Você está na página 1de 3

No ensino da língua portuguesa uma parte da gramática que se aprende é a sintaxe.

Mas você
sabe o que é a Sintaxe e qual a sua importância para o dia a dia? Neste artigo de
umComo.com.br vamos explicar para você para que esclareça as suas dúvidas.

Também lhe pode interessar: O que é semântica?

Importância da sintaxe

Por mais que as pessoas se questionem sobre o porquê de aprendem determinados assuntos
na escola, a verdade é que tudo possui uma função, mesmo que nem sempre fique bem claro
aos estudantes, o que, aliás, é bastante comum. Muitas vezes, falta aos educadores mostrar
como aquele conhecimento pode ser útil no dia a dia, o que tornaria a aprendizagem até
mesmo mais atraente. Eu digo isso, diante do que estou vendo nessa disciplina,

Esse é o caso da sintaxe, algo aparentemente tão teórico, mas que, na realidade, é a base das
conversações que temos com os pais, amigos, colegas de trabalho e da escola e com outras
pessoas com as quais nos comunicamos. É bem provável que não exista alguém que nunca se
deparou com uma situação corriqueira, em que conversou com outra pessoa, mas percebeu
dificuldade em compreender o que foi dito ou sentiu-se incompreendido.

Porém, isso não foi provocado por problemas de audição, mas porque houve falha na sintaxe.
Ou seja, mesmo que ao falar com outra pessoa não se perceba que usamos a sintaxe ela está
sempre presente nos diálogos. Para entender melhor o que é a sintaxe, vale dizer que é o
estudo da relação entre os componentes de uma frase e da combinação entre elas.

O que é a Sintaxe - Importância da sintaxeImagem: blogdamercia.wordpress.com

O que a sintaxe estuda

Ao analisar a sintaxe de uma frase são identificados os seus elementos. Assim, no exemplo “As
meninas jovens compraram bastante na loja hoje”, é possível definir “as meninas” como
sujeito, “jovens”, como adjetivo, “compraram”, como verbo, “bastante”, “na loja” e “hoje”
como advérbios, sendo que o primeiro é de intensidade, o segundo de lugar e o terceiro de
tempo.

É possível compreender o sentido dessa frase apenas porque se tem ideia do que cada parte
significa, mesmo que na hora de falarmos isso corriqueiramente não separemos as expressões,
classificando-as. Embora inconscientemente, o interlocutor também compreende a ligação
existente entre os termos da frase, como o fato do advérbio “jovens” se referir a “meninas” e
não aos demais elementos.
Ao saber o que é a sintaxe e como funciona o seu estudo, é possível ainda identificar em uma
oração quais são os elementos primordiais e os complementos. No exemplo anterior,
“meninas”, “compraram” e “loja” são os principais, pois mesmos sem os demais é possível
compreender a mensagem. Enquanto isso, “jovens”, “bastante” e “hoje” são complementos,
uma vez que apenas oferecem mais detalhes ao que é informado e não são essenciais. Porém,
isso é apenas o básico do estudo da sintaxe, havendo ainda a análise dos períodos compostos,
regências e concordâncias verbais e nominais, pontuação, crase e muito mais.

Para dominar a gramática, é preciso ainda saber o que é morfologia e fonologia, com as quais é
possível estudar melhor a sintaxe, que também é definida com a responsável pelo arranjo das
palavras e construção das frases. Ao saber analisar a sintaxe, conseguimos expor melhor uma
ideia na hora de transferi-la para o papel ou pronunciá-la verbalmente.

Acredito que, para um bom ensino reflexivo da língua materna é necessário que o professor
seja bem formado e capacitado; que saiba refletir a respeito da metalinguagem e consiga
ensiná-la da melhor maneira possível. O objetivo do ensino deve levar o discente a indagar
sobre as possibilidades de sentido que um enunciado muitas vezes pode oferecer. O
professor que tem conhecimento das regras gramaticais normativas e sabe que, muitas
vezes, há uma falta de explicação lógico-semântica para compreensão das tais, contidas nos
livros escolares, deve ser um mediador, apresentando em suas aulas, as teorias existentes a
respeito do assunto, conforme diz Uchôa (2007, p. 47):
As

O estudante recorre à memorização de regras, o que o leva à classificação automatizada, sem


que estes saibam explicar ou justificar o porquê classificatório daquele termo/frase/oração. O
professor deve ensinar a teoria do livro didático adotado pela escola, mas sempre oferecer ao
aluno outras explicações pertinentes à compreensão do conteúdo gramatical, fazendo a ponte
entre o sentido e a estrutura da língua.

Quando o docente centra o ensino, ditando determinado número de regras e se prendendo a


escassez da teoria encontrada em algumas obras, ele acaba não possibilitando que o ensino
seja um dos meios fundamentais pelos quais os alunos crescerão e se libertarão
intelectualmente.

Eu posso dizer por mim, o ensino que eu tive, não me fez refletir sobre o ensino da sintaxe e a
sua relação com o dia a dia, o meu ensino ele esteve mais centrado ao identificar na oração o
sujeito, predicado, sem que eu pudesse de certa maneira, compreender que não faz sentido só
saber que na naquela oração tem um sujeito, e não entender a sua relação com a oração, o
seu significado.
O significado é importante para os estudos gramaticais, principalmente se o estudo se situa no
nível da frase. Não se pode ter uma gramática sem levar em conta o seu significado.

Por isso ao analisarmos uma sentença, devemos estar atentos ao signo linguístico que está
sendo empregado, pois a palavra se realiza dentro do texto e mediante ao contexto, a fim de
que a comunicação entre locutor e interlocutor seja satisfatória.

Aula dia 08/09

Início da aula

Eu não domino a Sintaxe, e estou longe disso. Digo que estou aprendendo mais agora,
do que quando tive essa disciplina. Então, foi como o senhor disse a Análise em sim, ela é
complexa, e ela nunca deixou de ser porque a língua ela é complexa, é importante também
mencionar, a sua Metodologia, pois ela tem facilitado a compreensão da análise e gramática
tradicional acaba por confundir muitas coisas, e acaba que nós não temos uma direção muito
clara para entender, por isso é importante também entendermos os papeis semânticos,
porque como o senhor disse, não existe dentro da gramática um estudo feito de maneira
sistematizada. O que acaba fazendo refletir o lado formal e semântico da frase, uma não existe
sem a outra, porque você não tem uma frase sem sentido e sentido sem frase. É isso que nós
não estávamos acostumados, a pensar a semântica da frase, relacionada a estrutura.

Na análise sintática tradicional nós estávamos preocupados em encontrar o sujeito e


predicado, sem nos preocuparmos com o sentido da frase. Então tá sendo uma experiência
muito enriquecedora, poder participar dessa disciplina e poder aprender muito mais.

Para usar os temos tecnicos, a construgao se define por: tipos de

constituintes formando ( SN,V...); A funcao sintatica de cada um deles ( Sujeito,

objeto...) e os papeis tematicos de cada um deles (Agente, Paciente...)

Final da aula

Você também pode gostar