Você está na página 1de 2

FICHA DE TRABALHO

ANO LETIVO: 2020 /2021


Ciências Naturais 7º Ano

Aluno (a): ________________________________________ Nº _________ Data: __ /__ /__

Lisboa, 1755
O Portugal do século XVII devia ao mar a sua
grandeza. Graças às viagens aventureiras, ao
longo da costa atlântica de África, promovidas
pelo Infante D. Henrique, o Navegador, a passa-
gem do cabo da Boa Esperança por Bartolomeu
Dias em 1488, a abertura do caminho marítimo
para a Índia por Vasco da Gama e a “descoberta”
do Brasil por Pedro Álvares Cabral em 1500,
pelo ano do Senhor de 1750, o pequeno reino de
Portugal tinha-se tornado um império, esten-
dendo-se desde a África às Américas e à Ásia.
Livre do jugo espanhol e dos invasores mouros,
Portugal era uma monarquia absoluta gover-
nada pelo débil rei D. José I, dirigida de facto
pelo progressista, ainda que brutal, ditador
Marquês de Pombal, que tinha lutado com su-
cesso contra a nobreza, abolido as Cortes e en-
frentado a influência da Igreja Católica, repre-
sentada pelos poderosos Jesuítas.
Lisboa, a capital do reino e um dos centros co- Por volta das 9:30 da manhã, a sudoeste do Cabo
merciais mais importantes da Europa, era uma de São Vicente (Banco de Gorringe), a tensão
encantadora cidade com 275 mil habitantes acumulada durante séculos num setor da cin-
onde magníficos palácios da nobreza confina- tura alpina foi bruscamente libertada e, par-
vam com igrejas e mosteiros, mais numerosos tindo de um ponto abaixo da superfície da
que em qualquer outra cidade europeia, com Terra, chamado foco, três grandes ondas de cho-
possível exceção de Roma. que irradiaram em rápida sucessão, demolindo
Alfama, o velho bairro da cidade, de origens ro- muitas casas na zona baixa da cidade. A cúpula
manas e mouriscas, elevava-se em socalcos pe- da catedral foi destruída e o teto e o campanário
las encostas das colinas a leste e estava pejado arderam a seguir, ficando de pé apenas o coro e
de casas modestas, dispostas ao longo de íngre- a fachada. Uma igreja gótica, a venerada Igreja
mes e sinuosos becos. O aspeto mais caracterís- do Carmo, erigida no século XIV, sofreu danos
tico da cidade era – e ainda é – a colina rochosa terríveis; só a abside, os pilares das naves late-
circundada pelo castelo de S. Jorge, uma cida- rais e as paredes exteriores ficaram de pé. Toda
dela mourisca. a cidade se tornou, num instante, numa ruína.
A cidade, cujo antigo nome, Olissipo, faz alusão Minutos passados, o tremor fez-se sentir em
a uma cidade mítica fundada por Ulisses, não Fez, Argel, Madrid e Estrasburgo, enquanto as
era estranha a tremores de Terra. Não obstante, notícias levaram quase duas semanas a chegar a
embora a Sé Patriarcal, fundada em 1150 por D. Londres. O tremor foi tão poderoso que as águas
Afonso Henriques, tivesse sido destruída por do lago Lomond, na Escócia, subiram e desce-
um tremor de terra e reconstruída em 1380, os ram quase 1 m e as dos lagos nos planaltos dos
habitantes de Lisboa não estavam preparados Alpes agitaram-se, baloiçando para trás e para
para os acontecimentos que se desenrolaram no diante, no que é chamado uma seicha. E Lisboa,
dia 1 de novembro de 1755, Dia de Todos os como se não tivesse sido suficientemente casti-
Santos. gada, sofreu duas réplicas devastadoras.

1
ruínas e transformou a manhã brilhante numa
tarde tenebrosa, um último abalo atingiu a parte
norte da cidade e, pouco depois, irromperam fo-
gos por todo o lado. O palácio real, o recente-
mente concluído edifício da ópera e a magnifi-
cente Sé Catedral (que, ainda que danificada, ti-
nha sobrevivido ao tremor de terra) foram con-
sumidos pelo fogo.
Nos terríveis tempos que se seguiram (no ano
seguinte foram mais de 500 as réplicas senti-
das), um homem usou os seus poderes para de-
A seicha é uma onda estacionária que se desenvolve, por
volver a sanidade mental aos cidadãos lisboe-
vezes, em corpos hídricos confinados (bacias portuárias, tas; o Marquês de Pombal queria os edifícios re-
estuários, lagos, baías, mares, albufeiras, etc.). As seichas construídos e os mortos enterrados antes que a
podem ser provocadas por sismos.
peste se instalasse. Impassível perante o desas-
tre, ele alimentava um sonho: ver a cidade re-
Por volta das 10 da manhã, o mar recuou, dei-
construída segundo um plano mais magnifi-
xando a descoberto um monte de areia à en-
cente que o da capital destruída. Era um ditador
trada do estuário, mas regressou sobre a forma
brutal e admitia que nada podia acontecer no
de um tsunami, uma onda de 12 m de altura que
mundo sem a vontade de Deus, mas também
subiu pelo estuário, submergindo os cais e afun-
acreditava que o tremor de terra não tinha sido
dando todos os barcos fundeados no Tejo. As
um castigo divino, mas antes um fenómeno na-
águas do rio precipitaram-se então para o porto
tural e que aquele era o tempo para construir e
de Lisboa em três vagas sucessivas, arremes-
não para ouvir os profetas da desgraça. A porta
sando para terra os barcos ancorados, destru-
para o estudo científico dos tremores de terra, a
indo as docas e arrasando os principais edifícios
sismologia, tinha sido aberta por este homem
da principal praça da cidade, o Terreiro do Paço.
odiado mas extraordinário. Em poucas décadas,
Grandes ondas do tsunami continuaram o seu Lisboa ficou reconstruída.
movimento de fluxo e refluxo durante dois dias,
deslocando-se em todos os sentidos no Atlân- Mathys Levy, Porque Treme a Terra
tico e atingindo, a norte, a Holanda, com 3 m de
altura, e a ocidente, com 4 m, as ilhas tão distan-
tes de Antígua e Martinica, nas Caraíbas.
Finalmente, ao meio-dia de 1 de novembro,
quando uma nuvem de pó cobriu a cidade em
1. Refere qual o assunto do texto. _________________________________
2. Situa, no tempo e no espaço, o sismo, referindo:
2.1. o século em que ocorreu. _______________________________________________
2.2. quem governava Portugal nessa altura. _______________________________________________
2.3. o local de Lisboa onde o primeiro tremor foi sentido. ____________________________________

3. Refere se o sismo teve origem em terra ou no mar. Justifica a tua resposta com uma frase do texto.

4. Transcreve dois excertos que descrevam:


4.1. uma réplica.

4.2. um tsunami.

5. Refere quem ordenou a reconstrução de Lisboa.

Você também pode gostar