Você está na página 1de 10

RESUMO TUTORIA 2021.

2 UC XVI
SP3 ESQUIZOFRENIA

SP1 - DEPRESSÃO
1 - Entenda e diferencie delirium de
delírio, alucinação e ilusão;
Questões de aprendizagem
1- sobre a depressão 2 - Compreenda as psicoses, e diferencie
a) conceito os seus tipos (transtorno delirante
b) tipos e classificação persistente, esquizoafetivo,
c) epidemiologia e fatores de risco esquizofreniforme, trastorno psicótico
d) fisiopatologia breve)
e) quadro clínico
f) diagnóstico 3- Discorra sobre a esquizofrenia
g) tratamento (etiologia, tipos, epidemiologia, quadro
h) doenças associadas clínico, diagnóstico, diagnóstico
diferencial, tratamento, fisiopatologia).
2- Compreenda as fases do luto
SP4 - BIPOLAR
3- Diferencie depressão do luto 1- Compreenda o transtorno bipolar, e
discorra sobre seu conceito,
4- Entenda quais são os critérios de epidemiologia, etiologia, fisiopatologia,
internação psiquiátrica quadro clínico, diagnóstico e tratamento

5- Compreender a identificação e o 2- Entenda os tipos de TAB enfatizando


manejo do paciente com ideação suicida as diferenças de manias e hipomania

3- Conceitue agnosia visual e sua


SP2 - ANSIEDADE etiologia

Questões 4- Discorra sobre a ciclotimia e seu


diagnóstico
1-) Compreenda os transtornos ansiosos
e discorra sobre sua fisiopatologia
SP5 - TRANSTORNO DE
2-) Entenda os transtornos ansiosos ( PERSONALIDADE
TAG, Fobia e Pânico (ataque e transtorno)
) compreendendo sua etiologia, quadro 1) Defina personalidade e entenda os
clínico, diagnóstico e tratamento fatores que a influenciam
2) Compreenda os transtornos de
3-) Discorra sobre os diagnósticos personalidade e os diferencie
diferenciais dos transtornos ansiosos 3) Discorra sobre o transtorno de
personalidade anti social abordando seu
conceito, epidemiologia, etiologia,
fisiopatologia, quadro clínico, diagnóstico
e tratamento.
RESUMO SP3 podendo se colocar em isolamento social.
Ainda mantêm um nível de
relacionamento humano considerado
O delírio é uma perturbação súbita, adequado. Acomete, em sua maior parte,
flutuante, e geralmente reversível da mulheres após os 40 anos. O transtorno é
função mental. É uma incapacidade de considerado uma doença mental grave. É
prestar atenção, desorientação, fundamental buscar o suporte de um
incapacidade de pensar com clareza e profissional da área de saúde mental.
flutuações do nível de alerta
(consciência). Crenças falsas. Transtorno esquizoafetivo
A Alucinação é a percepção real de um Doença de grave comprometimento
objeto que não existe, ou seja, são cerebral, onde o doente apresenta tanto
percepções falsas. O sistema sensorial sintomas de esquizofrenia, "misturados"
não processa estímulos externos, ficando com sintomas da doença bipolar ou de
inativos durante a alucinação do paciente, depressão. Os sintomas podem surgir
sendo algo criado pela mente do indivíduo juntos ou alternadamente. Ocorre na
que alucina. adolescência ou início da idade adulta e
A ilusão é uma distorção da percepção, costuma ter uma evolução mais benigna
uma interpretação visual dos factos que que a esquizofrenia.O tratamento consiste
não coincide com a realidade. Pode-se em internamento hospitalar, medicação e
falar de ilusões ópticas (as mais usuais), intervenções psico-sociais. A terapêutica
ilusões olfativas, ilusões auditivas, ilusões medicamentosa utilizada é a mesma que
gustativas ou ilusões tácteis. a usada no tratamento da depressão e da
doença bipolar, assim como
Psicoses são distúrbios psiquiátricos antipsicóticos.
graves onde o paciente perde contato
com a realidade, emite juízos falsos sob a Transtorno esquizofreniforme
forma de delírios (falsas crenças), Apresentam um quadro clínico muito
podendo ainda apresentar distúrbios da parecido com a esquizofrenia. A diferença
sensopercepção sob a forma de deve-se ao tempo limitado em que os
alucinações (percepções irreais na sintomas persistem. Os sintomas devem
audição, visão, tato, gustação e olfato), estar presentes por mais de um mês,
distúrbios de atitudes podendo porém os doentes não devem ultrapassar
comprometer o convívio social, além de seis meses com o quadro. A remissão
outras formas bizarras de comportamento. deve ocorrer durante esse período,
O termo psicose tradicionalmente significa quanto mais curto for o episódio, melhor o
perda do contato pleno com a realidade e prognóstico. O prejuízo social ou
comprometimento do funcionamento ocupacional em função dos seus sintomas
mental global ou pontual, manifestando-se pode estar presente ou não. Se tiver
não apenas através dos delírios e sintomas psicóticos por um período
alucinações, mas podendo chegar à superior a seis meses podem vir a ter o
confusão mental e comprometimento diagnóstico de esquizofrenia.
global da personalidade.
Transtorno psicótico breve
Transtorno delirante persistente O quadro clínico é muito parecido com a
Principal sintoma a ocorrência de delírios. esquizofrenia ou com o transtorno
Geralmente, as pessoas com esse esquizofreniforme, apresentando delírios,
transtorno se tornam hipervigilantes, alucinações e linguagem ou

1
comportamento desorganizado. Os Os sintomas muitas vezes interferem
sintomas podem ir de apenas um dia até acentuadamente nos relacionamentos
a um mês, melhorando completamente profissionais, sociais e na capacidade de
dentro desse período sem deixar sintomas cuidar de si mesmo. Desemprego,
residuais. isolamento, deterioração dos
Esta perturbação pode ocorrer na relacionamentos e diminuição da
adolescência ou no início da idade adulta, qualidade de vida são desfechos comuns.
acontecendo em média ao final da década Fases da esquizofrenia
dos 20 ou início dos 30. Um diagnóstico Fase prodrômica
deste tipo obriga à identificação completa Os indivíduos podem não manifestar
de todos os sintomas e um retorno ao sintomas ou podem ter competência
nível pré-mórbido de funcionamento no social prejudicada, desorganização
espaço de um mês após o início da cognitiva leve ou distorção perceptiva,
perturbação. diminuição da capacidade de sentir prazer
(anedonia) e outras deficiências gerais de
Esquizofrenia caracteriza-se por psicose, lidar com situações. Tais traços podem ser
alucinações, delírios, discurso e leves e reconhecíveis apenas
comportamento desorganizados, retrospectivamente ou serem mais
embotamento afetivo (variação emocional evidentes, com comprometimento dos
restrita), déficits cognitivos funcionamentos social, acadêmico e
(comprometimento do raciocínio e da vocacional.
solução de problemas) e disfunção Fase prodrômica avançada
ocupacional e social. A causa é Podem surgir sintomas subclínicos;
desconhecida, porém, há fortes englobam afastamento ou isolamento,
evidências de algum componente irritabilidade, desconfiança, pensamentos
genético e ambiental incomuns, distorções perceptivas e
desorganização. O início do quadro franco
Etiologia de esquizofrenia (delírios e alucinações)
Evidenciado por: pode ser súbito (em dias ou semanas) ou
⦁Alterações na estrutura do cérebro, lento e insidioso (ao longo de anos).
ventrículos cerebrais aumentados, Fase precoce da psicose
afinamento do córtex, menor tamanho do Os sintomas são ativos e muitas vezes
hipocampo anterior e de outras regiões do são piores.
cérebro; Fase intermediária
⦁Alterações neuroquímicas, dopamina e Os períodos sintomáticos podem ser
glutamato. episódicos (com exacerbações e
⦁Fatores de risco genéticos remissões identificáveis) ou contínuos; os
recém-demonstrados déficits funcionais tendem a piorar.
Na fase tardia
Quadro Clínico O padrão do transtorno pode ser
A esquizofrenia é uma doença crônica estabelecido, mas há variabilidade
que pode progredir em diversas fases, considerável; a incapacidade pode
embora a duração e os padrões dessas estabilizar ou mesmo diminuir.
fases possam variar. Pacientes
esquizofrênicos tendem a apresentar
sintomas psicóticos em média de 12 a 24
meses antes de procurarem atendimento
médico.

2
Categorias dos sintomas na ⦁Desorganizados: transtornos de
esquizofrenia pensamento e comportamento bizarro.
Que podem ser considerados um tipo de
⦁Positivos: distorção das funções sintoma positivo, envolvem
normais. ⦁ Transtornos do pensamento
Os sintomas positivos podem ser ⦁ Comportamentos bizarros
classificados adicionalmente como
⦁ Delírios ⦁Cognitivos: déficits no processamento
⦁ Alucinações de informações e na resolução de
Delírios são convicções errôneas que são problemas. Pacientes podem ter sintomas
mantidas apesar de evidências de uma ou de todas as categorias.
contraditórias claras. Há vários tipos de Déficits cognitivos incluem deficiência nos
delírios: seguintes:
⦁ Delírios persecutórios: pacientes Atenção, velocidade de processamento,
acreditam que estão sendo atormentados, memória de trabalho ou
seguidos, enganados ou espionados. declarativa,pensamento abstrato,
⦁ Delírios de referência: pacientes resolução de problemas, compreensão
acreditam que passagens de livros, das interações sociais.
jornais, letras de música ou outras
evidências ambientais são direcionadas a Diagnóstico
eles. ⦁ Clinical criteria (Diagnostic and
⦁ Delírios de retirada ou inserção de Statistical Manual of Mental Disorders,
pensamento: pacientes acreditam que Fifth Edition [DSM-5])
outras pessoas conseguem ler sua mente ⦁ Combinação de história, sinais e
e que seus pensamentos são transmitidos sintomas.
para outras pessoas ou que forças O diagnóstico clínico. Informações
externas estão impondo pensamentos e oriundas de fontes auxiliares, tais como
impulsos a eles. família, amigos, professores e colegas de
trabalho, são importantes.
Negativos: diminuição ou perda das De acordo com o DSM-5, o diagnóstico da
funções normais e de afeto. esquizofrenia requer ambos do seguinte:
⦁ Afeto embotado: a face do ⦁≥ 2 sintomas característicos (delírios,
paciente parece imóvel, com contato alucinações, fala desorganizada,
visual precário e falta de expressividade. comportamento desorganizado, sintomas
⦁ Pobreza da fala: o paciente fala negativos) por um porção significativa de
pouco e dá respostas concisas a um período de 6 meses (os sintomas
perguntas, criando a impressão de vazio devem incluir pelo menos um dos 3
interno. primeiros)
⦁ Anedonia: há falta de interesse ⦁ Sinais prodrômicos ou atenuados
nas atividades e aumento de atividades da enfermidade com prejuízos sociais,
sem propósito. ocupacionais ou de cuidados pessoais
⦁ Associabilidade: há falta de devem ficar evidentes por período de 6
interesse em relacionamentos. meses, incluindo 1 mês de sintomas
Os sintomas negativos frequentemente ativos
levam a perda de motivação e diminuição
no sentido de propósito e de objetivos.

3
Diagnóstico diferencial algumas vantagens, tanto em termos de
eficácia ligeiramente maior quanto em
Psicose decorrente de outros distúrbios termos de menor probabilidade de
médicos ou por abuso de substâncias distúrbios de movimentos involuntários e
deve ser descartada por história e efeitos adversos relacionados.
exames, os quais incluem exames Treinamento de habilidade psicossocial e
laboratoriais e estudos de neuroimagem. programas de reabilitação vocacional
Embora alguns pacientes com ajudam muitos pacientes a trabalhar, fazer
esquizofrenia tenham anormalidades da compras e cuidar de si mesmos;
estrutura cerebral nos exames de administrar um lar; relacionar-se bem com
imagem, elas não são suficientemente outras pessoas; e trabalhar com
específicas para ter valor diagnóstico. profissionais de saúde mental.
Outros transtornos mentais com sintomas Psicoterapia
similares incluem os diversos transtornos Desenvolver relação colaborativa entre
relacionados à esquizofrenia: paciente, família e médico, de forma que o
Transtorno psicótico breve paciente consiga aprender a entender e
Transtorno delirante tratar sua enfermidade, tomar os fármacos
Transtorno esquizoafetivo conforme o prescrito e controlar o
Transtorno esquizofreniforme estresse mais efetivamente.
Transtorno de personalidade esquizotípica
Além disso, transtornos do humor podem Fisiopatologia
causar psicose em algumas pessoas. As alterações fisiológicas da esquizofrenia
Testes neuropsicológicos, imagens do são: dilatação ventricular e alargamento
cérebro, eletroencefalograma (EEG) e de sulcos corticais, além de diminuições
outros testes de função cerebral (p. ex., volumétricas de substância cinzenta do
acompanhamento ocular) não ajudam a cérebro.
distinguir entre os principais transtornos A hipótese de que a esquizofrenia os
psicóticos. exames de imagem cerebral mostraram
evidências de aumento da liberação
Tratamento sináptica de dopamina em resposta à
Fármacos antipsicóticos administração de anfetamina no estriado
⦁ Reabilitação, incluindo retificação de pacientes esquizofrênicos. O excesso
cognitiva, treinamento na comunidade e de dopamina pode explicar os sintomas
serviços de suporte positivos, mas não explica os sintomas
⦁ Psicoterapia, orientada para o negativos nem os outros aspectos da
treinamento de resiliência doença. As observações clínicas de que o
Reduzir a gravidade dos sintomas uso prolongado de fenciclidina (PCP)
psicóticos, preservar a função produz um aglomerado mais amplo de
psicossocial, prevenir recorrências dos sintomas do tipo esquizofrênico do que o
episódios sintomáticos e da deterioração observado com o uso de agonistas de
associada do funcionamento, reduzir o dopamina levaram à especulação de que
uso de drogas ilícitas. uma falta de glutamina poderia estar
Os antipsicóticos são divididos em implicada. Contrastando com os sintomas
antipsicóticos convencionais e predominantemente paranoicos
antipsicóticos de 2ª geração (ASGs) com associados ao uso prolongado dos
base em sua atividade e afinidade com os agonistas de dopamina, o uso prolongado
receptores de neurotransmissores de PCP produz sintomas negativos e
específicos. ASG podem oferecer comprometimento cognitivo, além de

4
distorção da realidade. Estes sintomas do um episódio hipomaníaco, mas nenhum
tipo esquizofrênicos produzidos pela PCP episódio maníaco completo.
são hipoteticamente iniciados pelo Algumas pessoas apresentam episódios
bloqueio de canais iônicos no complexo que lembram um transtorno bipolar, mas
receptor de N-metil-D-aspartato (NMDA), que são mais leves e não atendem aos
com consequente diminuição da critérios específicos de transtorno bipolar I
neurotransmissão glutamatérgica. Tanto ou II. Esses episódios podem ser
os terminais dopaminérgicos como os classificados como transtorno bipolar
glutamatérgicos convergem nas espinhas inespecífico ou transtorno ciclotímico.
dos neurônios piramidais situados no
córtex. Isto sugere a existência de um Fisiopatologia
mecanismo compartilhado, em que o A causa exata do transtorno bipolar é
glutamato e a dopamina exercem papel desconhecida. Além disso, determinadas
na esquizofrenia. Embora os 2 sistemas substâncias produzidas pelo corpo, como
de neurotransmissores compartilhem os neurotransmissores noradrenalina e
interações pré e pós-sinápticas serotonina, podem estar irregulares..1
complexas, a modulação da liberação de
glutamato pelos receptores de dopamina Quadro clínico
D1 pode mediar alguns dos efeitos da Os episódios de sintomas se alternam
dopamina na psicose. com períodos de remissões. Os episódios
duram de poucas semanas até três a seis
RESUMO SP4 meses. Ciclos — tempo que decorre
desde o início de um episódio até o
Transtorno bipolar (antes doença próximo — varia em duração. Algumas
maníaco-depressiva), os episódios de pessoas não têm episódios frequentes,
depressão se alternam com episódios de possivelmente só poucas vezes na vida,
mania, ou uma forma menos grave de embora outras tenham quatro ou mais
mania chamada hipomania. A mania episódios a cada ano (chamado ciclo
caracteriza-se por atividade física rápido). Os episódios consistem em
excessiva e sentimentos de euforia que depressão, mania ou hipomania. Apenas
são desproporcionais a qualquer situação. poucas pessoas alternam entre mania e
A hereditariedade provavelmente tem uma depressão a cada ciclo. Na maioria, um
participação no transtorno bipolar. ou outro predomina até certa medida.
Os episódios de depressão e mania
podem ocorrer separados ou juntos. Depressão
A pessoa passa por um ou mais períodos A depressão no transtorno bipolar se
de tristeza excessiva e perda de interesse parece com a depressão que ocorre
na vida e um ou mais com períodos de sozinha. A pessoa se sente muito triste e
euforia, extrema energia e normalmente perde o interesse nas suas atividades. Ela
irritabilidade, com períodos de humor pensa e se move lentamente e é possível
relativamente normal entre eles. que durma além do normal. É possível
Transtorno bipolar I: No mínimo, um que ela apresenta aumento ou diminuição
episódio maníaco completo (que tenha do apetite ou venha a perder ou a ganhar
impedido de desempenhar suas funções peso.
normalmente ou que inclua delírios) e,
normalmente, episódios depressivos. 1
Neurotransmissores são substâncias que
Transtorno bipolar II: Já apresentou as células nervosas usam para se
episódios depressivos graves, no mínimo comunicar.

5
Mania Diagnóstico do transtorno bipolar
Os episódios de mania não tratados Clínico. Às vezes, exames de sangue e de
terminam de forma mais brusca do que os urina para descartar a possibilidade de
de depressão e costumam ser mais outros transtornos.
curtos, durando desde poucas semanas a O diagnóstico de transtorno bipolar se
vários meses. baseia em listas específicas de sintomas
A pessoa se sente exuberante, cheia de (critérios). A pessoa com mania não
energia e eufórica ou irritada. Ela também descreve seus sintomas com exatidão,
pode se sentir com excesso de confiança, porque ela pensa que não há nada de
agir ou se vestir de maneira extravagante, errado com ela. Então, o médico
dormir pouco e falar mais que o normal. frequentemente busca informações com
Os pensamentos ficam acelerados. A os membros da família. A pessoa e seus
pessoa se distrai com facilidade e muda familiares podem usar um questionário
constantemente de assunto ou objetivo curto para ajudá-los a avaliar o risco de
para outro. transtorno bipolar.
A psicose maníaca é uma forma extrema O médico também pergunta à pessoa se
de mania. A pessoa tem sintomas ela tem pensamentos suicidas.
psicóticos parecidos com aqueles O médico verifica os medicamentos sendo
presentes na esquizofrenia . Ela pode ter tomados para saber se algum pode ter
ilusões extremamente grandiosas, por contribuído para os sintomas. Por
exemplo, que é Jesus. Outras pessoas exemplo, é possível que ele faça exames
podem acreditar que estão sendo de sangue quanto à presença de
perseguidas, por exemplo, pela polícia hipertireoidismo e exames de sangue e de
federal. urina para detectar o uso de drogas.

Hipomania Tratamento
A hipomania não é tão grave como a Medicamentos
mania. A pessoa se sente alegre, Psicoterapia
necessita pouco sono e é mental e Formação e apoio
fisicamente ativa. Na mania ou depressão grave, a
A hipomania é um período produtivo para hospitalização é em geral necessária.
algumas pessoas. A pessoa tem muita Mesmo quando a mania é menos grave,
energia, se sente criativa e confiante e, talvez seja necessário internar a pessoa
em geral, desempenha bem nas situações no hospital se ela tiver comportamento
sociais. É possível que ela não queira suicida, tentar ferir a si própria ou a
deixar esse estado agradável. outros, não conseguir cuidar de si mesma
ou ser alcoólatra. A maioria das pessoas
Episódios mistos com hipomania podem ser tratadas sem
Quando a depressão e a mania ou a internações. É mais difícil tratar pessoas
hipomania ocorrem em um único episódio, com um ciclo rápido. Sem tratamento, o
a pessoa pode ficar momentaneamente transtorno bipolar é recorrente em quase
triste em meio à euforia, ou é possível que todas as pessoas.
os pensamentos começam a ficar
acelerados em meio à depressão. Muitas Medicamentos para estabilizar o humor, o
vezes, a pessoa vai para a cama lítio, alguns medicamentos
deprimida, acorda cedo no dia seguinte e anticonvulsivantes, medicamentos
se sente eufórica e cheia de energia. antipsicóticos, antidepressivos

6
Psicoterapia estabilizadores do humor, sobretudo para
Formação e apoio ajudá-las a seguir o tratamento.
Eletroconvulsoterapia é usada quando os
estabilizadores de humor não aliviam a Fisiopatologia
depressão As teorias iniciais a respeito da
Fototerapia, que pode ajudar no fisiopatologia do TAB focaram-se
tratamento do transtorno bipolar sazonal particularmente no sistema de
(que tem algumas características em neurotransmissão das aminas biogênicas.
comum com o transtorno afetivo sazonal). Mediadas por uma cadeia de circuitos
Lítio neurais interconectados; logo, não é
O lítio pode reduzir os sintomas da mania surpreendente que os sistemas cerebrais
e da depressão, ajuda a evitar variações que receberam maior atenção nos
de humor em muitas pessoas com estudos neurobiológicos dos transtornos
transtorno bipolar, demora entre quatro a de humor tenham sido os
dez dias para fazer efeito, um monoaminérgicos, visto que são
medicamento que age mais rápido, como extensivamente distribuídos nos circuitos
um anticonvulsivante ou um medicamento límbico-estriado-córtex pré-frontal, regiões
antipsicótico mais recente (de segunda que controlam as manifestações
geração) costuma ser administrado para comportamentais dos transtornos de
controlar atividades e pensamentos humor. Inicialmente, hipotetizou-se que a
agitados. depressão e a mania resultariam de uma
diminuição no transporte de transmissores
Medicamentos anticonvulsivantes no neurônio pré-sináptico e/ou nas
Valproato e carbamazepina agem como vesículas sinápticas. As vesículas
estabilizadores de humor. Eles podem ser sinápticas, servindo como sistemas de
usados para tratar a mania quando ela "tampão", não seriam capazes de exercer
ocorre pela primeira vez ou para tratar a sua função plenamente, e um déficit tanto
mania e a depressão quando elas quanto um super fluxo do
ocorrem juntas (estado misto). Ao neurotransmissor não seria
contrário do lítio, esses medicamentos satisfatoriamente contrabalançado. Uma
não prejudicam os rins. resultante maior flutuação do transmissor
Antipsicóticos na fenda sináptica poderia, portanto, ser
Episódios súbitos de mania são cada vez responsável pela flutuação do humor.
mais tratados com antipsicóticos de Entretanto, modelos de TAB focados em
segunda geração, porque eles agem com um único sistema de neurotransmissor ou
mais rapidez e o risco de efeitos colaterais neuromodulador não conseguem explicar
graves é menor do que com outros suficientemente as diversas
medicamentos usados para tratar o apresentações clínicas deste transtorno.
transtorno bipolar transtorno afetivo bipolar (TAB), sua exata
Antidepressivos fisiopatologia permanece indeterminada.
Às vezes, determinados antidepressivos Recentemente, evidências apontam que
são usados para tratar depressão grave disfunções nos sistemas de sinalização
em pessoas com transtorno bipolar, mas intracelular e de expressão gênica podem
seu uso é controverso. estar associadas ao TAB. Estas
Psicoterapia alterações podem estar associadas a
A psicoterapia costuma ser recomendada interrupções nos circuitos reguladores do
para pessoas que tomam medicamentos humor, como sistema límbico, estriado e
córtex pré-frontal, sendo que os efeitos

7
neuroprotetores do uso crônico dos pode evoluir para um transtorno bipolar ou
estabilizadores de humor podem reverter pode continuar como um humor extremo.
este processo patológico. Um transtorno ciclotímico pode contribuir
A causa exata da sintomatologia, não é para o êxito da pessoa nos negócios, na
clara, mas alterações nos níveis de liderança, no sucesso e na criatividade
neurotransmissores, como noradrenalina, artística. Contudo, também pode dar
serotonina, dopamina, GABA, e origem a resultados irregulares no
glutamato, parecem estar relacionados trabalho e na escola, mudanças
com modificações intracelulares, nos frequentes de residência, terminar
neurônios corticais, podendo levar algum relacionamentos amorosos repetidamente
desse neurônios alteração metabólica, ou ou divórcios e ao transtorno por uso de
mesmo a morta, dando origem às álcool e a outros transtornos por uso de
alterações de humor, e estágio de mania substâncias.Diagnóstico clínico.
e depressão. Tratamento do transtorno ciclotímico
Formação e apoio, às vezes,
A agnosia é a perda da capacidade de medicamentos que estabilizam o humor.
identificar objetos, utilizando um ou mais
dos sentidos. Identificar objetos comuns
pela visão, toque ou outro sentido e
fazendo um exame físico, testes de
função cerebral e testes por imagem.
A causa é tratada, se possível, e a
fonoaudiologia e a terapia ocupacional RESUMO SP5
podem ajudar. Relativamente raro. A personalidade é definida como
Causas de agnosia padrões duradouros de percepção,
A agnosia é causada por lesão no lobo relacionamento e pensamento sobre o
parietal, temporal ou occipital do cérebro. meio ambiente e sobre si mesmo que são
Essas áreas armazenam memórias dos expostos em vários contextos sociais e
usos e importância dos objetos, visões e pessoais.
sons familiares e integram a memória com Um transtorno de personalidade é
a percepção e identificação. diagnosticado quando os traços de
Com frequência, a agnosia aparece personalidade são tão inflexíveis e mal
subitamente, após uma lesão na cabeça adaptativos em uma ampla gama de
ou um acidente vascular cerebral, tumores situações que causam sofrimento
cerebrais , abscessos cerebrais e significativo e comprometimento do
doenças que causam degeneração funcionamento social, ocupacional e do
progressiva de certas áreas do cérebro, papel.
como a doença de Alzheimer. Segundo o DSM-5, trata-se de um padrão
persistente de experiência interna e
No transtorno ciclotímico, episódios de comportamento que se desvia das
hipomania se alternam com episódios expectativas da cultura desse indivíduo. É
leves e curtos de depressão. um padrão difuso e inflexível que se inicia
O transtorno ciclotímico se parece com o na adolescência ou na fase adulta, se
transtorno bipolar, mas é menos grave. Os tornando estável ao longo do tempo.
episódios de euforia e tristeza são menos O DSM-5 inclui 10 transtornos de
intensos e duram normalmente apenas personalidade, divididos em três grupos
alguns dias, e recorrem com frequência baseados em semelhanças descritivas.
em intervalos irregulares. Esse transtorno GRUPO A

8
– a característica deste grupo é que os
indivíduos parecem esquisitos ou
excêntricos:
⦁ Transtorno Paranoite
⦁ Transtorno Esquizoide
⦁ Transtorno Esquizotípico

GRUPO B
– incluem os transtornos cujos indivíduos
se mostram dramáticos, emotivos ou
erráticos:
⦁Transtornos da personalidade antissocial
⦁Transtorno de Borderline ou Limítrofe
⦁Transtorno histriônico
⦁Transtorno narcisista

GRUPO C
– incluem os transtornos dos indivíduos
que carregam a característica de
parecerem ansiosos ou medrosos:
⦁ Transtornos da personalidade evitativa
⦁ Transtorno dependente
⦁ Transtorno obsessivo-compulsivo.

Você também pode gostar