito ou
• Pode aparecer apenas o vocábulo que ou as subentendido (ele) no contexto da frase.
expressões é que, foi que, será que... • Voz ativa.
Que coisa interessante! • Em geral, ocorre com VTI, VI ou VL.
• O verbo fica sempre na 3a pessoa do singular.
As mulheres é que vão dominar o mundo.
Precisa (VTI)-se (IIS) de ajudantes (OI).
É você que eu amo.
Assiste (VTI)-se (IIS) a cenas de violência (OI).
SUBSTANTIVO Vive (Vl)-se (IIS) bem (adjunto adverbial de modo)
• Aparece precedido de determinante. em Belo Horizonte (adjunto adverbial de lugar).
• Vem acentuado.

Ela tem um quê de tristeza.

LOCUÇÕES CONJUNTIVAS FORMADAS • OBSERVAÇÃO


A PARTIR DO VOCÁBULO QUE Busca (VTD)-se (PA) a felicidade (sujeito
Visto que: causa paciente), [singular/singular]
Para que: finalidade Buscam (VTD)-se (PA) coisas positivas (sujeito
Posto que: concessão paciente), [plural/plural]
Afim de que:finalidade
Mesmo que: concessão Busca-se coisas positivas, [não há concordância]
Ainda que: concessão
Para o Cespe: Não havendo concordância, o se
(entre outras)
será IIS com VTD ou VTDI.
Para outras bancas: A frase está errada, o
VOCÁBULO SE
correto seria; "Buscam-se coisas positivas".
Busca (VTD)-se (IIS) os sucessos e as realizações
PARTÍCULA APASS1VADORA
(OD). [certa apenas para o Cespe.]
. Condição: VTD/VTDI. Buscam (VTD)-se (PA) alternativas de trabalho
• Voz passiva sintética. (sujeito paciente), [certa para todas as bancas]
• Na voz passiva nunca haverá OD, pois ele se
torna sujeito paciente.

221
PORTUGUÊS DESCOMPÜCADO

Ela (sujeito) se (OD) via (VTD)


Analisando...
mais velha a cada ano.
Para o Cespe, VTD ou VTDI podem ser
acompanhados de se, índice de indeterminação Deu (VTDI)-se (OI) uma nova
ou partícula apassivadora. O se será partícula oportunidade (OD).

apassivadora se houver concordância entre


PARTE INTEGRANTE DO VERBO
o verbo e o termo paciente da ação verbal
• Condição: o pronome integra o verbo, por-
(considera-se concordância singular com tanto o acompanha em todas as suas flexões.
singular e plural com plural). • Parte integrante nunca desempenha função sin-
O se será índice de indeterminação do tática. .
sujeito quando o verbo estiver no singular e o • O sujeito da frase estará explícito ou implícito
termo paciente estiver no plural. no contexto.

Observou-se (IIS) as mudanças (OD). Ela (sujeito) se (parte integrante do verbo) tornou
(VL) uma pessoa responsável.
Para outras bancas, com VTD ou VTDI, o se
será sempre partícula apassivadora. Logo, se (Ele) Preocupava (VTI)-se (parte integrante do
não houver concordância, a frase estará errada. verbo) com o fato (OI).

Discute (VTD)-se formas alternativas de energia.


(Certa para o Cespe / Errada para outras PARTÍCULA EXPLETIVA
OU PARTÍCULA DE REALCE
bancas.)
• Condição: não ser classificado como partícu-
la apassivadora, índice de indeterminação do
Resumindo...
sujeito, pronome reflexivo ou parte integrante
• Partícula apassivadora (concordância obriga-
do verbo.
tória): pode ser formada a partir de VTD ou
• Do ponto de vista sintático, a partícula expletiva
VTDI.
é desnecessária.
• índice de indeterminação do sujeito (3a do
singular obrigatória). Vão (Vl)-se os anéis (sujeito), ficam (Vl)-se os
- Cespe: VI, VTI, VL, VTD, VTDI. dedos (sujeito).
- Outras bancas: VI, VTI, VL. Foi (Vl)-se o tempo (sujeito) em que os homens
eram gentis.

SE-CONJUNÇÃO
Conjunção condicional: sugere idéia de condição.
PRONOME REFLEXIVO
• Eqüivale a caso.
• Condição: indicar reflexão ou reciprocidade.
Se ele voltar ao Brasil, comunicarei a todos.
• A ação recai sobre o próprio sujeito.
• Todo pronome reflexivo exerce função sintática Conjunção integrante: apenas liga orações.
de OD ou OI. • Não apresenta carga semântica.
• O sujeito da frase estará explícito ou implícito Se ele voltará ao Brasil, ninguém sabe dizer.
no contexto.

222
FLAVIA RITA COUTINHO SARMENTO

Pensando...
Não se pode confiar que as coisas permanecerão. Dedicou-se a problemas do dia a dia.
0 verbo é VTI. 0 verbo é VTI.
0 sujeito é indeterminado. 0 sujeito é desinencial.
Logo, o se é índice de indeterminação do su- Não pode ser PA, IIS, nem pronome reflexivo.
jeito. Logo, o se é parte integrante do verbo.

Foi-se o tempo em que o brasileiro Não se pode resolver a vida com uma fórmula
tinha direito à renda. mágica.
O verbo é intransitivo. O verbo é VTD.
Há sujeito. Há sujeito paciente.
Não é PA, IIS, pronome reflexivo, nem parte Logo, o se é partícula apassivadora.
integrante do verbo.
Logo, o se é partícula expletiva. Tornar-se uma pessoa justa
é o objetivo de muitos.
Não se discute a situação do salário mínimo. O verbo é de ligação.
0 verbo é VTD. É um verbo pronominal.
0 sujeito é paciente. Logo, o se é parte integrante do verbo.
Logo, o se é partícula apassivadora.
Todos se salvaram nadando.
Trata-se de um fato ainda pouco discutido. 0 verbo é VTD.
O verbo é VTI. Não há sujeito paciente.
O sujeito é indeterminado. A ação recai sobre o sujeito. Logo, o se é pro-
Logo, o se é índice de indeterminação do su- nome reflexivo.
jeito.

ANÁLISE SINTÁTICA locuções adverbiais (variáveis, pois apare-


TERMOS DO PERÍODO SIMPLES cem com mais de uma palavra).
• Podem ou não vir prep