Você está na página 1de 2

1- AVODÁ ZARÁ - Idolatria

Gen 9:6 (última parte)

‫הָ ָאדָ ם‬-‫ עָ שָ ה ֶאת‬,‫ֹלהים‬


ִּ ֱ‫כִּ י בְּ צֶ לֶם א‬
Porque à imagem de Deus fez o Homem
Fomos feitos à imagem e semelhança de Deus – isto é, somos racionais; temos
capacidade para determinar entre o certo e o errado, entre o bem e o mal. Ao
confeccionarmos ídolos ou ao criarmos deuses e divindades, estaremos
abandonando o princípio racional (a imagem de Deus em nós) para nos
apegarmos não ao Autor, mas sim, ao objeto da criação – a matéria (da qual os
ídolos são feitos). É a clássica proibição contra a idolatria.

2- BIRKAT HASHEM - Blasfêmia


Gen 9:1

‫בָ נָיו‬-‫נֹחַ וְּ ֶאת‬-‫ ֶאת‬,‫ֹלהים‬


ִּ ֱ‫ַויְּבָ ֶרְך א‬
E Deus abençoou a Noach e a seus filhos
Assim como Deus abençoou a Noach e sua família, também o Homem, por
inferência, deverá bendizer a Deus, isto é, não maldizer ou blasfemar
contra Ele.

3- SHEFIKHUT DAMIM - Assassinato


Gen 9:5

‫ ֶנפֶׁש הָ ָאדָ ם‬-‫ ֶאת‬,‫ ֶא ְּדרֹׁש‬--‫ ִּמיַד ִּאיׁש ָא ִּחיו‬,‫ּומיַד הָ ָאדָ ם‬


ִּ
E da mão do Homem, e da mão de cada um, Eu requererei a vida do Homem
Noach foi instruído contra o assassinato – i.e., tirar a vida de outro ser
humano por motivos torpes, sem justificativa (exceto sob a condição de
legítima defesa). A desvalorização da vida foi um dos principais motivos que
levou o mundo à catástrofe do dilúvio.

4- GEZEL – Roubo*
Gen 9:5

‫ ֶנפֶׁש הָ ָאדָ ם‬-‫ ֶאת‬,‫ ֶא ְּדרֹׁש‬--‫ ִּמיַד ִּאיׁש ָא ִּחיו‬,‫ּומיַד הָ ָאדָ ם‬


ִּ
E da mão do Homem, e da mão de cada um, Eu requererei a vida do Homem
O texto é muito claro que, tudo que o homem fizer “por meio da sua mão” será
requerido dele. A ‘vida’ do homem inclui também tudo aquilo que ele possui,
não apenas sua existência física – mas todas as coisas que são dele e que, de
várias formas, possibilitam sua vida e sobrevivência. Em síntese, seus bens e
pertences. Subtrair algo de alguém consiste em gezel, roubo – violação de
direitos de propriedade e é contra isso que também somos advertidos aqui.
5- GILUI ARAYOT – Relações Proibidas
Gen 9:1 (fim do verso)

‫הָ ָא ֶרץ‬-‫ּומלְּאּו ֶאת‬


ִּ ,‫וַי ֹאמֶ ר לָהֶ ם פְּ רּו ְּּורבּו‬
E (Deus) disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a Terra.
Assim como Deus anteriormente definiu os parâmetros das relações
sexuais humanas (Gen 2:24), agora o mandamento de repovoar a Terra está
sob as mesmas diretrizes: “Deixará o homem seu pai e sua mãe (i.e., não se
ligará a eles – proibição do incesto), e se unirá à sua mulher (i.e., não a outro
homem – proibição do homossexualismo, ou a um animal – proibição da
zoofilia e bestialidade; não a duas ou três, mas à uma apenas - proibição da
poligamia), e serão ambos uma só carne” (i.e., ele não poderá ser ‘uma só
carne’ com duas ou três esposas, com outro homem, com um animal, ou com
um parente consanguíneo).

6- EVER MIN HACHAI – Crueldade contra Animais


Gen 9:4

.‫ בְּ נַפְּ ׁשֹו דָ מֹו ל ֹא ת ֹאכֵלּו‬,‫בָ שָ ר‬-‫ַאְך‬


Mas a carne com sua ‘alma’, seu sangue, não comereis
Deus aqui determina a dieta para os Bnei Noach. De tudo eles podem comer
(tudo mesmo!) – vide Gen 9:3 – exceto o sangue. A permissão para se comer de
tudo que se goste inclui a proibição da crueldade contra os animais.
Nosso texto significa literalmente: Mas a carne (do animal) enquanto ainda
estiver viva, não comereis.

7- DINIM – Estabelecer a justiça


Gen 9:6

:‫ בָ ָאדָ ם דָ מֹו יִּשָ פְֵך‬,‫ׁשפְֵך דַ ם הָ ָאדָ ם‬


ֹ
O que derramar o sangue do Homem, pelo Homem seu sangue será
derramado
Vemos aqui determinado o princípio de Dinim, estabelecimento de tribunais
justos. Os Bnei Noach devem procurar estabelecer a justiça, cumprir as leis
civis (as leis do estado – princípio talmúdico de “dinah demalchutá diná”, “a
lei do país é a lei” e naturalmente as leis que envolvem práticas honestas, éticas
e morais.

( * ) Nota: A ordem contra o roubo permeia todo o texto de Gen. 9; por quê? Servir um ídolo é
“roubar” o direito divino do Único Criador; Blasfemar é “roubar” a glória de Deus e o respeito
devido a Ele; assassinar é “roubar” o direito de outro à vida; manter relações proibidas é “roubar”
a dignidade do propósito divino do sexo; maltratar animais é “roubar-lhes” a dignidade de seres
vivos.

Você também pode gostar