Você está na página 1de 28

Direito Penal

Professor Péricles Mendonça


Edital
Noções de Direito Penal
1. Infração penal: elementos, espécies
2. Sujeito ativo e sujeito passivo da infração penal
3. Tipicidade, ilicitude, culpabilidade, punibilidade
4. Erro de tipo e erro de proibição
5. Imputabilidade penal
6. Concurso de pessoas
7. Crimes contra a pessoa, o patrimônio e a administração pública
Exercícios
1. (UFPR/PCPR/DELEGADO DE POLÍCIA/2021/SIMULADO) No que tange
ao delito de roubo, assinale a alternativa correta a seguir.

a) O roubo impróprio possui penas mais brandas, em abstrato, em


relação ao roubo próprio.
b) Qualifica-se o roubo praticado em concurso de duas ou mais
pessoas.
C) A utilização de arma branca ou arma de fogo resultará na
aplicação da mesma causa de aumento de pena.
D) O roubo não possui modalidade preterdolosa.
E) Todas as alternativas estão erradas.
Exercícios
2. (UFPR/PCPR/DELEGADO DE POLÍCIA/2021/SIMULADO) Segundo o
Código Penal, é forma qualificada do delito de induzimento, instigação
ou auxílio a suicídio ou a automutilação, exceto:

a) se da automutilação resulta lesão corporal grave.


b) se da automutilação resulta lesão corporal de natureza
gravíssima.
C) se o suicídio se consuma.
D) se da automutilação resulta morte.
E) se o crime é praticado por motivo torpe..
Exercícios
3. (UFPR/PCPR/INVESTIGADOR/2021/SIMULADO) Sobre os crimes contra a Administração
Pública, assinale a alternativa correta.

a) Pratica corrupção passiva o funcionário público que exigir, para si ou para outrem, direta
ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela,
vantagem indevida.
b) Pratica prevaricação o agente que retarda ato de ofício, cedendo a pedido ou
influência de outrem.
C) Pratica o crime de resistência o agente que desobedecer a ordem legal de
funcionário público.
D) Pratica peculato o agente que dá às verbas ou rendas públicas aplicação diversa
da estabelecida em lei.
E) Pratica condescendência criminosa o agente que deixar, por indulgência, de
responsabilizar subordinado que cometeu infração no exercício do cargo.
Exercícios
4. (FGV/PC-RN/DELEGADO DE POLÍCIA/2021) No dia 01/03/2014, Vitor, 60 anos, desferiu um golpe de faca
no peito de sua namorada Clara, 65 anos, que foi a causa eficiente de sua morte, pois descobrira que a vítima
mantinha uma relação extraconjugal com o vizinho. Foi instaurado inquérito policial para apurar o evento,
entrando em vigor, no curso das investigações, a Leinº13.104/2015, passando a prever a qualificadora
do feminicídio. As investigações somente foram concluídas em 25/01/2021. Considerando apenas as
informações expostas, a autoridade policial deverá indiciar Vitor pela prática do crime de homicídio:

a) com causa de aumento de pena, sem a qualificadora pela condição de mulher da vítima;
b) sem qualquer causa de aumento de pena e sem a qualificadora pela condição de mulher da vítima;
c) com a qualificadora pela condição de mulher da vítima, bem como causa de aumento de pena;
d) com a qualificadora pela condição de mulher da vítima, sem qualquer causa de aumento de pena;
e) com a qualificadora pela condição de mulher da vítima, além de causa de diminuição de pena pelo
relevante valor moral
Exercícios
5. (FGV/PC-RN/DELEGADO DE POLÍCIA/2021) Durante uma partida de futebol, Rogério agrediu Jonas
com um soco, que lhe causou um leve ferimento no olho direito. No dia seguinte, Jonas vai tirar
satisfação com Rogério e, no meio da discussão, saca uma arma de fogo e parte na direção de
Rogério, que, então, retira de sua mochila um revólver que carregava legalmente e dispara contra
Jonas, causando sua morte.
Considerando a situação apresentada, com relação à morte de Jonas, Rogério:
a) responderá por homicídio, ficando, porém, isento de pena por ter atuado no exercício
regular de direito;
b) responderá por homicídio, pois provocou a situação em que se encontrava, afastando
eventual excludente de ilicitude;
c) não responderá por homicídio, considerando que agiu em legítima defesa, que é causa de
exclusão da culpabilidade;
d) responderá por homicídio culposo, pois agiu em excesso de legítima defesa;
e) não responderá por homicídio, pois agiu em legítima defesa, o que afasta a ilicitude de sua
conduta.
Exercícios
6. (FGV/PC-RN/DELEGADO DE POLÍCIA/2021) Lidiane, exímia nadadora, convida sua amiga Karen
para realizarem a travessia a nado de um rio, afirmando que poderia socorrê-la caso tivesse
qualquer dificuldade. Durante a travessia, Karen e Lidiane foram pegas por um forte redemoinho
que as puxou para o fundo do rio. Lidiane conseguiu escapar, mas, em razão da forte correnteza,
não conseguiu salvar Karen, que veio a falecer por afogamento.
Considerando o fato acima narrado, Lidiane:
a) será responsabilizada pelo homicídio de Karen por omissão imprópria, visto que criou a
situação de perigo e assumiu a posição de garantidora;
b) assumiu a função de garantidora, devendo responder pela omissão de socorro com
resultado morte;
c) assumiu a função de garantidora, mas não responderá pela morte de Karen, pois estava
impossibilitada de agir;
d) não será responsabilizada pela morte de Karen, visto que não possuía o dever de agir;
e) não assumiu a função de garantidora, devendo, contudo, responder pelo crime de omissão
de socorro com resultado morte.
Exercícios
7. (FGV/PC-RN/AGENTE DE POLÍCIA/2021) Jonas, agente policial de determinado
estado, e seu primo Hélio, desempregado, subtraíram da delegacia na qual o
primeiro exercia suas funções, computadores que haviam sido substituídos por
equipamentos novos e que se encontravam guardados, tendo a dupla se
aproveitado das facilidades decorrentes do cargo exercido por Jonas.
Ao tomar conhecimento dos fatos, a autoridade policial deverá reconhecer que
Jonas praticou:
a) crime de peculato, devendo Hélio responder pelo mesmo delito;
b) crime de furto qualificado, assim como Hélio;
c) crime de peculato, enquanto Hélio responderá por peculato culposo;
d) crime de peculato, enquanto Hélio responderá por furto qualificado;
e) crime de peculato, enquanto Hélio responderá por furto simples.
Exercícios
8. (UFPR/UFPR/TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO/2018) O servidor
público que se aproveita do cargo e função para desviar recursos
públicos à sua própria conta corrente comete contra a Administração
Pública o crime de

a) Corrupção ativa
b) Corrupção passiva
c) Peculato
d) Prevaricação
e) Tráfico de influência
Exercícios
9. (UFPR/UFPR/ARQUITETO E URBANISTA/2018) Considere os seguintes crimes contra a Administração
Pública:
1. Deixar o funcionário, por indulgência, de responsabilizar subordinado que cometeu infração no
exercício do cargo ou, quando lhe falte competência, não levar o fato ao conhecimento da autoridade
competente.
2. Patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a Administração Pública, valendo-se
da qualidade de funcionário.
3. Exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-
la, mas em razão dela, vantagem indevida.
Assinale a alternativa que relaciona corretamente as condutas descritas e os respectivos tipos penais.
a) 1. Prevaricação – 2. Tráfico de Influência – 3. Corrupção passiva
b) 1. Adv. Administrativa – 2. Corrupção ativa – 3. Corrupção passiva
c) 1. Cond. Criminosa – 2. Tráfico de Influência – 3. Concussão
d) 1. Corrupção passiva – 2. Advocacia Administrativa – 3. Corrupção passiva
e) 1. Cond. Criminosa – 2. Advocacia Administrativa – 3. Concussão
Exercícios
10. (FGV/PC-RN/AGENTE DE POLÍCIA/2021) Joana caminhava pela rua, quando
percebeu que um cachorro de grande porte se desvencilhou da coleira de seu
dono e correu ferozmente em direção a uma criança que brincava na calçada.
Com o objetivo de proteger a criança, Joana atirou uma pedra na cabeça do
animal, que veio a falecer.
Considerando os fatos acima, Joana agiu em:
a) estado de necessidade, que afasta a culpabilidade de sua conduta;
b) legítima defesa de terceiro, que afasta a tipicidade de sua conduta;
c) estado de necessidade, que afasta a ilicitude de sua conduta;
d) legítima defesa de terceiro, que afasta a ilicitude de sua conduta;
e) estado de necessidade, que afasta a tipicidade de sua conduta.
Exercícios
11. (NC/FUNPAR/UFPR/UFPR/TRADUTOR/2017) A ação de “retardar ou
deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra
disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento
pessoal” configura crime de:

a) Corrupção passiva
b) Tráfico de influência
c) Advocacia administrativa
d) Prevaricação
e) Concussão
Exercícios
12. (VUNESP/PCSP/ESCRIVÃO/2018) A respeito do concurso de pessoas, é correto afirmar que
a) Mévio e Caio, pelo ajuste da prática de furto à residência de Tício, uma vez descoberto o
plano, serão punidos, ainda que o crime não chegue a ser tentado.
b) Mévio e Caio, tendo furtado a residência dos pais de Caio, são isentos de pena, aplicando-
se a ambos o perdão legal que exime de pena os crimes patrimoniais, cometidos sem
violência, em detrimento de ascendentes.
c) Mévio, tendo ajustado com Caio apenas a prática de furto à residência de Tício, responderá
pelos demais crimes eventualmente praticados por Caio, ainda que não previsíveis.
d) Caio, empresário, ciente da condição de funcionário público de Mévio, tendo o auxiliado na
prática de peculato-furto, não responderá pelo crime funcional, já que a condição pessoal
de funcionário público de Mévio a ele não se comunica.
e) Mévio, pela participação de menor importância na prática de furto à residência de Tício,
poderá ter a pena diminuída.
Exercícios
13. (VUNESP/PREF. CAMPINAS/AGENTE/2019) Caio trabalha em uma repartição
pública e tem por função cuidar do almoxarifado. Todos os dias, antes de sair,
Caio tranca as portas dos armários de suprimentos. Em determinado dia, Caio,
que está com o filho internado, saiu às pressas, esquecendo de fechar dois dos
armários. No dia seguinte, ao chegar na repartição, Caio percebeu que
suprimentos de alto valor tinham sido furtados. Diante da situação hipotética,
Caio, em tese,

a) Praticou o crime de peculato culposo


b) Praticou o crime de peculato furto
c) Praticou o crime de peculato apropriação
d) Praticou o crime de peculato mediante erro de outrem
e) Não praticou qualquer crime
Exercícios
14. (VUNESP/PREF. CAMPINAS/AGENTE/2019) Mévio, funcionário público, trabalha em um
posto de saúde. Ele é vizinho de Tícia, moça com quem ele gostaria de namorar. Em
determinado dia, Mévio encontra Tícia, acompanhando a mãe, senhora que necessitava de
atendimento médico não urgente, na fila de espera, por ordem de chegada, critério de
atendimento estabelecido pelo serviço público. Para impressionar Tícia, Mévio coloca a ficha
cadastral de sua mãe à frente das de outros pacientes, sendo ela chamada logo à sala do
médico. Em gratidão ao gesto, Tícia decide ir ao cinema, com Mévio. Diante da situação
hipotética, Mévio praticou, em tese, o crime de

a) Corrupção passiva
b) Prevaricação
c) Advocacia administrativa
d) Condescendência criminosa
e) Concussão
Exercícios
15. (FGV/PC-RN/AGENTE DE POLÍCIA/2021) Cássio, com a intenção de matar
Patrício, efetua disparo de arma de fogo em sua direção, que atinge seu braço e
o faz cair no chão. Enquanto caminha na direção de Patrício para efetuar novo
disparo, Cássio percebe a aproximação de policiais e se evade do local, deixando
Patrício apenas com o ferimento no braço.
Considerando os fatos narrados, Cássio deverá responder pelo crime de:
a) tentativa de homicídio;
b) tentativa de homicídio, com diminuição da pena pela desistência voluntária;
c) lesão corporal, pois houve desistência voluntária;
d) tentativa de homicídio, com diminuição da pena pelo arrependimento eficaz;
e) lesão corporal, pois houve arrependimento eficaz.
Exercícios
16. (FGV/TJ-RS/OFICIAL DE JUSTIÇA/2020) Ao receber a intimação para efetuar
pagamento decorrente de condenação judicial, o réu, pessoa de baixa instrução,
entrega o valor pertinente ao oficial de justiça Roberto, que o utiliza para o pagamento
de uma dívida própria.
Sobre a conduta praticada por Roberto, é correto afirmar que:

a) o fato é atípico porque o Código Penal não pune o chamado peculato de uso;
b) foi cometido o crime de peculato mediante erro de outrem, já que o oficial de
justiça não colaborou para o erro do sujeito passivo;
c) Roberto deve responder pelo crime de peculato na modalidade apropriação,
definido no art. 312 do Código Penal;
d) Roberto cometeu o crime de corrupção passiva porque recebeu vantagem indevida
em razão do cargo;
e) não há crime devido ao exercício regular de um direito.
Exercícios
17. (AOCP/MPE-RS/TÉCNICO DO MP/2021) Analise o seguinte caso hipotético: Vilma foi
presa em flagrante por tentativa de homicídio contra Alice, sua inimiga mortal. De
acordo com o Código Penal, nesse caso, pune-se a tentativa de homicídio com a pena
correspondente à do crime consumado, diminuída

a) da metade
B) de um sexto
c) de um terço
d) de um sexto a um terço
E) de um a dois terços
Exercícios
18. (CESPE/MPE-AP/PROMOTOR/2021) Segundo o entendimento do STJ, a realização
de saques indevidos na conta-corrente de uma pessoa sem o seu consentimento, por
meio da clonagem do cartão e da senha, caracteriza

a) estelionato
B) falsidade ideológica
c) apropriação indébita
d) furto mediante fraude
E) conduta atípica
Exercícios
19. (AOCP/PC-PA/INVESTIGADOR/2021) Assinale a alternativa correta conforme a jurisprudência
dos Tribunais Superiores.

a) Consoante ao STJ, é admissível aplicar, no furto qualificado, pelo concurso de agentes, a


majorante do roubo.
B) Conforme entendimento do STJ, o sistema de vigilância realizado por monitoramento
eletrônico ou por existência de segurança no interior de estabelecimento comercial, por si só,
torna impossível a configuração do crime de furto.
c) Nos termos da jurisprudência do STF, há crime ainda quando a preparação do flagrante pela
polícia torna impossível a sua consumação.
d) De acordo com o STJ, a mera indicação do número de majorantes é suficiente para
fundamentar o aumento na terceira fase de aplicação da pena no crime de roubo
circunstanciado.
E) Segundo o STJ, é possível o reconhecimento do privilégio previsto no § 2º do art. 155 do CP,
nos casos de crime de furto qualificado, se estiverem presentes a primariedade do agente, o
pequeno valor da coisa e a qualificadora for de ordem objetiva.
Exercícios
20. (FGV/PC-RN/DELEGADO DE POLÍCIA/2021) Saulo se desentendeu, na fila do caixa de um
supermercado, com outra consumidora, Viviane, que estava no 8º mês de gestação,
e lhe desferiu um fortíssimo soco no rosto. Em razão do golpe, Viviane perdeu o
equilíbrio e caiu com a barriga no chão. Ao ser levada ao hospital, foi constatado que
Viviane apresentava lesão leve na face, mas que havia perdido o bebê em decorrência
da queda.
Considerando o estado gravídico evidente de Viviane, a conduta praticada por Saulo
configura o crime de:
a) lesão corporal seguida de morte;
b) lesão corporal qualificada pelo aborto;
c) aborto na modalidade dolo eventual, apenas;
d) aborto culposo, ficando a lesão corporal absorvida;
e) lesão corporal leve em concurso formal com aborto na forma culposa.
Gabarito
1-E 11 - D
2-E 12 - E
3-E 13 - A
4-A 14 - B
5-E 15 - A
6-C 16 - B
7-A 17 - E
8-C 18 - D
9-E 19 - E
10 - C 20 - B
Agradecimentos

Muito obrigado!
Bons estudos, Força e Honra!

Professor Péricles Mendonça


profpericlesrezende@gmail.com
@vemserpolicial