Você está na página 1de 3

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso

Data: 15/05/2021
Docente: Denilson Botelho da Cruz
Discente: Victor Hugo Santos de Moraes

Pesquisa dos meios de transmissão

Pares de fios

Cabo coaxial

Cabo coaxial é um cabo condutor utilizado para transmissão de sinais. Ele recebe esse nome
porque é constituído de várias camadas concêntricas de condutores e isolantes. Em sua composição,
temos um fio de cobre condutor revestido por um material isolante, e rodeado por uma blindagem.
Graças à sua blindagem, o cabo coaxial leva vantagens em relação aos outros condutores de trans-
missão, como a proteção contra fenômenos da indução, causado por intereferências elétricas ou
magnéticas externas. Sua utilização vai desde áudio até linhas de transmissão de alta frequência.
Sua velocidade é bem alta (máxima de 20 Mb/s) em virtude da tolerância a ruídos provenientes da
malha de proteção existente nos cabos. Ele é usado para transportar sinais de televisão, ligar equipa-
mentos de vídeo, transportar sinais de rádios, conectar receptores, transmissores e antenas.

Fibra óptica

São fios de vidro opticamente puro e muito finos, os quais tranmitem informação digital ao
longo de grandes distâncias. São usados na geração de imagens médicas e em inspeções de enge-
nharia mecânica. A forma que a fibra óptica envia dados são é igual à dos cabos convencionais: to-
do o sinal é transformado em luz, com o auxílio de conversores integrados aos transmissores, para
garantir mais velocidade. Como a capacidade de transmissão de cada fio de fibra é bem maior que a
de cada fio de cobre e eles necessitam de um volume muito menor de circuitos de apoio, como repe-
tidores, utilizar a fibra em links de longa distância fica mais barato. Outra vatagem da fibra óptica é
que os cabos de fibra são imunes a interferência eletromagnética, pois transmitem luz em vez de si-
nais elétricos, permitindo que sejam usados mesmo em ambientes onde o uso de fios de cobre é pro-
blemático.

Tramissão por satélite

Tanto a transmissão de televisão via satélite quanto a terrestre utilizam ondas de rádio como
meio de transmissão de sinais, no entanto a transmissão terrestre é muito limitada: a curvatura da
terra impede que os sinais chegem ao equipamento receptor em boas condições. Isso já não aconte-
ce com a transmissão por satélite, pois os satélites se encontram numa órbita alta, sendo possível
transmitir o sinal para muito mais pessoas. A emissão e transmissão do sinal é feita por meio de an-
tenas parabólicas. Inicialmente as emissões eram efetuadas com sinais analógicos, mas hoje em dia
ela é totalmente digital. Assim, não havendo meios físicos entre o alo da comunicação e o satélite
emissor, a trasmissão via satélite torna-se mais eficaz, além de poderem cobrir quaisquer áreas do
globo terrestre, sendo a melhor opção para atingir porntos de difícil acesso.
Transmissão sem fio

A utilização de redes sem fio cresce a cada ano graças à facilidade de instalação, onde não é
necessária a implantação de qualquer infraestrutura, aliada à tecnologia wireless embarcada nos
computadores disponíveis no mercado. Atualmente, todos os computadores móveis já são compra-
dos contendo placas de rede embutidas de rede 802.11b/g. As redes sem fio também são uma ótima
saída quando não se tem tempo para a montagem de uma infra-estrutura, e há necessidade urgente
para atender uma grande quantidade de pontos, como numa palestra ou eventos semelhantes. As
vantagens de uma rede sem fio são várias, porém suas facilidades sempre se deparam com o proble-
ma de falta de padronização. Esse tipo de rede também não substitui completamente as redes cabea-
das, mas podem ser usadas em combinação com LANs cabeadas, onde os pontos que necessitam de
mobilidade são ligados à rede pelo meio wireless e as estações fixas são ligadas à rede via cabo me-
tálico.

irDA

IrDA significa Infrated Data Association, isto é, associação de fabricantes responsável pelo
desenvolvimento do padrão usado nos tranmissores infravermelhos. Essa tecnologia está presente
em diversos equipamentos, como notebooks, câmeras, PCs, impressoras e demais periféricos. A
transmissão de dados é feita através de sinais de luz emitidos de um LED. Esses sinais são captura-
dos por um sensor presente no aparelho receptor. Apesar de ser um meio de transmissão barato, sua
velocidade de transmissão de dados, podendo alcançar até 115 kpbs. Sua mobilidade també é afeta-
da, visto que possui um alcance de apenas 2 metros e precisa de linha de vista. Um exemplo disso é
a televisão e o controle remoto.

Bluetooth

Bluetooth é um protocole de comunicação projeto para curto alcance e baixo consumo de


energia, que permite dois dispositivos trocarem informações entre si sem a necessidade de cabos. O
Bluetooth se vale de uma frequência de rádio específica que permite às duas pontas se identificarem
e se conectarem. Esse meio de transmissão possibilita a comunicação entre dois dispositivos, quan-
do estes se encontram próximos um do outro. Por seu intermédio, é possível enviar arquivos, como
músicas, vídeos, documentos, controlar dispositivos, como consoles de videogames, por meio de
joysticks sem fio, ou viabilizar a transmissão de dados em tempo real, como reprodução de músicas
em caixas de som e fones de ouvido que dispensam fios.

Wi-Fi

O Wi-Fi é uma tecnologia usada para conexão sem fio de internet, tendo surgido na década
de 90, a qual permite que dispositivos de diversos tipos tenham acesso à internet. O nome Wi-Fi é
uma abreviação da expressão “wireless fidelity”, que significa fidelidade sem fio. Este meio de
transmissão, como todos já sabem, é uma conexão feita sem a necessidade de cabos e fios, sendo
possível diversos dispositivos se conectarem em uma mesma rede. Quando ao seu funcionamento, o
Wi-Fi funciona por meio de ondas de rádio transmitidas por meio de um aparelho (roteador), o qual
recebe os sinais, decodifica a mensagem e emite por meio de uma antena. Se o local onde se deseja
realizar uma conexão Wi-Fi for muito grande, provavelmente o Wi-Fi não vai funcionar com tanta
rapidez, precisando de um repetidor de sinal. Em condições favoráveis (ambiente menor), o sinal
conseguirá chegar com qualidade.
802.11

Na década de 90, os consumidores em geral necessitavam que diferentes dispositivos pudes-


sem comunicar-se entre si para a criação de uma rede sem fio funcional. Nesse sentido, o IEEE (En-
tidade Internacional de Normatização) criou um protocolo de comunicação seguido até hoje, o
802.11. Ainda que, na época, isso fosse uma grande evolução, na verdade, este novo padrão suporta-
va a comunicação com uma velocidade baixa para os padrões de hoje, algo em torno de 2Mb/s, sen-
do necessária sua evolução com o tempo para anteder, principalmente, as grandes e pequenas em-
presas, que contavam com muito mais fluxo de conexão que as residências. Assim, evoluções do pa-
drão foram surgindo no decorrer do tempo, o que nos traz aos dias de hoje e às novas nomenclaturas
que temos disponíveis no mercado, como b/g/n e a/n/ac.

Você também pode gostar