Você está na página 1de 5

Tensão e deformação

Quando um corpo sólido é sujeito a forças que tendem a cortá-lo, comprimi-

lo ou esticá-lo sua forma se altera.

Exemplos:

um cabo sujeito a forças em suas extremidades sofre alongamento;

um submarino imerso fica comprimido pela força da pressão da água;

uma barra de direção fica sob cisalhamento, torcida por forças em

suas extremidades que produzem torques em torno do seu eixo.

A deformação que pode ser um alongamento, uma compressão ou uma

torção, ocorre em função de uma grandeza aplicada no corpo chamada

tensão, usualmente conhecida como força por unidade de área.

Seja uma barra submetida a uma tensão de dilatação ou alongamento

conforme figura 1.

Área A

de dilatação ou alongamento conforme figura 1. Área A Figura 1: Barra submetida a tensão de
de dilatação ou alongamento conforme figura 1. Área A Figura 1: Barra submetida a tensão de
de dilatação ou alongamento conforme figura 1. Área A Figura 1: Barra submetida a tensão de

Figura 1: Barra submetida a tensão de dilatação

Define-se a tensão de dilatação ou alongamento na seção reta como a razão

entre a força F perpendicular à área e a área A da seção reta.

ã çã = á ç

A unidade é N/m 2 que é Pascal.

A fração da variação do comprimento de um corpo, L, que ocorre num

corpo quando submetido a uma tensão de dilatação é chamada deformação

de dilatação ou alongamento. A deformação é expressa em função do

comprimento original do corpo por:

L çã çã = − L F F L 0 = ∆ A deformação da

L

çã çã =

L çã çã = − L F F L 0 = ∆ A deformação da dilatação
L çã çã = − L F F L 0 = ∆ A deformação da dilatação
L F F L 0
L
F
F
L 0

=

A deformação da dilatação é a dilatação por unidade de comprimento, é a

razão entre dois comprimentos e portanto é um número puro, sem nenhuma

unidade.

Quando a tensão e a deformação são pequenas, elas são geralmente

proporcionais, ou seja, aumentando a tensão aumenta-se proporcionalmente

a deformação e denomina-se a constante de proporcionalidade de módulo de

elasticidade, ou módulo de Young, representada por Y:

=

ã çã

çã çã

=

/

=

Δ

/

Δ

A unidade do módulo de Young é a mesma de tensão: força por unidade de

área.

Se uma barra sólida estiver sujeita a forças que tendem a comprimi-la e não

alongá-la, a tensão é tensão de compressão. Muitos materiais têm o módulo

de Young de compressão igual ao de tensão de tração. Observe-se que na

compressão a deformação é a diminuição do comprimento. Se a tensão de

tração ou de compressão for muito grande, provoca fratura na barra. A

tensão que provoca fratura por alongamento é a resistência à tração e no

caso da fratura por compressão é a resistência à compressão.

Na tabela estão apresentados alguns valores típicos de módulos de Young e

resistências à tração e à compressão de alguns materiais.

Tabela: Módulo de Young, resistência à tração e resistência à compressão de

alguns materiais (Tipler)

 

Y (GPa)

Resistência à

Resistência à compressão (Mpa)

Material

tração (Mpa)

Alumínio

70

90

 

Aço

200

520

520

Bronze

90

370

 

Chumbo

16

12

 

Cobre

110

230

 

Concreto

23

2

17

Ferro (forjado)

190

390

 

Osso na tração

16

200

 

Osso na compressão

9

 

270

Se, depois de removidas as forças, o corpo retorna à forma original, diz-se

que ele é elástico. Os corpos apresentam comportamento elástico se as

forças exercidas forem inferiores a um certo valor limite chamado limite

elástico. Acima deste valor limite, o corpo não retorna à sua forma original,

fica permanentemente deformado (Figura 1). Tensão C B A Deformação
fica permanentemente deformado (Figura 1).
Tensão
C
B
A
Deformação

Figura: Gráfico da tensão contra a deformação. Até o ponto A, a deformação

é proporcional à tensão. Além do limite elástico, o ponto B, a barra sólida

não retorna ao seu comprimento inicial depois de a tensão ser retirada. No

ponto C a barra sofre fratura.

Exercícios

1. O bíceps de uma certa pessoa tem o máximo da área da seção reta igual a 12cm 2 = 1,2x10^ -3 m 2 . Qual a tensão se o músculo estiver exercendo uma força de 300 N? (Resp:2,5 x 10 5 Pa)

2. Um corpo de 500 kg é pendurado num cabo de aço com 3 m de comprimento e área da seção reta de 0,15 cm 2 . De quanto o cabo se alonga?

3. Um arame circular de aço de comprimento igual a 2,00 m não pode se dilatar mais do que 0,25 cm quando uma tensão de 400 N é aplicada a cada uma de suas extremidades. Qual é o diâmetro mínimo necessário para esse arame?

4. Dois eixos redondos, um de cobre e um de aço, são ligados em suas extremidades. Cada eixo possui comprimento de 0,750 m e diâmetro igual a 1,50 cm. A combinação é submetida a uma tensão de alongamento cm módulo igual a 4000 N. Para cada eiso, qual é: a) a deformação? B) A dilatação?

5. Um eixo metálico possui uma área de seção reta igual a 0,50 cm2 e 4,00m de comprimento e se dilata 0,20 cm sob ação de uma força de tensão com módulo igual a 5000N. Qual é o módulo de Young desse metal?

6. Uma corda de náilon usada em alpinismo se dilata 1,10m sob o peso de um alpinista de 65,0 kg. Sabendo que a corda possui comprimento igual a 45,0 m e diâmetro igual a 7,0 mm, qual é o módulo de Young desse material?

7. Para construir uma escultura móvel, um artista pendura uma esfera de alumínio de 6,0 kg de massa presa a um fio de aço de 0,50 m de comprimento com área da seção reta igual a 2,5 x 10 -3 cm 2 . À parte

inferior da esfera, ele prende um outro fio de aço semelhante, na extremidade do qual ele pendura um cubo de bronze de massa igual a 10,0 kg. Para cada fio, calcule: a) a tensão de alongamento; b) o alongamento. 8. Um poste vertical de aço com diâmetro de 25 cm e 2,50 m de comprimento deve suportar uma carga de 8000kg. O peso do poste deve ser desprezado. Calcule: a) a tensão no poste; b) a deformação do poste; c) a variação do comprimento do poste quando a carga é aplicada.