Você está na página 1de 5

31/3/2011

Fisiologia microbiana:
Fisiologia microbiana:

NUTRIÇÃO

Nutrição microbiana e o • Nutrição microbiana


Meio Microbiológico
– Componentes necessários às células

– Meios de cultura
Msc. Dayane Gomes

NUTRIÇÃO MICROBIANA NUTRIÇÃO MICROBIANA


Introdução

• De todos os organismos vivos, os microrganismos são os mais versáteis • Em algumas situações os microrganismos são estudados em seu
e diversificados em suas exigências nutricionais. hábitat natural.
Ex.: Fendas termais, sistemas de tratamento de resíduos, solo.

• Alguns são tão exigentes quanto o homem e outros animais.


• Para caracterizar suas propriedades (morfológicas, fisiológicas e
bioquímicas) é necessário o cultivo em laboratório.
• Todos os organismos vivos compartilham algumas necessidades
nutricionais em comum:
- carbono Cultivo in vitro: quando se conhece as exigências nutricionais
- nitrogênio
- água
Cultivo in vivo: quando exigências nutricionais específicas são
desconhecidas.

NUTRIÇÃO MICROBIANA NUTRIÇÃO MICROBIANA

Para o cultivo laboratorial (in vitro) são utilizados meios de cultura que
MACROnutrientes: - Necessários em grande quantidade.
simulam e até melhoram as condições naturais. - Tem papel importante na estrutura e metabolismo.
Os elementos químicos principais para o crescimento das células incluem MICROnutrientes: - Necessários em quantidades mínimas.
C, N, H, O, S e P e são denominados de macronutrientes.
- Funções enzimáticas e estruturais das biomoléculas

• O carbono é um dos elementos mais importantes para o crescimento Uma célula típica
microbiano (todos requerem carbono)

C
• Os compostos orgânicos são os que contém carbono
N

(Exceção para CO2) H

P, S, K, Na ...
Matéria seca
Água

1
31/3/2011

Componentes necessários às células Componentes necessários às células

• Fonte de Carbono
•Fonte de Nitrogênio
Compostos orgânicos (microrganismos heterotróficos):
- Carboidratos - É elemento mais abundante depois do C, cerca de 12%
- Lipídeos
(constituinte das proteínas, ácidos nucléicos, etc.)
- Proteínas

Deles se obtém energia e unidades básicas para o crescimento celular. Moléculas orgânicas (aminoácidos, proteínas, etc.)
Moléculas inorgânicas (NH3, NO3-, N2)

Utilização de CO2 (microrganismos autotróficos)


É a forma mais oxidada do carbono, assim a fonte de energia provém da
luz.

Componentes necessários às células Componentes necessários às células

• Hidrogênio
Outros macronutrientes:
- Principal elemento dos compostos orgânicos e de diversos inorgânicos
(água, sais e gases) •P – Sínese de ácidos nucléicos, ATP;
• Função do H: •S – Estabilidade de aminoácidos, componente de vitaminas;
– Manutenção do pH
•K – Atividade de enzimas;
– Formação de ligações de H entre moléculas
– Serve como uma fonte de energia nas reações de oxi-redução da respiração • Mg – Estabilidade dos ribossomos;
• Ca – Estabilidade da parede celular e termoestabilidade de
• Oxigênio
endósporos;
- Elemento comum encontrado nas moléculas biológicas (aminoácidos, • Na – Requerido em maior quantidade por microrganismos marinhos;
nucleotídeos, glicerídeos ...)
• Fe – Papel-chave na respiração, componente dos citocromos e das
- É obtido a partir das proteínas e gorduras.
proteínas envolvidas no transporte de elétrons.
Na forma de oxigênio molecular (O2), é requerido por muitos para os
processos de geração de energia.

Requisitos nutricionais - Micronutrientes Água e outros aditivos

• Água
- Componente absolutamente indispensável
• Metais são em quantidades muito pequenas (traço) necessários na (com exceção dos protozoários que englobam partículas sólidas)
composição de um meio de cultura:
Laboratório: destilada, filtrada, deionizada
Zn, Cu, Mn, Co, Mo e B

Exercem função estrutural em várias enzimas • Outros aditivos


- Nem sempre sua adição é necessária Funções: aumentar a conversão, evitar precipitação de íons, controlar a espuma,
provocar inibição, estabilizar o pH.
- Meios sintéticos com compostos de alto grau de pureza e água ultra
pura podem apresentar deficiências desses elementos. Quelantes: na autoclavagem ocorre a precipitação dos fosfatos metálicos
Ex.: EDTA, ácido cítrico, polifosfatos

2
31/3/2011

Outros aditivos Outros aditivos

Indutores
Tampões
- A maioria das enzimas de interesse comercial precisa de indutores.
- Carbonato de cálcio
- Fosfatos Ex: celulose induz a celulase
- Proteínas (peptona) pectina induz a pectinase
amido induz a amilase

►Antiespumantes

- Cultivos com aeração ocorre a produção de espuma


Inibidores
• Remoção de células, perda do produto, contaminação;
• Redução do volume do meio
Ex: produção de ácido cítrico por Aspergillus niger
Utiliza-se Fosfato e pH < 2 para reprimir o ácido oxálico • Um antiespumante reduz a tensão superficial das bolhas

(álcoois, ácidos graxos, silicones, poliglicóis, ... )

Fisiologia microbiana: Nutrição Bacteriana


Classificação Nutricional dos microrganismos
HETERÓTROFAS OU HETEROTRÓFICAS

• Alimentam-se do alimento que obtém parasitando seres vivos ou


decompondo cadáveres.
– Heterotróficas
• As bactérias parasitas são responsáveis pelo surgimento de
inúmeras infecções em plantas e animais.
– Autotróficas
• Fotossintetizantes • As bactérias decompositoras são responsáveis pela reciclagem da
• quimiossintetizantes matéria orgânica na natureza.

• Catabolizam (desmancham) as moléculas mais complexas,


tornando-as disponíveis na natureza para outras formas de vida.

AUTÓTROFAS OU AUTOTRÓFICAS Classificação Nutricional


• Algumas bactérias possuem uma proteína, conhecida como • Os microrganismos que usam a luz como fonte de energia podem ser:
bacterioclorofila, que capta a energia da luz para a síntese
(fabricação) de glicose, são as bactérias fotossintetizantes: • Fotoautotróficos:
– são organismos que usam a luz como fonte de energia e o carbono inorgânico (CO2)
como fonte de carbono.
6 CO2 + 12 H2S + energia da luz → C6H12O6 + 6 H2O + 12 S
– São representados pelas bactérias fotossintetizantes (cianobactérias), bactérias
sulfurosas púrpura (exemplo: Chromatium) e bactérias sulfurosas verdes (exemplo:
• Outras bactérias obtêm a energia para a síntese de glicose a partir Chlorobium), algas e plantas verdes.
de reações químicas, nesse caso, dizemos que são
quimiossintetizantes: – Existem cerca de 60 espécies de bactérias fotoautotróficas.

2 NO-2 + O2 → 2NO-3 + energia (a bactéria oxida o nitrato e obtém energia) • Fotoheterotróficos:


– usam luz como fonte de energia e compostos orgânicos (álcool, carboidratos, ácidos
orgânicos, etc.) como fonte de carbono.
6 CO2 + 12H + energia → C6H12O6 + 6H2O (energia é usada na síntese da glicose) – São as bactérias verdes não sulfurosas (exemplo: Chloroflexus) e as bactérias
púrpuras não sulfurosas (exemplo: Rhodopseudomonas ).

3
31/3/2011

Classificação Nutricional
• Os microrganismos que obtêm energia através da oxidação de
compostos orgânicos ou inorgânicos podem ser classificados em:

• Quimioautotróficos:
– usam os compostos químicos
• (gás sulfídrico (H2S), enxofre elementar (S), amônia (NH3), gás hidrogênio (H2),
nitrato (NO3-), nitrito (NO2-) e ferro (Fe2+) como fonte de energia e usam o CO2
como fonte de carbono.

• Quimioheterotróficos:
– São organismos que usam compostos orgânicos como fonte de energia e
de carbono.
– Este grupo inclui a maioria das bactérias, fungos e protozoários.

MEIOS DE CULTURA
Fisiologia microbiana:

Meios Microbiológicos

Soluções nutrientes para promover o crescimento de microrganismos.

Quimicamente definidos (sais, compostos orgânicos purificados, água)


Classes
Complexos (utilizam hidrolisados – caseína, carne, soja, levedura)

Não existe um meio de cultura universal, mas


Existem vários tipos meios para diversas finalidades

Para obter sucesso no cultivo de microrganismos é necessário o conhecimento de


suas exigências nutricionais, para que os nutrientes sejam fornecidos de forma e
proporção adequada.

Meios quimicamente definidos são utilizados para determinar as necessidades Meios de cultura
nutricionais
• Embora não existam meios específicos para todos os microrganismos, existem centenas
de formulações para inúmeras finalidades.
Até 1880 os microrganismos eram
cultivados em meios líquidos. Alguns são meios gerais: permitem o crescimento de muitas espécies
Robert Koch introduziu os meios de
cultura sólidos, os quais permitiram Outros são meios específicos: servem para identificação de espécies, por ex.
o estudo de espécies isoladas
(culturas puras).

Meio de
cultura
solidifica
do com
1,5 % de
ágar. Controle é um meio mínimo com apenas glicose e sais.
3 isolados bacterianos sendo testados quanto a necessidade de suplementos
orgânicos. Escherichia coli e Shigella sonnei em meio MacConkey
Cepas 2: prototrofica n requer qq suplemento orgânico Crescimento de bactérias Gram negativas e indicar a fermentação de lactose.
Cepas 1 e 3: auxotróficas requer qq suplemento orgânico ( 1 triptofano e 3 triptofano e indol) Colónias bacterianas que fermentam lactose tornam o meio rosa choque e as bactérias que não são
fermentadoras de lactose tornam o meio amarelo claro.

4
31/3/2011

Microplacas com diferentes


Meios de cultura para bactérias
meios de cultura para
identificação de • Normalmente imitam o habitat normal
enterobactérias
Ex.
E outras gram -.
Se a bactéria prefere os nutrientes encontrados no sangue, então o sangue é adicionado no meio
de cultura.

Meio definido para quimioautotróficas Meio definido para heterotróficas Meio complexo para heterotróficas

Meios especiais MEIOS DE CULTURA MEIOS DE CULTURA

• Como determinar uma composição inicial para um meio de cultivo:

 Meios para anaeróbios: adição de agentes redutores (tioglicolato de sódio) Passo 1: utilizar dados da composição elementar

Ex: Para produzir 10 g de células bacterianas são necessários


 Meios seletivos: favorece o crescimento de um tipo particular ou suprime outros. de 1,3 g (13%) de N, ou 7,2 g de (NH4)2SO4 (18% de N)

Obs.: Sais com dois componentes [(NH4)2SO4] podem


Ex. meio ágar verde brilhante. introduzir o excesso de um deles.
Composição elementar média (% do peso seco)

Elemento Bactéria Fungo


 Meios diferenciais: para diferenciar microrganismos dentro de uma cultura mista. Com relação ao carbono considerar também fração para
Carbono 52 51
energia e manutenção (heterotróficos)
hidrogênio 7 7
Ex. meio com sangue para distinguir as hemolíticas. Fração para biomassa: 1,3 x 4 = 5,2 g de C ou 13 g de glicose Nitrogênio 13 8,5
(40% de C)
Fósforo 2,5 0,4-4,5
 Meios seletivos/diferenciais: Fração para energia e manutenção (45%): Enxofre 0,6 0,1-0,5
YX/S = 55% 13/0,45 = 28,9 g de glicose Potássio 2,5 0,2-2,5
Ex. Meio McConkey que contém sais de bile e cristal violeta. Sódio 0,75 0,02-0,5
Relação C:N = 28,9/7,2 = 4:1
Cálcio 0,55 0,1-1,4
 Meios de enriquecimento: se objetiva o aumento de uma determinada espécie sem inibir Magnésio 0,25 0,1-0,5

Cloro 0,5 -
as demais. .... E assim por diante.
Ferro 0,1 0,15
Passo 2: otimização Relação C:N média 4:1 6:1
Ex. isolar bactérias que oxidam fenol, fornecendo fenol como única fonte de carbono.
Relação C:N:P:S 85:23:4:1